Page 1

PORTFOLIO VANESSA SOSNIERZ ARQUITETURA 2016


SUMÁRIO Espaço Carybé das Artes Casa Zory Espaço da Música Exposição de Brinquedos Praças Candeal


Vanessa Sosnierz Kuo

Brasileira, 27 anos Palmeiras, Campinas – SP Cel: +55 (19) 9 8259-4142 +55 (71) 9 9300-1188 Email: vanessasosnierz@gmail.com

OBJETIVO SOFTWARES Trabalhar no campo da Arquitetura desenvolvendo projetos arquitetônicos, cenográficos, paisagísticos e urbanísticos e design paramétrico 3D.

FORMAÇÃO ACADÊMICA Arquitetura e Urbanismo - Universidade Federal da Bahia (UFBA) – 2015

LÍNGUAS Inglês – Nível Avançado Espanhol – Nível Básico Chinês – Nível Básico

Revit Architecture AutoCad 2D Photoshop Indesign Illustrator PhotoModeler SketchUp Rhinoceros Grasshopper Office Lumion

●●●●○ ●●●●● ●●●○○ ●●●●○ ●●●○○ ●●●●● ●●●●● ●●●○○ ●●○○○ ●●●●● ●●●●●

OLÁ! ESTE É O MEU PORTFÓLIO! Sou Vanessa Sosnierz, graduada em Arquitetura e Urbanismo na UFBA. Sou uma pessoa determinada que gosta de aprender, trabalhar e expandir conhecimentos em diferentes ambientes e culturas.

Este portfólio é uma compilação de diferentes projetos arquitetônicos e de design realizados no curso de graduação, com parceiros profissionais e projetos independentes. O intuito do trabalho é mostrar as habilidades em projeto e modelagem 3D.


EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL EXPERIÊNCIA ADICIONAL Blade Criativa – 2013/2016. Cargo: Estagiária. Atividades: Projetos de Arquitetura e cenografia, detalhamentos de mobiliário e peças, acompanhamento de obras, criação e programação de design paramétrico, modelagem 3D. Minho Bittencourt Arquitetos, M&B ARQUITETOS – 2012/2013. Cargo: Estagiária. Atividades: Projetos arquitetônicos e de interiores, detalhamentos de mobiliário, decoração, modelagem 3D utilizando ferramentas BIM.

2012: Monitora das disciplinas Desenho de Observação e Oficina de Projeto 02 - UFBA. 2011: Professora do curso de extensão Uso do SketchUp para Modelagem Geométrica Arquitetônica - UFBA. 2010: Apresentação no congresso nacional Arq.Doc - Documentação do trabalho Levantamento Fotogramétrico de Edificações: Principais Limitações Encontradas na Modelagem Geométrica da Igreja do Monte em Cachoeira - Bahia, Brasil.

FORMAÇÃO COMPLEMENTAR Curso de Arquitetura Sustentável - Referencial GBC Brasil Casa - Green Building Council Brasil, São Paulo - 2016 Workshop Parameterizing is Mass Customization - Grasshopper 3D - Garagem FAB LAB, São Paulo - 2014.

Mário Vitor Bastos Arquitetura – 2011/2012. Cargo: Estagiária. Curso de língua e cultura chinesa - Overseas Compatriot Affairs Atividades: Modelagem 3D, acompanhamento de pro- Comission - National Taiwan Normal University - Taipei, Taiwan jetos de arquitetura. - 2013. Workshop de Renovação Urbanística e Desenvolvimento

PROJETOS DE PESQUISA Sustentável - Urban Renewal and Sustainable Delevopment -

Universidade Federal da Bahia – Università degli Studi di Pavia - Pavia, Itália - 2011. Iniciação Científica – 2009/2011. Cargo: Bolsista de graduação. Curso de Extensão Universitária em Photomodeler Scanner DSM - UFBA, Salvador - 2010. Projeto: Documentação do Patrimônio Arquitetônico através de Tecnologias Digitais. Curso Construção de panoramas Fotográficos - UFBA, SalvaTema (2010): Integração da Fotogrametria Digital com dor - 2010. Tecnologias BIM. Tema (2011): Geração de Produtos Fotogramétricos para Workshop Basics of Photogrammetry - UFBA, Salvador - 2009. Heritage Information System. Curso de Desenho de Observação com Isa Moniz - Museu de Atividades: Pesquisa, levantamento de dados, produção de Arte Moderna, Salvador - 2007. artigos científicos. Orientador: Arivaldo Leão de Amorim


