Page 1


340

Capítulo 21

Carga Imediata em Implantes Dentários

Joel L. Rosenlicht

James A. Ward Jack T. Krauser

C A P Í T U L O

2 1

CARGA IMEDIATA EM IMPLANTES DENTÁRIOS L. Jackson Brown A restauração realizada o mais rapidamente possível para alcançar forma e função adequadas é a marca de todas as especialidades cirúrgicas. Esse princípio está por trás do conceito de carga imediata dos implantes dentários. Esse conceito foi aplicado nos estágios iniciais dos implantes dentários.1 O índice de falhas dos primeiros estudos era alto e geralmente essas falhas ocorriam logo após a tentativa de carregamento funcional. Em alguns casos, as complicações vindas do carregamento precoce dos implantes dentários eram mais severas do que a indicação para o tratamento.2 Apesar desses contratempos, muitas das tentativas precoces no momento da instalação dos implantes permaneceram funcionais por longos períodos e forneceram suporte para próteses funcionais. Vários fatores contribuíram para os altos níveis de insucesso iniciais: as propriedades metalúrgicas dos implantes ainda não tinham sido melhoradas; os materiais odontológicos utilizados, embora comprovadamente compatíveis, não apresentavam a resistência necessária para suportar uma prótese em função; e ainda não havia um entendimento completo ou as técnicas cirúrgicas e protéticas adequadas necessárias para o sucesso.3-5 Foi nos anos de 1940 que Bothe et al.6 experimentaram a biocompatibilidade do titânio. Seu uso não era amplamente aceito até os anos de 1950, quando acompanhamentos documentados de Gottlieb e Leventhal7 e Clarke e Hickman8 mostraram a resistência à corrosão e a natureza inerte do titânio.9-11 Brånemark et al.,12 nos anos de 1960, demonstraram a habilidade do osso natural em aceitar o titânio implantado durante seus estágios de remodelação, levando ao conceito de osteointegração. Esse conceito foi inicialmente concebido como um sistema de dois estágios, no qual era dado ao implante um período de tempo para osteointegrar-se ao osso nativo sem o estresse funcional. O Dr. Alvin Strock,13 um cirurgião bucomaxilofacial de Boston, instalou um parafuso ósseo ortopédico em um sítio

340

pós-extração de uma raiz periodontalmente comprometida no final dos anos de 1930. A instalação desse implante se tornou a base para a instalação e restauração de um parafuso ósseo similar com a cabeça preparada para receber uma coroa protética no ano seguinte.13 O implante e a restauração tiveram uma sobrevida de 18 anos (Fig. 21-1). Os implantes instalados nos anos subsequentes variaram com relação a tamanhos, formas, materiais e técnicas de instalação. Um ponto em comum era o conceito de carga imediata. Esses implantes eram instalados e restaurados de acordo com a técnica cirúrgica de um estágio, permitindo a moldagem e a união rígida dos implantes no momento da cirurgia inicial14-18 (Fig. 21-2). Após as taxas de sucesso documentadas das técnicas cirúrgicas de dois estágios nos anos de 1960, a indústria começou a afastar-se da carga imediata. Entretanto, à medida que os materiais e a ciência dos implantes dentários progrediram, foi observado um retorno para a restauração de forma e função imediatas. Relatos dos altos índices de sucesso com implantes que receberam carga imediata se seguiram na metade dos anos de 1980.19-24

O Que É Carga Imediata? A literatura científica é abundante com definições de carga imediata em implantes dentários. Misch et al., em 2004,25 ofereceram várias classificações de carga imediata: • Carga oclusal imediata refere-se ao carregamento oclusal completo de um implante em até 2 semanas após a instalação. • Carga oclusal precoce refere-se ao carregamento funcional entre 2 e 3 semanas após a instalação do implante. • Restauração imediata não funcional refere-se a próteses sobre implantes instaladas em até 2 semanas após a instalação do implante sem qualquer carga oclusal direta.


Capítulo 21

341

Carga Imediata em Implantes Dentários

A

B

C

Figura 21-1. A, A primeira extração e instalação de parafuso endósseo seguida por uma restauração dentária. Radiografias periapicais realizadas 8 anos (B) e 9 anos (C) após a restauração. (De Rosenlicht JL, Ward J, Krauser JT: Impressions at surgical placement and provisionalization of implants. In Fonseca RJ, et al, editors: Oral and maxillofacial surgery, vol 1, St Louis, 2009, Elsevier.)

• Restauração precoce não funcional refere-se a próteses sobre implantes entregues entre 2 e 3 semanas após a instalação do implante. • Carga oclusal tardia refere-se à restauração de um implante mais de 3 meses após a instalação. Essas categorias ajudam a descrever o prazo para a fase restauradora da cirurgia de implante. Em 2006, Wang et al.26 forneceram uma definição com base em um consenso do International Congress of Oral Implantologists (Upper Montclair, NJ), no qual a carga imediata foi definida como uma técnica em que a restauração implantossuportada é instalada sob carga oclusal funcional em até 48 horas após a instalação do implante. Além disso, uma distinção foi feita entre a restauração imediata com funções estéticas, na qual a restauração é mantida livre de contatos oclusais, e o carregamento imediato verdadeiro (Fig. 21-3).

