Issuu on Google+

13/09/2012

PINTURA AO AR LIVRE INVADE CENTRO HISTÓRICO DE VISEU

NOVOS CONFRADES NA FAMÍLIA DOS ENÓFILOS DO DÃO O secretário de Estado da Agricultura, José Diogo Santiago Albuquerque, o prestigiado jornalista de vinhos brasileiro, Jorge Carrara, e o crítico de vinhos internacional Paul White, já fazem parte do grupo de 300 confrades da Confraria dos Enófilos do Dão. Uma instituição à qual aderiram também o secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Monteiro e o presidente da ViniPortugal, Jorge Monteiro. A cerimónia de entronização decorreu no último domingo (9 de Setembro) no Solar do Vinho do Dão, onde os novos confrades se comprometeram a “defender e promover o Vinho do Dão”, enquanto produto maior da centenária e primeira Região Demarcada portuguesa de vinhos não licorosos. Por motivos de agenda, não se concretizou, como estava previsto acontecer em Nelas, a entronização da ministra da Agricultura, Assunção Cristas. Da Confraria dos Enófilos do Dão já fazem parte 300 confrades, entre os quais relevantes nomes da vida pública portu-

13/09/12 • PREÇO: 0,50 €

SAI ÀS QUINTAS-FEIRAS QUINZENÁRIO REGIONAL • Director: RICARDO SILVA • ANO XVIII • Nº 471

(IVA incluído)

Autorizado a circular em invólucro fechado Despacho DE 0464 - 2005 - DCN PODE ABRIR-SE PARA VERIFICAÇÃO POSTAL

CLIENTE 187631

Autorização Nº DE 0464 - 2005 - DCN

FICTON DESAFIA A CRISE guesa: Durão Barroso, Jorge Sampaio, Amália Rodrigues, Condessa de Santar, D. Duarte Pio de Bragança, Vítor Sobral, Luís Américo, Hélio Loureiro e

Chakall, José Fonseca e Costa, Paulo Teixeira Pinto, Vasco D´Avillez, António Homem Cardoso, e os jornalistas João Paulo Martins, José Salvador,

MARCHA DA MULHER DURIENSE JUNTOU 850 EM LAMEGO

FEIRA INDUSTRIAL E COMERCIAL DE TONDELA COM “O MELHOR E MAIS VARIADO PROGRAMA DE SEMPRE”

Luís Costa, Luís Baila, Fátima Campos Ferreira, Aníbal Coutinho, Rui Falcão, Célia Lourenço, Ricardo Castilho, entre outros.

Uma imensa multidão percorreu as principais ruas e avenidas da cidade de Lamego durante a última manhã das Festas em Honra de Nossa Senhora dos Remédios com o objetivo de homenagear a mulher do Douro e incentivar os lamecenses a praticarem exercício físico. À cabeça da 3ª Marcha e Corrida da Mulher Duriense seguiam Vanessa Fernandes, medalha de prata em triatlo nos Jogos Olímpicos de Pequim, e Albertina Dias, ex-campeã mundial de corta-mato. Atrás delas, um longo cortejo formado por mais de 850 participantes, de todas as idades, mas sobretudo mulheres, aceitaram o repto de integrar a caminhada de arranque da nova época do Programa Nacional de Marcha e Corrida. Com uma distância aproximada de cinco quilómetros, a Marcha e Corrida da Mulher Duriense já se impôs como um evento de referência no nosso país vocacionado para a promoção da saúde. Este ano, para além de Vanessa Fernandes, madrinha da iniciativa, e Albertina Dias, outros atletas de destaque do atletismo português quiseram marcar presença: Vasco Azevedo, José Moreira e Licínio Pimentel. Cada inscrição teve o valor de dois euros, revertendo metade deste montante a favor da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Lamego

«PROHABIT» APOIA EM 2012 MAIS 73 FAMÍLIAS CARENCIADAS EM VISEU

NOVOS CONFRADES NA FAMÍLIA DOS ENÓFILOS DO DÃO

NELAS SEGURA CENTRO DE ESTUDOS VITIVINÍCOLAS DO DÃO


2/Via Rápida

OPINIÃO

13/09/2012

“QUE SE LIXE A TROIKA, QUEREMOS AS NOSSAS VIDAS!” SÁBADO, 15 DE SETEMBRO, VISEU VAI ENCHER O ROSSIO

PUBLICIDADE

13/09/2012

JOÃO CARRILHO

ALUGA-SE

CIRURGIA PLÁSTICA E MAXILO-FACIAL CONSULTAS POR MARCAÇÃO ERGOGYME - CASA DE SAÚDE DE S. MATEUS

23/Via Rápida

ALUGA-SE

MORADIA T5

ARMAZÉM 450M2

a 2 min. do centro de Viseu Trata o próprio Tlm.: 936 954 696

a 2 min. do centro de Viseu Trata o próprio Tlm.: 936 954 696

Telef.: 232 424 879

VENDE-SE Ainda Agosto se espraiava sob o Sol modorrento e já um grupo de cidadãos de diversas áreas – investigadores, artistas, desempregados – preocupados e indignados com a “austeridade que nos impõem e que nos destrói a dignidade e a vida” convocaram, nas redes sociais, uma manifestação em Lisboa contra a Troika. “Se nos querem vergar e forçar a aceitar o desemprego, a precariedade e a desigualdade como modo de vida, responderemos com a força da democracia, da liberdade, da mobilização e da luta. Queremos tomar nas nossas mãos as decisões do presente para construir um futuro”, lê-se no seu manifesto. Quando Passos Coelho anunciou, na passada sexta-feira, mais medidas de austeridade o número de aderentes aumentou exponencialmente e são mais de 32 mil pessoas a confirmar a presença nas manifestações que entretanto foram sendo convocadas noutras cidades: Porto (mais de 15 mil confirmações), Braga, Coimbra, Aveiro, Guarda, Vila Real, Moncorvo, Castelo Branco, Covilhã, Leiria, Faro, Portimão, Loulé, Funchal, Viseu e ainda no Brasil, em frente ao consulado Português em Fortaleza. Os promotores apelam aos que não puderem participar directamente em nenhuma das manifestações para que não deixem de expressar a sua indignação, ainda que de forma menos activa. “Cole-se um cartaz à janela (de casa, do carro, no chapéu de sol na praia) com o slogan "Que se Lixe a Troika! Queremos as nossas Vidas". Mas certamente que os viseenses irão encher o Rossio, como fizeram no 12 de Março, contra os ataques ao Estado Social e contra a austeridade imposta pelo governo de Sócrates, antes ainda da Troika ter aterrado na nossa longa e larga complacência com as “máfias” que nos têm governado alternadamente, conduzindo o país para a insustentabilidade económica. Agora, já nem os ditames da Troika ilibam o governo de conduzir o país para o abismo, aliando a incompetência à estupidez. O ministro das Finanças, apesar da Troika ter concedido mais um ano para a redução do défice para menos de 3%, precisando apenas de 850 milhões de euros para o fazer descer dos 5% deste ano para os 4,5% combinados com a Troika para 2013, quer pôr-nos a pagar seis vezes mais, talvez por já não acreditar assim tanto na sua receita que tem vindo a agravar ainda mais a recessão que está a matar os portugueses. Digo matar, não apenas em sentido figurado (“matar à fome”), mas também no sentido

MORADIA, bem localizada, boas vistas a 9 Km da cidade, excelentes acessos

Contactar: 966 061 468

Dr. MÁRIO CHAVES LOUREIRO (Médico Especialista) ALERGOLOGIA e PNEUMOLOGIA Saiu da Casa de Saúde S. Mateus e mudou consultório para CLÍNICA CARPA

Dra. CARLA CHAVES LOUREIRO (Médica Especialista) PEDIATRIA e ALERGIA em PEDIATRIA literal: em cada 4 dias suicida-se um português! A situação social é tão grave que o governo PSD/CDS viu as medidas anunciadas criticadas até por gente da sua área política. Desde ex-ministros do PSD e do CDS, até à JSD e aos TSD. Bagão Félix denunciou a subida da contribuição dos trabalhadores para a Segurança Social como “um imposto puro e duro”, e as alterações no IRS como “um aumento violento da carga fiscal”, desmascarando, assim, o falso “álibi” do CDS para fingir que não está no local do crime, depois de Paulo Portas ter escrito aos militantes a dizer que não aceitaria mais subida de impostos. Ou o CDS se demite do governo ou é cúmplice, tal como o silêncio presidencial, deste vergonhoso roubo aos pensionistas e aos trabalhadores (até o Salário Mínimo Nacional descerá para 397 euros líquidos, menos 34 euros por mês). As confederações patronais e a Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição já desmentiram Passos e Gaspar, ao garantirem que não vão criar mais empregos, dado que a redução da TSU não compensará a quebra nas vendas devida à perda ainda mais acentuada do poder de compra dos clientes. Ao PS não basta para, dar um ar de es-

querda, que Seguro deixe votar contra o próximo Orçamento de Estado – é preciso que rasgue o memorando que assinou com a Troika por as medidas implementadas violarem o quadro constitucional. E aos mais fanáticos neoliberais que dizem que a Esquerda não apresenta alternativas, basta lembrar que os 3.446 milhões de euros que o governo descobriu terem sido transferidos ilegalmente para offshores, por capitalistas a quem cobrou apenas 7,5% em troca dos 8 anos de prisão, se pagassem os mesmos impostos que qualquer trabalhador, dariam ao Estado 2 mil milhões de euros, sensivelmente a mesma importância que o governo tirou aos trabalhadores da Função Pública e aos reformados. O isolamento de Passos e Gaspar é gritante e deviam levá-los à demissão. Mas, como a vergonha também já deve ter emigrado, têm de ser os portugueses que ainda por cá vão resistindo a tornar mais claro que este governo já não tem condições para continuar a desgovernar Portugal.

vieiraecastro@gmail.com O autor não segue o (des)acordo ortográfico por razões meramente linguísticas

MARCAÇÕES PELO TEL. 232 425 189

CLÍNICA CARPA R. ALEXANDRE LOBO, 59 - VISEU (frente à Igreja do Carmo - Lg. Sta. Cristina)

CONSULTAS - TESTES de ALERGIA PROVAS de FUNÇÃO RESPIRATÓRIA

CONCEIÇÃO NEVES MICAELA FERREIRA ADVOGADAS

FORUM VISEU (entrada junto à ponte da Av. António José de Almeida)

Tel. 232 421 225


PUBLICIDADE

22/Via Rápida

CARTÓRIO NOTARIAL Notária – Anabela Maria Bicho Oliveira Antunes Ferreira Rua Conselheiro Afonso de Melo, 31,3.º - Salas 306 e 307 – VISEU EXTRACTO Certifico, narrativamente, para efeitos de publicação, que foi exarada hoje, neste Cartório, sito na Rua Conselheiro Afonso de Melo, 31, 3.º andar, Salas 306 e 307, em Viseu, de folhas 94 a folhas 96 verso, do livro de notas para escrituras diversas com o número 112-A, uma escritura de Justificação, pela qual, Agostinho Pereira Cardoso e mulher Maria Alexandre do Outeiro, casados sob o regime da comunhão geral, naturais da freguesia de Bodiosa, concelho de Viseu, onde residem no lugar de Aval, se declararam, com exclusão de outrem, donos e legítimos possuidores do seguinte prédio: Urbano, sito em Aval, freguesia de Bodiosa, concelho de Viseu, composto por casa de habitação, com dois pavimentos, com a superfície coberta de vinte e oito metros quadrados, que confronta do norte com caminho público, do sul com Alfredo Almeida, do nascente com Custódia Luz e do poente com rua pública, omisso na Segunda Conservatória do Registo Predial de Viseu, inscrito na matriz, em nome de Jerónima de Almeida, sob o artigo 594. Mais certifico, que os justificantes alegaram na dita escritura, terem adquirido o identificado prédio no ano de mil novecentos e oitenta e nove, por doação meramente verbal dos pais da outorgante Armando do Outeiro e Joaquina de Jesus Alexandre, residentes que foram em Pereiras, Bodiosa, Viseu, os quais o tinham adquirido por permuta meramente verbal com a titular inscrita em mil novecentos e sessenta, sem que no entanto ficassem a dispor de título formal que lhes permita o respectivo registo na Conservatória do Registo Predial; mas desde logo entraram na posse e fruição do prédio, em nome próprio, posse que assim detêm há mais de vinte anos, sem interrupção ou ocultação de quem quer que seja, sendo porém certo que têm exercido no aludido prédio, os poderes de facto correspondentes ao direito de propriedade, fruindo como donos as utilidades possíveis à vista de todos e sem discussão nem oposição de ninguém, tendo assim invocado a sua aquisição por usucapião. Está conforme o original. Viseu, 31 de Agosto de 2012 A Técnica do Notariado no uso de poderes delegados pela Notária: (Paula Cristina Cardoso Pinto Correia) (Jornal Via Rápida 13.09.2012)

CARTÓRIO NOTARIAL Notária – Anabela Maria Bicho Oliveira Antunes Ferreira Rua Conselheiro Afonso de Melo, 31,3.º - Salas 306 e 307 – VISEU EXTRACTO Certifico, narrativamente, para efeitos de publicação, que foi exarada hoje, neste Cartório, sito na Rua Conselheiro Afonso de Melo, 31, 3.º andar, Salas 306 e 307, em Viseu, de folhas 115 a folhas 116, do livro de notas para escrituras diversas com o número 112-A, uma escritura de Justificação, pela qual, Vasco de Almeida Lameira, e mulher Lucília de Almeida Carragoso, ambos naturais da freguesia de Mundão, concelho de Viseu, onde residem na Rua da Capela n.º 2, Póvoa, casados sob o regime da comunhão geral, se declararam, com exclusão de outrem, donos e legítimos possuidores do seguinte prédio: Rústico, sito nos Sangarinhos, freguesia de Mundão concelho de Viseu, composto por pinhal, com a área de quatro mil e oitocentos metros quadrados, que confronta do norte com Lourenço Lopes Carragoso, do sul com Arminda de Jesus, do nascente com serviços florestais e do poente com José de Almeida Novais e outro, omisso na Segunda Conservatória do Registo Predial de Viseu, inscrito na matriz, em nome de Maria de Almeida, sob o artigo 58. Mais certifico que os justificantes alegaram na dita escritura, terem adquirido o identificado prédio no ano de mil novecentos e oitenta e dois, por compra meramente verbal à titular inscrita na matriz, viúva, que foi residente em Rio de Loba, Viseu, sem que no entanto ficassem a dispor de título formal que lhes permita o respectivo registo na Conservatória do Registo Predial; mas desde logo entraram na posse e fruição do prédio, em nome próprio, posse que assim detêm há mais de vinte anos, sem interrupção ou ocultação de quem quer que seja, sendo porém certo que têm exercido no aludido prédio, os poderes de facto correspondentes ao direito de propriedade, fruindo como donos as utilidades possíveis à vista de todos e sem discussão nem oposição de ninguém, tendo assim invocado a sua aquisição por usucapião. Está conforme o original. Viseu, 10 de Setembro de 2012 A Técnica do Notariado no uso de poderes delegados pela Notária: (Elisabete Lopes dos Santos Paiva) (Jornal Via Rápida 13.09.2012)

CARTÓRIO NOTARIAL Notária – Marina da Conceição de Sousa Alves Martins de Carvalho Rua dos Olivais n.º 4 – VISEU EXTRACTO Marina da Conceição de Sousa Alves Martins de Carvalho, notária deste Cartório, certifico, narrativamente, para efeitos de publicação, que no Cartório Notarial de Viseu, sito na Rua dos Olivais, nº 4, no livro de notas nº 144 a folhas 99 foi lavrada uma escritura de Justificação, pela qual JOSÉ ANTÓNIO DE ALMEIDA MELO, c.f nº 108469646, e mulher ANA MARIA NÉRI LOURENÇO, c.f. 116024372, casados em comunhão de adquiridos, naturais da freguesia de Rio de Loba, concelho de Viseu onde residem no lugar de Travassós de Cima, declararam que são donos e legítimos possuidores, com exclusão de outrém, um prédio rústico – terra de semeadura, sito em Gamita freguesia de Rio de Loba, concelho de Viseu, com a área de trezentos e cinquenta e cinco metros quadrados, a confinar do norte com Emídio Mesquita, sul Alfredo Mesquita, nascente António Mesquita Cristóvão e de poente com Domingos

13/09/2012

13/09/2012

ACTUALIDADE

3/Via Rápida

FOTOS: JOSÉ ALFREDO

CARTÓRIO NOTARIAL Notária – Anabela Maria Bicho Oliveira Antunes Ferreira Rua Conselheiro Afonso de Melo, 31,3.º - Salas 306 e 307 – VISEU EXTRACTO Certifico, narrativamente, para efeitos de publicação, que foi exarada hoje, neste Cartório, sito na Rua Conselheiro Afonso de Melo, 31, 3.º andar, Salas 306 e 307, em Viseu, de folhas 112 a folhas 114, do livro de notas para escrituras diversas com o número 112-A, uma escritura de Justificação, pela qual, Hermínio Rodrigues do Outeiro, solteiro, maior, natural da freguesia do Campo, concelho de Viseu, onde reside, na R. das Lameiras, n.º 18, em Vila Nova do Campo, e Gonçalo Esteves, natural da referida freguesia do Campo, e mulher Sandra Cristina Fernandes de Oliveira Esteves, natural da freguesia de Viseu (Santa Maria de Viseu), concelho de Viseu, casados sob o regime da comunhão de adquiridos, residentes na Estrada Nova, no lugar de Vila Nova, Campo referido, se declararam, com exclusão de outrem, donos e legítimos possuidores dos seguintes prédios: O primeiro outorgante, Hermínio, do prédio urbano sito em Vila Nova, freguesia do Campo, concelho de Viseu, composto por casa de habitação de três pavimentos, com a superfície coberta de cento e vinte e oito metros e oitenta decímetros quadrados, que confronta do norte e nascente com Rua, do sul e poente com Gonçalo Esteves, inscrito na matriz, em nome do justificante, sob o artigo 2065 (que teve origem no artigo 211); O segundo outorgante, Gonçalo, do prédio urbano sito em Vila Nova, freguesia do Campo, concelho de Viseu, composto por casa de habitação de três pavimentos, com a superfície coberta de sessenta e nove metros e cinquenta decímetros quadrados e descoberta de trinta e quatro metros e quarenta decímetros quadrados, que confronta do norte com Rua, do sul e poente com Gonçalo Esteves, e do nascente com Hermínio Rodrigues do Outeiro, inscrito na matriz, em nome do justificante, sob o artigo 2064 (que teve origem no artigo 211). Que o prédio que deu origem a estes dois, inscrito na matriz sob o artigo 211, está descrito na Segunda Conservatória do Registo Predial de Viseu sob o número oito mil seiscentos e noventa e dois, da aludida freguesia do Campo, com aquisição registada a favor de Adelino Rodrigues do Outeiro e Arminda Esteves, casados, residentes em Vila Nova, Campo, Viseu, pela Apresentação um de treze de Outubro de mil novecentos e quarenta e três. Por óbito do titular inscrito, Adelino Rodrigues do Outeiro, os seus herdeiros procederam no ano de mil novecentos e cinquenta e um, a partilha meramente verbal, e adjudicaram o imóvel à sua viúva, Arminda Esteves, que por escritura de doação exarada a folhas dezassete do Livro Duzentos e setenta e seis – A, do Cartório da Secretaria de Viseu, em quatro de Abril de mil novecentos e cinquenta e nove, doou o imóvel descrito, em comum e partes iguais, aos filhos, Hermínio Rodrigues do Outeiro e Maria José Esteves e marido António Esteves, reservando para ela, que já faleceu, o usufruto; Por óbito do referido António Esteves, procedeu-se a Inventário Obrigatório que correu termos na Terceira Secção do Tribunal Judicial de Viseu com o número onze barra oitenta e três, com sentença de vinte e nove de Março de mil novecentos e oitenta e quatro, transitada em julgado, em que a referida metade indivisa – ali verba dezassete – foi adjudicada à viúva Maria José Esteves; Por escritura de Divisão e Doação, outorgada em vinte e cinco de Maio de mil novecentos e noventa e cinco, exarada a folhas oitenta e seis do Livro Setecentos e setenta e seis – D, do Primeiro Cartório Notarial de Viseu, rectificada por escritura de hoje exarada a folhas cento e dez, deste Livro, os referidos Maria José Esteves e Hermínio Rodrigues do Outeiro, procederam à divisão de coisa comum do referido prédio inscrito na matriz sob o artigo 211, que deu origem aos dois imóveis descritos em a) e b), ficando a pertencer na sequência da divisão, a Maria José Esteves o imóvel descrito na alínea b), que o transmitiu pela mesma escritura por doação ao filho, ora representado da primeira outorgante. Que assim, justificam por este meio o seu direito de propriedade sobre os citados imóveis. Está conforme o original. Viseu, 10 de Setembro de 2012 A Técnica do Notariado no uso de poderes delegados pela Notária: (Paula Cristina Cardoso Pinto Correia) (Jornal Via Rápida 13.09.2012)

Gonçalves; inscrito na matriz sob o artigo 1657, não descrito na Primeira Conservatória do Registo Predial de Viseu. Que o referido prédio veio à posse dos justificantes, por compra que fizeram a Lucinda Mesquita que foi residente em Travassós de Cima indicada, no ano de mil novecentos e oitenta e dois, sem que tivessem formalizado qualquer acto de transmissão, tendo também casado no mesmo ano. Que, dado o modo de aquisição, não têm os justificantes possibilidades de comprovar pelos meios normais o seu direito de propriedade, mas a verdade é que são donos do mencionado prédio, pois dele têm usufruído, semeando as culturas típicas da região, milho feijão e batatas o que fazem há mais de vinte anos, ininterruptamente, à vista e com o conhecimento de toda a gente, sem a menor oposição de quem quer que fosse, exercendo no prédio uma posse contínua, pública e pacífica, pelo que o adquiriram por usucapião que a seu favor invocam. ESTÁ CONFORME O ORIGINAL. Cartório Notarial, Rua dos Olivais nº 4 – 12/09/2012 A Notária: Marina da Conceição de Sousa Alves Martins de Carvalho (Jornal Via Rápida 30.08.2012)

EXPERIMENTAÇÃO DEMONSTRAÇÃO E APOIO À VITIVINICULTURA

NELAS SEGURA CENTRO DE ESTUDOS VITIVINÍCOLAS DO DÃO - ISAURA PEDRO COLOCA PONTO FINAL NAS PREOCUPAÇÕES E DÚVIDAS SOBRE O FUTURO DO ORGANISMO O Centro de Estudos Vitivinícolas (CEV) do Dão, vai continuar a manter a sua estrutura funcional em Nelas, afastando assim as ameaças que pairavam sobre a sua continuidade no «coração do Dão», face a uma futura reestruturação dos serviços regionais de agricultura. O PSD, através dos deputados eleitos pelo distrito, já se congratulou com a garantia dada pela ministra Assunção Cristas, e Isaura Pedro, presidente da Câmara Municipal de Nelas, confirma que o CEV do Dão será mesmo “reforçado” nas suas competências. “Existe da parte do Governo um reconhecimento do trabalho efectuado pelo Centro de Estudos Vitivinícolas ao longo dos

anos. Congratulamo-nos por isso, e podemos hoje anunciar que o organismo irá ter um reforço na investigação aplicada, com forte articulação entre agentes privados e públicos, o que permitirá um aumento de qualidade e competitividade dos nossos vinhos”, sublinhou Isaura Pedro na cerimónia de inauguração da 21.ª Feira do Vinho do Dão, uma referência “indiscutível” no panorama dos certames dedicados ao sector em toda a Região. O anúncio foi feito um dia depois dos deputados de Viseu do PSD terem também obtido da ministra da Agricultura, do Ambiente e Ordenamento do Território, Assunção Cristas, a garantia do reconhecimento do CEV do Dão como um importante centro de experimentação

e investigação, como preconiza também, “independentemente da estrutura organizacional do seu ministério, o reforço da articulação entre aquele organismo e as direcções regionais de Agricultura e Pescas, Instituto Nacional de Investigação Agrária e as organizações de produtores. “Estamos convictos de que este reforço da investigação permitirá uma maior afirmação do CEV do Dão, em parceria com os diferentes agentes do sector, melhorando a qualidade das nossas vinhas e vinhos, num claro benefício para os produtores, aumentando a competitividade de uma fileira estratégica para a nossa economia local”, congratulam-se os deputados do PSD/Viseu.

