Page 1


1 - Lua de Sangue - Postado 2 - Lua do Caรงador - Postado 3 - Lua Fria

2


Lua do Caçador - Lua 02 M.J. O'Shea Miles anseia por aventura. Liberdade de sua rotina monótona, mas ele começou a acreditar que talvez a aventura não estivesse escrito em suas estrelas, até que uma noite no final de um encontro faz com que ele se perguntasse se as criaturas que ele criava em suas histórias poderiam ser reais. PC é um lobo. Um Lycan desde o nascimento, ele passou os primeiros vinte e quatro anos de sua vida tentando ser o oposto do que todos esperavam dele. Ele caçava encrenqueiros sobrenaturais, saia com vampiros, e se recusava a se assentar, mesmo com os seus respeitáveis pais e do estupido Conselho Lycan querendo que ele se ajustasse. Numa noite confusa, seu corpo respondeu, transformando-o em sua forma de lobo e arremessando-o nas trevas para salvar um estranho. Puxados juntos por uma força física mais forte do que qualquer um pudesse resistir PC e Miles deviam aprender a viver um com o outro porque a separação, mesmo que por apenas alguns minutos, significava dor extrema. Miles encontrava-se se apaixonando pelo Lycan imprevisível, seus amigos estranhos e suas aventuras noturnas, mas seu amante relutante está determinado a encontrar uma maneira de quebrar o vínculo entre eles.

3


Juntos, eles são atraídos por um mistério que envolve lobisomens, o Conselho Lycan, maus vampiros e muitos seres humanos mortos. Encontrarão a verdade na pior parte da vida de PC e no que poderia ser apenas a caça da vida dele - especialmente, se ele quiser manter Miles vivo.

4


Prólogo Eu devo estar fora da minha mente condenada. Eu cheguei à frente, palmas para cima, o sinal universal da „não violência‟. A criatura era linda, enorme e coberta com pele de gengibre. Ele tinha esses olhos dourados sem piscar que pareciam ver tudo. Caminhei lentamente, cada vez mais perto. Ele não se mexeu. Estranhamente, eu não estava com medo. É aí onde a parte sobre eu estar fora da minha mente condenada entrava. Qualquer pessoa em sã consciência ficaria aterrorizado de um lobo gigante em pé silenciosamente em um beco de Manhattan no meio da noite. Eu só queria tocá-lo...

5


Capítulo 1 Esperando o Hoje Acontecer Eu fui acordado por um zumbido afiado, tão alto que parecia que estava vindo de dentro da minha cabeça, em vez de ser do outro lado da minha cama onde deveria ser. Na cumplicidade com o meu colchão, eu levei minha mão cegamente para a mesa de cabeceira na esperança de encontrar o botão soneca, evasivo sem abrir os olhos. Eu tinha o despertador na mesa e como em algumas vezes antes eu fui bem sucedido e o quarto foi mais uma vez preenchido com silêncio feliz. Eu deitei em minhas costas, mantendo meus olhos bem fechados para que eu não tivesse que olhar para o teto de uma cor cinza doentio do meu apartamento e o crescimento estranho de um bolor negro assustador que eu nunca conseguia me livrar. Depois de alguns minutos suspirei e rolei de volta para olhar o tempo, finalmente admitir que eu tinha que abrir meus olhos para que eu pudesse ver o meu relógio. Ótimo. Oito horas. Muito tarde para voltar a dormir por mais um ciclo de repetição ou dois. Eu tinha que me levantar. Era inevitável. Pelo menos era sexta-feira, certo? Depois de mais alguns momentos de olhar fixamente com os olhos turvos para o meu relógio, decidi que sim, na verdade, era sexta-feira. Não importava, honestamente. Sexta-feira não melhor do que qualquer outro dia. Todas as manhãs eram praticamente o mesmo, todas as tardes, e todas as noites também. Alguns dias foram mais frio do que outros; ultimamente eu estava congelando minha bunda e desejando que eu pudesse sentir o sol da

6


costa oeste. Frio, ensolarado, chovendo, nevando (não podia esperar que mudasse) não muda nada. Gemendo, eu puxei meu cobertor sobre a minha cabeça e apertei os olhos fechados. Eu não queria levantar-me. Qual era o ponto a favor? Não importa qual, seria a mesma rotina insatisfatória que todos os outros dias eram. Finalmente, eu me resignei ao fato de que eu tinha que ir para a aula e cautelosamente eu me arrastei para fora do meu casulo morno confortável. A cama era a única parte do meu apartamento que eu realmente gostava e eu não estava ansioso para pisar no chão frio terrível. Meus pés recuaram quando bateram na madeira gelada e eu me lembrei pela centésima vez que eu precisava conseguir um tapete para o lado da minha cama. Os azulejos no banheiro, eram ainda piores. Idem sobre o tapete. Esfreguei o sono dos meus olhos e me olhei no espelho. O rosto que me cumprimentou estava cansado. Não sono, mas cansado, cansado. Como nada jamais me acordava. Eu não tinha certeza se eu realmente estive acordado na minha vida. Lavei o rosto e escovei os dentes, apenas consciente de atravessar os movimentos, em seguida, me vesti para cair em Manhattan, comi batata frita, vesti uma roupa e um cachecol. Eu ia ficar horas antes de voltar para casa para o meu apartamento. Eu tinha três aulas de Literatura longas e chatas, então eu faria um seminário de escrita criativa antes de ir para o meu turno na livraria onde eu trabalhava. Olhando-me no espelho do corredor antes de sair, eu esperava que alguma coisa tivesse mudado desde o banheiro. Não tinha. Meus olhos eram grandes e marrons, mas mesmo para mim pareciam tristes. E o meu cabelo castanho escuro, que eram enrolados encantadoramente (palavras da minha

7


mãe, não minhas) que estava em San Diego, estavam moles e em linha reta, pendurados devidamente através de meus olhos tristes e melhorando a palidez eterna da minha pele branca já pastosa. Que bagunça. Suspirei. Outro dia, certo? Talvez este fosse o dia em que algo aconteceria. Alguma coisa? Jesus, qualquer coisa seria boa. Nova York foi uma decepção. Obviamente não era tudo o que eu esperava ou o que eu tinha sonhado há anos que seria. Eu só estava aqui há três meses e já pensei, pelo menos, quatro ou cinco vezes a cada dia sobre deixar as minhas aulas e comprar um bilhete para casa. Eu perdi de ir para Califórnia. Eu gostava das praias, a atitude descontraída, ser capaz de caminhar ao redor do meu bairro à noite sem o medo de ser assaltado por quatro dólares no bolso. Mas em San Diego não havia lugar para um escritor. Pelo menos essa foi a minha desculpa para querer deixar todos esses anos. Eu sempre senti que Nova York era o lugar onde eu me tornaria alguém diferente do que eu tinha sido sempre. Então eu me transferi para NYU, aluguei um apartamento de uma vista invisível e pulei em um avião de volta em agosto tentando não ver minha mãe chorar. Eu pensei que talvez em uma nova cidade, a cidade que eu sempre sonhei em viver, as coisas seriam diferentes. Eu poderia ser interessante e criativo, viver uma grande vida emocionante. Sair da casca grossa em que eu tinha sido protegido desde que eu poderia lembrar, pelo menos uma vez. Eu senti profundamente em meus ossos que, logo que eu desembarcasse em Nova York coisas maravilhosas estariam para acontecendo para mim. Eu não podia esperar pela minha nova aventura. Infelizmente eu ainda estava esperando.

8


Eu acho que eu tinha que dar a cidade um pouco de crédito, era emocionante e enorme, havia uma tonelada de bairros interessantes para explorar, muitas pessoas para atender. Talvez tudo seria exatamente como eu imaginei se eu não fosse eu. Mas era eu. Infelizmente. Miles Rowan Hunter foi o mesmo leitor ávido e tranquilo que ele tinha sido em casa, na Califórnia. Nenhuma cidade poderia mudar isso. Às vezes eu me perguntava se alguma coisa podia. Eu não esperava que eu um dia iria viver isso, até que a me vi preso com essa grande mentira de uma mãe. Até agora não tinha acontecido nada. Meus primeiros dias na cidade eu estive esperançoso, olhou em cada esquina esperando que algo novo e interessante acontecesse comigo. Eu mesmo saí e fiz essa tatuagem ridícula (e cara) de uma árvore de Rowan crescendo na minha lateral pegando meu ombro. Eu pensei que a tatuagem me faria mais interessante, um pouco selvagem. Era apenas uma árvore, uma árvore muito grande e permanente, que de alguma forma me fez parecer mais delicado. E não mudou quem eu era em tudo. Não mudou uma única coisa. Não levou muito tempo para desistir do meu sonho de experiências novas e emocionantes. Dentro de semanas, parecia que tudo era o mesmo que tinha sido antes de sair de casa; aula ainda era aula, eu realmente não conhecia ninguém, e eu passava a maior parte das minhas noites nesta pequena livraria cerca de uma milha de distância do meu apartamento que tinha as melhores mochas que eu já provei e acumulava prateleira após prateleira de livros que eu pudesse me perder. Eu

amava

a

aparência

do

lugar. O

piso

era

de

madeira,

encantadoramente com nervuras e envelhecido, com tapetes puídos e

9


banquinhos de couro espalhados. Uma enorme parede, a única que não era coberta por livros foi pintada de um ouro antigo e havia uma lareira de pedra real trabalhada, juro por Deus que subia dois andares acima da parede amarela antiga até um teto abobadado. O enorme espaço vazio poderia parecer austero, mas quando combinado com os pisos, os tapetes, as cadeiras de veludo vermelho, banquetas e mesas empilhadas com quebra-cabeças e revistas, o resultado final era algo como quando eu imaginava uma torre antiga de um excêntrico bruxo. As estantes colocadas maravilhosamente casuais; livros organizados de tal forma, colocados em ordem alfabética com pouca atenção ao gênero em linhas sinuosas estreitas que eu felizmente eu me perdia em uma base diária. Uma escada em caracol de ferro forjado enrolado até o sótão no segundo andar, onde as edições de colecionador de livros e revistas adultas, alguns dos tipos mais exóticos de mangá (yaoi, hentai... Uh, uau), e um deslizamento de terra de livros e mais de quadrinhos do que qualquer adolescente nerd, ou eu, nunca poderia terminar de ler. Havia prateleiras de plástico de best-sellers brilhantes, ou livros de receitas de Martha Stewart exibidos cedo para as férias, apenas um caos mal contido que era caseiro e quente e tudo o que me atraia. No canto frente da loja era um pequeno café que servia as mochas mencionadas anteriormente, grandes doces locais, e um punhado de sanduíches e saladas de frutas, o que quer que Megan descubra que fosse delicioso e interessante. Megan era a barista da casa. Ela era fantástica em fazer café, mas infelizmente parecia estar em um estado constante de TPM. Eu presenciava a desgraça diária dela, geralmente, apenas pela oportunidade

10


de experimentar em um momento feliz quando a mocha quente deslizava sobre minha língua e enchia minha boca com a suavidade complexa de chocolate cobertos com um acabamento de café perfeitamente amargo. Acredite em mim, valia a pena. Pelo menos Ralph, o proprietário da livraria, era bom. Ele sorria para mim e não se importava que eu lesse todos os seus livros e quase nunca comprava um. Eu mal tinha dinheiro para o café quase todos os dias, muito menos dinheiro suficiente para financiar o meu vício voraz por livros. Ralph parecia entender e depois de algumas longas discussões sobre o cartão de Orson Scott e mais bolos e cafés perfeitos que quase nos qualificou como amigos. Em algum momento no meio de setembro, Ralph me ofereceu um emprego. Ele disse que eu provavelmente sabia o conteúdo de suas prateleiras melhor do que ele mesmo e que gostaria de ir para casa e comer o jantar com sua esposa algumas noites por semana, em vez de trabalhar na loja. Ele nunca tinha tido um empregado antes, com exceção de Megan, a menina café. O local não era grande o suficiente ou rentável o suficiente para ter um caixa e alguém para ajudar os clientes. Ele cuidou disso sozinho por anos, mas eu podia ver que não importava o quanto Ralph amava a loja, ele estava ficando cansado. Então eu disse que sim, figurando que desde que eu passava todo o meu tempo lá de qualquer maneira, eu poderia muito bem ganhar algum dinheiro que era um mal necessário, enquanto eu estava lendo. Além disso, Ralph tinha dito que café seria um dos termos de emprego. Mesmo sem o privilégio

11


da cafeína, a decisão rápida havia se transformado na melhor parte da minha vida na cidade. Num piscar de olhos, a livraria tornou-se a minha casa, ainda mais do que tinha sido antes. Eu gostava, era melhor do que a escola, onde eu era apenas um rosto na multidão, eu gostava muito mais do que a minha ratoeira do meu apartamento onde eu tinha que ouvir os meus vizinhos de baixo gritar um com o outro em alguma língua que eu nunca tinha ouvido antes. Foi só então que eu não tive vontade de explodir em lágrimas e chamar a minha mãe para pedir-lhe para comprar a passagem de volta para San Diego. Eu me sentia competente na livraria, experiente e confortável. Se eu pudesse, gostaria de ter passado cada hora de vigília trabalhando lá, o que obviamente teria sido contraproducente para os meus sonhos de se tornar um autor famoso. Eu consegui trabalhar quase todas as noites, tomando muitas horas para Ralph como ele permitisse. Eu realmente não tinha outro lugar para ir e eu amava o abraço daqueles velhos muros de ouro e os amigos que eu tinha feito nas páginas de seus livros. Naquele final do outono era uma sexta-feira chuvosa, quando tudo sobre a minha vida parecia que nunca iria mudar, eu estava lutando para abrir a porta do meu prédio, com a mochila pendurada no meu ombro e me arrastei os dez quarteirões para campus e a primeira das três aulas eram longas e tediosas. Na verdade, eu tinha quatro, mas a quarta aula, aquela que caiu depois do jantar, era a que mais gostava de todas e que todos temiam. Eu amava. Hawthorne, o professor, era tão durão quanto ele vinha, esfolava os alunos vivos que produziam trabalhos coxo, e colocava as pessoas

12


constantemente no seu local, mas ele era uma lenda. Achava que, se alguém poderia me transformar no escritor que eu queria ser, seria ele. Passamos

nossas

aulas

falando

sobre

elementos

de

ficção,

caracterização, enredo, simbolismo, as mesmas coisas que discutimos nas aulas me acenderam seco e eu não podia esperar para escapar, mas de modo diferente quando o professor queria que apresentássemos no contexto da escrito, o que nós poderíamos fazer com estas ideias abstratas para fazê-los vir à vida. Mesmo com a terrível possibilidade de eu ser escolhido, a aula estava fascinante e eu estava escrevendo melhor do que eu tinha antes. Era só de vez em quando, depois de eu ter escrito algo, que eu realmente tinha orgulho do que eu pensava que talvez vindo pra New York realmente tivesse sido a melhor coisa que eu fiz apesar de tudo. Eu tinha que admitir que havia mais uma coisa que eu gostava sobre minha aula de redação e não que era muito acadêmica para mim. . . o assistente do professor. Ahhh!. Ele foi o primeiro estudante de graduação do ano e uma das pessoas mais legais que eu encontrei em Nova York. Ele teve que passar pelo menos metade do seu tempo reconstruindo os alunos de volta quando o professor Hawthorne nos tinha despedaçado. É claro que a sua genuína bondade não era exatamente a primeira coisa que eu observei sobre ele. Quer dizer, eu não era o tipo de babar nos caras, mas este eu iria felizmente passar horas olhando. Ele tinha essa pele luminosa pálida, o cabelo preto como a noite e um sorriso contagiante que fazia meus joelhos fracos. Eu tive sorte o suficiente para estar em seu grupo de crítica, em vez de com o professor e eu me mantive ligado em cada palavra o cara disse. Ele nunca foi aberto sobre isso, mas eu tenho a nítida sensação de que

13


ele estava em caras, também. De vez em quando eu pensei que eu poderia criar coragem de pedir-lhe para ir ao café comigo ou algo assim, mas é claro que eu nunca fiz. Eu apenas olhava para frente nas quartas-feiras e sexta-feira à noite como nenhuma outra parte da minha semana e babava em silêncio. Quando cheguei à aula na sexta à noite, depois de três horas invalidas de literatura e uma longa soneca no meu canto favorito da biblioteca do campus, o lindo TA estava distribuindo nossas tentativas mais recentes de ficção escrita com (provavelmente) observações mordazes de Hawthorne gessada tudo sobre eles em intensa tinta vermelha. Eu me encolhi internamente quando eu me sentei e esperei o mais recente banho de sangue. Nunca era agradável de ler o que o professor tinha a dizer, sempre certo, mas geralmente cortando e doloroso também. Minha redação espessa, grampeada pousou sobre a mesa na minha frente, com o que eu imaginava ser uma tapa ensurdecedora contra a madeira. Eu tive que me esforçar para não fechar os olhos. A redação era a minha mais recente forma de mergulhar em um mundo de fantasia cheia de demônios e bruxas, vampiros e príncipes do mal: as coisas que eram impossíveis no cotidiano mundano que eu desesperadamente queria que eu pudesse escapar. O trabalho que fiz não era o tipo de escrita que tendia a fazer qualquer um favorito entre os tipos acadêmicos, mas eu não me importava, porque eu amava de qualquer maneira. O problema era que eu nunca poderia saber o que Hawthorne ia dizer e eu tinha uma espécie de medo de olhar. A sombra, que não havia se mudado de cima da minha mesa, me distraia da minha costumeira batalha interna entre a curiosidade e autopreservação. Olhei para cima, chocado ao encontrar o TA ainda de pé

14


lá. Ele me deu um de seus grandes sorrisos abertos. Tentei não olhar muito obviamente, mas o seu sorriso foi bastante surpreendente, e o seu cabelo escuro varreu seus olhos fazendo-os parecer enorme, e, oh senhor, eu amava a forma como a calça jeans

moldava a sua bunda na mais perfeita das

maneiras... Abaixei meu rosto no meu peito antes que ele pudesse ver o rubor nas minhas bochechas. Eu parecia um idiota. "Eu adorei a história, Miles. Você fez um bom trabalho com a configuração desta vez." Ele sabe o meu nome? Nós estivemos na aula por cerca de dois meses, mas eu nunca disse uma palavra a ele. Eu era muito tímido e nerd e... oh, grande o que posso dizer agora? Eu nem sequer sei por onde começar com uma resposta. Minha boca se abriu para dizer mais alguma coisa, qualquer coisa para impedi-lo de ir embora, mas eu não tinha nada. Eu senti como se me chutando na bunda. Foi então que eu notei o brilho de prata em seu dedo anelar esquerdo. Porcaria. O meu gaydar pifou. Mesmo que eu nunca tivesse criado a coragem de responder a qualquer das perguntas que ele representava para o nosso grupo de escrita e muito menos na verdade, falar com ele, meu estômago despencou em decepção. "Obrigado, Zack", eu murmurei e me larguei em meu assento. "Claro. Mal posso esperar para ler o próximo." Ele tocou meu ombro e continuou ao redor da sala, entregando as redações para os alunos que esperavam. Por que não consigo encontrar um cara como ele sem anel? Assim que ele foi embora eu senti um puxão no meu lado. A menina ao meu lado, com quem eu tinha trocado uns sorrisos algumas vezes, fez um

15


movimento de ventilação com a mão e pronunciou a palavra "quente". Corei novamente por ter sido pego olhando, mas sorri e acenei. Em seguida, o professor começou a falar, delineando a atribuição de registro no diário que nós iremos discutir em nossos grupos de crítica mais tarde. Minhas bochechas se acalmaram, e eu meio que esqueci minha pequena conversa com a menina ao meu lado. Depois de alguns minutos, porém, um pedaço de papel pousou na minha mesa. “Ele é a razão Eu nunca abandonar esta classe: confira que bunda!” Eu sorri e abaixei minha cabeça. Eu não queria chamar a atenção de Hawthorne, o Horrível. Eu rapidamente escrevi uma resposta sob a dela. “Eu sei não é? Ele tem um anel que triste.” A menina olhou para cima interrogativamente e eu bati no meu dedo anelar esquerdo. Ela revirou os olhos e começou a rabiscar novamente. Eu não podia acreditar que eu estava escrevendo notas em sala de aula. Era como ensino médio tudo de novo, tudo a mesma coisa só mais divertido. O papel deslizou de volta para a minha mesa. “Imagine. Todos os bonitos são casados ou gays.” Eu olhei para ela e ela piscou. Corei novamente. Ela pegou de volta o papel antes que eu tivesse a chance de responder. “Eu sou Lisa. Vamos ser amigos, podemos babar o calça quente juntos.” Naquele texto eu quase ri em voz alta. “Miles. Prazer em conhecê-la.”

16


“O que você fará esta noite? Devemos sair. Eu não tenho quaisquer planos e eu odeio ficar em casa em uma sexta-feira noite.” “Eu queria poder. Eu tenho que trabalhar depois da aula. Eu trabalho no Village Books.” “De jeito nenhum! Eu já passei por lá um milhão de vezes. Eu vou acompanha-lo até lá.” “Está bem! Eu vou lhe comprar um café :)” Ri muito. Soa perfeito. Ela sorriu para mim. Era bom finalmente ter uma amiga em potencial. Depois de o professor ter se despedido de nós, havia a confusão de costume, quando todos se levantaram e começaram a guardar suas coisas. Eu coloquei meus próprios livros em minha bolsa de mensageiro e coloquei meu casaco e minha bolsa para ir quando notei Lisa em pé perto da minha mesa. "Você não me parece um nova-iorquino." Ela estava segurando a mochila e esperando por mim. Eu sorri para ela e fiquei de pé, atirando a minha bolsa sobre meus ombros. "Bom palpite. San Diego. Acabei de me mudar pra cá em agosto. Você é do local?" "Connecticut. Eu cresci no subúrbio, mas eu tentar escondê-lo.” Eu ri e examinei sua aparência urbana: sábia completa com as necessárias toneladas de preto e de atitude. Sua roupa negra e aparência de má entravam em confronto com o rabo de cavalo balançando morango e loiro,

17


olhos azuis inocentes, e o sorriso perpetuamente ensolarado, mas eu mantive essa parte para mim. "Eu ia comprá-la como uma garota da cidade." "Obrigado, querida!" Ela sorriu para mim. "Pronto para ir trabalhar?". Nossa conversa no caminho para a livraria fluía facilmente. Claro que começou com Zack, o TA quente e nossa obsessão de continuar com ele, com anel ou não, mas, em seguida, mudamos para autores favoritos, filmes, música. Tínhamos surpreendentemente muito em comum para duas pessoas de lugares tão diferentes. Eu disse a ela que eu tinha saído da costa oeste para ser um escritor, mas que eu não tinha certeza se eu gostava de New York ainda. Fechei meu casaco quando eu disse isso. "Falta do sol?" Ela sorriu. "Sim. O sol, as praias, as palmeiras... os meninos surfista." Lisa sorriu para isso. "Claro que ainda estava muito quente quando eu cheguei aqui, e Setembro era bom. Mas agora..." Eu tremi. "De qualquer forma, espero que isto tudo valha a pena e minha carreira de escritor vá a algum lugar, ou então eu vou trabalhar na livraria para o resto da minha vida. Gosto do meu trabalho, mas não muito!" "Você vai ser publicado. Eu amo suas histórias, pelo menos pelo que eu ouvi no grupo de crítica.” "Obrigado. Eles são apenas parvos vampiros e fantasmas e outras coisas. Não é como se eu escrevesse ficção séria, seja o que for que Hawthorne sempre quer dizer com isso."

18


Ela revirou os olhos. "Hawthorne pode levar sua ficção séria e enfiá-la no rabo. Não é todo o ponto da leitura para se divertir? É difícil se divertir com algo se lê para dormir!” Eu ri surpreso, com a pulverização catódica que ninguém se atreveria a dizer que o venerado Professor Hawthorne poderia empurrar qualquer coisa na bunda. Eu sempre concordei com isso, bem sobre a coisa de ficção séria, não os empurrões na bunda. Foi a minha principal queixa com a maioria dos programas de escrita criativa. Eles nunca pareciam ter espaço para as pessoas como eu que queria escrever horror, ou romance, ou algo divertido. Era sempre tão pesado. Os estudantes que foram aplaudidas escreveram sobre pessoas com almas danificadas e o holocausto e as guerras e metade do tempo eu me senti querendo cortar meus pulsos depois de lê-los. "Além disso," Lisa brincou. "Zaaaack amou a sua história." "Cale-se!" Eu ri e empurrou-a levemente, já suficientemente confortável com a minha nova amiga para brincar. Então eu mantive a porta aberta da loja e conduzi-a para dentro. "Oh, este lugar é adorável! Eu deveria ter vindo há muito tempo." Eu sorri para o entusiasmo de Lisa. Ela era exatamente o tipo de pessoa de uma alma tranquila como eu precisava brilhante e exuberante. "Eu amo isso também. É uma espécie de casa para mim. Meu apartamento muito bonito é uma porcaria, então eu passo a maior parte do meu tempo livre aqui." "Não o culpo. Eu também vou ganhar esse café que você prometeu?"

19


Escondi minha bolsa atrás da recepção e caminhamos para a área de café. "Claro. Como é que você gosta?" "Mocha branco com hortelã-pimenta?" "Não tem problema." Eu virei para Megan, que estava sentada em seu banquinho e lendo um livro de biologia grosso. "Posso ter o meu mocha branco com hortelã-pimenta regular Megan?" "Seja como for, Miles. Em um minuto." Sua voz era tão afiada como sempre. Eu estava acostumado a ela desse jeito, em seguida, então eu nem sequer reagia. "O que acontece com ela acima de sua bunda?" Lisa sussurrou. Eu apenas dei de ombros e sussurrei de volta, "Ela é sempre assim. Eu simplesmente ignoro-a. Seu café vale a pena engolir essa atitude." Lisa respondeu a isso com um grande sorriso. Um bom barista vale o seu peso em chocolate e é muito difícil de encontrar. Eu não tinha nenhum cliente. A corrida dois estudante noturnos não tinha começado. Então eu sentei com Lisa, bebemos os nossos deliciosos mochas e trocamos várias histórias de nossas não aventuras. Era reconfortante encontrar outra pessoa que se sentia como se nada acontecesse com eles. Eu acreditava que a maioria das pessoas pensava que nada acontecia com elas, mas nós dois estávamos morrendo por uma aventura. Foi um pouco embaraçoso, mas eu mesmo levantei a minha camisa, depois de ter certeza de nenhum cliente estava vindo, claro, e mostrei-lhe a árvore que eu tinha tatuado no meu lado em uma tentativa equivocada de fazer algo nervoso e frio. Eu podia ver Megan revirando os olhos do outro lado

20


da loja, mas Lisa parecia um amor. Ela exclamava oohhhh e aaahhh enquanto traçava os ramos com o dedo, o que fez cócegas e me fez rir. Menos pontos principais dos fodões para ser delicado... "Eu acho que a tatuagem é quente, Miles. Definitivamente dá-lhe credibilidade nas ruas." Nós dois rimos da ideia. Credibilidade nas ruas era a última coisa que eu teria. "Será que isso significa alguma coisa?" "Na verdade não. É uma árvore de Rowan. Meu nome do meio é Rowan porque minha mãe achava que soava aristocrático" "Miles Rowan…?" “O caçador. Miles Rowan Hunter." Revirei os olhos. "Sua mãe estava certa. É muito." Eu estou em uma caça à raposa com a nobreza. "Estou com ciúmes. Lisa Anne Rice não é bem a mesma coisa." Ela me deu um olhar um pouco cuidadoso como se ela estivesse esperando que eu risse. Ela não teve que esperar muito tempo. "Seu nome do meio é realmente Anne?" Eu gaguejei, não acreditando. Eu sorri por alguns segundos, mas que cedi a uma risada. Ela provavelmente estava acostumada a isso de qualquer maneira. "Sim. Posso agradecer a minha mãe por isso. Eu acho que ela estava lendo „Entrevista com o Vampiro‟, enquanto ela estava grávida de mim. Pelo menos ela se conteve ligeiramente. Meu nome poderia ter sido Lestat." Eu ri novamente e levantei a minha xícara de café. "Brindemos a nomes que são impossíveis de se viver."

21


Lisa brindou seu copo de café de papel com meu, mas levantou as sobrancelhas desafiadoramente e jogou seu longo rabo de cavalo de morango loiro. "Aqui está para finalmente fazer algo para viver de acordo com eles." No que pareceu um minuto a livraria tornou-se ridiculamente ocupada. Eu nunca tinha visto isso tão louco no mês ou desde que eu tinha estado lá. Ele tinha ido de vazio quando eu cheguei lá para realmente ter pessoas batendo umas nas outras nos corredores já estreitos. Não poderia ter sido um momento pior para dois autores muito populares para saírem com novos lançamentos. Eu supunha que era apenas o universo mexendo comigo em um dia que eu tinha quatro aulas e sem tempo para o jantar. O café que eu tinha tomado com Lisa duas horas mais cedo foi estrondoso no meu estômago. Eu não podia esperar pelo momento em que eu pudesse enxotar as pessoas e me recolher em uma das poltronas deliciosamente macias com um muffin e um livro que tinha lido um milhão de vezes. Minha linha deu sinal, pelo menos, dez vezes e eu estava freneticamente tentando telefonar para cada cliente o mais rápido possível sem perceber quando eu estava correndo-os para fora da porta... como eu estava. Era uma grande noite para Ralph decidir que ele queria aparecer ao redor e ajudar, mas sua esposa tinha feito bolo para o jantar que ele tinha reservado sair da loja no segundo que eu tinha chegado lá e eu fui deixado sozinho sobre o que deveria ter sido uma noite lenta e maçante e não as hordas de rapina de compradores de livros. "Ei, você é meio que bonito."

22


Eu mal registrei a voz ao meu lado. Supondo que ele era um cliente falando com outro cliente eu sintonizei-o e continuei andando até enorme pilha de meu atual cliente de romances de regência. "Eu disse que eu acho você bonito." Eu olhei para cima. Havia um cara de pé na ponta do balcão, um tipo de jogador de futebol americano, grande em uma camisa polo e calça cáqui formal. O menino tinha muito jeito de menino de fraternidade para mim, não era o meu tipo de cara em tudo e honestamente era um pouco agressivo demais olhando para o conforto. Infelizmente, ele estava olhando diretamente para mim. Eu sorri evasivo, e voltei para o meu trabalho. Eu não queria ser um idiota, mas eu era uma daquelas pessoas que sabiam imediatamente se eu estava atraído por alguém e com ele, eu não estava. "Ei, menino dos livros, o que você está fazendo?" Dei-lhe um olhar que eu esperava que dissesse 'você não pode estar falando sério‟, então eu respondi: "Estou atendendo um cliente. Se você tiver alguma dúvida, por favor, espere a sua vez." "Eu tenho uma pergunta. Você tem um número de telefone?" Eu tinha que tentar, mas parecia realmente difícil, não rolar meus olhos. A mulher que eu estava ajudando me deu um olhar simpático. Eu sorri para ela e silenciosamente ensaquei seus livros. "Eu perguntei se você tinha um número de telefone." "Escute" Fiz uma pausa. "Jeff, meu nome é Jeff." Ele me deu um sorriso arrogante, como se ele pensasse que ele estava finalmente chegando a algum lugar comigo.

23


"Ouça, Jeff. Eu estou trabalhando agora, e sinceramente eu não estou interessado em dar o meu número de telefone. Então, se você não tem uma pergunta relacionada a livros que eu possa responder, eu não posso ajudá-lo." Ele não saiu, mas felizmente ele pelo menos estava lá silenciosamente enquanto eu terminava de ensacar dos livros da senhora simpática. Eu ainda tinha uma fila enorme e só parecia estar crescendo. Eu estava perturbado pelo longo olhar de Jeff, que eu ainda podia sentir queimando na lateral do meu rosto. Eu estava começando a ficar irritado, mas eu não estava indo para darlhe a satisfação de olhar para ele. Com os olhos no registro, que eu estava atendendo meus clientes um de cada vez, tentando manter a calma e apenas fazendo meu trabalho. Eu continuei ignorando cara jogador de futebol, Jeff, esperando mais uma vez que ele pegasse a dica e saísse. Não tive tanta sorte. Por que ele iria desaparecer? Isso teria sido muito fácil. Quando a fila tinha finalmente diminuído, e até que não tinha nenhum cliente na loja, ele ainda estava lá me observando atentamente. "Ok, eu esperei a minha vez. Você vai me dar o seu número, e me dizer quando você vai deixar-me levá-lo para sair ou algo assim?" Ele realmente me perguntou de novo? Eu não queria ser rude, mas o cara não estava entendendo. Eu tinha que dizer alguma coisa. "Jeff. Desculpe-me, eu não posso te dar o meu número. Eu tenho um namorado, ok?" Aparentemente, isso foi o melhor que eu poderia dizer. Eu me senti como um idiota usando a desculpa mais velha do livro, mas eu esperava que fosse convincente. "Qual o nome dele?"

24


Oh... merda. "Zack", eu respondi, empurrando o nome o mais rápido que pude. Eu tinha hesitado, embora. Eu sabia disso e ele também. Merda, merda, merda. Os olhos do jogador Jeff estreitaram. "Tanto faz. Você não é mesmo um bom mentiroso. Vocês meninos Twinkies são todos os mesmos, exatamente os mesmos. São cadelas pouco exigentes." Ele me deu um último olhar sujo, então ele se afastou e bateu a porta de vidro quando saiu, em seu caminho para fora fazendo os sinos agitar discordante na loja, finalmente, quase silenciosa. O que foi isso que ele quis dizer com, "Vocês meninos Twinkie são os mesmos?” Eu sabia que provavelmente devia estar ofendido, sendo chamado de "Twink" se nada mais, mas eu estava tão feliz de ver que o empurrão que eu escolhi fez com que ele fosse que não me preocupei mais com isso. Ele provavelmente só teve o seu orgulho ferido e disse a primeira coisa que ele poderia pensar. Eu estava feliz que ele tinha ido, entretanto. Ele tinha me dado grandes arrepios. Lisa apareceu novamente logo em seguida, quando eu estava começando a fechar o meu registro e obtiver a loja esvaziada. Ela perguntou se eu queria ir para um jantar tardio e talvez ver um filme. Fiquei feliz em dizer que sim e tirar a noite longa e estranha da minha cabeça. Sinceramente, eu também estava feliz que eu não estaria deixando a loja sozinho. Eu não saberia o que fazer se aquele idiota insistente estivesse esperando do lado de fora por mim. Quando ela me perguntou por que eu parecia tão estressado, eu

25


disse a ela sobre a minha longa noite com dois novos lançamentos e um milhão de clientes. Eu não mencionei o meu pretendente anterior, apesar de tudo. Tanto quanto eu estava preocupado, seria melhor se eu fingisse que, oficialmente, nunca tivesse acontecido.

26


Capítulo 2 Lobo Eu podia sentir meu coração batendo desconfortavelmente no meu peito, contra minhas costelas em um padrão de percussão selvagem, imaginando coisas. Meus olhos se deslocaram ao redor da rua, catalogando as janelas escuras, as sombras gigantescas, as folhas e pequenos pedaços de lixo que corriam junto com o vento frio do outono. Algo maléfico vinha nesta direção... O livro de Macbeth surgiu na minha cabeça e eu acelerei. O que eu estava pensando? Quando eu pedi que algo emocionante acontecesse. Eu não queria assustar a merda fora de mim mesmo! Senti-me estúpido. Era apenas um livro, Miles. Comecei a apertar o passo. Mas imaginário ou não, o medo era real. Eu podia sentir isso picando os pelos na parte de trás da minha cabeça. Eu odiava que eu tinha gastado o dinheiro para um táxi que eu estava desejando. Eu sabia que precisava engoli-lo, e agir como um verdadeiro novaiorquino, e andar no meu próprio transporte para casa, mas eu estava pirando verdadeiramente. Foi depois da meia-noite e que aconteceu novamente. Não importava quantas vezes Ralph me avisou para fechar a loja no tempo e ir para casa, eu nunca deixava de me perder nos livros, desejando que eu pudesse estar em seu mundo, em vez de no meu próprio: um mundo cinza fosco. Naquela noite em especial, eu tinha estado no sul profundo e misterioso vivendo com os vampiros Lestat e Louis. Seu mundo macabro era fascinante, tão diferente da

27


minha rotina tranquila de aulas e trabalho que só tinha sido mal interrompida por um novo amigo. Eu tinha sido tão completamente imerso em meu livro que eu não tinha percebido quanto tempo se passou até que eu olhei para cima e percebi que a minha hora tinha passado e não era hora decente de estar caminhando para casa. Assim que eu notei a calma e a hora tardia meus nervos se instalaram. O East Village se tornou New Orleans no tempo dos vampiros e a familiaridade da livraria estava subitamente repleta de sombras sinistras. Era a minha imaginação. Eu sabia que era. A coisa estúpida tendia a fugir comigo em uma base regular. Mas mesmo que eu dissesse a mim mesmo que eu estava imaginando as coisas que realmente não ajudavam. Eu ainda podia sentir os fantasmas à espreita logo além da minha visão, vampiros se escondendo nas entradas e esquinas escuras. Eu sabia que estaria tremendo e nervoso até que eu estivesse seguro dentro do meu apartamento minúsculo com a porta trancada do lado de dentro. Viver no mundo do livro? Com quem está brincando, Miles? Você não pode nem andar por Nova York durante a noite sem ter um ataque de pânico. Eu ouvi o arrastar de passos atrás de mim. Fantástico. Eu não sei se eu deveria correr ou se seria melhor continuar andando e agir casualmente. Rapidamente, eu mergulhei na próxima rua que vi, esperando que quem estivesse atrás de mim estaria apenas caminhando e não me seguiria. Não tive essa sorte. Os passos ficaram mais altos, ecoando nos prédios de tijolos, suas paredes fecharam juntos no beco estreito que eu inadvertidamente entrei.

28


Grande trabalho, idiota. Era um beco estreito, antigo com edifícios com janelas tapadas. Jesus. Você poderia ter escolhido uma rua que parecia mais como um conjunto de filme de terror? Baixei a cabeça e pegou o ritmo mais uma vez. Eu estava quase correndo, mas com tanto medo que eu tropecei em mim mesmo sem jeito. Sem aviso, eu bati em algo quente e sólido que bloqueou o meu caminho. Eu olhei para cima. O que eu vi me parou. Havia dois rapazes, ambos enormes e musculosos e cheirava a álcool olhando para mim como se eu pudesse ser o que eles gostariam de ter para um lanche tarde da noite. Foi apenas a minha semana. O menor tinha um gorro de esqui cobrindo a testa e a maior parte de seus olhos, virou-se para o outro cara. O segundo era grande o suficiente que eu tinha que ter um guindaste no meu pescoço para olhar para ele. "Olha, é uma pequena fada", disse o menor. Ambos riram. "Isso não deve ser problema." Em seguida, o bandido virou-se para mim. "Dê-me sua carteira." Sua voz estava embargada, obviamente bêbado, mas com raiva, não bêbado tolo. E era a raiva que me assustava. Ele não ficaria feliz com o pouco de dinheiro que eu tinha. Com as mãos, que eu tentei manter sem tremer, eu puxei minha carteira do meu bolso de trás. Mudar-me para Nova York e ser assaltado. O que era um cliché. Ei, pelo menos ele não é um vampiro, certo? Apenas um grande idiota. "Aqui, pegue o meu dinheiro. Eu não tenho qualquer cartão de crédito."

29


Ele pegou o dinheiro das minhas mãos, olhou-o e jogou-o no chão com desgosto. "Dê-me a porra da carteira!" "Eu disse a você, que é tudo o que tenho. Por que você não vai transar com alguém que possa dar-lhe dinheiro real em vez de assaltar?" Eu estava com medo, chateado, e tudo mais. "O que? Você está tentando chegar em casa para que você possa colocar todos os seus vestidos cor de rosa?" Os dois riram, impressionados com sua própria perspicácia. Eu queria revirar os olhos. Deixe-os insultá-lo. Talvez então eles se sintam como grandes homens fortes e eles podem levar suas bundas bêbadas em casa e deixar-me sozinho. Um empurrão surpreendentemente áspero me pegou de surpresa e me mandou cambaleando para o chão. Então, novamente, talvez não. "Eu disse me dar à porra da carteira. Talvez isso irá convencê-lo." Ele escorria saliva na minha cara enquanto ele falava, O bandido silencioso montou-me no chão, prendendo meus braços entre as coxas grossas e musculosas. Porra. São sempre os mais quietos. O tagarela não era tão grande. Teria sido muito mais fácil de tirá-lo de mim. Eu me encolhi e fechei os olhos quando ele puxou o punho para trás para bater. Eu não tive que esperar muito tempo. A dor pulsou violentamente na minha cavidade ocular, irradiando para fora através de minhas bochechas e parte de trás da minha cabeça, que tinha batido contra o concreto com a força de seu golpe.

30


Eu consegui puxar meus braços livres e tentei sentar. Empurrando o cara muito maior, eu avancei para chegar a seus olhos ou sua garganta com os dedos, as únicas armas que eu tinha no momento. Ele colocou a mão no meu pescoço e bateu minha cabeça de volta para o concreto. Jesus. Esses caras não dão a mínima para o meu dinheiro! Eram apenas bêbados e depois como alguém menor do que eles os venceriam. Eu não tive a chance de raciocínio com eles. Tentei empurrar de novo, empurrei meus quadris contra ele, na esperança de desequilibra-lo, mas ele não se moveu. "Saia de cima de mim, seu idiota!" Eu cavei meus saltos para a rua e contrai novamente, tentando com toda a minha força empurrá-lo. Se só eu pudesse ficar livre, não havia nenhuma maneira que eles corressem mais rápido... Isso o fez tropeçar um pouco, apoiando-se na rua com uma palma da mão. Mas então ele se controlou novamente e ele parecia chateado. Ele sacou seu grande punho para trás, bem atrás do seu rosto. Eu me preparei para outro soco, mas ele nunca veio. De repente, o peso do meu agressor foi levantado e eu ouvi um ruído alto de um ombro colidindo com os tijolos do edifício do outro lado da pista. Um rugido ensurdecedor sacudiu o ar. Foi então que eu vi quem tinha me resgatado... ou mais parecido com o que tinha me resgatado. Meu queixo caiu. Esgueirando pelo beco e pastoreando os bandidos agora apavorados e correndo para a rua principal estava um lobo. Mas não um lobo comum, ele era enorme! Suas costas teve que ser quase da mesma altura da minha cintura, os ombros eram largos e elegantes com músculos,

31


patas quase do tamanho da palma da minha mão. Eu deveria ter ficado com medo. Deveria ter saído correndo por minha vida como o cara que ele tinha acabado de colidir com um muro. Mas eu não tive medo dele em tudo. Na verdade, eu não conseguia tirar os olhos. Eu não sabia o que fazer então eu sentei lá no chão frio e duro e assistio. Havia algo sobre a maneira como ele se movia, o conjunto de seus olhos, a graça de rolamento de sua marcha; tudo. Como algo saído de um conto de fadas, ele parecia mágico, régio e masculino. Eu fiquei cativado. Quase sem respirar, eu assisti-o o tempo todo ele perseguiu meus atacantes à distância. Finalmente, quando eles tinham desaparecido ao virar da esquina, o lobo veio galopando de volta para mim. Eu fiquei de pé nunca quebrando meu olhar e ele parou a distância de alguns braços na minha frente e caiu casualmente para uma posição sentada. Pisquei algumas vezes, em seguida, quando ficou claro que ele não ia desaparecer. Eu simplesmente olhei-o. Parecia impossível, mas era real... Eu não estava imaginando. Havia um enorme lobo sentado no beco e olhando calmamente para mim com olhos de ouro luminosos. Esse mesmo lobo tinha acabado de bater um homem bêbado e muito grande contra uma parede de tijolos, em seguida, o perseguiu e ao seu amigo pelo beco e eu queria chegar mais perto? Mas eu senti essa sensação puxando inexplicável que me fez querer inclinar-me. O sentimento me obrigava mais do que qualquer coisa que eu já senti. Eu quero tocá-lo... "Eu não vou te machucar", eu sussurrei. "Você não vai me machucar, não é?"

32


O lobo inclinou a cabeça como se estivesse ouvindo; em seguida, ele em sua postura relaxada e eu me aproximei, estendi a mão e enterrei meus dedos em seu pelo vermelho-dourado. Era suave e quente e quando eu me inclinei mais perto, cheirava estranhamente similares... Cocos Chanel? Eu me afundei em uma posição de pernas cruzadas, e o animal baixou a cabeça por isso, ficamos olho no olho. Lógico que eu estava me dizendo que eu deveria ter medo, que era estúpido por estar sentado na rua com um animal selvagem apenas alguns centímetros de distância de mim, mas ele se sentiu tão incrivelmente familiar. O senso comum foi condenado; Eu sabia que confiava nesse lobo. Minha mão subiu, quase por sua própria vontade e eu acariciei sua pele macia e quente. Então eu passei meus braços em volta dos ombros de penugem de largura e enterrei meu rosto no calor de cheiro doce. Eu não tinha razão para o meu comportamento diferente do que me senti bem. Meu coração parecia bater um pouco diferente, e eu me senti estranhamente substancial. Eu não sei quanto tempo nós nos sentamos lá naquele beco frio, o lobo silencioso e imóvel, eu segurando-o e absorvendo a sua força tranquila. Eu acho que pude ter começado a cair por um momento, de tão relaxado em sua presença que eu poderia facilmente dormir. Mas ele se moveu e tocou meu pescoço com o nariz molhado legal, me acordei do meu meio cochilo. Quando minha bunda estava congelada sentada no cimento e eu tinha certeza que alguém estaria, provavelmente, descendo a rua logo de qualquer maneira, eu gentilmente afastei-me dele. Isso quase doía, naquela fração de segundos quando perdemos todo o contato físico. Eu quase me inclinei para

33


envolver meus braços em torno dele novamente. Ele era impossível de resistir. Mas eu não queria fazê-lo, não importava o quanto eu queria. Nós ligamos nossos olhares por um momento, meus olhos castanhos encantados com os seus, grandes, sábios e da cor de ouro. Ele gemia baixinho e colocou o focinho no meu ombro como se para dizer adeus. Então ele se levantou e, com mais uma pequena cotovelada delicada de seu nariz frio contra meu pescoço, ele galopou para dentro da noite, gracioso e quase silencioso, com apenas o ligeiro barulho do clique de suas unhas sinalizando que ele esteve lá de qualquer forma. Eu sei que eu voltei para casa. Eu tinha que ter voltado, porque, mesmo sem saber como cheguei lá, eu estava no meu pequeno apartamento olhando para a parede suja que eu tinha tentado decorar com cartazes e tecido impresso. Eu não tinha ideia do que tinha acontecido lá fora no beco, mas a sensação do animal grande debaixo dos meus braços, o doce aroma de seu pelo, aqueles selvagens, mas de alguma forma sábios olhos, eles me assombraram. Fiquei ali sentado olhando para o espaço até o granulado fraco da luz do amanhecer empurrou-se em torno das bordas de minhas cortinas. Foi apenas a constatação de que eu tinha que trabalhar em poucas horas o que me fez mover. Eu encontrei-me sorrindo enquanto eu retirava o pijama sonhador e pegava uma toalha. Senti-me tonto, estranho, como se algo em mim tivesse mudado irrevogavelmente durante esses breves minutos no beco. Havia uma leveza em minha barriga, como se eu pudesse rir ou flutuar. Olhei pela janela, para a rua sombria escura abaixo e apertei os olhos, pensando que eu poderia ter visto um flash momentâneo de pele gengibre desaparecendo ao virar da

34


esquina do meu bloco. Mas eu admiti-o como uma ilusão e suspirei antes de ir para o meu banheiro. O calor de meu chuveiro me ajudou um pouco, batendo no meu corpo dolorido, como se nada mais pudesse. Eu me senti um pouco melhor quando eu acabei, mas não completamente. Os balões que saltavam ao redor no meu estômago se recusaram a diminuir. Na cama, eu enrolei os meus braços em volta do meu travesseiro; não querendo admitir para mim mesmo que eu desejava que fosse o lobo. Eu queria sentir seu calor novamente, absorver sua força e calma. Eu precisava vê-lo. Eu só sabia que eu queria. Eu estava feliz com o trabalho naquele dia. Se eu não tivesse nada a ver, eu provavelmente teria mandado à merda. Mas, apesar das minhas mãos estarem ocupadas, meu cérebro ainda estava girando, tentando racionalizar a noite anterior: eu estava cansado, eu tive um sonho muito vívido... O qual foi uma alucinação provocada pela privação de sono? Não. Eu tinha que estar em drogas muito pesadas para que eu pudesse me dar ao luxo de ter alucinações com algo tão estranho e que ele fosse tão vívido. Além disso, havia marcas de arranhão sobre meus sapatos e os joelhos da minha calça jeans estavam todos pretos e sujos de se ajoelhar na rua. Não houve nenhum sonho. Ele realmente tinha acontecido. Eu mal poupei um pensamento para os bandidos que me derrubaram no chão e me deram a mancha roxa brilhando no meu olho. A única coisa que eu conseguia pensar era nele. O lobo. Meu lobo.

35


O que era ele? Eu tinha visto documentários sobre o comportamento animal estranho antes, sobre eles salvarem pessoas e outros animais, mas o que tinha acontecido naquele beco era mais do que estranho. Era humano. Ele tinha perseguido os bandidos fora e veio para me confortar, me deixar abraçá-lo e me acariciar com o nariz. Durante toda a manhã na loja eu escutei procurando relatórios de lobos que escaparam de arrombamentos de jardim zoológicos, sendo visto na área 51... Invasores da Transilvânia. Até eu tive que rir com essa última teoria selvagem. No entanto, eu não ouvi nenhuma informação real, algo que me daria uma pista de onde o meu salvador tinha vindo. Parecia impossível acreditar que não havia nada. Certamente alguém tinha visto o lobo. Minha mente girava constantemente. Mesmo que eu fosse grato pelo trabalho, era quase insuportável estar lá. Teria sido insuportável estar em qualquer lugar. Senti-me inquieto, desconfortável na minha pele. Ao mesmo tempo, eu queria rir nos momentos mais estranhos e às vezes era quase como se eu estivesse assistindo a mim mesmo a desempenhar as minhas tarefas diárias, mas não, na verdade, fazendo-as. Era um sentimento estranho, e que eu vagamente reconheci. Por volta do almoço, isso me bateu: a sensação borbulhante inquieta de dar risadas caiu desconfortavelmente. Era como eu me sentia na escola quando eu tinha uma paixão enorme por esse cara que eu conhecia. Quando não estávamos juntos, eu me sentia como se eu precisasse estar em outro lugar e não pudesse suportar ficar parado. Quando estávamos juntos, eu ia rir e sorrir como uma besta e sentir

36


que tudo estava perfeito... bem, pelo menos parecia que tudo estava perfeito até que ele descobriu que eu gostava dele e parou de falar comigo. Mas como eu poderia ter uma queda assim quando eu nem sabia em quem seria? Ou quem poderia ser? Jesus Cristo, Miles. Nem pense isso. Você não tem uma queda por um lobo. Claro que eu não tinha. Mas isso não me impediu de sentir o desconforto efervescente ímpar, ou de lembrar de todo o conteúdo, o quão perfeito foi estar enrolado em torno dele e respirando seu calor. Eu me senti como se eu precisasse de uma verificação da realidade. "O que aconteceu com você ontem?" Lisa parecia horrorizada. Ela estendeu a mão para tocar o polegar ao longo da minha contusão. "É uma longa história. Aqui o café." Ela se sentou e arrastou a bolsa e casaco para o lado antes de levantar o seu copo para Megan em um gesto de 'muito obrigado'. Megan revirou os olhos e começou a fechar seu local. "Estou saindo, Miles. Não toque em nenhuma das minhas coisas." Ela dizia isso para mim todos os dias. Como se eu fosse mexer. Algum dia eu estaria indo para trás de seu balcão precioso e mexeria em cada botão que eu pudesse encontrar e abriria todos os seus xaropes só para irritá-la... Ou pelo menos eu iria me divertir planejando-o. Ela provavelmente encheria meu café com cianeto se eu realmente fizesse algo. "Ei. Oí. Terra para Miles. Saia desse planejamento de vingança contra a moça do café e me diga o que aconteceu com você!"

37


"Uh, ontem à noite eu meio que me perdi lendo Anne Rice, e antes que eu percebesse eu tinha ficado na loja até quase uma da manhã." Ela revirou os olhos. "Deixe-me adivinhar a próxima parte. Você caminhou sozinho para casa?" Eu balancei a cabeça e ela pegou uma caneta do visor de registro e me bateu com ela na cabeça. "Não faça isso novamente. Eu sei que nós acabamos de nos conhecer, mas eu gostaria de ser amigo de você por um longo tempo. Você sabia que um cara sem-teto foi assassinado neste bairro na noite passada? Teve todo o seu sangue drenado por alguém no estilo de Drácula picou com furos no pescoço e tudo.” "Sério?" A minha espinha gelou. Eu ainda tinha muito a aprender sobre vida na cidade grande, aparentemente. "Sim com certeza. Então, não haverá mais passeios solo. Eu não quero ter que ir identificar seus restos mortais em um beco em algum lugar." "Ok. Vou ligar para você na próxima vez que ficar aqui tarde demais." "É melhor você ligar. Seriamente. Como foi que ficou com o olho preto?" "Não é nada. Apenas alguns caras não tão agradáveis." "E?" "E nada. Eles queriam a minha carteira. Ficaram chateados quando não havia muito lá e bater a merda fora de mim. Não quero falar sobre isso, ok?" Merda! Eu não deveria ter dito que eu não queria falar sobre isso. Fale sobre um sinal de néon piscando sobre minha cabeça que dizia para ela cavar a sujeira! Ironia com a sujeira! E ela fez. "Oh meu Deus! Queria dar uma boa olhada nos idiotas? Onde isso aconteceu? Você quer que eu leve-o para a polícia?"

38


"Basta deixá-lo pra lá, Lis. E o seu café está bom?" Lisa simplesmente levantou as sobrancelhas. Ela sabia perfeitamente bem que eu estava mudando de assunto, mas ela deixou-o pra lá como eu tinha pedido. Fiquei surpreso e grato. "Ei, Miles, você está bem? Você parecia um pouco desgastado na quartafeira e você tinha aquele olho roxo horrível. Eu estava preocupado com você." A franja negra de Zack girou sobre os olhos visivelmente preocupados quando ele se inclinou sobre minha mesa. Ele é tão bom. Era muito mais fácil falar com ele do que costumava ser. Mesmo que ainda fosse ele, bem, ele tinha perdido um pouco da mística que lhe tinha feito tão intocável. O pensamento de falar com ele não me dava um ataque cardíaco como dava apenas alguns dias antes. Mas ele estava certo. Eu não estava dormindo muito bem em tudo. Levou esforço para sorrir para ele. "Estou bem. Obrigado por perguntar embora." "Tem certeza que não quer falar sobre isso? Temos alguns minutos." Eu suspirei. Eu queria falar sobre isso. Eu só tinha que ter cuidado com o que eu dissesse. "Eu meio que fui assaltado fim de semana passado e este realmente... cara fascinante veio em meu socorro. Em seguida, ele simplesmente desapareceu. Eu estive procurando por ele, mas eu estou ficando sem lugares para procurar e eu tive aquele sentimento estranho durante toda a semana, como quando você quer estar perto de alguém e você não pode por isso nada que você faça parece ser o que você quer".

39


Zack sorriu. "Eu sei o que você quer dizer. Fico assim quase o tempo todo quando estou longe do meu namorado." Então ele é gay... Interessante. "Com quem o cara se parece?" Eu hesitei. "Isso vai soar estranho, mas ele me lembra de um lobo. Ele tinha aqueles olhos dourados muito legais." Zack fez um olhar estranho em seu rosto por uma fração de segundo e, em seguida, mudou. "Eu vou manter um olho para procurar o menino lobo para você." Ele sorriu e arrastou meu cabelo suavemente. Eu esperei para sentir o coração batendo que aquele pequeno gesto teria causado apenas uma semana antes. Eu não senti nada. A única coisa que eu conseguia pensar era em um par de olhos brilhantes luminosos. E eu estava procurando por ele. Eu não sabia o que eu esperava: um lobo andando pela Quinta Avenida, no meio de uma enorme multidão de pessoas? Mas algo em mim sabia que tinha que vê-lo novamente, que eu iria vê-lo novamente. Então eu parecia semiconsciente e o tempo todo incompleto. Eu não dormia bem, e o sono que eu tinha era atormentado com sonhos com ele, sonhei que eu encontrava meu lobo e passava meus braços em torno dele para nunca deixá-lo ir. Não admira que eu estivesse tão cansado. Lisa deslizou no assento ao meu lado, assim quando o professor começou a sua palestra. Eu sorri fracamente para ela. Eu não tinha energia para colocar tanto no sorriso. Ela deve ter notado. Não demorou muito antes de uma nota deslizar sobre minha mesa. O que está errado? Você ainda parece meio de peruca para fora. O olho está melhor, embora!

40


Notei que Hawthorne estava chamando as pessoas aleatoriamente, fazendo perguntas sobre as parcelas dos mestres clássicos que deveríamos ter lido mais antes da aula. Desde que eu não tinha feito minha leitura pela primeira vez eu decidi que não era o melhor dia para chamar a atenção para mim. Enfiei a nota em minha mochila e tentou bravamente prestar atenção. Foi difícil, porém, com Lisa fazendo caretas estúpidas para mim e tentando me fazer responder. Sorri com tristeza, sentindo-me um pouco melhor. Eu poderia dizer que Lisa ia ser uma má influência.

41


Capítulo 3 Choque Relâmpago Tinha passado duas longas semanas. Eu não podia acreditar que, depois de todo esse tempo os olhos dourados descontroladamente misteriosos do lobo ainda me assombravam. Meus sonhos, meus pensamentos, cada parte de mim tinha sido consumido por ele. E, no entanto não havia nada. Sem histórias no jornal, sem sinais de qualquer coisa fora do comum. Eu esperava ainda vê-lo outra vez, queria que ele viesse à procura de mim como se eu estava procurando por ele. Eu sabia o quão ridículo isso soava, mas eu não me importava. Como ser um ser humano racional como eu tentei ser, eu ainda não podia ver o lobo como todo animal. Eu não conseguia conciliar esse ser, essa criatura incrível, com qualquer coisa que eu já tenha visto antes. Ele era especial e eu queria saber mais sobre ele. Zack continuou a dar-me olhares estranhos durante a aula e ele faloume muito mais em duas semanas do que ele tinha nos primeiros dois meses de escola. Eu pensei que talvez eu estivesse sendo paranoico, mas eu comecei a me perguntar se ele talvez soubesse algo que ele não estava dizendo. O olhar estranho que ele me deu quando eu disse-lhe a história sobre o "menino" que me fazia lembrar-me de um lobo estava presa na minha memória. Eu estava meio tentado a encurralá-lo depois da aula e tentar obter o que era que ele parecia saber dele. Mas, por outro lado, se ele passou a ser apenas um cara legal, que gostava de um escrever e, portanto, sensível às emoções de outras

42


pessoas. Eu pareceria um lunático total. Ela nem sempre aparecia, mas eu tentei evitar a aparente loucura a maior parte do tempo. Era 10:30 em uma terça-feira, dezesseis dias apenas suportáveis desde que eu tinha visto o lobo, e eu estava no trabalho... Como sempre. A loja tinha sido muito lotada naquela noite, como se de alguma forma sempre parecia ser quando eu estava me sentindo desgastado e cansado demais para sorrir. Uma multidão veio depois do jantar para ouvir um autor local ler seu novo romance de ficção científica. Muitos tinham ficado após os autógrafos para uns cafés e navegação na internet. Megan me encarava me atirando olhares por fazê-la ficar até mais tarde. Eu não sabia do que ela estava reclamando porque ela tinha que estar passando em uma tonelada de dicas. Sua fila nunca foi inferior a quatro pessoas. Eu estava ocupado no registro, mas meus olhos continuavam se desviando, observando, esperando... bem, eu não tinha certeza do que eu estava esperando que não fosse a única coisa que eu sabia que não poderia acontecer. Eu sabia o que eu estava esperando. Bem, mais parecido com o que eu estava almejando. Essa foi fácil. Era ele, o garoto com o cabelo castanho escuro desarrumado e o sorriso tranquilo. Ele veio com o aumento grande de pessoas, algumas horas antes. Eu tinha olhado para cima bruscamente quando ele caminhou casualmente através da porta. Ele sorriu hesitante, o cabelo caindo pesadamente em seus olhos, e se afastou para o que poderia ter sido chamado de seção de fantasia, se Ralph tinha realmente organizado tudo. Até onde eu sabia, ele tinha estado lá desde então. A cada trinta segundos ou assim que eu digitalizava a loja, olhando para ter certeza que eu ainda tinha ele na minha visão. Não é que eu

43


pensei que ele seria um problema, ele parecia um cara bastante agradável, mas meus olhos se mantiveram gravitando em direção a ele. Eu não poderia me ajudar. Durante a primeira hora, eu poderia ter dito exatamente onde ele estava, em qualquer segundo. Eu nem estava ciente do quanto eu tinha estado a observá-lo, mas se alguém tivesse perguntado "onde está o garoto de cabelos ruivos?” Eu teria sido capaz de apontar para a sua localização até a prateleira individual. Depois que eu o perdi. Eu não sabia qual canto que ele estava e isso me deixou nervoso... Inseguro. Era como se eu precisasse manter o controle sobre ele. Mesmo que eu não podia vê-lo eu sabia que ele ainda estava lá. Eu podia senti-lo. Eu só queria ser capaz de vê-lo, também. O pensamento de ele sair sem o meu conhecimento fazia meu coração bater. O que na terra está errado comigo? Quero dizer, o garoto era bonito, pelo menos, a uma distância não havia como negar isso, mas parecia que ele estava no colégio e eu não estava em meninos do ensino médio, com certeza. Eu tinha que admitir, porém, que aquele esfregão de cachos castanho-avermelhados era encantadores e a maneira como ele se movia era tão graciosa que quase não parecia que ele colocava qualquer esforço em tudo. Oh, Jesus. Fale com o cliente, Miles. Olhei para cima de qualquer maneira. Onde ele estava? A loja estava começando a se esvaziar. Fiquei contente, desde que eu era suposto ter fechado quase vinte minutos antes. Mesmo através da minha felicidade de ter o longo trabalho noturno final, eu estava começando a entrar

44


em pânico. Onde o garoto foi? Deus, por que eu me importo? Eu não podia negá-lo embora. Esse sentimento de pânico... a inquietação estava lá. A sério. O que estava errado comigo? Primeiro um lobo e, agora, um garoto novinho que era chave de cadeia eu não sei mesmo? Seria melhor voltar para babar sobre o Zack indisponível! Os dois últimos clientes saíram pela porta e eu a tranquei atrás deles, dando um suspiro de alívio. Ele ainda estava lá. Como a multidão saiu, eu poderia facilmente sentir a presença do garoto. Eu não queria nem começar a considerar como. "Olá?" Eu falei para o silêncio geral, sentindo-me um pouco idiota. "Existe alguém ainda aqui? Estou fechando." Eu ouvi um barulho, e lá estava ele, oscilando para fora no corredor com uma grande pilha de livros. "É tarde demais para levar estes?" Sua voz era suave e quente como o chá com mel e leite. Ele parecia um pouco mais velho do que aparentava. Eu tremi um pouco. Obtive uma aderência e interrompi a averiguação do miúdo, panaca! "Está bem. Eu ainda não fechei o caixa.” "Obrigado." Ele empilhou os livros no balcão, empurrando o cabelo da testa com uma varredura impaciente com a mão. No segundo em que eu vi seus olhos emergir atrás de sua franja, dourados e um pouco selvagem, eu senti meu coração começar batendo lento. Não podia ser. Tinha que ser. "É você", eu sussurrei.

45


Sem sequer pensar, eu andei ao redor do balcão, lento e constante, aproximando-me dele em cada passo. Eu quase estendi as mãos como eu as tinha antes. Ele parecia um pouco assustado. Eu estava apavorado, eufórico, tudo. "É você, não é?" Ele assentiu. Eu me aproximei. Ele estendeu a mão e colocou-a no meu peito, palma da mão contra o meu coração se debatendo. Sua outra mão se movia lentamente para cima, até que enrolou em volta do meu pescoço, os dedos afundando quente e suave no meu cabelo. O menino olhava para a mão o tempo todo, quase como se ele não estivesse controlando a si mesmo. Então ele olhou para o meu rosto. Nós éramos exatamente do mesmo tamanho; seus olhos se encontraram com os meus, enormes e dourados com cílios longos deslumbrantes. Eles eram tão bonitos. "Eu achava que eu nunca ia te ver de novo", ele sussurrou, com uma voz rouca. Eu não disse nada. Em vez disso eu fiz algo que eu nunca poderia ter me imaginado fazendo em um milhão de anos. Puxei sua cabeça estreita e esmaguei meus lábios nos seus. Eu não acho que precisava perguntar se ele gostava de caras, não me importava o quão jovem ele aparentava, eu só sabia que eu precisava beijá-lo. Eu precisava dele desde a noite em que nos conhecemos, desde que eu achava que ele era um lobo e eu estava louco, mas eu tinha que tocá-lo de qualquer maneira. E, oh, aquele beijo.

46


Ele explodiu em torno de nós, e eu juro por Deus que o mundo parou. Brega, eu sei, mas eu senti. Tudo girava em círculos vertiginosos, em seguida, fundiram-se em uma bola brilhante apertada em torno de nossos corpos e segurando tudo perfeitamente ainda. Eu provei o sabor na minha língua, sentiu seus gemidos suaves vibrar no fundo do meu peito. Meu estômago flutuou cheio de felicidade com a fusão vibrando. Envolvi os meus braços sobre seus ombros e com as mãos na cabeça dele, puxei-o para mais perto da minha boca, para perto de mim. Eu precisava dele, muito. Ele era como o ar, como a água, necessário para sobreviver. Recusei-me a acreditar que eu era o único a sentir. Ele passou os braços em volta da minha cintura e espalmou as mãos na parte inferior das minhas costas, me apertando. Naquele momento, quando ambos nos rendemos ao que tinha vindo sobre nós, eu senti o início da terra se mover novamente, mudando como se tivesse estado fora de ordem e de repente se endireitou. Eu podia senti-lo tremendo e apertei meus braços, protegendo-o da tempestade que estava caindo sobre nós. Era elementar, essa coisa de puxar-nos juntos, era fogo e enxofre e não podia ser interrompido. Nós finalmente afastamos os nossos lábios longe um do outro, ofegantes. Ele parecia abalado e com um pouco de medo. Eu tenho certeza que eu estava também. Eu abri minha boca para falar, para dar-lhe o meu nome ou pedir o seu, para lhe dizer que eu estava esperando por ele sempre, mesmo antes de eu saber que ele existia. Eu não tive a chance de dizer alguma coisa. Seus olhos se arregalaram e ele se virou, puxando para fora dos meus braços. "Espere!" Eu chorei, mas já era tarde demais.

47


Ele virou-se e correu para a porta, se atrapalhando com o bloqueio antes dele abri-la e correr para a noite. Eu fiquei ali em choque total por longos minutos, incapaz de sequer comeรงar a processar o que tinha acontecido. Eu finalmente vi o meu lobo, ele era real e ele era humano como eu de alguma forma sabia que ele seria. Eu o beijei, eu toquei nele. Ele fugiu de mim.

