Issuu on Google+


Airhead - Volume 3 Runaway (Fugitiva)

De Meg Cabot Créditos de Tradução: Comunidade “Traduções de Meg Cabot” (http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=23073194)

Obrigado às tradutoras: Barbara Cristina, Jessica, Thay Célia, Bibi, Sabryna, Nathana, Bi, Giovanna, Isabela.

-x-

Sinopse: Emerson Watts está fugindo: da escola, do trabalho, de sua família, de seus amigos, dela mesma. Com todos que ela ama furiosos com ela por alguma coisa que não consegue explicar, e com nada mais do que o fashion show ao vivo na Stark Angel no Ano Novo para ver em sua frente, Em chegou ao fim de sua corda… qual é o sentido em continuar? Mas quando ela descobre a verdade sobre o segredo de Nikki, ela percebe que só há uma pessoa para a qual ela pode recorrer. Christopher vai ser capaz de colocar de lado seus sentimentos pessoais e ajudá-la a expor o seu chefe para o mundo? Será que é mesmo justo envolver Christopher - porque, se ele concordar, não há qualquer dúvida de que a Stark Enterprises vai tentar ver os dois mortos - desta vez, permanentemente? Talvez fosse melhor para Em apenas continuar fugindo…


Um Então de acordo com os tablóides, eu estou em uma fuga com meu namorado-secreto - (não tão secreto agora; Obrigada Us Weekly) Brandon Stark, o filho único e herdeiro do bilionário Robert Stark, atualmente a quarta pessoa mais rica do mundo, depois de Bill Gates, Warren Buffett e Ingvar Kamprad (aquele que fundou a IKEA- maior empresa do mundo no setor de fabricação e venda de móveis, só para o caso de você não saber). Havia paparazis vigiando a mansão à beira-mar de Brandon onde estávamos escondidos. Eles estavam se esgueirando nas dunas ao longo da praia, deitados entre o mato ao redor da estrada, apontando as lentes da câmera através de tufos de grama, na esperança de conseguir uma foto minha numa espreguiçadeira em frente à piscina fazendo um topless (como se fosse acontecer). Eu mesma vi um em cima de uma árvore tentando tirar uma foto minha e de Brandon Stark juntos no momento em que saímos de casa para ir comprar uns caranguejos numa barraca local. É uma grande notícia, eu acho, a Garota Propaganda da Stark e o herdeiro da fortuna Stark ficarem juntos durante as férias. Minha colega de quarto, Lulu, disse que ouviu que uma foto de nós juntos pode custar mais de dez mil… enquanto eu estou olhando para a câmera e sorrindo. Até agora, Lulu disse, não houve uma única foto minha olhando para a câmera e sorrindo, em nenhuma revista, site, ou em qualquer lugar. Sei que as pessoas estão se perguntando como isso é possível. Eu sou a garota que tem tudo, certo? O pequeno poodle branco, bocejando delicadamente em meus pés, o grosso e luxuoso cabelo loiro, o corpo perfeito, o namorado lindo com cartão de crédito ilimitado, que parece se importar tanto comigo que vai acabar comprando toda a loja feminina da região com roupas do meu tamanho, só porque eu disse que não poderia ir ao jantar porque não trouxe nada para vestir. Isso aí, o namorado lindo estava andando de um lado para o outro pelo corredor na frente do meu quarto, tão ansioso para eu me juntar a ele, que mal podia esperar para me acompanhar até a mesa de aço-e-vidro moderna, posta suntuosamente. "Como estamos aí?" ele perguntou, batendo na porta pela enésima vez na ultima hora, pelo menos. "Não estou bem," eu grasnei. Olhei para o meu reflexo no espelho


pendurado sobre a penteadeira na minha frente. "eu acho que estou com febre." "Sério?" Brandon soava doce e preocupado. O melhor namorado que uma garota podia querer. "Talvez eu deva chamar um médico." "Oh," eu disse através da porta. "Eu não acho que isso seja necessário. Acho que só preciso de líquido. E repouso. Provavelmente seria melhor se eu ficasse no meu quarto hoje à noite." Eu sabia que ninguém podia me ver (só se fosse com uma câmera de alta potência, e iria pensar: O que há de errado com essa garota?). Afinal de contas, eu estava me fazendo de doente para não ir jantar com o filho gostoso de um dos caras mais ricos da América, enquanto iria permanecer na mansão inspirada em Frank Lloyd Wright. Ela veio completa, com uma enorme piscina aquecida ao ar livre (com as bordas desaparecendo, de modo que a água caía no horizonte) Junto à parede havia um aquário grande o suficiente para conter a arraia e o tubarão de estimação de Brandon (É, quem diria que Brandon Stark tem um tubarão de estimação, né?). Um home theater construído para comportar vinte pessoas e uma garagem para quatro carros que abrigava a coleção de carros europeus do Brandon, com um Lamborghini Murciélago amarelo novíssimo em folha que foi um presente de natal do papai, algo pelo qual Brandon estava imensamente orgulhoso. Qualquer garota teria trocado de lugar comigo em um segundo. Mas nenhuma outra garota tinha os meus problemas. Bem… talvez uma outra garota. "Não pense que isso significa que eu gosto de você," Nikki me informou, irrompendo pelo meu quarto pela porta da suíte, usando um vestidão colorido, uma jaqueta de couro, tipo aquelas de motociclista, franjas cunhas e um colar enorme, que aparentava ser uma jóia que mais parecia que um garoto bêbado da fraternidade tivesse vomitado em seu peito. "Não se preocupe" eu disse. Nikki tinha falado que ela não gosta de mim e que ela não quer gastar minutos em vigília comigo a menos que fosse absolutamente necessário. "É justo que seu espelho seja maior que o meu" ela disse, trotando pelo meu quarto para verificar seu reflexo no meu espelho. "E eu quero ver como eu estou" "Você parece bem" eu disse.


Eu estava deitada. Nikki sorriu para o elogio que eu fiz a ela, pelo menos. Isso foi um alivio, foi a primeira vez que ela sorriu para mim (ou pelo menos na minha direção) desde que pegamos um avião particular para esse resort tropical há alguns dias atrás. E quem poderia culpá-la, realmente? Não era justo, isso era chato para ela. Sendo trancada neste palácio. Ela não podia ir à cidade, ou um dos paparazzi poderiam tirar uma foto dela. E mesmo que eles não tivessem a menor ideia de quem ela era, se ela aparecesse em alguma revista, ou em qualquer lugar. Alguém que conheceu o corpo dela na "vida anterior" poderia reconhecê-la, e iria se perguntar, porque diabos uma garota que deveria estar morta estava fazendo andando por ai VIVA e usando colares feios. Porque, como eu, Nikki também era um membro dos "MortosVivos". Mas, ao contrario de mim, o corpo de Nikki era para estar morto e enterrado. "Você acha?" Nikki se olhou de corpo de inteiro através do banco da janela que vai do chão até o teto, encarando as ondulações do atlântico (negro e ameaçador durante a noite) há apenas algumas dezenas de metros de distância. Então ela distraidamente colocou uma mecha do seu cabelo ruivo atrás da orelha e fez uma careta. "Ugh!" ela disse. "qual é o ponto? Porque eu ainda tento?" "Do que você esta falando?" eu perguntei "Você esta incrível." Ok, eu estava exagerando. Mas só um pouco. Na verdade se ela tivesse usado uma maquiagem certa para o tom da nova pele dela, parasse de alisar tanto o cabelo, já que o corpo não funcionava com isso, e colocar algumas roupas que não aquelas que Brandon trouxe da loja que ele invadiu em meu nome - ela não pareceu perceber que as roupas eram muito grandes e apertadas - ela teria ficado fofa. Mas de jeito nenhum eu iria falar algo para ela que não fosse cem por cento positivo. Eu queria Nikki do meu lado mais do que o Brandon queria. “Mas você acha que o Brandon vai gostar de mim assim?” Nikki perguntou ansiosamente. Agora nós estávamos chegando à raiz do problema: a razão pela qual eu estava fingindo estar doente… para que ela conseguisse um tempo sozinha com o Brandon, sem eu estando lá para roubar o


holofote dela. “Claro que ele vai,” eu menti. É melhor ele gostar. Eu sabia o quão desesperadamente ela desejava a atenção do Brandon. Não que eu a culpava. Sério, quem não se apaixonaria por Brandon Stark? Ele tinha tudo o que a maioria das garotas poderiam pedir em um cara: uma estonteante beleza, uma coleção de carros esportivos invejável, uma casa em Greenwich Village e uma casa de praia nos trópicos, sem mencionar acesso a um jato particular para ir de uma para a outra. Brandon realmente seria para alguma garota um ótimo namorado. Exceto pela parte dele sendo uma cobra desonesta de duas caras, é claro. Eu olhei fixamente para a parte de trás da cabeça da Nikki enquanto ela se virava novamente em direção ao espelho. Eu não pude evitar levantar minha mão para sentir o lugar em meu próprio couro cabeludo onde, mais do que três meses atrás, cirurgiões do Instituto Stark de Neurologia e Neurocirurgia tinham aberto minha cabeça, tirado o cérebro da Nikki, e inserido o meu. Soava como algo tirado de um filme brega feito para TV, que seria fantástico se enrolar na frente da TV e ver em uma tarde chuvosa de domingo com uma grande tigela de pipoca. Exceto pelo fato que estava acontecendo na vida real. Na minha vida real! E o pouco que sei, é que no momento exato em que meu cérebro estava sendo inserido no corpo de Nikki, um dos cirurgiões "roubou" o cérebro de Nikki e enfiou dentro do corpo dessa garota em pé na minha frente. Nikki (seu cérebro, de qualquer forma) deveria estar morta. E o segredo que ela carregava supostamente deveria ter morrido junto com ela. Infelizmente para o Sr. Stark (Felizmente para Nikki), Nikki ainda estava muito viva. Tanto o cérebro como seu corpo, só que em lugares diferentes. E o segredo que ela sabe? Bem, ainda é um segredo. E o Brandon não tem feito um trabalho muito bom em falar docemente com ela, até porque ele anda muito distraído ultimamente tentando falar docemente comigo. E Deus sabe o quanto Nikki odiou ele não pronunciar uma palavra mal civilizada para mim, não importa o quanto eu tentei fazer ela se abrir para mim.


Gostaria de saber se isso é pela cicatriz que ainda dói ou pelo meu jeito. "Eu tenho certeza que você esta certa," Nikki disse puxando o ar pelo nariz e saindo do quarto. "Brando ama a cor azul." Ele gosta? Essa era nova para mim. Mas eu fui descobrindo que muita coisa sobre o ex-namorado de Nikki Howard era novidade para mim. Sua cor favorita era o de menos, na realidade. Ou o fato que ele tem um covil-praia secreto, onde esconde as garotas que seqüestra contra a sua vontade, do jeito que me tem aqui, ou tem a intenção de me seduzir e depois fazer chantagem, do jeito que faz com a Nikki… … só que nesse caso, a informação seria para usar contra seu pai que Brandon queria, assim poderia assumir ele mesmo a sua empresa? Wooow, super! Yeah! Se ele conseguir, também vai gostar de se vestir de moranguinho jogando críquete com sua coleção de pôneis em miniaturas. Eu realmente não iria me surpreender mais! "Em?" Brandon bateu na minha porta novamente. "O que?" eu disse mais acentuadamente do que queria. Bem, eu estava com dor de cabeça e realmente não estava fingindo. "Eu acho que encontrei a cura para o que você tem," disse Brandon através da porta. Olhei para cima, surpresa com o que ele disse, porque não há cura para o que eu tenho, porque o que eu tenho é 100% falso! "Sério?" Eu disse, "E qual é?" "É chamado de é melhor você sair dai," disse Brandon em um tom de voz diferente, "ou vai se arrepender." Oh. Certo. Esqueci. Os tablóides estão errados. Eu não estou fugindo com meu namorado secreto. Eu posso não estar exatamente atrás da grades. Eu não estou algemada, e não tem homens de terno preto em volta de mim falando em seus mini-microfones nas mangas. Mas eu sou prisioneira de Brandon Stark, de qualquer forma


Dois Abri a porta e ali vi um vestido longo, preto e de veludo que Brandon me entregou para usar nas Festividades da noite - Um jantar chique sendo preparado pelo Chefe Cordon Bleu que Brandon tinha roubado de um hotel 5 estrelas das proximidades, para trabalhar para ele esta semana. Uma coisa sobre Brandon Stark: Ele não brinca quando esta tentando impressionar uma garota. A pergunta era: Por que ele não pode impressionar a garota certa? Porque o certo seria ele estar tentando impressionar a Nikki e não eu! Não que ele tenha que tentar muito com ela. Se ele gastasse com ela metade da energia que ele gasta tentando comigo, ele a teria comendo na palma de sua mão. Porque ele não podia entender isso? Provavelmente pela mesma razão que ele pensa que é legal sair com camisetas Ed Hardy de estrelas do reality show no iate do seu pai: ele é meio estúpido. E, no entanto, ao mesmo tempo, ele é totalmente do mau. Acontece que os dois combinam mortalmente. Bem, pelo menos para mim. Brandon não disse nada por um minuto. Ele olhou para mim, com aquele olhar em branco que usuários do Mac usam quando um aplicativo não esta respondendo. O que era bom. Significava Plano B (que eu usaria no caso se o plano A, fingir de doente, não funcionasse). Eu posso parecer “a loira indefesa” por fora, mas na verdade eu tenho algumas cartas na manga. Um deles era o Armani que eu estava vestindo. Eu notei ele no momento em que entrei na loja que Brandon decidiu invadir em meu nome. E percebi que este vestido, em particular, seria meu aliado. Talvez eu não soubesse nada sobre moda há alguns meses, quando eu tinha sido a garota mais mal-vestida do ensino médio no TAHS (Tribeca Alternative High School). Mas eu sempre fui uma aluna rápida! "Brandon", eu disse a ele. O corredor - que era de vidro de um lado para que você pudesse ver o mar e as dunas (quando lá fora não estava tão escuro) - estava vazio, exceto por nós dois (e os


paparazzis, claro. Mas estou bastante certo que o guardas de segurança privada que Brandon tinha contratado, que estavam patrulhando fora da casa, tinha tirado todos os fotógrafos). Fechei a porta do quarto atrás de mim, portanto não havia chance Nikki ouvir o que eu estava prestes a lhe dizer. Achei que foi, provavelmente, inútil. Eu tentei raciocinar com ele antes. Mas nunca com Armani. "Isso é ridículo", eu disse. "Você deveria estar tentando seduzir Nikki, não a mim. Ela é a única que sabe do segredo do seu pai tentou assassiná-la. O qual você quer roubar pra poder chutar ele da empresa e ficar com tudo?" Brandon só olhou para mim. Ele não é mais inteligente, em alguns aspectos, do que Jason Klein, o rei dos mortos-vivos (também conhecido como jóqueis) da minha escola. Apenas mais rico, e com menos moral. “O que é ótimo, mas eu tenho que voltar para a cidade." Eu disse a ele. Eu estava tentando falar devagar e claramente, para que ele não se esquecesse de me entender." Eu tenho o desfile Stark Angel, em poucos dias. Você sabe que eu não posso perder isso. Esta fuga romântica durante as férias com Brandon Stark? A imprensa está devorando-a." Embora a verdade é que eu não podia imaginar a minha mãe estava feliz com isso. Não é que eu tinha falado com ela. Eu estava deixando a chama ir ao correio de voz. Eu sabia que se eu falasse com ela, a dor que eu ouço em sua voz - Realmente, E. Speding a semana com um menino? Qual é o problema com você? - Seria como uma punhalada no peito. Mas o pior era que ninguém além dela - e, claro, Lulu e minha agente, Rebecca, que tinha me chamado aproximadamente um zilhão de vezes - me deixou uma mensagem. Ninguém mais, ou seja, a única pessoa cujo sentimentos eu tenha ferido quando fugi com Brandon Stark. Que seria: Christopher Maloney, o amor da minha vida, não tinha ligado. Eu não sei por que eu pensei que ele faria, depois do que eu tinha feito para ele – de mentir dizendo-lhe que não o ama mais … que ao invés disso, eu amo Brandon. Não é como se eu merecesse uma ligação. Ou um e-mail ou uma mensagem de texto, ou qualquer coisa dele.


Eu acho que eu pensei que ele ia entrar em algum tipo de contato … mesmo que fosse somente para enviar-me uma carta de recriminações amargas ou algo assim. Claro, eu não teria gostado de ler algo do tipo Cara Em: Obrigado por arruinar a minha vida. Quero dizer, Christopher não sabia que Brandon me forçou a fazer isso. Mas mesmo um Cara Em teria sido melhor do que esse silêncio… Mas não. Nada. É melhor não pensar nisso agora. Ou nunca. "Mas eventualmente,” eu me forcei a ir para Brandon," as pessoas vão começar a ficar desconfiadas. Eles sabem, Brandon, que você e eu não … bem, o que você está tentando fazê-los pensar que somos. " Eu estava mentindo, é claro. As pessoas não tinha idéia de que eu não estava apaixonada por Brandon, e que essa coisa toda era uma farsa. Eles não sabiam. Não fui eu que, basicamente, fiquei com cada cara bonito que chegava perto de mim desde que meu cérebrofoi colocado neste corpo quente? Como alguém iria saber qual dos caras eu realmente gostava? Certo: eu tinha feito uma grande bagunça. Eu precisava tirar-lo. Que era o que eu estava realmente tentando fazer no momento. Embora possa não ter parecido com isso. "Eu tenho que voltar para a cidade", disse a Brandon novamente, ganhando tempo. "Deixe-me -" Brandon colocar um dedo sobre meus lábios. E deixou lá. "Shhh", disse ele. Oh-oh. Sua repartição foi terminada, aparentemente. Suas pupilas pararam de olhar como esferas de praia de giro gêmeas da morte. Ele deu um passo em frente. Agora ele estava a apenas alguns centímetros de mim, olhando para mim com uma expressão que eu não conseguia ler. Como um muitas vezes ele recentemente fez, ele me assustou. "Tudo vai dar certo ", disse ele em que eu suponho que ele pensou que era uma voz suave. Só que eu estava tão aliviada como um filhote de cachorro dálmata na casa Cruella de Vil. “Eu sei o que estou fazendo", continuou ele. "Uh”, eu disse por trás de seu dedo. "Realmente, eu não acho que você faz. Porque Nikki não vai dizer nada se você não começar a prestar menos atenção a mim e mais atenção a -" Então ele tirou o dedo e começou a se inclinar a cabeça para


colocar os lábios em que, um segundo antes, o dedo estava. Ugh, não. a sério? Novamente? Tive arrepios, e não porque eu estava com um vestido sem mangas. Mas, eu não podia culpar Brandon. Eu estava dando-lhe meias mensagens por meses. Estava claramente dando em cima dele, basicamente. Esse é o tipo de garota que eu tinha transformado desde que me tornei Nikki. Não foi bonito de admitir, mas era a verdade. Mas as coisas eram diferentes agora. Eu finalmente tive a minha cabeça - trocadilho – limpa. No entanto, eu sabia o que tinha que fazer. O que eu estava tendo que fazer toda a semana. É o que os modelos têm que fazer o tempo todo: fingir que estamos realmente confortáveis em que estamos usando, ou apreciar o que estamos comendo, ou não estão completamente congeladas lá no oceano com as ondas, batendo em nós. Não é a coisa mais difícil do mundo. Eu realmente estou muito boa nisso. E, neste caso em particular, eu era realmente boa. Porque os prisioneiros são tratados melhor quando eles se dão bem com os seus carcereiros. E há mais chance de seu carcereiro abaixar sua guarda, se ele acha que o prisioneiro realmente gostar dele um pouco. O que permitiria o prisioneiro escapar. O problema é que eu não posso escapar até conseguir o que eu preciso. Que acontece de ser a mesma coisa Brandon precisa: o pedaço de informação que me meteu nessa encrenca em primeiro lugar. O que significa que não importa o quão ruim Nikki é para mim, eu tenho que aturar-la até que ela fale tudo que sabe. Então, não importa o quanto Brandon me deixa doente, eu tenho que aturá-lo. Ninguém disse que era fácil ser um prisioneiro. Portanto fiz o que tinha de fazer: deixei Brandon me beijar. Felizmente, quando os lábios de Brandon estavam cada vez mais e mais perto dos meus, ouvi a porta se abrindo. Este não era o plano C. Mas foi o bastante. Apressadamente joguei minha cabeça para trás, aliviada por ter uma desculpa, desde que até Brandon teria de admitir que ele não pode se dar o luxo de Nikki ver ele ficar comigo.


Os passos – os estudo, não são aqueles que eu esperava– soam no chão de mármore polido e levanto-me para ver o irmão mais velho de Nikki, Steven, que vem em nossa direção. “Hey,” ele disse, acenando para nós dois de uma vez. “Olá,” Brandon disse, a sua resposta é quase cômica devido sua falta do entusiasmo. A sua atitude para com Steven nesta semana passada tem sido sem entusiasmo na melhor das hipóteses. Enquanto ele fingi ser legal a cada vez que Nikki esta pisa na sala, ele não tem nenhuma pretensão ser assim com seu irmão. "Então," Steven disse, enquanto andou lentamente por nós. "O que foi?" "O jantar está sendo servido lá embaixo na sala de jantar", Brandon disse friamente. Seu tom de voz claramente sugeriu, então por que você não chegar lá e nos deixe em paz? "Sim?" Steven não parecia que estava em qualquer tipo de pressa. E por que estaria? Steven, como sua irmã, não pode deixar a casa por medo , ele também poderia ser fotografado e seguido porbaixo por Robert Stark, que não pode saber onde Steven e sua mãe esta … ou pode tentar eliminá-los , da mesma forma como ele tentou fazer a Nikki. “E com que prazer culinário você vai nos atordoar esta noite, Brandon?” Steven perguntou. A parte engraçada foi Brandon era burro demais para dizer que Steven estava totalmente sendo sarcástico. Eu tive que esconder o sorriso. Steven não se importava com o que foi para o jantar. Ele odiava Brandon tanto quanto eu. Ele nunca disse isso… mas eu poderia perfeitamente dizer. “Sopa de caranguejo" Brandon disse, "e uma espécie de salada de caranguejo – peekytoe (um tipo de caranguejo), eu acho - junto com um foie gras (fígado de ganso – comida francesa) ou algo assim." À medida que Brandon estava falando, Steven começou a caminhar para a escada para o primeiro andar. Porque ele geralmente deixava a sala, enquanto Brandon estava falando. Isso era o quanto ele odiava Brandon. Em minha mente, eu estava gritando, Não vá, Steven! Não me deixe sozinha com ele! Mas é claro que eu não podia dizer nada disso. Eu tinha que ser educada. Sobre a superfície. "E então," Brandon continuou, em tom aborrecido, “Filé mignon. Há também um suflê de chocolate para a sobremesa."


“Soa bem,” Steven disse, sobre seu ombro. Ele estava vestindo as roupas que Brandon tinha comprado para ele, um par de jeans preto e uma camisa de caxemira escura, com mangas até os cotovelos. Todos nós - com a exceção de Nikki, que tinha tido tempo para jogar algumas coisas em alguns sacos antes de deixarmos a casa do Dr. Fong - tinha chegado a casa de Brandon com nada, só com as roupas do corpo (e os nossos cães… aqueles de nós que possuem cães), tentando escapar de Robert Stark. Brandon tinha sido muito generoso com Steven e sua mãe em dar coisas que eles possam necessitar, uma vez que não poderia usar seus cartões de crédito, com medo Stark Enterprises pode ser capaz de encontrá-los. Mas eu podia sentir que Steven parecia aborrecido por ter uma dívida com o filho de um homem que teria causado a sua família tanto sofrimento. Ele nunca disse nada que foi completamente rude para Brandon. Mas ele fez coisas que Brandon poderia ter achado rude. Como sair da sala, enquanto Brandon ainda estava falando. "Filé mignon novamente. Ótimo", Steven falou sobre os ombros enquanto descia as escadas. "Oh, hey, Brandon", acrescentou casualmente. "Você sabe que seu Lamborghini está pegando fogo, né?" A mão do Brandon foi ao corrimão de aço suspenso e congelou. "O que"? "Seu novo Lamborghini," steven disse. "Eu notei agora quando eu olhei para fora através da garagem. Está em chamas.” Sim. Finalmente. Plano C em ação. Brandon deu uma olhada para fora pelas janelas que davam pra frente da casa, parecendo um pouco desdenhoso, como, Sim, correto. Meu carro está pegando fogo. Um segundo mais tarde o seu comportamento mudou inteiramente. Ele soltou um palavrão que chamuscou meus ouvidos. "Meu carro," ele chorou. "Ele está pegando fogo!" "Isso foi o que eu disse". Steven sacudiu a sua cabeça, olhando pra mim do fundo da escada, como quem diz, a um perdedor. "Não é que o que eu acabo de dizer"? Brandon solta outro palavrão e, agarrando o seu cabelo com ambas as mãos, passou por mim, quase me empurrando escada a abaixo na sua pressa de virar-se, e então esbarrou em Steven. "Chame o 9-1-1!” ele gritou.


Três Nikki escolheu esse momento exato para sair de seu quarto. “O que a de errado com Brandon?” pediu enquanto andando da sala em direção a mim. “Seu carro está pegando fogo,” Steven disse com indiferença. “Que?” a voz de Nikki levantou-se a um grito estridente. “Não o Lamborghini novo!” Eu tive que me espremer na parede para não ser derrubada como aconteceu antes com Brandon, os seus saltos faziam um barulho enorme no assoalho de mármore brilhante. “Brandon,” gritou, correndo atrás dele. “Espera! Eu estou indo!” Eu tentei lembrá-la a não ir lá pra fora por que os paparazzi poderiam tirar uma foto dela, mas já era tarde demais. Ela já tinha ido. Cosabella, que me tinha seguido de meu quarto, apressou-se a descer as escadas com Nikki, suas garras escorregavam no assoalho liso. Ela deu a alguns passos entusiasmados e então, quando Nikki bateu a porta da rua em sua cara, se sacudiu e veio trotando de novo pra sala de estar, parecendo orgulhosa de si mesma pelo trabalho bem-feito. “Então.” Steven dobrou seus braços e olhou fixamente pra mim enquanto eu descia a escadaria longa. Era um pouco traiçoeiro a andar em saltos altos e um vestido de noite justo da Armani, eu achei. “Você pões fogo no carro do cara?” Isso me fez congelar. "Eu?" Eu organizei o meu rosto numa expressão adequadamente chocada. "O que faz você pensar que era eu, e não um dos paparazzis, tentando atraí-lo para fora para que eles pudessem tirar uma foto dele?” "Porque eu achei o fusível", disse ele, segurando o que costumava ser um colar com uma conta de madeira que Brandon me dera… pelo menos até eu o jogar numa mistura que incluía a água quente, açúcar e outro substância e deixar secar durante a noite. "Você é um mentiroso", eu disse quando cheguei ao fundo das escadas. Eu arranquei o colar chamuscado da sua mão. "Você disse que viu o carro queimar pela janela." "Na verdade", Steven disse, "eu fiz. E eu fui lá para investigar. Isso foi um pouco antes. Achei isso tão interessante, que eu deixei seguir em frente, para ver o que iria acontecer. Onde você de todas as pessoas aprendeu a fazer uma bomba caseira?”


"Youtube", disse. Eu deixei o colar carbonizado no pescoço de uma ânfora grega que estava perto das escadas. "E fico ressentida com a implicação de que uma menina não saberia montar explosivos. Eu vou a uma escola secundária alternativa, você sabe.” "Naturalmente," Steven confirmou. "Como sou estúpido. “Mas deixeme fazer uma pergunta”, ele disse, enquanto me seguiu para a sala de jantar, onde eu tinha ido para me sentar à mesa enorme, que já estava pronta. “Por que você iria querer explodir o carro novo Brandon Stark?" Porque ele está me aprisionando aqui. E Christopher não me ama mais. "Eu não ia explodir", disse. "Eu só fiz um desenho decorativo na capota com o fluido. E há uma abundância de extintores de incêndio lá fora. Eu verifiquei. Se Brandon tiver algum cérebro, ele vai apagar o fogo antes que qualquer dano permanente a qualquer coisa, mas o trabalho de pintura." E eu não tinha cronometrado direito de incêndio. Era pra ter sido antes, ele teve a chance de me beijar. "Você não precisa destruir o carro dele,” Steven disse, juntando-se à mesa. "O cara é uma ferramenta que vai um pouco longe, você não acha?" "Não" eu disse rapido. Cosabella enrolada nos pés embaixo da mesa. "Wow" Steven olhou para mim. "Você realmente odeia ele." Eu imaginei o rosto de Christopher ficando cada vez menor perante a distancia que a Limo de Brandon atingia em seu caminho serpenteando a estrada. Você tem, a voz robotica da caixa postal disse na minha cabeça, mais e mais, nenhuma nova mensagem. Yeah! eu acho que odiava Brandon. "Eu disse" eu disse "eu estava apenas tentando atrapalhar um pouco o trabalho de pintar" Steven sacudiu a cabeça. "Eu não estou me apaixonando por ele, Em." É claro que ele não estava. O irmão de Nikki é um oficial treinado da Marinha. Ele não é um estupido. Mas mesmo assim ampliei meus olhos e fui para o ato inocente de qualquer maneira. Por causa do que Brandon me disse se caso eu não fizesse. "Eu não sei o que dizer." Eu disse. "Convincente" ele disse. " Mas agora ponha tudo pra fora, enquanto


ainda temos cinco minutos a sós pela primeira vez. Você não esta apaixonada pelo Brandon Stark. O que esta realmente acontecendo, Em? Porque você esta fingindo ser apaixonada por ele, e depois tacando fogo em seu carro pelas costas?

Se realmente vale a pena matar Nikki Howard por causa do que ela sabe sobre o Stark - e em seguida dão um cérebro ao corpo dela para a imagem permanecer viva. - Vale a pena saber, e acredite em mim, Em eu quero. Brandon sussurrou para mim naquela manha fria e cinzenta de volta para Nova York há apenas uma semana. Porque eu deveria ajudá-lo? eu exigia saber. porque ele tinha dito: Se você não fizer isso, vou dizer ao meu pai

onde a verdadeira Nikki Howard esta, e também falo sobre o Christopher, o garoto do casaco de couro, que parece ser tão importante pra você. Basta. Você é minha agora. entendeu? Eu olhei para ele como se fosse louco. Mas a real é que Brandon Stark não é louco. Hum, talvez desesperado para deixar sua marca no planeta, assim como seu pai, só que sem nenhuma ideia real de como fazer isso. Mas não é louco.

E se você disser que eu estou te forçando a fazer isso, eu conto sobre a garota. Sera que Brandon? Sera que ele contaria? Ele certamente não se preocupava com Nikki - ou com Steven ou Sra. Howard, claro ele estava dispondo a casa - e roupas - porque eles não tinham para onde ir, graças a companhia de seu pai que estava essencialmente perseguindo-os. Mas ele estava fazendo isso por causa do que achava que conseguiria com isso: Eu (Não só ao verdadeiro eu. A mim, a garota cujo o nome ele nem sabe qual é realmente, que se parecia com Nikki Howard.) Ah, e ele achava que tudo o que envolvia ele e Nikki, iria fazer muito dinheiro. "Em" Steven estava olhando para mim, o rosto - de modo muito parecido com o que eu vi refletido no espelho todas as manhãs enquanto passava maquiagem - apertado, com ansiedade. " Tudo o que ele ameçou a você, eu te juro, posso fazer melhor. Você apenas tem que me dizer o que esta acontecendo." Eu queria acreditar nele. e realmente o fiz. Eu nunca tive um irmão mais velho antes, mas eu estava começando a realmente amar o de Nikki. Ele era tão reconfortante, com ombros largos e olhar firme. Eu quase acreditei que ele faria as coisas ficarem melhores.


Mas é claro que ele não podia, ninguém podia.

E se você disser que eu estou te forçando a fazer isso, eu conto sobre a garota. Exeto que Brandon não iria contar qualquer coisa sobre Nikki. Ele não podia. Ele precisa muito dela. Ela tem a chave de tudo. Mas Christopher? Ele contaria ao seu pai sobre Christopher. "Oh, ai está você," a mãe de Nikki chamou enquanto ela descia a escada flutuante, segurando o corrimão com cuidado para que seus dois poodles, irmãos de Cosabella, desçam as escadas na frente dela. "Está tudo bem? O que toda esta barulhada que eu ouvi?" Salva pelo gongo… por uma bela mulher sulista, Alias: Nikki, sua mãe e Steven tinha todos o sotaque sulista e a beleza suave. Você pode ver onde ambos Nikki e Steven têm seus olhares. Sra. Howard era que meu pai iria chamar de um nocaute. Mas antes que alguém pudesse dizer qualquer outra coisa, o assistente do cozinheiro saiu da cozinha, segurando uma bandeja de prata. "Sopa de caranguejo", disse ele, tentando ignorar os poodles ordinários dançando nos seus pés, esperando que ele deixasse derramar um pouco do que ele estava carregando. Ele parecia mais desconcertado com o fato de que havia apenas três de nós do que pelos cães. "Oh," ele disse. "É Sr. Stark não pronto para o jantar ainda?" “Houve um pouco de emergência”, disse. "Ele estará de volta em poucos minutos. Eu acho que você poderia dizer a chef para ir em frente e servir." O assistente assentiu, ajudando Steven e sua mãe com o primeiro prato, em seguida, recuou para a cozinha, sandálias de borracha interrompendo o silencio no chão de mármore preto . Cosabella e os cães do Sra. Howard, harry e Winston, seguiu depois que o, ainda animadamente esperando que ele talvez caia algo. "Que tipo de emergência"? Sra. Howard perguntou; "Em botou fogo no seu carro" Steven disse. Sra. Howard levantou os seus olhos de sua sopa, ofegou em vez disso. "Em! Por que você fez tal coisa?"


Quatro Atordoada, olhei para o corpo Nikki estava falando. O corpo dela. O corpo que eu tinha acordado a meses antes, em tanta confusão. O corpo que eu tinha de me acostumar a me ver, a andar, a viver nele. O corpo que me causou tanta dor e mágoa e espanto, e que estava tentando me acostumar com isso. O corpo que eu tinha odiado protestou contra, e se recusou a acreditar que agora era meu, e tinha me amaldiçoado. O corpo que eu tinha sido convencida a viver estava arruinando minha vida. E então mais tarde, o corpo em que eu tinha experimentado tantas risadas, tantas lutas com creme batido com Lulu na cozinha. E me pergunto como eu poderia fazer exercícios uma rotina, na verdade era primeira vez na minha vida que estava enfrentando uma esteira, (eu certamente nunca me exercitei no meu velho corpo, especialmente em PE… exceto quando tentava me esquivar de Whitney Robertson no jogo de voleibol pra não ganhar uma bola cravada na minha cabeça). E, finalmente, a alegria, quando eu tinha deitado sobre corpo de Chistopher e senti sua boca se mover sobre os meus lábios, o coração dele batendo contra o meu. E percebi, com um choque, como a água do mar fria. Como eu senti uma vez sobre mim quando cai de um penhasco. Não, eu não tinha abandonado o seu corpo. De jeito nenhum. Talvez eu tenha odiado-a às vezes – Talvez eu possa ter desejado a minha antiga vida para trás. Mas esta é a minha nova vida. A única vida que eu tinha. E eu não estava prestes a desistir dela. "Só sobre o meu cadáver", exclamou a Sra. Howard, basicamente, resumindo os meus sentimentos exatamente. "Bem", disse Nikki, olhando para a mãe. "Bom não é do seu corpo que estamos falando, não é? Então por que você apenas não atrapalha?" "Nikki," Sra. Howard disse. Ela é recuou sua cadeira e levantado da mesa com irritação. "O Dr. Fong e eu gastamos semanas cuidando você depois que você quase morreu depois que ele fez a cirurgia. Seu novo coração não estava agüentando a tensão depois da anestesia. É um milagre que você sobreviveu. E sem dano no cérebro".


"Eu não estou tão certo que ela não sofreu danos no cérebro", comentou Steven, com o sarcasmo que só um irmão pode mostrar. "Cale a boca", Nikki bateu nele. Seu queixo estava sobressaindo novamente, um sinal, eu havia descoberto que ela estava decidida. Para sua mãe, ela disse: "Eu estou disposta a arriscar. Eu quero minha vida antiga de volta. Tudo. E isso inclui o meu corpo velho. Dei-me, ou não haverá acordo." Uau. Eu já tinha visto Nikki com vários humores desde que nós mudamos para o mesmo quarto… …Mas eu nunca tinha visto ela tão inflexível sobre qualquer coisa. "Você está sendo ridícula. Eu não vejo como esta cirurgia pode ser possível," Sra. Howard continuou, lançando um olhar de súplica a Brandon, "considerando o fato de que os únicos médicos que podem fazer isso trabalham para o pai de Brandon na Stark Instituto de Neurologia e Neurocirurgia. Então como vai ser possível fazer sem o pai dele descobrir?" "Dr. Fong pode fazer isso", disse Nikki. "Ele fez isso uma vez para mim. Ele pode fazer novamente." Bem. Isso era verdade. Eu olhei para as mãos elegantes que eu tinha me acostumado a ver nas extremidades dos meus pulsos finos. As mãos que balançaram tanto na primeira vez que eu tentei me alimentar. As mãos com que eu tinha sido forçado a aprender a escrever um novo nome - Nikki, não meu - em todas as folhas de papel que os caçadores de autógrafos jogaram em cima de mim cada vez que eu saia em público. As mãos que tinha escorregado sob a jaqueta de couro de Christopher - tinha realmente sido apenas algumas noites atrás? - E sentiu sua pele queimar sob o minha. Mas eu acho que elas nunca foram realmente minhas mãos afinal de contas. Elas eram as suas mãos. As mãos de Nikki. E agora ela queria de volta. Eu apertei as mãos de Nikki nos punhos. Podem ter sido suas mãos. Mas era meu cérebro que os tinha feito fazer todas aquelas coisas. "Dr. Fong não tem seus próprios meios para executar um processo complicado como este” Sr. Howard dizia. "Você sabe que ele não pode. Porque você acha que sua recuperação foi muito mais demorada do que Em. Além do fato de que quase morreu durante o mesmo, porque o corpo que você tem agora não é tão forte quanto


o seu antigo? Porque ele não teve acesso a -" "Bem," disse Nikki. "Nós podemos apenas criar uma sala de cirurgia aqui. Se Brandon quer mesmo a minha informação, ele vai pagar o que for preciso. Certo, Brandon? “Oh, Nikki,” sua mãe disse. “Não seja assim -” “Certo, Brandon?” Nikki disse, interrompendo sua mãe. Brandon, que tirado o seu iPhone do bolso e caminhado para se sentar em sua cadeira na cabeceira da mesa de jantar, olhando de cima de seu celular e disse as palavras que emitiram um frio através de meu coração… Coração de Nikki: "Ah… eu acho." Espere - ele estava realmente considerando isso? Será que ele sequer percebeu o que estávamos falando? "Viram"? Nikki voltou os olhos brilhando em nós. "Está tudo definido, então." Seus olhos, eu vi, não estavam brilhando porque eles estavam cheios de lágrimas. Eles eram brilhantes com o triunfo. Deus, seus olhos pareciam estar dizendo. "Agora que está resolvido -" "Nikki", Steven disse, levantando a cabeça e girando-a para enviar um olhar de aço em sua irmã. "Não." A palavra era simples. E final. Apenas não. Mas ele é o meu herói. "O que você quer dizer, não?" Nikki exigiu, chicoteando a cabeça na direção de seu irmão. Ninguém nunca disse não a Nikki. Eu deveria saber. "Se eles tiraram, eles podem por de volta. Você perguntou o que eu queria em troca de dizer o que eu sei, este é o meu desejo. Quero meu corpo de volta." "Bem, você não pode tê-lo de volta", disse Steven. Steven estava com o tom brusco. "Isso pode matá-la. E pode matar você também. Você não pode pedir-lhe para arriscar sua vida. Ela já fez isso uma vez. Você não pode pedir-lhe para fazer isso novamente." "Sim", disse Nikki, estreitando os olhos, "Eu posso". E nesse Sim, eu posso finalmente vi a garota da cidade pequena que estava tão determinada a se fazer grande que ela estava disposta a quebrar o coração de sua mãe por ter se declarado uma menor emancipada antes da idade de dezesseis anos. E assinou seu primeiro contrato de milhões de dólares, uma semana depois. "Não", disse o irmão dela, com mesma determinação. E eu vi nele o homem que venceu pelos próprios esforços, o soldado com quem minha companheira de loft, Lulu, ficava tão sem fôlego. "Você está


pedindo demais." Agora o brilho que eu vi nos olhos do Nikki realmente era lágrimas. Ela fulminou com os a todos. "Ninguém pensa em mim", disse ela. A insensibilidade não tinha ido embora. Ele estava sendo dirigido para outro lugar. Ao se forçar a aparecer simpática pelo choro. Eu suspeitava. "Como eu me sinto. Quero dizer, como você acha que é pra mim, será que vou ter que ficar o resto da minha vida neste corpo, parecendo esta bruxa horrenda?" Ela se jogou na cadeira mais próxima, abaixando a sua cabeça sobre a mesa, e com uma explosão de soluços dramáticos. Brandon e Steven trocaram olhadas incrédulas, enquanto Sra. Howard apressou a consolar o choro de sua filha. "Nikki," Sra Howard estava dizendo. "Como você pode dizer isso?" Você é uma garota normal e saudavel. Não, não se parece como antes, mas você não é horrível. Você continua linda para mim apenas diferente do que costumava ser. – “ “normal?” Nikki disse num tom sugerindo que a mãe tivesse dito algum chingamento. “Saudável? Você está brincando comigo mãe? Eu não quero ser normal. Eu não quero ser saudável e linda para você. Eu quero ser absurdamente linda, como eu costumava ser! Eu não quero continuar presa nesse corpo baixinho e gordinho, com essa cara sem sal, e esse cabelo horrível e inútil. Eu quero ser quente, quero ser sexy! Eu quero ser Nikki Howard!” Eu não sei se foi coisa da minha imaginação, mas a frase “eu quero ser Nikki Howard” soou como uma rajada de vento frio em volta de nós, e ecoou pela sala. “Eu quero ser Nikki Howard! Eu quero ser Nikki Howard! Eu quero ser Nikki Howard!” "Bem, você não pode," Mrs. Howard disse exasperada. "E você não vai chegar a lugar nenhum se você não parar de se colocar para baixo. Basta olhar naquele espelho lá e ver o que vejo: uma menina jovem e brilhante, com muito para oferecer…" Mas Nikki não olhar para cima. Ela estava muito ocupada chorando para falar alguma coisa. Porque Nikki não olharia para cima, eu pensei. O que eu vi era meu próprio reflexo… a reflexo que Nikki tinha. Perfeito. Não uma característica , nem mesmo um fio de cabelo, fora de lugar exatamente o que você esperaria ver na capa da revista ou modelagem de um vestido caro ou jóia em um anúncio. Dizendo o que comprar ou onde ir ou o que era quente agora. E porque ela parecia tão perfeita - ou o que havia sido durante


tanto tempo, era como uma pessoa perfeita deveria olhar - você acreditaria nela. Você gostaria de comprar o que ela estava vendendo, ou ir aonde ela disse para ir. Você gostaria de ter certeza que você tinha tudo o que ela estava dizendo que estava quente agora. Se você não era um dessas pessoas, como eu sempre tinha sido, que odiava a vista. Pra que eu preciso, Nikki Howard dizendo-me que vestir, o que comprar, aonde ir? Eu nunca tinha sido capaz de suportar a visão de seu rosto e corpo perfeito, elevando-se sobre mim nos lados de edifícios ou piscando pra mim nas páginas de revistas. E agora que o rosto eo corpo eram meus. Eu não conseguia ficar longe deles. Não importa onde eu fui, ou o quão longe eu tentei correr. O rosto dela era meu rosto. O que ela tocou, eu toquei. O que ela experimentou, eu experimentei. Mas a coisa era, eu não poderia imaginar não ser ela. Não mais. Ela e eu éramos um … … E, eu tinha que admitir, eu gostava de ser ela. Nem sempre foi fácil ser Nikki. Mas era eu. Eu era Nikki agora. Abaixo de mim, senti Cosabella - percebendo que eu não ia deixar cair nenhum alimento hoje à noite - desistindo de seu estado de vigilante, foi descansar a cabeça no meu pé com um suspiro. Era onde ela ficava deitada em cada refeição. Senti-me quente e natural de ter a cabeça dela ali, suave como veludo…. Meu coração estremeceu. Se o que Nikki queria que acontecesse realmente acontecesse, eu nunca mais sentiria a cabeça de Cosabella no meu pé de novo. Ah, eu acho que eu poderia ter um novo cão … Se eu sobrevivesse com a cirurgia. Ela não seria exatamente como Cosabella, mas seria bom. Não seria? Mesmo que eu corresse - mesmo se sumisse hoje à noite, com Cosabella - Eles me encontrariam. Onde eu iria que Brandon não podesse me encontrar? Eu tinha o rosto mais reconhecível do mundo. Talvez houvesse alguma aldeia tribal nos confins da Amazônia, onde nunca tenham visto Nikki Howard antes. Mesmo que eu corresse - mesmo que saísse hoje à noite, com Cosabella - eles me encontrariam. Onde eu poderia ir, que Brandon não poderia me encontrar? Eu tinha o rosto mais reconhecível do


mundo. Talvez houvesse alguma aldeia tribal nos confins da Amazônia, onde nunca tinha visto antes Nikki Howard. Mas quanto tempo eu ia durar sem TV á cabo? Eu não estou falando sobre os canais premium, mas Bravo e BBC América? Eu começaria a pirar, após algumas horas sem Internet. Eu tive que encarar: Eu estava ferrada. "Não", disse Steven novamente. "Nikki. Isso não vai acontecer. É muito perigoso. E não é medicamente necessário. Nenhum cirurgião no seu perfeito juízo faria isso. Nem mesmo o Dr. Fong". "Porque," Nikki soluçou, levantando a sua cabeça e revelando que o rímel tinha começado a correr abaixo seu rosto, “que todo mundo me odeia?" "Nikki", disse sua mãe. "Ninguém odeia você. Não é isso. É porque vocês duas não são -" "Isto não é com você", gritou Nikki, justo quando o assistente do chef saiu com uma bandeja para recolher os pratos vazios. "É com Brandon!" O assistente atento ao redor se dirigiu de volta para a cozinha, Harry e Winston olharam pra ele decepcionados. Aparentemente, ele percebeu que agora não era o melhor momento para interromper a conversa. "Uh", disse Brandon, se arrumando em seu assento quando ele percebeu que todos os olhos estavam sobre ele. "Se Nikki quer que seu corpo de volta, então isso é o que Nikki vai ter. Ela é o que importa aqui." Uma frieza - como o frio da mesa de vidro debaixo dos meus dedos - começou a penetrar no meu coração. Senti o frio do meu coração se espalhar aos cada um de meus membros. Logo o único calor no meu corpo era o calor que irradiava da cabeça de Cosabella descansado no meu pé. "E o Dr. Fong irá fazê-lo", Brandon continuou. "Ou eu vou puxar seu burro na frente da AMA por violar a mil éticas médicas diferentes em fazer essa coisa toda de transplante em primeiro lugar. Certo, Nik? Agora? Ele decide se fingir se fingir de melhor amigo de Nikki agora, bem quando eu mais preciso dele? Oh, Deus. Eu ia vomitar Nikki parou de chorar ao mesmo tempo. Em vez disso, ela gritou com emoção. Ela pulou da cadeira e correu para onde Brandon estava, atirando-se em seu colo para que ela poderia arremessar os braços em volta de seu pescoço.


"Oh, obrigado, obrigado", gritou ela. "Eu te amo tanto, Bran!" "Eu não acredito nisso", murmurou Steven. Ele se levantou em protesto saiu sem dizer outra palavra, dirigindo as escadas e voltando para seu quarto. Não vá Steven, eu quis dizer. Não vá. Nikki, notando que ele partia, perguntou confusamente, "Steven? Você não quer permanecer para comermos o filé mignon? Eu quero dizer… nós temos algo á celebrar". "Não," Steven disse sobre o seu ombro. "Nós não temos." Alguns segundos mais tarde, todos ouvimos uma porta bater. Nikki, ainda no colo de Brandon, lançou um olhar acusador para a mãe. "Qual o problema dele?" "Ele está chateado, Nikki," Sra. Howard disse, olhando aflita. "Estou chateada, também. Eu não acho que você ou Brandon nisso tudo. Ou a considerado pobre Em. É completamente um absurdo - para não mencionar a ética - realizar uma operação de risco em duas perfeitamente jovens garotas saudáveis por causa da vaidade -" "Não é vaidade, Mãe", Nikki disse friamente. "É a minha vida. E eu quero ela de volta. Steven pode beicinho sobre isso tudo o quanto ele quiser, mas ele nunca esteve nessa situação. Ele não sabe. Ele sabe, Brandon? "Uh…," Brandon disse. Ele esta respondendo mensagens de texto á alguém no seu telefone celular atrás das costas do Nikki enquanto ela estava conversando. "O que foi querida"? Ela virou a sua cabeça. "Brandon. Pra quem você está mandando essas mensagens de texto? "Desculpe", disse ele, sorrindo o seu sorriso de bom garoto. "É o meu advogado. Sobre o carro. Ele acha que pode levar a isso pro tribunal." "Oh". Nikki lhe deu um sorriso muito frágil. "Talvez você devesse estar chamando o Dr. Fong e estar começando a arranjar os suprimentos médicos em vez de fazer isso." "Uh", disse Brandon. "Claro. Podemos comer primeiro?" Nikki pôs a mão com carinho na sua bochecha. "Claro, bebê", disse ela, e beijou-o ternamente na boca. Eu sentei lá. Tudo o que eu conseguia pensar era o peso e o calor da cabeça Cosabella no meu pé. Eu não ousava me deixar pensar em mais nada. Se fizesse, eu sabia que eu iria apenas iria chorar em soluços, como Nikki tinha feito alguns minutos antes. Se alguma coisa pudesse romper a minha lágrima congelada, era isso.