Instalado num edifício rústico localizado na Quinta da Cale, em Nelas, rodeado por Fotos:e Rui da Cruz campo de cultivo de vinha e de outros pequenos edifícios de apoio, o Centro de Estudos Vitivinícolas do Dão desenvolve actividades de experimentação, demonstração e apoio à vitivinicultura da Região Demarcada do Dão. Criado em 1946, manteve-se na dependência da Estação Agrária de Viseu até 1958, altura em que obteve a sua autonomia administrativa. Ficou afecto à Direcção Geral dos Serviços Agrícolas até 1978, ano em que passou a ficar na dependência da Direcção Regional de Agricultura da Beira Litoral (DRABL). Em 1980 o CEV do Dão é integrado na Estação Vitivinícola Nacional, onde permanece até 1980, ano em que regressa à dependência da DRABL. As funções do organismo centram-se na experimentação vitivinícola, nomeadamente ao nível de sistema de condução de vinha; selecção massal e clonal da videira; nutrição e fertilização da vinha; identificação, caracterização e conservação de castas regionais; produção integrada da vinha; definição de possíveis encepamentos; estudo das diferentes tecnologias de fabrico dos vinhos do Dão; apoio aos vitivinicultores; formação profissional para agricultores e técnicos; distribuição de material vegetativo; e apoio no condicionamento da cultura da vinha.


4/Via Rápida

REGIÃO

13/09/2012

«PROHABIT» APOIOU EM 2012 MAIS 73 FAMÍLIAS CARENCIADAS EM VISEU Com mais onze candidaturas aprovadas condicionalmente (aguardam apenas a apresentação do respectivo projecto) e a representartem um apoio de mais 54.300 euros, o «Prohabit», um programa de apoio à recuperação de habitações lançado há dez anos pela Câmara Municipal de Viseu, deferiu este ano 73 das 113 candidaturas apresentadas por outras tantas famílias do concelho. Na última terça-feira, no Solar do Vinho do Dão, foram entregues aos 73 beneficiários, os cerca de 289 mil euros atribuídos para apoiar intervenções nas suas residências. Na cerimónia, presidida pelo vice-presidente da Câmara Municipal de Viseu, Américo Nunes, o vereador Hermínio Magalhães recordou que ao longo dos seus dez anos de vigência, o «Prohabit» - um programa municipal que visa apoiar a melhoria das condições de habitabilidade de residências, sobretudo ao nível da higiene e segurança - já beneficiou cerca de

900 famílias, com ajudas que atingem um montante global de 3,3 milhões de euros. Em 2011, o mesmo programa deferiu projectos de inter-

venção no valor de 360 mil euros, e de 59.130 euros a projectos aprovados condicionalmente. “Estamos empenhados em

DESPORTO

do interesse público. Este acordo permitiu que a maior empresa do distrito tivesse condições para crescer e se adaptar às novas exigências do mercado com garante de emprego para os próximos anos e ao mesmo tempo a possibilidade de requalificar a malha urbana da cidade Para João Azevedo, presidente da Câmara Municipal de Mangualde, “esta foi uma empreitada há muito ansiada pela população e que vem agora melhor a qualidade de vida e de circulação viária da cidade”. E que “só foi possível”, segundo o autarca, “porque o contrato programa foi assinado em 2010, com o Governo Socialista, antes de o país e o mundo serem atropelados por esta crise mundial e pelas medidas do actual Governo”.

Director: Ricardo Silva • Redacção - Chefe de Redacção: José Cardoso • Colaboradores:Afonso Marques, Carlos Bergeron, Carlos Vieira e Castro, José Lapa, José Reis, Luís Lopes, Manuel Morgado Propriedade: José Cardoso • Depósito legal n.º 146546/00 • N.º de registo no ICS - 117441 N.º fiscal de contribuinte - 135605547 • Departamento Comercial: Luísa Matos (publicidade@jornalviarapida.com) Edição On-line: Marco Alexandre • Paginação e Arranjo Gráfico: ROSTO CRIATIVO - Viseu Impressão: TIPOGRAFIA OCIDENTAL - Viseu • Tiragem: 4.000 Ex. www.jornalviarapida.com Os artigos de opinião publicados neste Jornal são da exclusiva responsabilidade dos seus autores. Sede e Redacção: Rua D. Francisco Alexandre Lobo, 55-3.º dto • 3500-071 Viseu Contactos: Tel. - 232426058 • Telem. - 966061468 • Fax - 232426058 • E-mails - geral@jornalviarapida.com - publicidade@jornalviarapida.com

21/Via Rápida

UNIDOS DA ESTAÇÃO «ATACA» HEPTACAMPEONATO DE FUTSAL

Com a bancada bem composta e numa cerimónia simples mas carregada de significado, a Associação Unidos da Estação apresentou o plantel para a época 2012/2013. Antes da apresentação das jogadoras que fazem parte do plantel que, segundo a direcção da colectividade vai «atacar» o heptacampeonato, foi também apresentado o novo símbolo que identificará o clube a partir de agora. Seguiu-se um jogo com as campeãs da A.F.Guarda, jogo onde o que menos contava era o resultado, mas que terminou com uma vitória da equipa da casa por 4-2. O plantel para a época 2012/2013 está assim constituído: Sara Oliveira, Cindy Nadil (ex-Vilar de Besteiros), Ana Patrícia Ribeiro, Paula Morais, Lígia Rocha, Rita Brotas, Bruna Morais, Nádia Tatiana, Marlene Rodrigues (ex-Inter Futsal Tarouca), Rita Marques, Salomé Félix (ex-Inter Futsal Tarouca), Marta Matos, Ana Silva, Marta Coelho, Carolina Bastos (regressada após 2 épocas), e Bruna Dias (ex-Benfica de Mortágua)

FIM DE SEMANA EM CHEIO PARA O BASQUETEBOL DISTRITAL

II TORNEIO «CIDADE TERMAL DE S. PEDRO DO SUL»

que este programa de ajuda se mantenha, ao longo dos próximos anos, com o mesmo volume de apoios”, concluiu Hermínio Magalhães.

CÂMARA DE MANGUALDE CONCLUI QUALIFICAÇÃO DE TROÇO DA CIRCULAR NORTE Está concluída e inaugurada, dois anos depois da assinatura do respectivo acordo com o Governo, a empreitada de qualificação do troço Estrada Nacional (EN234) – Rua Alexandre Herculano e ramo CM1444 até ao cemitério, que integra a Circular Norte a Mangualde e garante a ligação da EN16 à EN234. O investimento rondou os 670 mil euros. Adjudicada a 26 de Maio de 2011, a empreitada incluiu intervenções, ao longo de 900 metros de extensão, no betuminoso, passeios, iluminação pública, e infraestruturas subterrâneas (redes de água, saneamento, telecomunicações, EDP e de gás). A qualificação, ditada pela cedência do troço da EN16 à PSA, foi o resultado de negociações com o governo em prol

13/09/2012

A Associação de Basquetebol de Viseu (ABV), com o apoio da Expovis, organiza este fim de semana (15 e 16 de Setembro), no parque desportivo do Fontelo, um conjunto de actividades integradas no programa oficial da Feira de São Mateus. A manhã de sábado será dedicada às provas do IV Convívio de Minibasquete, para escalões de sub 10 e 12 (masc./fem.) e IV Torneio Street Basket Sub 14, em masculinos. Segue-se o I Triangular Feira de S.Mateus, em escalões de sub 14

femininos com a participação do Acert (Tondela), Casa do Benfica de Stª Comba Dão e do Sporting Clube de Braga. Os jogos serão disputados entre entre as 10:00 e as 13.00, sendo depois servido um lanche a todos os participantes (jogadores, treinadores, dirigentes). Para o Pavilhão Municipal do Fontelo, está agendado, a partir das 16,30 horas, o XXIV Torneio Feira de S.Mateus no escalão de sub 18 masculino, com a Ovarense a defrontar o Gumirães, seguindo-se ao jogo

LUSITANO DE VILDEMOINHOS CONTRATA FRIDAY

O Lusitano Futebol Clube chegou a acordo com o atleta, Friday Augustine Ngbe, para representar a equipa senior do clube. O contrato, agora assinado, terá a duração de uma época. O jovem avançado nigeriano, de 20 anos, que na época passada representou o Alta de Lisboa, conta ainda, no seu historial com passagens pelo Famalicão, Real Sport Clube, Belenenses e Sport Lisboa e Benfica.

entre o Futebol Clube do Porto e o Diogo Cão de Vila Real. No domingo com início às 9.30 horas, será disputado o jogo entre os vencidos, seguindo-se a final do Torneio. Ainda na tarde de sábado terá lugar, na sala 2 do Estádio Municipal do Fontelo, a II Acção de Formação subordinada ao tema «Estruturação e sustentabilidade de projectos desportivos para o Basquetebol», que terá como palestrante Carlos Vaqueiro, da Coordenação de Formação do F.C. do Porto.

A Associação de Basquetebol de Viseu e o Clube Bola Basket, organizam nos próximos dias 29 e 30 de Setembro, o II Torneio «Cidade Termal de S. Pedro do Sul», um evento que conta com o apoio institucional da Câmara Municipal. Na edição deste ano participam quatro equipas seniores da Liga Portuguesa de Basquetebol: Algés e Dafundo, Guimarães, Ovarense e Sampaense.


20/Via Rápida

DESPORTO

13/09/2012

OITO CLUBES NO TORNEIO DE GOLFE «FEIRA DE S. MATEUS 2012»

Por: Álvaro Marreco Integrado na centenária Feira de S. Mateus, realizou-se no Montebelo uma prova de golfe jogada na modalidade stableford/full-handicap e que contou

com a participação de sete dezenas de jogadores, em representação de oito clubes (Viseu, Sintra, Centro, Bica, Internacional, Nortada, Aroeira e Qª Lágrimas). O viseense Artur Ferreira foi

o grande triunfador da prova ao vencer categoricamente as duas classificações. Em gross, obteve 27 pontos e foi seguido pelo Sérgio Pereira com 26, José Marques 23, Adelino Nunes 22 e Carlos Rodrigues 21, Samuel

Barros 20, José Pinto 19 e Albino Ferreira e Agostinho Lopes 18. Em net, o score de 22+16 deram-lhe a vitória, porquanto o José Cunha Santos teve os mesmos 38 pontos, mas pior segunda volta (23+15). Seguiram-se, o Carlos Rodrigues com 37, Amândio Prata, Samuel Barros e Carlos Ferreira todos com 36 e Adelino Nunes e José Marques com 35. Como não é possível a acumulação de prémios, os mesmos foram assim distribuídos: Artur Ferreira (1º gross), José Cunha Santos (1º net), Carlos Rodrigues (2º net) e Amândio Prata (3º net), Fátima Campos (1ª senhora e longest drive), Albino Ferreira (longest drive) e Jaime Fernandes (nearest).

ABC DE NELAS APOSTA NA FORMAÇÃO DE JOVENS DO CONCELHO E DA REGIÃO A equipa sénior do ABC de Nelas prossegue a sua preparação para a época 2012/2013 na série C do Campeonato Nacional da 3ª Divisão de Futsal. A planificação delineada consubstancia-se, segundo a direcção, na aposta e maximização da formação do clube e de jovens jogadores do concelho e da região, ideia que vai ao encontro do que a equipa técnica também preconiza. “Trabalhar e potenciar uma equipa jovem, mas muito competitiva, para a nova época e, em paralelo, trabalhar os escalões de formação a curto e a médio prazo, são os grandes objectivos delineados por todo o grupo de trabalho”, reforçam os directores. A equipa técnica, liderada Augusto Assunção, é constituída ainda por César Neves (treinador adjunto), Hugo Moura e José Alberto “Zézé” (adjuntos técnicos e de guarda-redes). Augusto Assunção vai ainda exercer a função de Director

Técnico de todo o Futsal do ABC de Nelas, desde os Petizes até aos Seniores. Na equipa diretiva mantémse Carlos Jorge Matias como responsável máximo do futsal competição do ABC de Nelas, coadjuvado por Bruno Almeida,

Ernesto Esaú e João Reis. A estrutura médica é coordenada pelo médico Jorge Alves, e o acompanhamento e cuidados de saúde e fisioterapia estão a cargo da clínica Planycorpo, em articulação com o massagista em permanência, José Alfredo

Monteiro. Com vagas ainda a definir com jogadores que vão fazer a pré-época, o plantel integra, para já os seguintes atletas: Guarda-redes: Zé Tó, 24 anos; Tiago Gomes, 20 anos; e Henrique Liberato, 18 anos. Jogadores de campo: André Coelho, 18 anos; Bruno Costa, 31 anos; Bruno Marques, 29 anos; Diogo Pedrosa, 25 anos (ex-Seia FC)M Edú, 28 anos; Mário Faria, 21 anos (ex-Balsa Nova); Mauro, 25 anos (ex-Seia FC); Paulo Rodrigues, 27 anos, Rafa, 19 anos; e Ricardinho, 20 anos (ex-Balsa Nova)

13/09/2012

PUBLICIDADE

5/Via Rápida


6/Via Rápida

GOLPE DE VISTA

Dizem os bombeiros mais antigos que foi o maior incêndio florestal dos últimos 30 anos. Seis freguesias do concelho de Viseu viram as suas florestas transformadas em cinzas. A associação ambientalista Quercus defendeu, em comunicado, a necessidade de se criar “uma estratégia de longo prazo com melhores políticas agroflorestais”, travando a plantação de eucaliptos nas áreas ardidas durante uma década a partir da data dos incêndios. Também o Partido Ecologista “Os Verdes” criticou a plantação de eucaliptos, relacionando-a com os fogos. Quem também tomou posição sobre os fogos florestais foi a Comissão Concelhia de Viseu do Bloco de Esquerda que para além de além de acusar a ministra Crista de “lançar gasolina no fogo” com a liberalização da plantação de eucalipto, denunciou que os incêndios apanharam o município desfalcado de meios humanos e materiais: “É sabido que os fogos grandes começam por ser pequenos e para impedir o seu alastramento o fundamental é, para além do trabalho prévio de prevenção (abertura de aceiros, pontos de água, limpeza das matas, vigilância), a rapidez e a eficácia do ataque inicial. Para isso era essencial os bombeiros municipais estarem munidos de suficientes meios humanos e materiais. (…) O presidente da Junta de Côta testemunhou que o incêndio nunca tinha tomado tais proporções se fosse atacado na fase em que estava em Couto de Cepões e que só quando chegou o comandante dos bombeiros municipais de Viseu é que conseguiu ajudar a encaminhar os soldados da paz para os melhores caminhos de acesso ao fogo, uma vez que as corporações de fora do concelho, por falta de reconhecimento do terreno, nem sempre encaminhavam os meios para os locais certos”. De acordo com a Lusa, Fer-

REGIÃO

13/09/2012

DESINVESTIMENTO NOS BOMBEIROS MUNICIPAIS DE VISEU PREJUDICOU O COMBATE AOS FOGOS FLORESTAIS

13/09/2012

CULTURA

PINTURA AO AR LIVRE «INVADE» CENTRO HISTÓRICO DE VISEU

19/Via Rápida

A primeira sessão de pintura ao ar livre no centro histórico de Viseu, marcada para o próximo sábado, vai ter como pontos de «inspiração» o Adro da Sé (com os artistas Filomena Lopes e Paula Veiga Rodrigues), Largo Pintor Gata (Carlos Almeida), Rossio (Carlos Amaral e Jorge do Carmo), Mercado 2 de Maio (Graça Soveral, Ilda Monteiro, Liliana Martins e Sara Conde) e a Rua Formosa (João Luís Almeida). A iniciativa, organizada pela Câmara Municipal de Viseu e Viseu Novo SRU, pretende “sensibilizar não só os turistas, mas também todos os viseenses, para outras formas de sentir e vi(r)ver o Centro Histórico, diversificando o motivo e criando hábitos regulares de visita, e alargando as ofertas culturais e criando hábitos regulares de visita, tornando o local como ponto obrigatório de passagem”.

SESSÕES DO CINE CLUBE REGRESSAM COM «RETOMA 2012» nando Ruas adiantou também que a ANMP quer marcar uma reunião com o ministro da Administração Interna, Miguel Macedo para “ perceber se podemos fazer mais e melhor para racionalizar os meios, quer humanos, quer materiais”.. No entanto, acusa o comunicado do BE, “quando em 29 de Junho deste ano, o Bloco de Esquerda apresentou na Assembleia Municipal de Viseu uma Moção pelo Reforço dos Meios Materiais e Humanos dos Bombeiros Municipais de Viseu, considerando as lacunas e insuficiências (sobretudo o reduzido número de bombeiros profissionais , 39, quando para uma população como a do nosso concelho o rácio recomendado seria de 100), denunciadas publicamente pelos bombeiros e pelo próprio comandante, a maioria do PSD votou contra a recomendação. Fernando Ruas disse na AM que por ele Viseu nunca teria bombeiros municipais (corporação que celebrar este ano o 185º aniversário), mas apenas voluntários; talvez porque ainda não pagou aos bombeiros municipais as horas ex-

traordinárias dos fogos do Verão passado. Muitos dos presidentes de junta que agora se confrontaram com a tragédia dos fogos florestais que destruíram matas e puseram em risco vidas humanas, na altura votaram contra ou se abstiveram de forma negligente e irresponsável. “Aliás, muitos populares têm acusado os proprietários de pinhais e os presidentes de Junta de não limparem os terrenos de que são proprietários. Por exemplo, a estrada do aeródromo, na freguesia do Campo há seis anos que não é limpa, apesar de queixas dos próprios Serviços de Metereologia, cujo edifício já nem se vê da estrada, tal é a altura das silvas. As mimosas invadem a faixa de rodagem, o que já provocou acidentes rodoviários. As lacunas de meios humanos tornam completamente desactualizado, não aplicado à realidade e na prática não existente o PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA, obrigatório por lei, o que equivale à demissão de funções do responsável máximo pela Protecção

Civil Municipal, o Presidente da Câmara Municipal de Viseu”. O abandono da Agricultura e o desinvestimento na floresta, bem como interioricídio levado a cabo com o encerramento de escolas, postos de Saúde, correios, tribunais e outros serviços públicos, fruto de uma estratégia errada de desenvolvimento seguida pelos sucessivos governos, não desculpa a falta de ordenamento e limpeza das florestas, por parte do Estado (governo e autarquias), nem a ausência de medidas eficazes para incentivar e obrigar os proprietários particulares a limpar as suas matas. Os proprietários florestais mais conscientes esbarram com a burocracia para aderirem aos programas, já por si com apoios pouco incentivadores, para o investimento florestal, que inclui as limpezas das florestas. Verifica-se ainda que os fundos comunitários para a Defesa da Floresta Contra Incêndios são consumidos maioritariamente no combate ao fogo, em detrimento da prevenção, o que seria mais eficaz e duradouro.

(Secção da responsabilidade do Núcleo de Viseu de “OLHO VIVO - Associação para a Defesa do Património Ambiente e Direitos Humanos”) Nota: Críticas e sugestões para a Associação OLHO VIVO, telefone: 912522690 - olhovivo.viseu@gmail.com olhovivoviseu.blogspot.com

O regresso das sessões regulares do Cine Clube de Viseu (CCV) terá lugar a 18 de Setembro, com os filmes do ciclo «RETOMA». A primeira edição deste ciclo data de 2004, “ano em que a palavra retoma entrou no inventário de promessas (sempre adiadas) feitas ao país”. Tem lugar, anualmente, em Setembro, e é, até ver, a única retoma visível – o regresso das sessões semanais do CCV, interrompidas em Junho. «Moonrise Kingdom», de

Wes Anderson, é a película a exibir no dia 18 de Setembro, seguindo-se «O Cavalo de Turim» - o primeiro Tarr a ter honras de estreia em sala em Portugal - a 2 de Outubro. Uma semana depois (9 de Outubro), será a vez de «A Gruta dos Sonhos Perdidos» e, a 16 do mesmo mês, o filme «Fora de Jogo». Para o dia 23 de Outubro está reservado «O Gebo e a Sombra», de Manoel de Oliveira, recém estreado no Festival de Veneza.

«UMA LUZ AO FUNDO DO TÚNEL» NA BIBLIOTECA MUNICIPAL DE MANGUALDE Está patente na Sala Polivalente da Biblioteca Municipal de Mangualde, até 28 de Setembro, a exposição «Uma luz ao fundo do túnel». Os trabalhos, da autoria de Fábio Rodrigues, são uma expressão da arte outsider e foram desenvolvidos essencialmente a partir de carvão e acrílico. Natural de Viseu, Fábio Miguel Pais Rodrigues nasceu em 1984. Desde muito cedo

sentiu um fascínio pelo mundo das artes, em especial pelas artes plásticas. Em 2000 entra no curso de Design da Escola Secundária de Nelas, mas logo percebeu que não era esse o seu caminho, tendo abandonado os estudos no 12º ano. Dedicado mais ao desenho no papel, desenvolveu um estilo próprio com algumas influências de artistas como Kandinsky, Dali, Cartoon, entre outros.


18/Via Rápida

CULTURA

13/09/2012

CORO MOZART APLAUDIDO EM ESPANHA Por: Adelino Figueiredo O Coro Mozart de Viseu, grupo de jovens coralistas de Viseu, efetuou entre os dias 06 a 09 de Setembro, uma digressão a Espanha, inserida no programa das Festas, da conhecida cidade de Valladolid. O Coro Mozart efetuou vários concertos em Valladolid, tendo realizado na Quinta-Feira (dia 06/9) um concerto ao vivo no Pátio do Palácio de Fabio Nelli, perante uma numerosa assistência bastante entusiasta, que vibrou com toda a alegria e intensidade que este grupo apresentou. Na Sexta-Feira (dia 07/9) o Coro Mozart atuou no Salão de Espetáculos do Centro Cívico Municipal José Luís Mosquera, tendo contado também com a presença nesse espetáculo dos grupos Coros Harmonia & Harmonia Pueri, ambos de Valladolid. Este espetáculo teve uma enorme aceitação por parte do público espanhol que não se cansou aplaudir e de incentivar os jovens artistas a cantarem sempre mais uma música. A recepção em Valladolid foi extraordinária tendo a crítica caracterizado-os como “fantásticos jovens coralistas com enorme talento musical”. De referir que alguns espanhóis apreciaram tanto as atuações do Coro, que fizeram questão de assistir a todos os concertos que

o coro realizou em Valladolid. No Sábado (08/9) o Coro Mozart, levou a cabo um “Street Concert”, próximo da Plaza Mayor de Valladolid, mais precisamente no Atrio de Santiago ( Igreja de Santiago), no entanto devido às condições metereológicas, este teve de ser transferido para a Plaza España, onde o grupo efectuou uma pequena actuação, deixando todos os presentes com “água na boca” tal a qualidade apresentada. Para além dos concertos, durante a estadia em Valladolid, os jovens coralistas disfrutaram ainda de uma visita guiada aos locais mais emblemáticos do

centro histórico de Valladolid, para além de uma visita a um Centro de Natureza e Educação Ambiental - Finca Cota Bajo de Matallana. No Domingo (09/9), já no regresso, o grupo fez paragem em Salamanca, tendo brindado todos os presentes com algumas músicas, num mini “street concert” junto da Catedral de Salamanca, seguido de um almoço convívio já em Ciudad Rodrigo, e continuação da viagem para Portugal. A comitiva do Coro Mozart Viseu, foi composta por cerca de 60 jovens coralistas, vários elementos da Direção, e um grupo

de pais, familiares e amigos que quiseram estar presentes nesta digressão, englobando um total de mais de uma centena de elementos. O Coro Mozart deixou mais uma vez uma bela imagem, de qualidade e talento musical, desta vez junto de terras de Espanha, representando com grande dignidade a região de Viseu e por inerência o nosso país. Perante as boas actuações que efectuaram, ficou no ar a possibilidade de um novo regresso para o ano a Valladolid. Parabéns Coro Mozart por representares, mais uma vez, tão bem a nossa cidade de Viseu!