48


Capítulo 4 Depois da Tempestade Eu não sei o que me aconteceu naquela noite depois do beijo, depois que meu lobo fugiu. A realidade não havia entrado em cena, no entanto, isso era certo. Eu sei que eu cheguei à casa de alguma forma. A primeira coisa que eu lembrava claramente era que eu estava deitado na minha cama olhando para o teto com a minha dor de estômago como se alguém estivesse tentando arrancá-lo. Era um pouco como a noite em que eu o vi pela primeira vez, quando a realidade desapareceu em pedaços grandes, mas ao mesmo tempo foi muito mais intensa, pior... quase impossível de descrever. Eu tinha perdido ele originalmente, senti-me tonto e feliz por tê-lo visto, eu queria vê-lo novamente. A necessidade de tocá-lo, sentir seus olhos me observando havia crescido lentamente ao longo das últimas duas semanas para o ponto onde ele era quase tudo o que eu conseguia pensar. Mas isso era diferente. Muito mais do que pensar, muito mais difícil do que querer. Foi terrível. Assim que ele saiu da loja, meu corpo começou a doer. Era apenas desconfortável no início, então eu escrevi-o como exaustão e estresse de mais uma noite estranha, fechei rapidamente e juntei minhas coisas para ir para casa e chegar vivo. Minha mente ainda estava girando na névoa durante a maior parte da caminhada, mas quanto mais eu longe ficava do lugar onde eu o tinha beijado era pior a dor. Chegou a um ponto que eu nem estava pensando no lobo mais, porque a única coisa que parecia existir no meu

49


universo era a dor ardente que ameaçava me rasgar ao meio. Até o momento em que eu cheguei ao meu apartamento, eu estava quase dobrando e mal conseguia andar. Eu tinha me banhado e me jogado na minha cama, rolando de costas para agarrar o meu abdômen e esperando que a dor fosse embora. Mas ela não iria. Não importa o que eu fizesse. Eu tentei vomitar, mas não consegui. Eu não podia comer ou beber nada. Eu não estava doente, embora. Eu sabia o que estava causando a dor insuportável que me rasgava. Isso era óbvio. Ele estava causando isso. Se ele queria ou não, toda a dor tinha algo a ver com ele. Pelo menos esse sentimento de esmagamento estranho se foi. Fiquei surpreso que eu tinha a força para o sarcasmo. Mesmo o pensamento de sorrir magoava. A dor era tão ruim que encheu meus olhos de água, o que me deu uma dor de cabeça e fez tudo pior, é claro, mas eu não poderia ajudá-lo. Por que ele fugiu de mim? Tudo o que eu queria desde o segundo em que primeiro toquei era estar perto dele. O que estava acontecendo para mim, para nós? Era de alguma forma minha culpa? Percebi naquele momento que eu não estava sequer questionando o fato de que ele era uma espécie de lobisomem. Isso nem sequer passou pela minha cabeça ser cético. Eu sabia que era verdade, sentia que ele era meu lobo em cada canto remoto do meu corpo. Eu não tinha a energia para saber como isso era possível. Eu só sabia que precisava ir atrás dele. Eu não fui para a escola no dia seguinte, nem no outro dia seguinte. Eu não poderia mesmo sair da minha cama porque doía muito. No terceiro dia,

50


eu mandei uma mensagem para Lisa e disse-lhe para deixar Hawthorne saber que eu ainda estava realmente doente. Ela parecia preocupada, mas eu assegurei a ela que eu só tinha uma gripe e ela provavelmente deve ficar longe. Eu não tinha ideia do que eu ia fazer para tornar-me melhor. Bem, isso não era bem verdade. Eu sabia o que precisava fazer; Eu só não sabia como eu iria fazê-lo. Eu precisava encontrá-lo, mas seria quase impossível encontrar um cara no meio de Manhattan, especialmente porque meu corpo está tão mal que eu não conseguia nem ficar de pé. Nessa terceira noite, por volta das seis horas, eu acordei do meu meiocochilo desconfortável com o som de alguém batendo na minha porta. Oh Deus. Lisa. Eu disse a ela para não vir. Essa menina nunca ouve ninguém. Com um esforço considerável, eu arrastei meu corpo da cama e comecei avançando meu caminho até a porta. Lisa bateu de novo, mais insistente dessa vez. "Estou indo," eu falei, e fiquei surpreendido por quão débil minha voz soou. Eu finalmente cheguei à porta e lutei para abri-la. Fiquei chocado de ver que não era Lisa, mas Zack parado do outro lado. Ele parecia preocupado e mais intenso do que eu já tinha visto ele parecer na escola. "Eu tinha o seu endereço da lista de classe de Hawthorne. Eu vim aqui para ver se você ainda estava vivo." "Mal", eu gemi. Ele entrou no apartamento e fechou a porta atrás dele.

51


"Eu não quero que você fique doente", eu protestei. Eu sabia que não deixaria um doente, mas eu não queria responder a perguntas também. "Eu vou ficar bem." Ele me levou para o meu pequeno sofá e me ajudou a sentar sentando no braço. "Escute, Miles, há algo que eu possa fazer por você? Eu sei que sua família está na costa oeste e eu estou realmente preocupado. Lisa está preocupada, também.” "Não, eu estou bem." "Você não está bem. Você parece como a morte. Você acha que pegou algo de um dos clientes?" Eu balancei minha cabeça. Eu não tinha energia para fazer alguma história do nada. "Não, não é assim. Eu só..." Eu não sabia como dizer a coisa impossível e louca que eu provavelmente não deveria dizer. Então, eu só cuspi-o. "Eu acho que tem a ver com o cara com os olhos de lobo. Oh, Jesus. Você vai pensar que eu sou louco." Zack riu baixinho, o que me surpreendeu. "Acredite em mim, Miles, eu sei tudo sobre nozes. Apenas me diga o que está acontecendo." Baixei a cabeça por longos minutos, tentando pensar em como eu iria contar a minha história para este próximo estranho que eu só tinha visto como um cara bonito que eu estava com medo de falar. Olhei para ele, pronto para sair de frangote e não dizer nada, mas me tranquilizei quando vi nada além de bondade e compreensão. Ele realmente queria me ajudar. Eu balancei a cabeça e cerrei os dentes. Eu tive que dizer a ele. E não era como se

52


houvesse uma fila de pessoas fora da minha porta esperando para me ajudar a lidar com os meus problemas com o menino-lobo. Percebi que Zack podia a ser minha única esperança de conseguir resolver a bagunça em que eu estava. Ajude-me, Zack Parker; você é minha única esperança... Eu sufoquei uma risada dolorosa para a imagem que me veio na minha cabeça: eu me ajoelhado no chão em um vestido branco com capuz. Então eu levei um fôlego tão profundo quanto eu pudesse sem pestanejar e comecei a falar. "Ok, bem, para começar, o cara com olhos de lobo, bem, ele não só tem olhos de lobo. Ele é..." "Um lobo?" Para o seu crédito Zack não estava olhando para mim como se eu fosse louco, ainda. Na verdade, ele parecia... droga! Eu sabia que ele sabia de alguma coisa quando ele continuou me dando todos esses olhares estranhos na sala de aula. "Sim. Ele é um lobo. Posso dizer que você sabe alguma coisa, Zack. Quem é Você? O que você sabe sobre ele?" Zack sorriu gentilmente. "Nós vamos chegar a mim em um minuto. Diga-me exatamente o que aconteceu." Eu respirei fundo e fechei os olhos por um minuto antes de começar. "Eu entrei em um pouco de dificuldade, há algumas semanas, e o lobo veio em meu socorro. Tudo que eu lembro é que ele era enorme e da cor de gengibre e tinha grandes olhos de ouro." Eu parei, olhando para Zack e esperei para o julgamento infiltrar-se em seu rosto. Eu não vi nada, apenas preocupação e curiosidade.

53


"Então, três noites atrás, eu estava na loja de novo, fechando, e o lugar estava deserto, exceto por um último cara. Eu me senti atraído por ele a noite toda, como se eu tivesse que segui-lo com os meus olhos. Eu poderia lhe dizer onde ele estava a qualquer momento, eu teria sentido se ele tivesse deixado a loja. Mas de qualquer maneira, ele veio para o balcão com essa enorme pilha de livros e quando ele abaixou-os, vi seus olhos, os olhos do lobo. Eu o beijei, Zack. Beijei o menino lobo e, em seguida, ele fugiu de mim. Eu me senti assim desde então." Zack suspirou e colocou a mão sobre a minha. "Eu vou ajudá-lo a ficar melhor. Eu acho que nós descobrimos o que está acontecendo aqui." "Você descobriu?" Isso não estava nem perto da reação que eu estava esperando. Eu nem sequer quero pensar sobre quem "nós" era. "Eu acho que sim. Vamos levá-lo de volta para a cama agora." Olhei para o relógio. "Na verdade, eu tenho que tentar ir para o trabalho. Prometi Ralph eu não levaria mais uma noite fora." Zack me deu um olhar que me fez lembrar tanto da minha mãe que eu tive que rir o qual se transformou em um gemido porque doía muito. Ele balançou sua cabeça. "Só podes estar brincando comigo. Você mal consegue andar, como diabos você estará indo para o trabalho?" Eu não sabia como eu estava indo para começar a trabalhar, mas eu sabia que eu não ia ter mais estranhos em meu apartamento horrível. Tendo Zack vendo ele já era humilhante o suficiente.

54


"Você acha que pode corrigir isso?" Fiz um gesto para mim. Zack assentiu. "Então, vamos corrigi-lo já. Eu não quero deixar Ralph em falta." Não é o meu motivo real, mas teria que fazer. "Eu não o imaginava como para um teimoso," Zack murmurou. Eu olhei para ele em silêncio. "Bem. Vá ficar pronto. Vou esperar aqui e levá-lo para a loja, ok?" "Você sabe onde eu trabalho?" Zack sorriu. "Sim. Lisa foi... informativa." Eu gemi, não querendo saber o que ela tinha escolhido para dizer a ele, e arrastei-me para cima para me vestir. A caminhada pelas escadas para a rua foi lenta. Dolorosa não era nem uma palavra suficiente para a agonia que rasgava através de mim a cada pequeno movimento. Zack envolveu meu braço em volta dos seus ombros e chamou um táxi. Tentei protestar, mas ele me disse que não havia nenhuma maneira que eu estaria andando a milha ou assim para a loja e nem sequer pensei em discutir com ele. Eu queria tanto falar com Zack, para descobrir o que estava errado comigo e o que ele sabia sobre o menino-lobo, mas eu não tive a chance. Ele pegou seu telefone no minuto em que ficamos garantidos na cabine. Táticas evasivas se eu alguma vez vi isso. "Bebê? Sou eu." Ele sorriu para o que quer que foi dito no outro lado do telefone, o rosto suavizando como eu nunca tinha visto antes. "Escuta, você estava certo, afinal. Eu tenho Miles. Ele parece tão ruim, se não pior. Obtenha

55


a bunda teimosa do PC até a Village Books, eu não me importo se você tiver que amarrá-lo. Isto não pode continuar." Eu abri minha boca para começar com as perguntas, mas Zack levantou a mão. “...Ok, nós vamos estar lá em dez minutos. Eu também te amo." Ele fechou seu telefone e colocou-o de volta no bolso de sua calça jeans. "O que está acontecendo, Zack? Quem é PC?" Ele sorriu de novo, irritantemente sem informar-me. "Eu acho que você não terá nenhum problema em reconhecê-lo." Eu deixei o assunto cair e concentrei-me em vez disso, segurando meu estômago e tentando não cair. Ralph ficou horrorizado quando eu entrei na porta da livraria: mancou era mais parecido com ele. Eu estava inclinando-me como um homem velho com Zack ao meu lado, a meio caminho me segurando. "Oh meu deus, Miles. Eu não tinha ideia que estava assim tão mau! Eu nunca lhe pediria para vir. Você precisa ir para casa, filho. Megan ficou doente também. Deve haver alguma gripe acontecendo ao redor." Gripe minha bunda. Havia um grande concerto no Madison Square Garden naquela noite. Esse foi o meu melhor palpite a respeito de onde a pobre doente Megan estaria. Fiquei aliviado que ela não estava lá. Sua atitude mal-intencionada era a última coisa que eu queria lidar. "Está tudo bem, Ralph. Estou aqui agora, então eu posso também ficar. Este é meu amigo, Zack. Ele tem me ajudado. Ele vai ficar comigo esta noite." Eu não sabia se isso era verdade, mas eu queria ter Ralph indo para casa para

56


que eu pudesse entrar em colapso em paz. Além disso, eu tinha uma sensação de que algo iria acontecer em poucos minutos que Ralph não precisa ver. Demorou um pouco ser convincente, principalmente por parte de Zack, mas finalmente conseguimos que meu chefe em causa aprovasse e fosse para casa. Assim que ele saiu, eu fiz, de fato, fui para a pia não muito graciosamente para o banco atrás do balcão. Eu coloquei minha cabeça sobre o laminado frio e me concentrei na respiração. Zack parecia que ele estava planejando ficar, como se estivesse começando a ser um amigo. Era difícil dizer. Após a última hora ou assim, ele não era apenas um ajudante de professor mais, ou até mesmo o barco dos sonhos intimidante que ele tinha sido uma vez. Isso era certo. A pergunta é: quem era ele? Eu estava começando a pensar que não tinha nenhuma pista. "Você vai me dizer o que está acontecendo agora?" Eu mal tinha energia para sussurrar. "Eu o conheço." Ele disse tão baixinho que era difícil de ouvir. "Você sabe quem é o meu lobo? Era disso que você estava falando no telefone? PC é o nome dele?" Zack assentiu. "Sim, PC é o nome dele. Ele é um dos meus melhores amigos. Não tínhamos ideia do que estava errado com ele em primeiro lugar. Então eu comecei a colocar os pedaços juntos até que você apareceu doente, também. Havia apenas coincidências demais." "Demasiadas coincidências para o quê? O que está acontecendo comigo?".

57


"Está acontecendo a vocês dois. É porque você está distante. Você vai se sentir melhor quando ele chegar aqui, eu prometo. Pelo menos eu tenho noventa e nove por cento de certeza que vai." Cada célula do meu corpo sabia que Zack estava certo. Apenas o pensamento de vê-lo me fez sentir um pouco melhor. "Como você sabe isso? Quem é Você?" "Eu sou Zack e eu estou tentando ajudá-lo. Vamos apenas deixá-lo lá por enquanto. O que é importante é você ficar melhor." Comecei a protestar e suas evasivas continuaram, mas só então o carrilhão por cima da porta tocou. Ergui a cabeça para ver duas figuras que entraram pela porta. Um deles era um loiro, pálido e etéreo. Notei fugazmente que era uma das pessoas mais bonitas que eu já vi, mas sinceramente que não seja a primeira impressão, eu quase não o vi. Tudo o que realmente me importava era o cara que ele tinha apoiado, caminhando lentamente curvado. Era ele. Meu lobo. Ele parecia ainda mais terrível do que eu me sentia... Bem mais terrível do que eu estava sentindo. A dor estava indo embora, drenando de cima de mim como uma memória ruim. Eu não sei como descrevê-lo além de dizer, logo que ele estava na mesma sala que me senti visivelmente... melhor. Levantei-me e dei a volta no balcão, assim como eu fiz algumas noites antes. Ele acelerou e caminhou em minha direção, fechando a distância até que estávamos embrulhados firmemente nos braços um do outro. "Eu sinto muito," ele sussurrou.

58


Eu não respondi. Eu estava muito ocupado com a respiração dele, sentindo o deslizar da dor completamente longe até que eu senti o que tive na outra noite. Perfeito. Ele se afastou-se um pouco e roçou os lábios sobre os meus. A memória do nosso primeiro beijo me bateu na cabeça duro e rápido. De repente, eu mal podia respirar. "Eu não teria ficado longe se eu soubesse que estava afetando você, também. Eu pensei que era apenas comigo por causa do que eu sou." Eu balancei a cabeça em silêncio e puxei-o para perto, mais uma vez, incapaz de falar e não estando pronto para ser separado até mesmo por uma polegada. Por cima do ombro, notei o cara louro bonito e Zack abraçados, sorrindo. Eu finalmente me afastei, mas arrastei minhas próprias mãos para baixo pelos braços dele até que eu pudesse meter os dedos juntos. A necessidade de tocá-lo era tão forte. Eu sabia instintivamente que provavelmente iria doer um pouco, se eu deixasse-o ir. "Meu nome é Miles. Nós nunca sequer nos apresentamos na outra noite. Bem, na verdade não, desculpe por isso pelo caminho." Corei. "Eu sou PC e não se desculpe. Você não entendeu o que estava acontecendo para nós mais do que eu fiz." Ele retirou uma de suas mãos da minha e tocou um dedo na minha bochecha. "É bom conhecê-lo, finalmente." Eu ri trêmulo quando ele me deu um sorriso trêmulo e sacudiu a cabeça. "Eu não posso acreditar nisso. Eu nunca teria escolhido isso para nenhum de nós. Eu não posso nem começar a dizer o quanto estou triste." Nunca teria escolhido o quê?

59


"Alguém vai finalmente me dizer o que diabos esta acontecendo conosco?" Eu vi Zack e seu namorado trocarem olhares com PC. "Quem quer começar?"Perguntou o belo loiro. "Eu acho que talvez eu devesse. Vamos sentar." PC apontou para uma das mesas de café que tinham montado no meio da loja. "Primeiro de tudo, este é Noah, um dos meus melhores amigos, e eu acho que você conhece Zack, outro dos meus amigos mais próximos. Eu não posso acreditar o quão pequena esta cidade é." PC sacudiu a cabeça em silêncio. "Oi, Miles." Noah sorriu estendendo a mão. Sacudi-a, sentindo-me confuso. Era interessante ver Zack com ele. Eu sabia que Zack tinha um namorado, mas vê-los juntos, ver o quanto eles eram próximos fez um calor no meu estômago. Era quase como se eles não estivessem se tocando fosse doloroso. Noah tinha o braço pendurado no encosto da cadeira de Zack, com a mão em concha possessivamente em torno do ombro de Zack. Zack descansou a palma da mão sobre o joelho de Noah e olhava para ele com um sorriso em todos os poucos minutos. Eu estava com inveja de sua intimidade. PC estava me tocando, também, embora. No segundo em que nos sentamos ele estendeu a mão e puxou minha mão em seu colo e enrolou-a em torno de sua coxa, como se ele tivesse feito isso mil vezes antes. E mesmo que ele não tivesse me tocado que eu teria me aproximado e iniciado o contato. Eu precisava disso. Nós dois precisávamos. O que estava acontecendo entre nós fazia tocar imperativo. Mas eu poderia dizer que não era algo que ele estava acostumado. Talvez tenha sido uma impressão restante da primeira noite, mas ele parecia um pouco como um animal selvagem para mim, arisco, talvez

60


desconfortável em bairros próximos. E depois do inferno dos últimos três dias eu não queria pensar sobre o que aconteceria se ele fugisse de mim novamente. Seu toque me fez sentir mundos melhor. Tive a certeza que eu tinha uma aderência segura em sua mão. "Então, você tem que saber o que eu sou certo?" PC virou-se para mim. "Bem, eu sei que você era o lobo, e você é você, mas o que é o nome para ele? Você é... um lobisomem?" Eu não podia acreditar que a palavra tinha acabado de sair da minha boca, mesmo com uma queda de sinceridade. Era loucura. Era inegavelmente real. Eu não tinha escolha a não ser lidar com isso. PC me deu um sorriso irônico. "Esse é a sua pessoa saindo livre da cadeia, desde que você não sabia." Ele apertou minha mão. "Eu sou um lycan, não um lobisomem. É diferente." "Como? Eu nunca ouvi os dois usados indistintamente." "Aos idiotas," ele murmurou. "Lobisomens são na lua cheia tipos tradicionais de cães raivosos. Eles não podem controlá-lo, eles não podem pará-lo. Você não quer estar em qualquer lugar perto de um deles quando eles estão gradualmente mudando se você puder se ajudar. Lycans são mais como o que você chamaria de um metamorfo. Nós podemos mudar quando queremos. A única vez que isso acontece acidentalmente é quando estamos com raiva. E quando estamos em nossa forma de lobo continuamos racionais. Nós sentimos impulsos animais o tempo todo, mas podemos controlá-los, às vezes com mais facilidade do que outros."

61


Zack e Noah riram. Imaginei que ambos tinham sido no fim de recepção de um de seus momentos não tão controlados. "Oh." O que mais eu poderia dizer? "E quando você chegou... se transformou em um lycan?" "Nunca. Eu nasci um. A minha mãe vem de uma família muito antiga de lycans, meu pai era humano, bem, pelo menos ele nasceu assim. Eu não comecei a mudar até que eu completei dezoito anos embora. Início tardio". "Espere, quantos anos você tem agora?" Eu tinha assumido que ele era jovem. Dezoito teria sido empurrando-o. "Vinte e quatro." Meu queixo caiu. Como isso era possível? A boca de PC se curvou em um sorriso irônico no meu choque óbvio. "Uh, eu parei de envelhecer quando eu comecei a me transformar. Então, fisicamente, eu ainda sou um imbecil de dezoito anos de idade." "E mentalmente ele tem treze," Zack murmurou. PC inclinou-se sobre a mesa para empurrá-lo e os dois riram. Dei um suspiro de alívio. "Você não tem ideia de quantas vezes eu me dei o discurso: roubando berço, na outra noite quando eu não conseguia parar de olhar para você." "Como você pode falar. Quantos anos você tem?" "Acabei de fazer vinte e dois anos a um mês. Eu estou no seminário de escrita sênior de Zack, lembra?" Zack revirou os olhos.

62


"Eu queria que fosse meu. E não daquela espécie de bastardo do Hawthorne, não é?” Eu balancei a cabeça. "Gênio, mas um bastardo. Então, qual é o seu negócio? Como é que você sabe sobre PC?" Eu corei quando eu percebi que pode não ser o meu negócio. "Eu sou amigo de PC há alguns anos. Eu apresentei-o a Zack." Foi a primeira vez que Noah tinha falado desde que nós nos reunimos. Eu gostei da bondade em sua voz. Ele parecia tão suave. "E você também é um...?" Eu ainda tinha dificuldade em dizer a palavra em voz alta, mas eu tinha certeza de que sabiam o que eu queria dizer. PC riu. "Ok, certo. Ele deseja..." Eu imaginei que ele provavelmente não era de qualquer maneira. Ele não tinha esse olhar selvagem em seus olhos, e eles eram azuis em vez de ouro brilhante. "Nenhum de nós somos lycans," Noah respondeu sem brincar com sarcasmo que parecia ser o tom habitual de PC. Noah olhou para Zack. Eles pareciam estar tendo uma conversa muito envolvida, mas não disseram uma única palavra. "Eles fazem isso," PC sussurrou. "É uma espécie de coisa repugnante." "Nós estávamos tentando decidir se era o momento certo para dizer a Miles o restante." Zack revirou os olhos para PC. Eu olhei para eles com expectativa. "E eu espero desde que você acabou de dizer isso em voz alta, a resposta é sim."

63


Eles trocaram outro olhar em silêncio. Então Noah assentiu. "Você vai ter que tomar algumas coisas sobre a sua crença aqui. Você já acredita que PC é o que ele é. Você viu por si mesmo." Eu balancei a cabeça, uma vez que realmente não havia como negar. "Bem, eu tenho vinte e dois anos como você," ele começou e sorriu. "Mas fisicamente, assim como PC, eu tenho dezoito anos. E eu vou ter para o resto da minha vida." "Mas eu pensei que você disse que não era como ele." Eu estava confuso. "Eu disse que não era um lycan. E eu não sou. Mas eu sou imortal. Eu sou um vampiro, Miles. E assim é Zack." Meu queixo caiu novamente. Impossível. Olhei para Zack e ele concordou. PC me puxou para mais perto dele. Ele deve ter sido capaz de sentir minha angústia. "Você é realmente um vampiro?" Minha voz soou fraca, chocada. "Sim, é verdade. Eu sei que é muito difícil de engolir. Poderíamos provar isso, se você quiser assistir, mas você teve um longo dia. Outra vez pode ser melhor." Zack me deu um olhar compreensivo. "Há quanto tempo você...?" Eu não poderia mesmo cuspir uma frase inteira. "Noah foi transformado a pouco mais de quatro anos atrás por um vampiro ladino que estava tentando matá-lo. Eu fui transformado no ano passado. Por Noah." Eu engoli em seco. "Por quê?" "Porque eu queria estar com ele para sempre. Foi uma escolha fácil."

64


Eu balancei a cabeça. Eu poderia dizer pela forma como eles olharam um para o outro que seria. Minhas perguntas ainda não acabaram, embora. "Então, vocês dois são vampiros, PC um lycan, e eu sou apenas uma criança que trabalha em uma livraria." "E escreve histórias surpreendentes," Zack interrompeu. Eu sorri para ele por um segundo. "Isso ainda não explica o que está acontecendo entre nós. Quero dizer, por que estávamos tão doentes?" "Noah tem uma teoria," Zack, murmurou. PC parecia muito desconfortável. "Uma teoria que eu odeio", ele murmurou. "É algo que nem sabia que era real", Noah interrompeu. "Eu nunca ouvi falar disso acontecer, a não ser em histórias", PC me disse. "E eu conheço um monte de lycans." Sim "O que é isso?" Era algo de errado comigo? "Você já ouviu falar de imprinting?" Eu olhei para Noah em silêncio por alguns segundos, depois gargalhei. "Quer dizer, como imprinting lobisomem, como nas histórias? Onde o lobo e o humano estão ligados por algum vínculo mágico invisível e ninguém pode mudar isso?" Parecia ridículo, mas depois que parte de minhas experiências recentes não parecia ridículo para um estranho? "Isso é real?"

65


"Não, não é." PC olhou para Noah. "A palavra-chave existe histórias. E eu não sou um lobisomem." Ele murmurou a última parte quase como uma reflexão tardia. "Desculpa. Eu esqueci." "Está tudo bem", ele respondeu colocando em seu rosto um sorriso suave. Em seguida, ele se inclinou e deu um beijo casual no meu ombro. Com o canto do meu olho, eu vi Zack beliscar Noah. Eles trocaram sorrisos tranquilos. Imaginei que o gesto devia ser completamente fora do personagem para PC. Por isso eu tinha que fugir daqui a 'vibração‟ estava inundando constantemente em mim através do lugar onde estávamos nos tocando. Ele queria correr. À suavidade que eu vi no rosto dele tinha de ser novo para alguém como ele. "Eu acho que PC está errado", Noah combateu. "Tudo o que vocês estão passando seriam considerados sinais clássicos de imprinting. A atração impotente instantânea, a necessidade de tocar o outro, e PC me disse que ele sentiu você estar em perigo antes mesmo de saber que você existia. A maneira como ele quer funcionar como um morcego fora do inferno, mas não pode suportar deixar ir a sua mão o tempo suficiente para fazê-lo." Ele olhou incisivamente para PC que encolheu os ombros, a contragosto reconhecendo que Noah estava certo. "O maior indício foi à dor física quando você está distante. Para mim isso foi o mais perto. Não pode ser qualquer outra coisa. e tudo se alinha também perfeitamente." "Mas isso não existe!" A voz de PC soou um pouco desesperado. "Tendência minha. Miles solte sua mão por um segundo."

66


Hesitei, não querendo perder o contato, mas eu percebi que precisava saber com certeza. Então eu deixei ir, e imediatamente me senti... Não tão bom. Não era dor incapacitante, como quando ele fugiu, mas não era confortável por qualquer definição. Eu queria que fosse mais. Sem pensar, peguei a mão dele novamente, ele inclinou-se instintivamente e num instante eu me senti muito melhor. Ele gemeu baixinho. Ninguém precisava dizer uma palavra. Portanto, no fundo, eu só me sentia bem se eu estivesse colado ao lado de PC e ele só estaria bem se ele estivesse me tocando também. Como eu poderia viver assim? Como estaria ele? "Como isso aconteceu?" Eu tinha uma longa lista de „como‟ este, mas esse saiu em primeiro lugar. "Nós não temos ideia. Até comecei a pesquisar os sintomas de PC, a ideia de que imprinting era real nunca passou pela minha mente." Noah parecia apologético. "Então você não sabe como isso aconteceu e eu estou supondo que você não sabe como se livrar disso. Esta situação é impossível", eu murmurei. "Não brinca," PC concordou. "É a última coisa que qualquer um de nós precisa. Nós vamos ter que entrar em contato com minha mãe. Veja se há alguma maneira de quebrá-lo – se for imprinting realmente ainda existe e esta é apenas alguma outra fodida bagunça." Doeu quando ele disse isso, o que me pegou desprevenido. Eu apenas disse que a situação sugava e eu quis dizer isso. Minha mente concordou inteiramente com ele... Mas quando estávamos nos tocando, meu corpo não queria nada mais do que estar perto dele. E a necessidade estava ficando mais

67


forte. Fechei os olhos e apertei-os juntos, tentando lutar contra o instinto com a razão. O motivo estava começando a perder. Vi Zack me dar um olhar pensativo. Eu desviei o olhar, não querendo que ele ou qualquer outra pessoa visse o que provavelmente estava escrito em meu rosto. "Até PC falar com sua mãe vocês dois realmente não pode se separar. Nós vimos o que acontece." "Então ele fica aqui comigo enquanto eu trabalho, mas o que dizer de hoje à noite?" Eu podia sentir-me corando. "O seu lugar será mais silencioso." Ótimo. Meu lugar. "Não é muito bom." "Está bem. Acredite você não quer que os meus companheiros de quarto entrem no meio disto. Elas são ambas duas mulheres intrometidas e gostariam nada mais do que para provocar a merda fora de mim e por associação a você, também." Eu sabia que não tinha vontade de lidar com nervosos, de boa índole ou não. Os últimos dias tinham sido longos o suficiente e eu estava pronto para o silêncio. "Ok, o meu lugar então."

68


Capítulo 5 Ligados Foi interessante tentar obter o trabalho feito com PC na livraria. Tal como na primeira noite, mas ainda pior, uma vez que em vez de apenas observá-lo, meu corpo queria estar tocando o seu o tempo todo. O desconforto quando não estávamos nos tocando não era tão mau como foi antes. Parecia que assim que meu corpo percebeu que ele não estava fugindo novamente, tornou-se mais confortável com dando-lhe uma coleira por mais tempo, por assim dizer. Isso não queria dizer que meus dedos não o procuravam e no segundo quando eles não estavam ocupados, eles o fizeram, e nós quase fomos pegos pelos clientes nos beijando algumas vezes, pois me sentia tão bom estar nos braços um do outro. PC parecia estar tomando um pouco mais no tranco do que tinha anteriormente. Talvez eu estivesse apenas mantendo-o drogado com o meu toque, ou talvez ele estivesse operando com a esperança de que sua mãe lycan iria precipitar-se e salvar o dia para descobrir como nos separar. Eu sabia que ele estava ansioso para ficar livre de mim, mas tão improvável e impraticável como a ligação foi, eu já me encontrei gostando. Era bom estar conectado a ele. Eu não estava completamente certo de que eu queria que fosse quebrado. O fato de que eu tinha pensado nisso por um segundo assustou o inferno fora de mim. Tentei me preparar, me afastar e não ser sugado pela necessidade de seu toque.

69


Nem sequer pensei sobre essa estrada muito menos ir para baixo. Lembre-se de como se sentia quando estava quase a morrer mais cedo. Prático, Miles. Seja prático. Minha resolução de praticidade durou cerca de trinta segundos, até que foi completamente engolida pelo enxame de borboletas que levantou voos na minha barriga quando ele estendeu a mão e cravou os dedos nos meus cabelos senti um formigamento sensível no meu pescoço. Nós não falamos muito, a loja esteve cheia durante toda a noite, mas eu tinha que admitir que eu gostasse de olhar por cima e vê-lo lendo na ponta do balcão da caixa registradora, com um café na mão. Eu tinha ficado chocado quando ele apareceu para o meu registro com um café com leite fumegante para cada um de nós. Aparentemente, ele se atreveu a ir onde nenhum homem tinha ido antes... Por trás do templo de perfeição da cafeína de Megan. E tenho certeza que os resultados foram tão bons quanto o seu. Pena que eu estava distraído demais para saboreá-lo. Os detalhes diárias normais, como o sabor do café e tudo o que foi que os clientes me disseram não parecia importar no âmbito de toda a noite. Eu ainda estava me recuperando da qualidade surrealista que a minha vida de repente tornou. Eu ainda não conseguia compreender o fato de que PC era real; ele realmente era o lobo que eu tinha visto no beco, e ele estava sentado com um livro apenas quatro metros afastado atirando-me bonitos sorrisos quando ele me pegava olhando para ele. E cada vez que a loja estava vazia, eu derivava sobre ele ou ele viria para mim e antes que eu percebesse, estaríamos tocando, beijando, abraçando um ao outro perto e respirando lentamente. Uma grande parte de mim estava

70


ansiosa para falar. Eu ainda tinha dúvidas, que eu não tinha certeza de que ele ainda tinha as respostas. Além disso, eu queria ficar e conhecer mais sobre esse cara que eu estava ligado tão próximo, o cara que já tinha o poder de me fazer se sentir pateta, tonto e oscilante, como se eu não conseguisse parar de sorrir. Estávamos tão fisicamente confortáveis um com o outro que parecia que estivemos juntos a vida inteira, mas tudo o que eu sabia sobre ele era o seu nome e o fato inacreditável, mas inegável que ele era humano e um lobo e ele existia... e que quando ele me beijava era tão bom que eu nunca queria parar. Eu queria fechar a loja mais cedo naquela noite. Com os acontecimentos dos últimos dias, eu senti que merecia uma hora ou assim, fora. Infelizmente, uma sequência razoavelmente consistente de clientes manteve-se vindo através da porta. Toda vez que eu pensava que eu poderia fechar e desligar as luzes, mais um entrava. E desde que a placa na porta dizia que a loja estava aberta até as onze, não havia muito que eu pudesse fazer a não ser sorrir e esperar. Como resultado, ficou aberto até perto da meia-noite pelo tempo que eu tinha os livros todos arrumados e meu registro contado e fechado. Eu estava cansado, e eu percebi, que depois de três dias sem comer, eu estava faminto. Disfarçadamente olhando ao redor, de algum modo certo de que eu iria ver Megan colocar a cabeça na porta ou algo assim, eu roubei um sanduíche de salada de atum do expositor refrigerado do lado do seu balcão de café. "Shhh, não diga. Estou morrendo de fome e ela nunca vai notar que ele se foi," eu disse enquanto desembrulhava o sanduíche. Então eu dei uma

71


mordida com grande satisfação e mastiguei, fazendo barulhos 'Humm' em torno do pedaço enorme na minha boca. "É o nosso segredo. Contanto que você me dê algumas mordidas." Engoli em seguida, sorri e dei um pequeno beijo em PC antes de oferecer-lhe metade do sanduíche. Eu nem sequer me preocupei em me dar a palestra "pare de beijá-lo". Isso foi completamente inútil até então; não havia razão para isso e eu podia ver que ele deve começar a trabalhar. Resistindo a força que eu sentia em relação a ele foi um total desperdício de energia. Na rua, loja trancada, sanduíche comido, e todas as outras distrações convenientes indo embora, eu fiquei subitamente inseguro sobre o que dizer. Como você fala com um lycan que é seu companheiro imprinting quando você realmente só encontrou com ele algumas horas atrás e ele está agora no seu caminho para dormir em seu apartamento horrível porque vocês fisicamente não conseguem ficar longe um do outro? Apesar da brisa fria eu podia sentir meu rosto vermelho, nervoso e quente. "Hum..." Ele sorriu e pegou minha mão. "Então aqui estamos nós, hein? Eu só queria dizer novamente que eu realmente, realmente sinto muito sobre tudo isso. Não importa quantas vezes eu diga isso. Continua a não mudar nada. É tão injusto que você tenha que estar envolvido." "Como eu poderia não estar envolvido? Um imprinting tipo implica que há duas pessoas, ou uh uma pessoa e..." eu não sei o que dizer, sem alguma forma conseguindo colocar o meu pé nele um grande momento.

72


PC me cutucou com o quadril enquanto caminhávamos. "Eu sou uma pessoa também. Apenas um tipo diferente." Ele me deu uma piscadela provocante diante dele e derreti em preocupação. "Ei, você está tremendo! Onde está o seu casaco?" "Não foi exatamente a primeira coisa que pensei quando eu estava tentando não morrer mais cedo." PC estremeceu. "Aqui pegue o meu." Ele largou os livros que ele estava carregando, puxou o escuro moletom cinza com capuz sobre a cabeça e parou para entregá-lo a mim. Tudo o que ele tinha deixado era uma camiseta entre ele e o ar úmido da noite. "Você não vai congelar?" "Não, meu corpo é um pouco mais quente do que o seu. Estou bem". Idiota. Quantas vezes eu tinha escrito isso mesmo em uma de minhas histórias? "Eu deveria saber. Obrigado." Eu puxei o casaco ainda quente sobre a minha cabeça, inalando lentamente quando ele desceu. Cheirava a ele. Eu percebi que eu já iria reconhecer esse cheiro em qualquer lugar: quente, sexy, um pouco doce, e totalmente original. Assim que eu coloquei o casaco, ele agarrou a minha mão novamente. Eu ri baixinho. "O que?" "Nada... É só nós. Indo de estranhos para „eu não posso estar sem tocálo', como em quatro horas? É um pouco de um dobrar a mente."

73


"Estou certo de que podemos ficar e não tocar um ao outro." A voz de PC ficou um pouco mal-humorado, como se tivesse esquecido o quanto lamentava que ele sentia por mim e foi-se o tempo suficiente para ficar irritado com a coisa toda. "Experimente-o em seguida." Ele soltou a minha mão e fugiu para o outro lado da calçada. Ficamos assim por uns bons trinta segundos, cada um andando em silêncio, as mãos crispadas aos nossos lados. Eu odiei isso. Eu podia senti-lo, alguns metros perto de mim. Minha pele estava fazendo tudo ao seu alcance para chegar mais perto. Ele estava bem ali. Eu precisava tocá-lo. Sim, nós podíamos suportá-lo, mas ficando enlouquecidos. "Merda," ele sussurrou com raiva. Então ele estendeu a mão, agarrou a mão na minha cintura e me puxou para perto. "Sem brincadeira," eu concordei. "Então, você sempre pensou que isso era impossível?" "Sim. Eu pensava assim. Achava que era apenas uma história que as mães diziam às meninas que estavam esperando por um príncipe lycan." "Mas isso é real, exceto em vez de uma garota bonita que você acaba comigo. Um desengonçado como prêmio de consolação." PC apertou minha cintura. "Não diga isso. E ele pode não ser real; poderia ser uma mágica ou algo assim." Tossi. "Um feitiço?" Ele encolheu os ombros. "Bruxaria, magia, o que você quiser chamálo. Eles podem ser desagradáveis. Eu tenho um amigo que pode levar as

74


pessoas a fazer praticamente qualquer coisa que ele quiser. Ele não faz normalmente, mas poderia." "Lycans podem fazer isso?" "Não. Bruxas podem e fazem. A maioria das bruxas que eu conheci tem a mentalidade de uma menina de escola média. Eles mexem com as pessoas porque acham engraçado." "E você acha que isso pode ser isso?" "Seria mais fácil acreditar do que, em seguida, a acreditar que imprinting é real." "Mas se é um feitiço, então por que eu? Eu não conheço nenhuma bruxa." "Você não sabe disso. E eu não tenho ideia do por que ou por que eu. A coisa toda não faz sentido." "E se estamos realmente em um imprinting?" Em algum lugar dentro de mim eu sabia que estávamos... Não que eu tinha alguma experiência com feitiços, mas quem poderia fazer um feitiço que sentia tão incrivelmente real? Quanto mais real do que qualquer coisa na minha vida que nunca tinha sentido antes. "Então, minha mãe vai ter que lidar com isso quando ela vier." Sua voz soava finalizando como um fato. Isso fez meu estômago doer. Eu ainda tinha um milhão de perguntas, muito bem não era verdade. Eu desejava que eu só tivesse um milhão de perguntas. Elas eram infinitas e parecia estar brotando no meu cérebro morrendo de vontade de sair. Eu não queria empurrar, embora. Eu tinha começado a sentir a vibração

75


extremamente arisca dele desde o momento em que nos encontramos, então eu fiquei em silêncio enquanto caminhávamos de mãos dadas através das tranquilas ruas tarde da noite. Tudo estava bem por alguns quarteirões; em que entramos em silêncio sociável, inclinando-se um para o outro como se a nossa pele fosse magnética ou algo assim. Foi realmente muito bom tê-lo tão perto. Parecia que eu tinha um namorado de verdade para a noite. Se eu ignorasse o resto, nós nos sentimos muito normais juntos. Isso é dizer que eu poderia ignore-o. PC diminuiu o ritmo para uma parada perto, interrompendo minhas reflexões. Eu senti a irritação rolando fora dele, súbita e intensa. "Por que é que aquele cara está olhando para você?" "O que?” Eu olhei para cima. Ah Merda. Só podes estar a brincar comigo. O chato, Jeff, da livraria, estava caminhando em nossa direção, vindo visivelmente para o nosso lado. Ele estava realmente olhando intensamente para PC e eu, como se ele estivesse tentando nos ter... Ou antes, a mim. Por que, por que, por quê? New York era tão grande que havia pessoas que nunca se veriam e ainda assim eu me deparo com ele novamente? Por favor, deixe-o estar bêbado demais para não se lembrar de mim. Por favor... Sem sorte. "Oh, eu sei quem é você. É o exigente, exigente princesa," ele zombou, o reconhecimento surgindo em seu rosto. "É este é o namorado fictício sobre que você estava mentindo para mim?"

76


"Sim, eu sou seu namorado. Quem é o idiota, bebê?" Eu tinha que dar crédito a PC por agir rapidamente. "Não é ninguém", eu murmurei. Eu tinha lido intensa raiva saindo do cara da última vez e eu não conhecia PC muito bem ainda, mas meu palpite era que a situação poderia ficar feia muito rapidamente. "Você realmente vai pegar a cascata aqui ao invés de mim? Eu duvido que o pau dele possa chegar em qualquer lugar, perto do dano que eu poderia fazer nessa sua pequena e doce bunda, Twink." Ele agarrou sua virilha sugestivamente e deu um passo para frente se esfregando contra mim. Senti o cheiro de sua respiração, pesada com rum e coca, senti o calor repulsivo de sua ereção no meu estômago. Eu recuei, mas ele seguiu, tocando seu corpo em meu espaço pessoal novamente. O que há comigo e idiotas bêbados? Merda... Eu estava muito ocupado tentando tirá-lo de cima de mim a notar que PC tinha esquentado completamente. "Não – porra – o toque!" PC gritou, empurrando o seu corpo magro, compacto contra a enorme pilha de músculo na frente dele. "O que você vai fazer, júnior? Chutar-me nas canelas?" Jeff, o chato, riu então, e eu me encolhi. A irritação se transformou em raiva, que derramava de PC em correntes grossas. Não parecia perturbar Jeff. Ele atirou os braços sobre meus ombros e se inclinou como se ele fosse me beijar. De repente, um rosnado e músculos rasgando no ar da noite. Eu não vi nada além de um borrão, mas eu senti-o passar por mim, tão rápido que meu cabelo soprou contra a minha bochecha. A próxima coisa que eu sabia, era

77


que o cara estava no chão, PC em cima dele. Mas não era o adorável PC humano que eu tinha conhecido toda a tarde. Era o lobo, grande e bonito e, rosnando lividamente. Ele rosnou novamente, e tinha o focinho bem perto, respirando o ar quente em todo rosto agora aterrorizado de Jeff. Meu, disse o seu rugido. Eu poderia entendê-lo perfeitamente. "Sinto muito", Jeff choramingou, jogando as mãos para cima e batendoas contra o cimento úmido. O homem parecia que ele estava prestes a se molhar. Eu não podia culpá-lo. "PC, está tudo bem. Deixe-o ir." Eu estendi a mão e coloquei minha mão contra o pescoço de PC, cavando profundamente na pele para que ele soubesse que ele poderia recuar. Ele deve ter sentido alguma coisa, porque ele recuou devagar, um passo relutante de cada vez, até que ele deixou Jeff tremendo e sozinho na rua. Jeff parecia selvagem, saltou fora da rua escorregadia mais rápido do que eu tinha imaginado que alguém do seu tamanho poderia mover-se e, com um último olhar de terror descrente, ele se virou e saiu correndo. Eu assisti-o correr por alguns momentos, tentando absorver o que tinha acontecido. Então eu me virei para encontrar um lobo grande sentado e olhando para mim, sua expressão marcadamente envergonhada. "Você é um pouco assustador quando você faz isso, você sabe?" Ele levantou a cabeça e choramingou.

78


"Sim, eu sei que você não vai me machucar." Eu estendi a mão para dar uma tapinha na cabeça dele, mas quando eu estava prestes a tocá-lo eu senti um impulso ímpar de calor e, em vez de um lobo havia um PC muito nu sentado no chão, curvado para proteger a sua nudez. Fiquei contente por ele que estávamos sozinhos. "Eu rasguei minhas roupas," ele resmungou. "Preciso encontrar minha carteira e meu telefone. Espero que eles estejam bem." "Aqui," Eu puxei o casaco fora e entreguei a ele. Ele envolveu-o num tanga improvisada em torno de si. Eu encontrei seu telefone facilmente; era de prata riscada e brilhava a luz do luar. Surpreendentemente, a coisa ainda funcionava. Nós vasculhamos o resto dos farrapos da calça jeans e detritos de algodão, segurando o riso com a forma de como ele estava gingado ao redor com o seu casaco, até que ele ergueu a mão vitoriosa. "Encontrei minha carteira!" Seu rosto encoberto. "Eu tive trabalho realmente tive em controlar-me. Aquele babaca só me fez tanta raiva. Quando ele se levantou no seu rosto como ele estava indo para tocar você." "PC, uh, nós provavelmente devemos falar sobre isso em meu lugar. Fica apenas no outro quarteirão. Você precisa entrar." Ele concordou e eu juntei o seu saco com os livros espalhados e transportei uma vez que ele ia precisar de todas as mãos e concentração para manter esse casaco de cair ao chão. Eu sufoquei outro sorriso. "Eu sei que você quer rir", disse ele ironicamente. "Continue." A metade grunhido, metade risada escapou. "Vamos antes de congelar." Ele revirou os olhos. "Lobo. Caloroso. Lembra?"

79


"Sim, eu sei. Esqueci-me novamente. Vamos." Depois de uma longa subida na escada apertada e escura do meu prédio, chegamos no meu apartamento minúsculo apagado. Eu estava muito nervoso. Eu nunca tive ninguém antes (eu não estava contando minha emboscada Zack mais cedo). Apenas o pensamento de ter alguém lá era estressante, e muito menos estar em meu lugar, no meu próprio, com o cara que eu de alguma forma imprinting sobre. Mesmo pensando, a palavra me fez tremer um pouco. A situação era tão impossível. Definitivamente não é o que eu imaginei na minha primeira real, um, festa do pijama para defini-lo. Vendo o meu lugar através dos olhos de alguém novo tornou ainda mais vergonhosamente feio. Ele era basicamente um quarto em forma de L com uma meia parede em volta da minha área de cama em um canto na parte do comprimento e uma porta de banheiro no outro. A pequena parte que tinha um G passava por uma cozinha e uma mesa de jogo dobrável que eu normalmente usava para empilhar livros aleatórios e trabalho de classe. O único lugar onde eu já estava assentado era a alcova onde a minha cama e estante com tv estavam. O resto do lugar era gritante, sombrio, e praticamente não vívido. Havia algumas fotos e cartazes, eu tinha feito o meu melhor com o orçamento que eu tinha, mas o sofá era horrível e o chão estava nu de tapetes. As paredes provavelmente necessitavam de uma nova pintura sobre a de 1950, mas foram tão além desse ponto que só a demolição total iria corrigi-lo. Peguei o pequeno saco de livros que PC tinha comprado e coloquei-os no chão em frente do meu sofá impossível de sentar no segundo lado, em seguida, caminhei em silêncio ao meu armário e tirei uma calça de pijama e

80


uma camiseta e apontei para o pequeno banheiro enquanto eu ligava o termostato raramente usado. Quando ele saiu, nós sorrimos timidamente um para o outro. Eu não sabia para onde ir a partir daí, e eu duvidava que ele também soubesse. Era estranho no silêncio do meu apartamento aquecendo lentamente, nenhum povo, nenhum ruído da rua, só eu e ele e a situação estranha que estava segurando-nos juntos. Eu senti como se eu tivesse que dizer algo apenas para se livrar do silencio. "Desculpe, meu apartamento é realmente horrível. Quase nunca estou aqui". Ele sorriu para mim e me puxou para perto para um beijo desesperadamente rápido. O último tinha sido apenas cerca de dez minutos, mas parecia uma eternidade. Eu já era muito viciado. "Nem sequer notei. Para dizer a verdade, desde aquela noite no beco eu não percebi muito de qualquer coisa que não seja você." PC sentou no meu sofá e estendeu a mão para me juntar a ele. Eu fiz, e imediatamente ele se inclinou para me beijar. Meu corpo estremeceu depois relaxou, já a acostumado ao seu toque. Eu não conseguia entender como familiarizado parecíamos mesmo que houvéssemos passado menos de um dia na companhia um do outro. No segundo em que nos tocamos o silêncio não era mais estranho. Ele estava cheio de desejo, de necessidade; da maneira como ele se sentiu quando nossas bocas estavam ligadas. Eu não tinha muita coisa a compará-lo, mas eu duvidava que as pessoas normais sentissem esse clique dentro deles quando eles se beijavam, a troca de marchas no modo perfeito, onde tudo parecia dez vezes melhor do que o habitual. Ele correu os

81


dedos pelo meu cabelo e segurou meu rosto suavemente. Eu me aproximei e puxei sua perna até drapejar sobre meu colo. Precisamos lidar com toda essa porcaria imprinting. Agora. Tentei me dizer isso, mas era tão difícil de rasgar meus lábios dos dele. Eu queria manter-me beijando-o para sempre. Especialmente quando sua língua esfregou contra a minha e ele deitou-se no sofá e puxou-me mais até que eu estava deitado em cima dele. PC deslizou as mãos sob a minha camisa para massagear os músculos cansados na minha parte inferior das costas e ohhh. Eu gemi e aprofundei o beijo antes de eu finalmente vim a meus sentidos e me afastar, lutando para sentar-me. Ele parecia magoado por um breve momento, mas sua mágoa se transformou em um sorriso encabulado e ele me ajudou a sentar-se. "Desculpe eu ataquei. Eu não consigo evitar. Eu acho que é a conversa de entrada, ou talvez a adrenalina do caminho, mas eu não posso manter minhas mãos longe de você." Estendi a mão e toquei seu rosto, em seguida, coloquei a minha mão na sua. "Ei, eu não estou exatamente protestando. Meu corpo quer estar tocando o seu constantemente, também." Eu sorri, e tentei não parecer ameaçador. Eu sabia que ele ainda estava arisco. "Minha mente, por outro lado, sabe que ainda preciso lidar com algumas coisas." PC suspirou. Imaginei que ele não era muito falador. Não era exatamente o meu passatempo favorito também. "Eu sei. Nós precisamos conversar." A cara que ele fez confirmou o que eu já tinha adivinhado. Não é um fã de falar. Que pena. Eu precisava saber

82


mais sobre o que estava acontecendo e ele era o único que poderia realmente me dizer. "Essa coisa de mudar, isso acontece muitas vezes?" Ele me deu um olhar triste. "Eu estava ficando muito melhor em controlar-me. Eu normalmente só mudo quando eu fico muito irritado - eu tenho um pouco de paciência, mas não é nada normalmente. Eu acho que estar em torno de você está jogando fora o meu equilíbrio. Quer dizer, aquele cara me irritou, mas quando ele se levantou em seu rosto eu simplesmente não consegui me controlar. Eu não posso acreditar que ele teve a coragem de tocar em você". "Acontece." "Não mais." Eu levantei minhas sobrancelhas para ele. "Desculpa. Não significa ficar tão irracional sobre você. É apenas mais uma parte desta, essa coisa." "Está bem. Eu não posso dizer que eu não iria ficar assim se alguém lhe tocasse." "Sim?" Ele me deu um sorriso atrevido. Dei de ombros, corando. "Provavelmente. Então, escute, eu sei que você está indo para sua mãe. O que exatamente você vai pedir para fazer?" "Vou perguntar-lhe se os lycans podem quebrá-lo, é claro. Nós acordamos na loja que isso não pode funcionar certo?" Eu assenti. Ele segurou minhas mãos mais apertadas. "Não tire isso da maneira errada... bem merda, eu acho que não há nenhuma boa maneira de levá-lo." Ele parou e me

83


deu um olhar de desculpas. "Você parece muito bom, mas eu não posso fazer isso. Essa coisa de ligação. Eu só não posso." Mesmo se ele estava certo ainda doía. Irracional, eu sei. Mas é verdade. "Será que é por que... Eu sou um cara?" "Não." Ele balançou a cabeça e riu baixinho. "Eu tenho tantos problemas com essa situação que eu não posso nem começar a nomeá-los, mas você? Você não é nem remotamente um problema. Parece natural querer você." "Eu entendo por causa da parte física ser uma dor, mas parece que apenas estar em torno de mim irrita você. Eu sei que é mais do que nós tocar. O que é isso?" PC parecia frustrado. "Eu não posso me sentir assim sobre alguém! Você tem alguma ideia de como irritado eu estava quando esses desgraçados estavam atacando você naquela primeira noite? Eu nem sequer sabia porque eu estava com raiva! Eu só mudei no meio do meu apartamento, assustou a merda fora de meus companheiros de quarto, e corri para fora da porta. Meus instintos encontraram-no naquele beco. Eu quase rasguei aqueles caras em pedaços. E hoje à noite? Você viu como eu fiz." "Então, você está com medo de querer me proteger?" "Eu não estou com medo", disse ele com uma careta. "Eu simplesmente não posso te querer assim. Eu não posso precisar de você como eu preciso agora. Não só você como qualquer outra pessoa. Eu nunca mais quero sentir como eu sei que Noah se sente cada vez que Zack está em perigo. Como se alguma coisa acontecesse então ele não poderia continuar sozinho. Eu não

84


quero sentir isso a cerca de ninguém, mas por causa deste título, não sobre você." "E isso é o que te assusta." PC fez uma careta. "Bem. Você está certo. Sim, isso me assusta. Isso assusta a merda fora de mim. Eu não posso viver assim." Não podia ter sentimentos reais por qualquer um era o que ele queria dizer... Porque se ele tinha um nome para isso ou não, era isso que ele estava tão desesperado para evitar. Provavelmente foi um choque para ser jogado com nenhum esquentado também. Se era um feitiço, ou um imprinting, ou algo completamente diferente não tinha importância. Os sentimentos sentidos eram reais. E eu não era muito de um cara que admitia que eles me assustassem também. E, em seguida, algo que ele tinha dito ficou registrado em meu cérebro nublado, sobre como ele se transformou naquela noite, quando eu estava sendo assaltado. "Tudo bem que você disse que mudou, porque eu estava em perigo naquela primeira noite quando você me salvou. Então você já podia sentir-me então? Quando estava me beijando você que fez essa coisa toda acontecer?" Ele desenrolou os dedos da minha mão e tocou meu rosto, meus lábios. Fez-me sentir todo meloso por dentro. Era quase impossível se concentrar em ser racional. Eu esfreguei minha cara em sua mão e beijei-lhe a palma da mão. Ele tremia. Você precisa lidar com esta bagunça, não beijá-lo novamente. Mas eu queria. Era tão tentador voltar ao que me pareceu natural e fácil. Ele tinha

85


estado em silêncio por quase um minuto. Eu não tinha certeza do que estava errado. Finalmente, ele tomou outra respiração longa e lenta e me olhou nos olhos. "Eu acho que eu poderia ter sentido você um longo tempo antes disso." Eu olhei para ele, sem saber como responder. "O que você quer dizer?" "Você só veio para Nova York este ano, certo? Para a escola?" "Sim, em agosto.” "Aposto que eu poderia te dizer o dia exato em que seu avião pousou. Estive tipo de... Fora por alguns meses. Era como se um interruptor fosse puxado. Um dia eu estava bem, no dia seguinte eu estava estranho e impaciente. Eu queria algo, mas eu não sabia o quê. Zack e Noah foram perguntando o qual era o meu problema desde o final de agosto." "Acho que sou seu problema, não é?" Eu sorri com amargura ante a ironia. Eu não quero ser o seu problema. Eu só queria ser dele. PC puxou meu cabelo. "Não é culpa sua, ok? É chato, mas você não fez nada de errado." "Você sabe, isso aconteceu comigo também. Assim que cheguei aqui, comecei a me sentir estranho; inquieto é realmente a melhor palavra para isso, como se eu não conseguisse descobrir o que eu queria fazer. E fiquei ainda pior depois que eu vi quando você era um lobo. Pelo menos isso fez até agora. Agora ele se foi. Eu pensei que eu queria aventura, mas era realmente você, não era? Você era o que meu corpo sentia falta o tempo todo."

86


Ele assentiu. "E quando eu te beijei?" "Isso foi parte o imprinting, eu só não tenho certeza exatamente o que ele fez. Eu estou pensando que tocar um ao outro é como espalhar cola. Como ele faz o elo mais forte. Eu gostaria de poder lhe dar uma resposta melhor. Não se sinta mal, entretanto. Se você não tivesse me beijado, eu provavelmente teria beijado em cerca de dois segundos a mais. Eu nunca quis tanto algo em minha vida." "Nem eu." Eu sorri e me inclinei para beijá-lo novamente. Apenas um toque simples de seus lábios foi suficiente para fazer o meu sangue ferver. Levou um grande aumento de força de vontade para se afastar. Eu continuei depois de se sentar em silêncio sem fôlego por alguns momentos. "Mas eu não acho que foi o beijo real. Algo aconteceu quando nós estávamos nos beijando. Eu podia sentir isso. É como se nós aceitássemos o vínculo e deixássemos o que estava acontecendo assumir." Ele balançou a cabeça "Eu sei o que você quer dizer. Eu senti isso também. E agora você está preso comigo. Bem até minha mãe chegar aqui, pelo menos. Isto me lembra. Eu nem sequer a chamei ainda." PC inclinou-se e puxou o telefone do saco de livros onde ele guardou o material ao lado de sua carteira. Cheguei mais perto até que minha cabeça estava descansando em seu ombro. Ele se mexeu, e no começo eu pensei que ele estava tentando empurrar-me fora, mas depois minha cabeça deslizou por seu peito e caiu em seu colo. Ele deu um grunhido satisfeito e afundou os dedos no meu cabelo, esfregando o meu couro cabeludo suavemente.

87


"Ei, mamãe?" Senti sua voz rouca contra a parte de trás da minha cabeça. Ele continuou brincando com o meu cabelo, meu ouvido e com a linha da minha mandíbula. Pequenos arrepios de prazer caíram durante todo o meu corpo. Eu podia ouvir o zumbido silencioso de uma voz feminina do outro lado da linha. A mão de PC estava me hipnotizando. "Eu acho que temos um problema." Ele descreveu a situação começando com os sentimentos inquietantes e terminando com o fato de que fomos juntos para a direita então e foi muito doloroso para nós nos separarmos. Eu podia ouvir suas próximas palavras muito claramente: "Eu vou estar no próximo avião." Foi estranho naquela noite, decidir quando dormir. Eu queria estar perto dele, eu sabia que ele queria, também, mas que éramos essencialmente estranhos; ligação ou não, nós não conhecemos sobrenomes ou programas de TV favoritos um do outro ou como nós gostamos dos nossos ovos. Eu decidi ser racional. Eu sabia que seria uma má ideia se nós compartilhássemos uma cama, que não seriamos capazes de manter-se de fazer algo que com certeza lamentaríamos (ou pelo menos eu o faria), algo que pudesse fazer a ligação mais forte. PC concordou que seria a coisa mais inteligente para nós não dormirmos juntos, então ele disse que iria dormir no sofá e eu na minha cama, que estava do outro lado do quarto e atrás da parede da altura de um ombro, que estava cheio de pilhas de livros, copos de café vazios, e uma planta de hera triste. Foi uma decisão madura e calma para dormir separados, mas de modo muito estúpido. Eu não sei o que

88


pensávamos que ia acontecer quando estivéssemos na mesma sala separada apenas por uma parede desintegrando e alguns pés de chão frio congelado. Nós nem sequer duramos uma hora. Deitei-me na cama olhando para o teto e ouvindo-o respirar. Eu não achava que ele estava dormindo. Ele provavelmente sabia que eu não estava dormindo também. Minha pele parecia que estava pulsando, avançando cada vez mais perto da borda da cama. Mais perto dele. Eu queria estar com ele tão mal. Juro do meu lado que estava mais próximo a ele foi mais substancial do que o lado oposto. Estava ficando ridículo. Quem é que nós pensávamos que estávamos enganando? Nem um de nós iria dormir ou até mesmo ser capaz de descansar confortavelmente, a menos que estivéssemos nos tocando novamente. Droga. Eu sabia que ele não iria fazer o primeiro movimento através das fronteiras que nós tão claramente definimos. Tinha que ser eu. É uma má ideia... Não, tudo bem, eu vou ter que controlar o meu, uh, impulso. Eu vou segurá-lo. Nada mais. Não importava quantas maneiras eu disse-me que era estúpido para ir com ele. Eu precisava de seu toque. Tentando ficar em silêncio, eu me levantei. Se PC estiver dormindo então eu volto na ponta dos pés para minha cama e ele nunca saberá que eu cedi. Ele não estava dormindo. Ele estendeu a mão a partir do sofá e eu agarrei-a puxando-o para cima e contra mim. Meu corpo cantou. Eu puxei a mão, levando-o para a minha cama. Eu só vou segurá-lo enquanto dormimos. Isso é tudo.

89


Eu arrastei a camisa e quebrou meus lábios nos dele. Oh Deus! Hmmm... Só um beijo. Eu prometo. Ele puxou a barra da minha camisa. Ela ficou presa na minha cabeça por um segundo, mas eu ajudei-o até que nossos peitos nus estavam esfregando juntos. Nós nos beijamos por um longo tempo, de pé no meio do meu estúdio um pouco frio. Sua pele contra a minha era tão quente, e suave e surpreendente. Minha cabeça estava girando quando finalmente me afastei para respirar. "O que estamos fazendo? Devemos parar" eu gemi. PC colocou os dedos em meus lábios. "Shhhh. Apenas me beije." Eu fiz. E parecia tão bom. Nós caminhamos para trás nos beijando, até que meus joelhos conectaram com a minha cama e cai em cima dele. PC puxou as cobertas para trás e deslizamos sob elas segurando o cobertor para mim. "Eu tentei ser nobre", ele murmurou. A sinceridade de sua voz foi temperada por um sorriso malicioso. "Sim eu também. Eu não estava indo para obter o descanso por um segundo com você perto do quarto, embora. Eu precisava de você perto de mim." "Você se sente tão bom." PC me puxou para perto e deslizou as pontas dos dedos sob a cintura de minhas calças de pijama para acariciar a pele

90


sensível da minha parte inferior das costas. Eu me contorci e ri, virando-me ligeiramente. Seus olhos se abriram. "Puta merda! Vire-se e deixe-me ver isso." Minha tatuagem. Eu tinha esquecido. Vire-me, sentindo-me um pouco embaraçado. Ele ia pensar que era estúpido? Senti o rastreamento dos suaves nos ramos do meu quadril todo o caminho até meu lado para a parte de trás do meu ombro. Seu toque fez meu estômago vibrar. "Essa coisa é incrível. Machucou?" Eu ri baixinho. "Sim. Eu não tenho exatamente um monte de preenchimento." Ele se manteve traçando a árvore de cima e para baixo, acalmando as mãos sobre ela. "É lindo. Você se encaixa perfeitamente. Que tipo de árvore é essa?" "Rowan. É o meu nome do meio." A mão de PC acalmou nas minhas costas. "É sob a árvore de Rowan." Seu sussurro quase inaudível. "Do que você está falando?" "Eu tenho tido sonhos desde que eu era um garotinho. Diferentes sonhos onde eu estava correndo frustrado e com medo procurando algo que eu sabia que eu precisava, mas nunca poderia encontrar. Essas palavras estiveram sempre nos meus sonhos, sussurradas no fundo. Eu acordava pensando nelas. O que eu estava procurando seria encontrado sob a árvore de Rowan. Isso nunca fez qualquer sentido até agora."

91


Vire-me de frente para ele. "Você não está falando sério." Seu rosto parecia e sua voz soou atordoado e assustado. "Eu estou. Eles ficaram mais frequentes ultimamente, também. Eu podia sentir a árvore cada vez mais perto, apenas na borda da minha visão, mas quase perto o suficiente para tocar." Eu não acho, só fiz o que parecia natural. Peguei sua mão e enrolei-a em volta do meu lado, pressionando para baixo, para a palma da mão ir à direita torcida e atada ao tronco da minha árvore. "Eu estou aqui", eu sussurrei. As palavras vieram de algum lugar dentro de mim. Em algum lugar complexo e elementar. "Você está aqui", ele sussurrou de volta e se inclinou para me beijar. Como se eu pensasse que a noite não poderia ficar suave. Nós ainda estávamos por um tempo, nós dois com muito medo de dizer qualquer coisa mais reveladora, eu pensei. Mas assim que ele mencionou os sonhos, eu sabia que havia mais. Eu não tinha certeza se ele iria querer ouvilo. Eu não tinha certeza se queria dizer isso. Jesus. Respire profundamente, Miles. Basta dizer-lhe. "Hum PC?" Ele ficou em silêncio por um minuto. Eu tinha medo que ele tinha adormecido. Assim que eu decidi que eu queria dizer a ele, então eu realmente queria tirá-lo. "Sim."

92


"Eu tenho certeza que eu estive esperando por você desde que eu era uma criança, também." PC olhou desconfiado. "O que, você estava tendo sonhos estranhos, também?" "Não, não é bem isso que eu me lembro, mas eu quis vir aqui toda a minha vida. Mesmo quando eu era criança, eu irritava minha mãe sobre se mudar para Manhattan. Em algum ponto, eu comecei a falar-me, a pensar que era porque eu queria ser um escritor e este era um ótimo lugar para isso, mas não era mesmo escritura. Nunca foi." Os olhos de PC se arregalaram. "Merda. Assim, não há nenhuma maneira isso começou desde que se mudou para Nova York?" Eu balancei a cabeça lentamente. "Não. Não tem jeito. PC, eu acho que provavelmente esteve lá toda a nossa vida." "Por que você não disse alguma coisa antes?" Ele parecia um pouco chateado-irracional para dizer a verdade. "Antes, como hoje? Oh, certo. Oi, eu sou Miles. Eu estive esperando por você toda a minha vida." Revirei os olhos. "Não, eu pretendia..." Interrompeu-se com um breve grunhido irritado. Eu sabia qual era o problema e não tinha nada a ver comigo e sim a divulgação de informações. Ele estava pirando. E cada nova peça de informação que surgia só parecia puxar a corda mais apertada.