Seleção do Paciente Diversos fatores determinam se um paciente é candidato a carga imediata em seus implantes dentários. Esses fatores podem ser divididos em quatro categorias: 1. Fatores relacionados à cirurgia 2. Fatores relacionados ao paciente 3. Fatores relacionados ao implante 4. Fatores relacionados à oclusão Os fatores cirúrgicos pertencem primariamente à estabilidade do implante e à técnica cirúrgica. Os fatores do paciente incluem não apenas a qualidade e a densidade óssea, mas também um bom ambiente para a cicatrização. Os fatores do implante são baseados na estrutura e no desenho do sistema de implante utilizado, e os fatores oclusais estão relacionados à importância de um desenho protético adequado sob forças oclusais.27


342

Capítulo 21

Dos fatores relacionados à técnica cirúrgica, o estabelecimento de uma estabilidade primária tem sido descrito como a variável mais importante para o sucesso de implantes que recebem carga imediata.28-30 A transmissão do micromovimento ao corpo do implante após a instalação pode resultar em perda da crista óssea e falha na osteointegração. Tem sido mostrado que o micromovimento deve ser limitado a menos de 100 nm para alcançar o contato osso-implante.31 Clinicamente, o torque durante a instalação do implante é um bom preditor da estabilidade. Estudos têm mostrado que implantes instalados com um torque de inserção maior que 30-35 Ncm resultaram em maiores

Figura 21-2. Exemplos anteriores de implantes dentários rotineiramente carregados após a instalação do implante.

Carga Imediata em Implantes Dentários

índices de sucesso para carga imediata.32-34 Além disso, para garantir saúde óssea e estabilidade adequadas, uma técnica de instalação apropriada inclui irrigação copiosa tanto interna quanto externamente, para manter a temperatura inferior à 47°C, a fim de prevenir a necrose do osso circundante. Os fatores referentes ao paciente também contribuem para o processo de decisão pelo carregamento imediato de implantes dentários. O cirurgião deve levar em consideração a história médica do paciente candidato à carga imediata, incluindo o uso de tabaco, higiene oral, medicações e doenças sistêmicas, como o vírus da imunodeficiência humana (HIV)/síndrome da imunodeficiência adquirida (AIDS), diabetes melito e osteoporose. A história clínica do dente a ser substituído no momento da extração também deve ser considerada. Dentes associados a uma história de trauma, infecção ou doença periodontal com resposta inflamatória ativa não devem ser candidatos à instalação imediata do implante ou à carga imediata. Exames radiográficos e físicos também são necessários para avaliação da qualidade e quantidade óssea. A qualidade do osso geralmente controla as escolhas protéticas quando a carga imediata é considerada. A necessidade de enxerto ósseo no momento da cirurgia de implante pode ocorrer, dependendo das variações anatômicas ósseas do paciente. A qualidade óssea pode ser descrita de várias maneiras. O sistema proposto por Lekholm e Zarb35 classifica o osso em quatro categorias, com base na quantidade relativa de osso cortical e trabecular. Na primeira classificação, a quase totalidade do osso é composta de osso cortical compacto. Na segunda classificação, o osso compacto trabecular é circundado por uma espessa camada de osso cortical. A terceira classificação é descrita como uma fina camada de osso cortical circundando um osso trabecular de alta densidade com propriedades de resistência favoráveis. Finalmente, no quarto e menos desejável tipo

A B

C Figura 21-3. A, Implante subperiosteal tradicionalmente carregado após a instalação com próteses fixas ou removíveis. B, TPS (implante com spray de plasma) carregado em 12 a 24 horas, depois que uma barra é instalada para conectar rigidamente os implantes. C, Implante transósseo inserido por acesso extraoral, carregado em 12 a 48 horas e deixado integrar-se por 3 a 6 semanas. (A e B, De Rosenlicht JL, Ward J, Krauser JT: Impressions at surgical placement and provisionalization of implants. In Fonseca RJ, et al, editors: Oral and maxillofacial surgery, vol 1, St Louis, 2009, Elsevier.)


Capítulo 21

343

Carga Imediata em Implantes Dentários

de osso, uma fina camada de osso compacto envolve um osso trabecular frouxamente organizado. Maiores índices de falha têm sido relatados para osso tipo IV em carga imediata.36 Com o crescimento do mercado para os implantes dentários e com o advento de novas tecnologias, os princípios dos desenhos dos implantes podem afetar o sucesso dos casos submetidos à carga imediata. O desenho tipo parafuso tem sido considerado como aquele que apresenta maior retenção mecânica e maior habilidade de transferir forças compressivas.37,38 O comprimento e o diâmetro do implante – valores críticos para a carga imediata – ainda devem ser definidos; entretanto, estudos recentes têm sugerido que comprimentos maiores que 10 mm oferecem taxas de sucesso dramaticamente mais altas.39 Outro fator do desenho do implante que pode contribuir para o sucesso da carga imediata é a textura de superfície. Uma variedade de coberturas de superfície e tratamentos está disponível e muitos estudos têm provado seus índices de sucesso. Tem sido mostrado que uma superfície rugosa de implante aumenta claramente as taxas de sucesso quando comparada aos implantes maquinados. Índices de sucesso de 91%, em média, foram encontrados quando os estudos foram comparados.40 O esquema oclusal recomendado para implantes com carga imediata é o de máximos contatos interoclusais sem contatos laterais.26 Pacientes com hábitos parafuncionais ou oclusão comprometida não devem receber a opção da carga imediata. Estudos de Balshi e Wolfinger demonstraram que aproximadamente 75% das falhas com carga imediata ocorreram em pacientes com hábitos parafuncionais. Estudos adicionais têm dado suporte a esses resultados e sugerem que esses pacientes, se não forem excluídos da carga imediata, devem ser fortemente advertidos do risco de falha.41-43

