Issuu on Google+

Julho / Agosto de 2010 Ano I - Nº 5 - R$ 6,00

9 772176 575002

00005

Ano 01 - Número 05 - R$ 6,00 - ISSN 21765758

Vovôs antenados: terceira idade descobre a internet

Aline Barros fala da carreira e das manias que tem Crack: a droga que rouba a vida

Pilates: a atividade física que equilibra corpo e mente Conheça o trabalho da fisioterapeuta Laureen Garcia, especialista na técnica


EDITORIAL

Olá a todos. Mal nos curamos da ressaca da Copa do mundo, (que decepção!), e já estamos entrando em época de campanha eleitoral. Será coincidência, o fato de as eleições acontecerem, ou nos anos de Copa do Mundo, ou nos anos de Olimpíadas? É algo para se pensar. Deixando isso de lado, voltamos com tudo nesta edição. A Via Maxi está recheada com muitas reportagens interessantes, com gente que faz e acontece, novidades, tecnologia, beleza, saúde, culinária, esporte, cultura e muito mais. Notícias e alto astral. Aliás, gostaria de reafirmar o nosso compromisso na publicação de boas notícias. A Via Maxi não quer divulgar factuais, mas sim, repercuti-los de uma forma mais completa. Somos uma revista bimestral, não temos a obrigação do jornalismo diário. Fazemos críticas sim, levantamos problemas, mas queremos, por princípio, exaltar o que há de bom nessa nossa região. E como tem coisas, gente interessante e competente para mostrar! Pessoas e ações que acrescentam, que constroem e fazem a diferença nesse mundo, onde não é preciso sair de casa para que as notícias ruins cheguem a todo tempo. Há espaço e preferência para todo o tipo de leitura e informação, pois, conhecimento e cultura nunca são demais. É assim que conquistamos a sua confiança. Os vários e-mails que recebemos, os comentários de rua comprovam essa credibilidade. Nós agradecemos muito pelo carinho e, principalmente, pelo seu respeito ao nosso trabalho, que não é recente. Temos uma vasta experiência no que fazemos. Obrigada mais uma vez. Vale lembrar que a revista é um espaço de vocês. Continuem enviando sugestões e ajudem a construir o conteúdo da próxima edição. A Via Maxi é nossa. Abraços a todos e boa leitura. Ana Lucia Molina Bez

ISNN 2176-5758 Publicação de propriedade de Via Maxi Comunicação Ltda. CNPJ: 10.955.909/0001-57 R. Coronel Joaquim Piza, 441 Fone: (14) 3471-3895 CEP: 17.400-000 - Garça - SP e-mail: viamaxi.com@gmail.com Jornalista Responsável: Ana Lucia Molina Bez - MTb 23.861

Fotografia e Arte Carlos Nogaroto - MTb 29.693

Revisão Prof. M.Sc. Edson R. Bogas Garcia

Impressão e acabamento Impress Grafica e Editora CNPJ: 00.433.100/0001-01 Presidente Prudente - SP (18) 3908-3444 / 3908-8134

Os artigos assinados e o conteúdo das publicidades são de inteira responsabilidade de seus autores e não refletem, necessariamente, a opinião da revista Via Maxi.


SUMÁRIO

4 - Aline Barros, fenômeno

6 - Conheça o Studio Vi-

10 - Você sabe o que é Vi-

13 - Tenha um relaciona-

16 - Onde está Você,

21 - Tecnologia: um balan-

28 - Fisk reúne alunos e fa-

36 - Na editoria Eu Vi,

da música Gospel no Brasil, fala de Deus, da carreira e da mania que a acompanha desde criança.

Amaury Monaco?

talie e saiba por que o Pilates ganhou a preferência de muita gente no mundo todo.

ço mais que positivo no semestre. Ipec abre mercados e é sucesso na Exposec.

12 - Cirurgia Refrativa. Tecnologia de ponta oferecida pela Clínica Asperti para eliminar a dependência dos óculos e lentes de contato.

18 - Eles descobriram o mundo virtual. A terceira idade está conectada e tem as suas preferência na rede.

22 - Crack. Depoimentos emocionantes de um pai de dependente químico e de um rapaz que se afastou da droga, mas dorme e acorda lutando contra esse vício.

26 - Sabores de Garça: uma sobremesa de dar água na boca

sagismo? Conheça o que esse novo conceito em beleza pode fazer por você.

miliares numa festa típica americana. Confira os melhores momentos.

mento saudável com o seu cão. Veja as dicas.

acompanhamos uma galera radical de trilheiros.

27 - História de pescador por Silvia Sanches 30 - Ele é Maxi em homenagem ao Dia dos Pais 32 - Nota Maxi: policiais militares se destacam pelos serviços prestados ao município.

34 - Dicas de filmes pela Vídeo System para ajudar na escolha da sua sessão pipoca de inverno

38 - Aconteceu 40 - Veja os melhores momentos das festas juninas 42 - Programe-se com a nossa Agenda Cultural


PERFIL

Aline Barros

P

or onde passa, Aline Barros arrasta multidões. Em Garça, a cantora conseguiu atrair cerca de 75 mil pessoas no show de abertura da 24ª Festa da Cerejeira. Aline Barros, com apenas dois anos de idade, já manifestava sua vocação. Aos 14, gravava sua primeira canção solo, que ficou durante 45 dias entre as mais tocadas nas rádios evangélicas do Rio de Janeiro. Ao longo de sua carreira de sucesso, já gravou 20 trabalhos, entre CDs e DVDs, para o público adulto e infantil. O reconhecimento veio

4 - via maxi

pela conquista de quatro discos de ouro, cinco de platina e um de diamante. Os DVDs também foram premiados. Além disso, a cantora já ganhou três Grammy Latinos, como Melhor Álbum de Música Cristã em Língua Portuguesa. Aline Barros é formada em biologia marinha, pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. É mãe de Nícolas e casada com o ex-jogador de futebol, Gilmar Santos. Com muita simpatia, ela nos deu uma entrevista exclusiva. Acompanhe os melhores trechos desse bate papo com a Via Maxi.

Via Maxi: Qual foi o divisor de águas na sua vida? Aline Barros: Passei por um problema muito sério, quando, praticamente, quase perdi a voz. Naquele momento, em que o medo bateu à minha porta, eu enfrentei uma realidade dura: a de ouvir o médico dizer que não sabia o que iria acontecer com a minha voz, o que poderia acontecer com ela em cinco, seis meses. Naquela hora, eu me agarrei, mais do que nunca, ao meu Deus e não deixei o medo dominar a minha vida. Eu tinha acabado de


ganhar o Nícolas, tinha 26 anos, e a partir daí, depois que eu recebi o meu milagre da cura e restauração da minha voz, em menos de um mês, a minha voz e a minha vida mudaram completamente. Eu vi, literalmente, Deus agir na minha vida. Vi o cuidado Dele conosco. Posso dizer que ganhei uma voz nova, porque eu perdi alguns agudos, mas ganhei alguns graves na minha extensão vocal. Tudo mudou para mim: a minha forma de ver e de pensar o ministério, a missão. Então, eu considero esse momento um divisor de águas na minha vida, em minha carreira, no meu ministério. VM: A que você atribui o seu sucesso? AB: O meu sucesso é como um presente de Deus. Para mim, é o fruto de um trabalho que foi aprovado por Ele. Em tudo que a gente faz, colocando o coração, a gente é bem sucedida. Acredito que seja isso: o meu coração tem desejado fazer a obra de Deus de uma forma extraordinária e, por isso, Ele abre meus caminhos e me abençoa de uma forma especial. Por onde eu tenho passado, colho os frutos dessa dedicação. VM: O que você espera que a sua música faça com as pessoas? AB: Espero que a música que eu propago, que é a palavra de Deus, traga alegria, esperança, paz para o coração das pessoas. Esse é o meu objetivo: levar Jesus às pessoas de uma forma linda. VM: Que mundo você espera para o seu filho Nícolas? AB: Um mundo saudável, diferen-

Na apresentação em Garça, Aline Barros cantou para um público de cerca de 75 mil pessoas

te. Um mundo pelo qual o meu filho não seja influenciado, mas que o Nícolas o influencie com seu estilo de vida, com um caráter moldado. Por meio de jovens, que levem dentro de si a essência de Jesus, eu acho que a gente vai conseguir construir um Brasil melhor. VM: O que a deixa feliz? AB: O que me deixa feliz é a certeza da salvação, da vida eterna. Isso me realiza e me faz ser uma pessoa completa. Ter Jesus no coração e saber que um dia Ele morreu por mim, que Ele me alcançou e me resgatou. Viver a vida com Jesus é tudo de bom. Sou completamente feliz por isso. VM: O que a deixa indignada? AB: Muitas vezes fico indignada com esse mundo, com a forma pela qual as pessoas se comportam. Elas deixam de acreditar naquilo que é para ser acreditado. Isso me traz indignação. Ver que as pessoas estão cegas e que precisam enxergar que a luz, que a esperança é Jesus e que Ele pode transformar a vida do homem de uma forma muito especial. Essa tem sido a minha oração: que essa geração seja impactada de

uma forma tão especial, que consiga enxergar as coisas como eu as vejo hoje. VM: Quais são seus planos para agora? AB: Tenho um milhão de planos. Muitos deles já estão se concretizando, 2010 está sendo um ano de muito trabalho. Estou acabando de lançar um DVD, o Aline Barros na Estrada, e estou em estúdio, gravando um novo CD para esse semestre ainda. Acredito que muitas coisas estão para acontecer. Tenho me empenhado muito para ver as pessoas mais abençoadas por aquilo que faço. VM: Qual foi a pergunta que você sempre quis responder, mas que ninguém lhe perguntou? AB: Caramba! Agora você me pegou! Talvez seja sobre uma mania que eu tinha, desde bebê. Eu dormia agarradinha aos meus pais, mexendo na orelha de um deles. Era uma mania que eu tinha e acho que, até hoje, (risos) ainda tenho! Hoje, mesmo depois de casada, de ser mãe, se vejo uma orelhinha, bem molinha, me dá vontade de grudar (risos). 5 - via maxi


