Page 1


3DOD 3D 3DODYUDGRSUHVLGHQWH ODYU OD YUD YU DGR GRSUH SUH UHVL VLGH VL GHQW GH QWH QW H


(GLWRULDO

3DODYUDGR3UHVLGHQWH

As propostas de trabalho para o ano de 2009, aprovadas na AGE, estão sendo todas cumpridas. Os investimentos no HGU, em equipamentos – Unidade Neonatal, Urologia, Neurocirurgia – já foram realizados. A rampa exigida pelo Corpo de Bombeiros foi concluída, estando liberada. Estes investimentos tornaram-se possíveis graças ao contrato firmado entre a Unimed e o Banco Santander, o qual foi negociado de acordo com modelo aprovado na última AGO. Foram iniciados estudos para implantação de atendimento domiciliar e para pagamento por performance. O programa “Vida por Unimed” será lançado, pois teve seu regulamento, incluindo forma de pontuação, aprovado. Também o

programa de interiorização está em andamento. Neste ano já tivemos reuniões do Conselho de Administração em Castro, no mês de janeiro, e em Telêmaco Borba, no mês de julho. Nesta ocasião tivemos a participação de 32 cooperados da região, mostrando o interesse e o compromisso dos médicos com sua cooperativa. Aproveito para agradecer publicamente ao Dr. Braga pela organização desta reunião. Estão programadas reuniões em Palmeira, no mês de outubro, e Jaguariaíva, no mês de dezembro. Convido a todos os cooperados destas regiões a participarem destas reuniões. Reforço ainda o convite a que os cooperados em geral participem das reuniões da Unimed, pois só com a participação de todos poderemos manter a liderança alcançada.

([SHGLHQWH CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO (GESTÃO 2008/2011): Diretor Presidente: Dr. Gilberto Baroni Diretor Administrati Administrativo: Dr Francisco Henrique Caldeira vo: Dr. Diretor Financeiro: Dr. Carlos Augusto Marques Diretor de Mercado e Desenvolvimento: Dr. Salim Acras DIRETORES REGIONAIS: Telêmaco Borba - Dr. Arnaldo Braga Feitoza Castro - Dr. Matilvani Moreira Palmeira - Dr. Gerson Antunes Proença Arapoti | Jaguariaiva - Dr. Wanderley Tetsuo Kitagawa CONSELHO TÉCNICO: Efetivo: Dr. Northon Hilgemberg, Dr. César Toshio Oda, Dra. Marli Cybulski. Suplentes: Dr. André Alexandre Piotrowicz Trentini, Dr. Winston Antonio Bastos CONSELHO FISCAL (GESTÃO 2008/2009) Efetivo: Dr. Dalton Scarpin, Dr. César Roberto Busato, Dr. Magno Zanelatto Suplente: Dr. Carlos César Wozniaki, Dr. Carlos Eduardo Marques, Dr. Bruno Alcides Queiroga AUDITORIA: Dra. Marli Cybulski, Dr. Adir José Cybulski, Maria de Los Dolores Rojo Moro, Jorge Alberto Palomo, Dr. Joelson Gulin, Dr. Tadeu Mazurek Junior Unimed Rua Santos Dumont, 1036 - Centro Ponta Grossa - PR - Cep: 84040-120 (42) 3220-7000 Para maiores informações escreva para: unimedpg@unimedpg.com.br

Correio Unimed | boletim informativo bimestral

6XPÄULR

04 Unimed G M INCANA

ARCA

C OMEMORAÇÃO

DO

DIA DA SECRETÁRIA

C OLABORADORES U NIMED

PARTICIPAM DE

EVENTO SOLIDÁRIO

05 Cooperados U B NIMED E

ANCO

S ANTANDER

FECHAM

PARCERIA

C ENTRAL

DE COMPRAS É A NOVIDADE

PARA ASSOCIADOS

06 Prevenção AF

EBRE DO VÍRUS

H1N1

07 Atendimento D H AY

OSPITAL CHEGA PARA DOMINUIR

ESTADIA DE PACIENTES

TASY

TRAZ MAIS SEGURANÇA E

AGILIDADE NOS ATENDIMENTOS

08

Capa

HOSPITAL GERAL UNIMED AMPLIA SERVIÇOS

10 Diagnóstico T M OMOGRAFIA

ULTISLICE À DISPOSIÇÃO

DOS COOPERADOS

U NIMED

12 Social C

OMITÊ DE RESPONSABILIDADE SOCIAL

RECEBE CERTIFICAÇÃO

13 Social U

NIMED E

EDIÇÃO DO

JOGOS

HGU SÃO PREMIADOS S ELO S OCIAL

NA

DA INTEGRAÇÃO MOVIMENTOU

COLABORADORES

e informações 14 Notas A H TENDIMENTO VIA

ILUM COM APRESENTAÇÃO

DO NÚMERO IDENTIFICADOR

LISTA DE ANIVERSARIANTES A GOSTO E S ETEMBRO

DO MÊS DE

Reportagem: Thirson Silva Thalita Valentim Revisão: Osvaldo Tavares Diagramação Diogo Pereira Glovatski Produção Edi Bastos Projeto gráfico Via Criativa. Rua 1º de maio, 151 - Nova Rússia - (42) 3028-6188, www.viacriativa.net.br Tiragem: 1000 exemplares. Circulação dirigida Impressão: Gráfica Midiograf