Carga Imediata para Restauração Unitária Estudos sobre restaurações unitárias e carga imediata têm mostrado bons índices de sucesso.44-46 Muitos estudos têm sido feitos sobre essas restaurações unitárias instaladas em oclusão imediata a partir da provisionalização, com índices de sucesso similares àqueles de implantes restaurados com carga oclusal leve ou sem carga oclusal.44,47-51 Outros estudos sobre essas restaurações unitárias têm mostrado índices de sucesso mais baixos quando as mesmas são levadas a uma oclusão funcional imediata.52-55 Claramente, estudos mais detalhados são necessários para avaliar o papel da oclusão nessas restaurações. Estudos de implantes instalados em osso tipo IV apresentam um índice variável de sucesso.52-56 A resposta do tecido mole foi muito favorável nesses estudos devido à presença de uma coroa provisória na fase de cicatrização,55 o que permitiu a escultura da papila interdental e da gengiva inserida. Uma perda óssea comparável foi observada na carga imediata, quando confrontada com a tradicional cirurgia de dois estágios.48,51 Alguns estudos mostraram ainda um nítido ganho de osso em um período de acompanhamento de 5 anos.57 Devido aos recentes avanços e pesquisas nessa área, dados de acompanhamentos em longo prazo ainda não estão disponíveis; entretanto, o carregamento imediato de uma restauração unitária é claramente uma opção viável para pacientes selecionados.

A Figura 21-4 mostra a instalação de uma restauração provisória imediata parafusada no momento da instalação do implante, e a Figura 21-5 mostra a instalação do implante com guia cirúrgico com um pilar de zircônia definitivo e coroa provisória no momento da instalação do implante.

Carga Imediata em Próteses Fixas Pesquisas na área de reabilitação fixa ou de múltiplos elementos com carga imediata têm sido divididas em próteses instaladas na mandíbula e aquelas instaladas na maxila. Nos primeiros estudos de restaurações mandibulares de múltiplos elementos com carga imediata, uma técnica realizava a instalação de implantes adicionais ou provisórios para suportar inicialmente a prótese, enquanto os implantes remanescentes seguiam a fase de cicatrização. O pensamento por trás dessa técnica era baseado nos supostos altos índices de insucesso desses implantes carregados imediatamente.41,58,59 Essa técnica foi adicionalmente estudada para reduzir os custos do tratamento para o paciente e determinar o número mínimo de implantes necessários para suportar uma prótese de carga imediata. Quando o modelo de três implantes foi testado, várias desvantagens foram reportadas. Vários sistemas não eram flexíveis em suas técnicas cirúrgicas e a falha de um único implante resultava em uma taxa de falha protética de 15%.60 Isso levou à determinação de que um mínimo de quatro implantes deveria ser instalado na mandíbula edêntula para suportar uma prótese fixa com carga imediata. Essa técnica requer implantes com um comprimento mínimo de 10 mm. Na maxila total ou parcialmente edêntula, um número significativamente maior de implantes deve ser instalado para obter a estabilidade primária de uma prótese com carga imediata. Embora muitos estudos tenham sugerido a necessidade de oito a 12 implantes, diversos estudos têm mostrado índices de sucesso semelhantes com cinco a oito implantes.43,61,62 A literatura debate, com resultados variados, a morfologia de superfície dos implantes mais adequada à instalação no osso de menor densidade da maxila. Não existe um protocolo padronizado para justificar a seleção de uma morfologia de implante sobre outra.63 Os critérios de seleção também são mais difíceis de serem encontrados na maxila devido à presença anatômica do seio maxilar e seu efeito nas alturas do osso residual. Entretanto, a carga imediata na maxila ou na mandíbula total ou parcialmente edêntula é uma opção de tratamento viável se os critérios de seleção forem preenchidos. A Figura 21-6 mostra um paciente de 38 anos, edêntulo na região do 13 ao 15, que utilizava uma prótese parcial superior. O paciente desejava obter uma prótese parcial fixa implantossuportada imediata. O planejamento pré-cirúrgico foi realizado com raios X cone beam e cirurgia guiada pelo modelo.

Carga Imediata em Sobredentaduras (Over-dentures) Não existem estudos que mostrem protocolos para carga imediata verdadeira em sobredentaduras como os definidos anteriormente. Entretanto, existe suporte para carga oclusal precoce com esse tipo de prótese. Uma carga imediata verdadeira pode não ser possível nesses casos, pois a confecção protética de Texto continua na p. 347.


344

Capítulo 21

A

Carga Imediata em Implantes Dentários

B

C

D

E

F Figura 21-4. A, Região do elemento 14 edêntula, 8 semanas após a extração e preservação do alvéolo. B, Instalação do implante (Zimmer Dental Corp., Carlsbad, CA) ainda com o montador (notar a marca no montador para uma instalação precisa do implante no nível ósseo). C, Moldagem imediata para o pilar e a restauração definitivos. D, Confecção da restauração provisória sobre pilar plástico provisório. E, Contornos estabelecidos para obtenção do perfil de emergência e suporte para o tecido mole. F, Restauração provisória em posição (parafusada) imediatamente após a instalação do implante. (B-D e F, De Rosenlicht JL, Ward J, Krauser JT: Impressions at surgical placement and provisionalization of implants. In Fonseca RJ, et al, editors: Oral and maxillofacial surgery, vol 1, St Louis, 2009, Elsevier.)


Capítulo 21

345

Carga Imediata em Implantes Dentários

A B

C D

E F

G Figura 21-5. A, Radiografia panorâmica da área edêntula (elemento 24). Notar a altura e a densidade óssea adequadas. B, Modelo de laboratório com análogo do implante e pilar de zircônia definitivo confeccionado. C, Coroa provisória confeccionada no laboratório sobre o pilar definitivo. D, Instalação cirúrgica guiada do implante (Nobel Biocare, Yorba Linda, CA) baseada no planejamento précirúrgico. E, Instalação do pilar definitivo de zircônia no momento da instalação do implante (torque de 35 Ncm). F, Restauração provisória ajustada para uma carga oclusal modificada. G, Radiografia panorâmica pós-operatória. (B, C e E-G, De Rosenlicht JL, Ward J, Krauser JT: Impressions at surgical placement and provisionalization of implants. In Fonseca RJ, et al, editors: Oral and maxillofacial surgery, vol 1, St Louis, 2009, Elsevier.)


