__MAIN_TEXT__
feature-image

Page 23

Colóquio - História das Ciências para o Ensino

A UNIVERSIDADE DE COIMBRA E A INTRODUÇÃO DA MICROBIOLOGIA EM PORTUGAL EM FINAIS DO SÉCULO XIX João Rui Pita1 & Ana Leonor Pereira2 1

Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX – CEIS20 (Grupo de História e Sociologia da Ciência e da Tecnologia); Faculdade de Farmácia da Universidade de Coimbra 2 Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX – CEIS20 (Grupo de História e Sociologia da Ciência e da Tecnologia); Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra

Palavras-chave: bacteriologia; Universidade de Coimbra

Gabinete

de

Microbiologia;

microbiologia;

Pasteur;

Introdução – O Gabinete de Microbiologia da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra deu os primeiros passos em 1882, tendo sido definitivamente institucionalizado em 1886. Em 1890, pela primeira vez, passou a ter instalações próprias. A fundação deste estabelecimento científico traduz a preocupação de cientistas e instituições em receber em Portugal as inovações pasteurianas. Neste estudo os autores analisam os primeiros anos de funcionamento do Gabinete de Microbiologia, mais tarde designado por Laboratório de Microbiologia, sublinhando a importância científica e institucional do estabelecimento, seus protagonistas e redes estabelecidas. O Gabinete de Microbiologia foi pioneiro em Portugal tendo acompanhado a fundação de outros estabelecimentos em finais do século XIX e início do século XX, nomeadamente o Instituto Bacteriológico de Lisboa (1892) e o Laboratório de Higiene Municipal do Porto (1892). Método – Os autores analisaram alguns periódicos científicos portugueses com particular ênfase para a revista Coimbra Médica. Analisaram, ainda, algumas obras e tratados de bacteriologia e de medicina de finais do século XIX e início do século XX e outras publicações científicas, sublinhando as publicações de investigadores e técnicos que laboraram no Gabinete de Microbiologia como foi o caso de Charles Lepierre. Os autores trabalharam, também, fontes manuscritas existentes no Arquivo da Universidade de Coimbra, fontes importantes para a compreensão do funcionamento do trabalho do laboratório. Resultados e discussão – Uma das preocupações dos cientistas, particularmente dos cientistas médicos dos finais do século XIX foi a possibilidade de alcançar para a medicina a dimensão de ciência experimental, de laboratório. Um dos domínios onde foi mais flagrante esta necessidade de laboratorialização foi a área emergente da microbiologia, designada habitualmente por bacteriologia na segunda metade do século XIX. Ao longo deste século, sobretudo na sua segunda metade, a afirmação da medicina como uma ciência de laboratório e particularmente da patologia como uma ciência foi conseguida por diferentes vias, de acordo com as palavras de Lain Entralgo, “uma de orientação preponderantemente morfológica, a mentalidade anatomoclínica; outra de orientação processual, a mentalidade fisiopatológica; outra, finalmente, de orientação etiológica, a mentalidade etiopatológica” (1) (p. 464-465). As descobertas bacterianas de finais da segunda metade do século XIX estão na base da mentalidade etiopatológica. Os trabalhos de Pasteur e de Koch e de suas equipas de trabalho foram relevantes ao possibilitar que 21 CGUC, Departamento de Ciências da Terra, Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra 3000-272 Coimbra, Portugal

Profile for Congresso Jovens Geocientistas DCT/UC

Livro de Resumos: Colóquio História das Ciências, 2013  

Atas do 1º Colóquio da História das CIências para o Ensino, Coimbra, 2013 Organizado pelo Departamento de Ciências da Terra da Universidade...

Livro de Resumos: Colóquio História das Ciências, 2013  

Atas do 1º Colóquio da História das CIências para o Ensino, Coimbra, 2013 Organizado pelo Departamento de Ciências da Terra da Universidade...

Profile for vicjgeo
Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded