Page 1

Aumenta o padrão de imóveis no Vetor Norte

Mobilidade: Governo deve investir R$ 500 mi no Vetor Norte

Página 8

Página 12

Aumenta acessos no V. Norte

Arquiteto Manoel Bracante

Reserva Real, o condomínio do ano Págs. 10 e 11

Martin Jr

Obras no Vetor Norte modificam RMBH

O

governador Antonio Anastasia anunciou, no dia 25 de julho, no Palácio Tiradentes, investimentos de R$ 572 mi‐ lhões para obras de infraestrutura viária no Vetor Norte da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). Depois da Linha Verde, este é o maior projeto viário do Governo de Minas na região. As intervenções integram as obras de mobilidade para a Copa de 2014 e buscam a fluidez no trânsito e o incremento ao turismo, além da melhoria da qualidade de vida dos mineiros. Detalhes nas páginas 8 e 9

Terminal 2 de Confins já tem 70% das obras concluídas

Polo comercial vai investir R$ 40 milhões em 2013

O mapa da mina

O Vetor Norte da Capital mineira é o novo eldorado de investidores do mundo inteiro. As oportunidades para impulsionar o desenvolvi‐ mento da região não são poucas, em todos os aspectos, seja turístico, econômico, lazer, habita‐ cional ou educacional. Página 10 Arquivo TVN

Turismo

Gruta da Lapinha, em Lagoa Santa, será atração na Copa do Mundo Fifa Arquivo TVN

Six Semicondutores,com fábrica já em construção pretende investir R$ 1 Bi na região

Novo hotel em Confins Página 4

Santa Luzia vive fase de expansão comercial Página 7

Ligue! (31) 3484 0480

Quando o Dr. Peter Lund descobriu a Gruta da Lapinha parecia ter certeza de que, mais que uma descoberta cientifica, estava fazendo uma descoberta de vida, de arte, de passado, de presente, de futuro. A Gruta, lo‐ calizada na região arqueológica de Lagoa Santa, dentro do perí‐ metro da capital de Minas Ge‐ rais.terá nova iluninação, graças a parceria com a Cemig. Porta‐ ria mais moderna e mais con‐ forto no pátio externo. Parabens a Secretaria de Turismo. Página 12


2

OPINIÃO

Vetor Norte Tribuna - RMBH, 20 de Setembro, 2013 - Edição N.1 www.vetornortebh.com • issuu.com.vetornortebh • @vetornortebh

Reprodução

Editorial

Liberdade de imprensa e de expressão

A

imprensa tem lado? Deveria ter. O lado da verdade, mas não é o que temos no Brasil neste momento, pelo menos em se tratando da chamada grande imprensa. As redações estão interferindo de forma contundente nas eleições de 2010, buscando moldar um candidato para mudar, na marra, o voto do eleitor. Qual o objetivo? Derrotar o mais popular presidente da República dos últimos 50 anos, Luís Inácio Lula da Silva. A grande imprensa passou boa parte de 2009 dizendo que Lula não emplacaria um sucessor ao Palácio do Planalto. Isso porque todas as opções petistas caíram como um castelo de cartas, entre elas a confiável candidatura, para o mercado, de Antônio Palocci; devido ao envolvimento obscuro do ex-ministro na quebra do sigilo do caseiro. Outro fato que tranqüilizava a imprensa era o elevado índice nas pesquisas de opinião do candidato tucano, José Serra. Mas, desde o início do ano a candidatura Dilma começou a ser vista pelo eleitor como a continuidade do governo atual, e seus índices de aceitação dispararam. A sinalização desta eleição ser decidida ainda no primeiro turno acendeu a luz vermelha nas redações. De repente, de forma pouco usual na história do jornalismo brasileiro, boa parte dos grandes jornais e revistas, com vigorosos auxílios da mídia eletrônica, adotam uma mesma linha editorial: Dilma é o atraso, a ditadura chavista e precisava ser combatida com todas as armas, mesmo que para isso fosse necessário escamotear a verdade.

