Page 1

Secretaria dos Transportes Metropolitanos

Revista eletrônica da Secretaria Estadual dos Transportes Metropolitanos ano 1 - nº 1 | janeiro de 201 6

AQUI, O TRABALHO DÁ CERTO! A EXPANSÃO DA REDE DE TRANSPORTE PÚBLICO DE QUALIDADE EM SÃO PAULO É INÉDITA NO PAÍS PÁGINA 8


ANÚNCIO


OPINIÃO___________________________________________________________ _

Desafios do Crescimento

A

STM lança, neste janeiro de 201 6, a edição um da Revista Linhas, levando ao leitor os projetos e trabalhos realizados pelas quatro empresas a ela vinculadas: CPTM Companhia Paulista de Trens Metropolitanos, EFCJ – Estrada de Ferro Campos do Jordão, EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos e o Metrô de São Paulo.

Somos responsáveis por cinco linhas de Metrô, seis de trens metropolitanos, concebidos como trens suburbanos e que, a cada dia, assumem características de metrôs de superfície. Com a EMTU, dividimos a implantação de corredores de ônibus, a inserção do VLT – o primeiro do Brasil – e, com a Estrada de Ferro Campos do Jordão, o incentivo ao turismo por ferrovia, usual em várias partes do mundo. A STM e suas empresas respondem por 80% das viagens de passageiros sobre trilhos do País, transportando cerca de 7,5 milhões de usuários diariamente. Nosso maior desafio é expandir a malha atual, garantindo cada vez mais a confiabilidade dos serviços e gerando maior acessibilidade em todo o sistema, reduzindo os intervalos de trens. No caso da CPTM, também prosseguiremos com a modernização das estações, além da frota e sistemas, levando em conta que a empresa foi fundada em 1 992, depois do Estado de São Paulo herdar um passivo patrimonial completamente sucateado de um pool de empresas.

No tocante ao Metrô, é preciso levar em conta que obras desse porte - em todo o mundo, não só em São Paulo - demandam até 1 0 anos desde a sua concepção e construção. Especialmente em uma cidade tão adensada quanto a nossa, com muitos prédios e equipamentos urbanos tal desafio ganha amplitude, devido a interferências que fogem ao planejamento, uma vez que nem sempre as prefeituras têm cadastradas com fidelidade as galerias de águas pluviais, a rede de esgoto e água, cabos de telefonia e energia. Com esse aporte no desenvolvimento dos transportes da Região Metropolitana de São Paulo, a STM dá uma contribuição valiosa para a mobilidade urbana, proporcionando melhores condições de vida aos cidadãos. Para acelerarmos os investimentos, o País tem de voltar a crescer e conquistar regras mais claras para as PPPs – Parcerias Público-Privadas, modelo em que somos pioneiros. Clodoaldo Pelissioni

Secretário Estadual dos Transportes Metropolitanos de São Paulo LINHAS |

J aneiro 201 6 | 3


O QUE VAI PELAS LINHAS CARTÃO ELETRÔNICO EM ÔNIBUS METROPOLITANOS COMEÇA A SER IMPLANTADO NA RMC A Região Metropolitana de Campinas está dando um importante passo no processo de modernização do sistema intermunicipal de ônibus, com o início da transição do bilhete magnético para o novo Cartão Bus+. Esse meio de pagamento facilitará o cotidiano de pelo menos 170 mil usuários, a média diária que transita nos coletivos pela cidade de Campinas e região. O cartão estará disponível nas modalidades Vale-Transporte, Cidadão, Empresarial, Escolar, Sênior e Especial.

CENTRAL DE ACHADOS E PERDIDOS DO METRÔ COMEMOROU 40 ANOS Símbolo de confiabilidade na guarda e devolução de pertences esquecidos pelo público em suas estações e trens, a Central de Achados e Perdidos do Metrô comemorou 40 anos de eficiência. O setor, que iniciou suas atividades em 1975, um ano após a inauguração da primeira linha metroviária de São Paulo, atende na estação Sé, com status de excelente prestador de

