Page 1

SANTOS OFFSHORE

Sexta edição do evento discute os rumos do pré-sal no País

LOGÍSTICA

Governo Federal volta a investir em ferrovias. Os portos estão preparados?

PERFIL PORTUÁRIO Renato Barco presidente da Codesp

INFRAESTRUTURA

Obras movimentam o maior porto da América Latina

junho | julho 2010

::

Santos Modal

::

1


2

::

Santos Modal

::

dezembro | janeiro 2010


outubro | novembro 2012

::

Santos Modal

::

3


editorial ::

:: expediente Diretora Vera Moraes

A

vera@santosmodal.com.br

Baixada Santista passa a viver, cada

:: Editora

vez com mais intensidade, a realidade

Érica Amores - Mtb 34.455

do pré-sal. Mesmo que ainda haja uma

jornalismo@santosmodal.com.br

parcela de desconfiança sobre os reais benefícios que a exploração de petróleo e gás trará para a comunidade local, alguns números já impressionam. Atualmente há 1.200 pessoas trabalhando nas ins-

:: Redatores Alessandro Padin Vanessa Simões ::

talações da Unidade de Operações de Exploração

Assinatura

e Produção da Bacia de Santos, distribuídos em

assinante@santosmodal.com.br

sete prédios no Município. Quando a unidade foi criada, em 2006, eram apenas quatro funcionários.

:: Distribuição Principais empresas do setor, administrações portuárias,

Eventos como a Santos Offshore, que acontece neste mês de outubro no Mendes Convention Center, são oportunidades fundamentais para que os empreendedores locais consigam se inserir de

Ministério dos Transportes, representantes de órgãos governamentais e assinantes ::

forma mais efetiva nesta cadeia produtiva. Para

Santos Modal é uma publicação

os profissionais que atuam no setor, é a chance de

bimestral da Editora

obter informações privilegiadas sobre quais são

Oliveira & Moraes Ltda-ME

as demandas de mão de obra que o setor exige e vai exigir a médio e longo prazo. A hora é agora e, neste ambiente competitivo, chega na frente quem tiver qualificação e conhecimento.

Tel.: 13 - 2202-8070 www.santosmodal.com.br :: As matérias assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam, necessariamente, a opinião da editora. A responsabilidade sobre as fotos publicadas são das empresas cedentes e anunciantes. ::

Boa leitura!

É proibida a reprodução completa ou parcial do conteúdo desta publicação sem autorização prévia,

Alessandro Padin

bem como das notas ou matérias publicadas no site www.santosmodal.com.br

4

::

Santos Modal

::

outubro | novembro 2012


:: índice

08 Renato Barco:

Perfil Portuário presidente da Codesp

10 Rodoviário Pessimismo nas rodovias

08

12 Logística Governo Federal volta

16

a investir em ferrovias. Os portos estão preparados?

16 CAPA Sexta edição da SANTOS

OFFSHORE discute os rumos do pré-sal no País

10

22 Mercado Deicmar renova

22

ISO 9001:2008

Offshore 24 Santos Confira os lançamentos dos Expositores

12 edição 55 outubro | novembro 2012 Foto da Capa: Luiz Bispo

Leia também

24

Infraestrutura

Obras movimentam o maio porto da América Latina

Portos do Brasil

Investimentos em tecnologia tornam o Porto de Itaqui mais competitivo outubro | novembro 2012

::

Santos Modal

::

5


tecnologia :: Divulgação

Grupo Tech Santos cria soluções tecnológicas para o setor portuário O grupo reúne as empresas ITGO Tecnologia, MPV Informática, PRG Software, Rent System, T2S, TSI Automação, World Computer e MBM System

O

grupo Tech Santos se formou em 2008 como o principal passo dos últimos anos para uma efetiva mobilização empresarial dessa área. A união foi proposta pelos próprios empresários e se consolidou a partir da organização do Projeto de Fortalecimento do Setor de TI&C, fomentado pelo Escritório Regional do Sebrae-SP na Baixada Santista. A partir de 2009, as ações voltadas para o setor foram saindo do papel. Além do grupo de empresas reunidas no projeto do SebraeSP, a criação da Fundação de Tecnologia e Conhecimento de Santos (FTC-Santos), pela Prefeitura, e a implantação do Parque Tecnológico de Santos, pela parceria da iniciativa privada, Prefeitura e Governo do Estado, comprovam a vocação da região e a importância dos setores de Tecnologia e Inovação para o desenvolvimento científico, econômico e social da Baixada. Desde a sua criação, o Tech Santos desenvolve capacitações e eventos de fomento em parceria com o Sebrae-SP. O objetivo é promover inovação, estimular a competividade e oferecer soluções tecnológicas que atendam às demandas do crescimento econômico regional. Atualmente, fazem parte do grupo as 6

::

Santos Modal

::

outubro | novembro 2012

empresas: ITGO Tecnologia, MPV Informática, PRG Software, Rent System, T2S, TSI Automação, World Computer, MBM System. Contêineres - A TSI Automação, empresa desenvolvedora e integradora de sistemas de automação da Baixada Santista, apresenta uma nova tecnologia para aquisição de dados e gerenciamento de pesos dos contêineres para máquinas móveis, com transmissão instantânea para o sistema gerencial das empresas portuárias, responsável pelo planejamento e controle da produção. Ela é aplicável às empilhadeiras, stackers, transteiners, RTGs e porteiners. Os próprios equipamentos, responsáveis pela movimentação de carga, enviam informações, em tempo real, aos sistemas de gerenciamento logístico sem a necessidade de paradas técnicas ou deslocamentos improdutivos. Otimiza a circulação no pátio com a redução da carga de trabalho das balanças rodoviárias e evita a alta demanda de caminhões para movimentos internos. Aliada à essa tecnologia, como função adicional, a TSI Automação desenvolveu o sistema de localização de containeres no pátio das empresas portuárias e retroportuárias através de GPS. Atualmente, a

empresa está em fase de implantação do sistema de “pesagem embarcada” nos portos de Santos e do Rio de Janeiro. A MBM System, outra empresa de tecnologia da cidade, desenvolveu um sistema de agendamento de cargas para o terminal portuário Transbrasa. Aliado à organização da empresa, o sistema conseguiu eliminar os problemas acarretados no sistema viário urbano do município e proporcionar mais qualidade de vida a todos os envolvidos no processo. Com o sistema, o caminhoneiro sabe exatamente a hora que a carga vai ser entregue, e, com isso, não precisa ficar esperando para carregar no terminal. Além disso, com o agendamento eletrônico, a empresa consegue posicionar as cargas na ordem correta. A GBM, empresa de logística que atua no modal ferroviário, preparava planilhas de excel para gerenciar a operação de descarga dos vagões de seus clientes no Porto de Santos. Os funcionários recebiam formulários em papel preenchidos na operação e lançavam nas planilhas, que eram segmentadas por unidade de negócio. Mensalmente, eles consolidavam os dados de todas as planilhas para confeccionar relatórios de indicadores que eram enviadas aos clientes.


:: tecnologia Com o objetivo de dar maior agilidade à operação e permitir o monitoramento em tempo real, a T2S, empresa de tecnologia da Baixada Santista, ofereceu consultoria técnica especializada para implantação e operação de um Cloud Server com controlador de domínio, ferramentas de gerenciamento de código-fonte, banco de dados e servidor de aplicações WEB. Foi montada uma equipe para o desenvolvimento de uma solução composta por um aplicativo DESKTOP, um portal WEB e um aplicativo MOBILE, tudo na plataforma Java. Com essa solução, o usuário pode acompanhar a operação alimentada pelos operadores em tempo real. A partir da aplicação desktop, os usuários podem consultar e imprimir diversos relatórios gerenciais. Utilizando o Java WebStart, a aplicação pode ser executada diretamente de qualquer navegador, facilitando a distribuição. O portal foi criado para ser um canal de comunicação com os clientes, que passaram a contar com uma ferramenta de monitoramento online dos vagões carregados em sua usina, além de ter uma visão geral da operação.

Já o aplicativo mobile foi desenvolvido para automatizar a operação de descarga dos vagões. Com ele, os operadores lançam os dados diretamente através de um celular e podem se associar a um terminal, entrar com o protocolo do vagão, confirmar descarga, lançar ocorrências e contabilizar avarias. Economia - Todas essas soluções existem graças à Tecnologia da Informação e Automação e ajudam na redução do tempo no transporte, trazendo economia para empresas portuárias e retroportuárias. Para o cidadão comum, que desfruta dos benefícios da tecnologia, estas ações podem não ser tão significantes, mas representa um setor que, no Brasil, movimenta por ano mais de US$ 30 bilhões. As inovações tecnológicas estão presentes na nossa vida o tempo todo. E no porto não é diferente. A Baixada Santista não fica atrás quando o assunto é tecnologia e inovação. Investimentos como o Parque Tecnológico de Santos, que será criado em parceria pelo Estado, Prefeitura, universidades e empresas privadas, são indícios da vocação da região para a área de TI.

O segmento de energia, afinal, é um dos que mais investe em tecnologia da informação e representa a promessa de crescimento para a Baixada, com a expansão do porto e exploração da camada pré-sal de petróleo. Workshop - Promovido pelo Tech Santos, empresas do setor apresentaram essas inovações no 2º Workshop Tech Santos – Soluções Tecnológicas para sua Empresa, o maior do gênero na região, que aconteceu no dia 25 de setembro, em Santos. O objetivo do evento foi o de mostrar o que de mais inovador está sendo criado para atender os mais diversos serviços e soluções em TI e Automação para o mercado corporativo, tais como, desenvolvimento e integração de sistemas, softwares, treinamento, suporte técnico, manutenção e assistência técnica. Os segmentos atendidos são: consultórios, hospitais, administradoras de condomínios, imobiliárias, construtoras, escritórios de engenharia e arquitetura, comércio exterior, escolas, comércio, telemarketing, associações, além de empresas portuárias, de mineração, siderurgia, metalurgia e transportes de cargas. ::

outubro | novembro 2012

::

Santos Modal

::

7


perfil portuário ::

por Alessandro Padin

UM SANTISTA NO COMANDO

Renato Barco assume a Codesp e quer uma integração ainda maior entre o porto e a cidade

D

epois que foi confirmado como o novo presidente da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), Renato Barco olhou para o quadro de presidentes da instituição, pensou no caminho que todos levaram para chegar ali e que agora quem estava no comando era ele. Titular da área de Planejamento e Controle, já acumulava o cargo de diretor presidente em exercício desde 21 de junho, após a saída de José Roberto Serra. Engenheiro mecânico de formação, iniciou na atividade portuária em 1974, admitido na então Companhia Docas de Santos como engenheiro da Divisão de Tráfego. Com cursos de especialização em terminais de contêineres em Antuérpia, Londres, Le Havre e Hamburgo, atuou como coordenador das operações e manutenção do Terminal de Grãos (Corredor de Exportação) e, posteriormente, no Centro de Planejamento e Controle das Operações (1974 a 1979). Barco ajudou a organizar e implementar o funcionamento do primeiro terminal especializado para contêineres da América Latina, o TECON. Tem passagens, ainda, pelas empresas Santos-Brasil S/A, Marimex, e Despachos Transportes e Serviços Ltda. Em outubro de 2008 assumiu a diretoria de Planejamento Estratégico e Controle da Codesp. Confira a entrevista que a SANTOS MODAL fez com novo presidente da Codesp: A CONFIRMAÇÃO