VETOR NORTE TRIBUNA EDIÇÃO N. 1 Editores: Luiz Lucas Martins Reg. Prof. MG 02485 JP Eugênio Luiz Oliveira Reg. Prof. MG 03478 JP Fotografia: Santos Filho

Atualmente, o mote nas grandes redações é transformar copos de água em tempestades. Tudo deve ser levado aos limites extremos. Valem todas as manchetes, mesmo sem as devidas apurações dos casos. Há queixas de Lula contra a imprensa. Ah, o governo quer acabar com a liberdade de imprensa. Mas afinal o que é essa tal liberdade. Todo bom jornalista sabe que não existe liberdade de imprensa, mas sim liberdade do dono da imprensa. Nenhum jornalista tem o privilégio de expressar impunemente a sua opinião, se ela não agradar ao dono da mídia. O presidente pode ser enxovalhado pela mídia e obrigado a ficar caladinho, triste como gado a caminho do matadouro? Afinal, a livre expressão do pensamento – um direito de todos os cidadãos – não deveria ser total e inexoravelmente respeitada? Como diz o filósofo e professor de teologia, Willians Moreira: “Qual a compreensão que temos do que seja liberdade e qual é o nível de nossa liberdade em face desta compreensão? Tem gente que passa a vida toda como escravo de ideias e das amarras culturais. Outros, constroem novos rumos para suas vidas e são livres”. Voltemos ao início: Nas próximas eleições a mídia deve ter lado. Sim! Desde que mostre isso com todas as letras e cores, ao mesmo tempo em que deve preservar a verdade dos fatos. À mídia cabe, simplesmente, reportar de forma imparcial, verdadeira e transparente os fatos; sem manipulação ou meias palavras, mesmo que determinados fatos desagradem sua classe social e seus proprietários.

Colaboradores: Guilherme Avelar, Rodrigo Denúbila. Redação: Rua Irmãos Kennedy, 114/06 Cidade Nova - Belo Horizonte M. Gerais - 31170-130 Telefax: (31) 3484 0480 e (31) 9955 8447. E-mail Redação: tribunabh@gmail.com

Enquanto isso, naquele departamento...

Sinais inquietantes de timidez Por Guilherme Nunes Avelar – Advogado presidente Dilma Rousseff já deu a ver que possui dinâmica gerencial própria, valorizando a fixação de metas e cobrando resultados; bem, ao menos é isso que tem deixado passar à opinião pública, sendo ainda cedo para se afirmar que se trata de uma ação tática verdadeira e não mera retórica, similar à escancarada por Fernando Collor no início de seu funesto mandato presidencial. Apesar disso, deu ela própria a entender que seu intento governamental pode não se pretender tão reformista como o necessário para a consolidação das estruturas vitais do Brasil como um país confiável e viável. De início, isso se viu pelo eloquente silêncio, em todos os pronunciamentos oficiais nos quais traçou – genericamente – os objetivos centrais

A

de sua preocupação, quanto à sempre tormentosa questão previdenciária. Fonte capital de ação social é a Previdência um escoadouro de recursos dependente de contínua e séria atenção dos governantes, de forma a estancar vazamentos oriundos de uma legislação arcaica e – quanto ao segmento laboral público – perdulária, além de altamente discriminatória. Algo se fez no primeiro mandato de Fernando Henrique e de Luís Inácio da Silva, mas ainda longe do que se faz necessário, à vista do princípio isonômico inalienável e das imposições demográficas! Apesar disso, a presidente deixa transparecer que não pretende dedicar-se ao assunto, ao menos não na intensidade e direção desejáveis; sabe-se que tal matéria envolve polêmicas a não mais poder, o que torna

Mais atenção com a Rua Ilacir Nós que moramos na Rua Ilacir Pereira Lima, no Silveira, estamos enfrentando um problema: tratase de um morador de rua e sua "esposa", que reviram as latas de lixo, fazem muita sujeira e trazem outras pessoas da rua, que bebem, alcoolizam-se e urinam na nossa frente. Há pouco tempo, ele brigou com a mulher e ateou fogo em tudo - chegou o Corpo de

Site: www.vetornortebh.com Twitter: @vetornortebh Edição Digital: www.issuu.com/vetornortebh O Vetor Norte Tribuna é uma publicação da Logos Editora Ltda. – Registrado no Cartório Jero Oliva, documentação arquivada naquela Serventia em

a tramitação de projetos sobre ela complexa e, não raro, dispendiosa – à vista da forma pouco republicana com que se promove a negociação pertinente. Tal dificuldade, no entanto, não exime a presidente de sua responsabilidade de pensar o futuro, de avançar algo mais na direção das alterações indispensáveis para assegurar a velhice minimamente confortável para os brasileiros. O incômodo quanto à timidez da postura governamental nesse assunto se revelou mais aborrecido e até mesmo temerário diante do anúncio do pacote de cortes de despesas feito pelo governo – tornado conhecido apenas em forma de esboço intencional. Parte significativa dos cortes incidiu sobre as chamadas “emendas parlamentares”, por mais das quais se sugere medidas de investimentos em intervenções físicas ou programáticas; ora, se elas