Isso realmente não era o que eu esperava. Eu era uma prisioneira, depois de tudo. Eu sempre tinha sido, desde a cirurgia. Eu acho que não tinha percebido até agora. Eu não tinha o direito de sizer o que aconteceu comigo. Se Brandon queria montar alguma sala de cirurgia maluca em sua garagem, e ter um cirurgião para remover meu cerebro e coloca-lo no corpo de outra garota, eu tinha que deixar, eu acho. Eu n��o tinha? Bem, eu não tinha? Se eu não me sentisse tão isolada, tão rígida - como se minhas veias tivessem se transformado em gelo - eu poderia ter tido a capacidade de pensar. Mas, enquato eu estava sentada lá, olhando para o meu reflexo nas janelas de vidro, com vista para o mar frio e negro, eu não conseguia pensar em nada, exceto em como eu estava completamente congelada. Eu estava por mim mesma, e não havia ninguém que seria capaz de me ajudar a sair desta.


Cinco Eu estava em minha cama, na casa de praia do Brandon, e estava sonhando. No meu sonho, Christopher tinha vindo me salvar, Ele não ficou furioso com a coisa toda, onde eu lhe disse que amava o Brandon e não ele. Pelo contrario, na verdade. Nosso reencontro foi feliz….e apaixondado.Ele estava transformando o gelo que corria pelas minhas costas em sangue…sangue quente e rico e que me deixava quente….me-impulsionando-para-baixo, segurando meu cabelo pela parte de tras do meu pescoço quente. No meu sonho, Christopher estva me beijando…docemente no inicio, com beijos brincalhões. Pela luz baixa vi ele entrando embaixo dos edredons e separando minhas coxas já nuas. Então, como eu o beijei de volta, provando que é verdade - eu nunca tinha amado Brandon. Como eu poderia? - Os beijos tornaram-se mais … mais profundo … mais apaixonado. Meus lábios entreabertos, sua mão encontrou seu caminho em meu cabelo - se espalhou como um fã através de meu travesseiro - a calma contra a minha boca por causa do frio lá fora, o zíper da jaqueta de couro quase insuportavelmente fria pressionada contra a minha pele quente, como ele inclinou-se sobre minha cama, sussurrando meu nome … Eu estava tão aliviada de saber que ele não tinha acreditado em mim, naquela amarga manha em frente a casa do Dr. Fong, quando eu disse que eu não o amava. Ele sabia que Brandon tinha me obrigado a dizer isso. Ele só não sabia o por quê. A razão pela qual ele não tinha acreditado em mim, era por que ele me amava - o verdadeiro eu - a muito tempo. Não o eu, Nikki, a garota que tinha arrancado seu coração fora do peito, jogado no chão e esmagado com os seus Louboutins.(marca de sapatos) Eu, Em. A garota da foto que ele manteve durante todos esses meses em cima da sua mesa. A garota que ele pensou que estava a morta a muuuitos meses. Exceto que…se isso fosse verdade….Se Christopher não tinha acreditado em mim…Então, por que ele não ligou? Porque, uma voz dentro do meu sonho me lembrou, Christopher

não te ama mais.


Espere um minuto. Eu estava começando a não gostar deste sonho, afinal. Eu abri meus olhos com um suspiro para encontrar uma mão pressionada a minha boca. Isto não era nenhum sonho. Isto estava acontecendo realmente. Eu sabia quem ele era, é claro. Quem mais poderia ser? Quem mais tinha tentado abrir minha maçaneta (sem sucesso, desde que eu tinha tido o cuidado de trancar todas as noites) durante toda a semana? A mão sobre minha boca era masculina. Eu poderia dizer que só pelo seu tamanho e peso, ainda que, no escuro do meu quarto, eu não pudesse vê- lo. Então é claro que eu fiz a única coisa que eu podia fazer: Eu a segurei com os meus dentes com tanta força quanto eu poderia. O que mais eu ia fazer? Brandon tinha entrado no meu quarto no meio da noite para fazer o que caras como Brandon fazem às meninas quando elas estão dormindo. Como ele ousa tentar tirar vantagem de mim quando eu estava sonhando com alguém? Alguém que eu realmente gostava… Eu mordi e não soltei até que eu ouvi os ossos estalar. "Ai. Jesus, Em"! gritou a voz em um sussurro rouco. A mão foi tirada do meu rosto, e depois, eu ouvi o som de couro esfregar em couro… o corpo se moveu e eu sentir seu casaco e também a sua mão se mexer de um lado a outro. Espere. Minha mente sonolenta e atrapalhada tentou dar sentido a isso. Por que Brandon estar vestindo uma jaqueta de couro por dentro? “O que eu fiz pra você me morder?” Christopher quis saber. Minha mente bobinou. Christopher? Em meu quarto? Aqui, na casa de Brandon? O que Christopher fazia aqui? Como ele tinha chegado aqui? Se eu não estava sonhado após tudo?Se ele tivesse realmente me beijado? "Christopher?" Sussurrei. "É você realmente? Oh, meu Deus, eu te machuquei? Você está sangrando?" "É claro que sou eu,” ele sussurrou. Ele parecia tão irritado, eu queria pegar o rosto e voltar a beijá-lo, assim como no meu sonho… se tivesse realmente sido um sonho, e não real. Só Christopher tinha aquele tom irritado comigo. Christopher maravilhoso, incrível, facilmente irritado. "Quem mais seria? E não me diga que Stark estava espiando aqui. Foi por isso que a porta estava trancada? Eu tive que usar meu cartão da biblioteca para abrir. Sério, se ele está tentando entrar aqui , eu vou matá-lo - "


Eu esqueci que eu devia tratar Christopher friamente, e na dor que Brandon pode causar a tudo e todos que eu amo. Esqueci que eu deveria fingir que Brandon e eu fosse um casal agora. Eu estava tão sobrecarregada de encontrar Christopher sentado ao lado da minha cama, assim como o meu sonho, que eu joguei meus braços em torno dele, puxando-o perto e jurando a mim mesma que nunca iria deixá-lo ir. Eu não me importava véspera que os rebites de metal e o zíper de sua jaqueta de couro estivessem gelados contra as partes da minha pele nua que não foram cobertos a parte superior do tanque BT correspondente rosa e boxers que eu estava vestindo. Assim como no meu sonho. "Ai meu Deus, Christopher", eu sussurei, inspirando o cheiro do orvalho que ainda estava em seu cabelo curto. "Eu estou tão contente em te ver." " Eu também estou contente em te ver." Ele disse. Passando os braços em volta de mim para retribuir o abraço. Duramente. " E não se preocupe com a minha mão. Tenho certeza que foi um machucado pequeno." Eu ri. Acho que estava meio histérica. Mas não me importei. Era tão bom estar em seus braços. Christopher. Christopher estava aqui. "Mas, o que você esta fazendo aqui?" eu sussurrei. Ele me empurrou apenas o suficiente para poder olhar para baixo, em meu rosto. Provavelmente enquanto eu estava dormindo a lua apareceu parcialmente, eu podia ve-la pela janela atravez de uma fresta na cortina do outro lado do quarto. Mas não tinha luz o suficiente para eu conseguir ver ele, porque ele estava de costas para a janela, então a luz só pegava suas costas, dando formato a sua silhueta, mas eu sabia que ele podia me ver. "Você acha que eu realmente acredito em você, que de todas as pessoas, você estava apaixonada por BRANDON STARK?"ele perguntou em voz baixa, com suave repreensão. "Eu posso ter levado algum tempo para descobrir que você é realmente você, Em. Mas me de algum crédito. Mas agora que eu sei que é você, eu certamente não vou deixa-la tão facilmente." Meu coração deu uma pequena cambalhota dentro do meu peito. Fiquei segurando nele. Eu não acho que poderia deixar ele, mesmo se ele quisesse. O que, graças a Deus, ele não queria. Ele se inclinou e me beijou, e eu percebi como nossos labios se tocaram, que isso NÃO ERA um sonho…e que ele REALMENTE


ESTAVA me beijando, acordada. Não é de se admirar que eu estava queeente…. E que os beijos dele estavam fazendo comigo, exatamente o que fizeram antes, estavam me fazendo sentir quente e protegida de um jeito que eu não me sentia desde…bem, desde que eu estava em seus braços no meu quarto durante a festa de feriado que a Lulu fez… E, assim como antes, eu estava totalmente ciente do que aconteceria, a mão de Christopher foi gentilmente embalando meu rosto enquanto seus labios se moviam sobre os meus… …E então eu estava afundando … afundando lentamente para trás contra os travesseiros macios, com Christopher em cima de mim. De alguma forma, ele tirou jaqueta de couro, e ele estava meio na cama, e meio fora dela. Mas definitivamente metade em mim, uma sensação que eu não poderia dizer que eu não encontrei agradável. Eu sabia que havia coisas que precisava dizer. Coisas que eu precisava saber, coisas que eu precisava dizer a ele. Mas como eu poderia, quando seus lábios estavam fazendo coisas tão interessantes como a minha boca, e sua mão - oh, as suas mãos - havia se afastado do meu rosto para dar um puxão no meu… "Christopher", disse eu ofegante, empurrando os meus lábios dos seus. Foi a coisa mais difícil que tive que fazer. Na sala escura, não havia nada que eu queria fazer mais do que simplesmente deixá-lo continuar fazendo o que ele estava fazendo. Mas eu não podia. Alguém tinha que ficar sã. E eu sabia que não ia ser ele. "Temos que nos concentrar", disse. "Concentrar", repetiu ele. Eu podia ver que seus olhos azuis, tão perto do meu, estavam com um olhar atordoado. "Definitivamente". Ele abaixou a cabeça para me beijar novamente. Mas mesmo que eu desejasse deixá-lo, eu sabia que não podia. "Não." Eu o larguei e me movi para o outro lado da cama, onde Cosabella estava sentada, lambendo-se. Puxei-a para o meu colo para usá-la como uma espécie de escudo canino. "Estou feliz em vêlo também. Mas nós temos que conversar. O que você está fazendo aqui?" Christopher pareceu se recompor. Ele perdeu o olhar atordoado bem, um pouco - e disse, sentando-se reto, "Eu acho que deveria ser óbvio o que eu estou fazendo aqui, Em. Estou aqui para te salvar".


Meu coração deu outro dos seus saltos loucos. Sério, tudo o que este menino - e não - fazia com que meus órgãos fizessem acrobacias. "me salvar?" Nunca na minha vida tinha ninguém disse nada tão doce para mim. Ele veio todo o caminho de Nova York para me salvar? Justamente quando eu havia desistido de toda esperança de que alguém que eu conhecia estava pensando em mim. Exceto Lulu e minha mãe. E minha agente Rebecca, é claro. "Oh, Christopher …" Era tudo que eu poderia fazer para evitar me rastejar para o outro lado da cama e em seus braços. Mas isso, eu sabia, seria um erro enorme. Porque eu não teria forças para rastejar para fora de seus braços de novo … não da forma alguma, as coisas tinham ido mais longe do que qualquer um de nós estava preparado para lidar … pelo menos agora. Tirei alguns dos cabelos jogados nos meus olhos, e resolvi seguir meu próprio conselho e me concentrar. "Como é que você entrou aqui?" Eu perguntei. "Brandon mantém este local trancado mais do que Fort Knox." Ele puxou uma pequena caixa elegante do bolso do casaco. "código universal." disse ele. "Apenas um entreterimento do meu primo Felix, esse negocinho aqui pode fazer milhões de combinações um segundo antes de acertar. Usei para abrir a porta da garagem do Brandon". Eu olhei para a caixa de metal em sua mão. Okay. Isso definitivamente não é algo com que eu sonharia. Não tenho tanta certeza que Feliz o primo de Christopher esteja em prisão domiciliar no porão da casa de sua mãe, acho que talvez ele pertença a folha de pagamento de alguma corporação tecnológica em Sillicon Valley. " Eu suponho que é como você contornou o sistema de segurança." Eu disse. "Oh, Não" Ele disse casualmente, deslizando a caixa metalica de volta para o bolso. "Eu apenas digitei a senha de Brandon para entrar. Achei que ele seria tão estupido para usar o seu próprio nome - eu estava certo." Não pude deixar de lhe dar um sorriso. "Então, eu suponho que nós vamos apenas andar e sair daqui" Eu disse, "estou certa?" "Muito bem" ele disse. "esta pronta?" Eu tive que rir. A ideia de de fugir da casa do Brandon com Christopher, e me livrando de todos os meus problemas como - ah, bem, seria muito facil.


Mas, onde nós poderiamos ir mesmo? Com esse meu rosto, eu seria reconhecida em qualquer ligar que fosse. E quanto a Steven, Nikki e sua mãe? Eu sei que não tenho nenhum relacionamento com eles - exceto pelo sangue - Mas eu lhes devia algo, pela forma como eles lutaram por mim e mesmo se não tivesse lutado. Steven tinha ficado tão brabo com Brandon por ele acietar o plano insano de Nikki, que largou o jantar, com medo - ele me disse mais tarde - de acabar esmagando a cara do Brandon mais tarde - ele entrou no quarto dizendo que tinhamos que sair de lá, antes que ambas - Nikki e eu - acabassemos mortas. Mas ir para onde? Steven tem sua unidade naval, onde a qualquer momento ele pode simplesmente voltar e mergulhar no mar, de onde ele saiu para para procurar sua mãe desaparecida. Mas o que aconteceria com a Sra. Howard? ela não pode nem usar os cartões de creditos, ou pagar contas com medo que a Stark Enterprises acabem perseguindo-a. Ou Nikki, que optou por permanecer cegamente ignorante no papel que ela tem na causa dessa mágoa toda? Eu queria dizer ao Christopher todas essas coisas. Mas primeiro eu tinha que lhe dizer o mais importante de tudo. além do fato que eu estava loucamente apaixonada por ele, o que tenho certeza que ele ja deve saber por causa do ocorreu a alguns minutos. "Christopher," eu disse sem folego. "Nikki nos disse. Ela nos disse que tentou chantagear o pai de Brandon, porque ela ouviu o que ele tem….e ele a matou, para acabar com isso em primeiro lugar." Ele estendeu a mão e alisou algumas mexas que caiam sob meu rosto. Fechei os olhos por um segundo ou dois, saboreando o calor de seus dedos sob minha pele. Uma onda de desejo bateu em mim com toda a força como a de uma bola lançada em mim por Whitney Robertson. Mau. Eu tinha uma cara má. "Vá em frente", ele disse. "É apenas …." Eu disse, abrindo os olhos novamente quando a sua mão caiu para poder me olhar. "Tipo, não faz qualquer sentido. Nikki diz que ouviu o Sr. Stark e um grupo de seus amigos rindo em seu escritório sobre o fato de que o novo Stark Quarks que vai chegar vem com algum tipo de spyware indetectável. - Empacotado com a nova versão do Jorneyquest - que vai carregar todas as informações que o usuário jogar nele - qualquer informação que ele sempre entra em qualquer site - Priceline, Facebook, e-mails, esse


tipo de coisa. E tudo isso será armazenado no mainframe da Stark Corporation. Tudo isso ". Olhei para Christopher e encolhi os ombros. "Então é isto?" Ele perguntou, com a sobrancelha levantada. "É isto!", Eu disse, acenando. "Nikki jurou. Ela não ouvir eles falarem mais nada. Ela disse que eles estavam comprimentando uns aos outros e brindando. Digo, eu posso imaginar um software de monitoramento indetectível e muito avançado, mas um em três computadores na aperica tem um anti virus dentro, e seus donos nem sabem disso. Qual é o uso de toda essa informação - e nós estamos falando dos dados de centenas de casas, talvez milhões , por que o Stark Quark esta sendo o laptop com o preço mais baixo da história - A Stark vai apenas guardar todas as informações no computador? Não tem como dizer que eles vão usar isso para alguma coisa. E você sabe as pessoas que irão comprar o Quarks elas são de baixa renda, não são ricas. Não é como a Stark pegar o numero de cartão de crédito de milionários ou algo assim. Isso é o porque deu não ter entendido como isso poderia ter matado Nikki Howard. Qual é a grande jogada? A lua tinha mudado. Agora uma faixa de luz passava pelo rosto de Christopher, e eu pude finalmente ve-lo direito pela primeira vez desde que eu acordei com ele no meu quarto.. na minha cama. E por um segundo, pensei que tinha visto um vislumbre do supervilão obscuro que eu tinha conhecido depois da minha “morte" e sua decisão de tentar vingar-se… supervilão que eu pensei que tinha ido embora para sempre quando ele percebeu que eu não estava morta depois de tudo. Mas não. A escuridão - e ódio - ainda estavam lá. Talvez eles nunca tinham ido embora. E estava odiando viver sabendo que era a única responsável por isso. "Por que alguém cometeria assassinato?" ele me perguntou em uma voz pausada. "Eu" - Eu pisquei. "Como eu saberia isso?" "3 razões," Christopher disse. Ele levantou um dedo "Amor". Outro dedo. "Vingança". E finalmente o terceiro dedo, "Lucro. Eles tentaram matar Nikki Howard quando ela ameaçou expor a verdade sobre eles. "Então?" Eu balancei a cabeça. "Eu continuo não - " "Robert Stark definitivamente tem um plano para lucrar com as informações que ele esta roubando das pessoas que comprarem o


novo computado", Christopher disse. "O que nós precisamos fazer é descobrir o que é. E como nós vamos fazer ele pagar. Nós temos muito trabalho a fazer. Nós estamos na mesma. Se vista e vamos." Eu comecei a desembaraçar minhas pernas do lençol. "Steven e sua mãe vão ficar bem" Eu disse. "Eu posso leva-los para baixo sem problemas. Mas não estou convicta de que a Nikki irá vir com a gente de bom grado. Para ela, estar aqui está bom. E ela quer uma cirurgia cerebral de manhã." "Calma," Christopher disse, colocando sua mão larga em meu joelho. "Do que você está falando?" "Nikki," Eu disse, olhando para ele pelo luar. Alguma coisa em sua expressão me disse que o supervilão diabólico não estava somente de volta, mas para ficar. "Ela não vai querer ir. Mas ela tem que ir, claro. Não é seguro aqui." "Em," Christopher disse. Sua voz estava gélida. "Eu não me importo sobre Nikki Howard. Eu estou aqui para salvar você. Não ela". "Mas." Eu pisquei para ele. "Nós não podemos deixar ela para trás. "Oh, sim," ele disse, "nós podemos".


Seis Eu estava tentando colocar minha cabeça no mundo onde o cara que eu amava se recusaria a ajudar uma dama em apuros. Embora fosse um pouco difícil imaginar Nikki como uma dama em apuros. "Se ela quser ficar com Brandon," Christopher disse, com um tom intransigente,"deixe ela. Agora coloque sua calça jeans e nós poderemos sair daqui." "Ela é uma pessoa seriamente problemática," Eu argumentei. "ela não sabe o que quer. Ela tem pensado muito. "Você também," Christopher disse. "E você não sai por aí, tentando chantagiar as pessoas. Embora eu não possa dizer que fiquei muito impressionado em como você lidou com a situação até agora." Eu olhei para ele, atordoada. "O que isso supostamente significa?" "Você realmente acha que eu estava acreditando que você teria fugido com Brando Starl, de todas as pessoas, só por que ele é absurdamente irresistivel?" O tom dele estava ligeiramente desdenhoso. "Eu não sou um completo idiota, você sabe." Meu coração me deu um aviso surdo dentro do meu peito. Uh-oh. Ele soou mal. Não somente aborrecido. Mas realmente, realmente mal. E talvez também, abaixo da raiva, um pouco magoado. "Christopher," Eu disse quando eu estava apta a achar minha voz, "Eu posso explicar tudo isso. Brandon me disse que se eu não fingisse que eu era -" Eu engoli. Uh-oh. engoli algumas lágrimas também. Não era um bom sinal. "Você sabe. Que ele diria pro pai dele como encontrar Nikki." "E você acreditou? Christopher exigido. "Qual era a probabilidade de isso acontecer, quando Nikki é a chave para Brandon voltar para pegar o lugar de seu pai, ou o que diabos era Robert Stark fez para que Brandon ficasse tão louco com ele? " Uau. Christopher estava certo sobre isso. Por que não eu nunca pensei nisso? Para uma menina inteligente, eu posso ser muito burra, às vezes. Eu posso ser capaz de descobrir como fazer uma bomba caseira assistindo no YouTube. Mas os meninos? Isso é onde eu pareço ter uma grande cegueira. "Ele foi muito convincente, Christopher,” eu disse. As lágrimas começaram a transbordar. Eu esperava que ele não poderia vê-las no escuro. Eu me senti tão estúpida. Ele estava irritado, e eu


respondi chorando? O Quão bebê eu era, afinal? Não é de admirar que ele gostava Mckayla Donofrio mais do que eu. Aposto que ela nunca gritou. Ela estava muito ocupada assistindo à CNBC com o relatório do mercado de ações e verificando novamente sua carteira de aposentadoria. "O pai de Brandon tentou matar Nikki. Eu acho que você está certo, e ele talvez tenha tentado me matar… ou pelo menos fez com que a TV caisse sobre minha cabeça naquele exato momento, aquilo não podia ser um acidente como fizeram parecer. Então, como eu ia saber que ele não tentaria matar alguém, talvez até mesmo alguém que eu amo, papai e mamãe, ou Frida, ou mesmo… você? " Eu pensei que poderia ter o aquecido. Quer dizer, eu tinha acabado de admitir que eu o amava. Você era o cara que eu jogo um osso. Mas não. Ele ainda não tinha feito nada disso. "E você não podia me escrever ou me ligar ou qualquer coisa deste tipo?" Christopher exigiu. "Serio, Em? Na semana passada, nem uma única mensagem? O que, Brandon tem estado te observando a cada segundo do dia?" "Não", eu disse, enxugando as lágrimas do meu rosto com as costas de um pulso. Eu estava louca agora, também. Louca por mim mesma por chorar, mas com raiva de Christopher, também. O que ele queria que fazisse? "Mas o que eu ia dizer Christopher? Como eu iria saber que eles não estavam grampeando o seu telefone? Você não sabe como eles são. É como se eles estivessem em toda parte, observando. E, além disso, eu prometi Brandon -" "Oh, você prometeu a ele", disse Christopher. E desta vez, ele não estava sendo um pouco áspero. "Jesus, Em, pra uma garota inteligente, você pode realmente ser densa, às vezes. Quase", ele acrescentou, com um tom auto depreciativo, "tão densa quanto eu estava antes de descobrir, quem realmente eles eram." "Bem, você nunca ligou ou me mandou uma mensagem", disse eu, um latejar na minha voz. Eu não poderia ajudá-lo. "Você chutou pra escanteio!” Christopher exclamou, estendendo as mãos para fora de largura. Eu notei pela a primeira vez que ele estava vestindo uma luva de couro preto, do tipo que os bandidos usam - que acabam a não sendo más - nos filmes. Supondo que como Christopher estava agora, no entanto. Só que ele estava realmente meio mal. Ou estava se comportando assim, pelo menos. "O que eu sou," ele prosseguiu, "sua droga de cachorro? Você pode


me tratar como lixo e eu vou simplesmente vir correndo para você sempre? Ah, não, espera - você trata sua cachorra melhor do que me trata." Ele apontou para Cosabella, enrolada ao meu lado. "Você a deixa por dentro de tudo." Eu pisquei para ele. Isso tinha ido de muito, muito bom pra muito, muito ruim em uma questão de minutos. No meu sonho, Christopher tinha me perdoado completamente. E então ele tinha se agarrado comigo. Mas não parecia que isso ia acontecer na vida real. "Encare, Em, você não me ama de verdade," ele disse bruscamente. "Você diz que sim, mas não me ama. Você sabe como eu sei disso? Porque você não confia em mim. Durante tudo isso, você nunca confiou em mim o suficiente pra me deixar por dentro completamente." Ele levantou do lado da cama. "Bem, você nunca conseguirá ter um relacionamento de verdade até parar de pensar que Emerson Watts é a pessoa mais esperta do mundo inteiro, e começar a confiar em outras pessoas, e deixar que elas tentem te ajudar. Isso se chamaser um adulto, Em. Você bem que podia tentar." "Espera," eu disse, minha voz falhando. "Você vai simplesmente ir?" Bem," ele disse, "você vai vir comigo se nós não levarmos Nikki?" "Não," eu disse, erguendo a mão para enchugar meus olhos furiosamente. "Então sim," ele disse. "Acho que vou. Porque você mesma disse que ela não virá por vontade própria." Eu não podia acreditar que isso estava acontecendo. Era meu grande momento Princesa Léia - eu estava sendo resgatada, só que não, graças a Deus, por meu próprio irmão - e eu estava arruinando isso. Meu salvador estava simplesmente indo embora e me deixando para trás como poeira. Mas o que eu deveria fazer? Não podia deixar Nikki para trás. Mesmo que ela não merecesse e muito menos quisesse minha lealdade. "Bem," eu disse. "Acho que isso é um adeus, então." E ele virou e saiu do quarto, fechando a prta por trás dele. Eu fiquei sentada lá na cama, esperando a maçaneta virar e ele voltar a qualquer minuto. Ele estaria todo estranho e meigo - ou talvez ainda bravo e na defensiva - e diria que era minha culpa. Só que, claro, o que ele estaria realmente dizendo era Desculpa, Em. Eu ainda te amo. Venha comigo. Por favor, venha comigo. Quaquer


um dos dois. Não importava. Mas ele voltaria. É claro que ele voltaria. Ele não podia ter simplesmente ido embora. Ele não poderia ter ido. Ele simplesmente não podia. Mas ele tinha iso. Os minutos no relógio em meu criado-mudo passavam, e ele não voltou. A casa estava sem um barulho. Nada. Nem sinal de Christopher indo ou vindo. Levou um tempo para a realidade assentar, mas em algum momento, finalmente aconteceu. Ele tinha me dispensado. Ele tinha me dispensado completamente! Eu não podia acreditar. Essa era a pior coisa que já tinha me acontecido. Bem, certo, não era. Ter sofrido um transplante de cérebro para começar. Essa era a pior coisa que já tinha me acontecido. Mas essa era totalmente a segunda pior coisa. Além do fato de que amanhã Brandon Stark me faria sofrer um segundo transplante cerebral. Sim. Eu era uma total idiota por não ter ido com Christopher. Por outro lado… ele tinha claramente virado novamente o supervilão do mal de que eu tinha visto uns indícios desde que sofri o acidente. Acho que você não pode simplesmente se livrar desse tipo de coisa inteiramente. Talvez eu tenha sido esperta em não ir com ele. É claro que sim! Eu não podia ter fugido com ele e deixado os Howard para trás. Porque Steven e sua mãe também não iriam sem Nikki. Quão egoísta isso teria sido? Não, eu fiz a escolha certa. Christopher era quem tinha problemas, não eu. Como ele poderia ter mesmo sugerido o contrário? Se alguém aqui tinha que crescer, era ele, não eu. Quando eu acordei - e eu nem ao menos sei como conseguir dormir, com tudo o que aconteceu - foi porque Brandon Stark estava forçando a fechadura do quarto, exigindo saber quando eu levantaria e desceria para o café-da-manhã. E alguns segundos depois, Nikki entrou no meu quarto pela porta que conectava o meu ao dela, dizendo que eu me certifcasse de não comer muito, porque ela não queria ter o "corpo dela" de volta muito empanturrado. E meu celular, em cima de meu travesseiro, estava vibrando. Quando eu o alcancei e olhei para a tela, vi que era uma mensagem de texto de minha agente, Rebecca, exigindo saber quando eu estaria de volta a Nova York. Robert Stark daria uma festa de ano novo em sua massiva casa de


quatro-andares antes do desfile de lingerie ao vivo da Stark Angels depois de amanhã, e era importante que eu estivesse lá para conhecer os patrocinadores. Se eu não tivesse lá, estaria violando meu contrato. Não somente eu seria substituída por Gisele Bündchen (que conseguiu perder todo o peso da gravidez em tempo recorde e mudou de idéia sobre concordar em estar no show), mas eu iria perder muito dinheiro. Nem precisava dizer que Rebecca estava descontente comigo. Eu fiquei lá deitada, me perguntando o quão Rebecca ficaria chaeada comigo se soubesse o quanto sua mais bem paga cliente estava prestes a perder. Tipo, sua vida, se Nikki conseguisse o que queria. Honestamente, eu não sabia o que estava pensando. EU nunca tinha me considerado a garota mais feminina do mundo, nem nada do tipo. Eu nasci e cresci na cidade de Nova York, então sempre achei que já tinha visto de tudo, incluindo uma briga de garrafa quebrada do lado de fora do nosso restaurante mexicano local (o Señor Swanky) entre dois homens que brigavam por um estacionamento. Então era completamente sobrenatural para mim pensar, quando acordei no meio da noite para encontrar meu namorado dizendo que estava vindo me resgatar, que todos os meus problemas estariam resolvidos, e que tudo ficaria bem? Aparentemente sim. Aparentemente, a música de Aretha Franklin que minha mãe gostava muito estava certa, e as irmãs realmente precisam da chave pra fazer-las por si mesmas.(?) Provavelmente a culpa foi minha em acreditar que essas historias de felizes para sempre nos romances da minha irmã, Frida, onde o herói sempre foi salvar a heroína - normalmente a partir de situações de perigo, onde ela se colocava - poderia realmente acontece na vida real. Porque estes livros estavam errados. Descobri, que na vida real, o herói teve problemas com a questão "confiança" da heroína. Desculpe-me, mas tenho problemas de confiança? Eu não estou dizendo que sou perfeita. Não estou dizendo que não há uma possibilidade - uma pequena possibilidade - que o Christopher tinha dito era verdade em parte. Talvez eu tenha dificuldade em deixar outras pessoas entrar, ou o que lhes permite me conhecer, ou me ajudar, ou alguma coisa desse tipo. Mas Christopher pensa que eu ele é o único que tem problemas?


E tudo bem, Christopher tinha tido um monte de problemas para me salvar. Mas eu fui resgatada? Hum, a resposta a essa pergunta seria não. Mas eu disse a mim mesma que não me importava mais. Não foi agora que o Homem-Aranha Negro tinha tomado o lugar do meu namorado anteriormente doce. Mesmo que ele tenha sido meu namorado por cerca de dois minutos no total. Por que eu não disse a Christopher noite passada que Nikki exigiu seu velho corpo de volta em troca de contar o seu segredo a Brandon? Não que isso teria necessariamente feito a menor diferença para ele. Provavelmente não teria, considerando o quanto ele me odiava. Talvez foi por isso que eu não liguei. Uma garota tinha que ter algum orgulho. Quer dizer, eu não quero que ele volte por pena, ou algo assim. Nada seria mais nojento do que isso. Mas, agora ele já foi e eu ainda estava aqui então eu nunca saberia ao certo se teria feito alguma diferença ou não. E nesse momento Brandon deve estar criando, provavelmente, um laboratório secreto onde o meu cérebro vai ser sugado para fora e ser jogado para um corpo desconhecido. E será que desta vez eu me recuperaria da cirurgia? Eu poderia ser lobotomizada (?), ou pior, nunca mais acordar de novo. Eu poderia acabar em um estado vegetativo para o resto da minha vida. Ou ter que usar aquele cabelo nojento que Nikki havia fritado com a chapinha. Vou ser sincera: eu não queria ser a nova Nikki. Sem ofensa, mas ela não estava mostrando muito potencial, eu não quero o resto. Além disso, eu tinha me acostumado a ser o Nikki Howard. Talvez tenha sido superficial, e com certeza, eu reclamei algumas vezes. Mas eu não ligo para o qe a Megan Fox ou a Jessica Biel possam dizer: Havia uma infinidade de vantagens em ser a garota mais gostosa do planeta. A primeira delas era que eu era paga por isso. Muito bem paga. E o número dois era que as pessoas eram mais legais com você se você fosse bonita, ao invés de parecer com aquela bagunça que eu costumava ser, e que a velha Nikki era agora. Elas simplesmente eram assim. Fato. Whitney Robertson era o melhor exemplo. Por que eu iria querer voltar a ter bolas de vôlei acertadas em minha cabeça (de propósito), e minha própria irmã se recusando a ser vista comigo?


Você poderia falar e falar e falar que as pessoas deveriam gostar de você pelo que você é por dentro. Mas se isso fosse realmente verdade, então por que, em nome de tudo que é mais sagrado, alguém iriam gostar de Nikki pra começo de conversa? Eu estava me convencendo cada vez mais de que ela era uma cruza entre Heidi Montag e Hitler. E eu não tinha fé de que Christopher voltaria. Ele não exatamente pariu no melhor dos termos, então parecia improvável que eu o visse novamente, exceto talvez nas aulas de Discurso em Público, se eu voltasse para o Tribeca Alternative. Eu não podia acreditar que ele tivesse me acusado de tratá-lo feito um cachorro quando eu definitivamente tinha tomado cada uma de minhas decisões preocupada pela segurança dele. E tudo bem, talvez, como ele tenha dito, aquilo era o infantilizar, só um pouquinho. No fim das contas, ele era um homem adulto que podia tomar suas decisões e não precisava de minha proteção. Mas na minha opinião, minhas tentativas de protegê-lo só provavam quão profundamente eu o amava. Wow. Talvez Christopher estivesse certo. Talvez eu realmente tivesse virando uma daquelas heroínas estúpidas dos livros de Frida. A questão era que eu tinha me sentido tão feliz quando acordei e o encontrei em meu quarto. Tudo tinha parecido tão bem. Eu não estava mais totalmente sozinha… …só que acontece que eu estava. E graças à minha própria estupidez. EDPV. Estúpida Demais Para Viver. É assim que a Frida diz que chamam as heroínas de seus livros que tomam decisões que colocam suas próprias vidas em risco. E essas heroínas não aparecem apenas em livros. Elas também estão em filmes de terror. Como quando a heroína do filme ouve um barulho no porão e pensa que é melhor ir checar. Mesmo que toda a eletricidade da casa tenha acabado. E sua lanterna esteja quebrada. E há um assassino foragido se escondendo na vizinhança. Sério, ela merece o que irá lhe acontecer. Mas e eu? Quero dizer, eu mereço ter meu cérebro arrancado do meu corpo novamente e ter de aprender a me ajustar a ser uma outra pessoa, tudo de novo? EU mandei para Christopher a mensagem de texto Eu sinto mto. Podemos conversar? Onde vc tá?, mesmo que esperasse que ele não me responderia (e não respondeu), então tomei um banho e me vesti com uma calça jeans de marca e uma blusa estilo bata que


uma loja tinha me enviado, e calcei as botas que tinha trazido comigo de Nova York. Enquanto eu secava meu cabelo, tentei pensar em outra coisa além de mim mesma. Como quanto o pai de Brandon estava esperando ganhar pra armazenar os dados de todas aquelas pessoas no banco de dados da stark. Obviamente, ele não queria usar seus cartões de crédito. Ele era bilionário. Por que ele precisaria de um cartão com limite baixo? E a maioria das pessoas comprando os computadores Stark Quarks era de gente de universidade ou ensino médio. Quero dizer, os Quarks só custavam 200 ou 300 reais, no máximo, e vinham em cores como roxo e verde-limão. Então para que mais ele estaria reunindo todos aqueles dados? Eu ainda estava tentando descobrir isso quando Brandon forçou minha fechadura novamente. "Ei," ele chamou. "Você vem para o café-da-manhã ou não?" Eu marchei até a porta e a escancarei. Brandon estava parado lá, seu cabelo colado à cabeça porque ele tinha acabado de tomar banho. Ele estava usando, para variar, outra camisa Ed Hardy (marca de designer), calça jeans e uma corrente grossa de outro em seu pescoço. Um forte aroma de Axe (o desodorante) assaltou minhas narinas. Sério, Brandon? Eu engoli com força o vômito que subiu por minha garganta. "Estou indo," eu disse, sem sorrir. "O doutor está aqui?" Brandon me encarou sem expressão. "Que doutor?" Eu sempre suspeitei que Brandon tenha tido permissão para comer açúcar demais quando criança. Mas isso era demais, até para ele. "O dr. Fong," eu disse, enunciando claramente para que ele não entendesse errado. "Para fazer o transplante de cérebro." "Ah," ele disse. "Hum… ainda não." Ele deu uma olhada no corredor para se certificar de que Nikki não estava por perto, então colocou um braço na parede atrás de mim, se inclinando tão perto de mim que eu podia sentir o cheiro da pasta-de-dente em seu hálito. "Escuta… você não acha… quero dizer, você não achou que eu iria mesmo seguir com aquele plano maluco dela de deixar que vocês troquem de cérebro ou algo do tipo. Achou? Quero dizer-" ele estendeu a mão e levantou o pingente do cordão que eu estava usando, algo tipo uma lua crescente ou algo do tipo. "Ela é louca. E você… É você que eu quero."


Eu simplesmente o encarei. Eu não me precipitaria em acreditar em algo ue saísse da boca de Brandon mais do que eu acreditaria em algo que li na capa da revista Estrela sobre a suposta gravidez de Jeniffer Aniston. "Hum," eu disse. "Você parecia muito animado com a idéia na noite passada, quando estava falando sobre isso com Nikki." "E de que outra forma eu iria conseguir descobrir o que ela usou para chantagear meu pai?" ele perguntou com uma gargalhada. "Eu tinha que enganá-la, sabe." Eu puxei meu cordão da mão dele. Sério, seu desodorante estava tão forte que meus olhos estavam lacrimejando. "E como eu sei que você não está me enganando?" eu perguntei. "Vocês dois realmente costumavam namorar. Então você nem sempre achou que ela era louca." Brandon olhou para mim com sua boca um pouco aberta, me dando uma ampla oportunidade de ver sua arcada dentária. "Aquilo era só," ele disse, com seu pomo-de-adão tremendo, "só sexo." "Encantador," eu disse, querendo vomitar mais do que nunca. "Então o que acontece agora? Com Nikki, e Steven, e a mãe deles? Você irá mantê-los como reféns eternamente, como seu tubarão de estimação?" "Bem," ele disse, parecendo desconfortável. "Não." "Então para onde eles deveriam ir? Eles não podem voltar para sua vida normal. Seu pai os encontrará. Você quer a morte deles em sua consciência?" Eu estiquei meu dedo indicador no meio de seu peito. "Você quer? Diz, você quer?" "Não," ele disse. Ele tinha andado para trás até encostar as costas na parede. "É claro que não. Mas isso não vai acontecer. Porque seu amigo nerd de computadores vai me ajudar a descobrir como usar a informação que Nikki tem sobre meu pai e virar o jogo para cima dele-" "Meu amigo nerd de computador?" Eu sabia exatamente de quem ele estava falando. "E exatamente por que você acha que ele vai estar disposto a me ajudar, depois do que você me fez fazer com ele no outro dia?" Eu não mencionei a ele a parte sobre o problema de Christopher com meus "problemas de confiança." "Isso não é problema meu," Brandon disse, dando de ombros. "É você quem vai dar um jeito nisso. Ou a Nikki pode acabar exatamente onde você se preocupa tanto que ela acabe…"


Eu não sei porque fiquei tão surpresa. Tudo na vida de Brandon era descartável. Noite passada, depois de ele sair do telefone com seu advogado, já começou a fazer ligações para comprar um novo carro para substituir o que eu tinha queimado. Por que ele não consideraria as pessoas descartáveis, também? Exatamente quando ele estava fazendo essa ameaça casual, Nikki apareceu na porta de seu quarto, usando um vestido rodado que era exatamente do tom de verde errado para seu novo corpo e com uma estampa que fazia suas pernas arecerem muito curtas. Seu cabelo, como sempre, era um desastre, e parecia que ela nem ao menos tinha tentado arrumar seu rosto. Talvez porque não tinha nenhum maquiador profissional por perto para ajudá-la. "Bom dia," ela disse. "Prontos para o café-da-manhã?" Eu dei a ela um sorriso aberto. "Mal posso esperar," eu disse, tirando meu dedo do peito de Brandon e passando por ele em direção às escadas. Atrás de mim, ouvi Nikki ronronar, "Olá, tigre." Ela estava aparentemente falando com Brandon. Não tive dúvidas, pelos barulhos que ouvi depois, que ela tinha envolvido seus braços ao redor dele para um grande beijo de bom dia. Seria a intenção de todo mundo me fazer vomitar antes de eu tomar meu café-da-manhã? O que vi quando cheguei na sala-de-jantar, entretanto, me fez esquecer tudo o que eu tinha acabado de ouvir. Porque era minha irmã caçula, Frida, servindo suco de laranja nos copos em nossos lugares na mesa. Oh, ela estava usando um disfarce, ou o que eu suponho que ela considera um disfarce: óculos de plástico-moldado vermelho, calça xadrez preta e branca, casaco de chefe [de cozinha] branco, e seu cabelo estava cheio em cima dentro de um "barrete" branco de chefe, como o que eles usam, às vezes, na Food Network [canal de televisão]. Mas além disso, ela era definitivamente Frida, uma caloura na escola, que era para estar supostamente em um acampamento de torcida durante as férias de inverno. Havia uma série de coisas que eu poderia ter dito ou feito naquele momento particular. Por para fora, O que você está fazendo aqui? Desmaiar. Ir até ela e mandar ela voltar para casa neste instante. Ela não sabe o quanto ela estava em perigo… quanto perigo ela estava colocando sobre o resto de nós? Eu não disse ou fiz qualquer dessas coisas. Em vez disso, eu afundei na minha cadeira - eu tenho certeza que não poderia ter


permanecido de pé, mesmo que quisesse - e fiquei lá, olhando para ela. Eu não conseguia descobrir o que estava acontecendo por um minuto ou mais. É raro ver alguém de uma parte da sua vida completamente separada de outra parte de sua vida e ter que unir os dois juntos, e em seguida tentar fazer sentido daquilo que você está vendo. Então lentamente - mais devagar do que eu gostaria de admitir - eu coloquei os dois juntos. Foi tudo começando a fazer sentido, apesar de tudo. O fato de que Christopher tinha aparecido na noite passada, em seguida, partiu sem mim? O fato de que Frida estava lá em roupas de bufê mal ajustadas, servindo o alimento para nós - ela estava nos servindo ovos mexidos de um prato - tentando não fazer contato visual comigo através das lentes dos óculos de plástico-moldado vermelho? Eu podia ver que ela pegou o fato de que eu a reconheci. Havia nela manchas brilhantes de cor florescente em cada bochecha cheia, apesar de que ela decididamente não estava olhando para meu lado. Meu coração começou a bater forte dentro do meu peito. Não só eu estava com medo de Frida - medo de que Brandon (grosso, estúpido, perigoso Brandon) iria aparecer a qualquer minuto e reconhecê-la - mas eu percebi que se Frida estava aqui, Christopher estava na cozinha. Ele tinha de estar. O que ele estava pensando, deixando minha irmãzinha vir aqui, de todos os lugares? Pior, só a ideia de que ele pode estar por perto estava fazendo o meu pulso acelerar. Como eu posso ser tão fraca? Mas eu coloquei rapidamente esse pensamento fora da minha cabeça. Mais importante do que isso - mais urgentemente do que isso - foi o perigo que Frida estava. Minhas mãos tinham manchas de suor. Ela não tem idéia de como era arriscado o que fazia? Se Brandon pegar ela… …bem, eu não sabia o que ele ia fazer. Mas eu sabia exatamente que não iria acabar muito bem. E sobre mamãe e papai? Será que eles sabiam onde estava Frida neste exato momento? Eu duvidava muito disso. Porque se soubessem, não teriam permitido. Ela ia ser então, tão morta quando eu terminasse com ela. "Tem alguma coisa que não seja ovos?" Sra. Howard, já sentada, perguntou delicadamente, olhando para a massa informe amarela


congelada em seu lugar, com a testa ligeiramente enrugada, como se ela estivesse realmente preocupada com a idéia de prová-los. Sra. Howard, é claro, nunca tinha visto Frida. Ela não tinha idéia de que minha irmãzinha estava servindo seu café da manhã. "Panquecas", disse Frida, em um falso sotaque do Sul que eu nunca tinha ouvido. Ela soa muito mau como Paula Deen [cozinheira americana do canal Food Network que Em mencionou anteriormente]. Será que ela realmente acha que só porque ela dobrou o cabelo dentro de um barrete de um chef de cozinha e estava de óculos que ninguém ia acreditar que ela estava no fim dos catorze anos? "Eu estarei de volta com eles, madame." "Oh," Mrs. Howard disse movendo pedaços de ovo com o garfo. "Isso vai ser adorável." Ela não parecia convencida. Sentado na mesa grande de vidro ao lado da Sra. Howard estava Steven, que havia levantado muito cedo para trabalhar no ginásio privado de Brandon, como ele fazia todas as manhãs. Estiquei as pernas tanto quanto eu podia e bati em seu pé, levemente, eu pensei… …esquecendo que eu estava usando pointy-tipped stilettos [sapatos]. "Ow," Steven disse, quando alcancei sua perna agora machucada. Ele me lançou um olhar ofendido, como, Porque você fez isso? As

coisas não são ruins o suficiente? Nós estamos presos nesta mansão de praia desse cara. Você tem que me apunhalar pelas pernas com seus sapatos, também? Eu empurrei minha cabeça na direção de Frida. Steven olhou para ela, então me deu um irritado e daí? ainda esfregando sua perna. Quando empurrei minha cabeça de volta em Frida, Steven olhou para ela novamente. O reconhecimento ocorreu. Quando Steven olhou para mim mais uma vez, sua expressão era de descrença. Eu sei, eu disse com o olhar. O que vamos fazer? "Que diabos é isso?" Brandon queria saber. Brandon tinha se desembaraçado de Nikki, e os dois se aproximaram para se sentar à mesa. "É este o suco de limão?" Nikki queria saber, tomando sem esperar por uma resposta. "Isto não se parece com waffles," Brandon disse, olhando para baixo em seu prato." "É porque são ovos, senhor", disse Frida, curvando-se ligeiramente na direção de Brandon.


Meu coração estava batendo tão forte agora, eu mal podia respirar. Brandon conseguiria reconhecê-la? Ele tinha visto ela a menos de uma semana atrás na festa que Lulu e eu tinhamos dado em nosso loft - ele dançou com ela, pelo amor de Deus! Como não poderia reconhecê-la? E se ele reconhecesse ela, iria chamar a polícia? Certamente que não, depois do que ele tinha dito na véspera sobre o Murciélago [modelo esportivo de uma Lamborghini]. Por um lado, agora alguém realmente teria invadido a casa. Será que ele seria áspero? Sobre meu cadáver ele iria tocar na minha irmã… É claro que, dado o fato de que eu já estava morta, era uma espécie de ameaça vazia. "Ovos?" Brandon parecia perturbado. "Desde quando temos ovos no menu? Eu odeio ovos". Meus ombros cederam em alivio. Ele não tinha reconhecido ela. Claro que não. Brandon não presta atenção nem em… bem, Nikki, que pode ajudá-lo. "Houve uma ligeira alteração, senhor", disse Frida. "O Chef está confiante de que você vai encontrar um alimento que te agrade". Jesus! Quando Frida tinha aprendido a dizer tudo isso? Ela realmente parecia uma cozinheira real. Eu não podia acreditar. Minha irmãzinha estava crescendo! Brandon olhou para gosma amarela em seu prato. "Não tem waffles belgas?”, ele perguntou, agora soando um pouco desamparado. "Isso é vergonhoso", disse Nikki. "Você realmente não pode encontrar boa ajuda mais". Ela jogou o guardanapo ao lado de seu prato e começou a levantar-se. "Eu irei dar um pedaço da minha mente pra esse chef." "Não." Eu rapidamente joguei meu guardanapo, fingindo indignação. "Eu faço isso. Não há nenhuma razão para que o resto de vocês não fique aqui e se divirta." Me levantei e fiz meu caminho pelo chão de mármore liso preto em direção a Frida, com Cosabella, que me seguiu, trotando atrás de mim, suas garras fazendo tique-taque no mármore. O tempo todo o meu coração era barulhento, juntamente com meus saltos e as garras de Cosabella. Eu estava um pouco envergonhada pois meu coração parecia estar dizendo: Chris-to-pher meu coração batendo no ritmo de meus passos. Chris-to-pher. Era ridículo, eu sabia. Agora não havia tempo para pensar sobre meninos. Especialmente os meninos que tinham me abandonado


por causa do meu alegado "problema". Minha irmã era a única que eu tinha de me concentrar. Minha irmã que tinha estupidamente, idiotamente, e surpreendentemente se colocado em risco por minha causa. De certa forma, eu estava orgulho por ela dela (não que eu vá dizer isso a ela, pelo menos enquanto estiver dando a minha reclamação). Como ela tinha vindo pra cá, todo estando lá em New York! Ela era apenas uma caloura… uma criança, afinal de contas. Parecia que era ontem que ela estava me implorando para ir com ela para ver Gabriel Luna em concerto um Megastore Stark. Ou não me implorando para ir com ela na verdade, uma vez que ela não queria que eu fosse vista com ela e envergonhando-a em público porque eu me vestia mal. Que tinha sido antes de eu me tornar Nikki Howard é claro. Deus, como o tempo voa. "Venha comigo, moça", eu disse, agarrando o braço de Frida. "Vamos ter uma palavra com este seu chef." "Um", disse Frida. Ela mal podia me acompanhar por causa de suas pernas curtas então eu a empurrei para a cozinha. "Tudo o que você diz, minha senhora." Ele não estava lá. Sabia que ele não estava lá. Eu tinha visto o olhar no seu rosto na noite passada. Ele não estaria lá. Eu sabia que ele não estaria lá. Tinha visto a expressão em seu rosto noite passada, quando ele acabou comigo. Sem mencionar a expressão que ele tinha no rosto naquela manhã, perto da limousine, do lado de fora da casa do Dr. Fong, quando eu disse a ele que as coisas poderiam ter sido diferentes se ele simplesmente tivesse gostado de mim como eu era antes da cirurgia. Mas ele não tinha gostado, e agora era tarde demais. Não era nenhuma surpresa que ele estivesse tão indisposto em me perdoar… …e estava tão convencido de que eu tinha problemas. E tudo bem, o que eu disse a ele na limousine tinha sido uma mentira, embora na época eu tenha dito a mim mesma que acreditava nisso. Eu tinha de acreditar, para conseguir dizer aquilo. A expressão que eu tinha visto em seu rosto quando eu disse aquilo não tinha sido a expressão de alguém que parecia provável de me dar outra chance mais tarde. Exceto que… bem, a Frida estava aqui. Eu nunca, em um milhão de anos, achei que a veria aqui. Milagres, ao que parecia, realmente aconteciam.