REPORTAGEM DE CAPA

Corpo são, mente sã Pilates proporciona sensação de bem estar entre corpo e mente

O

A fisioterapeuta Laureen Garcia, especializada em Pilates, considera o método completo, pois ele oferece resultados simultâneos, que melhoram a saúde do corpo e da mente

6 - via maxi

corpo em harmonia com a mente. Essa é uma das propostas de saúde plena proporcionada pelo Pilates, um dos métodos mais completos que existe hoje em dia, pois trabalha força, equilíbrio e flexibilidade. Esse tipo de modalidade física, que possui quase 80 anos de criação, nesta última década caiu na preferência de quem quer, ou precisa, praticar atividade física, mas não estava satisfeito com a agitação e o ritmo das academias. Criado pelo alemão Joseph Humbertus Pilates, entre 1920 e 1925, o Pilates é um método que proporciona bem-estar físico e mental aos seus praticantes, reeducando os movimentos, restabelecendo e aumentando a flexibilidade muscular, melhorando a respiração e corrigindo a postura. Por se tratar de exercícios físicos que se utilizam do peso do próprio corpo para serem executados, o método previne lesões, além de melhorar a forma física e emagrecer. Todos os movimentos são feitos com a pelve encaixada e os glúteos encolhidos, definindo abdome, glúteos, deixando pernas e braços torneados, corpo alongado e postura ereta. Por isso, o Pilates também é procurado pela turma da malhação. Quem pretende praticar Pilates deve ficar atento e exigir que o método seja aplicado por um fisioterapeuta ou terapeuta ocupacio-


A escrevente Rosemeire Gutierres sentia muitas dores nas costas quando iniciou as aulas na Vitalie. “Desde a primeira aula já comecei a sentir um alívio imediato nas dores.O Pilates me trouxe inúmeros benefícios. Melhorou minha circulação, o meu alinhamento postural, o meu condicionamento físico, minha resistência, minha flexibilidade, alívio imediato nas dores e tensões musculares, maior concentração e alívio do estresse. O que diferencia o Studio Vitalie é o atendimento personalizado que a fisioterapeuta proporciona aos seus pacientes, num ambiente tranquilo, que oferece as melhores condições para a prática dos exercícios”.

nal. Somente esses profissionais possuem capacidade técnica e formação específica para executar os exercícios, além de serem os únicos autorizados a realizá-los, de acordo com a resolução 28, publicada em janeiro de 1999, pelo Conselho Regional de Fisioterapia, que regulamenta a prática do Pilates no Brasil. Em Garça, o Studio Vitalie é o único destinado, exclusivamente, à prática de Pilates na cidade. As aulas são personalizadas, proporcionando ao aluno acompanhamento integral, como é a proposta original do método. Assim, o primeiro passo é fazer uma avaliação fisioterapêutica para que a técnica seja aplicada especificamente para atender as necessidades de cada pessoa. Essa avaliação é repetida periodicamente para acompanhar o desenvolvimento do aluno. Vale a pena conferir a seriedade do trabalho desenvolvido pela equipe Vitalie que, além da capacitação técnica, também projetou o espaço

para proporcionar saúde e bem estar ao aluno. As cores das paredes, a climatização do ambiente e a posição dos aparelhos foram pensados de maneira a deixar o aluno o mais confortável e satisfeito possível para realizar as atividades. Com 150 metros quadrados, o Studio Vitalie conta com modernos aparelhos para a aplicação do método. Além disso, o aluno pode contar com toda a

privacidade da clínica, uma vez que as aulas são personalizadas, sem a agitação das academias. A clínica também oferece tratamento convencional por meio de técnicas de fisioterapia e terapias manuais. O Studio Vitalie foi inaugurada em janeiro deste ano e já conta com dezenas de alunos. O espaço foi trazido para a cidade pela fisioterapeuta Laureen Garcia. Forma-

Pilates: uma atividade completa •Sensação de bem estar desde a primeira aula; •Melhoria na capacidade cardiorrespiratória; •Fortalecimento da musculatura; •Aumento da flexibilidade; •Correção postural; •Alívio do Estresse; •Desenvolve os músculos que sustentam a coluna, eliminando dores crônicas;

•Melhora a elasticidade muscular e mobilidade articular; •Melhora do desempenho sexual; •Melhora a postura eliminando maus hábitos, levando ao correto alinhamento corporal; •Otimiza o desempenho desportivo; •Melhora da coordenação motora; •Aumento da consciência corporal. 7 - via maxi


da pela Universidade de Marília, Laureen possui extensão em Pilates Clínical, Met Pilates, Pilates on the Ball, Pilates aplicado para gestantes e idosos pela Metacorpus, a maior empresa do ramo no Brasil e referência do ensino no exterior. A fisioterapeuta também possui cursos específicos na área de terapia manual. “Optei por trazer o Pilates para Garça porque, além de ser a minha cidade, havia a ausência de um espaço onde o método fosse trabalhado com toda a seriedade e eficiência exigidas. O Pilates é um método global, pois imagine melhorar a postura e relaxar ao mesmo tempo? Também tratar de uma le-

O professor e tabelião Antonio Seabra foi até o Studio Vitalie em busca de uma atividade física. “O Pilates tem sido muito bom para mim, pois resulta em bem estar geral e relaxamento. Tinha dificuldades para dormir. Agora meu sono é tranqüilo e reparador”.

Faça uma aula gratuita

Agende uma aula experimental gratuita pelo telefone: (14) 3471-2005. A Vitalie, Studio Pilates e Fisioterapia, possui horários alternativos de atendimento. O endereço é: Rua Deputado Manoel Joaquim Fernandes, nº 1134

8 - via maxi

são e aliviar o estresse juntos. Esses são resultados simultâneos que só as aulas de Pilates podem proporcionar”, comentou Laureen Garcia. O Pilates pode ser praticado por qualquer pessoa a partir dos 12 anos de idade. É indicado para atletas de alto desempenho, pessoas sedentárias que querem iniciar uma atividade física, pacientes póscirúrgicos, pacientes com Parkinson, acidente vascular encefálico e gestantes. Também é indicado para os idosos, pois alivia dores, proporciona maior percepção dos movimentos, fortalecimento muscular, maior equilíbrio, aumento da flexibilidade e alívio do estresse.


A qualidade e o bom atendimento da Leila Tecidos e da Leila Enxovais agora tambĂŠm na Leila Presentes

Leila Tecidos: Rua Coronel Joaquim Piza, 294 - Fone: (14) 3406-2964

Leila Enxovais: Praça Carlos Eduardo Alves de Souza, 56 - Fone: (14) 3406-5531

Leila Presentes: Rua Coronel Joaquim Piza, 274


VIVA MAXI

Visagismo: a beleza de dentro para fora Miho Centro de Beleza e Estética traz a arte do Visagismo para a Garça

O

Visagismo é hoje um dos conceitos mais modernos na busca da estética facial perfeita. É uma mudança visual feita através de uma consultoria que exige um estudo profundo das características físicas, como o formato do rosto, o tom da pele e as feições, bem como a personalidade de uma pessoa. Parte do principio de que não existem regras totalmente estabelecidas quando o assunto é conciliar a beleza com as características interiores de cada um. É preciso saber para que, ou para quem a mudança será favorável O termo Visagismo vem do francês visage, que significa rosto. Esse conceito foi trazido para o Brasil pelo artista plástico Philip Hallawel e consiste em aplicar fundamentos da beleza para criar uma imagem adequada à personalidade do indivíduo, analisando os componentes do seu rosto. Emília Mithiko Kawasaki, do Miho Centro de Beleza e Estética, que há 20 anos trabalha na área, acaba de trazer essa técnica para Garça. Ela faz parte da primeira turma do interior do estado a receber um diploma de Visagista pelo SENAC. “É uma novidade na área da beleza e quando assisti a uma palestra do Philip Hallawel em Marília, achei muito interessante e me inscrevi no curso com outros 25 profissionais, mas somente eu de Garça. Aprendi todas as manei-

10 - via maxi


Ao lado esquerdo, Carolina Endo antes de passar pelas mãos de Emília. Abaixo, o resultado da transformação

ras de fazer uma análise do perfil de uma pessoa antes de cuidar de sua beleza, pois, a composição visual, depende de uma consultoria prévia, na qual são analisados vários aspectos da cliente antes de fazer a mudança no visual”, explicou Emília. Segundo a visagista, o antes e o depois impressionam as pessoas e interfere positivamente em sua auto-estima, uma vez que o Visagismo procura trabalhar a beleza, fundamentando-se nas principais características físicas e psicológicas de cada um. “Essa técnica tem a capacidade de revelar as qualidades internas e externas das clientes, utilizando um corte de cabelo adequado, a coloração ideal, cores para uma maquiagem que valorize os traços e melhore a tonalidade da pele, enfim, todos os recursos necessários que combinem com as características de cada um”, completou a profissional. A estudante garcense Carolina Endo passou pelo Miho Centro de Beleza e Estética e utilizou-se da técnica para mudar o visual. “Meus amigos adoraram. Favoreceu mais o meu biótipo. Agora percebo que o meu cabelo, antes do Visagismo, não combinava comigo. Os fios descoloridos davam um aspecto de relaxo, e eu não sou assim. Parece que mudou até o tom da minha pele. Meu rosto também foi bem valo-

rizado com o novo visual, transparecendo mais a minha personalidade. Eu me sinto mais bonita e mais viva, além de ser um cabelo mais prático e fácil de cuidar”, comentou a estudante. Emilia, além de trazer a nova técnica para Garça, também mudou de endereço. O Miho Centro de Beleza e Estética, que trabalha ainda com tratamento facial e dre-

nagem corporal, foi instalado num ambiente mais confortável, localizado na Rua Vitoria, n° 309, esquina com a Rua São João. Miho Centro de Beleza e Estética Agora em novo endereço: Rua Vitória, n°309, esquina com a Rua São João. Fone: (14) 3406-4241.