Bombeiros e a Polícia... Eles ficam na Rua Ilacir Pereira Lima com Rua Zaíra de Paula. Não vislumbro solução jurídica; por isso apelo a vocês do Tribuna do Cidade Nova. Vi a passarela da Feira dos Produtores sendo construída devido ao jornal e vejo a pressão que exerce sobre problemas como o da Av. José Cândido da Silveira – também com moradores de rua que invadiram um local. Por isso, sugiro a publicação de um artigo a respeito do assunto, a fim de chamar a atenção da sociedade e das autoridades públicas, que visem à solução do problema. Ulysses Martins Oficial Judiciário do Tribunal de Justiça de MG

12/09/2007, no Registro nº 1.143, no Livro A. Logos Editora Ltda. Reg. na JUCEMG sob o nº 3120431497 - CNPJ 25.712.977/0001-62. Inscrição Estadcual nº 62.881.449.00-81. Circulação: O jornal é distribuído de casa em casa, na Paróquia de Santa Luzia,

Pouco caso da Linha 8108 Sr. Editor Venho através deste email solicitar ajuda em publicar a indignação dos usuários da Linha de ônibus 8108, Cidade Nova / Savassi. A mesma não cumpre seus horários, possui poucos carros que não conseguem atender a demanda de usuários, e quando passam estão abarrotados. Vários usuários já registraram reclamações junto à BHTrans, porém sem nenhum retorno. O tempo de espera do ônibus está entre 40 a 50 minutos, todos os dias e a qualquer hora. Desde já agradeço e me coloco à disposição para eventuais esclarecimentos. Bruno César M. Almeida Via e-mail

na Feira dos Produtores da Cidade Nova, bancas de revistas, padarias, lojas e empresas dos bairros Cidade Nova, Silveira, Nova Floresta, partes da Renascença, Ipiranga, União e adjacências. Periodicidade: Setembro, de 2013.

forem falazes ou precárias, seria o caso de veto, mas se não foi este o entendimento do governo, dando-lhes aprovação, não deveriam ser o cerne da contenção de gastos, já que despidas de caráter permanente. O problema fiscal brasileiro é estrutural, exigindo, por isso mesmo, corte maduros, de caráter contínuo, para estancar sangrias persistentes do dinheiro público; em outras palavras, os cortes têm de incidir em gastos contínuos e não episódicos. Nesse sentido, dever-seia privilegiar a redução definitiva de gastos com o custeio, em especial aqueles com pessoal, dado o inchaço absurdo da máquina administrativa, com cargos comissionados aos borbotões, eliminando centenas e centenas deles; além disso, deve-se rever a política de concessão de vantagens e benefícios, totalmente divorciada da realidade nacional.

Este jornal foi editado seguindo a Nova Ortografia da Língua Portuguesa. èèè Os artigos assinados não espelham, necessariamente, a opinião do jornal, sendo de inteira responsabilidade de seus autores.


Vetor Norte Tribuna - RMBH, 20 de Setembro, 2013 - Edição N.1

Política

www.vetornortebh.com • issuu.com.vetornortebh • @vetornortebh

3

BATALHA DA COXINHA

Burguês pede reintegração de posse da Câmara Martin Jr

pós a confusão no plenário da Câmara Municipal de Belo Horizonte na tarde desta segundafeira, o presidente da Casa, vereador Léo Burguês (PSDB), afirmou que vai pedir a reintegração de posse do prédio. Em entrevista coletiva no fim da tarde, Burguês afirmou que o Legislativo Municipal não pode ficar refém dos manifestantes. “A Câmara tem que