Então talvez… só talvez… Quando eu abri a porta da cozinha com toda a força que podia, tentando dar a impressão, para Brandon, de ser a namorada de um bilionário com raiva, Lulu, em um jaleco branco e uma touca de cozinheiro que combinava com o de Frida, soltou um gritinho. Meu coração fez um zzzzzzzt, como um balão que algum palhaço de aniversário tenha pisado em cima com seu estúpido sapato gigante de palhaço. Christopher não estava à vista em lugar nenhum. Ao invés disso, Lulu, deixando sair um suspiro de alívio, sorria como se eu fosse o Ryan Seacrest dizendo a ela que ela era o novo Ídolo da América (American Idol, a versão original do Ídolos. Ryan

Seacrest é o apresentador do programa, assim como o Rodrígo Faro apresenta o ídolos no Brasil). Oh, graças a Deus," ela disse, levando uma mão ao peito. "que são só vocês duas. Ah, e a Cosy! Vocês me assustaram. Vocês tinham que me assustar desse jeito?". Minha mente rodava enquanto eu tentava ver um sentido no que eu estava vendo em frente a mim: a minha colega de quarto, Lulu Collins - sem falar na minha irmã - estava na cozinha da casa de praia de Brandon Stark. Claro. Mas é claro que elas estavam. Onde mais elas estariam? "O que," eu perguntei, quando finalmente recuperei o fôlego de toda aquela loucura, "vocês estão fazendo aqui? COmo conseguiram entrar? E onde está o chef que feveria estar aqui?" "Eu não sei," Lulu disse, respondendo minha última questão primeiro, dando de ombros. Ela foi desligar o fogão, onde ela tinha estado fritando algo em uma panela. O cheiro estava delicioso. Cheirava a panquecas. Quando Lulu tinha aprendido a cozinhar alguma coisa além de sua especialidade, frango ao finho tinto? "Eu dei a ele um cheque para tirar o dia de folga. E nós pegamos emprestadas as suas coisas e entramos. Bem, viemos dirigindo, na verdade. Ninguém checou nossas identidades nem nada. Em, você está bem? Nós estávamos tão preocupadas com você. Você tem agido de um jeito tão estranho! Que blusa fofa. Não me abrace, não quero que você fique cheia de pedaços de panquecas." Lulu me abraçou. Eu fiquei lá com seus pequeninos e magros braços ao redor de meu pescoço, olhando atrás dela para Frida, que estava parada lá sorrindo para mim. "Mamãe e papai sabem onde você está?" eu quis saber, mesmo que soubesse a resposta.


"Mamãe e papai acham que eu estou no acampamento das líderes de torcida," Frida disse. "E antes que você possa ficar ainda mais brava, Em, deixe-me lembrá-la de que eles cancelaram sua viagem para a casa de vovó para ficar na cidade com você. Mas então você deu o fora com seu novo namorado, Brandon stark. Eles não estão exatamente felizes com você." Eu pisquei para ela. "Mas-" eu comecei a protestar. "É," Frida disse, concordando. "Eu sei. Mas eu não podia dizer a eles que você não está aqui por escolha própria, né? Ou eles começariam a surtar. Então eu tive que ficar toda Ah, não, ela está apaixonada por Brandon agora. E concordar com tudo o que os tablóides estavam dizendo, como todo mundo. Mesmo que eu soubesse que você não dá a mínima para Brandon Stark. Eu podia ver isso em seu rosto, mesmo que mamãe e papai não pudessem. Mas só para você saber, você está basicamente os matando, um pouquinho por dia. Está feliz?" Eu pisquei para ela. Então meu namorado acha que eu tenho problemas de confiança, e eu estou matando meus pais? Isso não era exatamente algo que eu queria ouvir. Especialmente antes do café da manhã. "Então quando Lulu me ligou no acampamento - porque mamãe surtou e disse que eu ia para o acampamento das líderes de torcida, acho que porque ela não quer que eu me torne uma louca por garotos como você, Em - para dizer que ela queria fazer uma intervenção com você," Frida disse, "eu aproveitei a chance. Porque o você acha que é mais importante: salvar minha irmã amada ou aprender a fazer uma bolada em giro alto?" Já que eu não sabia como responder essa questão - uma bolada em giro alto tinha que ser algum tipo de movimento de líderes de torcida -, soprei os cabelos presos no gloss nos meus lábios e as encarei quando Lulu me soltou e se afastou para ir até a frigideira de ferro que estava fora do fogo no fogão. Lá tinha, eu vi, uma panqueca. Lulu realmente tinha planejado servir panquecas. Então, ficando com as costas eretas, no máximo de sua altura - que era vinte centímetros a menos que a minha - Lulu disse, "Sério, Em, você não deveria ficar brava. Nós estamos aqui para lhe resgatar." Eu fiquei lá as encarando. Eu não podia acreditar que elas tinham feito o que tinham feito - vir de tão longe, só para me levar para casa.


"Vamos, Em," Lulu disse, fazendo um movimento mandando eu me afastar. "Vá pegar Steven e sua mãe e a Nikki, e vamos embora. Você está pronta? Essa blusa é fantástica, aliás. Eu já disse isso?" "Gente," eu disse. Eu senti as lágrimas no canto de meus olhos. Não pude evitar. Não podia areditar em quão doce elas estavam sendo, especialmente quando eu tinha certeza de que ninguém se importava. Bem, exceto minha mãe. E Rebecca, minha agente. Mas minha mãe só se importava porque ela tinha que se importar… ela era minha mãe. E a Rebecca… bem, ela precisava de mim pelo dinheiro que ganhava comigo. Ao mesmo tempo, tinha uma ferida em meu coração que eu não podia negar, e isso tinha a ver com o fato de que, enquanto elas estavam aqui, uma outra pessoa estava ausente. Frida e Lulu, percebendo as lágrima repentinas em meus olhos, trocaram olhares. "Ah," Lulu disse. "Certo. Christopher estava certo." Meu coração acelerou um pouco. "Vocês falaram com Christopher?" eu perguntei. "O que ele disse? Ele… contou a vocês?" Se ele tivesse contado a elas sobre meu suposto problema de confiança, eu o mataria. "Sim," Frida dsse. "Ele contou. E não se preocupe. Nós falamos disso nas minhas aulas de Psicologia. Em," Ela virou para mim, colocou suas mãos em meus ombros nus, e começou a falar em uma voz exageradamente lenta. "O que você está experimentando agora é chamado Síndrome de Estocolmo. Acontece quando você começa a simpatizar com seu captor porque ele mostrou bondade para com você. Eu sei que Brandon pode ser gostoso, e ele te deu uma blusa linda. Mas ele ainda é um cara mau. Só porque ele não te matou não significa que ele seja seu amigo." Chocada, eu tirei suas mãos de mim. "Você quer calar a boca? Eu não estou apaixonada por Brandon. Credo, foi isso o que Christopher disse?" Falando em Estúpido Demais Para Viver… "Ah, ufa," Lulu disse, seus ombros frágeis relaxando em alívio. "Ótimo. Olha, nós não temos muito tempo. Eu aluguei um jato para nos levar para Nova York, e ele está nos esperando. Eles cobram por hora, então, sabe, vamos logo. Vá dizer aos Howard para vir aqui. Aliás" - ela abaixou sua voz - "o Steve perguntou por mim? Ele gostou dos ovos? Eu os fiz especialmente para ele. Ele ama ovos mexidos. Aliás, ele sabe que eu gosto dele, não sabe? Eu estou sendo muito óbvia." Ela cutucou o braço de Frida. "Eu te disse que ovos mexidos eram óbvios demais. Eu deveria ter feito ovos


cozidos." "Ai!" Frida disse, esfregando seu braço. "Lulu!" "Eu espiei há um minuto e o vi," Lulu continuou. "Ele está tão gostoso naquele casaco! E de Cashmere, e nós estamos na praia, pelo amor de Deus. Talvez ele devesse tirar aquela camisa. Estaria tudo bem por você se ele andasse por aí sem blusa, não estia, Frida? Vê, a Frida não de importaria. E o que é aquele cabelo da Nikki? Ela não está nem ao menos tentando? E aquele verde é a cor errada para ela." Eu respirei fundo. "Gente," eu disse. "É sério. Nós não podemos partir ainda. O Christopher não lhes contou? Nós temos que-" "Você está bem?" Frida perguntou. Ela tinha tirado os óculos vermelhos de plástico e agora piscava para mim, seus olhos parecendo bastante brilhantes. Eu percebi que era porque havia lágrimas neles. "Porque você está horrível. Quero dizer, por baixo da maquiagem e tudo. Você percebeu que não sorriu nenhuma vez desde que chegamos aqui?" "Você não sorriu nenhuma vez desde que você deixou Nova York," Lulu disse, acusadoramente. "Eu sei, eu tenho você no Google Alerta. Tenho visto todas as fotos que foram tiradas de você, e você está miserável em todas. Foi assim que nós soubemos." Ela me lançou um olhar significativo. "Que você precisava ser resgatada." "Olha." Eu peguei mabas Lulu e Frida pelo braço e comecei a conduzí-las para a porta dos fundos, pela qual a entrega de comidas era feita. "Obrigada por tentar me resgatar. Eu agradeço muito. De verdade. Mas nós temos que-" Antes que alguém pudesse dizer outra palavra, a porta da cozinha se escancarou. Lulu deixou escapar um gritinho… …pelo qual eu não poderia culpá-la, já que Brandon Stark estava de repente parado lá em nossa frente.


Oito "Que diabos", Brandon exigiu, olhando pra mim depois pra Frida e em seguida olhando pra Lulu e voltando a olhar pra mim, “é isso?" "Ah", disse Lulu. Seus olhos escuros tinham ido na direção das panquecas. "Oi, Brandon. Gostou dos ovos? Eu os fiz sozinha." Brandon ignorou-a. Eu não poderia dizer exatamente o que eu culpava. "O que estão fazendo aqui?" Ele tirou o seu olhar delas, e veio pra cima de mim. Eu sabia que tinha que agir, e rápido. Não era como se eu tivesse um monte de tempo para pensar sobre como eu estava lidando com isso, ou o que eu ia dizer ou fazer. Ninguém tinha me dito que ia ter uma segunda tentativa de resgate pela manhã. Isso não foi como a coisa do carro-bomba, que eu tinha ficado noites em claro remoendo e planejando. Quer dizer, eu realmente odiava Brandon Stark, então eu decidi fazer a coisa mais malvada que ele que eu conseguia pensar, e que era a luz que ele mais gostava em fogo. Mas neste caso, eu não tive a chance de chegar a algo tão genial quanto um colar-fusível-explosivo. Eu apenas fiz a primeira coisa que veio a minha mente. Eu me joguei em cima dele colocando um braço sobre o seu peito e esfreguei os meus peitos contra seu ombro. Essa era outra vantagem em ser Nikki Howard. Ela era muito perturbadora para os homens. “Minhas amigas vieram para uma visita, Brandon”, Eu ronronei. “E elas fizeram o café da manhã. Isso não é uma ótima surpresa?”. Apesar de que, Brandon não parecia achar que tinha sido uma ótima surpresa. De fato, ele continuava parecer homicida, parecendo ignorar completamente a minha voz ronronante. E os meus peitos. O que era bastante incomum para ele. “Não”, ele disse furioso. “Onde está o chef? Eu paguei um monte de dinheiro por este chef”. “Ele estará de volta amanhã”, Lulu cantou. “Eu prometo. Olhe, Brandon. Eu ia fazer as suas panquecas”. Brandon parecia compreensivelmente impressionado. “Lulu”, ele disse. “Foi você que colocou fogo no meu carro?”. Lulu pareceu confusa – o que fazia sentido, já que ela não tinha nada a ver com a destruição da Murciélago do Brandon e não tinha a menor ideia do que ele estava falando. “O que?”, ela perguntou, colocando a frigideira de volta no fogão


com um tinido. “Não…”. “Eu sabia”, ele disse, enfiando sua mão no bolso para pegar seu Iphone. “Eu sabia que não tinha sido um paparazzi que tinha destruído o meu carro. Então é isso. Eu estou ligando para a polícia e levando vocês para a prisão”. Eu deixei ele de lado e dei um passo para trás. “Brandon”, eu disse. “O que você está fazendo?” Exceto que estava bem claro o que ele estava fazendo quando o toque do 911 encheu o ar. “Não se preocupe, querida”, ele disse para mim. “Eu tenho tudo sobre controle”. Ele apontou para Lulu e para Frida enquanto dizia “Isso é invasão, você sabe, e aquilo, minhas amigas, foi destruição de propriedade. Aquele Murciélago vale mais que um quarto de milhão de dólares, Lulu, seu pai pode pagar isso de volta, mesmo com o último filme dele tendo sido um desastre. Sim, Alô”, Ele disse quando alguém do outro lado da linha atendeu. “Eu gostaria de informar um - “. Mas antes que as últimas palavras saíssem da sua boca, um braço musculoso vestido de cinza-carvão surgiu em volta do seu pescoço. E a voz de Brandon foi interrompida. Ele derrubou o celular, tentando agarrar aquele braço. Mas era muito tarde. Um segundo depois Brandon fechou os seus olhos. E daí o braço deixou ele e Brandon tinha afundado em silêncio no chão, inconsciente. Cosabella correu até ele para cheirar a sua orelha e lhe deu uma encorajante lambida. Nós todas ficamos lá, olhando para baixo sem saber o que exatamente tinha acontecido – isso tudo tinha acontecido tão rápido – até que alguém limpou a garganta. Então notamos Steven. Aparentemente ele estava atrás de Brandon o tempo todo que ele tinha conversado conosco. O braço dele que tinha estrangulado Brandon até ele desmaiar. “Steven”, Lulu disse, seu rosto se transformando em uma expressão que eu só poderia descrever como uma absoluta adoração. “Oh, oi!”. “Uh”, Steven disse, parecendo um pouco desconfortável. “Oi, Lulu”. “Oh, meu Deus”, Frida gritou, pegando uma colher e abaixando para colocá-la em frente do nariz do Brandon, aparentemente para checar se ele ainda estava respirando. “Ele está morto!” "Não", disse Steven um pouco tímido. "Ele não está morto. Ele vai acordar cedo, bem desgastado. Ele nem mesmo sabe o que aconteceu."


"Você aprende estrangulamento no treinamento militar?" Lulu perguntou com o corpo em cima do corpo de Brandon indo até Steven e esfreguando seu corpo contra o dele, como um gato. Não estou mesmo mentindo quando digo que seus cílios vibraram. "Uh", disse Steven, olhando pra ela ainda mais incerto do que antes. "Sim?" "Isso foi incrível", disse Frida. Ela parecia tão admirada como Lulu. Talvez até mais. Lhe dei um olhar um irritado. Ela deveria ter uma queda por Gabriel Luna, não o irmão mais velho Nikki Howard. "Então", disse Steven, ignorando o seu fã-clube de novo. "Será que alguém gostaria de me dizer o que está acontecendo aqui?" Quando ele perguntou isso, havia o som de uma explosão… tão poderoso que realmente abalou um pouco a cozinha, fazendo com que todas as panelas e frigideiras penduradas num suporte sobre a parede gerando vários barulhos de uma vez só e fazendo um som que retina. Agarrei o contador para me equilibrar nos meus calcanhares. "O que era isso?" Eu perguntei, alarmada. "Oh". Lulu com seu toque de chefe se sentou no ângulo mais distante da cozinha, e disse: "Isso foi apenas Christopher. Ele deveria explodir alguma coisa para distrair os guardas de Brandon. E Brandon - para todos nós podermos escapar com segurança na parte de trás." Ela olhou para Steven com adoração. "Mas Steven já distraiu Brandon, como você pode ver." "Espera," eu disse, o meu coração parando. "Christoper aqui? Com você?" "Claro que ele está aqui", disse Frida. "Ele disse que vocês dois conversaram ontem à noite," Lulu foi explicando e ao mesmo tempo, batendo seus grandes olhos Bambi para Steven, "Estamos aqui para te salvar. E a sua mãe e Em" Então ela acrescentou, com um pouco de desgosto: "E sua irmã, também." "Steven!" A porta da cozinha se abriu. Foi a Sra. Howard, pálida, seguida por Harry e Winston. "O que está acontecendo? O que foi isso -" Ela olhou para Brandon inconsciente. Ele parecia estar dormindo suavemente como um bebê. "Oh querido…" "Ele está bem, mamãe", Steven rapidamente assegurou sua mãe que estava em pânico. Ele foi colocando um braço em torno dela. "Por que você e Nikki não vão buscar suas coisas juntas? Eu acho que vamos sair daqui em um minuto ou dois." Mrs. Howard sacudiu a cabeça, incapaz de tirar o seu olhar de Brandon.


"Nós sempre parecemos estar fugindo de lugares em momentos mais inesperados", ela murmurou. Mas sua reação foi leve em comparação com a da sua filha, que veio poucos segundos depois que sua mãe havia saído e choramingou: "O que está acontecendo? O que foi que -?" Foi quando ela olhou para o chão e soltou um grito de gelar o sangue. "Brandon!" Nikki caiu de joelhos ao lado de seu ex-namorado. "Oh meu Deus, Brandon! Você está ferido?" Brandon realmente parecia estar recuperando a consciência quando ela perguntou isso, em parte porque Nikki tinha o colocado em uma posição de localização [de barriga para cima]. Ele rolou a cabeça para trás e para frente, murmurando alguma coisa sobre como ele não queria mais salada de peekytoe [espécie de carangueijo]. Quando suas pálpebras se abriram, ele olhou para Nikki e perguntou com uma voz atordoada, como nos filmes, "O que aconteceu?" "Steven fez um movimento militar secreto em você", Lulu disse para Brandon. "Não se preocupe. Você vai ficar bem." "O quê?" Nikki gritou, virando a cabeça na direção de seu irmão. "Você fez isso? Por que você iria fazer isso com Brandon, de todas as pessoas? Ele tem sido tão bom para nós!" Ah, talvez ele tivesse sendo bom para ela. Para mim? Nem tanto. "Porque ele ia chamar a polícia e os seus amigos seriam presos, Nikki", explicou Steven. "E eles estão apenas tentando ajudar." "Ajudar?" os cabelos lisos-chapinhados de Nikki voaram quando ela olhou de Steven para mim e Lulu, e depois de volta para ele. "Ajudar como?" "Ajudar-nos a sair daqui, Nikki," eu disse. Eu não queria ser a pessoa a dar a Nikki a má notícia. Mas alguém tinha que fazer isso. "Agora que você disse à Brandon o que você ouviu falar sobre Stark Quarks, ele não vê mais utilidade em você. Ele vai cortar você e sua família vai perder." Brandon não concordou com isso. Para ser justa, ele não olhou como se ele estivesse na melhor forma. "Não." Ela balançou a cabeça para trás tão rapidamente que um monte de cabelos brilhantes com um pouco de estática começaram a voar. Ela não pareceu notar, no entanto. "Não, ele não vai. Ele está conseguindo minha operação. Não é, Brandon? Diga a eles." Brandon estava ainda um pouco grogue pelo que Steven tinha feito a ele, então Nikki, acho que para ser útil, dava em seu rosto alguns beijos. "Você me ouviu, Brandon? Diga a eles!"


"Uh, Nik?" Steven disse. "Estapeá-lo não vai realmente ajudar." Foi nesse momento que a porta de trás da cozinha se abriu e Christopher irrompeu com uma mancha em seu rosto que parecia óleo, sua calça jeans suja e sua jaqueta de couro aberta. Ele parou no limiar, aparentemente surpreso ao ver-nos todos ali reunidos, e em particular Brandon caído no chão… …e eu, em pé perto dele. Ele só levou um segundo ou dois, no entanto, para reunir-se a nós. E levou apenas um batimento cardíaco para a minha respiração ser tirada completamente de mim pela visão dele. O que foi irritante. Porque eu estava muito, muito brava com ele. E eu definitivamente não estava apaixonada por ele mais. Por que eu deveria estar apaixonada por uma irritante, teimosa pessoa? Ou pelo menos, foi isso que eu disse a mim mesma. "Ah, que bom," disse ele. "Vocês estão todos aqui. Vamos, então… Não temos muito tempo. Tenho certeza que um dos seguranças ligou 911. Estão por toda parte na praia agora, apagando o incêndio. Ainda assim, precisamos ir agora. Ah, o fogo. Bem. É claro. "O que fazemos com ele?” Steven perguntou, apontando para Brandon. Christopher olhou para o herdeiro de imensa fortuna de Robert Stark. "O que aconteceu com ele?" perguntou curiosamente. "Steven utilizou um secreto estrangulamento militar sobre ele," Lulu disse novamente, tagarelando como antes. "Excelente," disse Christopher com um aceno positivo para Steven. "Amarrem-no." Amarrá-lo? Fiquei olhando para Brandon, que parecia tão assustado quanto eu. Não podia acreditar que Christopher - Meu Christopher tinha apenas casualmente sugerido que alguém amarrasse Brandon Stark. Quem Christopher tinha virado? Uma semana antes ele era apenas um nerd - mas quente – dos juniores do Tribeca Alternative High School, em Mahattan. Agora, de repente, ele é John Connor do Terminator Salvation? "Amarrá-lo?" Nikki olhou para cima com os olhos cheios de lágrimas já borrados pelo rímel. "Você não pode estar falando sério. Você não vai amarrá-lo." "Aqui está barbante de cozinha", disse Lulu, depois de abrir uma gaveta da cozinha.


"Perfeito", Christopher disse, e estendeu a mão para pegar o carretel de barbante que Lulu entregando a ele. "Steven, quer me ajudar aqui?" "Seria um prazer." Steven inclinou-se para envolver as pernas de Brandon em barbante de cozinha, enquanto Christopher passou a trabalhar em seus pulsos. "Você está louco?" Brandon exigiu. Ele parecia estar voltando, mas não o suficiente para lutar contra o que estava acontecendo com ele. Exceto em voz alta. "Você sabe quem eu sou? Quando meu pai souber sobre isso –” "Quando ele souber de quê?" Christopher queria saber. "Como você esteve com a garota que ele tentou assassinar aqui na sua casa por quase uma semana e nunca contou a ele sobre isso, porque você estava tentando fazer ela dizer o por que de ele ter tentado matá-la em primeiro lugar?" Christopher tinha um ponto. Por outro lado… Frida veio até mim e sussurrou: "O que vai acontecer quando Brandon sair daqui? Quero dizer, ele não vai ficar louco?" "Eu penso que sim." Eu disse. "Então ele vai vir atrás de nós?" ela perguntou preocupada. “Provavelmente” eu disse. Era exatamente isso o que eu estava pensando. Eu estava um pouco surpresa que Frida tinha percebido isso. Frida ultimamente tinha começado a mostrar um crescimento surpreendente e maturidade para alguém que, apenas poucos meses antes, estava disposto a ficar horas numa fila apenas para conseguir o autógrafo de um cara que eu nunca tinha sequer ouvido falar. De repente, percebi que os soluços Nikki tinha alcançado uma altura em que soava como lamentos. Eu nunca tinha ouvido lamentos reais antes, mas eu tinha lido sobre isso em livros. Parecia lamentar, apenas um pouco mais alto. Nikki estava se abraçando e balançando para trás e para frente sobre os joelhos como uma criança que tivesse o seu brinquedo favorito tirado dela. "Não, não, não, não," ela estava dizendo, sua voz ficando cada vez mais alta. "Eu não vou sair aqui! Não sem Brandon!" Lulu, eu percebi, estava vendo teatro de Nikki, um pouco menos simpática do que qualquer outra pessoa na sala. Desde que eu nunca tinha visto Lulu não sendo bondosa para com alguém, eu não podia deixar de sentir um pouco surpresa quando ela disse, com nenhuma sutileza pra Nikki, "Você parece muito dedicada ao Brandon agora, Nikki. Mas você não esteve tão devotada a ele


quando você estava se esfregando por trás das minhas costas – e das minhas - com o meu namorado, Justin, não foi?" Como um corte os lamentos de Nikki foram silenciados como uma sirene que alguém tinha de repente silenciado - assim como, na distância, ouvimos o lamento de uma sirene na vida real. A polícia estava a caminho. Brandon olhou para Nikki com surpresa - quase como se ele estivesse realmente visto ela pela primeira vez. "Você?" Suas sobrancelhas escuras franzidas. "E Justin?" Nikki ficou de boca aberta, ela olhou para Brandon e depois para Lulu, parecendo engolir um pouco de ar, como se ela fosse um dos peixes do aquário de Brandon… que tinha acidentalmente pulado para fora da segurança dos sua calmante água azul. "Você - você descobriu?" ela perguntou, soando um pouco atordoada. "Ele tentou fazer respiração boca-a-boca em Em," Lulu disse, apontando para mim. "Só que ela não estava sentindo nenhuma dificuldade para respirar, se você sabe o que quero dizer." Eu estremeci. Eu sempre me perguntei se tinha sido Lulu olhando pela janela naquele dia em Justin tinha mim puxado para fora do loft. Agora eu sabia. Pobre Lulu. E pobre Nikki. Ela piscou como se alguém tivesse a esbofeteada. Sua boca ainda se movia silenciosamente, como se ela estivesse tentando dizer algo. Só que as palavras não saíam de sua boca. "Eu gostaria muito de ficar por aqui e continuar a este episódio muito especial de America's Next Top Teen Supermodel", Christopher disse, "mas precisamos nos mexer antes -" A campainha tocou. "Eu acho que essa é a nossa deixa", disse Steven. Sra. Howard reapareceu na porta da cozinha, segurando o mesmo saco que eu tinha a visto sair da casa do Dr. Fong, quase uma semana atrás. "Eu estou assumindo," ela disse, "Eu não deveria conseguir isso." "Não," disse Christopher. "Você não devia". Nikki deu um pulo e se atirou em sua mãe. "Mamãe," ela chorou. "Eles estão nos fazendo ir com eles! E deixar Brandon para trás!" Olhei para Christopher. Eu sabia que ele me odiava agora, e tudo mais. E talvez tivesse razão.


Mas ele ainda tinha que me escutar. Porque esta era a minha fuga, também. "Nós temos que levá-lo conosco," eu disse. Christopher olhou para mim como se nunca tivesse me visto antes em sua vida. Na verdade, ele me olhou igual os primeiros dias de volta na classe de Mr. Greer, Discurso em Público, quando Christopher não sabia que era eu, Em, olhando para ele por trás dos famosos olhos azuis-safira de Nikki Howard. "Absolutamente não," ele disse, energicamente. "Isso não faz parte do plano." Eu andei até ele e parei com meu rosto a poucos centímetros do seu. "Nós temos que mudar o plano," eu disse. "Porque se não o fizermos, no minuto em o avião aterrissar, vamos estar cercados por um bando de agentes federais. Brandon vai chamá-los. Eu garanto isso". "Ele não vai contar para ninguém," disse Christopher. "Ele não pode. O que ele vai dizer? Que ele te sequestrou, e você escapou?” "Ele vai fazer alguma coisa para todos nós," respondi. "Ele vai dizer coisas horríveis sobre o que fizemos com ele, e a próxima coisa que veremos é Steven no America's Most Wanted [programa apresentado pela Fox Americana para auxiliar as autoridades na apreensão dos fugitivos procurados.]". "Eu não acho que mostrar é mais", disse Christopher, olhando para mim com as sobrancelhas franzidas. Seus lábios, não pude deixar de perceber, estavam muito próximos dos meus. Eu me odiei por perceber isso. "Oh, isso mostra que ainda está [palavra intraduzível]," eu disse. "E você sabe quem vai ser estrelado por ele em breve? Você, se continuar da maneira que está agindo. O que você fez explodir, de qualquer maneira, quando você estava lá fora ‘distraindo os seguranças de Brandon’? Como você sabe que nenhum deles se machucou?" Ele ficou indignado. "Porque nenhum deles ficou", ele respondeu. "Eu estava lá. Foi só uma bomba de tubulação, e eu joguei para a praia, longe de todos." "Incluindo os paparazzi?" exigi. "Eles estão se escondendo nas dunas." "Eu verifiquei com antecedência," Christopher revidou. "Ninguém estava lá. Deus, Em, o que você quer de mim?" Obviamente, eu não poderia dizer o que queria dele. Porque não


teria sido exatamente apropriado dizer na companhia mista na qual estávamos, que tinha a ver com a língua dele em minha boca. "Eu quero que você seja responsável por suas ações," eu disse como alternativa. Eu não sabia o que havia de errado comigo. Por que eu estava gritando com ele quando ele estava apenas tentando me ajudar, o que foi bastante generoso da parte ele, considerando o fato de que ele não gosta mais de mim mesmo? "Não corra ao redor agindo como seu avatar em Journeyquest, que a propósito sempre ataca antes de pensar, também, que é exatamente como você sempre tem pwned [termo de jogos, derivado de 'owned'] -" "Você nunca me pwned," Christopher revidou. "Eu pwened você -" "Hum," Mrs. Howard disse. A campainha tocou novamente. Agora alguém estava batendo na porta, também. "Eu odeio interromper. Mas eu realmente acho que devemos ir agora. – "E eu acho que ter Brandon com a gente é, provavelmente, o mais sensato," Mrs. Howard continuou. "Caso contrário, eu acho que ele poderia fazer alguma coisa… impulsiva." "Se você colocar sua mão em mim," Brandon urrou, batendo no chão, "Eu vou chamar meus advogados! Vou processar todos vocês! Você também, Lulu! Só porque sua mãe e minha mãe viveram no mesmo ashram [comunidade formada intencionalmente com o intuito de promover a evolução espiritual dos seus membros, frequentemente orientado por um místico ou líder religioso.], não pense que não vou fazer isso!" Lulu olhou para Brandon com os olhos apertados. Ficou claro que ele cometeu um grande erro ao levar isso até sua mãe, de quem nunca Lulu tinha sido capaz de falar sem emoção. "Ele está vindo," disse ela, tirando um pano de prato do bolso do avental. "Amordace-o, Steven." Levou apenas alguns segundos para Steven empurrar o pano de prato na boca escancarada de Brandon, protestando. A próxima coisa que eu sabia, era que ele e Christopher estavam meio arrastando, meio empurrando Brandon pela porta dos fundos para o lado da casa onde tinha uma minivan estacionada. O som das ondas batendo na praia, uma dúzia de metros de distância era alta… …mas não tão alto quanto o som das sirenes se aproximando cada vez mais. O ar lá fora estava fresco e cheirava uma mistura de fumaça de madeira e spray de oceano salgado. Cosabella, excitada para fazer o que ela pensava ser sua caminhada matinal, apressou-se na minha frente farejando tudo o que encontrava e fazendo seus “negócios”,


juntamente com os cães da Sra. Howard. Nikki se manteve tropeçando enquanto andava de salto plataforma e olhando de volta para a casa. "Minha operação," disse ela baixinho. "Se deixarmos, eu não vou ter a minha operação." "Sim," o irmão dela disse, numa voz que era tão antipática quanto a que Lulu havia usado para falar sobre Justin. "Bem, isso é o melhor. Mamãe disse que iria matá-la, lembra?" "Mas," disse Nikki tristemente, "Eu só quero ser bonita". Não vou mentir: quando eu ouvi aquilo, tropecei. Eu mal conseguia olhar para ela. Eu só quero ser bonita. Oh, meu Deus. Nikki não tropeçou novamente quando todos nós entramos no carro (bem, Brandon teve de ser amassado no banco traseiro da minivan, uma indignidade que ele não pareceu desfrutar nem um pouco, pois o grunhir que podia ser ouvido de trás não tinha qualquer indicação) e começamos a andar em alta velocidade até o aeroporto, passando pelos bombeiros no caminho. Lulu, que ainda estava com seu chapéu de chef, acenou alegremente para os bombeiros bonitos, alguns dos quais realmente acenaram de volta para ela, inconscientes que tínhamos sido os únicos responsáveis pelo fogo que eles estavam correndo em direção. Mas o rosto de Nikki, quando eu olhei para ela, estava prestes a ser a coisa mais triste que eu já tinha visto.

Eu só quero ser bonita. Eu posso não ser mais uma prisioneira… …mas Nikki de repente estava se sentindo como uma.


Nove Dissemos aos pilotos e as aeromoças que a razão de Brandon estar amarrado era porque nós estávamos levando ele para a reabilitação contra sua vontade. Eles sabiam o suficiente sobre Brandon Stark de ter lido sobre ele nos tablóides - e até mesmo de ter voado com ele uma ou duas vezes - para acreditar. Eles caminharam ao redor durante o vôo balançando a cabeça como se estivesse pensando. Oh! Os pobres,

garotos mimados bilionários! Estou muito feliz que meu filho não tem nenhum desses tipos de problemas. Mas ainda tinha um problema, o que Brandon nós íamos fazer quando o avião aterrissasse. "Cada um de vocês vão ser presos", ele rosnou para nós uma vez, quando ele tirou a mordaça da boca. Lulu, revirando os olhos, botou a mordaça de prato de novo lugar. Sra. Howard achou que deveríamos fazer uma conferência de imprensa, como o improviso quando alguém me perguntasse aonde ela estava quando estávamos tentando encontrá-la. (Eu acho que é isso gente não entendi muito bem essa!) "Boa idéia", disse Steven, inclinando-se com os cotovelos sobre a mesa na frente dele. "Mas o que, exatamente, vamos dizer, nesta conferência de imprensa?" "Bem, a verdade," Sra. Howard disse. "Que Robert Stark tentou assassinar minha filha." "E onde está a prova?" Christopher quis saber. "Você está olhando para ela," Sra. Howard disse, apontando para mim. Christopher definitivamente não estava olhando para mim. Ele tinha cuidadosamente procurado olhar para toda parte, menos para mim. Agora que tínhamos terminados - por causa de meus alegados problemas confiança - ele havia tomado o lugar mais distante de mim no avião de grande porte, na mesa de jantar para seis pessoas. Não que eu importasse. Ou fingisse, ou mesmo notasse. Eu tinha tomado um banco na frente da televisão de tela plana e comecei a folhear a verificação de DVDs se eles tinham alguma coisa nova que eu não tinha visto ainda. "Mas ela está bem viva e bem", salientou Steven, acenando para mim. "Acho que vai ser um pouco difícil para o espectador americano compreender que o Em não é Nikki Howard. Penso que a prova que Christopher quer algo um pouco mais fundo do que


apenas Em é a prova que ela não é Nikki no interior. Porque ela é realmente, do lado de fora." "Ela tem uma cicatriz", disse Frida. "Em poderia mostrar-lhes a cicatriz do tratamento cirúrgico. Onde fizeram a cirurgia." "Acho que precisamos de mais", disse Steven pensativo. "Precisamos de um testemunho real. Talvez alguém que estava lá quando eles realizaram as cirurgias." "Bem, você se esqueceu do Dr. Fong", disse, voltando para frente da cabine. Desligando o telefone do jato. "Eles o mataram?" Lulu gritou de horror. Steven deu-lhe um olhar desconfiado. Eu realmente não sabia se ele gostava dela ou não. Às vezes eu pensava que ele sim, e às vezes eu não tinha certeza. Enquanto ela o olhava com prazer absoluto, Lulu parecia se assustar com irmão de Nikki, às vezes, com sua intensidade. Acho que eu sei o porquê. Quando entrou no avião, ela mudou seu uniforme de chef para uma roupa com estampa de leopardo e um tutu e jaqueta de paetês, juntamente com uma boina vermelhocereja que estava em seu pageboy (corte de cabelo) loiro em um ângulo libertino que trouxe um tom café au lait ( Café com leite em português) para sua pele. Ainda assim, eu achei que ela estava bonita. Steven, por outro lado, parecia achar que ela era uma espécie que nunca tinha visto antes, da natureza ou de cativeiro ou de qualquer outro lugar, realmente. Suponho que não havia muitas meninas em Gasper como Lulu. "Uh, não,” disse eu. "Acho que ele está fugindo, como nós estamos. O operador diz que seu telefone de casa não está mais em serviço e, quando liguei para o Instituto Stark de Neurologia e Neurocirurgia e perguntou por ele, disseram que ele tinha recebido a notificação." Desde o fundo do avião, ouvi um soluço triste. Olhando em volta, vi que ele tinha vindo de Nikki, sentada olhando pra janela. Eu acho que não deveria estar surpresa. Dr. Fong tinha sido sua última esperança para conseguir seu antigo corpo de volta. Eu só quero ser bonita, ela disse, com a voz mais triste que eu já ouvi. Quem não quer isso? Bem, okay… Eu não. Ser bonita era a última coisa que eu costumava me preocupar. Antes da tela de plasma ter caído na minha cabeça, eu nunca fiz nenhum esforço para ficar bem. É por isso que Frida nunca queria ser vista comigo. Eu tinha


acabado de atirar em qualquer das minhas roupas era o mais próximo deitado no chão. Um corte de cabelo era o que estava mais barato em Supercuts. Maquiagem… nenhuma. Eu acho que talvez eu tivesse tentado uma ou duas vezes fazer um esforço, mas apenas com indiferença, e sempre tinha terminado em desastre. Era, assim, eu acabava decidindo Bem, eu não posso ser como Nikki

Howard, então eu acho que vou desistir completamente. Que poderia ser em parte o porquê de o cara que eu gostava nunca ter percebido que eu era realmente do sexo feminino… O problema era, do que eu já tinha observado Nikki Howard nunca tinha sido bonita, quer dizer… no interior, de qualquer maneira. Talvez ela pudesse trabalhar isso agora, poderia começar a mostrar o lado de fora, também… Por outro lado… se eu tivesse que olhar para alguém andando em meu corpo, eu acho que não estaria me sentindo muito bonita por dentro, também. "E a coisa com os computadores," Frida perguntou. Ela ergueu seu Stark Quark, que tinha recebido como presente de Robert Stark. "Não podemos dizer a imprensa ou a polícia sobre isso? A coisa que Nikki ouviu?" "Mas não temos qualquer prova em relação a isso, também," disse Steven, olhando para o laptop. "Pelo menos, não ainda." Ele olhou interrogativo para Christopher. Mas tudo que Christopher fez foi segurar ambas as mãos, ainda em suas luvas sem dedos, num gesto impotente. "Não olhe para mim," ele disse. "Eu estou fora." Eu estreitei os olhos para ele. "O que você quis dizer com," eu perguntei, "você está fora?" Lulu olhou para mim e, pressionando seus lábios vermelho cereja juntos - ela estava usando muito brilho labial ultimamente, devido, eu sabia, um certo alguém cujas iniciais eram S.H. - disse, "Christopher disse que viria com a gente para ajudar você a fugir de Brandon, porque sentia que era a coisa certa a ser feita e ele lhe devia muito. Mas depois do que aconteceu ele não quer mais saber disso." "Então," eu disse, ainda considerando-o através dos olhos estreitos. Eu não podia acreditar que ele estava falando sério. "Nós deveríamos apenas entender essa coisa toda com a Stark Quarks por conta própria?" "Hey," ele disse. "Você é a única que está tão preocupada sobre colocar o resto de nós em perigo. É provavelmente melhor, então,


eu ir embora. Para a minha própria segurança. Certo?" Eu olhei pra ele. "O que aconteceu com Derrubar?" eu perguntei. "Não era esse o seu plano? Derrubar Stark? Você está indo só para esquecer tudo isso?" "Em Watts não está mais morta," disse Christopher, dando-me um sorriso frágil. "Ela está?" "Então está tudo bem?" Eu não podia acreditar no que estava ouvindo. "E aquele discurso que você deu na sala de aula? Os trezentos bilhões de dólares de lucro que Stark adquiriu no ano passado que só foi para o bolso de Robert Stark. As baratas imitações de fabricação chinesa que vendem nossos produtos norteamericanos não podem competir. As empresas locais da Stark Megastores vão expulsar da cidade. Como, se nós vamos deixar de seguir o caminho da antiga Roma, com uma economia em colapso e uma sociedade dependente de bens importados, temos de nos tornar produtores de novo e parar de consumir tanto…" Christopher deu de ombros. "Não é problema meu," disse ele. "Você não precisa da minha ajuda. Você nem mesmo confia em mim o suficiente para pedir a minha ajuda. Lembra?" Eu olhei para ele, não tendo certeza se ele realmente quis dizer isso ou não. Uma parte de mim tinha certeza que ele quis. Seu olhar sobre o meu era constante e sem pestanejar, e ele deu um curvar de lábios… ele estava sorrindo como se ele estivesse realmente gostando disso. Mas eu não poderia deixar de sentir como se, por trás daqueles olhos azuis, havia um Christopher diferente - o velho Christopher pedindo-me para comentar sobre o seu comportamento estúpido. Para dizer, Eu estou pedindo sua ajuda agora. Você pode nos

ajudar? Você vai me ajudar? Mas eu não disse. Porque eu estava muito zangada com ele. Por que ele estava agindo como alguém de quatro anos de idade? Eu já expliquei a ele porque eu tinha feito as decisões que tomei. Elas tinham sido perfeitamente decentes, decisões racionais. Então, por que ele estava agindo dessa maneira? "Nós nem sequer sabemos o que eles estão necessariamente fazendo de errado com a informação, exceto armazená-la," disse Steven hesitante. "Não é? Se nós apenas soubéssemos o que eles estavam coletando para…" Eu assisti Christopher virar a cabeça para olhar teimosamente por


uma das muitas janelas do jato. "Eu não me importo mais," ele disse para a janela. Ele estava dizendo para mim. E não seria exagero dizer que foi como se ele tivesse furado com as mãos as minhas costelas, rasgado o meu coração das paredes do meu peito, o puxado para fora e atirado a trinta mil pés no chão (eu acho que estávamos em algum lugar na Pensilvânia, na hora), assim como eu tive essa manhã fora Dr. Fong. Sério? Tudo isso porque eu não quis partir sem deixar Nikki Howard para trás, e ele teve que optar pelo plano B, ligando para Lulu e Frida para ajudá-lo? Ou isso era realmente por causa do meu problema? Bem, se você me perguntasse, Christopher é quem tinha o problema. Eu olhei para Lulu para ver o que ela estava achando disso tudo e não foi muita surpresa ao ver ela revirar os olhos. Garotos, ela murmurou. E então, ela fez um gesto como se fosse para eu passar por cima daquilo e ir sentar ao lado dele. Me desculpe, mas Lulu tinha usado o oxigênio de emergência? Porque não, isso não ia acontecer. Em vez disso, eu voltei a minha atenção para a conversa na mesa, ignorando Christopher, que estava ignorando todos os outros… … apesar de eu saber o que estava por vir. Eu sabia mesmo antes de sair da boca de Frida. “Talvez”, ela disse, “Talvez, se Christopher não nos ajudar, o primo dele poderia descobrir isso”. Claro. O primo gênio da computação de Christopher. Felix, que já estava em prisão domiciliar por ter fraudado um televangelista em dezenas de milhares de dólares por programar um telefone público para a discagem automática do 1-800 show dele várias centenas de milhares vezes em uma linha (quem saberia que os proprietários dos números 1-800 na verdade tinham que pagar toda vez que você liga para eles?). Por que não arrastar Felix nisto tudo, apesar dele ter a mesma idade da Frida? Felix não tinha nada a perder, afinal de contas. “Não”, Christopher disse, virando sua cabeça para nos encarar bruscamente. Eu sabia que ele estava prestando atenção. “Se eu estou fora, ele está fora, também”. Eu não podia ajudar pensando como Felix se sentiria por saber desta decisão. Felix parecia o tipo de criança que uma vez envolvido em um projeto não o deixaria tão facilmente.


E Felix já tinha encontrado o caminho para o computador central de processamento de dados da Stark por minha causa. Eu não poderia mais negociar com Christopher. Em vez disso, eu decidi apenas ignorar ele. Havia muitas coisas mais importantes para pensar. Uma delas era Brandon, e como íamos fazer para que ele nos deixasse em paz. Eu decidi que iria lidar com esta. Sentei-me em frente a ele em um dos sofás do Gulfstream [empresa aeroespacial], com assentos de couro creme. "Brandon," eu disse, inclinando-me para colocar minhas mãos sobre as suas… que estavam ficando um pouco inchadas por terem sido presas por tanto tempo. "Se a empresa do seu pai cair, não vai ter uma abertura muito grande para um novo CEO [diretor executivo]. Seria uma vergonha se você não pudesse entrar em seus shows, porque você teria sido preso, também, por todas as coisas que fez para mim. Você sabe, como chantageando, ameaçando e me levando para fora do Estado contra a minha vontade mesmo eu sendo menor de idade, e tudo mais. Isso vai ficar muito ruim na Fox News. Quer dizer, eu não quero pressionar você a fazer todas essas coisas. Porque como eu vejo, você ainda é um Stark, o que não é exatamente uma coisa boa… mas pelo menos você não parece estar prestes a matar pessoas. Mas eu realmente contarei aos federais sobre você se você mexer com meus amigos depois que todos voltarmos a Nova York." Brandon, olhando para mim com os olhos bem acima do pano de prato enorme verde-e-branco-listrado saindo de sua boca, disse um monte de coisas. Mas eu não podia entender qualquer palavra que fosse, por causa da mordaça. "A única coisa que você precisa saber, Brandon," eu disse, encostando-me na cadeira e cruzando as pernas, "é que fui eu quem colocou fogo em seu Murciélago." Brandon abriu muito os olhos, e disse muitas coisas em voz alta. Eu ainda não podia entender o que significavam, no entanto. Bem, qualquer uma delas não era palavrões. "Sim," eu disse. "Eu sei. Você mereceu totalmente isso. Você não pode tratar as mulheres - ou alguém - do jeito que você me tratou. Você entendeu? E não, eu não vou pagar um carro novo para você. Em vez disso, eu vou fazer muito pior para você não se meter comigo novamente. Eu vou chamar o pessoal da Opra e agendar uma entrevista na rede sobre a forma como você me usou, e que


total e completo perdedor você é. Você vai se tornar o homem mais odiado da América. E então você vai ter chance zero dos acionistas da Stark Enterprises deixarem-no assumir o comando quando seu pai cair. Brandon ficou quieto quando eu disse tudo isso. Ele olhou para mim com os olhos feridos, olhando quase como Cosabella quando briguei com ela por mastigar um par de Jimmy Choos, que por alguma razão para ela pareceu irresistível. "Então, o que é que vai ser?" perguntei a ele. "Você vai jogar bola? Ou você vai continuar a atravessar a vida com essa cara de bunda total? Porque em algum momento, Brandon, você vai ter que decidir." Eu levantei as duas mãos como se fossem as balanças da Lady Justice. "Cara de bunda? Adulto? Cabe a você." Ele estudou as minhas mãos. Em seguida, apontando para a mão que significava adulto, ele disse algo. Só é claro que eu não poderia dizer o que era, por causa da mordaça. "Você quis dizer adulto, Brandon?" eu perguntei. Ele balançou a cabeça vigorosamente, e inclinei-me para tirar a mordaça. "Oh, graças a Deus," ele disse. "E eu te perdôo pelo Murciélago. Realmente, eu perdôo. Admito, o que eu fiz com você foi muito, muito ruim. Como você disse, eu posso ser um perdedor, às vezes. Eu realmente posso. Agora, você poderia por favor, por favor me soltar e dizer a aeromoça para me trazer uma bebida e um sanduíche de peru? Eu estou morrendo aqui." "Assistente de vôo," eu disse. "O quê?" Ele olhou para mim como se eu fosse louca. "Ela é uma assistente de vôo, Brandon," eu disse. "Não uma aeromoça. Em sua viagem a não ser mais um cabeçudo, você pode começar a usar a linguagem correta. Aeromoça é sexista. E eu vou desamarrar você e te dar um refrigerante. Dissemos a eles que você está a caminho da reabilitação, por isso seria melhor para você não ter nada alcoólico." "Seja como for," disse Brandon. "Obrigado. E eu sinto muito." Levantei-me e olhei para ele surpresa. Essas eram as duas últimas palavras que eu jamais esperava ouvir de Brandon Stark… Sinto e muito. Seria realmente possível para os indivíduos como ele crescer e mudar?


