Page 1

CASAS


PAT R O C Í N I O

APOIO


CONTEÚDO CASA DE PEDRA

Álvaro Côrtes Arquitetura

50

CASA EM VALINHOS

Ana Paula Giardini Pedro

56

Casa Alphaville Residencial das Árvores

Ana Paula Massote Rohlfs

62 CaPA

CASA FOLHA

Mareines + Patalano Arquitetura

218

Casa Jardim das Palmeiras

A1 Arquitetura

32

CASA ALABARDA

Affonso Risi

38

CASA DO LAGO

Alessandra Barreto Carla Ribas Mariana de Paula

44

Casa São Bento

Anastasia Arquitetos

68

CASA IPORANGA

Bruna Ximenes André Leite

74

CASA LAÉRCIO

Candido Chutorianscy Arquitetura

80

CASA ESCARPAS DO LAGO

Carolina Jardim Sílvia Guedes

86


CASA 77

DAVID BASTOS

92

CASA DOS SONHOS

Denise Zuba

98

CASA LARANJEIRAS

Fernando Sá

104

CASA SIRIÚBA

Flávia Amorim

110

CASA MARTINS SIQUEIRA

Frederico Zanelato

CASA PRIORI

Giselle Motta de Paula

134

CASA CIDADE JARDIM

Grandi Arquitetura

140

CASA MORUMBI

Gustavo Penna Arquiteto & Associados

146

CASA GOLF

Henrique Reinach Mauricio Mendonça

152

Casa ORS

JNA Arquitetos

116

158

CASA EM CAMPO GRANDE

CASA PROJETO RESIDENCIAL NOS JARDINS

Gil Carlos de Camillo

122

CASA MOREIRA

Gisèlle Moreira

128

João Armentano

164

Casa em Valinhos

José Eustaquio Leite

170


CONTEÚDO CASA LArANJEirAS

MarCio KoGan

212 CASA JASmim

Juliana Meda

CASA FOLHA

Mareines + Patalano arquitetura

176

218

CASA NEO

CASA DE CAmPO iNCONFiDENTES

Juliana ZuBa

182

CASA GOiABEirAS

leo roMano

188

CASA ViLA DO PErPÉTUO

luiZ a. lanZa

194

CASA ALPHAViLLE LONDriNA

MarCelo Melhado arquitetos assoCiados

Mariana de a. CorrÊa

224 CASA BV

Mario Biselli artur KatChBorian

230

CASA TOKYO

MassahiKo sototuKa

236

CASA E ESTÚDiO NA ViLA rOmANA

MMBB arquitetos

200

242

CASA BELVEDErE

CASA NO LiTOrAL CAriOCA

MÁrCia Carvalhaes

206

MoeMa WertheiMer

248


CASA LAGO SUL

Ney Lima

254

CASA REFÚGIO NAS MONTANHAS

Patricia Abreu Arquitetura

260

CASA HORIZONTAL

PAULA MATTAR ARQUITETOS ASSOCIADOS

CASA ALPHAVILLE

Sidney Quintela

296

CASA CATANDUVA

Solange Cálio

302

CASA VARGAS PENNA

Valéria Gontijo

266

308

CASA ANC

CASA DE CAMPO JOAQUIM EGÍDIO

Paula Sauer Roberta Homem de Mello

272

CASA DAS TAMAREIRAS

Pedro Ernesto Gualberto

Vanessa Féres

314

CASA RR

Vinicius Andrade Marcelo Morettin

278

320

CASA PACHON

CASA MIRANTE DO RIO NEGRO

Raul di Pace

284

Welton Oliva Albuquerque

326

CRÉDITOS

CASA MANGABEIRAS

Regina Márcia Moura

290

334


CASA ESCARPAS DO LAGO

Carolina Jardim Sílvia Guedes

86 |

OCA 5 C A S A S


C arol i n a J ard i m / S Ă­ lv i a G u edes

| 87


A deslumbrante vista da represa de Furnas foi o principal mote para as generosas dimensões dos ambientes de estar e convivência. Para desfrutála ao máximo, paredes duplas em Dry Wall foram criadas para embutir totalmente portas e janelas – e criar uma integração sem obstáculos.