ESPAÇO CARYBÉ DE ARTE 2016 SALVADOR BAHIA


ESPAÇO CARYBÉ DE ARTE O PROJETO 2016 SALVADOR BAHIA

3 2 4 1 6 7

5

8 1 - Área Externa 2 - Café e Loja 3 - Painel Fulaninho 4 - Acesso Elevador

5 - Acesso Escada 6 - Entrada Exposição 7 - Sala de Exposição 8 - Mirante

Forte São Diogo

Igreja Santo Antônio da Barra

Farol de Santo Antônio Forte São Diogo Forte de Santa Maria

ACE PRIN SSO CIP AL

Instalado no Forte São Diogo, em Salvador - BA, o Espaço Carybé de Artes disponibiliza parte do acervo do artista plástico argentino naturalizado brasileiro.. O projeto arquitetônico cenográfico foi realizado em parceria com a Blade Criativa e teve como objetivo criar um ambiente moderno, tecnológico e interativo com os visitantes, trazendo a revitalização da arquitetura histórica e transformando em ponto turísco e de lazer para a cidade soteropolitana. O Forte São Diogo foi reformado para receber a exposição permanente e sua inauguração foi contemplada no início de maio de 2016 com a presença de autoridades locais.


1

3 8

6 2

5

4

No Forte São Diogo, o visitante pode conhecer o estúdio e a casa de Carybé por meio de uma visita virtual, a partir de um óculos de realidade virtual, que projeta as imagens. Dá para saber um pouco mais de cada obra, e circular por diversos ambientes.No Forte São Diogo, o visitante pode conhecer o estúdio e a casa de Carybé por meio de uma visita virtual, a partir de um óculos de realidade virtual, que projeta as imagens. Dá para saber um pouco mais de cada obra, e circular por diversos ambientes.

7

1 - Entrada Exposição 2 - Exposição Exército 3 - Parede com projeções das pinturas do artista 4 - Espaço Kinect 5 - Totens para exposição de conteúdo 6 - Cadeiras com óculos 3D 7 - Cavalete com Kinect 8 - Saída

Espaço Kinect

5 7

4

2


Detalhamento dos Totens


EQUIPAMENTOS O conceito de trazer interatividade entre as obras de Carybé e os visitantes do espaço veio por meio de soluções tecnológicas e de efeitos visuais como video mapping. O Forte São Diogo se tornou uma grande tela onde as pinturas se movimentam e encantam como uma exposição pública para os transeuntes. No salão interno o video mapping também foi explorado assim como outros equipamentos de imersão de realidade.

TOTENS Feitos de madeira, comportam um computador e uma tela touch screen de 22’’ para passar o conteúdo da exposição. Possui aberturas dos lados para dar acesso ao equipamento interno e furos para a passagem de ar constante. Foi idealizado em dois tamanhos para também contemplar a acessibilidade de cadeirantes e crianças.


Detalhamento da Mesa Cavalete


Detalhamento do Protetor dos Projetores PROTETOR DOS PROJETORES Os projetores externos estão à mercê das intempéries. Para evitar a danificação dos aparelhos, foi construído uma estrutura de proteção sem obstruir a passagem de ar, mantendo a refrigeração através de um cooler e aberturas no topo. MESA CAVALETE A mesa cavalete traz um pouco do ambiente de trabalho de Carybé. Um televisor de 45’’ foi conectado em um kinect para captar os movimentos das mãos do visitante segurando um pincel como se estivesse pintando a imagem de um dos quadros do artista. Acima da mesa foram colocados alguns pincéis e tintas para dar mais realismo ao equipamento.


