Issuu on Google+


Últimos cursos do SENAR realizados em Candói e Foz do Jordão Derivados de Leite 09 e 10 de junho Foz do Jordão

Tratorista Semeadeira e Agrícola Plantadeira 08 e 09 22 de junho de junho Casa Familiar Rural Candói Foz do Jordão Ordenha Manual - 16 a 20 de junho - Assentamento União São Pedro - Candói

Cestaria e Trançados 06 e 07 de julho Foz do Jordão APOENA Jardineiro 07 a 9 de julho APAE Candói

REVISTA DO PRODUTOR RURAL - 13


REVISTA DO PRODUTOR RURAL - 17


Concurso

Ocepar, Sicredi e Unimed lançam Prêmio Ocepar de Jornalismo em Guarapuava

O

Sistema Ocepar - Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná, a Unimed Paraná e o Sicredi Paraná promoveram no dia 10 de julho, no auditório da Unimed Guarapuava, reunião com os profissionais de comunicação do município. O objetivo, segundo o coordenador de imprensa da Ocepar, Samuel Milléo Filho, foi repassar informações sobre o VI Prêmio Ocepar de Jornalismo 2009. “É a primeira vez que estamos fazendo o lançamento regional em Guarapuava e contamos com a participação dos profissionais do município”, diz. Este ano o tema é “Cooperativas: Desenvolvimento sustentável com produtos e serviços de origem garantida” e serão distribuídos R$ 51 mil em prêmios. O tema visa mostrar as principais iniciativas

realizadas pelas cooperativas em seus diversos ramos que dão sustentação à economia, gerando emprego e renda e com produtos e serviços de qualidade garantida, além de serem genuinamente paranaense. “O objetivo é incentivar a produção de reportagens jornalísticas sobre os valores e benefícios do cooperativismo para a sociedade, além de reconhecer e valorizar o trabalho dos profissionais da área”, explica. No mesmo dia, foi lançado o “Prêmio Unimed de Jornalismo Edição Especial 30 Anos Federação PR”, que visa promover a discussão sobre a saúde no estado e incentivar os profissionais e acadêmicos de jornalismo a produzirem matérias/reportagens relacionadas à saúde pública e suplementar.

REVISTA DO PRODUTOR RURAL - 35


REVISTA DO PRODUTOR RURAL - 37


REVISTA DO PRODUTOR RURAL - 41


48 - REVISTA DO PRODUTOR RURAL

REVISTA DO PRODUTOR RURAL - 43


44 - REVISTA DO PRODUTOR RURAL


REVISTA DO PRODUTOR RURAL - 45


A

Flores

Secretaria de Política Agrícola aprovou e publicou em janeiro deste ano, a definição do zoneamento agrícola para a cultura da canola no Estado do Paraná. Identificados os municípios aptos e os períodos de semeadura com o menor risco climático para o cultivo da canola, a cultura ganha credibilidade e um grande impulso na região. O incentivo do Governo Federal vem acompanhado com o apoio à pesquisa (Embrapa) e por intermédio de verbas para financiamento da cultura, o que já ocorreu nesta safra. Observando este panorama favorável, aliado aos bons resultados que a canola tem proporcionado, os produtores da região disponibilizaram em torno de 2.200 hectares para a cultura. A visão de uma ótima alternativa para o inverno, com tecnologia recomendada pela pesquisa e assistência técnica regional treinada, mostra o comprometimento com que o fomento desta cultura esta sendo realizado. A AG Teixeira Agrícola Ltda e a Bunge Alimentos relatam o bom desenvolvimento da cultura este ano, e a pouca infestação de pragas e doenças até o mês de julho. A cultura encontra-se em fase final de florescimento e início de enchimento de grãos. Calcula-se que 80% das áreas, mesmo enfrentando fortes geadas, apresentam um bom desenvolvimento e ótimo potencial produtivo. O restante das áreas encontra-se com desenvolvimento de bom a regular, com alguns problemas de implantação da cultura com baixas populações e plantios tardios. Mesmo assim, a cultura continua com potencial produtivo considerável. O início da colheita está previsto para o final de agosto/início de setembro de 2009, com uma estimativa de produtividade em torno de 1.800 quilos por hectare. Eduardo Miranda D´Ávila Pereira