Uma casa de fim de semana, feita para receber amigos e dar festas, foi a solicitação de um casal com três jovens filhos às arquitetas Carolina Jardim e Silvia Guedes. Localizado em um balneário às margens da represa de Furnas, o projeto procurou valorizar as áreas de lazer e privilegiar a bonita vista para a lagoa. Essencial para o êxito da implantação e a definição do partido da casa foram os estudos realizados para encontrar o melhor ponto em um terreno de 4.000 m² com uma inclinação de 33 m em 100 m de extensão. “Realizamos inúmeros ensaios até a definição do ponto ideal para a implantação da casa em apenas dois níveis, garantindo assim a total integração entre os espaços internos e externos” – reforçam as arquitetas. Além da implantação estratégica, a estrutura é outro destaque do desenho proposto, principalmente por se aliar aos detalhes arquitetônicos e aos elementos de composição das fachadas, como os grandes pilares e vigas. “Para manter a proporção desejada e não onerar tanto na estrutura, enchimentos de alvenarias foram feitos em pilares e vigas tornando-os robustos e monumentais” – dizem as profissionais. A abertura de grandes vãos e a utilização de pés-direitos duplos foram soluções adotadas tanto para a valorização plástica do projeto como para o conforto térmico do mesmo. A disposição dos ambientes favoreceu ao máximo a integração entre as áreas internas e externas da residência, tirando partida da privilegiada vista. A sala foi projetada como um grande living que se abre totalmente para a área externa, tornando-se uma extensão da varanda. 88 |

OCA 5 C A S A S

CORTE TRANSVERSAL

0 1 2

5m


C arol i n a J ard i m / S Ă­ lv i a G u edes

| 89


PAVIMENTO TÉRREO 1. Garagem 2. Hall 3. Lavabo 4. Living 5. Cozinha 6. Espaço gourmet 7. Lavabo 8. Louçaria 9. Despensa 10. Área serviço 11. Quarto serviço 12. Banho serviço 13. Área extrena 14. Solário 15. Deck 16. Varanda 17. Jardim 18. Spa 19. Piscina rasa 20. Piscina funda 21. Vestiário SEGUNDO PAVIMENTO 1. Circulação 2. Suíte 1 3. Banho 1 4. Suíte 2 5. Banho 2 6. Suíte 3 7. Banho 3 8. Suíte 4 9. Banho 4 10. Suíte master 11. Banho suíte master 12. Varanda suíte master 13. Varanda PRIMEIRO SUBSOLO 1. Varanda 2. Bar 3. Boite 4. Lavabo 1 5. Lavabo 2 6. Depósito 7. Casa de máquina piscina

90 |

OCA 5 C A S A S

PAVIMENTO TÉRREO

SEGUNDO PAVIMENTO

12

21 3 16

10

11

6

3

4

2

13

16

15

14

8

7

6

18

7 5

12

4

17

1

9

9 8 10 5

13

17

11

1

2

19

17

20

PRIMEIRO SUBSOLO

SEGUNDO SUBSOLO

2

11 1

3 2

6

7

12 13

9 10

1

3

8

4 5

5

0 1 2

5m

N

8. Sala TV caseiro 9. Cozinha caseiro 10. Área serviço caseiro 11. Quarto 1 caseiro 12. Quarto 2 caseiro 13. Banho caseiro

SEGUNDO SUBSOLO 1. Garagem barco 2. Depósito 3. Circulação 4. Pier 5. Rampa

4


CASA ESCARPAS DO LAGO Capitólio, MG

Autoria do projeto: Carolina Jardim e Sílvia Guedes Escritório: Guedes Jardim Arquitetura Ano de conclusão da obra: 2007 Área construída: 1.050 m² Construção: Kléber Fotógrafo: Jomar Bragança

Integrados e com grandes pés-direitos, os ambientes sociais foram concebidos com o intuito de valorizar a bonita paisagem que emoldura o entorno, além de contribuir para o conforto térmico de um modo geral.

C arol i n a J ard i m / S í lv i a G u edes

| 91


CASA 77

DAVID BASTOS

ELEVAÇÃO 3

0 1

2

5m

Desafios especiais conceituaram o projeto desta residência localizada em Trancoso, no sul da Bahia. Para propor o melhor aproveitamento de um terreno com 1.600 m2 de área, mas de geometria triangular e localizado num dos lotes de fundo de um condomínio fechado, o arquiteto David Bastos concebeu um partido arquitetônico repleto de soluções exclusivas. Assimilando a geografia do lote, a casa foi projetada em módulos, facilitando a implantação e favorecendo a comunicação das áreas internas com as externas; ao todo são três módulos soltos – um deles com dois andares – e interligados por passarelas, decks e espelhos d’água. Com mais de 800 m2 de área construída, a casa apresenta esse sistema de modulação que já caracteriza o trabalho do arquiteto: “assim é possível aproveitar melhor o clima quente dos Estados do Nordeste, juntamente com a criação de mais espaços sombreados, que facilitam a circulação de ar entre as unidades” – completa. A estrutura em madeira e os ambientes generosamente abertos complementam a proposta de integração com o meio ambiente. No desenho da área social externa, os recuos que limitavam as dimensões triangulares do terreno foram ocupados exatamente pela área destinada à piscina, que racionalizou o espaço disponível. Decks foram projetados interligando as áreas sociais e privativas da casa, e reservando o módulo central – dedicado a cozinha, espaço gourmet, almoço e área de serviço. “Essa foi uma solução essencial, pois, além de deixar a área bem aberta para o exterior e pérgula, também deixou a área de serviço bem escondida e ao mesmo tempo próxima de todos os acessos, facilitando o trabalho dos funcionários” – explica o arquiteto. 92 |

OCA 5 C A S A S


DAV I D B A S TO S

| 93


Acima, a distribuição do programa familiar em módulos facilitou a implantação da casa no terreno de características irregulares. Na página ao lado, destaque para a forma geométrica da piscina.