Quando foi oficializada a saída do presidente, o ministro me designou para assumir interinamente a função. Eu fiquei na expectativa. É apenas um status quo. O sentimento é muito interessante, porque veio a tranquilidade de ser efetivado. Passa um filme pela sua cabeça. Eu entrava nesta sala (de reuniões, onde foi realizada a entrevista), via a galeria dos presidentes e pensava: como deve ter sido difícil para todos estarem ali e hoje sou eu que estou. PERFIL TÉCNICO

Eu não me sinto com mais responsabilidade por conta disso. Claro que tem muita 8

::

Santos Modal

::

outubro | novembro 2012

Sérgio Coelho/Codesp

A comunidade portuária me apoiou muito e fico honrado com isso. Essa posição não é permanente e, no futuro, quero continuar morando na cidade que eu amo

responsabilidade e sinto o peso dela, mas não por ter um perfil de técnico. É claro que uma pessoa que tem um perfil mais político demora um pouco mais para se adaptar. Eu venho de uma diretoria formada que fez o seu planejamento, traçou todo o caminho a ser percorrido, e, em um dado momento, o presidente precisou se ausentar por questões particulares. O meu trabalho agora é dar continuidade. Promover uma mudança de rumo não foi necessário até o momento. ROTINA

Fico 12 horas, no mínimo, aqui na Codesp. Quando chego em casa tenho tempo para fazer um lanche e dormir. Com esta função, fica difícil almoçar em casa. Final de semana eu tiro para lazer puro, não fazer absolutamente nada. Tento fazer o que não consegui fazer durante a semana. A exigência da presença em vários eventos e encontros faz com que você precise carregar as baterias e faço isso nos finais de semana. É

muito valioso. Encontro com os meus amigos no clube, assisto um pouco de televisão, leio um jornal e vou a praia. Isso quando não acontece nenhum evento, imprevistos e ou mesmo os previstos que a função de presidente exige. São viagens e compromissos. Tenho ido muito a Brasília, na Secretaria de Portos, encontrar com o ministro, com os técnicos pelo menos uma vez por semana. SANTOS

Nasci em Santos e minha família é toda santista. Eu tenho um filho engenheiro químico, que escolheu o caminho sem qualquer interferência minha, e um filho médico veterinário. Para a cidade de Santos, é muito importante ter um santista aqui no comando da Codesp. Alguém que viveu sua vida toda aqui e, por uma circunstância profissional, teve que procurar outro lugar e depois retornou. Não é fácil seguir uma carreira e conseguir o sustento dentro da própria cidade. A comunidade portuária me apoiou muito


:: perfil portuário e fico honrado com isso. Essa posição não é permanente e, no futuro, quero continuar morando na cidade que eu amo. Essas pessoas vão continuar sendo do meu relacionamento. Vou encontrar nos eventos, na praia, nos restaurantes, como qualquer cidadão normal. Eu ainda sinto que a população conhece muito pouco do porto e hoje, graças a um trabalho muito bom realizado junto com a prefeitura, os resultados vêm aparecendo.

com aproximadamente 1.500 empregados e, por ser empresa do governo, exige concurso público. O jovem de hoje não tem a paciência que se tinha antes. Hoje mesmo passando por um concurso público, se não gostar, vai partir para outra oportunidade que traga a satisfação. Além do mais, atualmente o porto tem vários terminais, várias empresas e oportunidades diversificadas dentro do mercado de trabalho.

JOVENS

FUTURO

Os jovens têm, hoje, uma condição de trabalho um pouco diferente do que tive no começo. Me formei em 1973 e vivia o País do crescimento. Entrei com relativa facilidade na Cia. Docas, pela minha formação. Depois tive que dar continuidade. Você ser empregado da Cia Docas de Santos era o máximo dos máximos aqui na região. Você tinha a Docas, a Petrobras, a Cosipa e não mais que isso. A interferência do porto na atividade econômica da Cidade era muito forte. Você tinha uma Docas com mais de 15 mil empregados e que detinha o monopólio das operações. Hoje você tem um quadro diverso. Temos uma Autoridade Portuária

Eu sou suspeito pra falar porque a atividade portuária é apaixonante, tem que gostar, tem que se dedicar. O jovem que se dispor terá um futuro muito promissor. Os próprios terminais são de primeira grandeza e vão exigir profissionais de grande capacidade e competência. Eu vejo grandes oportunidades. A cidade de Santos vive uma situação ímpar, com situações que antes não acontecia. Você tem o maior porto da América Latina, que responde por 10% da balança comercial do País, vê a Petrobras investindo pesado, trazendo a unidade operacional pra cá e o turismo muito mais ativo na região. Tudo isso com integração Porto-Cidade, que vem

fazendo com o que o porto se aproxime mais da população. O próprio crescimento do porto é um estímulo. As projeções de carga com números espetaculares, com a expectativa de movimento de 230 milhões de toneladas em 2024. Quem duvida que o País tenha esse potencial? O jovem, que hoje já possui vários cursos para abraçar a carreira, terá toda a condição de seguir a sua carreira aqui. ::

PING PONG Nome: Renato Ferreira Barco Formação: engenheiro mecânico Filhos: 2 Signo: Libra Natural de: Santos Time: Santos Futebol Clube Livro – Livros técnicos Viagem – Países da Europa. Dubai e os EUA Prato – Churrasco Ídolo – Dr. Sérgio da Costa Matte, primeiro presidente da Codesp e que me deu grandes oportunidades.

outubro | novembro 2012

::

Santos Modal

::

9


rodoviário ::

Pessimismo nas rodovias

E

Transportadores rodoviários esperam menor crescimento da economia em 2012

mpresários do transporte rodoviário estão preocupados com os rumos da atividade do setor em 2012. De acordo com a sondagem realizada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), 51,1% dos entrevistados esperam uma redução do crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) este ano. Em março, mês da primeira pesquisa, a taxa era de apenas 8,7%. Metade dos transportadores acredita que os índices de inflação devem aumentar em 2012. O resultado é mais pessimista que o da primeira consulta, quando 38,4% acreditavam que a taxa de inflação seria mais elevada. Para a CNT, um cenário de baixo dinamismo econômico e elevação no nível geral de preços pode acarretar redução de receitas e aumento de custos, inclusive para o setor de transporte. A segunda fase do levantamento da CNT revela as expectativas econômicas dos transportadores rodoviários no segundo semestre de 2012. Durante o mês de agosto, dirigentes de empresas de transporte de cargas e transporte de passageiros urbanos ou rodoviários responderam a um questionário que identifica as percepções em relação à economia do país. De acordo com o presidente da CNT, senador Clésio Andrade, o objetivo do trabalho é, mais uma vez, cumprir com o relevante papel da entidade de elaborar análises, estudos e pesquisas voltados à melhoria das condições da atividade transportadora brasileira. Sobre as principais atividades ligadas ao setor, a maioria dos transportadores acredita na redução da receita bruta (41,1%), número de viagens (44,4%) e volume de carga e quantidade de passageiros transportados (38,9%). No primeiro semestre, por exemplo, 57,8% dos entrevistados apostavam no aumento da receita bruta em 2012, número que baixou para 24,4% após seis meses. Sobre a contratação formal de empregos, aumentou para 31,1% a parcela dos que acreditam na redução da oferta de novas vagas de trabalho – em março, a taxa era de 16,6%. Também aumentou o número de transportadores que acredita em uma elevação no custo dos insumos. Para 84,4% deve aumentar 10

::

Santos Modal

::

outubro | novembro 2012

Júlio Fernandes

Presidente da CNT, senador Clésio Andrade o preço do diesel, 85,6% esperam elevação em lubrificantes e 77,8% apostam em preços mais altos para pneus. Em março, a sondagem da CNT revelou que as taxas eram de, respectivamente, 60,2%; 68,5%; e 73,4%. O percentual de entrevistados que avalia que a crise econômica internacional afetará o Brasil subiu de 84,4% para 91,1%, em comparação com o primeiro semestre. Além disso, 87,9% dos empresários afirmam que a crise deve ter um impacto alto ou moderado sobre a economia nacional. No levantamento anterior, o índice era de 77,0%. Investimentos Segundo a pesquisa, os transportadores esperam manter o nível de investimentos na atividade este ano. Para 61,1%, a expectativa é de manutenção do tamanho da frota. Mais de 64% têm a expectativa de manter a abrangência geográfica do negócio e pouco mais de 75% devem continuar com as mesmas instalações físicas, sem ampliação. No caso dos juros, 44,4% dos entrevistados disseram que eles devem ficar estáveis em 2012 – em março, o índice era de 29,8%. No início do ano, a maioria dos entrevistados – 34,9% - acreditava na elevação das taxas. O percentual baixou para 20% em setembro. A redução da taxa de juros beneficia os transportadores porque diminui os custos com veículos, capital de giro e empréstimos para ampliação de instalações. Os recursos financeiros que sobram podem ser direcionados, por exemplo, em investimentos com

sistemas de controle e gerenciamento ou treinamento de pessoal. Cenário A segunda fase da sondagem da CNT reflete as mudanças no cenário econômico nacional e internacional ao longo do ano. Mas, apesar de a maioria dos transportadores esperar uma redução no crescimento da economia e enfrentar uma redução no aporte de recursos públicos em infraestrutura, a pesquisa revela que os empresários pretendem manter investimentos, o que é benéfico para o país e traz efeitos positivos para outros setores. ::

Caminhoneiros autônomos pagarão menos impostos a partir de 2013 O governo federal reduziu de 40% para 10% a tributação incidente sobre o Imposto de Renda (IR) dos caminhoneiros autônomos. A mudança está incluída na Medida Provisória 582 que trata da ampliação do benefício da desoneração da folha de pagamentos a 15 setores da economia – entre eles, o transporte rodoviário de passageiros, aéreo e marítimo. A medida passa a vigorar em 1º de janeiro de 2013. Em nota à imprensa, a União dos Caminhoneiros do Brasil (Unicam) afirmou que a MP representa “um imenso benefício para a categoria que, aliado ao fim da carta-frete, traz plenas condições ao desenvolvimento da profissão e melhoria na qualidade dos serviços prestados”. Segundo o presidente da Unicam, José Araújo da Silva ‘China’, “era importante reduzir o imposto de renda para a classe, que passa a ser efetivamente contribuinte e poderá ter acesso aos planos do governo para renovação da frota e capacidade para financiar melhores equipamentos e tecnologias para o exercício da atividade”. Em 2013, segundo a MP, 40 setores da economia deixarão de pagar 20% de contribuição previdenciária sobre a folha de pagamento para contribuir com uma alíquota de 1% ou 2% sobre o faturamento. O custo será de R$ 12,8 bilhões. Se forem considerados o novos benefícios, o valor chega a R$ 14,8 bilhões.


