Issuu on Google+


editorial

Compras por impulso

D

e acordo com dados levantados pelo SPC Brasil, 53% dos consumidores realizaram compras por impulso em 2015. E a facilidade de crédito é apontada pela maioria das pessoas como uma das principais causas para compras sem necessidade O número é preocupante, já que, em alguns casos, o comportamento pode até ser considerado um transtorno, além de causar problemas financeiro e social. A psicóloga Carla Cristini Cunha, do Hapvida Saúde, alerta que a falta de controle sobre as finanças tanto reflete quanto piora um problema emocional, e as mulheres são as que mais compram por impulso, segundo a pesquisa.

Especialista em reabilitação oral e estética, Cibelly Leite fala sobre lentes de contato dental, um dos tratamentos mais procurados hoje.

p4 Entrevista

Boa leitura, Nara Andrade.

p6

Compras por impulso A compra por impulso é um transtorno e já é considerado um problema de saúde pública.

Orientações Adolpho Medeiros explica os métodos preventivos para evitar a lombalgia

p9

Coluna

p 13 Mosaicos Digitais Coluna

p14 Pietro Medeiros • Edição – C&S Assessoria de Comunicação • Editor-geral – Edilson Damasceno • Editora – Nara Andrade • Diagramação – Rick Waekmann • Projeto Gráfico – Augusto Paiva • Impressão – Gráfica De Fato • Revisão – Gilcileno Amorim • Fotos – Carlos Costa, Marcos Garcia Redação, publicidade e correspondência Av. Rio Branco, 2203 – Mossoró (RN) Fones: (0xx84) 3323-8900/8909 Site: www.defato.com/domingo E-mail: redacao@defato.com DOMINGO é uma publicação semanal do Jor nal de Fato. Não pode ser vendida separadamente.

2

Jornal de Fato | DOMINGO, 27 de novembro de 2016


adoro comer adoro Receita comer

Pavê de ameixa e abacaxi

INGREDIENTES • 2 pacotes de biscoito Richester Superiore Maizena 100 g • 200 g de açúcar • 4 colheres (sopa) de amido de milho • 1 sachê de chá preto • 4 claras • 100 g de chocolate ao leite picado • cravo a gosto • 1 abacaxi descascado e picado • 300 g de ameixa, sem caroço • 1 litro de leite • 4 gemas peneiradas • 1 1/2 xícaras (chá) de creme de leite • 1 xícara (chá) de vermute branco doce

MODO DE FAZER • Passo 1 - Em uma panela média, misture 1 abacaxi com ½ xícara (chá) de açúcar e os cravos. Leve ao fogo baixo, mexendo de vez em quando até desmanchar. Se necessário, use um garfo. Deixe esfriar e reserve. • Passo 2 - Prepare o creme de ameixa. Em uma tigela pequena, junte 300 g de ameixa e 1 sache de chá preto, regue 1 copo de água fervente e deixe as ameixas em infusão por 1 hora. Em seguida, bata no liquidificador até obter uma pasta. • Passo 3 – Em uma panela média, junte 1 litro de leite, 4 colheres (sopa) de amido de milho, 6 colheres (sopa) de açúcar, 4 gemas e leve ao fogo mexendo sempre até engrossar. Retire do fogo, junte a pasta de ameixa, mexa bem e reserve. • Passo 4 - Prepare a cobertura. Bata 4 claras em neve na batedeira junto com 3 colheres (sopa) de açúcar. Retire, junte 1 ½ xícara (chá) de creme de leite, mexa delicadamente e reserve. • Passo 5 - Monte o pavê de ameixa com abacaxi num refratário médio da seguinte forma: biscoito maizena umedecidos no vermute, creme de ameixa, biscoito maizena umedecidos no vermute, doce de abacaxi, biscoito maizena umedecidos no vermute, creme de ameixa, biscoito maizena umedecidos no vermute, finalize com a cobertura e por cima chocolate ao leite picado. Leve à geladeira por 2 horas antes de servir. Rendimento: 10 porções Calorias: 628 calorias Grau de dificuldade: Médio Tempo de preparo: 40 minutos

