Page 1

Linhas

Revista eletrônica da Secretaria Estadual dos Transportes Metropolitanos | Ano 1 | N º 4 | Abril de 2016

De encher os olhos Exibindo arquitetura moderna ou clássica, estações envaidecem paulistas


2

Linhas |||| abril 2016


Opinião

Orgulhos da população M

undo afora, a arquitetura

ridos e diversificados, para ameni-

urbana

zar a sisudez do cinza característico

retrata

períodos

da história da humanidade

do concreto.

através do patrimônio de suas cida-

O crescente volume de usuários

des. Neste sentido, o legado deixado

em circulação também determina

pelo transporte público é revelador,

amplos

seja na beleza oculta dos subter-

entre as áreas subterrâneas e as de

râneos dos metrôs, ou à mostra na

superfície, contribuindo para dimi-

superfície, nas estações de trem,

nuir a sensação de claustrofobia. As

terminais rodoviários e aéreos.

novas estações de trens de superfície

espaços

de

comunicação

No Brasil, o Estado de São Paulo

da CPTM e os terminais da EMTU são

se sobressai, mais uma vez. É dono

pensados, igualmente, para atender

de elegantes espaços que inspiram

não só o aumento de passageiros,

Clodoaldo Pelissioni

o imaginário, a exemplo da nostál-

mas a praticidade dos deslocamen-

Secretário Estadual dos Transportes

gica estação da Luz, e monumentos

tos, com várias saídas e entradas

Metropolitanos de São Paulo

que exibem modernidade. Equilibrar

para áreas urbanas da metrópole e

soluções para a mobilidade, de um

mesmo das maiores cidades no Inte-

lado, e a carência de locais disponí-

rior, como o Terminal Rodoviário da

veis, de outro, é, hoje, o maior desa-

EMTU, em Santa Bárbara D’Oeste,

fio a ser enfrentado com criatividade

entregue em 2015.

e sustentabilidade pela STM – Secre-

Além da clareza espacial, outros

taria dos Transportes Metropolita-

aspectos de projeto contribuem para

nos, na Capital, Grande São Paulo e

evitar eventual sensação de clausura,

no Interior.

a exemplo da iluminação, cuidadona

samente trabalhada, e a acústica,

concepção de estações e terminais,

Como

de modo a evitar os ecos favorecidos

os projetos reproduzem as dificul-

pelas abóbadas das edificações.

dades

geralmente

conjunturais

grandes

ocorre

encontradas:

profundidades,

Ainda,

a

recomposição

dos

geologia

entornos das estações vem sendo

heterogênea, forte densidade das

incorporada aos projetos, enquanto

redes

o interior das mesmas se tornou

subterrâneas

de

serviços,

como água, esgoto e telefonia. As

estruturas

de

caminho permanente de arte, com a

concreto

instalação de um rico acervo assinado

aparente que dominaram o visual

por renomados artistas plásticos

arquitetônico das estações metro-

brasileiros: Cláudio Tozzi, Marcelo

viárias paulistanas nas décadas

Nitsche, Alfredo Ceschiatti, Mário

de 70 e 80 foram incorporando

Gruber , Renina Katz, Tomie Otake,

soluções que vêm, paralelamente,

Maria Bonomi, entre inúmeros de

humanizando os ambientes, com

uma centena. São todos orgulho da

mais áreas verdes, materiais colo-

população do Estado de São Paulo!

Linhas |||| abril 2016

3


O que vai pelas linhas

Banda do Metrô já reúne legião de fãs De maneira despretensiosa, a banda começou com três agentes de segurança e hoje possui nove integrantes

C

om repertório diversificado, capaz de incorporar até árias famosas de ópera ao lado

de clássicos da música brasileira e internacional, a Banda dos Seguranças do Metrô coleciona sucessos atrás de sucessos em suas apresen-

A integração com os usuários é a filosofia do grupo

tações, atraindo uma legião de fãs Na sequência, os aplausos cres-

realizam shows em estações e outros

Tudo começou de forma des-

centes em apresentações internas

locais com a orientação de gerar o

pretensiosa, ainda no final de 2010,

no Metrô incentivaram o trio (até

mínimo de interferência na operação

quando o Departamento de Segu-

então formado por um maestro e

do sistema metroviário. Uma tarefa

rança do Metrô sugeriu a realização

trombonista, um vocalista, mais um

difícil, tal o clima de contágio que

de um trabalho social aos funcioná-

tecladista) a ampliar o grupo, acres-

suas performances têm gerado na

rios. Três agentes resolveram, então,

centando seis novos integrantes, com

multidão de apreciadores.

