Issuu on Google+

DIÁRIO DO GRANDE ABC

TERÇA-FEIRA, 1º DE MARÇO DE 2011

8 INTERNACIONAL

Alívio marca a chegada de Brasil reconhece ‘direito das vítimas da ditadura à verdade’ brasileiros vindos da Líbia ▼ NA ONU

O governo brasileiro reco- rídica, criada pela ONU – ponheceu ontem perante o de abrir as portas à investigaConselho de Direitos Huma- ção do que aconteceu, embonos da ONU (Organização ra não envolva condenação das Nações Unidas) o “direi- dos responsáveis. Este direito apoia familiato à verdade” das vítimas da ditadura (1964-1985), em res e a comunidade em gediscurso pronunciado pela ral, levando-os a conhecer o ministra de Direitos Huma- destino dos que sofreram graves violações de direitos nos, Maria do Rosário. “O direito à memória e à humanos, independenteverdade é aspecto integral mente de que os autores mados direitos humanos e ins- teriais ou intelectuais sejam trumento fundamental para ou não condenados pela Juso fortalecimento da demo- tiça, sejam perdoados ou permaneçam nas sombras. cracia”, disse a ministra. Para promovê-lo, a ONU insApós afirmar que para o taurou no ano seu governo passado o dia “não há hierarCompromisso 24 de março coquia entre difoi firmado mo o Dia Munreitos econômidial da Verdacos, sociais e durante de, em memóculturais, de discurso da ria da morte do um lado, e direitos civis e ministra Maria monsenhor Oscar Arnulfo Ropolíticos, do do Rosário mero, assassinaoutro”, Maria do nesta mesma dado Rosário assegurou que “foi na luta pelo ta, em 1980, ao sair de missa exercício destas liberdades na capital de seu país, El Salvaque o povo brasileiro supe- dor, sem que até hoje o assassirou um regime autoritário e no tenha sido identificado. No dia 15 de dezembro, a recuperou a democracia”. “Esta luta trouxe o sofri- Corte Interamericana de Direimento de milhares de pes- tos Humanos condenou o Estasoas e a perda de muitas vi- do brasileiro por abusos comedas. Estas vidas devem rece- tidos durante a ditadura, peber sempre nossa homena- dindo que esclareça os fatos. No entanto, lei de anistia vigem e reconhecimento”, engente no Brasil desde 1979 se fatizou a ministra. O compromisso voluntá- opõe a que os militares que corio com o direito à verdade – meteram crimes naquela épo(da AFP) uma exigência moral, não ju- ca sejam julgados. ▼

Estados Unidos posicionam forças militares em torno do país

C

horo, alívio, emoção e promessa de muita comemoração marcaram o final feliz vivido pelos 56 pernambucanos que trabalhavam na Líbia e chegaram ontem às 18h20, no Recife, em voo fretado da emrpesa Queiroz Galvão. “Vou abraçar minha filha”, afirmou o topógrafo Douglas Menezes da Silva, 26 anos, pai de Dayanne, que nasceu no dia 22. Ele ainda não a conhecia. “Agora acabou a agonia”, disse. O voo trouxe 148 pessoas, 130 delas funcionários da empresa e 18 parentes. Cansados depois de uma viagem que teve início na madrugada do sábado e envolveu espera no porto de Benghazi, 22 horas de viagem de navio até o porto de Atenas, na Grécia, e mais 15 horas de voo até o Recife, os pernambucanos relataram momentos de tensão, mas destacaram sempre terem se sentido em segurança, diante do esquema montado pela empresa. Quem tinha família foi levado para a casa do diretor da Queiroz Galvão, Marcos Jordão, 54 anos, que morava em Benghazi numa área