CASA ZORY 2015 PIATÃ BAHIA


CASA ZORY 2015 PIATÃ BAHIA O PROJETO O projeto da residência da família Zory fica localizada na Chapada Diamantina na cidade de Piatã - BA. O projeto arquitetônico foi realizado pelo arquiteto Claudio Lisias. O trabalho realizado no projeto foi a modelagem tridimensional da parte externa da residência, produção de imagens e vídeo. A principal demanda estava focada no realismo das cenas e leveza nos materiais.


ESPAÇO DA MÚSICA 2016 SALVADOR BAHIA


ESPAÇO DA MÚSICA 2016 SALVADOR BAHIA

O PROJETO Este trabalho, desenvolvido como Trabalho Final de Graduação da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal da Bahia (UFBA), tem como escopo a elaboração de um espaço de encontro de músicos profissionais, amadores, professores, alunos e apreciadores da música, com a infra-estrutura necessária para integrações, treinos, apresentações, aulas, lazer e intercâmbio cultural e intelectual. A música tem presença marcante na cultura brasileira sobretudo na Bahia, popularmente conhecida como o berço de diversos artistas. Diante da relevância da música tradicional e do incentivo para o surgimento e a valorização de novos artistas, o projeto propõe criar um espaço de referência e de acolhimento a estes profissionais e amantes da música em geral.


O PARTIDO O partido do projeto surgiu a com a de necessidade de ampliar a área do terreno escolhido para a criação de um espaço público para a vizinhança. As fachadas das edificações ao longo da Av. Cardeal da Silva compõem um corredor com barreiras físicas e visuais criando uma sensação de ambiente hostil agravado pelo fluxo dos carros muito próximo aos pedestres. Desta forma foi adotada a apropriação da área de duas residências adjacentes ao terreno baldio com a intençã o de aumentar o perímetro do projeto para criar uma praça pública e divisão do terreno em metade para a construção do edifício e espaço público.

1 – Dimensão original do terreno baldio escolhido 2 – Ampliação do perímetro do terreno com a apropriação de duas residências adjacentes 3 – Criação dos eixos de circulação e definição da implantação do edifício no lado direito e deixar o vão livre no lado esquerdo.

Imagem indicando os desbloqueios visuais da paisagem proporcionados pela implantação do edifício e ampliação do terreno inicial.

A partir dessa divisão horizontal entre área pública e privada, também houve a separação dos usos de forma vertical. As salas de ensaio e estúdios contém equipamentos caros, então há a necessidade do controle de acesso dos usuários mediante cadastro e identificação eletrônica. A biblioteca e videoteca ficam mais reservadas e por isso se enquadram em caráter semi-público. Os pavimentos que contém o auditório, memorial, galeria, café e livraria são de uso público em geral.


IMPLANTAĂ‡ĂƒO Trabalhar a implantação num terreno tĂŁo Ă­ngreme foi desafiador, principalmente para solucionar os acessos. A Av Cardeal da Silva ĂŠ uma ladeira e a diferença de nĂ­vel do ponto mais baixo ao ponto mais alto da testada ĂŠ de aproximadamente 4 m. Inicialmente o acesso do estacionamento foi colocado na cota mais baixa para nĂŁo precisar de rampas, mas a entrada de veĂ­culos bloquearia a vista da paisagem. Com isso, foi criada uma rampa e o acesso de veĂ­culos no lado direito rente ao limite do terreno deixando o estacionamento no subsolo na cota +25,00. Desta forma, a ocupação do edifĂ­cio ficou dentro dos limites do estacionamento e o restante foi deixado

livre para a criação da praça pública, permitindo o contato direto com o solo. A comunicação da Av Cardeal da Silva com a Rua Conselheiro Luis acontece pelo acesso de pedestres pela praça pública, passando pelo cafÊ/livraria (situado um nível abaixo do estacionamento) na cota +22,00 e utilizando a escada ou elevador para chegar na cota +6,00. A entrada dos usuårios do Espaço da Música Rio Vermelho acontece somente na cota +30,00 pela Av Cardeal da Silva e pelo estacionamento no subsolo. )('(5$d­2