fazer

baixo elétrico, guitarra/violão, bate-

cada vez maior.

uma

apresentação

musical

numa instituição de repouso para idosos e levar um pouco de alegria aos moradores.

ria, saxofone, cavaquinho e guitarra. Os músicos, que sempre vestem o uniforme do Corpo de Segurança,

Bichos do Brasil alkiria Barone apresenta série

W

orgulhosa

inédita de 11 coloridas pintu-

4-Amarela, tão moderna e eficiente,

ras que retratam animais brasilei-

atingindo um público grande e

ros ameaçados de extinção. Arraia,

variado. Reforça meu objetivo de

Caracol, Preguiça e Lagartinho de

conscientizar sobre a importância

Noronha estão entre eles. Cada tela

da preservação dessas espécies”,

possui ficha técnica com curiosida-

afirma a artista plástica.

des sobre os bichos, escrita por biólogos e veterinários. “Produzi essa série especialmente para a ViaQuatro e estou

4

Nas

por

expor

estações

da

na

A filosofia de atuação da banda é pautada por uma maior aproximação entre os Agentes de Segurança e os usuários do Metrô.

Linha

ViaQuatro,

Paulista , em abril e Fradique Coutinho, em maio. Em julho, na estação Pinheiros, da CPTM. . Linhas |||| abril 2016

||||

Artista produziu série especial para a ViaQuatro

||||


O que vai pelas linhas

Dia Mundial da Saúde

A

lém

das

campanhas

de

e preservativos.

conscientização programa-

Ainda em comemoração ao Dia

das durante o ano inteiro, a

Mundial da Saúde, o Espaço Cultu-

STM incentiva as empresas vincula-

ral da Estação Brás estará cedido ao

das a comemorar o Dia Mundial da

Instituto São Paulo de Ação Volun-

Saúde com atividades em estações

tária, a partir de 25 de abril e até 25

metroferroviárias e nos terminais de

de maio. O intuito é fazer uma tria-

ônibus metropolitanos.

gem com usuários acima de 50 anos

Neste 7 de abril, testes de

que têm dificuldade de enxergar. Se

diabetes foram organizados pela

detectado o problema de catarata, as

EMTU/SP, em parceria com a ONG

pessoas examinadas serão encami-

ADJ Diabetes Brasil, no Terminal

nhadas à especialistas para se ins-

Metropolitano do Jabaquara. Já no

creverem em cirurgia gratuita.

Terminal de São Mateus, as usu-

Já a Concessionária ViaQuatro,

árias receberam orientação sobre

em parceria com o Hospital A.C.

a prevenção ao câncer de mama e

Camargo,

como fazer o autoexame, além de

prevenção e diagnóstico precoce do

orientação sobre o HIV e a distri-

câncer colorretal, na Estação Pau-

buição de kits com informações

lista da Linha 4-Amarela.

realizou

atividade

de

||||

Conscientização sobre o diabetes

Curtas Congresso dos Municípios

Interação na Freguesia do Ó

A STM e suas empresas vincula-

Um grupo de 40 jovens da Fre-

das – CPTM, EFCJ, EMTU e METRÔ

guesia do Ó e Brasilândia desenhou

- participaram do Congresso Esta-

um painel ao redor da obra da Linha

dual dos Municípios em Campos do

6-Laranja de metrô. O bairro fica

Jordão, nos dias 29 de março e 1º de

mais colorido e quem passar ali

abril. Esta foi a 60º edição do evento,

pode admirar um pouco da arte

que contribui para a discussão de temas importantes para os municípios do Estado de São Paulo. O governador Geraldo Alckmin esteve presente na abertura do evento.

urbana com pinturas que retratam

Vestígios da antiga fábrica

o que acontece detrás dos tapumes.

Terminal Metropolitano Vila Galvão Quem

circula

pelo

A obra está na Rua Edgar Ferreira

Terminal

Metropolitano Vila Galvão conhece

de Barros Junior, esquina com a Av. Otaviano Alves de Lima.

um pouco sobre a história do local. Isso porque a EMTU/SP preocupouse com a preservação arqueológica do terreno, que abrigava a Empresa Cerâmica Paulista. Durante as obras foram

encontrados

vestígios

da

estrutura da antiga fábrica, hoje visíveis através de um piso de vidro Stand da STM no evento

instalado na plataforma.