11 - via maxi


VIVA MAXI

Cirurgia Refrativa

Dr. Sérgio e Dra. Mara Grace Asperti dispõem de laser que elimina a dependência de óculos e lentes de contato

Abandone de uma vez a dependência dos óculos e lentes de contato

S

omente quem depende de óculos e lentes de contato sabe o quanto eles atrapalham na execução de algumas atividades e o quanto interferem na estética facial. Há alguns anos, a cirurgia refrativa dava poucas garantias de que o paciente poderia se ver livre dessa dependência. Hoje, com o avanço dos equipamentos oftalmológicos, além da miopia, até os graus de astigmatismo diminuem, ou são eliminados. Os aparelhos a laser fazem o procedimento com precisão milimétrica, tornando as cirurgias refrativas bem mais seguras, quando comparadas às cirurgias de miopia que eram realizadas com um bisturi de diamante, onde o paciente corria sérios riscos durante a intervenção. O oftalmologista Sergio Asperti, da Clínica Asperti de Garça, durante muito tempo contra-indicou a cirurgia refrativa por não oferecer precisão exata do problema e com resultados ruins para a correção do astigmatismo. “A partir deste ano, em parceria com outros médicos de Marília, adquirimos um aparelho, que é o melhor do mercado mundial para esse tipo de cirurgia. Com o Laser Alegretto, é possível remodelar a

12 - via maxi

superfície da córnea, possibilitando que os pacientes tenham uma visão clara e cristalina, podendo, inclusive, ser superior a visão anterior com o uso das lentes corretivas. É uma cirurgia personalizada, extremamente precisa e com tecnologia de ponta. Agora faço as cirurgias refrativas com mais tranquilidade. É importante que todos de Garça saibam que essa tecnologia está disponível para quem quiser eliminar a dependência das lentes corretivas”, explicou o oftalmologista. O equipamento, disponibilizado pela Clínica Asperti, remove cada grau em 2,4 segundos, sendo realizado na superfície ocular, o que também garante ao paciente uma recuperação mais rápida. Com a utilização de um colírio anestésico, o procedimento se torna indolor. A oftalmologista Mara Grace Asperti atenta para a importância da realização dos exames pré-operatórios, que fornecem um diagnóstico personalizado do paciente. “Na Clínica Asperti, fazemos um estudo completo do olho a ser operado. Os nossos equipamentos diagnosticam a refração adequada, tomografia e estudo de paquimetria da córnea, a qualidade do filme lacrimal, o cris-

talino, o estado da retina e a pressão intra-ocular. São exames precisos, que fazem com que o procedimento a laser seja mais eficaz e tranquilo”. Além de disponibilizar o que há de mais eficiente em equipamentos, os oftalmologista garcenses também participam constantemente de congressos para troca de conhecimentos. Recentemente retornaram do XI Congresso Internacional de Catarata e Cirurgia Refrativa, realizado em Natal e que reuniu grandes profissionais da área do mundo todo. “Eu fui convidado para dar uma aula e participar das discussões de mesa. Em minha explanação, falei sobre a prevenção de problemas que podem acontecer durante uma intervenção cirúrgica”, finalizou Sergio Asperti.

Asperti Clínica e Cirurgia de Olhos Rua América, nº 121, Garça Fone: 3406-2996 www.clinicasperti.com.br


MELHOR AMIGO

O melhor amigo do homem

S

Conheça mais o seu cão e saiba como socializá-lo

em dúvida, o cachorro, entre todos os animais, é o que mais se uniu a raça humana. Ele tem um sentimento de amor, quase que incondicional, pelo seu dono. Para exemplificar bem essa relação, basta encontramos, nas ruas, um cão ao lado de um mendigo. Mesmo dormindo ao relento, ou recebendo sobras de comida que lhes são ofertadas, o animal não abandona o seu dono, se este o tratar bem, é claro. O cachorro retribui o carinho, seja o seu dono rico ou pobre. Para esclarecer mais sobre essa relação entre homem e cachorro, a Via Maxi convidou Alexandre Lamattina, dono do Canil La Mattina

D’oro, de Garça, e criador de cães das raças Pastor Alemão e Lhasa Apso, para fazer parte dessa reportagem e dar algumas dicas para uma relação saudável com o seu animal de estimação. Confira.

Via Maxi: Como devemos entender essa relação entre humanos e cães? Alexandre Lamattina: O princípio que deve nortear a relação entre homens e cães é o de que somos espécies diferentes. Homens e cães, desde o início de sua convivência, aprenderam a se relacionar e beneficiar-se das habilidades distintas

que, tanto um quanto o outro, possuem. Assim, não devemos humanizar demasiadamente nossos relacionamentos com os cães. Eles não entenderão algumas de nossas excentricidades. O que o animal precisa é de disciplina, atividade física e afeto, exatamente nessa ordem. Além disso, devemos ter em mente que a qualidade do manejo que oferecemos ao animal (ração de boa qualidade, ambiente adequado para dormir, condições de sanidade adequadas, ausência de doenças e parasitas) trará uma qualidade de vida melhor para o animal e, consequentemente, a possibilidade de uma melhor interação com as pessoas. 13 - via maxi


VM: De uma forma geral, como devemos agir com os nossos cães? AL: Cães sem disciplina assumem o papel de líder e causam grandes transtornos aos seus proprietários. Por isso, nunca abra mão da autoridade firme, mas sem violência, com gestos corporais e tom de voz que indique quem manda. Animais que não se exercitam, acumulam energia e tendem a extravasar em comportamentos hiperativos e, até mesmo, destrutivos. Por isso, o animal deve ser levado a passeios periódicos, que permitam que ele tenha essa energia liberada e alcance um maior equilíbrio. Por fim, o afeto é a recompensa de um cão que obedece e que está com a sua energia equilibrada. Neste momento, temos o melhor para dar para nossos amigos e o melhor para receber deles. VM: O que fazer, por exemplo, para que o cachorro não entre dentro de casa? AL: O cão é um animal territorialista, que tende a ocupar os espaços disponíveis para demarcar o território como seu. Na natureza, o líder, o animal alfa, estabelece os limites de seu território e não permite que os demais animais tomem aquele espaço. Da mesma maneira o dono de um cachorro, que queira que o animal não ocupe um determinado espaço, deve estabelecer, com clareza e com firmeza, que aquele espaço é de sua propriedade e que o animal não pode permanecer ali. VM: Como fazer para que os filhotes aprendam a fazer as necessidades no lugar certo? AL: Os animais, desde filhotes, devem ser habituados a urinar e evacuar em jornal, em uma área escolhida previamente pelo proprietário. Quanto antes os filhotes forem habituados a esta prática, mais fácil será a sua educação higiênica. Com o passar do tempo, o animal associará o cheiro dos dejetos ao local e naturalmente fará ali as su14 - via maxi


as necessidades fisiológicas. Não é difícil identificar quando um filhote quer fazer suas necessidades. Ele fica inquieto, anda em círculos e cheira o chão. Nessa hora, leve-o até o “banheiro dele”. Sempre faça um agrado depois. No começo será uma tarefa trabalhosa, mas que irá evitar transtornos depois. Dependendo do animal, esse condicionamento pode levar de 3 a 8 semanas. VM: Você cria Pastor Alemão, como faz para que seus animais sejam sociáveis? AL: O Pastor Alemão é um animal de grande porte e com perfil de guarda e proteção, logo, devese sempre esperar que um animal com este perfil tenha um comportamento mais reservado com estranhos. No entanto, algumas medidas tomadas, ainda na infância do animal, podem minimizar muito o risco de acidentes futuros. Isso inclui a convivência do cachorro com outros animais e pessoas, passeios diários, adestramento básico e firmeza na condução das ordens e comandos. VM: E quanto ao temperamento do Lhasa Apso, considerado difícil, como você doma essa ferinha? AL: Lhasas eram utilizados no antigo Tibete como cães de guarda e

“Nossos animais foram adquiridos dos melhores canis de cada raça do Brasil. Os Lhasas Apso apresentam excelente temperamento e tipicidade racial, com destaque para a excelente conformação corporal e pelagem abundante, típicas da raça. Predominam, em nossa criação de lhasas, as cores sólidas (preto, dourado, areia), mas temos cães particolors (branco e dourado). Os nossos Pastores Alemães são de excelente linhagem, predominantemente alemã, e proveniente de canis renomados do Brasil. Na árvore genealógica de nossos cães, podem ser encontrados inúmeros campeões alemães de beleza e estrutura”.

de alerta. Viviam em mosteiros e conviviam em um ambiente contemplativo entre monges budistas. Creio que estas condições moldaram o caráter dessa raça, que late pouco, só quando precisa dar alerta. É reservado com estranhos e passa a maior parte do tempo como se fosse um cão de um monge, mesmo. Assim, pessoas que querem ter um Lhasa Apso deverão sempre respeitar a sua individualidade, suas características raciais, sua pouca predisposição para atividades físicas prolongadas, jamais sendo agressivo, a fim de não criar um cão com problemas de comportamento futuros. VM: Como surgiu o seu canil e há quanto tempo? AL: A história do Canil La Mattina D’oro é recente. Surgiu no início do

ano passado quando adquirimos nossas primeiras matrizes e padreadores das raças Lhasa Apso e Pastor Alemão. Porém, nascemos com a visão de criarmos com qualidade, buscando sempre o melhor de cada raça, seja em suas características genéticas, seja em suas características fenótipas. VM: Como as pessoas podem entrar em contato com você? AL: Aqueles que quiserem conhecer o nosso canil, poderão nos contatar pelo telefone: (14) 34064589, por email: lamattinadoro@ gmail.com, ou mesmo por msn: denise.lamattinadoro@hotmail. com. Também não deixem de dar uma olhadinha em nossa página na internet: www.lamattinadoro.com. br e em nosso perfil do Orkut, permanentemente atualizado. 15 - via maxi