«CENÁRIOS DE GUERRA» NO PALÁCIO DO GELO - MOSTRA INTEGRA TRABALHOS DE ALUNOS DA ESEV QUE ACOMPANHARAM O EXÉRCITO NO EXERCÍCIO MILITAR «GRÃO VASCO 12» O Palácio do Gelo Shopping, em Viseu, tem patente, até 23 de Setembro, a exposição fotográfica "Olhares Académicos" que pretende dar a conhecer o trabalho efectuado por um grupo de alunos do 3º ano do curso de Comunicação Social da Escola Superior de Educação de Viseu (ESEV), no âmbito do exercício militar "Grão Vasco 12", realizado pelo Regimento de Infantaria Nº 14 de Viseu, em Abril de 2012. O exercício militar, efectuado todos os anos pelo Segundo Batalhão de Infantaria do RI14, tem como objectivo testar e avaliar as capacidades operacionais da unidade, sendo que na edução deste ano foi acompa-

nhado por um grupo de alunos finalistas do curso de Comunicação Social da ESEV, que vestiram a pele de repórteres de guerra. A experiência ocorreu num cenário de conflito simulado e das imagens recolhidas nasceu esta exposição que propõe,

numa vertente inédita, dar a conhecer a colaboração entre os alunos da ESEV e o RI14 de Viseu, evidenciando, desta forma, o olhar destes jovens aspirantes a repórteres de imagem. Para além da exposição fotográfica, o Palácio do Gelo Shop-

ping apresenta também uma reportagem especial realizada pelos estudantes, projectada num ecrã instalado no espaço onde estará patente a mostra, no piso 0. Esta iniciativa, além de divulgar a actividade em causa, visa também permitir que os alunos tomem contacto com uma realidade com que poderão contactar directamente ao longo do seu percurso profissional, ficando assim na posse de informações e ferramentas que podem ser fundamentais em situações de conflito. Esta actividade permitiu ainda estreitar laços com uma unidade da estrutura de base do Exército Português, num saudável exercício de abertura à comunidade.

13/09/2012

PUBLICIDADE

7/Via Rápida


8/Via Rápida

OPINIÃO

13/09/2012

SOCIEDADE

13/09/2012

ESPECTADOR COMPROMETIDO

A UNIVERSIDADE DE VISEU, EM PERÍODO DE FÉRIAS Muito provavelmente, a questão da Universidade de Viseu não vai estar no centro do debate politico de Viseu: os ventos (e a falta de dinheiro) não são favoráveis a tal empreendimento. No entanto, é no tempo das vacas magras que deve haver muito para planear. Faz sentido continuar a reivindicar a Universidade pública para Viseu? A resposta é sim, mas não uma universidade à “anos 90”. Significa isto que estando o IPV a cumprir a sua função enquanto entidade formadora, que poderá, inclusive, melhorar à medida que a sua integração no tecido económico e social se for aprofundando, uma universidade, a ser criada em Viseu, deve vir pelo lado da investigação e “esquecer” a formação inicial (salvo se o Pais, afinal, puder desbaratar recursos). Estará a Região interessada numa

universidade que comece a deitar raízes desta forma? Talvez seja menos vistosa e menos fácil mas é, com certeza, mais eficaz se for capaz de começar por criar um centro de investigação focado num ou noutro sector relevante para a economia da Região e para a economia nacional e europeia. Três hipóteses: alimentação, floresta, saúde/bemestar, ... – algo a que a Região não é estranha! Naturalmente que é necessário começar por ter um grupo de investigadores altamente reconhecidos e mobilizados em torno de um programa concreto e associar os empresários dos sectores económicos envolvidos, outros investidores e uma forte ligação a fontes de saber internacionais (vale a pena reler o “Projecto Veiga Simão”). E o Estado? O Estado pode não ter dinheiro, mas tem capacidade de iniciativa e de mobilização de recursos, humanos e

financeiros – assim seja capaz de desenvolver, na base da investigação e com parcerias internacionais, um bom projecto para esta Universidade de Viseu. A Região ainda precisa desta Universidade? Como de pão para a boca, caso não queira continuar a assistir a um prolongado adormecimento da sua economia, perdendo capacidade de reagir num contexto europeu onde o crescimento económico não dependerá tanto dos recursos existentes, nomeadamente de mão de obra não qualificada e terrenos disponíveis, mas sim de conhecimento e tecnologia. (P.S. – Cultura e tecnologias estão a subir, na Região. Também aqui a futura universidade e o politécnico podem fazer a diferença. É preciso que instituições e região se “misturem”!)

Por: José Lapa

O que é um herói? São todos aqueles, em que reconhecemos as nossas fragilidades. Referências absolutas dos nossos insucessos. Ou seja, aqueles que nos furtaram a ambição. No herói reconhecemos a suprema felicidade nunca conseguida. Deuses de um olimpo, a cujo condomínio não acedemos. Os heróis consciencializam a nossa insignificância de batráquios com a morte sorridente a curto prazo. Aqui, lembro-me sempre, daquele belo poema de Ramos Rosa, No trabalho da folha ou na falha: “Sou apenas uma sombra com olhos neste instante.” (in Poesia 71, Inova/1972). Somos feitos de instantes, compostos de maté-

17/Via Rápida

HERÓIS RELUTANTES HERÓIS AMUADOS, HERÓIS AUSTEROS ria degradável. Daí que os heróis, feitos de eternidade, nos confortem com os seus feitos. Eu, sim eu, tenho os heróis mais improváveis. Prefiro-os de carne e osso. Mortais, por que morrem comigo, amigos nos bons e maus momentos, amigos inconfundíveis e serenos. Um dos meus heróis é Raul Solnado: “Acho que nós não devemos ficar viúvos dos nossos êxitos.” Talvez os meus heróis, sejam os… antiheróis. É que, já houve tantos heróis que me dececionaram! Muitos, mesmo muitos. Bom! Esta conversa dos heróis tem uma filigrana discreta ou não falássemos nós desses seres omnipresentes. Recentemente no meu traçado de vida, cruzaram-se três heróis densos e implacáveis. Ronaldo, herói amuado, resolveu partilhar com a praça pública, a sua tristeza. Sendo esta tristeza de natureza profissional (dixit), nunca foi esclarecida. Ficou sempre no limbo. E, ao certo, ao certo, nunca saberemos o que abanou os alicerces emocionais de um homem, que aufere 10 milhão por mês. Claro, que o dinheiro não é tudo, mas se é profissional, a melancolia, de que mais poderá ser proveniente. Cá para mim, não foi mais do que um golpe de marketing. Esta gente e os interesses económicos que a suportam, precisam de uma vez por outra, de executar um qualquer plano de marketing, com base em drama emotivo. Achei piada, a um qualquer Pereira, que para ser solidário com o avançado, veio dizer, que em Portugal, as pessoas gostam muito de falar

da vida dos outros. Concordo, é verdade. Mas, o que se esqueceu de dizer é que quem pôs a sua vida a ser escrutinada foi o próprio homem da bola, como sabemos. Daí o desproposito da afirmação. Outro herói recente, que me saiu ao caminho, foi Passos Coelho. Herói da austeridade, que assume com galhardia e afinco, dando-se ao cuidado de levar uma semana a avisar, que vai ser mauzinho e que faz questão de ser ele, a dar as más notícias. Isto é, um homem corajoso, acutilante, que faz questão de ser o próprio mensageiro do inferno. Estamos perante um status de pretensa coragem. O seu discurso e postura são de frieza e insensibilidade. Mas, o herói, como escrevi, é aquele que nos trás felicidade e não drama. E, a trazer drama, deve contextualizar a felicidade decorrente daí. O apagão sem luz ao fundo túnel. Finalmente, o meu herói preferido, o relutante. Neil Armstrong, o homem que primeiro pisou a lua e depois se remeteu ao retiro da sua pacatez, da sua humildade, da sua humanidade. O herói da obstinação tranquila, partiu agora para sua última e derradeira viagem, em busca de outra “base da tranquilidade”, provavelmente, saturado de um planeta cada vez mais intranquilo. Este sim, um herói a sério, humano e exemplar. Como eu gosto. Os outros são meros figurinos de um mundo em convulsão. Figuras complexas, inscritas em terreno confuso. Herói é simplicidade. Já Kepler escreveu: Natura simplicitatem amat (A natureza ama a simplicidade).

DE 19 A 23 DE SETEMBRO:

MUNICÍPIO DE VOUZELA PROMOVE FEIRA SOCIAL E DO ASSOCIATIVISMO

CRIAÇÃO DE UM PARQUE FLORESTAL NO CONCELHO DE VISEU Em termos ambientais e socioculturais a floresta é matricial numa vasta área do território nacional. Ao nível da economia, a multidiversificada fileira florestal – do turismo de natureza à pasta de papel – é, de há muito, entendida como um cluster prioritário para Portugal. O Concelho de Viseu insere-se numa região de grande “intensidade florestal” (veja-se a sua relevância em concelhos limítrofes como Mangualde, Nelas ou Mortágua), precisamente à cidade é “colada” a imagem de Amiga do Ambiente. Porém, pese o epíteto de “Melhor Cidade

para Viver”, - sublinhadamente neste período de quase agonia dos serviços públicos, do comércio e da construção civil é reconhecida a falta de atividades económicas e a inerente criação de riqueza e emprego. Outras cidades nacionais de média dimensão patenteiam “imagens de marca” indutoras de valor acrescentado/competitividade e atividade económica: P.e. Braga/Software; Aveiro/Telecomunicações; Coimbra/Saúde e Conhecimento; etc. Neste contexto, ocupando um espaço ainda vazio, na Cidade/região de Viseu a

Floresta pode emergir naturalmente como oportunidade para alicerçar um modelo de desenvolvimento socioeconómico sustentável. Para semear, planear e implementar esta “aura”, para além de habituais mecanismos que deverão catalisar estes processos – incentivos fiscais e outros à instalação e desenvolvimento de atividades da fileira, eventos, I&D, ensino superior, etc. – é necessário criar símbolos. Neste sentido, a instituição de um Parque Florestal multivalente, na área florestal do Monte de Santa Luzia e da Serra do Crasto, poderia ser muito pertinente.

De 19 a 23 de setembro, o Município de Vouzela vai promover a Feira Social e do Associativismo do concelho, uma iniciativa que pretende divulgar o trabalho realizado pelas coletividades e instituições de solidariedade social do concelho de Vouzela. Durante cinco dias, a Alameda D. Duarte de Almeida e

outros espaços adjacentes vão ser palco de exposições, seminários, workshops, concertos de música, festival de folclore, sessões de fitness, entre outras atividades. Destaque para os workshops “Envelhecimento ativo e solidariedade entre gerações - Promoção e otimização de oportunidades”, que acontecerá no dia 19

de Setembro; no dia 20, pelas 14h, o workshop sobre marketing pessoal e pelas 21h o seminário “Sustentabilidade e Marketing”, destinado às associações. Já no dia 21, pelas 15h30, terá ligar o workshop “Cuidado com a Burlas”, no Auditório Municipal. De realçar ainda a atuação de Mico da Câmara Pereira, na noite de 21 de setembro,

de David Antunes & The Midnight Band, do programa 5 para a Meia Noite, na noite de 22 e de Sérgio Lucas, na noite de 23 de setembro. De 21 a 23 de setembro serão ainda disponibilizados, na Alameda D. Duarte de Almeida, serviços de bar, restaurante e bingo, cujas receitas reverterão na íntegra para as associações que os dinamizarem.

LOJA «MANGUALDE SOCIAL MAIS» AJUDA FAMÍLIAS CARENCIADAS O Bispo de Viseu, D. Ílido Leandro, inaugura amanhã, na avenida Conde D. Henrique, a Loja Social “Mangualde Social Mais”. O espaço, candidatado ao PRODER pela Câmara Municipal, a quem está cometida a organização e coordenação de serviços, através do Gabinete de Acção Social, tem como objectivos: “promover a melhoria

das condições de vida através da atribuição de bens; potenciar o envolvimento da sociedade civil, empresas e de todos os cidadãos na recolha dos bens; e contribuir para a melhoria das condições de vida do tecido populacional em situação de maior vulnerabilidade”. Os beneficiários, devidamente sinalizados e identifica-

dos pelas entidades competentes, podem deslocar-se à Loja Social “Mangualde Social Mais” uma vez por mês (salvo em situações de emergência devidamente justificadas por um Técnico Superior de Serviço Social) mediante a entrega de uma ficha de sinalização, criada pelo Gabinete de Acção Social da Autarquia. Poderão usufruir

mensalmente, no máximo de dois artigos do mesmo tipo, até um limite máximo de cinco a sete peças, independentemente da natureza das mesmas. A Loja Social «Mangualde Social Mais» está a funcionar de segunda a sexta-feira, das 10h00 às 12h00 e às terças e quintasfei-ras também das 14h00 às 17h00.


CULTURA

16/Via Rápida

13/09/2012

ANTIGOS ALUNOS DO COLÉGIO VIA- SACRA REVIVERAM MEMÓRIAS E FORTALECERAM RELAÇÕES Antigos alunos do Colégio Via-Sacra, em Viseu, celebraram no passado dia 8 deste mês de Setembro, o 30.º encontro anual, com o mesmo objectivo de sempre: estreitar as relações e fortalecer o espírito, que se viveu, e vive nesta “casa” fundada em 1908 pelo Cónego António Barreiros. Esta instituição de ensino, que se tornou, ao longo de mais um século da sua existência, um marco incontornável na educação da cidade de Viseu pela sua excelência, voltou a receber os seus antigos alunos que, desta forma, fortaleceram o espírito do Colégio, reencontraram amigos de sempre, viveram e reviveram momentos bem passados que os marcaram, de maneira indelével, para toda a vida.

PROGRAMA OFICIAL DA FEIRA DE S. MATEUS’ 2012 (DE 14 A 23 DE SETEMBRO) 14 de Setembro: (Encontro das Cidades) 18h00 – Festa do Brincar (tenda multiusos) 21h00 – Desfile de Moda (tenda multiusos) 22h00 – Sabor a Salsa (palco 1) 00h00 – Karaoke (palco 2) 15 de Setembro: 14h00 – Festa do Brincar (tenda multiusos) 15h30 – Espaço Criança (tenda multiusos) 18h00 – Cinema: «Rango» (tenda multiusos) 20H30 – Espectáculo itinerante «Visitas bem passadas» (tenda multiusos) 22h00 – Amor Electro (palco 1) 00h00 – DJ B Face (palco 2) 16 de Setembro: 10h00 – Festa do Brincar (tenda multiusos) 10h00 – Gincana de insufláveis e mascotes (relvado) 11h00 – Concurso lançamento aviões de papel 15h00 – Pauliteiritos de Abraveses (palco 2) 16h00 – Zumba Tomic (tenda multiusos) 17h00 – Ju Jitsu Kids (tenda multiusos) 22h00 – André Sardet (palco 1) 00h00 – DJ Peter Sky (palco 2) 17 de Setembro: 22h00 - Tuna Regional de

13/09/2012 “Toma lá que já almoçastes”. Este é o título oportuno que quero dar a esta crónica. Quando há mais de dois anos o P.S.D. tanto criticava o g overno de então, não deixou de assacar todos os males que percorriam o mundo, a Europa e nomeadamente Portugal, à incapacidade de José Sócrates e do P.S.. Mas, diga-se em abono da verdade, que os social-democratas apresentavam na altura, soluções para a crise, soluções essas, que pareciam facílimas de tomar, e que salvariam o país da situação difícil que atravessava. Com tantas soluções na manga e com promessas milagrosas, os portugueses não regatearam o seu apoio e elegeram os seus pseudo-salvadores. Depois foi o que se viu. As ditas medidas urgentes e milagreiras que tanto propunham, ficaram na gaveta, e em contrapartida, aquilo que negavam a pés juntos que não fariam-mais austeridade e mais impostos- foi afinal o que de imediato e de forma violenta e imoral puseram em prática. Os portugueses ficaram atordoados e encolheram os ombros, pois foi-se criando a ideia que não havia alternativa, e que o atual governo outra coisa não poderia fazer, senão gerir com determinação o buraco herdado do governo P.S.. Esta ideia foi incutida no espírito de todos nós, e por isso, o esforço hercúleo que tem sido imposto, foi com muita resignação considerado inevitável. Todos, ainda que protestando e não apoiando as duas cores partidárias que nos governavam, íamos ficando à espera que os tempos melhorassem, só que, com o correr

OPINIÃO

Por: José Reis

TOMA LÁ QUE JÁ ALMOÇASTE do tempo, percebemos que tínhamos caído num embuste, num logro, num engano Os ricos continuaram a ser poupados ao esforço nacional, enquanto os trabalhadores arcaram com todos os sacrifícíos que este executivo encontrou para os empobrecer ainda mais. Apesar de ter parado todas as obras públicas que criavam postos de trabalho e riqueza nacional, apesar de ter diminuído o número de servidores do Estado em muitos milhares de lugares, apesar da Ministra da Agricultura ter mandado desligar o ar condicionado, e os ministros terem passado a viajar em classe familiar, a despesa pública não foi diminuída, e os os objectivos tão anunciados para Portugal ficaram todos aquém do desejado. A política de austeridade em cima de austeridade falhou rotundamente, como aliás não era difícil de prever. Os portugueses estão desesperados

9/Via Rápida Agora aí está mais uma machadada na cabeça dos indefesos reformados e pensionistas, funcionários públicos e trabalhadores privados. Quando toda a gente proclamava que era impossível mais medidas repressivas, elas aí estão, sem dó nem piedade. Ignorando os argumentos do Tribunal Constitucional, o pacote agora proposto, continua a tratar os portugueses de forma diferente. Ainda que se tivessem de fazer mais sacrifícios, esses sacrifícios teriam moralmente que ser iguais para todos, o que não acontece, e o governo sabe-o bem. Creio eu, que esta situação iníqua merecerá novo chumbo do Tribunal Constitucional, o que não trará nenhuma surpresa a quem governa. Sabem também os responsáveis políticos, que terão nesse chumbo constitucional o alibi que procuram. O falhanço em toda a linha destas políticas desastrosas, terá já uma desculpa programada. - O S.T.C. os partidos da oposição vão ser os grandes e únicos culpados, pois não permitiram que o Governo governasse.Mas este pacote de malvadezas não repugna só pelo que os trabalhadores e reformados vão sofrer. Ele repugna muito mais pela diminuição de contribuições que os patrões vão pagar à Segurança Social. O argumento de que com essa medida se criarão mais postos de trabalho, é de uma falsidade e de uma hipocrisia a toda a prova. Tudo isto, sem se perceber em que é que os ricos serão chamados a contribuir A procissão ainda vai no adro, e por isso, temos que esperar pela próxima paulada.

O TODO PODEROSO PODER AUTÁRQUICO

Por: Carlos Bergeron

Orgens (palco 1) 23h00 – Grupo de Cantares de Farminhão (palco 2) 18 de Setembro (Dia da APCV) 22h00 – António Albernaz (palco 1) 22h30 – Miska Rafs com DJ Logic (palco 2) 00h00 – DJ Mouse (palco 2) 19 de Setembro: 22h00 – Tunadão 1998 – Tuna do Instituto Politécnico de Viseu (palco 1) 23h00 – Pe7er Panic – novo talento FNAC (palco 2) 00h00 – Tim Holehouse – novo talento FNAC (palco 2)

20 de Setembro: 22h00 – Cantorias (palco 1) 23h00 – Quintas do Rock: «Two Wave Music Project» (palco 2) 21 de Setembro (Dia do Município) 10h00 – Missa e procissão (Igreja Nª Sª da Conceição) 11h30 – Sessão solene (Salão Nobre Paços Concelho) 13h00 – Almoço do pessoa da CMV e SMV 21h00 – Concurso Mini Miss São Mateus (palco 2) 21h30 – XII Encontro Coros S. Mateus (Seminário Maior) 22h30 – Banda «Soma e Segue» (palco 1)

00h00 – Karaoke (palco 2) 22 de Setembro: 18h00 – Cinema: «O Garoto de Charlot» (tenda multiusos) 20h30 – Espectáculo itinerante « Vi s i t a s b e m p a s s a d a s » (recinto) 22h00 – Fingertips (palco 1) 00h00 – DJ Kelita (palco 2) 23 de Setembro: 14h00 – Espaço criança (tenda multiusos) 16h00 – Festival de Folclore (palco 2) 22h00 – The Lucky Duckies (palco 1) 00h00 – DJ Peter Sky (palco 2)

Desta vez, o quero, posso e mando do presidente da autarquia de Viseu, ultrapassou, em muito, o que é minimamente tolerável. Sem respeito pelo direito ao descanso do comum mortal que ainda trabalha, dos doentes que recuperam num estabelecimento hospitalar, ou de idosos acolhidos num lar para a terceira idade, sem falar de uma franja muito considerável de moradores que elegeram Viseu para residirem com as suas famílias, toca de autorizar que um concerto de rock solidário, a uma quinta-feira à noite, se prolongasse até às duas horas, em véspera de um dia de trabalho, e a concentração anual de motards, sexta-feira e sábado, este a ultrapassar as 5 horas da madrugada, que não deixaram dormir nem descansar, meia cidade, tal os elevados décibeis saídos da mata do Fontêlo, que chegaram até aos ouvidos de muitos vildemoinhenses, e deixaram atordoados os que não conseguiram pregar olho nesses três dias.

Enquanto viseense, solidário e humanista, que respeita toda a gente, senti a obrigação de interpelar, telefonicamente, o Comando da PSP, onde me foi dito já terem recebido muitas chamadas sobre o barulho na cidade, mas que nada podiam fazer, por haver uma autorização da Câmara para a realização do concerto e para o evento dos motards nos dias seguintes. Não é a primeira vez que abordo este assunto da forma que volto a repetir agora. Nada tenho contra este tipo de acontecimentos, desde que sejam respeitados os direitos fundamentais das pessoas, como o direito ao sossego e o bem estar de todos, neste caso, o da maioria dos viseenses, e que, em alternativa, já deveria ter sido encontrado outro local para este tipo de eventos como, por exemplo, o campo de aviação ou o monte do Crasto. Agora, dentro do perímetro urbano da cidade, nunca! Do que se passou na quinta-feira à noite, mas sobretudo dos excessivos e impróprios barulhos de sexta-feira e sábado, noite adentro, apenas direi que em nada abonam Viseu, e nega tudo o que se diz da cidade, como sendo o melhor lugar para se viver em Portugal. Quem fez e faz uma apreciação destas, garantidamente que não reside em Viseu, e vem a estas bandas, uma ou duas vezes, nos 365 dias do ano, para visitar uma cidade linda. O dr. Fernando Ruas, em final de mandato, pode continuar a autorizar o que

bem entender, porque continua na carruagem dos políticos do quero, posso e mando, sem respeito por aqueles que o elegeram e o ajudaram na sua caminhada autárquica. E estes foram e são os viseenses. Duas considerações finais, reveladoras do que não é tolerável, isto é o excesso de barulho, e o bom senso autárquico, ambas dadas à estampa, pelo Correio da Manhã. A primeira, sob o título «Pôs música muito alto – o som tramou-o», dizia, «um engenheiro informático venezualeno, de 31 anos, que foi condenado a 130 horas de trabalho comunitário, por perturbar a tranquilidade pública, por ter a música no carro demasiado alto». (C.M. 1/9/2012). A segunda, esta bem portuguesa, divulgava o «Festival Adentro Invade Zona Histórica de Faro», onde se podia ler: «Os ritmos do mundo estão de volta e prometem animar a cidade de Faro. O Largo Afonso III será palco de grandes nomes artísticos e revelações da música do Mundo, já na próxima sexta-feira e sábado. A programação inclui várias actividades que decorrem das 18H00 às 02H00 da manhã». (C.M. 5/9/2012). Palavras para quê? Assim devia ser sempre, mas em Viseu continua a não ser assim, mesmo com eventos de gosto duvidoso e sem qualquer retorno para a cidade. Será uma questão de feitios? Se assim for, apenas direi que revelam mau gosto e elevada prepotência.