Ago/Set 2009

3

3


8QLPHG

*LQFDQDPDUFDFRPHPRUDÉÆRGRGLDGDVHFUHWÄULD D

D

e um lado o chefe, do outro aqueles que os procuram. Ligações o dia todo, pessoas com pressa, chefes ocupados, mais ligações, o dia parece ter mais de 24 horas. No meio, ela que sempre tem o sorriso no rosto e a competência para atender tantos lados. Ficou fácil adivinhar que a secretária é o assunto deste texto. Não é somente pelo dia 30 de setembro, data em que se comemora o dia da secretária, que a Unimed Ponta Grossa faz uma homenagem todos os anos para estas profissionais profis que, entre outras tareefas, organizam a outr vid da de ou utros p profissionais. É tambéém pela dedicação, discipli na e a disposição com q que dessenvolvem o trabalho dee uma m aneira tão sutil que

passa despercebido no meio da correria diária. Michele Bayer trabalha há seis anos na unidade cooperativa da Unimed e há dois é a secretária da diretoria e dos conselhos técnico, fiscal e auditoria. Como ela mesma define, seu dia é corrido, afinal são várias agendas, compromissos e negócios que precisam estar sempre em dia. Além de Michele o Hospital Geral Unimed (HGU) também conta com outra profissional que atende o setor administrativo e cuida da organização da grade de escala dos médicos. Thalyta do Rocio Costa trabalha há 10 anos na Unimed e já se vão cinco anos organizando a agenda do HGU. Para ela, as recepcionistas podem ser consideradas secretárias. Na época em que entrou na cooperativa trabalhava na recepção. Ela comentaa que estas profissionais também devem em m ser homenageadas. “O atendimento o lláá é maior, elas conversam com muito o mais pessoas“, acrescenta Thalyta.

É justamente para valorizar esta profissão e enfatizar a importância dela que a Unimed Ponta Grossa realiza um evento comemorativo ao dia da secretária. Este ano a festa acontece no dia 26 de setembro e conta com uma programação onde será realizada a gincana, depois tem o tradicional almoço e uma palestra com o tema Trabalho e Qualidade de Vida. IV Gincana do dia da Secretária Data e Hora: 26/09/09 com início ás 9h Local: Colégio Marista Programação - Palestra com o tema: Trabalho e Qualidade de Vida com Sandra Zanetti - Gincana: várias provas - Almoço *Exclusivo para secretária dos médicos cooperados da Unimed Ponta Grossa Confirmação da presença até dia 14/09 ( segunda-feira)

&RODERUDGRUHV8QLPHGSDUWLFLSDPGHHYHQWRVROLGÄULR Arquivo Unimed

M

oradores da Vila Cristina receberam, pelo quarto ano, uma ação beneficente organizada pelos alunos e direção do colégio Marista. O dia solidário envolveu bazar do agasalho, apresentações artísticas, distribuição de lanches, oficinas, entre outros. Os donativos foram arrecadados durante a Maratona Champanhat 2009 – gincana interna do colégio, e foram repassados à comunidade no dia 26/06/09.

Profissionais da Unimed PG participaram do evento promovido pelo grupo Marista na Vila Cristina

Pela primeira vez a Unimed foi convidada para participar do evento. Uma equipe de profissionais contribuiu para a realização do circuito de saúde, que contemplou os moradores com aferimento de pressão, peso, altura, índice de massa corporal e circunferência abdominal. Voluntários do curso Técnico de Enfermagem do centro de educação Pró-Ensino também ajudaram no espaço organizado pela Unimed.

4

Ago/Set 2009

Correio Unimed | boletim informativo bimestral


&RRSHUDGRV

8QLPHGH%DQFR6DQWDQGHUIHFKDPSDUFHULD

C Arquivo Unimed

om o objetivo de melhorar o atendimento pessoal dos colaboradores a Unimed fechou, em 15 de junho, um contrato de parceria com o Banco Santander. O acordo se estende a todas as unida-

des e foram definidos benefícios que trazem mais comodidade e principalmente instruções de investimento para os cooperados. Em Ponta Grossa são 311 colaboradores que, a partir do dia 1º de setembro utilizarão o primeiro crédito e contarão com o novo serviço. Serão dois postos de atendimentos, descontos exclusivos nas compras com cartão de crédito em diversos estabelecimentos e crédito pessoal para os colaboradores da Unimed. Segundo a diDiretoria da Unimed e representante do Banco Santander comemoram parceria retoria i fforam

feitas negociações com vários bancos e o Santander ofereceu as melhores condições em termos de parceria e serviços, incluindo taxas, tarifas bancárias para os cooperados, além do benefício oferecido à cooperativa. Principais benefícios obtidos com a parceria - Pacotes isentos por 12 meses a partir da abertura das contas Correntes - Taxas e limites diferenciados em cheque especial - Crédito Pessoal e Cartão de Crédito. - Opções especiais em investimentos e consultoria de profissionais experientes e altamente especializados. - Net Cursos de Gestão de Tempo, Finanças Pessoais e Matemática Financeira; - Postos de Atendimento Eletrônico na sede da Unimed e no Hospital Geral Unimed. - Vantagens exclusivas com os parceiros do Santander (descontos exclusivos em diversos estabelecimentos com o cartão de crédito Santander).