$9&$5'($/'$6,/9$ 5,29(50(/+2 $&(6623Ă’%/,&2





P

$&(6629(Ă‹&8/26











$&(662(',)Ă‹&,2





/$-( ,03(50(Ăˆ9(/





L 









 

/$-( ,03(50(Ăˆ9(/











$ (/ &(6 (9 62 $' 3Ă’ 25 %/ (6 ,&2 &$ '$

P

5,29(50(/+2

P



P

/$-( ,03(50(Ăˆ9(/

L 

L 



/$-( ,03(50(Ăˆ9(/

58 $& 21 6( /+ (,5 23 (' 52 /8 ,6

  P

9$6&2'$*$0$ /8&$,$


1

2

3 4

5

TÉRREO 1 - Acesso de pedestres 2 - Acesso ao estacionamento 3 - Acesso à Praça Pública, Café e Rua Conselheiro Luis 4 - Acesso ao edifício 5 – Acesso externo ao palco e camarins 6 – Escada aberta 7 - Recepção e bilheteria 8 - Escada de incêndio e elevador

9 - Sanitários 10 – Camarins 11 – Auditório 12 – Foyer 13 – Depósito 14 – Palco 15 – Ante sala 16 - Varanda 17 - Nível do estacionamento

6 7

8

9

12

11 10

13

16

14 15

17

PLANTA BAIXA TÉRREO

O acesso principal do edifício Espaço da Música encontra-se no nível térreo na cota +30,00. Ao entrarem, as pessoas visualizam a recepção e bilheteria, os acessos verticais, as entradas para o auditório e o pé direito altíssimo até o último pavimento. À direita tem o acesso ao foyer do auditório e à esquerda ficam os sanitários e os camarins. O Auditório comporta 198 lugares no total contando com o mezanino. O pé direito possui 8m e o palco contém a área de 84 m². Atrás do palco a parede é de vidro para apro- veitar a vista externa da cidade e, de acordo com cada espetáculo, contribui na iluminação e na composição do cenário. Foram colocadas cortinas espessas de veludo para fechar a esquadria quando for necessário. O forro em curvas traz mais distribuição do som para a plateia além de dar uma característica estética mais elegante. Os painéis laterais são estruturados com madeira e revestidos com espuma e tecido. Esses elementos colaboram com a diminuição da reflexão excessiva do sim e evitando o efeito do eco.

Vista interna do Auditório


SETOR PRIVATIVO

MEZANINO 1- Escada aberta 2 – Escada de incêndio e elevador 3 - Sanitårios 4- Entrada do Memorial 5 – Memorial da Música 6 – Espaço de Exposiçþes temporårias 7 – Copa 8 – Mezanino

2

1 7

3 8

[ K 

4

6

[ K 

[ K 

5

BIBLIOTECA

SALAS DE ENSAIO 01

1- Escada aberta 2- Escada de Incêndio e elevador 3 – Sanitårios 4 – Administração 5 – Recepção da biblioteca 6 – Acervo de livros 7 – Acervo Videoteca 8 – Home Theater 9 – à rea de estudo com mesas e computadores 10 – Varanda

2

1

2

1

3

3

4

5

4 5

7

6

7

8

 

10

 

6 9

9

 

8

SALAS DE ENSAIO 02

ESTĂšDIO GRAVAĂ‡ĂƒO 1

4

1

3

5

4

6

5

6

8

6 5

9

3

7

7

8

2

[ K 

2

[ K 

1- Escada aberta 2- Escada de incêndio e elevador 3 – Sanitårios 4 – Restrição de acesso pela catraca e elevação do piso em 0.35 m 5 – Salas orquestra 6 – Salas individuais 7 – Depósito de instrumentos 8 – Salas de aulas teóricas 9 – Varanda