93


"Ei, acalme-se, PC. Você está em pânico." "Eu sei. Desculpe." Ele tremia violentamente e ele empurrou seu rosto contra minha clavícula. Eu estava tremendo, também, sofrendo com o que tinha acabado de acontecer. Mas fazia sentido. A coisa toda de repente fez sentido. E assim que eu disse isso em voz alta eu percebi que era a verdade. Eu tinha sido capaz de sentir a presença de PC desde que eu era um menino e, mesmo naquela época eu queria estender a mão para ele. Houve, provavelmente, mais do que isso, uma vez que ainda havia coisas sobre mim que eu não podia explicar, mas eu não achava que era o momento de entrar em todas as implicações do que estava entre nós. Eu acariciava seus cachos e murmurei em seu ouvido. Eu não disse nada, apenas fiz sons reconfortantes que eu esperava que o ajudasse. "Obrigado, Miles. Eu não quero ser estranho, eu sou apenas... Eu não sei mesmo o que eu sou. Quer dizer, eu preciso estar com você tão mal, sinto cada vez mais forte. E para perceber quanto tempo temos sido ligados um ao outro, como é que vamos quebrar algo que tem sido parte de nós desde que éramos crianças?" Eu não quero quebrá-lo. Eu quero você para sempre. O impulso errante quase me fez engasgar com as minhas palavras. "Eu não sei. Esperemos que a sua mãe vá saber o que fazer." "Esperançosamente." Espero que não. Eu percebi em algum lugar na última hora ou assim que eu me comprometi totalmente. Eu não queria que o vínculo fosse ser

94


quebrado. Nenhuma quantidade de raciocínio cerebral ia ficar no caminho do instinto. Ele era meu e eu não queria deixá-lo ir. Única questão era o que fazer agora? PC me deu um longo, lento, beijo íntimo que contradizia tudo o que ele tinha dito sobre querer que sejamos separados. Eu adorei, adorava beijá-lo de volta, mas sabia que deveria parar antes que eu acabasse ainda mais ferido no final do que eu já sabia que seria. Suas ações foram me confundindo. Ele continuou me dizendo que ele não queria ser ligado porque não podia suportar a proximidade, mas então ele me beija como um amante e me segura até que eu estava tonto de prazer. É a fala do começo. Ele realmente não quer você. Era impossível para eu fazer a distinção entre as obrigações e reais emoções, porém, mesmo em mim. Eu não poderia decidir se tudo o que eu estava sentindo para ele era apenas de alguma força externa ou se eu estava começando a querer que ele sozinho. Eu esperava que o segundo não fosse verdade. Se fosse assim, quebrar tudo o que estava segurando nós juntos não importava nenhum pouco. Eu ainda preciso dele e que ia doer como punhais quando ele se afastasse. Eu empurrei os pensamentos angustiantes da minha mente e tentei desfrutar da sensação do corpo quente aninhado ao meu lado. PC passou os braços em volta de mim e colocou sua perna entre as minhas coxas. Com nossos peitos juntos, nossas pernas enroscadas e seus suaves dedos traçando os galhos da árvore que cresceu a minha volta eu senti o conteúdo. Um pouco assustado com o que havia entre nós, mas feliz e confortável tudo ao mesmo tempo. Não foi difícil, como eu imaginava que

95


adormecer com alguém pela primeira vez poderia ser. Parecia que tinha feito sempre. "Isso é bom", PC murmurou. Eu não esperava que ele dissesse qualquer coisa. Meu estômago aqueceu e eu assenti. "É legal. É uma sensação natural." Ele riu suavemente. "Claro que é. Pense em quantos anos os nossos corpos queria fazer isso. Pelo menos por agora, estamos em casa um para o outro." Casa. O verbo fez formigamentos felizes rodarem nas minhas costas. Eu ignorei a parte 'por enquanto'. Mesmo a ideia de ser separado dele me deixava doente. Ele me beijou de novo, os lábios encontrando os meus no escuro. Toquei sua pele, aveludada e por isso muito quente. Sua língua deslizou na minha boca e ele gemeu quando eu segurei sua bunda para puxá-lo mais perto. Mesmo eu tocando-lhe sobre o tecido da calça do pijama emprestados, a posse nesse gesto foi suficiente para fazer meu coração bater. Eu queria segurá-lo perto de mim por tanto tempo quanto eu pudesse. Sentindo-se em negrito, se afogando na textura de sua pele contra a minha, eu coloquei minhas mãos sob a cintura de sua calça para fazê-lo novamente, desta vez sobre a pele nua. A respiração de PC ofegou, então ele gemeu e moveu os seus quadris contra os meus. "Eu quero você", ele sussurrou sua boca ainda tocando a minha. "Eu sei que é provavelmente estúpido de mim para sequer pensar nisso. Não temos

96


realmente que fazer alguma coisa, mas eu preciso sentir a sua pele tão ruim. Tudo." "Eu sei. Eu também." Eu puxei as minhas mãos de sua calça, mas apenas o suficiente para obter um aperto da cintura para que eu pudesse empurrá-lo para baixo. Ele deslizou para fora de sua calça e despi o meu pijama até que eu pudesse chutá-lo fora de meus pés. Eu queria dizer a ele que eu nunca tinha feito isso antes, mas minha boca ficou seca no segundo em que nossos corpos se tocaram novamente. De repente eu mal podia respirar. "É tão bom", PC gemeu. "Eu não tinha ideia do que iria se sentir assim." Eu consegui sorrir através da névoa de prazer. "Eu duvido que isso normalmente seja", murmurei em seu pescoço e arqueei os quadris contra ele. Seu pênis, duro e quente, pressionado contra o meu. Estremeci e curvei minha mão em torno de sua bunda novamente puxando-o o mais perto que eu pudesse ter. Ele se inclinou para trás e eu fiz um pequeno som de protesto antes que ele enterrasse sua língua na minha boca. "Eu tenho que tocar em você", ele respirou quando nos separamos. Eu balancei a cabeça desesperadamente. A sensação de seus dedos suaves aqueciam meu corpo e fluía em torno de minha dolorosa ereção quase me atirando para fora da cama. Eu gemi e afundei os dentes em seu pescoço. Ele começou a acariciar, puxando a minha carne, rolando seus quadris com os meus, ao mesmo tempo. Eu quase gritei de frustração quando ele parou.

97


"Você tem qualquer loção ou algo assim?" Perguntou ele, com a voz rouca. Eu acalmei e olhei para ele. Ele ficou vermelho. "Eu não vou... eu não quero dizer, ele vai torná-lo mais fácil. Melhor para você." Eu sabia o que ele queria dizer, mas foi divertido vê-lo por nervoso gaguejando por um segundo. Inclinei-me e puxei um pequeno tubo de minha mesa de cabeceira. Então, com um sorriso que eu entreguei a ele. Ele aqueceu o líquido em suas mãos antes de chegar entre nós novamente. Beijei-o e gemi contra seus lábios com a sensação quente e úmida de sua mão em torno de mim. "Isso é incrível", eu sussurrei e empurrei meus quadris em sua mão, aumentando a pressão. Eu queria tocá-lo, também, para mostrar-lhe o quão bom isso poderia ser entre nós. Para fazê-lo querer como eu queria. Abri minhas coxas e os quadris dele deslizaram entre elas. Ele movia em mim, nós dois deslizando escorregadio através de sua mão. "Miles, deus, o que eu faço? Eu quero mais." Comecei a rir baixinho, mas se transformou em um soluço quando eu tirei minha respiração bruscamente no deslizamento gostoso e escorregamos e movemos juntos. "Apenas me segure." PC moveu seus braços para embalar minha cabeça, e eu agarrei em seus quadris, puxando-os para fechar e estabelecendo um ritmo. Eu queria mais, bem, mas não era uma boa idéia. Nós dois sabíamos disso. Precisávamos de controle... ohhh. Minha mente se desviou completamente quando ele abriu as pernas entre as minhas, me abrindo mais para o calor do corpo dele e esmagou seus

98


lábios nos meus em um beijo duro. Eu aumentei a pressão e a velocidade, fazendo tudo o que podia para fazê-lo perder o controle. Não demorou muito tempo. Seus olhos se abriram em choque e eu podia sentir seu corpo tremendo enquanto tremores acumulavam nele. Ele gritou no travesseiro e eu senti o calor morno o seu orgasmo no meu estômago. Ele colocou a mão entre nós e agarrou-me mais uma vez, e com dois golpes suaves eu tinha ido embora, enterrando meu rosto em seu ombro e mordendo e tentando não chorar. Ficamos ali atordoados por longos minutos antes de finalmente deslizar para o meu lado e colocar seu braço em volta da minha cintura. Ele fez uma cara quando sua pele encontrou umidade rapidamente arrefecida. "Desculpe," ele murmurou, e agarrou sua cueca boxer para me limpar. Eu sorri. "Está bem. Foi muito bom." Eu fiquei tímido, de repente. Parecia que ele se sentiu estranho, também. "Eu tenho certeza que você pode adivinhar, mas tenho, uh, nunca fiz nada assim antes." "Sim, nem eu." "Espere, você estava em meninas antes disso? Oh não, eu sou tão desculpe..." Eu o interrompi com um beijo. "Não, eu não sou hetero, apenas muito tímido. Eu recebi algumas ofertas, mas eles não eram o que eu queria." "Para ser completamente honesto, eu não era exatamente um cara hetero com fúria hormonal também. Eu estava dizendo a verdade quando

99


disse que nunca tinha notado um cara, mas eu realmente não tinha notado as mulheres também. Você é a primeira pessoa que eu sempre quis assim." "Eu também, bem, exceto por Zack." Eu não pude resistir a provocá-lo. PC

desenroscou-se

em

uma

posição

sentada

e

olhou

para

mim

acusadoramente. "Meu Zack?" Eu ri e puxei-o de volta para baixo, abraçando-o perto em meus braços, onde ele pertencia. "Eu acho que ele é Zack de Noah, mas sim ele. Ele é muito quente. Eu tinha uma grande paixão por ele no início do ano escolar. Engraçado como desapareceu completamente." PC parecia teimoso. "Tem certeza que desapareceu?" "Sim, eu tenho certeza." Eu ri novamente. "Ei, o que você se importa de qualquer maneira? Após este vínculo ser quebrado você vai decolar. Eu deveria ser capaz de ter uma queda por quem eu quiser... não como eu poderia competir com Noah, um Deus lindo, de qualquer maneira." PC fez um ruído baixo um rosnar na parte traseira de sua garganta. O cabelo na parte de trás do meu pescoço aumentou, mas os tremores foram agradáveis. "Você é meu", ele resmungou baixo e sério. Eu senti como se aquelas palavras me marcassem mais do que qualquer tatuagem. Senti um aperto na parte de trás da minha garganta e percebi que tinha iluminar melhor o clima antes que eu perdesse. "Claro que eu sou seu, seu bobo. Pelo menos até que sua mãe venha aqui."

100


Ele fez um meio ruído meio grunhido e puxou meu braço, até que foi enrolada na cintura. Voltou-se, então, e se contorceu mais perto até que estávamos conectados pelos nossos ombros todo o caminho até os dedos dos pés, meu peito gessado contra suas costas. Meu corpo estremeceu e se estabeleceu novamente. Nós nos encaixamos tão perfeitamente. Eu inalei contente, amando sua pele e o cheiro limpo de seu suor. Então eu o abracei, meu rosto na parte de trás de sua cabeça. E eu serei amaldiçoado se ele não estava lá... a doce fragrância fraca de Coco Chanel.

101


Capítulo 6 Explicações Acordei com a vibração insistente do meu celular. Levei um tempo para sair da minha neblina sonolenta quente. Tinha sido meses desde que eu dormi muito confortavelmente alguma vez. Inclinei-me para obter o meu telefone da mesa de cabeceira e PC apertou seu braço em volta da minha cintura, me puxando para trás contra ele. Em algum momento durante a noite tínhamos mudado da forma que ele estava me segurando, seu braço e perna sobre o meu corpo. Eu não deveria ter sido surpreendido por quão incrível ele é sentido. A mensagem na tela do meu telefone me fez rir: „Está vivo?‟ „Oi Lisa. Estou bem agora... Bem mais ou menos. Você não vai acreditar no que está acontecendo‟. Houve uma longa pausa. Eu aconcheguei de volta para os braços de PC e fechei os olhos, pensando que talvez ela respondesse mais tarde. O zumbido no meu peito depois de alguns minutos me acordou de um cochilo. „Estou feliz que você está bem. Agora eu posso ir te matar! O que quer dizer espécie de ok? O que foda está acontecendo?‟ „Eu estou trabalhando às 3. Vamos para a loja. Não há maneira muito a explicar sobre pelo telefone‟. „É melhor você me contar tudo. Não mais dessa merda evadindo.‟

102


„Eu vou... Jesus! Vou voltar a dormir por um minuto. Eu dormi como porcaria pelos os últimos dias.‟ „Está bem. Vejo-te às 3.‟ Eu deixei cair meu telefone no chão ao lado da minha cama e caiu para trás nos travesseiros. "Por que você está acordado?" A voz rouca de sono de PC retumbou contra o meu lado. “Meu telefone me acordou. Uma amiga estava mandando mensagens de texto para ver se eu estava bem.” Ele me puxou para perto, sorrindo com os olhos fechados. Ele deu uma mordida suave no meu ombro. "Você está bem?" Eu sorri e subi em cima dele, contorcendo-se contra a sua pele. "Me diz tu. Como eu me sinto?" Ele gemeu. "Você se sente incrível." Ele esmagou o rosto para cima. "Jesus, Miles, não devemos continuar fazendo isso. Provavelmente vai fazer a ligação mais forte." Eu coloquei o dedo sobre seus lábios. "Shhhh. Apenas me beije." Fomos até a loja por volta das duas e meia. Faltava uma meia hora até o meu turno, supostamente para ficar pronto, mas na realidade eu passei-o caminhando ao redor da loja com PC, apontando todos os meus livros favoritos.

103


Revelou-se que tínhamos um gosto semelhante. PC não gostava muito para as coisas paranormais, com vampiros e lobisomens. Ele disse que era chato quando eles têm todos os detalhes errados. Mas ele gostava de ficção cientifica e disse que mesmo antes de eu trabalhar na loja, ele passava longas horas lá com a cabeça enterrada nos livros. Foi apenas nos últimos meses que ele tinha parado de vir porque ele se sentia tão estranho em sua pele que ele não podia ficar parado tempo suficiente para ler. "Estou feliz que você veio no meio da noite eu vi você", murmurei, endireitando uma fileira de livros fora do lugar. "Algo me disse que eu queria estar aqui. Eu sabia que o segundo que eu olhei eu sabia quem você era. Passei a noite toda observando você. Eu queria dizer-lhe que eu era o lobo tão ruim, mas eu percebi que você pensaria que eu estava louco." Eu sorri e toquei o nariz dele com a ponta do dedo. "Obviamente não. Assim que eu vi seus olhos, eu sabia que era você. Eles são tão bonitos". Ele se inclinou e mordeu meu lábio inferior. "Eu provavelmente deveria parar de fazer isso, mas é realmente difícil", PC sussurrou. "Então não pare. É só por hoje, não é?" Beijei-o mais uma vez, apoiando-o para a estante, meus braços em ambos os lados de sua cabeça. Eu deixei minha língua deslizar para dentro e esfregar contra a sua. Seus dedos quentes e suaves rastejaram sob minha camisa para descansar na parte inferior das minhas costas. Eu tremi. Seu

104


gosto era hipnótico, emocionante e recém-familiar. Eu queria mais. Ontem à noite não tinha sido nem perto do suficiente. "Miles, você está aqui?" A voz de Lisa virou a esquina até a linha onde PC e eu estávamos escondidos. "Oh." Ela parecia envergonhada. Longe de estar tão envergonhada quanto eu me sentia. "Uh, Lisa, este é PC. PC, Lisa." Eu podia sentir meu rosto esquentar. Não exatamente como eu queria que a introdução fosse. Ela estava ali de pé com a mão no quadril e um olhar confuso em seu rosto. "Você vai me dizer o que está acontecendo com você, Miles? Primeiro você é assaltado e começar a agir todo estranho, então você desaparecer e diz que está doente quando você não está, obviamente, e agora eu encontro-o na loja do nada fazendo com algum garoto aleatório, um garoto adorável aleatório eu tenho que dizer, mas ainda assim. Qual é o problema?" "Lis, PC é o cara que me salvou naquela noite." Ela me olhou em silêncio por alguns longos momentos estressantes. "Por que eu sinto que há mais?" PC me deu um olhar cauteloso e eu assenti. Era bom dizer a ela. Ele baixou o queixo de acordo. Ha. Nós estamos fazendo a falar em silêncio, assim como Zack e Noah. "Há muito mais que eu não posso nem começar a explicar." "É melhor começar a tentar." PC riu. "Eu acho que eu gosto dessa garota."

105


Olhei para onde Megan estava organizando seus sanduíches. Por um segundo eu sorri, imaginando se ela iria perceber o que eu roubei na noite anterior, e então me lembrei da tarefa em mãos. "Vamos sentar. Querem café?" Ambos balançaram a cabeça. Olhei para PC, na esperança de que ele iria me salvar. Ele me deu um olhar que dizia 'De jeito nenhum ela é sua amiga, você lida com isso', então passou a jogar com o canto de uma revista que tinha sido jogado sobre a mesa baixa de café entre as cadeiras. "Ei vocês estão tentando ter um coração para coração ou algo assim, porque eu poderia ter sempre o meu almoço?" Megan chamou atrás dela no balcão. Eu estava surpreso. Foi a melhor coisa que ela já tinha feito. "Não que isso não seria divertido vê-lo dizer que você é o maior maricas no universo e esmagar a menina." E então ela voltou a ser Megan. "Eu sei que ele é gay, obrigado. Mas seria ótimo se você pudesse desocupar por um tempo." Eu era grato a Lisa por ela falar, ou então eu iria acabar dizendo alguma coisa, então desejando que eu não tivesse dito. "Partindo," Megan levantou a bolsa dela como prova e vazou para fora da porta. "Ok, Miles. Você provavelmente já tem vinte minutos para cuspir tudo o que está acontecendo antes de ela voltar. Eu estou supondo que não é da conta da cadela do café, tudo o que você tem para me dizer." "Não. Isso não é da conta de ninguém. Então será o nosso segredo, ok? Eu só acho que você precisa saber se vamos continuar sendo amigos."

106


"Sim, os lábios selados. Promessa." Ela se virou para PC. "Então, você realmente o salvou naquela noite? Sem ofensa, mas você não é maior do que Miles. Você é como o Karate Kid ou algo assim?" Eu ri. "Nem mesmo perto. Ok, então há uma razão que eu estava agindo muito estranho depois daquela noite no beco..." Eu continuei a dizer-lhe toda a história inacreditável, a partir da noite no beco, a reconhecer seus olhos na livraria. A cada poucos segundos ela olhava para PC como se ela estivesse esperando por ele para contradizer uma das minhas declarações aparentemente selvagens e impossíveis. Toda vez que ele não fez seus olhos se arregalaram. Quando eu terminei, ela olhou para mim em choque por alguns longos segundos de silêncio antes que ela caísse na gargalhada. "Uau você é bom, Miles. Você me pegou por um segundo." Sorri para o riso, mas permaneci sério. "Lisa, não é uma piada. Tudo que eu disse é completamente verdade." "O que? Você deve estar brincando comigo. Não há tal coisa como lobisomens." "Sim, existe, mas eu não sou um deles. Eu sou um lycan. É muito diferente." Foi à primeira vez PC tinha falado. Lisa olhou para ele com ceticismo. "Vocês dois realmente esperam que eu acredite nisso?" "Bem, na verdade... PC, você pode provar isso? Ou você tem que ficar louco para, uh, mudar?"

107


"Chamamos isso de eliminação progressiva, lembre-se" PC respondeu. "E, com certeza, eu posso mostrar a ela." Os olhos de Lisa se arregalaram. "Espere, então você vai se transformar em um lobo, como, aqui mesmo?" "Claro." PC revirou os olhos e riu. "Agora?" "Por que não?" Ele era tão casual sobre a coisa toda que era quase engraçado ver. Enquanto PC foi tranquila e despreocupada; Lisa estava prestes a explodir em uma centena de juntas diferentes. Tudo o que eu podia fazer era rir. Ela olhou para mim. "Miles, vá trancar a porta. Coloque a inscrição “Fechada para o lanche”. Eu tenho que ver isso." Dei um pulo e me dirigi para a porta, trancando-a e puxando para baixo as cortinas, rapidamente lançando o sinal para dizer que estaria de volta em breve. Eu estava ansioso para ver a forma de lobo do PC novamente, também. Eu queria acariciar o ouro da pele macia e sentir a força de sua presença. "Eu, hum, tenho que tirar a roupa ou eles vão ficar rasgadas." Lisa zombou. "Não é nada que eu nunca vi antes, doçura. Vá em frente." Ele despiu rapidamente, olhando vagamente envergonhado. Assim que ele estava nu, ele se agachou. Sua forma brilhou ligeiramente por alguns segundos, em seguida, começou a mudar. Foi rápido, eu não podia ver seu

108


turno pele a pele, ou as pernas e os braços mudar de forma, mas não havia nenhum truque de mágica. Era obviamente ele. Menos de dois segundos depois que ele se inclinou, um enorme lobo vermelho-dourado estava de pé em seu lugar. Mesmo que eu esperasse que acontecesse e sabia como ele era em sua forma de lobo eu ainda estava impressionado. Minha boca estava aberta, tenho certeza. Lisa também estava. Ela deu um passo mais perto. Assim como eu, ela não pareceu estar mesmo remotamente com medo. "Ele é lindo", ela sussurrou. Ela caminhou lentamente em direção a PC. Ele deu um sorriso de lobo, em seguida, sentou-se na frente dela e a olhou com seus enormes olhos dourados. "Você está certo, Miles. Os olhos são o mesmo. Ele pode nos entender?" Eu balancei a cabeça e afundei-me de pernas cruzadas no chão. "Ei," eu murmurei e estendi os braços. Ele trotou para mim e caminhou em direção a eles. Eu me enrolei em torno dele, inalando o cheiro doce de Coco Chanel de sua pele. Ele acariciou meu pescoço com o nariz molhado e deu uma lambida suave na curva do meu ouvido. Eu tremi. Lisa estava atrás dele com seu braço estendido. "Vá em frente", eu sussurrei. Ela caiu de joelhos e estendeu a mão para afundar os dedos na pele morna do PC. Era impossível resistir a ele. Eu não sei quanto tempo nós nos sentamos lá correndo os dedos através de seu casaco quente antes de PC levantar-se lentamente, e pegar sua calça jeans e camisa dobrada em sua

109


boca, caminhou atrás de uma fileira de estantes. Quando ele voltou ele estava vestindo a sua camiseta. "Gosto de ser o lobo." Ele sorriu. "Todos amam meu animal de estimação." Lisa e eu rimos, quebrando a solenidade dos minutos anteriores. "Você tem um cheiro bom, também", disse a ele com um sorriso. "Como Coco Chanel.” PC fez um barulho resmungando. "Leila me lava com shampoos, por vezes, quando estou na minha forma de lobo. Eu odeio estar sujo. Ela sempre usa seu sabonete feminino estúpido, apesar de tudo. É difícil ser ameaçador quando eu cheiro como Victoria Secret." Lisa e eu rimos com isso. "Quem é Leila?" Perguntei. "Uma das minhas companheiras de quarto intrometidas. Você vai encontrá-la esta noite, provavelmente." Ele olhou para Lisa. "Ela não é uma grande fã de levantar cedo." "PC, Lisa já sabe tanto. Não podemos simplesmente dizer a coisa toda?" Lisa revirou os olhos. "É melhor você. Comece com o começo." Então nós fizemos. PC disse a ela sobre lycans e lobisomens, vampiros e bruxas e caçadores. Eu adicionava à conversa quando havia algo que eu sabia o que era compreensivelmente, não muito frequentemente. A maioria do que ele estava dizendo Lisa era novidade para mim, também. Eu aprendi sobre a

110


família de PC na Europa e a história louca do avô caça vampiros de Noah e o resto de seu clã sanguinário. Havia tanta coisa para saber. Percebi que o que estava dizendo era, provavelmente, nem de longe, mesmo arranhando a superfície. Lisa e eu passamos a maior parte da conversa com os nossos queixos sobre a mesa. Quando chegamos à parte sobre Zack e Noah, ela realmente riu alto. “Esperar? O quente Zack é um vampiro?" Ela gritou e quase caiu em sua cadeira. "Sim, e seu namorado também," eu respondi. “E espere até ver ele. Parece que ele caiu de uma pintura Michelangelo ou algo assim." Lisa gritou de novo e começou a rir. "Zack tem um namorado? Desde quando é que ele é gay?" Eu ri junto com ela. "Provavelmente, desde sempre, sua idiota." "Não tem nenhum hetero que deixaram para mim?" "Não, nós estamos tomando sobre o mundo. Eu já elaborei um presente para o lado escuro". PC sorriu e me beliscou de leve no braço. "E seus companheiros de quarto são ambos vampiros, mas as meninas?" Lisa perguntou a PC. Ele assentiu. "Leila é persa. Ela é muito antiga, mas você nunca seria capaz de dizer. Ela olha e age cerca de vinte, se encaixa em tempos modernos muito bem. Amanda é prima de Noah. Noah e Zack viraram no último verão, porque rabugentos loucos atiraram nela e ela estava sangrando até a morte. Foi a sua única opção. Ela tem dezenove anos e uma pirralha total. Eu

111


a amo embora. O namorado de Leila não é um vampiro. Pelo menos ainda não. Ele é uma bruxa, mas eu acho que ele está considerando a ser transformado." "E vocês caçam vampiros maus?" Minha mente estava presa para trás na parte da conversa onde ele casualmente mencionou que regularmente saiu para investigar criminosos violentos. "Sim, e outros arrepios. Alguém tem que fazê-lo. Você pode imaginar se eles têm de se movimentar causando estragos desmarcados?" Nós dois balançou a cabeça, incapazes de pensar no que dizer. Lisa finalmente falou. "A única coisa que você deixou de fora é o que está acontecendo entre vocês dois. É este amor apenas filhote de cachorro?" Ela sorriu da própria piada. Eu não tinha sido bastante feito com a caça agressora violenta, mas eu deixei o assunto ir. "Não exatamente", eu murmurei. PC e eu trocamos um olhar. "Você já ouviu falar de imprinting? Não gosto de animais do bebê com suas mães, mas gosto do que, uh, lobos fazem. Você sabe em histórias, com seu companheiro?" Ela revirou os olhos. "Que menina não sabe? O lobisomem sem camisa, o pedaço quente, não pode deixar de querer estar perto de você e fica todo quente e com ciúmes... espere um segundo. Vocês dois?" Nós assentimos. Eu tentei não sorrir, mas era impossível segurar. Lisa sufocou uma risada. "Desde quando?"

112


"Nós pensamos que desde sempre, pelo menos desde que Miles nasceu", respondeu PC. "Nós estávamos inconscientemente atraídos um pelo outro desde que éramos crianças e estávamos em lados opostos do país. Miles sempre quis vir aqui." "E PC costumava ter sonhos sobre árvores Rowan e à procura de algo que precisava." Os olhos de Lisa se arregalaram. "Eu acho que há mais, também. Você não disse que você começou a eliminação progressiva quando tinha dezoito anos, e você teve um tempo duro com isso porque você foi ficando com raiva?" PC assentiu. "Esse foi um ano terrível para mim, também. Eu estava sempre brigando com a minha mãe por nada, ficando estes flashes de raiva estranho, e eu passei uma tonelada de tempo no meu quarto com as cortinas fechadas. Eu não sabia qual era o meu problema. Poderia ter sido você me afetando; ou poderia ter sido o contrário. Quem sabe?" "Então você acha que podemos sentir as emoções um do outro, como Zack e Noah podem?" "Sim. Eu acho que nós provavelmente podemos. Não temos tentado fazê-lo conscientemente, mas nós temos provavelmente nos comunicado por anos." "Uau..." Lisa olhou para trás e para frente entre nós. "A primeira vez que o vi como um ser humano, quando vi seus olhos, eu só andei ao redor do balcão e beijei-o. Eu não disse uma única palavra. Era como se eu não conseguisse controlar meu corpo, eu tinha que tocá-lo."

113


"E parecia tão familiar", acrescentou PC. "Eu nunca tinha feito nada parecido antes, mas eu senti como se tivesse te beijado mil vezes." "Você nunca beijou ninguém?" Senti meu coração derreter um pouco. "Não. Passei a maior parte dos anos desde que eu fiquei velho o suficiente, me preocupando com o porquê que eu não estava pondo em fase ou tentando descobrir como controlá-la uma vez que comecei. E depois há o efeito colateral encantador de parecer como um dos meninos perdidos de Peter Pan. E não exatamente pousando-me como um cara quente no bar." Eu sorri para ele. "Você não parece tão jovem. Além disso, eu acho que você é muito quente. Não é que tudo o que importa?" Pelo menos por agora... Ele se inclinou e me beijou suavemente, bem na frente de Lisa. "Sim", ele murmurou. "Vocês são, porra, adoráveis." A porta sacudiu, e eu pulei para cima, assustado. Era Megan, retornando de seu almoço. Houve um fluxo constante de clientes, depois disto. Eles começaram a me dar nos nervos rapidamente. Vi PC e Lisa sobre no café conversando e rindo. Tudo que eu queria era estar mais com eles, mas cada vez que parecia que eu ia ser capaz de sair uma nova onda de pessoas iriam entrar e eu teria que ajudá-los. Cada desculpa que eu poderia encontrar, porém, eu andaria por sua mesa, só para correr meus dedos pelo cabelo de PC por um momento ou tocar-lhe no ombro. Ele sempre inclinava a cabeça para cima e sorria para

114


mim, cobria meus dedos com a mão, esfregava sua bochecha contra meu braço. Seus toque era oxigênio necessário para a minha sobrevivência. Toqueilhe porque eu tinha que fazer... Mas eu estava começando a querer bem. E desta vez eu poderia dizer a diferença. Não era que puxar imparável que fez o seu cabelo tão macio sob meus dedos ou o punhado de sardas no nariz tão adorável. Não era o vínculo que me fez derreter cada vez que eu o vi rir. Eu estava começando a me apaixonar por ele e eu não conseguia pensar em uma ideia pior. Você vai ter o seu coração partido, Miles. Suspirei. Não havia nada que eu pudesse fazer sobre isso. Tão preocupado quanto eu estava sobre o meu desgosto iminente, eu ainda não podia esperar para o meu turno acabar para que eu pudesse estar com PC novamente. A noite incomum agitada me manteve longe dele por muito tempo. Depois de algumas horas Lisa tinha que ir para o seu próprio emprego, servindo mesas em um restaurante italiano local. PC agarrou um livro e se enrolou em uma de nossas poltronas macias para me esperar. Observei-o ler, sorrindo para mim mesmo, e atendi as pessoas rapidamente, desejando que o relógio se movesse mais rápido para que eu pudesse fechar a loja e beijá-lo até que não conseguisse respirar. Sorri quando vi Megan limpar sua posição e trancar o seu registro de dinheiro para a noite. Ela fechava cerca de meia hora antes de mim normalmente, o que significava que meu turno da eternidade foi chegando ao fim, graças a Deus. Quando eu enviei o último cliente para fora e tranquei a

115


porta, PC pulou da cadeira e passou os braços em volta da minha cintura. Ele parecia tão feliz por estar me tocando novamente. Tentei não ficar animado. "Essa foi uma longa tarde. Eu estive esperando para beijar você por horas." "Eu também. Eu quase fiz, com clientes ou não." PC riu baixinho, então me puxou contra ele para um beijo longo e profundo. Tudo o que ele tinha a fazer era tocar seus lábios nos meus e eu estava perdido. O deslizar de sua língua, a maneira como ele puxou a minha camisa e mexeu contra mim tentando se aproximar; não havia tal coisa como suficiente. Eu queria que ele e eu fossemos nos manter querendo que ele mesmo quisesse, se ele correr para fora da minha vida... Eu não acho que havia qualquer coisa que os lycans pudesse fazer para mudar isso. Foi uma coisa boa que estávamos na livraria ou então teríamos acabado nus novamente, dizendo, "Nós não deveríamos estar fazendo isso," mas fazendo-o de qualquer maneira. Eu acho que se isso acontecesse novamente não pararia com o que tínhamos feito na noite anterior. Quando finalmente nos separamos, PC segurou meu rosto com as mãos, puxando as almofadas macias destes polegares em minhas maçãs do rosto. "É cada vez melhor, não é?" Eu balancei a cabeça, minha garganta grossa. Cada beijo era mais suave, mais sexy, mais vinculativo do que o último. "Eu vou sentir falta de beijar você, você sabe, quando isto acabar," Ele sussurrou.

116


Eu coloquei minha testa contra a dele. "Talvez até mesmo se não estivermos ligados... Quero dizer que não temos que ser estranhos. Eu me perca beijando você, também." "Vamos ver o que acontece. Podemos querer ter nada a ver um com o outro." Nisso eu ri. "PC, eu ainda vou gostar de você! Não é como se eu fosse obrigado a continuar a tocar em você, mas eu não odeio suas entranhas. Podemos ser amigos.” "Os amigos que beijam?" Revirei os olhos. "Provavelmente não." Ele sorriu de qualquer maneira. "Então Zack me mandou uma mensagem quando você estava ajudando esse último cliente. Fiquei um pouco distraído pelo beijo. Ele disse que haverá filme a noite na minha casa em aproximadamente uma hora. Você quer ir? Você teria a oportunidade de conhecer o elenco todo." "Claro que eu quero ir. Deixe-me fechar o meu registro e podemos caminhar. É muito perto certo?" Ele assentiu. A caminhada ao longo foi divertida. Apesar de ter muito vento e um pouco frio, eu estava aquecido todo o caminho por PC que pegou minha mão na sua e colocou as duas no bolso da jaqueta. O sorriso que ele me deu quando ele fez isso era tão doce e hesitante isso fez meu estômago tremer. Eu estava um pouco preocupado com entrar em todo aquele grupo de pessoas que se conheciam tão bem. Eu só meio que conhecia Zack, e eu

117


conheci Noah todos de uma só vez. Eu não sabia quem mais iria estar lá. Eu estava em uma posição estranha, queria e não queria ao mesmo tempo. Eu não sei se a hesitação de PC aceitar minha existência seria legível para os outros. "Você acha que todo mundo vai gostar de mim?" Eu sabia que estava me preocupando, mas eu queria alguma tranquilidade. PC revirou os olhos. "O que há para não gostar? Você é muito doce e você tem grandes olhos sonhadores e você é um beijador fantástico." Eu ri, mas gostava que ele tivesse notado a mesma coisa. "De alguma forma eu não acho que vai impressionar ninguém além de você." "Eu não sei. Você pode ter que tomar cuidado com Leila." Eu esperava que ele estivesse brincando. "Será que eles sabem o que está acontecendo?" "Não sei se Zack e Noah disse a eles. Se não terei que dizê-lo. É justo. Saí ontem à noite parecendo como a morte e voltar esta noite fino e ligado a você. Eles são obrigados a se perguntarem o que aconteceu. Especialmente quando minha mãe mostrar-se amanhã." Amanhã. Eu poderia perdê-lo, amanhã. Meu instinto se apertou. Eu estava apenas começando a conhecê-lo, e gostando de tudo o que eu descobri. Não era justo. "Que horas que a sua mãe chega?" "Seu horário de vôo é cerca de dez, disse ela. Eu estou supondo que ela vai chegar no apartamento ao meio-dia."

118


Eu balancei a cabeça, mas não fiz mais perguntas que eu não estava pronto para ouvir a resposta. PC vivia no último andar de um edifício antigo surpreendentemente perto do meu. Claro que ele fez. Eu me perguntava quão longe as coincidências iam. Será que acabou acontecendo de eu viver por perto ou eu peguei o apartamento de alguma forma porque eu estava no lugar certo? Eu tinha sido atraído para a livraria, porque ele sempre gostou ou que só temos o mesmo gosto? Ou será que temos o mesmo gosto porque estávamos ligados? Isso me fez tonto pensar em círculos como esses. Especialmente quando não havia nenhuma maneira que eu jamais iria descobrir a resposta. Eu podia ouvir o estrondo de um grupo de pessoas antes mesmo abrir a porta. Meu estômago se apertou um pouco quando ele remexeu nos bolsos pelas chaves. Quando ele encontrou, ele estendeu a mão para pegar minha mão, obviamente, sentindo meu desconforto em estar em um lugar novo. Com um pequeno clique, ele virou a fechadura e abriu a porta para o apartamento que estaria lotado com seus amigos. "Eu acho que nós precisamos verificar onde estar Zack." Eu ouvi a voz de Noah vindo do quarto ao lado. "Bebê, nos podemos não falar sobre o trabalho por uma noite? Eu só quero assistir a um filme e relaxar." "Mas..." Noah parou de falar quando PC deixou a porta fechar, bastante alto que eu pensava. Ele estava alertando-os para que eu não pudesse ouvir? Fosse o que fosse que eles estavam falando eu queria pensar que eu poderia lidar com

119


isso. Talvez fosse apenas porque ele não achava que eu estava indo para estar ao redor por muito tempo por isso era melhor se eu não soubesse de seus segredos. Eu ouvi os sons de pessoas baralhando e levantar de cadeiras. "Ei, PC. Oi, Miles!" A primeira saudação foi de Zack. Fiquei tão aliviado ao vê-lo. Ele veio imediatamente para nos cumprimentar. PC deu um soco em seu ombro e eu ganhei um grande sorriso e um meio-abraço apertado. "Como você está se sentindo hoje?" "Melhor", eu disse a ele e sorri. Ele me deu um pouco de um sorriso sabendo e voltou-se para cumprimentar PC também. "Oi, Miles." A saudação mais silenciosa veio do lindo vampiro loiro Noah. Ele também me deu um sorriso amigável. Comecei a relaxar. Talvez as coisas fossem funcionar bem. "Zack, o que vocês dois contaram aos outros?" PC perguntou depois que as saudações tinham acabado. Ele esfregou a minhas costas através da minha camisa. "Não muito. Noh e eu achamos que era o seu negócio. Tudo o que Leila sabe é que você estava com um "menino" desde que você nos deixou na noite passada. Você poderia ter raspado o seu fora do teto com uma espátula quando eu dissesse a ela muito." PC riu, parecendo genuinamente divertido, em vez de desconfortável. Talvez ele tivesse sido realmente dizendo a verdade quando disse que estar com um cara não era um grande negócio. Ele não me soltou por um único segundo que eu estava sendo levado para a sala para conhecer os outros.

120


Leila escura e pequena era de fato uma força a ser reconhecida. Ela me deu um abraço e um beijo estalado molhado no rosto antes de virar para PC na minha frente e dizendo que ela gostava dos meus olhos grandes. Vire-me cerca de dez tons de vermelho. "Você vai se acostumar a ela," Zack resmungou atrás de mim. "Levei um tempo. Ela diz esse tipo de coisa para todos nós." Diferente de Leila, a pequena vampira franca e amável, havia Jason seu namorado que era humano, mas uma bruxa, e dois primos de Noah: uma vampira bonita e bastante alta loira chamada Amanda, o outro, Colin, um primo do outro lado da família era um grande musculoso louro com morango que, tanto quanto eu poderia dizer que era um humano normal como eu. O apartamento de PC era bom, melhor do que eu esperava, com certeza. Era espaçoso e aberto com grandes sofás e cadeiras macias, uma grande estante repleta de livros e de arte real nas paredes. Era óbvio que mulheres viviam lá, também. O lugar estava cheio de toques femininos; a partir das almofadas coloridas e cobertores para o grande prato na mesa de café encheu-se com a coordenação de velas de diferentes tamanhos e pedras de vidro coloridas. O lugar não estava nem perto do que eu teria imaginado que ele tinha, que eu já tinha ido longe o suficiente na minha imaginação para fazê-lo. "Então, o que estamos assistindo?" PC falou a quem soubesse como responder. "Os filmes de terror!" Respondeu Amanda com um sorriso. Ela se sentou no sofá ao lado de Colin, primo humano de Noah. Ele tinha um olhar de longo sofrimento em seu rosto como se estivesse constantemente a segui-lo

121


ao redor. Aquele pequeno cenário era engraçado e, ao mesmo tempo fez meu peito doer. Eu podia me ver facilmente querendo seguir PC ao redor após o vínculo ser quebrado e ele perdeu todo o desejo por mim. Como patético seria? Eu sempre ficava com medo quando eu assistia a filmes de terror, mas eu não queria parecer um grande maricas, então eu mantive minha boca fechada e sentei-me no sofá vazio. Eu não estava esperando PC para agir todo meloso na frente de seus amigos, então eu fiquei surpreso quando ele veio e se sentou perto de mim e estendeu a mão para segurar a minha mão. "Venha aqui, bebê," ele sussurrou e me puxou ainda mais perto. "Você tem que ficar perto de mim para que eu não fique com medo." Eu tomaria qualquer desculpa que eu poderia receber. Coração batendo do carinho fala mansa, eu me aconcheguei contra ele, colocando minha cabeça em seu ombro. Eu amava a maneira como ele cheirava, a maneira como seu ajuste da mão na minha, quão perfeita era a sensação de estar com ele. Eu ainda não gostava de filmes de terror e mantive meus olhos fechados durante a maior parte dele, mas eu não poderia dizer que eu não estava tendo uma das melhores noites da minha vida. PC colocou o braço em volta do meu ombro no início do filme e estava brincando com meu cabelo e de vez em quando ele se inclinava para beijar meu pescoço. Eu sabia que estava brincando com fogo, e, provavelmente, o meu coração também, mas naquele momento eu não poderia me importar. Meu corpo estava em modo total de êxtase e não havia nenhuma maneira que eu estivesse indo para afastar-me dele.

122


Quando o primeiro filme acabou, todo mundo se levantou para se esticar. Levei um tempo para sair do meu pequeno casulo de felicidade, mas finalmente eu fiz, de pé, com todos os outros. "Está com fome, querido?" Lá estava ele novamente. 'Bêbado'. "Nós realmente não comemos o jantar, a apenas um bagel na loja." Dei de ombros. Honestamente, o meu corpo não tinha tido qualquer momento para se preocupar com comida. "Um pouco, eu acho." "Vamos procurar na geladeira e ver o lanche que podemos fazer." PC puxou minha mão, me levando para uma porta em arco. "Eu realmente só te queria aqui para que eu pudesse beijá-lo," ele murmurou assim que dobrava a esquina. Suas palavras tranquilas fizeram o meu estômago tremer. Ele fechou a porta da cozinha com o pé. PC me apoiou contra a parede, com os braços em ambos os lados da minha cabeça e começou a arrastar os lábios em meu pescoço, meu queixo, a parte macia da minha orelha. Era doce e gentil, aninhando beijinhos aqui e ali. Ele foi me deixando louco. Finalmente, eu agarrei sua cabeça e colei os meus lábios para baixo nos dele. Eu tive a tortura suficiente. Nós nos beijamos por alguns minutos em silêncio por muito tempo, o silêncio quebrou apenas pelos gemidos suaves e os sons fracos vindos do outro quarto. Na parte de trás da minha mente, eu me perguntava o que tinha acontecido comigo nos últimos dias. Eu tinha sido tão dolorosamente tímido toda a minha vida e aqui eu estava nessa situação louca com um cara que eu realmente só conheci na noite anterior e eu queria rasgar as roupas dele e

123


levá-lo. Eu gemi e empurrei minhas mãos nos bolsos de trás da calça jeans, puxando-o contra mim e gemendo em sua boca. "Um lanche, hein?" A voz rindo de Zack vindo da porta quebrou nos separamos. Meu rosto explodiu em chamas. "Eu acho que eu o tenho distraído." PC não parecia nem um pouco arrependido. Ele sorriu para mim. Zack riu novamente. "Bem, nós estamos prestes a iniciar o segundo filme. Se vocês querem o seu lugar de volta, é melhor você voltar para a sala de estar." Relutantemente PC fugiu para longe de mim, mas estendeu a mão para o meu lado. "Estamos indo." O filme estava começando quando nós nos sentamos no sofá novamente. Imaginei que nosso momento constrangedor estava praticamente despercebido até Leila erguer o controle remoto e parou o filme. Ela estendeu a mão e acendeu a lâmpada ao lado dela. "Tudo certo. O que esta acontecendo aqui? Zack vai para a cozinha para pegar vocês dois, vem para fora olhando como se ele estivesse prestes a explodir em risos e vocês dois parece tão culpados quanto duas pessoas podem possivelmente parecer. E PC, não que eu não ache que ele é super quente, mas desde quando você está em caras?" PC olhou para mim e eu encolhi os ombros. "Você ia dizer-lhes de qualquer maneira, não ia? Agora é um momento tão bom quanto qualquer outro."

124


E então ele disse a eles. Eu sei que Leila pegou o lampejo de dor que eu não podia esconder quando ele disse que sua mãe estava vindo para quebrar o vínculo. Tenho certeza de que Zack e Noah fizeram, também. Dei de ombros internamente. O que havia para esconder? Eu queria estar com ele, queria ele em todos os sentidos possíveis. Sim, porque o meu corpo ansiava seu toque, mas também porque ele me fez rir. E ele tinha um jeito de sorrir para mim que me fazia me sentir como a única pessoa no mundo. Tenho certeza de que eu olhei para ele dessa forma, também. Após a história, e uma sessão de perguntas e respostas bastante intensa, que me confundiu mais do que tudo, nos estabelecemos no sofá para o segundo filme, PC distraidamente esfregando os dedos pelo meu cabelo. Fechei os olhos para o começo. Esse me assustou e eu não queria estar acordado a noite toda. Devia nunca tê-los abertos de volta, porque a próxima coisa que eu sabia era que os outros estavam se preparando para jogar cartas e PC estava me sacudindo e me dizendo que era hora de ir para a cama. "Vamos, vamos para a cama. Tem sido um longo tempo desde que eu descansei durante todo o dia. Estou exausto." Segui-o humildemente pelo corredor até seu quarto e observei enquanto ele fechou e trancou a porta. Ele ligou um som estéreo, alguma música de piano tranquila ou algo assim. "Eles ficam muito alto quando eles estão jogando cartas. Um grupo de trapaceiros." Ele me deu um sorriso devastador. "A música vai afogá-los, pelo menos, um pouco."

125


Eu sorri de volta, cansado e me sentindo um pouco triste. Isso estava quase no fim... Talvez. A menos que sua mãe não pudesse fazer nada para nos quebrar. Eu esperava que fosse esse o caso. "Eu vou tomar um banho bem rápido. Fique confortável, ok? Tome um ou outro lado, eu não me importo." "Ok." Ele se inclinou e deu um beijo suave nos meus lábios. "Noite, no caso de você estiver dormindo quando eu voltar." "Noite, PC." Tirei a minha cueca boxer e camiseta e me arrastei para a cama de PC. Era muito maior do que a minha e um milhão de vezes mais confortável. Além disso, ela cheirava como ele, quente, masculino, com aquele leve toque de Coco Chanel. Eu amava a maneira como ele cheirava. Eu poderia facilmente ver-me passar muitas horas felizes na cama com ele, falando, lendo, rindo... Fazendo amor. Oh, Jesus. Nem sequer comece a pensar sobre isso. Eu me aninhei nos cobertores, inalando alegremente, e tentando fingir que o dia seguinte nunca ia vir. PC voltou de seu chuveiro, poucos minutos depois, pele úmida e fresco. Resmunguei um pouco quando ele arrastou para a cama e meu corpo voltou para o seu naturalmente. Ele puxou a minha camisa até que eu levantei meus braços e deixei que ele puxasse-a sobre a minha cabeça. "Quero sentir você", ele sussurrou em meu ouvido. Então ele me puxou contra ele, de costas para o peito magro quente. Ele era o paraíso. Ele ficou em silêncio por alguns minutos e eu flutuava lá em seus braços. Não demorou

126


muito, porém, antes que eu senti minha cueca boxers deslizando para baixo. "Não gosto desses também. Preciso de sua pele." Minha mente estava com medo de me machucar, mas meu corpo concordou inteiramente com ele. Eu me levantei apenas o tempo suficiente para o último fragmento de tecido

nos separando

deslizar sobre meus

quadris e desaparecer. "Muito melhor." Eu podia ouvir o sorriso em seu murmúrio suave. Seus batimentos cardíacos batendo firme e o calor de sua pele me embalado para dormir.

127


Capítulo 7 Me entregue Poucas horas depois, ouvi a porta aberta do quarto de PC. Eu estava dormindo profundamente, a cabeça enfiada no vinco confortável de ombro de PC. O barulho me assustou, e eu quase me sentei antes que eu percebesse que eu definitivamente não queria que os cobertores caíssem. "Noite dos indivíduos." Era só Zack. Eu respirei mais fácil. Não que eu queria que ele me visse nu, mas de todos, ele me fazia o menos nervoso. "Você me acordou, seu idiota. Eu estava tendo o sonho mais bonito." A voz sonolenta de PC fez seu estrondo no peito sob a minha mão. Ele mexeu um pouco e acariciou minhas costas, me beijando no topo da minha cabeça. Queria saber o que ele estava sonhando... "Bem, você pode estar contente que era eu e não Leila. Ela ainda está falando de você dois. Estou surpreso que ela não está aqui com sua câmera." PC fez um som abafado e Zack riu. "Leila faz-me feliz por ela não viver na minha casa." "Talvez eu vá mandá-la para lá. Vocês dois têm um quarto vazio." "Você é hilário. De qualquer forma, boa noite. Eu provavelmente vou vêlo amanhã." "Sim, provavelmente. Obrigado por toda sua ajuda ontem. E diga graças a Noah, também."

128


"Claro que ajudamos. Para que servem os amigos se não para baterem algum sentido para os seus amigos lycan impressos?" PC riu baixinho. Zack não disse nada por alguns momentos. Eu pensei que ele tinha deixado até que ele falou novamente. "Noite, Miles." Ele ficou em silêncio, mas eu podia ouvir o sorriso em sua voz. Eu não podia sequer imaginar o que Zack pensou de toda a situação. Parte de mim estava com vergonha de estar falando com alguém enquanto eu estava nu e enrolado em torno de PC. Minhas bochechas estavam quentes, mas eu percebi que era estúpido fingir que estava dormindo. "Boa noite, Zack. Vejo você na sala de aula na quarta-feira." "Provavelmente antes disso. Você está tipo preso com este agora." Sim, mas talvez não por muito tempo... Quando acordei o sol do outono já estava alto no céu e bem na minha cara. Eu gemi e tentei puxar o lençol sobre os olhos, instintivamente abraçando mais perto da pele quente atrás de mim. "Desculpe, querido. Esqueci-me de fechar as cortinas na noite passada. O sol fica um pouco intenso na parte da manhã. Se esse não fosse o maior quarto, eu teria mudado para o outro lado do corredor há muito tempo." "Tudo bem", eu murmurei e puxei o lençol ainda maior sobre a minha cabeça. Meu estômago tremulou com a sua voz e a textura acetinada de sua pele, mas eu tentei ignorá-lo. Eu ainda estava um pouco ambivalente sobre ele me chamar de apelidos bonitos e me segurar como se não houvesse outro nenhum lugar que ele gostaria de estar. Claro, uma parte de mim adorava...

129


Bem uma grande parte de mim adorava. Mas acontece que uma teimosia que se rebelou contra a ideia dele me afirmar com palavras de carinho e me tocar quando ele ainda estava insistindo que ele não queria que ficássemos juntos. Ignorei a pontada irritada e deslizei mais perto em seus braços enquanto eu poderia receber. Aprecie-o enquanto eu ainda posso. Ele fez um barulho resmungando satisfeito que eu pude sentir contra a minha volta, então ele jogou o braço em volta da minha cintura novamente e beijou meu pescoço. "É bom acordar com você." Ok, caramba, isso é demais. "PC, você não pode dizer esse tipo de coisa para mim." Minha voz era calma, mas grave. "O que você quer dizer?" Ele parecia ferido. Eu tinha medo de virar e olhar para ele. Eu sabia que ia afundar se eu vi seus olhos. "Quero dizer, sua mãe vai estar aqui no máximo em uma hora? E seu plano é para lhe dizer que você não quer isso comigo, para quebrar tudo o que nos fez assim. Não é justo agir como se você gostasse quando você não gosta." Ele suspirou e beijou as costas do meu pescoço novamente. "Miles, eu gosto disso. Demais. Cada minuto que eu passo com você eu me encontro afundando ainda mais, querendo estar com você sempre, precisando tocá-lo constantemente, querendo conhecê-lo melhor e gostando de tudo o que eu estou descobrindo." Eu me virei para encará-lo após esse pequeno discurso. Tenho certeza de que ele pareceu confuso,magoado e esperançoso, tudo ao mesmo tempo.

130


Eu tentei esconder minhas emoções, mas eu não tenho experiência suficiente com caras para consegui-lo. "Então por que você quer que o vínculo seja quebrado? Isso não é melhor do que qualquer coisa que você já sentiu antes?" Ele fechou os olhos e bateu a testa contra a minha gentilmente. "Sim. De longe. Mas, espera, por que você disse 'você'? Você não quer que o vínculo a seja quebrado, também?" Eu abaixei minha cabeça no peito dele e apertei-a miseravelmente. Ele levantou meu queixo até que eu estava olhando para ele. "O que aconteceu?" "Eu não sei. No começo eu era como você, pensando que isso era bom, mas faria a nossa vida impossível. Então, lentamente, eu comecei a gostar de estar ligado. Eu pensei que era o vínculo assumindo, mas é muito mais. Tudo o que você disse sobre a obtenção de me conhecer, gostar de mim como pessoa. Eu estou sentindo isso também. Eu acho que eu simplesmente vejo tanto de um problema cuidando assim sobre alguém. Eu não quero perder os sentimentos. Ou você." "Porra." Era uma palavra falada mansa que disse tudo. Tentei me desembaraçar, mas ele me segurou firme, me puxando para mais perto quando eu precisava ser afastado. "Bebê..." Eu olhei para ele em silêncio. "Eu sinto muito. Miles. Deus, isso é uma merda. Meus impulsos estão me dizendo à mesma coisa que os seus estão dizendo e meu corpo está em um estado constante de felicidade

131


desde sexta-feira à noite." Ele arrastou os dedos pelo meu braço, o sorriso suave no rosto mostrando o quanto ele gostava de tocar em mim. "Isso tem que parar, porém, não importa o quanto eu goste de você. Eu não sei de que outra forma de dizê-lo. Quer dizer, eu sou um caçador. Você se lembra do que eu faço? Eu persigo vampiros maus, lobisomens e encrenqueiros de todos os tipos. Eu estou em perigo o tempo todo." Eu não sabia como reagir a essa afirmação, então eu fiz uma pergunta que eu já tinha adivinhado a resposta. "Era disso o que eles estavam falando quando entramos na noite passada. Quando todo mundo ficou todo quieto?" "Sim, provavelmente. Ouça, eu nunca planejei estar com alguém, ter alguém que se importava comigo, alguém que se preocupasse... alguém que estivesse esperando por mim para voltar para casa." "Tarde demais para isso, seu grande idiota." Eu tentei sorrir. "Seus amigos já se preocupam com você. Tenho certeza de que você se preocupa, também.” "Eles fazem, mas não é o mesmo. Se algo acontecer comigo, seria triste, mas a vida continuaria. E essa é a maneira que deve ser. O que eu sinto por você agora, minha vida estaria terminada se algo acontecesse com você. Eu não posso ter alguém a sentir-se assim sobre mim." "Tarde demais para isso, também." Eu disse isso em voz baixa. Eu quis dizer isso. "Veja que é por isso que minha mãe tem que quebrar isto! Eu não estou dizendo que eu quero você fora da minha vida. Eu já sinto saudades. Eu só

132


não acho que devemos ser tão, porra, importante um para o outro que nada mais importe." "Mas Zack e Noah não estão ligados. Eles simplesmente amam um ao outro e é como o que é para eles. Posso dizer só de vê-los juntos. O que acontece se você se apaixonar? Não seria o mesmo?" Ele balançou sua cabeça. "Eu nunca vou cair no amor assim. Seria tão mau como isso." A dor foi rápida com o corte. Eu percebi o quanto eu queria que ele se apaixonasse por mim. Como facilmente eu estava me apaixonando por ele. Eu queria o amor que Zack e Noah tinham e eu queria-o com PC. Eu odiava que eu nunca teria. Eu renovei o meu esforço para me desembaraçar dos braços de PC. "Vamos se vestir. É melhor estar pronto para sua mãe quando ela chegar aqui." Ele me deu um pequeno olhar triste e tentou mais uma vez se segurar em mim quando eu me mexi para longe dele. "Miles, você sabe se eu estivesse querendo estar com alguém assim, seria você. Simplesmente não posso. Não com ninguém. Sempre." Como um milhão de outros compromissofobia não tinha dito essas palavras exatas para a pessoa que estava esperando desesperadamente que seria aquele que era diferente. "Não muda nada, PC. Deixe-me ir. Eu quero tomar um banho." O olhar em seu rosto triste. Como se eu fosse o único rejeitá-lo. Eu imediatamente me senti horrível. Meu peito se apertou em uma dor

133


desconfortável. Mesmo quando eu feria me doía

também. Fale sobre

porcaria. "Há toalhas no armário do corredor. Meu shampoo e condicionador estão nas garrafas vermelhas. Eu ficaria longe das outras coisas. Cheira como pintos." Sua voz era pequena e deflacionada. A dor em meu peito não ficou melhor. "PC, o que você espera que eu faça? Eu não posso ser todo aconchegado com você e, em seguida, ouvi-lo dizer à sua mãe para corrigi-lo por que você não me quer mais. Dói, tudo bem? Estou tentando me proteger." "Eu sei. Eu odeio isso, embora. Mesmo que eu não queira, eu te quero, eu faço. Muito. Basta ir tomar um banho." Ele estava lutando contra as lágrimas? A ideia do Sr. resistente "Eu não posso me preocupar com ninguém" PC chorar por mim me fez derreter. Eu quase me arrastei de volta para a cama com ele. Quase. Seja racional, Miles. Em vez de voltar a ficar na cama onde eu queria estar eu caminhei piloto automático para o corredor frio e peguei uma toalha do armário antes de me fechar no banheiro de azulejos brancos e pretos. O cheiro do seu shampoo não ajudou a me sentir racional. Nem a lavagem do corpo com Coco Chanel que eu passei alguns minutos inalando. O que ia acontecer comigo? Toda vez que eu pensava de andar longe dele, doía. Como eu tinha me ferido esses três dias terríveis em que eu não conseguia nem me mover. Era um pouco estranho que eu estava bem estar só no chuveiro e não tocá-lo. Talvez porque eu sabia que ele estava seguro na sala ao lado e ele não ia a lugar nenhum. Foi só quando eu contemplei que a

134


ideia de estar longe dele para o meu bem que meu corpo começava a reagir. Rapidamente e dolorosamente. Eu não podia suportar a ideia de deixálo para o bem. Eu não queria que a nossa ligação fosse quebrada, os laços entre nós cortados, mas eu também não queria tê-lo perto de mim o tempo todo, incapaz de sair, e saber que ele não queria o que tínhamos. A questão era qual deles é que eu não quero mais? Voltei para o quarto para encontrar PC sentado na beira da cama, completamente vestido, e olhando desconsolado pela janela. Ele parecia perdido, como se tivesse sido sentado lá durante todo o tempo que eu tinha ido embora. Eu afundei na cama ao lado dele em silêncio e puxei sua mão no meu colo, entrelaçando nossos dedos. Por mais que eu sentisse a necessidade de me proteger de se machucar, eu não podia resistir ao olhar triste perdido que ele tinha no rosto. Se o fazia sentir-se melhor me tocar, então eu estava disposto a fazê-lo, não importa o quanto isso doeria mais tarde. E não era só por causa do vínculo. Era porque eu desejava fazê-lo feliz, tanto quanto a nossa ligação. Ele me deu um meio sorriso e apertou meus dedos antes de voltar a olhar para fora da janela. "Será que o amor machuca assim?" Ele me perguntou em voz baixa depois que esteve sentado lá por alguns minutos. "Eu não sei. Provavelmente." "É uma merda." "Não precisa. Não dói quando estamos juntos." Ele suspirou. "Eu sei. Isso só não vai funcionar." "O que será se sua mãe não puder corrigi-lo?"

135


Ele balançou a cabeça com veemência. "Não. Tem que haver uma maneira." Só então o chocalho distinto de uma chave na fechadura ecoou no apartamento silencioso. "Mamãe está aqui. Vamos acabar com isso." Ele ficou sem soltar minha mão. Eu me perguntei se ele planejava deixá-la ir na frente de sua mãe. De certa forma eu esperava que não. Meu corpo estava começando a entrar em pânico com o pensamento de ser separado dele. Eu podia senti-lo tremendo também. Imaginei que ainda precisávamos um do outro, mesmo que fosse só por um pouco mais de tempo. Sua mãe era adorável. Jovem e distintamente europeia. Ela veio e lhe deu um abraço longo e apertado antes de se virar para olhar para mim. "Olá, querido", disse ela antes de puxar-me para um abraço também. Eu estava um pouco surpreso, mas me senti bem. Estranhamente como família. Eu supunha que fazia sentido. "Miles, esta é a minha mãe, Sabina." "Mãe, este é Miles. Ele é meu..." PC parecia compreensivelmente desconfortável. Eu não sei como chamá-lo também. "Eu sei. Eu podia sentir isso já a partir do corredor. Quaisquer lycan dentro de dez milhas provavelmente pode sentir isso. Não há necessidade de verificar mais; o seu vínculo é real e muito forte. Mais forte do que os poucos que eu já senti." "Então nós temos realmente... imprinting." Ele hesitou. "Eu sempre ouvi dizer que era apenas uma lenda."

136


"Não, isso aconteceu na minha cidade quando eu era uma menina. Ele era da nobreza; ela era apenas uma menina de exploração agrícola, humana. Não importa. A ligação é rara e, portanto, respeitada e honrada não importa qual a forma que assuma." Essa última frase fez meu coração acelerar. Eu podia ver os olhos de PC alargar um pouco. A próxima pergunta parecia presa em sua garganta. "Como é que vamos quebrar isso, mãe?" "Quebrar o que, querido?" "O vínculo, o imprinting, o que você quiser chamá-lo. Nós, bem, eu, quero quebrá-lo. Nós não podemos viver assim. Dói até mesmo para estar em salas diferentes. Você sabe como é a minha vida." Ela olhou chocada. "É por isso que me trouxe aqui? Arruinar algo que talvez acontece uma vez em um século?" PC assentiu. "Não é por isso que você veio tão rapidamente?" "Oh, querido, eu só estava vindo para confirmar que ele era real e não algum tipo de feitiço; e depois dizer a todos os anciãos o que tinha acontecido, é claro. Você não pode quebrar um imprinting. É impossível." "Tem que haver uma maneira." A voz de PC estava em pânico. 'Não há. Além disso, nós nunca iríamos escolher, mesmo se pudéssemos. É uma honra ser um dos poucos escolhidos para a ligação." "Mas eu não quero isso!"

137


O olhar no rosto de PC disse tudo. Seus olhos, seus belos olhos dourados, estavam arregalados de horror. Ele olhou para mim e eu podia vêlo. Ele sentiu... Preso. Eu não podia suportá-lo, sendo o que ele não queria. Então eu saí. Eu corri através da porta, ignorando PC gritando meu nome. Doeu muito estar naquela sala e tê-lo olhando para mim como se eu fosse uma cruz para carregar. Eu desci as escadas de dois em dois, lágrimas embaraçosas estúpidas enchendo os meus olhos e tornando difícil de ver. Eu não me importava. Eu tinha que continuar indo, correndo mais longe de PC a cada passo, apesar da crescente dor na minha barriga. Merda, isso dói ainda mais! Eu quase tropecei no patamar, empurrando minha mão para segurar no parapeito antigo e esperando que não fosse influenciar quando eu virei a esquina em alta velocidade. A cãibra no estômago piorou mas eu tentei ignorá-la. Isso não funcionou tão bem. A dor estava perceptível, empurrando para fora em direção a minha pele perfurando com a força de um punho. A porta da frente de seu prédio bateu contra seu invólucro quando eu surgi no meio dela e para fora em um dia de outono alegre. As folhas eram laranja e amarelo e nítidas na calçada, o céu estava de um azul brilhante polido. Eu mal vi alguma coisa. É difícil de ver quando você está chorando como um bebê grande. Limpei meu rosto com golpes violentos de meus dedos. Tentei continuar, mas não pude. Parecia que havia uma parede de cimento me segurando de ir mais longe. Ele tinha ficado mais forte desde o

138


dia anterior. Vínculo da porra! Pela primeira vez desde que eu aprendi sobre isso, eu realmente ressentia de ser ligado tão intimamente que eu não pudesse fugir. Eu queria fugir da minha humilhação. Dobrando, eu olhei para a calçada sob os meus pés sem ver, a dor no meu abdômen tornando quase impossível respirar. Os tijolos duros e ásperos e a argamassa rasparam minhas costas enquanto eu afundei no chão e cai contra o lado do edifício. Senti vontade de gritar. Segundos depois, PC estourou para fora da porta e olhou para a direita e esquerda, procurando por mim. Seu rosto estava pálido, preocupado e com dor. Eu não queria lidar com ele, mas já tinha descoberto que não havia escapatória. Esses quatro lances de escada tinha sido uma distância suficiente para rasgar minhas entranhas em pedaços. Quando ele finalmente me viu, ele caiu no chão ao meu lado. Eu não sabia se eu estava imaginando coisas, mas pensei que eu podia realmente sentir as emoções que derramavam fora dele: a sempre presente atração, confusão, dor, raiva. Ótimo. Essa é a última coisa que eu precisava, ele estar com raiva em cima de todo o resto. Alguns dos pedestres nos deram olhares curiosos enquanto caminhavam perto, mas eu não me importei. Minha vida era uma porra de uma bagunça. "Por que você fugiu desse jeito? Você sabe o que isso faz conosco!" Isso saiu como um rosnado, irritado e impaciente. Eu não queria olhar para seu rosto. Eu sabia o que eu ia ver. Enfiei minha mão no meu olho, tentando esconder as lágrimas que brotaram no tom de sua voz. Era demais para lidar.

139


"Por que eu não deveria ficar longe de você? Eu vi o olhar em seus olhos quando sua mãe disse que a nossa ligação não poderia ser quebrada. Não me diga que você não estava horrorizado. Você não me quer. Como é justo que eu não posso escapar depois disso?" Ele suspirou e esfregou seu rosto. Como magoado e irritado como eu estava, meu corpo se inclinou mais perto, até nossos ombros se tocaram. Me irritava o quanto eu queria tocá-lo. Tentei me afastar, mas ele me parou. "Pare com isso", ele murmurou. "Nada sobre esta situação vai ficar melhor se nós estivermos meio segundo longe um do outro." Seu sussurro, eu senti como uma cócega suave contra minha orelha. Eu queria gritar com a ironia, mas me senti desamparado. Eu teimosamente tentei afastar-me novamente, mas ele era forte. Até mesmo o empurrão indiferente que eu dei nele não teve muito efeito. "Eu lhe disse para parar. Somos uma conclusão precipitada agora. Pare de me empurrar. Não vai ajudar em nada." "Oh, mas você pode me chamar de uma conclusão precipitada? Como é que isso faz qualquer coisa melhor?" Eu estava me sentindo mal-humorado e pouco irracional. Eu sabia que não gostava da insinuação de que eu era algum tipo de punição para ele. Tentei sair dele uma última vez, mas fiquei surpreso quando ele agarrou meu braço e me puxou contra seu corpo. Ele rosnou novamente, um ronco baixo ameaçador, como se ele estivesse me avisando para não fazê-lo mais louco do que já estava.