ONDE ESTÁ VOCÊ

Em São Paulo

Amaury Camargo Monaco

O

garcense Amaury Camargo Monaco mora em São Paulo, mas sempre que o trabalho dá uma folguinha ele volta pra Garça para fortalecer as raízes, rever a família e os muitos amigos que conquistou com sua simpatia. Seu avô foi o proprietário do extinto Cine São Miguel, o único cinema que existiu durante décadas em Garça, portanto, ele é neto, além de sobrinho de quatro ex-vereadores na cidade. Vindo dessa família atuante na vida pública do município, não poderia ser diferente, desde garoto, ele assumiu uma posição de liderança nos colégios em que estudou, clubes, associações etc. Amaury saiu de Garça em 1982 rumo a Campinas para estudar Direito na PUC. De lá, voou mais alto até Miami, nos Estados Unidos, onde fez de tudo um pouco, foi ajudante de garçom, garçom, vendedor de peixe até conseguir abrir um escritório de compras. Esse espírito empreendedor foi herdado de seu avô Miguel, que estava sempre disponível ao próximo, além de ser um visionário. Procuramos o Amaury e ele contou pra gente um pouco de como está sua vida, seus negócios e falou da saudade que sente dessa nossa terrinha. 16 - via maxi


Via Max: O que você faz atualmente? Amaury: Junto com meu sócio, Salim Tannus, sou fundador e presidente do Grupo ACME, empresa de bens e serviços, atuante em quatro segmentos: logística internacional, golfe e áreas verdes, hospitalidade e metalurgia. Há três anos como sócio-diretor da SA Consultoria Internacional Ltda., represento empresas de tecnologia da informação para clientes como Itaú, Citibank, IBI etc. Paralelo às minhas atividades como empresário desenvolvo um trabalho de voluntariado no Brasil e no exterior. Há quatro anos, meu sócio, Salim, teve a ideia de trazer para o país a Make a Wish Brasil, MAWB (www.makeawish.org. br), filiada à Make-A-Wish Internacional (www.worldwish.org), uma organização que realiza desejos de crianças de 3 a 17 anos, portadoras de doenças que colocam em risco suas vidas. Hoje sou membro fundador do conselho fiscal e voluntário da MAWB, além de membro do comitê de marketing da Make a Wish Foundation International, com jurisdição nos 33 países afiliados. Acabo de voltar do Japão e da China, onde me reuni com parceiros comerciais e terminei a viagem na Expo Xangai 2010, feira mundial em Xangai, (www.en.expo2010. cn) e (www.expo2010brasil.com. br), pois junto com um grupo de empresários, quero trazer a feira mundial para São Paulo em 2020. VM: O que Garça é para você? AM: Garça é meu berço, onde nasci, cresci e me formei gente. Lugar que me ensinou o valor das amizades, do respeito, carinho, da ética e sinceridade. Cidade da minha família, que é a base de tudo e me deu estrutura, valores morais, cívicos e comunitários.

VM: Do que sente saudades daqui? AM: Além das pessoas, sinto falta do cinema do vô Miguel, Bosque, da Praça Pedro de Toledo, Fonte Luminosa, cachoeira do Stand, festas juninas, Casa Minerva...

VM: O que o deixa indignado? AM: O desrespeito ao cidadão e sua dignidade, em especial as crianças, idosos e minorias. N��s contribuintes pagamos uma conta muito alta para receber um serviço de baixa qualidade, quando recebe.

VM: O que o motivou a entrar na vida pública? AM: O espírito comunitário do vô Miguel e de meus tios me influenciaram a querer transformar o mundo em um lugar melhor para todos. Desde moleque percebo minha facilidade em atuar como agente transformador da sociedade e fui Diretor Social do Tênis Clube, Representante de Classe, fundador e Presidente do Centro Cívico do Instituto Americano de Garça, além de assistir as sessões da Câmara dos Vereadores e participar das campanhas eleitorais.

Amaury, num momento de descontração, durante Expo Xangai 2010. No alto, o empresário ao lado de uma criança assistida pela Make a Wish Brasil

17 - via maxi


TECNOLOGIA

Vovôs conectados

E

les são antenados e a cada dia estão mais atualizados. A internet, ferramenta que até há poucos anos era mais usada por jovens, agora ganha a preferência dos mais velhos. Segundo o Ibope, Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística, 350 mil idosos no Brasil têm acesso à internet. Eles formam o grupo que mais cresceu (17%) de fevereiro para março de 2008, período em que a pesquisa foi realizada. Os idosos representam 1,6% dos internautas brasileiros. Um número relativamente pequeno se comparado às estáticas de outros países. Nos Estados Unidos, por exemplo, 45% dos idosos já se conectam à internet. Com a perspectiva de aumento da população de idosos no mundo, a participação deles na rede tende a aumentar a cada ano. Dados do IBGE, Instituto Brasileiro de Ge18 - via maxi

ografia e Estatística, revelam que, em cerca de duas décadas, o Brasil terá quase 13% de sua população composta por idosos, o que representará mais de 30 milhões de pessoas. Atualmente são cerca de 15 milhões de idosos no país, ou seja, 8,6% da população brasileira. Mas, engana-se quem pensa que o conteúdo procurado por esses internautas seja somente sobre saúde, ou relacionados à terceira idade. Segundo estudo realizado pela jornalista e doutora em sociologia, Janara Sousa, da Universidade de Brasília, os idosos usam a internet para se relacionar e se expressar. Querem conhecer pessoas, namorar, trocar receitas e poesias. Para chegar a essa conclusão, o estudo analisou a participação dos idosos em dois portais direcionados à terceira idade, um no Brasil, portal Terceira Idade, outro na Espanha, portal Júbilo. Um dos fatores que ainda inibe

o crescimento do número de idosos na rede é que, muitos, ainda temem a utilização do computador. Em Garça, um trabalho de conclusão de curso, realizado em 2007, pela estudante da Fatec, Marli da Silva Lacerda, sob a orientação da Profª. MS. Maria Alda Barbosa Cabreira, feito entre os alunos do projeto Inclusão Digital da Terceira Idade, apontou que, 77% dos alunos que responderam ao questionário, concordaram que o computador representa um mistério. Mas, todos foram unânimes em responder que a informática é uma forma de inclusão na sociedade. “O curso é importante porque dá a eles a oportunidade de aprenderem a utilizar o e-mail, a trocar mensagens, fazer contato com os familiares, pesquisas e, com isso, redescobrem o mundo. É um preenchimento de lacunas”, observou Regina Ferreira da Rocha, professora de informática da Fatec.


DICA DYONISIO A Via Maxi foi a campo para ouvir a opinião do pessoal da terceira idade que frequenta as aulas de informática na Fatec e no Iesg. Leia os depoimentos e se entusiasme também.

PRESBIOPIA É a diminuição da capacidade do olho de focalizar de perto. Também conhecida como vista cansada, ou síndrome do braço curto, a presbiopia é mais comum em pessoas com idade acima de 40 anos. Os sintomas iniciais são de cansaço, dor de cabeça e as pessoas procuram afastar os objetos para vê-los melhor. A Dyonisio Relojoaria e Óptica possui uma linha completa de óculos, inclusive, para a presbiopia. Traga a receita do seu médico para a Dyonisio e veja o mundo mais claro! LUCIANA

Maria Moreira Tavares – empregada doméstica aposentada “Eu tenho computador em casa, mas tinha medo de mexer e apagar o trabalho dos meus filhos. Quando fiquei sabendo das aulas de informática na Fatec eu falei: agora vou perder o medo do computador. Cada dia a gente vai aprendendo mais e eu já tenho Orkut, hotmail e MSN”.

Helena de Oliveira Santos – funcionária pública aposentada “Eu vim aprender para falar com os meus netos que moram fora, com os amigos, enfim, um monte de gente. A gente pode visitar o mundo se quiser”.

GIMENEZ

by DI VIALLE

Fone: 14 3471-0434 Rua Heitor Penteado, 110 CEP 17400-000 - Garça - SP


Maria do Carmo de Melo – técnica de enfermagem aposentada “Quero criar laços de amizade. A primeira coisa que eu vou fazer quando aprender a entrar na internet é arrumar um namorado (risos). Sou viúva há três anos. Antes eu não pensava dessa forma, mas hoje, vejo que há uma possibilidade. E se isso for possível, por que não?”

Dorival Baraldi – comerciante aposentado “Agora, no segundo semestre, vou aprender a mexer na internet, porque eu acho que o mundo evolui e eu também tenho que evoluir nos meus conhecimentos. Quero ter a felicidade de conversar com minha família, poder ver bandeiras, rios, cidades. Isso tudo é instrutivo, é viajar no tempo”.

Ofélia Maganha – professora aposentada “Eu estou começando agora e não sabia mexer em nada do computador. Eu quero ficar mais atualizada, me informar, me comunicar com a família, com os filhos e netos”.

Ronald Pyles Ribeiro – artista plástico É uma forma de me comunicar mais, de me relacionar mais com as pessoas, de não ficar tão sozinho e sem ter com quem conversar. Além disso, o pessoal da aula e os professores dão muita atenção pra gente”.

Carmem Martins Rodrigues – dona de casa aposentada “A gente sempre precisa da informática nos dias de hoje. Faço o curso para arrumar companhia, amigos, para me distrair e para sair um pouquinho de casa. Quando eu ligo o computador procuro coisas que eu não conheço para aprender”.

Vera Lucia Moreira – enfermeira aposentada “Quero arrumar mais amigos, bater papo pela internet, fazer compras e me comunicar com os amigos que tenho no Rio Grande do Sul e em Mato Grosso do Sul. Também gosto de brincar no computador. Já ganhei duas amigas maravilhosas pelo computador e vou achar muito mais, se Deus quiser”.