1- Escada aberta 2- Escada de incêndio e elevador 3 – Sanitårios 4 – Restrição de acesso pela catraca e elevação do piso em 0.35 m 5 – Sala de ensaio tamanho grande 6 – Salas de ensaio de diversos tamanhos 7 – Depósito de instrumentos 8 – Salas de aulas teóricas 9 – Varanda

[ K 

10

9

1- Escada aberta 2- Escada de incêndio e elevador 3 – Sanitårios 4 – Restrição de acesso pela catraca e elevação do piso em 0.35 m 5 – Ante Câmaras 6 – Estúdios 7 – Sala de controle 8 – Depósito de instrumentos 9 – Sala de edição 10 – Cobertura lounge


SETOR PÚBLICO ESTACIONAMENTO 1- Rampa de Acesso 2- Portão de Entrada 3 – Espaçamento de 6m entre as vagas 4 – Vagas P.N.E. 5 – Acesso vertical por elevador e escada 6 – Laje do teto rebaixada para dar acesso de pedestres ao edifício 7 – Parapeito de 1 m de altura

1

6 5

5 4 3

4

CAFÉ E LIVRARIA 6

9

7 8

2 



1

3





1- Acesso à praça pública 2- Acesso à Rua Conselheiro Luis 3 – Área das mesas do café 4 – Balcão 5 – Área de apoio aos funcionários 6 – Cozinha 7 – Sanitários 8 – Palco interno para pequenas apresentações 9 – Livraria

2

7

ACESSO RIO VERMELHO 1- Hall de entrada, acesso por escada ou elevador 3 2- 11 vagas à 45º para acompanhar o fluxo da via 3 – Latas de lixo 4 – Jardim e iluminação cênica 5 - Rua Conselheiro Luis

4 2

1

5 Vista interna do Estacionamento

Vista do acesso ao bairro Rio Vermelho

Vistas do café e livraria


FACHADA A fachada Ê composta por elementos metålicos inspiradados no movimento das partículas de ar quando se comportam como onda. As faixas de compressão e refração das molÊculas são representadas pela gradação de furos na chapa metålica. A disposição em zigue zag representam o desenho senoidal das ondas.

+52,00 Estúdio de Gravação +47,00 Salas de Ensaio 02 +42,00 Salas de Ensaio 01 +38,50 Biblioteca +35,00 Mezanino +30,00 Auditório/TÊrreo +25,00 Estacionamento +22,00 CafÊ/Livraria

81,9(56,'$'()('(5$/'$%$+,$)$&8/'$'('($548,7(785$ 75$%$/+2),1$/'(*5$'8$d­2

+6,00 Acesso Rio Vermelho

$/81$ 9$1(66$6261,(5=.82 25,(17$'25$ *5$d$*21',0 352)(6625(6&219,'$'26 /8&,$1$&$/,;72-25*(%285($8*867$92&+$5­2

7)*(63$d2'(0Ă’6,&$ $9&$5'($/'$6,/9$6$/9$'25%$+,$

&257($



$ (6&$/$

CORTE LONGITUDINAL 35 (6&$/$



'$7$

$%5


Praça Pública

Entrada do Edifício


EXPOSIÇÃO DE BRINQUEDOS 2016 SALVADOR BAHIA


EXPOSIÇÃO DE BRINQUEDOS 2016 SALVADOR BAHIA

O PROJETO A Exposição de Brinquedos está localizada na Escola de Coutos - Centro de Educação Cid Passos e o projeto foi realizado em parceria com os artistas Joãozito e Lanussi Pasquale. A exposição trouxe a coleção de brinquedos populares do artista David Glat chamada “Brinquedos que Moram nos Sonhos”. O projeto tem como proposta trazer um ambiente lúdico, divertido e interativo com os visitantes, principalmente para o seu público-alvo, as crianças. Cores diversas e vibrantes foram utilizadas para dar alegria e vivacidade ao ambiente. O espaço foi inaugurado em julho de 2016 e atualmente está em funcionamento.