13/09/2012

SITUAÇÃO ECONÓMICA BOAS E MÁS NOTÍCIAS

Os mercados económicos e financeiros não têm tido um comportamento nada benéfico para os investidores mais sensíveis às perdas e aos ganhos, para o que muito contribui a queda acentuada de muitas europeias sendo a queda do ouro um dos fatores que mais arrasta a crise para o endividamento dos povos e das nações, havendo quem chame a isto uma situação eternamente remendada e que muito será solucionada. Infelizmente, como diz o provérbio, um mal nuca vem só, temos, com efeito, que economia mundial tem vindo a devastar o sentimento da generalidade os investidores, e embora a nossa vizinha Espanha, os problemas, ao contrário do que chegou a p r e v e r- s e j á n ã o s e j a m d e t o d o surpreendentes, já dos outros pontos do globo, pelas notícias que vão sendo difundidas, não são nada animadoras ou são mesmo preocupantes. Os próprios Estados Unidos, que como era voz corrente sempre tiveram uma política económica ativa na sua Reserva Federal, começa agora a revelar-se insuficiente. Embora a sua economia esteja numa situação bem mais confortável que na

Europa, já a criação de emprego começa a dar sinais claros de abrandamento, e sendo assim, com o emprego a diminuir sabe-se que o consumo decresce, e sendo assim a economia naquele país, sempre considerado sem problemas neste sector, pode também cair rapidamente numa situação de algum marasmo algo que não era previsível acontecer ali. Mas as coisas não se ficam por aqui e nem admira que isso aonteça. Com efeito, a tábua de salvação fornecida pelos países emergentes- Índia e Rússia – aquando da última crise financeira, apresentavam muitas brechas e ainda hoje continuam a ser vítimas de algum imobilismo político que lhes trava as necessárias reformas, e isso está a fazer-se sentir sobretudo no Brasil, porque estratégia de estímulo na procura interna está a perder impacto, sobrando o gigante chinês todavia ainda com algum grau de incertezas. Assim sendo reside aqui uma dor de cabeça para os grandes e médios investidores, porquanto a China está a tentar remodelar o modelo interno de crescimento no sentido de diminuir o peso das exportações para assim impulsionar a procura interna, só que isto e uma mudança que lhe pode trazer sérios riscos e cujos resultados, naturalmente ainda uma incógnita, mesmo que tudo corra bem, só se farão sentir a médio ou longo prazo. Apesar de tudo não se augura nenhum naufrágio global, uma vez que a Europa, os Estados Unidos e a maioria dos países com situações económicas emergentes, prevê-se que tenham soluções para os seus prolemas e que ainda possam ajudar os outros, só que, para os problemas de curto prazo, não há milagres que resolvam situações de emergência. O apoio, por exemplo, que se prevê venha a ser concedido para

recapitalização dos bancos em Espanha, afigura-se uma medida positiva, mas que não vem resolver a crise do euro. Nos investimentos, são os próprios economistas a dizê-lo, todos os países, mesmo com economias geralmente estáveis, devem manter a cabeça fria e evitar decisões precipitadas. Devem ser prudentes, diversificar os investimentos, e dedicar parte das suas poupanças em activos fora da zona euro no sentido de evitar que na sua área de influência surjam situações similares a algumas que se verificaram no advento da presente crise. Até aqui ocupámo-nos a falar de boas e más notícias à escala planetária, parecendo até que nos esquecemos de falar dos problemas do nosso pais. Só que o assunto em questão, como todos vimos, dizia respeito a coisas que não cabiam na área restrita da governação em concreto de cada país, para se situar numa área mais global e menos restrita, não cabendo portanto aqui referir-nos a problemas do nosso quotidiano, que todos abemos serem muitos, graves e complexos. Mas anda sobrou um bocadinho para falar da “revista da imprensa diária”, um problema que durante bastantes anos me disse especialmente espeito, e por isso não vou terminar este texto sem dar conta de uma notícia que me chocou, porque também ela se inseria nas minhas funções. Refiro-me a uma notícia que vi num jornal diário de grande tiragem, segundo a qual em Lisboa, nos locais públicos da cidade, se procede com todo à vontade à venda livre de estupefacientes e que também alguns guardas prisionais se encarregam de transportar este produto em meios sofisticados para interior das prisões. Tenho pena de terminar desta maneira.

ÀS ARMAS, PELA PÁTRIA LUTAR

Simplesmente bestial. O Banco Central Europeu (BCE) acordou finalmente para uma realidade tão clara e tão evidente, que soa a falso e a hipocrisia. Enquanto se tratou da situação difícil de pequenos países Irlanda, Grécia e Portugal, a política do B.C.E. foi uma, quando o problema tocou a Espanha e Itália então foram logo encontradas soluções alternativas que se diziam impraticáveis. Agora, nada obstará, a que aquele Organismo, em articulação com dois fundos europeus (FEEF e MEE) vá comprar a dívida

soberana dos países em dificuldades financeiras. Ainda que nunca tenham pensado em Portugal, o certo é que ao nosso Governo terá saído o toto- milhões. Depois de termos sabido da derrapagem que o país sofreu nos dois últimos trimestres e de todos os dados negativos que nos asfixiam, nada melhor do que esta prenda inesperada. Com este balão de oxigénio podemos continuar a fazer asneiras sobre asneiras. Quem nos explicará o que se está a passar com este país que cumpre e ultrapassa até pela negativa as exigências da troika, em que os cidadãos cumprem calados com tudo que lhes é exigido, e em que afinal todos continuam aceleradamente a ir para o poço sem fundo. O que falhou? Os sacrifícios que foram pedidos não faltaram e por isso só podemos concluir que as politicas económicas de desenvolvimento foram um autêntico fracasso. Passos Coelho tinha que as implementar pois eram essas mesmas teses de desenvolvimento que os seus apoiantes e apaniguados defendiam quando

diabolizavam o anterior governos de José Sócrates. O resultado está a vista de todos ,e nem assim se vê da parte dos responsáveis um pingo de vergonha para admitirem esse fracasso. Mas como diz o velho ditado português “Á criança e ao borracho põe Deus a mão por baixo”. Não é o caso concreto, mas por analogia podemos deduzir o mesmo. Quando já se estrebuchava por tudo que era sitio, este programa agora anunciado da compra da dívida pública dos países em dificuldades por parte do BCE, põe este Governo incompetente a suspirar de alivio. Contudo, há sempre uma mas, há um reverso da medalha. Ninguém dá nada a ninguém, nomeadamente se se é pobre. Em troca o BCE exige impor condições aos países. Como Passos Coelho está, e quer estar sempre para além da troika, aí pareceu ele a anunciar mais impostos e mais sacrifícios, antes mesmo que algum credor os impusesse Estamos todos de boca aberta, agora só resta fechá-la, ou então seguir a letra do hino nacional: “Às armas, às armas, pela Pátria Lutar”

13/09/2012

SOCIEDADE

PRÉMIO EÇA DE QUEIROZ DISTINGUE MELHORES ALUNOS DE PORTUGUÊS EM RESENDE

Em cerimónia realizada no Centro Cultural de S. Cipriano, 17 alunos do concelho de Resende, que se destacaram na disciplina de Português, foram distinguidos com o prémio «Eça de Queiroz», recebendo, nesta primeira edição, um certificado

evocativo e um prémio monetário de 150 euros. António Borges, presidente da Câmara Municipal de Resende, que presidiu à cerimónia, sublinhou que “o prémio Eça de Queirós é o reconhecimento daquilo que é a excelência na

escola: a importância da língua portuguesa numa terra como a nossa, rica do ponto de vista literário e que tem aqui em S. Cipriano uma das mais fortes mensagens da literatura portuguesa, pois estamos nas terras literárias de Eça de Queirós que

retratou como ninguém Resende, as suas gentes e as suas paisagens”. Recorde-se que o projecto de regulamento de atribuição do “Prémio Eça de Queirós” foi aprovado pelo executivo Camarário em reunião de 6 de Fevereiro de 2012 e pela Assembleia Municipal de Resende na sessão ordinária de 28 do mesmo mês. O Prémio destina-se a todos os alunos matriculados em estabelecimentos de ensino no concelho de Resende, que frequentam o 2.º, o 3.º ciclo ou o Ensino Secundário. O prémio é atribuído ao melhor aluno na disciplina de Língua Portuguesa, de cada ano que integre os graus de ensino já referidos, em cada estabelecimento escolar. Pretende ainda distinguir os melhores alunos, promover o mérito e valorizar o esforço e o desempenho individual, incentivando-os a aperfeiçoar a aprendizagem da língua portuguesa.

PROFISSIONAL MARIANA SEIXAS ARREBATA MAIS CINCO PRÉMIOS EM CONCURSO NACIONAL A Escola Profissional Mariana Seixas (EPMS) foi uma vez mais premiada no Concurso Nacional Grande C- Concurso de Criatividade tendo sido vencedora na categoria Design subcategoria de Capa de CD/Disco, numa obra intitulada “Energy of Eyes”, do aluno Lukas Roberto Borba Silva. Este concurso tem como objectivos promover a criatividade e a sensibilização dos alunos do 3º Ciclo e Ensino Secundário para os Direitos de Autor e Direitos Conexos e é organizado pela Associação para a Gestão da Cópia Privada, em parceria com sociedades representantes de autores, artistas, produtores, editores e conta com o apoio institucional do Ministério da Educação, do Ministério da Cultura e da Comissão Europeia. A aluna Bruna Sampaio recebeu uma Menção Honrosa com a obra “Uma luz ao fundo

do túnel na Categoria de Capa de DVD, o aluno Miro Pinheiro foi também premiado na subcategoria Capa de Jogo, com o trabalho “Nobody”, na categoria de Capa de Revista o aluno Lincoln Gomes foi galardoado

com uma Menção Honrosa e a aluna Ana Gracinda da Silva na Categoria Capa de Livro arrebatou outra Menção Honrosa. “Estes alunos do curso de Multimédia são o reflexo do trabalho, empenho e dedicação

de toda a Comunidade Escolar e a Escola Profissional Mariana Seixas vê assim, uma vez mais, reconhecido o seu trabalho no âmbito das novas tecnologias e em particular na área de Multimédia”, sublinha a direcção.


14/Via Rápida

ECONOMIA

13/09/2012

13/09/2012

EDUCAÇÃO

11/Via Rápida

POLITÉCNICO DE VISEU: GANHOS E PERDAS DE ALUNOS SÓ DEPOIS DA SEGUNDA FASE DE CANDIDATURAS

«DOCES LEITURAS» PROMOVEM O LIVRO E AS PASTELARIAS DE MANGUALDE - SETEMBRO É DEDICADO AO «PATRONATO» Com o objectivo de divulgar livros, incentivar e leitura e, ao mesmo tempo, promover as pastelarias de Mangualde, a Câmara Municipal, através da Biblioteca, tem já no terreno a iniciativa «Doces Leituras». Um projecto que destaca, todos os meses, um dos estabelecimentos envolvidos, onde serão divulgados e expostos livros de um autor. Setembro é dedicado à Pastelaria do Complexo Paroquial de Mangualde, também conhecido como «Patronato» Fundado em finais da década de trinta do século passado, para então fazer face às necessidades da paróquia no apoio social, o «Patronato» surge em Mangualde pela mão do saudoso Monsenhor Ferreira Monteiro. A ideia foi fundar uma casa que acolhesse, durante o dia, os filhos das empregadas enquanto estas trabalhavam. A pastelaria aparece para apoiar financeiramente, não só esta obra, mas também os mais carenciados. É assim que a D. Maria Amélia Ortiz Ribeiro intervém, dirigindo a cozinha e a confecção de bolos.

Foi ela que trouxe as receitas da doçaria conventual: o bolo regional, o bolo de azeita, os caramujos, os papos de anjo e as saborosas lampreias de ovos. É também das mãos de Amélia Ortiz Ribeiro que aparecem o famoso pastel de feijão (tem o formato do clássico pastel de nata mas um pouco mais pequeno, a sua massa mais espessa e recheio diferente). Mais tarde são as “Meninas do Patronato” que se desdobram para conseguir o sustento da obra. Hoje a Pastelaria tem fama a nível regional e nacional, mantendo-se nos moldes tradicionais, mas com outra orgânica. Para além da produção de doces e bolos, também se confeccionam outras iguarias mais modernas. Bastante procurados são também os bolos de aniversário, o bolo-rei, as cavacas, as filhoses, as bolas de carne e as tão apreciadas empadas. No entanto o doce mais famoso do “Patronato” é, indubitavelmente, o pastel de feijão.

SANTANDER TOTTA «LIGA-SE» A NOVA IMOBILIÁRIA EM VISEU

Por: Jos�� Lorena A mediadora imobiliária Cidália Marques acaba de abrir um espaço de vendas em Viseu aliado ao banco Santander Totta. Trata-se da primeira parceria que o banco tem na cidade e também uma inovação no ramo imobiliário. O tempo de crise por que passa o país não atemorizou Cidália Marques, mediadora há largos anos em Viseu, na abertura de mais uma loja ligada ao ramo. O novo serviço situa-se na zona urbana junto ao tribunal de Viseu. A parceria que o Santander Totta estabeleceu com a mediadora Cidália Marques é a 18ª iniciativa do género no distrito

Fernando Sebastião, presidente do Instituto Superior Politécnico de Viseu A primeira fase de candidaturas no Instituto Politécnico de Viseu (IPV) deixou 563 vagas por preencher. Este número de vagas atingiu todas as unidades orgânicas da instituição, com particular incidência na Escola Superior Agrária, onde quatro dos seis cursos em funcionamento não registaram qualquer matrícula. A excepção, pela positiva, é a Superior de Saúde, onde os dois cursos de enfermagem (um deles a funcionar a partir do segundo semestre do presente ano lectivo) ficaram com a centena de vagas totalmente preenchida. A segunda fase, já em curso, é a grande esperança, acreditando a instituição que no final as contas sobre ganhos e perdas de

estudantes poderão ser bem diferentes. Fernando Sebastião, presidente da IPV, desdramatiza o aparente mau prenúncio que se desenha para os cursos desertos de interessados, nomeadamente nas áreas tecnológicas (os que, curiosamente, registaram quebras significativas de candidaturas), embora lamente o que está a acontecer. Para o dirigente, e não obstante outras razões relacionadas também com a conjuntura económica que o país atravessa, há situações específicas que ditaram a ausência de candidaturas. “As engenharias, sempre apetecíveis, foram confrontadas este ano, à excepção de Informáticas com cadeiras espe-

cíficas obrigatórias como a Matemática e a Física. Duas áreas que tradicionalmente afastam os alunos”, justifica Fernando Sebastião. Mesmo assim, acrescenta, “os resultados obtidos na 1.ª fase são praticamente em tudo semelhantes aos do ano passado. Apenas houve uma redução efectiva de 29 anos, o que não chega a representar três décimas em relação à 1.ª fase de candidaturas no ano lectivo 2011/12”. Apesar da argumentação que possa utilizar-se para justificar a ausência de candidaturas a cursos de base tecnológica, Fernando Sebastião reconhece o “contra-senso”. “Toda a gente fala, e os estudos e a realidade assim o têm confirmado, que as

tecnologias são as áreas de ensino/aprendizagem que mais garantias oferecem de entrada no mercado de trabalho. Por isso torna-se difícil de compreender o afastamento dos estudantes destes cursos”. O presidente do IPV reconhece o momento difícil que está a atingir todo o ensino superior, decorrente de uma crescente redução do número de candidatos, mas, no que respeita ao Politécnico de Viseu, mostrase optimista. “Somos ainda o quinto Politécnico com mais alunos a nível nacional. Por isso, aguardamos confiantes no desfecho da segunda fase de candidaturas. Só então, faremos as contas”.

BESTCENTER E ASSOCIAÇÃO DE ESTUDANTES DA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE VISEU ASSINAM PROTOCOLO

de Viseu. De acordo com os promotores, e com o presidente da Câmara de Viseu, Fernando Ruas, que esteve na inauguração da nova loja, trata-se do retomar

da antiga tradição dos agentes de serviços financeiros que outrora povoaram quase todo o país. Para Cidália Marques e Carla Rodrigues, gerente do

Santander Totta, a nova loja permite ao cliente estar mais perto do que necessita, tanto em serviços do banco, como na oferta da nova imobiliária.

A Bestcenter acaba de estabelecer mais uma parceria, desta feita com a Associação de Estudantes da Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Viseu. Até 2014 a Bestcenter garante descontos de 20% nos seus cursos de Pós-Graduação e Curta Duração, bem como formação gratuita em algumas áreas aos alunos e recém

licenciados da Escola Superior de Tecnologia e Gestão. “O objectivo é dar as mãos a um público com necessidade de aprofundar competências em áreas menos trabalhadas durante as licenciaturas, como são o caso das Línguas, informática, marketing e qualidade”, sublinha a Bestcenter. Além do desenvolvimento

dos cursos de formação, a parceria abrange ainda a promoção de outras iniciativas em conjunto como workshops e seminários. A Associação de Estudantes justifica esta parceria com os objectivos da própria associação: “enquadrar e apoiar todos os seus estudantes associados, com o objectivo de contribuir para o desenvolvimento de

competências dos estudantes do ensino superior e sócios da instituição”. O pontapé de saída da parceria já foi dado com a integração de alunos inscritos na Associação no Simulador de Entrevista para o Mercado de Trabalho, promovido pela Bestcenter este mês de Setembro.


ECONOMIA

12/Via Rápida

13/09/2012

13/09/2012

ECONOMIA

13/Via Rápida PUBLICIDADE

GARAGEM LOPES ASSOCIA-SE AO LANÇAMENTO DE NOVOS PRODUTOS FORD A Garagem Lopes associouse (e assinalou), nas suas instalações em Viseu, ao lançamento de novos produtos Ford para a Europa, que “aceleram” a marca para um crescimento rentável com novos carros, SUV´s e veículos comerciais. Para Carlos Neto, director comercial da concessão de Viseu, a aposta passa pelo desenvolvimento “de uma nova e global visão estratégica da marca ao longo dos próximos anos, reforçando a sua representatividade na Europa”.

Com as principais novidades e alterações centradas na tecnologia, a “grande orientação” cometida aos novos produtos, cujo lançamento será agora em simultâneo a nível mundial, é “adaptá-los, de forma evolutiva, às cada vez mais exigentes solicitações e condições das pessoas, nomeadamente na disponibilização de carros mais económicos. “É a primeira marca na Europa a apresentar este novo conceito de globalização”, sublinha Carlos Neto, relativamente aos

novos produtos, entre os quais pontifica o motor 1.0 Ecoboost, que passará a equipar os veículos, desde o Fiesta ao Mondeo. No dia em que a Garagem Lopes assinalou a apresentação da nova estratégia da marca, o presidente da Ford e CEO, Alan Mulally, comunicava, em Ames-

terdão, depois de confirmar que vários veículos adicionais de seu portfólio global virá para a Europa a curto prazo, incluindo o lendário ícone americano, o Ford Mustang, que "mesmo com o ambiente de negócio de curto prazo, a Europa apresenta uma oportunidade significativa de crescimento rentável".

FEIRA INDUSTRIAL DE COMERCIAL DE TONDELA COM “O MELHOR E MAIS VARIADO PROGRAMA DE SEMPRE”:

FICTON DESAFIA A CRISE

20 MARCAS E LOJAS MOSTRARAM-SE NO «MANGUALDEfashion 2012»

Duas dezenas de marcas, apresentadas por outras tantas lojas do concelho de Mangualde, desde vestuário e acessórios, ourivesarias e relojoarias, sapatarias, cabeleireiros, maquilhadoras, fotógrafos e óticas, desfilaram no «MANGUALDEfaschion 2012», organizado pela Câmara Municipal, com o apoio da Associação Empresarial . Este primeiro desfile de moda foi um êxito e alcançou amplamente os objectivos da autarquia mangualdense: “dinamizou e promoveu as marcas e as lojas de Mangualde”. Participaram 35 modelos jovens, dos 15 aos 25 anos, e 60 crianças modelos. O desfile contou ainda com um apontamento musical, a cargo da banda «Friday Zeve».

Carlos Neto, director comercial, e Octávio Soares, administrador da Garagem Lopes

“Reduzir” os custos com os artistas convidados para os espectáculos, e “investir mais” na modernização das infraestruturas de um certame que, ano após ano, ganha cada vez maior projecção a nível nacional, é a justificação avançada por Carlos Marta, presidente da Câmara Municipal de Tondela, para o “esforço financeiro de 200 mil euros” (mais 50 mil que em 2011) que a autarquia afectou à realização da FICTON 2012 Feira Industrial e Comercial do Concelho de Tondela, hoje inaugurada, e a prolongar-se até ao próximo domingo. “Animar e economia, e dar um sinal claro do desenvolvimento do concelho”, são os objectivos. A contenção nas despesas com a animação da FICTON 2012, não significa, segundo Carlos Marta, uma diminuição da qualidade dos espectáculos programados. Antes pelo contrário. “Este será o melhor e mais variado programa de sempre, numa altura em que o concelho vive, a todos os níveis, um momento importante em termos de animação e desenvolvimento”, garante o autarca, que recusa, em nome do executivo a que preside, baixar os braços ou desistir de um trabalho que tem vindo a afirmar Tondela como “um exemplo para a região e para o país”. A acompanhar a modernização e adaptação das infraestruturas às mais variadas solicitações e respostas para visitantes e expositores, em termos de logística e funcionalidade (mais

tendas, melhor iluminação e mais serviços), a FICTON 2012 reforça também a promoção, nos 300 metros quadrados do espaço «Ao´Sabor», do que de melhor se produz e faz no concelho de Tondela. Nomeadamente a Feira de Produtos locais, com a presença de chefs de cozinha e dinamização de workshops, Festa do Frango – um dos sectores mais importantes na economia da região -, Festa das Freguesias, e Feira de Artesanato. A que se junta ainda mais uma edição da Expo-Ave, organizada pelo Clube Ornitológico de Tondela. Relativamente à Festa do Frango, o vereador e vice-presidente da Autarquia, José António de Jesus, avança com uma novidade: a oferta, do dia 16 (domingo), de frango de churrasco a todos os visitantes. Em termos de animação, o programa musical privilegia não apenas a presença em palco de artistas nacionais de renome (José Malhoa, Carminho, Buraka Som Sistema e Azeitonas, nos dias 13, 14, 15 e 16, respectivamente), mas também, e sobretudo, de projectos regionais como Celso Coelho, Alma do Fado, Sepúlveda, Hungerdogs e Newsketch, entre outros. Participam ainda na animação das diversas actividades da FICTON, os ex-finalistas do concurso Tom de Música, a Fanfarra Mimo´s Dixie Band e grupos de Cavaquinhos de Nandufe e Vilar de Besteiros. Com o maior número de expositores de sempre (88 stands

ligados à industria, comércio e serviços) a FICTON 2012 dedica ainda 44 stands ao artesanato local e regional e uma tenda com 300 metros quadrados às freguesias, onde funcionará uma cozinha e degustação de especialidades gastronómicas, com sessões orientadas por conceituados chefs, entre eles Luís Diogo Lavrador. Espaço ainda para exposição de empresas do sector automóvel. No campo social e desportivo, o grande destaque vai para as iniciativas e cerimónias comemorativas do Feriado Municipal em Tondela, no domingo, 16 de Setembro. A começar pelo VI Passeio de Cicloturismo «Freguesias no Pedal»; IV etapa da Liga de Paintball do Norte; Cortejo de Santa Eufémia; Missa Solene na Igreja Matriz; inauguração da ampliação e requalificação do edifício dos Paços do Concelho; homenagens aos ex-presidentes de Câmara na sessão solene no Salão Nobre da Autarquia; até à atribuição da Medalha de Mérito Municipal a Aníbal Coimbra, um atleta que deixou Tondela aos 17 anos para se radicar e brilhar no Luxemburgo, país pelo qual conquistou a medalha de ouro no Mundial de Powerlifting disputado na cidade de Pilsen, República Checa. A habitual sessão de entrega de prémios aos melhores alunos das Escolas do 2.º e 3.º Ciclo, Secundárias e Profissional de Tondela, está marcada para as 18 horas de sábado, no auditório 1 do Novo Ciclo / Teatro Acert.

«VALORIZAÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DOS PRODUTOS ALIMENTARES LOCAIS» No âmbito do projecto «Portugal Rural» e integrada na FICTON 2012 (Feira Industrial e Comercial de Tondela), a ADICES - Associação de Desenvolvimento Local promove amanhã (dia 14), no espaço Conferências, a partir das 18,30 horas, um workshop subordinado ao tema a “Valorização e Comercialização dos Produtos Alimentares Locais”. Pelas 22H00 decorrerá uma sessão de Show-Cooking de Produtos Locais no Espaço Ao'Sabor. Direcionado a agricultores, produtores, artesãos e outros interessados nesta temática, este evento pretende contribuir para a valorização dos produtos locais do território, facilitando a criação de circuitos curtos alimentares.