20 - via maxi


TECNOLOGIA

Ipec: abertura de novos mercado e sucesso no primeiro semestre do ano

A

Ipec Produtos Eletrônicos de Garça fecha o semestre com excelentes resultados, alcançados por meio de muito trabalho, qualidade de produção, inovação tecnológica e abertura de novos mercados. A empresa também foi uma das expositoras de destaque, da XIII edição da Exposec, Feira Internacional de Segurança, realizada em maio, no Centro de Exposições Imigrantes, em São Paulo. Milhares de pessoas visitaram o estande da Ipec, que, este ano, ampliou suas instalações no evento, considerado a principal vitrine latino-americana do setor de segurança privada. “Conseguimos mostrar mais uma vez o nosso compromisso de oferecer produtos de altíssima qualidade para um mercado cada dia mais exigente e competitivo. Além disso, mostramos para o público e expositores de vários países, a eficiência da nossa produção 100% brasileira e, mais, 100% de Garça”, comentou Alexandre Cirilo, diretor comercial. Somente com a participação na Exposec, a Ipec conseguiu aumentar

em 28% a sua carteira de clientes nacionais e internacionais, vendendo os seus produtos para atacadistas renomados dos setores de segurança e automatização da Argentina e Peru, além de novos clientes no Chile, país que já possui os produtos Ipec. O resultado foi a negociação de 50 mil dólares em mercadorias. Fabricando mais de 70 produtos voltados para a automação de portas e portões residenciais e comerciais e acessórios para segurança. A Ipec aproveitou a feira internacional para expor as novidades da empresa. “Nós lançamos, como grande novidade, uma linha de sinaleiras audiovisuais totalmente eletrônicas, com sensor de fotocélula, que aciona o áudio durante o dia e desliga no período noturno. Além disso, esse equipamento tem um baixo consumo de energia e sinal luminoso com leds especiais e de altíssimo brilho. São ideais para serem utilizados em edifícios, por exemplo”, explicou Vanderley Cirilo, diretor geral. Outro lançamento deste ano, foi o sensor ativo para autorizações, usado em portões e cancelas. O modelo P5000 da Ipec é projetado para moto-

res de até 1/3 CV, com freio eletrônico e ajustado por trimpot. A Ipec voltou a apresentar na feira, as suas linhas de receptores e fontes, que já possuem grande aceitação no mercado. Entre os modelos destacados, estão os receptores Mono Flex 680 TX, que cadastra até 680 transmissores, o receptor Duplo Flex 680 TX, que também cadastra até 680 transmissores e possui dois canais com quatro funções programáveis: pulso ou pulso; retenção ou retenção; pulso e bip/retenção e bip. No segmento de fontes, a empresa disponibiliza no mercado os modelos chaveados, com pino para tomada e plug P4, com modelo de 500 miliamperes e um ampere, as fontes de borne para conexão, fonte com fio para energia e plug P4 e também a fonte para fechadura TRA 500, com pino para tomada e cabo P4. “Estamos muitos satisfeitos com o resultado alcançado este ano e com a nossa participação na Exposec. Sentimos a receptividade positiva dos visitantes ao verem os nossos produtos. Isso demonstra que a Ipec está no caminho certo”, finalizou Alexandre Cirilo.

21 - via maxi


ESPECIAL

Crack: a droga q

O

crack surgiu nos Estados Unidos, na década de 1980. No Brasil, o primeiro relato de uso da droga foi em 1989. De lá pra cá, o número de usuários cresce a cada dia. Segundo dados apresentados pelo Ministério da Saúde, em 2005 a estimativa era de 380 mil pessoas dependentes do crack no Brasil. Hoje, acreditase que existam 600 mil usuários no país. Derivado da cocaína, o crack é uma droga que é fumada. Ela alcança o pulmão, levando a uma absorção instantânea. Através do pulmão, cai, quase que imediatamente, na circulação cerebral. Os primeiros efeitos ocorrem em, até, 15 segundos após a ingestão, mas desaparecem em, no máximo, 5 minutos. Isso faz dele uma das drogas mais poderosas e, principalmente, perigosas da atualidade, pois vicia rapidamente. Este entorpecente já não é mais uma realidade exclusiva das favelas e periferias dos grandes centros. É um problema nacional, de pequenas e grandes cidades, consumido por adultos, adolescentes e, infelizmente, crianças, de diversas classes sociais. Um levantamento realizado pela Secretaria de Estado da Saúde aponta que, de 2006 22 - via maxi

para 2008, houve um aumento de 139,5% no número de usuários, com renda acima de 20 salários mínimos, que procuraram por atendimento público para largar o vício. As políticas públicas de atenção e tratamento aos usuários não conseguem acompanhar o crescimento desenfreado do número de pessoas que se tornam dependentes do crack. O próprio Ministro da

Saúde, José Gomes Temporão, já reconheceu falhas no atendimento oferecido e, em maio deste ano, anunciou investimentos na ordem de R$ 110 milhões em todos os estados. “Parte do dinheiro será utilizado para oferecer mais 2,5 mil leitos em hospitais gerais. Teremos capacidade para atender e acolher


que rouba a vida até 12 mil usuários de crack”, afirmou o ministro. Em Garça, basta andar pelo centro da cidade, à noite, para ver pessoas consumindo a droga, prin-

cipalmente, próximo a rodoviária antiga. Por semana, a secretaria municipal de Assistência e Desenvolvimento Social recebe cerca de 10 solicitações por internação e tratamento. “Nós estamos vivendo

um momento muito difícil, muito complicado, diante de drogadição no município. O que nos acontece, diariamente, são pessoas procurando por ajuda em clínicas de tratamento. Como o município ainda não tem uma política pública voltada especificamente para drogadição, nós, a partir do início de 2009, em parceria com o Frei Davi, do Lar Dom Bosco, de Pirajuí, encaminhamos, todas as terças-feiras, um número considerável de pessoas para tratamento”, explicou Nelza Serapião, secretária de Assistência e Desenvolvimento Social. Ainda segundo a secretária, o município conseguiu, no dia 26 de junho deste ano, uma expansão de R$ 2.200 por mês, do convênio firmado com o Ministério do Desenvolvimento Social, para um trabalho de prevenção contra o crack, que faz parte do Plano Integrado de Enfrentamento e Outras Drogas. “A partir desse plano, o município de Garça estará elaborando um plano de trabalho para que se conquiste um espaço próprio de internação e acolhimento aos drogaditos”, finalizou Neuza Serapião. Outra ação do município, foi a reativação, este ano, do Comitê de Enfrentamento e a reformulação do Comen, Conselho Municipal de Entorpecentes. 23 - via maxi


Relatos do pai de uma dependente João (nome fictício) é pai de uma mulher de 42 anos, dependente do crack. Ele concordou em dar um depoimento à Via Maxi para que a luta dele sirva de exemplo para outros pais que se encontram na mesma situação.

Eu tenho prazer em dizer que me sinto privilegiado pela ajuda que Deus me concedeu. Minha filha estava no fundo do poço. Ela estava totalmente entregue ao crack e não achava saída. Ela acreditava que iria morrer e me contou. Corri e estou correndo até hoje, em busca do tratamento dela. Agora, me acho numa situação mais alegre, pois encontrei a ajuda necessária e estou vendo resultado. Eu procurei a secretaria de Desenvolvimento Social. Aqui, eles me ajudaram e estão ajudando até hoje. Ela está com a mente sadia. Para se ter uma idéia, quando ela se internou, pesava 42 quilos e, nesses três ou quatro meses, ela teve uma reação ativa. Dou graças a Deus, porque ela está com 66 quilos, agora. Ela mudou da água para vinho. É outra pessoa. Está feliz. Hoje de manhã, antes do almoço, ela comentou comigo: estou vendo a vida de uma nova forma. Não dá para explicar o sentimento de um pai que tem um filho dependente do crack. É muita tristeza! É desafiador, isso aí, para um pai.

24 - via maxi

Muitas vezes, os pais são os últimos a saber e, quando descobrem, já está num ponto bem grave. Para mim, ainda houve tempo de procurar ajuda. Mas, quantas noites eu passei em claro, procurando por ela e não a achava. Não tenho conta de quantas vezes eu chorei por ela. O extremo, para mim, foi quando ela me pediu ajuda. Eu, como pai, nunca perdi a esperança. Eu sempre fiz orações para que Deus me ajudasse a achar uma solução. Quando ela me pediu ajuda, eu falei: filha para tudo, Deus dá um jeito. Não é você quem vai ficar sem solução. Sou Testemunha de Jeová e sempre ensinei o bom caminho aos meus filhos. Ensinei a buscar uma boa socialização. Não posso culpar esse ou aquele, porque, quando uma pessoa não quer, ninguém a obriga a fazer algo que não queira, mas tem que aprender a dizer não as drogas, pois foi na escola, aqui em Garça, que ela aceitou isso aí. Ela já pegou bastantes coisas pra vender. Nunca roubou, mas comprava e não pagava. Vendeu casa, ven-

deu carro, acabou com tudo e ficou sem nada. Nenhum dos filhos pendeu para o exemplo dela. Todos nós, os filhos e eu, sempre demos apoio. Nós nunca a abandonamos e estamos nessa luta até hoje. Os filhos ajudaram muito, sempre conversaram com ela, para que ela saísse dessa vida. Os filhos tinham vergonha de ver a mãe na situação em que ela se achava. Na escola, os coleguinhas tiravam o sarro, chamando a minha filha de nóia. Eu, como avó, sentava com eles e explicava que não poderiam encarar a situação como uma perda, pois, a mãe deles estava passando por isso, mas iria se recuperar. Para mim é um privilégio muito grande, ver que ela está se recuperando. Me sinto um vencedor, porque, ela, com 42 anos, se conscientizou. Sinto no meu coração essa vitória. Eu agradeço ao meu Pai Eterno por me conceder essa força, porque eu não tinha mais forças. A minha fonte maior é Deus Jeová, que está me ajudando.


