Issuu on Google+

Entrevista Gabriel Neves Dubeux. “A construção civil nunca foi e nunca será um setor estável!

Pré-fabricados Por que custa menos construir com esta tecnologia?

custos de serviços [só para assinantes] | preços de insumos | índices

www.construirnordeste.com.br

Ousado e desafiador 54

O arquiteto Carlos Augusto Lira declara: “O tempo é dono da minha arquitetura”.

ISSN ISSN 1677-8642 1677-8642

nº 54 | setembro 2010 | ano XI | R$ 12,90 |

3,30

ial c e p es n, o a p u A T TO D O A R BA ÇÃ TRU CONS ior E ma or h mel

Revista Verde Perto

Todas as obrigações da construção civil com a Norma de Desempenho


Cervelli

Chegou Max Strong, a roldana super forte da Fermax. Produzida com cavalete em alumínio, suporte em aço inox e rolamento blindado revestido de nylon com fibra, a roldana Max Strong suporta pesos de até 260kg, mantendo um deslizar suave e contínuo. Fermax, líder em soluções e sempre presente em sua vida!

ROL81/83/85 Roldana MaxStrong 260kg

Curitiba: 41 3301-3536 São Paulo: 11 3616-6850 Outras localidades: 0800-724 2200 fermax@fermax.com.br www.fermax.com.br

ROL80/82/84 Roldana MaxStrong 130kg CÓDIGO

LINHAS

ROL 80 ROL 81 ROL 82

30/42

ROL 83

30/42

ROL 84 ROL 85 Indústria Brasileira ® Fermax é marca registrada.

4 | construir nordeste | setembro 2010


setembro 2010 | construir nordeste | 5


sumário 12

Cartas

14

Palavra

15 16

37

Responsabilidade Social

Espaço Pec

Programa de Pós Graduação em engenharia civil da Universidade de Pernambuco

46

Interiores em Destaque

65

Projeto residencial de Carlos Augusto Lira mostra porque o arquiteto é uma referência

IVV - Recife

Entrevista

22

Variedades/Vitrine

28

Dicas

Gabriel Neves Dubeux, Presidente do Sinduscon/PE

Federação das Indústrias de Pernambuco apresenta o Índice de Velocidade de Vendas

Preços e Insumos

Clélio Morais detalha os preços do setor

91 93

As ações do CREA-PE para reconstruir uma cidade destruída pelas enchentes

Trincas e rachaduras, como evitar e resolver?

Revista Verde Perto Tudo que você precisa saber sobre a Norma Brasileira

49 Especial Tupan

A construção de um gigante com base na simplicidade

Cobertura do 13° Fórum Construir Tudo que aconteceu no evento promovido pela Cons-

6 | construir nordeste | setembro 2010

Tecnologia

Descubra o que é o sistema construtivo de paredes duplas

Casa da Criança inaugura terceiro projeto no Ceará

19

truir Nordeste e o IQ

31

Felipe Mourão, da RE/MAX

72

de Desempenho de Edifícios

70

Arquitetura

Projeto de premiados arquitetos baianos leva alto luxo à Jaguaribe, litoral de Salvador

Coluna D&A Arquiteto Ricardo Castro coluna sobre o mundo da arquitetura e decoração da Paraíba

77 89

Caderno especial Pré-fabricados Por que esse sistema construtivo custa menos?

Mercado Imobiliário Alexandre Mirinda fala sobre o crescimento do setor em Pernambuco

Construir Nordeste Ed. 54


Scheffer

Nossas paredes não só dividem ambientes,

(*) Normas ABNT NBR 15.758 – Monatgem de Sistemas Drywall e NBR 15.575 – Desempenho de Edificações Residenciais.

elas também multiplicam vidas. Desfazer-se do velho. Criar o novo. Valorizar os vazios repaginando os espaços arquitetônicos. Modelar paredes e forros para uma iluminação ampla e suave. Garantir conforto térmico, privacidade, em ambientes com alta performance acústica. Que tal acrescentar um mobiliário integrado? Será que pode? Se for Gypsum Drywall; naturalmente que sim. Para garantir praticidade, modernidade e descontração, conte com as múltiplas soluções construtivas e decorativas oferecidas pelos Sistemas Gypsum Drywall para paredes, forros e revestimentos. Se você busca um sistema construtivo sustentável e integrado às normas* vigentes, identifique-se com a assinatura ao lado. Pois, em essência, foi pensando em você que desenvolvemos, aqui e em mais 29 países, o que existe de melhor em sistemas drywall. sac: 0800 282-9255

www.gypsum.com.br


caro leitor Inovações tecnológicas em ambiente hospitalar, corporativo, residencial e esportivo foram tema da 13ª edição do tradicional Fórum Construir, promovido pela Revista Construir Nordeste. Trouxemos um pouco do que aconteceu por lá, palestrantes renomados e apresentações que arrancaram aplausos de quem esteve presente. Por falar em “acontecer”, vale a pena ler o relato de dois dos arquitetos pernambucanos que passaram pela Expo Shangai. O evento vai além da compilação de obras da arquitetura, e é uma enorme porta aberta para que se discuta o mundo em que vivemos e como ele pode ser melhor, muito melhor. Também, anunciamos a “evolução” da espécie. É a nova tecnologia de paredes duplas em pré-fabricados desenvolvida pela Sudeste. Por falar em sistema de construção, fique de olho na nova norma reguladora da qualidade de obras e projetos. Ela é obrigatória! E aproveite ainda para saber como evitar e se livrar das trincas e fissuras – essas são as Dicas desta edição.

E não é novidade que a região do Jaguaribe, na Bahia, tem sido cada vez mais valorizada, principalmente agora, com o investimento da Via Célere no conceito resort. Um megaempreendimento que você precisa conferir. Se Salvador cresce em sua área litorânea, o que dizer do Recife? Para falar do momento do mercado imobiliário na cidade, nada melhor do que contar com uma análise completa do presidente da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário de Pernambuco, Alexandre Mirinda. Recém-empossado, ele mostra onde e por que Pernambuco não pára de crescer neste setor. As fotos da seção Interiores em Destaque são de um projeto belíssimo e inspirador, de autoria do arquiteto Carlos Augusto Lira. O tema virou a pauta principal desta edição. O projeto foi apresentado pelo arquiteto no 13º Fórum Construir. Para aprofundar a reportagem, a jornalista Luana Pavão conversou com o autor e você confere o resultado aqui. Mas, não paramos por aí. Ainda temos uma interessante abordagem de Felipe Mourão sobre a entrada da RE/MAX no mercado pernambucano; as obras que não param e só engrandecem o Projeto Casa da Criança; uma interessante conversa com o presidente do Sindicato das Indústrias da Construção Civil de Pernambuco, Gabriel Neves Dubeux; a coluna do arquiteto paraibano Ricardo Castro, enfim. Aqui, a gente não para nunca! Boa leitura.

Diretora 8 | construir nordeste | setembro 2010


setembro 2010 | construir nordeste | 9


DIRETORA GERAL Elaine

Lyra

elainelyra@construirnordeste.com.br | skype: elainelyra.construir DIRETOR ADMINISTRATIVO Sílvio

Pereira

silvio@construirnordeste.com.br | skype: silvio.construir CONSELHO EDITORIAL Adriana Cavendish, Adriana Moury Fernandes, Alexana Vilar, Augusto Santini, Bruno Ferraz, Celeste Leão, Elaine Lyra, Francisco Berek, Haroldo Azevedo, José G.Larocerie, Mário Disnard, Risale Neves, Serapião Bispo, Sílvio Barreto Campello, Sílvio Pereira CONSELHO TÉCNICO PARA A SEÇÃO PEC RESPONDE Escola Politécnica de Pernambuco

Prof. Alberto Casado, Prof. Alexandre Gusmão, Prof. Arnaldo Cardim de Carvalho Filho, Prof. Cezar Augusto Cerqueira, Prof. Béda Barkokébas, Profa. Eliana Cristina Monteiro, Profa. Emília Kohlman, Profa. Fátima Maria Miranda Brayner, Profa. Kalinny Patrícia Vaz Lafayette, Profa. Stela Fucale Sukar, Profa. Yêda Povoas

REDAÇÃO EDIÇÃO Gisela

Macedo

gisela@editoranebrasil.com.br | skype: gisela.construir REPÓRTER E EDIÇÃO DO SITE