&HQWUDOGH&RPSUDVËQRYLGDGHSDUDDVVRFLDGRV

P

ara centralizar as compras de materiais para a cooperativa e seus prestadores de serviços a Unimed Ponta Grossa lança no mês de agosto o projeto Central de compras. A ideia é fazer parcerias com fornecedores e buscar melhores preços na compra de materiais. As compras vão desde material de escritório até objetos usados nos hospitais e clínicas, como seringas, agulhas, luvas e outros componentes de trabalho

que são utilizados pelas instituições. Segundo o coordenador do serviço Jorge Soistak, neste primeiro momento serão sete empresas cooperadas de Ponta Grossa que irão relacionar os produtos de maior utilização e a quantidade necessária de cada um. Estas listas fornecidas pelos prestadores serão analisadas para que se tenha uma referência da demanda de cada setor. Depois disso serão feitos contatos com fornecedores para que sejam

negociados melhores preços e vantagens para os associados. O projeto também procura firmar a parceria com todos os prestadores de serviços, hospitais, clínicas e médicos. Soistak diz que a partir p do resultado desta primeira p fase o projeto pode ser ampliado. É um projeto piloto, mas o objetivo é que mais prestadores seja beneficiados, afirma. Informações Central de compras – 3220-7000

5

Correio Unimed | boletim informativo bimestral

Ago/Set 2009

5


3UHYHQÉÆR

$IHEUHGRYÏUXV+1 A máscara de proteção é outro indício que a situação é preocupante e pode ficar pior. O uso deve ser criterioso e indicado para pessoas que estão com sintomas gripais, e mesmo assim deve ser substituída por outra em no máximo 2h, mas isso não acontece. O que se vê se nas ruas são pessoas mascaradas,, contrariando a orienp tação do governo, órgãos de saúd úde e médicos, que é repouso absoluto. Os cuidados vão muito o além da lavagem das mãos e do uso de máscaras. Vale lembrar quee observar o ambiente é u uma ótima forma de p prevenção. Mantê-los sem mpre bem arejados evitaa a transmissão do vvírus. Segun ndo especialisttas, de nada adianta a a paralissação das escolaas se os mesm mos estudantees aproveitam m à folga e correm m para os shoppin ngs e cinemas d da cidade. Não frequ uentar lugares fech hados ou com aglo omeração de pessoas é essencial para evvitar que a gripe seja disseminada na cidaade. Desde o aparecimento d da gripe A com a faltta de informações precisas e uma chuvva de informações erradas, a doença paarece ter se tornado um fato cotidiano preocupante. Para atender e iinformar Shut SShu Sh hut hhu uutttters ers rrssto ttock ock ooc cckk.c .com .co com cco oom m

O

mundo continua apreensivo com a nova gripe, que já não é mais tão nova assim. Em Ponta Grossa não é diferente. Por aqui são vistas pessoas usando máscara de proteção, estabelecimentos comerciais com o movimento reduzido, aulas que há pouco voltaram devido ao recesso causado pela epidemia e muitos eventos públicos públic adiados e outrros até cancelados. O problema maior não é a falta de informaçãão, mas sim o excesso dela, muitos boatoss, verdades e mentiras ligadas ao vírus Influeenza (H1N1), popularmeente chamado de gripe suína. O resultad do disso tudo são pessoas mal orien ntadas, utilizando todo o tipo de proteção, muitas vezes de fo orma errada quee, ao invés de ajudar, acaba dessencadeando outrros problemas. Paara o Dr. Carlos Augusto Marques, diretor financeiro da Unimed e médico do Hospital Geral Unim med (HGU) a auto auto omedicação é um dos erros mais graves com metidos pela maioria da população. “As pessoaas vão até uma farmáccia com sintomas de gripe, compram reméédios indicados peloss atendentes e acham qu ue estão medicadas”, alerrta Dr. Marques.

melhor a sociedade, o Ministério da Saúde criou normativas que devem ser seguidas por todo o sistema de saúde brasileiro, seja público ou privado. Seguindo esta orientação do órgão público, o HGU, com a preocupação de atender melhor os pacientes e também médicos e funcionários, adotou uma série de procedimentos que auxiliam na prevenção e no tratamento de suspeitas do vírus (H1N1) e na proteção de quem cuida destas pessoas. De acordo com a diretoria do hospital, a ordem na recepção é de que pacientes com sintomas leves e suspeitos, sejam medicados com Tamiflu, fornecido pelo Ministério da Saúde e monitorados pela Vigilância Sanitária em seus domicílios. Pacientes com sintomas mais preocupantes são internados em quartos de isolamento e tratados conforme as normativas do Ministério da Saúde. O vírus assusta, é perigoso porque tem um poder de propagação no organismo muito rápido. Segundo o Dr. Ricardo Zanetti Gomes, chefe da comissão de controle de infecção hospitalar do HGU, ”o (H1N1) preocupa porque é uma doença que mata adulto, jovem e sadio”.Ele ainda ressalta que o Ministério da Saúde informou com precisão as medidas para que a pandemia fosse evitada. Porém, devido a alguns erros cometidos pelo órgão em outras ocasiões, as pessoas não acreditaram na disseminação da doença. A notícia boa vem com a informação de que os casos diminuíram no hospital e atualmente há somente um suspeito em observação na ala de tratamento da gripe A. Mas isso não quer dizer que a ”febre” acabou, os cuidados devem continuar. O médico também lembra do esforço da equipe de profissionais do hospital, que trabalhou com consciência e responsabilidade, quando se deu o surgimento do vírus.