94 |

OCA 5 C A S A S


DAV I D B A S TO S

| 95


PAVIMENTO TÉRREO

PAVIMENTO SUPERIOR

30 27 29 32

28 31 33

26

24

23

36

22

20 40

15 14 13

1

41

42

10

2

3

5

4

8 7

6

N

0 1 2

PAVIMENTO TÉRREO 1. Acesso 2. Hall 3. Sala de TV 4. Mesa piscina 5. Sala de estar 6. Deck piscina 7. Bar piscina 8. Piscina funda 9. Piscina rasa 10. Lavabo 11. Cozinha 12. Apoio cozinha

OCA 5 C A S A S

37

12 11

9

96 |

38

39

19

16

21 15 21

34

17

15

25 35

18

21

5m

13. Despensa 14. Área de serviço 15. Circulação serviço 16. Quarto de empregado 17. W.C. 18. Depósito 19. Garagem 20. Estacionamento visitas 21. Espelho d’água 22. Deck de sol 23. Hall dos quartos 24. Escada

25. Rouparia 26. Copa 27. Suíte 1 28. W.C. 1 29. Chuveiro externo 1 30. Varanda 1 31. W.C. 2 32. Chuveiro externo 2 33. Suíte 2 34. Varanda 2 35. W.C. 3 36. Suíte 3

PAVIMENTO SUPERIOR 37. Hall superior 38. Sala íntima 39. Closet 40. Suíte master 41. W.C. master 42. Varanda superior


CASA 77

Trancoso, BA Autoria do projeto: David Bastos e Equipe Nome do Escritório: DB Arquitetos Ano de conclusão da obra: 2006 Área construída: 800 m² Estrutura e construção: Mirante Construtora Fotógrafo: Tarso Figueira

Na página ao lado, destaque para a circulação feita através de decks sobre espelhos d’água. Abaixo, no quarto do casal as portas camarão com venezianas articuladas controlam a privacidade e a circulação de ar.

DAV I D B A S TO S

| 97


Casa Martins Siqueira

Frederico Zanelato

A Serra do Japi, localização desta residência construída dentro de um condomínio fechado, em Itupeva, SP, é o início e o fim de todas as intenções do partido arquitetônico concebido pelo arquiteto Frederico Zanelato. Interagindo com a paisagem, estimulando a convivência, o bem-estar e privilegiando a natureza – principalmente a das pessoas –, a casa foi projetada como refúgio de final de semana para um jovem casal com dois filhos. Em um lote de 1.000 m² de área, o projeto foi implantado obedecendo às características naturais do terreno e sua posição geográfica. A planta, com 350 m2 de área construída, foi distribuída em três blocos: íntimo, social e de serviço – interligados por uma área de circulação com três pés-direitos distintos. Desde o acesso, que se dá por uma alameda arborizada, é perceptível essa organização em blocos. O desenho da própria fachada indica claramente dois deles separados por um grande painel de madeira – a porta principal. O bloco íntimo tem acesso em dois níveis e está localizado próximo à alameda, com aberturas para o leste e para um espaço central da casa, aberto, intitulado “praça dos pássaros”. O bloco social, com sala de estar, refeições e cozinha integradas, constitui uma agradável sombra com vista para a área de lazer com piscina e a serra. Sua posição entre a “praça dos pássaros” e a área da piscina é estratégica para o convívio familiar. Instalada na maior área livre do lote, a área de lazer abrese para a inspiradora vista da Serra do Japi. A escolha dos materiais foi definida de acordo com a função de cada espaço obedecendo a regras básicas de conforto ambiental e dos desejos da família. A iluminação zenital foi utilizada para criar sensações e justificar a textura desses materiais. 116 |

OCA 5 C A S A S


F r e d e r i c o Z a n e l at o

| 117


CORTE B

118 |

OCA 5 C A S A S

0 1

2

5m


Acima, à esquerda, área de circulação interna valorizada pelo aproveitamento da iluminação natural e pelo muro de pedras naturais; acima, jardim interno com espelho d’água; abaixo, o projeto explora o contraponto entre materiais como pedra e vidro. Na página ao lado, precisão e limpeza nas linhas puras da arquitetura da casa.