Luana Pavão

luanapavao@editoranebrasil.com.br | skype: luana.construir REVISÃO DE TEXTO Matheus Sukar | matheus@editoranebrasil.com.br

Adriana Noya T&A Pré-Fabricados, Construtora Andrade Mendonça, Lira Arquitetos Associados, Sidney Quintela e Guido Ramos, Sudeste Pré-fabricados, Tupan PROJETO GRÁFICO E DIAGRAMAÇÃO Vanessa Buarque | skype: vanessa.buarque CAPA Vanessa Buarque COLABORADOR Clelio Morais FOTÓGRAFO

COLABORAÇÃO COM FOTOS

MARKETING E PROJETOS ESPECIAIS: Fabiana Germano fabiana@construirnordeste.com.br | + 55 81 8865 63 24

PUBLICIDADE +55 81 3325-2782 construir@construirnordeste.com.br

REPRESENTANTES PARA PUBLICIDADE BAHIA - MULTICOM

Márcio Ricardo

+55 71 3363.5561 | +55 71 9988.4141 | marcioricardo@atarde.com.br CEARÁ NS&A Aldamir

Amaral

+55 85 3264 .0406 | +55 3264.0576 | nsace@nsaonline.com.br SANTA CATARINA NS&A

SC Ana Luisa

+ 55 48 9981.9588 | analuisa@nsaonline.com.br SÃO PAULO NS&A

Demetrius Sfakianakis

+55 11 3255.2522 | nsa@nsaonline.com.br RIO DE JANEIRO AG MAIS Aílton

Guilherme

+55 21 2233.8505 | +55 21 8293.6198 | ailton.agmais@yahoo.com.br PORTUGAL - PROJETOS ESPECIAIS: B4-BUSINESS CONSULTING & INVESTMENTS

Renato Leal | renato.leal@b4.com.pt | +351 210329111

DEP. DE ADMINISTRAÇÃO/FINANCEIRO Cristiane Souza | cristiane@construirnordeste.com.br | +55 81 3325.2782

ASSISTENTE DE OPERAÇÕES Gildean Monteiro de Oliveira

NOSSO ENDEREÇO Av. Conselheiro Aguiar, 1.555, sala 36, CEP 51 111-011 Boa Viagem, Recife-PE, +55 81 3325.2782 construir@construirnordeste.com.br

10 | construir nordeste | setembro 2010


Ó A G E M L A C M E SUPER G A L A B M E A V O N M ESTA CO ! A J O L A A J U S O Ã N E QU VISITE NOSSO STAND

nº79A

Feira VII Ficons De 14 a 18/09/2010 CENTRO DE CONVENÇÕES DE PERNAMBUCO

A SUPER CAL MEGAÓ tem o maior grau de pureza e o maior rendimento no processo de caiação, podendo render aproximadamente 7m2 de caiação a cada solução de 1 quilo de cal para 2 litros de água. Experimente também nosso CALMIX MEGAÓ, excelente para reboco interno e externo, proporcionando maior rendimento e melhor acabamento para construções e reformas.

TEL: +55 (81) 3428-6422 / 7073

Novo Centro de Distribuição Megaó Rua São Miguel, 250 • Galpão 03 • Afogados • Recife • PE • CEP 50770-720 site: www.megao.com.br • email: megao@megao.com.br


cartas

agenda

Gostaria de saber se é possível

Há algum tempo leio a Construir

utilizar a técnica de proteção ca-

Nordeste, mas ainda não vi uma

tódica para recuperar estruturas

matéria sobre rachaduras, algo

com grande incidência de mare-

muito mais comum do que deveria

sia, como é o caso de estruturas

nas construções.

construídas em SUAPE? Roberto Maia – Petrolina/PE Sim, é perfeitamente possível utilizar a técnica de proteção catódica nestas

Roberto, exatamente nesta edição

áreas, uma vez que ela é indicada

você vai poder acompanhar uma ma-

para locais com elevada contamina-

téria sobre trincas e rachaduras. De-

ção por cloretos e quando é funda-

pois nos conta o que achou, abraço!

mental que a estrutura tenha elevada durabilidade A proteção catódica

_________________________________

Ficons Período: 14 a 18 de Setembro de 2010 Local: Centro de Convenções de Pernambuco, Olinda/PE Informações: www.ficons.com.br SISP - Salão Imobiliário de São Paulo Período: 23 a 26 de setembro Local: Anhembi - São Paulo/SP Mais informações: www.sisp.com.br Expo Síndico - Secovi Condomínio Período: 23 a 26 de Setembro Local: Anhembi - São Paulo/SP Mais informações: www.exposindico.com.br

pode ser feita de duas maneiras, por corrente impressa ou por ânodos de

Olá, gostaria de saber quais são

sacrifício. A técnica de corrente im-

os cuidados mais importantes que

pressa envolve a aplicação de uma

meu condomínio deve ter com a

corrente contínua entre um ânodo

manutenção de elevadores?

permanentemente posicionado na superfície do concreto e a armadura

Cláudio Pitangueiras , administra-

dentro do concreto e técnica de âno-

dor, Olinda/PE

do de sacrifício implica na utilização de ânodos de sacrifício como uma

Cláudio, na nossa edição Nº52

conexão elétrica entre a armadura

(Maio/2010) publicamos uma matéria

e um material mais ativo que o aço,

muito interessante sobre isso. Lá da-

que atuaria como ânodo. Tem que

mos dicas e informações importantes

levar em consideração que todas

sobre o assunto que poucos atentam.

estas duas alternativas requerem um

Vamos te mandar uma para você ler,

monitoramente constante, porém pro-

ok? Grande abraço!

porcionam um aumento da vida útil da estrutura recuperada.

_________________________________

Casa Cor Pernambuco 2010 Período: 27 de outubro a 30 de novembro de 2010 Informações: www.casacor.com.br/pernambuco Construir Rio Período: 17 a 20 novembro de 2010 Local: Riocentro, Rio de Janeiro/RJ Informações: www.feiraconstruir.com.br Feicon - 19ª Feira Internacional da Indústria da Construção Período: 15 a 19 de março de 2011 Local: Anhembí, São Paulo/SP Mais informações: www.feicon.com.br Expo Revestir Período: 22 a 25 de março de 2011 Local: Transamérica Expo Center, São Paulo/SP Mais informações: www.exporevestir.com.br

Tenho acompanhado o Especial *Profa. Dra. Eliana Cristina Barre-

Pré-fabricados e fiquei muito im-

to Monteiro

pressionado com a obra do Centro

Eng. Civil, Doutora pela USP

de Eventos do Ceará. Parabéns ao

POLI/UPE

Governo do meu Estado e aos profissionais envolvidos no projeto.

_________________________________ Kelly Moura, estudante de engenhaOlá, gostaria que a Construir pu-

ria, Fortaleza/CE

blicasse uma matéria sobre cuidados com piscinas. Vai começar o

Pois é, Kelly, nós também!! Por isso

verão e o uso mais constante gera

fomos lá conferir pessoalmente e

um monte de problemas. Obrigada.

mostramos para vocês. A obra é cinematográfica e será um marco para

Jéssica Ribeiro – Engenheira Civil,

o Nordeste. Abraço!

Recife/PE Jéssica, estamos programando uma matéria sobre esse assunto mesmo. Acompanhe nossas próximas edições

fale com a construir nordeste CENTRAL DE ATENDIMENTO: +55 81 3325 2782 REDAÇÃO - Sugestões de pautas. e-mail: redacao@construirnordeste.com.br Av. Conselheiro Aguiar, 1.555, sala 36 CEP 51 111-011, Boa Viagem, Recife-PE ATENDIMENTO AO LEITOR

Comentários, sugestões, críticas ou dúvidas Segunda a sexta, das 08 às 12 horas e das 14 às 18 horas. e-mail: faleconosco@construirnordeste.com.br Cartas: Av. Conselheiro Aguiar, 1.555, sala 36, CEP 51 111011, Boa Viagem, Recife-PE

ASSINATURAS- Cristiane Souza

que teremos novidades. Abraço.

e-mail : cristiane@construirnordeste.com.br

_________________________________

CONSTRUIR NORDESTE ONLINE

Visite nosso site, descubra nossa trajetória, conheça um pouco mais do mercado e ainda tenha acesso a informações exclusivas dos bastidores da produção da Construir Nordeste. www.construirnordeste.com.br * Os artigos assinados não refletem a opinião editorial da revista.

