Issuu on Google+

SALVADOR QUARTA-FEIRA 30/4/2014

Caymmi ESPECIAL 100 ANOS

“Ai, ai que saudade eu tenho da Bahia / Ai, se eu escutasse o que mamãe dizia / "Bem, não vá deixar a sua mãe aflita / A gente faz o que o coração dita / Mas esse mundo é feito de maldade e ilusão"

2 z a rê fa ta Pe o Gambo i t a O M orada n s de o temp . Doming R$ 10 a e v o 0 2 N , R$ maio

Walter de Carvalho / Ag. A TARDE / 6.11.2010

VERENA PARANHOS

Não há dúvidas de que Caymmi é grande. Apesar disso, o que se vê na programação do ano de seu centenário de nascimento (confira alguns destaques ao lado) é o esforço da família para realizar alguns projetos e iniciativas espontâneas de artistas que reconhecem a grandeza do músico, a despeito das dificuldades financeiras. Para Nana, Dori e Danilo, os três herdeiros do cantor e compositor, na verdade o ano Caymmi começou em 2013 e segue até 30 de abril de 2015. Ano passado, eles lançaram Caymmi, CD de canções pouco conhecidas do pai, e fizeram turnê pelo País. Até o próximo ano, esperam a

COMEMORAÇÕES Shows, disco, livro, exposição, musical e filme estão programados para homenagear o mestre

FAMÍLIA E ARTISTAS SAEM NA FRENTE PARA CELEBRAR

Danilo Caymmi faz três shows no Café Rubi (amanhã a sáb.) Mila Cordeiro / Ag. A TARDE

Daniela Mercury canta Caymmi, hoje, 20h, no Farol da Barra

realização de outros projetos engatilhados. “Tem exposições, a Record está produzindo um documentário, também pediram autorização para um musical de teatro. O que faltou de todo universo artístico foi um balé. O resto acho que está coberto”, brinca Danilo. Para a família, toda homenagem tem a mesma importância. Dori e Danilo, por exemplo, dão o mesmo peso às reverências de artistas baianos no Carnaval deste ano e ao projeto do CD Dorival Caymmi – Centenário, que vai contar com a participação de Chico Buarque, Gilberto Gil, Caetano Veloso e dos três filhos. “Cada convidado canta duas músicas e os três cantam juntos O Que é Que a Baiana Tem?“, explica Dori, que dirige o disco com o músico Mário Adnet. A família diz não ter sido procurada pelo governo do Estado da Bahia, que apresentou para o centenário uma programação de eventos de pequenos porte. Só nas últimas semanas os Caymmi receberam convite de Daniela Mercury para participar de um show gratuito da cantora hoje, no Farol da Barra, com apoio da prefeitura de Salvador e patrocínio do banco Itaú. Danilo vem representar a família e cantará 12 músicas no show. Pensando em não deixar a data “passar em branco” na terra do pai, há muito tempo o músico já tinha programado três shows no Café-Teatro Rubi do Sheraton da Bahia Hotel (de amanhã a sábado). “A gente saiu na frente para ter uma independência porque essas coisas (o apoio governamental) são tão burocráticas que às vezes atrapalham. É lógico que se vierem vão ser bem aceitas. Mas se tivéssemos ficado esperando ia ser muito difícil”, explica Danilo. O Matita Perê é um dos que espontaneamente homenageiam Caymmi, nos domingos demaio,noGamboaNova.“Oteatroépequeno, Caymmi é grande. O que vamos fazer é do tamanho que a gente pode, não do que gostaríamos”, diz Borega, o maestro do Matita.

Pinturas, partituras, vinis, poesias, objetos pessoais, fotos de família e outros artigos compõem o patrimônio que ajudam a contar a história da vida e carreira de Dorival Caymmi. Parte desse acervo foi organizado a partir de 2008 para um projeto montado por Danilo Caymmi, Gabriel Caymmi (filho de Danilo) e Paulo Jobim (filho de Tom Jobim). Com patrocínio da Natura Musical, o projeto selecionou e digitalizou 4.311 itens, destinados ao Instituto Antônio Carlos Jobim, no Jardim Botânico (Rio de Janeiro), também acessível através do site do Instituto. A parte física do acervo está no Museu de Imagem e Som do Rio. “A preocupação da curadoria é de que tenha um fundo educacional”, disse Danilo, que vê o site também como fonte para pesquisadores.