Relatos de um dependente químico O crack, em si, é uma conseqüência do uso de outras drogas. Comecei na adolescência, com o álcool, lança perfume, maconha. Eu já era um usuário compulsivo de maconha. Cheguei ao ponto de ter um tijolo de maconha na geladeira. Minha rotina era a seguinte: maconha durante o dia, álcool no final da tarde, para o happy hour e, aí, entrou a cocaína para sarar o álcool, e a maconha novamente, ou uma droga de farmácia, para poder dormir. Até que eu ouvi falar do crack e fui experimentar. A curiosidade me levou a usar o crack. Cada droga tem o seu potencial de vício e o crack é, mais ou menos, como a gente ouve dizer: um uso e já está comprometido. O crack rouba tudo da gente: a família, a educação e, principalmente, os valores. Chega num ponto que nada para você tem mais valor, nem as necessidades fisiológicas. Falência moral, física, mental e espiritual. A dependência leva uma pessoa ao ponto de roubar para comprar uma pedra. E não dá para colocar o uso de drogas como crime. A pessoa não sabe o que está fazendo. Ela pode vir de uma família com muita educação, com princípios e valores que, como eu já disse, o crack rouba tudo. A necessidade de usar o crack é muito maior do que qualquer princípio. A minha família sofria junto comigo. A família acaba ficando refém de uma situação. Eles ficavam em pânico. Não dormiam. Chegou a um ponto, que eu entrava no carro da

minha mãe e ela ia comigo numa boca de crack. Eu comprava as pedras e fumava no fundo de casa. Quando eu percebia, estava no meio da sala, em frente à televisão, atrapalhando os meus velhos verem novela. Eu fazia uso do crack, com a lata em uma mão e na outra, um espeto de churrasco, achando que iria entrar alguém na casa. O crack é um inferno. Você fica com síndrome de perseguição. Na minha vida, tudo foi muito cedo. Aos 10 anos comecei com as drogas, aos 12 encontrei minha única namorada, aos 18 me casei com ela grávida. Sempre com esse lado obscuro da droga junto. Tenho um filho de 15 anos, do primeiro casamento e ele sabe e vivenciou muito. Eu tive sorte com o meu filho, que é um menino amadurecido e super responsável. Mas eu era um pai ausente, pois a minha presença era ausente. Quando eu coloquei o meu filho de cavalinho no meu ombro, eu estava drogado, quando eu brinquei com ele no chão da sala, eu também estava drogado. Agora eu tenho outra mulher e uma filhinha de seis anos, que não sabe o que é o crack na minha vida, mas o meu filho, do meu primeiro casamento, acompanhou tudo. Se o meu filho, hoje, começasse a usar crack, eu iria interná-lo. Eu o internaria, quantas vezes fossem necessárias. Mas eu o colocaria em baixo das minhas asas, para acompanhá-lo. Com relação ao crack, a pessoa não consegue enxergar que está comprometido, e não vai querer se internar. Tem que ser involuntá-

rio, porque, mesmo sem a vontade, ele vai estar num ambiente protegido, onde não tem acesso e nem o assédio da droga. Então a desintoxicação acontece e ele vai começando a enxergar as coisas. Num ambiente protegido, conforme vai passando o tempo, ele começa a ter a auto-estima novamente. Mas, nada é por acaso. Eu precisei passar por isso. Eu não sou perfeito, porém, estando em recuperação, tenho que estar em busca de uma perfeição. Enquanto eu estiver nessa busca, menos coisas erradas eu vou fazer. Se eu soubesse que não usar drogas fosse louco desse jeito, maneiro desse jeito, eu não teria escolhido a droga. Porque ela entrou na minha vida, acredito, que por curiosidade. Hoje eu tenho fé, tenho Deus, tenho uma religião. Hoje, eu consigo ser uma pessoa produtiva na sociedade. Com isso, eu estou colaborando. Isso me dá prazer! O que é rotina para quem não é dependente químico, pra mim, é mágico. Hoje, eu, como dependente químico em recuperação, tenho consciência que eu acordo e durmo me tratando, e assim tem que ser em todos os dias da minha vida. Eu tenho um lema de que é só por hoje, pois se você falar para mim que eu nunca mais vou usar drogas, eu já entro em pânico, porque nunca mais é muito longe. Então, só por hoje, o amanhã pertence a Deus. Preciso fazer o meu melhor hoje.

25 - via maxi


SABORES DE GARÇA

Sobremesa da Família

N

a editoria Sabores de Garça, desta edição, pedimos para a Daniele W. Barbosa de Souza e à sua funcionária, Fátima Ribeiro, que nos ensinassem a preparar a famosa Sobremesa da Família. O nome foi dado por elas após terem adaptado uma receita de revista e o prato ter se tornado a sobremesa favorita de vários parentes, inclusive das duas filhas da Daniele. Aposto que vocês vão aprovar. É uma sobremesa fácil, capaz de adoçar a vida de mui-

ta gente grande e, principalmente, de agradar a garotada. “Eu precisava levar uma sobremesa para um almoço de família. Foi quando Fátima e eu encontramos uma receita e gostamos da proposta do pão de forma crocante. Aí, resolvemos fazer algumas adaptações nos ingredientes. Deu certo e foi um sucesso! Hoje é uma das receitas favoritas da minha família e minhas filhas, Rafaela e Manuela, adoram”, comentou Daniele. Então, mãos a obra, aproveitem a dica e bom apetite!

INGREDIENTES 16 fatias de pão de forma, sem a casca e cortados em cubinhos. ½ xícara de manteiga 1 kg de sorvete de creme 2 latas de leite condensado 2 latas de creme de leite 4 colheres de chocolate em pó Confeitos de chocolate preto e branco para decorar Morangos (opcional)

MODO DE PREPARO Corte as fatias de pão de forma em pequenos cubos. Regue-as com a manteiga derretida e leve ao forno até fiquem douradas e crocantes. Reserve-as para esfriar. Faça o brigadeiro, juntando, também, o creme de leite. O brigadeiro deve ficar mais mole do que o normal, quase em ponto de calda. Reserve-o para esfriar Em uma tigela, transparente, inicie

26 - via maxi

a montagem do doce. Comece pelo sorvete, que deverá estar levemente amolecido, coloque o brigadeiro e o pão torrado. Intercale os ingredientes até que a última camada seja de brigadeiro. Coloque os confeitos. Leve ao freezer, ou congelador, até endurecer. Os morangos combinam bem com essa receita, mas devem ser colocados separadamente na hora de servir.


Carmem Sílvia Sanches

E

le vivia de pescar. Desde que se conhecia gente pescava, não apenas para sobreviver, sentia prazer em fazê-lo, por isso, pensava que não fora ele quem escolhera os rios e sim “Todos os rios do mundo” que o haviam escolhido. Os rios e ele eram a mesma pessoa, uma simbiose, homem-natureza. Tudo num rio lhe atraía: os matizes das águas, a voluptuosidade da correnteza, a tranquilidade da margem segura. Não havia nada nesse mundo que ele amasse mais. Até que um dia... Ela vivia de ver o rio. Contava os anos de sua existência nas ondinhas que o rio trazia até a margem na qual costumava se debruçar, apenas para olhar... Sabia que o rio lhe traria o amor que tanto esperava. Estando alegre, dividia com ele os risos, se triste estivesse, era nele que desaguava as dores, os pavores... Grande companheiro e confidente. Não pescava peixes no rio, pescava sonhos e lançava seus desejos, loucos arremessos de vontade... Até que um dia... O encontro se fez. Eles e o rio. Junto deles, uma noite esplêndida de amores e pios de estrelas no cio... Durante o período da piracema, ela o teve todo para si. Sobre a rede de dormir, tecia sonhos. Em suas tramas de Sereia da Terra, vislumbrava os filhos que seriam gerados em solo firme. Via-os correndo às margens do rio e, à tardinha, podia imaginá-los reunidos, à espera do pai pescador, que traria, em suas mãos de rede, o peixe-pão de cada dia. E assim, seguia ela, em seus barcos de quimera. Ele acompanhava, à segura distância, os sonhos de sua sereia, mas neles não embarcava. Não confiava em barcos de sonho. E o tempo passou. Invadia o pescador uma fina me-

lancolia. Sentia saudade de suas conversas com o rio, do barulho do nada que sempre ouvia quando buscava uma conversa amiga. Ao seu lado, ela se sentava para falar das coisas do dia. Ele escutava o blá, blá, blá melodioso que soava de seus lábios e isso o fazia encantado. Pensava tapar os ouvidos com cera, como fez Ulisses com sua tripulação, para que ela não mais o enfeitiçasse, ah... Sereias! Ela tecia os fios que fariam do coração-retalho do pescador, fazenda* de metro. Mas, a voz do rio se fez ouvir. Veio lembrar-lhe: era hora de voltar. “Todos os rios do mundo” o chamavam. Antes da aurora, ele se foi. Não disse adeus. Seus olhos, rios se fizeram. Deixou ali água salgada espalhada pelo chão, mar de retalhos angustiados. Sem seu pescador, ela chorou rios de lágrimas, sem eufemismos. Seu pranto seguiu a correnteza do rio e a ele se juntou sem se misturar. Do encontro dessas águas formou-se uma bolha mágica que seguiu por sobre “Todos os rios do mundo”. As águas que trazia dentro de si, literalmente secaram e, depois disso, nunca mais chorou. Por muito tempo ele pensou na sereia que quase o havia levado para terra firme, sentia ora alívio, ora saudade, e o rio tudo levava e também tudo trazia... Certa feita, compenetrado que estava em não pensar em nada, reparou que a correnteza estava diferente. Parou parar olhar com mais precisão. Foi então que notou um movimento inusitado, um rodopio lento, em meio às outras águas, parou à sua frente. Pensou ser magia, coisas da mãe d’água, e o costumeiro som do ambiente foi suprimido, um silêncio cego ali se fez. Dançava, à sua frente, uma bola de cristal, não de vidro, mas de água, e, dentro dela, uma imagem em movimento Precisava trazê-la para perto. Tateou ao redor e encontrou o que preci-

CRÔNICA

História de pescador

sava: a caneca, companheira de cafés matutinos e aguardentes noturnas. Esticando-se todo, conseguiu “pescála”. A bolha mágica! Mágica bola de cristal! Qual não foi o seu espanto, ao firmar a vista e enxergar nitidamente a imagem que ali se afigurava. Pode ver sua amada Sereia da Terra chorando às margens dum rio. Tamanha comoção causava a cena, que “Todos os rios do mundo” haviam se unido e carregaram a dor de amor dela até ele. Por muito tempo navegou, percorreu rios e águas até chegar ao encontro do pescador. “Todos os rios do mundo” nunca deixaram de procurálo e, finalmente, o haviam encontrado. Mostraram-lhe que milagres acontecem em todos os lugares-rios do mundo, inclusive dentro do coração. Querido leitor-pescador, o fim dessa história de amor fica em suas mãosrede, pescá-la ou deixá-la seguir a correnteza... Podemos sim pescar sonhos, basta que tenhamos os apetrechos certos e que aproveitemos a correnteza dos rios que a vida nos oferece! Eu já “pesquei” um final, e você? Isso é história de pescador? Parece, ser... Mas quem não inventa histórias deixa de navegar pelo rio da imaginação? E essa viagem é, “por demais”, prazerosa. Venha viajar com a gente enviando-nos o seu final! No barco da leitura sempre cabe um bom pescador de palavras! *Fazenda: tecido, pano.