Jornal de Fato | DOMINGO, 27 de novembro de 2016

15


Concurso público: estilo de vida

PIETRO MEDEIROS

O sono e a vontade de vencer Já é quase uma hora da manhã de uma quarta-feira. O dia não foi produtivo, trabalhei bastante e, durante essa noite, não consegui estudar mais uma vez. A vontade de dormir e a obrigação de estudar estão em enorme conflito. Aliás, essa rotina é bem comum. Sem falar nas redes sociais, que me atrapalham bastante, não sei dormir sem zerar todos os grupos do WhatsApp. Ainda estou no meio da faculdade e já me aproximo dos 30 anos, vejo muita gente da mesma faixa etária bem sucedida e eu não tenho tempo nem para mim. Fico focando no trabalho, que por sinal só me traz problemas, e deixo a minha vida profissional/acadêmica e pessoal em segundo plano. A amorosa? Acho que fica em 5.º plano. Risos. Tenho uma relação de amor com o sono, é algo impressionante. O pior é que minha cama fica no mesmo ambiente da minha mesinha de estudo. Elas vivem em competição por mim. Já sabe quem sempre vence, não é? Livros são vários, compro por desencargo de consciência, mas, na prática, estão todos intactos e cheios de poeira. O pior, ou melhor, dependendo do ponto de vista, é que tenho que tomar um rumo na minha vida. O tempo passa e eu continuo no mesmo quarto, na mesma cama, com o mesmo trabalho e com minha vida financeira cada vez pior. Tenho quase todas as manhãs livres e uma boa parte da noite para estudar, mas o sono me consome, acho que ele sabe até quantas cadeiras pago na fa14

culdade. Mas o interessante é que ele tem uma boa convivência com as redes sociais. Acredita que passo horas vendo mensagens, vídeos, músicas e o sono, às vezes, até passa. Impressionante! Já pensei até em colocar livros no celular e nomeá-los de Facebook, Whatsapp, Youtube... Todavia, ao pensar em pegar um livro, o sono volta e a poeira aumenta sobre a velha estante. Tenho que tomar uma atitude. Do jeito que está, só tenho regredido em minha vida. Não gosto de vendas, não tenho o tino comercial, nem muito menos herança e ainda não sou tão qualificado profissionalmente. A saída é estudar para concursos e, para isso, tenho que trabalhar o meu lado emocional. Sabe aquela pessoa que age por impulso? Que deixa um pouco a razão de lado? Nem preciso dizer que sou eu. O lado emocional é algo primordial na ascensão da vida em seu aspecto amplo. Nossas emoções moldam nosso caráter, nossa maneira de ser e como os outros nos veem. Daniel Goleman já dizia que quando se fala em controlar emoções, elas são, realmente, estressantes e incapacitantes. Porém, emoções é o que torna a nossa vida rica. Não existe um único momento em nosso dia a dia em que estejamos livres de emoções, ainda que não saibamos identificá-las. Tudo o que aprendemos em nossa vida está, em parte, determinado pelo nosso estado emocional de base e sua origem. Tenho que organizar a vida como

Jornal de Fato | DOMINGO, 27 de novembro de 2016

um todo. Alguns amigos que já passaram em bons concursos agiram da forma mais organizada possível. Fazer um planejamento dos dias, elencando prioridades e retirando tudo que vai retirar o meu foco da rotina ou até da vida. Tem que existir um equilíbrio entre trabalho, família, vida amorosa, faculdade e lazer. Não dá para sair dia de terça com os amigos para um happy hour. Ainda não posso desmoralizar a segunda e a terça. Tenho que focar no meu objetivo de vida. Tenho que colocar na mente que eu sou influência do meio em que vivo. Meus amigos só falam em festa, naturalmente irei estar por dentro de todas. Na verdade, ainda não sei nem qual concurso irei fazer, só tenho no meu âmago a vontade. Sem falar que já estamos no fim do ano e vêm as festas comemorativas; isso tudo me consome. São muitos convites e tentações. O ano de 2017 tem que ser diferente, minha vida já não tem mais para onde piorar. A primeira coisa que não posso nem pensar será em começar a estudar depois do carnaval, pois senão terei apenas dez meses para mudar de vida... PIETRO MEDEIROS Professor Coach