EMTU /SP LEVA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA ATÉ O MAR Curtir um dia na praia pode ser comum para milhões de pessoas, mas singular àquelas com deficiência e mobilidade reduzida. É aí que entra o Ligado, Serviço Especial Conveniado, da EMTU - Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos -, que atende deslocamentos expressos, por meio de transporte diferenciado e gratuito - do tipo “porta a porta”. Desde 2009, uma parceria entre a EMTU e a Secretaria Estadual da Educação permite que o Ligado leve alunos com deficiência da APAE para passarem o dia no litoral. Para muitos é o primeiro contato com a areia e as ondas salgadas, a exemplo de 450 alunos da APAE da região de Campinas, no final de 2015, 87 deles cadeirantes. A parceria também é feita com o Praia Acessível, programa do Governo do Estado de São Paulo que, junto às prefeituras, proporciona lazer e diversão às pessoas com deficiência e mobilidade r vidas. Os participantes conseguem entrar no mar com as cadeiras de ro serviços à população. res do mundo com um Um objeto perdido no Metrô convite sedutor: deixar o fica armazenado na Central por livro em locais públicos até 60 dias. Caso não seja - uma estação ou banco procurado neste tempo, passa de trem - para que outro por uma triagem: os leitor o encontre e, após documentos são devolvidos aos a leitura, o faça circular, órgãos emissores e os objetos e ampliando o acesso ao valores são doados ao Fundo conhecimento. As estande Solidariedade de São Paulo. tes itinerantes com os exemplares ainda percorrem as estações. PROJETO LIVRO LIVRE COMPLETA 1 0 ANOS COM 55 MIL LIVROS A 10ª edição do Livro Livre, projeto que distribui gratuitamente exemplares aos usuários para disseminar uma corrente de leitura nos trens da CPTM, fez mais um aniversário exitoso em 2015, com número recorde de 55 mil volumes disponibilizados. Só o Senac, por meio da biblioteca do Centro Universitário Senac Santo Amaro, doou 45.210 livros. A ideia é estimular o “Bookcrossing”, movimento que inspirou o Livro Livre CPTM e que ocorre em vários luga- Abertura da última edição aconteceu n


O QUE VAI PELAS LINHAS Atualmente, cerca de 600 empregados fazem acompanhamento nutricional nos postos de Saúde Ocupacional da CPTM, que busca combater a obesidade e melhorar os sintomas de doenças como pressão alta, diabetes, colesterol, triglicérides elevados, entre outras.

reduzida. E tudo é feito com o acompanhamento de monitores e salvaodas anfíbias, tudo para garantir a segurança. primeira conversa com a RH ATUA NA LINHA DE nutricionista do DRHO FRENTE NA GESTÃO (Departamento de Saúde DA CPTM Ocupacional Integral), Quando receberam do médico Talita Yumi Sakurai, decidido trabalho a notícia de que ram se dar uma chance. E seriam encaminhados para o deu tão certo que Charles atendimento nutricional da perdeu 11 kg, passando de CPTM, os maquinistas Charles 98kg para 87kg em 1ano; Vieira, Bruno Samuel e João Bruno eliminou 19kg, foi de Eduardo Bezerra apresentaram 110kg para 91kg em igual certa resistência. Mas, depois da período, e João, único que já finalizou o tratamento e vive muito bem com menos 22kg. Agora, está pesando 70kg. Todos são unânimes em apontar o empurrão do atendimento nutricional como fundamental para a tomada de decisão de emagrecer com mudanças alimentares, atividade física, sem uso de medicação. Cada participante do programa recebe um cardápio conforme sua rotina de trabalho e gostos na Estação da Luz alimentares.

METRÔ PAULISTA ATRAI INTERESSE INTERNACIONAL Membro do CoMet (Comunidade de Metrôs), instituição que congrega importantes metrôs de todo o mundo e considerado entre os melhores deles, o Metrô de São Paulo desperta o interesse internacional não só por sua qualidade operacional mas também pelas obras que está desenvolvendo para ampliação de sua rede de linhas. Atualmente, o sistema metroviário paulista transporta 4,7 milhões de usuários diários. É um dos metrôs com maior densidade operacional (passageiros transportados por quilômetro de linha). Chama a atenção também por sua segurança, rapidez e confiabilidade, além da limpeza de suas instalações e equipamentos.