12 | construir nordeste | agosto 2010

EDIÇÕES ANTERIORES

Pode ser solicitada diretamente à redação e o atendimento do pedido estará sujeito a disponibilidade de estoque.


palavra

Uma marca, uma mudança na face do mercado imobiliário

A RE/MAX,

rede de franquias imobiliárias que vende mais imóveis no mundo, acaba de inaugurar o escritório das másters regionais de Pernambuco, Paraíba e Alagoas, no JCPM Trade Center, um dos mais modernos edifícios do Recife. A escolha da sede regional não foi por acaso. A ideia é proporcionar a melhor infraestrutura possível para atendimento dos franqueados. O sucesso do lançamento e o fechamento de sete contratos de franquias em apenas dois meses de operação nos três estados provam que a marca chegou à região no momento certo. Segundo a Associação Brasileira de Franchising (ABF), as empresas imobiliárias devem ocupar, em breve, entre vários outros setores, a segunda colocação em crescimento. A maior oferta de crédito imobiliário, o boom da construção civil e os programas do governo para reduzirem déficit habitacional são os principais fatores que alavancam o crescimento do setor. Especificamente em Pernambuco, Paraíba e Alagoas, as perspectivas do mercado imobiliário são ainda mais promissoras, em virtude do desenvolvimento e do potencial turístico da região. Como é sabido, o Nordeste brasileiro, com mais de 3.300 quilômetros de praias paradisíacas, tornou-se o local

14 | construir nordeste | setembro 2010

predileto de turistas brasileiros e estrangeiros, ou interessados em fixar segunda residência. A presença de uma rede, com atuação em 80 países, com 100 mil corretores e com estrutura para encurtar as distâncias entre o Brasil e estes investidores, já se fazia mais do que necessária. O Brasil é considerado “a bola da vez”, seja por sua economia estável, pelo crescimento do poder aquisitivo da população, ou por ser a sede dos principais eventos esportivos do mundo. A busca por novas oportunidades de negócios de imobiliárias que querem se converter à RE/MAX, ou de empreendedores que buscam oportunidades em setores em expansão, têm despertado o interesse por franquias da marca. O presidente da empresa no Brasil, Renato Teixeira, e seus sócios Paulo Toledo, Luis Carlos Julião e José Luiz Monteis investiram R$ 10 milhões para trazer a marca para o país. Segundo Teixeira, há dois anos, estudava-se a entrada da empresa no Brasil, com uma meta de 100 franquias até o término de 2010. Até julho, a rede já computava 68 franquias comercializadas. Com vista à grande extensão do território nacional, e para facilitar a operação da rede, a RE/MAX Brasil dividiu o país em másters regionais. Além de

Por Felipe Mourão*

Pernambuco, Paraíba e Alagoas, a rede já tem escritórios na Bahia, Sergipe, Rio Grande do Norte, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul, prestes a inaugurar novos escritórios regionais. A empresa se baseia em três fundamentos já bem conhecidos pelos parceiros: máximo serviço para o cliente, máxima comissão para o corretor e máxima rentabilidade para o franqueado. A expectativa é que, no prazo de cinco anos, a rede de franquias da empresa no país atinja um volume geral de vendas de R$ 12 bilhões. Um dos diferenciais é um avançado software de gestão – o iConnect –, que traz, dentre outros benefícios, um sofisticado sistema de busca de imóveis. Há também a Universidade RE/MAX, cujo conteúdo já está disponível on line e que permite atualização constante dos franqueados e corretores sobre a rede e suas atividades. A força da marca é reconhecida em todo o mundo, por isso, estima-se que 60% dos negócios são gerados dentro da própria rede.

*Felipe Mourão é diretor regional da RE/ MAX PE, PB e AL


casa da criança

Projeto Casa da Criança finaliza humanização do Centro Pediátrico do Câncer, em Fortaleza.

O Centro Pediátrico

do Câncer (CPC), humanizado pelos profissionais de ambiente do Projeto Casa da Criança, em Fortaleza, está pronto para receber seus pequenos pacientes. São 69 ambientes humanizados por mais de 70 profissionais de ambiente voluntários. Esta é a terceira obra realizada pelo projeto em Fortaleza e a 34ª unidade beneficiada no Brasil. A primeira ação do Projeto na cidade aconteceu em 2002, no abrigo público Tia Júlia. O abrigo acolhe provisoriamente crianças órfãs, vítimas do abandono e/ ou maus tratos. A segunda atuação aconteceu em 2006 com a construção do Lar Amigo de Jesus (antiga Casa do Menino Jesus), casa de apoio que atende crianças e adolescentes em tratamento do câncer. Com a construção do CPC, a Associação Peter Pan busca absorver integralmente a necessidade de tratamento do

câncer infanto-juvenil no Ceará. Além de atingir o índice de 70% de cura de seus pacientes através do programa de diagnóstico precoce.

adolescente, brinquedoteca, projeto ABC Saúde, playground, jardins, atendimento psicológico e demais serviços hospitalares.

A construção do Centro Pediátrico do Câncer é mais uma grande conquista da Associação Peter Pan. A obra, iniciada em maio de 2006, foi viabilizada através de doações, parcerias com a iniciativa privada e da arrecadação do McDia Feliz 2009. Já a ambientação, ficou a cargo do Projeto Casa da Criança que atuou através da sua rede de parceiros voluntários: empresários, arquitetos, designers e artistas plásticos.

Peter Pan

Atendimento Com 3.246 metros quadrados de área construída, o Centro Pediátrico do Câncer é composto de 69 leitos. Serão 24 leitos de Quimioterapia Intensiva, 16 leitos de Quimioterapia Dia, 22 leitos destinados à internação, 07 UTIs, consultórios médicos, espaço do

A Associação Peter Pan já conta com um hospital em Fortaleza onde atende a mais de 1.300 crianças, adolescentes e seus familiares. Fundada por um grupo de profissionais liberais voluntários, a Associação iniciou suas atividades em 1997 realizando visitas a pessoas em tratamento do câncer. Em 2000, inaugurou o Hospital Dia Peter Pan, onde passou a realizar atendimento público de Quimioterapia Dia em parceria com o Hospital Infantil Albert Sabin. Agora, com o novo Centro Pediátrico, humanizado pelo Projeto Casa da Criança, a Associação Peter Pan expandirá o atendimento, buscando atender integralmente a necessidade do tratamento do câncer infanto-juvenil no estado do Ceará.

setembro 2010 | construir nordeste | 15


espaço pec

Fazer acontecer: saiba como implantar a alvenaria de vedação racionalizada Novas formas de gestão e tecnolo-

gia devem ser adequadas aos desafios decorrentes das recentes mudanças na construção civil brasileira. A racionalização construtiva coloca-se como um diferencial na estratégia das empresas, ainda mais quando considera as alvenarias de vedação, pois pode significar uma vantagem relevante para se alcançar o sucesso. As paredes de alvenaria são os elementos mais freqüentemente empregados no processo construtivo tradicional brasileiro, sendo responsáveis por parcela expressiva do desempenho dos edifícios, mas também pelo elevado desperdício e patologias. Pesquisa nacional envolvendo 37 obras de edifícios, coordenada pela POLI/USP constatou perdas de tijolos/ blocos de 17%; já em pesquisa realizada na cidade de Recife/PE e coordenada pela POLI/UPE, envolvendo 04 obras de construtoras certificadas ISO 9001 e PBQP-H que utilizaram tijolos cerâmicos (09x19x19cm), obtiveram perda de 14%. Mais recentemente, pesquisa realizada em 2009 por pesquisadores do POLITECH em 2 obras em Recife, apresentaram perda de 17% para a obra com alvenaria de tijolos cerâmicos e de 2% para a obra com alvenaria de blocos de concreto.

juntamente com os potenciais parceiros do programa (fornecedor do bloco cerâmico e projetista de alvenaria). Na prática, a empresa construtora tomou a iniciativa em busca da tecnologia, objetivando atingir um patamar mais elevado de organização, respaldada pela necessidade de redução dos desperdícios. Para tanto, buscou a experiência de implantação de consultoria especializada que efetivamente conduzisse ao resultado almejado, cujo trabalho ficou sob a responsabilidade do POLITECH.

produção da alvenaria, realização de 02 reuniões de sensibilização (mestre e pedreiros) e 01 treinamento teóricoprático no canteiro; além do repasse da metodologia e monitoramento dos indicadores de perdas de blocos e de argamassa industrializada. A Figura ilustra a família de blocos, elevações e a distribuição de minipallets no pavimento, conforme planta de logística também desenvolvida no projeto da alvenaria racionalizada.