@professorpietromedeiros @cafeedireito facebook: professorpietromedeiros e-mail: coachpietromedeiros@gmail.com


conto

JOSÉ NICODEMOS*

(

O retrato

Envie sugestões e críticas para o e-mail: aristida603@hotmail.com

)

Q

uem via aquela mulher já velha aos trinta e poucos anos, vagando pelas ruas, embriagada, nunca poderia imaginar que fora a moça mais bonita da sua cidade, Macau, no dizer de toda a gente. Chamava-se Flora. Muito pobre, no entanto vestia-se pelo figurino da moda. A mãe, viúva, fazendo tabuleiro, dia e noite, para manter o luxo da filha. Fazia gosto em vê-la sair de casa bem vestida, igualmente às moças de famílias de posses. Coisa de cidade pequena, falavam mal de Flora, – só da venda de tabuleiro, e pelas ruas pobres, a mãe de Flora, sem qualquer outra fonte de renda, não teria como manter-lhe o luxo. Nem moça rica. E Flora logo caiu, sem piedade, nas bocas maldizentes. Jovem e cheia de vida, Flora não se incomodava com o falatório da cidade, enquanto a pobre mãe se finava de grande desgosto. A filha era honesta. Vai um dia, a cidade, no último dia da festa do Carnaval, amanheceu com a notícia de que Flora fora desvirginada por um certo ricaço da cidade, que se aprazia na fama de conquistador de moças donzelas e mulheres casadas. A verdade é que era ele um homem de influência. Bonitão. Desvirginada, Flora não pôde resistir ao assédio de quantos a cobiçavam, rapazes e homens casados, vindo em pouco a prostituir-se. Desgosto, não era a vida com que sonhava, Flora deu para beber, e o vício desde logo a envelheceu no vigor da mocidade. E acabou nos balcões dos botecos, maltrapilha e escorraçada. Dormia a noite nas calçadas das ruas, cão sem dono. Trazia sempre a tiracolo uma bolsa muito gasta pelo uso e, bêbada, tirava de vez em quando de dentro dela um retrato, beijando-o com lágrimas nos olhos vagamente verdes – que ficariam

cegos dali a pouco. Supunha-se ser o retrato do autor da sua virgindade, ou de algum amante na vida de cabarés. Era um retrato sujo nas costas e esgarçado às margens. Eis que Flora, um dia, amanheceu morta numa calçada da rua, em Areia Branca, para onde a mãe se mudara,

envergonhada na sua viuvez honesta, de cabelos brancos. A mão direita dentro da bolsa apertando o tal retrato. Era o retrato dela, Flora, aos quinze anos, de odalisca, justamente tirado naquele último dia de carnaval. Uma odalisca não seria mais odalisca do que ela.

Jornal de Fato | DOMINGO, 27 de novembro de 2016

3


Entrevista

Cibelly Leite

"Lente de contato dental está entre os tratamentos mais procurados"

Por NARA ANDRADE Da Redação

V

ários artistas e celebridades como Cristiano Ronaldo e Ivete Sangalo renovaram o sorriso sem ter usado aparelho nos dentes. Tudo isso através da aplicação de “lentes de contato”, técnica que já existia na Odontologia, mas que agora está na moda. Trata-se de uma porcelana superfina que permite corrigir os dentes de pacientes com pequenas imperfeições, de forma rápida, sem a necessidade de anestesia ou outros métodos invasivos. Em seu consultório no West Clinical, Cibelly Leite, especialista em reabilitação oral e estética, explica melhor sobre a técnica que tem atraído vários pacientes em busca do sorriso perfeito.