Comitiva francesa CCO do Metrô Comitiva francesa visitou CCO visitou do Metrô


Com mais de 1 bilhão de usuários, Expresso Leste completa 1 5 anos

O

Expresso Leste da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), que opera entre as estações Luz e Guaianases, na Linha 11Coral, completou 15 anos em 2015. Implantada em 2000, a linha de 21,9 km de extensão é a segunda mais movimentada do sistema, com aproximadamente 515 mil passageiros transportados por dia útil. Hoje, só perde para a Linha 9-Esmeralda (Osasco–Grajaú), que atende mais de 600 mil pessoas diariamente. Os usuários do Expresso usufruem de 19 trens modernos, equipados com ar-condicionado, que circulam com intervalo médio de 4 minutos nos horários de pico (manhã e tarde), o mesmo praticado pela concessionária carioca Metrô Rio. Em uma década e meia, o número de viagens recebeu um incremento significativo: passou de 38.234 em 2000 para 142.098 em 2014, um crescimento de 270%. O ano de 2015 fechou com 145,5 milhões de viagens realizadas. Atualmente, o Expresso Leste opera atendendo sete estações: Luz, Brás, Tatuapé, Corinthians-Itaquera, Dom Bosco, José Bonifácio e Guaianases. Sua implantação, à época, se deu em comemoração ao

aniversário de oito anos da CPTM. Nem todos sabem, mas essa é uma empresa jovem, hoje com 23 anos e que, diariamente, transporta cerca de três milhões de usuários. É a maior operadora de transporte ferroviário de passageiros da América do Sul. Nestes 15 anos de operação, o Expresso Leste se consagrou como um eficiente meio de locomoção entre a região central da cidade e a zona leste, num percurso de 32 minutos. De lá para cá, o número de usuários somou 1.054.944.818 em 1.545.469 viagens, percorrendo 35.747.765,50 km, o que equivale a cerca de 892 voltas em torno da Terra.

Interior dos novos trens

LINHAS |

J aneiro 201 6 | 7


EXPANSテグ INVESTIM EMPRE Superand o as d ificuld ad es nacional realizand o projetos

8 | J aneiro 201 6 |

LINHAS


O, NOVOS MENTOS, EGOS , S達o Paulo atravessa a crise e gerand o postos d e trabalho

LINHAS |

J aneiro 201 6 | 9


CAPA

Obras da Linha 5 do Metrô

O

nde no Brasil existem três shields trabalhando simultaneamente em uma mesma linha de metrô? Aqui em São Paulo, é claro, um dos poucos Estados que enfrenta a crise econômica do País com investimentos, obras em andamento e oferta de empregos. Esses shields constroem os túneis da Linha 5-Lilás e o maior deles já caminha em direção à futura estação Chácara Klabin, após passar pela estação Santa Cruz, no bairro de Vila Mariana. Os investimentos em andamento no setor metroferroviário, conduzidos pela STM – Secretaria Estadual dos Transportes Metropolitanos paulista, por meio do Metrô e da CPTM – Companhia Paulista de Trens Metropolitanos, montam cerca de R$ 40 bilhões. Isso sem contar R$ 2,6 bilhões aplicados em

VLT da Baixada Santista 1 0 | J aneiro 201 6 |

LINHAS

corredores de ônibus e o VLT da Baixada, da EMTU. Trata-se de expansão inexistente em outra parte do País na rede de transporte público de qualidade, uma vez que São Paulo responde por quase 80% das viagens de passageiros sobre trilhos. A perspectiva é adicionar aproximadamente 81,5 novos quilômetros de trilhos ao sistema atual de 335,9km - 77,4 km de linhas de metrô e 258,5 km de trens metropolitanos -, com perspectiva de atender 10 milhões de usuários/dia, um incremento entre 30% a 40% de pessoas ao movimento diário. Ainda sob a supervisão da STM, a EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos capitaliza modernidade no segmento de pneus, em cinco importantes Regiões Metropolitanas: a de São Paulo, Campinas, Sorocaba, Baixada Santista, Vale do Paraíba e Litoral Norte - nas quais se sobressaem os serviços e corredores de ônibus. Vale também ressaltar na Baixada a implantação do primeiro VLT – Veículo Leve sobre Trilhos do Brasil, além da modernização da EFCJ – Estrada de Ferro Campos do Jordão, dentro dos investimentos da pasta. Trilhos – O Metrô avança para incorporar mais 64,8 km ao sistema metroferroviário paulista - mais 58 estações -, e a CPTM, 16,7 km - e 5 novas estações. Nesta conta entram: asegundafase daLinha4-Amarela, expansão