6

Ago/Set 2009

Correio Unimed | boletim informativo bimestral


$WHQGLPHQWR

n'D\+RVSLWDO|FKHJDSDUDGLPLQXLUHVWDGLDGHSDFLHQWHV

C

mais cedo. O sistema, que já é utilizado pela Unimed Joinville (SC) e Vitória (ES), tem apresentado resultados satisfatórios tanto para o paciente quanto para o médico. Entre outros benefícios o paciente tem redução do risco de in-

Shutterstock.com

om o intuito de diminuir o período de internação, o HGU adota o “Day Hospital”. Este tipo de internamento consiste em, de acordo com o quadro clínico, fazer com que o paciente vá para casa

Método possibilita ao paciente receber alta no mesmo dia em que fez a cirúrgia

fecção, a rotatividade nos aposentos é maior, os gastos, no caso do paciente ser atendido pela rede privada e a recuperação em casa é mais rápida. Esta novidade vai ao encontro da cirurgia g de videolaparoscopia. É uma ação que agiliza a saída do paciente no mesmo dia em que fez a cirurgia. Dr. Marques explica que cada caso é um caso, isso quer dizer que não se aplicam a todas as cirurgias, mas pode ser utilizado em grande número delas. Como exemplo ele cita algumas, “as intervenções oftalmológicas, de otorrino, como o pólipo nasal e desvio de septo”. São cirurgias que podem se beneficiar de um tempo de permanência mais curto no hospital (de até 12h). O objetivo principal da medida adotada pela diretoria do HGU, é tirar o paciente do hospital o quanto antes. Inicialmente serão quatro aposentos, mas o Dr. Marques destaca que se os resultados forem positivos e a demanda for maior é possível que o serviço seja ampliado. ampliado

ŷŤŶżWUD]PDLVVHJXUDQÉDHDJLOLGDGHQRVDWHQGLPHQWRV

O

TASY Y é um software de gerenciamento hospitalar desenvolvido pela Wheb Sistemas e é utilizado por muitos hospitais. O sistema acaba de ser implantado no HGU e visa aperfeiçoar o atendimento a pacientes e melhorar a estrutura de trabalho aos médicos e cooperados. Rosilene Gomes é gerente administrativa do HGU e explica que o programa está em fase de adaptação e, em alguns setores, ainda precisam

acertar alguns pontos. É o caso dos médicos: os prontuários já são lançados no sistema, porém, não são todos que estão utilizando o TASY. Mas logo, estará 100% e será uma ferramenta útil e indispensável para todos os setores. Um exemplo de como funcionará no momento das consultas é o acesso automático da farmácia à receita prescrita pelo médico. As informações são cadastradas desde o momento em que q o p paciente entra no hospital. “É a quali-

dade na informação”, diz Rosilene. As vantagens vão desde o atendimento na recepção, passam pelos setores administrativos, financeiro, enfermagem e prontuário eletrônico. O sistema controla a farmácia, estoque e o agendamento de cirurgias. Além de dar mais segurança ao paciente e maior agilidade para médicos e funcionários. Vale lembrar que os acessos são limitados para cada setor, tudo protegido por senha, assegurando o sigilo de todas as informações do sistema.

7

Correio Unimed | boletim informativo bimestral

Ago/Set 2009

7


&DSD

+RVSLWDO*HUDO8QLPHG S

Novos equipamentos para o centro cirúrgico são novidades no HGU

J

tor financeiro da Unimed Ponta Grossa, esta demanda era esperada, o que realmente não estava nos planos é que isso acontecesse de uma maneira tão rápida, “desde o momento em que nós inauguramos o hospital tínhamos um planejamento estratégico de crescimento em termos de complexidade do atendimento, mas não tínhamos previsão de que tão rapidamente a complexidade passasse para procedimentos de grande porte” destaca. Para o centro cirúrgico, foi adquirido mais um Arco Cirúrgico que mostra a imagem real (diferente do raiox, onde o médico tem a imagem estáti-

ca) e permite a realização de cirurgias com um grau de precisão maior como, por exemplo, fratura de fêmur ou atendimento a pessoas de idade. Assim os usuários com estas patologias não terão que procurar outros centros médicos em Curitiba, como é de costume.

Videolaparoscopia O HGU já dispunha de três aparelhos de videolaparoscopia e hoje conta com o apoio de mais um, comprado recentemente. As torres, como são chamadas, permitem com que pacientes mais graves que não podem ficar um período prolongado de anestesia ou aqueles que, no pós-operatório, ficariam mais tempo internados quando submetidos a uma cirurgia convencional, possam ser atendidos com este novo tipo de procedimento. Os médicos são unânimes em dizer que quanto menos tempo no hospital, melhor a recuperação. E não é para menos, várias pesquisas já foram feitas e todas indicam que o paciente se recupera muito mais rápido em casa. O ambiente hospitalar, apesar de ser onde o paciente tem uma atenção redobrada, deixa de ser familiar, e nada melhor do que estar em casa, com o apoio da família, para uma boa recuperação. “Este método cirúrgico encurta o tempo da cirurgia e encurta ainda mais a recuperação do paciente, tira o doente da cama”, afirma Dr. Marques. Além disso, foram compradas novas ópticas, que são utilizadas para este tipo de cirurgia, e aparelhos que possibilitam Arco cirúrgico adquirido recentemente pelo HGU a esterilização dos materiais Thirson Silva