346

Capítulo 21

A

Carga Imediata em Implantes Dentários

B

C D

E F

G

H

Figura 21-6. A, Imagem de tomografia computadorizada cone beam (Imaging Science International, Inc., Hatfield, PA) mostrando as dimensões vestibulolingual e vertical do local de instalação do implante. B, Pilares de zircônia pré-fabricados para dois implantes e uma prótese parcial fixa de três elementos. C, Prótese parcial fixa provisória em acrílico utilizada após a instalação do implante. D, Guia cirúrgico pré-fabricado com base no modelo de planejamento. E, Implantes posicionados com os pilares definitivos de zircônia parafusados. F, Prótese parcial fixa provisória instalada e retalho reposicionado e suturado para estabelecer o perfil de emergência do dente e fornecer suporte para o tecido mole. G, Prótese parcial fixa definitiva cimentada em 2 meses. H, Radiografia panorâmica pós-operatória 1 ano após. (B-H, De Rosenlicht JL, Ward J, Krauser JT: Impressions at surgical placement and provisionalization of implants. In Fonseca RJ, et al, editors: Oral and maxillofacial surgery, vol 1, St Louis, 2009, Elsevier.)


Capítulo 21

347

Carga Imediata em Implantes Dentários

encaixes com barra pode ser necessária. Um estudo recente aplicando carga em sobredentaduras suportadas por um sistema de barra após 4 dias da cirurgia mostrou altos índices de sucesso.64 Vários estudos têm mostrado taxas de sucesso com carga oclusal precoce em sobredentaduras com implantes instalados na mandíbula, na região interforaminal.65-71 Os protocolos de carregamento nesses estudos foram descritos como carga progressiva, que proibia o uso da prótese total por 2 semanas, ou permitia o uso de uma prótese completamente aliviada do contato com os pilares. O carregamento funcional precoce nesses estudos refere-se ao protocolo, que consiste no carregamento do implante em aproximadamente 3 semanas ou com um encaixe tipo bola ou com um conjunto barra-clipe. Carregamento funcional precoce imediato refere-se à instalação da prótese em até 5 dias. Nos estudos que tentaram o carregamento funcional mais precoce, o método de escolha foi o encaixe tipo barra-clipe. Quatro estudos mostraram pacientes-controle submetidos a técnicas de dois estágios que apresentaram altos índices de sucesso, similares aos obtidos pelos pacientes que receberam carga precoce.70-74 Todos esses estudos suportam a utilização de sobredentaduras com carga precoce como uma opção restauradora viável para muitos pacientes edêntulos. A dentição do arco antagonista nesses estudos é composta, na maioria dos casos, de próteses totais e, em alguns casos, de próteses implantossuportadas; foram encontradas pequenas diferenças nos índices de sucesso entre essas dentições das arcadas antagonistas. Os estudos também sugerem que implantes para carga precoce com sobredentaduras devem ser esplintados com encaixes tipo barraclipe para prevenir rotação axial e micromovimentação.65,67,74 Entretanto, dados os índices de sucesso com o carregamento precoce com encaixes tipo bola, não se pode afirmar efetivamente que a esplintagem desses implantes é um requisito para o sucesso. Novamente, mais estudos são necessários. A Figura 21-7 apresenta um exemplo de paciente edêntulo com altura, espessura e qualidade ósseas adequadas. Um procedimento sem retalho foi realizado com a instalação de seis implantes de corpo único, a partir dos quais foi realizada uma moldagem para a confecção da barra no mesmo dia. Essa barra foi instalada passivamente para suportar uma sobredentadura retida por clipes. Dois anos depois, esse caso bem-sucedido foi transformado em uma prótese fixa, que teve uma sobrevida de 10 anos, até o falecimento do paciente.

Instalação e Carga Imediata de Implantes em Sítios de Extração A literatura que descreve a instalação e a carga imediata de implantes em sítios pós-extração não fornece base adequada para conclusões fortes. Evidências com bom suporte na literatura podem ser encontradas para uma variedade de técnicas e tipos de implantes. A literatura é muito caso-específica e, uma vez que o processo de extração e os sítios cirúrgicos nunca são idênticos para nenhum dente, é difícil para o cirurgião tomar decisões seguras com base nas evidências circunstanciais. O raciocínio global que existe por trás da restauração imediata desses implantes é o de auxiliar na recuperação da estética tecidual pelo contorno gengival, assim como a eliminação da necessidade do uso de próteses removíveis provisórias. As conclusões alcançadas por esses estudos são inerentemente duvidosas devido à variância na morfologia do sítio da extração e no tratamento, nas técnicas de enxerto, na morfologia do implante e no acompanhamento.41,43,53,56 Entretanto, um tema comum nesses estudos é que os índices de sucesso não são comprometidos pela instalação em sítios pós-extração, se a estabilidade primária é obtida. Problemas similares existem na literatura sobre a instalação e a carga imediata de implantes instalados simultaneamente com técnicas para aumento ósseo. A maioria dos estudos recomenda um tempo de espera antes do carregamento do implante para permitir uma maturação completa da morfologia óssea do sítio onde se planeja instalar o implante.75,76 Enxerto ósseo simultâneo e carga imediata têm mostrado sucesso em outros estudos.77,78 Parece que, mais uma vez, o fator de sucesso para a carga imediata é a estabilidade primária. Mesmo em casos de levantamento de seio maxilar, a carga imediata dos implantes pode alcançar taxas de sucesso de mais de 80%.79 A Figura 21-8 mostra uma paciente de 34 anos que apresentava reabsorção interna e externa do elemento 23. Ela não gostaria de utilizar uma prótese removível ou de ter os dentes adjacentes preparados de forma alguma. Ela também queria uma linha de sorriso muito alta. A Figura 21-9 mostra uma paciente de 38 anos com uma coroa fraturada no elemento 22 e uma raiz residual dividida. O dente foi extraído de maneira atraumática e um implante imediato foi instalado. A coroa existente foi modificada e reutilizada como restauração provisória.