27 - via maxi


EDUCAÇÃO

Independence Day na Fisk

N

em mesmo a derrota da Seleção Brasileira para a Holanda foi capaz de tirar o ânimo da galera da Fisk. Eles se reuniram, na noite do dia 2 de julho, para comemorar antecipadamente o dia da independência dos Estados Unidos. Além do agito, a festa, realizada ao estilo norte americano, serviu para que os alunos se familiarizassem com os costumes do país e exercitassem os idiomas. Os alunos apresentaram para um grande público músicas e brincadeiras folclóricas, como: Miss Mary Mack e Old Mac Donald. O hit do momento, Single Ladies, da cantora Beyoncé, não podia ficar de fora. Também o tema da Copa, Wavin Flag, recebeu uma performance. Já os estudantes de espanhol cantaram Looking for Paradise, sucesso na voz de Alicia Keys e Alejandro Sanz. Até o grupo Abba foi lembrado, com a canção Dancing Queen. Além de música e dança, os alunos tiveram à sua disposição, uma lanchonete, com comidas típicas americanas, e um shopping, no qual puderam comprar vários produtos utilizando o Fisk Dólar, moeda exclusiva da escola. A noite terminou com um clássico da banda Queen, We are the champions, cantado por todos os alunos. O pessoal da Fisk aproveitou para reforçar a promoção Pop Star, que irá levar 10 pessoas, com acompanhantes, independente de serem ou não alunos da Fisk, para Hollywood. Para participar, basta ir até a escola e preencher um cupom. O endereço, em Garça, é Rua Fausto Floriano de Toledo, 96. Corra para lá e boa sorte! 28 - via maxi


29 - via maxi


ELE É MAXI

NELSON DE SOUZA

Treinador da equipe Garça Sportgol

“Ser pai de um filho da gente, já é uma tarefa difícil, porém, muito satisfatória. Agora, ser pai dos filhos dos outros, a responsabilidade é ainda maior, e a felicidade também”. 30 - via maxi


ELE É MAXI

LEANDRO MARINO Empresário

“Quando olho para as minhas filhas percebo cada vez mais a presença de Deus na minha vida” Pai de Gabriela Portellinha Marino, 15 anos, e Luana Portellinha Marino, 3 anos 31 - via maxi


NOTA MAXI

Policiais Militares se destacam e são homenageados em Garça

N

ossa Nota Maxi, desta edição, vai para todos os policiais militares de Garça, em especial, aos que se destacaram por sua bravura, responsabilidade e competência. São homens e mulheres, que não possuem capa e nem super poderes, mas são, muitas vezes, heróis e respeitam sua farda cinza. Eles são exemplos de conduta dentro da corporação e protetores de nossas vidas e nosso patrimônio. Em meio a tantas notícias 32 - via maxi

que abalam a integridade moral da classe militar, eles mostram que, a grande maioria, é detentora de valores humanos, cívicos e morais. Durante a inauguração da nova base da Quarta Companhia de Polícia Militar do 9º Batalhão de Polícia Militar do Interior, em Garça, no dia cinco de julho, 12 policiais receberam Láureas de Mérito Pessoal por suas atuações no ano de 2009. Nós, da revista e do estúdio Via Maxi, também parabenizamos e agradecemos a esses policiais.


O soldado PM Paulo Renato Serafinelli recebeu a Láurea de 5º Grau, por, em setembro de 2009, prender um homem que havia molestado sexualmente duas crianças, uma de sete e outra de 12 anos de idade. Os policiais, Cabo Celso Nilton Martos, Soldado Sérgio Aparecido Barroquelo, Soldado Sheila Camilo Acessor e Soldado Héric Turola, receberam a Láurea de Mérito Pessoal em 4º Grau, pois, destacarem -se no cumprimento da missão de preservar a ordem pública e pela realização de excelentes trabalhos preventivos, que resultaram na prisão de pessoas envolvidas com o tráfico de entorpecentes e com furto de veículo. Cabo João Roberto Rodrigues, Soldado Marcos Antonio Lanzi Fernandes; Soldado Armando Mendes de Jesus e Soldado André Gonçalves de Oliveira receberam a Láurea de Mérito Pessoal em 3º Grau, por desenvolverem a missão de preservar a ordem pública e por prenderem criminosos envolvidos com o tráfico de drogas, furto

de veículos e porte ilegal de arma. Além de terem recuperados veículos furtados. O Policial Leandro Moreti de Souza recebeu a Láurea de Mérito Pessoal em 2º Grau, por ter, em dezembro de 2009, abordado um carro com três pessoas em atitudes suspeitas. No veículo foram encontrados uma arma de fogo, uma faca, um facão, corda e capuz que seriam, possivelmente, utilizados para a prática de roubo na zona rural. O Sargento Renato Pereira Bonfim e o Soldado PM Fernando Márcio da Silva receberam a Láurea de Mérito pessoal em 1º Grau. O Sargento Bonfim, por ter, em março de 2009, encontrado um desmanche clandestino de veículo na zona rural da cidade. O Soldado Fernando, por ter, em abril de 2009, localizado dois indivíduos armados que roubaram um posto de combustível e por prender mais dois ladrões que roubaram um estabelecimento comercial do centro da cidade e outras duas pessoas que andavam na rua. A todos, muito obrigado!

Várias autoridades estiveram presentes à solenidade de homenagem aos Policiais que se destacaram no cumprimento de suas atribuições durante o ano de 2009

33 - via maxi


DIVERSÃO

Vídeo System: diversão para a família toda

U

m programa, quase unânime, nessa época de inverno, é ficar em casa e assistir a um bom filme junto à família, amigos e amores. Na Vídeo System Locadora, você encontra mais de nove mil títulos para escolher à vontade, seja qual for o seu gênero. São nove anos de experiência no mercado de locação de vídeo e com o atendimento que, você já sabe, é mais do que especial, é diferenciado. Mas, já que as opções são muitas, o pessoal da Vídeo System selecionou alguns filmes para ajudá-lo na sua sessão pipoca. São quatro dicas de sucesso no mundo interio e que estão entre os filmes mais esperados do ano. Anote aí:

Para quem prefere um suspense, O Livro de Eli tem Denzel Washington como ator principal. Ele é Eli, um guerreiro solitário que sobreviveu em um mundo pós-apocalípico. Sua missão é proteger um livro sagrado, que pode conter a resposta para salvação da humanidade, mas, é ele quem precisa sobreviver. O filme é dirigido pelos gêmeos Allen e Albert Hughes. Se a intenção é sair do real e assistir a um bom gênero fantasia, você não pode deixar de ver Alice no País da Maravilhas. A nova versão tem todas as personagens da história original, mas, agora, Alice não é uma menininha, e sim uma moça que está prestes a ser pedida em casamento, mas prefere pensar melhor e acaba caindo num buraco que a leva ao mundo de OZ. O filme é cheio de figuras estranhas e um cenário perfeito. Esse novo e ousado trabalho do diretor Tim Burton, conta com o talento de Johnny Depp. Para se ter uma idéia da qualidade de efeitos, alguns críticos comparam o filme ao fenômeno mundial Avatar.

Video System LOCADORA

Do imaginário ao policial, Ilha do Medo, do diretor Martin Scorsese, tem Leonardo DiCaprio como protagonista de uma história cheia de intrigas, ambientada em 1954. Uma dupla de agentes federais investiga o desaparecimento de uma assassina que estava num hospital psiquiátrico. Ao viajarem para uma, ilha localizada em Massachusetts, para cuidar do caso, eles enfrentam rebelião de presos e, até, um furacão.

Um drama para emocionar. Em Um Sonho Impossível, o ator Quinton Aaron é Michael Oher, um jovem negro vindo de um lar destruído. Ele é ajudado por uma família branca, liderada por Leigh Anne, interpretada pela atriz Sandra Bullock, que acredita em seu potencial. Com a ajuda do treinador de futebol de sua escola e de sua nova família, Oher terá de superar diversos desafios à sua frente, o que também mudará a vida de todos à sua volta. Um sonho Impossível deu a Sandra Bullock o Oscar de melhor atriz e estava entre os dez indicados a melhor filme.

Atendimento diferenciado Fone: (14) 3471-2256 www.videosystemlocadora.com.br Rua Cel. Joaquim Piza, 439 - Garça - SP


Não importa qual o produto que você faz. No Estúdio Fotográfico Via Maxi, ele sempre será tratado como uma joia.