Chico Porto/AE

mais afastada do conflito. Os solteiros foram transferidos para hotéis. A ideia, segundo Jordão, era manter todos juntos para facilitar qualquer ação de resgate. Os funcionários líbios da empresa ajudavam na segurança e no fornecimento de água e alimentos para os brasileiros. “Tinha medo de um bombardeio aéreo”, contou o mecânico Cícero Gonzalez, que não chegou a assistir cenas de violência, mas ouvia tiros e é de opinião que se pode esperar qualquer coisa do líder Muamar Kadhafi. Emocionada, ao encontrar a família no Aeroporto dos Guararapes, a assessora de planejamento da Queiroz Galvão, Jaqueline Siqueira, 28 anos, disse experimentar a sensação de “nascer de novo”. Grávida de quatro meses do primeiro filho, seu temor era dobrado. Ela e o marido, o engenheiro Jurandir Siqueira, 40 anos, viviam há dois anos na Líbia. De acordo com o diretor de obras da Queiroz Galvão, Henrique Canuto, o total das obras da empresa na Líbia somam em torno de US$ 800 milhões, que seriam entre-

Brasileiros reencontraram a família ao desembarcar no aeroporto do Recife

gues em 20 meses. Mauro Jordão frisou que o objetivo imediato da empresa era tirar os seus funcionários do país em conflito. EXÉRCITO DOS EUA O exército norte-americano posiciona forças navais e aéreas em torno da Líbia, informou o Pentágono ontem, no momento em que potências ocidentais analisam a possibilidade de intervenção militar contra o regime do coronel Muamar Kadhafi.

▼ DENÚNCIAS DE FRAUDE

“Temos funcionários trabalhando em vários planos de contingência, e acho que podemos dizer que, como parte disso, estamos reposicionando forças para que ofereçam essa flexibilidade assim que as decisões forem tomadas”, declarou o porta-voz do Pentágono, Dave Lapan. A mobilização de “forças navais e aéreas” daria ao presidente norte-americano, Barack Obama, leque de possibilidades diante da crise. (da AFP) ▼ SEM CONSULTA

Mubarak é proibido de deixar o Egito e tem bens congelados Autoridades judiciais egípcias anunciaram que o presidente deposto Hosni Mubarak e seus familiares estão proibidos de deixar o Egito, e que seus bens serão congelados. Além de Mubarak, que renunciou no dia 11 após 18 dias de protestos, a decisão aplica-se a Suzanne, sua mulher, e a seus dois filhos, Ala e Gamal, assim como suas mulheres. Mubarak deixou o poder após três décadas governando com mão de ferro. Ele entregou o controle do país ao exército e refugiou-se no balneário egípcio de Sharm elSheikh, no Mar Vermelho. No dia 21, o promotor geral Abdel Magid Mahmud já havia solicitado à comunidade internacional o conge▼

lamento dos bens do ex-presidente e de sua família no Exterior. O ministro das Relações Exteriores, Ahmed Abul Gheit, foi encarregado por Mahmud de procurar os fundos de Mubarak depositados em países estrangeiros. O jornal estatal Al-Ahram informou que a família Mubarak possui “contas secretas em bancos egípcios”, incluindo depósitos no valor de US$ 147 milhões em nome de Suzanne Mubarak e US$ 100 milhões para cada um dos filhos. Autoridades egípcias lançaram uma série de processos judiciais contra colaboradores e familiares de Mubarak, a maioria com base em denúncias de fraude. A corrupção endêmica que domina o sistema político e

Nomeação rápida de novo premiê é criticada na Tunísia

econômico do Egito foi uma das principais insatisfações manifestadas nos protestos que derrubaram Mubarak. As autoridades judiciais já haviam indicado que o exministro do Interior Habib al-Adly seria julgado por lavagem de dinheiro a partir do dia 5. A Suíça, que congelou os bens de Mubarak depositados em seus cofres poucas horas após o anúncio de sua renúncia, indicara que o ex-presidente possui “dezenas de milhões de francos” em instituições financeiras suíças. No domingo, o vice-secretário para Assuntos Políticos das Nações Unidas, Lynn Pascoe declarou que a ONU está “disposta a ajudar o Egito a atravessar este difícil período de transição. (da AFP)