A B Figura 21-7. A, Radiografia panorâmica da mandíbula edêntula adequada para uma sobredentadura com carga imediata. B, Procedimento sem retalho para a instalação de seis implantes de corpo único. Continua


348

Capítulo 21

Carga Imediata em Implantes Dentários

D C

F E

G

I

H

J

Figura 21-7. Continuação. C, Moldagem imediata realizada com transferentes de moldagem para o modelo de laboratório e análogos. D, Barra fabricada para instalação após 24 horas. E, Instalação passiva da barra fornecendo conexão rígida aos implantes. F, Vista panorâmica dos implantes integrados com a barra de conexão passiva. G, Prótese total maxilar e sobredentadura mandibular. H, Conversão da barra em uma prótese fixa mandibular. I, Radiografia panorâmica 2 anos após a instalação dos implantes e inserção da prótese fixa. J, Fotografia clínica de 10 anos após a cirurgia.


Capítulo 21

349

Carga Imediata em Implantes Dentários

Tecnologia CAD/CAM na Carga Imediata Existem várias abordagens a serem escolhidas para promover um tratamento de qualidade, em um período de tempo favorável e previsível para o paciente. Sem questão, o uso da tecnologia permite aos profissionais ver o paciente de maneira sem precedente. A tecnologia atual fornece um conhecimento do

risco de falha e daquilo que ajuda na obtenção de um sucesso previsível. Quando a tomografia computadorizada (TC) cone beam entrou no campo da implantodontia, o dentista obteve a habilidade de enxergar antecipadamente os desafios cirúrgicos que antes não poderiam ser facilmente identificados. Armado com essa informação avançada, planejamentos exatos dos casos podem agora serem realizados. Guias cirúrgicos podem ser confeccionados para uma instalação precisa do implante, se

A B

C D

E Figura 21-8. A, Elemento 23 apresentando reabsorção interna e externa significativa. B, Extração atraumática e osteotomia cautelosa para minimizar a remoção de osso e condensar o sítio cirúrgico. C, Enxerto ósseo no local da extração para minimizar espaços mortos e formar a osteotomia para o implante. D, Pilar plástico provisório posicionado sobre o implante e preparado para coroa total em acrílico. E, Coroa provisória adaptada ao pilar preparado e verificada para interferências oclusais. Continua


350

Capítulo 21

Carga Imediata em Implantes Dentários

G

F

H

I Figura 21-8. Continuação. F, Coroa provisória contornada para obtenção do perfil de emergência adequado e da estética. G, Restauração provisória 1 semana após a cirurgia. H, Radiografia panorâmica pós-operatória apresentando o implante bem seguro ao osso apical. I, Coroa definitiva instalada em 3 meses. (A, C, D, F, G e I, De Rosenlicht JL, Ward J, Krauser JT: Impressions at surgical placement and provisionalization of implants. In Fonseca RJ, et al, editors: Oral and maxillofacial surgery, vol 1, St Louis, 2009, Elsevier.)

assim for indicado, e a prótese pode ser confeccionada em qualquer nível que o profissional desejar. Os capítulos deste livro que focam a imagem cone beam e a cirurgia guiada revisam com grande detalhe essas opções de tratamento e suas aplicações mais adequadas (Caps. 8 e 18). A Figura 21-10 mostra um paciente de 69 anos que se apresentava edêntulo na maxila e na mandíbula por mais de 40 anos. Ele já não podia utilizar as próteses removíveis de maneira confortável. A imagem cone beam revelou um bom suporte ósseo e, a partir dessa imagem, um guia cirúrgico foi confeccionado, seguido por um planejamento para os implantes em um software de computador. Com a fabricação do guia cirúrgico, o laboratório de prótese dentária confeccionou uma restauração fixa provisória para ser instalada no momento da cirurgia.

Conclusão Como conclusão, a instalação de implantes e sua restauração imediata, seja ela provisória ou definitiva, podem ser muito vantajosas. Entretanto, cuidados e considerações cirúrgicas e protéticas adequadas devem ser altamente contemplados durante a realização desses procedimentos. À medida que vamos realizando-os, estamos aumentando a possibilidade de complicações, uma vez que mais aspectos do tratamento estão sendo oferecidos. Seu índice de sucesso pode diferir levemente dos procedimentos realizados de maneira mais convencional. A maior e mais vantajosa aplicação da carga imediata em implantes são nos casos em que as necessidades estéticas e a preservação do tecido mole são mais importantes.