á se passou um ano e meio desde a inauguração do Hospital Geral Unimed (HGU). Durante este período foi possível perceber o quanto o hospital cresceu e, de acordo com a diretoria do HGU, as novidades não param. Isso se deve à grande procura pelos serviços e a excelência oferecida no atendimento pelos médicos e colaboradores. O aumento do complexo do Centro Cirúrgico e a compra de equipamentos que auxiliam no diagnóstico precoce são alguns dos novos serviços que ampliam o atendimento no hospital. Segundo o Dr. Carlos Augusto Marques, médico e dire-

8

Ago/Set 2009

Correio Unimed | boletim informativo bimestral


&DSD

DPSOLDVHUYLÉRV trauma e consequentemente a questão estética é beneficiada. Recentemente o hospital adquiriu também material para a realização de cirurgias pediátricas e urológicas endoscópicas, feitas pelo canal da urina ou pela parede do rim com o catéter. A perspectiva agora é fazer o atendimento de neurocirurgia. Atualmente o hospital realiza este tipo de procedimento, mas somente em casos de emergência. De acordo com Dr. Marques o próximo passo é ampliar e atender pacientes

com um grau mais avançado, “Intracranianas, aneurismas e tumores são os próximos passos”, diz. As cirurgias cardíacas, que ainda não são feitas no hospital, também farão parte dos serviços prestados pelo HGU. Para os médicos e colaboradores o crescimento e a utilização do hospital tem sido acima do esperado. “Nos últimos 60 dias vimos um fluxo maior e isso é uma coisa muito boa”, afirma. Thirson Silva

dentro de regras seguras, o que diminui muito a incidência de infecção. A diferença de uma cirurgia convencional para a de videolaparoscopia é que não são feitas grandes incisões nos pacientes e sim pequenas incisões ou “furos” onde são introduzidos catéteres e pinças que ficam no controle dos médicos. Para auxiliar, também são usadas pinças que servem como tesouras, afastadores e material de sutura, tudo acompanhado pelo vídeo. Além da permanência no hospital diminuir, o paciente tem uma recuperação mais rápida e menos dolorosa, já que as incisões são pequenas. Isso significa que as paredes abdominais terão o mínimo de Novos serviços no CDU

O Centro de Diagnóstico Unimed (CDU) conta, atualmente, com exames mais específicos que mostram problemas na fase inicial. Isso é importante porque o diagnóstico precoce faz uma grande diferença no tratamento e na recuperação do paciente. Na área de cardiologia do HGU, os médicos dispõem de equipamentos como o Ecocardiograma. Neste ultrassom do coração é possível ver as estruturas cardíacas, as válvulas cardíacas, a espessura do músculo, contratilidade, a membrana que envolve o coração (saco pericárdico). Desta forma é possível medir o tamanho do coração e identificar possíveis patologias. Uma variante deste exame é a Ecografia de Stress, também novidade no CDU. É um exame em que o médico estimula a contração do coração, sendo possível perceber se as paredes do órgão são contraídas de maneira uniforme, pois a ordem é que estejam sincronizadas. “Se isso não acontecer existe uma possibilidade grande de que ali se tenha uma deficiência de fluxo de uma artéria coronária responsável pela irrigação de sangue naquela região”, explica Dr. Marques. O médico ainda esclarece que o medicamento é administrado e faz-se o ecocardiograma, em seguida compara-se a contração da parede entre elas e a contração dos vários segmentos com o exame sem a medicação. Esta diferença de contratilidade mostra que algo está errado sendo, na maioria das vezes, um problema de circulação feito pelas artérias coronárias. Uma das salas cirúrgicas do HGU

9

Correio Unimed | boletim informativo bimestral

Ago/Set 2009

9


'LDJQÕVWLFR

7RPRJUDILFDn0XOWLVOLFH|ÃGLVS

A

Thirson Silva

técnica “multislice” é a mais avançada tecnologia para exames de tomografia computadorizada. Os tomógrafos “multislice” são capazes de realizar grandes varreduras em um tempo muito reduzido. Isto faz com que seja possível até “parar” o coração. No Centro de Diagnóstico Unimed (CDU) está instalada uma destas máquinas. Os cooperados têm à sua disposição um grande número de exames realizados com protocolos avançados.