Olhei para Christopher, que estava inclinado sobre seu celular, batendo nas teclas com seus polegares. Ei, se as pessoas poderiam mudar para pior, porque n達o poderiam mudar para melhor? Mas talvez isso fosse apenas ilus達o.


Dez Senti-me bem por estar em casa. Oh, havia uma tonelada de e-mail e eu estava olhando por alto não apenas contas que deveriam ser pagas, mas, bolsas de presentes, pacotes com amostra grátis de clientes agradecidos e patrocinadores. Eu imaginei que alguns dos velhos amigos da Nikki estavam querendo desejá-la bons feriados. Alguém tinha enviado a ela uma caixa inteira de Vodca Grey Goose, alguém também enviou uma bolsa Channel que custa 3mil dólares, quatro iPods diferentes ainda em suas caixas. Bons feriados, realmente, para alguém - no Centro Memorial de Câncer Sloan-Kettering, para onde eu estava doando todas estas coisas, então eles poderiam vendê-los para juntar dinheiro para dar as pessoas que necessitam de tratamento para o câncer (apesar de eu não estar muito certa que eles precisariam da vodka). E, é claro, eu não seria capaz de evitar meu correio de voz - ou mamãe e papai - para sempre. Porém, é maravilhoso estar em meu próprio lugar, rodeada por minhas próprias coisas, em minha amada cidade de Nova York. Exceto, é claro, que eu não estava realmente em meu próprio lar. E elas não eram realmente minhas coisas. E quem saberia por quanto mais tempo eu seria capaz de curtir todas elas? Eu ainda tinha que me preocupar em devolvê-las aos seus donos por direito. Ou talvez não, desde que eu também tivesse que devolver as coisas preocupantes do tipo meu-chefe-está-tentando-me-matar. Pois as coisas não tinham terminado particularmente com o Christopher. Ou com a Nikki. Eu tentei meu melhor com ambos. Eu realmente tinha tentado. Agora, estirada em minha cama, eu me lembro como Brandon tinha cuidado [a Laísa traduziu assim, e eu também não entendi muito bem, achei que era algo como "Agora, estirada na minha cama, eu me lembrei de como Brandon tinha que fazer as pazes com Nikki."], eu tinha tentado compensar as perdas com a Nikki. Eu não sei por que eu tinha me sentido obrigada a pagar a ela alguma coisa. Ela tinha sido tão horrível comigo. No entanto, eu não poderia ficar de pé, vendo a Nikki sentada chorando lá na limusine que nós tínhamos pegado no aeroporto em direção a cidade de Nova York (bem, todos nós, exceto por Frida, que tinha voltado à Florida em um avião alugado, para terminar o resto da semana no acampamento de líderes de torcida dela).


Eu apenas queria ser bonita. Não estava sentada todo este tempo em minha sala de estar desejando que Christopher me notasse, além de apenas alguém que jogasse Journeyquest com ele? Eu tinha, mais ou menos, desejado ser bonita também. Frida tinha sido a única pessoa a quem eu dizia palavras verdadeiras. "Eu queria que eu pudesse ser bonita", ela diria, suspirando e olhando as fotos espalhadas de Nikki Howard em algum ridículo tipo de vestido ouro metálico na revista Elle, de 20mil dólares. Mamãe, uma professora feminista de estudos das mulheres da Universidade de Nova York, dizia, zangada, sempre a mesma coisa em resposta: "Não seja ridícula querida", ela diria. "A aparência não importa. O que importa é o tipo de pessoa que você é, quantas qualidades você possui". E Frida, bufando, responderia: "Yeah… todos os garotos na escola, realmente, se preocupam com minhas qualidades mãe". "A aparência desaparece". Mamãe diria. "Mas a inteligência dura para sempre". "Mas você me acha bonita, não é mãe?", Frida diria. "Querida", mamãe responderia pegando o rosto dela em suas mãos, "eu acho que você e sua irmã estão crescendo e se tornando mulheres fortes e independentes. E que é como eu espero que você sempre seja." Eu sempre me questionava se Frida notava que mamãe nunca respondia realmente a pergunta. Eu pus a mão sobre o ombro Nikki e apertei-o, dizendo baixinho, "Nikki. Você ficará na casa do Gabriel Luna por algum tempo, até que possamos fazer isto funcionar." Isto não era algo que o Gabriel estivesse particularmente feliz em ouvir. Ele tinha ficado chocado quando eu liguei para ele do avião e disse que a Família Howard ficaria com ele na sua casa. Por outro lado, ele tinha oferecido ajuda na festa de Natal da Lulu, quando tudo isto estava acontecendo. Bem, nós precisávamos da ajuda dele agora. Nós não poderíamos, exatamente, esconder Nikki, Steven e sua mão em um hotel - o Sr. Stark por certo estava rastreando todos os nossos cartões de crédito. Porém, escondê-los diretamente sob o nariz do Sr. Robert Stark, no novo edifício residencial, no apartamento super-seguro do Gabriel


Luna (no apartamento que ele havia se mudado para escapar da sua legião de fãs loucas), um cantor que era contratado pela empresa do Sr. Stark? Genial, isso se Gabriel não tivesse suas dúvidas… não apenas sobre o Sr. Stark descobrir, mas sobre hospedar a Nikki, que praticamente cuspiu nele em resposta a alegria dele “Então, prazer em conhecer você”, antes de se trancar no quarto dele. “Bem”, Gabriel tinha dito. “Isto vai ser bom, eu imagino”. “Eu tentarei fazer tudo o que eu puder para tentar conseguir de volta todas as coisas que você perdeu”, eu assegurei a Nikki, no banco de trás da limusine. Ou tentarei, de qualquer jeito. “Sério?” Ela tinha se virado para olhar pra mim com lágrimas brotando de seus olhos. “Como o meu rosto? Você me dará de volta meu rosto?” “Bem”, eu disse espantada. Minhas mãos tinham subido inconscientemente para minha bochechas. Ou as bochechas da Nikki, eu suponho que eram. “Eu não estou muito certa se eu poderei dar isso a você Nikki. Mas seu dinheiro e seu apartamento – estas coisas são suas.” Ela voltou-se novamente para a janela da limusine. “Então nós não temos nada pra conversar”, ela disse friamente. “Pois, tudo o que eu quero é ser bonita novamente.” E assim como eu ficava com a mamãe, eu não tinha a menor ideia da coisa certa a dizer para ela. Porque ser bonita era a única coisa que eu não poderia dar a ela. Pois, talvez, beleza era algo que ela tinha que dar a ela mesma. Deitada em minha cama no apartamento da Nikki, olhando o papel de parede dela, com sua cachorra aconchegada contra meu pescoço, tudo o que eu podia pensar era no que ela havia me dito no carro.

Então nós não temos nada para conversar. Porque tudo o que eu queria era ser bonita novamente. Eu nunca tinha visto ninguém parecer tão triste como ela tinha ficado. Eu poderia entender a perda dela. Eu perdi a mesma coisa. Bem, não a mesma coisa… mas tipo isso, se você contar que de fato eu tinha perdido coisas que eu provavelmente amei, assim como a Nikki com a aparência dela, eu tinha perdido minha família, meu lar, minha amizade com Christopher… Eu não sei quanto tempo eu tinha ficado lá antes de Lulu colocar a cabeça no caminho da porta e dizer “Eu estou morrendo de fome,


eu acho que vou pedir alguma coisa. Você quer uma banana split?” Eu rolei na cama para poder olhar para ela. “Lulu, bananas split não são uma comida”, eu disse. “Sim, elas são”, ela respondeu vindo pra se sentar em minha cama, ao meu lado. “Elas têm frutas, noz e leite. Então elas representam a maioria dos grupos de comida, se você incluir calda de chocolate. E eu fico tão cheia depois de comer uma.” “Vá em frente e peça um pra mim também então”, eu respondi, desistindo e rolando de até ficar de costas com um suspiro. Lulu subiu sobre mim para conseguir pegar o telefone de casa que estava em sua base, na mesa de cabeceira da minha cama. Ela apertou a discagem automática para o restaurante da esquina e pediu para nós duas bananas splits para serem entregues em casa. Então ela desligou o telefone e olhou para mim. “Você está pensando no Christopher?”, ela me perguntou acusatoriamente. “Não, eu estou pensando na Nikki”, eu a corrigi. No entanto, é claro que eu estava pensando no Christopher, mesmo que perifericamente. Lulu fez uma cara. Ela evidentemente não considerou o ‘contrato de quem divide uma casa’ dela ao considerar o assunto, muito menos discutindo. “Ele ainda ama você, você sabe”, ela disse, sobre o Christopher. “Ah é, sério?” Eu perguntei com um sorriso triste. “Isso não é o que ele diz.” “Ele apenas está fora de ordem”, Lulu disse, “por você ter mentido para ele. Não uma vez, mas um monte de vezes. É errado mentir para a pessoa que você ama. No mínimo, contar que o cabelo dele parece bom, mesmo quando está horrível.” “E quando isto é para proteger a vida dele?” Eu perguntei, levantando-me apoiada pelos cotovelos para olhar para ela. “Especialmente”, Lulu disse balançando sua cabeça gravemente. “Os rapazes odeiam isso. Eles são super sensíveis, especialmente agora, com o feminismo e suas coisas. Isto está confundindo-os completamente. Eles não sabem onde eles devem ficar. É suposto que eles façam coisas para você como abrir portas e pagar o jantar quando vocês saírem, ou deixar que você faça isso? Eles não sabem. Então, você terá que deixá-lo fazer as coisas para você de vez em quando. Mesmo quando você sabe que ele atrapalhará tudo. Especialmente quando você, você sabe, tem tanta coisa boa, e ele… não."


Eu a encarei com raiva, sentindo um pouco de dor. Como ela poderia ousar dizer que meu namorado (bem, ex-namorado, eu suponho, tecnicamente) não tinha nada de bom? “Christopher tem um monte de coisas legais nele”, eu disse. “Ele é um gênio total da computação e ele é realmente alegre e doce – quando ele não está sendo um total super vilão sobre vingar minha morte, entre outras coisas. Ou louco comigo sobre a fuga com o filho do seu inimigo mortal.” “Eu tenho certeza que ele tem”, Lulu disse diplomaticamente. “Mas, agora mesmo, ele está machucado. Então, você terá de trabalhar em quebrar a parede de proteção que ele ergueu ao redor dele por medo de se machucar novamente.” “Bem” eu disse jogando minhas costas contra os travesseiros. “Isso não era apenas para proteger ele. Era para proteger minha família também. E Nikki também. Eu expliquei a ele. E ele ainda me odeia.” “Eu disse a você.” Lulu tinha encontrado um nail polish [tipo de esmalte] preto na cabeceira da cama, e agora ela estava usando-o em seus dedos dos pés, tinha retirado sua plataforma roxa aberta no calcanhar. “Ele não odeia você. Mas você terá que encontrar um jeito de fazê-lo acreditar no quanto você precisa dele realmente, então ele poderá ver o quanto ele é importante para você.” “Ele é importante pra mim”, eu chorei. “Eu o amo!” “Mas ele não pode realmente fazer nada para você”, Lulu disse, concentrada em seus dedos dos pés. “Você tem dinheiro e poder. Ele é apenas um garoto no ensino médio. Ele pode proporcionar um jantar para você no Balthazar. No mínimo, não jantar e um aperitivo e o creme brulee de lá. Ele provavelmente não disporia de dinheiro suficiente para comprar um esmalte nail polish (tipo de esmalte). Lulu fechou o esmalte e o sacudiu. “Este é um Chanel, custa mais do que 20 pratas. Como eu disse na volta da casa do Brandon.” “Mas ele tinha a oportunidade de fazer algo para mim todo dia”. Eu chorei. “Ajudar com a coisa toda do Stark Quark. E ele não quer.” “Ele ainda está preocupado agora”, Lulu disse. “Deixe ele se acalmar. Garotos precisam de um período de descanso, assim como minhas unhas precisam secar completamente antes que eu possa colocar meus sapatos de volta e ir ao apartamento do Gabriel fazer uma transformação na Nikki. Ela precisa, assim como você e o Christopher precisam de alguns conselhos sobre relacionamento do Dr. Drew [psicólogo famoso, que dá conselhos sobre relacionamentos].” Eu dei a ela um olhar de reprovação.


“Christopher e eu não precisamos de conselhos sobre relacionamento. Ele apenas me odeia, isso é tudo.” “Ele não te odeia nada. Ir resgatar você foi tudo ideia dele”, Lulu observou. “Ele era o único que me ligava e estava completamente dedicado em fazer alguma coisa e conseguir tirar você de lá. Era tipo o Luke Spacewalker.” Isto me fez querer chorar, era tão doce. “Skywalker”, eu a corrigi. “É Luke Skywalker.” “Então, o que nós vamos fazer?” Lulu perguntou, olhando para mim com seus olhos marrons enormes. Pela primeira vez, ela tinha esquecido um dos muitos pares dela de lentes de contato coloridas, que geralmente dão a ela olhos de gato com um brilho sinistro contra a pele escura dela. “Eu digo, sobre esta bagunça? Nós não podemos esconder os Howards no apartamento do Gabriel Luna para sempre. O Brandon está totalmente com medo de você agora, desde que você contou a ele que você tinha colocado fogo no carro dele, então ele não contará. Mas o pai dele –” “- é o quarto homem mais rico no mundo”, eu disse. “E também o mais poderoso. Eu sei.” Eu olhei fixamente para a Lulu. Por que ela estava me perguntando o que nós iríamos fazer? Eu não tinha ideia. Eu nunca quis que nada disso acontecesse. E eu não tinha nenhuma ideia para consertar as coisas também. Nós estávamos sentadas lá olhando uma para a outra inexpressivamente, quando alguma coisa tocou, alto o suficiente para nos fazer pular praticamente fora de nossas peles. “Ahhh!” Lulu gritou. “O que é isto?” Nós pulamos da cama e começamos a procurar pelo apartamento, tentando encontrar a origem do barulho, enquanto Cosabella corria de um lado para o outro latindo. “É a banana split?” Eu perguntei. “Eles já estão aqui?” “Isto não é a campainha”, Lulu disse, significando que o interfone que o porteiro costumava usar para nos informar quando alguém estava esperando por nós no saguão. “Então o que é isto?” Eu resmunguei ao perceber que o toque continuava, alto como antes, em intervalos regulares. “Oh, meu Deus!” Lulu exclamou, parando do lado da mesa. “É o telefone de casa!” “Telefone de casa?” Eu não sabia que nós tínhamos um telefone residencial, nós éramos tão dependentes dos nossos celulares. Nós


apenas usávamos o telefone para ligar para pedir comida. “Você está brincando comigo?” Lulu apanhou ao telefone e o atendeu. “Hello?” Ela disse com uma expressão curiosa em seu rosto. Alguém disse alguma coisa e ela olhou para mim. “Oh. Sim. Oh, oi! É claro que ela está aqui. Espere um momento.” Então Lulu cobriu o telefone com a sua mão e me disse, de um jeito excitado, “É para você. É sua mãe.” Eu imediatamente atirei minhas mãos no ar. “Minha mãe?” Eu murmurei de volta para ela. “Eu não quero falar com minha mãe! Diga a ela que eu não estou aqui!” Lulu pareceu confusa. “Mas eu acabei de dizer a ela que você estava aqui. Por que você não quer falar com a sua mãe?” “Porque ela está doida comigo!” Eu sussurrei com um gemido. “Eu acabei de passar os feriados na casa de um garoto sem os pais dele estarem lá! Você deve ter lido sobre isso em cada tablóide na América, não? Eu estou numa enorme confusão com ela.” “Ooooh” Lulu disse, acenando a cabeça, como se estivesse começando a entender. “Eu consigo. Você quer me explicar que você estava sendo chantageada e que se você não fizesse isso, Brandon contaria ao pai dele onde ele poderia encontrar a Nikki, e então o Sr. Stark poderia matar ela? Eu tenho certeza de que Karen entenderá isso”. Lulu tirou a mão dela do fone e disse, “Olá, Karen? Sou eu, Lulu. Escute, se isto é por causa da Em ter ido à Carolina do Sul com o Brandon Stark, eu posso –” Eu acho que eu nunca tinha me movido tão rapidamente antes em minha vida. Eu literalmente me movimentei súbito e rapidamente e peguei o telefone da mão da Lulu, caindo com ele no sofá e então o pressionei em minha orelha. Lulu olhou para mim em choque assim que eu falei com minha mãe, “Oi, mamãe!” com uma voz falsa que você pode imaginar. “Emerson”, minha mãe disse. Uh-oh. Isto era mau. Minha mãe apenas me chamava pelo meu nome completo quando era realmente, realmente, muito mau. E mais, não era de se esperar que ela usasse meu nome real no telefone, sem falar que era o telefone da casa de Nikki Howard. Algo no tom dela, no entanto, sugeriu que este não deveria ser o melhor momento para lembrá-la disto. “Então”, eu disse me esticando no sofá, com Cosabella excitada por toda a atividade, pulando na almofada ao meu redor. “Como estão as coisas? Como está o papai?”


“Seu pai está bem”, mamãe disse, com uma voz firme, você pode imaginar. Ela soou como se tivesse acabado de colocar botox em seus lábios ou algo parecido, ela estava falando com uma voz fria, controlada e baixa. Estava claro que ela tinha reprimido a raiva dela por mim toda a semana, então ela poderia explodir por completo comigo como uma das bombas do Christopher. “Obrigada por atender. Eu tenho deixado mensagens para você em seu telefone celular. Você não recebeu nenhuma delas?” Telefone celular. Ela tinha dito realmente as palavras telefone celular. Eu estava realmente, realmente, numa fria. “Uh, não” eu disse. “Você sabe o que aconteceu, verdadeiramente? É uma coisa engraçada, eu deixei meu celular cair no oceano e eu não tive tempo para comprar outro…” Ao meu lado, Lulu bateu com o pé no chão e me deu um olhar desaprovador. “Sem mais mentiras”, ela fez com os lábios. “Para ninguém!” Eu rolei meu olhos. “Bem”, mamãe disse. A voz dela ainda estava insanamente baixa e fria. “Sorte que eu conseguir encontrar você em casa.” “Sim”, eu disse, tentando fazer com que Lulu fosse embora fazendo pequenos gestos com minha mão. Infelizmente, isso não funcionou, pois ela ainda estava pulando ao meu redor, dizendo “Pare com a mentira! Não minta!”, que não era de todo irritante (sim, era). “Então, como a vovó está?” “Sua avó está bem”, ela respondeu, ainda soando como muito frio, como um gelo de limão. “Emerson, seu pai e eu gostaríamos de nos encontrar com você. Quinze minutos seria tempo suficiente para você conseguir chegar na Starbucks, na Astor Place?” “O que?” Sentindo pânico, eu dei uma espiada rápida na janela do apartamento. Estava, de forma usual para a já avançada época de Dezembro em Manhattan, nevando e chovendo granizo lá fora. “Um…” “Seu pai e eu já estamos sentados aqui esperando por você”, mamãe continuou, “desde que eu soube pelo TMZ – pois é o único jeito que eu pareço ser capaz de manter contato com as atividades da minha filha – que você está de volta em Manhattan. A forma adulta para fazer seria, é claro, aparecer para encontrar conosco. No entanto, se você apenas quiser nos deixar aqui esperando por você como completos idiotas, tudo bem. Mas -” “Oh, meu Deus, mãe” eu disse, me sentando. “Eu estarei aí. Eu já já estarei aí. Está tudo bem?”


“Não Emerson”, ela disse. “Não está tudo bem”. E então a linha foi cortada. Eu segurei o telefone longe do meu rosto, olhando para ele. “O que aconteceu?” Lulu perguntou, pulando ao meu redor com seus pés descalços, provavelmente conseguindo com que seu esmalte preto por sobre o carpete falso de pele branco. “Minha mãe apenas desligou na minha cara”, eu disse não acreditando. “Ela fez isso?” Lulu encolheu os ombros. “Minha mãe faz isto toda vez. Quando ela se lembra de me ligar. O que é uma vez no ano, no meu aniversário.” Aw, eu me senti tão mal pela Lulu, eu parei para dar um abraço nela. “Bem, minha mãe nunca fez isto antes”, eu disse. “Eu acho que algo deve estar realmente errado. Eu digo, além do fato de que ela está, com toda a certeza, irritada comigo por passar a semana na casa de um garoto sem seus pais estarem lá. Lulu olhou preocupada. “Você acha que Robert Stark pode estar lá apontando uma arma para a cabeça dela, fazendo com que ela ligue para você, então isso é realmente uma armadilha ou coisa parecida?” “Oh, ótimo”, eu disse dando a ela um olhar sarcástico. “Eu ainda não tinha pensado sobre isso. Ela disse que ela está na Starbucks. Por que Robert Stark estaria apontando uma arma para a cabeça dela na Starbucks?” “Oh”, Lulu respondeu. Ela parecia um pouco desapontada. “Yeah, você está certa. Isso não é muito provável, né?” Eu dei a ela outro abraço, eu apenas não poderia ajudá-la com isto, ela era tão agradável. “Eu vou indo. Vejo você mais tarde”. “Mas, o que eu faço com a banana split?” Lulu me chamou depois de eu ter ido pegar meu casaco e colocar meu chapéu, assim como a coleira e o casaco para a Cosy. “Guarda a minha”, eu berrei. “Eu voltarei para isto.” “Eu espero que sim”, eu ouvi Lulu gritar assim que eu pulei dentro do elevador. Ela não tinha ideia de quanto eu também esperava.


Onze Eu encontrei meus pais sentados á mesa, atrás do café, escondidos por torres de copos de café olhando extremamente sérios. Mas eles eram ambos professores, eles pareciam sérios a maioria do tempo, de qualquer forma. Mas isso era algo seriamente fora-do-comum. Papai tinha círculos escuros abaixo de seus olhos, e parecia que o fim de seu rosto não via uma navalha há um tempo (ele estava com a barba por fazer). No cabelo, minha mãe poderia definitivamente ter usado um pouco de condicionador, e eu não acho que ela estava usando maquiagem. Não que ela fosse uma amiga de Maybelline’s. Mas eu descobrira que um pouco de maquiagem vai longe quando se trata de rímel e brilho labial. Algo que alguém devia relembrar à Nikki. Deus, eu, Emerson Watts, acabei de pensar isso? O que estava acontecendo comigo? Diferente do que Lulu achava Robert Stark, não estava em nenhum lugar próximo. Então eles não estavam sendo reféns. Mas eles não dizer oi ou até mesmo acenaram, enquanto eu pegava meus biscoitos e chá de ervas (cafeína é um gatilho para o grande refluxo de ácido da Nikki) e, em seguida, juntei-me à sua mesa. Eles agiram como se fôssemos estranhos. O que é totalmente injusto, porque mesmo eu não tendo mais o sangue deles, eu ainda sou sua filha. Mesmo que eu tenha vergonhado o nome da família em todo o Brooking por ter ficado com Brandon Stark. Ou então por estar em todos os principais tablóides dos EUA e em alguns do Reino Unido. "Então, oi!" Eu disse, tentando agir alegre, quando eu tirei a minha jaqueta de couro. Cosabella começou a pular e cheirar-lhes entusiasmada, Cosabella considera sua vida pessoal o seu trabalho… cheirando tudo e todos, e, basicamente, fazer as pessoas sorrir, porque ela só quer uma coisa, comida, e ser acariciada e admirada. Bem, eu acho que são duas coisas. Ou três. "Oi", disse minha mãe finalmente, enquanto meu pai era um pouco mais amigável, dizendo. "Oi, querida." "Então," eu disse, quando meu casaco estava arrumado, Cosabella e nós estávamos confortáveis e tomei meu primeiro gole de chá que queimou minha língua e tudo. Por que eles fazem isso? Fazer a sua água quente tão quente. "E aí, novidades?" eu perguntei. Pensei que soou legal e sem


confrontos. Mamãe e papai se entreolharam, e pude ver que eles estavam dando um ao outro o velho Vai em frente, você começa, Não, você começa sinal com o olho. Aí meu pai disse, assim, "Em, sua mãe e eu queríamos falar com você sobre algo. Optamos fazer isso aqui neste café, pois é um lugar neutro, não colocamos o seu ou o nosso, e nós pensamos que poderia ser um pouco menos emocionalmente carregado do que qualquer um dos nossos apartamentos." Whoa. Meu coração começou a bater um pouco mais difícil do que o habitual. Isto soou sério! Lugar neutro? Menos carga emocional? Espere… eles estavam se divorciando? Eu sabia disso. Papai trabalha a maior parte da semana em Nova Haven, ensinando em Yale. Eu queria saber quando ele tinha tomado a decisão se o seu casamento - sempre volátil, uma vez que eram de religiões diferentes, e ambos professores universitários, para não mencionar atraentes - eu não sei como eles conseguiram ter uma filha tão simples como eu - poderia sobreviver ao estresse da separação. E agora a verdade apareceu. Não podia! Ou espera. Talvez tenha sido eu. Talvez fosse por minha causa que o seu casamento não pode sobreviver ao estresse! Por causa do meu acidente e posterior coma e, em seguida, despertar no corpo da maior supermodelo adolescente! "A questão é," papai continuou, "nós estamos um pouco angustiados com o seu comportamento ultimamente –" Espere, eu pensei. Meu comportamento? Oh, Deus! Sou eu! Eles estavam se divorciando por causa de mim! "Não apenas o seu comportamento," mamãe completou. "Suas notas neste semestre foram terríveis." “Minhas notas?” Quando minha mãe tinha ligado para agendar essa reunião (e, em seguida, desligado na minha cara), eu tinha pensado um monte de coisas que podiam estar acontecendo: Robert Stark estava respirando em seu pescoço, talvez fazendo ameaças. Tinham encontrado as escutas em nosso apartamento, do jeito que eu descobri no meu (porque a reunião em um Starbucks, em vez de em casa?). Eles descobriram que Frida havia fugido do acampamento de torcida para voar até Carolina do Sul para me salvar, e estiveram


naturalmente preocupados com sua filha menor andando por todo o lugar sem sua permissão. Esta não seria a maior surpresa. Frida tinha dito aos funcionários do acampamento que estava indo para a casa de sua avó. Eu pensei que a coisa toda soava superficial, mas Frida alegou que ninguém ia descobrir. Ela estaria em casa a tempo para o show Stark Angel amanhã à noite, na véspera de Ano Novo sem ninguém saber. Agora, é claro, eu sabia melhor. Então eu pensei que talvez eles estivessem se divorciando. Ou mesmo, Deus os livre, um deles tivesse câncer. Ou estivessem tendo um caso (a mãe de Lulu deixou o pai dela por outro homem. E eu não colocaria isso no passado, mamãe para anunciar que ela estava virando lésbica. Hei, ela nem mesmo diria á suas próprias filhas que elas eram bonitas. Porque ela se importaria sobre a orientação sexual de um amante?). Mas eu nunca esperaria que isso fosse sobre minhas notas. Toda essa conversa de terreno neutro, para falar sobre minas notas? Me desculpe, mas uma corporação estava tentando matar meus amigos. A verdadeira dona do meu corpo o queria de volta. O amor da minha vida terminou comigo sem cerimônia. E meus pais queriam falar sobre provas finais? “Como vocês descobriram sobre minhas notas, mesmo?” eu perguntei “Vocês não são os guardiões de Nikki Howard. Vocês nem deveriam ter acesso à –” Mamãe puxou algo de sua bolsa. Era uma amassada, impressão do site TMZ.com. Alguém (provavelmente um repórter de seus escritórios, pensou que com certeza isso não dizia que tinha arrombado o computador principal do Tribeca Alternative High School e acessado minhas (ou, mais precisamente, as da Nikki) e então publicou todas elas na internet. E vamos apenas dizer que eu não estava indo tão bem. Top model americana, não é realmente a melhor de sua classe, exibia a manchete. Eu tomei a folha das mãos de minha mãe e analisei-a. “Um C menos?” eu estava aturdida. “O senhor Greer me deu um C menos em discurso publico? Aquele policial de shopping!” “Exatamente o que eu estou pensando”, mamãe disse, puxando a folha de minhas mãos. “Não existem razões pelas quais você não devesse tirar um A nisso. Você apenas tem que ficar em PÉ na


frente da sala e falar. Você nunca teve dificuldade em ficar na frente de pessoas e falar antes. De fato, ninguém nunca costumava conseguir fazer você se calar”. “Agora, Karen,” papai disse, exatamente do modo que ele diria Agora, Em quando eu chamei o senhor Greer de policial de shopping. “Eu estou certo de que você tem que fazer mais do que isso nessa aula” “Sim” eu disse, ficando em minha própria defesa, “Você tem que formular argumentos razoáveis, e -” “E sobre todos aqueles assuntos que você formulava muito bem?” mamãe rebateu. “Como você explica um C menos em álgebra avançada? E um D em inglês? Pelo amor de Deus Emerson, inglês é sua língua nativa!” Eu franzi as sobrancelhas, “Eu não tive tempo para fazer as leituras”, eu disse. “Isso não é minha culpa - “. Mamãe deu um suspiro triunfal e apontou diretamente para mim. “Aí”, ela disse, olhando por cima para papai. “Ela disse isso! Não eu! Ela disse isso”. E olhei da minha mãe para o meu pai não sabendo o que tinha acontecido. “O que?”, eu perguntei. “O que eu disse?”. “Eu… não… tive… tempo”, mamãe disse, batendo na mesa com a sua palma da mão para enfatizar cada sílaba. “Admita isso, Emerson. Você está deixando de fazer as suas tarefas de casa da escola porque você está gastando muito tempo socializando”. “Socializando?”, eu fiz uma careta. “Com licença, mas eu nunca me socializo. Eu estou trabalhando muito, eu nem sequer tenho tempo para ver os meus amigos”. “Oh, eu acho que você gasta um longo tempo com os seus amigos”, mamãe disse, pegando a sua bolsa e retirando de dentro uma folha de papel diferente. “Bastante tempo de qualidade”. Ela desdobrou o papel para revelar uma capa da Us Weekly que mostrava eu de biquíni saindo da piscina na casa de praia do Brandon, e ele de pé ao meu lado, segurando algo que se parecia com um cocktail. Exceto que colocando isso no contexto, eu sabia que aquele cocktail era na verdade um shake de café da manhã e que aquele biquíni na verdade era a minha roupa de malhar depois de sair para uma inocente corrida na praia. Mas isso ainda ia parecer muito ruim para a minha mãe, considerando que depois de tudo, eu passei praticamente uma


semana inteira na casa de Brandon sem a permissão dela. E o fato que a manchete em cima da nossa foto gritava:

De volta! Nikki e Brandon reacendem a chama da paixão, e tiveram que levar isso para as Ilhas da Fronteira do Sul. Eu senti que estava ficando vermelha. Primeiro de tudo, a casa de Brandon era em uma ilha barreira (faixa arenosa, estreita e cumprida, geralmente paralela à linha de costa). Eu nem mesmo sabia o que era uma ilha de fronteira. A imprensa podia escrever o que quisesse e fugir? Aparentemente sim. E em segundo lugar… “Olha”, eu disse, me lembrando o que Lulu tinha dito a respeito de contar a verdade. “Eu posso explicar”. “Não há nada a ser explicado”, mamãe disse, dobrando a foto de volta e guardando ela de volta. “Está tudo perfeitamente claro para nós. Não está Daniel?”. Papai parecia desconfortável. “Um”, ele disse. “Olha”, eu disse de novo. “Isso não o que vocês estão pensando. Brandon me fez ir a sua casa na Carolina do Sul. Eu não queria. E nada aconteceu. Ele e eu não somos, você sabe, namorado e namorada. Eu quero dizer, ele e Nikki eram. Mas ele só desejava que ele e eu estivéssemos - “. “Eu não quero ouvir isso”, mamãe disse, agitando a sua cabeça para frente e para trás e não fazendo contato visual comigo. O que, para ser honesta, era basicamente algo que ela realmente não tinha feito comigo desde que eu tinha acordado da minha cirurgia. “Eu realmente não quero. Tudo o que eu quero – tudo o que eu sempre quis – é que tudo isso acabe e que as coisas voltem ao normal para que eu tenha a minha filha de volta”. Isso meio que doeu. Por que a coisa é, eu sou a sua filha. Por dentro. Eu nunca deixei de ser a sua filha. Mesmo com as notas não-tão-boas, eu ainda sou a filha dela. Então… o que isso significava? Ela apenas me amava quando eu tirava notas acima da média e possuía uma aparência média? Isso não era outra coisa sobre caráter? Eu não entendi. Eu realmente não entendi. Eu me senti como Frida e aquela coisa sobre beleza. “Bem”, eu disse. “Como você acha que eu me sinto? Mas isso não-”.


“E então”, mamãe continuou, me ignorando completamente, “Seu pai e eu decidimos apenas pagar a dívida”. Eu pisquei para ambos os dois. Estava lotada a Starbucks que eles tinham escolhido. Havia blogueiros e estudantes NYU em todo lugar, lotando cada mesa com os seus laptops e seus caros equipamentos de filmagem (a Starbucks do Astor Place é a direita da rua onde fica a Tisch School of Arts, onde a escola de cinematografia da NYU está), parecendo todos angustiado com suas toucas de lã tampa orelhas tricotas a mão, e seus piercings faciais e suas tatuagens, o qual todos eles têm para mostrar como eles são únicos. Exceto como eles são únicos, realmente, se cada um deles possuem

piercings faciais e tatuagens? Eu era a única pessoa abaixo dos vinte anos que não tinha um piercing no lábio ou na sobrencelha ou alguma tatuagem visível. E eu também era a única com um contrato de modelo para uma grande corporação, aposto que todos eles me odiavam. Não sem uma boa razão, é claro. Mas eu estou apenas perguntando: Quem eram os grandes conformistas lá? “O que você quer dizer”, eu perguntei para a minha mãe, tentando não fazer com que todos os blogueiros e aqueles imitadores do Eli Roth não me distraíssem. “Vocês vão pagar a dívida a eles?”. “Stark”, ela disse. “Nós não temos muito em nossas economias e em nossas contribuições, mas nós vamos juntar tudo o que nós temos e pagar a dívida, e daí você não vai mais ter que ficar fazer isso. Isso não será o suficiente, nós sabemos, mas já será um começo. Você poderá ser você mesma de novo. Em - “. De repente, eu era de volta a Em. Minha mãe até mesmo estendeu as suas mãos e segurou as minhas, descansando-as sobre a mesa. “Nós vamos te livrar do contrato”. Encarei os dois. Eu realmente não tinha certeza se eu havia entendido exatamente o que ela estava dizendo. Eu pensei que tinha. Mas isso era tão louco, eu apenas tive certeza de que eu ouvira errado. “Espera”, eu disse, tirando minhas mãos de debaixo das delas. “Você esta dizendo… que vocês querem violar o acordo de confidencialidade que vocês assinaram sobre eu não ser realmente Nikki Howard e pagar a Stark?” “Isso é exatamente o que nos estamos dizendo” mamãe disse, transportando suas mãos para o seu colo. “Nós queremos que você


saia disso, Em. Nos nunca deveríamos ter concordado com isso em primeiro lugar. Nos apenas fizemos isso porque estávamos assustados, e… bem, nos queríamos salvar sua vida. Mas agora nós vemos que talvez… bem talvez essa tenha sido a escolha errada.” A escolha errada? Eles preferiam ter me deixado morrer a ser uma modelo? Meu choque deve ter se mostrado em meu rosto, já que papai inclinou-se para frente e disse, rapidamente, “Isso não é o que sua mãe quer dizer. Ela quer dizer que talvez nos tenhamos feito a escolha errada quando não negociamos mais-” “Mas…” eu tentei pensar no que foi dito no escritório do doutor Holcombe aquele dia no qual meus pais me disseram sobre todos os papéis que eles haviam assinado quando concordaram com a cirurgia que salvou minha vida. “Vocês não podem. Vocês perderão tudo!” "Bem, não é tudo." Papai disse que, na sua forma habitual, alegre, como se estivéssemos falando de sanduiches de ovo ou algo assim. "Nós vamos manter nossos empregos. E eles não podem pegar o apartamento de sua mãe, que é através da universidade. Então, vamos sempre ter um lugar para viver." "Mas você vai falir", eu protestei. "Aquele advogado no escritório do Dr. Holcombe disse que você poderia até ir para a cadeia!" Eu não mencionei a parte sobre como Robert Stark poderia matar os dois antes que isso acontecesse. Se fosse assim tão simples - pagar de volta o dinheiro - eu tentei fazer isso sozinha, com o dinheiro da Nikki Howard. "Bem", disse mamãe, depois que ela tinha tomado um gole de café fortalecido. "Eu prefiro ir para a cadeia de ver a minha filha não fazer jus ao seu potencial, andando por aí quase nua com playboys na capa de revistas de fofocas. Eu tenho que admitir, meu queixo caiu quando ela disse isso. Minha mãe sempre foi uma feminista. Mas eu nunca pensei que ela era uma puritana. “Porque você acha que eu tinha relações sexuais com Brandon Stark?” Eu não podia acreditar que isto estava acontecendo. "Mãe, eu não tive relações sexuais com ele! Isso não era nem mesmo um biquíni. Essas eram minhas roupas de cooper. Eu nunca faria sexo com esse palhaço burro!" Há uma possibilidade, de eu ter dito isso um pouco alto demais, uma vez que muitos dos estudantes da NYU viraram de seus lugares para olhar para nós sobre seus cappuccinos espumosos. Alguns


deles tiveram suas sobrancelhas furadas levantadas. Eu podia ver os blogueiros começarem a postar com fúria em seus blogs sobre o que acabara de ver e ouvir. Mesmo eles sendo descolados, eles estavam bem à frente de outros blogueiros. O twitter, eu imaginava, estava provavelmente pegando fogo. Minha mãe, percebendo isso, assobiou para mim, “Emerson! Por favor você pode baixar sua voz?" "Não, eu não vou, mãe,” eu disse. Se ela fosse me tratar o tempo todo como Emerson, eu a iria tratar como mãe. Embora eu tenha abaixado minha voz, um pouco. Quero dizer, foi meio constrangedor. "Para sua informação," eu sussurrei, "a única razão que eu fui para qualquer lugar com Brandon Stark foi porque ele disse que se eu não fosse ele ira contar ao seu pai onde ele poderia encontrar a verdadeira Nikki Howard.” Meus pais me olham sem expressão. Assim como eu sabia que seria, o conselho de Lulu, para começar a dizer a verdade, foi só bom para ela. Mas seus pais nem sequer falam com ela. Seu pai, um famoso diretor de cinema, paga todas as suas contas a partir de qualquer filme exótico local que ele trabalha, e sua mãe basicamente desapareceu do planeta com um instrutor de snowboard que estava quase com a idade de Lulu. De certa forma, Lulu tem muita sorte. Eu sabia que ela ……… (a palavra estava meio apagada na foto da pág. do livro e eu não consegui entender) me o que ela considerava minha família "normal". Mas ela não sabia o quão grande era a dor de ser uma família "normal", como eram críticos e irritantes metade do tempo. Teria dado tudo certo se minha mãe tivesse dito que eu estava bonita naquela foto na capa da Us Weekly e tivesse deixado a coisa toda. "Sim," eu disse, para seus olhares de incompreensão. "É isso. A real Nikki Howard ainda está viva. Quer dizer, o seu cérebro. Só que no corpo de outra garota, obviamente." Eu vi minha mãe e meu pai trocarem olhares. Foi um daqueles olhares secretos de pessoas que são casadas ou vivem juntos há muito tempo um com o outro. Eu poderia ler perfeitamente o que esse olhar disse, também. Ele disse, Essa menina é completamente maluca, e nós estamos

preocupados com ela.


Yeah. Eles não acreditaram em mim. Bem, por que eles deveriam, afinal? Como disse Lulu, eu deveria ter sido apenas honesta com todos, desde o início, em vez de tentar protegê-los como se eu fosse algum tipo de deusa. "Em –" minha mãe começou a dizer, com cuidado. "Você está sob muito estresse ultimamente. É óbvio que com suas notas escorregando, e as pessoas com que você está saindo – bem, você não está exatamente dando o melhor exemplo para sua irmã agora, não está? Eu tinha que admitir, feriu. Lágrimas inundaram meus olhos. Eu não estava sendo um bom exemplo para Frida? Frida, que tinha apenas sempre desejado ir para a acampamento de torcida toda a sua vida? Pelo menos eu tinha um emprego! “Nós pensamos que seria melhor se, antes de Frida voltar do acampamento, você pegasse uma licença para descansar”, mamãe disse. “Um longo descanso em algum lugar que você possa ficar longe de todas as más influências que entraram na sua vida desde que você começou a trabalhar no mundo da moda. Papai e eu estavámos pensando que talvez um centro de recuperação agradável em algum lugar - “. Centro de recuperação? Ela queria dizer reabilitação? “Quer saber?”, eu a interrompi. Por que eu sequer estava tentando? Por que eu tinha esperança de conseguir? Não importa o que eu falasse, mamãe não ia acreditar em mim. E se eu deixasse eles a par de todo a coisa de o-cerébro-de-Nikki-

estava-totalmente-saudável-Robert-Stark-apenas-tentou-matar-elaporque-ela-sabia-que-o-novo-PC-Stark-Quark-vinha-embutido-comum-spyware-que-a-Companhia-Stark-está-usando-para-baixar-asinformações-para-seu-banco-de-dados-e-ela-estava-tentandochantagear-com-ele-e-assim-ela-teve-o-seu-cérebro-removido, eles seriam apenas mais duas pessoas que eu amo colocadas em perigo. Então era isso. Eu estava decidida. Por não deixar eles a par da verdade, eu não estava mentindo para eles, exatamente. Eu só não estava necessariamente sendo tão franca com eles quanto eu poderia ser. Mas eles têm sido tão justos comigo quanto poderia ser? Acreditando no que sites de fofocas dizem sobre mim? Ficando extremamente bravos por causa das minhas notas, enquanto eles sabiam sob que tipo de pressão eu estava? Não era como se eu


tivesse tido um transplante de cérebro ou algo do tipo este semestre. Um C menos no minha média estava muito bom, se você levar isso em consideração. “Eu acabei de me lembrar de uma coisa”, eu disse, agarrando a minha jaqueta atrás de mim. “Eu tenho que ir”. “Em”, mamãe disse, não mais soando como um elfo islandês louco, mas mais como o seu normal, quando ela não estava completamente louca comigo. Ela estendeu seu braço e pegou uma das minhas mãos de novo. A coisa era, já era tarde demais. Não era culpa dela, necessariamente. Mas estava tarde, estava muito tarde. “Eu vejo vocês em breve”, eu disse, e me levantei e comecei a navegar para fora de lá, Cosabella deslizando ao meu lado. Mas enquanto eu andava, contornado todas as mesas no meu caminho, eu ouvi as pessoas sussurrarem, “Oh meu Deus… é Nikki Howard”. E, “Psst… É ela”. E, “De jeito nenhum, Nikki Howard!”. E eu percebi que estava fazendo isso de novo. Fugindo de um problema. Quando isso realmente não ia resolver nada. Então eu virei a meio caminho da saída do café e voltei para a mesa onde minha mãe e meu pai estavam e parei na frente deles. "Eu não estou dizendo que eu não aprecio o que vocês estão tentando fazer por mim," eu disse. "Porque eu estou em uma enrascada - não na enrascada que vocês pensam. Não se trata de drogas. Eu sei que vocês não vão acreditar em mim, mas eu vou pedir que confiem em mim e acreditem quando digo que não tenho feito alguma coisa errada. Por favor, não façam nada como ir a Stark e tentar pagar o meu contrato… ainda não. Seria – bem, seria realmente, realmente um grande erro.” Olhando para mim, a expressão de meu pai estava mais preocupada do que nunca. "Emerson," ele disse. Ele era o único que quase nunca usava o meu nome completo. Quando usava, era uma grande coisa. Uma coisa realmente grande. "O que está acontecendo?" "Eu não posso te dizer," respondi. "Eu apenas estou pedindo para me dar mais alguns dias. E confiar em mim. Você acha que pode fazer isso?"


Mamãe abriu a boca – para argumentar, tenho certeza. Mas antes que ela pudesse dizer alguma coisa, papai estendeu a mão para pegar a minha, com luvas. "Claro," disse ele, apertando meus dedos e sorrindo para mim. "Nós podemos fazer isso." Mãe lançou-lhe um olhar perplexo. Mas então ela, também, olhou para mim e sorriu. Era um apertado, nervoso sorriso. Mas era um sorriso do mesmo jeito. "Claro, Em," ela disse. Eu peguei a capa da Us Weekly que estava sobre a mesa entre nós. "Mamãe," eu disse, segurando-a. "Eu sei que isto é estúpido, mas… você acha que eu estou bonita na foto?" Ela olhou sem expressão. "Bonita?" "Sim," eu disse. "Bonita." "Você…" ela parecia nervosa. "Você se parece com Nikki Howard," ela disse. "Eu sei," eu disse, rangendo os dentes. "Mas você acha que eu estou bonita?" "Bonita," ela disse, me olhando confusa, "é uma construção patriarcal concebida para tornar as mulheres menos dignas, a menos que elas vivam de acordo com determinados padrões estabelecidos pela forma de dominação masculina e da indústria de beleza. Você sabe disso, Em. Digo para você e Frida o tempo todo." "Sim," eu disse, colocando a imagem para baixo novamente. "Eu sei. Isso pode ser parte do problema." E virei-me, saindo do restaurante.

Doze Sério! Eu podia estar tendo um dia mais confuso que este? Quando eu fui para fora da Starbucks em direção a calçada,


engolindo grandes goles de ar frio, isso era tudo o que eu podia pensar. Meu triste, penoso e patético dia. Primeiro, eu levei um fora do meu namorado (apesar de que isso tinha acontecido, tecnicamente, no meio da noite). Daí eu seqüestrei o filho de um bilionário. Agora meus pais acham que eu estou viciada em drogas ou algo do tipo. Perfeito. Ótimo. Isso não foi uma intervenção, ou algo assim, lá? Na Starbucks? Uau! Meus pais eram tão idiotas. Eles nem mesmo conseguiam fazer uma intervenção do modo certo. Onde estava Candy Finnigan? (Intervenção é o nome de um reality show nos EUA que mostra pessoas viciadas tentando sair do vicio com a ajuda da família e amigos e Candy Finnigan participa deste programa) E porque minha mãe não conseguia simplesmente dizer que eu e Frida somos bonitas? Isso era tão difícil? O que era toda essa porcaria de construção patriarcal? Ela sempre dizia que borboletas eram bonitas. Ela disse que o material que ela escolheu para estofar o nosso sofá era bonito. Por que ela não podia dizer que nós éramos bonitas, também? Por que nós não podíamos ser fortes, independentes e bonitas, também? Eu estava lutando para abrir o meu guarda chuva contra a neve e a fina chuva – até o meu guarda chuva estava quebrada. Fantástico – quando eu o vi. Um cara com um casaco preto em pé do outro lado da rua. Ele não estava exatamente do outro lado da rua. Ele estava meio que no lado de fora, e ao contrário de mim, ele estava debaixo de um toldo, fora da chuva gelada. Mas eu observei ele imediatamente. Porque ele não estava se movendo. Claro que nós estávamos no meio da cidade de New York (ou no meio de Greenwich Village, para ser mais exata). As ruas estavam lotadas de pessoas. Foi isso que me chamou a atenção sobre ele. Pelo fato que ele, assim como eu, estava perfeitamente imóvel enquanto todo mundo estava se movendo para uma direção ou outra. E ele estava olhando para mim, como se estivesse esperando para ver para que lado eu ia andar. E quando eu olhei na direção dele, ele olhou para baixo para o seu celular que tinha acabado de tocar.


A principio eu não pensei nada. Eu continuei lutando com o meu guarda chuva, sem grande avanço. Daí alguma coisa me fez olhar de volta. Para a calça dele. E eu sabia. E eu soube. Ele não era apenas um cara esperando alguém fora de uma loja. Ele estava esperando por mim. Ele estava me seguindo. E ele não era um stalker, também. Eu tinha antes que mais nada (ou melhor, Nikki Howard, tinha) ligar para os seguranças da Stark e eles tiravam os stalkers do meu caminho. Mas stalkers eram diferentes. Eles não se vestem bem para nada. E o casaco daquele cara era muito bem passado assim como as suas calças. Elas tinham um vinco no meio que apenas calças que são lavadas a seco possuem. Elas até possuíam uma pausa onde elas caiam sobre os seus sapatos. Todo stalker que eu tinha visto usava suas calças tão curtas que a bainha da calça ficava pelo menos a um centímetro do seu tênis. E nenhum deles nunca tinha se preocupado em ter suas calças lavadas a seco. O cara do outro lado da rua se parecia mais com um segurança da Stark do que com um stalker. De repente, eu congelei, e não foi por causa do tempo. As calças eram o que lhe dava destaque. Elas eram preta, e perfeitamente ajustáveis. Elas eram, em outras palavras, extravagantes. Eu tinha uma cauda, ele era minha cauda porque me seguia. Eu tinha uma real e autorizada cauda de segurança da Stark Enterprises. E ele não sabia que eu sabia. Nós dois estávamos na calçada lotada, um em frente ao outro. De jeito nenhum, eu seria capaz de ir para a casa de Gabriel para ver Steven e a mãe e a irmã dele, o que era que eu estava pensando em fazer. Era incrível, mas a meu primeiro impulso foi ligar para Christopher. Christopher, de todas as pessoas. Que não estava nem falando comigo. Por que eu ligaria para ele? E qual seria o resultado de eu ligar para Christopher? Ele provavelmente desligaria na minha cara. Apenas porque ele veio me resgatar uma vez não significa que ele veria ao meu socorro voando de novo.