ECONOMIA

12/Via Rápida

13/09/2012

13/09/2012

ECONOMIA

13/Via Rápida PUBLICIDADE

GARAGEM LOPES ASSOCIA-SE AO LANÇAMENTO DE NOVOS PRODUTOS FORD A Garagem Lopes associouse (e assinalou), nas suas instalações em Viseu, ao lançamento de novos produtos Ford para a Europa, que “aceleram” a marca para um crescimento rentável com novos carros, SUV´s e veículos comerciais. Para Carlos Neto, director comercial da concessão de Viseu, a aposta passa pelo desenvolvimento “de uma nova e global visão estratégica da marca ao longo dos próximos anos, reforçando a sua representatividade na Europa”.

Com as principais novidades e alterações centradas na tecnologia, a “grande orientação” cometida aos novos produtos, cujo lançamento será agora em simultâneo a nível mundial, é “adaptá-los, de forma evolutiva, às cada vez mais exigentes solicitações e condições das pessoas, nomeadamente na disponibilização de carros mais económicos. “É a primeira marca na Europa a apresentar este novo conceito de globalização”, sublinha Carlos Neto, relativamente aos

novos produtos, entre os quais pontifica o motor 1.0 Ecoboost, que passará a equipar os veículos, desde o Fiesta ao Mondeo. No dia em que a Garagem Lopes assinalou a apresentação da nova estratégia da marca, o presidente da Ford e CEO, Alan Mulally, comunicava, em Ames-

terdão, depois de confirmar que vários veículos adicionais de seu portfólio global virá para a Europa a curto prazo, incluindo o lendário ícone americano, o Ford Mustang, que "mesmo com o ambiente de negócio de curto prazo, a Europa apresenta uma oportunidade significativa de crescimento rentável".

FEIRA INDUSTRIAL DE COMERCIAL DE TONDELA COM “O MELHOR E MAIS VARIADO PROGRAMA DE SEMPRE”:

FICTON DESAFIA A CRISE

20 MARCAS E LOJAS MOSTRARAM-SE NO «MANGUALDEfashion 2012»

Duas dezenas de marcas, apresentadas por outras tantas lojas do concelho de Mangualde, desde vestuário e acessórios, ourivesarias e relojoarias, sapatarias, cabeleireiros, maquilhadoras, fotógrafos e óticas, desfilaram no «MANGUALDEfaschion 2012», organizado pela Câmara Municipal, com o apoio da Associação Empresarial . Este primeiro desfile de moda foi um êxito e alcançou amplamente os objectivos da autarquia mangualdense: “dinamizou e promoveu as marcas e as lojas de Mangualde”. Participaram 35 modelos jovens, dos 15 aos 25 anos, e 60 crianças modelos. O desfile contou ainda com um apontamento musical, a cargo da banda «Friday Zeve».

Carlos Neto, director comercial, e Octávio Soares, administrador da Garagem Lopes

“Reduzir” os custos com os artistas convidados para os espectáculos, e “investir mais” na modernização das infraestruturas de um certame que, ano após ano, ganha cada vez maior projecção a nível nacional, é a justificação avançada por Carlos Marta, presidente da Câmara Municipal de Tondela, para o “esforço financeiro de 200 mil euros” (mais 50 mil que em 2011) que a autarquia afectou à realização da FICTON 2012 Feira Industrial e Comercial do Concelho de Tondela, hoje inaugurada, e a prolongar-se até ao próximo domingo. “Animar e economia, e dar um sinal claro do desenvolvimento do concelho”, são os objectivos. A contenção nas despesas com a animação da FICTON 2012, não significa, segundo Carlos Marta, uma diminuição da qualidade dos espectáculos programados. Antes pelo contrário. “Este será o melhor e mais variado programa de sempre, numa altura em que o concelho vive, a todos os níveis, um momento importante em termos de animação e desenvolvimento”, garante o autarca, que recusa, em nome do executivo a que preside, baixar os braços ou desistir de um trabalho que tem vindo a afirmar Tondela como “um exemplo para a região e para o país”. A acompanhar a modernização e adaptação das infraestruturas às mais variadas solicitações e respostas para visitantes e expositores, em termos de logística e funcionalidade (mais

tendas, melhor iluminação e mais serviços), a FICTON 2012 reforça também a promoção, nos 300 metros quadrados do espaço «Ao´Sabor», do que de melhor se produz e faz no concelho de Tondela. Nomeadamente a Feira de Produtos locais, com a presença de chefs de cozinha e dinamização de workshops, Festa do Frango – um dos sectores mais importantes na economia da região -, Festa das Freguesias, e Feira de Artesanato. A que se junta ainda mais uma edição da Expo-Ave, organizada pelo Clube Ornitológico de Tondela. Relativamente à Festa do Frango, o vereador e vice-presidente da Autarquia, José António de Jesus, avança com uma novidade: a oferta, do dia 16 (domingo), de frango de churrasco a todos os visitantes. Em termos de animação, o programa musical privilegia não apenas a presença em palco de artistas nacionais de renome (José Malhoa, Carminho, Buraka Som Sistema e Azeitonas, nos dias 13, 14, 15 e 16, respectivamente), mas também, e sobretudo, de projectos regionais como Celso Coelho, Alma do Fado, Sepúlveda, Hungerdogs e Newsketch, entre outros. Participam ainda na animação das diversas actividades da FICTON, os ex-finalistas do concurso Tom de Música, a Fanfarra Mimo´s Dixie Band e grupos de Cavaquinhos de Nandufe e Vilar de Besteiros. Com o maior número de expositores de sempre (88 stands

ligados à industria, comércio e serviços) a FICTON 2012 dedica ainda 44 stands ao artesanato local e regional e uma tenda com 300 metros quadrados às freguesias, onde funcionará uma cozinha e degustação de especialidades gastronómicas, com sessões orientadas por conceituados chefs, entre eles Luís Diogo Lavrador. Espaço ainda para exposição de empresas do sector automóvel. No campo social e desportivo, o grande destaque vai para as iniciativas e cerimónias comemorativas do Feriado Municipal em Tondela, no domingo, 16 de Setembro. A começar pelo VI Passeio de Cicloturismo «Freguesias no Pedal»; IV etapa da Liga de Paintball do Norte; Cortejo de Santa Eufémia; Missa Solene na Igreja Matriz; inauguração da ampliação e requalificação do edifício dos Paços do Concelho; homenagens aos ex-presidentes de Câmara na sessão solene no Salão Nobre da Autarquia; até à atribuição da Medalha de Mérito Municipal a Aníbal Coimbra, um atleta que deixou Tondela aos 17 anos para se radicar e brilhar no Luxemburgo, país pelo qual conquistou a medalha de ouro no Mundial de Powerlifting disputado na cidade de Pilsen, República Checa. A habitual sessão de entrega de prémios aos melhores alunos das Escolas do 2.º e 3.º Ciclo, Secundárias e Profissional de Tondela, está marcada para as 18 horas de sábado, no auditório 1 do Novo Ciclo / Teatro Acert.

«VALORIZAÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DOS PRODUTOS ALIMENTARES LOCAIS» No âmbito do projecto «Portugal Rural» e integrada na FICTON 2012 (Feira Industrial e Comercial de Tondela), a ADICES - Associação de Desenvolvimento Local promove amanhã (dia 14), no espaço Conferências, a partir das 18,30 horas, um workshop subordinado ao tema a “Valorização e Comercialização dos Produtos Alimentares Locais”. Pelas 22H00 decorrerá uma sessão de Show-Cooking de Produtos Locais no Espaço Ao'Sabor. Direcionado a agricultores, produtores, artesãos e outros interessados nesta temática, este evento pretende contribuir para a valorização dos produtos locais do território, facilitando a criação de circuitos curtos alimentares.


14/Via Rápida

ECONOMIA

13/09/2012

13/09/2012

EDUCAÇÃO

11/Via Rápida

POLITÉCNICO DE VISEU: GANHOS E PERDAS DE ALUNOS SÓ DEPOIS DA SEGUNDA FASE DE CANDIDATURAS

«DOCES LEITURAS» PROMOVEM O LIVRO E AS PASTELARIAS DE MANGUALDE - SETEMBRO É DEDICADO AO «PATRONATO» Com o objectivo de divulgar livros, incentivar e leitura e, ao mesmo tempo, promover as pastelarias de Mangualde, a Câmara Municipal, através da Biblioteca, tem já no terreno a iniciativa «Doces Leituras». Um projecto que destaca, todos os meses, um dos estabelecimentos envolvidos, onde serão divulgados e expostos livros de um autor. Setembro é dedicado à Pastelaria do Complexo Paroquial de Mangualde, também conhecido como «Patronato» Fundado em finais da década de trinta do século passado, para então fazer face às necessidades da paróquia no apoio social, o «Patronato» surge em Mangualde pela mão do saudoso Monsenhor Ferreira Monteiro. A ideia foi fundar uma casa que acolhesse, durante o dia, os filhos das empregadas enquanto estas trabalhavam. A pastelaria aparece para apoiar financeiramente, não só esta obra, mas também os mais carenciados. É assim que a D. Maria Amélia Ortiz Ribeiro intervém, dirigindo a cozinha e a confecção de bolos.

Foi ela que trouxe as receitas da doçaria conventual: o bolo regional, o bolo de azeita, os caramujos, os papos de anjo e as saborosas lampreias de ovos. É também das mãos de Amélia Ortiz Ribeiro que aparecem o famoso pastel de feijão (tem o formato do clássico pastel de nata mas um pouco mais pequeno, a sua massa mais espessa e recheio diferente). Mais tarde são as “Meninas do Patronato” que se desdobram para conseguir o sustento da obra. Hoje a Pastelaria tem fama a nível regional e nacional, mantendo-se nos moldes tradicionais, mas com outra orgânica. Para além da produção de doces e bolos, também se confeccionam outras iguarias mais modernas. Bastante procurados são também os bolos de aniversário, o bolo-rei, as cavacas, as filhoses, as bolas de carne e as tão apreciadas empadas. No entanto o doce mais famoso do “Patronato” é, indubitavelmente, o pastel de feijão.

SANTANDER TOTTA «LIGA-SE» A NOVA IMOBILIÁRIA EM VISEU

Por: José Lorena A mediadora imobiliária Cidália Marques acaba de abrir um espaço de vendas em Viseu aliado ao banco Santander Totta. Trata-se da primeira parceria que o banco tem na cidade e também uma inovação no ramo imobiliário. O tempo de crise por que passa o país não atemorizou Cidália Marques, mediadora há largos anos em Viseu, na abertura de mais uma loja ligada ao ramo. O novo serviço situa-se na zona urbana junto ao tribunal de Viseu. A parceria que o Santander Totta estabeleceu com a mediadora Cidália Marques é a 18ª iniciativa do género no distrito

Fernando Sebastião, presidente do Instituto Superior Politécnico de Viseu A primeira fase de candidaturas no Instituto Politécnico de Viseu (IPV) deixou 563 vagas por preencher. Este número de vagas atingiu todas as unidades orgânicas da instituição, com particular incidência na Escola Superior Agrária, onde quatro dos seis cursos em funcionamento não registaram qualquer matrícula. A excepção, pela positiva, é a Superior de Saúde, onde os dois cursos de enfermagem (um deles a funcionar a partir do segundo semestre do presente ano lectivo) ficaram com a centena de vagas totalmente preenchida. A segunda fase, já em curso, é a grande esperança, acreditando a instituição que no final as contas sobre ganhos e perdas de

estudantes poderão ser bem diferentes. Fernando Sebastião, presidente da IPV, desdramatiza o aparente mau prenúncio que se desenha para os cursos desertos de interessados, nomeadamente nas áreas tecnológicas (os que, curiosamente, registaram quebras significativas de candidaturas), embora lamente o que está a acontecer. Para o dirigente, e não obstante outras razões relacionadas também com a conjuntura económica que o país atravessa, há situações específicas que ditaram a ausência de candidaturas. “As engenharias, sempre apetecíveis, foram confrontadas este ano, à excepção de Informáticas com cadeiras espe-

cíficas obrigatórias como a Matemática e a Física. Duas áreas que tradicionalmente afastam os alunos”, justifica Fernando Sebastião. Mesmo assim, acrescenta, “os resultados obtidos na 1.ª fase são praticamente em tudo semelhantes aos do ano passado. Apenas houve uma redução efectiva de 29 anos, o que não chega a representar três décimas em relação à 1.ª fase de candidaturas no ano lectivo 2011/12”. Apesar da argumentação que possa utilizar-se para justificar a ausência de candidaturas a cursos de base tecnológica, Fernando Sebastião reconhece o “contra-senso”. “Toda a gente fala, e os estudos e a realidade assim o têm confirmado, que as

tecnologias são as áreas de ensino/aprendizagem que mais garantias oferecem de entrada no mercado de trabalho. Por isso torna-se difícil de compreender o afastamento dos estudantes destes cursos”. O presidente do IPV reconhece o momento difícil que está a atingir todo o ensino superior, decorrente de uma crescente redução do número de candidatos, mas, no que respeita ao Politécnico de Viseu, mostrase optimista. “Somos ainda o quinto Politécnico com mais alunos a nível nacional. Por isso, aguardamos confiantes no desfecho da segunda fase de candidaturas. Só então, faremos as contas”.

BESTCENTER E ASSOCIAÇÃO DE ESTUDANTES DA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE VISEU ASSINAM PROTOCOLO

de Viseu. De acordo com os promotores, e com o presidente da Câmara de Viseu, Fernando Ruas, que esteve na inauguração da nova loja, trata-se do retomar

da antiga tradição dos agentes de serviços financeiros que outrora povoaram quase todo o país. Para Cidália Marques e Carla Rodrigues, gerente do

Santander Totta, a nova loja permite ao cliente estar mais perto do que necessita, tanto em serviços do banco, como na oferta da nova imobiliária.

A Bestcenter acaba de estabelecer mais uma parceria, desta feita com a Associação de Estudantes da Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Viseu. Até 2014 a Bestcenter garante descontos de 20% nos seus cursos de Pós-Graduação e Curta Duração, bem como formação gratuita em algumas áreas aos alunos e recém

licenciados da Escola Superior de Tecnologia e Gestão. “O objectivo é dar as mãos a um público com necessidade de aprofundar competências em áreas menos trabalhadas durante as licenciaturas, como são o caso das Línguas, informática, marketing e qualidade”, sublinha a Bestcenter. Além do desenvolvimento

dos cursos de formação, a parceria abrange ainda a promoção de outras iniciativas em conjunto como workshops e seminários. A Associação de Estudantes justifica esta parceria com os objectivos da própria associação: “enquadrar e apoiar todos os seus estudantes associados, com o objectivo de contribuir para o desenvolvimento de

competências dos estudantes do ensino superior e sócios da instituição”. O pontapé de saída da parceria já foi dado com a integração de alunos inscritos na Associação no Simulador de Entrevista para o Mercado de Trabalho, promovido pela Bestcenter este mês de Setembro.


13/09/2012

SITUAÇÃO ECONÓMICA BOAS E MÁS NOTÍCIAS

Os mercados económicos e financeiros não têm tido um comportamento nada benéfico para os investidores mais sensíveis às perdas e aos ganhos, para o que muito contribui a queda acentuada de muitas europeias sendo a queda do ouro um dos fatores que mais arrasta a crise para o endividamento dos povos e das nações, havendo quem chame a isto uma situação eternamente remendada e que muito será solucionada. Infelizmente, como diz o provérbio, um mal nuca vem só, temos, com efeito, que economia mundial tem vindo a devastar o sentimento da generalidade os investidores, e embora a nossa vizinha Espanha, os problemas, ao contrário do que chegou a p r e v e r- s e j á n ã o s e j a m d e t o d o surpreendentes, já dos outros pontos do globo, pelas notícias que vão sendo difundidas, não são nada animadoras ou são mesmo preocupantes. Os próprios Estados Unidos, que como era voz corrente sempre tiveram uma política económica ativa na sua Reserva Federal, começa agora a revelar-se insuficiente. Embora a sua economia esteja numa situação bem mais confortável que na

Europa, já a criação de emprego começa a dar sinais claros de abrandamento, e sendo assim, com o emprego a diminuir sabe-se que o consumo decresce, e sendo assim a economia naquele país, sempre considerado sem problemas neste sector, pode também cair rapidamente numa situação de algum marasmo algo que não era previsível acontecer ali. Mas as coisas não se ficam por aqui e nem admira que isso aonteça. Com efeito, a tábua de salvação fornecida pelos países emergentes- Índia e Rússia – aquando da última crise financeira, apresentavam muitas brechas e ainda hoje continuam a ser vítimas de algum imobilismo político que lhes trava as necessárias reformas, e isso está a fazer-se sentir sobretudo no Brasil, porque estratégia de estímulo na procura interna está a perder impacto, sobrando o gigante chinês todavia ainda com algum grau de incertezas. Assim sendo reside aqui uma dor de cabeça para os grandes e médios investidores, porquanto a China está a tentar remodelar o modelo interno de crescimento no sentido de diminuir o peso das exportações para assim impulsionar a procura interna, só que isto e uma mudança que lhe pode trazer sérios riscos e cujos resultados, naturalmente ainda uma incógnita, mesmo que tudo corra bem, só se farão sentir a médio ou longo prazo. Apesar de tudo não se augura nenhum naufrágio global, uma vez que a Europa, os Estados Unidos e a maioria dos países com situações económicas emergentes, prevê-se que tenham soluções para os seus prolemas e que ainda possam ajudar os outros, só que, para os problemas de curto prazo, não há milagres que resolvam situações de emergência. O apoio, por exemplo, que se prevê venha a ser concedido para

recapitalização dos bancos em Espanha, afigura-se uma medida positiva, mas que não vem resolver a crise do euro. Nos investimentos, são os próprios economistas a dizê-lo, todos os países, mesmo com economias geralmente estáveis, devem manter a cabeça fria e evitar decisões precipitadas. Devem ser prudentes, diversificar os investimentos, e dedicar parte das suas poupanças em activos fora da zona euro no sentido de evitar que na sua área de influência surjam situações similares a algumas que se verificaram no advento da presente crise. Até aqui ocupámo-nos a falar de boas e más notícias à escala planetária, parecendo até que nos esquecemos de falar dos problemas do nosso pais. Só que o assunto em questão, como todos vimos, dizia respeito a coisas que não cabiam na área restrita da governação em concreto de cada país, para se situar numa área mais global e menos restrita, não cabendo portanto aqui referir-nos a problemas do nosso quotidiano, que todos abemos serem muitos, graves e complexos. Mas anda sobrou um bocadinho para falar da “revista da imprensa diária”, um problema que durante bastantes anos me disse especialmente espeito, e por isso não vou terminar este texto sem dar conta de uma notícia que me chocou, porque também ela se inseria nas minhas funções. Refiro-me a uma notícia que vi num jornal diário de grande tiragem, segundo a qual em Lisboa, nos locais públicos da cidade, se procede com todo à vontade à venda livre de estupefacientes e que também alguns guardas prisionais se encarregam de transportar este produto em meios sofisticados para interior das prisões. Tenho pena de terminar desta maneira.

ÀS ARMAS, PELA PÁTRIA LUTAR

Simplesmente bestial. O Banco Central Europeu (BCE) acordou finalmente para uma realidade tão clara e tão evidente, que soa a falso e a hipocrisia. Enquanto se tratou da situação difícil de pequenos países Irlanda, Grécia e Portugal, a política do B.C.E. foi uma, quando o problema tocou a Espanha e Itália então foram logo encontradas soluções alternativas que se diziam impraticáveis. Agora, nada obstará, a que aquele Organismo, em articulação com dois fundos europeus (FEEF e MEE) vá comprar a dívida

soberana dos países em dificuldades financeiras. Ainda que nunca tenham pensado em Portugal, o certo é que ao nosso Governo terá saído o toto- milhões. Depois de termos sabido da derrapagem que o país sofreu nos dois últimos trimestres e de todos os dados negativos que nos asfixiam, nada melhor do que esta prenda inesperada. Com este balão de oxigénio podemos continuar a fazer asneiras sobre asneiras. Quem nos explicará o que se está a passar com este país que cumpre e ultrapassa até pela negativa as exigências da troika, em que os cidadãos cumprem calados com tudo que lhes é exigido, e em que afinal todos continuam aceleradamente a ir para o poço sem fundo. O que falhou? Os sacrifícios que foram pedidos não faltaram e por isso só podemos concluir que as politicas económicas de desenvolvimento foram um autêntico fracasso. Passos Coelho tinha que as implementar pois eram essas mesmas teses de desenvolvimento que os seus apoiantes e apaniguados defendiam quando

diabolizavam o anterior governos de José Sócrates. O resultado está a vista de todos ,e nem assim se vê da parte dos responsáveis um pingo de vergonha para admitirem esse fracasso. Mas como diz o velho ditado português “Á criança e ao borracho põe Deus a mão por baixo”. Não é o caso concreto, mas por analogia podemos deduzir o mesmo. Quando já se estrebuchava por tudo que era sitio, este programa agora anunciado da compra da dívida pública dos países em dificuldades por parte do BCE, põe este Governo incompetente a suspirar de alivio. Contudo, há sempre uma mas, há um reverso da medalha. Ninguém dá nada a ninguém, nomeadamente se se é pobre. Em troca o BCE exige impor condições aos países. Como Passos Coelho está, e quer estar sempre para além da troika, aí pareceu ele a anunciar mais impostos e mais sacrifícios, antes mesmo que algum credor os impusesse Estamos todos de boca aberta, agora só resta fechá-la, ou então seguir a letra do hino nacional: “Às armas, às armas, pela Pátria Lutar”

13/09/2012

SOCIEDADE

PRÉMIO EÇA DE QUEIROZ DISTINGUE MELHORES ALUNOS DE PORTUGUÊS EM RESENDE

Em cerimónia realizada no Centro Cultural de S. Cipriano, 17 alunos do concelho de Resende, que se destacaram na disciplina de Português, foram distinguidos com o prémio «Eça de Queiroz», recebendo, nesta primeira edição, um certificado

evocativo e um prémio monetário de 150 euros. António Borges, presidente da Câmara Municipal de Resende, que presidiu à cerimónia, sublinhou que “o prémio Eça de Queirós é o reconhecimento daquilo que é a excelência na

escola: a importância da língua portuguesa numa terra como a nossa, rica do ponto de vista literário e que tem aqui em S. Cipriano uma das mais fortes mensagens da literatura portuguesa, pois estamos nas terras literárias de Eça de Queirós que

retratou como ninguém Resende, as suas gentes e as suas paisagens”. Recorde-se que o projecto de regulamento de atribuição do “Prémio Eça de Queirós” foi aprovado pelo executivo Camarário em reunião de 6 de Fevereiro de 2012 e pela Assembleia Municipal de Resende na sessão ordinária de 28 do mesmo mês. O Prémio destina-se a todos os alunos matriculados em estabelecimentos de ensino no concelho de Resende, que frequentam o 2.º, o 3.º ciclo ou o Ensino Secundário. O prémio é atribuído ao melhor aluno na disciplina de Língua Portuguesa, de cada ano que integre os graus de ensino já referidos, em cada estabelecimento escolar. Pretende ainda distinguir os melhores alunos, promover o mérito e valorizar o esforço e o desempenho individual, incentivando-os a aperfeiçoar a aprendizagem da língua portuguesa.

PROFISSIONAL MARIANA SEIXAS ARREBATA MAIS CINCO PRÉMIOS EM CONCURSO NACIONAL A Escola Profissional Mariana Seixas (EPMS) foi uma vez mais premiada no Concurso Nacional Grande C- Concurso de Criatividade tendo sido vencedora na categoria Design subcategoria de Capa de CD/Disco, numa obra intitulada “Energy of Eyes”, do aluno Lukas Roberto Borba Silva. Este concurso tem como objectivos promover a criatividade e a sensibilização dos alunos do 3º Ciclo e Ensino Secundário para os Direitos de Autor e Direitos Conexos e é organizado pela Associação para a Gestão da Cópia Privada, em parceria com sociedades representantes de autores, artistas, produtores, editores e conta com o apoio institucional do Ministério da Educação, do Ministério da Cultura e da Comissão Europeia. A aluna Bruna Sampaio recebeu uma Menção Honrosa com a obra “Uma luz ao fundo

do túnel na Categoria de Capa de DVD, o aluno Miro Pinheiro foi também premiado na subcategoria Capa de Jogo, com o trabalho “Nobody”, na categoria de Capa de Revista o aluno Lincoln Gomes foi galardoado

com uma Menção Honrosa e a aluna Ana Gracinda da Silva na Categoria Capa de Livro arrebatou outra Menção Honrosa. “Estes alunos do curso de Multimédia são o reflexo do trabalho, empenho e dedicação

de toda a Comunidade Escolar e a Escola Profissional Mariana Seixas vê assim, uma vez mais, reconhecido o seu trabalho no âmbito das novas tecnologias e em particular na área de Multimédia”, sublinha a direcção.