Linhas |||| abril 2016

Arte urbana: aqui, obras da Linha 6

5


6

Linhas |||| abril 2016


Curiosidades

Busca-se parceiro Ciclovia Rio Pinheiros é uma das poucas rotas exclusivas para bikes na capital paulista

R

eferência

no

transporte

alternativo e sucesso entre os ciclistas, a Ciclovia Rio

Pinheiros, administrada pela CPTM,

Mais de 2,5 milhões de ciclistas já percorreram a via

é uma das poucas rotas exclusivas para as bikes na capital paulista.

Desde a inauguração, em 2010,

O funcionamento dessa ciclovia

Com 21,5 km de extensão, correndo

mais de 2,5 milhões de ciclistas já

é diário, das 5h30 às 18h30, inclusive

paralela às margens do Rio Pinheiros

percorreram a via: cerca de 4 mil

feriados. Durante o verão, o horário

e à linha dos trens, a ciclovia oferece

pessoas nos finais de semana, e

é estendido das 5h às 19h30. Esti-

seis acessos e seis pontos de apoio

uma média mensal de 43 mil. Tantos

mulando o uso das bikes, a CPTM

ao longo do trajeto, com banheiros

números positivos levaram a CPTM a

também permite o acesso delas nos

e bebedouros. Além disso, dispõe

buscar parceria da iniciativa privada

trens, aos finais de semana, a partir

de 45 vagas para carros no estacio-

para agregar novos benefícios aos

das 14h do sábado, e nos domingos

namento, acessado pela Avenida

usuários, por meio de uma chamada

e feriados, das 4h até meia-noite.

Miguel Yunes.

pública, em andamento.

Vamos acompanhar o processo.

||||

Todos ganham com pesquisa OD

A

1ª Pesquisa Origem e Destino

sidades. Inteirado de onde vêm e para

(Domiciliar e de Contorno) da

onde vão os cidadãos, o poder público

Foi concluída também a pesquisa

Região Metropolitana do Vale do

pode aprimorar a qualidade dos servi-

de linha de contorno, identifican-

Paraíba e Litoral Norte, realizada pelo

ços voltados à mobilidade universal.

do as viagens que interferem nas

Governo do Estado de São Paulo, por

A pesquisa, desenvolvida por domiciliar,

de transporte.

cidades do Vale do Paraíba e Lito-

meio da STM, é mais um importante

amostragem

chegou

ral Norte, com 28.500 entrevistas,

instrumento de planejamento para o

a 9.700 residências propiciando a

incluindo passageiros em transporte

transporte intermunicipal, a cargo da

construção da “matriz de viagem”,

coletivo e condutores de veículos de

EMTU/SP. Pode também ser utilizada

base para o planejamento da oferta

passeio e de carga.

||||

pelas prefeituras dos municípios abrangidos, tanto na simulação de alternativas para a implantação de novas infraestruturas, assim como na modificação das condições operacionais do sistema de transporte urbano local existente. O levantamento identificou os deslocamentos diários da população para o trabalho, lazer e outros interesses buscando dimensionar suas neces-

Amostragem é instrumento importante de planejamento

Linhas |||| abril 2016

7


Beleza e sust Arquitetura de bom gosto é marca em edifícios do Metrô paulista, da CPTM e terminais da EMTU

E

xibindo arquitetura moderna

em 1901 e, desde então, acompa-

ou clássica, as estações do

nha o desenvolvimento do Estado.

sistema

metroferroviário

Ainda hoje, é o marco zero da ferro-

paulista e terminais de ônibus,

via paulista: uma das mais impor-

vinculados à Secretaria dos Trans-

tantes conexões da região metropo-

portes

litana, ligando todos os quadrantes

Metropolitanos,

são

um

orgulho para a população. Quem

8

da cidade: norte, sul, leste e oeste.

não se curva diante da beleza de

Também a vizinha Júlio Pres-

monumentos como as estações da

tes, de 1930, exibe um exuberante

Luz e Júlio Prestes, administradas

patrimônio inspirado nas estações

pela CPTM ?

norte-americanas Grand Central e

Acervo de destaque entre os

Pennsylvania. Desde 1994 é termi-

pontos turísticos mais lembrados

nal de chegada e partida para trens

de São Paulo, o prédio da Luz, de

da CPTM, servindo a Linha 8 –Dia-

arquitetura inglesa, foi inaugurado

mante (Júlio Prestes-Itapevi).