140


"Nada vai fazer nada disso melhor? Você não entendeu? Nós não podemos ser quebrados por qualquer coisa. Nunca. É assim que vai ser a partir de agora." Ele fez um gesto entre nós violentamente, seus olhos dourados selvagem. "Minha vida é uma merda! Eu estou preso com isso... esta coisa sempre. Os lycans fizeram tudo uma merda, eu não vou ser capaz de andar dez metros sem você sem sentir como eu vou implodir, meus dias de caça podem muito bem ter acabado. Eu odeio isso!" "E você acha que eu amo isso?" Eu meio que amava, pelo menos até este novo PC emergir. "Você acha que eu gosto de ser olhou como se eu fosse um conjunto de algemas de aço?" Eu suspirei. "Eu realmente não estou gostando de você em tudo agora. O que aconteceu com Sr. Cara Bom de antes: o que era muitas desculpas, eu estava envolvido em tudo isso?" "Ele descobriu que sua vida estava sendo arruinada." Ele zombou de mim, todo o calor que eu tinha visto em seu rosto, mesmo uma hora mais cedo se foi, substituído por raiva e desprezo. "O que era todo o material bonito com beijinho no rosto, sobre amar, me tocar era só porque você pensou que estaria livre de mim hoje e você podia querer ter um pouco de diversão, enquanto a diversão estava disponível?" "Não, Miles: eu não quis. Ah Merda. Você não pode ver o quanto isso é uma merda?" Ele olhou para mim implorando por um momento, em seguida, fez um som bufando e revirou os olhos. "Eu acho que não suga para você. Você está recebendo o que queria no seu caminho." "Você está me culpando?!" "Você disse que queria isso, bem, agora você tem!"

141


"Bem, merda. Os lycans devem ser vidente, em seguida, porque sabiam que o que eu queria era você e, obviamente, é por isso que eles não vão quebrar o vínculo, que, oh, a propósito, eles não poderiam quebrar de qualquer maneira." O sarcasmo na minha voz surpreendeu até a mim. "E acredite em mim. Você acabou de me curar de querer alguma coisa a ver com você. Por que eu quero estar com qualquer um que se transforma em um grande idiota quando ele não está recebendo exatamente o que ele quer?" "Por que eu iria querer ser 'algemado' a vida toda a um ser humano?" A maneira como ele jogou a palavra que eu usei para mim, e a maneira como ele fez "humano" soar como uma espécie de subespécies: eu só queria gritar. "Você sabe o que? Dane-se. Estou fora daqui." Levantei-me e virei para correr para fora quando eu senti uma mão forte no meu braço, me segurando no lugar. Eu me contorci contra ela por alguns segundos antes de eu admitir que era inútil. Ele era muito mais forte do que eu. Voltando-me ao redor, eu considerava-o com o que eu esperava que fosse um olhar fulminante. "Solte-me." Eu falei as palavras lentamente. "Você não pode sair." "Observe-me. Prefiro a dor a estar perto de você." Eu podia jurar que ele se encolheu. Bom. Não se sente muito bom, não é? "Não seja ridículo. Precisamos voltar lá para cima. Minha mãe quer conhecer seu novo filho." Eu odiei a maneira como ele falou. As palavras e seu corpo estavam me dizendo para ficar, mas sua voz soou como se ele não

142


pudesse suportar o pensamento disso. Minhas entranhas sentiram um vazio, preenchido apenas com mágoa dolorida queimando. "Não. Terminei. Eu não quero nada a ver com os lycans, com você, com qualquer um que pensa que não vale a pena estar comigo. Solte-me. Como eu disse, eu vou ficar com a dor." Eu comecei a me afastar, tentando puxar minha mão de seu aperto e ignorando a queima no meu intestino. "Miles, isso vai matá-lo." Essas quatro palavras faladas suavemente me parou nas minhas tentativas. "O quê?" Foi difícil falar eu meio que sussurrei, mesmo que rouco. "Minha mãe me enviou atrás de você. Ela disse para não deixar você chegar muito longe, que a dor acabaria por nos matar. Nós dois." Sua mãe o mandou? Ele nem sequer viria atrás de mim por conta própria e eu morreria se eu estivesse longe dele por muito tempo. Deus, isso estava ficando melhor e melhor. O aperto de PC suavizou, se transformou em um toque. Peguei a primeira oportunidade de puxar a minha mão da dele. "Então, nós estamos realmente presos." "Estamos realmente presos." Meu coração doeu, mas eu o enfrentei em silêncio. Foi um longo tempo antes que eu sentisse como se estivesse pronto para falar. Quando eu fiz, ele saiu lentamente, minha voz seca e límpida. "Bem. Mas não vai ser como era. Não me toque, e a menos que seja algo necessário, eu não quero que você falando comigo também."

143


PC revirou os olhos. Eu queria dar um soco nele. "Nós vamos ter uma vida tão agradável juntos." Ele me levou até a porta. "E enquanto eu estiver nela, não se atreva a me culpar por isso novamente. Eu não sou o único que é o Sr. Supernatural cão-menino. O ser humano que não muda não poderia ser responsável por essa bagunça." PC me encarou e bateu a porta de seu prédio contra a parede. "Depois de você, querido." "Dane-se." A mãe de PC estava esperando pacientemente quando voltamos. Eu estava furioso, mas ainda me sentia um pouco embaraçado desde que eu tinha sido o único a correr como uma criança estúpida. "Sinto muito", murmurei antes de me sentar no sofá. PC se sentou no sofá, também, mas tão longe quanto ele poderia estar sem apertar-se para o canto. Tudo bem por mim. Ficar longe. Pena que minha pele não gostou muito. Eu podia sentir isso pulsando, querendo se aproximar dele. Enfiei os calcanhares no chão, como que isso fosse ajudar. "Está tudo bem, querido." A mãe de PC falou em voz baixa, em relação a nós com interesse. "Você estava chateado. Meu filho estava sendo insensível." Ele olhou para ela. "Então o que acontece agora?" "Bem, pronto para isso ou não, vocês dois estão acoplados. Para a vida. Eu disse que a ligação entre você não pode ser desfeita. E não posso, não por qualquer pessoa."

144


A mãe disse suavemente que não havia maneira de quebrá-lo. Eu meio que esperei que PC surta-se novamente, mas ele estava sentado ali estoicamente, tendo a sua punição com uma expressão sombria. Eu decidi que não poderia ficar pior se eu derramasse o resto. "Um..." "Sabina", ela incitou gentilmente. "Sabina." Eu repeti. "PC e eu já descobri que ele...um...o vínculo provavelmente esteve lá toda a nossa vida de qualquer maneira." Ele olhou para mim, também, como se eu dizendo a verdade em voz alta estava indo para torná-lo mais verdadeiro do que já era. Sua mãe, por outro lado olhou intensamente interessada. Percebi que isso deve ser um grande negócio para os lycans, especialmente com as nossas circunstâncias ímpares vinda de tão longe e, bem, sendo ambos do sexo masculino. De alguma forma eu duvidava que acontecesse com muita frequência. "Como você sabe? Os únicos outros casais imprinting que eu já vi na minha frente viveram nas mesmas aldeias toda a sua vida, já se conheciam e estavam cientes do imprinting, uma vez que ambos estavam com idade suficiente para sentir isso." PC suspirou. "Lembra-se daqueles sonhos que eu sempre tive, mãe? Aqueles onde eu estava à procura de uma árvore de Rowan?" Ela assentiu com a cabeça. "Mostre a ela, Miles." Meu rosto ficou vermelho. Bem. Eu levantei minha camisa para revelar a árvore.

145


"É uma árvore de Rowan. Rowan é seu nome do meio. Eu estava tendo esses sonhos antes Miles já fazer a tatuagem." Ela arregalou os olhos visivelmente. "Então você esteve... Você estava esperando por Miles desde que eram meninos." Eu me encolhi. PC saltou para cima, a expressão beirando o pânico. "Eu não posso ter essa conversa agora, talvez nem nunca. Mãe, você conheceu Miles, você pode ir dizer ao conselho que o vínculo estúpido é real. Eu tenho que descobrir como eu vou viver a minha vida com um homem acorrentado a meu pescoço." "E quanto a mim? Esta não é exatamente minha ideia de uma festa!" Eu estava ficando cansado de seu "ai de mim." "Tanto faz. Todos nós sabemos como você se sente sobre o vínculo." "Sentia. Pretérito. Como em não mais." Se eu fosse um Lycan como ele, eu teria rosnado. Eu queria. Sabina sorriu. "Eu acredito que vocês dois têm algumas coisas para trabalhar." Por que ela estava sorrindo? Isso me irritou ainda mais. "E a menos que você queira que Amanda e Leila se envolvam, eu sugiro que você faça-o em outro lugar." "Vamos para o seu lugar, em seguida, Miles. Ela está certa. Nós não queremos que as meninas se envolvam mais do que já estão". "Tudo bem." Eu não podia esperar para ser preso a sós com ele no meu minúsculo apartamento onde não havia nem mesmo outro quarto para escapar também. "Traga um livro ou algo assim. Eu tenho trabalho a fazer."

146


Com isso, eu acenei para sua mãe e, em seguida, sai para o corredor para esperar por ele. Meu apartamento estava aquecido pelo sol de outono que estava fluindo através das janelas. Infelizmente, esse mesmo sol mostrou a camada saudável de poeira que cobria minhas pilhas oscilando de livros, os abajures e a pilha de copos de café que estavam precariamente perto da minha cama. Eu estava distraído demais para cuidar tanto assim. Deixei minhas chaves e voltei-me para o meu cartão sobre a mesa para pegar o trabalho de escrita que eu precisava para recuperar o atraso. Eu teria feito isso, também, se eu não tivesse batido contra uma parede e quase sufocado por um par insistente de lábios. Sua língua mergulhou em minha boca, esfregando com raiva contra a minha. Eu empurrei o peito de PC, pegando-o desprevenido e fazendo com que ele se inclinasse para trás alguns centímetros. "Que porra é essa? Eu disse para não me tocar!" Era tarde demais embora. Seu gosto estava em meus lábios e língua, e mesmo que minha mão estivesse apenas em sua camisa, eu podia sentir o calor de sua pele pulsando através, me chamando. "Merda." Agarrei sua camisa e puxou-o para perto, esmagando a minha boca na sua. Eu não quero isso! Ok, certo. Diga isso ao meu coração batendo forte, e meu corpo dolorido. Ele gritou gloriosamente, deleitando-se com a proximidade que eu estive a negar. PC deve ter sentido o mesmo. Suas mãos enfiaram-se nos bolsos de trás da minha calça jeans e apertaram, puxandome tão perto quanto podia, ondulando seu corpo contra o meu enquanto sua

147


boca saqueava e pilhava, apreendendo que tudo relutantemente seu para ser tomado. Nós nos separamos segundos antes de eu ter desmaiado por falta de oxigênio. O ar muito necessária correndo para o meu cérebro restaurando apenas um pouquinho de sanidade. Eu tropecei um pouco, minhas mãos empurrando-o para longe. Eu não podia tocá-lo mais. Se eu fizesse, não haveria como parar. Era difícil lembrar que eu o odiava, no momento, até que eu olhei para seu rosto e lembrei-me da maneira sarcástica que ele me garantiu que ele não queria nada com a gente. Eu empurrei mais forte, finalmente movendo-o o suficiente para que eu pudesse fugir ao seu redor. "Para o que foi aquilo?" "Eu cheirava você. Eu não poderia me ajudar." A admissão foi dada de má vontade. "Bem comece ajudá-lo. Eu estou começando meu material escrito e você vai me deixar em paz. Eu já perdi muita aula por sua você." "Tudo bem." Ele continuou a procurar no saco de livros que ele havia deixado lá no dia anterior. Eu tinha esquecido tudo sobre eles. Eu me acomodei na minha cama, espalhando o meu trabalho para fora e abri meu laptop sobre a colcha entre as minhas pernas. PC fixou-se horizontalmente no pé da cama com o seu livro. Eu queria protestar, mas eu tinha que admitir que era muito mais fácil respirar com ele deitado perto de mim. Comecei a trabalhar sobre as atribuições listadas no plano de estudos para a semana anterior. Eu tinha perdido ambas as aulas, porque eu estive tão

148


doente. Após a loucura dos últimos dias, me levou um tempo para chegar-me de volta no modo de escola, mas eu consegui. Ser reprovado não era uma opção a menos que eu quisesse que a minha mãe me estripasse. Uma hora mais tarde, eu estava no meio dos três cenários descritos que deveria escrever quando senti um leve toque na parte superior do meu pé descalço, com os dedos à deriva por toda a minha pele e por baixo do tornozelo do meu jeans. Minha cabeça se levantou, pronto para olhar, mas ele não estava olhando para mim. Seu rosto estava enterrado no livro que estava lendo e seus dedos estavam distraidamente buscando o calor que desejava. O toque era puro instinto, seu corpo queria estar perto do meu. Era maravilhoso. Meu sangue cantou com o acerto. Eu quase suspirei e cheguei mais perto de sua mão acariciando antes de me lembrar como ele me tinha em comparação com um peso em torno de seu pescoço arrastando-o para baixo. Eu puxei minhas pernas para trás, cruzando-as e apoiando os cotovelos sobre os joelhos. "Dói", PC disse calmamente. Eu sabia que ele fez. Meu corpo tinha sido dolorido devidamente, com exceção dos poucos minutos gloriosos, quando nós estávamos nos beijando, depois da nossa luta na rua. Parecia que a nossa ligação estava nos dizendo que ela desaprovava que nós não nos dávamos bem. "Acho que você deveria ter pensado nisso." Eu estava disposto a ser teimoso, não acho que esse era o tipo de dor que era letal e eu me recusei a cair de volta para a forma como as coisas estavam. Não quando eu tinha visto como ele realmente se sentia sobre mim.

149


PC colocou o livro de lado e se contorceu seu caminho até que ele estava deitado ao meu lado. Ele estendeu a mão e enfiou a mão debaixo da minha camisa. "Sinto muito", ele sussurrou. "Eu sei que nada disso é sua culpa. Eu não deveria ter dito isso pra você." "Você realmente não quer dizer isso. Você simplesmente não quer que seu corpo doa mais." "Você quer o seu?" Suspirei e cheguei atrás de mim para puxar a mão debaixo de minha camisa. Eu não queria, mas eu consegui-o. "Não toque-me, PC." "Mas eu quero dizer isso. Eu fui um idiota para você e eu sinto muito. Eu realmente não o culpo por tudo isso. Você estava apenas sentado lá, disponível, doeu quando você fugiu e eu estava em pânico e foi fácil de ficar com raiva de você, descontá-lo em você." Ele riu amargamente. "Quem mais eu deveria culpar se não o pobre rapaz humano desavisado que não tinha nada a ver com este mundo antes de me conhecer?" "Você estava em pânico?" Eu levantei minha sobrancelha. "Ok, eu ainda estou em pânico, mas é mais fácil de respirar quando estou tocando em você. Isso eu sei." Dei-lhe um olhar cauteloso. Eu não tinha certeza se eu queria qualquer parte nesta reconciliação. Ele, obviamente, tinha um temperamento rápido, mas eu nunca tive um tempo fácil para perdoar as pessoas, uma vez que

150


haviam me queimado. As coisas que ele disse, tinham queimado como um fumegante atiçador, ainda quente e fez toda vez que eu pensei sobre isso. "Miles, por favor só..." Seu telefone tocou no bolso. Ele estendeu a mão para ele, enquanto distraidamente escorregou a mão debaixo da camisa para a minha pele da parte inferior das costas. Jesus. Meu corpo cedeu, inclinando-se para trás em sua mão com um grunhido satisfeito. "Ei, mãe." PC ouviu por um segundo, em seguida, colocou a mão sobre a parte inferior de seu telefone. "Minha mãe quer saber se tudo está bem. Ela tem coisas que ela ainda precisa discutir com a gente." Não. Não está bem. "Mais uma vez? Mas nós ainda não estivemos aqui duas horas. Eu tenho trabalho a fazer." Fiz um gesto para o meu computador. "Isso não deve demorar muito." Ele esfregou os dedos suavemente sobre a minha parte inferior das costas. "Você ainda terá tempo para fazer o seu trabalho." A mudança vertiginosa em seu estado de espírito me jogou para uma guinada. Para ir de encarando acusações de desculpas a garantias no espaço de apenas duas horas? Eu não tinha certeza se eu poderia manter-me. Eu bufei, mas assentiu. Melhor acabar logo com isso. Não havia como escapar do que eu tinha certeza de que era notícia mais fantástica. "Ela diz que quer conhecer seu lugar, já que Leila e Amanda, provavelmente, vão se mudar em breve."

151


Eu estava golpeado de horror. "Você deve estar brincando comigo," Eu assobiei. "Sua mãe não pode vim para esse apartamento. Diga-lhe para nos encontrar na livraria ou algo assim." PC deu suas instruções a sua mãe do Village Books e disse-lhe que estaríamos lá em cerca de quinze minutos, o que me deu tempo suficiente para afastar os papeis e pegar os meus sapatos, resmungando para mim mesmo o tempo todo na impotência de toda a situação. Eu me senti como uma bola que estava sendo agitada em algum jogo cósmico. A pior parte era que eu nem sabia quem eram os jogadores. "Eu tenho pensado mais sobre o seu vínculo. Você tem alguma outras razões para acreditar que ele esteve desde que você era criança?" Aquele olhar intensamente interessado ainda estava no rosto de Sabina. Tentei não gemer em voz alta. Nosso vínculo inevitável era a última coisa que eu queria discutir profundamente. Eu já estava tendo um tempo duro o suficiente me contorcendo longe implacavelmente de PC, traduzindo: eu odiava amá-lo tanto quanto eu o fazia. Melhor era obter a inquisição logo, embora. Nós não iríamos ser capazes de evitá-lo para sempre. "Eu sempre soube que eu estava destinado a estar em Nova York. Não é nada que eu possa explicar, mas eu sabia que era verdade. Eu sou da Califórnia originalmente. Eu só estive aqui por alguns meses, mas eu queria vir há anos. Mesmo quando eu era criança eu me sentia como se eu pertencesse a este lugar mais do que em casa." Ela sorriu de repente. "Você é de San Diego, não é?" PC olhou para ela bruscamente. "Como você sabia disso?"

152


"Quando você era um menino, você tentava constantemente para querer que o seu pai e eu levássemos lá. Você queria ver o mar e o jardim zoológico. Você ainda tinha um cartaz dos pandas. Nós nunca tivemos certeza de onde a paixão veio, mas parecia bastante inofensiva." "Sério? Não me lembro de nada disso." "Faz sentido." Os dois se viraram para olhar para mim. "Os pandas foram sempre o meu favorito. Minha mãe me levava lá o tempo todo quando eu era pequeno." "E quando eu comecei a transformar e fiquei no mundo por todos aqueles meses, Miles disse que teve um ano terrível, em seguida, também." "Sim, eu costumava ficar tão bravo com a minha mãe. Sempre com ela e sem nenhum motivo." "O que era provavelmente porque eu estava bravo com a minha mãe por ser a razão pela qual eu estava me transformando em um lobo. É da família dela que eu tive que partir. Meu pai era humano até que ela transformou-o." "Você não quer ser um lobo? Eu teria dado qualquer coisa para não ser normal." "Não, não no início. Eu queria ser normal, e eu com certeza não queria ficar assim para sempre. Teria sido melhor se eu parecesse mais velho quando tive dezoito anos, eu acho." A mãe de PC sorriu para ele, e parte de mim queria chegar mais perto e irritar seus cachos brilhantes. Mas não o fiz. Eu olhei para ele em silêncio até que ele limpou a garganta.

153


"Olha, mamãe, eu sei que tudo isso é fascinante para você, mas nós temos coisas mais imediatas para lidar com elas. Como é que vamos viver assim? Quer dizer, eu me senti como se estivesse morrendo quando Miles saiu do prédio, até machuca quando estamos na mesma sala e não nos tocamos. Ele tem que ir para a aula, eu tenho que ir à caça. O que nós vamos fazer?" Eu tinha certeza que eu já sabia a resposta para isso, então eu respondi por ela. "Eu acho que isso depende de quais são nossas intenções quando ficamos longe um do outro. Se o vínculo não está sendo ameaçado, como se você acabasse de ir para o outro quarto e meu corpo soubesse que você está voltando, é desconfortável para você ir, mas está tudo bem. Tolerável. Se eu achar que você está fugindo, ou se eu fugir, e a intenção não é temporário, é quando nossos corpos surtam e a dor começa. Provavelmente nos ferimos mais cedo porque estávamos com raiva. Se nós simplesmente não estivéssemos nos tocando, nossos corpos poderia lidar com isso." Sabina assentiu. "Eu acredito que quanto mais íntimo vocês dois forem, física e emocionalmente, mais confortável seus corpos se tornarão com pequenas separações. Você também provavelmente vai ficar melhor para se comunicarem

uns

com

os

outros

distâncias

superiores

também.

Especialmente, uma vez Miles for transformado." "Acabou?" Oh. Espere um segundo idiotas. Eles estavam dizendo que eu era o companheiro de PC ou qualquer coisa assim, então eu provavelmente teria que me tornar um... MEU DEUS.

154


"Mãe, isso provavelmente não é o melhor momento para estar sobrecarregar Miles. Nós não tivemos o melhor... dia." "Eu tenho uma escolha?" Eu disse isso tão calmamente que era provavelmente difícil para eles me ouvirem. PC olhou para sua mãe. "Sim, claro que você tem." "Na verdade, é muito comum em jogos lycan-humanos, mesmo os nãoimprinting, para o ser humano se tornar lycan. Seu pai fez." "Sim, mas Miles não escolheu isso, mamãe. Pai fez. Eu não quero tirar o pouco que lhe resta de sua independência." Eu ainda estava me recuperando do choque da declaração casual de Sabina para não mencionar o repente apoio de PC. Eu ainda estava no limite, esperando que ele surtar e gritar para mim novamente. "PC, você quer assistir Miles envelhecer e morrer por décadas, até séculos, antes de fazer?" PC abriu a boca e fechou-a em silêncio. Fiquei em silêncio, também, não conseguia falar envolvendo minha cabeça em torno da ideia de viver por tanto tempo. Eu não tinha certeza do que eu pensava sobre se transformando em um lobo também... que não fosse eu meio que gostei. Eu passei a minha vida sendo pequeno e tranquilo. A ideia de vagando pelas ruas de Nova York enorme e poderoso era inegavelmente sedutora. "Posso ter algum tempo para pensar sobre a coisa toda?" "É claro", PC me disse sem hesitar.

155


"Não vai acontecer esta noite de qualquer maneira," sua mãe respondeu. "Há preparativos que precisam ser feitos. Eu vou ter de apresentar uma petição." "Uma petição?" Parecia muito política. "Sim", PC interrompeu. "Eles não vão deixar apenas qualquer um. Os lycans é um grupo esnobe. Você verá em breve. É por isso que eu saio com vampiros." "PC!" Ele lhe deu um sorriso insolente, o primeiro sorriso que eu tinha visto o dia todo. "E se eles não me quiserem?". Sua mãe sorriu. "Não se preocupe, querido. O que vocês dois têm acontece uma vez em uma geração, se mesmo isso muitas vezes. Eu não acho que haverá quaisquer problemas em obter a petição aprovada. Então, assim que você se tornar um de nós poderão vocês dois serão acoplados oficialmente." Engoli em seco. "O que exatamente isso implica?" PC corou. "Mãe, merda! Já basta." "PC, cuidado com a boca." Ele revirou os olhos, em seguida, virou-se para mim, o rosto de desculpas. "É como um casamento, Miles, uma cerimônia para dizer que nós escolhemos um ao outro. Mesmo que, neste caso, não o fizemos."

156


Um casamento. Ele não queria qualquer coisa mais real do que isso. Minha mente girava. "Eu, uh, preciso dizer a minha mãe. Ela poderia ir?" "Claro. Mas não se preocupe. Nós temos muito tempo." Ele atirou outro olhar significativo para a mãe. "Bom, eu vou precisar dele para convencê-la de que eu não uso drogas ou algo assim. Ela ainda não sabe que eu estou namorando ninguém." Eu virei para PC. "Estamos namorando?" Ele riu e passou o braço em volta da minha cintura, me puxando para perto. "Eu acho que se nós não estamos, é uma boa hora para começar." Foi tão bom, seu riso e seu toque. Parecia a coisa certa, como tudo na noite anterior. Eu não tinha certeza se eu confiava nele para não virar para fora em mim novamente, mas meu corpo não se importava. Eu senti minha raiva morrendo, drenando até que a única coisa que eu poderia concentrarme em era no peso ideal de sua mão no meu corpo. A situação sugava, mas, Deus, isso era tudo o que eu sempre quis. Eu só desejava que fosse o mesmo para ele. Sabina sorriu e se levantou. "Vocês dois estão melhor do que vocês estavam antes?" PC olhou para mim e eu encolhi os ombros, não querendo dizer isso em voz alta ainda. "Eu acho que sim, mãe. Nenhum de nós está feliz sobre isso, mas nós dois estamos indo ter que lidar com isso. É o melhor que você pode esperar agora."

157


A mãe de PC assentiu; em seguida, ela se aproximou e abraçou nós dois ao mesmo tempo, colocando a mão em volta do meu rosto. "Sinto-me honrado em tê-lo tornando-se parte da nossa família, Miles." Eu sorri hesitante, sem saber o que dizer. "Vejo vocês dois mais tarde." Ela virou-se e pegou a bolsa dela para sair. "Até mais", PC disse a ela, estendendo a mão para mim. Ela deve ter ouvido algo em sua voz que eu não consegui, ou lido o calor que estava constantemente queimando em seus olhos. "Pascal Charles Laurent, nem sequer pense nisso. Você conhece as regras. Os mais velhos, provavelmente, fazem algumas pequenas exceções por causa das circunstâncias, mas apenas o que é absolutamente necessário." PC

ficou

vermelho

e

conseguiu

olhar

ambos

completamente

embaraçados e irritados ao mesmo tempo.

158


Capítulo 8 Juntos... Quase. Assim que nós estávamos de volta no meu apartamento, PC tirou os sapatos e deixou-se cair na minha cama. Parecia que ele pertencia lá. Como se ele tivesse sido sempre parte do meu lugar. Sentei-me ao lado dele e passei a mão sob a camisa para acariciar a pele quente do seu ventre. Eu não poderia ajudá-lo, sentia-me muito melhor quando eu o estava tocando. Ele fez um som baixo como um ronronar e arqueou-se em minha mão como um gato. "Ei," eu disse a ele com um sorriso preguiçoso. "Você deveria ser um lobo, não um gato malhado." PC sorriu com satisfação. "Não posso ajudar nisso. Eu amo quando você me toca. Ei, escute, estamos bem? Eu realmente sinto muito sobre mais cedo. Isso era apenas eu, bem, eu. Meu temperamento é... um trabalho em andamento. O vínculo é uma porcaria, mas quando eu disse essas coisas sobre não querer estar com um ser humano e você me acorrentar ou qualquer outra coisa, eu não quis dizer isso. Nós dois estamos algemados com isso, não só eu, e você ser humano não temos nada a ver com a minha atitude. Eu só estava sendo uma cadela." "Eu sei." Eu dei a ele um longo olhar. "Sim, estamos bem." Eu quis dizer isso na maior parte. Ia ser difícil esquecer o quanto ele realmente não queria estar lá, mas isso não era algo que eu pudesse culpá-lo. Ele só estava. Para me distrair dos meus pensamentos, eu esfreguei em seu estômago novamente.

159


Ele arqueou as costas e puxou a camisa para cima e sobre a cabeça, aquecendo um pouco no sol da tarde. "Venha, deite ao meu lado. Nós ainda precisamos falar sobre algumas coisas. Minha mãe nunca vai sair do meu pé, se não o fizermos." "Conversa, hum?" Eu dei-lhe um sorriso irônico. Ele parecia um pouco culpado. "Sim, apenas conversar. Mas, falando sério, me diga que não estava pensando sobre isso. Mesmo quando eu estava chateado com você era quase impossível não tocar em você." "Você me pegou." Eu tirei a minha jaqueta e puxei minha blusa e camisa longa de manga sobre a minha cabeça. Então eu rastejei na cama ao lado dele e passei meus braços em torno de sua cintura. "Hum, é tão bom", ele murmurou e virou-se para acariciar o rosto no meu pescoço. Falar é avaliado em excesso de qualquer maneira. "Você sabe que é um alívio que eu ainda chegue a tocá-lo. Eu não tinha percebido o quanto eu estava preocupado com isso inconscientemente, quando eu pensei que íamos ser separados." Eu ri baixinho e apertei-o. "E você queria se livrar de mim. Jesus." "Eu fiz e eu não, eu quero dizer... oh Deus, você sabe tudo isso já. Nós temos que chegar a isso de novo?" "Não, nós não. Eu não quero começar outra luta. Pascal Charles, hum?" Eu lancei um sorriso para ele. Ele riu e me cutucou no lado. "Cale-se. Ele era o avô do meu pai ou algo assim. Eu nunca conheci o cara. Nem sequer pense em me chamar assim."

160


"Eu não vou. PC se encaixa melhor em você de qualquer maneira." Ele se contorceu para perto de mim, envolvendo-me com o calor de sua pele sedosa. A sensação fez a minha respiração parar na garganta. "Sim, o que são exatamente essas regras que sua mãe estava falando? Da que eu poderia dizer, eu não vou gostar delas." Ele gemeu e se esfregou contra mim, seus movimentos de novo estranhamente felino para alguém que era parte lobo. "Eu sei. As regras reais? Você não ganha nada. Separação completa até a noite da cerimônia. É chato, mas é tradição." "Nada?" Eu me afastei dele, não querendo já estar quebrando as regras. Eu não tinha exatamente um começo auspicioso para o meu relacionamento com os dois lycans que conheci. Eu não queria chatear mais nenhuma deles. PC fez uma cara irritada, então ele agarrou seu braço em volta da minha cintura, me recostando-se contra seu peito com um suspiro revivido. "Como ela disse, eles fizeram algumas concessões para nós, por causa de nossa situação." "Que concessões?" Ele encolheu os ombros. "Minha mãe disse apenas o que é necessário. Eu diria que isso significa que podemos ficar no mesmo quarto e toque quando absolutamente necessário para que ele não faça mal e nos mantenha saudáveis. Eu duvido seriamente que o beijo está no cardápio, e afago seminus com certeza não está."

161


Eu puxei longe dele e agarrei minha camisa do chão, puxando-a sobre a cabeça e olhar em volta, desconfiado. PC rolou para seu estômago, rindo. "Eles não são a CIA sabe." "Você acha que eles vão ser capazes de dizer se os enganarmos?" "O que aconteceu agora, não. Isso não é um grande negócio contra as regras, mas não é um enorme problema. Mas se realmente enganar, como bem... você sabe, então, infelizmente, eles serão capazes de dizer. Grandes mudanças na nossa ligação será transmitida alta e clara. Seria como a noite em que nos beijamos pela primeira vez, mas um milhão de vezes mais forte. Eles serão capazes de dizer se a segunda que acontece." "O que você quer dizer?" "Eu não sei o que quero dizer exatamente. Eu sou do tipo cego nesta situação, mas você se lembra como se sentiu quando nos beijamos no início, como algo clicado?" "Sim, parecia que tudo o que estava girado para fora tudo rápido, então deslizaram no lugar." "Exatamente. Nós não fomos os únicos que sentiram isso. Quando algo assim acontece, ou qualquer coisa grande, na verdade, ela ondula e os outros lycans podem senti-lo ou talvez apenas sentir que isso aconteceu... Jesus, eu não sei como explicar. Eu só sei que vai ser a mesma coisa, mas muito mais forte quando nós..." Ele ficou vermelho. "Nós poderíamos fazê-lo muito, muito calmamente," Eu brinquei. PC bufou. "Pois bem, em ambas as nossas partes. Além mesmo da consciência do evento especial, que lycans tem, bem, eu acho que é como um

162


sexto sentido, mas é realmente apenas um incrível senso de cheiro. Não é apenas as coisas físicas que têm cheiros. Emoções tem. Podemos sentir medo, amor, felicidade, desejo. O fato de estamos ligados torna muito mais fácil para eles... nos cheirar. E acredite em mim, satisfeito cheira muito diferente do que frustrado e com tesão." "Frustrado e com excitação é certo," eu resmunguei. Apenas o pensamento do que tinha acontecido entre nós na primeira noite fez minha pele apertar e calor no meu estômago. "Então, outra questão, mesmo que o conselho lycan pudesse nos sentir exatamente por isso que você dá a mínima para o que eles pensam? Eu só estou perguntando, não julgando. É só que, pelo que eu vi não parece que você é um grande fã deles." "Eu não sou. E os anciãos não são grandes fãs meus também. Eles estão irritados comigo o tempo todo. Eu não acho que se passa uma semana em que não os irrite de alguma forma. Eu acho que vai ser mais fácil para todos se eu não dar-lhes algo mais para ser cadela." Eu não conseguia segurar um sorriso. "Isso é tão bonito. Você quer que eles se orgulhem de você, não é?" Eu já conhecia PC bem o suficiente já que eu sabia que a minha pergunta provocação iria empurrar todos os seus botões. "Cala a boca!" Era a reação exata que eu esperava. Então, ele puxou minha camisa para cima e inclinou-se para soprar um grande beijo no meu estômago. "Eu realmente não me importo com o que esses idiotas pensam de mim. Se fosse só isso, então eu duvido que tenha acabado estando sentado aqui falando." Seu sorriso me distraiu e um raio de calor atravessou-me com o pensamento. Tentei ignorá-lo. PC suspirou. "É a minha mãe que eu estou preocupado. Eles já estão em seu pé todo o tempo para trabalhar em me

163


tornar mais como eles. Ela me defende e diz que ela não quer que eu seja diferente. Se fizéssemos nada mais do que o que temos feito qualquer coisa que eles realmente notem bem, vamos apenas dizer que não seria o desrespeito diário geral que eu lhes dou. Seria como jogar fora a tradição. O conselho iria para além de chateados, comigo e com ela por associação. Eu não quero que ela entre em mais problemas. Ela sempre foi nada mais que favorável a mim, amando meus amigos vampiros como seus próprios filhos e filhas. Não seria certo fazê-la pior na merda que eu costumo fazer." "Eu entendo. Eu não gostaria de ter a sua mãe em apuros também." Eu suspirei e acariciei a palma da mão para baixo em sua coluna fazendo-o mexer feliz e fechar os olhos. "O que é isso, cerimônia de acasalamento, como é que é de qualquer maneira?" "Como um casamento, mas de forma mais permanente. Prometemos ser fiéis um ao outro até que nos tornemos parte da terra novamente e, em seguida, que normalmente seria, uh, mordemos uns aos outros no pescoço, para fazer uma cicatriz que simboliza a nossa reivindicação permanente." Eu sufoquei um sorriso. "Essa coisa toda faria a minha mãe virar uma junta." PC levantou a cabeça fora de meu estômago, de repente, olhando horrorizado. "Oh senhor, por favor, não me diga sua mãe não sabe que você é gay. Essa é o último tipo de drama que precisamos." "Ela sabe. Ela sabe desde que eu tinha dezesseis anos. Eu tinha que dizer alguma coisa depois de quatro meses de agir como um louco total. Essa foi a melhor desculpa que eu poderia dar."

164


"E ela é legal com isso?" PC ainda parecia preocupado. "Sim. Acabou sendo uma daquelas situações 'não está brincando'. Ela sempre soube. O que ela vai pirar é sobre eu me casar, ou o que é que nós estamos chamando-o. Ela sempre me disse para esperar até que eu tivesse pelo menos trinta anos." "Ei, você quase conseguiu." Revirei os olhos para ele. "Eu tenho vinte e dois." "Perto o suficiente", ele me disse com um sorriso malicioso. Aquele sorriso me fez querer beijá-lo até que ele não conseguisse respirar. "Sério, eu vou enlouquecer aqui. Não podemos enganar um pouco?" Ele riu "Nós já fizemos batota. Muito. Mesmo eu beijar você anteriormente era contra as regras e..." Eu balancei a cabeça e coloquei minha mão em seu peito. "Entendi. Você não quer que a sua mãe em maus lençóis no conselho. Portanto, não é suposto que podemos nos tocar em tudo, ou a menos que comece a doer?" "Não com nossas roupas com a maldita certeza. Acho que eles vão ficar bem com mãos dadas, pequenos toques, e talvez um ocasional beijo de boca fechada na boca; mas nada mais. Pelo menos para o próximo mês ou assim quando a cerimônia estiver prevista e tudo for formalizado." Eu lutei contra o impulso de rosnar novamente. "Você só pode estar brincando. A forma como se sente para realmente tocar em você é a boa parte disso e eles querem tirá-lo por tanto tempo?"

165


PC gemeu e levantou a cabeça do meu estômago para olhar para mim. "Soa bastante insuportável, hein? Você está pilhando o inferno na minha força de vontade, senhor. E aqui eu pensando que você seria o tipo de doce e inocente." "Eu sou doce." Eu dei-lhe a minha expressão mais angelical. "Mas não tão inocente." Eu senti um calor no meu rosto. "Não é minha culpa que você me deixa louco." O olhar que ele me deu foi de calor puro. "Eu tenho um sentimento que quando, finalmente, começar a ter outro louco vai mesmo ser o começo." Eu tentei, mas não consegui manter minhas bochechas de chamas. O que eu podia fazer era enterrar meu rosto sob um travesseiro e oscilar entre constrangimento e furiosa luxúria. Alguns minutos mais tarde, quando o meu corpo se acalmou de volta para baixo, eu senti como se estivesse pronto para falar novamente, só que não é era sobre o que iria acontecer quando PC e eu começássemos a se tocar de verdade. Esse assunto não era nada, mas frustrante. "Qual é o negócio com os lycans, PC? Tudo o que sei de você é que eles são esnobes e você pode nascer de um ou ser transformado em um. Oh, e há um Conselho Superior que estão todos determinados a me dirigir para o hospício." PC riu. "Junte-se à festa. Eles estiveram me deixando louco toda a minha vida. O que você quer saber?"

166


Eu pensei sobre todas as coisas que eu tinha escrito em minhas histórias. "De onde os lycans vêm? Você tem pacotes com alfas e betas e coisas assim? Vocês caçam os animais quando você está mudado? E o conselho são os mais velhos? O que eles fazem?" Eu parei quando percebi que PC estava rindo abertamente. "Você tem que desacelerar!" Ele deslizou para cima e colocou seu braço sobre o meu peito, aconchegando meu rosto na curva do seu pescoço, aparentemente para me calar. Eu sorri e mordi um pouco em sua pele suavemente. "Ei, trapaceiro, sem morder. Ok, as perguntas primeiro. Eu não sei ao certo de onde os lycans vieram de mais do que você sabe onde os humanos vieram. Só posso supor que evoluímos a partir de uma poça de lodo, tal como vocês fizeram, nós apenas seguimos um caminho diferente. Mais do que isso eu não posso dizer." "Mas há lycans feitos e lycans nascidos, certo?" "Sim, embora não tenham muitos lycans feitos. Isso normalmente só acontece quando um lycan quer acasalar com um humano. Os lycans feitos nunca podem estar no conselho, e, tanto quanto eu sei, eles não podem fazer outro

lycan. Isso

nunca

seria

aprovado

mesmo

se

pudessem. Pois

enfraqueceria muito a linhagem. Como eu disse, são bastardos esnobes." "Então, eu vou ser desprezado?" "Não. Você não. Você é a metade de um par imprinting. Se você fosse um gato de casa, eles provavelmente o respeitariam também." Ele revirou os olhos e fez uma careta.

167


"Eu acho que não importa de qualquer maneira. Nós normalmente estaríamos com os vampiros de qualquer maneira, está certo?" PC assentiu. "Eu disse que eu quase nunca lido com os lycans. Por um motivo." "Bem, o que dizer da coisa alfa, ou pacotes. Existe um pacote em Manhattan?" Ele riu. Seria engraçada, a ideia de uma grande matilha de lobos quanto PC correndo selvagem no Central Park. "Não, não temos pacotes, os lycans consideraria a ideia vulgar. Mas em vez disso, temos o conselho, o nosso próprio conjunto de nobreza. Há conselhos mais velhos em todas as grandes cidades, e o vereador chumbo de cada seita tem automaticamente um assento no Conselho Superior, em Bucareste. Eu acho que se você tivesse que chamar qualquer um alfa seria o vereador chumbo. Tenho que ouvir o bastardo, então eu acho que é a definição de alpha. De qualquer forma, o sumo conselho de que eu ouvi é um pouco ridículo. É como uma antiga casa dos senhores ou algo assim. Um bando de caras imprestáveis que são excessivamente impressionados com sua própria importância e as poucas mulheres que se colocam com eles." Eu fui o único que riu. "Tenho certeza que sua mãe ficaria tão feliz em ouvir você descrever a sua própria raça com tanta paciência e generosidade." Ele me beliscou e revirou os olhos. "Então, a próxima pergunta. Você caça?" "Tenho certeza de que poderia, se eu estivesse morrendo de fome no deserto eu poderia, mas o que eu iria caçar em Nova York? Ratos nas calhas? Chihuahuas no Park Avenue para blusas de grife? Eu geralmente como antes de eu mudar se eu puder antecipar-me. Então eu como alguma

168


coisa quando eu for humano novamente. Transformar envolve um monte de energia. Você verá. Eu gosto de comer muito e eu durmo muito, também." "Muita comida, dormir, e..." Eu parei corando. Ele sorriu. "Isso não tem nada a ver com ser um lycan. Sou apenas eu. E só com você." Inclinei-me um pouco. Mais perto, eu queria estar mais perto. O que eu realmente queria era beijá-lo novamente. Então era contra as regras. Não era justo. Por que tem de haver esse vínculo se os lycans só foram indo para impedir-nos de agir sobre ele. Por que, quando cada célula em todo o meu corpo estava gritando para eu inclinar-me e saboreá-lo, tocar sua pele, colocar minhas pernas em volta dele e deixá-lo afundar em meu corpo todo para cima e quente e suado e, ohhh, eu queria. Minhas mãos agarraram os cobertores, os dedos enrolando com a necessidade. Se eu inclinasse um pouco mais, apenas mais alguns centímetros Eu poderia provar do que eu precisava. PC gemeu e rolou para longe de mim. "Eu quero muito te beijar," ele gemeu. "Deus, eu odeio isso." Eu balancei a cabeça, concordando de todo o coração. A segunda de manhã foi um pouco rochosa. As coisas estavam em uma agradável, mas fisicamente frustrante, tarde de domingo. Eu estava sentado com as pernas estendidas e o laptop precariamente nas minhas coxas, terminando o trabalho de escrita que eu tinha começado no início do dia, enquanto PC lia com a mão descansando casualmente no meu tornozelo, seus dedos me acariciando gentilmente. Nós dormimos enrolado juntos, completamente vestidos em uma tentativa de

169


evitar o tipo de tentação que seria impossível de resistir. Foi bom, e frustrações físicas de lado, eu estava confortável. Comecei a pensar que talvez a coisa toda fosse à situação de desastre que parecia ser mais cedo. Segunda-feira, por outro lado, lembrou-me que provavelmente não era uma boa ideia para ficar muito confortável muito rápido. "Você não pode ir para a aula." Sua voz estava um pouco em pânico, mas eu percebi que ele estava brincando. "Vai ficar tudo bem, eu acho. Nós conversamos sobre isso ontem. Nosso vínculo não deve pirar se ele sabe que vamos voltar para o outro em breve." "Sim, mas ele já dói um pouco. Eu não gosto disso." "Você está falando sério?" Ele me deu um olhar petulante; remanescente de um dos que eu tinha visto no dia anterior. "PC, eu tenho que ir para a aula. Estou apenas sete meses longe de me formar." "Por que isso importa? Se você estiver indo para, eventualmente, ser um lycan e viver como eu, então por que é tão importante que você terminar a faculdade?" "É importante para mim! E para minha mãe. Como a caça é importante para você. Por que você está agindo tão estranho?" Ele pigarreou e caiu para trás no travesseiro. "Eu odeio isso. Eu estou agindo estranho, porque eu estou me sentindo estranho... e inseguro e não gosto de mim. Como Zack disse na livraria. Eu quero correr como o inferno de toda esta situação, mas eu não posso suportar em deixá-lo ir por muito tempo o suficiente para fazê-lo. Eu sinto que estou sendo roubado em duas partes. É o suficiente para me fazer querer socar coisas e gritar."

170


Eu não entendi o seu problema. Apesar do drama do dia anterior, todo o meu corpo queria estar com ele, sem perguntas. Embora não haja nenhuma maneira para eu estar indo acabar com a faculdade. Ele vou viver com isso se ele quisesse ou não. "Você vai ter que me deixar ir, PC. Por algumas horas, pelo menos." O olhar petulante voltou ao seu rosto. "E se ele começar a doer?" "Então eu vou voltar. OK?" Ele parecia inseguro e agitado, provavelmente nenhuma dessas emoções lhe era familiares até que eu entrei em sua vida. Eu duvidava que ele apreciasse o fato de que eu o fazia sentir-se dessa maneira. Nós finalmente resolvemos que eu tentaria ir para a escola e ele faria tudo o que sempre fez durante o dia; que acabava por ser estar dormindo. Ele disse que era incomum para ele estar acordado durante o dia desde lycans tendem a serem bastante noturnos e ele mais ainda desde que ele passava a maior parte de seu tempo com os vampiros. Eu disse a ele para tentar voltar a dormir; em seguida, fiquei pronto para a aula, na esperança de que eu estivesse certo e a dor incapacitante não iria começar no segundo eu estivesse mais do que alguns pés de distância. O olhar que ele me deu quando eu fui deixou o meu coração dolorido. "Eu quero te beijar," ele disse em voz baixa, quase um sussurro. "Eu também, PC," Você não tem ideia de quanto mais eu quero fazer do que beijar. "Mas a nossa situação é o que é e beijar está fora dos limites, juntamente com quase todo o resto que nos faz se sentir bem." Eu parei antes

171


que eu fizesse isso pior. "Ei, eu vou deixar você saber quando eu estiver voltando para casa, ok? Tente ir para a cama." "Sim, eu vou tentar." Ele pigarreou e caiu para trás contra os meus travesseiros. Parecia que ele estava tentando não fazer beicinho, o que era realmente tipo de adorável. Eu sorri para mim quando eu acenei para ele uma última vez e deixei meu apartamento para o curto, mas frio caminho a pé para o campus. Até o momento em que cheguei à escola, parecia provável que minha teoria estava indo para estar certa. O vínculo não queria que eu estivesse longe dele, e meu corpo estava desconfortável na melhor das hipóteses, mas até agora, enquanto nós dois sabíamos que era temporário e ainda estávamos voltando para o outro não era insuportável. Sentei-me em minhas três aulas me contraindo nervosamente. Mesmo que eu não estivesse me movendo, eu sentia como se estivesse sendo atraído de volta para o meu apartamento, minha cama, e PC. Apenas o pensamento dele deitado em um casulo de lençóis, sem camisa e aveludado quente foi o suficiente para fazer meu estômago ficar em ondas de pequenas lascas de calor. Era quase impossível prestar atenção a fala do meu professor sobre Joseph Conrad e o simbolismo em Coração das Trevas. Oh Deus, eu deveria ler o que na semana passada? Eu lembrava vagamente do romance na minha pilha de livros de segunda mão. Vendo que a maioria dos outros estudantes teve a sua cópia na parte superior de seus notebooks a resposta era provavelmente sim.

172


Merda. Contenha-se, Miles. Eu não tinha vindo todo o caminho até Nova York para deixar a escola. Não, você veio para encontrar PC; você apenas não sabia ainda. Mas eu ainda tinha que produzir algum tipo de diploma no final do ano para que minha mãe não tivesse um ataque cardíaco. Finalmente, minhas aulas de manhã terminaram e eu marchei para a biblioteca, esperando que eles tivessem uma cópia do livro se não, eu ia ter que correr para meu apartamento para pegar a minha e lidar com a tentação que estava lá. Eu precisava obtê-lo, pelo menos para ler a maior parte na classe para o dia seguinte, o que significava antes do trabalho naquela noite. Eu odiava estar despreparado e sendo realista eu sabia que tinha cerca de zero chance de obter qualquer leitura feita quando eu estava com PC. Pelo menos não com os pensamentos que eu tinha tido com ele durante toda a manhã. Nenhum deles incluiu ficar vestido e muito menos fazer qualquer coisa que remotamente se assemelhasse a lição de casa. Felizmente, a biblioteca tinha uma cópia antiga esfarrapada, que eu grato peguei. Eu estava prestes a virar em meu caminho habitual na parte de trás quando senti meu celular vibrar no bolso. Puxei-o para fora e abri-o, sorrindo para a mensagem dentro. Isso é péssimo. Eu não consigo dormir sem você. Venha para casa... Por favor. Isso dói. Ele estava certo. A dor em meu estômago estava aumentando. Eu já estava tão acostumado a ela que eu não tinha prestado muita atenção até que ele disse isso. Assim que eu notei isso, eu não consegui me concentrar em qualquer outra coisa. Era necessário que a minha leitura fosse feita, mas de repente era a última coisa em minha mente.

173


Eu tenho que trabalhar esta noite, lembra? Estou na biblioteca tentando obter minha leitura para a aula feita. Onde está você? Eu ainda estou em seu lugar é claro. Vou deixá-lo fazer a sua leitura, eu prometo... por favor, por favor, por favor. Podemos enganar um pouco :) Um flash de luxúria passou por mim. Era uma má ideia. Eu não acho que iria parar em um pouco. Além disso, se eu cedesse toda vez que ele me quisesse perto dele eu poderia muito bem dizer "ande em cima de mim, eu não me importo." Eu deveria fazer o meu trabalho de classe na biblioteca, onde eu posso me concentrar. E não podemos enganar. Você sabe disso. Eu precisava ser teimoso, eu precisava defender a meu ponto de vista, mas Jesus o meu corpo doía. Apenas o pensamento de tocá-lo até um pouco fez arrepios correrem sobre a minha pele que curou a dor a um ponto, mas ao mesmo tempo fez com que fosse muito mais insuportável. Era inevitável que eu tivesse um buraco no estomago. Arrggh! Bem. Esta é uma má ideia, você sabe. Estou a caminho. Um minuto depois, a resposta dele buzinou. Eu quase podia ver o sorriso em suas palavras. Eu estou esperando por você. Venha logo! Enfiei o livro em minha mochila e corri para fora da biblioteca para o brilho da tarde. Eu estava tão decidido em voltar para o meu apartamento que eu corri de cara com alguém no fundo das escadas da biblioteca, quase derrubando. "Jesus, Miles. Onde está o fogo?"

174


Graças a Deus era só Lisa. Eu sorri timidamente. "Desculpe. Eu estava correndo para casa para pegar algumas coisas feitas antes do trabalho." Ela me deu um olhar contemplativo longo. "Você parece muito feliz. O que aconteceu ontem? Você sabe, eu estava à espera de notícias." "Não pode ser quebrado." "Como sempre?" "Sim, como sempre. A mãe de PC disse que não mesmo se pudessem, porque é muito raro. E eles vão me mudar, Lis. Eu vou ser um deles." "Oh, você é um merda." Ela me deu um soco no braço. "O que?" "Eu estou presa em ser eu e, em um fim de semana chato, olha o que aconteceu com você!" Eu ri. "Vou ver se eles podem colocar em uma petição para mudar você, também." Ela olhou para mim com serenidade. "Lisa, você sabe que eu estava brincando, certo? Você realmente não quer se tornar a..." Eu não queria dizer isso em voz alta em uma escada cheia. "Quem disse?" Eu ri e empurrei-a suavemente. "Então, como é que o menino amante lida com a notícia? Ele parecia que ele realmente queria que fosse quebrado." Suspirei. "Ele queria. E não bem é a resposta à sua pergunta. Está melhor hoje, mas ontem foi um grande drama, pelo menos por um tempo.

175


Então ele percebeu que eu não iria deixá-lo tocar-me se eu ficasse com raiva. E ele quer me tocar; o vínculo cuida disso. Então ele começou a ser, uh, melhor." Eu corei ela riu alto. "Bem, então talvez eu devesse deixá-lo ir e, uh, fazer outras coisas antes do trabalho." Eu a empurrei brincando novamente. "Cale-se! Você sabe, eu acho que você deve conhecer Leila. Vocês dois têm uma enorme quantidade de coisas em comum." "O filhote vampiro?" Ela sussurrou depois de olhar ao redor. "Eu adoraria conhecer um vampiro!" "Você já tem. Zack lembra? Mas eu vou leva-la na próxima vez que formos todos sair. Isto é, se PC e eu não entrarmos em outra luta e nos matarmos uns aos outros antes que isso aconteça.” Lisa revirou os olhos. "Você vai ficar bem. E, sim, é melhor você me convidar da próxima vez. Sinto-me deixada de fora!" "Eu vou, você vai se divertir com todos. Além disso, você ainda não viu Noah." Eu sorri com conhecimento de causa. "Eu já estou babando." Eu ri e comecei a descer as escadas, mas acenei antes de ir embora para o meu prédio. "Onde você estava? Eu estive esperando eternamente sempre,"PC gemeu quando ele impacientemente me puxou para o meu apartamento e fechou a porta atrás de mim. O local velho de merda parecia uma tonelada melhor com ele dentro.

176


"Estive com Lisa, mas apenas por uns poucos..." Ele esmagou meus lábios com os seus. Meus livros foram jogados, esquecidos, e eu avidamente puxei sua camisa tentando chegar a sua pele. "Basta um pouco de batota, ok? Beijar e outras coisas." Fiz um ruído resmungando feliz contra sua boca. "Nós não deveríamos." Eu tentei, eu realmente fiz. Mas, de repente, eu não podia mais falar com os lábios colados ao meu. "Eu sei." PC separou-se ofegante e me deu um sorriso impotente. "Apenas alguns beijos. Nada mais. Eu não aguentava mais." "Não foi mesmo... oh... Hum." Não foi muito difícil para me calar. Ele foi para a barra da minha camisa. Foi um alívio para sentir as pontas dos dedos na minha pele. Mesmo que tivesse sido apenas algumas horas eu senti como se eu tivesse desejado o seu toque por toda a vida. "Isso é péssimo. Eu quero que você tão ruim", ele moeu fora antes de sugar os lábios contra meu pescoço. "Não diga isso a menos que você esteja pensando em fazer algo sobre isso," resmunguei e segurei minhas mãos em torno de sua bunda redonda puxando-o mais perto que pude. Não demorou muito tempo para estarmos na minha cama, camisas atreladas, pernas entrelaçadas, respirando com dificuldade e esfregando uns contra os outros. Qualquer pensamento de protestar tinha fugido da minha mente no segundo em que o corpo sólido magro estava em cima do meu. Eu abri minhas coxas e deixei-o deslizar entre elas para nossas doloridas ereções

177


frustrados serem pressionada uma contra a outra, criando uma espécie selvagem de atrito que só foi intensificado pela sucção molhada de seus lábios no meu pescoço. "Oh, Deus", PC murmurou contra a minha pele, antes que ele arqueasse as costas e esfregasse ainda mais forte em mim. "Sim, é isso... uhhh," Eu tive que segurar minha respiração por um segundo. Então eu agarrei seus quadris para segurá-lo ainda. "PC você tem que parar. Eu estou indo para..." Era tarde demais. Eu tentei segurá-la de volta, mas as ondas de sensação não seriam contidas. Eu vim com um soluço trêmulo, agarrando-se a ele e arqueando meu corpo contra o dele, montando o disjuntor batendo todo o caminho até que eu estava ofegante e silencioso... Para não mencionar totalmente embaraçado. "Isso foi mais do que beijar," PC murmurou contra o meu pescoço. Eu bufei. "Você começou isso." "Eu sei. Eu não sou muito bom em regras, eu acho. Ei, pelo menos, não..." Eu levantei minhas sobrancelhas. "Nós não fizemos?" Ele deu de ombros. "Está definitivamente enganando, e não devemos fazê-lo novamente, mas eu duvido que vá ser um grande problema.” "Quase, embora. E se você tivesse começado que não havia nenhuma maneira que eu lhe dissesse para parar." Ele riu suavemente. "Talvez ficarmos separados por longos períodos não seja a melhor ideia. Ele parece levar-nos a perder nosso controle de nós mesmos." Não houve falta de ironia em sua voz.

178


"Sem brincadeira." Eu puxei o braço apertado em torno da minha cintura, enredando os dedos juntos e sorrindo calmamente. Eu tentei ser muito, mas eu não poderia reunir a emoção. Meu corpo estava liberado, solto e feliz por estar no lugar que ansiava por todo o dia. Eu acariciava meu polegar ao longo do pulso de PC. Eu acho que estou me apaixonando por você. O pensamento escorregou tão facilmente em minha mente. Mesmo no meu estado de êxtase Eu sabia que não era nada além de problemas. Mantenha-o para si mesmo, Miles. PC estava longe de estar pronto para ouvi-lo.

179


Capítulo 9 O Não Caçar Eu estava mais feliz no sábado do que eu já tinha lembrança de estar na minha vida. Os últimos cinco dias de aula tinham sido excruciantes. Nossos corpos puderam estar separados no tempo que eu levava para ir à escola todos os dias, mas era difícil. Muito difícil. Eu estava na maior parte apenas ocupando espaço na sala de aula, mal prestando atenção, superficialmente tomando notas. Meu cérebro, minha mente, cada célula consciente que eu tinha ficavam em PC, esperando o momento que poderíamos estar nos tocando novamente. Era realmente inconveniente, fisicamente irritante, e não parecia estar ficando muito melhor. Imaginei que meu corpo ainda não tinha certeza dos sentimentos de PC. Essa era a única explicação para o porquê de não estar ficando mais fácil estar longe dele. É difícil ser indiferente sobre alguém o deixando quando você olha para ele e pode jurar, por sua cara no meio do caminho de assusto, que eles estão prestes a decolar em uma corrida. Ele não era assim o tempo todo. Nos dois dias que eu tive que escrever na aula ele quase deu patadas na porta da sala de aula quando ele me encontrou para que ele pudesse caminhar comigo para o trabalho. Mas outras vezes? Puro pânico. Eu sinceramente esperava que eu não tivesse anos e anos à minha frente esperando que ele fugisse a qualquer momento. Sábado, no entanto, tinha sido um longo bem-aventurado dia. Eu supunha que era provavelmente difícil para nós nos mexermos quando um de

180


nós ainda estava dormindo. Eu não tinha que ir a nenhum lugar até dá a hora do trabalho no final da tarde e eu estava quase acordado, mas relaxado, flutuando pacificamente com o PC ainda dormindo abraçado na minha frente. Nós tínhamos obtido o hábito de dormir quase todas as noites de calça de pijama, mas sem camisa. Não levou muito tempo para perceber que era mais irritante do que qualquer outra coisa ter tecido entre nossos corpos: muito mais fácil dormir sem. Ele se mexeu em meus braços, acordando lentamente e virando-se para roçar um beijo suave em toda a minha clavícula. "Bom dia," ele murmurou contra a minha pele. Eu ri. "Manhã? É quase meio-dia, você sabe." "Sim, mas um minuto e vamos já lá a casa no meu apartamento? Não vou lá há quase quatro dias?" "Sim. Sinto-me mal por Lisa. Ela deve conduzir todo o caminho para Connecticut hoje para a festa de aniversário de seu irmão." PC gemeu. "Um bando de crianças gritando? E ela provavelmente de ressaca. Nós tivemos muito dessas coisas de furacão na noite passada." "Eu me sinto bem, por que ela, provavelmente, está bem também, e não, não há crianças gritando. Seu irmão tem dezessete anos. Eu acho que eles estão indo para a Fábrica de bolo de queijo ou algo assim." PC animou-se. "Sério? Mande um texto para dela e diga para me trazer uma fatia de bolo de queijo oreo. Eu amo essas coisas." "Você vive em Nova York e você quer um pedaço de bolo de queijo" Eu ri. "Deixa pra lá. Vou perguntar."

181


"Obrigado." Ele saltou da cama. "Eu tenho que tomar um banho. Quanto tempo nós temos até que precisemos estar na livraria?" "Duas horas." "Doce. Então eu vou levar você para sairmos para um café da manhã. Eu preciso de uma omelete de The Sunriser se eu vou enfrentar o resto do dia." "Você sempre pensa sobre qualquer coisa que não seja comida?" Ele levantou a cabeça e me deu um sorriso malicioso. "Sim. Eu penso principalmente em ficar nu novamente e fazer você vir como você fez no outro dia. O olhar em seu rosto..." Ele gemeu em apreciação. Eu joguei um travesseiro para ele. "Por que você tem que dizer coisas quando você não vai fazer nada sobre isso? Vá tomar um banho antes de eu decidir que eu vou chegar lá com você." Os olhos de PC reviraram. "Eu desejo." Meu corpo parecia que ia explodir a partir da agonia correndo por ele. Eu nunca tinha experimentado nada nem perto de ser igual, e não no início, quando eu não sabia onde ele estava, não quando estávamos lutando. A dor era inigualável. PC tinha acabado de desligar o telefone estava falando com Zack que tinha chamado, enquanto eu estava fechando a livraria, para dizer-lhe que a turma tinha recebido um aviso de que algum selvagem transformado em um monstro tinha tomado residência em um prédio de apartamentos em Chinatown. Ele estava olhando para mim, com a face excitada, olhos esperançosos, tendo explicado o que a criatura era e exatamente por isso que era totalmente necessário para ele ir ajudar seus amigos a pará-lo.

182


"PC, eu não acho que você deva ir. Eu não tenho um bom pressentimento sobre isso." Ele olhou para mim, seus olhos piscando entre raiva e dor. A felicidade animada que eu tinha visto momentos antes tinha ido embora. "E você pode ir para a aula? Que porra, o „a vida continua como planejado‟ e tudo o que eu tenho para viver é muito perigoso?" Aqui vamos nós novamente. "É PC perigoso! E não tente me dizer que sair à procura de alguma alma penada assassina." "Monstro." "Tanto faz. Não me importa o que a coisa seja, é, obviamente, importante é a notícia ruim se eu estou reagindo assim! Não me diga que esta é qualquer coisa como eu indo para aulas de inglês por algumas horas. Você pode morrer lá fora, e se você morrer, eu tenho certeza que eu ia morrer também. Você quer isso na sua consciência?" "Eu achei que fui muito claro sobre quem eu era quando nós começamos isso." Sua voz tinha ido toda tranquila, o que para mim era muito mais assustador do que a gritaria tempestuosa. "Eu sou um caçador e eu sou um Lycan. Eu nunca quis ser outra coisa." Eu respirei fundo. "Eu sei. Se eu pudesse mudar tudo isso agora, eu o faria. Não sou eu que quero que você fique longe da caça, é isso." Fiz um gesto para o meu corpo descontroladamente, tentando levá-lo a compreender. "É o seu corpo, também. Eu posso dizer pelo olhar em seu rosto que dói. Muito." Eu consegui que me entendesse. Seu rosto de equívoco começou a ficar vermelho. "Porra! Foda-se o vínculo, foda-se os Lycans, e foda-se você!"

183


"A união e os Lycans eu entendo, mas não é justo me culpar! Você mesmo disse que nada disso é culpa minha." Ele me deu um olhar rebelde. "Eu não dou a mínima para o que minha mãe diz, este vínculo tem que ir. Meus amigos precisam de mim." "Será que eles precisam de você, ou você precisa de caça?" Olhando para trás, essa provavelmente não era a escolha mais inteligente de perguntas. "Eu preciso viver minha própria vida! Eu preciso estar no meu lugar sair com meus amigos, andar pelas ruas no meio da noite, na verdade, ser uma porra de um Lycan não vinculado a você como um idiota patético que de alguma forma perdeu o seu próprio pau!" Pra mim chega. Eu tive esse raciocínio. "Você sabe o que você pode fazer com o seu pau? Foda-se! Vou para casa e se você não quiser morrer por nós ficarmos separados por muito tempo, eu acho que você devia vir comigo. Deus, eu estou tão cansado de ouvir você latir sobre algo que nenhum de nós pode controlar." Eu nunca tinha explodido com ninguém, mas PC era um mestre em empurrar meus botões. Talvez porque o maior botão que eu tinha, o maior botão que eu já tive era aquele que iluminava toda vez que eu pensava sobre o fato de que PC realmente não me queria. Ele me deixou com raiva o suficiente para gritar. Ele rosnou. Na verdade rosnou não um meio grunhido ou um ruído irritado na parte traseira de sua garganta, mas um completo rosnado sobre 'eu te odeio'.

184


"Eu estarei falando com o conselho amanhã. Eu me recuso a fazer isso para o resto da minha vida; Eu não me importo sobre suas tradições estúpidas." Ele saiu pela porta para a calçada, onde ele afundou para as patas traseiras no cimento úmido. Parte de mim queria correr atrás dele e jogá-lo em seu rosto que o conselho não pode nos mudar mesmo se quisessem, mas meu interior se contraiu nauseante com a ideia desse argumento piorar a situação. Então, ao invés, eu fiz um trabalho meia-boca de limpar loja, fez com que o meu registro foi fechado, em seguida, reuniu meu casaco e as chaves, cada parte de mim doente e sofrendo o tempo todo. Quando chegamos em casa, ele se despiu silenciosamente e deitou no canto mais ínfimo da cama, de costas para mim. Eu queria desesperadamente rastejar sobre e me enrolar em torno dele, mas sua linguagem corporal estava dizendo "não toque." Eu me senti mal com o argumento e sobre a maneira como eu reagi à ideia dele ir caçar. Talvez ficasse melhor se eu me transformasse e pudesse caçar com ele. Eu realmente queria fazer as coisas funcionarem entre nós. Suspirei e fechei os olhos, tentando dormir apesar de meu corpo infeliz, mas isso não estava acontecendo, não para mim ou PC. Eu podia ouvir sua respiração do outro lado da cama. Ele definitivamente ainda estava acordado. Ele resmungou e chegou perto, até que o calor do corpo dele me cercou e eu pude finalmente respirar. "Eu realmente sinto muito sobre tudo isso," eu sussurrei. Ele não respondeu. Quando acordei de manhã, PC tinha ido embora. Eu podia sentir a sua ausência na minha pele, mas não era uma agonia. O desconforto era

185


suportável. Ele vai voltar. Dei um suspiro de alívio e se virei, esmagando meu rosto em seu travesseiro e inalando até que caí de volta um pouco inquieto. Quando ele finalmente voltou, ele estava um pouco envergonhado, mas ele sorriu para mim timidamente e sentou-se na borda da cama. "Sinto muito sobre a noite passada... mais uma vez. Eu continuo descontando a minha irritação em você." "O que o conselho disse?" Ele deixou escapar uma pequena risada sem humor. "Você sabe o que eles disseram." Eu balancei a cabeça. Eu tinha imaginado. "Vamos estabelecer. Vamos esquecer que a noite passada aconteceu ok? E tem uma coisa nenhuma caça não é permanente, você sabe. Eu provavelmente posso ir com você uma vez que eu for um Lycan." PC deu de ombros antes de puxar fora de sua camisa. "Verdade. Vai demorar um tempo ainda antes de tudo acontecer, mas sim, as coisas vão ser melhores depois." Ele se arrastou para debaixo das cobertas e nós dois suspiramos, aliviados do desconforto da separação. Depois de alguns minutos de silêncio, senti-o murmurar contra minhas costas. "Eu não posso continuar surtando sobre o quanto isso é uma merda o tempo todo. Não é justo para você, para qualquer um de nós, na verdade, se eu não nos der uma chance de trabalhar. Eu acho que a partir de agora nós apenas fazemos o melhor dele e eu vou fazer o meu melhor para não surtar novamente, ok?"