A construtora estabeleceu a premissa de uso da alvenaria cerâmica; enquanto, a consultoria estabeleceu a diretriz de uso dos componentes com maior potencial de racionalização, os blocos com furos na vertical, quais sejam: inteiro (09x19x39cm), meio bloco (09x19x19cm) e compensadores (09 e 04cm). Etapa 2 - diagnóstico e planejamento das atividades: consistiu na avaliação do grau de desenvolvimento tecnológico da empresa, bem como no estabelecimento de metas de desempenho a serem alcançadas pelo grupo de trabalho envolvido (POLITECH, coordenação de projetos, projetistas, engenharia da obra).

Uma outra experiência de êxito, foi realizada na implantação da tecnologia construtiva da alvenaria de vedação com blocos cerâmicos com furos na vertical (09x19x39cm), realizada pioneiramente em uma obra de edifícios de múltiplos pavimentos na cidade de Recife, cujas etapas de implantação e resultados obtidos são apresentados na sequência.

Etapa 3 – coordenação de projetos e desenvolvimento do projeto para produção da alvenaria racionalizada: o desenvolvimento do projeto para produção da vedação vertical em alvenaria com blocos cerâmicos realizado pelo POLITECH serviu de elemento de integração dos demais projetos (arquitetura, estrutura e instalações), cujas interfaces foram discutidas e solucionadas durante as reuniões de coordenação de projeto.

Etapa 1 - seleção da obra e desenvolvimento do fornecedor: consistiu na definição da obra pela construtora,

Etapa 4 – Treinamento e monitoramento dos resultados: consistiu na entrega e validação do projeto para

Figura – Blocos (detalhe), paredes e pallets

A metodologia adotada para a apropriação das perdas de blocos cerâmicos e argamassa industrializada tomou como referência trabalhos anteriores realizados pelo POLITECH e consagrado técnica e cientificamente, cujo monitoramento resultou, após o período de 03 meses de coleta, numa perda média de blocos cerâmicos de 3,5% e de argamassa industrializada de 1,4% (consumo real de 18,3 Kg/m2). Caso deseje mais informações sobre o assunto, visite o site do POLITECH (www.politech.poli.br).

Alberto Casado Lordsleem Júnior

16 | construir nordeste | setembro 2010

Pós-Doutorado na POLI/ USP, Docente do Mestrado em Construção Civil da POLI/UPE, Coordenador do POLITECH, Consultor de empresas construtoras e entidades setoriais da construção. E-mail: acasado@ upe.poli.br. Mais informações: www.politech.poli.br


pa

pa

pa

pa

pa

F I L A D É L F I A

F I L A D É L F I A

F I L A D É L F I A

F I L A D É L F I A

F I L A D É L F I A

Cimento Campeão.

Você usa, todo mundo reconhece.

Cimento é Campeão. O resto é vice. Campeão é da Lafarge, líder mundial em materiais de construção. Ligue 0800 031 8800 e não deixe faltar o Cimento Campeão no seu estoque.

www.lafarge.com.br setembro 2010 | construir nordeste | 17


Na Norvidro, você encontra qualidade do acabamento à segurança. Maior distribuidora do Norte/Nordeste e com o estoque mais completo da Região, a Norvidro garante precisão micrométrica ao seu projeto e vidros com uma alta resistência. Pernambuco: (81) 3376.4424 São Paulo: (11) 5021.4000 18 | construir nordeste | setembro 2010


entrevista

GABRIEL NEVES DOUBEUX Nosso entrevistado desta edição está à frente do Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado de Pernambuco desde 2005 e ao final deste ano encerra um ciclo de dois mandatos como presidente do Sinduscon/PE. Engenheiro Civil por formação, Gabriel José Dubeux Neves é figura comum no mundo da construção civil pernambucana. Tem extenso curriculum na área. setembro 2010 | construir nordeste | 19


entrevista Exerceu cargo na Prefeitura Municipal do Recife, Departamento de Estradas de Rodagem do Estado de Pernambuco – DER-PE entre os anos de 1960 a 1966, foi sócio-diretor da Usina Cerâmica do Cordeiro de 1966 a 2003 e ex-presidente da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário de Pernambuco – ADEMI-PE entre os anos de 1992 a 1994. Na conversa que mostramos nas próximas páginas, Dr. Gabriel falou com naturalidade do mercado local, de como será a 7ª Edição da Ficons - Feira Internacional de Materiais, Equipamentos e Serviços da Construção, das expectativas sobre os rumos políticos e econômicos do país e das particularidades e dificuldades do setor. Construir Nordeste – Qual a expectativa do Sinduscon/PE para a sétima edição da Feira Internacional de Materiais, Equipamentos e Serviços da Construção (Ficons)? Gabriel Neves Dubeux – A Ficons é um sucesso que orgulha muito o Sinduscon. A ideia da feira nasceu depois que fomos a uma missão comercial para Espanha, em 1997,e visitamos um evento deste nível. Resolvemos trazer para Pernambuco, e nossa primeira Ficons foi já no ano seguinte. Por motivos estruturais e de mercado, optamos por realizar o evento a cada dois anos, portanto,estamos na sétima edição. Desta vez, apresentaremos um crescimento considerável. Na verdade, a feira como um todo cresceu muito nesses pouco mais de 10 anos. Na primeira edição, por exemplo, ocupávamos metade da área de exposição do Centro de Convenções; neste ano, vamos ocupá-la por inteiro, e mais uma grande área externa que será a novidade para 2010. Pela primeira vez, faremos exposição de maquinário pesado, que é um nicho muito grande do mercado da construção civil atualmente, e vamos explorá-lo.

‘‘

CN – Por que esse é o nicho mais forte no momento? GND – A demanda muito grande de obra pública. O Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), do Governo Federal, fortaleceu muito o setor de grandes obras, das grandes empreiteiras e construtoras. Pernambuco, por exemplo, vive um verdadeiro “oásis” neste setor, em função de Suape e de todas as obras impulsionadas por ele. As primeiras feiras traziam bastante materiais de acabamentos, elevadoresetc; hoje, o grande mercado é o de obras públicas, e a Ficons vai investir fortemente este ano. Ela é uma feira de fornecedores da cadeia da construção civil – atualmente, de maneira mais ampla do que já foi há alguns anos, porque o mercado está expansivo e cresce para todos os lados. CN – Mas isso significa uma mudança de quadro na construção civil? Construir moradia não é mais o grande mercado, mesmo com o programa Minha Casa, Minha Vida? GND – Até 2004, o mercado imobiliário se destacava; hoje, talvez não – pelo menos diante do setor de obras públicas –, mas nunca vai deixar de ser um setor fundamental para a construção civil. Até porque o ciclo é simples: se há obra pública, há emprego, as pessoas precisam morar, então, torna-se um ciclo virtuoso, que permite à cadeia da construção estar sempre aquecida. CN – E sobre o mercado imobiliário, como está o setor? GND – Com várias indústrias se instalando em Pernambuco, o processo natural é a necessidade de oferecer moradia. Então, não há como dissociar o crescimento industrial das grandes obras, com o crescimento do mercado imobiliário. Uma coisa leva a outra. Se as pessoas precisam morar, elas

Com várias indústrias se instalando em Pernambuco, o processo natural é a necessidade de oferecer moradia. 20 | construir nordeste | setembro 2010