BOOK

FOTO GLAMOUR

FOTOGRAFIA

PUBLICITÁRIA

E

S

T

Ú

D

I

O

Rua Coronel Joaquim Piza, 441 - Garça - SP

Fone: (14) 3471-3895


EU VI

Natureza, motocicleta e adrenalina Texto e fotografias de Carlos Nogaroto

U

ma bela manhã de domingo. Céu azul, temperatura agradável, uma fazenda com um visual inacreditável: vales, mata nativa, um pequeno córrego. O lugar ideal para olhar a natureza e descansar. Descansar? Nada disso. Um grupo de garcenses aproveita este lugar para praticar enduro com motocicletas. A equipe Bicho do Mato é formada por um grupo de amigos que mantém uma paixão em comum: 36 - via maxi

a adrenalina de fazer trilhas com motocicletas. O grupo tem cerca de 30 trilheiros que, há alguns anos, se reúnem aos finais de semana para a prática desse esporte. A prova, na teoria, é simples: basta o trilheiro dar quatro voltas em um trecho com sete quilômetros, passando por alguns pontos onde um fiscal cronometra o tempo. Nesses pontos de controle, cada piloto tem um horário pré-determinado de re-largada. Quando chegam antes, param e descansam. Se não, passam direto, tentando recuperar o tempo que perderam. Como eu disse, é simples. Na

teoria, pois na prática... O circuito começa no ponto mais alto da fazenda. A partir daí, os competidores descem uma ribanceira imensa, passando pelo meio de uma mata. Lá em baixo, eles devem transpor um córrego, sem ponte. Sobem um morro do outro lado, andam mais um pouco por dentro de outra mata, descem, passam, outra vez pelo córrego e, novamente, morro acima, até o ponto de largada. Cada uma das voltas dura, em média, 35 minutos. Ganha o piloto que perder menos tempo. Aventurei-me em descer, a pé, até o córrego, em buscas de melho-


Durante a prova, os pilotos passam por terrenos acidentados, mas de beleza ímpar

res imagens. Realmente, consegui imagens incríveis. A descida foi meio tumultuada, pois, o terreno acidentado, cheio de pedregulhos, estava propício a um tombo. Mas cheguei até lá. O problema foi voltar! Meu Deus! Olhava pro alto e imaginava: nem tatu com chuteiras sobe esse morro! Meu equipamento, que pesa mais ou menos dez quilos, parecia ter uma tonelada. Persisti e, com quase um metro de língua para fora, cheguei ao ponto onde estava meu carro. Deixando minha aventura de lado, ao término da prova, o que vi foi um grupo muito unido. Não importava, ali, quem ganhou, ou quem perdeu. O importante era o desafio de vencer os obstáculos da Natureza, sem precisar destruí-los. Era uma prova de cada um contra si mesmo. E essa prova sai dos limites da trilha. A cada encontro, os membros da equipe arrecadam alimentos e brinquedos, que são doados a entidades assistências da cidade.

AUTO ELÉTRICA

Entre os obstáculos a serem ultrapassados, o pequeno córrego oferece grande dificuldade, pois, além da água, a areia molhada das margens facilita os tombos

Serviços em alternador Gerador - Motores de Partida Instalação de Vidros - Baterias Assistência técnica na Zona Rural

Fone: (14) 3471-2254 Av. Presidente Vargas, 1104 CEP 17.400-000 - Garça 37 - via maxi - SP


ACONTECEU Foi realizada, de 4 a 16 de maio, na Galeria Municipal “Edith Nogueira Santos”, a 3ª edição da exposição “Todos Cantam sua Terra”, da Associação dos Poetas e Escritores de Garça. Durante a exposição, foram lançados livros dos escritores garcenses: Veridiana Sganzela, Maurício Teck e Letterio Santoro.

O Kart Clube de Garça esteve movimentado com duas grandes corridas. A primeira, no dia 16 de maio, em homenagem ao aniversário da cidade e a Corrida Solidária, no dia 27 de junho, que arrecadou alimentos para o Lar Meimei.

A IV Festa das Nações, realizada nos dias 8 e 9 de maio, atraiu grande público. Além da praça de alimentação com comidas típicas, da exposição de carros antigos, aconteceram vários shows, como o da Orquestra de Violas. O encerramento foi com a dupla Milionário e José Rico.

A UGA, União Garcense de Aeromodelistas, realizou, nos dias 29 e 30 de maio, o Segundo Encontro de Aeromodelismo. Um grande público pretigiou o evento, que contou com pilotos de várias cidades.

O Presidente da OAB-SP, Luiz Flávio Borges D’Urso, esteve em Garça, no dia 14 de maio, para a posse da diretoria da 42ª Subseção de Garça, para o triênio 2010-2012, tendo como Presidente, Mario Luiz Zapata; Vice-Presidente, Alfredo Tadashi Miyazawa; Secretária Geral, Maria Eugenia Stipp Perri; Secretário Adjunto, Roberto Teruo Oguro e Tesoureiro, Claudinei Dos Santos Michelan

38 - via maxi

Cerca de 400 militares do 2º Grupo de Artilharia Antiaérea, do 12º Grupo de Artilharia de Campanha e dos 2º e 8º Batalhões de Polícia do Exército, estiveram em Álvaro de Carvalho, entre os dias 31 de maio e 4 de junho. Os soldados participaram da Operação de Garantia da Lei e da Ordem – Operação Campestre. Esse treinamento aconteceu, simultaneamente, em 19 municípios do Estado de São Paulo.


24ª Festa da Cerejeira atrai 200 mil pessoas Récorde de público: cerca de 200 mil pessoas passaram pelo Lago J. K. Willians, entre os dias 3 e 6 de junho, para participar da Festa da Cerejeira. E esse número poderia ter sido maior, não fosse a forte chuva que caiu na noite de sextafeira, dia 4 de junho. Durante os quatro dias de festa o público pode assistir à várias apresentações relacionada à cultura japonesa. Também foram oferecidos cursos, workshops e oficinas. A cada noite, foi realizado um grande show. No dia 3, a apresentação foi da cantora gospel Aline Barros. No dia 4, Jorge Vercilo não tomou conhecimento da chuva e cantou para aqueles que não tiveram medo de se molhar. No sábado, dia 5, foi a vez da banda mineira Pato Fu animar a galera. O encerramento, no dia 6, ficou por conta de Nasi, ex Ira!, e banda. Paralelo a isso, aconteceu, também, o Concurso da Miss Cerejeira 2010. A eleita foi Tais Elaine Endo.

39 - via maxi


É FESTA

FESTA JUNINA NO CSA

40 - via maxi


FESTA JUNINA NO LUMEN

41 - via maxi


PROGRAME-SE

AGENDA De 13 a 23/7 – Programação de Férias Bagunça Bem Feita IV. Local: Biblioteca do Centro Integrado de Educação Pólo – Arte, avenida Dr. Rafael Paes de Barros, 522. Telefone: 3471-1616. Os horários de funcio-

Dia 27/8 - às 20h - VII Jantar de Ca-

sais. Local: Grêmio Teatral “Leopoldo Fróes”, Rua Carlos Ferrari, 594. Organização: Ministério de Casais da Igreja Presbiteriana Independente de Garça. Convites: R$ 60,00 (casal). Informações pelo telefone: 3406 1617

namento são:

De 13 a 16/7 - 3ª e 5ª das 13h as 17h.

De 4ª e 6ª das 8h as 10h e das 13h as 16h De 20 a 23/7 - Oficinas e sessões de filmes Dia 20 - Oficina de maquilagem e desenho livre Dia 21 - Sessão de filme - período da manhã e tarde Dia 22 - Oficina de maquilagem e desenho livre Dia 23 - Sessão de filme - período da manhã e tarde

De 21/7 a 6/8 - Galeria Municipal

“Edith Nogueira Santos” e Museu de Motos Clássicas “Viva Zapata” apresentam a exposição de motos antigas clássicas. Estarão expostas motos e peças que contam a história da motocicleta desde 1904. Local: Galeria Municipal “Edith Nogueira Santos”, Rua Minas Gerais, 180, Centro. Agendamento para escolas interessadas pelo telefone 3471- 0210. Entrada franca.

Dia 1/8 - às 20h - Apresentação da

Orquestra Santa Cecília. Local: Praça Rui Barbosa. Repertório variado. Entrada franca.

Dia 7/8 - Baile de Casais em comemoração ao Dia dos Pais. Animação com a Banda Athenas. Local: Grêmio Teatral “Leopoldo Fróes”, Rua Carlos Ferrari, 594. Reserva de mesas antecipada. Convites a R$ 50,00 para não sócios. Sócios não pagam.

42 - via maxi

Dia 7/8 - às 20h - Pelo Circuito Cul-

tural Paulista, apresentação do espetáculo Gravidade Zero, com Circo Mínimo. Local: Sala Miguel Mônico – teatro. Entrada Franca mediante retirada antecipada de convites nos pontos credenciados. Duração: 50 min. Classificação indicativa: Livre.

De 10 a 27/8 - Mostra Poética dos Materiais, com o artista De Faria. Local: Galeria Municipal “Edith Nogueira Santos”, Rua Minas Gerais, 180, Centro. Agendamento para escolas interessadas pelo telefone 3471- 0210. Entrada franca.

Dia 15/8 - às 20h – Apresentação da

Orquestra Santa Cecília. Local: Praça Rui Barbosa. Repertório variado. Entrada franca.

Dia 20/8 - às 15h30 – Pelo Circuito

Cultural Paulista, apresentação do espetáculo teatral A Ciranda do Villa, com Cia. Lúdicos de Teatro Popular. Local: Sala Miguel Mônico – teatro. Entrada Franca mediante retirada antecipada de convites nos pontos credenciados. Classificação indicativa: Livre.

Dia 27/8 - às 20h – Comemoração do

aniversário da EMCA, com a apresentação da Orquestra Santa Cecília e dos alunos de música. Local: Sala Miguel Mônico – teatro.

Dia 17/9 - às 20h – Pelo Circuito

Cultural Paulista, apresentação do espetáculo Shakeaspeare Amarrotado, com a Cia. Caso de Matraca. Local: Sala Miguel Mônico – teatro. Entrada franca mediante retirada antecipada de convites nos postos credenciados. Duração: 50 min. Classificação indicativa: Livre

Dia 24/9 - às 15h30 – Pelo Circui-

to Cultura Paulista, apresentação do espetáculo Uma Noite em claro, com Cia. Odelê-Casa dos Gestos. Local: Sala Miguel Mônico – teatro. Entrada franca mediante retirada antecipada de convites nos postos credenciados. Aguarde! Em outubro, Os Embalos de Sábado a Noite Festa beneficente em prol do hospital São Lucas.

Se você quiser divulgar o seu avento em nossa agenda, entre em contato pelo telefone: (14) 3471-3895 ou pelo e-mail: viamaxi.com@gmail.com. A publicação é gratuita. A programação é de inteira responsabilidade dos organizadores dos eventos


ESSA FASE PASSA RÁPIDO! ENTÃO, FOTOGRAFE AGORA!

Rafaela e Manuela Souza

BOOK FOTO GLAMOUR

FOTOGRAFIA PUBLICITÁRIA

E S T Ú D I O R. Coronel Joaquim Piza, 441 - Garça - SP

Fone: (14) 3471-3895


Via Maxi n.o 05