F r e d e r i c o Z a n e l at o

| 119


Acima, claraboias no teto são responsáveis pela iluminação que invade as áreas de circulação da casa; à direita, vista da sala de estar com aberturas para captação da iluminação natural. Na página ao lado, destaque para a área de lazer com piscina.

PAVIMENTO SUPERIOR

1

11

PAVIMENTO SUPERIOR 1. Praça de boas-vindas 2. Acesso principal 3. Acesso serviço 4. Hall 5. Suíte 1 6. Suíte 2 7. Hobby box 8. Atelier 9. Varanda 10. Acesso minigolfe 11. Minigolfe

7

PAVIMENTO INFERIOR 1. Suíte 3 2. Suíte 4 3. Praça dos pássaros 4. Hall 5. Circulação 6. Depósito 7. Estar 8. Refeições 9. Cozinha 10. Solário 11. Vestiário 12. Piscina 13. Churrasqueira 14. Dormitório empregada

5 6

2

10

4 7

8

9

3

PAVIMENTO INFERIOR

11 10 1 3 2

8 5 14

9

N

4 6

12

13

120 |

OCA 5 C A S A S

0 1

2

5m


CASA MARTINS SIQUEIRA Itupeva, SP

Autoria do projeto: Frederico Zanelato Co-autores: Fernanda Kano e Marcelo Miua Escritório: Frederico Zanelato Arquitetos Ano de conclusão da obra: 2007 Área construída: 300 m² Estrutura: Wagner Garcia de Oliveira Construção: Frederico Zanelato Arquitetos Fotógrafa: Bebete Viegas

F r e d e r i c o Z a n e l at o

| 121


CASA Golf

Henrique Reinach Mauricio Mendonça

O projeto desta residência é marcado pela presença de volumetrias sobrepostas, articuladas a vigas que, em balanço ou como pórticos, desenham vazios que são preenchidos pela vida proporcionada pelo uso da casa. O desenho volumétrico é reforçado pela presença de pilares metálicos, cuja cor e textura em negativo oferecem maior leveza à construção. O desnível e o formato do terreno – aliados ao traço arquitetônico já desenvolvido pela dupla de arquitetos – foram fatores que contribuíram para a organização do programa em níveis distintos. Essa divisão vertical faz com que o hall central de circulação vertical assuma função preponderante na articulação dos espaços, importância reforçada pela dimensão do espaço – determinada pela extensão de rampas de acesso aos pavimentos superior e inferior. A cobertura dessa circulação destaca-se do corpo principal da casa quando vista em elevação, shad de ventilação natural para abrigar iluminação natural, que ilumina e valoriza o espaço. Um pórtico de concreto armado se estende por um vão livre que recorta a paisagem, envolve e desenha o vazio dedicado à piscina e demais atividades de lazer, aproximando-as das áreas sociais e de convívio. Essas áreas foram integradas e articuladas pela piscina, cuja flexibilidade é garantida quando fechados os caixilhos corrediços de vidro. São eles que estabelecem distinção entre as áreas sociais de maior formalidade – salas de estar e jantar – das áreas de uso informal, como a de convívio junto à churrasqueira. 152 |

OCA 5 C A S A S


H e n r i q u e R e i n ach / M au r i c i o M e n d o n รง a

| 153


rua

golfe

CORTE LONGITUDINAL

O espaço dedicado às rampas de circulação vertical marca a entrada principal da casa, articulando os espaços de uso social e íntimo. Destaque para o uso da madeira em quase todos os ambientes.

154 |

OCA 5 C A S A S

0 1 2

5m


H e n r i q u e R e i n ach / M au r i c i o M e n d o n รง a

| 155


Acima, grandes panos de vidro fazem a transição entre as áreas internas e as externas. Na página ao lado, vigas e pórticos configuram o recinto que abriga a piscina, aproximando-a dos ambientes internos.

PAVIMENTO TÉRREO 1. Espelho d’água 2. Estar 3. Jantar 4. Cozinha gourmet 5. Cozinha 6. Depósito 7. Área de serviço 8. Lavabo 9. Caseiro 10. Garagem 11. Estar lareira 12. Sala de jogos 13. Home theater 14. Varanda 15. Espaço zen 16. Dormitórios 17. Rouparia 18. Pátio externo 19. Piscina

po

Cam

de

PAVIMENTO SUPERIOR

20. Spa 21. Pátio externo 22. Varanda/churrasqueira 23. Jardim 24. Rua 25. Praça

PAVIMENTO INFERIOR

27

26 27

PAVIMENTO INFERIOR 29. Casa de máquinas 30. Sauna seca 31. Antecâmera 32. Vestiário 33. Descanso sauna 34. Pátio externo

fe

19

27

PAVIMENTO SUPERIOR 26. Sala íntima 27. Varanda 28. Telhados

16

16 16 29

16 31

17 28

34

28

33 32

30

PAVIMENTO TÉRREO

gol

18 13

19

15 1 14

23 20

18

p Cam

22

0 1 2

12 16

16 17

1

2

eg

od

6 6

olfe

3

N

16

11

21

5m

4

6 5

7

8

9

6

10

24 25

156 |

OCA 5 C A S A S


CASA GOLF

Bragança Paulista, SP Autoria do projeto: Henrique Reinach e Mauricio Mendonça Escritório: Reinach/Mendonça Arquitetos Associados Ano de conclusão da obra: 2008 Área construída: 1.213 m2 Estrutura: Benedictis Engenharia Construção: CPA Engenharia e Construções Fotógrafo: Marcos Antonio