CULTURA

16/Via Rápida

13/09/2012

ANTIGOS ALUNOS DO COLÉGIO VIA- SACRA REVIVERAM MEMÓRIAS E FORTALECERAM RELAÇÕES Antigos alunos do Colégio Via-Sacra, em Viseu, celebraram no passado dia 8 deste mês de Setembro, o 30.º encontro anual, com o mesmo objectivo de sempre: estreitar as relações e fortalecer o espírito, que se viveu, e vive nesta “casa” fundada em 1908 pelo Cónego António Barreiros. Esta instituição de ensino, que se tornou, ao longo de mais um século da sua existência, um marco incontornável na educação da cidade de Viseu pela sua excelência, voltou a receber os seus antigos alunos que, desta forma, fortaleceram o espírito do Colégio, reencontraram amigos de sempre, viveram e reviveram momentos bem passados que os marcaram, de maneira indelével, para toda a vida.

PROGRAMA OFICIAL DA FEIRA DE S. MATEUS’ 2012 (DE 14 A 23 DE SETEMBRO) 14 de Setembro: (Encontro das Cidades) 18h00 – Festa do Brincar (tenda multiusos) 21h00 – Desfile de Moda (tenda multiusos) 22h00 – Sabor a Salsa (palco 1) 00h00 – Karaoke (palco 2) 15 de Setembro: 14h00 – Festa do Brincar (tenda multiusos) 15h30 – Espaço Criança (tenda multiusos) 18h00 – Cinema: «Rango» (tenda multiusos) 20H30 – Espectáculo itinerante «Visitas bem passadas» (tenda multiusos) 22h00 – Amor Electro (palco 1) 00h00 – DJ B Face (palco 2) 16 de Setembro: 10h00 – Festa do Brincar (tenda multiusos) 10h00 – Gincana de insufláveis e mascotes (relvado) 11h00 – Concurso lançamento aviões de papel 15h00 – Pauliteiritos de Abraveses (palco 2) 16h00 – Zumba Tomic (tenda multiusos) 17h00 – Ju Jitsu Kids (tenda multiusos) 22h00 – André Sardet (palco 1) 00h00 – DJ Peter Sky (palco 2) 17 de Setembro: 22h00 - Tuna Regional de

13/09/2012 “Toma lá que já almoçastes”. Este é o título oportuno que quero dar a esta crónica. Quando há mais de dois anos o P.S.D. tanto criticava o g overno de então, não deixou de assacar todos os males que percorriam o mundo, a Europa e nomeadamente Portugal, à incapacidade de José Sócrates e do P.S.. Mas, diga-se em abono da verdade, que os social-democratas apresentavam na altura, soluções para a crise, soluções essas, que pareciam facílimas de tomar, e que salvariam o país da situação difícil que atravessava. Com tantas soluções na manga e com promessas milagrosas, os portugueses não regatearam o seu apoio e elegeram os seus pseudo-salvadores. Depois foi o que se viu. As ditas medidas urgentes e milagreiras que tanto propunham, ficaram na gaveta, e em contrapartida, aquilo que negavam a pés juntos que não fariam-mais austeridade e mais impostos- foi afinal o que de imediato e de forma violenta e imoral puseram em prática. Os portugueses ficaram atordoados e encolheram os ombros, pois foi-se criando a ideia que não havia alternativa, e que o atual governo outra coisa não poderia fazer, senão gerir com determinação o buraco herdado do governo P.S.. Esta ideia foi incutida no espírito de todos nós, e por isso, o esforço hercúleo que tem sido imposto, foi com muita resignação considerado inevitável. Todos, ainda que protestando e não apoiando as duas cores partidárias que nos governavam, íamos ficando à espera que os tempos melhorassem, só que, com o correr

OPINIÃO

Por: José Reis

TOMA LÁ QUE JÁ ALMOÇASTE do tempo, percebemos que tínhamos caído num embuste, num logro, num engano Os ricos continuaram a ser poupados ao esforço nacional, enquanto os trabalhadores arcaram com todos os sacrifícíos que este executivo encontrou para os empobrecer ainda mais. Apesar de ter parado todas as obras públicas que criavam postos de trabalho e riqueza nacional, apesar de ter diminuído o número de servidores do Estado em muitos milhares de lugares, apesar da Ministra da Agricultura ter mandado desligar o ar condicionado, e os ministros terem passado a viajar em classe familiar, a despesa pública não foi diminuída, e os os objectivos tão anunciados para Portugal ficaram todos aquém do desejado. A política de austeridade em cima de austeridade falhou rotundamente, como aliás não era difícil de prever. Os portugueses estão desesperados

9/Via Rápida Agora aí está mais uma machadada na cabeça dos indefesos reformados e pensionistas, funcionários públicos e trabalhadores privados. Quando toda a gente proclamava que era impossível mais medidas repressivas, elas aí estão, sem dó nem piedade. Ignorando os argumentos do Tribunal Constitucional, o pacote agora proposto, continua a tratar os portugueses de forma diferente. Ainda que se tivessem de fazer mais sacrifícios, esses sacrifícios teriam moralmente que ser iguais para todos, o que não acontece, e o governo sabe-o bem. Creio eu, que esta situação iníqua merecerá novo chumbo do Tribunal Constitucional, o que não trará nenhuma surpresa a quem governa. Sabem também os responsáveis políticos, que terão nesse chumbo constitucional o alibi que procuram. O falhanço em toda a linha destas políticas desastrosas, terá já uma desculpa programada. - O S.T.C. os partidos da oposição vão ser os grandes e únicos culpados, pois não permitiram que o Governo governasse.Mas este pacote de malvadezas não repugna só pelo que os trabalhadores e reformados vão sofrer. Ele repugna muito mais pela diminuição de contribuições que os patrões vão pagar à Segurança Social. O argumento de que com essa medida se criarão mais postos de trabalho, é de uma falsidade e de uma hipocrisia a toda a prova. Tudo isto, sem se perceber em que é que os ricos serão chamados a contribuir A procissão ainda vai no adro, e por isso, temos que esperar pela próxima paulada.

O TODO PODEROSO PODER AUTÁRQUICO

Por: Carlos Bergeron

Orgens (palco 1) 23h00 – Grupo de Cantares de Farminhão (palco 2) 18 de Setembro (Dia da APCV) 22h00 – António Albernaz (palco 1) 22h30 – Miska Rafs com DJ Logic (palco 2) 00h00 – DJ Mouse (palco 2) 19 de Setembro: 22h00 – Tunadão 1998 – Tuna do Instituto Politécnico de Viseu (palco 1) 23h00 – Pe7er Panic – novo talento FNAC (palco 2) 00h00 – Tim Holehouse – novo talento FNAC (palco 2)

20 de Setembro: 22h00 – Cantorias (palco 1) 23h00 – Quintas do Rock: «Two Wave Music Project» (palco 2) 21 de Setembro (Dia do Município) 10h00 – Missa e procissão (Igreja Nª Sª da Conceição) 11h30 – Sessão solene (Salão Nobre Paços Concelho) 13h00 – Almoço do pessoa da CMV e SMV 21h00 – Concurso Mini Miss São Mateus (palco 2) 21h30 – XII Encontro Coros S. Mateus (Seminário Maior) 22h30 – Banda «Soma e Segue» (palco 1)

00h00 – Karaoke (palco 2) 22 de Setembro: 18h00 – Cinema: «O Garoto de Charlot» (tenda multiusos) 20h30 – Espectáculo itinerante « Vi s i t a s b e m p a s s a d a s » (recinto) 22h00 – Fingertips (palco 1) 00h00 – DJ Kelita (palco 2) 23 de Setembro: 14h00 – Espaço criança (tenda multiusos) 16h00 – Festival de Folclore (palco 2) 22h00 – The Lucky Duckies (palco 1) 00h00 – DJ Peter Sky (palco 2)

Desta vez, o quero, posso e mando do presidente da autarquia de Viseu, ultrapassou, em muito, o que é minimamente tolerável. Sem respeito pelo direito ao descanso do comum mortal que ainda trabalha, dos doentes que recuperam num estabelecimento hospitalar, ou de idosos acolhidos num lar para a terceira idade, sem falar de uma franja muito considerável de moradores que elegeram Viseu para residirem com as suas famílias, toca de autorizar que um concerto de rock solidário, a uma quinta-feira à noite, se prolongasse até às duas horas, em véspera de um dia de trabalho, e a concentração anual de motards, sexta-feira e sábado, este a ultrapassar as 5 horas da madrugada, que não deixaram dormir nem descansar, meia cidade, tal os elevados décibeis saídos da mata do Fontêlo, que chegaram até aos ouvidos de muitos vildemoinhenses, e deixaram atordoados os que não conseguiram pregar olho nesses três dias.

Enquanto viseense, solidário e humanista, que respeita toda a gente, senti a obrigação de interpelar, telefonicamente, o Comando da PSP, onde me foi dito já terem recebido muitas chamadas sobre o barulho na cidade, mas que nada podiam fazer, por haver uma autorização da Câmara para a realização do concerto e para o evento dos motards nos dias seguintes. Não é a primeira vez que abordo este assunto da forma que volto a repetir agora. Nada tenho contra este tipo de acontecimentos, desde que sejam respeitados os direitos fundamentais das pessoas, como o direito ao sossego e o bem estar de todos, neste caso, o da maioria dos viseenses, e que, em alternativa, já deveria ter sido encontrado outro local para este tipo de eventos como, por exemplo, o campo de aviação ou o monte do Crasto. Agora, dentro do perímetro urbano da cidade, nunca! Do que se passou na quinta-feira à noite, mas sobretudo dos excessivos e impróprios barulhos de sexta-feira e sábado, noite adentro, apenas direi que em nada abonam Viseu, e nega tudo o que se diz da cidade, como sendo o melhor lugar para se viver em Portugal. Quem fez e faz uma apreciação destas, garantidamente que não reside em Viseu, e vem a estas bandas, uma ou duas vezes, nos 365 dias do ano, para visitar uma cidade linda. O dr. Fernando Ruas, em final de mandato, pode continuar a autorizar o que

bem entender, porque continua na carruagem dos políticos do quero, posso e mando, sem respeito por aqueles que o elegeram e o ajudaram na sua caminhada autárquica. E estes foram e são os viseenses. Duas considerações finais, reveladoras do que não é tolerável, isto é o excesso de barulho, e o bom senso autárquico, ambas dadas à estampa, pelo Correio da Manhã. A primeira, sob o título «Pôs música muito alto – o som tramou-o», dizia, «um engenheiro informático venezualeno, de 31 anos, que foi condenado a 130 horas de trabalho comunitário, por perturbar a tranquilidade pública, por ter a música no carro demasiado alto». (C.M. 1/9/2012). A segunda, esta bem portuguesa, divulgava o «Festival Adentro Invade Zona Histórica de Faro», onde se podia ler: «Os ritmos do mundo estão de volta e prometem animar a cidade de Faro. O Largo Afonso III será palco de grandes nomes artísticos e revelações da música do Mundo, já na próxima sexta-feira e sábado. A programação inclui várias actividades que decorrem das 18H00 às 02H00 da manhã». (C.M. 5/9/2012). Palavras para quê? Assim devia ser sempre, mas em Viseu continua a não ser assim, mesmo com eventos de gosto duvidoso e sem qualquer retorno para a cidade. Será uma questão de feitios? Se assim for, apenas direi que revelam mau gosto e elevada prepotência.


8/Via Rápida

OPINIÃO

13/09/2012

SOCIEDADE

13/09/2012

ESPECTADOR COMPROMETIDO

A UNIVERSIDADE DE VISEU, EM PERÍODO DE FÉRIAS Muito provavelmente, a questão da Universidade de Viseu não vai estar no centro do debate politico de Viseu: os ventos (e a falta de dinheiro) não são favoráveis a tal empreendimento. No entanto, é no tempo das vacas magras que deve haver muito para planear. Faz sentido continuar a reivindicar a Universidade pública para Viseu? A resposta é sim, mas não uma universidade à “anos 90”. Significa isto que estando o IPV a cumprir a sua função enquanto entidade formadora, que poderá, inclusive, melhorar à medida que a sua integração no tecido económico e social se for aprofundando, uma universidade, a ser criada em Viseu, deve vir pelo lado da investigação e “esquecer” a formação inicial (salvo se o Pais, afinal, puder desbaratar recursos). Estará a Região interessada numa

universidade que comece a deitar raízes desta forma? Talvez seja menos vistosa e menos fácil mas é, com certeza, mais eficaz se for capaz de começar por criar um centro de investigação focado num ou noutro sector relevante para a economia da Região e para a economia nacional e europeia. Três hipóteses: alimentação, floresta, saúde/bemestar, ... – algo a que a Região não é estranha! Naturalmente que é necessário começar por ter um grupo de investigadores altamente reconhecidos e mobilizados em torno de um programa concreto e associar os empresários dos sectores económicos envolvidos, outros investidores e uma forte ligação a fontes de saber internacionais (vale a pena reler o “Projecto Veiga Simão”). E o Estado? O Estado pode não ter dinheiro, mas tem capacidade de iniciativa e de mobilização de recursos, humanos e

financeiros – assim seja capaz de desenvolver, na base da investigação e com parcerias internacionais, um bom projecto para esta Universidade de Viseu. A Região ainda precisa desta Universidade? Como de pão para a boca, caso não queira continuar a assistir a um prolongado adormecimento da sua economia, perdendo capacidade de reagir num contexto europeu onde o crescimento económico não dependerá tanto dos recursos existentes, nomeadamente de mão de obra não qualificada e terrenos disponíveis, mas sim de conhecimento e tecnologia. (P.S. – Cultura e tecnologias estão a subir, na Região. Também aqui a futura universidade e o politécnico podem fazer a diferença. É preciso que instituições e região se “misturem”!)

Por: José Lapa

O que é um herói? São todos aqueles, em que reconhecemos as nossas fragilidades. Referências absolutas dos nossos insucessos. Ou seja, aqueles que nos furtaram a ambição. No herói reconhecemos a suprema felicidade nunca conseguida. Deuses de um olimpo, a cujo condomínio não acedemos. Os heróis consciencializam a nossa insignificância de batráquios com a morte sorridente a curto prazo. Aqui, lembro-me sempre, daquele belo poema de Ramos Rosa, No trabalho da folha ou na falha: “Sou apenas uma sombra com olhos neste instante.” (in Poesia 71, Inova/1972). Somos feitos de instantes, compostos de maté-

17/Via Rápida

HERÓIS RELUTANTES HERÓIS AMUADOS, HERÓIS AUSTEROS ria degradável. Daí que os heróis, feitos de eternidade, nos confortem com os seus feitos. Eu, sim eu, tenho os heróis mais improváveis. Prefiro-os de carne e osso. Mortais, por que morrem comigo, amigos nos bons e maus momentos, amigos inconfundíveis e serenos. Um dos meus heróis é Raul Solnado: “Acho que nós não devemos ficar viúvos dos nossos êxitos.” Talvez os meus heróis, sejam os… antiheróis. É que, já houve tantos heróis que me dececionaram! Muitos, mesmo muitos. Bom! Esta conversa dos heróis tem uma filigrana discreta ou não falássemos nós desses seres omnipresentes. Recentemente no meu traçado de vida, cruzaram-se três heróis densos e implacáveis. Ronaldo, herói amuado, resolveu partilhar com a praça pública, a sua tristeza. Sendo esta tristeza de natureza profissional (dixit), nunca foi esclarecida. Ficou sempre no limbo. E, ao certo, ao certo, nunca saberemos o que abanou os alicerces emocionais de um homem, que aufere 10 milhão por mês. Claro, que o dinheiro não é tudo, mas se é profissional, a melancolia, de que mais poderá ser proveniente. Cá para mim, não foi mais do que um golpe de marketing. Esta gente e os interesses económicos que a suportam, precisam de uma vez por outra, de executar um qualquer plano de marketing, com base em drama emotivo. Achei piada, a um qualquer Pereira, que para ser solidário com o avançado, veio dizer, que em Portugal, as pessoas gostam muito de falar

da vida dos outros. Concordo, é verdade. Mas, o que se esqueceu de dizer é que quem pôs a sua vida a ser escrutinada foi o próprio homem da bola, como sabemos. Daí o desproposito da afirmação. Outro herói recente, que me saiu ao caminho, foi Passos Coelho. Herói da austeridade, que assume com galhardia e afinco, dando-se ao cuidado de levar uma semana a avisar, que vai ser mauzinho e que faz questão de ser ele, a dar as más notícias. Isto é, um homem corajoso, acutilante, que faz questão de ser o próprio mensageiro do inferno. Estamos perante um status de pretensa coragem. O seu discurso e postura são de frieza e insensibilidade. Mas, o herói, como escrevi, é aquele que nos trás felicidade e não drama. E, a trazer drama, deve contextualizar a felicidade decorrente daí. O apagão sem luz ao fundo túnel. Finalmente, o meu herói preferido, o relutante. Neil Armstrong, o homem que primeiro pisou a lua e depois se remeteu ao retiro da sua pacatez, da sua humildade, da sua humanidade. O herói da obstinação tranquila, partiu agora para sua última e derradeira viagem, em busca de outra “base da tranquilidade”, provavelmente, saturado de um planeta cada vez mais intranquilo. Este sim, um herói a sério, humano e exemplar. Como eu gosto. Os outros são meros figurinos de um mundo em convulsão. Figuras complexas, inscritas em terreno confuso. Herói é simplicidade. Já Kepler escreveu: Natura simplicitatem amat (A natureza ama a simplicidade).

DE 19 A 23 DE SETEMBRO:

MUNICÍPIO DE VOUZELA PROMOVE FEIRA SOCIAL E DO ASSOCIATIVISMO

CRIAÇÃO DE UM PARQUE FLORESTAL NO CONCELHO DE VISEU Em termos ambientais e socioculturais a floresta é matricial numa vasta área do território nacional. Ao nível da economia, a multidiversificada fileira florestal – do turismo de natureza à pasta de papel – é, de há muito, entendida como um cluster prioritário para Portugal. O Concelho de Viseu insere-se numa região de grande “intensidade florestal” (veja-se a sua relevância em concelhos limítrofes como Mangualde, Nelas ou Mortágua), precisamente à cidade é “colada” a imagem de Amiga do Ambiente. Porém, pese o epíteto de “Melhor Cidade

para Viver”, - sublinhadamente neste período de quase agonia dos serviços públicos, do comércio e da construção civil é reconhecida a falta de atividades económicas e a inerente criação de riqueza e emprego. Outras cidades nacionais de média dimensão patenteiam “imagens de marca” indutoras de valor acrescentado/competitividade e atividade económica: P.e. Braga/Software; Aveiro/Telecomunicações; Coimbra/Saúde e Conhecimento; etc. Neste contexto, ocupando um espaço ainda vazio, na Cidade/região de Viseu a

Floresta pode emergir naturalmente como oportunidade para alicerçar um modelo de desenvolvimento socioeconómico sustentável. Para semear, planear e implementar esta “aura”, para além de habituais mecanismos que deverão catalisar estes processos – incentivos fiscais e outros à instalação e desenvolvimento de atividades da fileira, eventos, I&D, ensino superior, etc. – é necessário criar símbolos. Neste sentido, a instituição de um Parque Florestal multivalente, na área florestal do Monte de Santa Luzia e da Serra do Crasto, poderia ser muito pertinente.

De 19 a 23 de setembro, o Município de Vouzela vai promover a Feira Social e do Associativismo do concelho, uma iniciativa que pretende divulgar o trabalho realizado pelas coletividades e instituições de solidariedade social do concelho de Vouzela. Durante cinco dias, a Alameda D. Duarte de Almeida e

outros espaços adjacentes vão ser palco de exposições, seminários, workshops, concertos de música, festival de folclore, sessões de fitness, entre outras atividades. Destaque para os workshops “Envelhecimento ativo e solidariedade entre gerações - Promoção e otimização de oportunidades”, que acontecerá no dia 19

de Setembro; no dia 20, pelas 14h, o workshop sobre marketing pessoal e pelas 21h o seminário “Sustentabilidade e Marketing”, destinado às associações. Já no dia 21, pelas 15h30, terá ligar o workshop “Cuidado com a Burlas”, no Auditório Municipal. De realçar ainda a atuação de Mico da Câmara Pereira, na noite de 21 de setembro,

de David Antunes & The Midnight Band, do programa 5 para a Meia Noite, na noite de 22 e de Sérgio Lucas, na noite de 23 de setembro. De 21 a 23 de setembro serão ainda disponibilizados, na Alameda D. Duarte de Almeida, serviços de bar, restaurante e bingo, cujas receitas reverterão na íntegra para as associações que os dinamizarem.

LOJA «MANGUALDE SOCIAL MAIS» AJUDA FAMÍLIAS CARENCIADAS O Bispo de Viseu, D. Ílido Leandro, inaugura amanhã, na avenida Conde D. Henrique, a Loja Social “Mangualde Social Mais”. O espaço, candidatado ao PRODER pela Câmara Municipal, a quem está cometida a organização e coordenação de serviços, através do Gabinete de Acção Social, tem como objectivos: “promover a melhoria

das condições de vida através da atribuição de bens; potenciar o envolvimento da sociedade civil, empresas e de todos os cidadãos na recolha dos bens; e contribuir para a melhoria das condições de vida do tecido populacional em situação de maior vulnerabilidade”. Os beneficiários, devidamente sinalizados e identifica-

dos pelas entidades competentes, podem deslocar-se à Loja Social “Mangualde Social Mais” uma vez por mês (salvo em situações de emergência devidamente justificadas por um Técnico Superior de Serviço Social) mediante a entrega de uma ficha de sinalização, criada pelo Gabinete de Acção Social da Autarquia. Poderão usufruir

mensalmente, no máximo de dois artigos do mesmo tipo, até um limite máximo de cinco a sete peças, independentemente da natureza das mesmas. A Loja Social «Mangualde Social Mais» está a funcionar de segunda a sexta-feira, das 10h00 às 12h00 e às terças e quintasfei-ras também das 14h00 às 17h00.


18/Via Rápida

CULTURA

13/09/2012

CORO MOZART APLAUDIDO EM ESPANHA Por: Adelino Figueiredo O Coro Mozart de Viseu, grupo de jovens coralistas de Viseu, efetuou entre os dias 06 a 09 de Setembro, uma digressão a Espanha, inserida no programa das Festas, da conhecida cidade de Valladolid. O Coro Mozart efetuou vários concertos em Valladolid, tendo realizado na Quinta-Feira (dia 06/9) um concerto ao vivo no Pátio do Palácio de Fabio Nelli, perante uma numerosa assistência bastante entusiasta, que vibrou com toda a alegria e intensidade que este grupo apresentou. Na Sexta-Feira (dia 07/9) o Coro Mozart atuou no Salão de Espetáculos do Centro Cívico Municipal José Luís Mosquera, tendo contado também com a presença nesse espetáculo dos grupos Coros Harmonia & Harmonia Pueri, ambos de Valladolid. Este espetáculo teve uma enorme aceitação por parte do público espanhol que não se cansou aplaudir e de incentivar os jovens artistas a cantarem sempre mais uma música. A recepção em Valladolid foi extraordinária tendo a crítica caracterizado-os como “fantásticos jovens coralistas com enorme talento musical”. De referir que alguns espanhóis apreciaram tanto as atuações do Coro, que fizeram questão de assistir a todos os concertos que

o coro realizou em Valladolid. No Sábado (08/9) o Coro Mozart, levou a cabo um “Street Concert”, próximo da Plaza Mayor de Valladolid, mais precisamente no Atrio de Santiago ( Igreja de Santiago), no entanto devido às condições metereológicas, este teve de ser transferido para a Plaza España, onde o grupo efectuou uma pequena actuação, deixando todos os presentes com “água na boca” tal a qualidade apresentada. Para além dos concertos, durante a estadia em Valladolid, os jovens coralistas disfrutaram ainda de uma visita guiada aos locais mais emblemáticos do

centro histórico de Valladolid, para além de uma visita a um Centro de Natureza e Educação Ambiental - Finca Cota Bajo de Matallana. No Domingo (09/9), já no regresso, o grupo fez paragem em Salamanca, tendo brindado todos os presentes com algumas músicas, num mini “street concert” junto da Catedral de Salamanca, seguido de um almoço convívio já em Ciudad Rodrigo, e continuação da viagem para Portugal. A comitiva do Coro Mozart Viseu, foi composta por cerca de 60 jovens coralistas, vários elementos da Direção, e um grupo

de pais, familiares e amigos que quiseram estar presentes nesta digressão, englobando um total de mais de uma centena de elementos. O Coro Mozart deixou mais uma vez uma bela imagem, de qualidade e talento musical, desta vez junto de terras de Espanha, representando com grande dignidade a região de Viseu e por inerência o nosso país. Perante as boas actuações que efectuaram, ficou no ar a possibilidade de um novo regresso para o ano a Valladolid. Parabéns Coro Mozart por representares, mais uma vez, tão bem a nossa cidade de Viseu!