A

ser das três milhões de pessoas de Belo Horizonte, não só de 30, nem de 50[pessoas]”, afirmou, se referindo aos manifestantes que voltaram a ocupar o local desde a quintafeira da semana passada. O pedido de reintegração está sendo redigido e deve ser apresentado à Justiça nesta terça-feira. Ainda segundo o tucano, o tumulto de hoje só ocorreu porque os

manifestantes tentaram invadir o plenário e, por isso, os seguranças tiveram que reagir. Além das bandejas com coxinhas, que foram usadas para ironizar o parlamentar, um dos homens teria tentado atingir o presidente da Casa com uma pedra e moedas, que teriam sido arremessadas no plenário durante a sessão. De acordo com informações do 22° Bata-

lhão da Polícia Militar, ninguém chegou a ser preso durante a abordagem da PM, que foi chamada ao local para registrar o Boletim de Ocorrência. Pelo menos quatro manifestantes ficaram feridos durante a confusão desta tarde. Entre eles, está Alexandre Mazus, de 25 anos, que acabou sendo atingido com um soco no olho. Pelo menos quatro

Durante sessão na tarde da segunda-feira, 05/8, alguns jovens ofereceram coxinhas aos parlamentares. Um deles tentou entrar no plenário e foi impedido pela segurança o que gerou confusão e bate-boca manifestantes ficaram feridos durante a confusão desta tarde. Entre eles, está Alexandre Mazus, de 25 anos. Ele e os outros integrantes da Assembleia Popular Horizontal também registraram boletim de ocorrência e, segundo o jovem, vão realizar exame de corpo de delito, no Instituto

Médico Legal (IML), para comprovar as agressões. Em nota, a Assembleia Popular Horizontal classificou a ação da segurança da Câmara como “barbárie pura e simples”. Os manifestantes afirmaram que o protesto seguia pacífico até que foram reprimidos pela segurança da CMBH.


Sociedade

Vetor Norte Tribuna - RMBH, 20 de Setembro, 2013 - Edição N.1 www.vetornortebh.com • issuu.com.vetornortebh • @vetornortebh

5


6

Vetor Norte Tribuna - RMBH, 20 de Setembro, 2013 - Edição N.1 www.vetornortebh.com • issuu.com.vetornortebh • @vetornortebh

Pampulha

Ao gosto dos investidores Com vários atrativos e obras do vetor Norte, a região da Pampulha atrai novos negócios Arquivo TVN

rquitetura moderna, museu de arte, zoológico, estádio de futebol e universidade, tudo em um mesmo lugar. Essas são as referências da Pampulha, região que concentra arte, lazer, esporte e educação, além de uma infraestrutura que não deixa nada a dever a outros locais da cidade. Por isso a área é tão valorizada e atrai investidores do mercado imobiliário. Afinal, qualidade de vida é o que toda população quer e encontra na Pampulha. Entre os bairros que mais se destacam na região, o diretor de atendimento da Morus Imóveis, Vagner Costa, aponta o Ouro Preto, o Jaraguá e o Castelo. “Porque são os únicos que não estão estagnados e ainda têm possibilidade de construção. Mas também há o desenvolvimento de empreendimentos em torno da lagoa, no Bairro Bandeirantes, que é mais residencial. O Bairro Engenho Nogueira é indicado para uma segunda linha de investimentos”, diz. Além do Ouro Preto, Jaraguá e Castelo, o diretor-executivo da Construtora Oliveira Fortes, Arilson Silveira de Oli-

A

veira, indica o Itapoá e o São José. “São bairros com características familiares. É comum percebermos que várias gerações de uma família foram criadas na mesma região e as pessoas querem continuar próximo dos parentes. Além disso, a Pampulha tem localização privilegiada”, completa. Para o corretor da unidade franqueada RE/MAX Futuro Vinícius Harry, bairros tradi-

cionais têm índices mais altos de ocupação. “Como Ouro Preto, Jaraguá, Dona Clara, Liberdade e Itapoã, com valores mais expressivos por metro quadrado. De ocupação mais recente, o Castelo tem maior número de lançamentos com menores valores por metro quadrado.” Segundo Vinícius Harry, na região há uma grande quantidade de empreendimentos residenciais de médio pa-

drão, seguidos daqueles de alto padrão. “Há grande oferta de apartamentos novos, principalmente em bairros como Castelo e Ouro Preto. Bairros como Garças e Trevo têm-se destacado pela maior oferta de casas. Existe, ainda, rápida diversificação do comércio, prestação de serviços e escolas. Predominantemente residencial a região da Pampulha atrai também investimentos comerciais.