outubro | novembro 2012

::

Santos Modal

::

11


logística ::

por Vanessa Simões

imagensaereas.com.br

Governo do Estado destaca investimentos para diminuir caos logísticos no Porto de Santos O secretário estadual de Logística e Transporte, Saulo de Castro Abreu Filho, esteve na Codesp participando da reunião do Comitê de Infraestrutura e Logística

D

urante reunião do Comitê de Infraestrutura e Logística do Porto de Santos, realizada na Codesp (Companhia Docas do Estado de São Paulo) no final de setembro, o secretário estadual de Logística e Transporte, Saulo de Castro Abreu Filho, destacou os investimentos de R$ 2 bilhões para obras na região e garantiu ajuda a prefeitura de Santos no que fosse preciso para que as obras saíssem do papel, principalmente em relação a entrada de Santos. O objetivo da participação do secretário foi a busca por soluções de transporte e logística da região. O fórum de debates realizado pelo comitê se deu pela grande desordem que hoje o maior porto da América Latina sofre nas vias de acesso e na entrada da cidade. No mês de agosto, o cais santista atingiu a marca de 10 milhões de toneladas de cargas e esse aumento reflete no caos viário que afeta hoje o município. Se tem muita carga para sair e chegar ao porto, o resultado é quase sempre estradas Divulgação lotadas e horas de espera no trânsito. Tudo

12

::

Santos Modal

::

outubro | novembro 2012

isso porque grande parte do que vem para o Porto de Santos é transportado por caminhões. O secretário de Logística e Transporte acredita que com a implantação da hidrovia Tietê-Paraná essa realidade há de mudar. A carga deverá vir pelo Rio Tietê até as cidades de Salto e Artemis. Depois será transferida para os trens e então trazida para Santos. O diretor-presidente da Codesp, Renato Barco, fez apresentação sobre a importância da integração dos modais para o funcionamento do Porto de Santos, destacando os aspectos de acessibilidade e apontando necessidade de se melhorar as conexões rodoferroviárias. Barco reconheceu os esforços do Governo do Estado, mas afirmou que ainda é pouco, principalmente em função do crescimento que o complexo portuário santista terá até 2024, quando se estima uma movimentação da ordem de 230 milhões de toneladas. O secretário e sua equipe anunciaram as obras que estão previstas para a região. São

elas: construção do túnel imerso de Outeirinhos, de Santos até Vicente de Carvalho, no Guarujá, que será a ligação seca entre Santos e Guarujá; novo trevo da rodovia Anchieta, em Cubatão; e o Viaduto da Usiminas que já está em andamento. Diante de várias reivindicações pela melhoria da entrada de Santos, o secretário disse que não é de responsabilidade do Estado cuidar deste problema, já que é uma questão viária local, mas de dispôs a ajudar a prefeitura a buscar soluções. Para Saulo de Castro, é preciso uma reestruturação logística, para depois se realizarem obras de melhoria. “Os recursos existem há muito tempo, mas até agora não temos o projeto. Isso não é só uma solução viária, é um comportamento dos agentes portuários em como lidar com esses caminhoneiros, onde eles podem estacionar e por que razão esses contêineres vazios têm que ficar aqui. São muitas questões, estamos esperando um projeto bem feito para ajudarmos a solucionar o problema”, frisa o secretário. Ele também anunciou a


:: logística aprovação do contorno Norte da Rodovia dos Tamoios, pelo Consema (Conselho Estadual do Meio Ambiente). Túnel - A construção do túnel imerso de Outeirinhos, em Santos, até Vicente de Carvalho, em Guarujá, foi uma das obras destacadas pelo secretário. O túnel será em concreto armado, com tecnologia inédita no Brasil. A extensão com acessos formam 900 metros, por sentido, com espaço exclusivo para pedestres e ciclistas. A profundidade será de um lastro de 21 metros. A demanda urbana para automóveis será de 15 mil veículos por dia. O início da obra está previsto para fevereiro de 2014 e o término para 2017. Será investido R$ 1,43 bilhão, incluindo obras, projeto, licenciamento, desapropriações, reassentamento, gerenciamento, entre outros. Com a implantação do túnel, a travessia de balsas terá uma redução de 70%. A localização do empreendimento foi um dos questionamentos, mas o secretário destacou que não poderá ser alterado o local por problemas técnicos, mas que questões de passagem de caminhões são assuntos que podem ser discutidos. Obras - O Ferroanel é um anel ferroviário

nos mesmos moldes do rodoanel, que irá circundar a Região Metropolitana de São Paulo, interligando as regiões de Campinas, Vale do Paraíba e Baixada Santista, onde se inclui o Porto de Santos. O Tramo Norte do Ferroanel ligará os municípios de Itaquaquecetuba à região de Perus, na Capital, e chegará até Jundiaí. O Tramo Sul constituirá um novo acesso ao Porto de Santos, além de conectar as linhas da MRS e ALL ao sul da Região Metropolitana paulista. O Ferroanel também permitirá a transposição de densos fluxos de carga do Rio de Janeiro, Minas Gerais e da região do Vale do Paraíba, em SP, para o Sul do país, e vice versa, sem a necessidade de utilizar a Marginal Tietê pelo modal rodoviário. Em termos de cronograma, os tramos Norte e Sul serão construídos quase que simultaneamente. Segundo o Governo do Estado, a obra está estimada em R$ 2 bilhões o Tramo Norte e R$ 1,5 bilhão o Tramo Sul. De acordo com o superintendente do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), Clodoaldo Pelissioni, as obras serão iniciadas na rodovia Cônego Domênico Rangoni na ligação com a Via Anchieta, que receberá a implan-

tação de três faixas entre os km 262 e 270 (em ambos os sentidos). “As obras estão previstas para iniciar em outubro, com término em 18 meses”, destaca. Entre as rodovias Anchieta e a Imigrantes haverá adequação do trevo com implantação de viaduto, reconstrução do viário e faixa operacional entre os km 270 a 274. Entre as obras anunciadas também está a construção de cinco passarelas para pedestres na rodovia Rio-Santos (SP-55), na altura do km 307 ao 312, com previsão de término para julho de 2013. Para ser iniciada em novembro deste ano está a construção do viaduto 31 de Março, na SP-150, da rodovia Anchieta, em Cubatão, e a construção de um viaduto paralelo ao atual viaduto Rubens Paiva, km 59,8, incluindo ramos de acesso aos bairros lindeiros, vias marginais e iluminação do local. A Rodovia dos Imigrantes também receberá ampliação entre os km 62 e 65,5, contemplando com nova ponte sobre o Canal dos Barreiros, passeio para pedestres e ciclovia. Ainda na Imigrantes, haverá a construção de dois viadutos. Até meados do ano que vem, Rio-Santos ganhará 05 passarelas para pedestres, na altura do km 307 ao 312.::

outubro | novembro 2012

::

Santos Modal

::

13


infraestrutura ::

por Alessandro Padin Divulgação Codesp

Obras movimentam o maior porto da América Latina Com recursos do PAC, Governo Federal acelera a construção e adequação para alinhamento do cais de Outerinhos e inicia nova etapa da Perimetral

O

ministro dos portos, Leônidas Cristino, assinou a Ordem de Serviço para a construção e adequação para alinhamento do cais de Outeirinhos, no porto de Santos. Essa obra faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC-Copa), no valor de R$ 287,2 milhões, investidos por meio da Secretaria de Portos. Esse início abrange a execução da primeira fase do empreendimento, dividida em quatro trechos (1,2,3 e 4) em uma extensão de 780 metros, do cais da Marinha até o Terminal Passageiros. De acordo Armazéns no de porto de Santos com a SEP a conclusão deverá ser em aproximadamente 16 meses. O novo espaço 14

::

Santos Modal

::

outubro | novembro 2012

permitirá a atracação simultânea de até seis navios de cruzeiros, disponibilizando 15,4 mil leitos de alta qualidade a bordo dessas embarcações. A construção e adequação para alinhamento do cais de Outeirinhos é uma das iniciativas de vital importância para o desenvolvimento do Porto de Santos, principalmente, no setor de atendimento à passageiros. Essa obra colocará Santos, em médio prazo, em evidência, como um dos portos de maior movimentação de passageiros do mundo. A obra agregará, também, maior estrutura de atendimento à demanda por leitos na região durante a realização da Copa do Mundo.

Com o alinhamento do cais, as profundidades passam do mínimo de 4,5 metros no trecho defronte às instalações da Marinha do Brasil e de 7,5 metros no cais do Terminal de Passageiros para 15 metros, permitindo a atracação de navios de maior porte. Os serviços deverão gerar cerca de 350 empregos diretos. Os serviços serão realizados pelo Consórcio Serveng/Constremac/Constran e estão divididos em duas fases, com um total de sete trechos, com execução estrategicamente prevista para não comprometer a operacionalidade nessa área. O escopo das obras compreende o fornecimento dos materiais, mão de obra


:: infraestrutura

www.imagensaereas.com.br

e equipamentos, necessários à construção e adequação para alinhamento do cais de Outeirinhos, envolvendo os serviços de execução de píer e ponte de acesso; ampliação do cais existente para sua readequação e alinhamento; instalação de novas redes de utilidades, como água potável, incêndio, drenagem de águas pluviais, energia elétrica e iluminação pública; e instalação de equipamentos complementares (defensas e cabeços). Perimetral - A instalação de vigas sobre os pilares dos dois viadutos da avenida perimetral da margem esquerda do porto de Santos já foi iniciada. Considerada etapa decisiva da obra, o início da instalação foi precedido pela relocação de linha de alta tensão de 138 mil volts. O empreendimento está sendo viabilizado pela Secretaria de Portos (SEP) com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) da ordem de R$ 51,9 milhões. Estão instaladas, também, um total de 35 vigas, com utilização de quatro guindastes de grande capacidade para o carregamento e içamento das peças, situadas sobre um conjunto de sete vãos, a uma altura de até 6,5 metros. A partir dessa etapa, a obra já entra na chamada fase de superestrutura, em que o empreendimento começa a ter destaque visível. Após, serão colocadas as pré-lajes já preparando o tabuleiro do viaduto para receber a laje concretada. Com a conclusão do primeiro viaduto, a Codesp prevê antecipar a sua entrega ao tráfego, já eliminando cruzamentos com a ferrovia. A realização dessa etapa demandou a participação de vários setores envolvidos no empreendimento, como os terminais situados na região, prefeitura municipal e concessionária de energia. “A construção da nova perimetral reordenará o viário da margem esquerda do porto, otimizando o fluxo de caminhões na área portuária, trazendo bem-estar a quem se desloca pela cidade. O empreendimento vai racionalizar e dar fluidez de tráfego aos veículos de carga em trânsito pela região portuária, com a implantação de novo circuito de acesso e saída, eliminando-se, com o sistema de viadutos, um dos principais gargalos na região, representado pelo cruzamento em nível do atual sistema rodoferroviário.”, explica o ministro dos portos, Leônidas Cristino. O projeto foi elaborado com participação da Prefeitura do Guarujá, pensando no melhor aproveitamento das vias já existentes. Além da nova pavimentação, as vias contarão com iluminação, paisagismo e sinalização. Está projetada, também, a construção de uma ciclovia junto às pistas para tráfego urbano. O sistema viário da margem esquerda do porto de Santos é um corredor viário estabelecido ao longo do perímetro portuário na região entre as instalações do Terminal para Contêineres da Santos Brasil S.A. e a Dow Química S.A, numa extensão de, aproximadamente, 2,5 km. A obra começou com a cravação das estacas para construção de dois viadutos justapostos, para acesso e saída da área portuária, interligados à rua do Adubo e à avenida Santos Dumont. O viaduto de acesso ao porto direciona o fluxo até uma rotatória que o distribui para terminais portuários, e o de saída recebe os fluxos procedentes do viário já existente e os veículos que deixam os pátios das empresas Santos Brasil e Localfrio. O viaduto de entrada contará com 3 faixas de rolagem e o de saída