4

Jornal de Fato | DOMINGO, 27 de novembro de 2016


Artigo

AMADEU ROBERTO GARRIDO DE PAULA *

A Justiça a serviço do crime

O

título põe a nu o paradoxo e escandaliza conservadores. Trata-se do título de um livro do magistrado Arruda Campos, conhecido como "Matias Arrudão", publicado há mais de meio século. Custou-lhe a exclusão da magistratura. A ementa do acórdão do Conselho Superior da Magistratura do Tribunal de Justiça de São Paulo é exemplar dos tempos obscuros que toldavam a sociedade brasileira. Iniciava-se assim: "Magistrado Comunista. Inadmissibilidade". Alguém evidentemente punido por suas opiniões. Em verdade, Arruda Campos não era comunista; era um democrata radical. Para entender-se o que seja um democrata radical, é o cidadão pensador em levar ao extremo as liberdades, as garantias e direitos individuais, coisas antigas, da França de 1789, que desde logo foram introduzidas em nossa Constituição Cidadã, em seu artigo 5.º. Inobstante a Carta, esses direitos de "primeira geração" são pisoteados cotidianamente. Os abusos de autoridade são praticados reiteradamente no território nacional, especialmente pelas polícias militar e civil. E também pelo Ministério Público e pelo Judiciário. A inutilidade desse método ofensivo aos preceitos da democracia é óbvia, com o crescimento incessante da criminalidade. Notícia dos últimos dias nos dá conta de que a tranquila Porto Alegre acaba de superar em oito pontos os índices de criminalidade da longamente sofrida Pauliceia. O Congresso Nacional discute o tema, posto no PL 4.850/2016, bom de ser acompanhado por toda a sociedade. Dele o relator, submetido a pressões, legítimas na democracia, de membros do Ministério Público Federal, retirou o dispositivo que instituía crime de responsabilidade para magistrados e membros do Ministério Público. Não entendemos por que não se destina a policiais. Considerada a inteligência empírica que temos do Estado de São Paulo, muito pouco teriam a temer magistrados e membros

do Ministério Público ante essa legislação, porquanto sua imensa maioria é proba, culta e consciente dos valores da democracia, conquistada com enormes sacrifícios depois de duas décadas de céus sombrios. Lamentavelmente, o mesmo não podemos dizer da Polícia Civil e da Polícia Militar. Seus integrantes creem piamente que, ao recorrer a brutalidades extremas contra cidadãos suspeitos e contra a lei, recebem aplausos da sociedade. Com aparente razão. A sociedade, cansada de ser agredida, admite o fuzilamento de condenados na Praça da Sé, sob as vistas gerais. O general da Idade Média, que repousa no inconsciente de todos nós e, por vezes, vêm ao limiar da consciência, responde à criminalidade intensa e banalizada. A lei penal, ao criar a "prisão temporária", por cinco dias, praticou um erro. É um meio de a polícia "arrancar a verdade" de suspeitos. Grande parte confessa a prática do crime, sob forte coação física e psicológica. Por vezes num único ato: um tapa no rosto. Não há como um juiz equilibrado, como em geral o são, ainda que não seja exemplo do "bom juiz Magneau", dar valor a essas confissões, que encerram o trabalho policial. A boa atividade de investigação policial não precisa ser violenta. Precisa ser paciente, trabalhosa e inteligente. Tudo o que não desejam funcionários públicos concursados, estáveis, mal remunerados e sem incentivos. Sua pobreza material e intelectual é despejada sob suspeitos situados em condições sociais ainda mais precárias; a violência dos celerados, inclusive de menores, ao invés de diminuir, recrudesce e se amplia. O ciclo vicioso se completa e cada vez mais nos chafurdamos na lama de um país à beira de não poder ser mais habitado. Propostas para sairmos desse estado de coisas inaceitável não faltam, mas o Governo Federal, de curto fôlego, provavelmente não abrirá espaço para o combate racional à violência no Brasil, uma das maiores da América Latina, provavelmente somente atrás do Mé-