Linhas |||| abril 2016


tentabilidade

A Estação Alto do Ipiranga impressiona pela iluminação verde e amarela, que remete à simbologia da nacionalidade brasileira

Linhas |||| abril 2016

9


Capa Arrojo e sustentabilidade

lizam a nacionalidade brasileira e o

Prudente e Oratório, já em operação)

Inexorável, o tempo cedeu lugar

berço da Independência, o bairro do

apresentarem

a soluções arquitetônicas arrojadas,

Ipiranga, onde se localiza. Nela, se

arquitetônica. Ali, a instalação de

marca das novas estações da CPTM -

destaca também a captação de água

vidro especial permite a iluminação e

a exemplo da Ferraz de Vasconcelos

pluvial para utilização e reúso.

a ventilação de forma natural, resul-

-, e as do Metrô de São Paulo, con-

Na estação Vila Prudente, a ilu-

cebidas para abrigar grande número

minação e ventilação naturais são

de usuários.

itens relevantes, além de constitu-

atratividade

tando em uma economia de 50% nos custos do sistema de ventilação.

Terminal Metropolitano

Já na primeira linha do Metrô,

írem ingredientes importantes de

então

(atualmente

sua sustentabilidade ambiental. A

A preocupação dos projetistas da

1-Azul), inaugurada em 1974, havia

modernidade das instalações chama

EMTU com o conforto dos passagei-

uma forte preocupação com a arqui-

atenção pela existência de linhas de

ros e a sustentabilidade é constante.

tetura e a comunicação visual das

bloqueio com liberação sem contato

No Rodoterminal de Santa Bárbara

estações. Daquela época até hoje,

físico, assim como portas de pla-

d’Oeste, inaugurado em 2015, cha-

a estação Sé se sobressai como

taforma, que se abrem apenas no

mam atenção a cobertura em estru-

ponto de intersecção das linhas 1 e

momento da parada do trem, dando

tura metálica e grandes arcos, que

3 (Leste-Oeste, atual 3-Vermelha),

acesso direto a seu interior, impe-

permitem total iluminação natural.

por onde circulam mais de 600 mil

dindo quedas na via.

a

Norte-Sul

O mezanino abriga salas para

Nas estações da Linha 4- Ama-

apoio técnico às empresas, sala

Com arquitetura diferenciada e

rela, igualmente construída pela

de administração, refeitório para

grandiosa, foi construída a 27 metros

Companhia do Metrô, os ambientes

funcionários,

de profundidade. Sua estrutura con-

de grandes dimensões e profundi-

pavimento térreo, ao lado das pla-

sumiu 10 mil toneladas de aço e 90

dade, acessados por vários níveis de

taformas, foi projetado um pequeno

mil m3 de concreto, quantidade 10%

escadas rolantes, são um diferencial

centro comercial. Há jardins nos dois

maior que a obra do estádio do Mara-

interno que impressionam. Portas

pavimentos, sendo que no térreo as

canã e uma vez e meia a do Morumbi.

de plataforma e bloqueios de última

plantas também recebem iluminação

Mais recentemente, na expansão

geração tecnológica complementam

e água da chuva, por meio de uma

os itens de sua modernidade.

abertura na cobertura, que funciona

usuários/dia.

da Linha 2-Verde, estações como Alto

10

grande

enquanto

que

no

do Ipiranga e Vila Prudente suscitam

Em implantação, a Linha 15-Prata,

admiração. A primeira, pela ilumina-

de monotrilho, traz mesma ênfase

De encher os olhos, a beleza das

ção esverdeada e a presença do ama-

nos recursos tecnológicos, além de

estações em São Paulo empolga e traz

relo, remetendo às cores que simbo-

suas estações suspensas (como a Vila

orgulho a paulistas e brasileiros. ||||

Linhas |||| abril 2016

como uma claraboia.