«CENÁRIOS DE GUERRA» NO PALÁCIO DO GELO - MOSTRA INTEGRA TRABALHOS DE ALUNOS DA ESEV QUE ACOMPANHARAM O EXÉRCITO NO EXERCÍCIO MILITAR «GRÃO VASCO 12» O Palácio do Gelo Shopping, em Viseu, tem patente, até 23 de Setembro, a exposição fotográfica "Olhares Académicos" que pretende dar a conhecer o trabalho efectuado por um grupo de alunos do 3º ano do curso de Comunicação Social da Escola Superior de Educação de Viseu (ESEV), no âmbito do exercício militar "Grão Vasco 12", realizado pelo Regimento de Infantaria Nº 14 de Viseu, em Abril de 2012. O exercício militar, efectuado todos os anos pelo Segundo Batalhão de Infantaria do RI14, tem como objectivo testar e avaliar as capacidades operacionais da unidade, sendo que na edução deste ano foi acompa-

nhado por um grupo de alunos finalistas do curso de Comunicação Social da ESEV, que vestiram a pele de repórteres de guerra. A experiência ocorreu num cenário de conflito simulado e das imagens recolhidas nasceu esta exposição que propõe,

numa vertente inédita, dar a conhecer a colaboração entre os alunos da ESEV e o RI14 de Viseu, evidenciando, desta forma, o olhar destes jovens aspirantes a repórteres de imagem. Para além da exposição fotográfica, o Palácio do Gelo Shop-

ping apresenta também uma reportagem especial realizada pelos estudantes, projectada num ecrã instalado no espaço onde estará patente a mostra, no piso 0. Esta iniciativa, além de divulgar a actividade em causa, visa também permitir que os alunos tomem contacto com uma realidade com que poderão contactar directamente ao longo do seu percurso profissional, ficando assim na posse de informações e ferramentas que podem ser fundamentais em situações de conflito. Esta actividade permitiu ainda estreitar laços com uma unidade da estrutura de base do Exército Português, num saudável exercício de abertura à comunidade.

13/09/2012

PUBLICIDADE

7/Via Rápida


6/Via Rápida

GOLPE DE VISTA

Dizem os bombeiros mais antigos que foi o maior incêndio florestal dos últimos 30 anos. Seis freguesias do concelho de Viseu viram as suas florestas transformadas em cinzas. A associação ambientalista Quercus defendeu, em comunicado, a necessidade de se criar “uma estratégia de longo prazo com melhores políticas agroflorestais”, travando a plantação de eucaliptos nas áreas ardidas durante uma década a partir da data dos incêndios. Também o Partido Ecologista “Os Verdes” criticou a plantação de eucaliptos, relacionando-a com os fogos. Quem também tomou posição sobre os fogos florestais foi a Comissão Concelhia de Viseu do Bloco de Esquerda que para além de além de acusar a ministra Crista de “lançar gasolina no fogo” com a liberalização da plantação de eucalipto, denunciou que os incêndios apanharam o município desfalcado de meios humanos e materiais: “É sabido que os fogos grandes começam por ser pequenos e para impedir o seu alastramento o fundamental é, para além do trabalho prévio de prevenção (abertura de aceiros, pontos de água, limpeza das matas, vigilância), a rapidez e a eficácia do ataque inicial. Para isso era essencial os bombeiros municipais estarem munidos de suficientes meios humanos e materiais. (…) O presidente da Junta de Côta testemunhou que o incêndio nunca tinha tomado tais proporções se fosse atacado na fase em que estava em Couto de Cepões e que só quando chegou o comandante dos bombeiros municipais de Viseu é que conseguiu ajudar a encaminhar os soldados da paz para os melhores caminhos de acesso ao fogo, uma vez que as corporações de fora do concelho, por falta de reconhecimento do terreno, nem sempre encaminhavam os meios para os locais certos”. De acordo com a Lusa, Fer-

REGIÃO

13/09/2012

DESINVESTIMENTO NOS BOMBEIROS MUNICIPAIS DE VISEU PREJUDICOU O COMBATE AOS FOGOS FLORESTAIS

13/09/2012

CULTURA

PINTURA AO AR LIVRE «INVADE» CENTRO HISTÓRICO DE VISEU

19/Via Rápida

A primeira sessão de pintura ao ar livre no centro histórico de Viseu, marcada para o próximo sábado, vai ter como pontos de «inspiração» o Adro da Sé (com os artistas Filomena Lopes e Paula Veiga Rodrigues), Largo Pintor Gata (Carlos Almeida), Rossio (Carlos Amaral e Jorge do Carmo), Mercado 2 de Maio (Graça Soveral, Ilda Monteiro, Liliana Martins e Sara Conde) e a Rua Formosa (João Luís Almeida). A iniciativa, organizada pela Câmara Municipal de Viseu e Viseu Novo SRU, pretende “sensibilizar não só os turistas, mas também todos os viseenses, para outras formas de sentir e vi(r)ver o Centro Histórico, diversificando o motivo e criando hábitos regulares de visita, e alargando as ofertas culturais e criando hábitos regulares de visita, tornando o local como ponto obrigatório de passagem”.

SESSÕES DO CINE CLUBE REGRESSAM COM «RETOMA 2012» nando Ruas adiantou também que a ANMP quer marcar uma reunião com o ministro da Administração Interna, Miguel Macedo para “ perceber se podemos fazer mais e melhor para racionalizar os meios, quer humanos, quer materiais”.. No entanto, acusa o comunicado do BE, “quando em 29 de Junho deste ano, o Bloco de Esquerda apresentou na Assembleia Municipal de Viseu uma Moção pelo Reforço dos Meios Materiais e Humanos dos Bombeiros Municipais de Viseu, considerando as lacunas e insuficiências (sobretudo o reduzido número de bombeiros profissionais , 39, quando para uma população como a do nosso concelho o rácio recomendado seria de 100), denunciadas publicamente pelos bombeiros e pelo próprio comandante, a maioria do PSD votou contra a recomendação. Fernando Ruas disse na AM que por ele Viseu nunca teria bombeiros municipais (corporação que celebrar este ano o 185º aniversário), mas apenas voluntários; talvez porque ainda não pagou aos bombeiros municipais as horas ex-

traordinárias dos fogos do Verão passado. Muitos dos presidentes de junta que agora se confrontaram com a tragédia dos fogos florestais que destruíram matas e puseram em risco vidas humanas, na altura votaram contra ou se abstiveram de forma negligente e irresponsável. “Aliás, muitos populares têm acusado os proprietários de pinhais e os presidentes de Junta de não limparem os terrenos de que são proprietários. Por exemplo, a estrada do aeródromo, na freguesia do Campo há seis anos que não é limpa, apesar de queixas dos próprios Serviços de Metereologia, cujo edifício já nem se vê da estrada, tal é a altura das silvas. As mimosas invadem a faixa de rodagem, o que já provocou acidentes rodoviários. As lacunas de meios humanos tornam completamente desactualizado, não aplicado à realidade e na prática não existente o PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA, obrigatório por lei, o que equivale à demissão de funções do responsável máximo pela Protecção

Civil Municipal, o Presidente da Câmara Municipal de Viseu”. O abandono da Agricultura e o desinvestimento na floresta, bem como interioricídio levado a cabo com o encerramento de escolas, postos de Saúde, correios, tribunais e outros serviços públicos, fruto de uma estratégia errada de desenvolvimento seguida pelos sucessivos governos, não desculpa a falta de ordenamento e limpeza das florestas, por parte do Estado (governo e autarquias), nem a ausência de medidas eficazes para incentivar e obrigar os proprietários particulares a limpar as suas matas. Os proprietários florestais mais conscientes esbarram com a burocracia para aderirem aos programas, já por si com apoios pouco incentivadores, para o investimento florestal, que inclui as limpezas das florestas. Verifica-se ainda que os fundos comunitários para a Defesa da Floresta Contra Incêndios são consumidos maioritariamente no combate ao fogo, em detrimento da prevenção, o que seria mais eficaz e duradouro.

(Secção da responsabilidade do Núcleo de Viseu de “OLHO VIVO - Associação para a Defesa do Património Ambiente e Direitos Humanos”) Nota: Críticas e sugestões para a Associação OLHO VIVO, telefone: 912522690 - olhovivo.viseu@gmail.com olhovivoviseu.blogspot.com

O regresso das sessões regulares do Cine Clube de Viseu (CCV) terá lugar a 18 de Setembro, com os filmes do ciclo «RETOMA». A primeira edição deste ciclo data de 2004, “ano em que a palavra retoma entrou no inventário de promessas (sempre adiadas) feitas ao país”. Tem lugar, anualmente, em Setembro, e é, até ver, a única retoma visível – o regresso das sessões semanais do CCV, interrompidas em Junho. «Moonrise Kingdom», de

Wes Anderson, é a película a exibir no dia 18 de Setembro, seguindo-se «O Cavalo de Turim» - o primeiro Tarr a ter honras de estreia em sala em Portugal - a 2 de Outubro. Uma semana depois (9 de Outubro), será a vez de «A Gruta dos Sonhos Perdidos» e, a 16 do mesmo mês, o filme «Fora de Jogo». Para o dia 23 de Outubro está reservado «O Gebo e a Sombra», de Manoel de Oliveira, recém estreado no Festival de Veneza.

«UMA LUZ AO FUNDO DO TÚNEL» NA BIBLIOTECA MUNICIPAL DE MANGUALDE Está patente na Sala Polivalente da Biblioteca Municipal de Mangualde, até 28 de Setembro, a exposição «Uma luz ao fundo do túnel». Os trabalhos, da autoria de Fábio Rodrigues, são uma expressão da arte outsider e foram desenvolvidos essencialmente a partir de carvão e acrílico. Natural de Viseu, Fábio Miguel Pais Rodrigues nasceu em 1984. Desde muito cedo

sentiu um fascínio pelo mundo das artes, em especial pelas artes plásticas. Em 2000 entra no curso de Design da Escola Secundária de Nelas, mas logo percebeu que não era esse o seu caminho, tendo abandonado os estudos no 12º ano. Dedicado mais ao desenho no papel, desenvolveu um estilo próprio com algumas influências de artistas como Kandinsky, Dali, Cartoon, entre outros.


20/Via Rápida

DESPORTO

13/09/2012

OITO CLUBES NO TORNEIO DE GOLFE «FEIRA DE S. MATEUS 2012»

Por: Álvaro Marreco Integrado na centenária Feira de S. Mateus, realizou-se no Montebelo uma prova de golfe jogada na modalidade stableford/full-handicap e que contou

com a participação de sete dezenas de jogadores, em representação de oito clubes (Viseu, Sintra, Centro, Bica, Internacional, Nortada, Aroeira e Qª Lágrimas). O viseense Artur Ferreira foi

o grande triunfador da prova ao vencer categoricamente as duas classificações. Em gross, obteve 27 pontos e foi seguido pelo Sérgio Pereira com 26, José Marques 23, Adelino Nunes 22 e Carlos Rodrigues 21, Samuel

Barros 20, José Pinto 19 e Albino Ferreira e Agostinho Lopes 18. Em net, o score de 22+16 deram-lhe a vitória, porquanto o José Cunha Santos teve os mesmos 38 pontos, mas pior segunda volta (23+15). Seguiram-se, o Carlos Rodrigues com 37, Amândio Prata, Samuel Barros e Carlos Ferreira todos com 36 e Adelino Nunes e José Marques com 35. Como não é possível a acumulação de prémios, os mesmos foram assim distribuídos: Artur Ferreira (1º gross), José Cunha Santos (1º net), Carlos Rodrigues (2º net) e Amândio Prata (3º net), Fátima Campos (1ª senhora e longest drive), Albino Ferreira (longest drive) e Jaime Fernandes (nearest).

ABC DE NELAS APOSTA NA FORMAÇÃO DE JOVENS DO CONCELHO E DA REGIÃO A equipa sénior do ABC de Nelas prossegue a sua preparação para a época 2012/2013 na série C do Campeonato Nacional da 3ª Divisão de Futsal. A planificação delineada consubstancia-se, segundo a direcção, na aposta e maximização da formação do clube e de jovens jogadores do concelho e da região, ideia que vai ao encontro do que a equipa técnica também preconiza. “Trabalhar e potenciar uma equipa jovem, mas muito competitiva, para a nova época e, em paralelo, trabalhar os escalões de formação a curto e a médio prazo, são os grandes objectivos delineados por todo o grupo de trabalho”, reforçam os directores. A equipa técnica, liderada Augusto Assunção, é constituída ainda por César Neves (treinador adjunto), Hugo Moura e José Alberto “Zézé” (adjuntos técnicos e de guarda-redes). Augusto Assunção vai ainda exercer a função de Director

Técnico de todo o Futsal do ABC de Nelas, desde os Petizes até aos Seniores. Na equipa diretiva mantémse Carlos Jorge Matias como responsável máximo do futsal competição do ABC de Nelas, coadjuvado por Bruno Almeida,

Ernesto Esaú e João Reis. A estrutura médica é coordenada pelo médico Jorge Alves, e o acompanhamento e cuidados de saúde e fisioterapia estão a cargo da clínica Planycorpo, em articulação com o massagista em permanência, José Alfredo

Monteiro. Com vagas ainda a definir com jogadores que vão fazer a pré-época, o plantel integra, para já os seguintes atletas: Guarda-redes: Zé Tó, 24 anos; Tiago Gomes, 20 anos; e Henrique Liberato, 18 anos. Jogadores de campo: André Coelho, 18 anos; Bruno Costa, 31 anos; Bruno Marques, 29 anos; Diogo Pedrosa, 25 anos (ex-Seia FC)M Edú, 28 anos; Mário Faria, 21 anos (ex-Balsa Nova); Mauro, 25 anos (ex-Seia FC); Paulo Rodrigues, 27 anos, Rafa, 19 anos; e Ricardinho, 20 anos (ex-Balsa Nova)

13/09/2012

PUBLICIDADE

5/Via Rápida


4/Via Rápida

REGIÃO

13/09/2012

«PROHABIT» APOIOU EM 2012 MAIS 73 FAMÍLIAS CARENCIADAS EM VISEU Com mais onze candidaturas aprovadas condicionalmente (aguardam apenas a apresentação do respectivo projecto) e a representartem um apoio de mais 54.300 euros, o «Prohabit», um programa de apoio à recuperação de habitações lançado há dez anos pela Câmara Municipal de Viseu, deferiu este ano 73 das 113 candidaturas apresentadas por outras tantas famílias do concelho. Na última terça-feira, no Solar do Vinho do Dão, foram entregues aos 73 beneficiários, os cerca de 289 mil euros atribuídos para apoiar intervenções nas suas residências. Na cerimónia, presidida pelo vice-presidente da Câmara Municipal de Viseu, Américo Nunes, o vereador Hermínio Magalhães recordou que ao longo dos seus dez anos de vigência, o «Prohabit» - um programa municipal que visa apoiar a melhoria das condições de habitabilidade de residências, sobretudo ao nível da higiene e segurança - já beneficiou cerca de

900 famílias, com ajudas que atingem um montante global de 3,3 milhões de euros. Em 2011, o mesmo programa deferiu projectos de inter-

venção no valor de 360 mil euros, e de 59.130 euros a projectos aprovados condicionalmente. “Estamos empenhados em

DESPORTO

do interesse público. Este acordo permitiu que a maior empresa do distrito tivesse condições para crescer e se adaptar às novas exigências do mercado com garante de emprego para os próximos anos e ao mesmo tempo a possibilidade de requalificar a malha urbana da cidade Para João Azevedo, presidente da Câmara Municipal de Mangualde, “esta foi uma empreitada há muito ansiada pela população e que vem agora melhor a qualidade de vida e de circulação viária da cidade”. E que “só foi possível”, segundo o autarca, “porque o contrato programa foi assinado em 2010, com o Governo Socialista, antes de o país e o mundo serem atropelados por esta crise mundial e pelas medidas do actual Governo”.

Director: Ricardo Silva • Redacção - Chefe de Redacção: José Cardoso • Colaboradores:Afonso Marques, Carlos Bergeron, Carlos Vieira e Castro, José Lapa, José Reis, Luís Lopes, Manuel Morgado Propriedade: José Cardoso • Depósito legal n.º 146546/00 • N.º de registo no ICS - 117441 N.º fiscal de contribuinte - 135605547 • Departamento Comercial: Luísa Matos (publicidade@jornalviarapida.com) Edição On-line: Marco Alexandre • Paginação e Arranjo Gráfico: ROSTO CRIATIVO - Viseu Impressão: TIPOGRAFIA OCIDENTAL - Viseu • Tiragem: 4.000 Ex. www.jornalviarapida.com Os artigos de opinião publicados neste Jornal são da exclusiva responsabilidade dos seus autores. Sede e Redacção: Rua D. Francisco Alexandre Lobo, 55-3.º dto • 3500-071 Viseu Contactos: Tel. - 232426058 • Telem. - 966061468 • Fax - 232426058 • E-mails - geral@jornalviarapida.com - publicidade@jornalviarapida.com

21/Via Rápida

UNIDOS DA ESTAÇÃO «ATACA» HEPTACAMPEONATO DE FUTSAL

Com a bancada bem composta e numa cerimónia simples mas carregada de significado, a Associação Unidos da Estação apresentou o plantel para a época 2012/2013. Antes da apresentação das jogadoras que fazem parte do plantel que, segundo a direcção da colectividade vai «atacar» o heptacampeonato, foi também apresentado o novo símbolo que identificará o clube a partir de agora. Seguiu-se um jogo com as campeãs da A.F.Guarda, jogo onde o que menos contava era o resultado, mas que terminou com uma vitória da equipa da casa por 4-2. O plantel para a época 2012/2013 está assim constituído: Sara Oliveira, Cindy Nadil (ex-Vilar de Besteiros), Ana Patrícia Ribeiro, Paula Morais, Lígia Rocha, Rita Brotas, Bruna Morais, Nádia Tatiana, Marlene Rodrigues (ex-Inter Futsal Tarouca), Rita Marques, Salomé Félix (ex-Inter Futsal Tarouca), Marta Matos, Ana Silva, Marta Coelho, Carolina Bastos (regressada após 2 épocas), e Bruna Dias (ex-Benfica de Mortágua)

FIM DE SEMANA EM CHEIO PARA O BASQUETEBOL DISTRITAL

II TORNEIO «CIDADE TERMAL DE S. PEDRO DO SUL»

que este programa de ajuda se mantenha, ao longo dos próximos anos, com o mesmo volume de apoios”, concluiu Hermínio Magalhães.

CÂMARA DE MANGUALDE CONCLUI QUALIFICAÇÃO DE TROÇO DA CIRCULAR NORTE Está concluída e inaugurada, dois anos depois da assinatura do respectivo acordo com o Governo, a empreitada de qualificação do troço Estrada Nacional (EN234) – Rua Alexandre Herculano e ramo CM1444 até ao cemitério, que integra a Circular Norte a Mangualde e garante a ligação da EN16 à EN234. O investimento rondou os 670 mil euros. Adjudicada a 26 de Maio de 2011, a empreitada incluiu intervenções, ao longo de 900 metros de extensão, no betuminoso, passeios, iluminação pública, e infraestruturas subterrâneas (redes de água, saneamento, telecomunicações, EDP e de gás). A qualificação, ditada pela cedência do troço da EN16 à PSA, foi o resultado de negociações com o governo em prol

13/09/2012

A Associação de Basquetebol de Viseu (ABV), com o apoio da Expovis, organiza este fim de semana (15 e 16 de Setembro), no parque desportivo do Fontelo, um conjunto de actividades integradas no programa oficial da Feira de São Mateus. A manhã de sábado será dedicada às provas do IV Convívio de Minibasquete, para escalões de sub 10 e 12 (masc./fem.) e IV Torneio Street Basket Sub 14, em masculinos. Segue-se o I Triangular Feira de S.Mateus, em escalões de sub 14

femininos com a participação do Acert (Tondela), Casa do Benfica de Stª Comba Dão e do Sporting Clube de Braga. Os jogos serão disputados entre entre as 10:00 e as 13.00, sendo depois servido um lanche a todos os participantes (jogadores, treinadores, dirigentes). Para o Pavilhão Municipal do Fontelo, está agendado, a partir das 16,30 horas, o XXIV Torneio Feira de S.Mateus no escalão de sub 18 masculino, com a Ovarense a defrontar o Gumirães, seguindo-se ao jogo

LUSITANO DE VILDEMOINHOS CONTRATA FRIDAY

O Lusitano Futebol Clube chegou a acordo com o atleta, Friday Augustine Ngbe, para representar a equipa senior do clube. O contrato, agora assinado, terá a duração de uma época. O jovem avançado nigeriano, de 20 anos, que na época passada representou o Alta de Lisboa, conta ainda, no seu historial com passagens pelo Famalicão, Real Sport Clube, Belenenses e Sport Lisboa e Benfica.

entre o Futebol Clube do Porto e o Diogo Cão de Vila Real. No domingo com início às 9.30 horas, será disputado o jogo entre os vencidos, seguindo-se a final do Torneio. Ainda na tarde de sábado terá lugar, na sala 2 do Estádio Municipal do Fontelo, a II Acção de Formação subordinada ao tema «Estruturação e sustentabilidade de projectos desportivos para o Basquetebol», que terá como palestrante Carlos Vaqueiro, da Coordenação de Formação do F.C. do Porto.

A Associação de Basquetebol de Viseu e o Clube Bola Basket, organizam nos próximos dias 29 e 30 de Setembro, o II Torneio «Cidade Termal de S. Pedro do Sul», um evento que conta com o apoio institucional da Câmara Municipal. Na edição deste ano participam quatro equipas seniores da Liga Portuguesa de Basquetebol: Algés e Dafundo, Guimarães, Ovarense e Sampaense.