xico e da Nicarágua, considerado o número de homicídios. E são muito concretas, apresentadas por instituições privadas que se debruçam sobre o assunto: unificação das Polícias Militares e Civis, mudanças radicais na educação básica e no ensino médio, criação de oportunidades para os jovens, eliminação dos preconceitos contra os negros, remuneração humana para os policiais e seu aperfeiçoamento mediante cursos de formação científica e humanista, reforma carcerária para que as prisões sejam efetivos centros de reabilitação e reinserção social, finalidade última da pena reclusiva, aperfeiçoamento das penas não privativas da liberdade, muitas delas mais eficazes que a segregação. Temos absoluta certeza de que, ao final e ao cabo de um plano nacional de segurança pública, assim como se deu em outros países, teremos positivos resultados, senão para erradicar completamente a violência e os crimes, pelo menos para amenizá-los significativamente. Enquanto não tivermos uma sociedade justa, precisamos de medidas para evitar que ela seja completamente desconstruída e levada a um ponto de irreversibilidade. Editorial do jornal "O Estado de S. Paulo" de 22 de novembro pontua que o caminho da erradicação da corrupção e da moralização dos costumes e da política brasileira não passa por arranhaduras à democracia. Consequentemente, apoia o dispositivo que cria a figura de crimes de responsabilidade para as referidas autoridades. Não há por que o presidente da República estar sujeito a ser responsabilizado e um juiz de direito não. É o "necessário equilíbrio", mostrado a todos pelo símbolo da Justiça. Como concluiu seu opúsculo o saudoso Matias Arrudão, "fora da democracia não há salvação". AMADEU ROBERTO GARRIDO DE PAULA é advogado e membro da Academia Latino-Americana de Ciências Humanas.

Jornal de Fato | DOMINGO, 27 de novembro de 2016

13


Desmitificando

A

limentos energéticos à base de trigo como pães, massas e bolos são frequentemente retirados da alimentação por serem considerados calóricos. A falta desses alimentos no cardápio, porém, pode ser prejudicial à saúde, explica Aretha Magalhães, nutricionista da Equilibrium, consultoria da marca de farinhas Finna, da M. Dias Branco. O trigo é um cereal nutritivo, rico em carboidratos, vitaminas do complexo B, zinco e vitamina E, nutrientes importantes para o bom funcionamento do corpo. Quando usado em preparações feitas em casa, é ainda mais benéfico, pois é possível controlar a quantidade de sal, açúcar e gordura. “A exclusão de alimentos à base de trigo que são nutritivos e típicos da cultura, sem nenhum critério ou restrição alimentar, deve ser desencorajada para evitar prejuízos a saúde ou uma preocupação desnecessária com a alimentação”, ressalta Aretha Magalhães. Confira abaixo os principais mitos e verdades associados ao consumo de trigo e seus derivados, de acordo com a nutricionista da Equilibrium:

)) Pães, massas e bolos são exemplos de alimentos energéticos à base de trigo

) Mitos e verdades 1 - O trigo é um cereal nutritivo. VERDADE- O trigo é um cereal que possui diversas substâncias benéficas. Ele é rico em carboidratos, proteínas e fibras. Possui vitaminas do complexo B, zinco e antioxidantes. 2 - O trigo contém glúten, por isso ele deve ser abolido da alimentação. MITO: O glúten é uma proteína encontrada nos cereais como trigo, centeio e aveia. Não há provas que a retirada do trigo (e glúten) da alimentação traga benefícios para a saúde. Inclusive, sua retirada pode resultar em inadequação no consumo de vitaminas do complexo B, ferro e fibras. Somente quem é celíaco (doença do sistema imunológico que provoca inflamação no intestino e gera sintomas como diarreia, dores abdominais e carência de alguns nutrientes) deve retirar o glúten da alimentação. Ou seja, 1% da população realmente não pode consumir glúten. 3 - Alimentos com glúten, à base de farinha de trigo, têm calorias semelhantes a alimentos sem glúten, feitos com outras farinhas.