186


"Nós não temos muito outra escolha temos?" "Não." "Então, nós trabalharemos em conjunto, não é?" "Sim. Juntos."

187


Capítulo 10 Red. PC e eu, de alguma forma, conseguimos cair em uma confortável rotina para o próximo par de semanas. Eu sofri com aula todos os dias e ficamos fora até tarde todas as noites com PC, seus amigos, e a nova adição de Lisa. Ela se encaixou no grupo perfeitamente, e não era de se surpreender que ela e Leila tivessem um grande momento de completar uma à outra com comentários sujos e insinuações. Eu não tinha ideia como elas existiam antes que eles encontraram um ao outro. Nosso novo círculo de amigos era exatamente o que Lisa e eu tínhamos pedido... E era estranhamente suficiente, eles eram muito divertidos. Não era tudo sobre caçar desonestos e operações secretas. Eles assistiam a filmes, iam a boates, jogavam jogos ridículos de pôquer onde todo o objetivo era fazer batota tão descontroladamente quanto possível. Era o tipo de amizade que eu nunca tive em casa... e tudo o que eu sempre quis. Então, naturalmente, havia PC, meu companheiro relutante que parecia estar se aquecendo com a ideia de estar comigo um pouco mais a cada dia. A selvageria em seus olhos, o medo de estar amarrado foi desaparecendo lentamente. Temos evitado temas desconfortáveis como a caça e a graduação na escola, ou se ele ainda sentia preso pelo vínculo ou por mimou não. Eu não tinha certeza se eu queria saber as respostas a essas perguntas de qualquer maneira. Pelo menos por hora, era melhor deixá-las pendurados em silêncio no ar.

188


Eu esperava que algum dia em breve eu olhasse para ele e o medo tivesse ido; que tudo que eu pudesse ver seria a felicidade e o amor que eu não podia deixar de sentir por ele. Todos os dias ele fez mais para me fazer cair; seu toque, seu sorriso, a maneira como ele ri das minhas piadas e fazia as coisas mais bonitas como puxar minha cadeira e tirar as palavras cruzadas para fazermos juntos. Eu amava tudo. A melhor parte era adormecer nos braços um do outro todas as noites. Claro, eu estava frustrado e odiado seguir as regras ridículas dos idosos, mas a maneira como me sentia ao ter sua pele em volta de mim, o cheiro dele afundando em mim e tornando-se uma parte de mim. Eu não sabia como eu já tinha dormido aqui sem ele. Sabina, a mãe de PC, estava ocupada lidando com os detalhes da minha iminente transformação e da cerimônia de acasalamento subsequente. Eu tentei não ficar nervoso sobre se transformado em um Lycan. Eu disse-lhes algumas semanas antes que eu estava bem com isso e eu sabia que isso iria acontecer. PC tinha explicado para mim. Transformar-me era uma simples questão de obter algum do seu sangue ou saliva em uma ferida aberta. O forte DNA Lycan iria fazer o resto do trabalho. Isso não parecia ser um grande negócio, mas a ideia ainda deixava o meu estômago um pouco enjoado. Estranhamente, eu não estava nervoso sobre a cerimônia de acasalamento. Mais do que qualquer coisa eu queria que PC fosse meu, ligado a mim de uma forma muito pública. Eu já era dele. Corpo e coração e tudo o que acontecia com ele. PC tornou-se um elemento permanente na livraria, também. Ele brincava e debatia livros com Ralph sempre que ele estava lá, flertava escandalosamente com a esposa de Ralph quando parou lá no caminho para o

189


teatro uma noite, e ajudava os clientes o tempo todo quando eu estava ocupado com outra pessoa. Ele ainda conseguiu obter um sorriso de vez em quando da mal-humorada Megan, algo que eu nunca tinha visto antes. Eu me perguntava se havia alguém que não caia pelo charme de seus cachos, olhos grandes de ouro e sorriso bobo. Ralph nunca me perguntou o que PC era para mim, mas eu supunha que era bastante óbvio. Não fiquei surpreso quando os últimos pacotes de guloseimas vieram, da esposa de Ralph, com dois de tudo, em vez de um como antes. Meus momentos favoritos eram quando a loja estava tranquila e que ele iria pousar na ponta do balcão da caixa registradora ou enrolava-se em uma das poltronas perto do café e lia, olhando para cima e sorrindo para mim em todos os poucos minutos. Fez-me lembrar de Zack e Noah que olhavam um para o outro o tempo todo, como se estivessem eles próprios tranquilos que o outro ainda estava lá. Eu não queria ler muito a aparência de PC; ok, eu queria, mas eu sabia que não deveria. Nós ficamos colados, por um período. Eu sabia que ele me queria por causa dessa ligação, mas eu não tinha certeza de que havia algo mais. Ele não tinha dito nada sobre o sentimento ou outra coisa senão obrigação para comigo e eu tinha mordido minha língua um milhão de vezes para não dizer-lhe como eu me sentia. Era sexta-feira à noite. Um mês se passou desde o dia em que PC tinha entrado na livraria, pela primeira vez, mas eu senti como se estivesse vivendo uma vida totalmente nova. Nós deveríamos nos juntar ao grupo no Red, um bar de vampiros no lado superior leste, perto do parque depois de fechar a livraria. Lisa tinha decidido se juntar a nós na loja e nós estávamos indo para compartilhar um taxi até lá. Eu, obviamente, nunca fui a qualquer lugar como

190


este, ainda não tinha ido a muitos bares regulares desde que eu completei vinte e um. Eles eram caros, e sinceramente não era a minha grande cena multidões e corpos girando, bebidas, etc, soavam mais como o nono nível do inferno do que um bom tempo. Embora eu tivesse que admitir que eu estava curioso sobre Red. Quero dizer quem não estaria? Era um bar de vampiros, cheio de vampiros vivos reais. Mesmo que eu soubesse o que meus novos amigos eram eles pareciam tão normais, quase decepcionante. Eu nunca tinha os visto fazerem coisas vampirescas, você sabe, beber sangue, vestindo altas capas até o pescoço, meditar sem cessar. Seria uma emoção ver alguns dos tipos mais ameaçadores; pelo menos eu veria com a segurança dos meus amigos ao meu redor. Eu não podia acreditar que, no espaço de poucas horas, eu estava indo para estar em uma sala cheia deles. Terminar o meu turno no trabalho tinha sido excruciante e os textos animados de Lisa durante todo o dia não tinham ajudado. Ela tinha sido agonizante sobre o que vestir, especulando sobre o grupo, e saltando em todo o lugar... Bem, pelo menos eu imaginava que ela estava. Suas mensagens de texto tinham ficado mais e mais exuberantes à medida que as horas passavam. Ela veio delimitadora na loja cerca de vinte minutos antes que eu pudesse fechar o registro, quase rolando sobre uma Megan surpresa que estava apenas começando seu material pronto para sair para a noite. Lisa parecia fantástica. Seu cabelo, que estava geralmente em um rabo de cavalo casual, estava solto e enrolou-o em ondas de vermelho-ouro soltos que caíam quase até a cintura. Ela estava usando algum tipo de vestido vermelho que mostrava partes que eu nunca tinha notado que ela tinha.

191


"Você está ótima, Lis. À procura de um namorado vampiro?" Eu disse-o em voz baixa... Eu esperava. Eu precisava se lembrar de manter a minha voz quando não estávamos sozinhos. Ela fez uma pirueta e fez uma reverência. "Não é possível doer, certo? Desde que você se recusa a me transformar em um lycan," ela sussurrou. Eu ri e lhe dei um abraço. "Vá ficar pronto", ela me disse. "Eu sei como usar um registro de dinheiro." "Tem certeza que sabe? PC deve estar de volta em poucos minutos. Ele foi para casa para mudar." "Sim, eu estou legal. Vá se mudar." Eu não tinha muito que fosse vistoso, mas eu queria ter uma boa aparência. Se por nenhuma outra razão do que para dirigir PC ao limite toda a noite. Talvez ele ainda não queira estar preso a mim para sempre, mas eu poderia ter certeza de que ele não seria capaz de manter suas mãos longe de mim. Eu vestia uma calça jeans escuros que eu tinha encontrado em um brechó no ano anterior. Eu usava-os com uma camisa de manga comprida equipada preta. As cores escuras faziam meus olhos parecerem enormes e minha pele pálida. Eu esperava que eu fosse me misturar com o grupo de vampiros, pelo menos um pouco. "Atraente!" Lisa disse quando eu saí do banheiro. "Você tem uma bunda incrível, você sabe. Bolhas gostosas." Eu corei. "Eu nunca deveria ter apresentado você a Leila." Ela riu. "Nós trabalhamos bem juntos, mas eu era assim muito antes de nós sermos amigos. Mas seriamente; vista os jeans mais vezes."

192


O sino sobre a porta tocou, mas eu não tinha necessidade de olhar para cima para saber que era PC e não um cliente. Meu corpo foi imediatamente preenchido com pequenos tremores felizes. "Ei, querido." Ele veio por trás de mim e colocou os braços sobre meus ombros. "Você parece realmente bom." Embriagado. Ele vinha fazendo mais e mais nas últimas semanas. Ele estava começando a crescer em mim. Eu sorri e virei minha cabeça para um pequeno

beijo. Beijos

ainda

não

aconteciam

muitas

vezes; era

demasiadamente tentador. Bastava uma pequena escova de lábios era o suficiente para enviar uma corrida quente em minhas veias. Antes que pudesse realmente começar, no entanto, o nosso beijo curto foi quebrado pela voz de Lisa. Ela tinha estado no banheiro verificando sua aparência o que eu assumi que era, pelo menos, a décima quinta vez. "Posso colocar delineador em você, Miles?" Ela me chamou quando ela voltou para a sala principal. PC soltou um suspiro exasperado e me deu mais um beijo suave na testa. "Por que pintos sempre querem colocar delineador em caras? Leila sempre incomoda Zack para deixá-la fazê-lo." "Porque é quente, é claro." Ela revirou os olhos, como se dissesse, "duh." "Mas por que Miles e não eu?" "Ele tem aqueles enormes olhos do quarto achocolatado. Além disso, não há nenhuma maneira de você dizer que sim." Ele encolheu os ombros. "Verdade."

193


Lisa olhou para mim esperançosamente. Suspirei. Poderia também dizer que sim. Era uma conclusão precipitada. "Bem. Mas isso não significa que eu quero que você peça cada vez que vamos a algum lugar. Somente hoje à noite." "Iupyyy!" Ela mexeu para fora do seu assento e vasculhou sua bolsa até que ela tirou um lápis preto. Olhei mais de perto nele. "Espere, isso tem brilho nele?" "Não, só um pouco de um brilho metálico. Não se preocupe; ele vai parecer surpreendente." Eu balancei a cabeça e suspirei. "As coisas que eu ganho falando nisso.” Sentei-me com paciência e deixe Lisa colocar o delineador preto em mim. Depois que ela terminou ela puxou-o, ela manchou com os dedos para me deixar com o olhar de "manhã seguinte". Eu esperava que eu não parecesse como um idiota. Os olhos de PC aumentaram ligeiramente. Ótimo. Eu pareço estúpido. Ele me puxou para perto e passou os braços em volta da minha cintura. "Isso é quente", ele murmurou. "Eu acho que vou ouvir as meninas mais vezes." Hum. Talvez não esteja tão estúpido. Ele roçou os lábios em um beijo que fez minhas terminações nervosas cantar. Demorou alguns segundos para lembrar que Lisa estava lá com um sorriso divertido no rosto. "Não pare por minha causa, rapazes. Estou sempre pronta para algum entretenimento."

194


PC gemeu. "Nós definitivamente não deveríamos tê-la apresentado a Leila." "Meus pensamentos exatamente", eu concordei. Zack e Noah estavam esperando por nós na calçada em frente ao bar. Eles estavam de mãos dadas e conversando, sorrindo um para o outro. Isso me pegava de surpresa, de vez em quando, quando eu olhei para eles e percebi como muito bonito que eles ficavam juntos; um tanto lindo e pálido, com cabelo preto como a noite, e o outro, um loiro quase branco. Eles eram totalmente diferentes, mas eles pareciam se corresponder de alguma forma. Talvez tenha sido porque eles estavam tão obviamente no amor, cada um sintonizado com cada pequeno movimento que o outro fazia seus corpos alinhados um ao outro perfeitamente, seus sorrisos privados falavam volumes. Meu estômago tremulou na esperança de que um dia eu pudesse ser assim com PC. "Deus, eu adoraria ser o recheio entre o pão," Lisa murmurou para quebrar meu transe me fazendo engasgar de tanto rir. Eu confiava nela para arruinar um momento sério. Eu balancei a cabeça, porém, pronto para darlhe crédito por fala. PC beliscou meu lado. "Eu ouvi isso," brincou. "Ela disse: ela. Eu apenas assenti. Além disso, olhe para eles. Eles são quentes." Ele gemeu. "Miles, os dois são meus melhores amigos. Podemos, por favor, finjam que eles não têm o sexo?"

195


"Vá em frente," Lisa respondeu antes que eu pudesse falar. "Eu vou continuar imaginando o que parece." PC fez um barulho de um galo estrangulado e pegou o ritmo fechando a distância entre nós e Zack e Noah. Lisa e eu nos dissolvemos em riso. O bar dos vampiros era o mais legal que eu já tinha ido. Ele estava escuro dentro, mesmo em comparação com o céu noturno. Os candeeiros de mesa de prata brilhavam, iluminando suavemente as paredes pintadas de uma cor ameixa escuras profundo com redemoinhos de salpicos preto e ondulando em torno de um padrão que foi de alguma forma, tanto gótico e caprichosamente encantador. As cadeiras e sofás eram estofados em veludo vinho escuro que eu queria me aproximar e correr meus dedos ao longo, e as mesas eram feitas de uma madeira tão marrom que parecia quase preto. Tentei não olhar, de boca aberta, no sombrio romance de luxo que me rodeava. Era elegante e na parte alta da cidade e fora do meu alcance, mas isso não importava. Eu estava com o lindo Noah e o sexy Zack e meu próprio namorado que era dolorosamente lindo em seu caminho selvagem. Quase todos no bar se viraram para olhar para eles quando eles entraram. Lisa e eu nos encaixamos por procuração, se nada mais. Segui PC e Lisa para o bar, lotado, eu estava tão ocupados olhando ao meu redor que eu quase nem percebi o que tinha encomendado para mim. Eu estava muito animado para beber de qualquer maneira. Levei-o alegremente embora; contente de ter algo para se concentrar no que não seja o opulento ambiente intimidante. Bebidas na mão, PC, Lisa, e eu tecemos o nosso caminho através da multidão em direção ao farol de cabelo loiro branco de

196


Noah e nos juntamos à mesa, que também incluía Amanda, Leila, e seu namorado Jason. "Você está quente hoje à noite, menina!" Leila sorriu para Lisa dandolhe um longo abraço. Ela abraçou o resto de nós, por sua vez, enquanto nos estabelecíamos em nossos lugares. "Então, quando eu vou ser mordida?" Perguntou Lisa. Olhamos atordoados um para o outro por alguns segundos, em seguida, caímos na gargalhada. É claro que ela ia pedir isso. "Eu duvido que vá ser difícil para nós encontrar-lhe um conjunto de dentes dispostos com você nesse vestido", Leila murmurou enganchando seu braço com Lisa. "Talvez eu tenha que provar a mim mesmo." "Eu não me importaria tanto. Você tem um cheiro incrível," acrescentou Zack. Eu

olhei

curiosamente

para

Noah,

esperando

por

ele

para

comentar. "Oh, Noh não gosta de sangue do sexo feminino. Ele estava um pouco decepcionado que eu acabei por ser um vampiro hetero. Nós realmente não podemos compartilhar uma vez que temos gostos opostos." "Mas nós podemos", Leila ergueu as sobrancelhas para Zack. "Você deixaria ele?" Ela olhou para Lisa. "Você quer dizer os dois?" Leila assentiu animadamente. "Vamos, rapazes. Ela não se vestiria todo quente para sair para um bar para ser mordida por duas pessoas que ela já conhece!" Amanda zombou.

197


"Não, está tudo bem, na verdade. Eu confio em vocês." Ela parecia um pouco nervosa de repente. "Não vai ser estranho, você sabe, já que somos amigos?" "Nem um pouco", Leila assegurou. Zack e Leila sorriram um para o outro. Eu juro que eles estavam prestes a pular em cima dela com meio segundo de distância de punhos batendo. "Você tem certeza que quer tentar isso?" Zack deve ter sido capaz de perceber seu nervosismo. Lisa acenou e sorriu. Ela parecia estar criando coragem com os três juntos. "Sim, vamos fazer isso." Eu ri. Ela estava bem. Zack se moveu ao redor da mesa até que ele estava bem ao lado de Lisa, no lado oposto estava Leila. Cada um deles retirou o cabelo do rosto e gentilmente correu o nariz por seu pescoço como se estivessem aproveitando o aroma do mais delicioso de um jantar. "Você começa," Zack murmurou para Leila que banhava o pescoço de Lisa com a ponta da língua antes de delicadamente afundar suas pequenas presas pontudas na pele macia. Lisa choramingou por um momento, em seguida, arqueou as costas e fez um som ofegante de prazer. Zack tomou esse momento para inclinar para frente e lamber o outro lado de seu pescoço. Quando ele mordeu, um rubor subiu no peito e pescoço de Lisa. Ela deixou sua cabeça cair para trás no ombro de Zack e ela levantou a mão suavemente em copo para a sua cabeça. Ele e Leila acariciaram tanto a

198


barriga de Lisa como sua caixa torácica. Lisa gemeu baixinho e cobriu a mão de Leila com a sua, agarrando os dedos. Lembrei-me com força de alguns dias antes, quando Zack tinha me dito quão boa era a mordida de um vampiro para o ser humano. Eu nunca tinha visto essa expressão particular sobre ela, mas eu conhecia bem. Era como eu ficava quando eu estava com PC no meio de, bem, empurrando os limites das regras lycans. Lisa começou a tremer e respirando com dificuldade e me perguntei se ela estava realmente indo para perdê-lo no meio de um lugar muito público. O momento parecia muito íntimo; muito pessoal para mim assistir, com certeza, e eu não conseguia desviar o olhar. Noah e Jason estavam encantados com os olhos abertos, de queixo caído e corados enquanto suas outras metades devoravam o humano entre eles. Quando eu vi os veteranos olhando, eu sabia que o que estávamos vendo eclipsou o costume de longe. Finalmente, Leila, e depois Zack levantaram a cabeça do pescoço de Lisa, lambendo suavemente para parar de escorrer o sangue para fora das pequenas feridas que tinham feito. Lisa ficou em silêncio olhando descontroladamente ligada por alguns momentos antes dela soltar uma risada trêmula. "Isso foi foda incrível, pessoal." Ela respirou fundo, recolhendo-se, antes de se virar para mim com um sorriso enorme. "Miles, você tem que tentar." PC rosnou um pouco e me puxou para perto. "Não é o caso. Ele é meu." Todos olharam para ele em silêncio por um segundo tenso ou dois antes deles rirem. Depois de tudo o que aconteceu ele estava brincando. Meio que.

199


Depois que todos nós povoamos a cabine, alguns de nós com bebidas, outros com sorrisos satisfeitos mal disfarçados em seus rostos. Lisa tomou um longo gole de seu chá gelado Long Island e se inclinou para me cutucar com o ombro. "Eu estou feliz que eu conheci você", ela sussurrou com uma risada baixa. Eu cutuquei suas costas. "Eu também. Tem sido uma queda interessante para nós, pessoas humanas regulares até agora, não é?" "Não é possível esperar mais." Eu não poderia querer. Com um sorriso, me inclinei para trás na cabine, Lisa em um lado de mim e PC no outro. Em um bar de vampiros intimidante no meio do lado leste superior da cidade, o último lugar que eu nunca teria pensado que estaria eu me sentia completamente confortável e estranhamente o suficiente em casa. O meu grupo de amigos, novo, mas tão perto de mim já, foram provocando um ao outro e rindo ao redor da mesa. PC se inclinou mais perto, atraído pela minha felicidade, e estendeu a mão para enrolar a mão ao redor da minha coxa. Tudo parecia certo. Eu estava com o cara que eu nasci para estar com; que estava se tornando cada dia mais próximo de mim. Eu faria parte de seu mundo e gostaria de ser emparelhado a ele para sempre. Eu tinha mais amigos do que eu jamais tive na minha vida, e muito do tempo que foi esmagadoramente... Substancial. Era um sentimento que eu ainda não tinha me acostumado a ele, mas eu planejava passar muitos anos praticando.

200


Deveria saber que não ia ser assim tão fácil. No meio do meu contentamento uma pequena parte de mim estava sempre à espera: espera que PC saísse fora outra vez, ou por alguma catástrofe para desintegrar a felicidade frágil que nós lentamente começamos a construir. Eu sabia que não iria demorar mais do que uma pequena colisão na estrada para tê-lo de volta no lugar onde ele estava xingando e gritando e ameaçando fazer o que pudesse para nos separar. PC, que estava relaxando ao meu lado com a mão na minha coxa e sorrindo como se ele não tivesse um cuidado no mundo, de repente ficou tenso, um rosnado afiado começou no peito, movendo-se até que foi apenas mal contida em sua garganta. Eu o senti rosnar contra o meu lado, ameaçador e, ao mesmo tempo protetor. "O que é isso?" Eu segui o seu olhar. Ai, merda... Parecia que a nossa colisão na estrada acabara de entrar pela porta. Era o jogador de futebol americano Jeff. Quais eram as chances de encontrarmos com ele em um bar de vampiros tão longe da escola? Praticamente impossível. PC começou a se levantar e eu arrastei-o para baixo, agarrando sua camisa. "Deixe-me ir, Miles." Sua voz era baixa, mas um pouco assustadora. "Eu vou matar aquele babaca." "Deixe-o em paz! Aposto que ele não nos viu. Ele não vale a pena ficar em apuros."

201


Mas era tarde demais. PC se levantou e caminhou para o bar perseguindo o idiota vestido em calça de carga que não tinha sido capaz de levar a rejeição. "Oh, Jesus. E se ele se transformar? Ele vai ter vampiros em cima dele!" Zack pareceu alarmado. Levantei-me para ir atrás de PC, seguido rapidamente por Zack e Noah. "O restante de vocês, fiquem aqui", ouvi Zack murmurar aos outros da mesa. Eu poderia dizer que ele estava tentando manter a paz. Imaginei que ninguém poderia iniciar uma luta com uma tripulação de vampiros putos. Chegamos ao lado de PC, quando ele estava prestes a dar um soco no cara muito maior. "O que você está fazendo?" Eu assobiei, agarrando seu ombro. Ele me empurrou de lado, com a intenção de olhar no rosto do meu ex-assediador que parecia não se importar com nada mais. Sua força da raiva era surpreendente; meu braço chocou a partir do local onde ele tinha agarrado. O cara levantou as mãos, obviamente não querendo uma luta. "Escute, eu sinto muito. Eu vi vocês e segui-os até aqui. Levei tanto tempo para criar coragem para entrar. Eu tinha que falar com você. Por favor. O que você fez da última vez, eu não consigo parar de pensar nisso." "Será que ele viu-o gradualmente?" Noah parecia horrorizado. "Sim. O idiota foi atrás de Miles. Eu não podia parar. Leve-o daqui antes que aconteça novamente." Zack fez um barulho rosnar. "O que quer dizer 'foi atrás Miles'?"

202


"Oh Jesus, não você, também!" Eu não estava no clima para os meus autonomeados protetores para entrar em alguma grande luta sobre mim. "Ouça, está acabado, não é um grande negócio. Jeff você precisa ir; este não é um bom lugar para você. Apenas esqueça que você já viu qualquer um de nós, ok?" Jeff parecia incerto. "Vá!" Levantei-me e comecei a empurrá-lo em direção à saída, seguido por um hostil PC e dois vampiros que estariam prontos para saltar com pouca provocação. "Seria melhor pra você se mover mais rápido", eu murmurei. "Eu estou indo para tentar segurá-lo, mas você viu-o quando ele fica louco." Foi um pouco melodramático, mas eu queria ter aquele cara tão longe de PC quanto eu pudesse. Eu nem sequer quero pensar sobre as consequências dele se transformar onde estávamos. Jeff olhou para mim por um segundo, incerto, e, em seguida, olhou para trás em PC, que parecia que ele estava à beira de fazer algo irracional. Ele hesitou por mais alguns segundos indecisos, então ele se virou e saiu correndo, batendo a porta do clube. Quando PC não mudou e correu atrás dele, eu deixei escapar um suspiro de alívio. Embora não muito. Eu ainda podia sentir sua raiva, pulsando fora dele em ondas enquanto ele empurrou as pessoas para a porta da frente. "O que foi isso?" Noah deixou escapar, logo que nos quatro atingimos a calçada. "Foi este imbecil total, que parece ter uma permanente ereção para o meu namorado. O segundo em que eu o vi eu só... perdi-me." Ele colocou a cabeça entre as mãos, fez um barulho gritando frustrado, e caiu no chão,

203


encostado na lateral do prédio. Em seguida, ele passou os braços em volta dos joelhos e se enrolou. Zack e Noah fizeram gestos silenciosos para mim para ir sentar-se ao lado dele. Eu segui em sua direção, cruzando as pernas e sentei-me no chão ao lado de PC, eu coloquei meus braços em torno dele. Eu não tinha certeza se eu queria acalmá-lo ou simplesmente me tranquilizar de que ele ainda estava lá. Ele se inclinou para o meu abraço e eu estava um pouco aliviado. Eu não tinha sido completamente certo de que ele não iria me tirar de perto. "Agora você vê por que isso é impossível? Se Noah e Zack não tivessem me afastado eu teria, porra, matado esse cara. Meus instintos protetores em relação a você são incontroláveis, Miles. Eu o teria matado." "E você vai me dizer que com todos os seus anos de caça você nunca matou qualquer coisa antes?" "Bem, sim, alguns, mas não uma pessoa. Quero dizer, ele era um idiota e ele merece ter o seu traseiro chutado e mais pela forma como ele agiu com você, mas eu não ia mesmo dar-lhe uma chance de se defender. Eu estava tão irracional." "Eu ia ficar assim em relação a você, também. Se alguém estivesse tentando te tocar. Eu o mataria." Eu meio que me surpreendi com o quanto eu realmente quis dizer isso. "Mas eu te empurrei. Você. A última pessoa no universo que eu quero machucar." "Sim, você fez e eu estou supondo que você se sente tão mal com isso que você não vai fazê-lo novamente. Ouça, por favor, não se lance em outro

204


grande espiral descendente 'Eu não posso fazer isso'. Estivemos bem, felizes, certo?" "Sim, nós estamos. Tem sido... bom se acostumar a estar com alguém. Melhor do que eu pensava. Eu sou apenas..." "Eu sei." Não havia nada mais que eu pudesse dizer. Eu sabia que ele ainda estava lutando contra nós em sua cabeça. Que ele não estava pronto para se entregar completamente à verdade inevitável de que nós sempre vamos estar juntos. PC passou os braços em volta de mim e apertou. Nós nos sentamos na calçada fria e ficamos abraçados em silêncio. Levei um minuto para perceber que Noah e Zack tinham educadamente desaparecido. "Não quero deixá-lo mais", PC murmurou em meu cabelo. "Estou com medo sobre o que eu sou capaz de fazer para protegê-lo, eu não sei como isso vai funcionar, mas eu não quero fugir disso." "Isso é o que o vínculo está fazendo. Ele faz você querer ficar comigo." "Eu não sei se isso é o que é. Talvez seja o vínculo; talvez seja apenas eu agora. Como você pode dizer se é instinto ou se são sentimentos verdadeiros?" "Você vai ser capaz de dizer," eu murmurei. Foi um grande passo para ele admitir que ele não pudesse se ver indo embora mais. Eu gostaria de poder ser completamente feliz com ele. Eu ainda queria mais. "Desculpe eu me apavorei por um segundo. Como sempre." "Sim, ok. Quer ir para casa?"

205


"Sim. Vamos para casa. você pode ir lá dentro e dizer boa noite a todos? É melhor eu ficar aqui fora." Eu balancei a cabeça, em seguida, levantei-me e fui para o bar para dizer boa noite aos nossos amigos.

206


Capítulo 11 Extra, Extra. "Um, PC, você já viu o jornal de hoje?" Ele estava saindo do chuveiro; sua pele úmida e cheirando como meu shampoo. "Não. Você não começou as palavras cruzadas sem mim, não é?" Ele veio e me deu um beijo de saudação macio. Eu devolvi o beijo com entusiasmo. Parecia que eu estava constantemente com fome de seu toque. "Você tem um cheiro agradável", murmurei distraído de minhas notícias. "Assim como você." Ele sorriu para mim e se inclinou para acariciar meu pescoço. O aninhando virou-se para beijar e em pouco tempo ele estava mordendo e chupando meu pescoço e fazendo meu coração disparar. Levou um enorme esforço para se afastar. "Espere, PC, pare, antes, não podemos. Além disso, eu acho que você realmente precisa ver isso." O artigo tinha assustado a merda fora de mim. Eu peguei um jornal no meu caminho para casa da aula anteriormente. Meus olhos tinham quase saltado para fora da minha cabeça quando eu vi a manchete espirrada na primeira página. "VAMPIRO" mortes espalhadas por MANHATTAN

207


Eu lembrava vagamente Lisa dizendo algo sobre um cara sem-teto ser morto semanas antes, mas com toda a agitação recente eu tinha esquecido tudo sobre aquela anedota assustadora. O artigo descrevia uma enorme quantidade de vítimas que apareceram mortos nas últimas semanas, com perfurações em seus pescoços e corpos drenados de sangue. As vítimas eram geralmente normais, moradores de rua, prostitutas, o tipo de pessoas que não pode ser percebida imediatamente. O repórter escreveu que a polícia estava trabalhando em uma teoria de que havia algum tipo de cenário imitador estranho, talvez alguém com problemas mentais e uma obsessão por vampiros. Eu não estava convencido disso. Algumas semanas antes de eu ter lido o artigo eu concordaria que havia algum psicopata lá fora, vagando pelas ruas de Manhattan com um atiçador afiado e uma fixação séria com os mortosvivos. Minhas opiniões mudaram muito rapidamente. Agora, parecia que algo que PC e seus amigos deviam olhar. "O que é isso?" Eu sem palavras espalhei o jornal sobre edredom e vi seus olhos se arregalam. "Merda," ele murmurou enquanto examinava rapidamente. "Como é que eu não ouvi sobre isso já?" "Você acha que é algo que vocês vão ter que cuidar?" "Não sei. Embora pareça que sim. Jesus. É melhor eu ligar para Noah." Ele se levantou e começou a andar, olhando para o seu telefone. Eu poderia dizer que ele estava perturbado. "Não faz sentido. Ninguém desonesto poderia

208


ter feito uma bagunça dessas, e mesmo que eles fizessem, eles nunca seriam tão descuidados. É quase como se eles quisessem que fosse visível. E, sério, como eu poderia não saber sobre isso? Está no maldito jornal!" Ele apertou um botão em seu telefone. "Ei, Noah. Vocês ainda estavam dormindo?" Noah disse algo que PC corar. Ele não estava dormindo e eu tinha uma boa ideia do por que. "Escute, desculpe, uh, interromper, mas eu acho que temos um problema." Ele explicou a situação para Noah, em seguida, escutou enquanto Noah falou seu rosto ficando cada vez mais irritado com a resposta. "...O que quer dizer, você já está lidando com isso?... A partir de agora, deixe-me decidir o quanto eu quero no meu prato... Sim, isso é o que eu pensei,

também. Mas

porque

é

que

qualquer

desonesto

quer

ser

apanhado…? Certo. Nós estaremos lá em cerca de vinte minutos. Você quer chamar os outros? Ok, vejo você em alguns minutos." Ele desligou e estendeu a mão para me puxar da cama. "Nós estamos indo para Zack e Noah?" Perguntei. "Sim, é hora de se vestir." Zack e Noah viviam em um edifício não muito mais longe do meu apartamento que o de PC. Decidimos ir a pé, uma vez que, provavelmente, levaria o mesmo tempo para encontrarmos um táxi e, em seguida, esperar pelos vários semáforos. Passei toda a caminhada me preocupando com o artigo de jornal e as possíveis implicações para a segurança de PC. Eu odiava abrir o argumento sobre caça novamente. Tinha sido tão espetacularmente horrível à última vez, mas meu corpo começou a ter cólicas dolorosas só em

209


pensar nele perseguindo um assassino vampiro lunático. Quando me lembrei de que ele disse no primeiro fim de semana, eu não sobreviveria mais se algo acontecesse com ele. Se eu de alguma forma conseguisse sobreviver à perda de nossa ligação, eu provavelmente desejaria que eu não sobrevivesse. O pensamento torceu as minhas entranhas. Noah abriu a porta do banheiro com os olhos sonolentos. PC riu. "Eu não posso acreditar que você agora que se levantou. Esse cara gosta de dormir até mais do que eu faço", PC murmurou para mim. Sua voz não era exatamente tranquila. Noah bateu-lhe no ombro. "Ai!" Reclamou ele, esfregando o ombro teatralmente. "Não estava dormindo. Eu tenho que repetir o que já lhe disse?" PC se encolheu, Noah sorriu, e eu tive a sensação do quanto era embaraçoso para PC, mas que era um jogo de longa data para ele e Zack. "Zack está no chuveiro ainda. Vocês querem uma bebida ou algo assim? Nós mantemos alguma comida à mão por bem..." Oh. Para as pessoas que comem. "Vou levar uma” eu disse a ele. "Cerveja, refrigerante?" "Soda, por favor. Eu odeio cerveja. Chame-me de garota por não beber." Noah lançou um sorriso para mim e caminhou para a cozinha. Ele voltou alguns momentos depois com uma Dr. Pepper e um copo com gelo. "Obrigado." Eu derramei o refrigerante e tomei um longo gole do mesmo. O açúcar ajudou a acalmar-me. Eu não tinha um bom pressentimento sobre para onde esse artigo de jornal estava indo. PC e Noah falaram

210


casualmente por mais alguns minutos enquanto esperamos por Zack, que tinha estado no chuveiro quando chegamos. Fiquei feliz de tomar a minha bebida e ouvir em silêncio. Quando Zack saiu da parte de trás do apartamento, rosa descascado e secando o cabelo com uma toalha, PC e Noah se voltaram quase imediatamente, seus rostos virando profissionais. "Ok, então vamos falar sobre isso de novo,"disse PC. Zack parecia estar disposto a assumir. "Nós temos um revolucionário, ou um grupo de bandidos que mata a população transitória da cidade. A contagem de corpos está aumentando e não temos a menor ideia do caralho quem é o responsável. Não temos muito a dizer, além disso?" "Praticamente," Noah concordou. "Existe uma chance de que ele não seja realmente vampiro?" Eu tive que perguntar, apenas para ter certeza. Noah sacudiu a cabeça. "Não. Temos visto alguns dos corpos. Não há nenhuma maneira que não tenha sido feito por um vampiro real. Eu podia sentir o cheiro do veneno a dez pés de distância. Mas, ainda assim, a questão é por que eles estão tão descuidados?" Ele estava examinando o artigo. Eu quase podia vê-lo registrando a contagem de corpos, bem, pelo menos a contagem de corpos conhecidos. "Mesmo os piores sabem encobrir seus rastros. É mais difícil de caçar quando a cidade fervilha de policiais à procura de um assassino em série." "Poderia ser uma mensagem?"

211


A pergunta de PC fez sentido para mim. Eu não sabia sobre a política do mundo dos vampiros, mas quando um ser humano faz algo violento e visível normalmente parecia estar fazendo isso por uma razão. "Eu pensei nisso, também. Mas a mensagem seria para quem? Não é uma mensagem muito boa se o destinatário não obtê-la." Noah deu de ombros. "E se nós somos os destinatários?" Zack inclinou a cabeça, parecendo pensativo. "Eu não quero dizer nós especificamente, mas nós, em geral, como, os caçadores de desonestos." "E o que queria nos dizer deixando um monte de pessoas desabrigadas drenados?" "Eu não sei. Que não podemos mexer com eles?" Zack encolheu os ombros. "Era apenas uma ideia." "Não, isso é bom, bebê. Nós só precisamos descobrir quem, ou o quê, está por trás disso e espero começar a obter algumas respostas." "Caça esta noite?" PC parecia quase ansioso. Eu me senti um poço de náuseas no estômago. Noah suspirou. "Sim. Nós vamos ter que ir." PC riu. "O que aconteceu com você, homem? Você costumava ser o primeiro pronto para uma boa caçada." Noah inclinou a cabeça para Zack. "Olha o que aconteceu da última vez que corri em busca de problemas. Eu estou um pouco mais cuidadoso agora."

212


Zack revirou os olhos. "Por favor, não me diga que você ainda está se sentindo culpado por isso. Eu disse que queria me tornar um vampiro. Não era a maneira que eu tinha sonhado que isso acontecesse, mas ainda assim. Está tudo bem." Ele deu um sorriso íntimo a Noah em seguida, puxou-o para um beijo curto intenso. "Amo", Noah sussurrou. Eu senti um salto estranho no meu estômago já nervoso. Eu daria tudo para ouvir essas palavras da boca de PC. "Hum, o que eu perdi? Eu pensei que você disse que virou Zack." Eu senti como se devesse estar preparado para o pior, se PC saísse para caçar. "Eu fiz. Um pouco mais de um ano atrás, houve um ladino diferente matando humanos na cidade." Noah revirou os olhos. "Sempre parece ter algum lunático que não compreenda o conceito bastante simples que você não tem que matar para se alimentar. De qualquer forma, eu descobri que era o vampiro que matou meu pai e eu queria vingança. Eu saí procurando por ele e comecei a ter mais luta do que eu poderia segurar. PC me trouxe aqui ferido e sangrando. Quando Zack tentou me dar o sangue para que eu pudesse me recuperar, eu atirei veneno nele acidentalmente e transformei-o. Já tínhamos falado sobre isso, mas eu não queria que isso acontecesse assim." "Então, para se tornar um vampiro você tem que ser injetado com veneno, mas, obviamente, você pode morder sem o veneno." "Sim. Nós geralmente não precisamos dele. Além disso, o veneno dói muito ruim e paralisa o ser humano."

213


"Como é que você acidentalmente disparou Zack? Existe sempre essa possibilidade quando um vampiro morde?" "Não. Eu ainda não sei por que isso aconteceu. Eu estou supondo que era porque eu estava fraco e ferido. Mas é geralmente muito fácil de controlar o veneno. Exige mais esforço para liberá-lo do que não." Eu percebi que foi a conversa mais longa que eu já tive com Noah. Eu não queria empurrar, mas foi bom para obter algumas respostas. "E se PC recebe veneno de vampiro nele?" "Ele ia morrer. Nosso veneno é venenoso para ele; o seu sangue é venenoso para nós, pelo menos em grande quantidade." Era uma responsabilidade muito grande. "Então você acha que esse malandro, ou o que está lá fora, está a paralisar os seres humanos e lhes drenando desnecessariamente?" "Sim. Ou então quer ser ganancioso e estúpido ou, como você disse, eles estão enviando uma mensagem." "Não há algum tipo de conselho vampiro como os lycans ter que pode cuidar dos assassinos?" Noah riu. "Se há uma coisa que seja perto de um conselho de vampiros então provavelmente você está olhando para ele." "Você e Zack?" Noah assentiu, sorrindo ironicamente. "Bem, nós e as meninas. Os vampiros são muito solitários e a maior parte é muito nômade para formar conselhos ou governo de qualquer tipo. Além disso, é lamentável que muitos

214


de nós sejamos bastante violentos. Imagino se algum vampiro tentasse reivindicar a liderança que ele ou ela estaria mortos antes do próximo pôr do sol." "Mas vocês todos não se dão bem e se trabalhassem juntos." Noah sorriu. "E existem outros como nós, mas não o suficiente para causar qualquer mudança real.” "Talvez um dia", murmurei e Noah assentiu. Eu poderia dizer que ele tinha pensado nisso antes. Naquele momento houve uma batida rápida, em seguida, Leila, Amanda, e Colin arrastaram-se para dentro do apartamento. "Olá, casais de meninos bonitos! Nós vamos caçar hoje à noite?" Ela olhou eufórica, como se tivessem apenas decidido ir para o Havaí ou algo assim. Noah sorriu em saudação. "Mais como fazer um trabalho de detetive. Vamos pegar nossos pacotes juntos e podemos separar e recolher os perímetros das sete cenas dos crimes conhecidos." "Mais uma vez? Quero alguma ação", Leila reclamou. "Leila", Noah avisou. "Além disso, nós só conhecíamos dois deles pela última vez. Agora, existem mais quatro. Eu e Zack teremos PC de volta para os dois primeiros para ver se ele pode encontrar algo que poderia ter perdido. Então vamos bater dois dos novos. Vocês terão os outros três" Meu estômago se agitou. Levou apenas algumas palavras curtas para jogar o meu corpo em pânico completo. Já estava começando a doer. Porra. Não desta vez.

215


"PC, eu vou com vocês?" Ele se inclinou e beijou minha testa suavemente. "Você não pode. É muito perigoso e você não está treinado. Seria bom se nós simplesmente acabássemos andando por aí, mas o que aconteceria se conseguirmos encontrar algo... ou alguém?" "Eu sei. Mas lembra-se da última vez?" Ele fez uma careta. "Eu prefiro não lembrar. Ouça, vai ficar bem. Não estamos à procura de qualquer coisa perigosa, apenas verificar algumas cenas de crime antigas." "Mas você acabou de dizer que era muito perigoso." "Para você, não para mim." "E eles realmente precisam de você?" "Hoje à noite eles precisam. Os vampiros não podem processar cheiros antigos tão bem quanto eu posso. Eu não vou ser capaz de ir a todos os locais, mas pelo menos posso ajudar Zack e Noah." Eu balancei a cabeça. Eu odiava tê-lo lá fora, onde ele poderia se machucar e voltar para casa também rasgado para reparar. Eu não queria deixa-lo sair da minha mão, mas eu sabia que tinha que fazer. Seus dedos arrastaram para fora dos meus e ele seguiu Zack a uma caixa onde Noah e os outros já estavam retirando as armas. Notei PC não pegar quaisquer uma. Tinha-me todo preocupado até que eu percebi o por que. Idiota. Ele não vai ser capaz de transportar armas se ele não terá nenhuma mão.

216


Percebendo que ele estaria armado apenas por suas garras e dentes fez a dor piorar no meu estômago. PC começou a olhar desconfortável também. "Merda," ele finalmente murmurou. Estava tranquilo, mas eu podia ouvi-lo facilmente através do quarto. Ele olhou para mim. "Eu pensei que a teoria era que, enquanto nossos corpos sabiam que estávamos voltando um para o outro ficaríamos bem." Dei de ombros. "Eu acho que nossos corpos não estão neste caso. Cada vez que você sai caçando você pode não voltar para mim. É apenas como da última vez." "Eu vou ficar bem, Miles." Ele me deu um olhar exasperado e um pouco acusatório como se a coisa toda fosse culpa minha. "Não é como se eu estivesse fazendo isso de propósito. Nós já passamos por isso. Você está machucado, também, porque o seu corpo se sente como o meu sobre isso." Ele resmungou. "Bem. Eu não posso caçar com o meu estômago ameaçando perfurar o seu caminho através da minha pele. Eu acho que você está vindo depois de tudo. É uma ideia terrível." "Ele vai estar seguro, PC. Estaremos todos lá." Zack foi, como de costume, alisando as penas de todos. PC me deu um olhar protetor. "Caminhe ao meu lado em todos os momentos, ok?" "Ok." Como eu teria que me separar de você de qualquer maneira. "Quero dizer. Fique longe de qualquer coisa que pareça mesmo que remotamente perigoso. Você vê um rato grande na rua avise, entendeu?"

217


"Sim, querido", eu disse a ele obedientemente, revirando os olhos. Ele começou a puxar a camisa sobre a cabeça. Meu rosto ficou vermelho quando eu percebi que ele estava prestes a ficar pelado. Ele riu do meu olhar embaraçado. "Eles já viram isso um milhão de vezes. Ninguém olha mais mesmo. Eles vão ver o seu também, algum dia, sabe?" Eu balancei a cabeça, sorrindo para mim. Isso é para que os banheiros sejam feitos, ou talvez uma cabine de telefone agradável como Superman. Antes de eu mesmo terminar o pensamento, PC tinha ido embora e em seu lugar o incrivelmente belo lobo que eu tinha visto apenas algumas vezes antes. Ele trotou para mim e bateu na minha mão com a cabeça. Eu instintivamente afundei os dedos em sua pele e arranhou suavemente sobre seus ombros. Sentia-me agradável... O pensamento saltou em minha cabeça do nada. "Puta merda! Foi você, PC?" Sim, sou eu. Lembra-se o que minha mãe disse sobre a comunicação? É mais fácil quando estou na forma de lobo. Especialmente se estamos nos tocando. Eu nunca tentei isso antes, mas funciona! "Você pode ouvir todos os meus pensamentos?" Deus, eu espero que não. Experimente-o em sua cabeça em vez de falar em voz alta. E não, eu não posso. Só o que você projeta para mim. Mesmo que fale em voz alta. Pense o que você quer dizer e empurre-o em minha direção.

218


Como isso? Eu pensei nesta frase na minha cabeça e fiz o que ele disse: empurrei as palavras para fora e para ele. Foi muito estranho, um formigamento e íntimo. Sim. Ver que não é tão difícil. Nós vamos ficar melhor para isso, também, depois que você for um lycan e depois que nós estivermos acoplados. Parece que estamos indo. Fique perto de mim, tudo bem, bebê? Ok. "Pronto Miles?" Era quase surpreendente ser abordado em voz alta. "Sim, eu estou pronto." Apenas em Nova York poderia três caras estar andando junto com um lobo e mal ter apenas um olhar superficial da maioria dos transeuntes. Eu supunha que ele poderia ser confundido com um cão realmente grande, mas... Bem não. Ele era um lobo. Não havia nenhuma maneira de contornar isso. E na maioria das vezes ninguém parecia se importar. Zack e Noah andaram um pouco à frente de nós, e eu fiquei por perto de PC, minha mão descansando confortavelmente em seu ombro. Ele era tão grande que eu nem sequer tinha que me baixar para tocá-lo. Cada quarteirão ou ele iria atirar em mim um comentário silencioso ou uma pergunta, e eu lhe respondia. Isso estava começando a parecer mais natural ter seus pensamentos na minha cabeça, um pouco menos surpreendente, com certeza. Na verdade, eu gostava da sensação íntima de têlo na minha cabeça. Era uma conexão, mais uma coisa para nos unir e algo que ele poderia compartilhar comigo e ninguém mais. Eu desejava que pudéssemos fazê-lo o tempo todo.

219


Cerca de dez quadras do apartamento de Zack, PC congelou de repente, tenso. A 'merda' sussurrou Zack o que confirmou que algo estava errado. "Miles, basta ir com o que eu disser ok?" Ele sussurrou. Eu balancei a cabeça e depois notei um casal de meia idade e uma menina acenando com entusiasmo para nós. "Ei, mãe, pai, Maya. O quê vocês estão fazendo aqui em baixo?" A família de Zack? Eu sufoquei uma risada. Falar sobre as últimas pessoas que você gostaria de encontrar no meio de uma caçada. "Olá, queridos!" A mãe de Zack deu longos abraços para ele e para Noah. Sua irmã recuou timidamente e olhou para mim e PC. "Gente, este é o nosso amigo Miles e seu cão Ginger." "Cão?" Sua mãe parecia um pouco incrédula. "Prazer em conhecê-lo. E ao Ginger enorme, mas ele é um querido total." Apertei a mão de todos e incentivei-os a afagar PC. A família de Zack parecia boa. Ginger (Gengibre)? Eu? Que diabos? PC soou tão indignado que eu tive que morder o lábio para não rir. Eu estava apenas indo junto com Zack como ele disse para fazer! Poderia ter sido pior, você sabe. Como? Eu vou chegar a algo. Porque não basta chamá-lo de PC? Eles me conhecem.

220


Quase na sugestão, a irmã mais nova de Zack falou. "Onde está PC?" "Ele está com sua mãe," respondeu Zack. A mãe de Zack riu e bagunçou o cabelo de sua irmã. "Maya tem um pouco de uma queda. Você conhece PC, também, Miles?" Uma imagem súbita e muito intensa brilhou em minha mente da direção de PC. Meu crânio formigou por um minuto até que eu pudesse me concentrar no que ele me enviou. Assim quando eu fiz nada existia, mas apenas uma imagem na minha cabeça: Eu estava escancarado com PC em uma cama coberta de cobertores e travesseiros. Estávamos nus e suados e minha cabeça estava jogada para trás de prazer óbvio quando ele empurrouse para dentro de mim, as mãos apertadas em meus quadris. Engasguei, meu rosto em chamas. "Sim, eu conheço PC também." Foi difícil para cuspir uma única frase razoável. Truque novo? Eu perguntei. Nunca faça isso comigo em público novamente. Por quê? Foi divertido. Eu me senti como rosnando. É melhor fazer bem como em suas promessas, então. PC fez um barulho de chiado no peito. Esse maldito cão está rindo! Eu não podia esperar para me vingar.

221


"Ei, é suposto estarmos indo para uma reunião com alguns amigos no seu lugar para o jantar, rapazes. Eu odeio nos apressar, mas..." Zack estendeu a mão e agarrou a mão de Noah como se eles estivessem prestes a começar a andar. "Ok, divirtam-se meninos... e Ginger." Nós todos rimos e acenamos para a família de Zack enquanto se afastavam. "Desastre evitado," Zack resmungou. Segurei-a por tanto tempo quanto eu poderia. "Ginger?" Eu finalmente explodi. As risadas foram imparáveis. Noah e Zack riram também. "Sim, foi a primeira coisa que eu consegui pensar. Desculpe, PC." Ele apontou seu comentário na direção geral da minha mão. Noah deu-nos um sinal de silêncio com a mão quando chegamos ao local onde a primeira vítima tinha sido encontrado. PC começou a se contorcer. Eu podia sentir a energia irradiando dele. Espere com Zack e Noah por um segundo, está bem? Eu balancei a cabeça. Tenha cuidado querido. Foi a primeira vez que eu o chamava de qualquer coisa assim. Foi mais fácil do que dizer isso em voz alta. Ele não respondeu, mas eu poderia dizer que ele estava feliz. PC afastou-se para o lugar onde a fita da polícia um tanto esfarrapada ainda marcava a cena do crime antigo. Zack, que estava assistindo PC e eu durante a nossa troca silenciosa, levantou a cabeça e me olhou com interesse.

222


"PC está falando com você?"Perguntou. "Sim, aparentemente, todos os lycans acoplados podem fazê-lo até certo ponto, mas é mais fácil para nós por causa do vínculo, ou pelo menos será com a prática." "Isso é loucamente legal. Eu sabia que ele poderia nos entender, mas uau. Quando você começou a fazê-lo?" Eu expirei lentamente. "Cerca de quinze minutos atrás. A primeira vez que ele soou na minha cabeça, me assustou um pouco, mas agora já está ficando mais fácil." PC veio trotando de volta e deu um passo para a direita sob a minha mão. Eu enfiei os dedos pelo seu pelo sem pensar duas vezes. Diga Zack e Noah que havia pelo menos dois vampiros aqui. Posso sentir o cheiro de um homem e uma mulher, talvez mais. Eles seguiram para o norte depois que eles deixaram aqui, mas a trilha é muito fraca após a chuva da noite anterior. Eu repeti as informações para Zack e Noah que acenaram e sorriram. "Isto pode ser muito útil. Nós sempre tivemos que contar com gestos antes." Eu sorri feliz que eu pudesse ser outra coisa que não um obstáculo. Zack e Noah foram até o local para ver se eles poderiam pegar aromas dos vampiros. Seu senso de vampiro de cheiro não era tão bom quanto o de PC, mas era muito mais forte e mais detalhado do que um ser humano. Tudo o que eu podia sentir era o cheiro era o lixo transbordando a meia quadra de distância. Depois disso, Noah fez uma ligação, verificando o progresso do

223


outro grupo, que, infelizmente, foi semelhante ao nosso, eles poderiam dizer que os vampiros tinham estado lá, mas as trilhas tinha se esgotado, ou terminando em um cais ou desaparecendo ao bater contra um edifício. Todos concordaram que parecia que os vampiros estavam brincando com a gente. Nós decidimos ir para o segundo local na nossa lista, na esperança de que haveria uma vantagem mais substancial lá. Não. Foi mais do mesmo: aromas que eram fracos e pareciam flutuar para lugar nenhum. O único elemento novo era o cheiro. PC, Zack, e Noah concordaram que eram diferentes vampiros do que no primeiro local. Não exatamente encorajador ou útil apenas diferente. E assim a noite avançava. Tinha sido emocionante quando começamos. Eu senti como se estivesse em um filme ou algo assim. À medida que as horas passavam, porém, tornou-se mais cansativo e frustrante que divertido. Todos os becos sem saída mantiveram-se acumulando, e com base nos telefonemas com Colin e Leila, eles não estavam fazendo nada melhor. Tornou-se óbvio que havia algum tipo de cérebro por trás da confusão e mortes. Foi a única coisa

que

descobrimos

logo

no

início. A

pergunta

aparentemente

irrespondível não foi só quem estava fazendo isso, mas por quê? A melhor parte para mim foi ver meus amigos em ação. Eu realmente gostei de me encaixar, sendo útil para os caçadores. Eu não podia esperar até que eu fosse um lycan e me encaixasse permanentemente. Eu não tinha ideia de como seria a sensação de galopar ao longo das ruas á noite enorme e poderoso, mas eu estava animado para descobrir. Parecia que a petição estava demorando eternamente, mesmo que ela não tivesse passado duas semanas ainda uma vez a mãe de PC tinha começado o processo. Ela se manteve me

224


tranquilizando que era apenas burocracia e eles não estavam mesmo considerando dizer não. Eu me preocupava tudo ao mesmo tempo. Estávamos no nosso caminho para o último local da noite. Tinha que ser perto do amanhecer. Nós tínhamos verificado três antes, seguindo as trilhas individuais que levaram com eles até que desapareceu na noite. Eu podia sentir a frustração de Zack e Noah e a energia saindo de PC tinha mudado de nervoso e animado para simplesmente irritado. Último local, bebê, então podemos ir para casa, ok? Isso é bom. Eu não disse nada. Eu não queria que ele pensasse que eu estava reclamando. A última coisa que precisava era de um ser humano lamentando-se sobre estar frio, cansado, bla, bla, bla. Eu sei que você está sendo duro. Mas você está exausto. Nós vamos estar na cama em breve. Eu não podia perder o sabor de um sorriso travesso em suas palavras. Eu sorri para mim. Sem tirar nossas roupas, embora. Não se podem esquecer as regras. O lobo fez um barulho irritado. Não me lembre. "PC está bem?" Perguntou Zack, olhando para nós. Eu não podia deixar de sorrir. "Sim, ele está bem. Só um pouco, uh, frustrado." Eu tropecei quando uma pata peluda saiu de repente, e muito deliberadamente, certa me prender no meu caminho. Rindo, eu o cutuquei com meu quadril, mas fiquei surpreso quando uma cotovelada não tão gentil de volta quase me enviou voando.

225


"Saia de cima de mim, idiota!" Eu me esqueci de dizer a ele silenciosamente. "Eu vou ter que enviar-lhes os dois para casa? Nós estamos em uma caça séria aqui!" O sorriso Noah piscou-me e me disse que não era sério em tudo. Tinha sido uma longa noite para todos. Talvez tivesse perdido um pouco de foco. Ah bem. Quando chegamos ao último local de crime, eu não estava muito surpreso ao descobrir que as coisas não pareciam muito diferentes do que tinham sido nos locais anteriores. Ainda havia a fita da polícia fora, mas ela estava pendurada, desolada, suja e maltrapilha, fora do local em que ele foi apenas anexado. Era óbvio que o lugar tinha sido abandonado por um tempo. "Mesmo merda aqui. PC quer ir em frente?" Ele gemia baixinho e caminhou para a cena do crime isolada. Ele estava farejando em silêncio quando ouvimos um estrondo abafado de baixo do bloco. Vampiros! Eu posso sentir o cheiro deles. "PC disse que são vampiros," eu sussurrei para Zack e Noah. "Merda. Fique com Miles, bebê. Eu estou indo para ficar com PC e conferir." Noah foi ido antes que Zack tivesse uma chance de responder. Ficamos ali em silêncio por um minuto ou dois. Eu chutei para o chão com o meu dedo do pé, desejando pela centésima vez que eu fosse um lycan já. "Desculpe, mas você ficou preso de babá com o ser humano inútil", eu murmurei baixinho.

226


"Está bem. Eu não me importo de esperar com você. Embora o que me deixa doido é quando ele vem todo machista de proteção Alpha." "É porque ele te ama." "Eu sei," Zack sorriu. "É por isso que eu não disse nada sobre isso. Às vezes, eu acho que ele se esquece de que eu sou tão forte como ele é agora." Eu estava voltando-me para sorrir para ele quando eu vi o flash de cabelo loiro pálido com o canto do meu olho. No começo eu pensei que era Noah, mas o homem era muito maior e estava vestindo uma jaqueta de couro preta, em vez de um moletom com capuz. "Zack!" Eu sussurrei, cutucando-o no lado. Ele olhou para cima, e congelou. "Merda." Ele puxou-me atrás dele assim quando o vampiro notou-nos de pé nas sombras. "Você não deveria estar aqui. Isto não tem nada a ver com você." A voz do vampiro era baixa e ameaçadora. Recuei ainda mais para trás de Zack, sabendo que se ele viesse atrás de nós não havia muito que eu pudesse fazer. "Chega de drama. Qual é o negócio com todos os seres humanos mortos? Você e quem mais estão fazendo isso, perdeu sua mente?" Zack gritou. O vampiro se aproximou seu cabelo brilhando a luz da lua, sinistro e pálido. Ele ignorou a pergunta de Zack e cheirou o ar, como se estivesse tentando descobrir quem nos somos. "Ah, você é um jovem, não é? Ainda tem o cheiro de sangue fresco sobre você: sangue fresco e porra..." Ele riu. "Eu amo o cheiro de um vampiro pouco satisfeito".

227


Zack passou a mão para um soco, mas eu segurei o braço dele. Ele era muito mais forte do que eu e poderia facilmente ter arrancado livre, mas deve ter percebido que eu estava certo. Não havia nenhum ponto de iniciar uma luta quando precisávamos de respostas. "Eu lhe fiz uma pergunta, idiota." O vampiro riu. "Isto? Este é apenas um aviso, e não é para você. Fique fora disso, menino. E fique longe do filhote de cachorro." Ele apontou para mim. "Amigos como ele só vão te matar." Cachorro? PC volte aqui! Zack abriu a boca para falar, mas o vampiro ouviu Noah e os passos de PC chegando ao virar da esquina e fugiu antes que quaisquer uns de nós pudessem reagir. Zack saiu correndo na mesma direção que o vampiro. Eu esperei, sentindo-me inútil até PC e Noah retornar. Noah correu atrás de Zack enquanto PC ficou ao meu lado, pele, pronto para destruir qualquer um que chegasse perto de mim em pedaços. Finalmente, Zack e Noah voltaram olhando irritado e apenas um pouco sem fôlego. "O bastardo desapareceu", Zack resmungou. Noah pegou a mão dele. "Bebê, aquele vampiro tem provavelmente centenas de anos de idade. Ele pode fazer coisas que não temos sequer sonhado ainda." "Isso não significa que eu goste de sua bunda sumir. Ele chamou-me de pouco!"

228


"Bem, ele me chamou de cachorro. Isso tem que ser pior." Noah me olhou bruscamente. "Por que ele iria chamá-lo assim?" "Provavelmente cheirava PC em mim. ele poderia ter pensado que eu fosse um lycan real?" "Talvez. O cheiro é apenas uma característica distintiva de um lycan em forma humana", Noah me disse. "Ei escute. É melhor voltarmos. Será que o vampiro disse mais alguma coisa?" "Só que isso não tinha nada a ver com a gente e que nós deveríamos nos meter no nosso próprio negócio," respondeu Zack. "E que ser amigos de um lycan era perigoso", acrescentei calmamente. A pele de PC arrepiou parecendo cerdas sob meus dedos. "Merda" foi à resposta tacitamente redigida de Noah. "Como exatamente ele falou?" "Bebê, Miles está esgotado e não há nada que possamos fazer sobre nada disso estando na esquina da rua. Vamos levá-lo para casa e, em seguida, você e eu podemos examinar toda a conversa até meus ouvidos sangrarem, ok?" Noah assentiu e apertou a mão de Zack. "Ok, vamos para casa." Todo mundo se reuniu novamente no apartamento de Zack e Noah para um curto esclarecimento dos acontecimentos da noite. Todo mundo estava tão perplexo com a conversa como tínhamos sido, mas eles decidiram olhar para ele da melhor forma que podiam. Provavelmente não era muito de olhar

229


para uma vez que mensagens enigmáticas não o fizeram muitas vezes têm provas concretas para apoiá-los. Os outros planejaram ficar e falar sobre isso por um tempo mais longo, mas eu estava tão cansado que eu estava quase delirando. A adrenalina tinha passado e tudo que eu queria fazer era dormir. PC deu uma olhada no meu rosto e se levantou. "Rapazes noite, nós estamos indo para casa. Por favor, deixe-me saber qual será o próximo passo, ok?" Noah assentiu e nos levou até a porta. "Você está bem, Miles?", Ele perguntou em voz baixa quando estávamos no corredor virando-se para sair. "Sim eu estou bem. Só cansado. Obrigado, no entanto." "Claro. Basta ter certeza." Ele sorriu. "Falo com vocês amanhã." "Noite, cara", respondeu PC. Levou mais energia do que eu pensei que tinha para entrar em um táxi e andar a curta distância até o meu apartamento. Subir as escadas foi ainda menos divertido com as pernas cansadas e pés que pareciam blocos de cimento. Quando finalmente entramos, eu tirei meu casaco, aliviado, e cai no meu sofá. "Vamos lá, bebê. Vamos para a cama. Você não quer adormecer no sofá." A voz de PC era gentil, e ele estendeu a mão para me puxar para cima. Tirei minhas roupas em silêncio, mal sendo capaz de manter os olhos abertos, até que eu estava tremendo na minha cueca. Normalmente, eu teria colocado a roupa no meu cesto de roupa, ou para longe, mas eu estava tão cansado que eu deixei-os no chão, onde eles desembarcaram. Eu não me

230


preocupei em vestir pijama, desde PC sempre conseguia tirá-los em questão de minutos, de qualquer maneira. Parecia incrível rastejar entre os meus lençóis frescos e deitar. Senti-me ainda melhor tendo PC envolvendo seu corpo em torno de mim e beijando a minha nuca. "Eu gostei quando você me chamou de 'Bebê' lá atrás", ele sussurrou. "Eu gosto disso, também, quando você faz. Quer dizer, eu não o fiz no começo, mas agora já que estamos juntos." "Hum... juntos. Um pouco." Sua voz era um balbuciar sonolento. Eu sorri para a escuridão. "Noite, bebê," eu sussurrei, tentando com isso. "Soa ainda melhor em voz alta. Boa noite, bebê." Ele beijou meu pescoço novamente, e sugou entre as minhas omoplatas. Eu te amo. Eu estava feliz que ele não podia ouvir meus pensamentos. Eu não tinha certeza se PC jamais iria estar pronto para essas três palavras, mas eles foram se tornando mais reais a cada dia.

231


Capítulo 12 Vampiro Nós estávamos finalmente no lugar onde eu desejava estar por semanas e semanas. Nus e suados e tão dolorosamente perto; pairando a beira do êxtase, mas ainda não chegamos lá. Era incrivelmente frustrante e isso me fazia querer gritar e... Ohhh, que se sente tão foda incrível. Eu quase gritei quando sua língua mergulhou em mim. Ele estava me provocando com as pontas dos dedos; sempre circulando, empurrando suavemente, massageando, mas eu o queria dentro, droga! E então ele estava. Lambendo e pressionando com a pressão molhada gentil de sua língua e eu pensei que só poderia disparar fora da cama e para fora da janela. "Parece... Eu quero... Deus não pare de fazer isso nunca!" Eu não tinha mais inteligência para pensar, mas não me importava se eu não fizesse sentido. Ele sabia o que eu quis dizer. "Você quer mais, bebê?" Ele lambeu a pele sensível novamente antes de empurrar sua língua dentro. "Sim. Não. Eu só..." Eu rompi com um grito quando seus dedos mergulharam fundo e esfregaram-se contra aquele lugar perfeito novamente e novamente e novamente. Eu fui me desfazendo. PC lambeu seu caminho até minha espinha, respirando na pista molhada e me fazendo tremer todo o tempo me fodendo incansavelmente

232


com os dedos, dando-me tudo o que eu precisava, mas não o que eu queria tão desesperadamente. Gritei e arqueei as costas... "Miles? Acorde!" A voz, em questão, de PC flutuou pela minha felicidade e notei que suas mãos tinham de alguma forma, se mudado para os ombros, onde ele foi me apertando suavemente. "Huh?" Eu levantei o rosto de onde tinha ficado preso à página de um dos meus livros por baba. Oh deus, embaraçoso. "Quando eu dormi?" Meu coração ainda estava batendo, enviando ondas de luxúria batendo através de mim. Era isso o que seria como com ele? Tentei agir indiferente, deixe meu pulso fúria e da pele superaquecida se acalmarem. "Você desmaiou um pouco atrás, talvez meia hora ou assim. Você parecia tão exausto que eu deixei-o dormir, mas depois que você começou a gemer. Eu pensei que você podia estar tendo um pesadelo. O que você estava sonhando?" Meu rosto aqueceu ao nível de uma fogueira em menos de um segundo. "Nada", eu murmurei, mas felizmente fui salvo da explicação pelo repicar do telefone celular de PC. Ele procurou em torno das cobertas amarrotadas até que o encontrou escondido debaixo de uma dos meus livros abertos. "Ei, mãe, qualquer notícia?" PC perguntou sem preâmbulos. Seus olhos se arregalaram. "Esta noite? Sim, claro. Eu estarei lá em uma hora."

233


Ele virou seu telefone fechado e caiu sobre a cama e sobre mim, beijando meu rosto e meu pescoço. Meu coração começou a trovejar no meu peito. Era impossível não pensar no sonho insano. "O que tem esta noite?" Perguntei. Eu não tinha certeza do que eu queria que a resposta fosse. "Oh, não surte. É a minha última reunião de avaliação. Eu acho que eles decidiram que esta noite era uma boa noite para isso. Os mais velhos querem ter certeza de que eu sou sério sobre o acasalamento com você antes de aprovar a alteração. É apenas uma formalidade, ainda mais do que o habitual em nosso caso." "Então, depois de hoje à noite, quando eu começo... a mudar?" "Qualquer tempo. Amanhã, se quisermos." Qualquer chance que eu tinha de manter meu coração calmo desapareceu com essa resposta curta: Amanhã? "Eu preciso ir com você?" PC sacudiu a cabeça. "Eu desejo que você esteja lá. Eu odeio falar com os anciãos. Mas não, não é apenas para o lycan atual. Minha mãe não pode mesmo ser uma parte disso. Eles querem completa honestidade e seria difícil, se outras partes interessadas estiverem lá." "Então, eu vou ir trabalhar e depois você me chama quando a reunião acabar?" "Sim. Parece correto. Estou contente por finalmente podemos levar este show na estrada."