CAPA

a expansão da Linha 5-Lilás (Adolfo PinheiroChácara Klabin); os monotrilhos da Linha 15-Prata (Vila Prudente-São Mateus); Linha 17-Ouro (Jardim Aeroporto-Congonhas-Morumbi da CPTM) e as duas PPPs integrais: Linha 6-Laranja (Brasilândia-São Joaquim), com obras iniciadas na região da Freguesia do Ó, e a Linha 18-Bronze, que vai sair da região de Tamanduateí até o ABC. No caso da CPTM, os esforços se concentram na nova Linha 13-Jade, com 12,2 km, que ligará o Aeroporto Internacional de Guarulhos ao sistema metroferroviário, por meio da Linha 12-Safira, na estação Engenheiro Goulart. Já no extremo sul da Capital a população contará com a ampliação da Linha 9-Esmeralda até Varginha, com 4,5 km e duas estações (Mendes-Vila Natal e Varginha).

Obras na Estrada de Ferro Campos do Jordão

Pneus – A EMTU insere modernidade à paisagem

urbana da Baixada Santista com o VLT, como os que circulam nas cidades europeias. Com 15 estações e 22 veículos, o sistema que interliga Santos a São Vicente já passa por operação monitorada. A STM, por meio da EMTU, entregou em 2015 um total 20 km de corredores de ônibus metropolitanos, beneficiando os moradores de Guarulhos, que já utilizam 12 km do corredor Guarulhos-São Paulo, além de mais 8 km do corredor Vereador Biléo Soares, na RM de Campinas, que interliga os municípios de Santa Bárbara, Americana e Nova Odessa. Também está em andamento a entrega de mais 43 km de corredores: a finalização de 20 km do corredor

Biléo Soares e mais 23 km do corredor Itapevi-São Paulo, este último ligando os municípios de Itapevi, Carapicuíba, Jandira, Osasco e Barueri. Com esse plano de expansão em andamento, o Governo do Estado realiza uma contribuição importante para a mobilidade urbana, com recursos do contribuinte paulista e sem investimentos a fundo perdido por parte de outras esferas governamentais, a exemplo do que é usual em todo o mundo.

Corredor Biléo Soares na Região Metropolitana de Campinas

LINHAS |

J aneiro 201 6 | 1 1


Linha 1 5-Prata do Metrô é o primeiro monotrilho do Brasil

O

monotrilho da Linha 1 5 – Prata do Metrô, pioneiro no Brasil, já transporta uma média diária superior a 8800 usuários. No período entre 1 0 de agosto (quando começou sua operação comercial) e 31 de dezembro, foram 893.204 passageiros a utilizá-lo. Hoje, a Linha 1 5-Prata funciona das 6h às 20h, no seu trecho inicial de 2,6 km entre as estações Vila Prudente (onde há integração com a Linha 2-Verde de metrô convencional) e Oratório. Futuramente, essa linha ligará as estações Ipiranga (integração com a malha ferroviária da CPTM) e

Hospital Cidade Tiradentes, tornando-se o monotrilho de maior capacidade de transporte no mundo, com demanda de até 48 mil passageiros/hora/sentido. Suas obras estão revolucionando positivamente a paisagem urbana e a qualidade de vida na zona Leste paulistana. Implantado em via elevada, em canteiros centrais de avenidas, com composições de sete carros e capacidade para mil passageiros cada, o sistema circula a uma altura entre 1 2 e 1 5 metros, com operação automática, sem a presença de condutor.

Governo do Estado garante mais R$ 690 milhões para Linha 6-Laranja

O governador Alckmin garantiu empréstimo junto à Caixa Econômica Federal no valor de R$ 690 milhões para a Linha 6-Laranja, de metrô. A linha é a primeira PPP (Parceria Público-Privada) de mobilidade urbana na característica greenfield, 1 2 | J aneiro 201 6 |

LINHAS

que contempla todas as partes da sua implantação, a partir do zero, sendo a maior da América Latina. Trata-se de um projeto de alta complexidade, visando transportar 633 mil pessoas diariamente. O valor do contrato é de R$ 9,9 bi.