H e n r i q u e R e i n ach / M au r i c i o M e n d o n ç a

| 157


Casa Projeto Residencial nos Jardins

João Armentano

Com projeto arquitetônico assinado por João Armentano, e distribuída em planta de 2.000 m2 de área, esta residência foi estrategicamente implantada de forma a deixar a sua parte social inteiramente voltada para os fundos do terreno – localizado num dos nobres bairros da capital paulista. Uma generosa integração entre a área de lazer, a piscina, a churrasqueira, a sala de ginástica e uma edícula é outro destaque do partido e da implantação do projeto. Estimulando a convivência e promovendo o bem-estar em cada ambiente, o arquiteto atendeu às expectativas estéticas e funcionais de sua cliente, que buscava acima de tudo uma casa jovem, dinâmica e prática. “O resultado não poderia ter sido outro: um ambiente sofisticado, agradável, bem-iluminado, e, acima de tudo, prático” – endossa Armentano. Com espaços amplos e totalmente integrados, nos quais foi abolido o uso de grandes corredores, a casa permite um diálogo franco com as áreas externas, principalmente pelo uso de grandes panos de vidro – utilizados para fechar as grandes aberturas que caracterizam a arquitetura do projeto. Aliás, a integração da área social – living e sala de jantar – com a área externa, através de grandes portas retráteis, e a escolha de acabamentos como madeira e pedra, que deixaram os ambientes modernos, e ao mesmo tempo acolhedores, são alguns dos pontos altos do projeto. Para resolver a circulação vertical entre os dois pavimentos o arquiteto utilizou um elevador como via principal. 164 |

OCA 5 C A S A S

CORTE CC

1 2

5m


JOÃ O A RMENTA NO

| 165


Abaixo e na página ao lado, exemplo da integração espacial que caracteriza e conceitua os ambientes, tanto interna quanto externamente.

166 |

OCA 5 C A S A S


JOÃ O A RMENTA NO

| 167


Acima, as aberturas retráteis na área social permitem a completa comunicação com a área de lazer. Na página ao lado, vista da casa a partir da edícula construída nos fundos do lote.

PAVIMENTO SUPERIOR

14

16 17

15

4

5

5

6

6

3

1

20

22

19

2

13

21

18

10

11

12

9

7

8

0 1 2

5m

N

PAVIMENTO TÉRREO

8 14

12

17

4

3 9

13

6 5

2

6

15 16

11

1

10 7

168 |

OCA 5 C A S A S

PAVIMENTO SUPERIOR 1. Hall 2. Home íntimo 3. Dormitório casal 4. Closet 5. Banho 6. Espelho 7. Dormitório 1 8. Closet 1 9. Banho 1 10. Dormitório 2 11. Closet 2 12. Banho 2 13. Passarela 14. Rouparia 15. Dormitório babá 16. Banho 17. Closet 18. Lavabo 19. Terraço 20. Marquise 21. Marquise metálica 22. Gym PAVIMENTO TÉRREO 1. Living 2. Family Room 3. Sala de almoço 4. Sala de jantar 5. Terraço 6. Deck 7. Churrasqueira 8. Hidro 9. Bancada aquecida 10. Lavabo 11. Forro rebaixado 12. Cozinha 13. Lavanderia 14. Área de serviço 15. Despensa 16. Casa de máquinas 17. Piscina


CASA PROJETO RESIDENCIAL NOS JARDINS São Paulo, SP

Autoria do projeto: João Armentano Escritório: João Armentano Arquitetura Ltda. Ano de conclusão da obra: 2007 Área construída: 2.000 m² Fotógrafo: Tuca Reinés