234


"Você está?" Mesmo que eu sabia que ele queria mais fisicamente, assim como eu fiz, fiquei surpreso que ele estava tão pronto para saltar para a parte compromisso. Ele sorriu para mim e afastou meu cabelo do meu rosto. "Eu estou. Estamos juntos todo o tempo de qualquer maneira. Eu acho que vai ser melhor se for oficial, você sabe. E talvez o nosso corpo possa se acalmar também. Pare de pirar se formos mais de cinco polegadas distante." "Eu gosto do seu corpo próximo a mim," Eu provoquei suavemente, e puxei-o contra mim. Ele empurrou meus livros de lado e segurou as cobertas portanto, para poder deslizar sob antes de puxá-las de volta por cima de nós dois. "Eu gosto disso também. Sente agradável. Hum, podemos fazer isso por alguns minutos, mas então eu realmente tenho que ir, ok?" Quarenta e cinco minutos depois, ele estava correndo para fora da porta. A nova pilha de livros que eu estava ocupando nas estantes estava quase terminada. Eu estive trabalhando constantemente, tentando me distrair do quão desconfortável eu ainda estava sem PC ao meu lado. Sendo que na livraria era muito melhor do que estar na sala de aula, onde eu tinha que sentar-me mesmo quando tudo o que eu queria fazer era se contorcer, mas eu ainda podia senti-lo, de alguma maneira no outro lado da cidade. Meu corpo ainda se inclinava assim quando eu não estava concentrado ativamente em não querer estar com ele. Eu disse a mim mesmo uma e outra vez que não era um grande negócio e ele estaria de volta em breve. Ainda sugado.

235


Eu estava no meio de um dos meus intensos auto-pensamento 'eu posso estar sozinho, tudo bem‟ quando eu tive um pouco de surpresa. Oi... Olhei para cima para ver se ele de alguma forma conseguiu escapar pela porta, sem me notar. Eu era o único na loja. PC? Sim. Como você está fazendo isso? Não está ainda outro lado da cidade? Sim, e eu nem sequer mudei. Os anciãos estavam me ajudando com minha técnica. Eles disseram que, eventualmente, nós vamos ser capazes de fazer isso através dos oceanos. Se estivermos sempre tão longe um do outro. Você não está quase pronto? Sim, mas a minha mãe quer falar comigo. Eu vou ficar um pouco mais provavelmente. Eu sinto falta de você. Também sinto sua falta. Diga a sua mãe que você vai falar com ela amanhã. Não posso, bebê. É importante. É sobre a sua mudança. Quero que tudo vá bem. Eu podia sentir o sorriso em sua voz. Eu não tinha ideia de como isso era possível, mas achei que era melhor apenas para levá-lo no tranco. EU... Oh, minha mãe está aqui. Vejo você em breve, ok? Ok. Venha rápido.

236


Eu desejava que sua mãe não tivesse aparecido quando ela fez. A maneira como ele disse "eu" me fez pensar que ele estava tentando me dizer algo. Meu coração pegou, mas então eu disse a mim mesmo para não ser estúpido. Eu percebi que eu poderia acrescentar isso a minha pequena palestra em silêncio. Você está bem em seu próprio lugar, ele estará de volta em breve. Não seja estúpido. Eu estava terminando com o que tinha sido um dos meus únicos clientes em uma noite solitária chata quando o sino tilintou na porta da loja. Se PC não tivesse me chamado ainda, mas eu pensei que ele tivesse saído do encontro com sua mãe e no caminho de volta para a loja. Olhei para cima pronto para dizer a quem estava entrando pela porta que eu estava fechando, mas fiquei surpreso ao ver Zack e Noah. Depois que eu entreguei a cliente seu recibo e assisti ela sair eu sorri para eles, um pouco confuso. "Você está pronto para trancar?" Perguntou Zack. "Uh, com certeza. Mas o que vocês dois estão fazendo aqui? Pensei que PC ia vir depois que ele falasse com sua mãe." "Ele vinha, mas ela estava demorando eternamente e ele já estava perto do teatro. Ele disse que nos encontraria lá e nos enviou para buscá-lo." Zack sorriu. "Eu não acho que ele pode suportar a ideia de você andando sozinho após a outra noite. É uma espécie de bonito como ele fica protetor em cima de você." Ele fez um barulho de engasgos. "Cale a boca." Eu sorri ironicamente. "Eu não preciso de guarda-costas, você sabe."

237


"Você não quer andar com a gente? Não somos seus amigos?" Noah brincou. Eu não poderia mesmo começar a dizer como me senti bem ouvi-lo dizer isso, mesmo que fosse apenas em tom de brincadeira. "Claro que você é. Dê-me um minuto para limpar, então eu vou estar pronto." Eu arrumei ao redor da loja colocando livros que estavam fora e arrumando as revistas nas mesas para Ralph não andar em uma confusão na parte da manhã. Então eu fechei o caixa e recolhi o meu casaco. "Eu não posso acreditar que vamos ver um filme de vampiros", eu gemi. "Será que eles não os deixam loucos?" "Eu acho que eles são engraçados! Além disso, Zack tem uns quentes para os caras durões," Noah fingiu um desmaio antes de se inclinar para á frente para abrir a porta da loja. Zack olhou indignado. "Não, eu não faço, você é quem tem! Não se atreva a tentar fixar suas preferências ridículas em mim." "O que, então o que você acha da menina quente? Figuras, com o seu gosto por sangue..." Noah revirou os olhos e Zack bateu-lhe no ombro. Eu ri de sua boa índole discutindo e me abaixei sob o braço de Noah para a calçada sombria. Noah respirou. Sua cabeça ergueu e ele estendeu a mão para me parar, mas já era tarde demais. No segundo que eu passei por ele, senti uma dor aguda acentuada na parte de trás do meu pescoço. "O que o..." Ergui o braço para afastar longe o erro ou o que estava fazendo isso, mas em vez disso senti a cabeça de um homem.

238


Em segundos a dor aguda se transformou em uma queimadura subindo pela minha corrente sanguínea, ardente e doloroso. Tentei fugir, correr ou lutar, mas eu estava congelado. Eu não podia gritar. Eu não poderia fazer uma única coisa. Tudo parecia estar se movendo muito estranhamente, rápido, então lento, em seguida, rápido novamente, como se alguém tivesse me deixado cair em um desses filmes de artes marciais e eu estava flutuando no ar. A dor saiu do meu pescoço, queimando minhas entranhas me deu vontade de gritar. Mas eu não podia. Eu podia ver Zack e Noah, puxando o vampiro fora de mim e Noah perseguindo-o pela rua, mas eu mal podia me concentrar no que eles estavam fazendo. Minha visão borrou nas bordas, branco com dor. Eu estava ciente do meu coração vibrando e bombeando o calor ardente do meu sangue pelo meu corpo, espalhando a agonia até que eu não pude suportá-lo por mais tempo. O que está acontecendo comigo? Antes de a questão poder ser respondida eu apaguei. Quando eu acordei, eu me sentia... Esquisito. Meu cérebro deslizou em torno de tentar pensar em outra palavra para a forma como a minha pele e boca e tudo o mais se sentiu, mas estranho foi a única coisa que poderia descrevê-lo. O ar estava estranhamente tangível e eu podia ouvir as coisas, coisas longe, como homens discutindo na banca fora e Zack e Noah sussurrando na sala ao lado. "Você contou a PC?" Era a voz de Zack. Limpa como se estivessem bem ao meu lado.

239


"Sim, mas ele já sabia. Disse algo sobre uma mensagem de telefone. Ele está a caminho. Eu acho que ele voaria se pudesse. O pobre indivíduo está tendo um ataque cardíaco." "Devemos verificar Miles?" "Eu acho que ele ainda esta desmaiado. Eu vou voltar em um minuto. Deus, que confusão.” Essa última teve a minha atenção. Bagunça? O que aconteceu? Eu estava em um quarto que eu nunca tinha visto. Como minha cabeça limpa e menos tonta então eu comecei a lembrar, pequenos flashes dolorosos antes da escuridão. Levei um minuto para colocar os pedaços juntos. A mordida pungente... presas de vampiro, a dor que queimou meu sistema... Veneno de vampiro. Lembrei-me deles me dizendo que era o veneno que faz a mudança acontecer. Oh, não, não. Isso não podia estar acontecendo... Eu não estava... Eu não poderia estar... Não, não, não! Que confusão, que confusão, que porra, porra de bagunça! Não demorou, mas um segundo para a grave realidade chegar. Não havia nenhuma maneira de corrigi-lo. Eu estava travado. Eu era um vampiro. Apertei meus olhos. PC! Eu gritei para ele na minha mente, precisando do toque de sua consciência, a garantia de que as coisas ficariam bem.

240


Nada. Nem mesmo o pulso sutil do meu corpo alinhando-se em direção a ele como ele sempre fez. Foi nesse momento que eu percebi que não podia sentilo mais. O veneno insidioso do vampiro tinha feito o que nenhuma lycan poderia ou iria jamais fazer. Estava quebrado. PC tinha ido embora. O grito saiu de mim, selvagem e de um lugar que eu nunca soube que existia. Uma palavra primordial que ecoou no vazio que eu sentia dentro de mim. "NÃO!!!" E tudo por minha conta, sem a ajuda de queimadura, veneno de ódio, eu cai no chão e desmaiei.

241


Capítulo 13 Partido Quando acordei eu estava de volta na cama de Zack com dois braços fortes quentes em torno de mim. PC? Não, não era ele. O cheiro: agradável e estranhamente delicioso, mas ainda errado, errado. Onde estava PC? Eu precisava dele. "Miles, Graças a Deus você está acordado. Você me assustou." Zack escovou meu cabelo da minha testa. Seu toque era bom, formigamento e elétrico. Eu decidi que se eu me concentrasse nos dedos de Zack roçando minha pele, suave como a da minha mãe costumava ser quando eu estava doente, eu não entraria em pânico. Se eu pensasse sobre como estranhamente fantástico ele cheirava eu poderia ficar bem. Não importa o que eu não pudesse pensar... Oh Deus. Eu pensei sobre isso. Eu convulsionei e me enrolei, enterrando meu rosto em minhas mãos. Ele tinha ido embora de mim, passou de meu corpo. Eu tinha perdido ele. Eu perdi PC. Minha mente vacilou doentia. "Não é tão ruim, você sabe, ser um vampiro." A voz de Zack era suave, tranquilizando. Pelo menos, deveria ter sido. "Quero dizer, você não vai ficar para beber mochas mais, mas há alguns aspectos positivos. Eu sei que não é o

242


que você planejou, mas não pode ser tudo terrível." Ele tipo olhou em causa. A bondade fez-me doer ainda mais. "Acabou, Zack." As palavras saíram pegajosas na minha garganta. "O veneno me mudou muito. Eu não posso senti-lo, o vínculo se foi. Acabou." Eu quebrei novamente, dificilmente capaz de pensar de forma coerente. "O que eu vou fazer? Estou tão apaixonado por ele." Eu estava tremendo na cama, incapaz de me sentar como uma pessoa normal, mas eu não me importava. Eu não tinha energia para se preocupar se eu estava parecendo um tolo na frente do meu novo amigo. "Miles, eu sei que você está preocupado, mas PC não vai se importar se o vínculo foi. Não importa.” Eu queria acreditar, com tudo o que eu tinha, mas eu não podia acreditar nele. "Sim vai. Ele foi atraído para mim, ele me queria, mas não era ele. Era o vínculo. Sem ele, estamos sós de novo." Zack fez um pequeno som bufando. "O PC é teimoso e imaturo, e ele pode ser uma espécie de idiota sobre esse tipo de coisa, mas, Deus, você não pode ver como ele olha para você?". "É verdade." A voz suave de Noah veio da porta. Olhei para cima e o vi encostado no batente da porta. "Ele está a caminho. Ele estava apavorado, você devia tê-lo ouvido. Eu prometo a você, a única coisa que ele se preocupa é se você está bem." "Sim, mas assim que ele descobrir que eu sou bom..." A porta da frente se abriu e eu ouvi passos frenéticos correndo em direção a nós.

243


"Bebê! Oh meu Deus, você está bem? Eu sinto muito!" Eu estava esmagado em seus braços, tão forte que eu mal podia respirar, mas nada nunca tinha sentido mais maravilhoso. Eu inalei, respirando o cheiro certo, o que estava em casa. Meu peito vibrava, apertando dolorosamente. Eu não estava bem. De modo nenhum. Eu respirei fundo e me afastei dele. Eu tinha que me acostumar a estar longe dele, poderia muito bem começar agora. Afastando-se dele doía tanto como ele sempre fez. Mas não doeu minha pele estranha recém-sensível. A única coisa que eu senti quebrar foi o meu coração. "PC, ele foi embora. Você é livre. O veneno de vampiro rompeu o vínculo. Eu acho que eu estou muito diferente agora." "Do que você está falando? Você só vai ter que, você sabe comer coisas diferentes agora. Quer dizer, eu sei que você é um vampiro, mas foi um acidente, um acidente horrível. Vamos fazê-lo funcionar de alguma forma. Ainda somos nós." Suas palavras murmuradas deveriam ter me confortado, mas estava faltando o ponto. Eu não podia acreditar que ele não tinha notado. "Você não está ouvindo. Eu não posso mais te sentir. Acabou." Ele me puxou contra ele, abraçando ainda mais difícil do que a última vez. Ele salpicou beijinhos na minha testa, meu rosto, meu nariz. Fechei os olhos e me deleitei com os toques que eu não entendia. Finalmente, ele se afastou e usou a ponta do seu dedo para levantar o meu queixo. Eu mantive meus olhos fechados. Eu não podia ver seu rosto. Isso iria quebrar meu coração.

244


"Miles, olhe para mim." Sua voz era calma, mas firme. "Eu não me importo com o vínculo de maldição." "O que você quer dizer? Eu não entendo." Meu pobre cérebro oprimido não podia lidar. Eu estava em sobrecarga sensorial com meu entorno estranhas e novas realidades e de repente ele estava me dizendo... O que ele estava me dizendo? Ele descansou sua testa contra a minha. "Nada mudou, tudo bem? Eu ainda quero isso..." "Por quê?" "Eu..." Ele fez uma pausa e olhou para mim sem jeito. "Eu só quero estar com você. Eu ainda..." Parecia que ele estava com dor. Era realmente difícil para ele me dizer o que estava sentindo? Pelo visto. "Você está fazendo isso porque você sente pena de mim? Quer dizer, eu não quero alguém que..." "Miles." Ele estava sorrindo. "Cale a boca." Ele colocou os dedos sobre os meus lábios, em seguida, tirou-os para que ele pudesse me beijar, suave e lentamente. Foi um beijo de verdade, como reivindicando, línguas e dentes deslizando beliscando em meus lábios... O tipo de beijo que raramente se atreveu. Foi tão surpreendentemente bom. Ele se afastou para murmurar contra os meus lábios. "Eu sou seu, ok? Se você ainda me quiser, eu sou seu." Eu olhei para ele em choque por alguns segundos em silêncio. Na verdade, ele parecia preocupado, como se eu fosse dizer não ou algo assim. Ridículo.

245


"Claro que sim." Eu afundei meus dedos em seus cabelos perfumados sedosos. Eu podia ouvir o pulso bombeando logo abaixo da superfície, quente e reconfortante e estranhamente familiar. "Eu nunca pensei que você realmente quisesse isso, você sabe, se você tivesse uma escolha." "Quero já faz um tempo, não apenas por causa do vínculo, mas por causa de você. Porque eu não posso imaginar qualquer outra pessoa me fazendo rir como você faz ou um suplementar tão perfeitamente com... Deus, eu sou muito ruim nisso." Ele recuou e me deu um olhar esperançoso. "Nós estamos bem?" Sua insegurança era a coisa mais doce que nunca. Eu balancei a cabeça e me inclinei para beijá-lo. O toque dos lábios dele me fez tremer. Sempre foi bom antes, mas não como este. Inclinei-me mais perto e abri minha boca para provar seu beijo. Eu, de repente, não podia esperar para sentir o gosto dele. Arrepio de prazer violento correu em círculos sobre a minha pele. Eu ouvi o riso fraco da porta. Eu não acho que eles tinham estado lá o tempo todo, mas eu estava tão concentrado em PC que eu não podia ter certeza. "Ele já percebeu, não é?" Zack sussurrou para Noah. Foi o suficiente para chamar minha atenção. Ergui a cabeça da boca tentadora de PC. O beijo estava indo para algum lugar eu não podia levá-lo de qualquer maneira. Não no lugar de Zack e Noah, não em tudo, na verdade. "O que quer dizer 'ele notou'?" Noah riu. "Vamos lá. Vamos sentar à mesa. Temos muito que falar."

246


Demorou um pouco para arrumar e limpar (na maior parte da minha parte), mas, eventualmente, estávamos sentados na mesa de jantar de Zack e Noah. PC tinha arrastado minha cadeira tão perto dele como ele pudesse obtê-lo. Ele puxou minha mão em seu colo, imprensando-o entre a sua e estava correndo um polegar ao longo do meu pulso mais e mais. Seu toque era tão incrivelmente perturbador, causando redemoinhos de prazer deliciosos que escurecia meu cérebro. Mas eu sabia que tinha que ouvir Zack e Noah, eu precisava prestar atenção ao que eles estavam me dizendo. Então me sentei e tentei ignorar o desejo que o toque casual de PC foi acendendo em mim. Eu poderia dizer que Noah estava tendo um momento difícil para não rir. Foi Zack que finalmente falou. "Primeiro de tudo, PC, você tem que parar com isso. Você não tem ideia do que está fazendo para Miles agora. Ele não vai ouvir uma palavra que está dizendo.” Ele parou de mover seu polegar, mas não liberou minha mão. "O que você quer dizer?" Ele perguntou, parecendo um pouco irritado. "Os vampiros têm elevados sentidos apenas como você faz. Eu sei que você sabia sobre o nosso sentido de cheiro, e nossa audição, mas o nosso sentido do tato também é muito forte, amplificada de um ser humano normal. O contato físico de qualquer tipo registra cerca de dez vezes mais forte do que seria se ele ainda fosse humano. Miles é muito novo, mas seus sentidos já estão mudando. Vai ser estranho alguns dias para ele." "É por isso que o ar se sente assim... real?"

247


"Sim",

respondeu

Noah. "Você

vai

se

acostumar

com

isso

eventualmente, mas agora é muito desorientador. Tudo o que toca a sua pele vai se sentir mais. É difícil explicar, mas eu acho que você obtém-no já." Concentrei-me no calor da pele de PC em torno da minha palma. "Então, se isso é o que de mãos dadas sente, então..." Então eu percebi que eu tinha acabado de dizer em voz alta e fiquei vermelho. Noah e Zack começaram a rir. "Sim", Zack respondeu de forma sucinta. "Só espere." Eu ainda estava envergonhado, mas um flash de calor eletrocutou através de mim. "Então, o que vai acontecer comigo? Eu já sou um vampiro?" "Sim. Bem, na maior parte. Você não obteve uma enorme dose de veneno por isso provavelmente vai demorar uma semana ou mais para que a mudança aconteça completamente. Seus sentidos vão ficar mais fortes, a luz do sol vai começar a doer mais e mais." Ah merda. Luz do dia. Eu estava tão preocupado em perder PC que eu nem sequer considerei o resto da minha situação. "Eu ainda tenho um mês do primeiro trimestre para terminar. O que eu vou fazer com a aula?" "A noite?" Zack sugeriu. "Vamos pensar em alguma coisa. Você vai ter que ficar com as classes trocadas para o próximo trimestre."

248


"Sim. Eu acho que a faculdade não é a prioridade número um para um novo vampiro." Eu ri para mim mesmo. "Depois das últimas semanas, a aula está começando a se sentir como mais problemas do que vale a pena, de qualquer maneira." Se eu só tinha vindo para Nova York para encontrar PC, o que eu estava fazendo perdendo tempo e dinheiro recebendo esse grau? Especialmente, com as complicações recém-adicionados. PC me beliscou. "De jeito nenhum. Você estará graduando. Eu não quero que a sua mãe me odeie antes mesmo de conhecer." Ah, Merda. Mamãe. Eu percebi que, provavelmente, ia ter um monte de momentos 'oh merda‟. Eu também sabia que eu ia ter que lidar com eles um de cada vez, em vez de surtando sobre muitos detalhes que estavam principalmente fora do meu controle de qualquer maneira. Ainda assim, se eu não contasse a minha mãe, como ia ser realmente estranho quando fosse visitá-la em San Diego, onde em todos os lugares, o sol estava fora a maior parte do tempo. Eu não queria ela fora da minha vida, mas eu também não sabia como eu estava indo para dar a notícia a seu e... "Terra para Miles... Olá?" Eu ri timidamente. "Desculpe, apenas pensando." "Está bem. Você vai se distrair um lote por alguns dias. Seu cérebro vai tender a querer pensar em um milhão de coisas ao mesmo tempo. É outra parte de ser um vampiro você vai precisar se acostumar. Noah chama de desordem de atenção do recém-nascido. Você vai ter que trabalhar em se concentrar."

249


"Sentidos aguçados. Então, espaçar para fora, sem luz solar, o que mais?" "Você está certo. Nós realmente temos que passar por cima das regras. Não quero que você se machuque acidentalmente." "Sim, nem eu. Quais são as principais?" "Sol muito limitado é o maior deles. Ele não vai matá-lo imediatamente, mas vai doer muito mal. Você pode sair na chuva durante o dia. Nublado é um pouco mais duvidoso desde a luz solar ainda se infiltra através do que é difícil de avaliar. Você não deve comer comida, mas você não vai querer de qualquer maneira. Tem cheiro nojento. Você verá. Hum, nada de sangue lycan, ou qualquer outro sangue sobrenatural apenas para estar seguro. Você provavelmente não vai querer isso também. Nós tendemos a não gostar do que é mau para nós. Conveniente." "Prata?" Noah ergueu a mão esquerda. Ele tinha um anel de prata bonito trançado em seu dedo. "Isso é besteira, obviamente. A prata é boa." "Prata não me magoa", acrescentou PC. "Tanto quanto eu sei não faz mal a ninguém." "Então sangue lycan é ruim para mim..." Eu não quero perguntar o resto da minha pergunta. Deus. Embaraçoso. "Uh, o que dizer... hum?" Eu gaguejei sobre isso. Noah sorriu. Ele descobriu. "PC?" Noah apontou para ele como se ele quisesse PC para responder.

250


"Está tudo bem, querido. Um dos anciãos lycan é acoplado a um vampiro. Nosso sangue é a única coisa que é ruim para você e o mesmo com seu veneno. Todo o resto parece ser inofensivo." Deixei escapar um longo suspiro, muito aliviado sem me preocupar em estar envergonhado. "E sobre estacas no coração?" Senti-me estúpido em perguntar, mas eu tinha que saber. "Eu acho que uma estaca no coração mataria praticamente qualquer coisa,

nós

incluídos. Nós

somos

imortais,

na

medida

em

que

o

envelhecimento vem, mas estamos em nenhuma maneira impermeável. Bem, isso não é verdade. Nossa pele cura muito rápido, então facas não são assim tão perigosas. Mas tocando nos órgãos internos. Eles não curam tão rápido. E mantenha o material afiado e as balas longe de seu coração." Eu balancei a cabeça. Eu esperava ser um pouco mais invencível, mas eu não retirei o envelhecimento e obtenção de estar com PC para sempre e ser feliz com ele. "E nós não nos transformamos em morcegos ou alguma coisa?" Noah caiu na gargalhada. "Não a última vez que verifiquei." "Não se sinta mal, Miles," Zack me disse com um sorriso. "Eu queria perguntar isso também. Ele não deveria rir." Zack enfiou Noah no estômago. "Desculpe, foi engraçado." Ele me deu um sorriso rápido. "Vamos precisar para que você obtenha um pouco de sangue muito em breve. Isso ajuda com a transformação mais rápida, mais seu corpo tem sido através de um lote em apenas uma hora ou assim e sempre precisamos de sangue

251


quando estamos fracos. Nós vamos ter que sair desde que você não pode exatamente beber de qualquer um de nós." Você vai precisar de um pouco de sangue. Eu balancei a cabeça, como se fizesse todo o sentido. Isso tinha sentido de certa forma, como ele teria se eu estivesse escrevendo-o em uma das minhas histórias. A parte que ainda me deixou cambaleando foi que não era uma das minhas histórias. Ele estava acontecendo comigo. Eu finalmente estava me acostumando com o fato de que eu estava indo para ser transformado em um lycan, correndo pelas ruas à noite com PC ao meu lado. Pelo menos, eu tinha sido usado principalmente para ele, preparado para um determinado grau. Isto... bem isto ainda parecia muito, muito impossível. Eu adorava Zack e Noah e as meninas, e era bom que eles eram vampiros, mas isso não parecia realidade ainda que eu também era. "Miles?" PC parecia preocupado. "Ei, é uma responsabilidade muito grande, mas você vai ficar bem, ok? Nós vamos ter certeza disso. Todos nós." "Eu sei, e eu acho que eu estou bem com isso. Quer dizer, eu não tenho muita escolha, mas posso ficar bem com isso. Isso só não me parece real. Eu continuo dizendo isso na minha cabeça, mas quase me sente bobo." Zack sorriu. "Será. Quer dizer, eu ainda penso em mim como Zack de antes eu nunca penso em mim como um vampiro. Vocês realmente não são diferentes, apenas algumas das suas realidades físicas mudaram um pouco. Não fique muito preso nos rótulos." "Por que isso aconteceu comigo? Não estou reclamando, eu realmente não entendo. Por que esse vampiro optou por me morder? Eu não sou sem-

252


teto, eu estava com dois vampiros. Isso foi o mais estúpido tempo possível para atacar alguém. Qual poderia ter sido a sua razão?" PC baixou a cabeça, sua voz calma e triste. "Eu já sei a resposta para isso." Todos olharam para ele bruscamente. Ele respirou profundamente e levantou a cabeça para olhar para mim.

253


Capítulo 14 O Rei Lobisomem. O silêncio na mesa era pesado e demorado. Todos nós nos recuperando das implicações do que PC tinha acabado de dizer. O ataque parecia aleatório, sem sentido, mas não foi. Ele disse que eu ser mordido foi um terrível acidente e agora eu entendi o que ele quis dizer. Foi um acidente que tinham me mordido, porque a mordida era para ele. Alguém lá fora, queria PC morto. "Por quê? Quero dizer, como você sabe disso?" "Quase no segundo em que Zack me chamou para me dizer o que tinha acontecido a minha mãe recebeu uma mensagem em seu telefone dizendo que eu tinha sido morto. Vi-o e sai correndo, tentando chegar aqui tão rápido quanto possível. Eu estava tão preocupado com você que eu realmente tive muita sorte que eu não me transformei na esquina da 73 ª e Lexington." "Mas quem enviou a mensagem? E por quê?" Essa parte ainda não fazia sentido. PC sacudiu a cabeça. "Eu estive tão focado em ficar com você, certificando-me de que estava tudo bem que eu não tinha sequer pensado sobre as implicações disto. Quero dizer, isso tem de estarem ligados de alguma forma, os assassinatos de vampiro, o ataque. Mas eu não sei como ou por que." "Nós vamos descobrir isso," assegurou Noah a PC. "As chances são de que quem quer que seja irá se apresentar em breve de qualquer maneira. A

254


questão permanece. Por que você? Você não tem pegado muitos patifes ultimamente, vampiro ou qualquer outra coisa. Eu não entendo." "Nem eu", respondeu PC. "O que aconteceu com o vampiro?" Eu estava quase com medo de fazer a pergunta. Noah parecia que ele não queria responder. "A sério? Eu sou um de vocês agora, não sou? Você não tem que esconder informações de mim." "Você era um de nós desde o primeiro dia", Noah me disse. Meu peito estava todo cheio e borbulhante. Eu não poderia ajudar o meu sorriso. Ele ainda parecia um pouco envergonhado, apesar de tudo. "Eu, uh, o matei. Eu conversei com ele e ele não estava me dando respostas. Eu fiquei bravo." "Então ele está... fatalmente morto?" "Sim. Eu fico muito irracional quando as pessoas que me importam se machucam. Além disso, ele já tinha descoberto que você não era um Lycan e teria ido de volta para quem o contratou. Esse tipo de notícia é melhor não deixar ser entregue.” "Não importa," PC disse: "Eu teria caçado o bastardo até os confins da terra se você não tivesse..." Só então o telefone de PC tocou. Ele tirou-o do bolso e estava prestes a silenciá-lo quando viu quem estava no identificador. "Ei, escutem é a minha mãe. Pode ser importante." Ele abriu o telefone.

255


"Mãe, oi. Há notícias? Não, Miles está bem... Sim, eu vou dizer a ele." Ele apertou minha mão e ouviu silenciosamente o que parecia ser eternamente, os olhos ficando gigante. "Só podes estar a brincar comigo. O que nós vamos fazer?" Quando PC desligou ele olhou com a aparência de chocado. "O que aconteceu?" Ele estava me apavorando. Eu nunca tinha visto ele assim. Parecia que ele estava tendo um momento difícil para falar. Então ele respirou fundo e disse duas palavras em voz baixa: "Andrian Silivasi." Zack e Noah ambos compreenderam imediatamente. Seus olhos se arregalaram,

bem

e

Zack

tomou

um

fôlego

bruscamente. Esperei

pacientemente por alguém para me dizer o que, ou melhor, quem essa pessoa, Andrian Silivasi, era. Achei que ele era um problema; seus rostos não deixaram muita dúvida. Houve um longo momento de silêncio, três cabeças cheias de rodas de fiar. Finalmente, eu não podia levá-la por mais tempo. "Ok pessoal, utilizaram o ser humano sentado aqui. É alguém que vai encher-me?" PC respirou fundo e segurou a minha mão à boca como se fosse de alguma forma fazê-lo sentir-se melhor tê-lo lá. Depois a baixou e começou a falar. "Andrian Silivasi é o líder dos lobisomens. Ele odiava os lycans desde praticamente o início dos tempos. Parece que ele finalmente fez o seu

256


movimento. Nós estivemos esperando por ele para tentar algo como isto há séculos." "Ele fez isso?" Fiz um gesto para mim, mas eu quis dizer tudo: os assassinatos, a tentativa de ataque a PC. "Sim, e muito mais. Acontece que eu não era o único alvo. Nem mesmo perto. Do outro lado da cidade, e nós estamos assumindo outras cidades, bem como, de alta patente crianças lycans foram tomadas, mataram os filhos e filhas de anciãos, aqueles em linha para o escritório. Nenhuns dos anciãos foram atacados, somente aqueles perto deles. Foi concebido para incitar a violência... era um ato de guerra." "Então os outros estavam realmente mortos." PC assentiu. "A maioria deles está. Não muitos foram tão afortunados como eu." Ele pareceu perceber que sorte provavelmente não foi a melhor escolha de palavras. "Eu não quis dizer... Desculpe amor." "Não, PC, está tudo bem. Nós tivemos sorte. Nós dois. Se me tornar um vampiro salvou sua vida, eu faria isso mil vezes mais uma vez. Não se desculpe." "Ele deve ter dito que eu estou sempre com esses dois." Ele apontou para Zack e Noah. "Além disso, você foi visto com Zack naquela noite, em que fomos à caça. E o vampiro me cheirou em você." "Oh, Jesus. Agora o comentário lycan faz muito mais sentido," Noah meditou. "E por causa desse erro, Miles é um vampiro agora." Ele não disse as palavras, mas seu rosto me disse que ele estava colocando a culpa sobre ele.

257


"Eu lhe disse para parar de pedir desculpas. Estou feliz que eles cometeram um erro. Isso é péssimo, mas valeu a pena. Eu morreria se eu perdesse você." Saiu da minha boca antes que eu percebesse o quão sentimental e embaraçoso parecia. Deus, o cara finalmente acabou de admitir que ele quisesse estar em um relacionamento com você e você está indo todo 'até que a morte nos separe‟ sobre ele. Excelente forma de assustá-lo. Antes que eu pudesse me refazer também, PC me deu um olhar suave e me beijou, aparentemente, nem mesmo preocupado remotamente que seus dois melhores amigos estavam sentados do outro lado da mesa e sorrindo acotovelando-se. Eu não estava muito preocupado ou porque eu estava ocupado com a fiação das ondas de choque de prazer que travaram através de mim. Finalmente, Noah limpou a garganta. "Estou feliz que vocês dois estão ambos bem, mas será que podemos voltar para o rei lobisomem?" PC teve que parar de me beijar porque ele começou a rir. "Por favor, não deixe nunca minha mãe ouvi-lo chamá-lo assim! Ela, junto com a maioria dos outros lycans, pense dos lobisomens como cães. A ideia de que eles poderiam ter um rei soaria absurda para ela". "E você quer saber por que eles atacaram?", Eu murmurei. "Eu disse que os lycans eram esnobes terríveis. Eu não estou defendendo-o. Embora eles sejam minha família. E caras, por agora, pelo menos, não há nada que possamos fazer sobre isso. A guerra fria que está acontecendo entre os lycans e os lobisomens acontecem a centenas de anos e

258


vampiros realmente não tinham nada a ver com a gente. Eles não gostariam de interferir." "Você tem certeza disso?" Perguntou Noah. "Sim. Tenho certeza. Seria irritar o inferno fora deles para ter os garotos destemidos interferindo em sua manobra política." "Os garotos destemidos?" Noah parecia irritado com a ideia. Justificadamente em minha opinião. "É assim que eles nos veem; como meninos que jogam de detetive e tentam salvar o dia. Eu disse que os anciãos são bastante impossíveis de tolerar a maior parte do tempo. Eles irritam a merda fora de mim. Apenas deixe ir." Zack colocou a mão na parte de trás do pescoço de Noah. Foi um gesto calmante muito necessária. Noah parecia que ele estava prestes a perdêlo. Não demorou muito para o limite falar mais alto. PC estava prestes a dizer algo quando Noah interrompeu. "Você sabe o que? Danem-se eles! Eu não vou deixá-lo ir. Posso não ter ido a caça, desde que esses cães velhos sarnentos estivessem vivos, mas há um monte de seres humanos mortos e cabe a nós limpar essa bagunça. Eles podem beijar meu traseiro se eles acham que eu vou fazer uma reverência e andar atrás das cortinas!" PC fez um barulho de asfixia. "Cães velhos sarnentos? Eu acho que eu gosto de você quando você está chateado." "Bem, isso é besteira! Concordo que a coisa entre os lycans e os lobisomens está parcialmente fora do nosso campeonato, já que é

259


principalmente política e vem acontecendo sempre, mas está nos afetando." Noah apontou para mim. "Você não acha que o torna o nosso negócio?" "Sim, e você teve que cuidar do vampiro que mordeu Miles. Concordo que temos de lidar com as mortes humanas, mas realmente o passo entre o conselho lycan e os lobisomens? Não é uma boa ideia e, provavelmente, muito perigoso." Noah ficou boquiaberto com PC. Presumi que se afastando de uma luta (ou se recusando a algo perigoso) era tão fora do personagem para ele como se aconchegar publicamente tinha sido. "Então você está realmente pedindo-nos para não se envolver? O conselho pode sugá-lo, tanto quanto eu estou preocupado, mas se você quer que a gente fique fora disso eu vou fazer isso. Por você." PC suspirou. "Eu acho que provavelmente será melhor se nós deixá-los brigar." "Por enquanto," Noah qualificou. Eu estava pensando enquanto eles falavam, tentando remendar a coisa toda em conjunto. "Então todas essas mortes, se fossem um aviso para os lycans. Qual foi o ponto do aviso?" "Eu não chamaria exatamente que um aviso", respondeu PC. "Mais como uma postura. Silivasi queria que soubéssemos que ele tem os vampiros do seu lado, pelo menos alguns deles." Noah falou novamente. "E se a gente chegar aos outros, vampiros que vai nos ajudar, caçadores como Colin."

260


PC riu e imitou a olhar para um relógio. "Ficando de fora durou cerca de trinta segundos. Isso poderia ser um recorde de velocidade na terra, mesmo para você. E realmente, Noah? Você quer ter os humanos envolvidos? Merda, isso é ainda pior do que nos olhos do conselho. Não. Eu já disse, temos que deixar o negócio lycans com isso. Se eles quiserem ajuda, eles vão pedir." Noah balançou a cabeça lentamente, obviamente, ainda detestando a ideia de sentar e deixar as coisas acontecerem. Nós tínhamos nos mudado para os sofás da sala. Eles ainda estavam conversando, tentando descobrir como lidar com as mortes humanas sem pisar no pé do conselho lycan, mas eu tinha perdido toda a capacidade de prestar atenção ao que todos estavam dizendo. Eu mal compreendi a essência do que estava acontecendo. PC tinha começado a alisar meu braço novamente, distraidamente, enquanto ele estava ouvindo algo que Zack havia dito. As pontas dos dedos viajaram em um caminho longo e lento entre meu pulso e meu cotovelo, circulando languidamente, distraidamente. Cada parte do meu corpo estava em chamas. O simples toque tinha me excitando. Meu pulso estava correndo; Eu podia sentir o calor subindo em minhas bochechas. Jesus era apenas meu braço! Tentei distrair meu corpo reagindo ao toque de PC para eu não me envergonhar. Isso não estava funcionando. Eu finalmente falei durante um curto silêncio. Não havia nenhuma maneira que eu pudesse ficar em público por mais tempo com ele me tocando como ele estava fazendo. Eu estava prestes à porra de perdê-lo. "Podemos ir para casa, PC? Eu tenho muito em que pensar." A minha pergunta foi tranquila, mas facilmente ouvida por todos.

261


Zack deu uma boa olhada no meu rosto e riu. "Pensar, não é? É como as crianças estão chamando-o? PC, o que eu te disse sobre tocar Miles? Ele está prestes a explodir por lá." PC olhou para o meu rosto e sorriu. "Talvez devêssemos ir para casa.” "Uh, ainda não. Precisamos obter um pouco de sangue para Miles muito em breve. Ele vai ficar doente se não o fizermos." O pensamento de sangue fez a minha boca explodir. Hum, sangue delicioso molhado. Ele veio instintivamente, o pensamento de tudo o que espirrava vermelhidão quente na minha garganta. Eu tinha que admitir que isso me chocasse; Eu estava um pouco em conflito sobre a ideia. O ser humano que ainda estava à espreita no meu cérebro estava muito revoltado, academicamente, pelo menos. Eu ainda não tinha comido carne vermelha desde que eu tinha uns doze anos e agora eu estava cobiçando sangue? Mais uma vez, era algo que eu sabia que tinha que estar bem com isso. Eu morreria se eu escolhesse ser teimoso. Oh bem, quando em Roma. Eu tinha que tê-lo, e enquanto a pessoa não estivesse ferida, então eu imaginei que eu realmente não me importava. O sofrimento dos animais sempre foi um dos meus argumentos contra comer carne que não seja o cheiro de carne bruta. Ugh. Imaginei que eu tinha que lidar com beber sangue, e moralmente, não era tão ruim assim. Recusei-me realmente a gostar dele, embora. Era apenas para sobreviver. Certo? Sim, isso foi um monte de porcaria. O segundo em que eu tive meus dentes no pescoço do perfumado (e posso dizer quente?) cara que Noah escolheu para mim, percebi o quanto eu gostava. Parecia sedutoramente novo

262


e ao mesmo tempo como algo que eu estava fazendo a minha vida inteira. Gostei disso? Eu amei. Em um esforço para acelerar a minha viagem para casa, eu concordei em ir com Zack e Noah, e meu namorado muito impaciente, ao Red, o bar de vampiros. Para beber o sangue de alguém. Jesus. A última vez que eu estive lá, eu tinha sido um lanche em potencial. Ainda era uma viagem para perceber que eu estava indo para ser um dos que procuram algo para fazer um lanche. PC ficou todo grosseiramente adorável com a idéia de me ver chupar o pescoço de um cara aleatório. Eu poderia ter dito a ele que não havia uma única pessoa no mundo que eu queria tocar para além dele, mas era muito divertido observá-lo esfumaçar. Ele já sabia disso de qualquer maneira. Não teria feito diferença se eu dissesse isso em voz alta. Ele ainda me quer. Toda vez que eu pensava nisso, eu não poderia ajudar o meu sorriso enorme. A ligação foi embora e eu era um vampiro, mas ele ainda queria me tocar, estar perto do meu lado, olhando para o relógio direto e pra qualquer um até que o peguei me olhando no lado da cabeça. Eu provavelmente deveria ter me irritado, mas eu adorei. Eu abracei perto dele toda a corrida de táxi, que não foi muito difícil uma vez que havia quatro de nós que fomos empurrados para o banco de trás do nosso táxi muito colorido. "Você bebe um pouco de sangue, em seguida, vamos para casa, certo?" Ele sussurrou antes de arrastar seus dentes para o lado do meu pescoço. Engoli em seco e apertou minhas coxas juntas para esconder minha ereção quase instantânea. "Sim. Casa", eu concordei.

263


Eu nunca tinha passado tanto tempo no meu apartamento antes. Foi incrível a diferença que um habitante fazia. Agora eu amava estar lá. Eu nem sequer perguntava se estávamos indo para o seu lugar. Assim, uma bebida rápida para fazer Zack e Noah felizes então poderia ir para casa. Sozinho. Eu tremi. A busca de um ser humano compatível foi curta. Eu era novo e muito inseguro de mim mesmo, então eu estava feliz para provar qualquer coisa que Noah trouxesse no meu caminho. Eu não parecia ser como Noah, que só gostava do sabor dos homens, ou como Zack que preferiam mulheres. Meu gosto, ou, pelo menos, o cheiro, até agora parecia ser individual. Havia homens que cheirava fantástico e outros que cheiravam oleosos e pouco atraentes e de algum modo mais... Sangrentos. O mesmo era verdade para as mulheres. Havia um cheiro mais leve para algumas delas, e isso me atraia muito mais. Noah encontrou-me um cara, que passou a ter esse cheiro mais leve que eu estava atraído. Depois de uma breve lição sobre etiqueta, liderado por Noah, com algumas interjeições de Jerry (o meu lanche), eu hesitante lambi seu pescoço, uma vez que Noah disse que a minha saliva iria ajudá-lo a se sentir melhor para ele, e então eu o mordi. Meu plano de apenas beber o suficiente para sobreviver sem matá-lo a merda em cerca de um nano segundo. O sangue era delicioso e sexy e primal e isso me fez querer arrastá-lo para o chão e beber até que eu explodisse. Eu amei o poder puro que o sangue me deu, a emoção visceral. Eu podia sentir seu coração bater, cada bombeada vigorosa enviava prazer quente inclinando em direção ao fundo da minha garganta. Ele agarrou a parte de trás da minha

264


cabeça, dedos enfiando no meu cabelo e me puxou para mais perto. Eu queria mais, queria continuar a beber. Mas eu sabia que não podia. Eu gentilmente puxei minhas presas em seu pescoço, ainda maravilhado com o fato de que elas existiram em tudo, então eu rodei a minha língua em torno das pequenas perfurações para tomar um último gosto de sangue e ajudá-lo a curar. Eu finalmente me afastei e lambi os lábios mal notando que o quarto em torno de mim, cheio de humanos e vampiros e música e brilhantes luzes roxas. Tudo o que eu vi foi PC. E, porra, eu estava ligado. Eu deixei de lado o cara e agradeci-lhe. Antes que ele desse cinco passos eu puxei PC para um beijo longo e quente. Eu não poderia ajudá-lo. Eu precisava dele. "Foi tão ruim assim?" Eu sussurrei quando vim à tona para respirar. Mordi o lábio inferior mais uma vez porque era exatamente isso irresistível. "Sim, eu odiei. Mas você estava sexy como o inferno ao mesmo tempo. Apenas desejo que você pudesse fazer isso para mim." Cheirei experimentalmente. Não, não queria mordê-lo. Ele cheirava incrível, mas o namorado incrível, não comida surpreendente. Eu estava feliz para provar sua pele e acaricia-lo e inalar. Fiz exatamente isso por alguns momentos, respirando-o e amando-o. Seu cheiro aumentou a excitação que já estava batendo no meu corpo. "Posso ir para casa agora?" Eu perguntei a Zack, falando sobre o ombro de PC. Por favor, antes de fazer um espetáculo muito público de mim mesmo. Ele riu baixinho. "Sim, você pode ir para casa."

265


Capítulo 15 Traindo... Muito Fomos abraçados na parte de trás de um táxi, o mais próximo possível um ao outro como nós estivemos quando havia quatro pessoas esmagadas na mesma área. As ruas da cidade tinham se desobstruído, era quase quatro horas da manhã depois de tudo. Eu estava grato pela falta de tráfego e nossa sorte até agora por ter perdido todas as sempre-longas luzes vermelhas dos semáforos. Tanto de nós desesperadamente necessário para chegar a casa. Eu não sabia exatamente o que iria acontecer quando chegássemos lá, mas eu sabia que seria diferente. Não apenas por causa dos meus novos sentidos de vampiro, mas porque, pela primeira vez PC iria me tocar, porque ele queria. Tudo por conta própria. Eu acariciava seu braço com meus dedos, amando a textura de sua pele quente, o forte impulso de seu sangue. "O Conselho ainda aprova de nós estarmos juntos?" Perguntei à toa, ainda bêbado demais fora do meu primeiro impacto de sangue para pensar sobre se é ou não era o melhor assunto para abrir. PC me deu um pequeno sorriso estranho. "Claro. Por que não?" "Isso não é óbvio? O vínculo está quebrado, eu sou um vampiro. Será que precisamos de mais razões para eles para não estarem bem com isso?" "Isso não importa, eu garanto. Além disso, não é escolha deles com qual companheiro eu quero acasalar de qualquer maneira. Eles só precisam

266


aprovar quem se transformará em um lycan. Desde que não vai ser você, estamos agora oficialmente em nenhum dos seus negócios." Eu tentei não ficar muito animado que ele ainda usou a palavra companheiro. "Oh. Assim, então, você ainda quer continuar com isso?" Ele disse que queria ficar comigo. Isso não quer dizer que ele queria o casamento. Ele se inclinou sobre o assento de táxi e me deu um longo beijo. Um beijo que me deixou sem fôlego e que dizia tudo por si só já. "Sim, eu ainda quero, bebê. Eu te disse. Nada mudou para mim. Você apenas tem algumas restrições dietéticas que você não costumava ter, isso é tudo o que é diferente, certo?" Ele acariciou meu pescoço, rindo, e atirou a minha perna sobre a dele. "Sim, exceto pelo problema menor do vínculo que faltava... e, claro, há sempre o seu ódio categórico de todas as coisas relacionadas a compromisso que deve ter se elevado sobre sua cabeça feia agora que o imprinting não existe mais." "Escute, Miles, sobre isso..." Ele passou a mão sob minha camisa para acariciar um mamilo sensível. Meu corpo explodiu em ondas de prazer. Eu bati em sua mão. "PC, estamos em um táxi! Comporte-se!" "Hum." Ele não estava escutando. Eu realmente não queria que ele parasse de qualquer maneira. "Uh, PC?" Mais uma facada na racionalidade. "Se não estamos sendo acasalados como planejado, então nós ainda temos que seguir as suas regras?"

267


Ele resmungou baixinho contra o meu pescoço. "Foda-se as regras. Eu preciso de você." "Sério?" "Sério" Oh! Meu Deus, oh meu Deus. Abri a porta do apartamento tremendo e sorridente. Eu não podia acreditar que ele foi finalmente cedendo... não, não ceder. Isso iria fazê-la parecer como se eu tivesse pressionado ele. Ele disse isso por conta própria. Eu preciso de você. Apenas o pensamento dessas três palavras faladas baixo fez a minha coluna arrepiar. Eu precisava dele, também. Ele tinha vindo há apenas algumas semanas, mas eu senti como se tivesse esperado a vida inteira para finalmente tê-lo tornando-se uma parte de mim. Ele fechou a porta com força e me empurrou contra a parede apenas no interior. Sua boca estava na minha garganta, coxa pressionada entre as minhas. Foi apenas o suficiente para me deixar louco. Revirei os quadris tentando aumentar a pressão e gemi quando ele chupou a pele do meu pescoço entre os dentes. Enfiei minhas mãos entre nós e comecei a desabotoar a camisa, desesperado para me livrar das roupas irritantes que estavam me impedindo de sentir sua pele contra a minha. "Camisa. Fora", ordenei, puxando a bainha logo que minha camisa tinha atingido o chão. Ele levantou os braços com um sorriso e me puxou para ele assim que ele estava livre. "Amo sua pele, é tão macia e quente," eu gemi contra seus lábios. Eu não poderia obter o suficiente de tocá-lo. Eu passei

268


meus dedos para cima e para baixo em sua coluna, no cós da calça jeans e sobre a curva redonda de sua bunda sexy. Ele se empurrou mais perto de mim. "Eu amo como você me toca. Quero suas mãos em mim sempre." Sempre. Eu prometo meu amor. Realmente não foi diferente. A maneira como ele se sentiu tão perfeito contra o meu corpo, o quanto eu queria estar perto dele o tempo todo. Amor sentido, como quando estávamos ligados. Havia uma razão do porque eu sempre tive que contar os problemas que eu estava sentindo. Agora eu sabia. Eu o amava. Com certeza. E enquanto ele não tinha ido tão longe como a dizer o mesmo, pelo menos, eu sabia que ele me queria... Por hora. Eu levaria muito desde que eu pudesse tê-lo. "Eu quero você", eu sussurrei. "Eu quero que você, também, bebê", ele murmurou em resposta. "Preciso estar dentro de você agora." Engoli em seco e assenti. Eu não estava nervoso, apenas preenchido com a luxúria brilhando puro. Minhas mãos tremiam quando eu desabotoei as calças. Ele empurrou a calça jeans e cueca para baixo e afastou de lado, andando comigo do outro lado da pequena sala de estar para a minha cama. Parecia que foi anos atrás que nos tínhamos estado juntos na cama, quando na verdade só tinha sido na tarde anterior. Como as coisas mudaram desde então. Eu não tinha certeza por quanto tempo até que fossemos para o pior. Nós ainda estávamos juntos. E ele ia finalmente me levar para a cama para me fazer dele em todos os sentidos possíveis.

269


Ele me deitou, beijando meu pescoço meu peito, mordendo e sugando meus mamilos. "Você é tão bonito. Lindo, pele, músculos magros." Ele beijou a pele da minha barriga. "Suave em todos os lugares certos. Eu sinto que eu estive esperando por isso sempre." Então ele estava desabotoando minha calça jeans e beijando cada centímetro de pele que foi revelado quando ele puxou para baixo em minhas pernas e jogou de lado. Ele beijou meus joelhos, o interior das minhas coxas, chupava meus quadris até que eu tive a certeza de que haveria uma marca. Eu estava ofegante e me contorcendo na cama, amando seus beijos, mas querendo muito mais. Eu quase gritei quando ele pegou meu pau em sua mão e começou a lamber, traços suaves longo de sua língua a partir da base todo o caminho para a pele sensível ao redor do aro. Eu empurrei meus quadris para cima, tentando obter mais de sua língua, mais de sua boca. Ele separou seus doces lábios rosados e levou-me. Eu quase engasguei com a respiração afiada que eu consegui. Ele estava transando incrível. Não, incrível não descreve-o. Nada podia. Minha nova pele se deleitava com as deliciosas sensações, sentia cada nuance de sua língua, seus lábios. Só que rapidamente, eu podia sentir a minha corrida de corpo para um clímax que eu não estava quase pronto para sentir. "Hum, tão bom. Eu amo o seu gosto."

270


Um tiro de calor eletrocutou em toda a minha já insanamente ligada pele. "Venha aqui," Eu sussurrei, já mal conseguindo falar. Eu precisava senti-lo contra mim, ter o seu peso em cima de mim. O contato era necessário para sobreviver. PC rastejou sobre mim, descansando em seus cotovelos. "Oi," ele murmurou, logo que nossos rostos estavam próximos. "Ei." Eu não podia deixar de sorrir. Eu estava tão feliz. Eu envolvei os seus quadris entre as minhas coxas e arqueei-me, esfregando contra ele. PC se inclinou e me beijou, com lábios e língua e dentes suaves mordiscando meu lábio inferior. Eu não poderia obter o suficiente de seu gosto ou o calor sedoso de sua pele sob meus dedos. A ligeira pressão de sua ereção contra mim era familiar. Nós tínhamos estado lá antes, mas sempre tinha terminou em dor, metade satisfação. Não essa noite. Ele enfiou a mão entre nós, esfregando suavemente na minha entrada. Sim. Isso é o que eu quero. Você dentro de mim. "Bebê, você pode pegar o lubrificante? Eu quero prepará-lo para mim." Dei-lhe um processo lento, um sorriso melado e inclinei-me para fora de debaixo dele, me atrapalhei por um segundo na gaveta de minha mesa de cabeceira. Sem dizer nada eu entreguei-lhe a garrafa.

271


Suas mãos tremiam um pouco quando ele levantou a tampa e pingou o lubrificante escorregadio em todos os dedos, esfregando-os juntos e aquecendo o líquido. "Eu sinto como se eu o quisesse a minha vida inteira. Eu não acho que eu estaria nervoso." Sua voz era tão instável. Isso fez o meu coração pular. "Não fique nervoso. Nós fomos feitos um para o outro." Eu guiei a sua mão para onde eu mais precisava. Ele respirou fundo, em seguida, empurrou, deslizando o dedo indicador dentro de mim. Ele deslizou dentro e fora, me massageando e me esticando antes de adicionar um segundo dedo e afundando profundamente. Eu não sabia se era o instinto ou o culminar de horas praticando-o em sua cabeça, mas ele estava fazendo tudo exatamente certo, até mesmo melhor do que eu tinha sonhado. "Isso é bom. Bem desse jeito. Você se sente tão perfeito... deus, foda, mais profundo." Eu estava balbuciando. Não poderia ajudá-lo. Ele só fazia isso comigo. "Tão apertado... Mal posso esperar para estar dentro de você." Suas palavras, sua voz entrecortada sexy, e a forma como seus dedos estavam ondulando apenas indo direto e pegando minha próstata cada vez que eles se moviam me fez tremer. Era muito mais do que o que eu tinha imaginado o prazer rolando através de mim em ondas de felicidade. Eu não tinha ideia de que qualquer coisa que eu podia sentir como ele fez para tê-lo me tocando naquele doce jeito.

272


Eu empurrei e empurrei meus quadris, moendo para baixo em sua mão, querendo sentir mais, com medo de que eu iria perdê-lo antes da hora. Ele se inclinou e chupou meu pescoço duro. Não foi definitivamente vai ser uma marca. "Agora, bebê, por favor. Eu preciso sentir você. Você tem que estar dentro quando eu gozar." "Você está perto?" Engoli em seco e assenti quando ele esfregou contra a minha próstata mais uma vez. PC me beijou então, um beijo ganancioso e ofegante que era tudo o que eu amava. Então ele gentilmente tirou a mão de mim e estendeu a mão para o lubrificante. Ele parecia nervoso novamente, docemente incerto. Estendi a mão e segurou seu rosto, esfregando o polegar nos lábios. Então eu peguei o lubrificante dele e derramei um pouco na palma da minha mão. Eu acariciava sobre ele, tomando o meu tempo, querendo lembrar. "Quer enganar um pouco?" Sua voz era instável, mas ele sorriu. "Só um pouco," eu respondi e guiando-o de costas. Então eu coloquei minha coxa sobre seus quadris e com os meus olhos nos os seus e uma mão apoiada no peito eu lentamente comecei a baixar-me para baixo. "Lento, lento, lento," murmurei quando ele bateu seus quadris para cima um pouco demais. "Desculpe." Ele gemeu e fechou os olhos. "Você se sente muito bom."

273


"Está bem. Espere por mim." Ele apertou a mandíbula e observou enquanto eu o levei polegada por polegada lento, parando e iniciando, puxando para trás, em seguida, empurrando novamente até que ele foi enterrado todo o caminho dentro de mim. "Oh meu deus," ele gemeu, cobrindo as mãos com seu e empurrando para cima com os quadris. Mexi um pouco para me acostumar com a plenitude dele dentro de mim. "Você está bem?" Eu poderia dizer que era difícil para ele falar. "Sim." Eu movimentei-me novamente, levantando-me e empurrando de volta para baixo. Doeu muito, eu estaria mentindo se eu dissesse que não, mas a pressão era bem intensa e o conhecimento de que era PC dentro de mim, enchendo-me, e me fez gemer. Ele estava finalmente onde eu queria que ele estivesse para o que parecia ser uma vida. Eu me inclinei para trás um pouco e me movimentei novamente, inalando acentuadamente quando ele colidiu com a minha próstata. "Definitivamente, tudo bem," eu gemi, rindo sem fôlego. Ele me deu um sorriso íntimo e sentou-se para me beijar. Eu passei meus braços em volta dos seus ombros e movimentei meus quadris para trás e para frente, levantando e baixando, estremecendo enquanto eu tinha um pouco de aventura. O trecho sentia bem; Eu gostei da plenitude, a dor recuando misturada com prazer selvagem. Eu estava começando a conhecer seu corpo e o meu dessa nova maneira, aprendendo todas as melhores maneiras de se sentir.

274


"Tão bom bebê... Deus. Eu não tinha ideia." PC me beijou novamente aprofundando em minha boca, contraindo os seus quadris, e ficando tão profundamente quanto podia. Nós ficamos assim por um longo tempo, beijando, movendo-se em pequenos círculos, dirigindo o outro insano, tremendo e apertando, mas nunca mergulhando ao longo da borda. Era uma tortura; isso era com certeza. Mas foi o momento mais quente da minha vida até agora e eu não queria que isso acabasse. Ele alcançou entre nós e envolveu sua mão ao redor da minha ereção quase dolorosa. "Oh, não é justo", eu respirei. "Eu estou indo para vir, se você fizer isso." "Sim?" Ele me acariciou com firmeza. "Eu quero senti-lo vir. Eu quero saber que é" Meu corpo tremia e eu coloquei minha testa em seu ombro. "Tão perto, PC. Vai vir se..." Era tarde demais. Estava acontecendo, na explosão tombos de prazer que me cegou. Eu joguei minha cabeça para trás e gritou, agarrando seus ombros e moendo meus quadris com força suficiente para contusão. Ele gritou muito e agarrou-se a mim. Eu podia sentir seu calor enchendo meu corpo tremendo. Foi tão íntimo, tão perto, como um ato de reivindicação. Meu, meu corpo disse com cada arrepio apertando-o. Meu, sua resposta com o calor que estava me enchendo.

275


Levou um longo tempo para recuperar o fôlego. Quando finalmente estávamos sentados, eu no colo de PC, os braços enrolados em torno um do outro, ele ainda enterrado dentro de mim. Ele soltou um suspiro longo e algo que soou como uma risada. Então ele se inclinou e me beijou no peito, arrastando seus lábios até minha clavícula e meu pescoço. Nós acabamos cara a cara sorrindo um para o outro em silêncio. "Você lamenta que nós quebramos as regras?" Perguntei. "Sim, eu estou em conflito." Seu sorriso se tornou malicioso. "Quero fazer isso de novo?" Eu ri e segurei-o com força, sem querer se mover. Finalmente, a nossa pele começou a relaxar no ar da noite. Em vez de deitado, eu só puxei o edredom empurrado para o lado à nossa volta, fazendo uma tenda para nos manter aquecidos. "Miles?" Nós tínhamos estado em silêncio por alguns minutos, quase sonolentos, embora ainda estivéssemos sentados. "Sim?" "Temos que cobrir as janelas antes de ir dormir. Eu não sei o quanto o sol vai incomodá-lo já. Amanhã vamos obter as mesmas cortinas que Zack e Noah têm. Eles bloqueiam a luz suficiente para que você esteja confortável aqui durante o dia." "Ok. Podemos lidar com as janelas em um minuto. Eu não quero levantar ainda." "Sim, nem eu. Isto se sente muito bom." Ele encostou a testa na minha.

276


Era óbvio que nenhum de nós queria se mover. Nós apenas ficamos sentados lá em nossos casulos trocando beijos e toques quentes, sorrindo um para o outro em silêncio. Finalmente, PC falou. "Vamos lá, bebê, vamos cobrir as janelas e dormir um pouco. Eu tenho a sensação de que vamos ter algumas chamadas muito irritados vindo em nossa direção em algumas horas." Revirei os olhos e deu-lhe um último beijo antes descer as pernas e me levantar, envolvendo o cobertor em torno de mim. Definitivamente tempo para silenciar os telefones celulares...

277


Capítulo 16 Michael Komarov "Ok, me mostre os pontos fracos de um lobisomem de novo." A voz de Zack era paciente e gentil. Se ele realmente queria ir para o ensino, ele seria perfeito para isso... bem, exceto para as questões de luz do dia óbvias. Eu me forcei a não revirar os olhos. Ele estava apenas tentando ajudar, afinal de contas. "Zack, eu peguei nestas últimas quatro vezes que você me mostrou. Eu sou muito inteligente, sabe." Eu também estava cansado. Minhas pernas e braços pareciam que iam cair a qualquer segundo de todos os movimentos defensivos que eu tive que repetir, e apesar de minha inteligência professada, meu cérebro estava começando a doer. Havia tantos detalhes! "Eu sei que você é inteligente. Você é mais forte e mais rápido do que você costumava ser, também; mas você precisa aprender a usar o que você tem. PC me mataria um milhão de vezes se ele achar que eu deixei você despreparado." "Preparado para o que? Eu pensei que não estávamos indo caçar depois que descobrimos que os lobisomens estavam em guerra com os lycans. A última vez que verifiquei, nenhum de nós éramos lycans." Mesmo que eu deveria ter sido um.

278


"Sim, mas você está indo para ser acoplado a um lycan o que faz de você um alvo. Se eles soubessem o suficiente para supor que era PC só porque ele está sempre comigo e Noah, que eles eventualmente descobrirão quem você realmente é e o que significa para ele. Provavelmente em breve. PC quer que você esteja seguro. Você sabe como paranoico ele fica em cima de você.” "O que é adorável, mas ainda um pouco irritante." Fiz uma pausa e olhei para o relógio. "O que está levando-o tanto tempo de qualquer maneira? Eu pensei que era suposto ele estar aqui há uma hora." Zack sorriu. "Eu não sei o que PC fez, mas, aparentemente, ele está em um mundo de merda com os anciãos... para não mencionar a sua mãe." Eu podia sentir o calor subindo nas minhas bochechas. Oh, aquilo. Eu não podia acreditar que eles estavam levando isso tão a sério. Não os lycans tem coisas melhores para se preocupar do que se PC deve ou não ter relações sexuais comigo? "Eles ainda estão montando-o sobre a noite passada? Superem isso." Eu estava murmurando para mim mesmo, mas Zack ouviu-o imediatamente. Audição de vampiro maldito. Ele começou a rir. "Ok, o que aconteceu? Você, obviamente, sabe por que eles estão com raiva de PC e tem algo diferente em você hoje." Deus. Eu realmente tenho que dizer isso em voz alta? Eu me encolhi. "Os lycans são muito rigorosos, e ouso dizer antiquados, pontos de vista sobre como os casais acasalados devem se comportar antes de sua cerimônia de acasalamento."

279


Zack ergueu as sobrancelhas, como se dissesse: 'continue, por favor'. Ele ia me faça dizer isso. Merda. "Eles nos disseram que não estávamos autorizados a ter relações sexuais, ok?" Eu soltei. "Então todas essas semanas você tem estado..." "Eu tenho estado muito bem comportado. Não por escolha," eu resmunguei. "E na noite passada?" Revirei os olhos "Uh, quebramos as regras, é claro, daí a palestra maciça que ele provavelmente está ouvindo enquanto falamos." Zack sorriu para mim e me deu uma tapinha nas costas. "Posso dizer parabéns? Estou assumindo que valeu a pena todo o problema." O olhar sonhador que eu não poderia retirar de meu rosto, provavelmente, disse tudo. Zack riu. "Sim, valeu a pena." "O que valeu a pena?" Eu ouvi a voz de Noah da porta da frente. Ele entrou carregando sacos do Neiman Marcus. Eu nunca tinha posto os pés no lugar, nem eu nunca imaginei que eu iria. Apenas a idéia do quão caro as roupas eram fez meu coração disparar. "Oooh, o que você conseguiu?" Zack respirou animadamente, distraído dos meus problemas pelas bolsas brilhantes de roupas novas. Olhei para os meus próprios jeans e moletom, sentindo-me bastante simples. Zack geralmente não parece tão caro como Noah, mas ele tinha grande estilo.

280


Gostaria de saber se é melhor eu começar a trabalhar na minha aparência desde que eu era um deles. Um vampiro brechó de alguma forma não parecia muito bem. "Eu precisava de alguns jeans novos. E eu comprei-lhe estes." Noah tirou um jeans roxo super escuro com botão até que ficaria impressionante com a pele pálida de Zack e cabelo preto e uma camisola de gola V azul marinho com aparência suave. "Obrigado, querido. Vou ter que experimentá-los mais tarde." Ele tocou os lábios de Noah com um beijo suave. "Onde está PC? Nós deveríamos nos encontrar a cinco minutos atrás." "Ele está tendo a sua bunda fresada pelos anciãos." "Oh", Noah murmurou. PC conseguiu mostrar-se poucos minutos depois. Ele parecia um pouco envergonhado, mas ainda veio e me deu um longo beijo de saudação. "Ei, lindo." "Oi." Eu dei-lhe um sorriso tímido. Ele olhou para mim então, e eu podia ver que ele estava se lembrando de cada momento da noite anterior, assim como eu vinha fazendo desde que acordei mais cedo que tarde. "Foi muito ruim?" Ele revirou os olhos. "Eu tive uma grande palestra sobre a tradição lycan e como eu era suposto ser o único responsável por manter isso em nosso relacionamento. Ah, sim, e eu desgracei este distrito com o meu

281


comportamento irresponsável, bla, bla, bla. Eu acho que eles conseguiram usar a palavra responsável como uma centena de vezes." "Desculpe querido." Eu coloquei seu rosto em minhas mãos e beijei-o. "Não se desculpe," ele sussurrou. "Com você vale a pena ficar em apuros de novo." "Isso significa que estamos de volta para a forma como as coisas eram?" Eu acho que eu poderia viver com ela até a cerimônia. Eu não gostaria, mas eu lidaria. PC fez uma cara rebelde. "De maneira nenhuma. Eles podem empurrar a tradição em suas bundas. Um de nós poderia ter morrido na noite passada por causa dos lycans malditos e sua rivalidade com os lobisomens. Se isso acontecesse nunca teríamos tido a oportunidade de estarmos juntos. Eu não estou dando a mínima para algumas regras que eu não tinha parte na decisão. Minha mãe vai ter de entender." Ele olhou para cima para ver Zack e Noah esperando por nós. "Então, nós estamos pronto para ir?" Eles acenaram e eu atei meus dedos por PC e fomos até a porta.