As possibilidades são muitas. Com o equipamento de 64 canais, que já está prestando serviço aos colegas, são feitas angiografias não invasivas de membros periféricos, carótidas e artérias cerebrais. A angiografia das artérias pulmonares, padrão ouro no diagnóstico de embolia pulmonar também é realizada com rapidez e precisão. A avaliação angiográfica de toda aorta e seus ramos principais pode ser feita em um único exame. Nas patologias pulmonares a abordagem torna-se mais acurada, pois

os cortes são milimétricos e as imagens de alta resolução são feitas de todo o pulmão. Além disso os pulmões podem ser estudados em volume, de modo tridimensional. As reformatações em três dimensões geram g imagens g com detalhes anatômicos impressionantes. É possível, por exemplo, isolar as vias aéreas ou demonstrar apenas as áreas de enfisema. Navegações virtuais endoluminais também são realizadas. Com este recurso pode-se fazer colonoscopia, broncoscopia e visualizações endovasculares. As avaliações de instrumentos de osteossíntese tornaram-se extremamente didáticas com este exame. O médico pode lançar mão das imagens para comparar os resultados e explicar as intervenções para o paciente de forma muito didática. Uma abordagem há pouco tempo impossível para os tomógrafos que agora é uma realidade no nosso meio é a tomografia cardíaca. Dentre as várias aplicações neste âmbito duas se destacam. A primeira é a estratificação de risco coronariano através do Escore de Cálcio. Este exame ultrarrápido, sem contraste e de baixíssima dose de radiação, detecta e mensura placas ateroscleróticas calcificadas nas artérias coronarianas e, através de algorítimos matemáticos, classifica o paciente quanto ao risco de haver estenoses importantes. Outra abordagem Tomógrafo Multislice garante diagnósticos com maior agilidade e precisão no CDU de grande valia clínica é a

10

Ago/Set 2009

Correio Unimed | boletim informativo bimestral


'LDJQÕVWLFR

RVLÉÆRGRVFRRSHUDGRV8QLPHG imagem gerada com multislice

Thirson Silva

*por Dr. Lucas Calafiori

1

2

3

Médicos analizam exame realizado pela tomografia

angiotomografia das artérias coronárias. Através desta técnica minimamente invasiva - é necessário apenas um acesso venoso periférico - se faz o estudo das artérias coronárias de forma rápida e extremamente confortável. Este exame é bem aplicado aos pacientes sintomáticos mas que clinicamente apresentam médio e baixo risco. Todos os exames realizados no tomógrafo “multislice” do CDU são otimizados com protocolos de baixa dosagem de radiação sendo levados em consideração o peso do paciente, a área examinada e a densidade dos tecidos a serem transpassados pelos raios X, ou seja, cada milímetro do corpo é mensurado e a dose de radiação é ajustada para aquela região de forma a ser a menor possível para a geração de imagens diagnósticas.

Indicações

1 2 3

Crânio e Face Mastóide Sela túrcica Dental Coluna Cervical Abdômen Total Abdômen superior Pelve ou Bacia Tórax Segmentos Apendiculares Articulações Coração ç Angiotomografia Urotomografia

11

Correio Unimed | boletim informativo bimestral

Ago/Set 2009

11


6RFLDO

&RPLWÌGH5HVSRQVDELOLGDGH6RFLDOUHFHEHFHUWLrFDÉÆR

D

Arquivo Unimed

esde 2001, a Unimed do Brasil trabalha com uma política de RS (Responsabilidade Social) organizada. A missão é disseminar práticas de RS e incentivar as cooperativas a implementá-las para a construção de uma sociedade mais justa e sustentável. A fim de estimular as singulares a investirem no setor, foi criada uma certificação através do Selo de Responsabilidade Social do Sistema Unimed. Para participarem do processo do Selo, as cooperativas preenchem o Balanço

dos projetos, o que fez com que a cooperativa aumentasse o seu desempenho na certificação. “Prova disso foi a criação recente do nosso Comitê de Responsabilidade Social. O grupo é composto por 10 pessoas com o objetivo de gerir melhor as ações de RS e sustentabilidade e ainda repassar as informações nos setores de trabalho para que os demais colaboradores saibam o que está sendo feito na área”, disse o coordenado de RS Jorge Soistak. As reuniões de trabalho acontecem uma vez por semana. “Quanto mais pessoas discutem, maior a chance de sucesso na execução dos projetos”, disse Jorge destacando um dos pontos positivos da criação do Comitê. No ano passado a Unimed Ponta Grossa somou 74,5 pontos no Selo de Responsabilidade Social da Unimed do Brasil, na certificação atual foram 78. O desempenho aumentou embora, por enquanto, não Comite da Unimed Ponta Grossa exibem o selo de Responsabilidade Social se tenha alcanSocial do Ibase (Instituto Brasileiro de Análi- çado o nível máximo de pontuação. “Nosso ses Sociais e Econômicas, criado em 1981) e desempenho está excelente, mas temos que respondem indicadores de responsabilidade investir mais em ações voltadas ao meio amsocial baseados nos indicadores do Instituto biente. Estaremos nos esforçando para que Ethos de Empresas e Responsabilidade So- na próxima certificação somemos mais poncial, elaborados especificamente para a reali- tos nesse quesito”, explicou Jorge. dade das cooperativas. Na Unimed Ponta Grossa, o pri- Avaliação meiro selo foi recebido em 2003. De lá para A metodologia de avaliação foi cá houve vários avanços e, principalmente, baseada em sete temas principais, são eles: maior organização estrutural e operacional valores e transparência, público interno, co-