Capítulo 21

351

Carga Imediata em Implantes Dentários

A

B

C

D

E

Figura 21-9. A, Coroa perdida do elemento 22 após a fratura do pino. B, Coroa original e raiz residual após a extração atraumática do dente. C, Instalação do implante com o montador para inserção do implante, registro com moldagem e identificação da profundidade do implante. D, Pilar plástico provisório preparado. E, Coroa original adaptada ao pilar provisório preparado. O perfil de emergência é estabelecido. F, Inserção da coroa, agora utilizada como restauração provisória. G, Radiografia panorâmica do pós-operatório. (C, De Rosenlicht JL, Ward J, Krauser JT: Impressions at surgical placement and provisionalization of implants. In Fonseca RJ, et al, editors: Oral and maxillofacial surgery, vol 1, St Louis, 2009, Elsevier.)

F

G


352

Capítulo 21

Carga Imediata em Implantes Dentários

A B

C D

E

F

G Figura 21-10. A, Avaliação clínica do rebordo maxilar. B, Prótese total duplicada com marcadores radiográficos para a tomografia computadorizada cone beam. C, Guia cirúrgico gerado por CAD. D, Modelo fabricado em laboratório. E, Confecção pré-cirúrgica de uma restauração fixa provisória. F, Inserção dos pilares guiados na restauração fixa provisória. G, Guia cirúrgico posicionado e estabilizado para a inserção dos implantes.


Capítulo 21

353

Carga Imediata em Implantes Dentários

H

I

Figura 21-10. Continuação. H, Instalação dos implantes na maxila sem retalho a partir do planejamento cirúrgico. I, Prótese total fixa provisória maxilar em posição.

REFERÊNCIAS 1. Ring ME: A thousand years of dental implants: A definitive history-Part 1, Compend Contin Educ Dent 16(10):1060-1069, 1995 [Passim]. 2. Diskell TD: History of implants, CDA J 15(10):16-25, 1987. 3. Luckey HA, Kubli F Jr: Summary. In Luckey HA, Kubli F Jr, editors: Titanium alloys in surgical implants, Philadelphia, 1983, American Society for Testing and Materials, pp 283-290. 4. Brånemark P-I: Introduction to osseointegration. In Branemark PI, Zarb GA, Albrektsson T, editors: Tissue-integrated prostheses, Osseointegration in clinical dentistry, Chicago, 1985, Quintessence Publishing Co, Inc, pp 11-76. 5. Bannon BP, Mild EE: Titanium alloys for biomaterial application: An overview. In Luckey HA, Kubli F Jr, editors: Titanium alloys in surgical implants, Philadelphia, 1983, American Society for Testing and Materials, pp 7-15. 6. Bothe RT, Beaton LE, Davenport HA: Reaction of bone to multiple metallic implants, Surg, Gynecology, and Obstetrics 71:598-602, 1940. 7. Gottlieb S, Leventhal GS: Titanium, a metal for surgery, J Bone Joint Surg 33(A):473-474, 1951. 8. Clarke EGC, Hickman J: An investigation into the correlation between the electrical potential of metals and their behavior in biological fluids, J Bone Joint Surg 35(B):467-473, 1953. 9. Brunski JB: Biomaterials and biomechanics in dental implant design, Int J Oral Maxillofac Implants 3(2):85-97, 1988. 10. Williams DF: Titanium as a metal for implantation. Part 1: Physical properties, J Med Engineer Tech 7:196-198, 202, 1977. 11. Clarke AE: Principles of tissue implant material interactions. In Caswell CW, Clark AE Jr, editors: Dental implant prosthodontics, Philadelphia, 1991, JB Lippincott Co, pp 317-322. 12. Brånemark P-I, Hansson BO, Adell R, et al: Osseointegrated implants in the treatment of the edentulous jaw. Experience from a 10-year period, Scand J Plast Reconstr Surg 111(Suppl 16):1-132, 1977. 13. Strock AE: Experimental work on a method for the replacement of missing teeth by direct implantation of a metal support into the alveolus. Preliminary report, Am J Orthodont Oral Surg 25(5):467-472, 1939. 14. Linkow LI: The Blade Vent: A new dimension in endosseous implantology, Dental Concepts 11:3-18, 1968. 15. Roberts RA: Types, uses, and evaluation of the Plate-form implant, J Oral Implantol 22(2):111-118, 1996. 16. Turner HF: The Ramus frame implant, J Oral Implantol 1(1):14-16, 1981. 17. Schou S, Pallesen L, Hjørting-Hansen E, et al: A 41- year history of a mandibular subperiosteal implant, Clin Oral Impl Res 11:171-178, 2000. 18. Bailey JH, Yanase RT, Bodine RL: The mandibular subperiosteal implant denture: A fourteen-year study, J Prosthet Dent 60(3):358-364, 1988. 19. Rosenlicht JL: Immediate implant placement and immediate provisionalization: Steps for integration. Implantology 2003, Mahwah, NJ, 2003, Montage Media Corp, pp 46-52. 20. Rosenlicht JL: Update on primary impression taking: Improved aesthetic results, enhanced accuracy of castings, and shortened treatment time, Int J Dental Symposia 4(1):20-25, 1997. 21. Rosenlicht JL: SmartSteps to immediate implant impressions, Australasian Dent Practice 13(2):70-74, 2002.