Região da Pampulha, área muito valorizada no Vetor Norte de Belo Horizonte. Aqui vê-se a Igreja de São Francisco de Assis, cartão postal da cidade, no circuito que inclui Museu de Arte Moderna e a Casa do Baile. Primores da arquitetura de Oscar Niemeyer e da pintura de Cândido Portinari Um dos motivos é o Mundial de futebol de 2014. “E investimentos em hotéis para a Copa do Mundo de 2014. Fora isso, a oferta comercial não é tão grande. A maioria dos empreendimentos desse perfil é formada por shoppings. ”

A opção da advogada Simone Villarino foi por um imóvel pronto, no Bairro Castelo. Em 2006, ela comprou uma cobertura e hoje tem certeza de que foi um excelente investimento. “A região é muito agradável e excelente para os negócios”.


8

Vetor Norte Tribuna - RMBH, 20 de Setembro, 2013 - Edição N.1 www.vetornortebh.com • issuu.com.vetornortebh • @vetornortebh

Vetor Norte

Negócios

Novos investimen Martin Jr

Vetor Norte da Região Metropolitana de Belo Horizonte se prepara para gerar, em 2030, um Produto Interno Bruto (PIB) comparado ao atual de todo o estado de Minas Gerais (em cerca de US$ 172 bilhões). A região caminha para se tornar um corredor multimodal de alta tecnologia, com investimentos focados em sete setores potenciais: defesa e aeroespacial, ciências da vida (nanotecnologia, biotecnologia, equipamentos médicos e farmacêuticos), tecnologia de in-

O

formação (serviços de suporte de TI e desenvolvimento de softwares), componentes eletrônicos, turismo de negócios, educação e parques de logística de distribuição e comércio atacadista. Esses setores devem atrair investimentos de US$ 21,9 bilhões, sendo US$ 15,3 bilhões em manufatura e serviços e US$ 6,6 bilhões em pesquisas. Os novos negócios devem gerar mais 400 mil empregos nos próximos 20 anos e uma população adicional de 1,4 milhão de pessoas na região. Os dados fazem parte de um estudo detalhado

que acaba de ser apresentado ao governo pela Jurong Consultants, de Cingapura. A empresa, especializada em planejamento de infraestrutura de cidades, está debruçada desde 2008 em pesquisa com outras consultorias nacionais e estrangeiras para traçar o projeto Diretrizes para a sustentabilidade e desenvolvimento do Vetor Norte da Região Metropolitana de Belo Horizonte: o plano macroestrutural e o seu ordenamento econômico. “Queremos ver Belo Horizonte como um hub de investimentos internacionais. Para isso, é importante fazer

reservas em áreas estratégicas. Já em cinco anos queremos ver essa área como sustentável e competitiva”, afirmou Raphael Chua, gerente da Jurong Consultants. Chua apresentou o plano à administração direta do estado, associação de prefeitos e universidades na semana passada. Os investimentos realizados no Aeroporto Internacional Tancredo Neves, ressalta Chua, já foram o primeiro passo. “Em qualquer lugar do mundo, o aeroporto não é só um lugar para sentar na aeronave e decolar. A vizinhança deve ter um desenvolvimento

Empreendimentos residenciais se multiplicam em vários municípios do Vetor Norte, criando um novo eixo comunitário na região econômico”, diz. Organização O projeto propõe que os investimentos sejam concentrados em 13 municípios: Betim, Contagem, Ribeirão das Neves, Vespasiano, Santa Luzia, Sabará, São José da Lapa, Confins, Lagoa Santa, Jaboticatubas, Matozinhos, Capim Branco e Pedro Leopoldo. “Os prefeitos precisam se organizar para preparar o território para os novos investimentos. A

infraestrutura precisa crescer junto com o crescimento econômico. Belo Horizonte amanhã não vai competir só com São Paulo ou Rio de Janeiro, mas com Tóquio e Paris também. É preciso que a cidade tenha um plano estrutural que permita aos investidores chegar aqui”, ressaltou Chua durante a apresentação. O subsecretário de assuntos internacionais da Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais, Luiz


Negócios

Vetor Norte Tribuna - RMBH, 20 de Setembro, 2013 - Edição N.1 www.vetornortebh.com • issuu.com.vetornortebh • @vetornortebh