munidade, fornecedores, clientes e governo e sociedade.Ao todo foram respondidas 107 questões. O estágio 3 de profundidade (71 a 90 pontos, o qual a Unimed Ponta Grossa conquistou) diz que a cooperativa assimilou o conceito de gestão socialmente responsável com maturidade e a maioria das práticas de RS são planejadas e atendem os públicos de relacionamento. Unimed Ponta Grossa conquista nota satisfatória no IDSS avaliado pela ANS A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) é o órgão máximo responsável pela regulamentação e fiscalização dos planos de saúde no Brasil. Além disso, ela tem por finalidade promover a defesa do interesse público na assistência suplementar à saúde e contribuir para o desenvolvimento de ações de saúde no país. Recentemente, a agência divulgou uma pesquisa sobre o desempenho dos planos de saúde. A sondagem é realizada uma vez ao ano. Dentre as 1078 operadoras médico e hospitalares avaliadas pela ANS, a Unimed Ponta Grossa está entre as 200 que atingiram a pontuação nível 4 no IDDS (Índice de Desempenho de Saúde Suplementar), com nota 0,60 a 0,79. A avaliação definiu as notas em cinco faixas – 0,00 a 0,20; 0,20 a 0,39; 0,40 a 0,59; 0,60 a 0,79 e 0,80 a 1,00. Para chegar a este índice, as operadoras foram avaliadas em quatro quesitos: situação econômico-financeira, estrutura e operação, atenção à saúde e satisfação dos beneficiários, sendo que no último, a Unimed Ponta Grossa obteve classificação dentro da melhor faixa. De acordo com a ANS, esta é uma poderosa ferramenta de apoio à decisão do beneficiário na hora de contratar um plano de saúde. Ele poderá escolher uma operadora avaliando e até comparando os desempenhos para saber qual das empresas tem maior qualidade. Os resultados do Programa de Qualificação das Operadoras de Planos de Saúde estão disponíveis para consulta no site da ANS – www.ans.gov.br. De posse da razão social, número de registro na ANS ou CNPJ da operadora o resultado poderá ser visualizado.

12

Ago/Set 2009

Correio Unimed | boletim informativo bimestral


6RFLDO

8QLPHGH+*8VÆRSUHPLDGRVQDŽHGLÉÆRGR6HOR6RFLDO tregue à àquelas que participam de proje- ral. “A certificação é mais um atestado tos em parceria e fazem doações. No caso de que a Unimed sempre está preocupado bronze a empresa realiza apenas ações da com a qualidade, cujo foco é o atendiinternas ou doamento do beneções. ficiário”, disse o No ano diretor de Merpassado, foram cado e Desencertificadas 77 volvimento Dr. empresas. EnSalim Acras. tre as três novas Na ocasião, que aderiram Jorge Soistak, ao Selo está o gerente adminisHospital Geral trativo recebeu o Unimed, que prêmio pela Unipela primeira med e Rosilene vez fez parte Gomes, gerente das premiações administrativa – conquistando hospital, redo a categoria cebeu o Selo pelo prata. No total, Jorge Soistak e Rosilene Gomes recebem Selo Social HGU. A pós rea Unimed e o HGU apresentaram pelo ceber a premiação, que possui validade por menos 20 projetos sociais, o que reitera um ano, as empresas passam a utilizar a o compromisso com os seus públicos de logomarca do Selo Social em todos os seus interesse, além da comunidade em gege instrumentos de publicidade. publicidade Arquivo q Unimed

A

Unimed e o Hospital Geral Unimed (HGU) estiveram entre as 80 empresas certificadas pelo Selo Social da Prefeitura de Ponta Grossa. A entrega aconteceu na noite do dia 9 de junho, nas instalações do Teatro Marista. Para receber o certificado, além de estarem em dia com as obrigações fiscais, as empresas devem assumir compromissos de responsabilidade social interna (no caso da Unimed, colaboradores e médicos cooperados) e externa (projetos de interesse comunitário). Um comitê composto por 25 entidades , entre representantes do poder público e sociedade, analisa os projetos e depois indica as premiações. Este ano, 70 empresas receberam a certificação ouro (inclusive a Unimed), oito a certificação prata e duas a bronze. O Selo Social ouro reconhece que a empresa possui projetos próprios, participou de projetos em parceria ou realizou doações. doações A certificação prata é en en-

J

á virou tradição! Mês de Junho é mês de Jogos da Integração Unimed/HGU. Durante uma semana colaboradores e familiares se reúnem em busca de diversão, entretenimento, aproximação e prática de uma atividade saudável. Na edição 2009 participaram das competições 139 pessoas distribuídas em seis modalidades – truco, tênis de mesa, futsal, xadrez, vôlei e karaokê. Na sede da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) aconteceu o en-

cerramento da 3ª edição dos Jogos da Integração e a premiação dos grupos vencedores. A equipe que mais pontuou e registrou menores penalizações, pelo segundo ano consecutivo, foi a Cooperação, liderada pelo gerente Jorge Soistak com 31 pontos. Em segundo lugar ficou a equipe Integração com 29 pontos, em terceiro Dinamismo com 20 pontos, em quarto Movimento com 16 e por último a equipe Desafio com 11 pontos.