LEGENDA EQUIPAMENTOS 7

4

5 3

8

6

2 12

9

10

11

1 - Biombo Meia Lua 2 - Árvore 3 - Ferrovia 4 - Estante Colorida 5 - Rodovia 6 - Puffs e Pilotis Coloridos 7 - Carrossel 8 - Casinha de Madeira 9 - Lago 10 - Tapete Água 11 - Barquinho 12 - Casinha Biombo

1

PLANTA BAIXA


CASINHA DE MADEIRA

A casinha de madeira é um brinquedo para crianças até 12 anos e possui dois pavimentos. Aproveitando a estrutura local, ela é apoiada no pilar e na viga disfarçando a presença dos mesmos.

VISTA PAV. TÉRREO VISTA LATERAL ESQUERDA

VISTA FRONTAL

VISTA PAV. SUPERIOR

VISTA LATERAL DIREITA

VISTA POSTERIOR


ÁRVORE

A árvore é composta por doze placas de madeira dispostas radialmente. Os dois discos de sustentação servem de suporte para a exposição de pequenos brinquedos. SUPERIOR

CENTRAL

BASE

VISTA FRONTAL

PLANTA BAIXA PEÇAS

CARROSSEL

VISTA FRONTAL

Feito de tecido e estrutura de madeira, o Carrossel também é expositor de brinquedos. A peça inferior e superios são ligadas por fitas coloridas criando harmonioso efeito visual.

PLANTA BAIXA


Carrossel

Ă rvore


FERROVIA

VISTA LATERAL

VISTA LATERAL

PERSPECTIVA

PLANTA BAIXA

ESTANTE COLORIDA

CORTE

PERSPECTIVA PEÇAS DA ESTANTE PLANTA BAIXA


BARQUINHO

VISTA FRONTAL

VISTA POSTERIOR

PLANTA BAIXA

CORTE A

CASINHA BIOMBO

VISTA LATERAL ESQUERDA

VISTA LATERAL DIREITA

VISTA FRONTAL

VISTA POSTERIOR

PLANTA BAIXA


PRAÇAS CANDEAL 2014 SALVADOR BAHIA


PRAÇAS CANDEAL 2014 SALVADOR BAHIA

O PROJETO A Associação Pracatum, organização da sociedade civil sem fins lucrativos, fundada por Carlinhos Brown em 1994, apresenta, em parceria com Agencia Española de Cooperación Internacional para el Desarrollo e as Associações Lactomia, Defesa e Progresso e 09 de Outubro, a proposta de revitalização das praças do bairro do Candeal.

3

1

2


Praça tecnológica

Praça das Artes

Praça da Entrada

O projeto de revitalização das praças do Candeal tem como foco a intervenção em três localizaçõesno bairro: a Praça Tecnológica (1), a Praça das Artes (2) e a Praça da Entrada (3). Considerando as necessidades dos moradores da comunidade, praça teve propostas adequadas à suas realidades, sempre visando o conforto, a funcionalidade, a cada otimização do espaço e a durabilidade e estética dos equipamentos. Cada praça recebeu uma cobertura que atende as suas necessidades, utilizando formas fluidas para criar volumetrias leves, modernas e orgânicas. Visando a durabilidade e a manutenção das três obras, o material escolhido foi o concreto armado, que permite a criação de formas independentes, estruturalmente, e versáteis. O acabamento será em cimento queimado. Esse projeto pretende desenvolver o sentimento de identidade na comunidade, que passa a valorizar, usufruir e cuidar do espaço ao observar que sua manutenção contribui para uma vida de melhor qualidade.


PRAÇA TECNOLÓGICA Essa praça se desenvolve em torno de um grande tamarineiro, que por sua grandiosidade se tornou referência e símbolo para a comunidade do Candeal. O espaço sob o tamarineiro é frequentemente utilizado como ponto de encontro entre os moradores. Envolvida em um ambiente familiar, o projeto da praça prioriza o espaço dos pedestres, trazendo mais espaço para recreação e descanso para a comunidade. O novo programa inclui equipamentos lúdicos para a realização de exercícios físicos, equipamentos educativos baseados em ciência e tecnologia e uma área contemplativa reservada para leitura.