▼ A nomeação do novo primeiro-ministro tunisiano, Beji Caid Essebsi, 84 anos, que ficará à frente do governo de transição, vem despertando muitas críticas. A saída do ex-premiê Mohamed Ghannouchi, reivindicada desde que assumiu a função de líder do governo de transição, após a queda do presidente Ben Ali, não convenceu os manifestantes que ainda estão acampados na Praça Kasbah, em Túnis. “Vamos manter nosso protesto até que seja formada Assembleia Constituinte e seja reconhecido o Conselho de Proteção da Revolução”, declarou o coordenador do protesto, Mohamed Fadhe, referindo-se a grupo de oposição que está sendo formado. A chegada de um novo pre-

miê não pareceu acalmar os ânimos, mesmo com a demissão do ministro da Indústria e Tecnologia, Mohamed Afif Chelbi, que pertencia ao último governo Ben Ali e sua presença no governo de transição era contestada. A situação continuava tensa na Avenida Habib Bourguiba, epicentro dos protestos, após dois dias de violentos confrontos entre manifestantes e policiais que fizeram cinco mortos, segundo balanço oficial. Uma sexta pessoa foi morta, ao Sul de Túnis. Na manhã de ontem, o tráfego foi limitado na principal avenida da cidade e as lojas permaneceram fechadas. “O governo de Ben Ali partiu, o do povo deve assumir”, declarou Rached Ghannouchi, presidente do movimento islâ-

mico Ennahdha, reagindo à nomeação do novo primeiro-ministro e acrescentando que “o próximo governo deve obter a adesão do Conselho de Proteção da Revolução”. A nomeação “rápida e sem consulta” de Beji Caid Essebsi, ex-ministro de Habib Bourguiba, pai da independência e presidente de 1957 até 1987, “foi uma surpresa”, declarou o secretário-geral adjunto da UGTT (União Geral dos Trabalhadores Tunisianos), Ali Ben Romdhane. “Como podemos garantir o acordo desejado para tirar a Tunísia desta situação difícil se o presidente não dá ao menos 24 horas para consultas sobre a designação de um primeiroministro?”, perguntou-se o dirigente da UGTT, organização influente no país. (da AFP)

População chinesa

Agente condenado

Suspeito preso

Acidente aéreo

POR MARCEL MACHINISKI

O que rola no mundo Economizando

A Coréia do Sul proibiu a iluminação não essencial para tentar economizar energia diante da alta dos preços do petróleo. Luzes externas de pontes, edifícios, casas e painéis publicitários deverão ser apagadas a partir da meia-noite. Parques de diversão terão apagar as luzes após às 2h. ▼

O último veterano

Frank Buckles, último veterano norte-americano da Primeira Guerra Mundial, morreu aos 110 anos. Buckles foi motorista do exército dos Estados Unidos, chegando a ser cabo antes do fim do conflito. Depois trabalhou para a marinha mercante norte-americana. ▼

Segundo dados preliminares do censo chinês, a população do país chegou a 1,341 bilhão de pessoas. A política de controle de natalidade, que limita a um o número de filhos por família, conseguiu frear o aumento da população em 400 milhões de pessoas. Dados definitivos do levantamento serão divulgados em abril. ▼

Tribunal de Bagdá condenou à prisão perpétua agente de segurança britânico, acusado de matar dois de seus colegas, em 2009 no Iraque. O advogado do agente afirmou que apelará da sentença e lembrou que pelas leis iraquianas, a prisão perpétua equivale a 20 anos de detenção. ▼

Militares mexicanos prenderam traficante do cartel de drogas Los Zetas suspeito de ter liderado ataque que matou agente da imigração dos Estados Unidos. Sergio Antonio Mora Cortez, conhecido como Toto foi detido ao lado de cinco integrantes do cartel. ▼

Ao menos quatro pessoas morreram em acidente com pequeno avião. A aeronave que iria para Riad, na Arábia Saudita, caiu logo após decolar do aeroporto Al Ain, nos Emirados Árabes Unidos. Investigações para apurar as causas do acidente começarão em breve. ▼


01PC08