4 - Para emagrecer, é preciso deixar de comer alimentos feitos com farinha de trigo, como pães, tortas, bolos. MITO: Como a farinha e os alimentos derivados do trigo fazem parte do grupo de alimentos energéticos, é comum que sejam associados ao ganho de peso. É necessário esclarecer que apenas o excesso e o desequilíbrio no consumo de qualquer alimento podem levar ao ganho de peso. Cortar o carboidrato, principal nutriente presente na farinha de trigo, pode causar cansaço, irritabilidade e falta de energia. 5 - Diabéticos devem evitar consumir trigo e alimentos feitos de farinha de trigo. MITO: Com os avanços do tratamento farmacológico e de estudos que relacionam a interferência da nutrição nessa patologia, concluiu-se que não há razão para diabéticos cortar o carboidrato da alimentação. Ele deve ser mantido para garantir o aporte de energia. A recomendação é que as quantidades, frequência de consumo e combinações de alimentos devem ser ajustadas conforme tratamento médico e nutricional.

VERDADE: Os mesmos alimentos ou preparações feitos com outros tipos de farinhas, com e sem glúten possuem valor calórico semelhante. Sendo assim, consumir alimentos sem trigo para reduzir as calorias da alimentação não tem fundamento.

12

Jornal de Fato | DOMINGO, 27 de novembro de 2016

O TRIGO É UM CEREAL NUTRITIVO, RICO EM CARBOIDRATOS, VITAMINAS DO COMPLEXO B, ZINCO E VITAMINA E


Entrevista DOMINGO – Qual é a função da lente de contato dental? CIBELLY LEITE – As lentes de contato são finas películas de porcelana que têm a função de disfarçar pequenas imperfeições, como dentes um pouco afastados ou ligeiramente inclinados. A PARTIR de que idade é indicado esse tipo de tratamento? É INDICADO para pacientes que já tenham todos os dentes permanentes. No entanto, aconselha-se colocar as lentes em pessoas que já tenham maturidade suficiente para cuidar dos seus dentes, tanto no que diz respeito à higiene, como a hábitos que possam fraturar ou danificar o procedimento realizado. QUAL é a diferença entre lente de contato e restauração? E faceta? A RESTAURAÇÃO é um complemento do dente. É indicada quando existe ausência de uma parte do dente por cárie, fratura, outros. A faceta é uma película de porcelana de espessura um pouco maior do que a lente e que requer um desgaste maior da estrutura dentária. É indicada quando existe necessidade de mais transformações dentárias, como dentes escurecidos ou com mudanças maiores de posição.

período de 45 a 60 dias. É UM procedimento caro? TODO procedimento fixo, cimentado sobre o dente, é cobrado o valor por elemento dentário. Quanto maior a necessidade de transformação do sorriso e maior o número de dentes envolvidos, maior será o custo. QUAIS os cuidados essenciais que o paciente deve ter após a aplicação das lentes definitivas? É NECESSÁRIA uma higiene cuidadosa, uso diário do fio dental. Também é fundamental evitar hábitos que possam fraturar as lentes, pois mesmo sendo muito resistentes após a cimentação, são películas de vidro e podem trincar ou fraturar. QUANDO deve ocorrer a troca? A DURAÇÃO média é de 10 anos, no entanto, dependendo do cuidado

que o paciente tenha, pode durar mais ou menos. OCORRE desgaste? NA MAIORIA das vezes, são necessárias pequenas adaptações nos dentes como alívio de áreas côncavas e remoção dos pontos de contato entre eles, para que seja possível uma moldagem exata e a inserção da lente seja feita de forma passiva. COMO acontece a manutenção? A MANUTENÇÃO é a mesma dos dentes naturais, sendo necessária higiene oral criteriosa, alimentação pobre em açúcar para não haver infiltração e propagação de cárie entre a lente e o dente, além de cuidados com hábitos inadequados, como roer osso, frutas com caroço, conserto de objetos com os dentes. Também é fundamental a visita periódica ao dentista, para higiene de rotina.