’’

vão comprar ou alugar. O índice de velocidade de vendas em Pernambuco alcançou 15%de crescimento, quando ficava entre 3% e5%. Mas este é um setor que oscila muito. Por exemplo, no início deste ano, chegamos a alcançar um índice de 16%, mas em maio caiu para 11%, o que ainda é muito bom. Para resumir, este é um setor que diz muito do mercado e ainda dita muitas das regras da construção civil, afinal, a lógica é que, dando poder de compra às pessoas, elas vão sempre eleger a moradia como uma das prioridades de aquisição. Ter uma casa própria será sempre um sonho, uma meta, portanto, a tendência é ter esse mercado sempre fortalecido, com a economia dependente dele, e viceversa. CN – Como identificar estabilidade no mercado da construção? GND – O mercado da construção civil nunca foi e nunca será estável. Esta é uma realidade do nosso setor! A construção civil é uma curvasenoide. Uma obra, por exemplo: enquanto ela durar, a demanda será forte, mas nem sempre há garantias de que, após ela, virão outras. Então, é comum que se tenha um período de ostracismo. Uma obra não é uma fábrica, que produz permanentemente. Uma obra começa do zero, tem seu auge, depois começa em curva descendente. Cada obra demanda variáveise particularidades que serão diferentes na próxima. Isso é normal no setor, e não falo de nenhuma novidade. As grandes construtoras não necessariamente passam por isso, mas nossos associados que são pequenos e médios construtores, vivem permanentemente essa situação. CN – Mas o mercado imobiliário não tem essa característica? GND –O ramo imobiliário é diferente, as obras duram mais tempo, são de longo prazo. Quando chega no “pico” de uma, já está em aprovação um novo projeto. Há continuidade! Claro, também já teve seus períodos de instabilidade e de boom, quando surgiu e quando quebrou ou BNH, por exemplo. Mas hoje a realidade é mais estável, o que se deve muito à estabilidade monetária, que permite maior oferta de financiamento por parte dos bancos.


entrevista CN – Como estáa oferta de financiamento bancário no Nordeste? GND – Ainda dependemos muito da Caixa Econômica Federal. No Sul e no Sudeste, os bancos privados investem mais em financiamento do que aqui no Nordeste. Facilmente vemos placas em obras de financiamentos do Itaú e Santander, por exemplo. A Caixa é nossa grande parceira, mas ainda há muito a se desburocratizar. CN – Há medo, no setor,de uma mudança no painel político do Brasil com as eleições deste ano? GND – Qualquer setor tem receio. Não chega a ser medo, porque essa é uma palavra muito forte, mas uma mudança vai gerar dúvidas. E não falo de uma mudança de diretriz política, não. Falo de qualquermudança, inclusive na figura política que estará no comando. Mesmo que se eleja a candidata da situação, o presidente será outro, a figura será outra, a maneira de comandar será outra, portanto, isso gera mudanças e a expectativa de como o mercado reagirá. Principalmente na esfera federal, eleições são sempre momento de tensão no mercado. É normal! CN – Mas, pelo bom momento econômico que o Brasil vive, é factual dizer que esta eleição, especificamente, gera uma expectativa maior?

‘‘

Hoje a demanda de trabalho em Pernambuco é muito maior do que estados como Paraíba, Sergipe e Alagoas.

’’

e nem para sermos usados como palanque político, mas para aproximar a classe de quem nos representa socialmente enquanto indivíduos, sobretudo. CN – Em números, qual o momento da construção civil?

GND – Vivemos uma realidade interessante. Se nos ativermos ao crescimento que comentei do IVV, temos uma demanda de compra excelente. Já quando analisamos o faturamento do setor, há um equilíbrio, pois hoje os imóveis são menores. Portanto, compra-se mais, porém, imóveis menores. Para o construtor, significa que ele não cresceu proporcionalmente, porque ele constrói numa área menor. Mas temos expectativas de fechar bem2010. CN – Qual análise do Sinduscon sobre o andamento das obras do PAC?

GND – Sim, sem dúvida. Mas é muito difícil que alguém consiga quebrar esta estabilidade brasileira em curto prazo. Claro que uma sequência de erros acaba com qualquer projeto, por mais seguro que seja. Mas não acredito que o Brasil, economicamente, corra riscos com um próximo governo, seja ele qual for. Estamos fincados em bases consideravelmente sólidas.

GND – Existem muitas variáveis em obras desta magnitude, como estudos de projeto e aprovação. Passados esses trâmites burocráticos, e demorados, deveria se impor um ritmo mais forte, o que não está acontecendo. Então, em termos de ritmo de construção, é sofrível; poderia ser muito melhor. Principalmente porque algumas dessas obras são estruturadoras de outras. Portanto, pára uma e param outras tantas, vira uma bola de neve, agravada pela “interrogação” que fica sobre a continuidade do próximo governo.

CN – Por isso o cuidado do Sinduscon em realizar uma série de conversas com políticos da bancada pernambucana e com empresários do setor?

CN – Recentemente, houve mais uma edição do Encontro Nacional da Indústria da Construção. O que se aproveitou do encontro deste ano?

GND – Nossa bancada precisa ouvir as necessidades, os anseios e as expectativas. Ao mesmo tempo, precisamos ouvi-los quanto aos projetos e à realidade do país sob o ponto de vista deles. Não fizemos esse ciclo de conversa para pedir voto para ninguém,

GND – É sempre uma oportunidade interessante para encontrarmos empresários do setor. Mas neste ano, foi decepcionante sob um aspecto importante. O grande foco era ouvir os principais candidatos a Presidência da República, José Serra, Dilma Rousseff

e Marina Silva, mas, infelizmente, mesmo com a confirmação das presenças, apenas Marina da Silva compareceu e foi aplaudida de pé por uma plateia de mais de 500 empresários do setor. Esperávamos ouvir os demais candidatos e debater questões importantes para nosso setor; não tivemos isso. Mesmo assim, de uma maneira geral, o encontro foi importante para discutir questões técnicas também, principalmente para ouvir as comissões que existem no setor que são mais próximas ao Governo Federal e que atuam muito diretamente com a Câmara Brasileira da Indústria da Construção. Foi um bom encontro, mas poderia ser melhor. Vários aspectos ficaram em aberto, mas, em ano eleitoral, isso é comum. CN – Para finalizar, como o Sinduscon/ PE atua para evitar essa “importação” de mão de obra qualificada no setor da construção que acontece hoje no estado? GND – Não é simples de se combater, porque é uma realidade de mercado. Hoje a demanda de trabalho em Pernambuco é muito maior do que estados como Paraíba, Sergipe e Alagoas. Infelizmente, qualificar mão de obra não é fácil e rápido. Demora pelo menos um ano para preparar o profissional, e o mercado não pode esperar esse tempo, então, se não tem, procura onde haja. Com relação aos engenheiros, é carência nacional. Sobre Pernambuco, é complicado mudar um quadro quando só se formam 300 engenheiros civis por ano. Se compararmos, em Direito, se formam três mil profissionais a cada ano. Mudar este cenário não é competência nossa. É preciso que o setor da educação perceba esta carência e invista em bons cursos e em boas especializações, porque o mercado quer absorver os profissionais e a tendência é que essa demanda continue em alta por um bom tempo. setembro 2010 | construir nordeste | 21


variedades

Maior produtora de vidros planos e espelhos da América do Sul, a Cebrace inaugurou o Centro de Distribuição Nordeste, em Fortaleza (CE). A iniciativa é pioneira para a empresa que, até então, mantinha seus estoques somente nas unidades fabris, localizadas nos Estados de São Paulo e de Santa Catarina. O investimento na região Nordeste visa atender a crescente demanda dos clientes locais, impulsionada pelo crescimento da

construção civil no mercado interno nacional. O CD manterá em estoque cerca de 2.000 toneladas de vidro, abastecidos regularmente, e contará com um mix de produtos que já atende à demanda da região. Segundo os executivos da empresa, Fortaleza tem uma posição estratégica na região e isso contribuirá para uma logística mais simplificada para o cliente, que terá mais proximidade com a distribuição e maior facilidade na retirada do produto.

CEBRACE inaugura Centro de Distribuição em Fortaleza

Equipe da Cebrace presente na inauguração do CD, em Fortaleza

DUPONT e BRASILIT

SOLARIUM Revestimentos participa do Brazilian

fecham parceria

Gate, na China

A DuPont e a Brasilit anunciaram parceria para a comercialização de produtos voltados ao segmento. No acordo a DuPont prevê aumentar sua presença no território nacional utilizando a rede de distribuidores autorizados no Brasil. Já a Brasilit comercializará DuPont Tyvek® Home Wrap, completando o seu portfólio de produtos por meio de um sistema completo e de alta performance para construção seca.

A fábrica de pisos cimentícios ecológicos Solarium faz sua estreia no mercado oriental com a participação no Espaço Brazilan Gate, na China.