9

ntos impulsionam riqueza na região Fotos: Martin Jr

Antônio Athayde, ressalta que o objetivo do estudo foi buscar uma diversificação econômica para o estado. “Foram eleitos os setores que vão dar mais dinamismo ao parque industrial e trazer um conteúdo de inovação para as empresas que já estão instaladas aqui e para as novas que virão”, afirma. A transferência dos voos da Pampulha para Confins, destaca Athayde, em 2005, já foi realizada dentro das novas diretrizes para o Vetor Norte. “Tínhamos um aeroporto daquela grandeza, pronto para operar com segurança, mas desativado. Além disso, a Linha Verde deu mais consistência ao Vetor Norte e a decisão de instalar a

Cidade Administrativa na região só veio a consolidar a vocação de serviços da área”, afirma. A Cidade Administrativa, diz, vai demandar com frequência trabalhos de empresas de software e hardware e atrair companhias de alta tecnologia. A região do Rodanel foi traçada no plano como área de suporte às plataformas de montagem. “Queremos colocar Belo Horizonte dentro de uma economia que já funciona em rede. Temos hoje uma economia diversificada dentro de segmentos tradicionais, calcados em bens intermediários. Região tem espaço para ser um dos territórios mais atraentes na nova onda de investimentos no Brasil.

Também os empresários do comércio geral vem investindo maciçamente no Vetor Norte, de olho no potencial futuro


10

Vetor Norte Tribuna - RMBH, 20 de Setembro, 2013 - Edição N.1 www.vetornortebh.com • issuu.com.vetornortebh • @vetornortebh

Cidades Fotos: Arquivo TVN

A hora e vez de Lagoa Santa

no Vetor Norte E

ssa região que começa a partir do final da Cristiano Machado e se estende até Sete lagoas, antes tida apenas como uma região de algumas cidades do Interior próximas a capital, ganhou uma nova dimensão sobretudo a partir do governo Itamar Franco. Agora conhecida como Vetor Norte a região se tornou referência em crescimento e desenvolvimento não só em Minas, mas no país. O novo olhar para o Aeroporto de Confins, com o governo estadual e federal e outros setores interessados investindo e reestruturando toda a sua forma de operar, começando com a construção da linha verde, passando pelo aumento da capacidade de operação e demais melhorias muito representativas, fez com que todo o vetor norte fosse beneficiado, trazendo desenvolvimento e investimento. Lagoa Santa, já havia se consolidado antes mesmo desse fenômeno como a capital dos condomínios fechados residenciais, movimentando e muito o mercado imobiliário local. Hoje vem se preparando para ser a cidade suporte para Belo Horizonte, sobretudo em grandes eventos como a copa de 2014. Já está bem adiantada, por exemplo, a obra que fará de Lagoa Santa a

cidade da Aeronáutica Brasileira, com centros de estudo e capacitação para toda a força aérea nacional. Com a construção da Cidade Administrativa (que tem esse nome, não apenas por se concentrar toda a infraestrutura administrativa de BH, mas por se tratar de uma cidade mesmo, com prefeito e tudo), localizada em um ponto estratégico para o funcionamento das secretárias em conjunto com a nova estrutura viária (linha verde) ligando o centro da cidade ao aeroporto, o vetor norte vem se destacando pelo atenção dada pelas empresas, investidores, construtoras como a melhor opção hoje no estado para investimento. Nessa perspectiva, Sete Lagoas surgiu como uma cidade de muita importância com a chegada da Iveco e sua única estrutura de criação de novos produtos no mundo, fora da Europa. Anos mais tarde, a Ambev posicionou no terreno ao lado uma das suas maiores fábricas. Sete Lagoas também, foi escolhida para sediar um projeto em nível nacional, conhecido como “redes inteligentes” usando a tecnologia LED para iluminar toda a cidade. Para os próximos anos, já estão aprovados mega-projetos, sobretudo para o final da Av.

Investimentos surgem a todo o momento em Lagoa Santa

Cristiano Machado e Início da Rodovia MG10. A catedral de Belo Horizonte com capacidade para 5.000 pessoas no templo e 20.000 na área externa será construída em frente ao novo shopping que está em obras no bairro Venda Nova, exatamente onde termina a Cristiano Machado. Entretanto, a construção mais ampla e mais marcante será a criação de um novo bairro que será chamado Granja Werneck com investimentos de R$ 1,5 Bilhões. Esse bairro estará localizado, no antigo terreno pertencente a Família Werneck e que tem 3.500 milhões de M². A pretensão do empreendimento é instalar uma ocupação sustentável – o projeto foi baseado em experiências realizadas no México e Estados Unidos. Segundo o coordenador do projeto, Renato Michel, os imóveis terão preço entre R$ 120mil e R$ 200 mil, que poderão ser financiados em até 30 anos pelo programa Minha Casa, Minha Vida.