Capa A preocupação dos projetistas está em reunir tecnologia, atratividade arquitetônica e sustentabilidade nas estruturas. Exemplos recentes são a Estação Ferraz de Vasconcelos (foto no rodapé) e o Rodoterminal de Santa Bárbara do Oeste (ao lado), inaugurados em 2015, e a secular Estação da Luz (foto ao centro), com seu design inspirado em construções inglesas. Além disso, o conforto é essencial tendo em vista a grande demanda de usuários no transporte coletivo metropolitano

Linhas |||| abril 2016

11


12

Linhas |||| abril 2016


Investimentos

Içamento de novas vigas na Linha 13-Jade

Metrô abre propostas para conclusão da fase 2 da Linha 4 N

o início de abril, o Metrô de São Paulo recebeu as propos-

tas dos consórcios interessados em executar as obras civis da segunda

Obra contará com 784 vigas para sustentar trecho de 7,9 km

fase da Linha 4-Amarela. Ao todo, 10 consórcios apresentaram seus documentos e as respectivas ofertas financeiras. Agora, todas as propostas passarão pela análise da comissão de licitação do Metrô e a expectativa é de que ainda no primeiro semestre o vencedor seja conhecido. As obras darão continuidade a construção da Linha 4 no trecho que compreende as estações Higienópolis-Mackenzie, Oscar Freire, São Paulo-Morumbi e Vila Sônia, além do terminal de ônibus anexo a esta última. O contrato a ser assinado

Linha ligará Capital ao Aeroporto de Guarulhos

O

prevê os seguintes prazos para término dos trabalhos, após a emissão

governador Geraldo Alck-

obra, cujo investimento previsto é

da ordem de serviço: 12 meses para

min acompanhou pessoal-

de R$ 2,2 bilhões. O trecho em ele-

a

mente, no final de março,

vado começa no entroncamento com

zie, 15 meses para a estação Oscar

o içamento de duas vigas no tre-

a Linha 12-Safira, nas proximidades

Freire, 18 meses para a estação São

cho em elevado da Linha 13-Jade

do centro de treinamento do Corin-

Paulo-Morumbi, e 36 meses para a

da

CPTM

(Companhia

thians, e prossegue por 700 m após

estação Vila Sônia.

de

Trens

Metropolitanos),

Paulista em

a

estação

Aeroporto-Guarulhos.

estação

Higienópolis-Macken-

Histórico

implantação. Essa linha ligará a

Nesse trecho, além da execução de

Capital ao Aeroporto Internacional

estacas, blocos de fundação, pilares

As obras da segunda fase da

de Guarulhos – GRU, e terá 12,2km

e travessas, também já foram içadas

Linha 4-Amarela começaram em

de extensão.

296 vigas pré-moldadas e concreta-

2012 e os contratos foram assina-

dos os trechos onde posteriormente

dos no fim de 2011 com o consórcio

||||

Corsán-Corviam. Em julho de 2015

Atualmente,

quase

dois

mil

trabalhadores estão envolvidos na

será implantada a via férrea.

o Metrô rescindiu unilateralmente o acordo, pelo não cumprimento por parte da construtora. Quando

completa,

a

Linha

4-Amarela vai operar de Luz à Vila Sônia, com um total de 14 km, 11 estações e demanda diária de 981 mil pessoas. Atualmente, a linha opera com 9 km e 7 estações, de Luz

Quase dois mil trabalhadores envolvidos na obra

a Butantã. Linhas |||| abril 2016

||||

13


Investimentos

Governo paulista atrai fábrica de trens para o Estado Expectativa é criar 500 postos de trabalho já no primeiro ano com a Scomi de Taubaté, que produzirá monotrilhos

U

ma das líderes mundiais na

será no segundo semestre de 2016,

Rio de Janeiro, com fácil acesso aos

produção de monotrilhos, a

com expectativa de criar cerca de

portos e excelentes estradas. Além

Scomi, da Malásia, lançou em março

500 postos de trabalho já no pri-

disso, o Estado de São Paulo dispõe

a pedra fundamental de sua pri-

meiro ano da execução do projeto.

de mão de obra qualificada, política

meira fábrica brasileira, localizada

A unidade terá capacidade para

de desenvolvimento e incentivos

no município de Taubaté, no inte-

produzir três trens ao mês, forma-

para investimentos.

rior paulista. No complexo serão

dos por cinco carros de monotrilho,

A fábrica também armazenará

fabricados os trens dos monotrilhos

e ainda atender a outros países da

material rodante importado da Malá-

para as Linhas 18–Bronze e 17-Ouro

América do Sul e do Norte.

sia nos primeiros meses. A partir do

de

São

Paulo,

além

de

outros

equipamentos metroferroviários. O início da operação da fábrica

A escolha por Taubaté deve-se

segundo semestre deste ano começa

a sua boa localização geográfica, no

a construção das unidades indus-

eixo de circulação entre São Paulo e

triais, cinco ou seis prédios que pro-

Sobre a Scomi e a Invest

A Investe São Paulo - Agência

Paulista de Promoção de Investimentos e Competitividade é a porta de entrada das empresas que pretendem se instalar no Estado de São Paulo ou aqui se expandir.