DuPont Tyvek® Home Wrap foi desenvolvido para sistemas construtivos a seco. Aplicado entre as paredes de drywall, Tyvek® Home Wrap atua como barreira climática, reduzindo a infiltração de ar externo e aumentando a eficiência do isolamento térmico. “Temos um forte potencial de mercado, considerando as oportunidades de negócio junto ao segmento imobiliário e aos grandes eventos esportivos programados para os próximos anos”, declara Júlio Domingues, gerente de Marketing para DuPont Tyvek® na América Latina.

A feira de negócios irá mostrar o melhor que o Brasil possui em produtos de alta qualidade e design. A Solarium será uma das oito expositoras do espaço, que abriu dia 06 de agosto na cidade de Xangai e terá duração de seis meses. Segundo a arquiteta Ana Cristina Gomes, presidente da Solarium, o objetivo é atender um mercado de luxo na China, divulgando a empresa entre os arquitetos locais. “Como nosso produto não tem similar lá fora, temos muito a conquistar”, afirma. Depois dos seis meses, a presidente afirma que a Solarium passará a ter um representante fixo na China.

Todos os expositores ficarão localizados em um complexo chamado 1933, onde acontece a maioria dos lançamentos das marcas mais conhecidas do mundo fashion e automobilístico na China.

Ana Cristina Gomes, Presidente da Solarium

PROJETOAL aposta no Nordeste e inaugura loja em Recife “Esta intenção já é de tempo, mas só agora conseguimos viabilizar a abertura da Filial, com a qualidade de atendimento que o Nordeste merece”, afirma o sócio Proprietário Luis A. Cavichiolli. Com 15 anos no mercado na distribuição de matérias primas para a construção civil, como Chapas de Policarbonato, Acm(Alumínio Composto), Lonas, Acessórios para Toldos e Telas de Sombreamento, a Projetoal Nordeste já está com

 22 | construir nordeste | agosto 2010

Luis A. Cavichiolli, sócio-proprietário da Projetoal.

suas portas abertas e conquistando a confiança de clientes importantes no mercado. “Acreditamos que estaremos juntos com o Nordeste neste crescimento social e econômico que já esta em curso e que se manterá nos próximos anos, enfatizando sempre o atendimento qualificado, o acompanhamento técnico dos projetos, produtos de extrema qualidade a pronta entrega e o fácil acesso”, ressalta Luis.


CREA/PE trabalha na reconstrução de cidade destruída pela enchente O Grupo Técnico (GT), formado pelo Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de Pernambuco (Crea-PE), continua realizando incursões à Palmares/PE, no sentido de contribuir com a reconstrução da cidade devastada pelas enchentes. Profissionais voluntários realizam ações que servirão como piloto para a extensão dos trabalhos a outras áreas da Mata Sul, explicou o presidente do Crea-PE, José Mário Cavalcanti. De acordo com o coordenador do GT, arquiteto Ney Dantas, os trabalhos envolve vários aspectos, entre eles a definição da faixa de domínio do rio, as zonas non aedificandi para que seja concebido o projeto de reflorestamento das matas e do parque municipal que deverá ser construído onde antes havia edificações de ocupação irregular. O trabalho

envolve um grupo de 15 profissionais, entre eles, engenheiros de pesca, florestais, civis e arquitetos, que farão um mapeamento das atuais condições de degradação da vegetação nas margens direita e esquerda do rio. O objetivo é auxiliar o poder público em ações que garantam a manutenção do curso original do rio, de modo que seja possível, se não impedir, ao menos, minimizar as possibilidades de tragédias na mesma proporção da ocorrida recentemente. “Se respeitados os limites e o curso do rio, assim como se garantirmos a recomposição da mata ciliar, estaremos dando importante passo no sentido de contribuir com a natureza para que, por uma questão de sobrevivência, não venha pegar de volta aquilo que tiramos dela durante anos”, explicou o presidente

do Crea-PE, dizendo ainda que, a tragédia mostrou claramente, que a natureza veio em busca do que lhe pertencia. “Quando as cidades foram inundadas, as águas fizeram o percurso original do rio, alterado por construções indevidas”, concluiu. Apesar da grande participação que está acontecendo em torno da ação desenvolvida pelos profissionais do Sistema Confea/Crea/ Mútua, segundo o arquiteto Ney Dantas, em função da intenção de expandir o projeto para outros municípios atingidos ainda é importante o engajamento de mais profissionais de qualquer modalidade do Sistema. “Temos muito trabalho a fazer e quanto mais gente nessa corrente de solidariedade, melhor”, conclui.

TECOMAT inicia novos ensaios em aço, concreto e

LANXESS na Copa de

outros materiais

2014

A Tecomat está realizando novos ensaios de materiais da construção civil, através de duas prensas de tecnologia de ponta adquiridas para seu Laboratório Sede, no Recife.

máxima de até 60 toneladas. “Seremos o único laboratório privado a realizar esses tipos de ensaio em todo o Norte e Nordeste”, afirma o consultor da empresa, Tibério Andrade.

A Prensa Universal da EMIC, da linha DL 60.000, possibilita a realização de ensaios tanto à compressão, quanto à tração, de diversos metais, incluindo aços para concreto armado. O equipamento também faz análises especiais em mantas asfálticas e elastômeros e em materiais cimentícios, como módulo de elasticidade e tenacidade em concretos com fibra. A máquina tem capacidade

A outra máquina recém-chegada ao Laboratório Sede é uma prensa da linha PC, com capacidade de 200 toneladas, capaz de fazer estudos em blocos de concreto e cerâmicos, bem como em pavers. De acordo com Tibério Andrade, ela possui a mesma precisão da Prensa Universal. Mais informações www.tecomat.com.br

A Lanxess, multinacional alemã de especialidades químicas, já está em sintonia com as oportunidades que o maior evento esportivo do mundo, a Copa do Mundo de Futebol, proporcionará ao Brasil, país sede em 2014. A empresa conta com algumas de suas unidades de negócios(Bus) envolvidas em projetos relacionados à Copa. Os representantes dos Bus estão apresentando soluções adequadas às necessidades dos profissionais de arquitetura e engenharia envolvidos na preparação dos estádios para o mundial, bem como para os planos urbanísticos e de infraestrutura das principais cidades-sede.

Visite nosso site www.construirnordeste.com.br e saiba tudo sobre o Concrete Show 2010. Nossa equipe esteve lá e mostra tudo que aconteceu no maior evento inernacional de tecnologia em concreto da América Latina. setembro 2010 | construir nordeste | 23


variedades

o mercado imobiliário com o lançamento do I.I.

A SoftZone, empresa da área de tecnologia, lança no mercado um produto inovador, que permitirá ao futuro proprietário começar a realizar seu sonho ali mesmo, no ponto de venda da construtora.Ao invés de imagens estáticas, a inovação possibilitará ao cliente passear pelas áreas internas e externas do apartamento, interagindo com a estrutura. “Esta ferramenta é uma revolução no mercado imobiliário, aumentando as chances de venda dos imóveis”, destaca Diogo Parreiras, diretor comercial da empresa. O I.I., nome pelo qual o software foi batizado, permite ao cliente não só o passeio virtual por todas as áreas de um prédio, por exemplo, mas também abrir portas, janelas, trocar pisos e escolher as cores desejadas em cada um deles, explica Jennifer Payne, diretora de criação da SoftZone. O produto está disponível nas versões web e offline, podendo ser instalado em computadores, I-Phones e celulares que possuam o Sistema Operacional Android do Google. Mais informações: www.softzonebr.com 24 | construir nordeste | setembro 2010

Salvador de pessoas que circulam somente neste piso do shopping, esperamos atender 100 pessoas por dia”, disse Nolasco. Além de atender o clientecomprador, a loja também atende o cliente-incorporador, que coloca à venda seu imóvel.