A construção da nova perimetral reordenará o viário da margem esquerda do porto, otimizando o fluxo de caminhões na área portuária, trazendo bem-estar a quem se desloca pela cidade. O empreendimento vai racionalizar e dar fluidez de tráfego aos veículos de carga em trânsito pela região portuária, com a implantação de novo circuito de acesso e saída, eliminando-se, com o sistema de viadutos, um dos principais gargalos na região, representado pelo cruzamento em nível do atual sistema rodoferroviário. Leônidas Cristino, ministro dos portos

2 faixas, ambos com recuos e defensas laterais. As estruturas foram executadas em vigas pré moldadas apoiadas em travessas, pilares e blocos de concreto sobre estacas metálicas cravadas nos solos. Os serviços preliminares foram iniciados em 17 de agosto com trabalhos de topografia, limpeza do terreno, transporte de materiais e início da terraplanagem. A obra envolve frentes de serviços abrangendo drenagem, pavimentação, obras de arte especiais (viadutos), iluminação, sinalização viária e semafórica, além de paisagismo.::

outubro | novembro 2012

::

Santos Modal

::

15


capa ::

por Alessandro Padin

Foto: Simon Morris

SANTOS OFFSHORE IMPULSIONA OS NEGÓCIOS NO SETOR DE PETRÓLEO E GÁS

Evento chega a sua 6ª edição com a expectativa de reunir entre 12 e 13 mil visitantes no Mendes Convention Center

C

om a expectativa de receber entre 12 e 13 mil visitantes qualificados, acontece em Santos, entre os dias 16 e 19 de outubro, a 6ª Santos Offshore – Oil & Gas Expo 2012. O evento reúne, no Mendes Convention Center, mais de 100 expositores entre IOCs (Empresas Petrolíferas Internacionais) e NOCs (Empresas Petrolíferas Nacionais), Drilling Contractors (Empresas de Perfuração), operadores logísticos e de atividades subsea (submarina), fornecedores de máquinas e equipamentos, entidades financiadoras e consultorias. “Será um público 20% superior ao do ano passado. O momento para quem quer fazer negócios na Bacia de Santos é agora, pois é a maior reserva de petróleo e será a maior em operação daqui a cinco anos, com mais de 1 milhão de barris por dia. Até 2015 estão estimados investimentos bilionários no setor. A feira será a plataforma de negócios tanto para quem já atua como para quem quer fazer parte desse mercado. A Santos Offshore contribuirá para aumentar a velocidade do desenvolvimento da região e ampliação da capacidade da indústria de bens e serviços”, afirma Igor Tavares, diretor de Energia da Reed Exhibitions Alcantara Machado, empresa 16

::

Santos Modal

::

outubro | novembro 2012

responsável pela organização do evento. As diversas descobertas de petróleo na camada do pré-sal na Bacia de Santos elevaram significativamente os investimentos previstos para a exploração e produção de petróleo na próxima década. Estudos recentes estimam que as descobertas possam atingir cerca de 1,6 trilhão de metros cúbicos de gás e óleo. O número supera em mais de cinco vezes as reservas atuais do país, e, se confirmado, coloca o Brasil entre os seis países que possuem as maiores reservas de petróleo do mundo, atrás somente de Arábia Saudita, Irã, Iraque, Kuwait e Emirados Árabes. Essas descobertas aqueceram o mercado, principalmente o setor fornecedor de bens e serviços para exploração e produção de petróleo, além de alavancar os investimentos em infraestrutura nas cidades que serão bases importantes para as atividades offshore do pré-sal. As mais importantes descobertas do pré-sal se encontram na Bacia de Santos, fazendo com que o município de Santos seja um dos que mais tem recebido investimentos, seja pela ampliação da Petrobras, seja pela atração de novas empresas do setor, que agora operam na região. “O fato das mais importantes desco-


:: capa bertas terem sido na Bacia de Santos certamente gerará uma necessidade muito grande de desenvolvimento de infraestrutura de apoio à atividade de exploração e produção offshore. O processo está apenas no início, mas já é possível afirmar que a Bacia de Santos será de grande importância para o cenário energético do Brasil. Por isso, há um grande potencial para todas as áreas que dão suporte à atividade”, explica o Superintendente da Organização Nacional de Indústria e Petróleo (ONIP), Alfredo Renault. Diante das exigências da Petrobras de pelo menos 55% de conteúdo nacional para fornecedores de plataformas e equipamentos para exploração de petróleo e gás, o Superintendente da ONIP destaca que as empresas têm feito um grande esforço para atingir os compromissos. “Para isso, é fundamental atacar todos os aspectos ligados à competitividade da in-

dústria brasileira para que o compromisso de conteúdo nacional não seja um fator que onere os investimentos. A exigência de conteúdo nacional tem que fazer parte de uma política nacional que priorize a competitividade, com foco na solução de problemas que oneram a produção como: financiamento, tributos, qualificação de mão de obra e tecnologia”, avalia Renault. Neste cenário de crescentes desafios para os fornecedores da indústria de óleo e gás, a realização da feira Santos Offshore Oil & Gas representa uma grande oportunidade de acesso a tecnologias, negócios e participação nas principais discussões sobre os rumos do setor. “Diante da demanda cada vez maior, tanto na Bacia de Santos quanto na Bacia de Campos (RJ), quem não está atuando no setor ainda tem a oportunidade de se tornar um fornecedor para o segmento que mais investe no país. O parque industrial de São Paulo

outubro | novembro 2012

::

Santos Modal

::

17


capa :: Agência Petrobras de Notícias

tem condições de oferecer ainda mais a esse setor. Por isso, a realização da feira em Santos une duas pontes: a bacia mais promissora do país com o mercado fornecedor mais forte do Brasil”, acredita Renault. Petrobras - José Luiz Marcusso, gerente geral da Petrobras em Santos, destaca a importância do evento para a região: “Em Santos já somos mais de 1.200 pessoas trabalhando nas instalações da Unidade de Operações de Exploração e Produção da Bacia de Santos, distribuídos em sete prédios pela cidade. Quando a unidade foi criada, em 2006, éramos apenas quatro empregados”. Dentre os profissionais mais requisitados estão engenheiros de petróleo, engenheiros de equipamentos e geólogos (em nível superior), além de técnicos de operação, de manutenção e de administração e controle (em nível médio). A média de idade dos novos funcionários é de 33 anos e, quando concursados, vêm de todas as partes do País. Quando se trata de pessoal contratado por meio de empresas prestadoras de serviço, a preferência é por moradores da Baixada Santista. O Plano de Negócios e Gestão 20122016 da Petrobras prevê investimentos totais de US$ 236,5 bilhões em projetos e empreendimentos da companhia no Brasil e no exterior. Desse montante, US$ 131,6 bilhões serão investidos na área de exportação e produção exclusivamente no Brasil, onde se incluem as operações na Bacia de Santos. Muitos projetos estão previstos para os próximos anos. Estima-se que a produção de petróleo no Brasil, que atualmente é de dois milhões de barris por dia, atinja a marca de 2,4 milhões de barris em 2016 e chegue a 4,2 milhões de barris diários em 2020. E para alcançar essas metas, 38 novos sistemas de Ricardo Saibun

Em Santos já somos mais de 1.200 pessoas trabalhando nas instalações da Unidade de Operações de Exploração e Produção da Bacia de Santos, distribuídos em sete prédios pela cidade. Quando a unidade foi criada, em 2006, éramos apenas quatro empregados José Luiz Marcusso, gerente geral da Petrobras em Santos

produção entrarão em operação até 2020, sendo 25 delas na Bacia de Santos. O coordenador em São Paulo do Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP), Leonardo Caio, afirma que com o projeto da Petrobras a sociedade da Baixada Santista está começando a se dar conta da importância que esse setor terá para a região. “Quando uma atividade desse porte se instala, cria oportunidades diferenciadas, mas também algumas dificuldades sociais, como aumento do custo de vida, do preço dos imóveis, entre outros. Isso ocorreu em Macaé (RJ), Rio da Ostras (RJ) e arredores, com a ida de um grande contingente de pessoas que vêm de outros locais. Para que haja desenvolvimento é fundamental investir em ação de treinamento de mão de obra para criar localmente as oportunidades”, frisa. Segundo Leonardo Caio, os gargalos profissionais estão no niveis técnicos: “Há uma grande demanda, por exemplo, por plataformistas, operadores de sonda de perfuração, técnicos em sísmica e geologia. Como há um movimento grande rumo à automação, até mesmo com o objetivo de reduzir o número de pessoas embarcadas, faltam técnicos para

O objetivo do Sebrae-SP é o de sensibilizar e estimular os micro e pequenos empreendedores a participar do Programa da cadeia produtiva do petróleo, uma iniciativa que está intensificando ainda mais as ações que a instituição vem empreendendo no setor Paulo Sergio Brito Franzosi, gerente do Sebrae na Baixada Santista

18

::

Santos Modal

::

outubro | novembro 2012 dezembro | janeiro 2010

trabalhar em painéis eletrônicos, que auxiliam no controle das atividades das plataformas. Essas atividades podem ser executadas à distância. Há, também, previsão de revisões e ampliações de refinarias, o que demanda técnicos em química e petroquímica”. Negócios - A Santos Offshore terá rodadas de negócios promovidas pelo Competro (Comitê de Petróleo & Gás) da Federação e o Centro das Indústrias do Estado de São Paulo - FIESP e CIESP – e pelo Sebrae-SP, que utilizará nesta edição a metodologia da Organização Nacional da Indústria do Petróleo (ONIP). Será a mesma que rege a rodada promovida na Brasil Offshore, de Macaé (RJ), e que possibilita a empresas de pequeno, médio e grande portes apresentar produtos e serviços aos representantes da cadeia de petróleo e gás. De acordo com Kalenin Pock Branco, diretor do Competro e diretor adjunto de Infraestrutura da Fiesp, há uma novidade na rodada de negócios que a instituição vai realizar nesta edição da Santos Offshore. “Temos 20 empresas confirmadas e 25 mesas, onde, além de apresentar os seus produtos e serviços, os fornecedores poderão conversar entre si, o que potencializa a realização de negócios”, explica. “O objetivo do Sebrae-SP é o de sensibilizar e estimular os micro e pequenos empreendedores a participar do Programa da cadeia produtiva do petróleo, uma iniciativa que está intensificando ainda mais as ações que a instituição vem empreendendo no setor. Uma delas é o Programa da Cadeia Produtiva do Petróleo, que envolve um plano de ação para a capacitação gerencial do grupo de empresas aprovadas no diagnóstico individual realizado por nós”, destacou o gerente do Escritório Regional do Sebrae-SP na