Obras vão aliviar trânsito para Confins projeto para o Vetor Norte prevê a revitalização de 29 quilômetros de rodovias e a construção de viadutos, trincheiras e passagens subterrâneas, entre outras intervenções. Com isso, espera-se que haja melhoria no trânsito para o Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, permitindo à Infraero a criação de um novo acesso ao terminal. As intervenções serão feitas na avenida Cristiano Machado e em rodovias do entorno da aeroporto internacional. O projeto terá financiamento do Banco de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), por meio da linha “BNDES Estados”, com contrapartida do governo de Minas Gerais. Também será ampliada a rodovia LMG-800, entre o entroncamento da MG-10 (Lagoa Santa) e o trevo para Confins. Estão previstas obras de alargamento da pista e a construção de sete viadutos – dois duplicados. A MG-424, que liga Belo Horizonte a Vespasiano, São José da Lapa e Pedro Leopoldo, será revitalizada entre os entroncamentos com a MG10 e a LMG-800, criando um novo acesso ao aeroporto. Nesses trechos, as obras já estão em acontecendo.

O


Cidades

Vetor Norte Tribuna - RMBH, 20 de Setembro, 2013 - Edição N.1 www.vetornortebh.com • issuu.com.vetornortebh • @vetornortebh

11

Investimentos

em condomínios e complexos de entretenimento possibilidade de crescimento acelerado da região atraiu a Brasiliana. A empresa já lançou o Lagoa Santa Park Residence, de alto padrão, com localização privilegiada, área de preservação permanente e infraestrutura completa. Devido ao sucesso, a empresa prepara outro lançamento, o Villa Paradiso, na mesma região. Mas não é somente o crescimento do Vetor Norte que atrai o setor imobiliário. A falta de terrenos em Belo Horizonte deu um empurrãozinho na Dominis Incorporadora e Construtora para investir lá. De acordo com o sócio e diretor da empresa, Cláudio Neves, as opções

A

de crescimento de BH em outras regiões se esgotaram. “O Vetor Norte, depois da implantação da Cidade Administrativa, é o único com potencial de crescimento da cidade. A topografia da região Leste impede seu crescimento, na Oeste, a parte industrial”. Segundo Neves, até 2016, em um raio de 10 km do aeroporto de Confins haverá a necessidade de pelo menos mais 2,2 mil quartos de hotel. De olho na imensa demanda, a Dominus está com projeto de empreendimento com conceito de hotel-spa às margens da lagoa em Lagoa Santa, com 180 apartamentos. “Optamos por esse conceito para potencializar a ocupação nos fins de semana”, diz Neves. A Dominus estuda,

Martin Jr

ainda, uma área de 2 milhões de m2 para a construção de prédios residenciais, áreas comerciais e loteamento em Lagoa Santa. A vantagem da cidade é a proximidade do aeroporto de

Confins e de Belo Horizonte. “Está bastante nítido que, em curtíssimo prazo, os investimentos vão aumentar no Vetor Norte, tanto que já há projeto para construção de um shopping por ali”,

Residenciais de alto nível se multiplicam por toda a região de Lagoa Santa, mostrando que o Vetor Norte é a nova fronteira econômica da Grande BH diz Cláudio Neves. “O Vetor Norte tem clima e topografia favorecidos e só falta um pouco de in-

fraestrutura. Mas o seu desenvolvimento é um caminho sem volta”, conclui. Cláudio Neves.