22. Cannizzaro G, Leone M: Restoration of partially edentulous patients using dental implants with microtextured surface: a prospective comparison of delayed and immediate full occlusal loading, Int J Oral Maxillofac Implants 18(4):512-522, 2003. 23. Siddiqui AA, Ismail JYH, Kukunas S: Immediate loading of dental implants in the edentulous mandible: a preliminary case report from an international prospective multicenter study, Compend Contin Educ Dent 22(10):867-882, 2001. 24. Schiroli G: Immediate tooth extraction, placement of a Tapered ScrewVent implant, and provisionalization in the esthetic zone: a case report, Implant Dent 12(2):123-131, 2003. 25. Misch CE, Wang HL, Misch CM, et al: Rationale for the application of immediate load in implant dentistry: part 1, Implant Dent 13:207-217, 2004. 26. Wang HL, Ormianer Z, Palti A, et al: Consensus conference on immediate loading: the single tooth and partial edentulous areas, Implant Dent 15:324-333, 2006. 27. Gapski R, Wang HL, Mascarenhas P, et al: Critical review of immediate implant loading, Clin Oral Implants Res 14:515-527, 2003. 28. Romanos GE: Present status of immediate loading of oral implants, J Oral Implantol 30:189-197, 2004. 29. Degidi M, Piatelli A: 7-year follow-up of 93 immediately loaded titanium dental implants, J Oral Implantol 31:25-31, 2005. 30. Chiapasco M: Early and immediate restoration and loading of implants in completely edentulous patients, Int J Oral Maxillofac Implants 19(Suppl):76-91, 2004. 31. Brunski JB: Avoid pitfalls of overloading and micromotion of intraosseous implants, Dent Implantol Update 4:77-81, 1993. 32. Dragoo CJ, Lazzara RJ: Immediate occlusal loading of Osseotite implants in mandibular edentulous patients: A prospective observational report with 18-month data, J Prosthodont 15:187-194, 2006. 33. Ottoni JM, Oliveira ZF, Mansini R, et al: Correlation between placement torque and survival of single tooth implants, Int J Oral Maxillofac Implants 20:769-776, 2005. 34. Neugebauer J, Traini T, Thamus U, et al: Peri-implant bone organization under immediate loading state. Circularly polarized light analyses: a minipig study, J Periodontol 77:152-160, 2006. 35. Lekholm U, Zarb GA: Patient selection and preparation. In Branemark P-I, Zarb GA, Albrektsson T, editors: Tissue-integrated prosthesis: osseointegration in clinical dentistry, Chicago, 1985, Quintessence, pp 199-209. 36. Jaffin RA, Berman CL: The excessive loss of Branemark fixtures in type IV bone: a 5-year analysis, J Periodontol 62:2-4, 1991. 37. Lefkove MD, Beals RP: Immediate loading of cylinder implants with overdentures in the mandibular symphysis: the titanium plasma-sprayed screw technique, J Oral Implantol 16:265-271, 1990. 38. Randow K, Ericsson I, Nilner K, et al: Immediate functional loading of Branemark dental implants. An 18-month clinical follow-up study, Clin Oral Implants Res 10:8-15, 1999. 39. Schnitman PA, Wohrle PA, Rubenstein JE, et al: Ten-year results for Branemark implants immediately loaded with fixed prostheses at implant placement, Int J Oral Maxillofac Implants 12:495-503, 1997. 40. Avila G, Galindo P, Rios H, et al: Immediate implant loading: current status from available literature, Implant Dent 16:235-241, 2007.


354 41. Balshi TJ, Wolfinger GJ: Immediate loading of Branemark implants in edentulous mandibles: a preliminary report, Implant Dent 6:83-88, 1997. 42. Colomina LE: Immediate loading of implant-fixed mandibular prostheses: a prospective 18-month follow-up clinical study-preliminary report, Implant Dent 1061:23-29, 2001. 43. Jaffin RA, Kumar A, Berman CL: Immediate loading of dental implants in the completely edentulous maxilla: a clinical report, Int J Oral Maxillofac Implants 19:721-730, 2004. 44. Glauser R, Lundgren AK, Gottlow J, et al: Immediate occlusal loading of Branemark TiUnite implants placed predominantly in soft bone: 1-year results of a prospective clinical study, Clin Implant Dent Relat Res 5:4756, 2003. 45. Testori T, Del Fabbro M, Feldman S, et al: A multicenter prospective evaluation of 2-month loaded Osseotite implants placed in the posterior jaws: 3-year follow-up results, Clin Oral Implant Res 13:154-161, 2002. 46. Degidi M, Piatelli A: Immediate functional and non-functional loading of dental implants: a 2- to 60- month follow-up study of 646 titanium implants, J Periodontol 74:225-241, 2003. 47. Calandriello R, Tomatis M, Rangert B: Immediate functional loading of Branemark system implants with enhanced initial stability: a prospective 1- to 2-year clinical and radiographic study, Clin Implant Dent Relat Res 5(Suppl):10-21, 2003. 48. Cannizzaro G, Leone M: Restoration of partially edentulous patients using dental implants with a microtextured surface: a prospective comparison of delayed and immediate full occlusal loading, Int J Oral Maxillofac Implants 18:512-522, 2003. 49. Kirkrterp P, Andersen J, Urde G: Replacement of extracted anterior teeth by immediately loaded Replace Select HA- coated implants: a one year follow-up of 35 patients, Applied Osseointegration Research 3:40-43, 2002. 50. Calandriello R, Tomatis M, Vallone R, et al: Immediate occlusal loading of single lower molars using Branemark System Wide-Platform TiUnite implants: an interim report of a prospective open-ended clinical multicenter study, Clin Implant Dent Relat Res 5:74-80, 2003. 51. Cornelini R, Cangini F, Covani U, et al: Immediate restoration of single tooth implants in mandibular molar sites: a 12-month preliminary report, Int J Oral Maxillofac Implants 19:855-860, 2004. 52. Rocci A, Martignoni M, Gottlow J: Immediate loading in the maxilla using flapless surgery, implants placed in predetermined positions, and prefabricated provisional restorations: a retrospective 3-year clinical study, Clin Implant Dent Relat Res 5:29-36, 2003. 53. Glauser R, Ree A, Lundgren A, et al: Immediate occlusal loading of Branemark implants applied in various jawbone regions: a prospective, 1-year clinical study, Clin Implant Dent Relat Res 3:204-213, 2001. 54. Ericsson I, Nilson H, Nilner K: Immediate functional loading of Branemark single-tooth implants. A 5-year clinical follow-up, Applied Osseointegration Research 2:12-17, 2001. 55. Chaushu G, Chaushu S, Tzohar A, et al: Immediate loading of singletooth implants: immediate versus non-immediate implantation: A clinical report, Int J Oral Maxillofac Implants 16:267-272, 2001. 56. Jo HY, Hobo PK, Hobo S: Freestanding and multiunit immediate loading of the expandable implant: an up-to-40 month prospective survival study, J Prosthet Dent 85:148-155, 2001. 57. Andersen E, Haanaes HR, Knutsen BM: Immediate loading of singletooth ITI implants in the anterior maxilla: a prospective 5-year pilot study, Clin Oral Implants Res 13:281-287, 2002. 58. Tarnow DP, Emitiaz S, Classi A: Immediate loading of threaded implants at stage 1 surgery in edentulous arches: ten consecutive case reports with 1- to 5-year data, Int J Oral Maxillofac Implants 12:319-324, 1997. 59. Horiuchi K, Uchida H, Yamamoto K, et al: Immediate loading of Branemark system implants following placement in edentulous patients: a clinical report, Int J Oral Maxillofac Implants 15:824-830, 2000.