JOÃ O A RMENTA NO

| 169


CASA VILA DO PERPÉTUO

Luiz A. Lanza

O arquiteto Luiz Lanza procurou estabelecer um jogo de proporções entre construção e terreno no projeto para esta residência, em Nova Lima, MG. A dimensão do lote foi essencial para o partido arquitetônico, que optou pela horizontalidade, criando extensos espaços internos, que invadem a paisagem circundante através de grandes aberturas. A horizontalidade da residência, perceptível à distância é, no entanto, anulada quando observada em escala mais próxima, pela verticalidade proposta pelo pé-direito das áreas sociais. A hierarquia estabelecida entre os usos sociais e íntimos da casa propõe diferenciadas dimensões aos espaços internos, o que resulta na composição volumétrica da construção. O bloco que abriga a sala de estar e jantar – considerado o mais nobre e importante do programa – ganha destaque e se projeta entre os demais pela extensão do vão livre e pelo pé-direito duplo, garantido por uma laje nervurada que avança em direção ao exterior. Esse bloco ocupa a porção central da construção, interrompendo a sua proporcionalidade e separando dois blocos menores, dedicados às áreas de serviço e ao escritório, além de se articular a outro que abriga as áreas de lazer. Blocos com volumetrias distintas, dedicados a usos específicos, foram dispostos longitudinalmente – articulados por uma galeria que abriga, no seu interior, um jardim de inverno. O desenho da implantação permite às fachadas das áreas sociais, íntimas e de lazer, aberturas para o jardim e a piscina na área externa, que se projeta como um mirante para a área inferior do terreno, onde um pequeno lago oferece espaço à introspecção e ao descanso. 194 |

OCA 5 C A S A S


Lu i z A . L an z a

| 195


CORTE LONGITUDINAL

O extenso vão livre com pé-direito duplo é garantido por lajes nervuradas que projetam as salas de estar e jantar em direção às áreas externas.

196 |

OCA 5 C A S A S

0 1 2

5m


Lu i z A . L an z a

| 197


PAVIMENTO TÉRREO

2

21

20

25

20

25 23

14 26

30 27

29

2

22 20 25 21

24

28

28

28

20

20

27

1

2

20

19 18

3

9 8

7

6

4 11

5

12

13

15

14 17

2

10

15 16

14 2

34 31

32

31

2

33 N 0 1 2

35

31

198 |

OCA 5 C A S A S

34

5m

PAVIMENTO TÉRREO 1. Entrada de autos 2. Jardim 3. Porte-cochère 4. Hall 5. Estar 6. Jantar 7. Cozinha 8. Louças 9. Despensa 10. Varanda 11. Lavabo 12. Escritório 13. Bar 14. Pérgula 15. Vestiário 16. Sauna 17. Fitness 18. Adega 19. Lavanderia 20. Banho 21. Quarto empregada 22. Quarto motorista 23. Pátio de serviço 24. Garagem 25. Depósito 26. Galeria 27. Quarto 28. Closet 29. Quarto casal 30. Estar casal 31. Deck 32. Piscina 33. Spa 34. Lago 35. Quadra de Tênis


A horizontalidade da residência é suavizada pela composição volumétrica, resultante da hierarquia estabelecida entre os usos.

CASA VILA DO PERPÉTUO Nova Lima, MG

Autoria do projeto: Luiz A. Lanza Escritório: Lanza Arquitetos Ano de conclusão da obra: 2008 Área construída: 1.200 m2 Estrutura: Pro-Estrutura Interiores: Ana Rita Isoni Construção: Corbis – Engenharia e Empreendimentos Fotógrafo: Jomar Bragança

Lu i z A . L an z a

| 199


Casa Folha

Mareines + Patalano Arquitetura

O projeto da Casa Folha, concebido por Ivo Mareines e Rafael Patalano, da Mareines + Patalano Arquitetura, foi inspirado na arquitetura indígena brasileira, fruto de climas quentes e úmidos como o próprio local onde a casa foi construída – o belíssimo litoral de Angra dos Reis, RJ. Estruturalmente foi projetada em madeira laminada de eucalipto que, devido ao seu processo de fabricação, consegue vencer grandes vãos – 20 m é o maior da casa – com facilidade e refinamento estético. A cobertura funciona como uma grande folha que protege do sol todos os cômodos da casa, assim como os espaços livres entre eles. Esses espaços representam a essência da casa e são os mais utilizados pelos usuários. As generosas dimensões do pé-direito permitem que o vento dominante de sudeste venha frontalmente do mar em direção e através da casa, provendo todas as suas áreas – abertas ou fechadas. “Nós entendemos a casa de praia como um meio de melhorar e tornar mais agradável a interação do homem com a natureza. Nunca separá-los totalmente” – explicam os autores. Os 800 m2 de área da residência são marcados pela transparência e integração entre as áreas internas e externas. Em busca de uma aproximação maior com a natureza, todos os acabamentos do projeto – exceto vidro e cobre – são naturais, como ardósia ferrugem em tiras, madeira natural, madeira de cruzeta de poste no piso do térreo e tramas de bambu. “O uso desses materiais, aliado ao vidro e ao cobre patinado, que adquire um tom esverdeado e tem vida útil muito longa, ampliou a sensação de que a casa, nova em folha, parece estar ali desde sempre, em total harmonia com a natureza exuberante de Angra dos Reis. A sensação de pertencer ao lugar” – completam os arquitetos. 218 |

OCA 5 C A S A S

CORTE TRANSVERSAL

CORTE LONGITUDINAL

0 1 2

5m


M a r e in e s + Pata l ano A r q u i t e t u r a

| 219


Acima, vista da casa a partir da praia; abaixo, destaque para o telhado que, devido à sua geometria complexa, é feito em pequenas telhas de madeira – pinus. Na página ao lado, acima, vista da varanda com piscina que ao atravessar a casa se transforma em espelho d’água; abaixo, destaque para texturas naturais aplicadas no forro em oposição ao vidro.