Além disso, eu não precisava ser resgatada, eu era uma forte e independente mulher (de acordo com a minha mãe, de qualquer modo. E não bonita. Entendeu? Não bonita. Beleza é um arquétipo patriarcal). Eu poderia lidar com isso por conta própria. Exceto… como? Lulu, eu pensei imediatamente. Eu preciso ligar para Lulu e pedir para ela não ir até a casa do Gabriel. Apenas no caso deles estarem seguindo ela também. Eu finalmente terminei de abrir o meu guarda chuva com sucesso. E então o coloquei de uma maneira que o Espertalhão não pudesse me ver. Daí eu peguei o meu novo celular da marca Stark e rapidamente disquei para o número da Lulu. Ela atendeu no segundo toque. “Hey”, ela disse. Sua boca estava cheia. De banana split eu não tinha dúvida. “Sou eu”, eu disse, acho que com lábios congelados. “Não vá lá”. “Ir aonde?”, ela perguntou. “Para o lugar que você disse que ia”. Eu estava falando secretamente não porque eu pensava que se ele já estivessem me seguindo, meu telefone poderia estar grampeado, mas porque eu de repente percebi que o loft poderia estar. Nós tínhamos o deixado por aproximadamente uma semana. Quem saberia quem teve acesso a ele enquanto estávamos fora? Eles podem ter desativado o gerador acústico de ruídos que Steven tinha instalado. Eu nunca tinha checado de volta. Eu ou Lulu já tínhamos dito alguma coisa sobre onde Nikki e a família dela estava escondida? Eu tentei pensar. Eu tinha certeza que sim. “Eu estou sendo seguida”, eu disse. Mesmo as palavras soando assustadoras, eu segurei firmemente a coleira de Cosabella. Ela, obviamente, estava se empinado e farejando a terra molhada a procura de restos de comida de rua, como pretzels e cachorro quente que as pessoas podiam ter jogado. “Você está?”, Lulu disse deleitada. “Oh meu Deus! Isso parece algo saído de algum filme do Bourne. E você é como a Julia Stiles. Ela é tão bonita. Onde você está?”. “Astor Place”, eu disse. Eu estava me movendo rapidamente para a direção oposta da Starbucks e do loft, tentando deixar o Espertalhão longe das pessoas que eu amo. O que era ridículo, desde que, é claro, Stark sabia onde meus pais e eu vivíamos. “Nós precisamos


ter certeza que nossos amigos estão seguros onde nós deixamos eles”. “Claro”, Lulu disse. “Eu posso fazer isso”. ���Sutilmente”, eu disse. “Eu posso ser sutil”, Lulu disse parecendo magoada. “Eu…”, eu não ousei olhar por trás do meu ombro para ver se Espertalhão estava atrás de mim. Mas eu tinha certeza que ele estava. Eu não tinha visto mais ele do outro lado da rua. “Eu não sei o que fazer. A respeito do cara, eu quero dizer”. “Oh. Eu sei”, Lulu disse, parecendo mais deleitada ainda. Esta coisa toda era como um jogo para ela, eu juro. “Ligue para o Christopher”. “O que?”, eu disse. “Você está louca?”, eu não sei porque eu estava perguntando isso para Lulu, desde que ligar para Christopher tinha sido a minha primeira inclinação.”Por que eu faria isso?”. Lulu suspirou profundamente no telefone. “Nós acabamos de conversar sobre isso”, ela disse. “Lembra-se? Você tem que dar a ele uma oportunidade dele se sentir necessário e de ele poder te ajudar”. “Eu não posso fazer isso”, eu disse. Eu estava andando tão rápido que Cosabella estava tendo dificuldades em me acompanhar. “O que… e se ele se machucar? Daí isso vai ser a minha culpa e eu vou me culpar para sempre. Eu serei quem se transformará em um supervilão”. Eu não queria contar a ela que a verdadeira razão de eu não querer ligar para Christopher era que eu estava com medo que ele desligasse na minha cara, e eu não poderia agüentar mais uma rejeição dele. “Mas e se você se machucar de novo?”, Lulu queria saber. Uh, isso era exatamente o que estava preocupada… mas não pelo motivo que Lulu estava. “Ele vai se culpar mais ainda, só que dessa vez pelo seu desaparecimento definitivo? Daí ela vai inventar um raio de morte inversor que vai sugar toda a energia do sol, e todos nós vamos morrer lentamente congelados e daí a Terra vai se tornar uma casca oca e a humanidade vai deixar de existir e isso vai ser toda a sua culpa por que você não ligou para ele?”. “Oh, meu Deus!”, eu disse. “Você comeu muito chantilly”. “Isso pode acontecer”, Lulu disse na defensiva. “Eu vi isso na TV uma vez. Ligue para ele”. “Tudo bem”, eu disse. Não havia nenhuma maneira de eu ligar para


ele. “E Lulu, tenha cuidado com o que você diz no apartamento. Eu acho que ele pode estar com escutas de novo”. “Eu estou sempre atenta”, Lulu disse, parecendo magoada e irritada agora. “Eu sou boa nessa coisa de espiã. Eu aluguei um avião inteiro e fui e ajudei Christopher a te resgatar sem ninguém descobrir, não é?”. Uh. Eu não estava tão certa sobre isso. Mas eu apenas agradeci a ela e desliguei o telefone. Eu andei às cegas, nem mesmo olhando para onde eu estava indo, tentando descobrir como isso possivelmente podia estar acontecendo comigo. Mantendo meu telefone para fora, eu fiz uma ligação para alguém… mas não para Christopher. “Então você não me odeia mais?” Brandon perguntou, quando ele atendeu. “O que?”, eu estava confusa. “Você está me ligando”, Brandon disse. “Então parece que você não deve me odiar mais. Isso significa que você quer sair? Eu estou livre esta noite. Eu quero dizer, eu tenho planos, mas eu posso cancelálos. Por você”. Oh, meu Deus. Brandon era o maior promíscuo do mundo. Isso era totalmente repugnante. “Brandon”, eu disse. “Você me seqüestrou. E daí você fez que a única pessoa que eu sempre amarei na minha vida me odiasse. Eu totalmente te desprezo”. “Então…”, Brandon disse. “Eu entendo isso como um não. Você não quer sair esta noite comigo”. Eu segurei o telefone longe do meu rosto para ter certeza que ele estava funcionando corretamente e que eu não tinha ouvido ele errado. “Não”, eu disse, trazendo de volta para perto do meu rosto quando eu tive certeza que serviço de área do meu celular estava totalmente funcionando. “Eu não quero sair com você está noite. Eu liguei para te perguntar por que alguém da segurança da Stark está me seguindo”. “Como eu posso saber?”, Brandon perguntou. “Talvez porque você vale muito para a companhia, e eles querem ter certeza que você não vai ser assediada pelos fãs ou machucada pelos paparazzis. Porque tudo mundo pensa que você está me namorando agora. Você deveria reconsiderar. Segurança particular é apenas uma das vantagens em ser a mulher de Brandon Stark. Hey, ow, lá não”.


Eu segurei o telefone longe do meu rosto de novo. “O que você está fazendo neste exato momento?”, eu perguntei. “Recebendo uma massagem”, Brandon disse. “É que dói um bocado ficar inconsciente e ser amarrado durante metade do dia, você sabe. Você e seus amigos jogaram duro. Já que você não quer estar comigo, tem alguma coisa a mais? Eu realmente estou um bocado ocupado”. “Se a tarefa dele é manter-me sem ser assediada pelos fãs ou paparazzis”, eu disse. “Ele não estaria tentando me impedir de notálo, que é o que ele está fazendo agora”. “Oh”, Brandon disse, em um tom diferente. “Isso é diferente. Você não acha que o meu pai - “. “Eu não sei o que pensar”, eu disse. “Mas eu acho que o seu pai sabe sobre nós? Me diga você”. “Sem pânico”, ele disse. “Meu pai não me disse nada sobre isso. Eu tenho certeza que ele não tem ideia do que está acontecendo. O que está acontecendo, de qualquer modo? Eu quero dizer, você e seus amigos já descobriram o que - “. Eu só ri amargamente enquanto eu arrastei meu cachorro de se afogar na rua. “Certo”, eu disse. “Como se eu fosse contar para você. Quando eu estiver pronta para te deixar por dentro do que está acontecendo, você saberá. Isso é muita mais cortesia do que você jamais me ofereceu”. Eu desliguei na cara dele. Meus dedos estavam tremendo dentro das luvas que eu tinha enquanto eu discava o número do celular do Christopher. Que outra escolha eu tinha? Eu não sabia para onde ir, e francamente, eu estava com medo. Christopher, eu disse a mim mesma, saberia o que fazer. Eu não tinha ideia se ele atenderia. Depois do jeito que nós deixamos as coisas – ele mal olhou como se tivéssemos pegado caminhos diferentes em Terteboro, onde o avião tinha nos deixado. Eu meio que esperava que ele deixasse a minha ligação ir para o correio de voz. Mas, milagrosamente, eu ouvi ele dizendo “Alô?” no meu ouvido. “Christopher?”, eu disse. Eu esperava que eu não tivesse soado assustada ou trêmula para ele como soou para mim. “O que é, Em?”, ele perguntou. Ele não parecia estar surpreso em me ouvir. Ele parecia mais… conformado. Ótimo. Meu namorado – ex-namorado – estava conformado em me ouvir. Porque eu era uma drama queen? Como as meninas que eu


ouvia nos corredores da escola falando coisas sem noção, para que pudesse conseguir mais atenção dos seus namorados? Oh, Jason,

eu não posso abrir o meu armário… eu sei, eu tentei girar para a direita, daí para a esquerda, mas nada se moveu. Eu acho, eu apenas não sou forte o suficiente. Você pode me ajudar? Por favor? Oh, ótimo. Jason, você é tão forte… Sério? Essa era eu agora? Por outro lado, um cara estava me seguindo. Eu me abaixei para recolher o cocô da Cosabella com uma sacola plástica que eu tinha no meu bolso e eu meio que olhei por trás do meu ombro de uma forma secreta, enquanto eu estava obedecendo a um decreto a respeito de lixo de na cidade New York e lancei aquilo em uma lixeira próxima, e lá estava ele de volta, de pé perto de um muro do adro (área externa de uma igreja), totalmente fingindo estar mandado uma mensagem de texto. “Eu estou sendo seguida”, eu murmurei para Christopher “Eu não consigo te ouvir”, Christopher disse. “Eu estou sendo seguida”, eu repeti, mais alto essa vez. “Onde você está?”, ele disse. Não, Então o que você espera que eu faça sobre isso? Ou, Eu te disse eu não quero mais estar envolvido nisso. Surpresa – e mais aliviada do que eu queria admitir – eu respondi, “Eu estou na Broadway com a Ninth”. “Eu não estou longe daí”, Christopher disse. “Caminhe para o norte da Broadway em direção a Union Square. Eu te encontrarei lá”. A voz dele parecia bastante tranqüila no telefone, eu até posso dizer, que assim como eu, ele estava na rua em algum lugar. Eu podia ouvir o barulho do trânsito ao fundo. “Há quanto tempo ele está te seguindo?”. “Eu não sei”, eu disse. “Uns quatro quarteirões? Eu encontrei os meus pais para tomar um café, e eu notei ele assim que eu sai de lá. Ele podia estar me seguindo lá, até onde eu sei”. “Como o cara se parece?”. “Alto”, eu disse, fazendo o que ele tinha me dito, e andando rapidamente para o norte. “Ele para toda vez que eu paro e fingi estar enviando uma mensagem de texto para alguém”. “O que ele veste?”. “Um trench coat e calças pretas apertadas. E isso que se destaca, na verdade. Que ele é alguém da Stark”. “Como assim?”. “Por causa das suas calças. Elas são muito extravagantes”.


“As calças dele são extravagante”, Christopher repetiu, e eu percebi que eu parecia soar como um doente mental. Este era o meu dia, aparentemente, as pessoas estavam pensando que eu estava louca. “Sério, Christopher”, eu disse. “Este cara é da segurança da Stark. E não algum fã da Nikki. Por que a segurança da Stark estaria me seguindo?”. “Isso é algo que você pode querer perguntar para o seu namorado, Brandon”, Christopher disse. “Oh, ha-ha”, eu disse, tentando parecer como se eu não tivesse acabado de fazer isso… e como se o que ele tinha dito não tivesse sido como uma faca no meu coração. “Eu te disse, Brandon me forçou a - “. “Guarde isso, Watts, eu já ouvi tudo isso a primeira vez. Okay, eu vejo você”. “O que?”, isso me assustou muito, eu quase derrubei o meu guarda chuva. “Você me vê? Como você pode - “. Mas daí Christopher virou à direita na esquina na minha frente e colocou um braço ao meu redor. “Oi, querida”, ele disse, e beijou a minha bochecha. “Bem na hora”. Eu estava completamente chocada. Seus lábios estavam quentes contra a minha pele fria. Eu me senti como se estivesse no céu. Especialmente, porque eu estava certa que jamais sentiria o braço dele a minha volta novamente. “Eu já tenho os ingressos”, ele disse. Ele estava conversando com uma voz inapropriadamente alta. Então eu percebi que ele estava fazendo isso por causa do Espertalhão, não por causa minha. Por que ingresso? Que ingressos? “Ótimo”, eu disse a ele, indo junto com ele. Eu notei que ele estava carregando uma sacola plástica da Forbidden Planet, a loja de comic books, que era perto dali. Eu me lembrei, tardiamente, que Christopher tinha uma caixa de correio lá, onde eles guardavam todas comic books que ele encomendava todo mês. Ele devia apenas estar fazendo a sua retirada semanal quando eu liguei para ele. “Então, você está pronta?”, ele queria saber. Ele ainda tinha seus braços a minha volta. Isso era tão maravilhoso, eu esperava que ele nunca me soltasse. Mas nada disso, eu sabia, era porque na verdade Christopher se


importava comigo. Isso era apenas por causa dos velhos tempos. Lulu estava errada: Fazer um garoto pensar que você precisa dele não adianta nada. Exceto que faz você querer ele mais. “Claro”, eu disse. Eu não sabia como algo disso ia funcionar. Agora, Espertalhão que estava do outro lado da calçada a poucos metros de distância, enviando uma mensagem de texto, ia apenas seguir nós dois. Ou assim eu pensei. Porque um segundo depois, Christopher tirou seus braços em volta de mim e olhando para o cara, gritou, “Você. Hey, você”.

Treze


O cara que estava me seguindo olhou acima de seu telefone celular, assustado. Então ele olhou para trás para ver se Christopher estava conversando com alguém. "Eu estou falando com você," Christopher gritou, indo para a direita até Calças Extravagantes e empurrando-o pelo ombro. "Você está seguindo a minha namorada?" Certo. Christopher empurrou o segurança da Stark pelo ombro. Ele também me chamou de namorada. Meu coração começou a bater nas minhas costelas, e não era por causa do possível confronto que eu sabia estar prestes a acontecer. Calças Extravagantes não gostou de Christopher chamando tanta atenção a ele. Ou isso, ou ele não gostou de ser empurrado, mas considerando, para ser sincera, foi apenas um pequeno empurrão. Ele guardou seu telefone celular e disse, numa voz controlada, "Eu não sei quem é você, meu filho. Por favor, tire a sua mão de cima de mim." "O que quer dizer, você não me conhece?" Christopher perguntou, ainda com uma voz forte o suficiente para fazer com que todos na calçada olhassem para nós. "Você está certo de como me conhece. Ou pelo menos como você conhece minha namorada, Nikki Howard. Porque você tem seguido ela nos últimos quatro quarteirões." Aí! Ele disse isso de novo! Namorada! Eu definitivamente não tinha me enganado. Quando Christopher disse que as palavras Nikki Howard, mais pessoas começaram a prestar atenção. Elas realmente abrandaram na calçada, ou pararam de andar completamente e ficaram olhando fixamente. Um cara grande e forte que estava descarregando latas de refrigerante de um caminhão na esquina veio e parou na cara de Calças Extravagantes. "Hey!" Grande Cara disse. "Isso é verdade? Você está seguindo Nikki Howard? Calças Extravagantes olhou rapidamente ao redor, como se procurasse uma rota de fuga. Na verdade, ele começou a chegar dentro de seu casaco – e não para pegar o telefone celular, que eu vi cair do bolso da trincheira lateral. Eu estava apenas no ângulo direito para ter um vislumbre do que exatamente ele estava pegando dentro de seu casaco… …uma arma. Em um coldre de ombro, a alça estava aninhada debaixo do braço. Engoli em seco e estendi a mão para agarrar o braço de


Christopher, meus dedos afundando no couro da sua jaqueta. Eu acho que parei de respirar por um minuto. Eu não podia acreditar nisso. Uma arma! Ele realmente tinha uma arma! Ele estava se preparando para tentar nos atirar! Mas entre Christopher, Grande Cara, a multidão reunida, e eu, não havia aparentemente muitas testemunhas. Porque um segundo depois, a mão de Calças Extravagantes caiu longe da arma, e em vez disso, ele parecia estar à procura de uma maneira diferente de sair de sua difícil situação. Continuei a segurar o braço de Christopher, tão assustada que eu não tinha certeza se poderia ter permanecido em pé, se eu não tivesse agarrado nele. Uma arma! Ele tinha uma arma! E ele estava querendo usá-la! "Isso não é bom!" Grande Cara disse, cutucando Calças Extravagantes no peito – bastante acentuado, pensei. Especialmente considerando o fato de que ele tinha uma arma. "Nós deixamos celebridades sozinhas por aqui!" "Verdade," Christopher disse, balançando a cabeça tristemente para Calças Extravagantes. "Nós realmente deixamos." Calças Extravagantes parecia perturbado. Mas não há nenhuma maneira dele fugir para sair desta situação. A menos que ele fosse algum tipo de psicopata. Não havia forma pois muitas pessoas se reuniram ao redor de nós agora, assistindo. E eu duvido muito que Robert Stark seria capaz de contratar qualquer psicopata como parte de sua equipe de segurança. "Eu não estava seguindo," disse ele, tanto para o homem corpulento quanto para Christopher. "Aconteceu de apenas nós estarmos andando na mesma direção, é isso." "Então continue andando, porque você não está?" Grande cara perguntou a ele. "Talvez eu vá, então," Calças Extravagantes disse, olhando ferido. "Talvez eu vá." Mas claro, ele se manteve ali. "Então vá," disse Christopher. "Se você está com tanta pressa." "Yeah," Grande Cara disse. "Vá, porque não está indo?" Calças Extravagantes, jogando a todos nós um olhar muito sujo, começou a caminhar lentamente. Meu coração continuou a bater dentro do meu peito enquanto eu assistia ele ir, esperando que não voltasse para trás e começasse um tiroteio. "Mais rápido," Grande Cara ordenou.


Calças Extravagantes escolheu um lugar, indo em direção a Union Square. Ele não olhou para trás. "Muito obrigada," eu respirava, afrouxando um pouco meu aperto do braço de Christopher. Meus dedos doeram de como eu estava firmemente apertando ele. Eu não podia imaginar como seu braço estava se sentindo. Mas ele não estava reclamando, eu notei. "Sem problema," Grande Cara disse. "Nós não podemos ter pessoas assediando nossas celebridades locais. É isso que faz Nova York diferente L.A. (Los Angeles), sabe? Aqui, as pessoas podem andar pelas ruas e ninguém os incomoda, sabe? Hey, eu tenho que dizer, minha sobrinha é tão bonita e talentosa como você, e vai ser uma estrela algum dia. Posso te pedir um autógrafo? Você sabe, para inspirá-la." "É claro," respondi. "Eu ficaria feliz. Qual é o nome dela?" E quando ele me disse que era Helen Thomaides, eu rabisquei, Para Helen, Para alcançar as estrelas. Com amor, Nikki Howard em uma página da sua encomenda. Isso, é claro, abriu as comportas, e então todos que estavam parados na calçada assistindo nosso confronto com Calças Extravagantes queriam um autógrafo. Canetas apareceram do nada, e logo eu estava assinando tudo, desde recibos de farmácia a costas de pulsos. Enquanto eu assinava, tentei acompanhar o que estava acontecendo além do círculo de caçadores de autógrafos ao meu redor. Onde estava o cara que estava me seguindo? Ele tinha realmente ido embora? Onde estava Christopher? Teria ele, também, saído de perto de mim? Ou ele ainda estava aqui? Finalmente, eu senti uma mão envolvendo meu braço. Olhei para cima, assustada. Felizmente, era Christopher, não Calças Extravagantes. Ele pegou Cosabella – graças a Deus. Caso contrário, ela teria sido pisoteada na corrida para a minha assinatura – e agora ele estava dizendo, em uma voz séria, "Nikki? Eu acho que é hora de ir." Olhei para a rua e vi que ele estava perto de um táxi abrindo uma das portas traseiras. Christopher estava me ajudando a fugir? Depois de dizer que não queria mais saber de nada disso? Senti uma onda de calor em direção a ele, que foi ainda maior do que quando ele colocou o braço em volta de mim. "Oh," eu disse a todos os caçadores de autógrafos. "Eu sinto muito,


eu tenho que ir." "Para uma montagem?" (Ela disse “fitting”.) Uma das meninas que tinha me pedido para assinar seu pulso queria saber. "Para uma seção de fotos?" outra perguntou. "Sim," eu disse para todos. Qual era o ponto de dizer a verdade? Seria apenas decepcioná-los. "Desculpe! Muito obrigada! Eu amo todos vocês!" Eu mandei beijos como eu tinha visto as estrelas de filmes fazerem na TV e corri para o táxi, mergulhando dentro dele, e em seguida fugindo do outro lado do banco, para dar espaço para Christopher, que estava oferecendo Cosabella para mim. "Vem comigo," eu quase implorei. Eu poderia dizer que ele estava pronto para a fiança, embora ele tivesse feito todas aquelas coisas boas para mim. "Em," disse ele. Seu rosto estava fechado, seus olhos azuis apagados como se fossem janelas de uma casa vazia. "Christopher," eu disse. "Ele tinha uma arma…" "Eu sei," Christopher insistiu, olhando por cima do ombro. "É por isso que você tem que sair daqui agora." Ele sabia? O tempo todo, ele agiu com tanta calma! Ele empurrou o cara, sabendo que ele tinha uma arma? Eu não podia acreditar. Ele tinha feito isso por mim. Mesmo alegando não sentir nada por mim. Nada além de desprezo. Talvez o que ele alegou e o que ele realmente sentia eram duas coisas diferentes. Eu quase não ousava a deixar-me com esperança… "Estou preocupada com você," eu disse. As pessoas que não tinham conseguido um autógrafo, mas que tinham visto a multidão, estavam começando a se aproximar do táxi, curiosas sobre quem estava dentro dele. "Será que é somente você ir?" Christopher disse. "Ele provavelmente encontrou um táxi e está no seu caminho de volta –" "Por favor, entre." Agora eu estava implorando. "Eu preciso de você." Eu não me importo, Christopher poderia ter dito. Você é a única

com um problema. Eu não. Mas ele não disse. Lulu estava certa: Talvez os caras só queiram se sentir necessários às vezes. Não o tempo todo. Porque então você sai como uma Whitney Robertson, toda lamentável e completamente indefesa. Mas de vez em quando, talvez você precise parar de correr e dizer às outras pessoas que precisa delas, e deixá-las ajudar. Incluindo o cara que você gosta.


Christopher entrou no táxi do meu lado e fechou a porta. Ele não se comportou como se estivesse muito infeliz com isso, também. "Onde estamos indo?" ele perguntou. "Eu estava indo no Gabriel," eu disse. "Eu acho que… bem, eu não sei. Mas eu estou preocupada que Nikki tenha dito algo a alguém." Bastou dizer isso em voz alta para minha boca secar e meu pulso acelerar. Eu não podia olhar nos olhos de Christopher. Não tanto porque eu estava realmente preocupada com Nikki e sua família, o que eu estava. Mas porque eu sabia que estávamos sozinhos em um simpático, agradável táxi juntos. Era a primeira vez que estávamos sozinhos desde que ele acordoume na minha cama… …e deixou-me. Basicamente. Mas agora ele acabou de salvar a minha vida. "Você pode estar certa sobre isso" foi tudo o que ele disse, no entanto. "Considerando o novo amigo que você arranjou lá. Mas não sei o quão boa é a idéia de ir lá com um segurança Stark em sua cauda." "Onde estamos indo?" o taxista queria saber. Ele teve que gritar para ser ouvido através do vidro à prova de balas entre os bancos dianteiros e traseiros. Ele começou a dirigir, e nós estávamos cruzando abaixo da Broadway, indo na direção oposta que Calças Extravagantes tinha tomado. Se ele não tivesse entrado em seu próprio táxi, e estivesse nos seguindo. "Basta continuar dirigindo," Christopher gritou para o motorista. Ele estava, evidentemente, pensando a mesma coisa que eu. "Nós vamos dizer-lhe quando precisar correr." "Você acha que ele está nos seguindo?" perguntei a Christopher, girando em torno do banco para olhar. Tudo que eu pude ver, no entanto, foi o grande oceano usual de táxis atrás de nós. Não havia maneira de dizer em qual, se houvesse, estava detido Calças Extravagantes. "Provavelmente," disse Christopher. "O que nós fazemos?" perguntei ansiosamente. "Eu digo que nós vamos para uma baixa movimentação agradável," Christopher disse, "e tentar perdê-lo apenas ao acaso, então você sai e salta sobre o metrô e volta para cima quando parecer seguro." Eu não podia acreditar que Christopher estava tão calmo. Este era


obviamente o novo, Christopher supervilão, que estava sendo usado para perseguições de carro em alta velocidade. Embora nós não estivéssemos indo realmente em alta velocidade, considerando que paramos em uma luz vermelha. Olhei para Cosabella, que tinha saltado para o meu colo para espreitar pela janela. Cosy adorava estar em qualquer veículo em movimento. Olhar para o seu rosto era mais fácil do que olhar para o de Christopher, que sempre só me fazia lembrar do quanto eu o queria. E quanto ele, em retorno, não me quis. Pelo menos, até a poucos minutos. Eu ainda não tinha certeza se deveria permitir a recente evolução dar-me esperança de que as coisas estavam mudando. "O que faz você pensar que Nikki deve ter nos traído?" Christopher quis saber. "Ela é louca," eu disse. "Sobre essa coisa toda. O fato de que ela não pode ter o seu antigo corpo de volta. É o que ela pediu para Brandon, você sabe." Virei a cabeça para olhar para ele, sentindome subitamente tímida. "Em troca de lhe dizer por que seu pai tentou matá-la." Christopher olhou para mim sem expressão. "Ela pediu pelo quê?" "Seu corpo antigo de volta," eu disse. Seus olhos se arregalaram. "Espere… ela queria que você –" "Sim," eu disse com tristeza. "Ela realmente odeia o corpo que ela acabou ficando." Christopher se arrepiou. "Já ocorreu a ela que é isso o que acontece," disse ele, "quando você tenta chantagear seu chefe? O que ela esperava?" Eu arregalei os olhos para ele. "Bem, não que ele iria tentar matála." "Chantagem contra a lei, você sabe," disse Christopher. "Isso tende a deixar as pessoas nervosas." "Bem, o que Robert Stark está fazendo é contra a lei, também," eu apontei. "Eu sei que dois erros não fazem um direito, mas não é como se Nikki soubesse de nada." "Uh, ela é um membro da raça humana, não é?" ele perguntou. "Além disso, eu pensei que ela era um menor emancipado. Então você não pode dizer que ela não sabia melhor. Ela pretendeu ser uma adulta." "Eu estou apenas dizendo," eu disse, começando a me sentir um pouco menos calorosa em relação a ele do que quando ele tinha me


salvado de Calças Extravagantes, porque eu estava tendo um tempo tão difícil para fazê-lo ver o quão importante seria perder seu corpo se fosse uma garota como Nikki. "Sei como ela se sente. É horrível ter que desistir de toda a sua vida porque você cometeu um erro estúpido." "Qual foi seu erro?” Christopher perguntou. "Empurrar sua irmã menor para fora do caminho quando aquela TV se soltou e assim caiu sobre você e não sobre ela? Estar no lugar errado na hora errada? Você não cometeu erros. E nem Nikki.” A veemência com que Christopher falou que me surpreendeu. Eu não sabia que ele sentia fortemente… sobre outra coisa senão vingar a minha morte, que agora era um ponto discutível, uma vez que ele sabia que eu não estava morta. "Eu – Eu acho que nunca pensei nisso dessa forma," eu disse, distraidamente acariciando a cabecinha peluda de Cosabella. "Então, ela perdeu seu corpo," disse Christopher. "Ela ainda tem sua mente. Só porque a sua carreira anterior foi inteiramente baseada em sua aparência, isso não significa que ela não pode ter uma nova carreira, desta vez usando o seu cérebro em vez disso. Será que ela ainda não considerou isso? Não é como se ela não tivesse jeito nos negócios. Como você deve ter notado, considerando o fato de que ela assustou o dono de uma empresa multinacional e ele tentou assassiná-la." Pisquei para ele. Era verdade. Nikki tinha muito mais coisas do que apenas o rosto. Mas como alguém vai convencê-la disso? "Se pudéssemos descobrir porque Robert Stark estava tão assustado com a sua revelação para todos," eu disse lentamente. O embrião de uma idéia estava se formando em minha mente. "A coisa com os Quarks, quero dizer. O fato de que ela foi fundamental para descobrir isso… se pudéssemos descobrir e tornar público, o que pode ser suficiente para aumentar sua auto-estima a ponto de não querer invadir minha cabeça e colher o meu cérebro de novo." Christopher gritou para o motorista, "Vire à direita aqui!" O taxista gritou de volta, "Você está louco! Eu estou na pista errada!" "Faça isso," Christopher gritou de volta: "Tenho vinte extra para você." Amaldiçoando, o motorista fez uma curva à direita de repente, e eu Cosabella cambaleamos em direção a Christopher. Ele colocou os braços em meus ombros no momento em que, todos os que nos


rodeavam, carros e caminhões buzinaram. Cosabella mexeu-se para ficar em pé sobre o banco, que envolveu principalmente suas patas esfaqueando minhas coxas. "Desculpe," eu disse, mortificando as partes do meu corpo que tinham voado em Christopher. "Eu sinto muito." "Tudo bem," ele disse. Ele estava esticando o pescoço para olhar para trás. "Se ele estava lá, nós o perdemos com certeza." "Nós perdemos?" eu tentei me arrumar, consciente de que Christopher não moveu seu braço. Era horrível ser tão superciente destas coisas, quando eu tinha certeza de que ele não se importava com nada. "Bem, isso é bom." "E eu sei o que você que dizer," disse ele. "Sobre Nikki. Ela tem bons instintos. Eles só precisam ser guiados na direção correta. Ela estava certa de fazer algo sobre o que ela ouviu sobre os Quarks. Ela só não fez a coisa certa. Chantagear o patrão em vez de tentar pará-lo não fez nada para o bem maior… que é o que você quer fazer." "Robert Stark não está coletando todos os dados por alguma razão, Christopher," eu disse, olhando em seus olhos. Ele ainda estava com o braço em volta de mim, então foi meio difícil não o fazer. Também não observar seus lábios, que estavam altamente beijáveis. Mas eu tentei pensar em coisas maiores, como salvar Nikki e sua família. "Eu estava prestando atenção no seu discurso sobre ele em Discurso em Público. Você não consegue ser o quarto homem mais rico do mundo, fazendo coisas sem nenhum motivo. Amanhã à noite eu tenho que ir a uma festa em sua casa. Se não vai ter qualquer chance de descobrir o que é que ele está fazendo, vai ter depois –" "Uau," disse Christopher, apertando seu braço, "Você vai enfrentá-lo sozinha?" "Bem," eu disse, "Eu acho que vai ser a única chance de acabar com isso. Caso contrário… bem, meus pais estão ameaçados de falência, porque eles pensam que podem apenas valsar até Stark Corporate, pagar o meu contrato, e ser feito só isso. O que nunca vai acontecer. Steven e sua mãe terão que viver escondidos para sempre, por medo do que Robert Stark e seus amigos poderão fazer com eles. E Nikki vai conseguir acabar consigo mesma - ou matar tentando ser o que ela costumava ser. Então… é. Vou enfrentá-lo sozinha. Com a sua ajuda, se você estiver disposto a isso. O que você acha? Você está disposto?" Christopher não disse nada de imediato. O táxi trafegava a Hounston Street, levando-nos só Deus sabe onde. Segurei minha


respiração, esperando a sua resposta. Eu sabia que não podia fazer nada disso sem a sua ajuda. Eu precisava dele – e de seu primo Felix – para quebrar a estrutura principal de Stark e ver o que poderia descobrir. Eu não acho que possa apenas andar até Robert Stark e falar, "Diga-me tudo." Eu precisava me armar com algumas informações primeiro. Com as informações só poderíamos começar. Se olhássemos no lugar certo. E se não fossem criptografadas. O que provavelmente seriam. Entretanto. O mínimo que podíamos fazer era tentar… "Você está louca," disse Christopher. Ele parecia zangado. Comigo. Com si mesmo. Com toda a situação. E eu não poderia culpá-lo exatamente disso. "Essa coisa toda foi completamente loucura." "Eu sei," eu disse, com um encolher de ombros. Secretamente, pensei, eu era incentivada. Um Você está louca não era uma coisa qualquer. "Aquele cara ali atrás tinha uma arma," Christopher continuou. "Brandon Stark nem mesmo tinha uma arma, e conseguiu raptar você ameaçando fazer coisas ruins para seus amigos. Como você acha que vai lidar com o seu pai, que é um bandido de verdade?" "Bem," eu disse. De repente, eu não me sentia tão incentivada. Havia lágrimas reis em meus olhos. "É por isso que desta vez eu estou lhe pedindo ajuda. Eu sei que não posso fazer isso sozinha. Eu preciso de você, Christopher." "Você está certa," disse ele. "É hora de você realizar isso." Então ele me puxou para perto e me beijou.

Catorze


"Onde vocês estavam?" Isso foi o que Fleix quis saber quando nós aparecemos em seu porão uma hora depois. Era óbvio que pelo seu tom que ele não quis dizer onde tínhamos acabado de estar - escapando de capangas da segurança Stark e nos agarrando (bem, um pouco) na parte traseira de um táxi. Ele quis dizer onde nós estávamos desde a última que nos vimos. Na verdade, eu não tinha certeza se ele tinha se movido da frente do seu centro de comando multi-screen desde a primeira vez que eu o conheci. Ele ainda parecia estar com a mesma roupa - calças jeans, camisa de veludo verde, e um monte de correntes de ouro. A única diferença, realmente, era que tinha muito mais pratos vazios empilhados ao seu redor. Sua mãe evidentemente estava levando suas refeições lá em baixo para ele. Bem, isso é que dá ser um hacker de computador sob prisão domiciliar… embora eu acho que houveram algumas regalias. Como sanduíches e Brownes da mãe, no andar de cima. "Nós só estávamos fugindo de um cara da segurança Stark," Christopher informou a ele. "Ele estava seguindo Em. Ele tinha uma arma." "Em?" Felix girou sua cadeira parando o que estava fazendo no computador para olhar para mim com os olhos apertados. Em seguida, ele assentiu. "Oh, é claro. Li o arquivo médico. Você é apenas pegou emprestado o corpo de Nikki Howard. Seu verdadeiro nome é Emerson… Watts, certo?" "Uh, eu posso ter que da o corpo de volta, eu estou esperando", disse eu. "Trocar cérebros de um corpo pra outro não é um piquenique, você sabe." “Especialmente se o corpo for de Nikki Howard,” Felix disse, e ele rosnou. “Mamacita, eu gostaria de ter um pouco disso!" Christopher caminhou até seu primo e lhe deu um tapa na sua cabeça. "Ei", disse ele severamente. "Mostre boas maneiras. Só porque você vive em um porão não significa que você não tem que agir como um cavalheiro na frente de damas." "Ai", disse Felix, tocando na sua cabeça. "Pare. Eu só estava brincando." "Está tudo bem", disse a Christopher. Eu realmente senti um pouco triste por seu primo. Deve ser difícil ser inteligente e não possuir um local para usufruir - positivos, pelo menos - de toda essa inteligência.


"Não", Christopher disse, balançando a cabeça para mim. Félix podia estar brincando, mas Christopher definitivamente não estava. "Não está." Corei. Christopher estava sendo um cavalheiro comigo agora… …mas quando estávamos no táxi, depois que ele aproximou-se de mim e beijou-me, ele logo me empurrou para longe e murmurou: "Desculpe, eu não queria fazer isso." Eu olhei para ele com espanto, os meus lábios ainda formigando onde a sua boca tinha colado na minha, e disse, "Christopher. Está tudo bem". Acredite em mim. Estava mais do que bem. "Não," ele disse. "Não está." Então. Eu ainda não o tinha perdoado. Ainda não. Foi só que ele não poderia ajudar me beijando de vez em quando. Os meninos são tão estranhos. Agora ele apontou para um dos monitores de computador na frente de Félix, que era um fluxo de informações. "Nós ainda estamos na estrutura principal de Stark?" ele perguntou. "Sim," disse Felix. Ele parecia zangado. Ele se recostou na cadeira do computador para que pudesse descansar seus pés gigantescos em uma das caixas de leite que compunham o seu centro de comando remendado, perto de alguns dos pratos vazios. "Não é que eles estão fazendo nada de interessante. Estou mais aborrecido com esse truque do que com todas as temporadas de Stargates juntas." "Eles estão fazendo muita coisa que é interessante," disse Christopher. "Eles estão armazenando todos os dados que as pessoas estão carregando em seus novos Quarks." Esta informação assustou tanto Felix que ele saltou, trazendo os pés para baixo da caixa de leite e acidentalmente derrubando todos os pratos, também, fazendo com que caíssem no chão com um estrondo. Ele não pareceu se importar ou sequer notar, no entanto. Seus dedos começaram a voar sobre o teclado na frente do monitor Stark. "Caramba," disse ele, olhando – pela primeira vez – totalmente desperto e animado. "Por que você não disse isso, em primeiro lugar? No que eles se preocupam com um bando de dados de alguns laptops de plástico de medíocres estudantes? Não faz qualquer sentido. Onde estão armazenando? Eu não consigo ver." Ele tomou um gole de uma das Cocas que sua mãe tinha trazido para nós (Tia Jackie ficou super feliz em me ver. Ela tinha ganhado a coleção completa da fragrância de Nikki Howard para o Natal do


marido e queria que eu assinasse a caixa com o rosto de Nikki sorrindo sedutor dela.) "Onde eles estão colocando isso?" "O que quer dizer com você não está vendo isso?" Christopher exigiu. "Você pode encontrar os dados ou não?" "Oh, está aqui," disse Felix, arrotando a sua Coca-Cola. "A criptografia é uma piada. Nunca vi uma sociedade tão cheia de si. É como se eles achassem que ninguém pode tocá-los. E talvez isso é porque ninguém nunca se importou de tentar. Mas, quero dizer, eu não posso dizer o que querem com toda essa porcaria. Eles têm Facebook de crianças e páginas do Flickr, até mesmo os seus registros dentais. O que eles querem com isso? E aqui tem um orçamento de reservas de viagens online. Priceline e cruzeiros e viagens escolares de primavera quebradas…" "Talvez eles queiram entrar no negócio de viagens?" arrisquei com um encolher de ombros. "Stark não tem uma linha aérea comercial." "Fênix," Felix disse. "Eles querem sua base central de viagem fora de Fênix?" Christopher perguntou, confuso. "Não," afirmou Felix. Seu canudo bateu no fundo de sua lata de refrigerante. "Isso é como eles estão chamando o banco de dados onde eles estão mantendo todos esses arquivos. Projeto Fênix." Christopher olhou para mim sem expressão. "O que há em Fênix?" Dei de ombros novamente. "Deserto?" "Idosos," disse Felix, quando Christopher olhou para ele. "Idosos que dirigem carros de golfe. Chato." "Olhe isso," disse Christopher a Felix. Felix suspirou, e digitou a palavra Fênix em um mecanismo de busca. "Fênix," ele leu, quando a definição apareceu. "Um místico pássaro de fogo sagrado com mil lágrimas úteis, que perto do seu fim constrói um ninho de galhos mirra, em seguida pega fogo, então renasce das cinzas." Todos nos entreolhamos sem entender. "Talvez seja um novo videogame," sugeri. "E as pessoas cujos dados eles recolheram têm altas pontuações em Journeyquest ou algo assim. E eles querem mandar o jogo para eles testarem." "Então eles deveriam ter enviado para mim," disse Christopher olhando (justificadamente) ofendido.


"Sim," disse Felix, clicando na página do Facebook de um dos novos proprietários Quark. "E de maneira nenhuma esse perdedor joga Journeyquest. Olhe para ele. Oi, eu sou Curt. Eu gosto de Dave

Matthews Band. Eu só bebo café cultivado organicamente. Eu vou caminhar com meu cachorro em Seattle no fim do mês. Eu sou uma droga.” Olhei para o perfil de Curt. Ele definitivamente não era um jogador. Ele listou corrida e ciclismo como seus hobbies. Era atraente, sem um pingo de gordura corporal. Gostava de cachorros e de seus sobrinhos e queria salvar as baleias. Todos que tinham qualidades admiráveis estavam fazendo o divertimento de Felix. "Mostre-me outro," eu disse. "Oi," disse Felix, ao clicar em outro perfil. "Eu sou Kerry. Oooooh, Kerry é gostosa. Ela gosta de escrever e do pôr do sol. Gosto de escrever e do pôr do sol, também, Kerry. Olhe isso, Kerry irá à Guatemala para ajudar a ensinar as crianças a ler no próximo mês. Legal da parte dela. Por que a Stark quer saber sobre Kerry? Vamos verificar seus registros médicos. Ela mandou um e-mail para o programa que ela vai para a Guatemala. Oh, olha isso. A saúde perfeita. Nem mesmo uma cavidade. Surpresa. Esses compradores Quark são super saudáveis. Coma um x-burguer, Kerry, nade em gordura!" Felix estava gritando com seus monitores. Felix ficava animado com muita facilidade. Talvez fosse tudo por causa da cafeína e do açúcar que tinham na Coca-Cola que ele bebeu. "É estranho," eu disse, "que todos eles são pessoas excessivamente naturais. Digo, vegetarianas, saudáveis, verdes…” "Ou," Christopher disse, olhando para mim, "alguém da Stark propositadamente capina esses dados." "E só salva os arquivos saudáveis, atrativos?" Eu olhava a foto de Kerry no seu Facebook. Ela estava em pé sob a luz do sol em uma pista de caminhada, vestindo uma camiseta e shorts. Ela parecia magra e fresca e feliz. "Mas por quê?" Felix perguntou, alcançando a Coca-Cola que eu não tinha tocado (o corpo de Nikki não podia lidar com cafeína e xarope de milho rico em frutose). "Eu odeio as pessoas saudáveis." "Eu não sei," disse Christopher. "Mas o que mais eles têm em comum?" "Eles cuidam bem de seus corpos," arrisquei. "Eles são todos gostosos," disse Felix.


"E eles estão todos indo a lugares," Christopher disse, "em suas vidas." "Robert Stark está formando um exército," eu disse com admiração. "Sim," Felix disse sarcasticamente. "De pessoas realmente chatas."

Quinze


"Oh, graças a Deus você está aqui," Gabriel disse, abrindo a porta de seu apartamento. Eu não conseguia entender por que ele estava feliz em nos ver. Não a princípio. Eu havia me oferecido para vir ao seu apartamento trazer alguma comida, tendo visto que eu ia ser de nenhuma ajuda para resolver o mistério do Projeto Fênix… …pelo menos, não sentada, lendo arquivo depois de arquivo dos extremamente atraentes proprietários Stark Quark. Isso era algo que Christopher e Felix poderiam fazer por conta própria. Então você pode imaginar minha surpresa quando Christopher disse que viria comigo no Gabriel. Não me pergunte por quê. Ele não me agarrou e me beijou novamente ou forneceu alguma explicação do por que ele tinha feito isso no táxi esta tarde. Tanto quanto eu poderia dizer, ele ainda me odiava e planejava continuar a fazer isso indefinidamente. Eu não poderia deixar de desejar poder ser mais parecida com Nikki. Tenho certeza que muitos caras tinham jogado jogos mentais estranhos com ela. Ela não iria aturar as bobagens de Christopher por mais de cinco minutos. Eu adoraria perguntar a ela como ela lidou com caras como ele. Eu teria feito isso, na verdade… …se eu conseguisse fugir com ela me dando socos na boca e exigindo novamente para eu lhe devolver o seu corpo. Dentro do restaurante tailandês onde tínhamos ido para pegar a comida, estava quente e seco e tinha um cheiro insanamente bom. Eu pedi um pouco de quase tudo para ir, então sentei esperando a comida em uma cadeira acolchoada de vinil vermelha com Cosy no meu colo, enquanto Christopher sentou-se ao nosso lado, mandando uma mensagem a Felix em seu celular. Depois de algum tempo tentando ignorar a presença de Christopher – seus lábios altamente beijáveis e grandes mãos gostosas –, ocorreu-me: Espere um minuto. Eu não tenho que pedir a Nikki seus conselhos. Eu podia chegar e pedir uma explicação a Christopher se éramos um casal. Eu merecia, no mínimo. Quero dizer, nós tínhamos sido amigos por anos antes de sermos namoradonamorada (se fosse mesmo isso). Do que eu estava com tanto medo, afinal? Ele era apenas um garoto do colegial. Eu era o fenômeno Nikki Howard, a supermodelo. Mesmo eu não sendo, realmente. Por que eu estava com tanto medo do que ele ia dizer, afinal? Nós


já tínhamos machucado um ao outro tanto quanto nós pudéssemos. O que mais poderíamos fazer para o outro? E Lulu tinha dito que precisávamos nos comunicar mais. Certo? "Christopher," eu comecei, depois de respirar profundamente me dizendo para ser forte. Afinal, ele tinha me beijado, certo? Isso tinha que dizer que ele ainda gostava de mim, pelo menos um pouco. "O que exatamente –" "Não," ele disse. Ele nem sequer olhou para cima do seu telefone celular. "Não o quê?" eu perguntei, ofendida. Quero dizer, realmente! O mínimo que ele poderia ter feito era olhar para mim! "Não comece a falar sobre o nosso relacionamento," disse ele. Como ele sabe? Como é que eles sempre sabem? O que eles têm, algum tipo de radar? "Uh," eu disse. Agora eu não estava apenas ofendida. Eu estava furiosa. Eu não era uma dessas choronas Eu quero saber onde o nosso relacionamento está indo tipo de meninas. Eu nunca tinha tocado no assunto, não o tempo todo que tínhamos estado juntos. Que, tudo bem, só tinha sido, assim, duas semanas. E uma grande parte desse tempo eu estava presa com Brandon Stark… contra minha vontade. Mas ainda assim. "Eu acho que eu tenho o direito de saber onde está o nosso relacionamento correntemente," eu disse indignada. "Porque eu vou ser sincera: se você vai continuar com esses jogos, eu vou começar a conhecer as outras pessoas." Yeah! Isso soou bem. Como algo Lauren Conrad ou alguém do tipo diria. Não que Lauren Conrad seja uma grande modelo ou qualquer coisa. O que nós, garotas solteiras temos que fazer nestes tempos de complexidade moderna? Sério, todo mundo é divorciada. Christopher abaixou o celular e olhou para mim com uma expressão de descrença absoluta. "O quê?" disse ele. Sua voz falhou. "Eu quero dizer," eu disse. Eu não quero entrar em uma luta enorme em um lugar aonde vende comida Tailandesa no Bronklyn. Mas vamos lá. Uma menina tem que ter padrões. "Você não pode simplesmente vir me salvar - duas vezes - me beijar um monte de vezes, e então agir como se não se importasse


comigo." Joguei meu cabelo pro lado. "Eu não tenho tempo para esse tipo de jogo. Eu preciso saber. Ou você está comigo ou não está. Se você estiver, ótimo. Se você não estiver, pare de me beijar. É justo." Isso foi bom. Eu não tinha idéia de onde estava vindo aquilo. Mas eu gostei. "Bem", disse Christopher. "Para dizer a verdade, agora, eu realmente não estou afim de você. Porque você está agindo como alguém que eu não conheço. E não acho isso bonito.” Doeu, eu tentei limpar as lágrimas nos meus olhos como uma reação do cheiro do óleo quente fritando no ar. Talvez Lauren Conrad não seja tão grande modelo afinal de contas. "Eu não estou agindo como ninguém", disse. "Exceto como eu mesma. Você disse que eu precisava crescer, e isso é exatamente o que eu estou fazendo, estou apenas pedindo alguma honestidade de você. Eu realmente te amo, e quero saber se você -" "Jesus", disse Christopher. Ele ergueu o telefone celular no ar novamente. Não pude deixar de reparar que ele estava corando. "Quer parar de dizer isso?" "Parar de dizer o quê? Que eu te amo?" Eu tinha que admitir, torturá-lo era uma espécie de divertimento. "Sim", disse ele, parecendo extremamente desconfortável. "Você fica dizendo isso, mas não agir como se amasse." "Eu não ajo como se te amasse?" Eu exigi. Agora eu estava ficando vermelha. Eu realmente esperava que a caixa sentada a poucos metros que estava olhando para o espaço não falasse Inglês bom o suficiente para saber o que estávamos dizendo. "Ao voar para a casa de praia de Brandon Stark, por alguma razão", ressaltou. "E deixar que todos pensassem que estava apaixonada por ele e não por mim. Então, quando eu vim salvar você, você nem sequer veio comigo -". "Oh, você me deixaria que ir? " Eu exigir. "Eu já expliquei isso!" "Você não pode simplesmente dizer que está arrependido de alguma coisa e querer que tudo melhore", disse Christopher. "Você pode me amar, mas você não agi como tal. Você não confia em mim." "Eu liguei para você hoje, quando eu estava sendo seguida!" Eu lembrei a ele. "Eu fui a primeira pessoa que você ligou?" ele perguntou. Senti-me corar mais. Como ele sabe que eu tinha ligado para Lulu primeiro? "Você era a primeira pessoa que eu pensei em ligar," eu disse. "Mas


você foi tão mau comigo no avião. Você tem esta coisa de as vezes se um supervilão. Não é muito atraente, você sabe." Era o oposto de atraente, na verdade, mas eu não quero que ele saiba disso. Apenas incentivaria o seu mau comportamento. Como agora. Ele revirou os olhos e voltou para seu telefone celular. Foi nesse momento que o meu telefone celular tocou. Era Gabriel, ligando para perguntar quanto tempo eu achava que ia demorar para chegar lá. "Uh, eu disse. "Em breve". "É justo", disse ele, "quanto mais cedo você chegar aqui, melhor, realmente." "Oh, por quê?" Eu perguntei. "Você vai ver quando chegar", foi tudo Gabriel disse, em voz ligeiramente agitada. Isto parecia muito misterioso, mas ele não quis dizer mais nada. Nós íamos tomar o metrô para ir a casa de Gabriel para nos livras de alguém da Stark, que poderia estar nos seguindo. Mas estávamos com o sacos cheios de comida, então o táxi pareceu a melhor idéia, assim que Christopher finalmente conseguiu um - o nosso argumento em espera indefinidamente - então nós fomos para a casa de Gabriel sem que ninguém parecesse estar atrás de nós. Nem, quando olhamos para cima e para baixo. Avenida A com a seis, aonde Gabriel viveu, não tinha ninguém que parecia fora de lugar – com calça e sapatos pretos elegantes- rondando. Quando ele abriu a porta de seu apartamento, eu descobri tudo sobre o misterioso comentário de Gabriel, no entanto. Ele não estava preocupado com a segurança Stark aparecendo inesperadamente. Sua ansiedade era porque seu apartamento de solteiro tinha sido transformado em um salão de beleza improvisado. Lulu estava lá, fazendo sua mágica. Ou tentando, de qualquer maneira. "Olhe," ela estava dizendo a Nikki. "Você simplesmente não poder ser uma loura mais, Nikki. Encare os fatos." Nikki, sentada num banquinho no meio da sala de Gabriel – seu gosto parecia inclinar-se para meados do século moderno. Ele tinha uma vibe anos cinqüenta acontecendo, com sofás baixos e uma mesa de café cortada em forma de rim, e tapetes de pelúcia empilhados profundamente, arte moderna, os trabalhos. Era super old-school – estava emburrada.