"Quem vai estar lá?" Perguntei. Estávamos andando do apartamento de Zack e Noah ao apartamento de PC. Cada bloco eu ficava um pouco mais nervoso. Os anciãos lycans tinham pedido uma reunião com PC e os outros para discutir as informações que eles reuniram quando eles estavam investigando os assassinatos de vampiros. Meu plano era manter minha boca fechada e ouvir. Eu não sabia muito sobre a investigação e eu ainda estava um pouco preocupado sobre estar em apuros.

282


Ia ser estranho olhar os lycans na cara sabendo que eles ficaram chateados sobre o que PC e eu tínhamos feito. Honestamente, era ruim o suficiente que eles soubessem o que tínhamos feito em tudo. Eu podia jurar que senti seus olhares de desaprovação de toda a maneira para baixo do prédio. "Só vai ser minha mãe, meu tio Roman, e Michael Komarov." Ele estremeceu com o último. "Quem é este?" "Ancião líder. Ele é um grande idiota tenso que é tudo sobre valores lycan tradicionais. Ele estava muito chateado comigo hoje, mas eu consegui convencê-lo de que a coisa toda foi ideia minha e você protestou." Eu gaguejei um pouco, em seguida, empurrei-lhe o peito. "Ele vai saber que não é verdade no segundo que ele me vê olhando para você. Agora eu estou tentando chegar a uma razão para não arrastá-lo para baixo na rua para o meu lugar e começar tudo de novo." Ele sorriu. "Ei, eu já tenho problemas por isso certo? Poderia muito bem ter um pouco mais de divertimento. Vamos." Eu me agarrei a ele e murmurei "mais tarde", pois ele abriu a porta de seu prédio. Ele apertou minha mão e começamos a subir as escadas para o piso superior. "Como eles sabiam de qualquer maneira? Fazia sentido antes, quando eles podiam sentir mudanças no vínculo, mas agora? Como eles podem dizer o que devemos fazer?" Zack se virou para trás e olhou para PC com as sobrancelhas levantadas. Ele me deu um olhar um pouco desconfortável. "Eles só podem."

283


"Ok, meu cérebro não derreteu todo o caminho na noite passada. E um de vocês vai me dizer o que era aquele olhar, sobreo que era?" "Não é nada, querido. Nós vamos falar sobre isso mais tarde." Eu me surpreendi fazendo um barulho de rosnado irritado. Eu não sabia de onde veio. Noah riu suavemente nas escadas acima. "Miles parece tão doce que você esquece que ele é um de nós." "Eu não sou doce," eu resmunguei. "Eu sou um fodão." PC riu alto e me puxou para perto, quase me fazendo tropeçar. "Você, meu adorável um, nunca, em um milhão de anos será um fodão." Fiz outro som resmungando sobre todo esse pensamento ser hilariante. Um dia meu interior fodão ia chocar todos eles. A mãe de PC estava esperando por nós na sala de estar de seu apartamento junto com duas outras pessoas que eu assumi eram seu tio Romano e o ancião, Michael Komarov. Fiquei surpreendido novamente como jovem era a aparência. Eu sabia que lycans paravam de envelhecer, quando começavam a transformar. Mas ainda era surpreendente ver alguém chamado de "ancião" parecer não muito mais velho do que eu. Imaginei que aquele sentado na poltrona habitual de Amanda era Komarov. Sua linguagem corporal não poderia ter dito „pau tenso‟ mais do que ela fez. Ele deu a PC um daqueles olhares extremamente desapontados que os pais às vezes dão e gesticulou para nós para nos sentarmos. PC lhe lançou um olhar teimoso e levantou a mão para beijá-la. Ele até usou os dentes um pouco sobre meus dedos. Eu puxei minha mão, não querendo mais problemas do que já tinha, mas parecia PC que estava em um rolo. Ele soltou

284


minha mão apenas para chegar atrás de mim e deslizar os dedos no bolso de trás da minha calça jeans. Eu estava dividido entre o riso e querendo estrangulá-lo. Ele poderia ter escolhido um momento pior para voltar atrás em seus imperdíveis „vou-dar-a-merda-sobre-os-lycans‟? Também presentes no apartamento e visivelmente nervosos estavam Leila, Amanda, e Colin. Colin me deu um sorriso meio triste, como se eu o tivesse abandonado e deixado que ele fosse o único ser humano do lado de fora do nosso pequeno grupo de amigos, nem vampiros nem lycans normalmente considerado seres humanos com muito respeito. Eu não o invejei naquela sala. Leila e Amanda, por outro lado atiraram sorrisos enormes pro meu lado. Eu poderia dizer que eles estavam arrebentando as costuras com curiosidade. "Sentem-se, todo mundo." A mãe de PC parecia serena e composta. Liguei olhares com ela e sorri timidamente. Ela sorriu de volta, ironicamente, dizendo-me que ela não estava tão chateada conosco por quebrar as regras. Eu me perguntei se ela poderia dizer o quão feliz eu estava. PC me puxou para baixo ao lado dele no sofá. Antes que alguém sequer começou a falar, ele passou o braço atrás de mim e contorceu a mão por baixo da barra da minha camisa para acariciar a pele das minhas costas. Na frente dos lycans? Você está tentando levá-los a me odiar? Tentei fugir para longe de sua mão, mas não havia para onde ir. Tive que me concentrar em não deixar o show de prazer na minha cara com mesmo o mais leve toque de seus dedos. Eu atirei a PC um olhar, mas ele só sorriu de volta descaradamente e continuou.

285


"Antes de começarmos, eu acho que é justo dizer a todos exatamente o que está acontecendo." Foi Komarov que falou. Sua voz era grande, com autoridade, em desacordo com a sua aparência jovem. Ele passou a detalhar os ataques, a maioria dos quais PC já havia dito a Zack, Noah e eu. Os outros, no entanto, não tinham ouvido falar muito. Tudo o que sabiam era o que tinha acontecido a mim e ao fato de que o ataque foi feito para PC. Então seus olhos se arregalaram com raiva. Não foi apenas um ataque contra os lycans. Era uma afronta à paz que os caçadores sempre se esforçaram para manter. "Qual é o negócio deste indivíduo, Silivasi, afinal?" Perguntou Leila. "Você fez alguma coisa para ele ou ele só tem algum tipo de complexo Dr. Evil?" "Andrian Silivasi tem um... passado complicado", respondeu Komarov. "Um que eu não tenho certeza ainda", ele acenou para PC, "sério, conscientes." Os dez por cento do meu cérebro não consumidos pelo toque de PC estavam fascinados. Uma discussão sobre ser direito fora de uma das minhas histórias! Um lobisomem com um "passado complicado" e um chip em seu ombro que quer vingança contra os lycans? Eu estava mais do que pronto para ouvir o resto. "Ele nasceu na Romênia, trezentos anos atrás, perto da Floresta Negra." "Mas eu pensei que os lobisomens viessem mais da Rússia do que a nossa parte do mundo." PC parecia perplexo. "Eles fazem. Silivasi não nasceu um lobisomem. Ele era um lycan."

286


Eu podia sentir as ondas de rolamento de choque fora de PC. Tinha que ser impensável para ser transformado a partir de um lycan em um lobisomem. Eu não sabia que era mesmo possível. "Isso é impossível", PC zombou. "Não, não é impossível", a mãe de PC respondeu. "É que quase nunca acontece, ele pode realmente ser o único caso, mas não é impossível. Andrian Silivasi era como você, PC, metade humana e metade lycan. Mas, em vez de começar a fase tardia ele nunca fez nada. Essa foi uma das razões por que estavam tão preocupados com você." "E em vez disso ele escolheu para se tornar um lobisomem?" "Não. Ele foi atacado. Sua família era da nobreza, não apenas no mundo lycan, mas no dos seres humanos também. Eles estavam no Palácio de Inverno em São Petersburgo para uma festa de Natal ou qualquer coisa assim quando isso aconteceu. Ele estava no lado de fora da floresta da cidade, em uma caça com os outros homens jovens e um bando de lobisomens encurralou-o quando ele estava sozinho. Ele estava cercado, quase morto, e deixado para morrer na floresta durante dias. Quando ele acordou, ele se arrastou durante o inverno russo de volta ao palácio e sua família. Ele esperava que fossem mostrar misericórdia para com seu único filho e ajudálo, mas não o fizeram. Eles empurraram-no e disseram que ele não tinha mais lugar entre os lycans. Só sua irmã mais jovem teve alguma compaixão. Ela o ajudou com alimentos e um cavalo para que ele não fosse morrer em estado selvagem. Dentro de um ano, eles estavam todos mortos. Silivasi os exterminou. Ele odeia toda a nossa raça desde então." "E os lobisomens seguem-no?"

287


"Sim, eles fazem. É muito ruim, realmente, o que aconteceu com ele. Ele é um líder natural. Ele teria facilmente um lugar em nosso sumo conselho em Bucareste." "Como um ser humano?" A pergunta apenas escorregou para fora. Eu não tinha a intenção de falar. "Ele teria sido alterado aos vinte se os genes lycan não tivessem aparecido até então. Em casos híbridos sempre gostamos de dar-lhe dois anos completos após a idade adulta para se manifestar. Os lobisomens ficaram com ele três meses antes de seu aniversário de vinte anos." "E você sabe com certeza que ele está por trás de todos esses ataques?" Noah estava sendo justo como de costume. "Sim, nós temos certeza. Ele enviou mensagens para todos os idosos no momento em que seus entes queridos foram atacados. Foi um ato muito bem planejado e deliberado. Não há nenhuma maneira dele ter permanecido anônimo." "Ele quer que você lute com ele." A declaração de Zack estava quieta, contemplativa. "Ele quer. E ele vai conseguir o que quer. Os lycans não podem deixar algo como isso impune. Ele matou os nossos filhos, tanto do nosso futuro. Vamos lutar e vamos levá-lo para baixo." A voz de Komarov estava calma, resoluta, nada como a raiva que eu sabia que me sentiria se PC fosse tirado de mim. "O que podemos fazer?" Perguntou Noah.

288


"A informação que você tem para nós será mais do que ajuda suficiente, e agradecemos por isso. Além desta noite, esta é uma questão para os lycans resolver e não podemos pedir-lhe para vocês se arriscarem por ficar no meio disto." "Queremos ajudar, e não apenas dando-lhes informações. Lidar com revolucionários é o que fazemos." Komarov sacudiu a cabeça. "Não dessa vez. Mas, por favor, diga-nos o que você sabe. Se conseguirmos detectar um padrão, então talvez nós vamos ser capazes de antecipar o próximo movimento de Silivasi." Eu poderia dizer que Noah estava fervendo, mas para quem não o conhecia, ele parecia a imagem da calma. Ele concordou e, em seguida, fez um gesto para Leila para ela começar desde que ela esteve fora em sua própria investigação na noite anterior. Era quase imperceptível, mas eu podia ver Zack escovar sua mão ao longo do lado de baixo da coxa de Noah para ajudálo a relaxar. Esse gesto de amor macio me recordou muito da maneira como a mão de PC estava descansando em minha parte inferior das costas. Eu sorri e me inclinei em seu toque, esquecendo por um momento o meu constrangimento em mostrar prazer na frente dos anciãos. Eu provavelmente teria sido feliz de ficar lá para sempre se não tivesse sido pela vibração repentina do meu telefone. Foi essa a segunda vez, quando senti o zumbido irritante contra a minha coxa, que me lembrei de que eu deveria estar no trabalho e que eu estava mais de uma hora atrasado. Merda. O mundo normal tinha deslizado de minha mente tão completamente que eu não poupei um único pensamento para ele o dia todo.

289


Levantei-me e pedi licença antes de sair para o corredor para chamar Ralph de volta e pedir desculpas. Quando eu lancei meu telefone aberto, notei que eram mensagens de texto de Lisa, e que Ralph tinha chamado cerca de seis vezes. Deve ter sido antes, quando eu estava praticando com Zack. Eu não tinha ouvido o meu telefone zumbir até pouco depois. Onde está você? Ralph está pirando porque ele pensa que você está morto ou algo assim!!! Eu me senti horrível. Eu sempre fui tão confiável que ele iria pensar que havia algo de errado comigo se eu faltasse. Merda, merda, merda... Eu estou bem, apenas um grande idiota. Diga Ralph que eu realmente sinto muito e estou indo no meu caminho agora mesmo! Quando me virei para voltar para o apartamento o meu telefone tocou mais uma vez. Se apresse. Eu estou vendo o seu registo. É melhor que sua desculpa seja boa. Eu ri e digitei: Você não tem ideia… Deixei que ela cozinhando sobre isso! Quando voltei para o apartamento, os outros ainda estavam conversando em voz baixa. Eu vim por trás de PC e coloquei minha mão na parte de trás do seu pescoço. Então eu me inclinei e sussurrei, "Bebê, eu tenho que ir. Era para eu estar no trabalho há muito tempo. Você quer me encontrar lá quando isso terminar?"

290


Seus olhos se arregalaram de surpresa. "Merda, eu esqueci sobre o trabalho. Eu quero ir com você agora, mas..." Ele apontou para os idosos com a cabeça. "É melhor eu esperar até isto acabar." "Eu entendo. A Lisa esta esperando lá por mim. Vai ser bom para mim e para ela ter uma chance de conversar." Acenei em silêncio, querendo deixá-los saber que eu estava indo, mas nervoso demais para dizer qualquer coisa em voz alta enquanto todo mundo estava olhando para mim. "Miles tem que ir para o trabalho. Ele ficou tanto tempo quanto pudesse." Eu fiquei grato a PC por falar. Cem anos poderiam se passar e Michael Komarov ainda me faria desconfortável. Eu esperava que eu não tivesse muito contato com ele. "Querido, você acha que é seguro andar sozinho?" Eu sorri para a mãe de PC, amando que ela me aceitasse tão livremente mesmo depois da minha infeliz transformação e a nossa pequena transgressão da noite anterior. "Eu estarei bem. As ruas ainda estão lotadas e eu sou um vampiro agora." Eu cedi um pouco. "Mas eu vou deixar PC saber quando eu chegar lá." PC levantou-se para me levar até o corredor. "Tenha cuidado, baby. Eu estarei lá assim que eu puder." "Eu vou. Não fique muito irritado com os anciãos." Eu sorri para ele e ele me apertou suavemente sobre o lado.

291


"Eu vou te ver em breve." Ele tocou os meus lábios com um beijo suave. "Ok. Você deve ter cuidado, também. Não ande para a loja sozinho." Ele sorriu para mim e caminhou de volta para o apartamento.

292


Capítulo 17 Déjà Vu, indecência Pública, e a Verdade No segundo que eu cheguei à livraria, eu sabia que estavam para me comer vivo. Lisa estava praticamente clicando as unhas no balcão, esperando impacientemente por mim. "Finalmente!" Ela bufou quando ela olhou para cima para vê-la lá. "Você tinha a cabeça enterrada até agora na bunda de PC que você se esqueceu sobre o resto de nós? Por que você não me ligou?" "Bem, isso é uma história interessante," Eu disse. "Jesus, Miles, diga-me. Você sabe que eu odeio não saber o que está acontecendo." Ela parecia rindo exasperada. "Deus, por onde começar. Na noite passada, parece que há dez anos, sinceramente estou surpreso que Leila não lhe disse." "Eu não falei com ela ainda hoje. Derrame-o agora antes que eu comece a bater nas coisas." "Eu sou um vampiro. Há, eu derramei-o." Eu sorri para ela esperando para o vulcão entrar em erupção. Eu já podia ver o vapor. "O que? Como diabos isso aconteceu? É melhor começar pelo começo, senhor."

293


Na verdade, eu ri com uma situação que parecia tão terrível há apenas vinte e quatro horas antes, apreciando sua curiosidade fumegante por alguns minutos antes de começar a longa explicação. "Foi o que aconteceu ontem à noite, eu estava saindo da loja com Zack e Noah. Este vampiro pulou em mim e me mordeu. Ele não estava tentando beber o meu sangue, somente injetar-me com o veneno. Foi muito rápido. Noah e Zack foram atrás dele, mas era tarde demais. Ele não conseguiu injetar mais veneno em mim ou eu ainda estaria desmaiado. Vou demorar um pouco para virar completamente, mas eu já tive a minha primeira bebida de sangue." Seus olhos quase saltaram para fora de sua cabeça. "Ok, então por quê? Quero dizer que vocês tem alguma ideia de por quê? Não faz sentido, algum vampiro aleatório por aí atacando seres humanos e transformando-os!" "Não foi aleatória, Lis. Eu fui atacado porque eu estava com Zack e Noah. O vampiro pensou que eu era PC." Demorou um pouco, mas eu finalmente expliquei a coisa toda, os ataques lycan, o rei lobisomem, o vínculo com PC sendo quebrado. Até o momento em que eu terminei sua boca caiu aberta tantas vezes que eu pensei que poderia ficar permanentemente dessa forma. Em pouco tempo PC chegou à loja, deslizando em silêncio escondeu-se atrás de uma Lisa sobrecarregada. "Eu viiiim para sugar seu sangueee," ele gemeu em voz vampiro divertidamente terrível. Lisa saltou cerca de dez pés fora seu banco de qualquer maneira antes que ela virasse e batesse em PC na cabeça. Nós dois

294


desmoronamos em risos e ele acalmou o suficiente para vir ao redor do balcão para me dar um beijo longo de olá. "Eu senti sua falta", ele sussurrou contra o meu pescoço. "Eu senti sua falta também." E eu percebi que ele tinha perdido. Nós só estivemos separados por talvez uma hora ou assim, mas eu estava muito feliz com ele de volta na minha visão. E a pele das minhas costas, onde ele estava tocando estava feliz por tê-lo também. Suspirei e me inclinei no abraço de PC, esquecendo tudo, menos seu toque. "Espere um segundo, eu pensei que o vínculo foi quebrado. Por que vocês dois ainda estão juntos?" Eu meio que ignorei em alguns pontos na minha história... como a parte onde PC me disse que ele ainda queria estar comigo, não importa o quê. Era muito privada para repartir aproximadamente. PC envolveu seus braços apertados em torno de mim. "Ele teve apenas um segundo, aquele momento quando eu pensei que Miles se foi, para me fazer perceber que não importa o que, eu não quero ficar sem ele novamente. Mesmo se eu pudesse ir embora Eu não quero." "Espere, você está dizendo?" "Sim, ligação ou não, eu sou seu." Eu não podia acreditar que PC acabara de dizer isso em voz alta para a minha amiga. Ele está vindo de tão longe nas últimas semanas. Suas palavras fizeram meu coração derreter, mas eu não podia ajudar, mas para ainda estava preocupado que ele iria mudar de ideia. Lisa fez um pequeno gesto bater palmas.

295


"Isso é tão adorável. Eu acho que eu poderia ir vomitar." Nós dois sorrimos para ela, já que ela estava brincando... Na maioria das vezes. "Sério, onde está o meu lycan bonito para se relacionar e fazer com que eu possa me transformar em um lobo e ter aventuras legais?" "Eu não se transformei em um lobo. Eu sou um vampiro sugador de sangue, lembra?" Lisa sorriu. "Bem, se eu conseguir um Noah ou um Zack, ficaria bem comigo, também!" Dei-lhe um olhar simulado magoado. "O que? Noah, Zack, e PC são todos bonitos o suficiente, mas não sou?" "Você é meu amigo, bobo, e eu já lhe disse que você tem uma bunda incrível e olhos bonitos. Além disso, este pode rasgar meu pescoço se eu tentasse flertar com você. Ele é um pouco possessivo." PC riu e me puxou para mais perto. "Não, eu não sou. Contanto que ninguém toque nele ou olhe para ele, eu estou bem." Pelo que todos caíram na gargalhada. Fomos interrompidos pela campainha sobre a porta da frente. Eu me desembaracei de PC e virei-me para ajudar os novos clientes. PC foi até balcão de Megan e conseguiu um café mais Lisa. Megan realmente sorriu para ele e riu... riu por causa de, Cristo, quando ele disse a ela que a nova blusa que ela estava usando era bonita. E ela fez o seu café sem um único rolo de olho ou observação mal-intencionada. Foi incrível. Algum dia eu teria que ter aulas com PC.

296


O cheiro do café era vagamente nauseante, mas não era nem de longe tão ruim quanto alimentos sólidos. Eu percebi que eu poderia lidar com o cheiro todos os dias, mas eu esperava que não ficasse mais intensa, uma vez que minha transformação estivesse completa. Mesmo quando eu estava ajudando os clientes, meus olhos foram atraídos para onde PC e Lisa sentaram-se, falando, nas poltronas macias no canto. Eu não conseguia parar de olhar para ele. Eu gostava de olhar para ele, minha pele ansiava por seu toque, e cada vez que aconteceu de pegar o olhar do outro eu senti vontade de rir em voz alta, porque eu estava tão feliz. Foi fantástico... E saber que PC se sentia da mesma maneira? Não havia nada melhor. Eu estava preocupado que ele iria mudar de ideia e voltar a querer ficar sozinho, mas eu empurrei a preocupação e concentrei-me na minha felicidade. Um dia de cada vez, Miles. Ele deve ter sabido que eu estava pensando sobre ele, porque ele olhou para cima e piscou para mim. Eu não poderia ajudar os clientes com rapidez suficiente. Eu queria arrastá-los para fora da porta para que eu pudesse ir para estar ao lado de PC novamente. Eu quase rosnei em frustração quando a campainha tocou, novamente, sobrecarregada com outro conjunto de clientes entrando. Era quase mais do que eu poderia estar a acenar e agir como eu queria com eles lá. E foi assim durante toda a noite. Parecia que toda vez que eu pensei que a loja ia, finalmente, ficar vazia para que eu pudesse tocar PC outro grupo vinha valsando e tomando o seu tempo doce escolhendo os livros e andando tão lento como a evolução. Passei a maior parte da noite querendo levar meus clientes pelo cotovelo e arrastá-los para fora da porta. Eu tinha uma forte

297


sensação de déjà vu, lembrando-me da segunda noite quando estávamos na loja juntos, PC e Lisa saíram enquanto eu trabalhava, e tudo que eu queria fazer era ir para PC e tocá-lo. Era como se estivéssemos começando lá novamente, exceto que as coisas foram muito melhor desta vez. Era real e na maioria das vezes eu poderia ignorar o terror eu ainda sentia quando eu pensava sobre perdê-lo. Finalmente, eu olhei para o relógio e era dez minutos para fechar. Lisa tinha seguido Megan fora cerca de meia hora antes de ir para o trabalho e PC estava lendo uma revista e esperando por mim. Eu quase fiz uma cambalhota quando eu percebi que eu poderia levar o povo para fora em poucos minutos. Esse último trecho de tempo era insuportável, parecia mais do que as poucas horas anteriores havia sentido combinado, mas finalmente acabou e eu poderia trancar a porta e fechar as cortinas. O som do clique da trava fechada era a coisa mais gratificante que eu tinha ouvido durante todo o dia. Tomou cada onça de controle que eu tinha para não passar por cima e atacar em PC ali mesmo... Oh, foda-se. PC se assustou com a pilha de vampiro com tesão quente que pousou em seu colo, mas ele riu e atirou a revista que estava lendo para o lado antes que ele passasse os braços em volta de mim e me desse o beijo que eu tinha ansiado durante horas. Ele deslizou as mãos sob a minha camisa para viajar ao longo das minhas costelas e as linhas da árvore que ele tinha memorizado semanas antes. Eu gemi e fez o mesmo, montando-o e puxando sua bainha para puxá-lo para cima e para fora do meu caminho.

298


"Você quer fazer isso aqui?" Perguntou PC, mas não hesitou muito antes de apertar os lábios contra meu pescoço. "Claro, ohhh, por que não? Quem está olhando?" Eu inclinei minha cabeça para trás para dar a boca tanto espaço quanto possível. Palpei cegamente o cinto e o zíper, tentando fazer com que eu pegasse a carne por baixo. "Eu não posso acreditar que eu costumava pensar que você era um inocente e tal", ele riu, em seguida, chamou a respiração bruscamente quando descobri e paguei o pênis. Hum... Ele era tão quente, aveludado e duro. Eu podia tocá-lo por dias. "É sempre os mais quietos que surpreendem você." Eu sorri para ele e deixei cair um pequeno beijo no seu nariz. Suas bochechas ficaram rosa quando eu o acariciei com mais firmeza. "Além disso, eu tive um monte de tempo para pensar sobre sexo todos aqueles anos quando eu estava sendo tímido." PC riu e me deu outro beijo sem fôlego profundo antes de retirar a minha mão de seu casulo feliz. Ele não queria? Meu rosto ficou vermelho. "Desculpe eu o ataquei," eu murmurei. "Desculpa? Para que? Você tem alguma ideia do que faz para eu saber que você me quer tão ruim? Eu amo-o, só quero esperar até mais tarde, quando eu realmente puder tocar em você." Eu sorri para ele e beijei-o novamente, mas eu forcei minhas mãos a se comportar.

299


"Você sabe, eu nem sempre quero que seja assim," PC murmurou quando finalmente nos separamos. Ele fez um gesto entre nós. Meu coração parou e eu empurrei minha cabeça para cima, olhando para ele com o que deve ter sido o medo abjeto nos meus olhos. Ele riu. "Você vai ter que parar de entrar em pânico cada vez que algo sai errado da minha boca. Eu sou um idiota e vai acontecer. Meu cérebro pula algumas etapas na conversa. O que eu quis dizer foi que nem sempre quero estar no topo. Eu quero sentir você, também, saber o que é ter você dentro de mim." Essa foi à última coisa que eu esperava. Nem sequer ocorreu-me querer isso. Eu ainda estava ocupado a explorar a primeira opção. "Sério?" Ele riu novamente. "Sim com certeza. Quero que sejamos iguais, e como eu disse, eu quero sentir isso também. Eu quero ir com você dentro de mim, saber que eu sou totalmente seu." Eu juro que eu praticamente babei. Droga. Lá se vai todo o pensamento racional. "Ok", eu respondi trêmulo. Ok? Foi fantástica, mas um pouco dos nervos arruinaram ao mesmo tempo. PC roçou o polegar sobre meu rosto, em seguida, ele começou a me mudar fora de seu colo. "Então Zack disse que você precisa obter mais sangue em você. Você não vai querer ir para mais de um dia entre as refeições por um tempo. Seu corpo precisa de força para que possa terminar a transformação, para obter todo regulamentado ou o que for."

300


Hum... sangue. Foi incrível a rapidez com que o pensamento saltou em meu cérebro e prendeu-o. De repente, era a única coisa que eu poderia me concentrar. PC sorriu para a concupiscência óbvia no meu rosto. "Eu acho que isso significa que vamos ao Red. Os outros já estão lá. Eu acho melhor eu ir de qualquer maneira. Receio as maquinações de Noah. Eu o conheço muito bem; todo o plano de 'sentar e deixar que outras pessoas tenham toda a diversão‟ não vai sentar-se nem com ele ou Leila, ou Amanda para esse assunto." "Você está no controle de danos?" "Sim, com Zack. Alguém tem que segurar as cabeças quentes." Eu ri com a ideia de Noah ser um cabeça quente. Eu já tinha visto o suficiente de seu temperamento que eu entendi, mas ele só parecia tão engraçado por algum motivo. "Ok, prontos e vamos. Quanto mais cedo chegarmos lá mais cedo poderá ir para casa." Eu dei a PC um sorriso que o teve lutando por seu casaco. PC tinha razão. Eles estavam obviamente planejando algo. Havia um monte de silenciar e gesticular quando nos viram caminhar através da porta do Red e de cabeça para a sua mesa. "Eu não sou estúpido, Noah," PC falou de bom humor. "Apenas me diga o que está fazendo, então eu saberei o que eu tenho que esconder do conselho."

301


Havia culpa ao redor quando nós nos sentamos à mesa, e um suspiro exasperado de Zack. Aparentemente, ele não tinha sido muito bem sucedido em controlar a cabeça quente na ausência de PC. "Nós não estamos planejando nada." Noah parecia tão inocente... e tão cheio de si. PC revirou os olhos. "Eu acredito que porque eu te conheci ontem. Estou falando sério. Eu preciso saber o que você vai fazer. Você pode estar em perigo dos lycans se algum deles pensa que está trabalhando para Silivasi. Nem todos os anciãos sabem de vocês." "Eles saberiam se tivessem tentado nos levar a sério. Garotos destemidos... merda. Isso ainda me irrita." "Eles me irritam também. E pior. Seja feliz por eles não estarem realmente no comando de você. Tenho lidado com eles desde antes de eu ter ainda idade suficiente para perceber quão idiotas são." PC fez uma careta. "Então, todos nós concordamos que os anciãos praticamente sugam. Apenas me diga o que você está pensando. Eu sei que eu te disse para ficar de fora, mas eles me irritaram hoje. Estou no seu lado." Noah e Leila trocaram olhares e PC revirou os olhos. "Sério? Vamos lá vocês." Noah acenou para Leila que deu de ombros. "Bem. Você está certo, nós estamos planejando algo. Eu só não entendo por que Komarov não quer nossa ajuda. Mesmo que parece que sejamos na maior parte inútil para ele, não teria qualquer coisa pequena que seja que podemos fazer, melhor do que nada?" Noah parecia honestamente perplexo além de estar aborrecido. Ele estava

302


certo. Não fazia sentido para eles para não ajudar. Eram linhas territoriais realmente importantes? PC revirou os olhos. "Quem sabe por que o homem faz alguma coisa? Se eu nunca tiver de lidar com ele de novo eu ficaria muito mais feliz. Komarov tem o respeito incondicional do conselho em Bucareste, apesar de tudo. Sua palavra é a maneira que tem que ser. O que não significa que não podemos agir debaixo do seu nariz, certo?" Noah sorriu. "Eu sabia que éramos amigos por uma razão. Leila, diga a ele o que temos até agora." Leila delineou seu plano para rastrear Silivasi. Eu tinha que admitir que fosse inteligente. Os lycans estavam errados ao pensar que meus amigos não poderiam realmente fazer alguma coisa para ajudar. Nova York era a sua cidade depois de tudo, e eles tiveram contatos que os lycans da crosta superior nem sequer sonham em usar. Enquanto eu ouvia-os falar, percebi que PC tinha mais desses contatos decadente do que o resto deles juntos. "Jesus, quem mais você conhece?" Eu finalmente tive que perguntar, depois de ter listado ainda outro tipo desagradável que seria útil para eles em sua busca para encontrar Silivasi e impedi-lo. PC riu baixinho. "Eu passei os últimos seis anos em busca de ser tão pouco parecido com os anciãos lycan quanto eu pudesse possivelmente ser. Fiz amizade com basicamente qualquer um que os irritasse. Até a coisa imprinting acontecer, eles estavam tentando sem muito sucesso fingir que eu não existia." "E agora que se foi, e assim é o seu lugar recém-conquistado."

303


"Como se eu desse a mínima. Esses babacas pomposos não estão na minha lista de "necessidade de impressionar." "Quem você?" "Você", ele brincou, fazendo cócegas nos meus lados. Eu bati na sua mão e ri. "Ei, escute, eu estou indo para encontrar um, uh, bebida e deixar vocês botar o resto desta coisa fora." Eu beijei a bochecha de PC e passou a levantar-me. Zack se levantou também, parecendo que ele gostaria de fugir da conversa. "Vou te ajudar. Você ainda é muito novo para isso o que poderia ser um pouco estranho." Eu não acho que seria, mas eu odiava arruinar sua desculpa para se levantar. Então, eu só lhe sorri e concordei. "Não é bom falar sobre morte e desmembramento?" Eu perguntei quando nós andamos alguns passos da mesa. "Isso é fácil de dizer?" Ele sorriu. "Eu fui caçar com eles por mais de um ano e cada vez eu tremo toda a noite porque eu fico com medo de que algo vai acontecer com Noah. Ele às vezes é tão imprudente." "Eu nunca teria imaginado quando eu o conheci." Zack riu ironicamente. "Não se deixe enganar pela cara doce. Que um tem uma raia selvagem de um quilômetro de largura. Eu acho que ele realmente gosta do perigo. Eu odeio isso. Eu não poderia imaginar perdê-lo. Ele ia me matar."

304


"Eu entendo, acredite em mim." Eu levantei minha cabeça na direção de PC, que estava sorrindo e participando com entusiasmo na discussão de como eles iriam caçar Silivasi debaixo do nariz do conselho lycan. O que aconteceu com controlar os exaltados? "Então, vamos encontrar um lanche,"disse Zack. "Eu poderia usar um pouco de sangue. Tenho a sensação de que vai ser um longo par de semanas. Qual é o seu sabor?" "Você sabe, eu não tenho certeza. Gosto tanto do cheiro dos homens e como das mulheres, mas não todas elas. Eu não consigo descobrir o que tem sobre os que eu gosto. Não há nada que eu possa ver que os torna diferente das pessoas que eu não gosto." "O que é diferente no cheiro?" "É mais leve, menos... oleoso ou algo assim." "Hum. Você vai ter que apontar alguns deles e deixe-me ver se eu posso descobrir isso." Zack e eu fizemos um jogo de descobrir o que existia sobre os cheiros que eu gostava. Nós gostaríamos de encontrar uma pessoa que cheirasse bem, em seguida, fazer-lhes algumas perguntas tentando encontrar coisas que eles tinham em comum com os outros. Então nós dois tomar um pequeno gosto e comparamos as notas. Zack gostava da maneira como as mulheres provavam melhor do que os homens, mas corajosamente concordou em tentar ambos. Ele também achava que havia um sabor mais suave para o sangue das pessoas que eu gostava. Ele não necessariamente achou que era melhor ou pior, apenas diferente. Nosso teste de gosto era divertido e um pouco tolo, mas

305


uma grande saída e um desvio da conversa de caça que nós dois queríamos evitar. Depois que tínhamos passado por cerca de dez pessoas diferentes (e estavam começando a sentir um pouco estranho) Zack, finalmente, teve uma revelação. "Espere, você não era um vegetariano quando você era humano?" Ele disse isso como se tivesse sido uma centena de anos, em vez de apenas dois dias. De certa forma, meio que me senti assim. "Meio que. Eu comia peixe e frango de vez em quando, mas nunca carne." "Vamos tentar mais uma. Eu acho que pode ter algo a ver com isso." Desta vez, quando encontramos alguém que tinha o mesmo cheiro bom, uma menina com ondas vermelhas acobreadas, Zack perguntou se ela comia carne. A menina fez uma careta e sacudiu a cabeça. Bingo. Eu gostava do gosto dos vegetarianos, ou pelo menos as pessoas que não comem muita carne vermelha. Aposto que se eu tivesse voltado e perguntasse a todos os outros que eu gostei eu encontraria a mesma coisa. Era algo que eu tinha tomado de minha vida humana e fazia todo o sentido em uma espécie de vampiro estranho de passagem. Eu estava perdido no meu curto ataque de raciocínio científico, quando senti um par de braços quentes familiares cercarem minha cintura por trás. Sua força e o cheiro sexy encheu meu nariz e fez a minha pele formigar de desejo.

306


"Ei, bebê", eu ronronei e esfreguei-me contra ele com a minha bunda, enrolando meu braço em torno de agarrar seu quadril e puxá-lo mais perto. Todo aquele sangue tinha me deixado aquecido. PC engoliu em seco e apertou seus braços. "Você está tentando me dar um golpe, não é? Você não pode fazer isso comigo em público." "Desculpe," eu murmurei, inclinando a cabeça para trás contra seu ombro. "Não pode ajudar nisso. O sangue me excita. Você me excita ainda mais. Eu quero você." "Quero você, também. Sempre. O que vocês dois estavam fazendo, afinal? Noah e eu estávamos observando vocês por um tempo. Era como se vocês estivessem fazendo uma contagem. Este não é o reality show Iron Chef, você sabe." Virei-me para vê-lo sorrindo para mim. Eu não poderia me segurar, então o beijei. O beijo foi um pouco menos casual do que eu tinha inicialmente previsto e terminou comigo rebocado contra ele, gemendo, com a mão sob a camisa. Finalmente, eu recuperei o fôlego o suficiente para lhe responder. "Foi uma experiência. Estávamos tentando encontrar um padrão no sangue que eu gosto." "Será que você encontrou um?" Eu balancei a cabeça. "Eu acho que sim. Parece que é a coisa de carne vermelha. Os gostos mais leves e mais doces de sangue para mim são das pessoas que não comem come. Pelo menos eu tenho certeza que é o que é."

307


"Assim, podemos ir para um desses restaurantes vegetarianos e você estará no paraíso dos porcos?" Eu sorri para sua piada. "Sim, contanto que as pessoas de lá não estejam apenas fingindo gostar dele porque é moderno e esgueiram-se para um grande hambúrguer depois." "Eu sei o que eu quero depois." Ele enfiou a mão entre nós para esfregar o calcanhar contra a minha ereção crescente. Eu gemi e deixei cair à cabeça para frente até que nossos narizes se tocaram. E então nossos lábios colidiram um contra o outro e os beijos começaram. Eu deveria ter parado, eu sabia que estávamos em público, mas eu não me importava. Todo o mundo exterior tinha desaparecido; tudo o que importava convergia para um pequeno ponto em que nossos lábios estavam ligados. Nada mais sequer registrado. PC afundou os dedos de uma mão em meu cabelo e a outra pousou em seu lugar favorito na minha parte inferior das costas. Minha cabeça girava feliz e eu escovei minha língua ao longo dele. Tivemos de subir para o ar eventualmente. Foi uma pena, já que eu teria sido mais feliz se o beijo nunca terminasse. O desejo que havia nublado meu cérebro finalmente clareou o suficiente para me registar assobios e vaias entusiastas provenientes de um grupo de vampiros apenas a alguns pés de distância. "Vocês sugam", PC resmungou bem-humorado. "Apenas mostrando o nosso apreço por um show divertido," Leila falou. "Ah, e Lisa concorda. Enviei as fotos pra ela."

308


Eu ri. A única outra opção que eu tinha era ficar morrendo de vergonha. PC enfiou os dedos nos meus e me levou de volta à mesa para se sentar com os nossos amigos. O resto da noite foi divertido, fácil. PC, Noah e Leila evitaram muito do que Zack chamava de „Exposição de falar' em vez disso incidiram sobre a minha variação impar do gosto de sangue e os argumentos habituais sobre armas e técnicas de caça. Seus argumentos eram obviamente mais sobre a parte divertida do trabalho e do que eu poderia dizer que estavam bem cansados e confortáveis. Eu não esperava realmente ouvir que eles começariam a ter o mesmo debate acalorado (e muito detalhado) novamente no futuro próximo. Em vez disso eu me concentrei em aproveitar a presença dos meus amigos e o calor que irradiava de PC que estava largado casualmente na cabine ao meu lado. Ele havia se comportado, escovando a mão ao longo da minha coxa, de vez em quando, segurando minha mão castamente. Eu sabia que o último beijo ainda estava em sua mente, apesar de tudo. Não tinha deslizado muito longe da minha. Previsivelmente, o bom comportamento não durou muito tempo. Em algum lugar no meio do impasse de Zack e Leila sobre os méritos de armas de fogo modernas em comparação com armamento mais tradicional, eu senti os dedos de PC escorregar maliciosamente sob a barra da minha camisa. Eu sabia que não ia ser capaz de ficar longe. Tinha sido difícil para mim também. Nós realmente tínhamos necessidade de aprender a nos controlar. Mais tarde. Dei um suspiro de alívio e estendi a mão em copo por sobre sua coxa. Eu tinha perdido o calor muscular magro de seu corpo pelos últimos, oh, vinte minutos ou algo assim que eu consegui manter meus dedos fora dele.

309


Ele estava me tocando de novo, como sempre fazia, acariciando lento e eu podia sentir em cada célula do meu corpo. Tentei praticar não sentir tanto, não deixando as pontas dos dedos deixar-me louco. Mas eles eram implacáveis, teceram intrincados padrões mais e mais ao longo do inferior das minhas costas. Eu respirei para dentro e para fora, concentrando-me em não sair da minha mente com prazer. Pense sobre armas e espadas. Ouça a Zack falar... Quando eu estava finalmente começando a sentir-me bem-sucedido, capaz de se concentrar na conversa, em vez da sua mão sobre essa pequena tira de pele, ele se mudou para um novo local. A ponta do dedo correu para o meio da minha espinha, as unhas roçando ao longo do mesmo recorte dentado fino no caminho de volta para baixo. Cavei minhas unhas na palma da minha mão para tentar distrair a minha mente do prazer obliterante. É apenas um toque! Mas, Deus, que não era. Eram explosões, explosões pulsantes escuros detonantes em toda a minha pele. Seu pequeno toque casual era fogo. E eu estava queimando. Cada célula de sangue no meu corpo correu da cabeça para o local dolorosamente quente entre as minhas coxas que estava crescendo cada vez mais duro a cada batida do meu coração. Eu quase gemi em voz alta, mas segurei no último segundo. Tomei seu braço e puxei-o para o meu colo, entrelaçando os seus dedos com os meus e capturando a mão que estava causando tal devastação no meu sistema. Ele riu suavemente em alguma coisa que Zack disse, e trouxe a outra mão em frente para retocar o interior do meu braço. Eu empurrei a mão que eu tinha capturado para baixo em meu colo para que ele pudesse sentir o que

310


ele estava fazendo para mim, ser lembrado de que não era apenas um toque mais. Ele apenas sorriu e apertou, empurrando contra a minha ereção os nossos punhos entrelaçados e continuando com a escova enlouquecedora de seus dedos para cima e para baixo, para cima e para baixo ao longo da pele ultrassensível do interior do meu braço. Engoli em seco difícil e olhei para a mesa, não querendo que ninguém visse o que eu estava sentindo. Tentei controlar isso na minha cara. Era impossível. Uma risada baixa do outro lado da mesa me fez olhar para cima. "Se vocês dois não forem para casa e foderem-se um ao outro muito em breve, vocês vão acabar ficando preso por indecência pública ou algo assim. O olhar no rosto de Miles poderia acender um cubo de gelo em chamas." Leila me deu um sorriso malicioso e piscou. O riso que eclodiu em torno da mesa tirou-me da minha neblina sensual. Era tão óbvio? Meu rosto queimou em um típico constrangimento. "Talvez seja hora de eu ir. Eu estava ficando um pouco sonolento depois de tudo." PC bocejou e espreguiçou-se teatralmente. "Sonolento minha bunda", Zack respondeu à medida que ele começou a se levantar e reunir nossos casacos. "Divirta-se, vocês dois." Oh, Deus. Todos sabiam exatamente o que estávamos indo fazer em casa. "Nós vamos," PC assegurou-lhes com um sorriso. "Não se preocupe." "Você quer tentar hoje à noite? Como agora?" Eu estava muito surpreso. Nós tínhamos acabado de entrar no apartamento quando ele deixou cair à bomba em mim. Engoli em seco duro. Eu tinha assumido que quando ele

311


disse que queria que eu fosse dentro dele, ele quis dizer 'um dia'. 'Esta noite' parecia tão imediato. "Sim. Esta noite. Eu disse que eu queria." "Você não quer pensar nisso mais? Eu tenho medo que você não esteja pronto. Eu não quero te machucar." "Agora você entende por que eu estava nervoso. Nós ficaremos bem. Prometo. Eu quero te sentir." Eu balancei a cabeça. "Ok, vamos ver como vai ser. Mas diga-me imediatamente se dói e você quiser que eu pare." PC me deu um leve sorriso e balançou a cabeça. "Venha aqui." Ele me envolveu apertado em seus braços e respirou contra a minha orelha. "Beijeme", ele sussurrou. "Tudo parece muito mais fácil quando estamos nos beijando." É verdade. Tudo fica perfeito quando PC esta me beijando. Então fiz o que ele me disse e beijei-o. Duro, longo e profundo, tranquilizando-me para a noite em frente e tudo o que ele queria que fizéssemos eu estava indo para trabalhar fora. Eu tinha medo que ele fosse odiá-lo, ainda preocupado que de alguma forma ele decidisse que eu não valia a pena e que ele estava saindo. Eu perdi a segurança da nossa ligação, a segurança de saber que ele não podia sair. PC se afastou. "O que é isso, bebê?" Perguntou ele, inclinando meu queixo para cima, então eu tinha que olhar para ele. Como eu poderia dizer-lhe que eu estava pirando? "Nada. Eu só estou sendo estúpido."

312


"Pare de se preocupar, ok? Eu quero você, por favor?" Os grandes olhos de ouro de PC me mataram. Eu nunca ia ser capaz de dizer não a ele. Suspirei. E não era como se eu realmente quisesse dizer não de qualquer maneira. "Eu quero você, também," eu sussurrei e puxei o pelo casaco, puxando-o para fora de seus ombros e pelos braços até que ele caiu no chão deixando-o em uma camisa fina. Eu amei o quão quente ele estava, amava seus flexíveis músculos, elásticos. Ele agarrou a bainha de sua camisa e puxou-a rapidamente. "Tire a sua também", ele murmurou, puxando meu suéter e a camisa por baixo. "Eu quero você nu." Eu sorri para a familiaridade de suas palavras. Ele estava sempre tentando me deixar nu. Eu entendia. Não havia nada tão delicioso quanto à sensação de sua pele. Minhas calças estavam sendo puxadas sobre meus quadris, e eu balancei meus pés, tentando tirá-las antes de eu tropeçar. Eu puxei o cinto de PC, então abri o seu zíper. Foi um alívio para aterrar na cama com ele, roupas esquecidas. Parecia ainda melhor do que foi na noite anterior. Minha pele pulsava com felicidade, amando sua proximidade, seu cheiro, seu toque. Uma questão martelou no meu cérebro por uma fração de segundos, mas seus beijos afogou qualquer raciocínio que meu cérebro tinha tentado fazer. Ele trabalhou seu caminho até meu peito com a boca, lambeu e chupou e raspando os dentes sobre os mamilos que pareciam fusíveis correndo direto para o meu pau. Eu gritei quando ele me mordeu, então sugou vigorosamente em um daqueles oh pontos tão sensíveis. Eu ia explodir a qualquer segundo.

313


"Ei," eu gemi, quando eu podia respirar plenamente. "Não sou eu deveria estar fazendo isso com você?" "Cale a boca", ele sorriu. "Quero provar você agora." Com isso, e todas as preliminares anteriores, ele mergulhou na minha ereção, lambendo e chupando seu caminho para baixo até que a coisa toda foi enterrada em sua boca quente e úmida. Pronto para gritar, tentando não entrar, querendo assim, assim, muito mais, eu fiz uma fraca tentativa de afastá-lo. "PC, pare, bebê! Vou gozar. Se sente muito bom." Ele gemeu seu acordo e continuou, acrescentando um dedo na minha entrada, massageando suavemente. Seu dedo pressionado no mesmo momento em que ele me levou profundamente em sua garganta. Eu senti falta disso. Com os olhos arregalados em choque, um grito preso na minha garganta, eu vim. Tão longo e tão difícil que eu vi estrelas pulsantes na minha visão. Meus quadris ficaram congelados, levantou-se da cama, o prazer me batendo à insensibilidade. Eventualmente, eu entrei em colapso, o meu coração se debatendo em torno do meu peito. Eu respirei dentro e fora lentamente por alguns momentos trêmulos silenciosos. Então eu respirei fundo, cheirando PC e o suado travo salgado do sexo. Aquele cheiro era um gatilho, a sua essência encheu meu cérebro como uma droga que me fez querer mais. Eu gemi e virei-o, arrastando minha mão em seu peito, admirando as longas extensões, lisas de pele. Tão quente e ele cheira tão bem. Eu entendi

314


como ele se sentia. Eu tinha que sentir o gosto dele. Eu lambi uma linha lenta para baixo do centro do peito todo o caminho até que eu pudesse mergulhar minha língua em seu umbigo. Ele arqueou um pouco e estendeu a mão para o copo da minha cabeça. "Por favor", ele sussurrou e levantou seus quadris novamente. Seus olhos se abriram, obscuro e quase pretos com desejo. Eu não respondi, apenas sorri para ele antes de minha língua viajar até a parte inferior de seu pênis e provocar sua coroa sensível. Ele prendeu a respiração e ele deixou escapar um pequeno grito quando eu afundei lentamente para baixo sobre ele esvaziando minhas bochechas e criando o máximo de sucção molhada, quente quanto eu possivelmente pudesse. "Oh, Jesus!" Ele gritou e puxou meu cabelo. A pequena dor me estimulou. "Eu quero senti-lo. Dentro, bebê. Por favor?" Sua voz estava ofegante e dolorosa, a coisa mais sexy que eu já ouvi. Eu deixei-o escorregar para fora da minha boca e olhei para cima com um sorriso lento. Eu nunca tinha estado em qualquer lugar como este lugar antes. Na minha cama, no meu apartamento, eu de alguma forma acabei em um lugar completamente novo. Eu estava poderoso, quente, a pessoa que eu sempre quis ser. O tímido, Miles nerd que tinha passado a vida esperando que algo acontecesse se foi. Queimando. Eu joguei minha cabeça para trás, deleitandome com a emoção inebriante do momento. Foi o sussurro necessitado de PC que me trouxe de volta à realidade. "Mal posso esperar."

315


Abri os olhos e olhei para a pessoa que tinha mudado a minha vida 'Eu te amo', pensei meu coração na minha garganta. "Pronto?" Eu sussurrei. Ele balançou a cabeça e agarrou minha mão, levando-a para a sua entrada e empurrando. Eu ri baixinho. "Vou levá-lo lento. Apenas os dedos esta noite." "Mas," eu vi o protesto em seus olhos. "Sem „mas‟, amor. Nós vamos chegar lá". A palavra simplesmente saiu da minha boca. Perguntei-me momentaneamente se ele ouviu. Ele arqueou e gemeu. Eu sorri e decidi que meu deslizamento tinha passado despercebido. O pequeno clique que a tampa do lubrificante fez ecoou no silêncio, importante de alguma forma. Simbólico. Eu apertei o líquido para fora, cobrindo meus dedos. Então eu inclinei-me para beijá-lo, enquanto eu deslizei minha mão para trás entre as suas pernas. "Você tem alguma ideia de quão lindo você está agora?" E ele estava. Seus olhos estavam selvagens, dourados e cheios de desejo. Suas bochechas estavam coradas, lábios entreabertos, com as costas arqueadas em silêncio. Ele gemeu quando os meus dedos esfregou contra o aperto de sua entrada. Eu toquei sua boca inchada, de beijos como a minha própria. Então eu comecei a beijar seu peito, clavícula, respirar em seu ouvido e lamber a curva de sua mandíbula. Quando eu o tive agradável e distraído, eu empurrei o primeiro dedo, passando seu anel dos músculos resistindo. Ele resmungou um pouco, então se estabeleceu, rangendo os quadris no meu dedo. Tirei devagar e tentou fazêlo novamente.

316


"Mais," ele sussurrou. "Quero isso." Eu concordei e fiz meu caminho de volta para baixo pelo seu peito parando a cada poucos centímetros para desfrutar de uma mordida ou sucção suave de sua carne. Ele gemeu e se inclinou para o meu toque. Retirei meu dedo e acrescentei outro pressionando suavemente, sentindo os músculos tensos se alongando, se abrindo para mim e me deixando entrar. Ele gemeu e eu deslizei para baixo para sugar sua ereção em minha boca. Esfreguei meus dedos ao redor, procurando o pequeno feixe de nervos que faria sua vista escurecer do jeito que ele tinha feito para mim. Foi fácil dizer quando eu o encontrei. As mãos de PC agarram os lençóis e ele soltou um grito estrangulado. “Deus, Jesus, porra. Nunca pare de fazer isso! Você se sente tão bom. Amo como você me toca; amo seus dedos. Quero você dentro de mim sempre...” Eu amei que ele estava balbuciando e fora de controle. Aparentemente eu tinha o mesmo efeito sobre ele que ele tinha em mim. Eu aumentei a pressão, certificando-me de esfregar contra esse local perfeito cada vez que eu virava meus dedos. Ele estava respirando com dificuldade arqueando e agarrando acima de sua cabeça para pendurar na cabeceira da cama. Suas coxas começaram a se contorcer. “Perto, bebê, não pode parar! Faça-o mais forte!” Ele estava gemendo e inundando minha boca com o seu orgasmo. Eu podia ouvir sua respiração, dura e afiada, lentamente, acalmando no silêncio da sala. Foi então que me dei conta de que a sua respiração e o gemido tinham

317


sido a única coisa que eu podia ouvir em voz alta. Ele não tinha dito uma palavra maldita desde que começamos em primeiro lugar. Pelo menos não com a boca. “PC?” - Fiz uma experiência. Eu tinha certeza do resultado. “Sim?” - De alguma maneira ele conseguiu parecer envergonhado através da névoa de êxtase que ainda permanecia. Sentei-me na cama e olhei para ele. "Que porra é essa?"- Ele fez uma careta ao ver a expressão no meu rosto. Parecia que meu namorado infalivelmente honesto tinha um pouco de explicações a dar...

318


Capítulo 18 Isso Significa Guerra Olhei para ele em silêncio, sem dizer nada, esperando que as explicações que ele tinha era melhor começar a vir antes de eu estrangular ele. Ele suspirou e sentou-se bem perto, para pegar a minha mão. Eu hesitei por um segundo e a mágoa inundou seu rosto imediatamente. Eu cedi e deixei-o tomar minha mão. Deus, mesmo quando eu estava irritado com ele eu não podia dizer não. Eu sou um otário. "Ok, então o vínculo... bem, ele nunca foi embora." Ele cuspiu a última parte rapidamente e fez uma cara como se ele tivesse medo que eu fosse bater nele. Eu simplesmente levantei as sobrancelhas num gesto silencioso que dizia 'continue'. "Lembra-se o que minha mãe disse bebê? Nada pode quebrá-lo. Nunca. Nem o tempo, nem a distância, e nem o veneno de vampiro também. Eu acho que você simplesmente não conseguiu senti-lo por um tempo porque os seus sentidos estavam em transição." "Quando você estava planejando me contar?" Senti-me estúpido. "Você tem alguma ideia de como muitas vezes nos últimos dois dias que eu me preocupei que você fosse ficar cansado disso e decidisse que você realmente queria ficar sozinho? Teria sido bom saber que você não podia."

319


"É exatamente por isso que eu não te disse! E não foram dois dias inteiros. Ainda não de qualquer maneira." Revirei os olhos. Que diferença faz exatamente quanto tempo tinha sido? Ele me olhou suplicante. "Eu precisava que você acreditasse que eu o queria de qualquer maneira, que eu não iria deixá-lo, que o vínculo não importava. Você teria sequer considerado que se você soubesse que o vínculo ainda estava lá você não teria sequer considerado que eu o quero e que eu ainda não tinha escolha?" Eu pensei sobre isso. "Provavelmente não." Eu senti meu corpo se inclinar para mais perto dele, a pele do lado que estava mais perto dele dolorida pelo contato. Como eu poderia ter perdido isso? Tentei pensar no momento em que tinha começado a acontecer novamente. Provavelmente mais cedo naquela noite, depois do meu lanche de sangue em miniatura. "Bom, é verdade. Nós ainda estamos ligados. Nós sempre estaremos. Mas isso não importa. Eu quero você de qualquer maneira. Eu te amo de qualquer maneira." Eu tive um tempo difícil não acreditando na sinceridade em seu rosto quando ele me disse que... Espere o que é que ele disse? "Você..." PC assentiu. "Sim, eu disse isso e de alguma forma eu não cai morto." Ele riu. Deixei escapar uma risada nervosa e ele estendeu a mão tocando o meu queixo. "Eu te amo, Miles. E não é o vínculo. Não é porque minha pele quer estar perto da sua e meu corpo dói quando você está ausente. Essas partes são reais, mas não é por isso que estamos. Eu te amo porque você me faz rir, e por esses seus olhos que poderia me fazer bancar qualquer coisa no mundo. Eu amo o jeito que você faz todos os ruídos bonitinhos quando nos beijamos e

320


como você ficar louco quando estou dentro de você. Eu queria dizer-lhe tudo isso antes que você sentisse o vínculo novamente porque eu precisava que você acreditasse em mim. Eu estava apenas com medo para dizê-lo. Quero dizer isso mais do que qualquer coisa que eu já disse antes. Você acredita em mim, não é?" Eu estava cambaleando. Olhei para ele em silêncio por alguns momentos até que eu notei o surto de pânico em seus olhos. Isso foi o suficiente para me colocar em movimento. Eu catapultei para á frente e esmaguei meus lábios contra os dele, beijando-o duramente com lábios e dentes e língua, e cada gota de sentimento em meu coração. "Eu também te amo", eu murmurei contra os lábios de PC quando eu finalmente me afastei o suficiente para arrastar um pouco de ar em meus pulmões. "Eu disse que você seria capaz de saber a diferença." Ele me deu um sorriso gentil e passou os seus polegares em todo meu rosto. Eu inclinei meu rosto na palma da sua mão e esfreguei-me contra ele. "Eu poderia tempo todo. Eu só não queria admitir isso. Era mais fácil culpar alguma força exterior para o que eu estava sentindo do que lidar com o fato de que eu estava caindo de amor." Eu poderia dizer que era difícil para ele dizer ainda. Mesmo que ele sentisse isso e quisesse que eu soubesse. Meu pobre companheiro emocionalmente desafiado. Eu tinha o meu trabalho cortado para mim. Eu decidi ser misericordioso e mudar de assunto um pouco. " Então todos os outros sabem que ainda estávamos ligados?" Perguntei. Ele se encolheu novamente. "Sim."

321


Eu tive que rir. "Deixe de vacilar. Eu não sou louco e eu não vou bater em você. Você está agindo como se eu fosse algum tipo de namorado abusivo." "Desculpa. Eu me sinto como uma merda por toda a porcaria que você passou por minha causa. Eu estaria desejando que eu nunca tivesse me encontrado se eu fosse você." "Ei, eu sei que eu venho dizendo que não sou eu, mas como sabemos que eu não estou fazendo tudo isso? Você pode ser o lycan, mas poderia ter sido minha alma que desenhou nela. Nada disso é culpa sua, não o vínculo, não o vampiro. Nada disso." Eu respirei fundo e continuei. "Tanto quanto a mentira, você tinha as suas motivações para não me dizer, e pelo menos elas eram nobres." "Elas eram." Eu resmunguei baixinho. "Eu acho que isso explica todos os olhares enigmáticos entre você e Zack." "Ele queria que eu te dissesse. Eu só tinha que ter certeza em primeiro lugar. Certificar-me que você sabia como eu me sentia e que você sentia o mesmo sobre mim." "Mas você disse a ele e Noah?" Por alguma razão isso doeu. "Não exatamente. Eu nem sequer precisei. Depois de nós... bem depois da noite passada, você perguntou como os anciãos saberiam o que tínhamos feito? Todo mundo pode dizer. A ligação está praticamente irradiando de nós agora. Estamos tão conectados, fisicamente e mentalmente que somos

322


praticamente uma pessoa. Você não percebeu como foi fácil empurrar seus pensamentos na minha cabeça?" Tinha sido fácil. "Então todo mundo podia sentir a mudança, menos eu?" PC riu. "Sim. A necessidade física entre nós por si só é tão forte agora que o cara que vende flores na esquina provavelmente pode sentir isso, mesmo que ele nunca soubesse o que ele estava sentindo." "Os sentimentos estão voltando para mim, também, você sabe. Minha pele constantemente quer tocar a sua novamente. Não é só eu querendo você por mim mesmo, como era ontem. Eu posso sentir meu corpo chegar para você como sempre fazia antes. Talvez porque eu estou ficando mais perto da minha forma final." "Sim. Provavelmente a combinação faça a ligação cada vez mais forte. Ouça bebê, eu sinto muito que eu não lhe disse imediatamente. Eu teria em breve. Eu somente... bem, você já sabe. Eu queria que você me ouvisse dizer que eu te amo e não achar que é apenas porque temos que ficar juntos." Ele parou por um segundo, e olhou maliciosamente por baixo de seus cílios. "Além disso, eu nunca realmente disse que o vínculo foi quebrado por isso eu não menti." Ele me deu um sorriso rápido. PC estava certo. Ele tinha evadido as minhas perguntas, mas ele realmente não tinha mentido. Eu tinha que lhe dar crédito por isso. "Bem, eu também te amo, mesmo se você me enganou." Eu belisquei o seu mamilo forte. "Não faça isso de novo, ok?" Ele prendeu a respiração.

323


"Só se você me prometer que vai fazer isso novamente. Muitas vezes. Acho que eu gosto de um pouco de abuso." Eu ri e cai de volta na cama, ao lado dele. Ele curvou o braço em volta de mim e me puxou para perto. Eu me senti tão... Seguro. Eu tinha-o nos braços e estávamos ligados e no amor e tudo era tão muito bom entre nós. Eu deixei meus olhos se fecharem, pesados e meio adormecidos. Quero você novamente... Quero mais. O pensamento saltou em minha cabeça junto com um desses vigorosos pequenos quadros que PC parecia ser capaz de conjurar. Desta vez, ele me enviou a imagem de, seus tornozelos em volta do meu pescoço, às mãos entrelaçadas no edredom por cima da cabeça. Eu podia sentir o calor, que ele projetou junto com essa imagem, envolve-me. De jeito nenhum eu estava caindo no sono depois disso! "Você vai ter que me mostrar como você faz essas imagens cerebrais algum dia," murmurei contra seus lábios enquanto eu puxei-o para um beijo. "Eu vou. Mais tarde." Ele me rolou então eu estava em cima dele e ele envolveu as pernas em torno de meus quadris. "Quero você agora." "Nós não estamos fazendo isso ainda, você sabe. Tem que aquecer ele." Ele fez um rosnar suave que soou um lote terrível como alguns dos ruídos frustrado que eu tinha feito antes, quando tudo que eu conseguia pensar era o quanto eu precisava dele dentro de mim. Eu sorri e deslizei minha mão ainda lisa entre nós para tocá-lo. Ele se inclinou para chupar meu pescoço e com um pequeno empurrão que eu estava deslizando meus dedos dentro dele e ele estava gemendo contra a minha pele.

324


Foi o mesmo que antes, mas parecia diferente de alguma forma. Eu empurrei um pensamento fora hesitante. Te amo. Também te amo querido. Eu podia sentir o sorriso em suas palavras. Ele gemeu e arqueou seus quadris no meu toque. Sim. Havia toda a diferença no mundo. "Aonde está o suco de framboesa. Estou com sede!” Ouvi facilmente a voz de PC transportada a partir da pequena cozinha, que estava do outro lado da parede parcial que separava minha cama da sala principal. Eu estava deitado em cima da minha cama, solto, desmembrado e satisfeito, muito suado para rastejar debaixo das cobertas. "Desculpe. Suco não está no alto na minha lista de coisas para pensar mais." Ele riu e enfiou a cabeça na esquina a sorriu para mim. "Eu poderia correr até que o mercado aberto durante toda a noite para obter algum. Você quer alguma coisa?" "Não, a menos que haja um bom vegetariano gordo. Na verdade, por que não posso ir até a loja? Eu quero pegar algumas lâminas de barbear e um novo livro. Além disso," Toquei seu nariz com a ponta do dedo. "Você é o único que precisa de todo o sono." Ele caiu para trás na cama, parecendo aliviado que ele não tinha que sair. "Tem certeza de que vai? A comida não vai deixá-lo doente?"

325


"Sim, eu tenho certeza. É legal. Não é como se eles estejam para ser grelhar bifes lá dentro. Eu tenho que me acostumar com o cheiro de qualquer maneira." Levantei-me e comecei a puxar as calças e minha camisa. "Tenha cuidado, ok?" Eu me inclinei para beijá-lo. Eu queria ir e fazer a viagem mais rápida para que eu pudesse rastejar de volta na cama com ele e jogar até que o sol estivesse alto no céu. "Eu vou tomar cuidado. Tente ficar acordado. Eu não terminei com você ainda." PC fez um ruído vibrando feliz em sua garganta. "Depressa, você está provocando. Eu estarei esperando por você." Eu cantarolei meu caminho descendo as escadas e sai para o ar frio da noite. O ar não me incomodava, mesmo que eu tivesse esquecido um casaco porque eu estava tão distraído com PC. Eu ainda estava aquecido a partir do que aconteceu mais cedo e eu estava achando que a minha pele de vampiro, embora sensível ao toque, não era tão incomodada por temperaturas. A loja estava estranhamente cheia para uma hora tão tardia, mas as pessoas não me incomodavam. As lâmpadas fluorescentes gerais não eram muito agradáveis, mas eu ignorei-as e fui encontrar o que eu precisava. Suco e lâminas de barbear rapidamente encontraram seu caminho em meu cesto, além de um novo livro de palavras cruzadas do corredor de revistas e um mistério para ler como uma ruptura cérebro de todos os clássicos pesados.

326


Era bom se apressar, por saber que PC mim queria de volta rapidamente. Eu gostava de ter alguém em casa esperando por mim. Eu gostei do fato de que no meu apartamento, na verdade, me sentia em casa, finalmente, em vez de um lugar que eu não queria estar. Estava geralmente repleto de suas roupas e quebra-cabeça agora, em vez de estar vazio, como esteve antes. Eu não me importava com a desordem. Ou o fato de que ele cheirava a ele. Eu sorri. Eu sinto falta de você. Eu mandei o pensamento aleatório, perguntando se ele iria trabalhar. Também sinto sua falta. Você está quase pronto? Sua resposta fácil me fez sorrir. Normalmente impaciente. Sim. Estou na fila agora. Vejo você em poucos minutos. Pressa. Estou esperando. Eu quero ter você novamente... As palavras vieram com outra imagem quente, suado que fez minhas bochechas corarem. Eu me atrapalhei com o meu dinheiro na fila e levei minhas compras, logo que o embalador tinha conseguido colocá-los em um saco. Apressado para chegar a casa! Eu quase pulei para baixo do bloco, andando era muito lento e eu estava impaciente para senti-lo novamente. A voz veio quando eu estava a meio caminho de casa. Miles! Meu nome foi gritado em minha cabeça. Doeu como fogo, lambendo a minha pele e cantando todas as terminações nervosas individualmente. Eu podia sentir a raiva de PC e o medo como se fossem meus. PC! O que aconteceu?

327


Eu não obtive resposta. Eu comecei a correr, abandonando esquecida a sacola de supermercado. PC? Onde está você? Novamente nada. Meu coração estava batendo em minhas costelas. Eu queria correr mais rápido, mas minhas pernas não me transportaram mais rápido do que já estavam. As pessoas estavam olhando para mim, mas eu não me importei. Meu estômago caiu em agonia. Oh Deus. Ele deve estar se movendo para longe de mim! Meu corpo podia sentir o perigo que ele corria. Eu precisava salvá-lo. PC! Eu tentei uma vez, mas não fiquei surpreso quando não recebi nenhuma resposta. Eu dobrei a esquina em uma arrancada, pernas e pulmões em chamas. A dor não importava. Eu não me importava. A única coisa que era importante era a chegar a PC. Cheguei ao meu prédio e subi as escadas. A porta para o nosso lugar estava aberta, arrancada de suas duas melhores dobradiças. O interior do apartamento estava ainda pior. Transformaram o sofá em fiapos, lençóis e travesseiros arrastaram para fora da cama e desfiados. Parecia uma daquelas cenas de filme quando a máfia saqueava o apartamento de alguém. PC deve ter lutado. A sala estava cheia de odores estranhos: medo, raiva, pânico. Eu procurei por seu cheiro no caos, algo para me tranquilizar. Estava lá, fraco e entrelaçado com as emoções fortes. Era quase demais para processar. Baixei a cabeça, deixando cair às chaves que fez um som metálico esmagado na madeira maciça. Foi então que eu vi riscos no chão, as marcas

328


de unhas compridas arrastadas para a porta. Ele deve ter mudado e tentado escapar. Mas ele não conseguiu. Eu saberia se PC estivesse seguro. Meu corpo instantaneamente reagiu ao saber que ele estava lá fora em algum lugar, em perigo e possivelmente ferido. Eu me amassei em uma bola dolorosa no chão. Todo o meu núcleo parecia que estava sendo rasgado. Eu precisava respirar, precisava agir rapidamente. Eu pesquei meu telefone do meu bolso, apertando meus olhos fechados na agonia que um pequeno movimento causava. Jesus! Eu precisava para superar a dor. Eu não tinha nenhuma utilidade para ele assim. Abri meu telefone e bati na marcação rápida. Eu nunca fui mais feliz na minha vida por ouvir a voz de Zack. Tentei dizer-lhe o que estava acontecendo, mas minha voz não saiu. "Miles, você está bem? O que diabo está acontecendo?" Respirei fundo e me concentrei. A vida de PC dependia de mim, eu não podia quebrar. Demorou cada gota de força de vontade que eu tinha, mas eu finalmente consegui espremer quatro palavras dolorosas. "Os lobisomens levaram PC."