Fornece,

gratuita-

mente, informações estratégicas que ajudam os investidores a encontrar os melhores locais para seus negócios, prestando assessoria ambiental, tributária e de infraestrutura.

Serão fabricados trens para as Linhas 18-Bronze e 17-Ouro

Presente em mais de 30 países e com mais de 20 anos de atuação no mercado, a Scomi desenvolve projetos para os segmentos de energia, transporte e logística marítima e fluvial, além de uma linha completa de material rodante metroferroviário para monotrilho, metrô, VLT, trens convencionais, ônibus de luxo e veículos especiais para aeroportos.

14

Linhas |||| abril 2016


Investimentos duzirão os monotrilhos com até 70% de nacionalização e Veículos Leves sobre Trilhos (VLTs) com índice de cerca de 60%. Com investimento inicial de R$ 50 a 60 milhões, a unidade de Taubaté será construída em um terreno de 98 mil m2. Conta com apoio da Investe São Paulo, agência de promoção de investimentos e exportação do ||||

Governo do Estado.

Em Araraquara, Alckmin reforça investimentos no setor ferroviário Estado recebeu uma das mais modernas fábricas de trens do mundo

C

oroando o mês de março com

Estado libera R$ 9,5 milhões para Linha 7 Regiões beneficiadas: Caieras, Francisco Morato e Campo Limpo

mais notícias de prosperidade,

o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, participou da inauguração da nova fábrica de trens da Hyundai Rotem. “Esta é uma das mais moder-

Alckmin e o presidente da Hyundai

nas unidades de trens do mundo.

metroferroviário. Cumbica com a 13

Mostra a recuperação da indústria

da CPTM e Congonhas com a Linha 17

ferroviária, especialmente em São

do Metrô”, explicou.

Paulo. Aqui estão sendo fabricados 30

Alckmin ainda falou de novos

trens da CPTM. São carros modernos,

investimentos em Araraquara no

com vagão contínuo, mais confortá-

setor ferroviário. “Nós temos aqui

vel, mais seguro, transporte de alta

um grande entroncamento ferrovi-

capacidade e não poluente”, disse.

ário e uma recuperação da história

Na ocasião, o governador des-

da cidade, com foco no futuro”,

tacou as cinco obras simultâneas no

comentou. “Estamos empenhados

Metrô e duas novas importantes da

junto com o Governo Federal para a

CPTM. “Uma delas é a Linha 13, que

criação dos chamados trens inter-

Governo do Estado de São Paulo

abrirá em maio os envelopes da lici-

cidades, para poder aproveitar as

liberou recursos para obras de

tação para compra de mais oito trens

áreas lindeiras das antigas estra-

drenagem e recuperação das vias

com oito carros cada um. Serão 64

das de ferro. Com isso, o custo da

da

(Luz-Francisco

carros novos. Nós vamos ter os dois

implantação cai muito pois não tem

Morato-Jundiaí) da CPTM, danifica-

aeroportos integrados com o sistema

desapropriação”.

O

Linha

7-Rubi

||||

das pelas chuvas intensas de março. Foram destinados R$ 6,9 milhões para os serviços de drenagem, além da implantação de travessias na região de Caieiras, e R$ 2,6 milhões para reaver as condições do solo sob as vias entre as estações Botujuru e Campo Limpo Paulista. As fortes chuvas que atingiram a Grande São Paulo, principalmente a região Noroeste, danificaram o solo ao longo da Linha 7-Rubi, entre Francisco Morato e Campo Limpo Paulista. As equipes de manutenção realizaram obras de recuperação das vias em áreas de Francisco Morato até a estação Botujuru.

||||

Governador corta fita de inauguração da fábrica Linhas |||| abril 2016

15


16

Linhas |||| abril 2016

Linhas - Secretaria Estadual dos Transportes Metropolitanos de São Paulo  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you