Arquivo Unimed

-RJRVGD,QWHJUDÉÆRPRYLPHQWRXFRODERUDGRUHV

Equipe Cooperação foi campeã pela segunda vez

13

Correio Unimed | boletim informativo bimestral

Ago/Set 2009

13


1RWDVHLQIRUPDÉ×HV $QLYHUVDULDQWHV AGOSTO

SETEMBRO

02

Dra. Tatiana Sabedotti bedottii

01

Dr. Osley Alves da a Si Silvva

03

Dr.r LLuiz D uzM Mar arrti tins tin n C Colaç olla o aço o

02

Dr. João Ricardo de Castro Ca

03

Dr. Marcos D os Pau P Paulo ulo oG Gomes omes Ba o Baggio aggio

04

Dr. Jogi o Sumi

04

Dr. Osny D sn Massaki a ki Wa ada

05

Dr. O Dr Octacilio da Siilva Couto Coutto

05

Dr. Jorge Eliz Eliziár Eliziário rio Mig guel

08

Dr. P Paulo l Eduardo do M do Magalhães aga a ães Rib Ri R Ribeiro ibe beirro be

09

Dra. Vânia D ad de e Ca Castro ast s ro B Braga raga G Gulin uli

09

Dr. Sebastião Ce Cesar ar M ar Men Mendes e es Tram Tramontin ram mo tin

10

Dr. Maurício D u io o Hernandez n nde ez Ferre Ferreiro rrre

10

Dr. Jorge Irapuan an Ferreira eir da Cu Cunha unha

11

Dr. André D n A A.. Pietrowicz Tre Trentin Trentini en

12

Dr. Roberto Umeda

12

Dr.. Lui Dr. Luiz Ed duardo ua Wambier er

13

Dr. Gastão Arthur Michelon on JJr.r.

12

Drrra. a Fa Fabia ane S Sloboda Cordeiro

13

Dra. Rosiley Pires Balbela e

13

Dr. Valdir S D Sabe edotti o

13

Dr. Alexandre d e Rossatto o FFelix lix

13

Dr. JJuan Alex exis Rubin de Celis

14

Dr. Luiz Jacintho ntho o Sique Siqueira u

$WHQGLPHQWRYLDKLOXP FRPDSUHVHQWDÉÆRGR QÛPHURDXWHQWLFDGRU

18

Dr. Franc an anci ncisco Carlos Carl s de d Moraes

15 1

Dr. Sergio io Raf Rafael Brega eg gan g an no no

18

Dr. Vice D Vi Vicente ente Milan Milanesi nesi

15

Dr. Rogerio Ribas

18

Dra. ra a. Vilm Vilma ma Carva Carvalho alho B Braga Nocêra

16

Dra. Fabiana Burigo g So oares es

Algumas empresas contratantes da Unimed Ponta Grossa poderão ter atendimento sem apresentar a guia TISS, porém o beneficiário deve apresentar o Número Autenticador da liberação do procedimento (Autorização de Atendimento) e o cartão magnético.

18

Dra. ra. a.. Lais is Regina Reg g Roch Rocha de Carvalho

17

Dra. Ana Carolina Co orde deiro ro o de An ndrade de

18

Dra. D a V Valéria aléria a lé ia C Carr Carrascoza rasco A. Orsato

18

Dr. Wilson de Souza

19

Dra. D ra. C Cláudia láud áudia Ma Mara ara Czervenny

18

Dr. Flavio Mendes Vilela Jr.r

20

Dr. Ca Dr Carlos os C Cesar esar sarr W Wozniaki n

20

Dr. Fernando Fugimoto oto

20

Dr. Charles Dr less J. Wierzbicki i k

20

Dr. Kazuo Mashiba

20

Dr. G D Gianmarco ian Penteado

21

olan la an Dr. Gilberto Lu Luizz Orto

22

Dr. Claudio Jose ose Busn sna nardo o

20

Dr. Jose Luiz Vie Vieira eira Junior

22

Dr. Gilmar lmar Alves do Na Nascimen ascim mento

25

Dra. ra Michelle ell Caç Cação açã Ribeiro

22

Dr. Wagner M Munemori Ma ariu riushi iu

25

Dr.. Edga Dr Edgardo ga arrdo ar do Fe Fernando ern E. Araneda

22

Dra. Ana Pa Paula aula a Ditzel Di

27

Dr.. FFábio Fá io o Quiri Quirilo ilo Mil Milleo

23

Dr. Rafael FFrancisco n co d dos San Santos

28

Dr.r. Carl Carlo lo oss E Edua Eduard do Marques do q

23

Dr. Sulaiman man El Tauil

28

Dr. Bru D Dr uno Alcides un Alcid d Queiroga Queirog g

26

Dra. Marileii M Dra Mende des e Soares So oa o ae

30

Dr. M Ma arco co os It Ito o

26

Dra. Wilma lma Suely S e ely ly R Reque Re eq

30

Dr. Alb bert ertino rtiino Mano oel C Capello p pe Pina P

29

D Raull Car Dr. Ca arneir irro Gomes om m Jr.r.

31

Dr. Ma arccos Ovvidio d de Alm meida a Ci Cintra

29

Dr. Za D Zaqueu Co on nnor Silva va a

,PSRUWDQWH

A operacionalização deste processo foi comunicado a V.Sa. através de uma correspondência emitida em 25.11.2008. Caso sua secretária e/ou atendente não tenha conhecimento do assunto ou tenha dúvidas na operacionalização, favor nos contatar que novamente encaminharemos a correspondência. (42) 3901-8373-Marcos, (42) 3220-7052-Gerson, (42) 3220-7550-Júnior.

14

Ago/Set 2009

Correio Unimed | boletim informativo bimestral


Revista Correio Unimed ed. 2  

Revista da Unimed

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you