:: capa Baixada Santista, Paulo Sergio Brito Franzosi. Ele conclui: “O Sebrae-SP é parceiro de quem quer empreender no segmento. Para se ter uma ideia, as empresas que utilizam dos nossos serviços atingiram um crescimento anual de 16,30%, enquanto que aquelas que não utilizaram registraram 12,70%”. Conferência - A Santos Offshore sedia uma conferência que começa na quarta-feira, dia 17, às 14 horas, com uma palestra sobre o desenvolvimento do setor Offshore e as implicações para a Bacia de Santos ministrada pelo gerente geral da Petrobras em Santos, José Luiz Marcusso, com representantes da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis). A programação segue com a apresentação sobre captação de recursos e financiamento, que terá a presença do superintendente da Desenvolve São Paulo, Gilberto Fioravante, além de representante do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), da Caixa Econômica Federal e Programa Progredir, além de instituições privadas de investimento. Na quinta-feira, dia 18, serão promovidas duas sessões simultâneas, uma com foco nas

oportunidades de negócios na Bacia de Santos e outra no desenvolvimento de profissionais para atuarem no setor de E&P Offshore. A primeira terá uma explanação do Programa Brasil Maior, criado pelo Mdic (Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior), e do Plano de Desenvolvimento de Fornecedores, da Petrobras. Já a segunda, voltada para o público jovem, contará com diversas apresentações sobre o campo de trabalho Offshore, demanda de profissionais, treinamento, capacitação e gestão de carreira. Na sexta-feira, dia 19, será a vez dos seminários técnicos de infraestrutura de E&P e Logística, que também ocorrem em duas sessões simultâneas. Em “Desafios & Soluções Tecnológicas para a Produção de Novos Campos na Bacia de Santos” serão apresentadas técnicas ligadas à ampliação da insfraestrutura de E&P para exploração do pré-sal na Bacia de Santos. Já em “Alternativas ao Escoamento da Produção e a Logística de apoio Offshore” serão discutidos tecnologias, serviços, gargalos e soluções para translado da produção na região. A Santos Offshore é organizada e pro-

movida pela Reed Exhibitions Alcantara Machado, maior organizadora nacional e internacional de feiras e eventos e mesma organizadora da World Future Energy Summit, Brasil Offshore e SPE Offshore Europe, os maiores eventos do segmento no mundo. A Santos Offshore foi adquirida em 2011 e passa a fazer parte da rota dos principais eventos internacionais e na agenda de empresários e grandes compradores internacionais do setor. O evento conta com o patrocínio da Petrobras e apoio do Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP), Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), Organização Nacional da Indústria do Petróleo (Onip), Centro Nacional das Indústrias do Setor Sucroenergético e Biocombustíveis (CEISE Br), Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de São Paulo (Sebrae-SP), Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP) e Secretaria de Energia do Estado de São Paulo. O site oficial do evento é www.santosoffshore.com.br. ::

dezembro | janeiro2012 2010 outubro | novembro

::

Santos Modal

::

19


literatura ::

Livro mostra a riqueza dos mares do Sul e Sudeste “Naufrágios e pontos de mergulho” revela a ainda pouco explorada diversidade subaquática destas regiões do País

O

Sudeste brasileiro concentra o maior número de operadoras e de praticantes de mergulho recreativo do país. Porém sua riqueza subaquática ainda é pouco explorada por não possuir os recifes de coral da Bahia ou a água roxa de Fernando de Noronha. Desta forma, a Editora Cultura Sub, juntamente com José Truda Palazzo Jr., resolveu encarar o desafio de publicar uma obra com a tentativa de descrever a riqueza, diversidade e beleza dos naufrágios e pontos de mergulho dessa vasta região. O livro “Naufrágios e pontos de mergulho” retrata exatamente os destaques do mar do sudeste, os costões rochosos encimados pela vegetação exuberante e única da Mata Atlântica; praias ora extensas, ora timida-

mente ocultas entre as montanhas que caem abruptas mar adentro; manguezais; ilhas costeiras de todos os tamanhos, lajes e rochas submersas total ou parcialmente. Diversidade essa de incontáveis naufrágios, muitos à espera da descoberta e catalogação e outros bem conhecidos pelos praticantes do mergulho. Igualmente fascinante pelos recônditos e dobraduras que o tempo esculpiu no litoral próximo e nas ilhas ao largo, é em Santa Catarina que encontra-se o limite desses ambientes, que depois dão lugar à mais extensa praia arenosa do mundo, na costa do Rio Grande do Sul. A visão desta beleza natural fica limitada para quem apenas pode ver o litoral de uma perspectiva emersa. É por essa razão que o livro ilustra a beleza do litoral Sul e Sudeste Luiz Fernando Cassino

com espécies peculiares da flora nativa costeira e animais majestosos e raros como grandes tubarões e arraias-manta. “Temos a intenção de estimular os leitores a valorizar e querer conhecer a riqueza desta região e a exercer a cidadania no sentido de assegurar sua adequada conservação”, explica Ana Carolina Xavier, diretora da Editora Cultura Sub. O livro, uma produção da Editora Cultura Sub, possuí textos de José Truda Palazzo Jr. e imagens de Ivan Cavas, Álvaro Velloso, Luiz Fernando Serra Pinto Cassino, Edson Laerson Barbosa Acioli, João Paulo Cauduro Filho, Leo Francini, Mauricio Andrade, Savio Araújo e Daniel Botelho. Informações no site www.culturasub.com.:: João Paulo Cauduro Filho

O objetivo dos autores é o de estimular a valorização das riquezas desta região e assegurar sua adequada conservação 20

::

Santos Modal

::

outubro | novembro 2012


:: marítimo

por Alessandro Alessandro Padin Padin

Pioneiro, projeto permite o monitoramento de navios em tempo real pela internet PVMS (Port and Vessel Monitoring System), criado pela SMD Marine Systems, é utilizado em portos do Brasil, Chile e Peru e por clientes como a Codesp e a Praticagem de Santos

M

onitorar, em tempo real pela internet, o movimento das embarcações que trafegam pelos portos. Este é objetivo do PVMS (Port and Vessel Monitoring System), pioneiro projeto desenvolvido pela SMD Marine Systems que é utilizado, atualmente, em complexos portuários como os de Santos (SP), São Sebastião (SP), Salvador (BA), Paranaguá (PR), Valparaíso e Quintero (Chile) e Callao (Peru). O serviço tem clientes como a Codesp (Companhia Docas do Estado de São Paulo), Praticagem de Santos, além de agências de navegação, armadores e terminais portuários. No sistema, é possível acompanhar a movimentação e identificar todos os navios que estão atracados ou para atracar, em tempo real, pelo site do projeto (www.pvms.com.br), que é bilíngue (Português e Inglês). “No Porto de Paranaguá, instalamos o PVMS porque a autoridade portuária queria controlar o tráfego a aproximadamente cinco quilômetros do cais. Isso ajudou a organizar as filas e auxiliar na gestão do complexo”, explica Fernando Gonzalez, diretor da SMD Marine

Systems. Ele cita outro exemplo: “A Codesp consegue verificar se as embarcações estão na área correta de ancoradouro naquele exato momento no Porto de Santos”. Gonzalez destaca que o diferencial do PVMS em relação a outros sistemas que oferecem serviços semelhantes é a confiabilidade: “Estamos 24 horas no ar em tempo real. Enquanto registramos 100 navios em determinado porto naquele exato momento, outros projetos semelhantes estão mostrando 50, porque são atualizados esporadicamente”. A tecnologia do PVMS utiliza um equipamento instalado obrigatoriamente a bordo dos navios, o AIS (Automatic Identification System),que recebe o sinal do GPS (Global System Position) e envia todas as informações da embarcação via rádio, por meio do protocolo TDM (Time Division Multiplexing). O sistema criado pela SMD Marine Systems, com uma rede de torres e receptores localizados em vários pontos dos portos, capta e trata esses sinais, armazenando-os em um banco de dados e disponibilizando-os visualmente para todos os seus usuários.

Funcionalidades O PVMS apresenta outras funcionalidades para o usuário como uma régua virtual que mede a distância do navio em milhas e quilômetros; um tracking que permite que a tela movimente de acordo com o trajeto específico de uma embarcação; um recurso que armazena a movimentação e manobras nos portos monitorados por 15 dias, além de uma câmera que acompanha ao vivo a movimentação dos pontos que possuem monitoramento. “Esta ferramenta funciona como um histórico e é fundamental para questões jurídicas portuárias”, desta Gonzalez. O usuário pode consultar o manifesto de DRF e ter acesso as previsões de entrada e saída dos navios nos portos monitorados. Recebe, também, notificações via e-mail, SMS ou Twitter sobre qualquer manobra ocorrida com um navio específico e pode calcular o draft das embarcações coletando algumas informações a bordo (que podem ser fornecidas por oficiais da embarcação) e gere um certificado de draft survey on-line (cálculos fornecidos por engenheiro naval).:: outubro | novembro 2012

::

Santos Modal

::

21


mercado ::

por Vanessa Simões

Deicmar renova certificação ISO 9001:2008

A

Deicmar obteve, após auditoria externa, a renovação de certificação internacional ISO 9001:2008, que tem validade de três anos. A gestão da qualidade da ISO trata-se de um conjunto de normas técnicas que estabelece um modelo de gestão da qualidade. Estão inseridas no processo, entre os objetivos a serem alcançados: a satisfação do cliente, melhoria continua dos processos, estrutura, preocupação com a saúde e segurança do trabalhador e a prevenção da poluição do meio ambiente, além do atendimento às legislações. A empresa, por meio da área de Qualidade, mantém, periodicamente, auditorias internas para garantir a manutenção do alto padrão na prestação dos serviços. Isso porque, anualmente, é realizado o procedimento de monitoração, onde são analisados todos os processos da empresa e, caso haja alguma inconformidade, é necessário fazer as adequações sob o risco de perder o certificado. Segundo o diretor da Deicmar, Gerson Olivi Foratto, a empresa planejou a administração de seu sistema integrado e desenvolveu uma política com diretrizes voltadas para a melhoria contínua dos processos, sempre com foco no cliente, metas bem definidas e indicadores de desempenho como forma de medir a sua eficácia. “Também nos preocupamos em atuar com fornecedores previamente qualificados e controles necessários para garantir a interação entre todos os níveis e departamentos da organização”, destaca. Além das vantagens competitivas oriun-