"Não", Nikki estava fervendo. "Eu sempre fui uma loira. Eu sempre serei uma loira. Eu quero ficar loira!" Nikki tinha papel de alumínio colado por toda a cabeça, indicando que algo de natureza química já estava acontecendo com seu cabelo. Ele só não estava parecendo ser o que ela queria. "Confie em mim", Lulu estava dizendo. "Você vai olhar adorável. Pela primeira vez o seu interior vai combinar com seu lado exterior." Isso soou ameaçador. "Basta me dar uma chance", disse Lulu. "Com esta sombra roxa que eu estava tentando botar em você. Vai trazer para fora o verde em seus olhos." "Eu lhe disse," Nikki ferveu um pouco mais. "Eu quero ser loira." Ela apontou seu dedo pra minha direção e pra Christopher que vinha com as sacolas do restaurante tailandês. "Como ela! Como eu costumava ser!" Steven, sentado no balcão da cozinha Gabriel, folheando uma revista sobre arquitetura - Gabriel tinha dezenas deles por aí - tinha saltado logo que nos viu. "Isso cheira incrível", disse ele, livrando-nos de todas as sacolas que carregávamos. "Vocês dois são salva-vidas." Era bom ser chamada de salva-vidas, mesmo que tudo o que tinha feito foi trazido jantar. A senhora Howard se trancou dentro do quarto com uma enxaqueca e não sairia. Eu conseguia totalmente ver o porque. Parecia que um tornado tinha revirado o apartamento do Gabriel. Haviam sacolas de compras de lojas como Intermix e Scoop espalhadas por todo lugar. Como Lulu pôde ter comprado tantas coisas pra Nikki em tão pouco tempo, eu nunca saberia. “Eu nem mesmo sei porque nos estamos fazendo isto”, Nikki reclamava enquanto Lulu passava a esponja em seu rosto, “Desde que eu apenas consiga meu velho corpo logo. Isso é tudo uma besteira.” “Discutível”, Gabriel a corrigiu, enquanto ele puxava os pratos para fora do armário da cozinha. “Uma besteira discutível”. (as frases não fizeram sentido em português porque aqui existe uma piada entre americanos e britânicos com a palavra point. Nikki estava zoando do sotaque de Gabriel) “Foi o que eu disse” Nikki olhou para ele. Isso foi estranho, mas nem mesmo com folhas saindo de sua cabeça como uma antena alienígena, ela já estava parecendo melhor. Lulu teve que colocá-la em algum tipo de chapéu de topo preto que acentuava seus ombros


cremosos e um par de jeans que não eram roupa usada minha e na verdade ajustava-se a curva de seus quadris… bem, fofa. Alien fofa. “E ninguém perguntou para você , Príncipe William.” “Oh isso é muito gentil”, Gabriel disse. Ele estava praticamente rosnando para ela. Eu nunca vi ele parecer tão esgotado. “Eu dou para você abrigo em minha casa, arriscando minha vida fazendo isso, e você faz graça do meu sotaque. Você é extremamente agradável de se ter por perto, você sabia disso Nikki?” “Me morde, Harry Potter,” ela disse , zombando. Ele olhou para mim desesperadamente, “Você vê?” ele perguntou. “Você está vendo o que eu tenho que aturar?” Eu me senti mal por ter arrastado Gabriel, quem realmente tinha sido um inocente espectador, em tudo isso. "Tem alguma almofada ew, (não achei tradução adequada para ew, desculpe)" eu disse, entregando-lhe um recipiente. Isso era a única coisa que eu conseguia pensar como uma maneira de fazer tudo para ele. "Oh, muitíssimo obrigado," disse ele. Eu tinha certeza que ele estava sendo sarcástico. Um alarme disparou. Lulu olhou para seu telefone celular e gritou. "É hora de lavar," disse ela, e agarrou Nikki puxando-a da cadeira em direção ao banheiro. Nikki foi com ela, mas não sem resmungar. Quando a porta se fechou, Steven se virou para nós e disse, "Se não acharmos uma maneira de sair dessa bagunça em breve, acho que todos nós estaremos a ponto de enlouquecer." "Eu vou meter uma bala no meu próprio cérebro." Gabriel soou desagradável. "Não vou aguardar Starks fazer isso. Sua irmã vai me levar a isso, Howard. Sem ofensa." "Eu sei o que você quer dizer," disse Steven tomando um lugar no balcão da cozinha e cavando um recipiente de panang curry (comida tailandesa) sem esperar para pegar qualquer um que o apartamento de Gabriel tinha fornecido. "Ela sempre foi assim, se ela não conseguir o que quer." "É assim que ela chegou onde está hoje," eu disse. Quando todos olharam para mim, eu adicionei, "Bem, eu quero dizer, uma das modelos de moda mais bem paga do mundo." "E também é alguém que um dos homens mais ricos do mundo quer ver morta," Steven apontou. "Bem, ela não está recebendo o seu antigo corpo de volta," disse Christopher, com algumas almofadas tailandesas em sua boca. "Por


mais que ela possa pensar o contrário." Pisquei para ele. Ele alegou que me odeia, então me beijou e vem em minha defesa em cada possível momento, enquanto insiste que não podemos ficar juntos por causa dos meus problemas de confiança. O que estava acontecendo com ele? "Eu sei," disse Steven, "Mas não podemos continuar a viver na clandestinidade por muito tempo. E Gabriel não pode ficar conosco para sempre." O som de gritos saiu do banheiro. Houve um estrondo, e em seguida o som de vaporizador de água. Então a voz de Nikki gritou, "Lulu! O que você fez?" Sua voz foi abafada pelo som de um secador de cabelos. Gabriel olhou para o teto, como se estivesse orando por paciência. "Algum de vocês já ouviu falar de algo chamado Projeto Fênix?" Christopher queria saber. "Eu fui a Fênix uma vez," disse Steven, mastigando. "Bons tempos." "É uma banda?" Gabriel perguntou. "Eu acho que os vi uma vez em Gales." "Estou bastante certo de que não é uma banda," disse Christopher. "É algo que Robert Stark está trabalhando." "Não tenho idéia, então," Gabriel disse. "O que é isso?" Steven perguntou. Christopher encheu-nos sobre o que pouco se sabia até agora sobre o Projeto Fênix. A explicação nos levou até o fim da caixa de almofada tailandesa e os restos da almofada ver ew (?). "Não faz sentido," disse Steven, quando Christopher acabou. "Faz," disse Christopher. "Nós apenas não conseguimos ver." "Eu vi no noticiário hoje," disse Gabriel, "que eles estão construindo um elevador para o espaço." Todos se voltaram para olhar para ele. "Bem, eles estão", disse ele, engolindo. "Uma empresa Americana. Ao invés de lançar um ônibus toda vez que temos de enviar alguma coisa para a estação espacial, vamos mandá-lo em um elevador que estão construindo a partir de uma plataforma móvel marítima que vai atingir todo o caminho até espaço. Faz sentido, não acham? Enfim, talvez isso seja o Projeto Fênix. O próprio elevador ao espaço de Robert Stark. Christopher deu de ombros. "Faz mais sentido do que qualquer outra coisa." Logo depois a porta do banheiro foi aberta e Lulu e Nikki saíram. Ou pelo menos, era para ser Nikki. Porque é com ela que Lulu tinha


ido ao banheiro. Mas a menina com quem ela saiu era completamente diferente. Ela tinha cabelo escuro ondulado, ao invés dos cabelos lisos e ruivos de Nikki, e uma aparência brilhante em vez da pele sem vida de Nikki, e sem base. E houve um realce em seu modo de andar que eu nunca tinha reparado em Nikki antes. Ela usava um flowy preto tomara-que-caia de cintura alta e um par de calças que se adequavam perfeitamente a sua figura. Sua postura não foi a única coisa que havia sido realçada, também. "Nossa," a menina disse rudemente, quando nos viu olhando para ela. E por nós, quero dizer, principalmente Christopher e Gabriel, embora Steven e eu estivéssemos um pouco de queixo caído também. "Tirem uma foto, por que não gostariam. Ela vai durar mais tempo." Ok. Então era Nikki, apesar de tudo. "Nikki," eu disse, me sentindo um pouco aturdida. "Você parece… muito bem." "Gargantilhas são tão 2005," disse Nikki, tocando a caveira e ossos cruzados de prata em uma fita de veludo preta no pescoço. Será que ela realmente acha que ficamos apenas olhando para a gargantilha? "Que é o que eu disse a Lulu. Mas por alguma razão, esta funciona." "A coisa toda funciona", disse Gabriel. Notei que ele estava segurando uma garfada de meia almofada ew congelados à boca. Ele parecia levemente fora do ar. “Eu acho que ninguém de sua vida passada irá reconhecê-la!”, Lulu disse, dando um dos novos cachos de Nikki, um tapinha, “em seu novo corpo com isto." "Você pode dizer isso de novo", disse Christopher. Eu lhe dei uma cotovelada, dura. "Ufa", disse ele, e rapidamente fechou a boca depois me deu um sorriso levemente diabólico. Gabriel, porém, continuou a olhar. "É muito retrô,” arriscou. "Sim", Lulu disse, olhando de forma significativa em torno da decoração de Gabriel. "Não é?"

Dezesseis


Quando eu acordei na manhã seguinte, eu não estava sozinha na cama. Não me refiro a Cosabella também. Ou, infelizmente, Christopher. Havia uma agente, em uma jaqueta de seda cor de berinjela e uma saia justa, na borda do meu colchão, digitando loucamente, suas pernas cruzadas e um Jimmy Choo saltando de cima para baixo na ponta dos pés. Quando ela notou que meus olhos estavam abertos, Rebecca parou, seus polegares vacilantes sobre seu BlackBerry, e disse: "Finalmente! Eu pensei que você nunca mais fosse acordar. Você tomou dez doses de Ambien ou algo assim? Você realmente deveria ter cortado isso há cinco anos. Bom, você vai cair fora da cama, ou o que? Nós temos muita coisa para fazer, Nikki, e não temos o dia todo. Vamos, mexa-se” Então, ela voltou a digitar. Essa realmente não era a forma a qual sonhei em começar a manhã. Em minhas fantasias, eu planejava acordar com um bonitão, embora ligeiramente vilão, entre os meus lençóis . Mas eu tinha sido incapaz de atrair Christopher até o meu apartamento, logo depois que nós chegamos na casa do Gabriel, já que ele decidiu voltar para a casa do seu primo Felix e continuar trabalhando no projeto Fênix. Também havia o pequeno problema dele continuar insistindo nos meus ‘problemas de confiança’. Você sabe, se um garoto recusa o convite de ir ao apartamento de uma menina solteira, é ruim. Muito ruim. Ele deve me odiar. O que eu preciso fazer para convencê-lo que eu confio nele? Meus problemas de relacionamento não estavam ajudando o meu humor para visitas matinais da minha agente. "O que você está fazendo aqui?" eu perguntei para Rebecca, arrastei o travesseiro sobre a minha cabeça, perturbando Cosabella, que estava dormindo antes de eu fazer isso. Como o cão de guarda que ela era. Robert Stark poderia te mandado vinte dos seus seguranças para me matar enquanto eu dormia e ela não teria feito nada além de roncar e rolar para encontrar uma posição mais confortável. "Você tem um grande dia hoje" Rebecca disse, ainda digitando em seu teclado minúsculo. "Começando com a festa de Robert Stark e o show da Stark Angel lingerie hoje à noite. Ao vivo, caso você não se lembre. De Ano Novo. Sutiã de diamantes. Sua grande estréia na televisão. Com potencial e bilhões de espectadores? E vamos


apenas dizer que você não tem sido a minha cliente mais confiável ultimamente. Toda essa correria, longe da badalação, em jatos particulares e praias. Eu queria ter certeza de que você ia se levantar a tempo de fazer o seu cabelo e maquiagem”. Ela me olhou de cima para baixo. "Suas raízes estão aparecendo. E quanto tempo tem desde que você tirou as suas cutículas? As suas unhas estão horrorosas. E quando foi a última vez que você depilou lá? É necessário eu te lembrar que você vai vestir praticamente um fio dental em rede nacional essa noite? Sério, o que foi esse lance com Brandon Stark na Carolina do Sul? Não que eu não me orgulhe dessa iniciativa. Ele é um garoto rico. Mas você não pode fazer ele comprar uma casa em algum lugar mais perto? No Hamptons? Todas as suas pessoas estão aqui,querida.” Eu sabia o que ela queria dizer com "minhas pessoas". A pessoa do meu cabelo. A pessoa das minha unhas. Minha depiladora. Minha esteticista. Minha estilista. Minha nutricionista. Meu personal trainer. Minha publicitária. Minha agente. É preciso uma vida para fazer alguém parecer tão bem como Nikki Howard. Seria errado pensar que ela se parecia tão bem naturalmente. É claro que há alguma genética envolvida, mas trabalho de equipe (e photoshop) tinha muito a ver com isso também. Mas na parte de estar com Brandon, foi até meio bom, pensei pela primeira vez. Eu não estava cercada por todas essas pessoas, eu apenas… fui eu mesma de novo. Surpreendentemente. Eu fiquei ali, sem me mover. Quem deixou Rebecca entrar? Karl, o porteiro? Porque ele a conhece muito bem? Bom, eu e Karl vamos ter uma conversa. Isso é inaceitável. Lulu? Eu realmente duvidava disso. Porque ela não teria me acordado pra avisar que Rebecca estava aqui? Isso não é a cara de Lulu… assim como esse não é o modo que eu queria começar o meu dia. Eu queria estar ao redor, abraçando a memória de Chistopher me beijando tão bruscamente no táxi (porque eu não posso voltar para aquele momento e fazer tudo de novo, só que dessa vez, somente o certo, então nós não teríamos brigado). Exceto que eu não podia. Porque Rebecca estava inclinada sobre mim, e batendo na minha bunda. "Levante-se! E esteja certa de que vai tomar um bom café da manhã. E um bom almoço. Eu não me importo de você mostrar um


pouco de gordura na TV essa noite. Eu não posso ter você caindo por cima de mim de novo, como você fez na inauguração da Megastore. Sem hipoglicemia hoje. Trabalhando! Trabalhando, trabalhando, trabalhando". Rebecca levantou-se e foi para fora do meu quarto, em seus insanos saltos altos. "O carro virá te buscar para a festa da Stark as sete" ela berrou. "Esteja aqui, ou eu vou te cortar em pequenos pedaços e dar de comida pra outras modelos que represento. Acredite em mim, elas tem fome suficiente para comer cada pedacinho seu”. Ela seguiu em frente, para fora do meu quarto. Alguns segundos mais tarde, eu ouvia a porta do elevador se abrindo, e ela entrando, falando alto em seu celular. "O quê?" ela estava falando. "Não, não de cobra. Eu disse pele de lagarto. Porque ninguém mais consegue seguir uma simples instrução? O que há de errado com todo mundo?" Suspirando, levantei da cama. Cosabella levantou rapidamente depois de mim, pois é de manhã que ela recebe a sua primeira refeição (eu não tenho idéia de como Cosabella consegue comer tanto e ainda continuar tão magra. Provavelmente seja porque ela nunca pára de se me mexer, exceto quando ela cai num sono pesado e dorme no meu pescoço a noite). Quando eu abri um pote da comida de Cossabella na cozinha, eu me perguntei se Chistopher e Felix poderiam ter tido qualquer progresso tentando descobrir o que era o projeto Fênix. Obviamente, eu iria bisbilhotar o máximo que eu pudesse quando fosse à casa de Robert Stark. Mas seria bom ter alguma pista que eu pudesse seguir. Eu estava prestando atenção no cheiro nojento da comida de Cosy, quando eu ouvi algo e me endireitei, somente para ver uma figura muito grande, quase pelado, saindo do quarto de Lulu. Eu gritei o mais alto que pude, fazendo Cosy pular sobre a sua comida e fazendo o homem gritar quase tão alto como eu tinha gritado. "Em,sou eu!" o homem choramingou, e quando os meus olhos tiveram tempo de se focarem novamente (porque antes eles ficaram girando em choque) eu vi que de fato era alguém que eu conhecia. Alguém que era, de fato, Steven Howard, irmão de Nikki Howard. Em uma camiseta, cueca boxer e um par de meias. Saindo do quarto de Lulu! Com o seu cabelo loiro bagunçado, como se ele tivesse acabado de acordar!


E agora Lulu estava saindo de seu quarto depois dele, vestindo uma de suas maravilhosas Langeries e esfregando seus olhos sonolentos. "Stevie? Tem algo errado? Eu pensei ter ouvido um grito." Oh, não. Não, eu não poderia lidar com isso, não poderia ser a primeira coisa da minha manhã (apesar de uma olhada no relógio do microondas me dizer que estava mais próximo da tarde do que da manhã). Steven e Lulu? Quer dizer, eu sabia que ela queria que acontecesse (queria mais que qualquer coisa), mas… "Oh, oi Em" Lulu disse, me dando um sonolento sorriso. "Eu não sabia que você estava em casa." Mas Steven era… bem, ele era… ele era meu irmão! Não era? Talvez não tecnicamente, mas atualmente, sim, ele era. Tecnicamente. Isso era tão… tão errado. Tão grosseiro. Tão… … tão típico de Lulu. "Steven passou a noite aqui" Lulu disse, como se fosse a coisa mais natural do mundo, indo até a geladeira e abrindo a porta. "Nós somos um casal agora. O que vocês querem para o café da manhã? Ovos mexidos? Steven gosta de ovos mexidos, não gosta Steven?". Steven estava lá em suas meias e roupas íntimas, ficando cada vez mais brilhante e vermelho. Mas não tão vermelho o quanto eu podia sentir que eu estava ficando. "Uh, oi, Em" Steven estava dizendo. Ele foi se sentar atrás do balcão da cozinha em um dos banquinhos, então de fato ele estava em suas roupas íntimas, mas não quieto aparentemente. "Eu sinto muito sobre isso. Nós não sabíamos que você estava em casa. Eu, uh, chequei o gerador acústico de barulho. Continua funcionando. Não há nenhum bisbilhoteiro no apartamento. Então nós estamos a salvo aqui". "Bom, isso é ótimo, eu acho" eu disse. Eu estava agradecida, pois estava usando o meu pijama velho de flanela. Ele me cobria do pescoço até o pé. "Stevie e eu estamos apaixonados." Lulu disse, sorrindo em êxtase, enquanto pegava os ovos, manteiga, queijo e o cremo próximo ao fogão. "Ele me disse que me amava depois que eu fiz a transformação de Nikki ontem. Ela parece tão bem agora. Ela está tão feliz. Realmente feliz, não está, Stevie?" "Ela está" Steven disse. Ele ainda estava corado. É tão estranho ver suas bochechas ficando da mesma cor rosa do meu pijama. "É estranho ver Nikki feliz, pela primeira vez."


"Ela falou que vai para a faculdade" Lulu disse. "De negócios, foi ideia do Gabriel. Ela e Gabriel estão se dando estranhamente bem. Quando ela não o chama de nomes feios. Eu queria que ela não fosse muito abusada com ele, isso não é muito legal. Mas eu acho que nós não podemos esperar milagres. Oh, Em, você está bem?" Eu acho que eu estava os fitando muito duramente. Então perdi o fôlego e fechei a minha boca com um som de ressalto audível. "Uh-hum" eu disse, e assenti com a cabeça. "Isso é sobre Steven e eu?" Lulu perguntou, lançando um olhar para o irmão de Nikki como se não conseguisse entender o motivo de eu estar tão surpresa. "Ele pediu desculpas por deixar escapar que me ama, foi só isso um escorregão." Lulu estava quebrando alguns ovos em uma tigela. "Mas eu não gostaria de deixá-lo pegar isso de volta, gostaria?" "Eu sabia o que ele realmente quis dizer com isso, e que estávamos destinados a ficarmos juntos para sempre. Porque eu sou a futura Mrs. Captain Steven Howard" Lulu olhou pensativa e se debruçou sobre a cafeteira. "Wow. Sou só eu ou isso soa muito sexy? Mrs. Captain Steven Howard " ela lançou um olhar para mim e Steven. "Eu irei manter o meu nome de solteira para os meus álbuns, é claro." Eu arregalei meus olhos para Steven. Será que ele sabia no que havia se metido? Eu perguntei. Ele me deu um sorriso acanhado. "O que eu posso dizer?" ele encolheu seus grandes ombros. "Eu a amo". Eu sacudi minha cabeça com admiração e espetei um garfo nele. Steven estava completo. Lulu o pegou, recheou-o e serviu ele com um bom molho de limão e alho. E ele parecia realmente feliz com isso, além da coisa de corar. "Uau, vocês juntos, isso é tão fofo". Eu saí da cozinha e fui para a sala, pois eu tinha muitas coisas para fazer. Rebecca tinha deixado uma lista. Aparentemente, a estilista estava vindo com a seleção de vestidos pra eu escolher para a festa de Robert Stark, sem mencionar minha depiladora (Katerina, que normalmente trabalha somente para mim e Lulu, o que aparentemente tinha sido maravilhoso, veio no tempo certo para outra depilação. O que está tudo bem. É um pouco estranho ter uma mesma pessoa que limpa o seu banheiro e que também depila você) o cabeleireiro e a manicure… "Você sabe o que mais?" Lulu entrou trazendo à Steven um copo de


café. "Eu nunca notei isso antes, mas vocês dois tem a mesma cor dos olhos. Um tom de azul claro. Essa é a minha cor favorita." Ela se virou para mim e Steven e sorriu bobamente. De um jeito que eu nunca tinha visto. "É como se o céu estivesse no rosto de vocês!" Uau, e eu pensando que Steven estava mal? Lulu estava perdida também. É assim que as pessoas apaixonadas ficam? Talvez fosse apenas Chistopher e eu que não conseguíamos nos resolver. Eu não queria virar um zumbi como esses dois. O interfone tocou. Eu ainda estava me sentindo um pouco atordoada com a descoberta. Eu o atendi. Era Karl, avisando que o meu primeiro compromisso tinha chegado… era Salvatore com as roupas. "Oooh" Lulu disse, indo até Steven e pondo seus braços ao redor dele "Um Fashion Show. Que divertido". Eu acho que Steven realmente é meu irmão, porque a visão dele namorando uma menina (mesmo ela sendo uma menina que eu gosto muito, como Lulu) me assusta do mesmo modo que me assustaria se eu visse Frida saindo com alguém. "É" eu disse "Okay, se vocês dois apenas quiserem adiar para fazer isso depois do meu café da manhã, seria ótimo." "Desculpe" Steven disse, parecendo como se ele realmente sentisse muito. "Oh, me desculpe, Em" Lulu disse, tirando os seus braços de ao redor de Steven como se ele tivesse a eletrocutado. "Eu esqueci que você ainda não encontrou o amor, como nós encontramos. Eu não deveria esfregar isso na sua cara". "Não" eu disse. "Eu encontrei o amor, e tudo mais. Chistopher e eu só precisamos trabalhar em algumas coisas." "Oh” Lulu parecia triste "Eu me sinto tão mal por você…" "É." Steven disse "Você quer que eu… eu não sei. Estrangule o cara ou algo assim?" Eu não pude não sorrir com isso. "Eu não acho que isso vá ajudar" eu disse "Mas obrigada. Que tal vocês dois entrarem e colocarem alguma roupa, para quando o cara das roupas chegar? Porque ele estará aqui em alguns minutos’’. Então as portas do elevador se abriram e revelaram Salvatore empurrando uma arara cheia de vestidos para a festa de Robert Stark.


"Olá linda" ele disse beijando as minhas duas bochechas. A assistente dele, magérrima com cabelo escuro, começou a abrir os sacos dos vestidos para me mostrar o que tinha dentro. "Muito chic esse" Salvatore disse, apontando para o meu pijama. "Eu devo tê-lo visto esse mês na Vogue, não é?" "Muito engraçado" eu disse. "Obrigada por terem vindo até aqui. Vocês querem café?" Salvatore e sua assistente aceitaram o café. E mais tarde, a depiladora, o cabeleireiro e os assistentes deles também aceitaram. E a manicure e seu assistente também. Eu passei o dia inteiro fazendo café e sanduíches para as minhas pessoas. E dividindo o tempo entre garantir que tudo saísse perfeito e tentar evitar ver Lulu e Steven metendo a língua um na garganta do outro. Isso, no entanto, mostrou-se mais difícil do que eu pensava, uma vez que os dois ficavam se agarrando sem parar, assim Steven nunca iria dar as costas e ir para a casa de Gabriel. Lulu pediu para ele ficar para ajudar a escolher o que eu usaria na festa de Robert Stark (um vestido curto de patê preto da Dolce e Gabbana). Então ela o mandou ficar mais, porque ela decidiu ir com ele para a festa de Robert Stark. "Eu acho que seria uma má idéia", eu disse. E não porque eu não queria me distrair da minha missão de espionagem dela e de Steven "E se alguém o reconhecer?" "Oh, querido" Lulu disse, colocando o rosto de Steven entre as suas mãos e dando-lhe um grande beijo. "Eu não tinha pensado nisso" Tentei não vomitar. "É melhor eu ficar com minha mãe e Nikki, de qualquer forma" Steven disse. "Eu não as tenho visto desde ontem" O interfone tocou. Fui atender e meu celular vibrou exatamente no mesmo instante. "Sim?" eu disse, e enquanto eu aguardava o interfone olhei o celular. Era Christopher. "Brandon Stark está aqui, Miss Howard." Karl disse "Para te levar na festa do pai dele". Perfeito, eu pensei rolando os meus olhos. Brandon esteve me ignorando completamente desde ontem, quando liguei para ele. Isso é tão Brandon. E ele ainda pensou que estaria tudo bem de aparecer no meu apartamento para me levar na festa do seu pai, sem nem ao menos perguntar se eu queria.


"Diga para ele que eu já estou descendo" eu disse, e desliguei o interfone para atender o meu celular. "Chistopher?" eu disse. "Em" ele disse. "Você não pode ir à festa de hoje a noite". "Uh" eu disse "Eu não tenho escolha. Eu tenho que usar o sutiã de 1 milhão de dólares, eu tenho que cumprir o contrato. Eu estou depilada, arrumada e brilhando em um vestido emprestado. O carro já está aqui." Eu não mencionei a parte de Brandon estar aqui também. Chistopher e eu já brigamos o suficiente por causa disso. "Em" ele disse "Você não está entendendo. Você é o Projeto Fênix."


Dezessete "Espere," eu disse, segurando o telefone com mais força ao meu ouvido. Um arrepio passou pelo meu corpo. Mas isso certamente foi só porque eu estava com um vestido muito curto sem mangas em uma fria noite de 31 de dezembro. "Sobre o que você está falando?" eu perguntei. "Como posso ser o Projeto Fênix?" "Eu não sei," disse Christopher. "Eu não – nós não – ainda sequer sabemos exatamente o que o Projeto Fênix é. Mas nós encontramos uma conexão dele com o Instituto Stark para Neurologia e Neurocirurgia. E o seu nome." "Meu nome?" eu ressoei. "Emerson Watts? Ou –" "Não. Nikki Howard. Em, pense nisso. Pense sobre o que todas essas pessoas têm em comum. Eles são jovens. Eles estão saudáveis. Eles são atraentes." "Então?" "Assim como Nikki Howard." "O que vocês estão falando?" Lulu me perguntou curiosamente, ajustando sua meia arrastão que tinha ficado torcida em torno de uma das suas pernas. "Nada," eu disse a ela. "Vá na frente, até o carro, e deixe Brandon sabendo que eu estarei lá, ok?" Lulu deu de ombros. "Ok." "Não!" Christopher gritou, ouvindo-me. "Em, você não pode ir a essa festa!" "Christopher, eu tenho que ir," eu disse. "Se eu não for, Robert Stark saberá que algo está exaltado." E um bilhão de fãs ficariam desapontados tragicamente. Para não mencionar a patrocinadora do show, a De Beers jóias. "E, mesmo assim, não vejo qual é a relação entre o Instituto Stark e todas essas outras pessoas e eu." "Você não?" Christopher soou meio histérico. "Em, você não entendeu? Curt? Ele só foi caminhar em Cascades. Sozinho. Ele está desaparecido, quem vai saber o que realmente aconteceu com ele? Kerry foi para a Guatemala para ensinar as crianças a ler? Ela desaparece ao longo do caminho? Ela é uma das milhares que desaparecem todos os anos. O mesmo com todas essas outras pessoas. É o péssimo gênio, Em. Jovens, crianças saudáveis… e


Stark te escolhe. Eles podem ter feito isso há anos. Todas essas garotas bonitas desaparecidas que ouvimos falar na CNN todos os dias… por tudo que nós sabemos, Stark pode estar por trás de tudo isso." "Christopher…" eu balancei minha cabeça. Eu amava o meu namorado. Eu realmente amava. Mas seu ódio por Stark – pelo que ele tinha os vistoeles fazerem para mim – pode ter o feito ir em frente. Acho que eu poderia entendê-lo. Ele me viu morrer esmagada logo à sua frente. O estresse pós-traumático disso inevitavelmente deve ter sido grave. Eu o amava, mas ele era um cara confuso. E então ele descobriu que o acidente não era totalmente um acidente, mas que tinha sido causado por Stark. E que eu não estava totalmente morta, mas vivia no corpo de uma outra garota. Não é de se admirar que ele tenha perdido sua mente e se transformado no Homem de Ferro. Somente sem aquele uniforme e em forma de adolescente. "Em," disse Christopher. Ele ainda estava falando rápido e um pouco ofegante. "Ouça-me. Robert Stark é um gênio do marketing. Ele dedicou sua vida a encontrar uma demanda, então fornecer o produto a procura a um preço que impulsiona todos os outros concorrentes fora do negócio. A questão não é se ele está fazendo isso. É porque ninguém o pegou antes?" O interfone tocou de novo. Era o motorista de Brandon, eu sabia, esperando para saber onde eu estava. Lulu provavelmente já estava lá em baixo. "Olha" eu disse "Provavelmente você esta certo". O que mais eu poderia dizer? Eu já havia jogado muito com ele, pelo menos era o que parecia, eu pensei. Lois Lane, Lana Lang ou Mary Jane Watson, ou qualquer uma dessas mulheres que possuem namorados super heróis, o que elas faziam? Quer dizer, todos esses caras são loucos, certo? Os homens que pensam que são super heróis. Como você supostamente lida com eles? Você não vai querer se opor a eles ou irritá-los, senão eles apenas vão embora, põem suas capas e pulam para fora da janela para serem baleados. Então você vai em frente com a sua loucura, tentando acalmá-los da melhor maneira possível, na esperança que eles fiquem em casa, onde é seguro. E você sai e faz o que quer que seja que você queira fazer pelas costas deles. "Bom falaremos disso quando eu chegar em casa" eu disse, na voz


mais calmante que eu pude "Descobrir é a melhor coisa que podemos fazer". "O quê?" Chistopher choramingou “Em, não…" "Você não pode fazer nada a respeito disso agora, de qualquer jeito" eu disse "O que você poderia fazer? Ligar para a policia? Você não tem nenhuma prova. Algumas dessas pessoas sumiram agora?" "Bom" ele disse "Não. Tecnicamente não existe nenhuma prova exceto o que aconteceu com você. Que não foi um acidente. Mas…" O interfone tocou, só que dessa vez por muito mais tempo. "Certo" eu disse "Olha, eu tenho que correr. Tudo vai ficar bem. Eu vou te ligar da festa, pra te provar isso” "Não vá àquela casa, Em" Christopher soava como se estivesse enlouquecendo. Ou ainda pior. Ele parecia furioso e ao mesmo tempo assustado. "Eu estou te avisando, Em. Não é o mesmo…" "Eu amo você" eu disse, pegando a minha bolsa e correndo para o elevador "Tchau" "Não desligue" Christopher disse "Quer dizer, não ouse…" "Oh, eu estou no elevador" eu disse apertando o botão "Vai cair a ligação. Eu estou perdendo você…" "Você não está me perdendo" Christopher disse "Em, não seja idiota. Eu…" E desliguei. Realmente, eu não estava perdendo-o. Era só que eu não tinha tempo para coisas de supervilão de Christopher agora. As advertências de Rebecca daquela manhã ainda estavam soando em meus ouvidos. Eu tinha que ir à festa de Robert Stark, e depois para o estúdio onde o show de lingerie estava sendo transmitido, ou a minha bunda seria o brinde. Estou totalmente valorizando minha relação com Christopher e eu acho que algo realmente sério iria acontecer com Robert Stark. Mas eu tinha minhas obrigações profissionais para cumprir. E, além disso. O que Robert Stark iria fazer comigo? Que ele já não tinha feito, eu quero dizer. "Onde você estava?" Lulu queria saber, quando eu finalmente entrei na limusine. "Desculpa", eu murmurei, passando por cima das pernas estendidas Brandon. "Chamada importante. Você pode ir pouco pra lá?" Este último foi dirigido a Brandon. "Meu erro". Brandon já estava claramente bêbado. Desde que esse era único jeito de ele ficar perto de seu pai, não foi nenhuma surpresa.


"Mas, realmente", disse Lulu. "O que Christopher queria?" "Eu não tenho a menor idéia," eu disse sinceramente. "Ele queria vir", Lulu disse simpaticamente. "Não é? Como seu acompanhante?" Brandon ergueu os olhos do seu copo com isso. "Você voltou com aquele cara? O cara da jaqueta de couro?" Ele olhou decepcionado. "Não é da sua conta", disse, sacudindo o dedo para ele. "Volte para sua bebida." Brandon fulminou groguemente seu uísque. "Os caras que vestem jaquetas de couro sempre ficam com as garotas," ele murmurou. Se ele soubesse a verdade. Robert Stark enorme, dez quartos, casa de quatro andares naa cidade cinza, com o seu enfeite preto na garagem, a garagem privada e piscina coberta, salão de festas, quintal vasto e privado, tão perto do centro. No final da Quinta Avenida, a passos do Central Park e do Museu Metropolitano de Arte. Sua festa anual de véspera do Ano Novo já era tão popular, com a presença de tantas celebridades e políticos ricos e os acionistas Stark, já havia uma fila de carros só para chegar ao lugar. Lulu e Brandon e eu tivemos que sair e andar a última quadra, e depois de lutar contra a multidão de paparazzi que estavam reunidos lá fora. O tempo todo - bem, durante a caminhada até a casa de seu pai, de qualquer maneira - eu interroguei Brandon, tentando ver se ele sabia algo sobre o Projeto Phoenix. "O que é isso?” ele tinha perguntado ainda tomando fervorosamente o uísque do copo que ele tinha trazido para o passeio da limusine. "Um novo estádio que alguém construiu no Arizona?” Sério mesmo. Uma banda? Um elevador espacial? E agora um estádio? "Não," eu disse. "É algo que seu pai está fazendo com os dados das pessoas que compraram seu Quarks novo." "Como é que vai funcionar?" Brandon queria saber. "Isso é o que eu estou lhe perguntando," eu disse, frustrada. "Bem, se eu soubesse o que é, eu estaria aqui com você?" Brandon perguntou. "Não, eu estaria no escritório do meu pai, dizendo-lhe tudo o que eu sei sobre você para conseguir sair desse inferno. Certo? Então, tente novamente." Eu me debrucei ao lado dele, derrotada. Christopher e Felix disseram que tinha que ser algo… mas que eu era o Projeto Fênix? Era tudo muito louco.


Ainda assim, pelo menos Christopher estava tentando. Que foi mais do que poderia ter dito para mim. Eu estava em uma festa. Pior, uma festa chata para as celebridades. Eu vi a Madonna saindo do lado direito de uma limusine em frente ao tapete vermelho que conduz os passos até a porta da frente bem aberta (o que foi um pouco estranho, porque ela morava ao virar a esquina. Ela quase podia ter andado. Apesar de não poder ser naqueles saltos, eu percebi quando olhei para suas plataformas de gladiador). O governador de Nova York estava indo para dentro na frente dela. "Ali está Nikki Howard!" os paparazzi se reuniram em cada lado das cordas de ouro dos seguranças gritando quando me viram com Brandon. "Nikki! É verdade que você e Brandon Stark estão noivos?" "Absolutamente," disse Brandon bêbado no primeiro microfone impulso em sua direção. "Ei, cuidado com a bebida." "Não," eu disse. "Somos apenas amigos". "Eu estou noiva," Lulu disse a um repórter que lhe perguntou se seu álbum estava caindo. "Bem, ok, envolvida para ser noiva em algum dia. Estou um pouco ocupada no momento para pensar em casar, gravando meu novo álbum." "Lulu," eu assobiei para ela. "Sobre as coisas de noivado. Ninguém deveria saber sobre Você Sabe Quem". "Oh, a identidade do meu futuro marido é um segredo," Lulu gritou quando eu a puxei para passar pelos guardas de segurança uniformizados postados em ambos os lados da porta e entramos na casa da cidade. "Ele é muito tímido. Você sabe. Não foi feito para a vida no centro das atenções, ainda." Dentro da mansão Stark, havia modelos Stark Angel em conjuntos de sutiã e calcinha, completo com asas – não qualquer um dos modelos do show que eu iria fazer depois, porém, e as suas asas eram menores, para uma melhor maneabilidade – para oferecer taças de champanhe a todos e levar os casacos das pessoas logo que entraram. Mais para dentro da casa, que foi elegantemente decorada e totalmente feita de mármore e painéis de madeira preta, tinham mágicos, malabaristas, um comedor de fogo e acrobatas do Cirque du Soleil. Lulu deu uma olhada no comedor de fogo, que tinha ao seu redor um círculo de admiradores, e disse, batendo o pé: "Eu sabia que deveria ter um comedor de fogo na minha festa." Brandon, que trocara seu copo vazio da limosine por um flute de champanhe de uma bandeja de prata que uma das Stark Angel estava oferecendo, fez uma careta.


"Comedores de fogo péssimos," disse ele. "Sua menina trapezista foi ótima." "Sério?" Lulu parecia cética. "Eu acho que ninguém notou ela. Ela estava pendurada muito acima das cabeças de todos." Fiquei ali segurando meu champanhe, que é claro que eu não estava bebendo, me perguntando o que eu estava fazendo lá mesmo. Nós serpenteamos pelo salão cavernoso de Robert Stark – o teto era de vinte metros de altura, no mínimo, e pintado com querubins que pareciam versões gordinhas das Stark Angels que estavam vagando (menos com os sutiãs) e espalhados por tudo, com lustres gigantes de cristal que brilhavam como os brincos que eu estava usando. Tudo à nossa volta eram as celebridades que estavam bebendo e conversando e a aglomeração no impressionante Buffet, onde ondas de papel fino de carne assada e morangos gordos vermelho-rubi e caviar em taças de ouro com colheres de madre-pérola e camarões rosa enormes enrolados em tigelas refrigeradas eram servidos em pratos de porcelana fina por estabelecimentos de restauração em trajes brancos. Eu vi Madonna novamente, desta vez falando com Gwyneth Paltrow, e Jay-Z saindo com Bono. Todo mundo estava lá, pelo menos por um tempo. Esse não parecia ser o tipo de festa que você fica por um longo tempo… apenas uma daquelas festas onde você para, diz Olá, e sai… Em parte poderia ter sido porque as portas francesas que conduzem para fora do salão ao jardim de trás foram abertas e uma brisa fria estava entrando. Então novamente, a sala estava muito quente por causa de todos os corpos dentro dela. As pessoas andavam dentro e fora dela, sem se preocupar em obter os seus casacos para ir para fora. "Ah, olha," Lulu disse, apontando para alguém no Buffet. "Ali está Taylor Swift. Estou indo para contar a ela sobre Steven. Ela vai ficar tão feliz por mim." Eu agarrei o braço de Lulu antes que ela fosse mais dois centímetros de distância. "Quer parar?" sussurrei. "Ninguém deveria saber sobre Steven". "Eu não direi a ela o sobrenome dele, bobinha" Lulu disse. "Mas eu estou tão feliz! Eu estou louca para contar isso à todo mundo que eu conheço!" Ela arrancou seu braço da minha mão e correu. Realmente, não havia nada que eu podia fazer para pará-la além de derrubá-la e sentar sobre ela, o que eu tinha certeza de que não seria discreto.


Brandon, que tinha desaparecido por um minuto ou dois, reapareceu segurando um prato de camarão, o qual ele mastigou ruidosamente em minhas orelhas. "Você já experimentou estes camarões?" ele perguntou. "Estão absurdamente maravilhosos" "Você poderia se afastar de mim?" eu disse irritada. "Eu te odeio." "Você esta tão mal-humorada", Brandon comentou, mastigando alto. "Só porque eu seqüestrei você e tentei forçar você a ser minha namorada. Eu pensei que você já teria superado aquilo até hoje. Aqui, apenas experimente uma mordida" ele fez aviãozinho com uma garfada de camarão no meu rosto. "O molho cocktail é realmente bom". "Para!" eu disse, e caminhei para longe dele… … exatamente para onde Rebecca estava, usando um vestido de noite longo e preto, o qual se acentuou a seu corpo como uma segunda pele e tinha uma fenda ate o osso pélvico, praticamente. "Oh, Deus, aqui esta você" ela agarrou meu braço "Eu estive procurando por você em todo lugar. O que você esta fazendo se escondendo neste canto com o Brandon? Porque você não esta no meio de todo mundo? Você esta aqui para se misturar. Você é a garota do sutiã – de – milhões – de – dólares". Brandon soltou uma gigante gargalhada barulhenta sobre aquilo. "Garota do sutiã - de- milhões –de – dólares" ele disse, fazendo uma ótima imitação de Rebecca "É melhor conseguir um aplauso querido!" (sem sentido em português). Rebecca mandou para ele um olhar de cansaço. "Brandon" ela disse severamente "Você esta bêbado?" "É claro" ele respondeu, lambendo um camarão. "Então suma da minha frente" Rebecca disse. Ela começou me direcionando para longe de Brandon, na direção do centro da sala. "O senhor Stark esteve perguntando por você a noite toda. Ele quer te apresentar para alguns de seus investidores." Eu me apressei ao lado dela, praticamente tendo que correr. Eu não tinha idéia de como ela caminhava tão rápido naqueles saltos tão altos. Nós estávamos nos aproximando de um grupo de homens de ternos e de mulheres em vestidos de gala. "Achei ela," Rebecca chamou em Brookklinês. As pessoas se viraram e o grupo se afastou um pouco. Eu vi que no centro dele estava Robert Stark, parecendo tão absurdamente lindo – apenas mais velho, é claro - como seu filho.


Ele sorriu para mim, seus dentes surpreendentemente brancos contra seu bronzeado, o rosto maltratado pelo tempo. Ele estava usando sua própria linha de clareadores de dentes Stark, eu percebi… "Ah, aqui está ela" ele disse, e colocou sua mão em minhas costas nuas. "Nikki Howard, pessoal, a modelo estrela da noite” Todas as pessoas velhas sorriram para mim. Eles pareciam gentis, atrativos e ricos. Muito, muito ricos. As mulheres tinham muito diamantes pendurados em volta de seus pescoços, e os rostos dos homens eram muito macios e vermelhos como se eles já tivessem tomado muitas bebidas. "Então, é bom finalmente conhecer você, querida" uma mulher em um longo vestido bege disse. "Aquilo é de bom gosto, decorado com brilhos no fundo" ela disse, estendendo-se para apertar minha mão. Ela disse seu nome, mas eu o esqueci instantaneamente. "Prazer em te conhecer também" eu disse. Ela pareceu segurar minha mão por um longo tempo. Isso foi arrepiante. Eu queria me afastar dela, e de Robert Stark e do resto de seus amigos. Ou acionistas, que é o que eu acho que eles eram. Exceto que duas coisas aconteceram de uma vez só. A primeira foi que eu olhei para baixo de nossas mãos cerradas e notei que, em volta de seu pulso fino, com veias azuis, estava uma corda preta de veludo, e naquela corda pendia algo que me pareceu como um pássaro de ouro em fogo. Você sabe. A fênix. E quando eu olhei para cima, imaginando se estava interpretando o que eu vi corretamente, notei alguém sobre os ombros dela, chegando para o centro do salão do baile. E aquele era Gabriel. Que, como eu, estava indubitavelmente sendo forçado a vir para essa festa por seu agente. Exceto que ele estava com alguém. A morena bonita de altura média, que estava usando um vestido roxo com um espartilho amarrado apertado para embelezar sua figura fofa, e combinando com sua sombra de olho roxa. Levou um segundo para reconhecer quem ela era, porque a transformação de Lulu tinha sido tão completa: Ninguém menos que Nikki Howard.