Acervo na Bahia

Em Salvador, é possível ter contato com esse patrimônio atra-

vés do Acervo de Caymmi do Museu da Música Brasileira (Pelourinho). Só este espaço, porém, é insuficiente para resumir toda a relação construída entre a Bahia e Caymmi. A ideia de construir um memorial conjunto de Carybé e

4.311 itens do acervo de Caymmi estão digitalizados no Instituto Tom Jobim, no RJ

Caymmi não é mais a aposta. De acordo com Guilherme Bellintani, secretário municipal de Desenvolvimento, Turismo e Cultura, a proposta atual é manter Carybé no Forte São Diogo (Barra) e fazer um memorial só para Dorival no Elevador Lacerda.

“Acho importante disponibilizar esses objetos para a terra dele” DORI CAYMMI, filho de Dorival Caymmi

O projeto está previsto para o ano que vem, pois na fila estão a organização do acervo de Jorge Amado, Pierre Verger e o de Carybé. “A gente está tratando de vários acervos que hoje estão sem consolidação na cidade”, disse Bellintani, acrescentando

A proposta atual da Prefeitura é construir um memorial no Elevador Lacerda

canta etto Caixa m a M mi na je a Caym al. De ho s r i Cultu ngo, grát i m o d

A bio Temp grafia O M Stella o (Editora ar e o nova Caymmi 34), de , gan ediçã hou o

OUTROS EVENTOS DA PROGRAMAÇÃO

Sai em agosto o l disco Doriva – i m Caym Centenário, com Chico Buarque, Gil, Caetano, Nana, Dori e Danilo Caymmi

VIRADA MUSICAL Stella Maris, Sandra Simões, Cláudia Cunha, Illy Gouvea, Pedro Moraes, entre outros, comandam a festa que promete virar a madrugada. Hoje, 21h30, Casa da Mãe, R$ 10 SHOWS NO PELÔ No projeto Versando Caymmi se apresentam Silvinha Torres, Ângela Lopo e Robson Moraes (Pedro Archanjo), Soul Tambor (Tereza Batista) e Clau Andries (Quincas Berro D´Água). Hoje, 21h, grátis CORTEJO EM ITAPUÃ O trajeto vai do Abaeté até a Praça Dorival Caymmi, onde acontece show com Aloísio Meneses, Cláudia Cunha, Firmino de Itapuã, Jussara Silveira, Orquestra de Pandeiros de Itapuã e Roberto Mendes. Hoje, 16h, grátis

ELEVADOR LACERDA PODE ABRIGAR ACERVO THALITA LIMA

3

que a escolha do Elevador Lacerda – em detrimento de Itapuã, por exemplo, onde Caymmi morou – é aproveitar um equipamento que já existe. A Prefeitura não realizou contato com a família para saber sobre a vinda deste acervo. Dori e Danilo Caymmi confirmam que, apesar de não ter existido nenhum contato com o governo estadual ou municipal, há interesse da família em trazer parte dessa memória para Bahia. “Acho importante disponibilizar o máximo que pudermos desses objetos do meu pai para ficarem na terra dele, porque foi aí que tudo começou. Numa época em que a jangada, a canoa e o pescador de rede estavam na praia”, disse Dori.

CURSO: VIDA E OBRA O Instituto Geográfico e Histórico da Bahia oferece minicurso com o pesquisador Luiz Américo Lisboa Jr. 7 e 8 de maio, 14h às 17h, grátis DOMINGO NO TCA Show de Cláudia Cunha e convidados. 11 de maio, 11h, R$ 1 LIVRO INFANTIL Dorival no Mar de Caymmi (Ed. Água Grande) narra a vida do baiano com texto de Lúcia Fidalgo EDUFBA A editora lança em outubro livro com artigos de oito pesquisadores da obra do artista. A organização é de Marilda Santanna e Carlos Leal


Atarde 30 de abril de 2014 caymmi