22

::

Santos Modal

::

outubro | novembro 2012

das da conquista, atestando a eficiência do desempenho operacional, otimização dos processos e recursos, a empresa torna-se referência entre as organizações atuantes no porto organizado de Santos que contam com um Sistema de Gestão Integrado que envolve, ainda, o cuidado com o meio ambiente e as pessoas. Isso porque a companhia foi contemplada, há pouco mais de um mês, com outras duas recertificações de abrangência internacional. ISO 14001 - A primeira renovação de certificação refere-se ao cumprimento da norma ISO 14001, que avalia a adoção de um sistema de gestão ambiental, com a identificação dos impactos ao meio ambiente gerados pela operação e implantação de ações corretivas e preventivas de acordo com legislação específica da área, buscando a minimização de danos à natureza. A segunda foi a recomendação pela auditoria da entidade certificadora para o recebimento do OHSAS 18001 – padrão internacional que analisa o sistema de gestão da empresa e as ferramentas para controle e melhorias no nível do desempenho dos planos voltados à saúde e segurança do trabalhador. É importante destacar que desde 2003 a companhia vem conquistando certificações internacionais, a primeira foi uma ISO. “A gestão da qualidade, integrada a normas como a ISO 14001 e a OHSAS 18001, mostra o constante aprimoramento da companhia, suas principais prioridades e diferenciais competitivos, fazendo parte de nossa estratégia o acompanhamento permanente da operacionalização desta política, avalian-

do os níveis de serviço prestado, a satisfação e os canais de comunicação estabelecidos com o cliente”, enfatiza o diretor. De acordo com o diretor, a empresa busca crescer juntamente com o porto santista. “Temos várias ações voltadas à melhoria no atendimento ao cliente e na expansão física de nossas instalações. A execução desses planos de expansão depende, atualmente, das decisões que serão tomadas pelo Governo Federal na reformulação do marco regulatório do setor portuário”, explica. A empresa A Deicmar atua há 67 anos no comércio exterior. Possui completa estrutura para processos de importação/exportação, iniciando na coleta de mercadoria, armazenagem alfandegada, desembaraço aduaneiro, frete internacional e demais serviços logísticos. Conta com o primeiro e mais importante terminal no Porto de Santos com estrutura especializada para o sistema roll-on-roll-off multipropósito, capacitado para movimentação de veículos, contêineres, cargas tipo break bulk e cargas com pesos e medidas excedentes. Nos últimos dez anos, fomos responsáveis pela movimentação de 2 millhões de veículos, 1/3 de todo o momento em âmbito nacional. Na Rodovia Anchieta localiza-se o Clia (Centro Logístico e Industrial Aduaneiro), que conta com uma área de 65 mil m², especializado na armazenagem e movimentação de contêineres e cargas soltas; opera em todos os regimes previstos na legislação aduaneira e destaca-se como um dos únicos terminais do Brasil que possui alfandegamento permanente.::


:: comex

Café representa 6,5% nas exportações agrícolas de janeiro a setembro de 2012

O

Já o consumo brasileiro de café em 2012 é estimado em 20,4 milhões de sacas

café representou 6,5 % de todas as exportações do agronegócio brasileiro de janeiro a setembro de 2012. O resultado faz parte do Informe Estatístico do Café publicado mensalmente pelo Departamento do Café, da Secretaria de Produção e Agroenergia do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). No entanto, o produto apresentou queda de 24,74% nos nove primeiros meses de 2012, com faturamento de US$ 4,6 bilhões na comparação com o mesmo período do ano passado, quando faturou US$ 6,1 bilhões. O volume embarcado de janeiro a setembro de 2012 teve redução de 19,21% na quantidade de sacas.

A receita cambial do café verde, que representa 5,7% do total das exportações, também teve uma diminuição de 27,41. O principal comprador de café verde brasileiro continua sendo a Alemanha que, apesar de ser o principal destino das exportações da produção nacional, apresentou queda de janeiro a setembro de 2012 de 26,80% na quantidade do produto. O segundo principal importador são os Estados Unidos que teve um recuo de 26,83% nas compras do grão. De acordo com o relatório mensal, o consumo brasileiro de café em 2012 é estimado em 20,4 milhões de sacas, contra 19,72 milhões de sacas em 2011. Os estoques do Funcafé (Fundo de Defesa da Economia Cafeeira) estão, atualmente, em 14 mil sacas.::

outubro | novembro 2012

::

Santos Modal

::

23


santos offshore ::

MONTEX A MONTEX, empresa especializada em instalações, caldeiraria e equipamentos industriais apresenta na Santos Offshore trabalhos com foco no setor de óleo e gás. Por ser nova no setor, a empresa pretende apresentar seus produtos e soluções para os visitantes da feira.

FENDERCARE A FENDERCARE, empresa especializada em aluguel e venda de defensas, cabos, manilhas e inspeções de correntes, leva para a Santos Offshore sua linha de defensas e máquinas de jateamento que não causam danos ao meio ambiente.

GRUPO CR (META SERVICE) O GRUPO CR, empresa prestadora de serviços na área de segurança patrimonial, participa pela primeira vez da feira e apresenta ao mercado o conceito de verticalização na contratação de empresas e serviços, visando a melhor performance em seus contratos. O destaque será a prestação de serviços de manutenção e lubrificação industrial.

INFLAGASES Estreante na feira, a INFLAGASES traz para a Santos Offshore a necessidade fundamental de segurança com a exposição de extintores de incêndio. O destaque da empresa é a balsa autoinflável, equipada com medicamentos, pirotecnia e ração de sobrevivência.

MGR Marítimo A MGR Marítimo participa da Santos Offshore com o objetivo de apresentar soluções para empresas que necessitam de equipamentos de propulsão para embarcações, motores e reversores. O destaque será a exposição de motores de 13 litros, com reversores marítimos.indicação correta do esquema a ser aplicado.

NIPLAN A NIPLAN, empresa especializada em montagens industriais, EPC, serviços de manutenção e paradas, apresenta aos visitantes da Santos Offshore as diversas possibilidades de construções industriais, além de novidades na área de offshore.

VIBROPAC A VIBROPAC traz para a Santos Offshore soluções comercializadas pela empresa com especialidade em transporte de fluídos. Os destaques são as bombas de parafusos e os Sistemas de Odorização de Gás Natural e GLP.

TRELLEBORG ENGINEERED SYSTEM A TRELLEBORG ENGINEERED SYSTEM participa da Santos Offshore apresentando aos visistantes opções inovadoras para o segmento de mangueiras petroleiras, com destaque para os mangotes petroleiros.

PROMAR A PROMAR é uma empresa que atua na prestação de serviços de pinturas técnicas industriais anticorrosivas. Na feira, a empresa destaca suas técnicas para pintura industrial, que por ser uma das mais usadas e aprovadas técnicas de proteção anticorrosiva, necessita de criterioso estudo para escolha do esquema de pintura mais adequado para as instalações ou equipamentos a serem protegidos. Para isso, faz-se necessário que o profissional encarregado dessa escolha tenha bastante experiência de campo para indicação correta do esquema a ser aplicado.

PARAFUSOS RUDGE RAMOS

NCC A NCC é o primeiro Organismo de Certificação da América Latina a se tornar um ExCB no sistema internacional de equipamentos elétricos, destinados a operar em atmosferas explosivas, IECEx. A NCC é creditada pelo Inmetro e designada pela Anatel e pelo Denatran para realizar a avaliação da conformidade. Na feira, o destaque será a certificação internacional de produtos e serviços para áreas classificadas.

24

::

Santos Modal

::

outubro | novembro 2012

A PARAFUSOS RUDGE RAMOS apresenta na Santos Offshore uma nova linha de máquinas elétricas, fabricadas pela Milwalkee, uma empresa americana que acaba de entrar no mercado brasileiro. O destaque da empresa serão os elementos de fixação especiais voltados para a área Offshore, com tratamentos superficiais especiais.


:: santos offshore ACOPLATION ANDAIMES

AIR FRANCE

A ACOPLATION ANDAIMES traz para a Santos Offshore soluções para trabalhos em altura. Entre os produtos que serão destacados pela empresa na feira estão andaimes e plataformas aéreas. A empresa está em 3º lugar no ranking do setor, no quesito Estruturas Tubulares (conforme o Ranking da Engenharia Brasileira – 500 Grandes da Construção, Revista O Empreiteiro 2012).

REASON

MEO GMBH Pela primeira vez na Santos Offshore, a MEO GMBH participa da feira com toda sua linha de produtos. A empresa, que chegou ao Brasil recentemente, aposta na feira como porta de entrada de seus equipamentos que são inéditos para o mercado nacional. Presente em 84 países, a empresa é líder mundial na construção de máquinas portáteis e estacionárias para usinar, reparar e testar todos os tipos de válvulas, flanges e tubulações.

A REASON é uma empresa que atua no desenvolvimento de soluções de alto valor agregado para o sistema elétrico e industrial, usando tecnologia totalmente desenvolvida no país. Na Santos Offshore, a empresa expõe um rack completo com suas soluções de oscilografia, proteção e sincronismo temporal que, por meio da simulação de um sistema elétrico, permitirá a operação de todos seus equipamentos. Dessa forma será possível interagir e compreender a aplicação de suas soluções nos sistemas elétricos do segmento de E&P de Petróleo e Gás.

EMBRASER A EMBRASER - tecnologias e soluções em pinturas traz para a Santos Offshore três lançamentos para o setor. Trata-se das bombas Cobra e Jaguar, além da máquina de dosagem e mistura TwinControl. Todos os equipamentos oferecidos pela empresa garantem segurança, tecnologia de ponta e respeito ao meio ambiente.

ANTICORROSIVA DO BRASIL A ANTICORROSIVA DO BRASIL participa pela primeira vez da feira e apresenta aos visitantes sua linha de bombas de alta pressão para limpeza de superfícies.

SENAC

A AIR FRANCE, uma das maiores companhias áreas do mundo, apresenta na Santos Offshore um programa de fidelidade exclusivo para os profissionais da industrial de petróleo e gás. Trata-se do Flying Blue Petroleum, que oferece benefícios diferenciados, além de cobrir uma malha aérea extensa que abrange os principais destinos petroleiros do mundo.

O SENAC promove diariamente em seu estande na feira a apresentação de palestras, que abordam temáticas dentro dos cursos oferecidos pela instituição, como Meio Ambiente, Administração e Comércio Exterior, Gestão de Projetos e Finanças.

KYOCERA A KYOCERA apresenta na feira soluções em cerâmica avançada, como êmbolos para uso em bombas industriais. Os destaques são os produtos de Zircônia e de Nitreto de Silício, especialmente desenvolvidos para atender a indústria de óleo e gás que exige componentes com grande resistência a corrosão e ataque químico.

MOPA Especialista na fabricação de eletrocalhas, leitos para cabos, perfilados, dutos para fios e cabos, caixas de tomadas para contra piso e piso elevado, a MOPA participa da feira com sua linha de leito para cabos Naval. O destaque da empresa é o bandejamento para cabos.