Dezoito "Desculpe-me," eu disse à mulher, que ainda estava segurando minha mão. "Eu realmente tenho que ir fazer um telefonema." Eu não quis dizer que tinha que cumprimentar alguém que conhecia, porque eu não queria chamar a atenção de Robert Stark para Gabriel. Eu não tinha idéia se ele foi ou não alertado para o fato de que Nikki ainda estava viva, ou se ele sabia no corpo de quem ela tinha sido colocada ou com quem ela se parecia. Mas imaginei que a menor atenção que eu chamasse a Nikki, era o melhor. Mas Robert Stark, verifiquei, não havia acabado comigo. "Oh, eu tenho certeza que a sua ligação pode esperar," disse ele, colocando o braço em volta de mim e me virando de modo que eu não podia sequer ver Gabriel e nem Nikki. "Há mais algumas pessoas que quero que você conheça. Este é Bill e Ellen Anderson, também acionistas da Stark, como tenho certeza que você sabe." Eu encontrei-me balançando as mãos de pessoas mais velhas no decorrer da noite… novamente pingando em diamantes e rosácea… e novamente com as cordas pretas em torno de seu pulso, olhando para mim com uma fênix de ouro pendurada neles. Ei, eu não era uma especialista em aves mitológicas. Mas se tinha fogo sendo atirado para fora de suas asas, não era uma fênix? Parecia que todos que Robert Stark me arrastou ao redor da sala para apresentar naquela noite tinham uma fênix em seu pulso ou o cordão preto. Era tão estranho! Eu não tinha visto nenhum saco de presente sendo dado na porta. Mas talvez eu só sinta falta deles. Talvez Christopher estivesse completamente errado, e o Projeto Fênix era uma espécie de movimento claro e todos os acionistas Stark foram doadores. Parecia um pouco rude perguntar, especialmente quando eles estavam sendo tão gentis comigo, levando muito tempo para perguntar como eu estava e dizendo como havia sido bom me encontrar, e tudo isso. Minha mãe sempre me disse para ser gentil com os idosos. Eu não poderia exatamente fugir, embora eu realmente quisesse. Eu estava morrendo de vontade de perguntar a Gabriel o que ele estava pensando, trazendo Nikki aqui. Ela ia fazer uma cena? Enfrentar Robert Stark sobre o que ele fez


com ela? Será que ela não sabia que ele chamaria o seu pessoal da segurança para arrastá-la para fora? Ninguém acreditaria nela, de qualquer maneira. Finalmente, Robert Stark parecia estar convencido de que eu conheci o suficiente de seus acionistas, e disse, olhando para seu relógio de platina, "Bem, eu tenho certeza que você precisa ir para o estúdio se preparar para o show de hoje à noite." Ele não estava brincando, eu vi que os ponteiros do seu relógio disseram que era perto de oito e meia. "Eu tenho que ir," eu disse. "Foi muito bom encontrar os seus amigos." "Acionistas," ele me corrigiu. "Nunca misture negócios com amizade, Nikki. Isso é algo que você nunca poderia manter em linha reta, não é?" Olhei para ele. Estaria ele brincando comigo? Ele realmente acha que eu sou a Nikki? Quer dizer, a verdadeira Nikki? Será que ele realmente não se lembra? "Uh," eu disse. "Eu não sou Nikki. Você sabe disso, certo? Você sabe que eu sou realmente Emerson Watts?" Você me matou, eu queria acrescentar. Você me matou e colocou

meu cérebro no corpo de Nikki Howard, porque ela estava chantageando você. A verdadeira Nikki está aqui nesta sala, você sabe. Ela pode trazer essa história toda. Você quer que eu vá buscála? Mas meu coração estava batendo tão forte apenas pelas poucas palavras que eu disse, esperando por alguma resposta dele, algum reconhecimento. Eu não pude chegar mais longe do que Você sabe que eu sou realmente Emerson Watts? antes de Robert Stark baixar a luva sobre o seu relógio, olhar por cima do meu ombro, e dar um grande sorriso. "Ah, Gabriel," ele disse, "É tão bom vê-lo. Obrigado por ter vindo. Mal posso esperar para ver o seu desempenho esta noite. Quem é essa criatura adorável que você trouxe?" Virei-me devagar, mal ousando acreditar que isso estava acontecendo. Robert Stark. Robert Stark, o homem que arruinou a minha vida, estava realmente a ponto de falar com Nikki Howard – a real Nikki Howard, a que ele tinha tentado assassinar. E ele não sabia disso. Nikki estava ainda mais impressionante de perto do que quando ela tinha estado do outro lado da sala. Não é que ela parecia tão diferente do que estava antes. Ela estava muito diferente,


obviamente, já que antes ela parecia uma princesa do punk rock com um trapo desbotado. Seu cabelo, agora quase tingido de preto, tinha sido amassado em vez de ser deixado liso com chapinha, de modo que as ondas naturais emolduravam o seu rosto em forma de coração de uma forma mais lisonjeira. E a maquiagem, ao invés de ser uma cópia carbono do que ela costumava usar quando estava em seu velho corpo, tinha sido feita para seu novo rosto, de modo que os tons realçaram até a cor dos olhos novos e enfatizaram a curva de seus lábios e bochechas. Era mais como ela estivesse carregando-se de uma forma diferente. Ela parecia… orgulhosa. E divertida. E, também… gostosa. De repente, eu poderia ver porque todos aqueles caras – mesmo namorando outras meninas – tinham se virado para olhar Nikki. Era totalmente óbvio para mim agora que nunca tinha sido apenas por sua aparência. Tratava-se de algo mais. Algo que eu sabia que não tinha, porque tinha outra coisa. Algo que era essencial, de forma irrevogável… Nikki. "Ora, olá," Nikki disse, estendendo a mão na direção de Robert Stark. Não para um aperto de mão. Para que ele pudesse beijá-la. "Você pode me chamar de Diana Prince." Diana Prince? Diana Prince? Como eu sabia esse nome? Oh, meu Deus. Diana Prince? Isso era o alter ego da Mulher Maravilha. Nikki Howard tinha chamado a si mesma de Mulher Maravilha. "Então bom conhecer você, Miss Prince," Robert Stark disse. E ele realmente levantou os dedos dela aos seus lábios e beijou-os. "Já nos encontramos em algum lugar antes? Você parece familiar." "Ah," disse Nikki, com um sorriso brincalhão. "Eu acho que você se lembraria de ter me conhecido." "Certamente," Robert Stark disse, sorrindo de volta. "Bem, Gabriel, como eu já disse… boa sorte esta noite. Miss Prince… Miss Howard… boa noite para vocês duas." E ele saiu, em direção a um conjunto de convidados que estavam esperando por ele nas portas do salão. Foi só depois que ele estava fora do alcance de voz que eu percebi que estava segurando a minha respiração o tempo todo, e liberei-a. "Oh, meu Deus," eu exclamei. "Vocês. Eu quase tive um ataque cardíaco. Nikki – quero dizer, Diana. O que você está fazendo aqui?" "Ah," disse Nikki, olhando para Robert Stark, seus olhos revestidos de roxo estreitaram. "Eu só queria ver seu rosto uma última vez.


Antes que seja através das grades." "Eu tentei impedi-la de vir," disse Gabriel. Foi só então que eu percebi o quanto ele parecia muito frustrado. "Mas ela insistiu. Ruidosamente. Eu acho que meus tímpanos estão perfurados." Mas agora eu estava começando a suspeitar que sua frustração não tinha nada a ver com não gostar de Nikki. O oposto, na verdade. Nikki revirou os olhos com desdém na direção de Gabriel. Virando-se para mim, ela disse, "Por favor, me diga que seu amigo com a jaqueta de couro achou algo que podemos usar para colocar esse canalha na cadeia. Exceto nossa palavra de que o que aconteceu é verdade." "Ele tem," eu disse. "Algum tipo de teoria, de qualquer maneira." Eu não queria lhe dizer que a teoria de Christopher era totalmente insana, e que girava em torno de… bem, nós duas. "Mas ele não tem nenhuma prova…." eu parei de falar enquanto olhava em direção às portas de salão, tendo notado algo. "Ou talvez ele tenha," eu acrescentei pensativa. Nikki e Gabriel se viraram para olhar na direção que eu estava olhando. "Ah," disse Nikki, ainda aborrecida. "Isso não é nada. Todos os velhos estão indo embora. Eles sempre fazem isso. Porque já é passado das oito. Já passou a hora de dormir." "Não são apenas pessoas de idade," eu disse. "São as pessoas de idade que eu acabei de conhecer. Os acionistas da Stark. Onde eles estão indo? Eles não estão recebendo seus casacos." Comecei a caminhar rapidamente para as portas sozinha. "Uh, Nikki," Gabriel disse, consciente de que, apesar da multidão em massa dos acionistas, o salão ainda estava lotado com pessoas que poderiam achar estranho se ouvissem ele me chamando Em. "Aonde você vai?" "Eu já volto," eu disse a ele. Eu estava correndo agora. O que não foi fácil de saltos. Mas quando cheguei ao corredor que os acionistas tinham desaparecido, ele estava vazio. Bem, exceto por uma escadaria isolada por uma corda de veludo e tripulada por um segurança da Stark. "Desculpe-me," eu disse, indo até ele. "Você viu Robert Stark passar por aqui?" "Sim, madame," ele disse. "Ele está lá em cima." "Oh, ótimo," eu disse, tirando alguns cabelos dos meus olhos de uma maneira que eu esperava que ele fosse achar irresistivelmente


atraente. "Você pode me deixar vê-lo por um minuto? Eu sou Nikki Howard. Eu só tenho que lhe dizer algo sobre o show hoje à noite. Só vai demorar um segundo." "Eu sei quem você é, Srta Howard," disse o segurança, com um sorriso educado. "Infelizmente, não posso deixá-la subir. Somente pessoas autorizadas." Quando ele disse isso, a senhora Seja Qual For O Nome, com as veias azuis e com brilhos ao redor do fundo de sua saia, veio correndo. "Oh, olá de novo," ela me disse, com um sorriso vago. "Oi," eu disse, sorrindo de volta. Então, para o segurança, ela disse, "Eu sinto muito, estou atrasada. Tenho que ir para o quarto das meninas." Ela realmente disse aquilo. O quarto das meninas. Então ela fez algo extraordinário. Ela levantou a pulseira. Aquela com a fênix – ou o que eu achava que era uma fênix, de qualquer maneira – pendente abaixo dela. E o segurança disse, "Claro, minha senhora."

E ele desamarrou o cordão de veludo para deixá-la subir as escadas. Agora é claro que eu estava cheia de curiosidade para subir as escadas e descobrir o que estava acontecendo lá em cima. Porque parecia que, sem dúvida, as pulseiras ou o que quer que eles estejam usando tinham algum tipo de significado. Virei-me e, ignorando o guarda que tinha me desprezado, corri de volta para Gabriel e Nikki, que estavam me esperando de volta nas portas do salão de baile. "O que foi aquilo?" Gabriel perguntou. "Tem alguma coisa acontecendo lá em cima," eu disse. "Nós precisamos chegar lá." "Em," Gabriel disse, retirando o seu telefone celular. "Nós somos necessários no palco para o espetáculo Stark Angel, que vai acontecer ao vivo em cerca de… duas horas." "Onde está Brandon?" eu perguntei. Olhei em volta do salão e finalmente o vi, dançando lentamente com alguém que se parecia muito com Rebecca. Eu estava do outro lado da sala antes de perceber que era Rebecca. Quando ela levantou a cabeça depois que toquei seu ombro, sua indiferença era eloquente. "O que posso dizer?" perguntou ela. "Eu ainda tenho isso. Ele acha que eu sou quente. E afinal, o que importa? Você não o quer."


"Eu não disse nada," eu disse. "Eu só preciso pedir ele por um minuto." "Bem, traga o mal-humorado", disse Rebecca. "E é melhor você não estar com segundas intenções sobre seus trezentos milhões de dólares. Você o deixou escapar por entre os dedos, senhorita. Você não pode me culpar por pegar suas sobras." Eu sabia que ela estava se referindo ao dinheiro de Brandon, que ela sempre me incentivou a tentar abocanhar desde que me envolvi com ele. Eu acho que ela imaginou que se eu não estava fazendo isso, ela faria. "Ele é todo seu!" Eu lhe assegurei. Eu pegaria para ter meu supervilão Christopher, que eu não tinha certeza que me queria, mais de nenhuma maneira o multimilionário Brandon. Eu só queria que Christopher entendesse isso. "Tudo bem", disse Rebecca. "Brandon, Nikki está aqui. Ela quer te perguntar uma coisa." Brandon pareceu espantado. "Oh, não, não Nikki. Ela é uma cadela.” Então, quando ele me viu, ele sorriu. "Oh, essa Nikki. Tá bom. Oi! Você recebeu seu brawron?” "Oh, pelo amor de Deus" peguei Brandon pelo braço e conduzi-o a poucos metros de Rebecca para que ela não pudesse nos ouvir. "Brandon, eu preciso de você para ir lá em cima. Seu pai está tendo algum tipo de reunião lá em cima, e eu quero saber do que se trata sem ele saber que eu estou lá. Existe alguma maneira de eu poder chegar lá em cima que não seja pela escada? Ele tem um guarda lá, e o guarda não vai me deixar entrar." "Claro", disse Brandon. "Escada de serviço, na cor preta. Assim você consegue entrar". Ele deslizou um braço ao redor dos meus ombros e levou-me a para o salão de festas e para as portas francesas do jardim. Tenho certeza que todos que nos viu deve ter pensado que estávamos saindo da festa para dar uns amassos. Mesmo as pessoas que estavam no jardim com as fontes e a arquitetura e os arbustos teriam visto Brandon me levar do salão de baile, o caminho pavimentado, até uma porta, onde os garçons estavam usando para trazer o alimento dentro e para fora…. levando-me direto para a enorme cozinha de tamanho industrial. Todos que trabalhavam nos olhavam enquanto caminhávamos pelas bandejas refrigeradas de camarão e de pequenos pedaços de queijo de cabra – e o resto dos canapés da noite. "Ei", disse Brandon, espionando estes. "Eu não vi esses." Ele pegou


e jogou alguns quitutes em sua boca, enquanto eu revirei os olhos. Então Brandon abriu uma porta e nós estávamos em um corredor sombrio, com uma escada estreita que se curvava para cima. "Está vendo?" disse ele. "Escada de empregados. Eu costumava passar horas brincando aqui quando eu era criança. Fingia que era um órfão e que pais amorosos, estavam vindo me adotar e levar-me longe deste lugar terrível. Ha!" O seu ha! amargo ecoou do começo ao fim da escada. "Obrigada, Brandon," eu disse. "Você deixaria Gabriel e Nikki sabendo que eu estarei de volta logo que puder? E que se eu não estiver… eles devem chamar a polícia?" "Claro," disse Brandon afavelmente. "Aquela é Nikki lá atrás, com cabelo preto?" "Sim," eu disse não tendo certeza se queria ouvir o que ele tinha a dizer sobre isso. "Ela parece um bocado gostosa agora," disse Brandon. "Mas você sabe quem está realmente quente. Sua agente. O que você acha disso?" "Sim," eu disse, tendo certeza que não queria ouvir sobre isso. "Eu não sei, Brandon. Eu tenho que ir agora." "Tudo bem," ele disse. "Você vai me deixar sabendo se descobrir alguma coisa que eu possa, você sabe, usar para enviar o velho Robert para a casa grande. Porque eu realmente odeio esse cara." "Considere isso feito," eu assegurei a ele. Então eu comecei a subir a escada retorcida… Eu não tinha muita certeza do que esperava encontrar quando cheguei ao topo. Certamente não o que eu encontrei. Era uma empregada doméstica em um uniforme preto e um avental branco abrindo a porta que eu estava prestes a abrir. Ela ficou muito assustada de me ver, quase deixou cair a bandeja inteira de copos de champanhe vazios, que ela estava segurando. "Oh, meu Deus!" gritou ela. "Posso ajudar?" Eu não tinha idéia se ela havia me reconhecido, muito menos do que eu deveria fazer. Eu não queria que ela me entregasse ao segurança. Mas eu não tinha certeza de que ela não sabia que eu não tinha o direito de estar naquele andar. "Eu – eu acho que fiz uma curva errada," gaguejei. Quando tudo vai falhar, e você é uma modelo loira, age como uma cabeça de vento que nunca deixa de fazer maravilhas (ficou meio estranho, mas não entendi muito bem). Pessoas muito bonitas esperam isso de você,


afinal, invariavelmente a acham charmosa. É estúpido e machista, mas funciona. Mesmo com outras mulheres, especialmente se elas são mais velhas do que você. Isso traz o seu instinto maternal ou algo assim. Bem, provavelmente não iria funcionar com minha mãe. Mas funciona em quase todas as outras. "Eu – eu estava procurando pelo – pelo quarto das meninas," gaguejei. Obrigada, Senhora Cujo Nome Eu Esqueci. "Ah," disse a empregada, com uma risada. "É mais duas portas para baixo, querida." "Oh, desculpe," eu disse, rindo. "Eu sou muito distraída. Fiquei me perguntando onde todas estas escadas estavam indo. Muito obrigada." "De nada," disse ela calorosamente. Isso tinha funcionado. Obrigada, Deus. Eu deslizei por ela e sai para o corredor. Ao contrário do de baixo, era calmo e tranqüilo. Este tinha tapetes profundos amontoados pelo chão – cinza, é claro – e paisagens marinhas penduradas nas paredes, cada uma pintada com a sua própria luz individual… a única iluminação para se enxergar. Eu esperei até que não podia se ouvir mais a empregada na escada, e em seguida escutei se eu podia detectar quaisquer outros sons. E logo, ouvi: o zumbido de uma voz humana vindo de um quarto a algumas portas abaixo de onde eu estava. Eu acolchoei em direção a ele, meu salto alto em silêncio sobre o tapete de pelúcia. Pressionando o ouvido na porta grossa, escutei tanto quanto eu podia. Era uma voz de mulher. Parecia boa. Mas eu não poderia dizer o que ela estava falando. Eu não podia ouvir nenhum som. O que eu poderia fazer? Abrir a porta e entrar? Quem sabe o que estava do outro lado? E se eu andar a uma espécie de reunião de negócios dos acionistas da Stark ou algo assim, e todo mundo se virar e olhar para mim? E se Robert Stark – que tinha de estar lá – mandar um dos capangas de sua segurança atirar em mim? Ou pior, me arrastar para fora na frente de todos? Eu ficaria muito envergonhada. Levar um tiro seria preferível. Então eu seria morta, não mortificada. E se não era apenas uma reunião de negócios, entretanto? E se o


Projeto Fênix era realmente o que Christopher disse que era… o que quer que fosse? Eu tinha o dever moral de ir lá e descobrir. Ele estava confiando em mim para descobrir. Meu relacionamento inteiro dependia disso. Virar essa maçaneta e ver o que estava acontecendo ali era tudo o que eu tinha vindo fazer para resolver este problema em primeiro lugar, certo? Eu tinha que fazer isso. Meu coração estava batendo muito forte em meu peito. Eu estava agindo. Percebi, como uma dessas heroínas nos livros de Frida – o Estúpido Demais para Viver amando. Indo para o quarto quando isso seria uma coisa estúpida de se fazer. Qualquer menina que fosse fazer era uma idiota. Se eu estivesse vendo isto acontecer em uma tela de cinema, eu iria gritar, "Vá para casa!" para a TV. "Com licença?" Saltei quase uma milha e me virei, relaxando um pouco quando vi que era a empregada com a bandeja que estava atrás de mim. Ela somente tinha reabastecido sua bandeja com os copos que estavam agora cheios até a borda com champanhe espumante. "Eu tenho que começar por você," a empregada disse, parecendo embaraçada. "Ah, claro," eu disse, e então, como se fosse a coisa mais natural do mundo, eu abri a porta para ela, pois ela estava com as mãos cheias. E depois que ela entrou, eu a segui.


Dezenove Estava escuro dentro do quarto. Isso porque ele era uma espécie de sala de mídia, como o Brandon tinha à sua casa de praia, para mostrar filmes. Havia uma enorme tela em uma extremidade do quarto, onde as imagens estavam piscando. Todos os acionistas Stark - mesmo no escuro, eu reconheci as senhoras que eu conheci lá embaixo nos campos de diamantes no pescoço - estavam sentados, confortáveis, nas cadeiras vermelhas de camurça na frente da tela. Eles estavam assistindo a imagens piscando na tela com muita atenção. Eu não deveria ter me preocupado com que alguém me visse lá dentro. Ninguém se importava. Eles estavam ocupados demais assistindo a apresentação. Encontrei uma cadeira vazia e sentou-se para assistir ao show. A empregada doméstica, percebendo isso, me ofereceu um copo de champanhe, que eu aceitei com um sorriso, apenas para ser gentil. Havia uma pequena mesa ao lado da minha cadeira para que eu pudesse apoiar o copo, então eu fiz, derrubando algo mais no escuro. Isso foi constrangedor. Também é perigoso. Eu não queria chamar a atenção para mim, embora eu estivesse de costas, e só havia algumas outras pessoas sentadas na minha fileira. Eu procurei no chão de carpete o que eu tinha derrubado. Eu encontrei-o quase de uma vez. Foi uma espécie de joystick de jogos, percebi logo que meus dedos fecharam sobre ele. Ele tinha uma corda presa a ele que desapareceu no chão, mas apenas um único botão no joystick. Tive o cuidado de não pressionar o botão, mas eu mantive o joystick no meu colo, desde que eu observei todos os outros na minha fileira estavam fazendo a mesma coisa. Depois disso, voltei minha atenção para a apresentação que estava passando. A bela voz feminina que eu ouvi no caminho municipal era muito mais alta agora. Ela pertencia a uma francesa de impecavelmente vestido, muito bela que estava de pé ao lado da tela. Ela foi responsável pela apresentação, eu vi. Ela estava segurando um joystick, também, mas tinha mais de um botão, do tipo que você usa durante uma apresentação de PowerPoint. Na verdade, é isso que a apresentação que estávamos vendo era.


PowerPoint. Eu tive que abafar um bocejo automático. Sério? PowerPoint? Eu quase desejei que alguém atirasse em mim. Então eu vi o que o PowerPoint estava mostrando e me sentei um pouco mais reta no lugar. O slide que a belíssima francesa estava nos mostrando, uma foto de um homem musculoso com quadris magros, jovem, que usava calças cargo sem camisa, sorrindo para a câmera com os braços em torno de um collie. O collie tinha uma bandana ao redor de seu pescoço. "Este é Mateus", a francesa disse em sua voz, fria e sem emoção. "Matthew é um estudante universitário de vinte anos estudando filosofia e está na equipe de seu dormitório de Frisbee. Mateus tem um metro e oitenta e pesa 70 quilos, tem uma pequena tatuagem de um peixe em seu tornozelo esquerdo. Matthew é um vegetariano e acredita na abstinência de drogas e álcool para manter o corpo e a mente pura." Com os dedos que estavam dormentes, eu abri minha bolsa e peguei meu celular. Não foi fácil fazer isso, sem chamar a atenção para mim. Mas eu encontrei a aplicação de filmar. E eu apertei botão. Eu não tinha certeza do que estava acontecendo. Mas com base no que Christopher disse ao telefone, eu estava começando a ter um sentimento muito assustador. E eu só queria estar num lugar seguro. "Matthew não tem histórico de doenças cardíacas ou câncer em sua família" a mulher francesa continuou. "E se estará disponível quando ele partir para uma viagem voluntária para Honduras para construir casas para a humanidade, ao longo da primavera em abril. Matthew será leiloado com o lance inicial de 500 mil dólares. Por favor, comecem com seus lances agora”. Ao meu redor, eu escutei o som de controles apertando. Eu olhei por cima do meu celular, imaginando se o que eu pensei que estava acontecendo realmente podia estar acontecendo. Por que isso apenas parecia impossível para mim que Christopher pudesse estar certo. "Cinco mil e cinqüenta", a mulher francesa disse inexpressivamente. Ela estava encarando um pequeno monitor de computador na sua mesa. "Seiscentos, seiscentos e cinqüenta. Eu tenho setecentos? Setecentos e cinqüenta. Oitocentos. Oitocentos e cinqüenta. Matthew tem um metabolismo naturalmente rápido e cresceu em


uma área com água fluoridratada, então não tem problemas dentais mesmo. Ele realmente é uma espécie única. Você não poderia encontrar um homem mais saudável. Novecentos mil. Um milhão. Eu tenho uma oferta de um milhão de dólares. Matthew, dou-lhe uma. Dou-lhe duas. Matthew foi fechado por um lance de um milhão de dólares. Obrigado." A imagem de Matthew desapareceu da tela, e o apertar de controles em volta de mim parou. Quase imediatamente — antes que eu tivesse tempo para processar o que eu acabei de testemunhar — uma nova imagem apareceu na tela. Ela era de uma jovem mulher, com cabelo longo, preto e liso. Ela estava deitada em uma cama, rindo para a câmera, segurando um gato listrado de cinza e preto. Usava um par de shorts fofos e um top. Na sua parede estava um pôster que dizia Salve o tibet. "Esta é Kim Su," a francesa disse, na mesma voz rápida entediada, mas uma total voz de negócios. "Ela tem 19 anos e tem 1,53 de altura e pesa 45 kg. Ela não tem tatuagens e é uma vegetariana perpétua. Ela não tem problemas de saúde, incluindo nenhum histórico de problemas bucais. Ela é caloura numa prestigiosa universidade e trabalha fora regularmente. Sua família dura extremamente bem, incluindo um par de ótimos avôs que ainda vivem e estão agora em suas centenas de anos. Ter você mesmo transplantado para Kim Su faria de você um investimento notório, já que ela não tem somente beleza, mas também longevidade com ela. Pelo fato de Kim Su ser um achado tão maravilhoso, o lance inicial por ela é oitocentos mil dólares. Kim Su estará disponível neste verão, quando parte para ser uma au pair em Hamptons." Os apertos eram ainda mais entusiasmados por Kim Su do que haviam sido por Matthew. Os lances imediatamente foram para milhões. Eu não estava surpresa que a moça com brilhos no broche do seu vestido conseguiu ela por exatamente 3,5. “Sim!” ela gritou, quase pulando para fora de seu assento. Muitas outras damas se inclinaram para parabenizá-la pela sua excelente compra. Eu apenas fiquei lá sentada, me sentido um pouco doente. Eu achei que talvez eu estivesse em choque. Eu não podia acreditar que aquilo era verdade. Era tudo verdade, tudo o que Christopher disse no telefone. O Projeto Fênix era exatamente aquilo: pessoas comprando corpos de pessoas atraentes para ter seus cérebros dentro deles.


Aquelas crianças que tínhamos visto online – bem, a maioria delas eram jovens. Adolescentes, na verdade – eram todas aquelas que tinham comprado Stark Quarks. A razão de Stark salvar suas informações… a razão pela qual eles vasculharam tão cuidadosamente, salvar alguns e não outros? Foi pela Stark considerá-los doadores. Como eu. Eu era o Projeto Fênix. O protótipo. Claro que sim. Os médicos do Instituto Stark de Neurologia e Neurocirurgia disseram que havia uma lista de espera de candidatos ricos querendo a cirurgia – candidatos com o funcionamento do cérebro perfeitamente saudável, mas talvez cujos corpos não eram tudo o que costumavam ser – um pouco de flacidez aqui, um pouco de rugas ali. Talvez alguns homens com calvície. E que a única coisa que fez o instituto parar de fazer mais cirurgias foi a falta de órgãos de doadores. E que os órgãos de doadores nem sempre eram os mais desejáveis… o corpo de Nikki era de uma motorista que dirigia bêbada. E Nikki quase morreu durante sua cirurgia porque o corpo que ela tinha era muito doentio. Então por que não Stark fez isso? O que os fez parar? Nada. Nada mesmo. Senti frio por tudo. E não foi por causa do meu vestido de formamuito-curta. Eu não sei quanto tempo fiquei ali sentada, olhando imagem após imagem cintilando em toda a tela e começar as ofertas, antes do meu ponto de vista ser obscurecido por uma grande figura masculina. Não era um dos homens da tela que eu tinha acabado de ver vendido, tampouco. Este era um homem vestido em trajes de segurança da Stark. "Senhorita Howard?" ele disse suavemente. "Vem comigo, por favor?" Eu estava presa. Eu não deveria ter ficado lá por tanto tempo. Mas como eu poderia me mexer? O que Robert Stark estava fazendo… …era a coisa mais nojenta que eu já vi na minha vida. Todos os acionistas Stark se viraram para olhar como eu era escoltada para fora da sala, mesmo quando a francesa disse na sua voz calma: "Por favor não prestem atenção à perturbação leve atrás. É apenas uma pequena interrupção. Vamos voltar para o


próximo candidato?" Eu ouvi os murmúrios e sussurros. E então ouvi Robert Stark assegurar a seus acionistas em seu vozeirão: "Não se preocupem, todos vocês. É só Nikki Howard. Vocês todos já a conheceram! Ela é uma de vocês… ou o que todos vocês serão em breve. Ela só queria parar para certificar que vocês estão escolhendo com sabedoria!" Isso causou uma onda de risos pela sala. Eu não ouvi mais nada. Isso porque em seguida o guarda me puxou para fora. Eu fiquei ali no corredor, olhando para o chão, na verdade não importando com o que ia acontecer comigo a seguir. Então Robert Stark ia me matar, como ele tentou fazer a Nikki? Eu não tinha certeza se queria viver em um mundo onde as pessoas faziam esse tipo de coisa, de qualquer maneira. "Bem, isso não foi inteligente, agora, foi?" Olhei acima dos meus pés para ver Robert Stark em pé na minha frente, ajustando a curva da gravata do smoking, parecendo um gato que tinha traçado o caminho errado. "O que você esperava conseguir lá, afinal?" ele perguntou. Ele se inclinou e puxou minha bolsa para longe. Meu iPhone caiu com tudo. Ele se inclinou e o pegou. "Eu supus que você estivesse gravando tudo isso," disse ele. "E achei que você ia escorregar e enviar para alguém. CNN? Bem, nada vai vir disso." Com uma força surpreendente, ele se virou e atirou o telefone tão forte quanto pôde em direção à extremidade do corredor. Ele quebrou em mil pedaços quando atingiu a parede. Eu vacilei. O telefone explodindo lembrou-me do modo como meu corpo deve ter parecido para Christopher, explodindo sob o peso de uma TV de plasma. Não admira que ele esteja tão confuso agora. Exceto… Exceto que tudo que ele tinha falado era verdadeiro sobre Stark Enterprises? Ele realmente tinha sido verdadeiro desde o começo. Ele não era louco. O resto de que nos é que éramos por não acreditar nele. "E não apenas porque você não tem o registro mais", disse Robert Stark, voltando-se para mim. Ele estava falando absolutamente sem rancor. Essa foi a parte mais assustadora. Ele não estava zangado comigo mesmo. Ele não se importava. Ele estava completamente frio e recolhido.


Com exceção da parte sobre destruir meu telefone. "Aquelas crianças que você viu aqui?" continuou ele. "Os que meus amigos compraram? Eles vão sofre acidentes durante suas viagens em breve. O mesmo tipo de acidente, que sua irmã vai ter esta noite em seu caminho de volta de sua viagem do acampamento de lideres de torcida se uma palavra sobre isso vazar. Entendeu? Porque acredite ou não, eu tenho pessoas que ficariam muito felizes com isso." Eu olhei para ele, meu coração de repente congelou. Como ele sabia sobre Frida e seu acampamento de lideres de torcida? Mas, é claro. Frida tinha um Stark Quark. Robert Stark mesmo havia lhe dado um. Eu balancei a cabeça lentamente. Eu entendi. Eu compreendi perfeitamente. "Uma palavra", disse ele. "Uma palavra, esta noite no Stark Agel ao vivo – como se você pudesse tentar alguma coisa? - E sua irmã nunca voltará esta noite para o seu pequeno apartamento que ela e seus pais compartilham baixo na NYU. Entendeu?" "Eu entendo", eu tirei minha língua do céu da boca para dizer (?). "Você não quer que eu conte a ninguém que Robert Stark está fornecendo á seus acionistas doadores de corpos saudáveis, de modo que eles possam ter seus cérebros transplantados para eles e serem jovem novamente. Se fizer isso, minha irmã morre." Robert Stark apenas olhou para mim. Sua expressão não era tão fria e recolhida, como tinha sido antes. Agora uma de suas escuras, sobrancelhas ligeiramente grisalha foi levantada um pouco. "Você simplesmente não entende, não é?" ele perguntou. "Nós estamos dando um incrível dom - o dom da beleza. - Algo que a maioria das mulheres se matariam. Você sabe quantas mulheres morreriam para estar no seu lugar agora? Você tem o mundo em um barbante(?). E tudo o que consigo pensar é me trazer para baixo. " "E sobre Matthew?" Perguntei-lhe. "E Kim Su? Você acha que eles vão apreciar serem mortos, para que essas pessoas ricas e velhas possam viver suas vidas por eles?" "Oh, eles não vão viver suas vidas por eles", disse Robert Stark me assegurou. "Eles vão viver suas próprias vidas, só com novos corpos. Claro, eles vão ter que explicar a seus amigos sobre como eles tiveram um "pouco de trabalho". Mas isso só vai trazer mais clientes para mim. E valerá a pena, para não ter que acordar todas


as manhãs com articulações rangentes, ter que tomar nove tipos diferentes de medicamentos para o coração - acreditem, vai valer a pena cada centavo para eles.” "Mas e quanto à família de Mateus?" eu perguntei. "Se eles o verem um dia, andando com o cérebro de outro cara em sua cabeça, e ele não reconhecê-los?" "Essas pessoas vivem em muitos diferentes estratos sociais," Robert Stark disse com um sorriso, "que as famílias dos doadores. Eles nunca vão ver um ao outro. Você pode ficar certa disso." Eu balancei minha cabeça com seu esnobismo. "Você vai ser pego," eu disse. "Isso é assassinato. Você não pode manter isso em segredo para sempre." "Por que não?" ele perguntou. E agora suas sobrancelhas levantaram. "Eu consegui até agora. Há quanto tempo você acha que estamos fazendo isso, afinal?" Foi quando ele riu. "Nikki – e para mim, querida, você sempre será Nikki – estamos fazendo isso há anos. Anos. Com esta tecnologia de ponta, temos sido capazes de oferecer aos nossos clientes uma seleção mais diversificada e única de produtos sobre uma gama mais ampla, enquanto continuamos a aumentar nossa margem de lucro." Então ele olhou para o oficial de segurança e disse, "Limpe isso" – ele se referia a bagunça que minha bolsa tinha feito sobre o carpete – "e leve-a de volta ao térreo e ao carro que está esperando para levar ela e seus amigos para o estúdio. Ela está bastante atrasada para o show Stark Angel." Para mim, ele disse, "O mínimo que poderia fazer é agradecer, você sabe." Agora era a minha vez de levantar minhas sobrancelhas. "Pelo que?" "Eu dei-lhe o maior presente que poderia dar a um ser humano," disse ele. "Uma segunda chance na vida. Só que desta vez," acrescentou, "você começa a fazer bonito." Eu só olhei para ele. Honestamente, o que você poderia exatamente dizer com isso? Pensei em cuspir na cara dele. Mas isso não pareceu ser a coisa certa a fazer. Especialmente desde que ele apenas disse que sabia quais os planos de viagem da minha irmãzinha. Será que eu realmente quero ver Frida lá em cima na tela, sendo oferecida como uma espécie de vaso Ming na Sotheby's… …só para ter seu crânio aberto e seu cérebro retirado para ser


substituído pelo da senhora de pasta azul? Eu peguei de volta a bolsa que o segurança entregou-me – menos o meu iPhone. Enquanto isso, Robert Stark já estava indo embora, de volta para seu quarto de leilão macabro. Ele nunca olhou por cima do ombro para mim. Não que eu esperava que ele olhasse, eu acho. Eu estava bem por ele não ter olhado. Ele teria visto o meu olhar assassino. E ele não teria gostado. Ele não teria gostado nem um pouco. O segurança me pegou pelo braço e começou a me guiar pelas escadas. Não as escadas de trás que Brandon tinha me mostrado, mas a imensa escadaria principal que eu não tinha sido capaz de subir antes, porque não tinha uma pulseira da Fênix. O outro segurança ainda estava de pé ao fundo dela. Ele pareceu confuso ao me ver sendo escoltada para baixo por um de seus colegas, mas levantou a corda de veludo e me deixou passar. "Aqui está," disse o segurança que pegou meu braço, quando chegamos ao vestiário, onde Gabriel e Nikki estavam esperando por mim, com Lulu, que tinha o meu casaco. Eles estavam os três ladeados por seguranças. "Oh, meu Deus," Lulu sussurrou, estendendo o casaco de pele falso para mim. "Você está bem? Você está pálida como um fantasma. Você vai vomitar?" "Vamos sair daqui," eu sussurrei de volta. "Onde está Brandon?" "Eu não sei," disse Lulu. "Ele desapareceu há algum tempo com sua agente." "Ótimo," eu disse sarcasticamente. Os seguranças estavam nos apressando para descer os degraus do tapete vermelho e ir até a limosine que estava lá fora em marcha lenta. Os paparazzi bateram dezenas de fotos se abaixando dentro do carro, todos gritando, "Nikki! Onde está seu namorado?" e "Nikki! Você teve um bom tempo na festa?" Uma vez que estávamos dentro do carro e as portas foram fechadas, Nikki disse, "É tão estranho como eles fazem isso." "Fazem o quê?" Gabriel perguntou. "Gritar meu nome. Mas eles estão conversando com ela." Ela apontou para mim. "Deve ser estranho," Gabriel disse, mas sua voz era mais suave do que quando ele falou com Nikki antes, como se tivesse simpatizado com ela pela primeira vez. "Você deve sentir falta disso." "Que?" os olhos de Nikki arregalaram. "Ser gritada pelos paparazzi?


Você provavelmente gosta disso. Mas isso é uma espécie de começo para apreciar essa coisa de anonimato por uma chance (?)." Ela olhou para mim e perguntou, "Então? Você descobriu alguma coisa?" "Oh," eu disse, recostando-me contra o assento de couro e tomando uma longa, limpa respiração. "Aprendi muito." "Ah?" Gabriel perguntou. "Cuidado para nos esclarecer?" Enfiei a mão no meu soutien e tirei meu telefone celular Stark. "Você não tem idéia," eu disse. "Posso pegar seu telefone? Este é grampeado. Preciso ligar para Christopher." Gabriel se atrapalhou com seus bolsos, enquanto Nikki apenas revirava os olhos. "Ninguém vai me deixar ter um telefone", disse ela. "Eu não sou de confiança, evidentemente." "Oh, pelo amor de Deus," Lulu disse, abrindo sua bolsa de ouro Prada e lançando-me o seu telefone. "Mas é melhor você dizer-nos o que ouviu lá em cima…" Eu já estava discando. "Ah," eu disse. "Você vai descobrir, tudo bem. Olá, Christopher?" Ele atendeu no primeiro toque. "Em?" disse ele, confuso, porque o seu identificador de chamadas tinha dito o nome de Lulu. "Sim," eu disse. "Sou eu. Ouça, você estava certo. Sobre tudo isso. O Projeto Fênix é exatamente o que você disse que era. E eu tenho uma prova. Um filme. O problema é, eu fui pega. Por Robert Stark em pessoa." "Jesus Cristo, Em." Christopher soou como se alguém tivesse lhe dado um soco no estômago. "Você está bem?" "Eu estou bem." Eu disse. "Até agora. Eles pensam que destruíram a única prova. É por isso que eu não posso enviar um e-mail para você ou qualquer coisa… porque se o fizer, será totalmente como se enviasse uma bandeira vermelha. Porque está em um telefone da marca Stark que eles têm escutas, o que significa que é também da sua estrutura principal, eu tenho certeza. O que significa que Felix provavelmente poderia arrancá-la… mas então eles poder��o notar. Assim, apenas no caso, eu estou indo entregá-lo agora com Lulu e Nikki." Olhei para as duas curiosa. Elas entreolharam-se, então, assentiram com ansiedade. "Então você pode estar lá, em mais ou menos, 20 minutos, Christopher, e estar pronto para isso?" "Eu já estou no Felix," disse Christopher. "Ele está pronto para o que você tem. O que você vai estar fazendo entretanto?"


"O show de lingerie Stark Angel," eu disse, incapaz de manter o sarcasmo da minha voz. "Ao vivo." "Nós já estamos sintonizados com o Canal Sete," eu ouvi Felix gritar no fundo. "Em todos os dez monitores! Alta definição!" Eu ouvi um rangido, em seguida, um grito de dor. Achei que Christopher havia atingido seu primo. "Não ligue pra ele," disse Christopher. "Se você não quer que a gente preste atenção, Em, não vamos assistir. Além disso, parece que vamos estar muito ocupados." "Não," eu disse. Eu tinha que ser madura sobre isso, percebi. Era apenas um corpo. Meu corpo. E com alguma sorte, Christopher ia vê-lo nu algum dia, de qualquer maneira. "Você pode assistir se quiser. Basta fazer essa outra coisa primeiro. Somente… o que você for fazer com ele," eu disse, tentando controlar o tremor em minha voz, "você pode esperar até o avião de Frida pousar, e ela chegar em casa segura, porque Robert Stark disse –" De repente, eu estava segurando um soluço. "O que, Em?" Christopher perguntou. Ele parecia tão preocupado quanto eu. "O que Robert Stark disse?" A delicada preocupação em sua voz apenas tornou mais difícil de falar. Eu não podia acreditar que esse era o Christopher, com o qual apenas uma hora ou mais atrás eu estava discutindo. "Ele disse que se alguma coisa sobre o Projeto Phoenix vazar," respondi, tentando não chorar, "ele vai… ele vai…" "Não diga mais nada," disse Christopher. "Eu sei o que fazer." "Mas." Como ele poderia saber? Eu não tinha lhe dito o que Robert Stark disse que faria. Algo tão terrível, eu não podia nem pensar nisso. "Em," disse Christopher. Sua voz era quente. Quente de amor por mim. Por mim. "Eu sei. Não se preocupe. Considere isso feito. Frida vai ficar bem. Estamos conseguindo manusear isso aqui, ok? Nós somos profissionais." "Mas," eu disse novamente. Agora eu não podia deixar de sorrir um pouco. A idéia de Christopher e seu primo como profissionais foi ridícula. "Um de vocês está usando uma tornozeleira." E um de vocês é um arquivilão, com luvas sem dedos e uma faixa escura com uma milha de largura. "Ela vai ficar bem," Christopher me tranquilizou. "Você fez sua parte. Diga a Nikki e Lulu para chegarem até aqui com o celular. E eu vou fazer o que tenho que fazer. E, Em?"


"Sim?" eu perguntei em uma voz trêmula. "Estou muito orgulhoso de você," disse ele. "Louco como o inferno com você por colocar-se em perigo. Mas muito, muito orgulhoso." "Sim," eu disse. Agora as lágrimas estavam chegando. Mas eram lágrimas de felicidade. "Eu também," eu disse.


Vinte Estava um caos no show de Lingerie da Stark Angel. Por exemplo, Ryan Seacrest estava lá para transmití-lo. Ele não esteve lá nos ensaios anteriores porque… bom, ele era Ryan Seacrest. Ele era um homem ocupado. Outro exemplo, Gabriel e eu estávamos mais de duas horas atrasados para a nossa chamada. Isso não havia causado muita ansiedade por parte de Alessandro, o diretor de palco. Ele queria basicamente nos matar. "Camarins para a maquiagem e vestimentas," ele gritou quando viu a mim e Gabril entrando pela porta do salão. "Agora." Eu imaginei que se Alessandro tivesse escolha, nós nunca mais seriamos chamados para participar em outra produção da Stark. Então novamente, depois dessa noite, se as coisas fossem como eu queria que fossem, não havia haveria outras produções da Stark. Nunca mais. Jerri, a maquiadora, veio se arremessando (?) enquanto eu estava saindo do meu vestido da festa, e as mulheres das roupas estavam se perguntando o que fazer sobre as marcas que a minha meiacalça havia deixado na minha barriga. Sério. Essas são as coisas que nós, modelos, temos que nos preocupar. "Sem problemas," Jerri disse. "Eu vou passar spray nisso. Ninguém vai ver nada." Jerri tinha uma pequena máquina que espirrava um líquido do tipo daquelas máquinas de auto-bronzeamento espirrava bronzeador as pessoas. Tinha o mesmo princípio, exceto que Jerri planejava jogar esse spray em todo meu corpo ao invés de apenas o meu rosto… … o que era o que ela tinha feito pela maioria de seus clientes, muitos que eram homens comentadores esportivos. "Eles tem que parecer bem também," ela explicou. "Agora que todos tem TVs de alta definição. você não pode ter nenhum defeito, ou algo do tipo. Eu faço as mãos deles também, para quando estiverem segurando um microfone, entrevistando as pessoas. Se você não passa spray, não joga." Era incrível como eu ficava pensando que Jessica Biel e todas essas estrelas de cinema tinham corpos perfeitos, e não era verdade. Tudo na TV era mentira.


Na TV, em revistas, e em filmes também. Sem dúvidas que esses acionistas da Stark achavam que precisavam assassinar pessoas jovens e roubar seus corpo. "Ah, claro," Jerri dizia enquanto eu ficava lá parada usando meu sutiã e calcinhas, sentindo o spray gelado em todo o meu corpo. "Todas as atrizes fazem isso, para suas cenas de nudez? Elas são todas pulverizadas. Cobre sua celulite também. Não que você tenha celulite. Ah, espere. Sim, desculpe. Até Nikki Howard! Há, espere até eu contar para a minha irmã. Ela acha que você é perfeita. Não que você não seja -" Jerri levantou sua cabeça para olhar para mim. "Você sabe, você é quase perfeita." Eu sorri para ela rapidamente. "Está tudo bem. Posso pegar seu celular emprestado?" Perguntei. "Preciso fazer uma ligação. É local." "Ah, vá em frente, querida," Jerri disse. "Faça quantas quiser. Eu terei o feriado pago para isso, sendo Ano novo e tudo." Ela me deu seu telefone, e eu rapidamente disquei o número dos meus pais. Minha mãe atendeu após o segundo toque. "Alô?" ela perguntou curiosamente, não reconhecendo o número. "Oi, mãe," eu disse. "Sou eu." Eu não disse que era eu, Em, porque Jerri estava lá. "Eu estava me perguntando… você sabe se Frida viajou bem?" "Bom, é claro que sim," mamãe disse. "Ela ligou do caminho há três horas. Ela deve estar chegando em LaGuardia a qualquer minuto. As meninas estarão todas dividindo os táxis para a cidade. Por que você pergunta?" "Eu apenas não ouvi falar dela há um tempo," eu disse, tentando parecer casual. "É só. Você acha que pode dizer a ela para me ligar no segundo que entrar pela porta?" "Claro," mamãe disse. "Mas você não está um pouco ocupada? Eu achei que fosse fazer esse, er, show de lingerie essa noite, no Canal Sete." Drogas. Eu estava meio que esperando que mamãe tivesse esquecido isso. "Eu estarei." Eu disse rapidamente. "Mas não significa que eu não me preocupe com a minha irmãzinha." "Bom," mamãe disse, "Eu direi a ela para te ligar." Tardiamente, me lembrei que não tinha um celular. Um que eu tinha foi esmagado em pedaços no tapete do corredor do andar de cime de Robert Stark. E o outro estava a seu caminho, no porão de Felix, em um táxi com Lulu e Nikki. Esperançosamente estava lá agora.


"Na verdade," eu disse, pensando rápido. "Você poderia dizer a ela para ligar para a Lulu? Meu telefone está uma confusão." eu dei a ela o número. "Vai ser melhor, de qualquer forma, no caso de eu estar no palco." "Está bem," mamãe disse. Em seu estilo típico, de qualquer jeito, ela não soou como se achasse que está tudo bem. "Escute querida, enquanto eu te tenho no telefone… sobre ontem." "Sim," eu disse. Eu estava consciente que Jerri estava trabalhando em minha cabeça com a arma de spray. "Eu sinto muitíssimo -" "Não," mamãe disse. "Eu sinto muito. Eu percebi agora que quando você me perguntou se era bonita - bom, era uma questão carregada, querida. Eu quero dizer, para mim. Eu não quero que vocês, meninas, se julguem por suas aparências -" "Mamãe," eu disse. Eu não conseguia acreditar que estávamos tendo essa conversa. Meu chefe acabara de ameaçar matar minha irmã mais nova se eu expusesse o fato que ele era basicamente um assassino sociopata. E se as coisas fossem do jeito que eu queria, eu estava a ponto de fazer exatamente isso. E minha mãe queria jogar conversa fora no telefone. "Eu realmente não tenho tempo para isso. Eu só queria saber sobre Frida." "Mas isso é importante," mamãe continuou. "Eu percebi que talvez, na sua escola, seja o que todas as meninas façam. Julgam umas às outras por suas aparências." "Não apenas na escola, mamãe." eu disse. "Tente toda a sociedade contemporânea." Oi, mãe? Essa é a América. Bem-vinda. Isso é chamado de McDonald's. Pode dizer essa palavra? Mc-Don-ald's. Eles servem cheeseburguers aqui. E fritas. Pode dizer a palavra fritas? "Eu sei," mamãe continuou. Ela parecia estar praticamente chorando. "E isso é tão errado. Eu não quero que vocês garotas se julguem assim. Há tanto mais em você do que isso. Vocês são ambas tão maravilhosas, você e Frida, tão espertas, e fortes e criativas. Eu queria enfatizar a parte do vocês. Mas toda vez que vocês ligam a televisão, o que vêem? Bom, meninas magérrimas com peitos grandes, em calças apertadas com blusas que mostram suas barrigas. E toda vez que eu levasse vocês duas à loja, ambas iriam querem exatamente o que essas meninas - Nikki Howard estava usando. Você eventualmente cresceu fora disso, mas Frida é como se uma mãe não pudesse vencer. E minha mãe disse que eu


era exatamente assim, e por isso ela parou de dizer isso a mim. Eu era bonita - algo que eu deixei para lá quando fui crescendo…" Isso era novidade para mim. Vovó? Vovó sempre disse a Frida e a mim que nós éramos bonitas. Tanto que não significava nada. É claro que éramos bonitas. Nós éramos suas netas. Não significa nada quando sua avó diz que você é bonita. Mas mamãe? Mamãe nunca disse que éramos bonitas, ou parecíamos bem. Era sempre, "Sua mente que importa!" E é claro que é verdade. Mas seria bom ter escutado que nosso cabelo parecia bom, de vez em quando. E agora que eu sabia que mamãe já gostou de roupas de menininhas? Mamãe, que sempre se vestil tão significavelmente em seus terninhos cinza e saltinhos? Vovó teve que parar de dizer a mamãe que ela bonita porque ela ficou tão vaidosa por isso? Isso era fantástico. Não podia esperar para contar a Frida. Se eu a visse novamente. "E eu acho," Mamãe continuou - ela estava praticamente balbuciando - "Eu só achei que se seguisse seu caminho, vocês se tornariam como eu… mais interessadas em coisas acadêmicas do que… bom…" O quê? Como a mamãe já foi quando garota? Eu estava morrendo para descobrir. Mas então Jerri saiu da minha cabeça com o Spray. "Olha, mãe," eu disse. "Eu preciso me preparar para o desfile. Eu entendo tudo o que está dizendo. Sei que é tudo mentira. Ninguém sabe mais do que eu. Mas é bom ouvir sua mãe dizer que é bonita de vez em quando, sabe? Mas não se preocupe comigo, está bem? Tudo vai ficar bem." Essa era uma mentira lavada. Eu não tinha nenhum jeito de saber isso. Mas o que mais eu iria dizer? Olha, mãe, por causa da minha burrice, meu chege pode estar a ponto de matar sua filha mais nota? "Apenas ligue para a Lulu quando souber de Frida." "Eu irei," mamãe disse. Ela hesitou, depois disse, "Eu te amo, Em. No caso de isso não estar claro. Não importa como você se parecer. Ou o que vestir." Isso trouxe lágrimas aos meus olhos. Porque eu não merecia. "Obrigada, mamãe," eu disse. "Eu também." Eu desliguei e entreguei o telefone de volta para Jerri. "Mães…" eu disse a ela, revirando meus olhos com uma tentativa de não chorar.