Para festejar a abertura da loja Habitcasa, no 1º piso do Shopping Iguatemi, diretores da Lopes Consultoria de Imóveis reuniram incorporadores para apresentar a nova unidade da empresa pertencente ao Grupo Lopes que conta com corretores especialistas em lançamentos do Programa Minha Casa Minha Vida e empreendimentos econômicos, e também, coloca à disposição do público lançamentos com preços que vão de R$ 60 mil a R$150 mil. Carlos Augusto Nolasco, diretor geral de vendas da Habitcasa Bahia, conta que atualmente são oferecidas 1.230 unidades e este número deve crescer já nos próximos dias por conta de novos lançamentos. “Devido o grande número

revoluciona

LOPES Consultoria inaugura loja/sede no Shopping Iguatemi, em

Viking aporta em Recife

LABORATÓRIO do Centro de Tecnologia em Argamassa é inaugurado no Recife O Laboratório CTA foi inaugurado em junho deste ano e tem como principal objetivo desenvolver novas tecnologias para a construção civil em toda a região Nordeste, adaptando-se às matérias-primas e ao clima peculiar de nossa região. Idealizado pelo Engenheiro Químico Tito Flávio - com mais de 20 anos de experiência no setor - o Laboratório possui todos os equipamentos certificados, atendendo integralmente aos requisitos da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas). Neste período foram desenvolvidas tecnologias para grautts auto-adensáveis, contra-

Manoel Gomes, Carlos Augusto Nolasco e Paulo Muccine, da Lopes

Há 3 anos no Brasil, a marca é líder no mercado de eletrodomésticos de luxo nos Estados Unidos e está presente, entre outras, nas cozinhas de Madonna e na ala residencial da Casa Branca. A empresa apresentou a cozinha profissional aos lares americanos quando o primeiro fogão foi vendido, em 1987, hoje a mesma performance dos fogões se estende a geladeiras, coifas, climatizadores de vinho, lava-loucas, facas para todas as necessidades, panelas, batedeiras, torradeiras, entre outros.

A Viking,em visita ao mercado pernambucano, anunciou que pretende disponibilizar os seus produtos em um grande show-room em Recife.

SOFTZONE

A arquiteta Alexana Vilar entre os representantes da Viking, Andréia Oliveira e Ivo Feliciano, em recente evento que contou com a presença de vários arquitetos da cidade.

piso auto-nivelante, reboco com aditivos de alta performance, argamassas para projeção, entre outros. “Nossa visão é nos tornamos referência em soluções de argamassa no Nordeste, sendo reconhecido pela qualidade técnica dos serviços, e também pela competência e compromisso com os objetivos dos nossos clientes”, afirma Tito Flávio. O La e já conta com contratos de controle de qualidade para fábricas de argamassa nos estados da Bahia, Alagoas, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte e também em Angola.


NA MEDIDA CERTA:

COMPACTAS NO PREÇO GIGANTES NO DESIGN

lançamento

LorenClub

Arejador

Mecanismo 1/4 de volta • Pastilha cerâmica • Maior vida útil do produto • Controle eficaz da vazão

• Uniformiza o jato de água • Gera economia e evita respingos

Volante • Fácil instalação e manutenção • Design exclusivo e ergonômico

NOVAS LINHAS DE METAIS SANITÁRIOS LORENZETTI GARANTIA DE UM BOM NEGÓCIO TAMBÉM CONHEÇA NHA LI A V O AN PE LORENSHA

0800 015 02 11 www.lorenzetti.com.br


vitrine

A Gail

Arquitetura em Cerâmica acaba de colocar no mercado uma coleção completa de Argamassas e Rejuntes que simplificam o acabamento e a fixação de revestimento em todos os tipos de ambientes. Dividida em sete linhas a nova Coleção foi idealizada para atender as necessidades de cada projeto construtivo. Destaque para a Argamassa Bi-componente ideal para fachadas complexas, pisos sobre pisos e Linha Stones e adequada para reparos onde seja necessária a liberação rápida do trânsito, além disso se diferencia pela fácil aplicação. .

Uma das maiores reclamações referente à manutenção

de uma casa são as infiltrações. Como a melhor escolha é a prevenção, a Mactra desenvolveu um revestimento impermeabilizante que evita a infiltração e resiste às trincas, rachaduras e grandes pressões de água, comuns na construção: o VedBem Pressão. O produto é apropriado para utilização em reservatórios e áreas frias, como banheiros, cozinhas e lavanderias. De fácil aplicação, não exige mão de obra especializada e pode ser aplicado direto na alvenaria. Possui alta resistência (80 metros de coluna d’água) e sua composição (argamassa e emulsão acrílica) permite formar uma espécie de manta moldada ao local. Mais informações: www.mactra.com.br

Fibra de bambu,

casca de coco, vidro ou concreto reciclados são materiais que, até dez anos atrás, não eram relacionados à decoração. Hoje, graças às novas tecnologias, os itens são matérias-prima para vários pisos e revestimentos. Nas lojas especializadas Refinare de Recife é possível conferir alguns deles. Dentro do apelo ecológico a loja aposta em revestimentos feitos com matérias renováveis, como a marca Ekobe, por exemplo. As pastilhas de coco Ekobe são fabricados a partir da casca do fruto por meio de processo desenvolvido e patenteado pela marca. Segundo a fabricante, a pastilha apresenta grande resistência a impactos e resiste à umidade, além de contribuir para a fixação de CO2.

26 | construir nordeste | setembro 2010

A Belmetal apresentou ao mer-

cado, durante a Feira Serigrafia Sign, realizada em julho em São Paulo/SP, uma alternativa a revestimentos de madeira, o MetalDecor - painel de alumínio com acabamento que imita o material. Durável e resistente às exposições climáticas, o produto proporciona maior praticidade e liberdade às aplicações criativas, já que pode ser cortado, dobrado ou calandrado. Além do acabamento madeira ainda existem outras opções de cores como prata, branco, vermelho e azul. O produto contribui para a sustentabilidade na construção civil por ser 100% reciclável, além de ser

resistente às exposições climáticas. Outro diferencial é a possibilidade de remoção de pichação, diferentemente de outros tipos de revestimentos, em função de sua superfície lisa e tipo de pintura.

A Roca Cerâmica, especializada em revestimentos e pisos, apresentou sua coleção 2010 em evento na Refinare Boa Viagem. A linha 2010 da Roca Cerâmica aposta nos grafismos e em materiais nobres para revestimento. Destaque para a série Vienna, numa versão totalmente inspirada na pop art com peças no formato 24x59, que traz os vermelhos e marrons detonados e levam ousadia ao lavabo. No quesito pisos, a série Metropolitan vem com tons urbanos e moderníssimos, além de acabamentos que dialogam harmonicamente. Já as cerâmicas da Série Paris trazem um apelo retrô em tecnologia moderna. No mesmo formato é lançada a Série Saronno, um mármore travertino polido cujo brilho surge na medida exata para deixar qualquer ambiente elegante. Na coleção Rock & Rock a novidade é a Série New Look, que também vem em tons urbanos, mais presentes nas feiras internacionais.


VISITE NOSSO STAND

nº 79A Feira VII Ficons De 14 a 18/09/2010 CENTRO DE CONVENÇÕES DE PERNAMBUCO

SAIBA MAIS SOBRE O METAFORT: TEL: +55 (81) 8513-0013 / 3311-7950 • VENDAS@UNIMIN.COM.BR


dicas

Trincas? Nunca mais! Você já sofreu com problema de trincas na sua residência ou escritório? Uma pena... Mas confira as dicas a seguir para saber como evitar esse mal e até como resolvê-lo. Boa leitura! As trincas e as fissuras são ocorrências comuns em qualquer tipo de imóvel. É o que garantem os gerentes técnicos Vicente Parisotto, da Mactra, e Eliene Ventura, da Vedacit. Se não forem detectadas logo no início, as trincas podem trazer vários transtornos. Infiltração, degradação do revestimento e a consequente depreciação do imóvel são alguns deles. “Através da trinca, penetram ar e umidade. Esta combinação provoca oxidação nas barras de aço que estruturam o concreto (armado). A oxidação causa aumento de volume da barra que, consequentemente, danifica o concreto. A depender do grau de comprometimento, a estrutura pode entrar em colapso”, alerta Eliene Ventura. As lajes, as paredes e o gesso são os locais onde o aparecimento das trincas é mais comum. Além disso, é preciso ficar atento aos diferentes tipos de trincas existentes. “Podemos classificar como microfissuras as que normalmente são apresentadas no reboco, e não possuem abertura superior a 0,1mm; como fissuras, aquelas com abertura máxima de 1 mm; e como trincas, as com abertura superior a 1 mm”, explica Vicente Parisotto.