329


Capítulo 19 Amor Perdido "Miles, você tem que tentar se sentar." A voz de Zack estava preocupada, paciente e bondosa. Eu sabia que tinha que sentar-me, não estava tentando ser o maior covarde do planeta, mas estou me sentindo como se facas estivessem me cortando cada vez que me movia. Então eu sentei, cerrando os dentes e tentando apenas lidar com isso. A agonia me bateu duro, fazendo minha testa sair em gotas do velho suor. "Zack, olhe para ele. Talvez ele não devesse sentar-se." Oh, Jesus. Enfermeiro Noah. Eu não os chamei para que vocês pudessem vir cuidar de mim! "Não, eu estou bem, na medida em que posso estar. Precisamos chegar até ele. Estou com medo..." Eu não queria dizer o que eu temia. A dor nunca tinha sido tão ruim antes. Poderia ser porque PC estava em perigo terrível. Ou simplesmente porque o meu vampiro afiou os sentidos tornando-me tão mal. A outra opção era impensável. Eu fechei os olhos e sentei-me. "PC está vivo. Você teria sido capaz de senti-lo se ele morresse. Não seria dor, seria algo muito pior." As palavras calmas do Noah ajudaram. "Obrigado, Noah. Ouça, eu tenho tentando alcançá-lo na minha cabeça. Ele não está respondendo. Eu sei que ele só poderia estar drogado ou

330


nocauteado ou algo assim, mas eu não consegui nada desde que eu chamei você caras. Quanto mais esperarmos..." "Nós sabemos. Temos Leila e Amanda à procura de pistas. Elas começaram aqui e estão tentando rastrear seu cheiro." "Alguém contou para sua mãe?" Zack assentiu. "Ela está apavorada. Ela está recebendo um grupo de lycans em conjunto para procurar por ele também. Você é sua melhor esperança embora. Continue tentando acordá-lo. Se ele puder nos dar pistas de onde ele estar, temos uma melhor chance de encontrá-lo..." Zack não precisou terminar a frase. As últimas palavras foram "antes que seja tarde demais." Tentei ficar de pé. Eu sabia que era inútil ficar sentado no chão. Ele está tão mal que eu quase caí novamente. Ele precisa de você. Esse conhecimento foi o suficiente para mim ir, pelo menos, no sofá. PC, bebê, acorde! Eu não tinha certeza se eu estava fazendo a coisa certa, mas eu tentei pensar tão alto quanto eu poderia. Eu não recebi nada. "Tente novamente", Noah me disse. "Continue. Isso vai ter que acordálo eventualmente.” Então eu continuei. Eu gritei, murmurei, bajulei, implorei pelo que pareceram horas. „PC, acorde. Eu preciso de você, eu não posso fazer isso sozinho, eu amo você, precisamos que você volte...‟ e tudo que eu consegui foi nada. Eu estava exausto, da dor aguda torcendo no meu estômago e dos esforços infrutíferos para acordar PC do sono não natural em que estava. "Não está funcionando, caras", eu murmurei desanimado.

331


"Tente insultá-lo" Noah sugerido. "Às vezes, isso é o suficiente para chegar a alguém quando eles estão começando a desistir." Eu ri sarcasticamente. "Então ele está drogado e, possivelmente, meio morto e você quer que eu comece a gritar insultos para ele?" "Não. Pense em algo que iria realmente rachar sua pele e empurre-o para ele. Você pode pedir desculpas depois que nós o salvarmos." Eu dei a Noah um olhar cético. "Ei, vale a pena uma tentativa. Tem mais alguma coisa funcionando?" Ele tinha um ponto. Tentei empurrar para fora alguns insultos aleatórios, tipo aqueles que PC normalmente responderia com um movimento casual do seu dedo médio. Eles não funcionaram. Levei um tempo, mas eu finalmente tive uma ideia. Ela precisava de muita concentração. Eu nunca tinha feito nada parecido antes. Na minha cabeça eu comecei a construir uma imagem. Pensei em nossa cama, a cama que só PC já esteve comigo. Eu me coloquei na cama, suado, nu e parecendo como se eu estivesse a meio segundo de distância de ejacular. Em seguida, debaixo de mim, empurrando para o meu corpo que eu pus Zack igualmente nu e suado, e na minha frente, me beijando e acariciando a minha ereção, estava Noah. Eu quase ri, não importa o que eu disse a Lisa na outra noite, a ideia de ter relações sexuais com eles era completamente absurda para mim. Mas tinha que parecer sério. Como algo que realmente aconteceria se PC não acordasse e voltasse para casa, para mim. Assim que eu imaginei o quadro completo, e encharcado de calor suficiente para inflamar uma bomba atômica (e esperemos que PC) eu

332


empurrei para a noite diminuindo rapidamente, em direção a um local desconhecido. Concentrei-me forte, alternando a imagem para cima ligeiramente, tornando-se, alguma coisa, mais aquecida e ridiculamente irreal. Eu empurrei-o novamente em jorros, como se estivesse batendo em uma porta. Eu pensei que poderia estar funcionando. Eu não tinha certeza se eu estava tendo alucinações, mas eu pensei que eu estava sentindo as bordas indistintas da consciência de alguém, pegando as imagens que eu estava enviando e tentando processá-las. Eu esperava que não fosse o desejo... „Que porra é essa!‟ Não. O pensamento não foi desejo. Eu sorri. A voz na minha cabeça era fraca, irritada, e muito o meu PC. Fiquei tão aliviado que quase saltei para cima e para baixo. „Desculpe querido. Eu tive que acordá-lo de alguma forma. Nada mais estava funcionando‟. Uma onda de repulsa passou por mim. „Urgh. Por favor, não faça isso novamente. Eu nunca mais quero ver Zack e Noah nu... nunca.‟ Eu quase ri. Eu teria rido se a situação não fosse tão terrível. A dor no meu estômago diminuiu ligeiramente. "Ele está vivo," murmurei para Zack e Noah, que tanto deram um suspiro de alívio. „Você está bem?‟ ele perguntou. Estou certo? Eu não podia acreditar que ele estava preocupado comigo.

333


„Estou bem. Bem, eu vou estar quando encontrá-lo. Todo mundo está o procurando lá fora. Você está bem? Eles não te machucaram não é?‟ Eu não tinha certeza de como PC conseguiu cheirar na minha cabeça, mas ele fez. „Não, eles me fizeram um bife para o jantar e me deram um colchão de ar macio para dormir.‟ Eu não estava com disposição para brincadeiras. „Não é engraçado. Estou falando sério. Você está bem?‟ „Sim, eu estou bem. Eles trabalharam comigo ao longo bastante bem, mas não é nada que não vai curar com alguns banhos quentes e uma massagem longa, nu, do meu namorado.‟ Eu não podia acreditar que ele tinha a energia para fazer piadas. Eu fervi com o mero pensamento dele recebendo 'um trabalho.' Imaginei-o nu, machucado e sangrando, amarrado a uma cadeira ou encolhido no canto de algum espaço de cimento sujo. „Para com isso, bebê. Você é tão melodramático.‟ „Oh meu deus, eu acidentalmente lhe enviei essa imagem?‟ „Sim. Não estou tão ruim, eu prometo. Mas eu quero estar em casa com você. Venha me pegar.‟ „Claro! Onde?‟ Houve uma longa hesitação. „Merda. Eu não sei onde estou. Eles me colocaram em um quarto sem janelas.‟

334


„Concentre-se. Tem que ter alguma coisa, cheiros, sons, qualquer coisa.‟ Houve um silêncio dele por longos momentos assustadores. Eu não queria perder a minha conexão com ele mesmo por um segundo. „Miles?‟ „Sim estou aqui. Alguma coisa?‟ „É o tipo de aromas como as docas de fora.‟ Isso foi o suficiente para me mudar. Eu voei para fora do sofá, ignorando o meu corpo dolorido, e puxei meu casaco do chão onde eu tinha deixado cair quando eu vim. "Chame os outros. Estamos indo para o mar.” Zack e Noah pularam, reunindo casacos e telefones. "Ele disse para onde?" "Não. Ele disse que pode sentir o cheiro das docas." "Como cheiro de peixe, ou apenas molhado?" Repeti a pergunta para PC. „Cheiro de peixe definitivo.‟ „Talvez forte o suficiente para ser um mercado de peixe?‟ Eu quase podia senti-lo balançando a cabeça. „Sim, pode ser.‟ "Ok, pessoal. Onde estão os mercados de peixe? Faltam apenas algumas horas até o amanhecer. Eles provavelmente estariam transformando-se agora mesmo. Não é muito, mas é tudo o que temos para começar."

335


"Você tem internet sem fio aqui?" Olhei em volta do meu antigo apartamento raquítico, em seguida, revirei os olhos para Zack. "Eles poderiam ter utilizado este lugar como um conjunto de Gangues de Nova York. Tenho sorte que tem um telefone fixo e aquecedores que funcionam." "Tudo bem, eu vou usar o meu telefone", Zack nos disse, puxando um aparelho brilhante e complicado do bolso. Demais para mim, mas muito conveniente na situação atual. Ele digitou afastado em seu telefone por alguns minutos até que ele obteve a informação de que precisávamos. "Ok, caras temos o Hoi Cantar descendo no lado leste, a Central Peixe na cozinha do inferno, a AEG em Little Italy, porcaria há uma tonelada deles e eles estão por toda a cidade." Noah deu de ombros. "Nós temos que nos dividir, eu acho. Vou chamar a mãe de PC. Veja onde ela está." Zack fez alguns telefonemas rápidos dividindo as possíveis localizações entre nós, os outros vampiros e mãe de PC que estava tão aliviada que ele estava vivo que ela mal podia falar. Eu estava feliz que eles estavam tomando em frente à organização. A única coisa que eu queria me concentrar era em ouvir a voz de PC, certificando-me em todas as vezes que ele ainda estava lá comigo. „PC?‟ Eu tive que esperar por um segundo antes de sua voz voltar para mim. „Miles? Vocês vêm? Eu estou com fome.‟

336


Quase tive que rir. PC estava sempre com fome. „Estamos procurando, bebê. Verificando em torno dos mercados de peixe. Há um monte deles. Mais alguma coisa? Ruídos, cheiros, qualquer coisa que possa ajudar? Você se lembra de quanto tempo levou para chegar aí?‟ Ele fez um pouco de barulho bufando na minha cabeça. „Não. Eu estava nocauteado. Eu não tenho ideia de quanto tempo levou. A última coisa que me lembro de antes deste quarto era estar em nosso apartamento e transformando então recebi uma pancada sobre a cabeça e tudo ficou preto.‟ Meu estômago se apertou duro na ideia de ele ser nocauteado. „Vou procurar mais cheiros e ver se eu posso escolher qualquer outra coisa. A minha audição não é tão boa quanto a sua é.‟ „Tente, por favor. Preciso de você em casa. Você está sozinho?‟ „Sim. Eles chutaram meu traseiro e tiraram fotos de mim, mas, desde então, eles praticamente me deixaram sozinho.‟ „Bom. Concentre-se. Deixe-me saber se você ouvir ou cheirar algo, ok? Nós estamos saindo agora.‟ Houve um silêncio na minha cabeça por alguns minutos enquanto Noah, Zack, e eu descemos as escadas. Nós estávamos em um táxi em direção a cozinha do inferno, quando eu ouvi PC novamente. „Miles?‟ „Sim, você tem alguma coisa? Eu não poderia segurar, por estar mais animado.‟

337


„Não, ainda não. Seja cuidadoso. Eu te amo.‟ Emoções rodaram dolorosamente no meu peito: medo, pânico, amor, felicidade em ouvi-lo dizer que me amava... Mesmo que fosse apenas em minha cabeça. Sentindo-os todos de uma vez foi esmagador. „Eu também te amo. Vamos ter cuidado.‟ O Mercado de Peixe Hoi Cante era alto e malcheiroso, fornecedor após fornecedor esmagados em um espaço apertado, esmagador e nauseante. Eu não teria gostado de lá como um ser humano. Como um vampiro era quase insuportável. Era de manhã cedo, ainda não tinha nem mesmo uma sugestão do nascer do sol espreitando sobre o horizonte cheio, mas o mercado já estava ocupado, repleto de cozinheiros, donos de restaurantes, fornecedores e todos gritando a plenos pulmões para ser ouvido acima do barulho. Passamos ao longo do exterior. Eu mal podia olhar para as mesas repletas de atum, salmão, e vários peixes de todas as formas e tamanhos. Quando acontecia de eu ver ou pegar um aroma particularmente perfumado, meu corpo tremia e a bile subiria quase imediatamente na minha garganta. Eu não poderia ajudar procurando, especialmente porque não estava completamente claro sobre o que estávamos procurando. Na realidade, eu passei a maior parte do meu esforço combatendo o meu abdômen ainda doendo e a nova compulsão para vomitar a partir do rançoso cheiro fedido de peixe. Zack tirou a camisa para cobrir o nariz, aliviando um pouco o mau cheiro penetrante. "Deus, como é que as pessoas gostam disso?" Ele murmurou através do pano.

338


"Não é tão ruim para eles." Noah parecia esverdeado e como quem fosse vomitar. "O que estamos procurando?" Perguntei. Inferno de um caça para começar. Encontrar o amor da sua vida antes que algum lobisomem sádico faça um purê dele. "Estamos à procura de sinais de que os lobos estavam aqui, cheiros principalmente. Você deve tentar encontrar o cheiro de PC. Você o conhece melhor." "Como eu poderia sentir o cheiro dele no meio de toda essa podridão?" Zack lançou um sorriso para a minha escolha de palavras. "Você tem que colocar os cheiros desagradáveis fora de sua mente e se concentrar. Nós estamos indo através do mercado, em seguida, verifique as portas de todos os edifícios que o rodeiam. Deus seria bom se nós conseguíssemos na primeira tentativa." De alguma forma eu duvidava que nós tivéssemos. Ninguém teve a mesma sorte. Nós pisoteamos por meio do mercado, tentando não vomitar e esperando para escolher um cheiro estranho entre o manto universal de pestilência. Eu estava quase aliviado quando mudamos para as portas dos edifícios circundantes. A sensação de alívio teria sido completa se eu tivesse cheirado qualquer coisa remotamente parecida com PC ou qualquer outro lobo. Eu não tinha e nem Zack ou Noah tinham. Eu estava esperando que nós não tivéssemos o incômodo de procura-lo através de cada mercado de peixe na área da Grande Nova York. Havia

339


tantos. Como vampiros, uma grande parte do nosso grupo não ia estar fora seguro por muito mais tempo. Eu não acho que eu seria capaz de ficar esperando o dia inteiro e não saber se PC estava seguro ou não. Eu empurrei meus pensamentos para ele, não estando disposto a esperar mais para obter informações. „PC? Você tem alguma coisa, querido?‟ „Não. É mais alto, mais pessoas, mas isso é tudo.‟ Fiquei decepcionado. „Eu não acho que você está aqui. Eu acho que vamos para o próximo.‟ „Miles, que horas são?‟ Eu sabia por que ele estava perguntando. Eu não queria dizer a ele. „São cinco e meia‟. Droga minha incapacidade de mentir para ele. Mesmo em minha mente. „Você precisa chegar ao apartamento em breve. Não quero que você murche devido à teimosia pura.‟ „O sol não vem antes das sete. Eu estarei seguro. Prometo.‟ Eu cruzei meus dedos. „Não se atreva a mentir para mim, Miles! Você se cuide. Eles podem me bater um pouco, mas tenho a nítida sensação de que eles precisam de mim vivo. Eu quero você do mesmo jeito quando eu sair daqui! Assim, fique em segurança antes que o sol saia!‟ Seu pequeno discurso me bateu rápido e forte. Eu pude sentir sua irritação e a preocupação que surgiu a partir da sua voz. Hesitei um pouco, e

340


Noah e Zack olharam para mim, em causa. Era difícil esconder minha reação no banco de trás do táxi que estávamos em direção à cozinha do inferno e ao Peixe Mercado Central. "Você está bem?" Perguntou Noah. "Sim. Só tenho um pouco de uma palestra sobre eu estar seguro." Zack revirou os olhos. "Vindo do cara que foi sequestrado por lobisomens." Ele tinha se esquecido de manter a voz baixa. O motorista olhou para nós através de seu espelho retrovisor. Ele provavelmente pensou que éramos loucos. Zack corou um pouco vermelho. "Uh, é um jogo de caça ao tesouro que estamos jogando. Alguns dos personagens fingem serem lobisomens e vampiros." O taxista revirou os olhos e murmurou algo que soou como "conseguir um emprego." Ei, é melhor que ele ache que nós somos crianças com muito tempo em nossas mãos do que alguns malucos com um fetiche lobisomem. Esse era o tipo de coisa que ele diria a outros motoristas. Imaginei que seria melhor evitar ser mencionado, tanto quanto possível. Nós saltamos para fora da cabine no segundo que ele desacelerou parando perto do Mercado Central do Peixe. Noah jogou uma grana ao motorista e disse-lhe para manter a segurança. Quando eu saí, eu pensei que talvez eu tivesse sentindo como se PC estivesse mais perto de mim do que tinha estado antes. Então eu decidi que talvez eu esperasse que ele estivesse mais perto e eu precisava me concentrar na procura de seu perfume em vez de pensamento positivo para eu chegar a lugar algum.

341


„Estamos no próximo lugar, querido. Começando a olhar agora.‟ Estava quieto na minha cabeça por longos momentos, mas eu poderia dizer que ele estava lá, então eu não estava preocupado. „Desculpa. Eu estava tentando ver se eu podia ouvir ou cheirar algo de novo. Eu não posso.‟ „Está bem. Nós vamos encontrá-lo.‟ "Ei, você pode sentir isso?" A conversa na minha cabeça foi interrompida pela voz animada de Zack. Respirei profundamente e... Sim, eu podia sentir o cheiro. Não era exatamente o cheiro de PC, mas era distintamente canino e não o habitual cheiro de cão doméstico. "Iniciar a verificação dos edifícios; eles estiveram aqui!" Eu não poderia segurar

o

entusiasmo

da

minha

voz. Eu

não

queria

ficar

muito

prematuramente animado, mas porra eu não poderia ajudá-lo. Seria tão incrível se ele pudesse realmente estar assim tão fácil. Zack, Noah e eu nos separamos, verificando as portas e as entradas de serviço para os edifícios circundantes. Fui direto para o que parecia ser um armazém, pensando que era improvável que ele estivesse em um dos edifícios mais agradáveis. Eu pensei por um segundo que eu provavelmente assisti a muitos filmes e neles todo cativo estava em algum armazém abandonado, mas por que não? Eu já estava lá eu comecei a farejar o mais discretamente que pude, tentando pegar o cheiro de PC e dos outros lobos e os cheiros mais distantes de frutos do mar.

342


E então ele estava lá. Em uma porta lateral eu quase perdi um pedaço de pelo ruivo preso em um prego e cheiro único de PC, fino, mascarado pelos cheiros em torno do mercado. Oh, obrigado, foda, Deus. „Bebê, eu encontrei o edifício. Agora só tenho que chegar até você.‟ „Cuidado. Eu não sei o que está aqui.‟ "Zack! Noah! Venham Cá. Nós o achamos!" Fiquei tão aliviado que a minha voz tremia. Eles vieram correndo para a porta para encontrar-me segurando a pele de laranja na minha mão e inalando. "Ele tem que estar neste edifício em algum lugar." "Noh, chame a mãe de PC e deixe-a saber, onde estamos." "Ela não está com Komarov e os outros procurando no Bronx? Não estaremos esperando até eles chegarem aqui." Eu podia sentir o pânico na minha voz. Tenho certeza que Noah e Zack ouviram bem. Ambos sorriram. "De jeito nenhum estamos esperando pelo conselho Lycan. Vamos pegar o nosso menino." O edifício estava escuro e apertado, pequenos corredores irradiavam em labirintos a partir da porta que passamos. Cada um desses corredores tinha portas em intervalos regulares, talvez dez ou quinze pés afastados. Porra. Deve ter sido algum antigo prédio de escritórios. Havia muito chão depois de andar após andar um mar infinito de portas. „Você tem alguma ideia de quão alto você está?‟

343


„Não, mas você está mais perto. Posso dizer que muito.‟ „Bom.‟ Nós nos andamos ao longo dos corredores, verificando quartos, batendo em portas trancadas para ver se PC poderia nos ouvir. Ele me disse que sentia como se nós estivéssemos nos aproximando, mas ele não tinha ouvido nós falarmos em sua porta. Quando chegamos ao canto mais distante do prédio, havia uma escada. Nós andamos silenciosamente até as escadas, olhando em torno dos cantos para os guardas, ou quem quer que possa estar assistindo. O edifício estava estranhamente vazio. Eu teria esperado que o lugar estivesse lotado com vampiros e lobisomens, mas não tinha ninguém. Nós viramos a última curva e subimos o curto voo final para o segundo andar. Noah abriu a porta, em seguida, empurrou cautelosamente. Não era mesmo necessário. O lugar estava deserto apenas como no corredor do primeiro andar tinha estado. O que...? „PC? Tem a certeza de que estamos pertos? Este lugar é uma cidade fantasma.‟ „Sim! Você está mais perto agora. É quase como se você estivesse ao meu lado.‟ "Gente, eu acho que ele está neste corredor em algum lugar!" eu sussurrei excitado. Nós aceleramos, verificando as portas destravadas, encontrando sala após sala vazia. Fomos à última porta à direita, que estava trancada. Eu atingi a maçaneta e ouvi alguém se arrastando lá dentro. „Querida, é você?‟

344


"Sim, sou eu. Estou tão feliz que vocês estejam aqui!" Ele respondeu, a direita, do outro lado da porta. Eu poderia ter rido em voz alta; Fiquei tão aliviado. Noah, Zack, e eu trocamos sorrisos. "Saia de perto. Nós vamos ter que arrombar a porta para tirá-lo," Zack disse a ele. Eu podia ouvir passos arrastados de PC recuando. "Você consegue?" Perguntou Zack a Noah, que assentiu. Noah estava prestes a chutar a porta quando eu levantei meu braço. "Deixe-me fazê-lo." Noah assentiu, obviamente, compreendendo a minha necessidade de chegar a PC em primeiro lugar. Recuei, e com a nova força que eu ainda estava aprendendo a usar, eu bati meu calcanhar na porta à direita, perto da alça. O botão estremeceu quando o parafuso se soltou da madeira estilhaçada que cercava ele. Corri para o quarto não estando disposto a esperar ainda mais nenhum segundo para ver se PC estava bem. Eles não tinham o amarrado a uma cadeira e ele não estava encolhido no canto nu, mas a visão de seu rosto machucado e sangrando, o lábio cortado foi o suficiente para me fazer querer rugir de raiva e começar a matar quem foi o responsável. Cerrei os punhos, pronto para começar a quebrar as paredes, o chão, qualquer coisa que pudesse resistir a minha ira. Meu Deus. Esta é a forma como ele se sente quando estou em perigo. O momento de clareza não fez minha raiva mais fraca. "Miles venha aqui." O som de sua voz, por outro lado, fez. Ele precisava de mim, não minha raiva vingativa. Fui até ele, beijando seus pobres lábios

345


quebrados e escovar a boca através de suas pálpebras. "Desate-me. Meus ombros estão machucados." Eu fiz, e no segundo em que as suas mãos estavam livres, ele se virou e passou os braços em volta de mim me abraçando com força. Eu me agarrei a ele tão apertado, grato que eu podia senti-lo novamente. Ele estava com um cheiro diferente, roupas estranhas e ele parecia uma merda martelada, mas eu estava tão feliz em vê-lo e tocá-lo novamente que eu não poderia encontrá-lo em mim para me preocupar. Eu limpá-lo-ei mais tarde. "Estou tão feliz que você está bem. Você não viu quem fez isso?" "Não. Apenas os vampiros que me agrediram. Eu nem sequer os vi em horas." "Os vampiros? Então, por que sentimos o cheiro lobos lá fora?" PC deu de ombros e fez uma careta. "Eu não vi nenhum lobisomem. Eu não sei por que, Noah olhe para trás!" Noah abaixou e eu me virei a tempo de ver uma lâmina deslizar no ar sobre sua cabeça, direto onde seu pescoço estava. Fui para ajudar, mas Zack foi mais rápido. Ele chutou a faca pesada para a direita fora das mãos do vampiro. Ele caiu pelo chão, saltando da força que Zack usou para chutá-la. Noah não teve nenhum segundo de distração virou e pegou o vampiro em um aperto. Corri e peguei a espada, jogando-a para Zack, que a apontou direto no coração do vampiro. O vampiro contraiu contra Noah, lutando. Ele era enorme, muito maior do que qualquer um de nós, e parecia que Noah estava tendo um tempo difícil tentando segurá-lo para baixo. "Merda, Zack! Ele está fugindo! Noah não pode segurar."

346


Zack se moveu mais rápido do que eu sequer sabia ser possível. Ele bateu no peito do vampiro com a faca, abrindo um corte grande com raiva. O vampiro uivou, distraído por sua dor, o que deu a Noah o tempo que ele precisava para se apoiar. Zack manteve a lâmina apontada para o peito do vampiro, tão perto que eu não poderia dizer se ele estava cavando para o corte rápido de cura ou se estava apenas alguns centímetros de distância dele. O vampiro fez um esforço sem-coração lutando, o que resultou em Noah apertar mais e Zack empurrar a faca na pele do vampiro suficiente para um novo pequeno rio de sangue infiltrar-se através de sua camisa. "Jesus, deixe-me. Vou cooperar. Eu não me sinto querendo ser morto hoje." A voz do vampiro era profunda e rouca, irritava mais do que dava medo. "Onde está Silivasi?" Noah perguntou sem preâmbulos. Ele parecia escuro e agressivo, nada como a alma suave que eu achava que conhecia. Ele parou no pescoço do vampiro, empurrando-o contra o peito. Eu nunca tinha visto Noah assim antes. Fiquei impressionado e um pouco com medo dele. O fato de que eu tinha muito a aprender era muito aparente. "Não há Silivasi," o vampiro resmungou. Noah apertou sua garganta um pouco mais difícil. "Esfaqueei-o se ele se mentir de novo", ele disse a Zack, sua voz fria e metódica. Zack empurrou a lâmina um pouco mais difícil contra o peito do vampiro. Mais uma vez, fiquei impressionado... e surpreso. Imaginei que a atitude pacificadora de Zack só passou tão longe. Uma vez que alguém que

347


amava fosse ameaçado ele faria qualquer coisa para ajudá-los. Eu tinha que admitir que eu entendia. "Eu vou perguntar mais uma vez. Que o mandou aqui? Onde está Silivasi?" "Deixe-me levantar... e eu vou... Eu vou te dizer tudo o que sei." O rosto do vampiro estava ficando roxo e soou como se fosse uma luta para falar. "Não é muito leal, não é?" Noah perguntou quando ele afrouxou ligeiramente o estrangulamento que ele tinha no pescoço do vampiro. O vampiro respirou um longo suspiro e tossiu algumas vezes. "Jesus você aperta com força. E não, eu não sou muito leal. Não quando eu vou morrer, pelo menos. O bastardo não me paga o suficiente." "Silivasi?" "Não. Eu estava dizendo a verdade. Ele não existe." Zack empurrou a espada novamente, fazendo com que o vampiro se encolhesse e tentasse recuar. "A verdade, é melhor começar agora, ou então ele vai fazer muito mais do que cutucá-lo com essa coisa." "É a verdade! Não há Silivasi!" "Isso é impossível", Noah zombou. "Eu já ouvi histórias sobre ele toda a minha vida. Ele é um inesquecível e lendário de cada caçador." Ele apertou um pouco mais difícil e o vampiro grunhiu.

348


"Ugh... Eu acho que ele existe... mas ele está, provavelmente, na Floresta Negra, em algum lugar uivando para a lua. Isto não tem nada a ver com ele, foda, você vai deixar-me já? Eu estou cooperando como eu disse que eu ia!" "Eu não confio em você para não nos matar num segundo e me pegar de surpresa." "Pergunte ao seu pequeno amigo lycan. Eu não o machuquei. Nem por isso, de qualquer maneira." PC se separou de mim e acertou no rosto do vampiro. "Se não há Silivasi, então para quem você trabalha?" "O que você vai fazer para me proteger se eu ajudá-lo, Lycan?" "Eu vou dizer ao meu puto amigo vampiro para não se empurrar tão grande faca o resto do caminho em seu peito e eu poderia dizer ao conselho que você nos ajudou. Esperemos que eles deem uma merda e não se concentrem no fato de que você ajudou a raptar-me e Deus sabe mais o quê." O vampiro suspirou e baixou a cabeça contra o braço de Noah, seu escuro cabelo oleoso caindo pesadamente em seus olhos. "Você não tem ideia do que está acontecendo em seu precioso conselho lycan, seu pequeno filhote de cachorro estúpido," ele zombou PC, condescendente. "Do que você está falando?" "Eu estou falando sobre seus lycans serem corruptos, eles não valem metade do preço de uma prostituta. Eu nunca trabalhei para Andrian Silivasi. Eu trabalho para M..."

349


Houve um estrondo alto e a porta do quarto voou fora de suas dobradiças em direção PC e eu. Nós afastamos e ela bateu na parede, os estilhaços explodiram em todo o lugar. Olhei para cima em terror, esperando ver uma multidão de vampiros mercenários. Foi um grande alívio quando vi a mãe de PC aparecer com um magro homem de cabelos vermelhos no reboque. Menos de um alívio era o fato de que Michael Komarov os seguia. "Mãe, eu estou tão feliz que você está aqui, e... Pai!" PC soou tão aliviado quanto eu. Os pais de PC vieram para frente para abraçar seu filho. Sua mãe me abraçou também. "Mate o vampiro." A voz de Michael Komarov soou imperiosa sobre as saudações. Todos ficaram em silêncio por um segundo, em seguida, virou-se para ele. "Ele tem informações." "Não podemos só..." "Eu quero tirar PC daqui...” Todo mundo falava ao mesmo tempo. Eu, o recém-chegado, ficou para trás, olhando de meus amigos, os pais de PC, para Michael Komarov e um muito chateado procurando vampiro. De repente, lembrei-me o que ele disse logo antes que a porta tinha estourado fora de suas dobradiças: Eu trabalho para MNão havia nenhuma maneira. Mas eu não podia descontar o olhar que passou entre Komarov e o vampiro. "Mate-o," Komarov disse novamente, desta vez para Zack.

350


O vampiro girou para fora do alcance de Noah e se lançou para Zack, agarrando a faca dele. "Eu me recuso a morrer por você, idiota!" Ele gritou com Komarov, e girou no ar com a faca. Parecia defensivo. Mesmo que eu não achasse que ele estava com o objetivo de matar ninguém. Mas ele conseguiu chegar a PC, cortando-o em seu braço e peito através da camisa que ele usava. "Isto é o que o seu líder é," ele grunhiu apontou a faca enorme direto para Komarov, recuando pela porta enquanto falava. "Ele estava por trás de tudo." Então, em um silvar ofuscante de movimento, o vampiro desapareceu. A sala explodiu em movimento. Komarov se virou para correr para a porta, ou a perseguir o vampiro ou a escapar, eu não poderia dizer. PC, sangrava pálido, fui socorrê-lo. "Saia do meu caminho, você menino estúpido", Komarov rosnou, em seguida, no meio do caminho, ele se transformou em um enorme lobo cinzento e branco e atirou PC contra a parede antes de voar a partir do quarto, muito rápido. A crise quando PC bater na parede foi nauseante. Corri até ele, assim como ambos os pais de PC saltaram para o ar, transformado em lobos rosnando e correram atrás de Komarov. Zack e Noah olharam da porta de volta para nós algumas vezes, indecisão clara em seus rostos. "Vai pessoal!" Gritei. "Eu o tenho. Encontrem Komarov." Eles saíram correndo tão rápido quanto os lobos. Eu podia ouvir a porta bater nas escadas apenas alguns segundos mais tarde. Vou ter que tentar isso, eu pensei por um momento abstrato antes de voltar minha atenção para o corpo inerte aos meus pés.

351


Eu caí no chão e reuni PC em meus braços colocando sua parte superior do corpo contra mim para apoiá-lo. O peito dele estava vermelho brilhante, e quando eu cautelosamente tirei a camisa até o lado de sua caixa torácica olhei torto. Uma marca roxa enorme estava se espalhando sob sua pele. "Miles?" Sua voz era fraca, filiforme. Isso me assustou. "Sim, querido. Estou aqui. Você vai ficar bem." Eu não sabia se isso era verdade, mas eu precisava que fosse verdade. Não havia nada para mim se PC morresse. Eu comecei a rasgar minhas roupas, rasgando minha camisa em bandagens para parar o sangramento. "Os cortes vão ficar bem", ele gemeu. "Eu tive o ar batido fora de mim". Comecei a limpar o sangue do seu peito. Seus cortes foram se curando visivelmente, mas ainda parecia assustador e profundo. "Tem certeza que você não precisa ir para o hospital?" Eu poderia ter me dado um tapa na testa, logo que eu disse isso. PC riu fracamente. "E o que exatamente eles fariam comigo lá? Eu vou ficar bem." Eu ainda estava tentando limpar os cortes de PC quando os outros voltaram. "Onde está Komarov?" PC exigiu fracamente. Ele desconsiderou as tentativas de sua mãe para verificá-lo mais. "Mãe, eu estou bem. Onde ele está?" "Ele foi embora, querido. Estávamos muito lento. Vamos encontrá-lo, no entanto. A cada lycan na cidade está procurando por ele agora."

352


PC foi sentar-se, mas fez uma careta. "Acho que uma das minhas costelas está quebrada", disse ele em um gemido. Seu rosto parecia um pouco cinza para o meu conforto. "Existe algum lugar onde podemos levá-lo para verificarem? Quero dizer, obviamente o hospital regular, não vai funcionar." Eu ainda estava apoiando a sua parte superior do corpo contra as minhas pernas. Ele inclinou a cabeça para trás e sorriu para mim. "Sim, temos médicos, Miles. Ele vai ficar bem. Georges, amor, você ainda não conheceu Miles ainda. Ele é o companheiro de PC." PC levantou a mão para cobrir a minha onde ela repousava sobre o seu peito. Eu sorri para o homem ruivo alto que tinha os lábios cheios e maçãs do rosto salientes do PC. Eu fiquei preocupado por um momento até que ele sorriu para mim, o rosto aberto e amigável. "Sinto muito que não pude ter te encontrado em melhores circunstâncias", ele me disse em um leve sotaque Inglês. Zack e Noah, que estavam de pé silenciosamente, vieram para frente. "Ei caras?" Noah disse calmamente. "Precisamos sair em breve. Vai amanhecer em menos de uma hora." PC começou a se mover. "Alguém pode me ajudar?" Cinco conjuntos muito preocupados de braços foi para levantá-lo. Ele riu fracamente. "Talvez só Miles, hein?"

353


Eu passei seu braço em volta do meu ombro e puxei-o para cima, o mais suavemente possível. "Você está bem?" Perguntei, uma vez que eu tinha-o de pé. "Sim." Sua pele estava ainda mais pálida. "Vamos ao médico para que eu possa obter algumas drogas pesadas."

354


Capítulo 20 Negócio Inacabado PC desligou o telefone e caminhou até o sofá onde eu estava sentado, valentemente tentando escrever um esboço para uma das minhas teses de Inglês, e deixou-se cair ao meu lado. No momento, eu senti que não havia nenhuma maneira que eu passasse em nenhuma das minhas aulas. Mesmo com o atestado falso do médico feito às pressas proclamando que eu tive mono e teria que trabalhar em casa, e até mesmo com a oferta generosa de Zack para ajudar, eu ainda estava deslizando mais e mais para trás. É claro que a minha falta de ética de trabalho não tinha absolutamente nada a ver com o esfregão de cachos castanho-avermelhada que havia desembarcado no meu colo interrompendo meus cartões de nota cuidadosamente organizados. Ele estava dormindo nas últimas horas, dopado em analgésicos suficientes para derrubar um elefante. A ligação de sua mãe havia lhe puxado para fora do coma e, aparentemente, ele estava acordado o suficiente para vir para mim, mas ainda pateta suficiente para não ter ideia de onde ele estava lançando seus membros. "Ei! Eu tinha tudo organizado. Eu vou ter que começar de novo, você sabe." "Desculpe querido." Ele me deu aquele bonito sorriso envergonhado que eu era tão completamente apaixonado. Eu nunca poderia ficar irritado quando ele sorria assim.

355


Inclinei-me e beijei-o, em um ângulo estranho e tudo. "Não, você não é. Não importa de qualquer maneira. Eu não estava realmente trabalhando tão forte. Eu não sei por que eu mesmo finjo ir à escola da minha mente. O que sua mãe disse?" Eu ouvi pedaços do seu fim, mas eu queria mais do que apenas a essência da conversa. "Mais do mesmo, que é essencialmente nada." Ele parecia frustrado. "Nenhuma noticio de Komarov?" "Hum uh. Ele é como um fantasma. Desapareceu”. PC fez um barulho crescente irritado, um de seus ruídos de assinatura que eu conhecia tão bem. "Quando penso no que ele fez, em quantas crianças morreu. Eu ainda não consigo acreditar. Seu próprio povo!" "E quem estava trabalhando com ele no conselho não vai continuar?" "Não. E eles conseguiram cobrir seus rastros bem. Nós vamos chegar ao fundo disto, eventualmente, no entanto." "O que vai acontecer com eles quando eles o descobrirem?" PC estremeceu. "Eu não sei. Traidores não são apreciados em qualquer lugar, mas com a lealdade lycan e honra são tudo. A morte parece boa em comparação com tudo o que acontecerá com eles." "Merecem-no pelo que fizeram. E poderia ter sido muito pior. E se ele conseguiu realmente começar uma guerra com os lobisomens? Para eles, isso parecia ser um ataque sem provocação. Eu não posso nem imaginar as repercussões. Assim, muitos mais poderiam ter morrido."

356


PC se contorceu e sacudiu-se, livrando o corpo do mau pensamento. "Horrível. Estou feliz que nunca foram tão longe. O que já aconteceu foi ruim o suficiente." "O que ele estava pensando?" Eu me fiz essa pergunta um milhão de vezes. O que Komarov tentava ganhar com tudo isso? Se ele tivesse realmente sido bem sucedido em começar uma guerra e matar metade dos lycans, qual seria a parte boa disso? "O inferno se alguém fosse saber o seu final do jogo. O homem é um louco. Ele não contou muito aos vampiros. Nenhum dos cumplices que temos sob custódia realmente sabia nada além de que ele estava pensando em se livrar da 'confusão burocrática que era o conselho lycan'. Eu estou supondo que, quando os burocratas, finalmente, alcançá-lo vai ser algumas sessões de perguntas e respostas muito intensas." O sorriso de PC era mau. "Eu gostaria de ser uma parte disso." Apertei o meu domínio sobre ele instintivamente. Eu não queria que ele mesmo estivesse no mesmo edifício com aquele lunático. Ele me deu um sorriso. "Não se preocupe, querido. Eu estou tão longe para baixo na hierarquia de importância lycan que não há nenhuma maneira que eu vá estar lá, mesmo se eu quisesse." "Bom. Não que eu inveje a sua libra de carne, eu estou apenas feliz que você estará longe dele. Alguém já descobriu por que ele havia lhe raptado pelo caminho? Parecia ser uma espécie de tangente estranha de toda forma." "Nós só podemos imaginar que era para incitar ação. Os mais velhos tinham votado em tentar negociações de paz com Silivasi. Que não ia

357


trabalhar

para

Komarov,

de

muitas

formas. Ele

queria

a

guerra,

provavelmente para que ele pudesse parecer como um grande herói, e, obviamente, ele precisava manter o conselho o mais longe de Silivasi quanto ele pudesse obtê-los. Eu não posso imaginar o que vai acontecer quando Silivasi souber de tudo isso." "Merda." Isso ainda não tinha me ocorrido ainda. "Sim. Isso seria um tipo de entretenimento deixar Silivasi destruir Michael Komarov em pedaços." "E você tem certeza que Silivasi não é apenas um mito?" PC assentiu. "Ele é real. Ouvi dizer que ele é uma espécie de maluco: andando em torno de sua antiga casa grande e assustadora como o Conde Drácula com capas compridas e merda." Revirei os olhos. "Você não pode estar falando sério." Ele encolheu os ombros. "Provavelmente apenas histórias. Mas ele ainda está vivo. Isso eu sei. Penso que o Conselho chegou a enviar um delegado para falar com ele. Certifique-se de que eles não o culpem por tudo isso que aconteceu para sobrar pra ele por qualquer motivo." "Eu pensei que ele odiava lycans." PC riu. "Ele faz. Eles não são tão estúpidos. Eles enviaram um caçador: alguma criança humana burra que se ofereceu para ser isca." "Ei!" Eu cutuquei duro no lado. "Eu não sou „algum ser humano burro' há muito tempo."

358


"Sim, mas você era meu homem calado que eu amei você de qualquer maneira." Eu o coloquei no lado novamente, mas foi principalmente para encobrir o pequeno salto estranho que meu coração fez quando ele disse que me amava. Mesmo que eu soubesse que era verdade, era sempre bom ouvi PC falando. Eu não tinha ouvido as palavras muitas vezes. E eu estava bem com isso. Eu fui. Eu sabia que ele me amava, mesmo que ele não dissesse muito. Mas, às vezes, que ele disse me fizeram se sentir tão especial. Ele se contorceu quando eu cutuquei no lado, então ele deve ter decidido que queria se mover porque ele se arrastou até ele ficar em cima das minhas coxas, sempre uma posição que eu achava irresistível, assim como muitas delas eram. Livros e notas completamente esquecidas, eu apertei meus dedos ao redor de seu pescoço e puxei-o para um beijo. O beijo estava apenas começando anos levar para o lugar onde eu estava indo para começar a rasgar as roupas dele quando ele gemeu e se afastou e começou a se levantar. Liguei meus dedos na cintura de sua calça de flanela e puxou-o de volta para onde ele tinha estado. "Por que você parou? Pensei que tinha decidido ignorar as regras e você está se sentindo muito melhor, certo? É daqui a duas semanas até a cerimônia. Não posso deixar de tocá-lo por tanto tempo. Eu vou ficar louco". "Não são os lycans, bebê, ou minhas costelas. Você tem que trabalhar em seu material escolar. Eu prometi a ela." Oh senhor. Minha mãe.

359


Eles se conheceram pelo telefone dois dias antes e, aparentemente, ela tinha dado a PC uma palestra real sobre ele se certificar de que me formaria. Eu não tinha contado a ela sobre, também... o resto ainda, mas ela sabia sobre PC e eu e a cerimônia e moveu-se em conjunto. Ela rejeitou a ideia em primeiro lugar e me disse que eu deveria esperar até que eu tivesse 'certeza' o que me fez rir e o que por sua vez a fez com raiva. Demorou alguns argumentos muito opinativos em que eu expressei a minha firmeza completa antes dela perceber que não havia nenhuma maneira que eu estivesse esperando até que eu tivesse trinta anos para ficar com PC sempre e ela apenas ia ter que lidar com isso. Eu tive que dar o meu crédito a minha mãe por levá-lo bem, uma vez que ela percebeu que tinha perdido. Ela simplesmente nos desejou felicidade e insistiu em ter uma longa conversa com PC. Aparentemente, nessa longa conversa foi incluído o tema de eu conseguir um diploma e não querer ouvir sobre o romance que vem antes do trabalho escolar. Eu queria dizer a ela o resto, eventualmente, mas apenas o pensamento da conversa deixou-me com colmeias no estômago. Eu provavelmente teria sido capaz de ignorá-las completamente se eu me tornar-se um lycan, mas desde que eu não podia sair durante o dia, às coisas iriam ficar estranhas muito rápidas se ela não soubesse. Eu não tinha ideia do quão bem sucedido que a conversa ia ser, mas eu nunca tinha escondido algo grande dela antes e de alguma forma eu estava indo para ter certeza que essa não seria a exceção. Eu tinha que fazê-la entender. Pelo menos o que deveria ter sido a parte mais difícil, fazendo-a acreditar que era verdade, não seria muito difícil em tudo. Demonstrações físicas tendem a colocar pensamentos céticos para descansar muito rapidamente. Eu esperava que ela não surtasse. Foi um

360


conforto lembrar o quão bem ela tinha tomado a revelação de que eu era gay. Talvez eu ser um vampiro e se casar com um lycan não seria de todo ruim também. Eu coloquei o rosto de PC em minhas mãos e lhe dei um beijo, precisando do contato sério e sério como necessitando tirar suas roupas, como, de imediato. "Bebê, eu não vou poder me concentrar nos meus papeis agora. Tudo o que eu vou ser capaz de pensar é em você nu e sentado no meu colo." Ele engoliu em seco. "Sim? E eu estaria sentado em qualquer outra coisa?" Sem vergonha. Eu pisquei para ele. "Talvez. Foram cinco dias inteiros de não fazer nada, só afago. Eu sinto muita falta de... algo mais." Eu só estava brincando, claro. Eu nunca teria posto em causa a sua segurança apenas para satisfazer a minha necessidade interminável dele. Mas talvez agora estivesse tudo bem. As feridas superficiais foram todas embora. Eu tinha ficado fascinado assistindo-o curar tão rapidamente. Mas ele foi ferido gravemente e cada instinto protetor que eu tinha me fez querer cuidar dele. Não significava que eu não estava morrendo de vontade de tê-lo de dentro de mim... Ou o contrário. "Eu sei, eu também. Acredite em mim tem sido um tempo muito longo de cinco dias." Eu sorri. Obviamente, ele também estava. "Eu estou quase curado agora. Se formos cuidadosos..." Era apenas a costela quebrada que ainda doía. Ele estava dormindo com cautela e esfregando-o distraidamente, mas eu poderia dizer que não estava tão mau como antes.

361


Estendi a mão para a bainha de sua camisa, tocando os meus dedos em todo o calor suave de sua barriga. Ele suspirou feliz e levantou os braços para mim para se livrar da camisa, mas estremeceu quando minha mão passou por cima de suas costelas. Sua expressão me fez parar, camisa na mão. "Você tem certeza que está bem?" PC simplesmente assentiu com a cabeça e se inclinou para me beijar. "Preciso de você. Por favor? Nunca cheguei a sentir você em mim antes e você fez a promessa." Oh. "Sério? Achei que você tinha tipo esquecido disso." Ele revirou os olhos. "Você já esqueceu?" "Bom ponto." PC riu e puxou a minha camisa, levantando-se do meu colo tempo suficiente para eu começar a abrir o meu jeans tirar fora das minhas pernas. Eu arranquei o seu da sua cintura, também, impaciente pelo contato que eu tinha tentado não perder na semana passada. Ele se levantou e empurrou o pijama que ele estava vestido fora de seus quadris, deixando-os deslizar para o chão. Então, ele inclinou a cabeça para a nossa cama e estendeu a mão. Sim, ele estava certo. Nós não estávamos fazendo isso em um sofá brutamente puído antigo. Peguei sua mão e deixei-o me arrastar para fora do sofá e em seus braços. Nós esfregávamos um contra o outro, pele quente, lábios com fome.

362


"Perdeu seu toque", ele murmurou contra os meus lábios. Como eu disse, eu tentei não perder exatamente a mesma coisa, mas não funcionou muito bem. Eu afundei meus dedos em seus cachos em ruínas brilhantes e acompanhei-o para trás, beijando-o, à beira da cama. Era tão tentador apenas tombar e cair sobre o colchão, mas eu ainda estava desconfiado de suas costelas e quaisquer outras partes da concussão invisíveis. O abandono selvagem teria de

esperar

por

outra

noite,

quando

PC estivesse

completamente curado. Em vez disso, eu me ajoelhei sobre as cobertas ainda amarrotadas e puxei PC tão perto quanto pude sem feri-lo. Nós nos ajoelhamos juntos, joelho junto com joelho e enchendo nossas mãos com pele e músculo e carne dolorida. Ele sufocou o rosto com carícias barulhentas molhadas, lambendo meu pescoço e mordendo a parte macia da minha orelha. Cautelosamente, eu o deitei no lençol, roçando as pontas dos meus dedos sobre as curvas e os planos de sua pele. Realidade tinha sido um grande despertador. Eu não queria admitir que ele fosse frágil, quebradiço. Eu tinha medo de ver quão facilmente ele poderia se machucar. Ele parecia invencível. Eu queria tratá-lo com tanto cuidado. PC deve ter lido minha mente. "Eu não vou quebrar, bebê. Toque-me." E eu fiz. Toquei-o em todos os lugares, preguiçosamente explorando a pele macia da sua barriga, seu pau duro de veludo, as pregas sedutoramente apertadas da pele por trás dele. Ele cantarolava e gemia seu encorajamento, rangendo os quadris no meu dedo em busca de mais pressão.

363


"Porra. Esqueci como é bom, como se sente." PC espalhou suas coxas largas. Minha respiração ficou presa por um segundo, mas me recuperei e pressionei um pouco mais duro em sua entrada, dando-lhe algo para empurrar. Ele estendeu a mão sobre a mesa de cabeceira, batendo a palma da mão para baixo no tubo de lubrificante que tinha estado lá desde a última vez... cinco dolorosos longos dias atrás. "Dentro", insistiu, colocando o lubrificante em seu estômago onde eu poderia facilmente alcançá-lo. Eu pensei que em vez disso eu pudesse tentar outra coisa. Correndo para baixo através da confusão de cobertas, me mudei meus ombros entre as coxas trêmulas de PC. Eu beijei o meu caminho em volta dos joelhos e os músculos flexíveis de suas coxas. Eu lambia no vinco entre suas coxas e seu torso e até a parte inferior de sua ereção elástica, o que causou gemidos e gemidos e não tão sutilmente puxando meu cabelo. Então eu abri as pernas ainda mais longe e fui para ela. Eu não tinha nenhuma experiência; Eu só tinha que confiar que o meu corpo sabia como agradá-lo. O primeiro toque hesitante da minha língua à sua entrada o tinha arqueando para fora da cama, com a boca aberta em choque silencioso. Quando eu abri as bochechas e rodei suavemente novamente, ele começou a gemer e eu ganhei a confiança no novo ato. Eu me alegrava com seus gritos de êxtase e respirei o almíscar suado do cheiro de sua excitação. Eu brinquei com ele durante longos minutos, empurrando mais difícil com a minha língua, abrindo-o para mim, colocando seus quadris se contorcendo em minhas mãos.

364


„Porra... ame... para sempre... Meu. Dentro favor!‟ As palavras explodiam em minha consciência em pulsos, desesperadas, quentes. Eu tinha me acostumado com a comunicação silenciosa. Havia alguns dias em que mal falávamos em voz alta. Mas era diferente quando ele estava na nossa cama, revirando os quadris e me dizendo o quanto ele precisava de mim para transar com ele. Eu quase babei. Um último puxão em meus ombros me convenceu. Eu rastejei para trás do seu corpo, beijando e chupando pequenos pedaços de sua carne na minha boca, necessitados. Quando cheguei ao topo, com seus deliciosos lábios inchados, eu tinha que beijá-lo. Eu sempre tinha que beijá-lo. Eu tinha certeza que me levaria algumas vidas até começar a superar esse vício. Quando o beijo acabou, estávamos ambos sem fôlego. PC olhou para mim com paixão, drogado, olhos pesados. "Deus, você é sexy", eu respirei arrastando meus polegares sobre seus mamilos. PC desviou para pegar o lubrificante que eu tinha derrubado fora de seu estômago em algum momento nos últimos minutos. Ele colocou-o ao lado de onde a minha mão estava descansando no edredom antes dele se inclinar para me beijar novamente. "Isso é uma dica?" Eu ri. Então eu chupei um de seus pequenos mamilos planos em minha boca. "Uma ordem. Dentro, bebê. Agora." PC gemeu impotente quando eu usei meus dentes para raspar o seu mamilo.

365


"Ok, mas só porque eu te amo", eu provoquei, tentando manter minha voz firme. Eu estava tão ligado que eu estava tremendo. Peguei o lubrificante e apertei uma piscina generosa em minha mão, espalhando-o em mim mesmo antes de tomar dois dedos lisos e afundá-los lentamente no abraço apertado de seu corpo. Eu chupava seus mamilos e seu pescoço, trabalhando-o cuidadosamente com os dedos. Era difícil ser paciente com os gemidos quentes e mais gemidos derramando-se dele, enchendo o pequeno espaço da sala. Eu queria o calor apertado que estava em torno dos meus dedos, queria afunda-los até que eu sentisse como se o seu coração batesse no meu peito. E então estava acontecendo. Eu estava empurrando para dentro dele com o meu pênis dolorido, tentando romper os músculos que pareciam ficar apenas mais apertados. Eu finalmente estalei ofegante, no intenso calor do seu corpo. "Ai espere." Seu rosto estava dolorido, suas mãos em punhos nas tampas. "Você quer que eu pare?" Era exatamente o que eu não queria que acontecesse. Eu estava tão duro que eu me machucaria, mas eu pararia se ele quisesse. Eu comecei a puxar para fora. "Não, eu disse que esperasse." Ele arqueou e empurrou com os quadris para me manter em seu corpo. "Ok, vá mais longe... apenas mais lento." Eu entendi que era assustador para ele, e novo, e fê-lo vulnerável. Eu apenas tenho que fazê-lo como ele queria. Eu tinha que fazê-lo deixar o pânico e adorar.

366


Eu empurrei mais, parando para esfregar sua ereção, tocando. Ele resmungou e deslocou-se para aceitar o meu corpo, mas eu não vi a felicidade selvagem. Tentei de novo, empurrando em um ângulo diferente. Não foi até que ele gritou que eu soube que tinha encontrado o que precisava... bem, comecei a amá-lo. "Sim", ele gemeu, e eu fiz isso de novo apontando para sua próstata. "Bebê, ali mesmo. Tão bom." Eu não disse nada. Eu estava com medo que eu não fosse capaz de falar. Seu corpo estava apertado e quente e me senti tão bem que eu mal podia respirar completamente. Eu bombeei meus quadris em pequenos movimentos curtos, tentando acertar sua próstata cada vez que me movesse. PC gritava mais e mais, respirando com dificuldade, jogando a cabeça para trás e para frente sobre o travesseiro. Ele me pegou desprevenido quando ele serpenteou um braço para me puxar para um beijo. Eu tropecei quase me pegando com os meus cotovelos antes de eu cair em cima dele. Ele jogou seus tornozelos sobre a minha parte inferior das costas e afundou os dedos no meu cabelo. "Eu te amo tanto", ele engoliu em seco antes dele rebocar seus lábios nos meus. "Eu também te amo", eu engasguei quando veio à tona para respirar. Eu mal podia respirar. Eu não me importava. O círculo estava completo. Eu era dele e ele era meu, alma e coração, agora corpo também. E como na livraria, longas semanas antes, eu senti uma mudança, maior, mas não menos

367


elementar, o mundo girou em um grande círculo, em seguida, chegando ao descanso em silêncio, como se numa bênção, que nos rodeasse. "Você sentiu isso?" Eu sussurrei meu corpo ainda dentro dele. "Sim." Não havia temor em seu rosto, misturando-se com amor e desejo e tudo o que me fez querer segurá-lo apertado e nunca deixá-lo ir. "Não é possível se livrar de mim agora", ele sussurrou de volta. O momento parecia sério demais para falar em voz alta. "Como se eu quisesse." Mudei-me então, circulando meus quadris ao alcance de suas coxas. PC arqueou em mim cegamente e eu alcancei entre nós com uma mão lisa de lubrificante e passei meus dedos ao redor de seu pênis. "Bebê... não. Eu vou chegar muito em breve," ele gemeu quando eu brincava com a pele macia esponjosa ao redor de sua ponta. Eu queria vê-lo perder-se completamente. Não demorou muito. Com algumas puxadas em sua ereção ele se foi, tremendo e silencioso, costas arqueadas em êxtase agonizante. Eu me deixei, também, fechei os olhos e deixei a lavagem de prazer sobre minha espinha. Eu rolei para fora dele o mais rápido que pude, não querendo contundir ainda mais suas costelas já doloridas. Ele me seguiu e atirou o braço sobre meu peito. "Hum," ele gemeu baixinho. "Você está bem? Ferido?" "Não. Eu estou bem. Você foi fantástico." Sua voz era solta e balbuciada, sua respiração lavava em meu mamilo.

368


Eu não poderia evitar o meu arrepio. "Assim fez você." "Eu te amo, Miles." "Eu também te amo, PC." Eu beijei o topo da sua cabeça e o toquei com um de seus cachos emaranhados na cama. "Com sono agora, ok?" Ele esfregou a mão letargicamente ao longo do meu peito, em seguida, para baixo para o meu quadril, possessivo. "Tudo bem, querido." Eu me senti sonolento, também, à deriva e quente e coberto por meu namorado suado, sexy que ia ser muito mais em poucas semanas. Era fácil esquecer-me das pilhas de blocos de notas espalhadas pelo chão e fechar os olhos para uma soneca rápida.

369


Capítulo 21 Primeira Noite Eu rolei para o desvanecimento de um brilho rosa de um por do sol no início do inverno, que estava espiando através dos cantos das cortinas. Fechando os olhos, eu coloquei a minha mão para proteger meu rosto a partir da luz que se tornou significativamente mais desconfortável nas últimas semanas. As novas cortinas que PC tinha escolhido quando eu fiquei ligado pela primeira vez geralmente fez o truque. Era somente em momentos intensos, como o nascer do sol e do pôr, quando eu sentia ainda um pouco de desconforto. E eu gostaria de saber. Eu estive até quase o dia inteiro olhando para o teto, incapaz de dormir, incapaz de processar qualquer coisa diferente do que a minha grande emoção e nervos esmagadores. Era esta noite. Esta noite. Eu sorri, mas não pude evitar o enxame de borboletas que levantou voo no meu estômago, ao mesmo tempo. Depois de tudo o que tinha passado eu teria pensado em uma pequena cerimônia, algumas palavras formais expressando as promessas que eu já tinha feito a PC mil vezes em meu coração, não seria tão importante. Não havia explicação quanto muito importante que, de repente, passou a ser. Eu me mudei para o outro lado da cama de PC algumas horas antes, não queria acordá-lo com o meu jogar e virar, mas eu percebi que eu precisava tocá-lo. Certo então. O instinto, o vínculo, havia assumido meus nervos dizendo ao meu corpo que eu seria mais feliz se ele estivesse em meus

370


braços. No conjunto, era mais fácil do que tinha sido no início. Poderíamos ficar longe um do outro por horas em um tempo sem desconforto se quiséssemos: o que normalmente não o queríamos. Mas de vez em quando, eu tinha esses surtos, geralmente quando alguma coisa estava me incomodando, então eu tinha que tocá-lo ou eu teria essa sensação de náuseas e pânico que eu conhecia tão bem desde o início. Lançando-me debaixo das cobertas, me enrolado em torno da forma adormecida quente de PC. Como sempre, senti-me tremer um pouco enquanto meu corpo estava realinhando-se a sua presença, eu sorri. Senti-me tão bem. PC fez um barulho de murmúrios suaves e estendeu a mão para entrelaçar seus dedos nos meus onde descansaram em seu peito. "Olá bebê. Estou prendendo você." Sua voz era dorminhoca: sexy e suave e me fez querer afundar nele de todas as maneiras que eu pudesse. "Não consegui dormir. Eu não queria acordá-lo." "Eu não teria me importado." Eu podia ouvir o sorriso em sua voz quando ele balançou sua bunda contra mim. "Bem, nesse caso," Eu o provoquei e me inclinei para sugar delicadamente o seu pescoço. Mas eu não quis dizer para ele ir mais longe do que isso. Parecia errado de alguma forma para fazer mais. Eu me senti como se deveríamos, bem, como devêssemos esperar. Uau, os lycans estão passando para mim. "Como é que você não conseguia dormir? Nervoso?" PC se mexeu contra mim novamente e arqueou as costas em um trecho.

371


"Não, quero dizer, eu não deveria estar. Sou só eu e você prometendo um ao outro que nós sempre estaremos juntos, o que já sabíamos. Talvez seja o público." E haveria uma audiência, mas o que eu queria. Não era só a tradição do tribunal lycan completa, mas a minha mãe e a família de PC, Lisa, Zack e Noah e os outros. As únicas pessoas com quem eu jamais poderia imaginar fazendo isso na frente. "Eu sei o que você quer dizer. É uma sensação diferente quando somos somente nós." Ele virou então ele estava de frente para mim. "Talvez ajude se praticarmos." Eu enterrei meu rosto em seu peito e ri. "Ok, certo." "Eu quero dizer isso." Ele levantou meu queixo e beijou-me, lento e suave. "Vamos dizer tudo um ao outro agora e, em seguida, talvez a gente não vamos ficar nervosos aconteça o que acontecer porque esta noite já dissemos tudo isso aqui. Quando era importante para nós." Eu ia rir de novo quando eu vi o quão sério ele estava. Ele realmente queria fazê-lo ali mesmo, eu e ele, e nenhuma audiência. Ele pegou as minhas duas mãos e segurou-as em seu peito nu. Eu podia sentir seu coração batendo, sólido e forte contra a palma da mão. Ele esfregou o nariz contra o meu em uma metade humana e metade gesto bem... ele. Em seguida, ele abriu os olhos grandes de ouro e olhou para mim, sem piscar. Respirei fundo, antes que eu beijasse a ponta do seu nariz e me afastasse para olhar para ele. "Ok. Agora ele é." Eu tentei ignorar como as minhas mãos tremiam sob a sua. "PC... Pascal." Eu sorri nervosamente. "Antes mesmo de eu te conhecer

372


eu já precisava de você; na minha vida, nos meus braços, no meu coração. E desde aquela primeira noite no beco eu sabia que pertencíamos um ao outro. Meu corpo inteiro apenas... clicou. Como se ele soubesse que eu estava encontrando meu par perfeito. Eu sou seu para sempre, meu amor. Sempre que você precisar de mim, estarei lá ao seu lado." Beijei-o, em seguida, como se para selar as minhas palavras, e descansei minha testa contra a dele antes de tirar de volta para sorrir para ele. O sorriso no rosto de PC fez meu coração bater muito mais rápido, batendo feliz contra minhas costelas. Ele pegou minha mão em seu peito e beijou meus dedos antes de soltar, pressionando-a contra seu coração. "Miles." Ele fechou os olhos por um segundo e respirou lentamente. "Antes, eu estava contente com a minha vida. Eu pensei que tinha tudo o que eu queria e não queria que nada atrapalhasse meu equilíbrio. Então você veio embaralhando junto e, com um beijo, teve tudo o que eu pensei que eu queria e transformou-o de dentro para fora. Eu não posso imaginar sobreviver um único dia sem o seu toque, acordando para outra coisa senão o seu sorriso. Eu nunca mais quero ter que tentar; Eu vou te amar para sempre. Você é meu coração e minha alma, e eu prometo nos proteger com tudo o que eu tenho até meu último dia na terra." Eu o encarei sem palavras e incrédulo com ele por longos momentos, as lágrimas picando em meus olhos, antes dele puxar seu rosto para o meu para um beijo emocional desesperado. Ele passou os braços em volta de mim e abraçou apertado. Ele estava certo. Não importava o que acontecesse mais tarde naquela noite, no dia seguinte, ou cinquenta anos a partir de então. O que importava

373


era a maneira como ele me segurou naquele momento e prometeu me amar para sempre e da maneira que eu o contive e derramei cada gota de minha alma nele. "Será que isso ajuda?" Ele murmurou em meu ouvido. Eu ri trêmulo e assenti esfregando meu rosto contra seu pescoço e apertando meus braços. Depois de muito tempo nos separamos, deixando cair pequenos beijos sobre as bochechas e nariz um do outro e lábios. "Eu te amo", eu sussurrei uma última vez, só para ele. PC estendeu a mão e arrastou seu polegar sobre meu lábio inferior. "É hora de se vestir. Estar pronto?" "Sim, eu estou pronto." Sorrimos um para o outro por um minuto antes dele fugir para a borda da cama e cuidadosamente testar o piso de madeira frio, com os dedos dos pés. "Precisamos obter um tapete para o chão aqui", disse ele, encolhendo-se nas placas velhas geladas e levantando os pés de volta para o quadro da cama. "Eu sei. Eu tenho sentido isso por um longo tempo." "Ou podemos obter um novo lugar completamente." Ele me deu um sorriso tímido, como se pensasse que eu ficaria triste em ver meu apartamento maltrapilho ir, e afastou a minha franja da minha testa. "Nós podemos? Quer dizer, eu não me importaria de apenas movendose para o seu lugar. É muito melhor do que isso."

374


"Não. Eu acho que você e eu precisamos de algum lugar que seja só nosso. Nenhum companheiro de quarto curiosos, só você e eu." "E você pode fazer isso? Meu trabalho na livraria não gera exatamente muita renda." "Sim, umm. Isso não é algo que você vai ter que se preocupar mais." Suas bochechas ficaram rosadas. "Nós podemos começar a olhar em algumas semanas... quando eu finalmente deixá-lo fora da cama, é claro." Eu sorri em antecipação e estendi a mão para escovar minha mão sobre seu abdômen, um pequeno toque reivindicando. Ele se inclinou e me beijou então ele se levantou e estendeu a mão com um sorriso. "Vamos lá, bebê. Vamos nos casar." Eu sorri de volta e coloquei minha mão na sua. Exatamente onde ela pertencia.

375


Epílogo O lobo se levantou brilhante e bonito, ao meu lado, tomando um banho de luz fria, pálida de uma lua de inverno. Eu podia jurar que o vi sorrir, ofegante do nosso longo passeio pelas ruas da cidade em silêncio. Estendi a mão para ele, incapaz de manter-me longe nem por um segundo a mais. Meu toque estava cheio de admiração e preciso como sempre tinha sido. Como sempre seria. O lobo era tudo para mim, meu amor, minha alma, tudo o que eu tinha sonhado. E ele era meu. Para sempre.

Fim

376

Lua de caçador_lua 02_ M.J. O´Shea (HOMO)  

Miles anseia por aventura. Liberdade de sua rotina monótona, mas ele começou a acreditar que talvez a aventura não estivesse escrito em suas...

Lua de caçador_lua 02_ M.J. O´Shea (HOMO)  

Miles anseia por aventura. Liberdade de sua rotina monótona, mas ele começou a acreditar que talvez a aventura não estivesse escrito em suas...

Advertisement