220 |

OCA 5 C A S A S


M a r e in e s + Pata l ano A r q u i t e t u r a

| 221


Acima, vista geral da integração entre os ambientes internos configurando os principais espaços de convivência e estar. Na página ao lado, à esquerda, redes na área de descanso da sauna; à direita, suíte do casal com destaque para a atmosfera intimista proporcionada pelo uso da madeira; abaixo, varanda principal vista do mezanino.

PAVIMENTO TÉRREO

12

SEGUNDO PAVIMENTO

1

5

4

9

10

13

OCA 5 C A S A S

8 7

2

6

11

3

222 |

2 3

14

10 11

2

5

2

PAVIMENTO TÉRREO 1. Varanda 2. Churrasqueira 3. Lounge brasileiro 4. Sala de jantar 5. Home theater 6. Suíte 7. Closet 8. Banheiro 9. Cozinha 10. Despensa 11. Lavabo 12. Piscina 13. Espelho d’água 14. Escada

SEGUNDO PAVIMENTO 1. Mezanino circulação 2. Suíte 3. Closet 4. Banheiro 5. Vazio sobre a varanda 6. Vazio sobre o lounge brasileiro 7. Escada

3

4

1 7

4

3

2

4 3

4

6

0 1 2

N

5m


CASA FOLHA

Angra dos Reis, RJ Autoria do projeto: Ivo Mareines e Rafael Patalano Projeto de paisagismo: Marita Adania Arquitetos colaboradores: Flávia Lima, Paula Costa, Rafael Pretti Escritório: Mareines + Patalano Arquitetura Ano de conclusão da obra: 2008 Área construída: 800 m² Construção: Laer Engenharia Estrutura (fundações e metálica): Abilità Engenharia Estrutura (madeira): Esmara Luminotécnica: Light Works Fotógrafos: Leonardo Finotti e Pedro Lobo

M a r e in e s + Pata l ano A r q u i t e t u r a

| 223


Casa BV

Mario Biselli Artur Katchborian

230 |

OCA 5 C A S A S


M a r i o B i s e l l i / A r t u r K at c h b o r i a n

| 231


Na página oposta, destaque para o detalhamento da “pele” de madeira que oferece proteção à construção e é responsável pela plasticidade do projeto.

O partido arquitetônico deste projeto, assinado pelos arquitetos Mario Biselli e Artur Katchborian, para uma residência em São Paulo, foi determinado pela situação do terreno, que possui um acentuado aclive a partir da rua de acesso. A distribuição vertical do programa contribuiu para estabelecer uma composição volumétrica para a construção, verticalmente dividida em dois corpos. Os pavimentos inferior – garagem e serviços – e superior – áreas íntimas – configuram dois volumes que desenham um vazio intermediário, um aparente terraço-jardim onde foram instaladas as áreas sociais. O extenso vão livre que congrega a área social é marcado pelo esforço estrutural do pavimento superior, que, apoiado sobre um único piloti, reforça a leveza da construção. Os balanços conquistados pela solução estrutural suavizam a robustez do projeto, além de criar generosas varandas que estendem o espaço interno em direção à paisagem. No corpo superior da casa, a “pele” de madeira que lhe oferece proteção aparenta uma composição de cheios e vazios, estabelecidos por um desenho que recorta aberturas na camada de madeira, permitindo visualizar os fechamentos interiores. Essa interpretação do projeto é reforçada pela escolha dos materiais, principalmente da madeira, que apresenta carga mais densa em comparação ao vidro das aberturas internas. O desenho do bloco superior oferece dinâmica e movimento à construção e é o principal responsável pela plasticidade que confere a este projeto personalidade única. 232 |

OCA 5 C A S A S

CORTE TRANSVERSAL

0 1 2

5m


M a r i o B i s e l l i / A r t u r K at c h b o r i a n

| 233


Um único piloti, um dos pontos de apoio para a laje nervurada, oferece à área social extenso vão livre, permitindo a sua integração com a paisagem urbana.