QUANDO o dentista escolhe entre lente de contato e clareamento? O CLAREAMENTO é indicado quando o paciente já possui uma harmonia perfeita do sorriso e deseja apenas mudar a cor dos dentes para um tom mais claro. As lentes de contato são indicadas quando o paciente está insatisfeito com o formato, cor e harmonia entre os dentes, principalmente os anteriores. DE QUE forma acontece o procedimento entre a consulta até a aplicação das lentes de contato? (Período, exames necessários...) PARA o planejamento, é necessário um exame clínico cuidadoso, em que é avaliado desde a integridade dos dentes, presença de cáries, inflamação gengival e cuidados de higiene. É fundamental também a realização de fotografias, em que a partir delas é realizado o planejamento digital do sorriso, ou DSD (Digital Smile Design). Após o DSD ser aprovado pelo paciente, realiza-se os preparos, a moldagem e é enviado para o laboratório confeccionar as lentes. Do exame para a cimentação final, estima-se um Jornal de Fato | DOMINGO, 27 de novembro de 2016

5


Alerta

COMPRAS por impulso Especialista afirma que esse comportamento causa problemas financeiro e social 6

Jornal de Fato | DOMINGO, 27 de novembro de 2016


Desmitificando

Mitos e verdades sobre consumo de trigo Rico em carboidratos, vitaminas do complexo B, zinco e vitamina E, nutrientes importantes para o bom funcionamento do corpo, o cereal deve fazer parte da alimentação

Jornal de Fato | DOMINGO, 27 de novembro de 2016

11


Orientações

Q

uem sofre com dores na região lombar, sabe o quanto incomoda no dia a dia esse problema. As dores musculares que por muitas vezes cessam em menos de 48 horas acabam tomando um caminho diferente quando o problema atinge a parte baixa da coluna. A dor pode durar por muito tempo e ser bastante recorrente. Cerca de 80% da população do mundo já teve ou terá alguma dor na região lombar, de acordo com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS). "É muito comum pacientes que utilizam um peso excessivo na academia, ou então que executam exercícios com postura inadequada e sem orientação de um profissional, sentirem essas crises", explicou o reumatologista Adolpho Medeiros. As dores na coluna podem ser provocadas também por má postura, sedentarismo ou até mesmo uma rotina agitada e cansativa. "Quando a dor for recorrente, é necessário procurar um especialista. Às vezes, a dor pode atingir, além da lombar, as pernas, chegando até mesmo a ficarem dormentes", alertou Adolpho Medeiros. Boa parte dos pacientes se recupera com tratamento adequado em até duas semanas. No entanto, é possível evitar as dores como explica o reumatologista. "Alguns fatores são impossíveis de ser evitados, como a idade avançada, mas outros podem ser trabalhados pelo paciente. Parar o fumo, dieta para quem está acima do peso e procurar realizar exercícios físicos de forma correta". Allison Moura, estudante de Engenharia Mecânica da Universidade Federal Rural do Semiárido (UFERSA), já sofreu por muito tempo com dores na região lombar. Ele só conseguiu melhorar quando procurou um especia-

! 10

Cerca de 80% da população do mundo já teve ou terá alguma dor na região lombar

)) Reumatologista Adolpho Medeiros lista. "Sempre que voltava da academia de um dia pesado ou então quando caía de mau jeito jogando bola, sentia dores por muitos dias. Procurei um médico especialista e foi aí que descobri muitos

erros na minha rotina que me deixavam com essas dores. Tomei medicação por um tempo e depois passei a tomar mais cuidado. Hoje, estou livre desse incômodo."