PUBLICIDADE

22/Via Rápida

CARTÓRIO NOTARIAL Notária – Anabela Maria Bicho Oliveira Antunes Ferreira Rua Conselheiro Afonso de Melo, 31,3.º - Salas 306 e 307 – VISEU EXTRACTO Certifico, narrativamente, para efeitos de publicação, que foi exarada hoje, neste Cartório, sito na Rua Conselheiro Afonso de Melo, 31, 3.º andar, Salas 306 e 307, em Viseu, de folhas 94 a folhas 96 verso, do livro de notas para escrituras diversas com o número 112-A, uma escritura de Justificação, pela qual, Agostinho Pereira Cardoso e mulher Maria Alexandre do Outeiro, casados sob o regime da comunhão geral, naturais da freguesia de Bodiosa, concelho de Viseu, onde residem no lugar de Aval, se declararam, com exclusão de outrem, donos e legítimos possuidores do seguinte prédio: Urbano, sito em Aval, freguesia de Bodiosa, concelho de Viseu, composto por casa de habitação, com dois pavimentos, com a superfície coberta de vinte e oito metros quadrados, que confronta do norte com caminho público, do sul com Alfredo Almeida, do nascente com Custódia Luz e do poente com rua pública, omisso na Segunda Conservatória do Registo Predial de Viseu, inscrito na matriz, em nome de Jerónima de Almeida, sob o artigo 594. Mais certifico, que os justificantes alegaram na dita escritura, terem adquirido o identificado prédio no ano de mil novecentos e oitenta e nove, por doação meramente verbal dos pais da outorgante Armando do Outeiro e Joaquina de Jesus Alexandre, residentes que foram em Pereiras, Bodiosa, Viseu, os quais o tinham adquirido por permuta meramente verbal com a titular inscrita em mil novecentos e sessenta, sem que no entanto ficassem a dispor de título formal que lhes permita o respectivo registo na Conservatória do Registo Predial; mas desde logo entraram na posse e fruição do prédio, em nome próprio, posse que assim detêm há mais de vinte anos, sem interrupção ou ocultação de quem quer que seja, sendo porém certo que têm exercido no aludido prédio, os poderes de facto correspondentes ao direito de propriedade, fruindo como donos as utilidades possíveis à vista de todos e sem discussão nem oposição de ninguém, tendo assim invocado a sua aquisição por usucapião. Está conforme o original. Viseu, 31 de Agosto de 2012 A Técnica do Notariado no uso de poderes delegados pela Notária: (Paula Cristina Cardoso Pinto Correia) (Jornal Via Rápida 13.09.2012)

CARTÓRIO NOTARIAL Notária – Anabela Maria Bicho Oliveira Antunes Ferreira Rua Conselheiro Afonso de Melo, 31,3.º - Salas 306 e 307 – VISEU EXTRACTO Certifico, narrativamente, para efeitos de publicação, que foi exarada hoje, neste Cartório, sito na Rua Conselheiro Afonso de Melo, 31, 3.º andar, Salas 306 e 307, em Viseu, de folhas 115 a folhas 116, do livro de notas para escrituras diversas com o número 112-A, uma escritura de Justificação, pela qual, Vasco de Almeida Lameira, e mulher Lucília de Almeida Carragoso, ambos naturais da freguesia de Mundão, concelho de Viseu, onde residem na Rua da Capela n.º 2, Póvoa, casados sob o regime da comunhão geral, se declararam, com exclusão de outrem, donos e legítimos possuidores do seguinte prédio: Rústico, sito nos Sangarinhos, freguesia de Mundão concelho de Viseu, composto por pinhal, com a área de quatro mil e oitocentos metros quadrados, que confronta do norte com Lourenço Lopes Carragoso, do sul com Arminda de Jesus, do nascente com serviços florestais e do poente com José de Almeida Novais e outro, omisso na Segunda Conservatória do Registo Predial de Viseu, inscrito na matriz, em nome de Maria de Almeida, sob o artigo 58. Mais certifico que os justificantes alegaram na dita escritura, terem adquirido o identificado prédio no ano de mil novecentos e oitenta e dois, por compra meramente verbal à titular inscrita na matriz, viúva, que foi residente em Rio de Loba, Viseu, sem que no entanto ficassem a dispor de título formal que lhes permita o respectivo registo na Conservatória do Registo Predial; mas desde logo entraram na posse e fruição do prédio, em nome próprio, posse que assim detêm há mais de vinte anos, sem interrupção ou ocultação de quem quer que seja, sendo porém certo que têm exercido no aludido prédio, os poderes de facto correspondentes ao direito de propriedade, fruindo como donos as utilidades possíveis à vista de todos e sem discussão nem oposição de ninguém, tendo assim invocado a sua aquisição por usucapião. Está conforme o original. Viseu, 10 de Setembro de 2012 A Técnica do Notariado no uso de poderes delegados pela Notária: (Elisabete Lopes dos Santos Paiva) (Jornal Via Rápida 13.09.2012)

CARTÓRIO NOTARIAL Notária – Marina da Conceição de Sousa Alves Martins de Carvalho Rua dos Olivais n.º 4 – VISEU EXTRACTO Marina da Conceição de Sousa Alves Martins de Carvalho, notária deste Cartório, certifico, narrativamente, para efeitos de publicação, que no Cartório Notarial de Viseu, sito na Rua dos Olivais, nº 4, no livro de notas nº 144 a folhas 99 foi lavrada uma escritura de Justificação, pela qual JOSÉ ANTÓNIO DE ALMEIDA MELO, c.f nº 108469646, e mulher ANA MARIA NÉRI LOURENÇO, c.f. 116024372, casados em comunhão de adquiridos, naturais da freguesia de Rio de Loba, concelho de Viseu onde residem no lugar de Travassós de Cima, declararam que são donos e legítimos possuidores, com exclusão de outrém, um prédio rústico – terra de semeadura, sito em Gamita freguesia de Rio de Loba, concelho de Viseu, com a área de trezentos e cinquenta e cinco metros quadrados, a confinar do norte com Emídio Mesquita, sul Alfredo Mesquita, nascente António Mesquita Cristóvão e de poente com Domingos

13/09/2012

13/09/2012

ACTUALIDADE

3/Via Rápida

FOTOS: JOSÉ ALFREDO

CARTÓRIO NOTARIAL Notária – Anabela Maria Bicho Oliveira Antunes Ferreira Rua Conselheiro Afonso de Melo, 31,3.º - Salas 306 e 307 – VISEU EXTRACTO Certifico, narrativamente, para efeitos de publicação, que foi exarada hoje, neste Cartório, sito na Rua Conselheiro Afonso de Melo, 31, 3.º andar, Salas 306 e 307, em Viseu, de folhas 112 a folhas 114, do livro de notas para escrituras diversas com o número 112-A, uma escritura de Justificação, pela qual, Hermínio Rodrigues do Outeiro, solteiro, maior, natural da freguesia do Campo, concelho de Viseu, onde reside, na R. das Lameiras, n.º 18, em Vila Nova do Campo, e Gonçalo Esteves, natural da referida freguesia do Campo, e mulher Sandra Cristina Fernandes de Oliveira Esteves, natural da freguesia de Viseu (Santa Maria de Viseu), concelho de Viseu, casados sob o regime da comunhão de adquiridos, residentes na Estrada Nova, no lugar de Vila Nova, Campo referido, se declararam, com exclusão de outrem, donos e legítimos possuidores dos seguintes prédios: O primeiro outorgante, Hermínio, do prédio urbano sito em Vila Nova, freguesia do Campo, concelho de Viseu, composto por casa de habitação de três pavimentos, com a superfície coberta de cento e vinte e oito metros e oitenta decímetros quadrados, que confronta do norte e nascente com Rua, do sul e poente com Gonçalo Esteves, inscrito na matriz, em nome do justificante, sob o artigo 2065 (que teve origem no artigo 211); O segundo outorgante, Gonçalo, do prédio urbano sito em Vila Nova, freguesia do Campo, concelho de Viseu, composto por casa de habitação de três pavimentos, com a superfície coberta de sessenta e nove metros e cinquenta decímetros quadrados e descoberta de trinta e quatro metros e quarenta decímetros quadrados, que confronta do norte com Rua, do sul e poente com Gonçalo Esteves, e do nascente com Hermínio Rodrigues do Outeiro, inscrito na matriz, em nome do justificante, sob o artigo 2064 (que teve origem no artigo 211). Que o prédio que deu origem a estes dois, inscrito na matriz sob o artigo 211, está descrito na Segunda Conservatória do Registo Predial de Viseu sob o número oito mil seiscentos e noventa e dois, da aludida freguesia do Campo, com aquisição registada a favor de Adelino Rodrigues do Outeiro e Arminda Esteves, casados, residentes em Vila Nova, Campo, Viseu, pela Apresentação um de treze de Outubro de mil novecentos e quarenta e três. Por óbito do titular inscrito, Adelino Rodrigues do Outeiro, os seus herdeiros procederam no ano de mil novecentos e cinquenta e um, a partilha meramente verbal, e adjudicaram o imóvel à sua viúva, Arminda Esteves, que por escritura de doação exarada a folhas dezassete do Livro Duzentos e setenta e seis – A, do Cartório da Secretaria de Viseu, em quatro de Abril de mil novecentos e cinquenta e nove, doou o imóvel descrito, em comum e partes iguais, aos filhos, Hermínio Rodrigues do Outeiro e Maria José Esteves e marido António Esteves, reservando para ela, que já faleceu, o usufruto; Por óbito do referido António Esteves, procedeu-se a Inventário Obrigatório que correu termos na Terceira Secção do Tribunal Judicial de Viseu com o número onze barra oitenta e três, com sentença de vinte e nove de Março de mil novecentos e oitenta e quatro, transitada em julgado, em que a referida metade indivisa – ali verba dezassete – foi adjudicada à viúva Maria José Esteves; Por escritura de Divisão e Doação, outorgada em vinte e cinco de Maio de mil novecentos e noventa e cinco, exarada a folhas oitenta e seis do Livro Setecentos e setenta e seis – D, do Primeiro Cartório Notarial de Viseu, rectificada por escritura de hoje exarada a folhas cento e dez, deste Livro, os referidos Maria José Esteves e Hermínio Rodrigues do Outeiro, procederam à divisão de coisa comum do referido prédio inscrito na matriz sob o artigo 211, que deu origem aos dois imóveis descritos em a) e b), ficando a pertencer na sequência da divisão, a Maria José Esteves o imóvel descrito na alínea b), que o transmitiu pela mesma escritura por doação ao filho, ora representado da primeira outorgante. Que assim, justificam por este meio o seu direito de propriedade sobre os citados imóveis. Está conforme o original. Viseu, 10 de Setembro de 2012 A Técnica do Notariado no uso de poderes delegados pela Notária: (Paula Cristina Cardoso Pinto Correia) (Jornal Via Rápida 13.09.2012)

Gonçalves; inscrito na matriz sob o artigo 1657, não descrito na Primeira Conservatória do Registo Predial de Viseu. Que o referido prédio veio à posse dos justificantes, por compra que fizeram a Lucinda Mesquita que foi residente em Travassós de Cima indicada, no ano de mil novecentos e oitenta e dois, sem que tivessem formalizado qualquer acto de transmissão, tendo também casado no mesmo ano. Que, dado o modo de aquisição, não têm os justificantes possibilidades de comprovar pelos meios normais o seu direito de propriedade, mas a verdade é que são donos do mencionado prédio, pois dele têm usufruído, semeando as culturas típicas da região, milho feijão e batatas o que fazem há mais de vinte anos, ininterruptamente, à vista e com o conhecimento de toda a gente, sem a menor oposição de quem quer que fosse, exercendo no prédio uma posse contínua, pública e pacífica, pelo que o adquiriram por usucapião que a seu favor invocam. ESTÁ CONFORME O ORIGINAL. Cartório Notarial, Rua dos Olivais nº 4 – 12/09/2012 A Notária: Marina da Conceição de Sousa Alves Martins de Carvalho (Jornal Via Rápida 30.08.2012)

EXPERIMENTAÇÃO DEMONSTRAÇÃO E APOIO À VITIVINICULTURA

NELAS SEGURA CENTRO DE ESTUDOS VITIVINÍCOLAS DO DÃO - ISAURA PEDRO COLOCA PONTO FINAL NAS PREOCUPAÇÕES E DÚVIDAS SOBRE O FUTURO DO ORGANISMO O Centro de Estudos Vitivinícolas (CEV) do Dão, vai continuar a manter a sua estrutura funcional em Nelas, afastando assim as ameaças que pairavam sobre a sua continuidade no «coração do Dão», face a uma futura reestruturação dos serviços regionais de agricultura. O PSD, através dos deputados eleitos pelo distrito, já se congratulou com a garantia dada pela ministra Assunção Cristas, e Isaura Pedro, presidente da Câmara Municipal de Nelas, confirma que o CEV do Dão será mesmo “reforçado” nas suas competências. “Existe da parte do Governo um reconhecimento do trabalho efectuado pelo Centro de Estudos Vitivinícolas ao longo dos

anos. Congratulamo-nos por isso, e podemos hoje anunciar que o organismo irá ter um reforço na investigação aplicada, com forte articulação entre agentes privados e públicos, o que permitirá um aumento de qualidade e competitividade dos nossos vinhos”, sublinhou Isaura Pedro na cerimónia de inauguração da 21.ª Feira do Vinho do Dão, uma referência “indiscutível” no panorama dos certames dedicados ao sector em toda a Região. O anúncio foi feito um dia depois dos deputados de Viseu do PSD terem também obtido da ministra da Agricultura, do Ambiente e Ordenamento do Território, Assunção Cristas, a garantia do reconhecimento do CEV do Dão como um importante centro de experimentação

e investigação, como preconiza também, “independentemente da estrutura organizacional do seu ministério, o reforço da articulação entre aquele organismo e as direcções regionais de Agricultura e Pescas, Instituto Nacional de Investigação Agrária e as organizações de produtores. “Estamos convictos de que este reforço da investigação permitirá uma maior afirmação do CEV do Dão, em parceria com os diferentes agentes do sector, melhorando a qualidade das nossas vinhas e vinhos, num claro benefício para os produtores, aumentando a competitividade de uma fileira estratégica para a nossa economia local”, congratulam-se os deputados do PSD/Viseu.

Instalado num edifício rústico localizado na Quinta da Cale, em Nelas, rodeado por Fotos:e Rui da Cruz campo de cultivo de vinha e de outros pequenos edifícios de apoio, o Centro de Estudos Vitivinícolas do Dão desenvolve actividades de experimentação, demonstração e apoio à vitivinicultura da Região Demarcada do Dão. Criado em 1946, manteve-se na dependência da Estação Agrária de Viseu até 1958, altura em que obteve a sua autonomia administrativa. Ficou afecto à Direcção Geral dos Serviços Agrícolas até 1978, ano em que passou a ficar na dependência da Direcção Regional de Agricultura da Beira Litoral (DRABL). Em 1980 o CEV do Dão é integrado na Estação Vitivinícola Nacional, onde permanece até 1980, ano em que regressa à dependência da DRABL. As funções do organismo centram-se na experimentação vitivinícola, nomeadamente ao nível de sistema de condução de vinha; selecção massal e clonal da videira; nutrição e fertilização da vinha; identificação, caracterização e conservação de castas regionais; produção integrada da vinha; definição de possíveis encepamentos; estudo das diferentes tecnologias de fabrico dos vinhos do Dão; apoio aos vitivinicultores; formação profissional para agricultores e técnicos; distribuição de material vegetativo; e apoio no condicionamento da cultura da vinha.


2/Via Rápida

OPINIÃO

13/09/2012

“QUE SE LIXE A TROIKA, QUEREMOS AS NOSSAS VIDAS!” SÁBADO, 15 DE SETEMBRO, VISEU VAI ENCHER O ROSSIO

PUBLICIDADE

13/09/2012

JOÃO CARRILHO

ALUGA-SE

CIRURGIA PLÁSTICA E MAXILO-FACIAL CONSULTAS POR MARCAÇÃO ERGOGYME - CASA DE SAÚDE DE S. MATEUS

23/Via Rápida

ALUGA-SE

MORADIA T5

ARMAZÉM 450M2

a 2 min. do centro de Viseu Trata o próprio Tlm.: 936 954 696

a 2 min. do centro de Viseu Trata o próprio Tlm.: 936 954 696

Telef.: 232 424 879

VENDE-SE Ainda Agosto se espraiava sob o Sol modorrento e já um grupo de cidadãos de diversas áreas – investigadores, artistas, desempregados – preocupados e indignados com a “austeridade que nos impõem e que nos destrói a dignidade e a vida” convocaram, nas redes sociais, uma manifestação em Lisboa contra a Troika. “Se nos querem vergar e forçar a aceitar o desemprego, a precariedade e a desigualdade como modo de vida, responderemos com a força da democracia, da liberdade, da mobilização e da luta. Queremos tomar nas nossas mãos as decisões do presente para construir um futuro”, lê-se no seu manifesto. Quando Passos Coelho anunciou, na passada sexta-feira, mais medidas de austeridade o número de aderentes aumentou exponencialmente e são mais de 32 mil pessoas a confirmar a presença nas manifestações que entretanto foram sendo convocadas noutras cidades: Porto (mais de 15 mil confirmações), Braga, Coimbra, Aveiro, Guarda, Vila Real, Moncorvo, Castelo Branco, Covilhã, Leiria, Faro, Portimão, Loulé, Funchal, Viseu e ainda no Brasil, em frente ao consulado Português em Fortaleza. Os promotores apelam aos que não puderem participar directamente em nenhuma das manifestações para que não deixem de expressar a sua indignação, ainda que de forma menos activa. “Cole-se um cartaz à janela (de casa, do carro, no chapéu de sol na praia) com o slogan "Que se Lixe a Troika! Queremos as nossas Vidas". Mas certamente que os viseenses irão encher o Rossio, como fizeram no 12 de Março, contra os ataques ao Estado Social e contra a austeridade imposta pelo governo de Sócrates, antes ainda da Troika ter aterrado na nossa longa e larga complacência com as “máfias” que nos têm governado alternadamente, conduzindo o país para a insustentabilidade económica. Agora, já nem os ditames da Troika ilibam o governo de conduzir o país para o abismo, aliando a incompetência à estupidez. O ministro das Finanças, apesar da Troika ter concedido mais um ano para a redução do défice para menos de 3%, precisando apenas de 850 milhões de euros para o fazer descer dos 5% deste ano para os 4,5% combinados com a Troika para 2013, quer pôr-nos a pagar seis vezes mais, talvez por já não acreditar assim tanto na sua receita que tem vindo a agravar ainda mais a recessão que está a matar os portugueses. Digo matar, não apenas em sentido figurado (“matar à fome”), mas também no sentido

MORADIA, bem localizada, boas vistas a 9 Km da cidade, excelentes acessos

Contactar: 966 061 468

Dr. MÁRIO CHAVES LOUREIRO (Médico Especialista) ALERGOLOGIA e PNEUMOLOGIA Saiu da Casa de Saúde S. Mateus e mudou consultório para CLÍNICA CARPA

Dra. CARLA CHAVES LOUREIRO (Médica Especialista) PEDIATRIA e ALERGIA em PEDIATRIA literal: em cada 4 dias suicida-se um português! A situação social é tão grave que o governo PSD/CDS viu as medidas anunciadas criticadas até por gente da sua área política. Desde ex-ministros do PSD e do CDS, até à JSD e aos TSD. Bagão Félix denunciou a subida da contribuição dos trabalhadores para a Segurança Social como “um imposto puro e duro”, e as alterações no IRS como “um aumento violento da carga fiscal”, desmascarando, assim, o falso “álibi” do CDS para fingir que não está no local do crime, depois de Paulo Portas ter escrito aos militantes a dizer que não aceitaria mais subida de impostos. Ou o CDS se demite do governo ou é cúmplice, tal como o silêncio presidencial, deste vergonhoso roubo aos pensionistas e aos trabalhadores (até o Salário Mínimo Nacional descerá para 397 euros líquidos, menos 34 euros por mês). As confederações patronais e a Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição já desmentiram Passos e Gaspar, ao garantirem que não vão criar mais empregos, dado que a redução da TSU não compensará a quebra nas vendas devida à perda ainda mais acentuada do poder de compra dos clientes. Ao PS não basta para, dar um ar de es-

querda, que Seguro deixe votar contra o próximo Orçamento de Estado – é preciso que rasgue o memorando que assinou com a Troika por as medidas implementadas violarem o quadro constitucional. E aos mais fanáticos neoliberais que dizem que a Esquerda não apresenta alternativas, basta lembrar que os 3.446 milhões de euros que o governo descobriu terem sido transferidos ilegalmente para offshores, por capitalistas a quem cobrou apenas 7,5% em troca dos 8 anos de prisão, se pagassem os mesmos impostos que qualquer trabalhador, dariam ao Estado 2 mil milhões de euros, sensivelmente a mesma importância que o governo tirou aos trabalhadores da Função Pública e aos reformados. O isolamento de Passos e Gaspar é gritante e deviam levá-los à demissão. Mas, como a vergonha também já deve ter emigrado, têm de ser os portugueses que ainda por cá vão resistindo a tornar mais claro que este governo já não tem condições para continuar a desgovernar Portugal.

vieiraecastro@gmail.com O autor não segue o (des)acordo ortográfico por razões meramente linguísticas

MARCAÇÕES PELO TEL. 232 425 189

CLÍNICA CARPA R. ALEXANDRE LOBO, 59 - VISEU (frente à Igreja do Carmo - Lg. Sta. Cristina)

CONSULTAS - TESTES de ALERGIA PROVAS de FUNÇÃO RESPIRATÓRIA

CONCEIÇÃO NEVES MICAELA FERREIRA ADVOGADAS

FORUM VISEU (entrada junto à ponte da Av. António José de Almeida)

Tel. 232 421 225


13/09/2012

PINTURA AO AR LIVRE INVADE CENTRO HISTÓRICO DE VISEU

NOVOS CONFRADES NA FAMÍLIA DOS ENÓFILOS DO DÃO O secretário de Estado da Agricultura, José Diogo Santiago Albuquerque, o prestigiado jornalista de vinhos brasileiro, Jorge Carrara, e o crítico de vinhos internacional Paul White, já fazem parte do grupo de 300 confrades da Confraria dos Enófilos do Dão. Uma instituição à qual aderiram também o secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Monteiro e o presidente da ViniPortugal, Jorge Monteiro. A cerimónia de entronização decorreu no último domingo (9 de Setembro) no Solar do Vinho do Dão, onde os novos confrades se comprometeram a “defender e promover o Vinho do Dão”, enquanto produto maior da centenária e primeira Região Demarcada portuguesa de vinhos não licorosos. Por motivos de agenda, não se concretizou, como estava previsto acontecer em Nelas, a entronização da ministra da Agricultura, Assunção Cristas. Da Confraria dos Enófilos do Dão já fazem parte 300 confrades, entre os quais relevantes nomes da vida pública portu-

13/09/12 • PREÇO: 0,50 €

SAI ÀS QUINTAS-FEIRAS QUINZENÁRIO REGIONAL • Director: RICARDO SILVA • ANO XVIII • Nº 471

(IVA incluído)

Autorizado a circular em invólucro fechado Despacho DE 0464 - 2005 - DCN PODE ABRIR-SE PARA VERIFICAÇÃO POSTAL

CLIENTE 187631

Autorização Nº DE 0464 - 2005 - DCN

FICTON DESAFIA A CRISE guesa: Durão Barroso, Jorge Sampaio, Amália Rodrigues, Condessa de Santar, D. Duarte Pio de Bragança, Vítor Sobral, Luís Américo, Hélio Loureiro e

Chakall, José Fonseca e Costa, Paulo Teixeira Pinto, Vasco D´Avillez, António Homem Cardoso, e os jornalistas João Paulo Martins, José Salvador,

MARCHA DA MULHER DURIENSE JUNTOU 850 EM LAMEGO

FEIRA INDUSTRIAL E COMERCIAL DE TONDELA COM “O MELHOR E MAIS VARIADO PROGRAMA DE SEMPRE”

Luís Costa, Luís Baila, Fátima Campos Ferreira, Aníbal Coutinho, Rui Falcão, Célia Lourenço, Ricardo Castilho, entre outros.

Uma imensa multidão percorreu as principais ruas e avenidas da cidade de Lamego durante a última manhã das Festas em Honra de Nossa Senhora dos Remédios com o objetivo de homenagear a mulher do Douro e incentivar os lamecenses a praticarem exercício físico. À cabeça da 3ª Marcha e Corrida da Mulher Duriense seguiam Vanessa Fernandes, medalha de prata em triatlo nos Jogos Olímpicos de Pequim, e Albertina Dias, ex-campeã mundial de corta-mato. Atrás delas, um longo cortejo formado por mais de 850 participantes, de todas as idades, mas sobretudo mulheres, aceitaram o repto de integrar a caminhada de arranque da nova época do Programa Nacional de Marcha e Corrida. Com uma distância aproximada de cinco quilómetros, a Marcha e Corrida da Mulher Duriense já se impôs como um evento de referência no nosso país vocacionado para a promoção da saúde. Este ano, para além de Vanessa Fernandes, madrinha da iniciativa, e Albertina Dias, outros atletas de destaque do atletismo português quiseram marcar presença: Vasco Azevedo, José Moreira e Licínio Pimentel. Cada inscrição teve o valor de dois euros, revertendo metade deste montante a favor da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Lamego

«PROHABIT» APOIA EM 2012 MAIS 73 FAMÍLIAS CARENCIADAS EM VISEU

NOVOS CONFRADES NA FAMÍLIA DOS ENÓFILOS DO DÃO

NELAS SEGURA CENTRO DE ESTUDOS VITIVINÍCOLAS DO DÃO


Edicao 13-09-2012