12

Vetor Norte Tribuna - RMBH, 20 de Setembro, 2013 - Edição N.1 www.vetornortebh.com • issuu.com.vetornortebh • @vetornortebh

Mobilidade Martin Jr

Mobilidade Urbana Governo deverá investir mais de R$ 500 milhões

Projeção de como será a futura intervenção na Av. Cristiano Machado rumo ao Vetor Norte Vetor Norte da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) receberá cerca de R$ 572 milhões para obras de infraestrutura viária nos próxi-

O

mos anos. O anúncio sobre os investimentos foi feito pelo governador de Minas, Antonio Anastasia, nesta quinta-feira (30), no Palácio Tiradentes. Segundo informações do governo, este será o maior projeto do tipo na região após a Linha Verde. As intervenções integram as obras de mobilidade para a Copa de 2014 na capital mineira e devem ajudar a melhorar o trânsito na Grande BH, além de favorecer o turismo. A expectativa é de que aproximadamente 3 milhões de moradores de nove cidades da RMBH sejam beneficiados diretamente com as obras, previstas para conclusão antes da Copa. Dois projetos já estão sendo executados, na MG-424 e LMG 800. Durante o anúncio, Anastasia assinou o despacho para lançamento do Procedimento de Manifestação de Interesse para que seja implantado o Rodoanel Norte de BH. Este é um dos primeiros passos para fechar uma Parceria Público-Privada (PPP) e dar sequência ao trabalho. Também foi determinado que haja prioridade nas obras do Vetor Norte, por parte do Departamento de Estradas e Rodagem (DER). Outro projeto anunciado no evento foi a duplicação da antiga MG-05, entre Sabará e a BR-381 (Anel Rodoviário), bem como de obras para a construção do Contorno Norte de Lagoa Santa.O projeto para o Vetor Norte prevê a revitalização de 29 quilômetros de rodovias e a construção de viadutos, trincheiras e passagens subterrâneas, entre outras intervenções. Com isso, espera-se que haja melhoria no trânsito para o Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, permitindo à Infraero a criação de um novo acesso ao terminal. As intervenções serão feitas na avenida Cristiano Machado e em rodovias do entorno da aeroporto internacional.


14

Vetor Norte Tribuna - RMBH, 20 de Setembro, 2013 - Edição N.1 www.vetornortebh.com • issuu.com.vetornortebh • @vetornortebh

Turismo Arquivo TVN

Lapinha

A

gruta da Lapinha é o Patrimônio Histórico-Cultural mais representativo de Lagoa Santa. Foi o Dr. Peter Lund, no ano de 1835, quem descobriu este imponente bloco de pedra calcária –511m de extensão e 40m de profundidade – formado há cerca de 600 milhões de anos. Pertencente ao Parque Estadual do Sumidouro e protegida pela APA Carste de Lagoa Santa, a Gruta da Lapinha recebe em média 20 mil visitantes a cada ano. Sua estrutura repleta de salões, cobertos por estalagmites e estalactites, propor-

Uma história de 60 mil anos

ciona um verdadeiro mergulho na história. A Gruta da Lapinha, mais belo atrativo turístico de Lagoa Santa, inicia uma nova fase. O ponto turístico localizado aproximadamente a 20 minutos do centro da cidade, conta com condutores experientes e infraestrutura pronta para atender ao turista. A atenção com a preservação ambiental foi intensificada e novas regras de visitação foram adotadas, com o objetivo de reduzir o impacto em todo o ambiente cavernícula. Todas as visitas são acompanhadas por condutores, que fornecem todas as informações e cu-

riosidades do atrativo, utilizando abordagens lúdicas e conhecimentos científicos. Os grupos, de no máximo 25 pessoas, facilitam o trabalho de conscientização. Toda a área, com sinalização turística, proporciona um agradável passeio, sendo um sugestivo local para passar o dia com a família e amigos. Próximo à Gruta da Lapinha, existem dois restaurantes que oferecem a tradicional comida mineira, quiosques de doces e artesanatos, museu do castelinho, e o Espaço Cultural e Ambiental Dr. Lund, com exposições sobre a região da APA –

Carste de Lagoa Santa, além da réplica em tamanho natural de um animal encontrado na região, a famosa Preguiça Gigante. Conhecida internacionalmente pelas diversas pesquisas realizadas, a região de Lagoa Santa é considerada berço da paleoantropologia brasileira. A Gruta da Lapinha, de grande beleza cênica, é motivo de orgulho para a cidade de Lagoa Santa. Sem dúvida, vale a pena conhecer e entender um pouco mais sobre este rico Patrimônio Histórico-Cultural de grande importância. Visite a Gruta da Lapinha!


16

Vetor Norte Tribuna - RMBH, 20 de Setembro, 2013 - Edição N.1 www.vetornortebh.com • issuu.com.vetornortebh • @vetornortebh

COPA-2014

Arquivo TVN

Projeto tvn preview  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you