AMARELAS trazem boas notícias

Engenheiro Agrônomo AG Teixeira

REVISTA DO PRODUTOR RURAL - 49


REVISTA DO PRODUTOR RURAL - 51


REVISTA DO PRODUTOR RURAL - 59


REVISTA DO PRODUTOR RURAL - 61


REVISTA DO PRODUTOR RURAL - 67


REVISTA DO PRODUTOR RURAL - 71


REVISTA DO PRODUTOR RURAL - 73


Considerações Finais Dos investimentos em ativos imobilizados realizados pelos produtores rurais de Guarapuava e Pinhão, infere-se que em 50% dos casos analisados, sob a ótica teórica das técnicas de orçamento de capital, há redução do patrimônio líquido, ou seja, são inviáveis do ponto de vista econômico-financeiro, apresentando Valor Presente Líquido negativo e Taxa Interna de Retorno menor que o custo de capital dos referidos projetos. O Custo Médio Ponderado de Capital dos projetos varia entre 10,3% a.a. e 12,89%, isto se deve, principalmente, devido a composição da estrutura de capital de terceiros e próprio, bem como ao custo de oportunidade atrelado aos ativos financeiros de renda fixa e, também, ao custo de capital de terceiros que é de 11,75% a.a. na maioria dos casos analisados. Cabe ressaltar que, comparativamente os valores investidos em ativos imobilizados no exercício de 2008, tanto em Pinhão quanto em Guarapuava, são bastante diferentes. Entretanto, os períodos dos fluxos de caixa dos projetos são, na maioria dos casos, de 10 (dez) anos. Isto se deve principalmente ao prazo de depreciação dos ativos. Por fim, pode-se afirmar que as técnicas de orçamento de capital (VPL e TIR) podem maximizar a riqueza do produtor rural de Guarapuava e Pinhão com área territorial superior a 500 (quinhentos) alqueires, no que se refere aos investimentos em ativos imobilizados, desde que os fluxos de caixas estimados e o custo médio ponderado de capital estejam de acordo com as práticas operacionais e financeiras locais.

Referências Bibliográficas ANDERSON, D. R.; SWEENEY, D. J.; WILLIAMS, T. A. Estatística aplicada à administração e economia. 2. ed. São Paulo: Thomson Learning, 2003. BRIGHAM, E. F.; EHRHARDT, M. C. Administração financeira: teoria e prática. São Paulo: Thomson Learning, 2007. BRIGHAM, E. F. Fundamentos da moderna administração financeira. Rio de Janeiro: Campus, 1999. GITMAN, L. Princípios de administração financeira. São Paulo: Harbra, 2002. GITMAN, L. Princípios de administração financeira. 10. ed. São Paulo: Addison Wesley, 2004. HAIR, J. F. et al. Análise multivariada de dados. 5. ed. Porto Alegre: Bookman, 2005. MARION, J. C. Contabilidade empresarial. 13. ed. São Paulo: Atlas, 2007. MARTINS, G. A. Manual para elaboração de monografias e dissertações. 2. ed. São Paulo: Atlas, 1994. PÁDUA, E. M. M. Metodologia da pesquisa: abordagem teórico-prática. 10. ed. Campinas: Papirus, 2004. ROSS, S. Administração financeira. São Paulo: Atlas, 2002. SILVER, M. Estatística para administração. São Paulo: Atlas, 2000. YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e método. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2001.

1 - Professor da Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO), Departamento de Administração. Mestre em Controladoria e Finanças pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). 2 - Professor da Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO), Departamento de Administração. Mestre em Controladoria e Finanças pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). 3 - Professor da Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO), Departamento de Administração. Mestre em Ciências Sociais Aplicadas pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG).

REVISTA DO PRODUTOR RURAL - 75


REVISTA DO PRODUTOR RURAL - 77


REVISTA DO PRODUTOR RURAL - 79


REVISTA DO PRODUTOR RURAL - 83


88 - REVISTA DO PRODUTOR RURAL


Sindicato Rural Guarapuava