"Nem me diga," Jerri disse, jogando seu telefone de volta em seu bolso. "A minha fuma um maço de Camel Lights por dia. Consigo fazê-la parar? De maneira nenhuma. Feche seus olhos agora, querida, vou fazer seu rosto." Quarenta e cinco minutos depois - o que Jerri disse ser um recorde de velocidade para ela - eu estava pronta no cabelo e maquiagem, e colocada no sutiã e calcinha de diamantes, minhas asas colocadas e flutuando atrás de mim. Eu parecia, quando me vi no espelho, como uma cruz entre um anjo e… bom, uma menina usando um biquíni de diamantes. Ah, bom. Esperançosamente, mamãe não estaria assistindo. Eu subi em meus saltos de plataforma em direção ao palco enquanto Jerri trotava ao meu lado, passando uma última camada de gloss. "Aí está você." Rebecca apareceu do nada, ainda em seu vestido de noite. "Eu soube que estava atrasada. O que eu te disse sobre isso? Não te disse para não se atrasar? Você comeu algo? Posso ver seus ossos. Eu sei que você não comeu nada. Se você desmaiar em mim, Nikki, eu juro por Deus…" "Eu não vou desmaiar," eu afirmei a ela. "Brandon está aí com você? Porque eu realmente preciso falar com ele." "Como uma questão do fato, ele está," Rebecca disse, parecendo acanhada. Ou como fosse possível ela parecer estar acanhada, o que não era muito. "Você deve também saber que somos um casal agora. E eu sei que tem uma diferença de idade, mas honestamente, acho que ele precisa de uma mulher madura em sua vida. Sem ofensas, Nikki, mas você não tem sido a melhor influência sobre ele. E ele precisa de estabilidade." "Eu realmente não ligo para isso," eu disse. "Você pode ficar com ele. Não é sobre isso que eu quero falar com ele. É sobre seu pai, na verdade." "Seu pai?" Rebecca encolheu os ombros. "Não é o seu tópico favorito. Exceto por seu funeral." Ela puxou seu BlackBerry de sua bolsa Chanel e começou a teclar. "Tem certeza que quer entrar nisso agora, antes do desfile? Não pode esperar? Estará no palco em cinco minutos. E não fale com o Ryan, está bem, querida? Todas as meninas estão falando com o Ryan, e está dando nos nervos dele." Eu olhei para o corredor. Havia modelos da Stark usando lingeries e asas em todo lugar. Eu vi Kelley, minha amiga do ensaio, acenar com seu celular para mim para mostrar seu toque. Tocava a música


de Journeyquest. Kelley riu e apontou para mim. Eu ri para ela como 'Há! Que engraçado.' Mas principalmente, eu estava pensando que eu queria vomitar. "Eu não vou," eu disse. Rebecca encolheu os ombros e continuou digitando no teclado. O que Robert Stark estava fazendo agora? Eu me perguntei. Ele estava tentando matar minha irmã? E o Christopher? Lulu e Nikki entregaram a ele meu celular? Eu me sentia tão vulnerável por não saber o que estava acontecendo. Eu não era a única. Gabriel saiu de seu camarim em sua maquiagem, e roupas. Ele estava com sua banda - todos pareciam bem o suficiente para causar uma onda de animação para passar pela modelos, Ryan Seacrest de repente fora esquecido. Mas Gabriel ignorou. Quando me viu, na verdade, ele disse para os outros caras, "Ei. Eu já vou," e voltou para sussurrar para mim, "Então, soube de alguma coisa?" Balancei minha cabeça. "Nada. E você?" Ele balançou sua cabeça negativamente. "Tenho certeza que vai ficar tudo bem." "Ou," eu disse, "nós vamos entrar no palco e uma bomba vai cair sobre nós, matando-nos instantaneamente, cortesia de Robert Stark." "É sempre bom," Gabriel disse, "pensar positivamente." "Brandon vai te encontrar depois do desfile," Rebecca anunciou, lendo da tela de seu BlackBerry. "Mas eu realmente preciso falar com ele agora," Eu disse, incapaz de tirar o desânimo de minha voz. "Bom." Rebecca encolheu os ombros. "O que quer que eu faça? Ele disse que está ocupado. Ele te encontrará no andar de cima, no Stark Sky Bar, ele disse. Vai ter champagne para todos nós para brindar o Ano Novo. É onde estaremos para assistir a Times Square ball drop (tradição de ano novo). Há uma vista perfeita daqui -" "Para os seus lugares!" Alessandro veio gritando pelo corredor, batendo suas mãos. "Todos vocês, para trás do palco, agora! O que estão esperando? Querem que eu tenha um ataque do coração? O desfile começou! Estamos ao vivo! Sem mais falação até que estejam passando pela porta. Vão! VÃO!" Eu alcancei instintivamente a mão de Gabriel. A minha estava muito fria. Mas a dele parecia quente… como o seu olhar quando encontrou o meu.


"Vai ficar tudo bem," ele afirmou para mim, com um sorriso. "Você fez tudo certo." "Eu fiz?" eu perguntei. Eu queria poder acreditar nele. Teoricamente, eu acreditava. Mas Frida! Minha própria irmã! Como eu pude ter sido tão estúpida? "Ah, Deus," Rebecca disse, reparando em nossas mãos. "O que está acontecendo aqui? Vocês são um casal? Isso é perfeito. Posso anunciar para a imprensa? Você tem alguma idéia do quanto isso vai fazer pelas suas vendas, Gabriel? Você já está na Estratosfera, mas isso, querido, nós estamos falando de Marte-" A essa hora, eu estava indo pelas portas do estúdio, e todos os câmeras estavam fazendo Rebecca ficar quieta. Mesmo assim, ela continuou atrás das portas, mesmo que estivessem se fechando, sussurrando-gritando, "Você não pode esconder as coisas de mim, Nikki! Você não pode fugir! Eu sei todos os seus segredos." Se ela realmente soubesse. Dentro do espaço de bastidores do estúdio, onde estávamos todos reunidos para esperar a nossa vez no palco, era tão calmo, quase pude ouvir a minha própria pulsação. Foi na frente do estúdio, onde o palco estava, onde foi outra questão inteiramente. Lá, ela estava estrondosamente alto. O auditório estava gritando com apreço por Ryan e os modelos que já estavam suportando o palco, passeando pela passarela para cima e para baixo, mostrando seu sutiã e diferentes conjuntos de calcinha. Gabriel e sua banda tinha ido para trás do conjunto rotativo, para reaparecer na direita do palco, logo começando a tocar a canção hit de Gabriel. "Nikki". Isso não era para acontecer até o intervalo do segundo ao último comercial. Enquanto eu estava lá esperando por minha sugestão musical, notei Verônica, a modelo que me odiava tanto - porque ela achava que eu tinha mandado e-mails para seu namorado, Justin, quando, na verdade, tinha sido o Nikki real - em pé na minha frente. Ela estava claramente me ignorando. Porque eu precisava de algo para tirar a minha mente o fato de que a minha irmã, naquele momento, poderia estar morrendo, eu bati no seu ombro. "Oi", eu disse. "Eu só estava pensando. Será que a pararam os emails?" Verônica olhou em volta. Seus olhos se arregalaram quando me viu.


"Nós - nós supostamente não nos falamos", ela gaguejou. "Eu sei", eu disse. "Mas eles pararam?" "Sim", ela disse, e voltou em direção ao show, mordiscando as unhas. Ha. Porque Nikki tinha coisas melhores a fazer nestes dias. Como torturar Gabriel Luna. Poucos minutos depois, Verônica recebeu o sinal para ir para passarela - e ela escorregou no palco. E então eu ouvi. "Nikki, oh, Nikki … A coisa é, menina … apesar de tudo … Eu realmente acho que … Eu te amo". Minha deixa. Por um segundo o meu coração martelou, eu hesitei. Eu pensei que ia vomitar. O que eu estava fazendo? Quem era eu? Eu era, Em Watts, a menina que não podia sequer tomar banho na frente de outras meninas durante a Educação Física, realmente ia sair desfilando, na frente de milhões de pessoas - talvez até mesmo bilhões - de telespectadores de televisão, para não mencionar nas muitas pessoas que estavam na platéia ao vivo, vestindo apenas uma calcinha, um sutiã, com um conjunto de asas, e muito spray de corpo? "Não é a maneira que você anda, menina… a maneira que você sorri nem a maneira que você olha. ..” Por outro lado… … se as coisas aconteceram do jeito que deveriam, e Christopher fazer o que ele disse que ia fazer, por causa de mim, Robert Stark, o quarto homem mais rico do mundo, estava indo para baixo hoje à noite. O que aconteceu comigo nunca vai acontecer com outra pessoa novamente. E nunca irá acontecer outro Stark Angels Lingerie Show de novo. Isso iria certamente fazer minha mãe feliz. "É do jeito que você mexe comigo… a maneira que você mexe comigo… que me faz dizer, Nikki, oh, Nikki… A coisa é menina… apesar de tudo… Eu realmente acho que… Eu te amo." "Nikki", Alessandro sussurrou em algum lugar na escuridão atrás de mim. "VÁ!" Saí para a luz ofuscante do palco, movendo os quadris ao ritmo da música, tentando seguir as marcações na pista e andei exatamente por onde eles me disseram para não correr a etapa de Ryan Seacrest. Os reflexos dos diamantes no meu sutiã estava me deixando louca. Eu mal podia ver onde estava indo. Se algo vier a se soltar do teto e


cair para baixo, batendo na minha cabeça, eu nunca saberia disso. Eu estava completamente cega. Quem usaria uma dessas coisas estúpidas na vida real? E por quê? "Nikki, oh, Nikki… As coisas que você faz, garota… apesar de tudo… eu realmente acho que… eu te amo." Pelo menos tinha a voz de Gabriel para me guiar. O estranho era que, na verdade ele parecia sincero. Mas não é isso que os músicos fazem? Como os modelos e atrizes, que fazem você acreditar no que eles estão dizendo. A menos que… ele realmente ame Nikki. Não eu. Mas a verdadeira Nikki. Isso não seria engraçado? Que tanto quanto os dois brigam, eles realmente se amam? Eles certamente pareciam estar na garganta um do outro o suficiente. Mas não era verdade para mim e Christopher? Nós estávamos sempre brigando. Sempre! Mas então, quando nós nos resolvemos, realmente nos amávamos. Pelo menos, eu realmente amo Christopher. Eu esperava que ele realmente me amasse. Eu pensei que tinha o ouvido falar sobre o seu amor por mim no telefone há pouco. Eu vou saber com certeza da próxima vez que eu o ver… se ele realmente me ama ou não. Eu seria capaz de ver isso em seus olhos. Eu tinha certeza disso. Podemos não ter tido o mais fácil dos romances, mas se é um, eu tenho certeza que irá durar para sempre. Se Nikki e Gabriel se apaixonaram, isso ia matar minha irmã, Frida. Oh, Deus. Frida. Por que eu tive que pensar em Frida? "Não é a maneira que você anda, garota… a maneira que você sorri ou a maneira que você olha…" "Ah, olhem para ela, senhoras e senhores," Ryan Seacrest estava dizendo. "A supermodelo número um no mundo, a própria Nikki Howard da Stark. Ela está usando mais de um milhão de dólares em diamantes, senhoras e senhores. Eu não sei quando tinha visto algo tão lindo. Exceto talvez o baixo, baixo juro que estou recebendo no meu cartão de crédito Stark. Inscreva-se agora para a venda exclusiva do cardmember-apenas para vendas e ofertas especiais de financiamento ao longo do ano…." No começo do final da pista, eu olhei para a gritante, torcedora platéia e o vi. Robert Stark. Apenas sentado lá, olhando para mim. Sorrindo. Sorrindo da única maneira de alguém que sabe que ganhou pode sorrir.


Por que ele estava sorrindo assim? O que ele fez? Safado com assassino, é o que ele é. Só que ele não era. Ainda não. Não se eu poderia ajudá-lo. Frida, meu coração chorava o tempo todo enquanto eu estava lá fora. Por favor, deixe Frida ficar bem. Eu fiz isso para fora da pista sem tropeçar ou com algo caindo sobre minha cabeça. Só meu coração martelando na minha garganta. E ninguém, eu estava certa, tinha mesmo sido capaz de dizer muito. Porque eu era uma profissional agora. Eu era Nikki Howard. Não foi até eu chegar à Sky Bar Stark meia hora mais tarde - o sutiã de diamantes e a calcinha foram para os seguranças que tinham sido designados para guardá-los, as asas de anjo foram postas de lado, e minhas roupas de rua foram novamente colocadas em mim que o mundo desabou.


Vinte e um O Sky Bar, que era um enorme, circular restaurante no topo da Stark Building, com as paredes feitas de janelas do chão ao teto a toda a volta, então você tinha uma vista panorâmica sobre as luzes cintilantes – ou, neste caso, a multidão em Times Square, e a New Year's ball drop – estava lotado. Ryan Seacrest estava lá, junto com seu agente e seu empresário, desfrutando alguns Dom Perignon (vinho). Avistei Rebecca lá também, apoiando-se em Brandon como se fossem grudados – grosseiro – e Gabriel e sua banda. Em qualquer outro lugar que eu olhava tinham as celebridades da festa na casa de Robert Stark, bem como os acionistas que eu conheci. Os mesmos que tinham sido convidados para ver os "doadores" de transplante de cérebro. É claro que eles não sabiam que eu tinha filmado eles nesse pequeno leilão e contrabandeado para fora o filme, e que dois gênios da informática estavam (espero) neste exato momento fazendo o que esse tipo de gente faz com esse tipo de coisa. O que eles iam fazer com isso? Eu me perguntava. "Hey," disse Gabriel, que veio até mim com um copo de água com gás poucos minutos depois que eu andei lá dentro. Ele era uma visão bem-vinda. Eu tinha sido cercada pelos acionistas Stark querendo conversar comigo um pouco mais. Eu sabia o que eles realmente queriam, é claro. Para falar sobre o fotótipo do Projeto Fênix, uma vida, respiração, receptor de transplante de cérebro real. Eles não dizem muito, mas era totalmente óbvio. Eles estavam loucos para saber como era morrer… e depois ser ressuscitada como alguém totalmente quente. Se eles tivessem vindo a mim e apenas perguntado, eu poderia terlhes dito: Foi um inferno. E o céu. Ao mesmo tempo. Eu faria isso novamente? Sem chances. "Ainda bem que não estamos lá," disse Gabriel, indicando um dos muitos televisores de tela plana que pendiam do teto, mostrando close-ups de Anderson Cooper relatando o impedimento ao vivo na ball drop de Times Square. Estava muito frio, você poderia ver a respiração de Anderson. "Eu também," eu disse.


"Você ouviu falar alguma coisa?" Gabriel queria saber. Ele não estava falando sobre a ball drop. Eu estremeci. O pai de Brandon tirou um braço para fora, acenando para que eu fosse até lá, com um grande sorriso no rosto. Rodeado por adoradores, ele estava chamando apoio. Todos estavam sorrindo e segurando o champanhe, claramente se divertindo. E, claro, havia um monte de fotógrafos lá, loucos para tirar algumas fotos de divulgação para os documentos de amanhã. "Ah, não," eu disse, sob a minha respiração. Gabriel parecia simpático. "Aqui está ela, a estrela da noite," Robert Stark me chamou, acenando para mim de novo. "Nikki Howard, senhoras e senhores. Ela não estava linda esta noite? Será que ela não estava linda em todos os diamantes?" Eu não tinha escolha senão ir até ele. O que mais eu poderia fazer? Eu tentei por em meu rosto o mais bonito sorriso de gesso que eu poderia. Eu sabia o que estava acontecendo. E eu sabia o papel que tinha que fazer… pelo menos até descobrir se Frida estava ou não segura: Robert Stark estava me mostrando. Eu era o seu melhor produto. Eu era a Fênix original. Quando cheguei ao seu lado, o pai de Brandon deslizou seu braço em volta de mim. Era como ser abraçada por uma serpente. "Uma menina tão grande," disse Robert Stark, abraçando-me a ele. "Estou feliz de tê-la na família Stark." Eu mantive o sorriso estampado em meu rosto. Flashes dispararam. Os fotógrafos disseram coisas para incentivar como "Ótimo! Isso é ótimo, Nikki, Sr. Stark. Por aqui, agora. Senhor, você poderia colocar o seu queixo para cima? Queixo para baixo agora. Nikki, olhe aqui. Grande. Fabuloso. Vocês ficam muito bem juntos. Muito obrigado." Mas o tempo todo, tudo que eu conseguia pensar era em como eu queria vomitar. Quando as manchas roxas dos flashes sumiram, com o canto do meu olho eu pensei ter visto algumas pessoas entrarem no restaurante. Eu pensei que tinha que ser uma dupla, não tendo certeza se acreditei nos meus olhos, antes de registrar que eles realmente eram… Lulu, em seu vestido preto estranho de coquetel com a sua crinolina (armação de vestido) vermelho brilhante, caminhando até o bar e exigindo um coquetel, puxando Steven Howard – Steven Howard –


em seu rastro… A irmã de Steven, Nikki, com seu cabelo preto e corpete preto combinando, desfilando até o bar atrás de seu irmão como se fosse dona do lugar… E Christopher – o meu Christopher – escoltando uma menina de aparência muito jovem com cabelos cacheados que olhava para todo lugar com a boca entreaberta parecendo alguém demasiado animado para estar lá… Frida. Minha irmã, Frida. Tenho certeza que um pouco de vômito surgiu em minha boca quando eu vi isso. Frida? Eles trouxeram Frida aqui? Eles estavam loucos? Eles não tinham registrado a parte onde eu lhes disse que Robert Stark havia ameaçado matar Frida? "Hum," eu disse, esquivando-me debaixo do braço de Robert Stark. "Você pode me dar licença?" "É claro," disse ele, parecendo um pouco confuso quando eu me afastei. Corri em direção a Frida até ser capaz de agarrá-la pelos dois braços e a girar – ela foi pressionada contra uma das janelas enormes, olhando para baixo do Times Square para a multidão. "Frida," eu gritei freneticamente. "Você está bem?" "Estou ótima," disse ela, afastando alguns dos cabelos que caíram nos seus olhos pela violência do meu gesto. "O que você está fazendo? Esses caras vieram e me pegaram. Em, o que está acontecendo? Ninguém quis me dizer. Está tudo bem? E o que aconteceu com a Nikki? Ela está quente agora. Além disso, você tem visto a forma como Gabriel a olha? Não é justo, eu o vi primeiro –" Abracei-a contra mim. "Não se preocupe com Gabriel," eu disse em seu cabelo. "Ele é velho demais para você, de qualquer maneira." Todos, isto é, com exceção de Nikki – a real Nikki. Ela caminhou até a Robert Stark com um grande sorriso em sua boca pintada com batom vermelho brilhante. "Olá de novo", disse ela, sorrindo para Robert Stark. Ele parecia um pouco assustado ao ser interrompido durante a contagem regressiva para Ano Novo. Mas não tão irritado, porque Nikki era um pouco gostosa. "Bem, Olá", disse ele, sorrindo para ela. "Senhorita, er… Prince, não é?" "Isso mesmo", disse Nikki. "Boa memória. Mas esse não é realmente o meu verdadeiro nome."


E ela levantou o controle remoto que tinha roubado do bar e ligou o som em todas as TVs. "Não é?" Robert Stark perguntou, aparentemente interessado apenas por educação. "Qual é, então?" "Nikki Howard," ela disse. "Você devia ter apenas ter acabado comigo, Robert." Em seguida, ela inclinou a cabeça para olhá-lo um pouco mais de perto. "Pensando bem… Eu devia ter acabado com você em primeiro lugar." "Feliz Ano Novo!" todos gritaram. No bar, eu vi Lulu jogar seus braços ao redor de Steven e beijá-lo. Rebecca e Brandon já havia se envolvido em tal amasso tão apertado, eu tive que desviar o olhar, um pouco chocada. Mesmo Nikki saiu correndo para fora da confusão com Robert Stark para ir até Gabriel Luna, que estava abraçando seus companheiros de banda, puxá-lo pela sua camisa para longe, e plantar um grande beijo em seus lábios… para o desânimo de Frida, que soltou um gemido fraco. Christopher, por sua vez, estava sorrindo para mim. Ele parecia mais diabólico do que como namorado. Eu estava tão alarmada com tudo o que tinha acontecido nos últimos cinco minutos, que dei um passo para longe dele. Eu realmente não estava certa sobre o que fazer. "Oh," eu disse, erguendo as mãos para contê-lo, meu coração começou a falhar. "Não…" Mas era tarde demais. Ele já tinha me pegado pela cintura e me puxado para direção dele, esmagando meu corpo no dele e, em seguida, tocando sua boca em minha boca. Eu acho que deixei escapar um gemido que não era diferente do de Frida - apenas por razões diferentes, é claro - antes que eu me encontrasse derretida, como sempre, com o toque dos seus lábios. Por que não consegui resistir a isso? Era tão irritante! Isto aconteceria sempre entre nós? Estávamos sempre fazendo o outro louco, então nos beijávamos e tudo estava bem… mais do que bem, na verdade? Christopher estava com os braços em volta de mim, parecendo não ter pressa para terminar o nosso beijo de ano novo. Não que eu me importasse. Então em cada televisão da sala tinha piscado a mesma mensagem laranja: Breaking News, e uma âncora (apresentadora principal de um telejornal) do telejornal veio a dizer, com urgência, "Estamos interrompendo a cobertura do nosso ano novo para informá-los de


uma notícia de última hora fora de Nova Iorque sobre Robert Stark, o empresário que fundou a Stark Enterprises, conhecido mundialmente por sua cadeia de grandes lojas de departamento ou de descontos." Uma onda de vibração animada passou pela Stark Sky Bar quando este anúncio foi feito. Rebecca e Brandon realmente se desconectaram tempo suficiente para prestar atenção ao que estava acontecendo. Os acionistas Stark ficaram olhando para as telas de televisão confusos, alguns deles tecendo em seus pés um pouco, porque tinham bebido demais. Robert Stark ficou absolutamente imóvel, olhando em choque para o que estava acontecendo. Peguei os dedos de Christopher com uma mão e os Frida com a outra. Frida olhou para mim e perguntou, num sussurro, "Em. O que é isso?" "Só assista," eu sussurrei de volta. Eu estaria mentindo se dissesse que meu coração não estava batendo um pouco, porém. "Esta noite," a âncora disse solenemente, "A CNN obteu exclusivamente o vídeo - vídeo da CNN pode verificar é autêntica que comprova que os acionistas da Stark Enterprise, incluindo Robert Stark em pessoa, tem participado conscientemente de uma cirurgia altamente experimental conhecida como transplante de corpo inteiro -" Em algum lugar na sala, uma mulher gritou e deixou cair um copo, que se despedaçou no chão. "- Em um laboratório secreto em Manhattan chamado Instituto de Neurologia e Neurocirurgia Stark. Aqui está o médico chefe correspondente da CNN, Dr. Sanjay Gupta, para explicar este controverso - para não falar ilegal - procedimento." "Obrigado, Wolf," uma nova voz disse. "Em um transplante de corpo inteiro, o cérebro de um paciente é completamente removido de seu corpo e colocado em um novo corpo, geralmente de um doador que tenha sido declarado clinicamente morto. No caso de alguma coisa a corporação foi chamada de Projeto Fênix, no entanto, os doadores vivos estavam a ser colhidos a partir de -" "O que é isso?" Robert Stark trovejou, girando ao redor para olhar o resto de nós. "O que é isso? Desligue isso. Você me ouviu? Eu disse para desligar isso!" Ninguém se mexeu para desligar a televisão, mesmo eu tendo certeza que os garçons tinham o controle remoto. Na verdade, eu vi Nikki levantar um dos controles remotos e deliberadamente


aumentar o volume. "- neste vídeo exclusivo, os representantes da empresa podem ser vistos leiloando perfil de jovens que, alega-se, serão colocados em um estado vegetativo em uma data posterior para que seus corpos possam ser colhidos para o maior lance, para ter seus cérebros transplantados para eles quando -" As imagens que eu gravei no leilão começaram a passar quando o locutor de notícias continuou. Eu tenho que dizer, que o telefone celular da marca Stark havia feito um bom trabalho ao capturar o que eu queria para isso. As imagens de Kim Su, a francesa apresentando-a, e os acionistas convidados sobre ela eram claros como o dia. Você não conseguia ver seus rostos, mas você tinha a essência do que estava acontecendo muito bem. E o som, depois que eu tinha escorregado o telefone celular em meu sutiã para escondê-lo? Ainda cristalino. Ei, Stark: Você pode me ouvir agora? "Você," Robert Stark se enfureceu, girando o rosto para mim como a gravação dele - reconhecidamente a voz profunda de Robert Stark - foi dizendo, Eles vão viver suas próprias vidas, só com novos

corpos… E vai valer a pena, não ter que acordar todas as manhãs com as articulações rangentes, ter que tomar nove tipos diferentes de medicamentos para o coração - acredite, vai valer a pena cada centavo para eles… Eu tropecei um passo para trás. Ele me olhou com raiva o suficiente para me levantar e jogar meu corpo para fora de uma das janelas de vidro que estavam à nossa volta, como num dos filmes de Die Hard. Eu totalmente não teria dito por ele. Eu não fui a única que notou isso, também. Christopher passou na minha frente, colocando-se como um escudo humano entre mim e o bilionário que queria me matar. Se isso não era amor, eu não sei o que é. "Você," Robert Stark rosnou de novo, ignorando completamente Christopher. "Você fez isso! Eu destruí o telefone! Como isso é possível?" Na tela da televisão, nossas vozes continuaram – a sua e a minha, com uma transcrição fornecida para o espectador, no caso de alguém não conseguir entender o que estávamos dizendo sobre a fita. "Você vai ser pego. É assassinato. Você não pode manter isso em


segredo para sempre." Eu realmente soei dessa maneira? Não. Claro que não. Mas Nikki sim. "Eu consegui até agora. Quanto tempo você acha que nós temos

feito isso, afinal? Estamos fazendo isso há anos. Anos. Com essa nova tecnologia, conseguimos oferecer aos nossos clientes uma forma de seleção mais diversificada e exclusiva de produtos através de uma gama mais ampla, fazendo ainda um incremento em nossa margem de lucro." Lucro novamente. Isso é tudo que era sobre Robert Stark. E isso é o que estava prestes destruí-lo. "Você destruiu o meu iPhone," eu disse a Robert Stark, na voz mais firme que eu poderia fazer, falando por cima dos ombros largos de Christopher. "Mas você não achou o meu celular da marca Stark." "O que você estava na escuta durante todo este tempo," acrescentou Christopher. "Todos os filmes e áudios que estavam em cima de sua própria estrutura principal. Acabamos transferido-os para a CNN. Wolf Blitzer tem tudo agora. E depois disto, o mundo." Robert Stark olhou para nós como se tivéssemos acabado de lhe contar que Mariah Carey era realmente um homem. "Stark!" um dos acionistas com o rosto vermelho gritou. "Você nos disse que isso jamais iria vazar! Você jurou!" "- dois hackers adolescentes da cidade de Nova York, que descobriram que o novo Stark Quark realmente contêm spyware que permite que o gigante corporativo carregue todos os dados dos usuários para suas estruturas principais," Wolf Blitzer continuou, "nos enviaram esta gravação de Robert Stark e da supermodelo Nikki Howard em um leilão do Projeto Fênix esta noite…" Os acionistas Stark, eu percebi, de repente começaram a virar suas cabeças para as portas do Sky Bar, com expressões de pânico. Mas ia ser difícil para eles saírem. Porque então as portas foram abertas, e dezenas dos melhores de Nova York, em seus uniformes azuis escuro, começaram a fluir, seus emblemas de ouro reluzentes sob as luzes da discoteca. "Todo mundo fica onde está," disse um deles, utilizando um megafone para ser ouvido sobre a cacofonia repentina de foliões chocados. "Ninguém vai a lugar nenhum." "Eu preciso do meu remédio para pressão sangüínea," o marido da senhora com os brilhos na parte inferior da saia gritou. "Nós vamos ter certeza que nós temos para você," um policial lhe


assegurou, "dentro da Ilha Rikers." "Isso está realmente acontecendo?" Nikki veio me perguntar. "Eu acho que sim," eu disse, sentindo-me atordoada como ela se sentia. Do outro lado do bar, Brandon, finalmente percebendo que este era o seu grande momento, apressou-se a enfrentar os fotógrafos que tinham tirado as fotos publicitárias de mim e seu pai mais cedo. "À luz das recentes descobertas sobre o meu pai," disse ele, de repente soando como se não tivesse uma única coisa para beber a noite toda, "com quem a minha relação sempre foi conturbada, eu gostaria apenas de dizer que vou assumir as operações do dia-a-dia da Stark Enterprises para o futuro previsível, e que vou dar meu melhor para fazer da Stark uma empresa mais verde, mais amiga da terra. Eu, com certeza, vou pensar nos trabalhadores, que por tanto tempo têm trabalhado sem um sindicato ou cuidados de saúde adequados. Eu vou estar trabalhando para corrigir isso, assim como a impressão que Stark pode ter deixado não se preocupando com o pequeno empresário –" Mas nenhum dos repórteres estava ouvindo. Eles só estavam interessados no que estava acontecendo no centro da sala. "Robert Stark?" perguntou o capitão da polícia, caminhando até o pai de Brandon e mostrando a ele seu crachá. "Nós gostaríamos de lhe fazer algumas perguntas, se você não se importa." "Não sem meu advogado," Robert Stark se eriçou. "Eu não sonharia com isso," disse o capitão da polícia educadamente. Foi quando ele algemou Robert Stark e o levaram.


Vinte e dois Meses depois de tudo. E mesmo assim, eu não conseguia ir a qualquer lugar sem que tivesse alguém querendo enfiar um microfone na minha cara para me perguntar sobre isso. Eu não estava autorizada a discuti-lo, embora, por causa do testemunho que eu estava programada para dar novamente sobre Robert Stark - e todos os acionistas Stark que tinha ido no leilão do Projeto Fênix, e Dr. Holcombe, e sim , Dr. Higgins, também - no Tribunal do Júri. Eu não era a única testemunha, é claro. Por causa do que tínhamos feito, Dr. Fong pode sair da clandestinidade e dizer o que sabia sobre os acontecimentos no Instituto Stark para Neurologia e Neurocirurgia, também, em troca de imunidade. Algumas das cirurgias, afirmou ele, tinha sido medicamente necessárias para salvar a vida do paciente, e completamente honestas. Mas um monte delas… Bem, vamos dizer, nem tanto. As famílias de alguns dos "corpos doadores" se apresentaram para depor também. Segundo os peritos legais que eu vi ocasionalmente no noticiário, não era algo que Robert Stark ia ser capaz tirar do seu caminho. Ele teve várias acusações de homicídio, tentativa de homicídio e, no caso de Nikki, agressão com arma mortal (bisturi). Robert Stark, outrora foi um dos homens mais poderosos do mundo, mas agora estava indo viajar por um longo tempo. Um longo, longo tempo. Dr. Fong não era o único que estava a salvo agora. Nikki, Steven, e Sra. Howard estavam a salvo, também, por causa do que tinha feito, e foram capazes de voltar para suas vidas normais. Exceto, é claro, que para alguns deles, isso não era tão simples. Sra. Howard estava animado e ansioso para voltar a Gasper e seu negócio de adestramento para cachorro. Fiquei triste ao vê-la ir. Eu realmente estava começando a pensar nela como uma segunda mãe. Mas Gasper era o lugar que ela conhecia e amava, e onde todos os seus melhores amigos estavam. E Harry e Winston não gostavam de


ser enfiado em minúsculos apartamentos de Nova York. Eles sentiam falta de ter um quintal para brincar. Eu fui com ela ao aeroporto e dei um abraço de adeus. Foi triste, mas era melhor para todos ao redor, especialmente para Sra. Howard. Muito união com sua filha tinha lhe dado suas enxaquecas crônicas, e talvez tenha sido demais para qualquer um aturar, a longo prazo … … incluindo Steven, desde que ele voltou para sua unidade naval. Ele meio que tinha que fazer. Eu acho que tinha algo a ver com o fato de que ele se inscreveu para este submarino e não se pode exatamente só sair, especialmente agora que ele havia encontrado sua mãe e irmã, que foi a única razão que ele saísse em primeiro lugar. Lulu estava devastada. Eu tive que pedir uma banana split todo dia por uma semana antes de ela começar a olhar para o lado positivo. "Pelo menos", ressaltou, "ele não pode me enganar. Não há nenhuma menina em seu submarino." Entretanto, ela diz que vai realmente e verdadeiramente terminar seu álbum. Ela já terminou uma música com base em sua (diária) troca de e-mails chamada: "Amor quente Embaixo (do Mar)". Eu não sei. Eu acho que ela tem potencial real. Eu não sou a única. Ela foi a primeira a assinar contrato com a Stark sob a nova direção de Brandon como CEO. Ele não tem realmente feito um trabalho ruim em estar no comando, agora que seu pai está na cadeia (sem direito a fiança). É claro, Brandon tem um monte de pessoas talentosas para ajudá-lo (não menos do que Rebecca, de quem ele pareceu tornar-se inseparável. Na verdade, ela abandonou o agenciamento. Mas tudo bem. Realmente, tudo bem. Gosto de acordar e encontrar só as pessoas que convidei no meu quarto). Uma das primeiras coisas que Brandon fez ao assumir a Stark Enterprises foi contratar Felix e Christopher para fazer um software de graça para todas as pessoas que compraram os Stark Quarks e colocar para download, para que eles pudessem corrigir o maldito pequeno problema do spyware. Esta foi uma jogada estratégica muito melhor do que recordar todos os PCs (que era o que muita gente aconselhou-o a fazer), e era um longo caminho para melhorar a confiança dos consumidores Stark, após tudo o que seu pai tinha feito para a ruína da empresa. Por causa da privação e de toda a publicidade que o caso está começando, os Stark Quarks são realmente os PCs mais vendidos de todos os tempos.


Que só serve para mostrar: Não há tal coisa como má publicidade. Felix e Christopher fizeram um trabalho tão bom com a solução de remendar tão rapidamente (o software) (para não mencionar derrubar o pai como CEO) que Brandon contratou-os como chefes de departamento de TI (Tecnologia da Informação) Stark, pois quem estava correndo se antes chupou tão mal, um casal dos adolescentes poderia invadir a estrutura principal e basicamente correr desenfreados através de sua rede inteira. Agora os firewalls Stark são impenetráveis, os seus códigos de encriptação inquebráveis, e seu departamento de IT têm um almoço de duas horas todos os dias para que eles possam ter maratonas de Journeyquest. E Felix, que teve sua tornozeleira removida há algumas semanas, começou a tomar banho e vestir um terno para trabalhar. Ele realmente parece quase apresentável… E por causa do recém implementado seminário de formação de assédio sexual Stark (obrigatório para todos os administradores pessoais - sugestão de Christopher), Felix pode realmente falar com as mulheres sem fazer insinuações indecentes e ofensivas. O que ainda não faz tudo bem ele pedir a minha irmã, Frida, para ir ao baile de formatura escolar. "Não é um como um baile real," Frida disse quando eu fiz um grande acordo sobre isso enquanto estávamos no shopping Betsey Johnson no outro dia. Ela estava realmente pensando em conseguir alguma coisa lá para vestir para o baile com Felix como high-tops (daí a parte "não como um baile real". Se fosse um "baile real," ela disse, ela teria usado saltos). "Nós não vamos sair, nem nada." "Mas ainda é um baile," eu disse. "Ele ainda é Felix. Ele vai tentar te beijar. Provavelmente pior." "E isso é uma coisa ruim… como?" Frida respondeu. "Você ia deixar Felix te beijar." Eu não conseguia acreditar que aquilo estava acontecendo. "O primo de Christopher?" "Você deixa Christopher beijar você," Frida destacou, folheando um cabideiro de off-the-shoulder com grandes saias fofas. Roupa totalmente de baile de formatura. "Todo o tempo, eu poderia acrescentar. Eu quase nunca vejo vocês dois, quando não estão se beijando. Incluindo na escola. O que não é muito nojento." "Isso é diferente," eu disse ofensivamente. E assim foi. Christopher e eu nos conhecemos durante nossa vida inteira, praticamente. Nós fomos feitos um para o outro. Nós


terminamos a frase um do outro. Claro, nós ainda brigávamos às vezes. Mas duas pessoas teimosas profundamente apaixonadas não brigam de vez em quando? Especialmente duas pessoas que tinham sido amigos por muito tempo antes de se apaixonarem. Nós nos conhecíamos tão bem, poderíamos dizer o que o outro estava pensando metade do tempo. Como no outro dia, em Discurso em Público, quando Whitney Robertson cutucou-me nas costas antes da aula sequer começar e se inclinou para perguntar, "Hey. É verdade, o boato que ouvi… que você fez um desses transplantes de cérebro que eles estão falando nas notícias o tempo todo, e você é realmente… um, Em Watts?" Ela disse meu nome como se fosse um palavrão. Além disso, eu poderia dizer que não havia nenhuma maneira dela acreditar que isso era verdade. Como poderia eu, Nikki Howard, macia, criatura cisne, sempre estar associada a alguém tão odiosa como a horrível, jeito – de – hobbit, Emerson Watts? Foi Christopher que se inclinou para frente em sua cadeira e disse a Whitney, com evidente prazer, "Você quer saber, Whitney? Isso é verdade. E porque você sempre foi tão má com ela quando ela era Em, você jogou fora muito bem qualquer chance que você tinha de conhecer Heidi Klum e Seal (modelo e músico, respectivamente), em algum desfile de outono. Certo, Em?" Whitney e sua pequena comparsa, Lindsey, ambas tinham transformado o seu horror em olhares de culpa atingidos para mim. Você não tem que ser um leitor de mentes para ver o que eles estavam pensando: Por favor, diga que o que ele disse não é

verdade. Por favor! Pensei em tirá-las de seus tormentos. Mas a outra coisa que tinha acontecido com tudo isso (além do fim à campanha de Robert Stark e o mais novo comercial de vendas, para vender corpos quentes de jovens aos seus velhos amigos, para que eles possam ser quentes e jovens outra vez) era o fim de todas as mentiras. "Ele está certo," eu disse, com um encolher de ombros. "Eu sou realmente Em Watts. Eu só uso Nikki Howard como o meu nome de modelagem agora. E eu realmente não estou interessada em ser melhor amiga de vocês. A menos, é claro, que você pare de cravar a bola de vôlei na cabeça das outras garotas de propósito. E torturálas sobre o tamanho de suas bundas no corredor. Você se lembra quando você costumava fazer isso comigo, não lembra, Whitney?" Agora os olhos de Whitney ficaram do tamanho de uma moeda.


"M–Mas," ela gaguejou, "Eu – Eu estava apenas brincando." "Huh," eu disse. "Você notou como eu não estava rindo então? Não faz mal, você sabe, Whitney, ser gentil com as pessoas, não importa como elas sejam. Especialmente porque, nestes dias? Você nunca sabe o que vai voltar a revelar-se mais tarde." "Eu…" Whitney piscou. "Eu sinto muito." "Sim," eu disse. Eu acreditava que ela estava arrependida. Agora. "Eu aposto que sim." A melhor coisa sobre todo mundo ficar sabendo quem eu era – quem eu realmente era – era que as minhas notas antigas foram combinadas nas novas e subiram a minha média um pouco. De repente, eu deixei de ser uma aluna medíocre para uma acima da média. Não diretamente com As, de qualquer forma, como eu costumava ser. Mas, considerando o que eu tinha passado, e quantas aulas eu perdi, ainda era um alívio. Com trabalho duro, eu consegui manter minha cabeça acima da água… trabalho duro, e a carreira de Nikki com habilidades em administração. Porque Nikki, outra testemunha no julgamento de Robert Stark no júri, decidiu não voltar para Gasper, mas ficar em New York… como minha nova agente e gerente. Bem, por que não? Ela sabe tudo sobre o negócio de modelos especialmente no que concerne a Nikki Howard – e obviamente tem um tino para os negócios (exceto quando se trata de chantagear as pessoas, que ela jura pela Clairol Lady Midnight Sky (tinta de cabelo) que ela usa para manter seu cabelo tão escuro que ela não vai fazer mais). Ela acabou de levar a sério sobre a escola de negócios. Ela seguiu o conselho de sua mãe e se matriculou nas aulas e já está fazendo seus professores miseráveis. Hey. Ninguém pode dizer que Nikki Howard não é mandona e não sabe como conseguir o que quer… especialmente com seus clientes (dos quais, até agora, eu sou a única. Mas ela está trabalhando nisso). Fazia sentido dar a Nikki uma parte do que eu ganho, de qualquer maneira, já que minha carreira foi ela que começou. Nós combinamos por fora que ela tem uma percentagem de todos os meus lucros futuros, além de tudo o que estava nas contas que eu encontrei quando tinha sido declarada "legalmente" Nikki Howard. E desde que, imediatamente após a reforma que Lulu deu a ela,


Nikki recuperou o fator enérgico com os homens, ela perdeu todo o interesse em trocar cérebros (não que teríamos podido fazer isso, mesmo que quiséssemos: Houve uma proibição total da cirurgia, exceto em caso de acidentes com risco de vida). Eu não sei o quanto isso tinha a ver com o fato de que Nikki parecia ficar realmente bem em ser a Gótica "Princesa Diana", o nome da personagem que ela deu para seu novo corpo, e quanto tinha a ver com Gabriel Luna estar presente… bem, dentro dela. Mas eu sei que ela não tinha qualquer interesse em vender o loft. Ela é perfeitamente feliz onde está, morando no apartamento de Gabriel, fazendo a cabeça de Gabriel para tomar todo o espaço do armário dele e insultando seus colegas de banda… …e ele, por sua vez, está mais criativo do que era, depois de ter escrito três novos álbuns de canções – todas sobre a mesma garota maluca que vive com ele – em quatro meses. Em vez disso, estou pagando aluguel para Nikki, o mesmo que Lulu. Minha situação de vida foi a fonte de altas discussões com meus pais, que assumiram que eu me mudaria de volta pra casa já que minha verdadeira identidade foi revelada. Mas para mim, de um jeito estranho, o loft era meu lar agora. Como eu poderia deixar Lulu, que não tinha outra família alem de mim e Steven, que ainda estava longe no mar? "Talvez quando ele voltar," eu expliquei para mamãe e papai, depois da pizza, na casa deles em uma noite de pizza que eu agora poderia apreciar sem preocupação de que alguém estava me espiando. "E ele e Lulu vão se casar algum dia…" Frida bufou. "Certo". "O que isso significa?" eu perguntei "Você não vai voltar, mesmo se Lulu se casar. Você gosta de morar naquele loft," Frida disse acusadoramente. "Encarem isso, mamãe e papai. Ela só quer ficar lá porque ela pode ter Christo-" "Isso não é verdade!” eu interrompi, embora isso fosse, claro, parcialmente verdade. "E isso não quer dizer que eu ame vocês menos. É só que eu ainda tenho uma agenda muito ocupada, a qual com trabalho e escola e-" "Oh, por favor," Frida bufou. "Ela estava acostumada a estar em seu próprio espaço," mamãe disse muito diplomaticamente, "E ela quer manter isso dessa forma. Nós entendemos." Papai não parecia ter entendido exatamente, mas ele não disse


nada. Ele claramente sentiu que aquilo era superado pelas mulheres nesse caso, como muitas vezes aconteceu em nossa casa. "Eu não me importo", Frida disse, encolhendo os ombros. "Enquanto eu receber convites para suas festas de vez em quando…" "Feito", disse eu. Como eu disse, Frida recentemente tinha realmente começado a amadurecer. "…e poder trazer Félix". "Oh, meu Deus, não! Você está falando sério?" "Felix salvou minha vida", disse Frida truculenta. "E a sua. Como você pode dizer isso sobre ele?" "Ele não salvou sua vida", disse. "Eu salvei. Felix e Christopher ajudaram. Um pouco." "Isso não é verdade. Eles eram tão importantes quanto você. Ele me contou tudo sobre isto-" "Meninas", disse a mãe. "Por favor. Ambas são inteligentes, vibrantes, e belas garotas com maravilhosos, talentosos, e bonitos namorados. Por favor, parem de brigar e lavem os pratos para que o seu pai e eu possamos ter algum tempo sozinhos." Tempo a sós é importante se você quiser construir um forte relacionamento romântico. Christopher e eu tentamos agarrar o máximo que pudermos desse tempo. Especialmente no Balthazar, que é um dos nossos restaurantes favoritos para ir jantar juntos também… … com um aperitivo e sobremesa, apesar das afirmações de Lulu que os meninos do ensino médio não pode arcar com suas namoradas lá (eles podem, se eles trabalham tempo parcial no departamento de TI de uma grande corporação. E se a sua namorada insiste que ela pague uma vez em algum tempo, porque eu trabalho também, e é justo a menina a pagar às vezes. Eu não sei de onde essa idéia arcaica veio de que o garoto sempre tem que pagar). Foi no Balthazar outra noite que eu estava sentada em frente a Christopher, felizmente cortando um pedaço de alface e queijo de cabra, quando uma menina veio até nossa mesa, segurando uma caneta e um pedaço de papel. "Desculpe-me," ela disse a mim timidamente. "Mas você é Nikki Howard?" Eu olhei para ela, surpresa. Ela não poderia ter mais do que sete ou oito anos de idade. Eu vi seus pais sentados em uma mesa vizinha, sorrindo para ela encorajadoramente. A verdade é que eu não sabia o que dizer. Eu era Howard Nikki…


mais ou menos. Só que eu também não era, não mais. Mas a expressão da menina era um tal de esperança… ela estava em Nova York para a noite, toda arrumada (provavelmente ela estava indo para um musical da Broadway mais tarde). E aqui ela estava em um restaurante chique, e ela tinha visto uma celebridade. O que eu ia fazer? Dizer, não, menina. Na verdade, sou

Em Watts. "Sim", eu disse. "Eu sou." Seu rosto explodiu em um sorriso encantado. Estava lhe faltando dois dentes da frente. "Posso ter o seu autógrafo?" ela perguntou, empurrando a caneta e seu papel para mim. "Claro," eu disse, lançando um olhar para Christopher, que apenas sorriu e continuou comendo sua salada. "Qual é o seu nome?" "Emily,” a menina disse. Me contive a dizer: Em é meu nome, também, e escrevi Os melhores cumprimentos, Emily, com amor, Nikki Howard em seu pedaço de papel, e entreguei a caneta e papel de volta para ela. "Aqui está," Eu disse. "Tenha uma boa noite." "Oh, muito obrigado", disse ela, e correu de volta para sua mesa e para seus pais, olhando felicíssima. "Isso foi legal da sua parte," disse Christopher, logo quando ela foi embora. "O que eu poderia fazer?" eu perguntei. "Bate-lá no rosto?" "Dizer a ela que você é Nikki Howard, eu quero dizer," disse ele. "Eu sou Nikki Howard," eu disse. "Enquanto eu estiver presa a esse rosto, eu sempre serei Nikki Howard." "Sim," disse Christopher. "Mas isso não é uma merda, não é? Quer dizer, ser Nikki Howard tem suas vantagens." "Verdade," eu disse, sorrindo. "Mas isso tem suas desvantagens também. Como você deve ter percebido, uma vez que a real Nikki Howard não quer ser Nikki Howard mais." "Bem", disse Christopher. "Talvez isso irá fazer você se sentir melhor sobre isso." E ele enfiou a mão no bolso da jaqueta e tirou uma caixa de veludo retangular, que deslizou sobre a mesa para mim. "O que é isso?" eu perguntei, surpresa, já que não éramos exatamente o tipo de casal que chove presente um ao outro. Temos sorte de ter tudo o que eu já queríamos… que era um ao outro. "Abra e veja," disse ele, com um brilho malicioso nos seus olhos


azuis. Eu ampliei meus olhos para ele com um espanto simulado, em seguida, abri a caixa… …e meu espanto tornou-se uma coisa real. Porque ali dentro, em um colar fino, estava um pingente de platina em forma de coração, rodeado de pequenos diamantes, em que as palavras Em Watts tinha sido escritas em letra cursiva e elegante. "Eu pensei que se você usar isso, não importa o rosto que você vê todas as manhãs no espelho," disse ele em sua voz profunda, "você nunca vai esquecer quem você realmente é." Meus olhos se encheram de lágrimas, enquanto eu segurava minhas mãos em cima da mesa. Ele agarrou meus dedos, o era aperto forte e reconfortante. "Como se eu pudesse," eu disse, minha voz cheia de emoção, "com você por perto para me lembrar." FIM


Meg cabot 03 fugitiva