DICAS PARA EVITAR DORES NA COLUNA

1 2 3

Diminua ou corte o fumo

4 5

Não carregar mochila pesada

Melhore a postura Evite usar salto alto. Usar salto alto piora a postura e causa tensão nas costas. O tamanho máximo de um salto deve ser de quatro centímetros

Pratique exercício físico leve, como caminhadas ou corrida, desde que com calçado adequado. Esportes, como natação, também são recomendados.

Jornal de Fato | DOMINGO, 27 de novembro de 2016


Alerta

P

esqui sa rea liz a da em 2015 pelo SPC Brasil e Meu Bolso Feliz revelou que 53% dos consumidores realizaram compras por impulso (compras sem necessidade), devido à facilidade de crédito. Os percentuais eram maiores entre as mulheres (57%), pessoas da classe A/B (61%), aqueles com ensino superior incompleto (69%) e renda própria (58%). A compra por impulso é um transtorno e já é considerado um problema de saúde pública. A psicóloga Carla Cristini Cunha, do Hapvida Saúde, alerta que a falta de controle sobre as finanças tanto reflete quanto piora um problema emocional. No entanto, nem toda pessoa que tem um problema no orçamento, pontual, tem um transtorno, de fato. Carla Cristini explica que o consumidor que só age por impulso, via de regra, tem um problema de duração longa, que é quando o desejo de compra fica o dia todo na cabeça da pessoa, o que leva a prejuízos no trabalho e no planejamento financeiro. “A sensação é de culpa ou re-

)) 53% dos consumidores realizaram compras por impulso

)) Facilidade de crédito é apontada como uma das principais causas para compras sem necessidade Jornal de Fato | DOMINGO, 27 de novembro de 2016

7


Alerta morso. Essa preocupação, em excesso, somada à perda do controle, às mentiras contadas à família e ao consumo como forma de superar uma dor, ou uma angústia, também são sinais importantes”, observa. A especialista destaca que o poder de compra representa uma conquista pessoal, que gera prazer para todas as pessoas. Mas os compradores compulsivos são diferentes: eles buscam uma satisfação que, para eles, não finda. “Isso gera ainda mais frustração. O transtorno do impulso é uma doença psiquiátrica. Mas existem outros problemas que podem se associar, como a depressão e a ansiedade. O cérebro tem um mecanismo que se assemelha a uma espécie de freio. É justamente nesse freio que está o defeito, o déficit, nas pessoas que têm descontrole para compras”, detalha. Carla Cristini alerta que o transtorno psiquiátrico e o endividamento impactam de forma agressiva na vida dos pacientes. “Além do problema financeiro em si, há prejuízos social, familiar e profissional cau-

)) Transtorno pode gerar conflitos familiares

)) Psicóloga Carla Cristini Cunha 8

sados pelas compras por impulso. Alguns relatam que têm pensamentos suicidas porque não conseguem controlar os impulsos. O abalo emocional é muito grande, especialmente, por causa do envolvimento familiar. Muitos casamentos, por exemplo, são prejudicados por esse comportamento”, relata. O consumidor com transtorno fica com a compra o dia todo na cabeça, tem sensação de culpa ou re-

Jornal de Fato | DOMINGO, 27 de novembro de 2016

morso. “Essa preocupação, em excesso, somada à perda do controle, às mentiras contadas à família e ao consumo como forma de superar uma dor, ou uma angústia, também são sinais importantes”, acrescenta Carla Cristini. Esse impulso pode ser controlado com tratamentos terapêuticos, acompanhados e guiados por profissionais da psicologia, mas também à base de medicamentos.


Orientações

Saiba como evitar dores na coluna Adolpho Medeiros explica os métodos preventivos para evitar a lombalgia

Jornal de Fato | DOMINGO, 27 de novembro de 2016

9



Dra Cibelly - Jornal de Fato