NM A NM traz para a Santos Offshore seu portfólio completo de serviços inovadores em construção e manutenção de empreendimentos dentro de altos padrões de qualidade, em conformidade com requisitos ambientais e de segurança, voltados para a área Offshore e abastecimento/refinarias de óleo e gás.

outubro | novembro 2012

::

Santos Modal

::

25


portos do brasil ::

O

Importações no Terminal de Contêiner de Salvador Crescem 9%

Terminal de Contêiner de Salvador registrou crescimento de 9% nas importações no período de janeiro a agosto deste ano, o que equivale a um acréscimo de aproximadamente 48 mil toneladas em relação ao mesmo período do ano passado. As cargas mais movimentadas neste período foram produtos químicos e petroquímicos, peças e equipamentos, produtos de varejo, borrachas (e seus derivados) e minérios. Juntos esses produtos representaram 55% do total importado. Já os segmentos que mais cresceram foram: minérios (crescimento de 600% no comparativo) e produtos de varejo (+ 75%). Os números relativos a esses dois segmentos representam um incremento de 2,5 mil contêineres em relação à movimentação de 2011. As importações são responsáveis por 40% de toda a movimentação de comércio exterior do Terminal de Contêiner. O maior volume

A

de compra tem origem no Extremo Oriente, principalmente na China, atualmente o maior fornecedor das importações para Salvador. Para se ter uma ideia desse comércio, de janeiro a dezembro de 2011 o país representou 30%

das importações baianas. E até agosto deste ano, a China já superou o realizado em todo o ano passado. Destas importações, os componentes para eletrodomésticos e informática mostraram grande expressividade.::

SEP finaliza recuperação dos molhes no Porto de Imbituba

Comissão da Secretaria de Portos (SEP) participou, no mês de setembro, da cerimônia do Termo de Entrega dos serviços de recuperação do molhe de abrigo do Porto de Imbituba. Os serviços foram realizados pelo 10º Batalhão de Engenharia de Construção do Exército Brasileiro com recursos disponibilizados pela SEP no valor de R$ 36 milhões. O projeto foi elaborado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Hidroviárias (INPH). O molhe teve 480 metros restaurados com tetrápodes para aumentar a segurança da es-

trutura, utilizando 296 mil toneladas de rochas. A comissão foi conduzida pelo CoordenadorGeral de Estudos e Projetos do Departamento de Infraestrutura Portuária da SEP, Fábio Lavor Teixeira. Segundo ele, a função principal da obra é garantir segurança e estrutura do molhe as próprias operações do porto, proteger o cais das ondas e proporcionar águas tranquilas. Para o Administrador do Porto de Imbituba, Jeziel Pamato, a visita representa a conclusão de um longo e importante trabalho. “Os molhes de abrigo são uma característica peculiar do Porto de Imbituba e devido à

ação do tempo e da natureza precisaram ser recuperados. Com muita dedicação, apoio do Governo e o trabalho do Exército, o porto está estruturalmente seguro para o crescimento”. Sobre os molhes Os molhes de abrigo do Porto de Imbituba, com 845m de comprimento, foram construídos entre 1970 e 1982 para proteger o canal de aproximação e a bacia de evolução do Porto, contra a propagação das ondas oceânicas, proporcionando águas tranquilas para a operação dos navios. Porém, com o tempo foram se desgastando, havendo a necessidade de sua recuperação em 2007.::

Porto de Itajaí e Univali renovam parceria para ações de monitoramento ambiental

A

Autoridade Portuária de Itajaí e Universidade do Vale do Itajaí (Univali) renovaram contrato de cooperação técnico-científico para programa de assessoria e monitoramentos ambientais na área de influência do Porto 26

::

Santos Modal

::

outubro | novembro 2012

de Itajaí. O documento foi assinado pelo reitor da Univali, professor Mário Cesar dos Santos, e pelo Superintendente do Porto de Itajaí, Antonio Ayres dos Santos Júnior. As ações previstas englobam os monitoramentos da qualidade da água, variáveis hidrográficas, qualidade

do ar e ruído, estações de tratamento dos efluentes do porto e sistema integrado de informações ambientais. O contrato prevê ainda monitoramentos da qualidade de sedimentos, dragagens, biota aquática, entre outras ações relacionadas a gestão ambiental.::


:: portos do brasil

I

Investimentos em tecnologia tornam o Porto de Itaqui mais competitivo

taqui está recebendo investimentos de mais de R$ 6 milhões em projetos de tecnologia da informação, o que dá ao porto maranhense maior controle das operações em tempo real. Depois de informatizar o trâmite dos processos internos e de operações de carga, com economia de tempo e recursos, a Empresa Maranhense de Administração Portuária (EMAP) concentra esforços para promover a integração online da Autoridade Portuária com todos os órgãos reguladores da atividade. Maior precisão e celeridade das informações no carregamento e descarregamento dos navios tornam o porto ainda mais competitivo. Recentemente, a Diretora de Administração e Finanças da EMAP, Jaqueline Lobão, e o gerente de Tecnologia e Informação (TI), João Luiz Menegazzo Júnior, estiveram em visita ao porto de Sines, em Portugal. Sines é um dos portos europeus mais avançados no quesito tecnologia. Lá o pessoal da Emap conheceu os terminais de granéis líquidos, petroquímico, multiuso, GNL (Gás natural Liquefeito) e de contêineres, assim como os portos interiores de Pesca e o porto de Recreio, além da Zona de Atividades Logísticas. Evolução Desde o ano passado, a EMAP já trabalha com a movimentação virtual de processos internos, com ganho em agilidade e diminuição dos custos com papel. A partir daí, o passo seguinte foi informatizar as operações portuárias, começando pelos granéis sólidos. Hoje já é possível controlar o fluxo desde a chegada do navio na área de fundeio, passando por sua liberação para atracar, desembarque da carga, pesagem e liberação do produto. Depois dos granéis sólidos, que de janeiro a agosto deste ano já ultrapassaram a marca de 5 milhões de toneladas, 12% a mais do que no ano passado, o mesmo ocorrerá com as operações de granéis líquidos, carga geral e contêiner. Em 2011, o Itaqui movimentou 14 milhões de toneladas, 9% a mais do que no ano anterior. Até agosto, já foram operadas 9,9 milhões de toneladas, devendo encerrar o ano com 15,3 milhões, pouco mais de 10%

superior aos números de 2011. No plano de negócios da Emap esse crescimento deverá ser mantido nos próximos 20 anos, período em que o Itaqui alcançará a marca das 150 milhões de toneladas/ano. Jaqueline Lobão explica que com a elevação constante da movimentação, a Emap precisa de uma forma confiável para acompanhar esse crescimento. Com o uso desse sistema, a Autoridade Portuária, agências marítimas, operadores portuários e clientes têm controle e acesso virtual direto de toda a movimentação do porto do Itaqui , explicou Jaqueline Lobão. Além da transparência e compartilhamento dos dados, é possível prever com antecedência todas as etapas entre a chegada dos navios e a liberação da carga, o que possibilita maior planejamento, diminuição no tempo de espera para atracação e, consequentemente, maior produtividade. Está em teste a utilização de tablets por funcionários que trabalham na beira do cais, o que vai promover a interligação total do tráfego de informações. Melhoria da logística, rigor no controle

de caminhões, exigência de equipamentos mais eficientes das operadoras e ampliação do número de balanças para três também estão contribuindo para um melhor resultado. Em apenas duas semanas, 7 mil caminhões foram pesados, com intervalos que variam entre 20 segundos, quando vazios, e 40 segundos, quando já abastecidos. “Com a utilização desse sistema, ganhamos em rapidez na descarga e melhoria do fluxo”, atestou Rubem Colina, da Companhia Operadora Portuária do Itaqui (COPI). Em Sines, o Sistema de Informação e as respectivas tecnologias de base foram o principal interesse da comitiva da Emap, que se prepara para aderir ao Porto Sem Papel, uma iniciativa da Secretaria Especial de Portos (SEP) que já chegou a 19 dos 34 portos organizados do país. O sistema visa desburocratizar todo o processo de atracação, operação e desatracação ao integrar informações das autoridades portuárias e dos órgãos reguladores em uma só plataforma. Ele traz ainda contribuições ao meio ambiente com a diminuição no uso de papel.:: outubro | novembro 2012

::

Santos Modal

::

27


curtas ::

ANTT amplia fiscalização do pagamento eletrônico de frete A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) está intensificando a fiscalização do pagamento eletrônico de frete. A utilização do mecanismo de papel denominado carta-frete foi proibida em outubro de 2011 em todo o país. Desde abril deste ano, a fiscalização ocorria em praças de pedágio e em barreiras fiscais. Mas a partir de agora, profissionais de sete unidades regionais da ANTT (no Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Ceará, Maranhão e Bahia) e, em breve, no Distrito Federal, vão acompanhar o cumprimento das normas de forma permanente não apenas nas estradas, como também na sede das empresas transportadoras ou de embarcadores e, ainda, nas empresas que subcontratam serviços de transporte de carga. De acordo com a ANTT, mais de três mil notificações de infrações foram realizadas. A maioria delas, devido à falta do código identificador da operação, necessária para comprovar o pagamento eletrônico do transporte. Segundo a Resolução nº 3.658/11, de 19 de abril, entre outras ações, o contratante que efetuar o pagamento do frete, no todo ou em parte, de forma diversa da prevista no documento, deverá ser multado em 50% do valor total de cada frete irregularmente pago, limitada ao mínimo de R$ 550 e ao máximo de R$ 10,5 mil. O texto prevê ainda multa (também de R$ 550 a R$ 10,5 mil) para quem realizar deságio no frete ou cobrança de valor para efetivar os devidos créditos. O transportador autônomo que permitir o uso da cartafrete também será punido. Além de multa no valor de R$ 550, ele poderá ter seu RNTRC cancelado.Atualmente, 14 empresas estão habilitadas junto à ANTT para operar o pagamento eletrônico do frete. Confira aqui a relação das mesmas.

A poucos meses de iniciar suas operações, Embraport lança nova identidade visual

A Embraport lançou em setembro sua identidade visual para marcar a nova fase pela qual passa o empreendimento. De “cara” nova e a poucos meses de inaugurar sua infraestrutura para atracação de navios, o Terminal, que ainda está em obras, foca suas atividades nas áreas de Serviços, Tecnologia e Operações, mantendo o compromisso com a Sustentabilidade e a Segurança do Trabalhador. A mudança não só reflete o novo estágio de maturidade da empresa, como também a transparência de ações, modernidade de gestão e de processos. A fase também requer investimentos vultosos em equipamentos portuários com potencial de alta produtividade e em tecnologia para implantação de sistemas operacionais eficazes e integrados. “O objetivo desta mudança é comunicar ao mercado que Santos em breve terá uma nova opção de escoamento e recepção de cargas e que o Brasil ganha em infraestrutura e competitividade”, destaca o novo diretor-presidente da Embraport, Ernst Schulze, que soma mais de 25 anos de experiência na área de Portos e Logística. Schulze tem como missão estruturar todas as áreas do Terminal, cujas operações começam no início de 2013. Este será o primeiro desafio do engenheiro holandês na América do Sul, após ter passado por terminais na Europa (Holanda, Reino Unido e França) e Ásia (Filipinas).