PLANTA BAIXA

VISTA LATERAL


COBERTURA O partido conceitual do projeto foi inspirado no formato das sementes de tamarindo. A evolução do traçado deuse através das necessidades da praça e dos ajustes de acordo com os limites externos. A modelagem foi gerada a partir de uma malha, sendo criados pilares e cobertura ao meso tempo. Sua estrutura em casca é composta por lâminas esbeltas de concreto armado, levantada por pilares delgados para dar mais leveza ao volume.

Croquis do processo criativo


EQUIPAMENTOS DE LAZER • Otimização da utilização do espaço priorizando o espaço do pedestre; • Espaço para jogos e leitura; • Equip. educativos para crianças sobre ciência e tecnologia;

PAISAGISMO No projeto foram concebidas mais árvores para aumentar a área de sombreamento e melhorar a condição térmica do local.


PRAÇA DA ENTRADA

Esta praça, localizada na entrada do bairro do Candeal pela Cidade Jardim, envolvida por um ambiente residencial marcante, encontra-se em estado de abandono, com infraestrutura precária. O projeto procura explorar o grande potencial que aquele espaço representa, introduzindo equipamentos de uso público que incentivem a convivência e a socialização. A cobertura protege e cria um ambiente agradável, que convida a permanência. Também é previsto um playground, onde as crianças podem brincar com segurança e uma área com equipamentos de ginástica para o uso dos moradores. Como foi observada a necessidade de estacionamento no local, são previstas vagas de carro e motocicletas, além de um bicicletário.

Visualização da Praça da Entrada


4,90

3,07

27,78

2,5 1

14,40

21 ,06

ÁREA COBERTA

PARQUINHO

SOBE 05

1,50

04 03

0 2, 5

02 01

0 2, 5 SOBE

BICICLETÁRIO

0 2, 5 0 2,5 2,50

0 1, 2

4,7 5

PLANTA BAIXA DA PRAÇA DA ENTRADA


COBERTURA A planta da cobertura foi gerada a partir dos eixos estabelecidos pela forma da praรงa. Ela se ergue em uma curvatura elegante, abraรงando a รกrvore preexistente, convidando e acolhendo as pessoas a desfrutar a praรงa.

10,83

11 4,08

9,7 4

,19

2,11

VISTA SUPERIOR

VISTA LATERAL

PLANTA BAIXA


PRAÇA DAS ARTES A Praça das Artes é um espaço importante de lazer para os moradores do Candeal. Sua estrutura em arquibancada permite a realização de eventos e a concentração da população para momentos de integração. Com base nisso, o projeto de intervenção da praça propõe a criação de uma cobertura, acima da área destinada para apresentações, para proporcionar mais sombreamento e conforto na praça. Enquanto não está sendo utilizada para eventos, a praça funciona como um espaço de convivência.

COBERTURA Elevada por pilares lembrando tentáculos, a cobertura literalmente “abraça” o espaço existente, proporcionando um ambiente sombreado e acolhedor. Também serve para abrigar o local de apresentações, além de ser um aparato de suporte para equipamentos de eventos.

EQUIPAMENTOS DE LAZER O projeto propõe alguns equipamentos de lazer como: • Mesas para jogos; • Ganchos metálicos na parte interna da cobertura para apoiar as possíveis decorações em eventos.


PAISAGISMO A praça contará com uma farta arborização, criando-se uma espécie de alameda ao longo da praça. A implantação de árvores trará maior conforto térmico, sombreamento e beleza ao espaço.

MATERIAIS • Cobertura: concreto, cimento queimado e estrutura metálica; • Guarda-corpo: barras metálicas moldadas no local; • Bancos: peças de concreto pré-moldadas.


VANESSA SOSNIERZ Cel: +55 (19) 9 8259-4142 +55 (71) 9 9300-1188 Email: vanessasosnierz@gmail.com

Portfólio de Arquitetura  
Portfólio de Arquitetura  
Advertisement