PAVIMENTO TÉRREO

PAVIMENTO SUPERIOR

1

2

3

4

5

1 6

7 8

9

4

2

3

5

6

1 1 7

10

PAVIMENTO INFERIOR

2

1

3 7

4

5 PAVIMENTO INFERIOR 1. Área de serviço 2. Dormitório 1 3. W.C. 4. Dormitório 2 5. Casa de máquinas 6. Depósito 7. Sala de estar 8. Garagem 9. Guarita

6

8

9

0 1 2

234 |

OCA 5 C A S A S

5m

N

3

PAVIMENTO TÉRREO 1. Lavabo 2. Despensa 3. Cozinha 4. Churrasqueira 5. Hall 6. Sala de jantar 7. Sala de estar 8. Varanda 9. Deck 10. Piscina

PAVIMENTO SUPERIOR 1. W.C. 2. Closet 3. Sala de TV 4. Suíte 3 5. Suíte 1 6. Escritório 7. Suíte 2


CASA BV

São Paulo, SP Autoria do projeto: Mario Biselli e Artur Katchborian Colaboradores: André Biselli Sauaia, Tais Cristina Silva, Fernanda Castilho, João Paulo Daolio, Marcela Ernani Escritório: Biselli + Katchborian Arquitetos Ano de conclusão da obra: 2008 Área construída: 520 m² Estrutura: Sayeg Engenharia Construção: Lazzati Engenharia Fotógrafo: Nelson Kon

M a r i o B i s e l l i / A r t u r K at c h b o r i a n

| 235


CASA RR

Vinicius Andrade Marcelo Morettin

CORTE TRANSVERSAL

0

1

2

5m

Este projeto revela que a sofisticação de uma casa não se encontra, necessariamente, na escolha dos materiais e tampouco em complexidades construtivas, mas sim no uso da arquitetura enquanto principal instrumento para a concepção do vazio. A escolha de materiais simples destaca a intenção dos arquitetos Vinícius Andrade e Marcelo Morettin em reforçar o espaço desenhado pela estrutura e fechamentos e de integrar a casa com o entorno, de maneira despojada como sugere o próprio ambiente externo. A construção apresenta duas volumetrias. A maior, externa, é configurada por um pórtico de aço galvanizado e possui fechamentos laterais desenhado por extensos painéis de tela vazada. A leveza proporcionada pelos materiais sugere a aparência de uma casca, que abriga a volumetria menor, “solta” no seu interior. O desenho do terreno foi determinante para a disposição das aberturas da casa, assim como a configuração dos espaços internos – incluindo a área ocupada pelo volume interno que abriga cozinha, quartos e sanitários. A implantação subverte a hierarquia estabelecida pelo desenho do terreno, transformando as fachadas laterais em principais – voltadas para o mar de Ubatuba – e estabelecendo o recuo do volume interno para a configuração de um vazio de pé-direito duplo, sala de estar que, com portas pivotantes, integra-se à mata existente nas áreas externas. Todos os espaços foram integrados por um piso suspenso de madeira – que eleva os usos da casa para além da umidade do solo – cujas diferentes texturas delimitam o espaço do volume interno do externo, com deck de madeira que faz a transição para o exterior da edificação. 320 |

OCA 5 C A S A S


V i n i c i us A n d r a d e / M a r ce lo M o r e t t i n

| 321


Diferentes pisos de madeira delimitam o espaço da casa do espaço da estrutura que a abriga. Na página ao lado, destaque para a face transparente da construção que integra totalmente a casa com a paisagem local.

322 |

OCA 5 C A S A S


V i n i c i us A n d r a d e / M a r ce lo M o r e t t i n

| 323


Duas volumetrias: a externa – marcada por fechamentos com portas pivotantes – abriga a casa, delimitada pela volumetria interna.

PAVIMENTO TÉRREO

PAVIMENTO SUPERIOR PAVIMENTO TÉRREO 1. Varanda 2. Sala 3. Cozinha 4. Quarto 5. Banheiro 6. Lareira 7. Área de serviço

1 4 5 6

PAVIMENTO SUPERIOR 1. Varanda 2. Quarto 3. Banheiro

2

2 1 3

2 3

7

1

5

324 |

OCA 5 C A S A S

1

2

5m

N

0


CASA RR

Ubatuba, SP Autoria do projeto: Andrade Morettin Arquitetos Associados Coordenador: Merten Nefs Colaboradores: Marcio Tanaka, Marcelo Maia Rosa, Marina Mermelstein, Renata Andrulis Escritório: Andrade Morettin Arquitetos Associados Ano de conclusão da obra: 2007 Área construída: 220 m² Estrutura: Ita Construtora Construção: Vicente Ganzelevitch Fotógrafo: Nelson Kon

V i n i c i us A n d r a d e / M a r ce lo M o r e t t i n

| 325


PAT R O C Í N I O

APOIO

Livro Oca 5  

Livro de arqueitetura e decoracao

Livro Oca 5  

Livro de arqueitetura e decoracao

Advertisement