CSN investe R$ 150 milhões em maior terminal de contêineres do Rio O Sepetiba Tecon, terminal de contêineres da CSN, o maior do Estado do Rio de Janeiro e um dos maiores do Brasil, investirá R$ 150 milhões para aumentar sua capacidade de movimentação em 87%, saltando de 237 mil unidades para 444 mil, já no final de 2013. O terminal de contêineres e cargas gerais, porto concentrador de cargas (Hub Port), localizado no Porto de Itaguaí, movimentou 216 mil contêineres em 2011, um aumento de 10% sobre o ano anterior. O projeto de expansão contempla o aumento da estrutura contínua de cais de 540m para 810m, o que permitirá receber simultaneamente mais de um navio de grande porte. Do investimento total, R$ 41 milhões serão destinados à compra de 2 portêineres e 4 transtêineres (equipamentos usados na movimentação dos contêineres do navio para o costado e no armazenamento dentro do pátio, respectivamente). Além dos R$ 150 milhões, a CSN já havia realizado investimento de R$ 12 milhões na dragagem dos Berços do Porto. Essa dragagem fez com que o Sepetiba Tecon passasse a receber os maiores navios de contêineres que chegam ao país. As obras estão em fase de contratação e têm duração prevista de 14 meses. A estrutura atual do terminal é em U, o que permite apenas a atracação de navios que operem com guindastes de bordo. Com a estrutura contínua, embarcações com guindastes de terra também poderão atracar no Tecon.

28

::::

Santos Modal

::::

dezembro | janeiro 2010 outubro | novembro 2012


:: curtas Santos Brasil amplia sua frota de RTGs A Santos Brasil colocou em operação no Tecon Santos mais 12 RTGs (Rubber Tire Gantry Cranes), ampliando sua frota para 46 equipamentos desse tipo. Os RTG são guindastes sobre rodas usados para fazer a movimentação de contêineres nos pátios. Eles vêm gradativamente substituindo os reach stackers (empilhadeiras de contêineres) do terminal por executar manobras mais rápidas e precisas. Os RTGs também ajudam a otimizar o espaço de contêineres, podendo empilhar até sete unidades em largura por seis em altura. De acordo com Caio Morel, diretor de operações da Santos Brasil, o uso dos RTGs é de importância estratégica para a companhia não apenas por conta do ganho em eficiência, mas também por conta da redução da emissão de CO2 na atmosfera, já que os novos equipamentos consomem menos combustível que os reach stackers.

ANTT amplia fiscalização do pagamento eletrônico de frete A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) intensifica, a partir deste mês, a fiscalização do pagamento eletrônico de frete. A utilização do mecanismo de papel denominado carta-frete foi proibida em outubro de 2011 em todo o país. Desde abril deste ano, a fiscalização ocorria em praças de pedágio e em barreiras fiscais. Mas a partir de agora, profissionais de sete unidades regionais da ANTT (no Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Ceará, Maranhão e Bahia) e, em breve, no Distrito Federal, vão acompanhar o cumprimento das normas de forma permanente não apenas nas estradas, como também na sede das empresas transportadoras ou de embarcadores e, ainda, nas empresas que subcontratam serviços de transporte de carga. As unidades regionais terão poder para atuar em seus próprios estados e também nos estados vizinhos onde ainda não exista representação da ANTT. A unidade que está em fase de implantação no DF, por exemplo, ficará responsável por fiscalizar o pagamento eletrônico em Goiás, Tocantins, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Amazonas e Rondônia.

Fortaleza debaterá novas tecnologias do setor portuário Fortaleza vai ser sede do Seminário SEP Logística e da IV Feira de Tendências de Logística do Norte e Nordeste. O evento, realizado pela Secretaria Especial dos Portos, acontece nos dias 21 a 24 de novembro, no Gran Marquise Hotel. O objetivo é debater o setor portuário que, nos últimos anos, está em forte crescimento e impulsionando a economia brasileira. Em 2011, o setor aquaviário cresceu 5,9% em relação ao ano anterior, mais que o dobro do PIB nacional, movimentando 886 milhões de toneladas. A perspectiva é crescer ainda mais. A estimativa do ministro dos portos, Leônidas Cristino, é que, até 2030, a movimentação potencialmente comprovada pelo Plano Nacional de Logística Portuária, que prevê mais de 2,27 bilhões de toneladas e o transporte de 5 milhões de passageiros, seja atingida. Ainda em 2012, segundo o ministro cearense, serão implantados nos principais portos do País, sistemas de alto nível de tecnologia que vão permitir a gestão de tráfego marítimo, com ganho de eficiência da capacidade operacional garantindo o controle ambiental e mais segurança no acesso aos portos. As discussões em torno da logística ganham mais importância no momento em que estão sendo construídos seis grandes terminais marítimos de passageiros nos portos brasileiros para receber os turistas que virão para a Copa do Mundo em 2014 e as Olimpíadas de 2016, incluindo o Porto do Mucuripe. A realização dos eventos tem a participação da Prática Eventos. Mais informações podem ser obtidas no site do evento: www.seminariosep.com.br.

15ª Feira Negócios nos Trilhos acontece em novembro

A 15ª Feira Negócios nos Trilhos, que acontecerá de 6 a 8 de novembro de 2012 no Pavilhão Vermelho do Expo Center Norte, em São Paulo consagrou-se como o maior evento metroferroviário da América Latina, responsável pelo início de grandes encomendas fechadas ao longo do ano e dos principais lançamentos de produtos para atender o mercado metroferroviário. A edição de 2012 deverá ser uma das maiores já realizadas principalmente pelo interesse que o Brasil vem despertando nos investidores nacionais e internacionais. O PIL (Plano de Investimentos em Logística) projeta R$ 91 bilhões para o setor, mais R$ 35 bilhões que virão do TAV e muitos outros bilhões já programados para atender à demanda das operadoras de cargas e passageiros e iniciativa privada. As ferrovias estão voltando ao foco do cenário nacional com grandes projetos de investimentos em infraestrutura, que somam cerca de R$ 133 bilhões. A Feira NT acontece em um momento muito especial e, tudo indica que ela será o ponto de encontro da cadeia produtiva, dos profissionais e investidores. “Nos dias de evento, operadoras, fornecedores e autoridades dos setores de transportes e logística, terão oportunidade de se atualizarem tecnologicamente, bem como discutirem o futuro ferroviário brasileiro” diz Michael Fine, gerente de Eventos da UBM Brazil, organizadora da NT 2012. O site do evento é www.ntexpo.com.br.

outubro | novembro 2012

::

Santos Modal

::

29


indicador de empresas :: Grupo NPO Rua Goiás, 19 - Boqueirão Santos – SP - 11050-100 Telefone: (13) 3229.1770 www.gruponpo.com.br npo@gruponpo.com.br O Grupo NPO, há mais de 20 anos no mercado da Baixada Santista, é composto por 4 empresas que prestam serviços integrados em gestão organizacional e de pessoas: NPO-Mão de Obra Temporária (Lei 6019/74) / NOWA-Mão de Obra Terceirizada / Força Labore - Consultoria Empresarial, Recrutamento & Seleção e Treinamento & Desenvolvimento e SOMA-Meio Ambiente, Saúde Ocupacional e Segurança do Trabalho.

Advocacia Freitas & Lopes Santos - Av. Ana Costa, 416 Cj. 22 - Gonzaga Telefone: (13) 3289.3445 SP - Av. Brigadeiro Faria Lima, 1572 - Cjs 503 e 504 Telefone: (11) 3813.3460 www.freitaselopes.com.br Alphatronics Radiocomunicação www.alphatronics.com.br Comtrol Comércio e Transporte De Óleos Pça da República, 62 - Cj 133 Centro - Santos - SP Cep: 11013-010 Telefone: (13) 3233.6678 www.comtrolbr.com.br Serviços de retirada de resíduos oleosos de tanques e/ou porões de navios nos portos de Santos e Rio de Janeiro.

30

::

Santos Modal

::

outubro | novembro 2012

Equiport - Equipamentos para Portos Ltda Rua Dr. Constâncio Martins Sampaio, 97 - Estuário Santos - SP - Cep: 11020-390 Telefone: (13) 3227.6025 www.equiport.com.br equiport@equiport.com.br Atendimento nacional e internacional comercializando equipamentos de grande porte, como: Reach Stackers TEREX, Tratores de terminal e Empilhadeiras de contêineres vazios, entre outros. Oferece assistência técnica 24h por dia e peças de reposição. Extintec - Extintores e Equipamentos de Segurança Industrial Ltda Rua João Guerra, 190 - Macuco Santos - SP - 11015-130 Telefone:(13) 3234.4422 www.extintec.com.br A Extintec tem como objetivo proporcionar a mais alta qualidade e tecnologia de ponta em todos os seus serviços prestados, tanto em terra quanto em mar. Produtos e serviços: instalações e inspeção anual de equipamentos contra incêndio e de todos os tipos de balsa, entre outros.

Gaivota - GVT Logística e Transportes Rua José Vicente, 185 Sítio Cafezal - Cubatão - SP Santos - SP - 11010-310 Telefone: (13) 3219.1778 www.gaivotatransportes.com.br gvt@gaivotatransportes.com.br Empresa especializada em transporte rodoviário de cargas e conta com divisões especializadas para atender a todas

as necessidades de seus clientes. Infra-estrutura completa, com complexas instalações, frota própria modernamente equipada e monitorada por rastreadores via satélite e sistema de controle totalmente informatizado. Santos Offshore www.santosoffshore.com.br Self Transportes Rua Dr. Manoel Tourinho, 235 Santos - SP - Cep: 11015-031 Telefone: (13) 3229.5000 www.selftransportes.com.br self@selftransportes.com.br Transportes Rodoviários em Exportação e Importação / Transportes Especiais / Cargas Excedentes/Armazenagens de Cargas Soltas/ Desovas em Geral / Estufagens/ Aramazenagens de Containeres / Processamento e Desembaraço de DTA1 e DTAS.

Transportes Estrela Rua Almirante Vivaldo Cheola, 271 Chico de Paula - Santos - SP Cep: 11085-450 Telefone: (13) 3298.8000 www.transportesestrela.com.br estrela@transportesestrela.com.br A Transportes Estrela realiza transporte rodoviário de todos os tipos de cargas designadas à Importação/Exportação, além de Serviços Retroportuários. Com frota e equipamentos próprios, equipados com moderno sistema de monitoramento e rastreamento via satélite, acoplado a um sistema de inteligência embarcada.


dezembro | janeiro 2011

::

Santos Modal

::

31


32

::

Santos Modal

::

dezembro | janeiro 2011

Revista Santos Modal - edição nr 55 (Out/Nov)  

Ed 55 (Out/Nov) 2012

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you