Capítulo 21

Carga Imediata em Implantes Dentários

60. De Bruyn H, Kisch J, Collaert B, et al: Fixed mandibular restorations on three early-loaded regular platform Branemark implants, Clin Implant Dent Relat Res 3:176-184, 2001. 61. Olsson M, Urde G, Andersen J, et al: Early loading of maxillary fixed cross-arch dental prostheses supported by six or eight oxidized titanium implants: results after 1 year of loading, case series, Clin Implant Dent Relat Res 5:37-46, 2003. 62. Fischer K, Stenberg T: Early loading of ITI implants supporting a maxillary full-arch prosthesis: 1-year data of a prospective, randomized study, Int J Oral Maxillofac Implants 19:374-381, 2004. 63. Jokstad A, Braeffer U, Brunski JB, et al: Quality of dental implants, Int Dent J 53:409-443, 2003. 64. Assad A, Hassan S, Shawky Y, et al: Clinical and radiographic evaluation of implant-retained mandibular overdentures with immediate loading, Implant Dent 16:212-218, 2007. 65. Spiekermann H, Jansen VK, Richter EJ: A 10-year follow-up study of IMZ and TPS implants in the edentulous mandible using bar retained overdentures, Int J Oral Maxillofac Implants 10:231-243, 1995. 66. Bernard JP, Belser UC, Martinet JP, et al: Osseointegration of Branemark fixtures using a single-step operating technique. A preliminary prospective one-year study in the edentulous mandible, Clin Oral Implants Res 6:122-129, 1995. 67. Chiapasco M, Gatti C, Rossi E, et al: Implant retained mandibular overdentures with immediate loading. A retrospective multicenter study on 226 consecutive cases, Clin Oral Implants Res 8:48-57, 1997. 68. Vassos DM: Single-stage surgery for implant placement: a retrospective study, J Oral Implantol 23:181-185, 1997. 69. Cooper LF, Scurria MS, Lang LA, et al: Treatment of edentulism using Astra Tech implants and ball abutments to retain mandibular overdentures, Int J Oral Maxillofac Implants 14:646-653, 1999. 70. Packer ME, Watson RM, Bryant CJ: A comparison of the early postoperative care required by patients treated with single and two-stage surgical techniques for the provision of Branemark implant-supported mandibular overdentures, Eur J Prosthodont Restor Dent 8:17-21, 2000. 71. Babbush CA, Kent JN, Misiek DJ: Titanium plasma sprayed (TPS) screw implants for the reconstruction of the edentulous mandible, J Oral Maxillofac Surg 44:274-282, 1986. 72. Roynesdal AK, Amundrud B, Haanaes HR: A comparative clinical investigation of 2 early loaded ITI dental implants supporting an overdenture in the mandible, Int J Oral Maxillofac Implants 16:246-251, 2001. 73. Chiapasco M, Abati S, Romeo E, et al: Implant-retained mandibular overdentures with Branemark system MKII implants: a prospective comparative study between delayed and immediate loading, Int J Oral Maxillofac Implants 16:537-546, 2001. 74. Romeo E, Chiapasco M, Lazza A, et al: Implant-retained mandibular overdentures with ITI implants, Clin Oral Implants Res 13:495-501, 2002. 75. Kupeyan HK, Shaffner M, Armstrong J: Definitive CAD/CAM-guided prosthesis for immediate loading of bone-grafted maxilla: a case report, Clin Implant Dent Relat Res 8:161-167, 2006. 76. Chiapasco M, Gatti C: Immediate loading of dental implants placed in revascularized fibula free flaps: a clinical report on 2 consecutive patients, Int J oral Maxillofac Implants 19:906-912, 2004. 77. Fugazzotto PA: Guided bone regeneration at immediate implant insertion and loading: a case report, Implant Dent 13:223-227, 2004. 78. Romanos GE: Treatment of advanced periodontal destruction with immediately loaded implants and simultaneous bone augmentation: a case report, J Periodontol 74:255-261, 2003. 79. McCarthy C, Patel RR, Wragg PF, et al: Sinus augmentation bone grafts for the provision of dental implants: report of clinical outcome, Int J Oral Maxillofac Implants 18:377-382, 2003.

Pe19cap21  

SIFNOAISFN.,ASOIFNASOFI

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you