Harmonia entre tecnologia e o homem

E

quipada com itens de última geração, a EFCJ Estrada de Ferro Campos do Jordão guarda na sua Oficina de Restauração de Bondes o exemplo de que nem sempre a melhor tecnologia substitui o trabalho do homem. Localizada em Pindamonhangaba, a Oficina possui uma equipe de marcenaria e carpintaria formada por sete funcionários, responsáveis por toda e qualquer atividade que envolva madeira e seus derivados na ferrovia, desde pequenos quadros de aviso até a recuperação completa de classes históricas. Nela não existe nenhum maquinário muito avançado e boa parte do trabalho é feito manualmente. Algumas máquinas que ainda são utilizadas nos serviços têm mais de 60 anos e outras foram adaptadas pelos próprios funcionários. Além disso, os reparos são realizados somente com madeira genuína, nunca com imitações, como “mdf”.

Recuperação das classes históricas de madeira

Os profissionais da estrada de ferro continuam responsáveis pela recuperação dos bondes construídos nos anos de 1912, 1924 e 1930. O processo de restauração demora de dez meses a um ano, do momento do diagnóstico da situação da classe até sua entrega. Todos os bondes são recuperados por completo e a estrutura, como o chão, as laterais, o teto, as janelas, as portas, os bancos, a parte externa, a parte interna, os itens históricos (maçanetas e detalhes em bronze), mantem-se preservada.

Equipe possui sete funcionários

Circuito da Mantiqueira

A Estrada de Ferro Campos do Jordão, inaugurada em 1914, opera um dos principais atrativos do chamado Circuito da Mantiqueira. Desde 1916 ela é de propriedade do Governo do Estado de São Paulo e atualmente administrada pela STM. Concebida pelos médicos sanitaristas Emílio Ribas e Victor Godinho, seu objetivo inicial era o transporte de doentes para os sanatórios de tratamento então localizados em Campos do Jordão. Hoje, a EFCJ é o principal meio de acesso à região. Com 47 km, a estrada de ferro opera entre as cidades de Pindamonhangaba e Campos do Jordão, prestando serviço em seis estações: Pindamonhangaba, Expedicionária, Piracuama, Eugênio Lefévre, Abernéssia e Emílio Ribas e obedecendo a 24 paradas.

As equipes trabalham de dez meses a um ano na restauração de um trem 1 4 | J aneiro 201 6 |

LINHAS


EMTU forma primeiros operadores de VLT do país

Turma pioneira participa de treinamento prático

Para conduzir o VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) da Baixada Santista, em 2016, os novos operadores vêm passando por um curso de formação, com 160 horas de aulas teóricas e práticas. O treinamento, ministrado por técnicos da empresa Ferrocarriles de la Generalitat Valenciana, que há 21 anos opera o VLT da cidade de Valência, na Espanha - país de origem dos trens -, capacitará 50 profissionais. O VLT, empreendimento do Governo do Estado de São Paulo com gestão da EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos/SP), traz características de operação inéditas em cidades brasileiras. Daí a necessidade de recorrer a especialistas estrangeiros, uma vez que o Código Nacional de Trânsito não prevê como deve ser a formação desses profissionais. Tudo isso tem exigido da EMTU cuidados especiais, inclusive com a segurança dos usuários e moradores dos bairros ao longo do trajeto, além de orientação aos veículos que trafegam pela região.

Afora o treino para esses profissionais que conduzirão o VLT, a EMTU prepara a população para a chegada desse modal inédito no País, mas tão comum em cidades europeias. Faixas serão colocadas em 1 0 cruzamentos ao longo do trecho de operação do VLT e também próximo às estações. Folhetos serão distribuídos com informações sobre a operação e procedimentos de segurança recomendados ao acessar as plataformas e cruzar a via dos trens. A população da Baixada já usufrui do VLT com a operação precursora que precede a Operação Comercial dos novos trens. Dois veículos, um em cada sentido, circulam de segunda a sexta-feira, num trecho de aproximadamente 6 km, atendendo a sete paradas das 1 5 previstas entre Barreiros, em São Vicente, e o Porto de Santos: as estações Mascarenhas de Moraes, São Vicente, Emmerich, Nossa Senhora das Graças, José Monteiro, Itararé e João Ribeiro.

Conheça o traçado e trecho em obras

LINHAS |

J aneiro 201 6 | 1 5


Linhas - Secretaria Estadual dos Transportes Metropolitanos de São Paulo  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you