28 | construir nordeste | setembro 2010


Tal como a classificação, o surgimento delas também é variado. “Normalmente ocorrem pelo alívio de tensões na alvenaria e pela diferença de movimentação entre materiais ou componentes utilizados na construção”, pontua Parisotto. Eliene Ventura acrescenta outras hipóteses: deficiência nos projetos construtivos e projetos inadequados. É possível evitar que esse problema aconteça. Basta fazer estudo prévio da construção, levando-se em conta o tipo de solo compatibilizado com o projeto estrutural e adequando as técnicas construtivas. Além disso, uma mão de obra criteriosa, materiais de conhecida procedência e planejamento também são indispensáveis. Mas se a trinca já apareceu no seu imóvel, não se desespere! Existem maneiras de reverter a situação. “Identificado o problema, o primeiro passo é chamar o responsável técnico pela construção, ou outro profissional competente. Assim, ele poderá indicar o melhor tratamento à trinca presente”, recomenda Parisotto, para acrescentar: “A maioria das trincas não são tão problemáticas quanto parecem. Às vezes, por falta de conhecimento, o proprietário se preocupa demais com elas”, tranquiliza Vicente Parisotto. Se a trinca do seu imóvel não for estrutural e estiver estabilizada, aqui vai um passo-a-passo para solucionar o problema:

Material necessário • • • • •

Massa acrílica para vedação Pistola de aplicação Espátula de aço Pincel para limpeza Óculos de segurança, avental de PVC e luvas de borracha

1. Abra a fissura ou trinca, em torno de 5 mm de largura por 5 mm de profundidade. 2. Usando um pincel, limpe a superfície, removendo todo o pó da trinca. 3. Coloque o produto indicado na pistola de aplicação e corte o bico da embalagem. 4. Aplique o produto, posicionando o bico da embalagem no fundo da trinca para preenchê-la uniformemente, de dentro para fora. 5. Com a espátula, espalhe o produto retirando as sobras. 6. Aguarde a secagem do selante, em torno de sete dias (25ºC).

setembro 2010 | construir nordeste | 29


A Wollk Elevadores é a única fábrica de elevadores e escadas rolantes fora do eixo Sul-Sudeste do país.

Elevadores de cargas e passageiros

Escadas rolantes e monta-cargas

Exclusiva assistência técnica multimarcas

A Wollk faz parte do Grupo EMEL, empresa de investimentos imobiliários, shoppings, entre outros segmentos. Em 2010, ela completa 15 anos de atuação no mercado do Norte-Nordeste, reforçando investimentos em tecnologia, qualificação de mão de obra e ampliando parcerias internacionais. Seus elevadores estão presentes em diversas obras de destaque, assinadas por grandes construtoras. Wollk Elevadores. Qualidade de nível internacional. Atendimento sem igual. Escritório (Grupo EMEL): Av. Antônio de Góes, 60 - 19o. andar - Pina - JCPM Trade Center CEP 51.010-000 - Recife-PE - (81) 2127.4700 30 | construir nordeste | agosto 2010

www.wollk.com.br

Planta Industrial: Av. Norte Miguel Arraes de Alencar, 7200 - Macaxeira CEP 52.090-260 - Recife-PE - (81) 3271.6262


arquitetura

Obra prima na orla de Salvador Premiados arquitetos Sidney Quintela e Guido Ramos apresentam projeto em Salvador. A região de Jaguaribe, na Grande Salvador, já foi um local de veraneio e hoje está consolidada como bairro residencial. A prova disso é o investimentono Première Jaguaribe, feito pela Via Célere Incorporações Imobiliárias.

Fotomontagem do local onde será erguido o Première Jaguaribe

O empreendimento tem volume geral de vendas de R$ 100 milhões e será erguido na ruaHaeckel José de Almeida, com vista permanente para o mar, numa área total de 5.487,25m². Este é o quarto investimento da empresa na cidade e será o primeiro condomínio vertical de alto luxo do bairro. O projeto contempla três torres, cada uma com 18 pavimentos tipos e um pavimento cobertura duplex. As três torres somam 108 apartamentos tipo, mais seis coberturas duplex, sendo duas unidades por andar, todas voltadas para o nascente. Assinado pelo escritório SQ+ Arquitetos Associados, sociedade entre o premiado arquiteto baiano, Sidney Quintela, e Guido Ramos,o projeto arquitetônico e a decoração das áreas comuns do Première reúnem características que proporcionam mais conforto para os futuros moradores.

 

“No Première Jaguaribe, optamos por uma arquitetura simples, de linhas retas, para manter a leveza do empreendimento, utilizando uma pequena variedade de materiais, a fim de proporcionar leitura única das três torres. Por isso, escolhemos apenas duas cores, verde e branco, destacando as varandas e valorizando as perspectivas internas para o mar”.

“A implantação das torres forma um arco, possibilitando afastamento maior entre elas, paramaior privacidade dos apartamentos”, disse Ramos. Essa inclinação das torres valoriza ainda mais a vista para o mar. Todos os apartamentos da Torre Atlântico terão área privativa de 166,70m² com três suítes e gabinete. Já os apartamentos da Torre Pacífico terão área privativa de 212,56m² e os da Torre Índico, 187,02m2. As unidades das Torres Pacífico e Índico terão quatro suítes. Para o arquiteto Guido Ramos, o Première Jaguaribe com certeza servirá de referência para os próximos projetos a serem implantados no entorno. O projeto contará com todos os equipamentos de lazer que um condomínio de alto padrão deve ter. A previsão para início da obra é janeiro de 2011. A seguir, os detalhes do projeto com os comentários dos arquitetos Sidney Quintela e Guido Ramos.

setembro 2010 | construir nordeste | 31


arquitetura

Perspectiva Fachada das três torres: Atlântico, Pacífico e Índico.

“A implantação em curva, seguindo o traçado da via de acesso, possibilita melhor aproveitamento da vista, da ventilação, e garante a privacidade entre as varandas dos futuros moradores do Première Jaguaribe. Esta implantação sugere, também, uma agradável leitura urbana do espaço em que o empreendimento está inserido”.

32 | construir nordeste | setembro 2010


Implantação

Via Celere/Jaguaribe - Planta de implementação

“O empreendimento está voltado para o conforto familiar, com vários itens de lazer e entretenimento, além de oferecer a segurança de que uma família necessita. O pavimento de acesso possui vagas de visitante e pórtico de entrada com guarita de segurança. As áreas internas de lazer estão divididas em cinco grandes áreas, são elas: parque aquático com solarium, piscina infantil, piscina adulto com raia, deck molhado e gourmet de apoio; estação criança com parque infantil, pet play, brinquedoteca, salão de festas infantil, fraldário, além de amplo playground descoberto; circuito gastronôVista da piscina - perspectiva

mico e de festas com lounge, espaço gourmet, salão de festas e apoio ao salão de festas; diversão e fitness com cinema, lanhouse, quadra poliesportiva, fitness, área para alongamento e salão de jogos; momento relax com spa, com sauna e hidromassagem, área de relaxamento, espaço massagem e espaço yoga”.

setembro 2010 | construir nordeste | 33


“Todos os apartamentos têm uma  grande área social, orientação nascente e vista permanente para o mar. Nas opções de planta, ainda é possível priorizar a área social, abrindo mão de uma das suítes para proporcionar três ambientes distintos, jantar, estar e home theater integrados”.

Living

 “As varandas possuem entre 33m2 e 42 m2 com flexibilida-

de de uso. Na parte social, espaço gourmet integrado à sala de estar. Na área íntima, ampla suíte máster, com opções de spae banheira de hidromassagem, cuja instalação já está prevista no edifício. Na decoração, tudo isso pode ser separado por um biombo que possibilita a privacidade ou a integração total, dependendo da escolha do proprietário”.

Terraço Suíte Master

“A suíte máster também é ampla e bastante flexível. Possui opções de planta, permitindo diversos tipos de layout. A grande esquadria permite a integração com a varanda, possibilitando vista

para o mar de todos os pontos”.

34 | construir nordeste | setembro 2010


setembro 2010 | construir nordeste | 35


36 | construir nordeste | setembro 2010


VERDE PERTO VIDA SUSTENTAVEL Edição 4

CHEGOU PRA REGULAR Norma técnica qualifica a construção civil e analisa o desempenho de edifícios.

INCONSCIENTE GERENCIAL Por que algumas empresas são bem-sucedidas na administração dos recursos. revista VERDE PERTO _1


4 Eu Digo

Mário Disnard fala sobre ‘Ambiguidade Causal no Ambiente Sustentável’

4 Agenda

Confira aqui alguns dos eventos da aera de meio ambiente que estão programados para 2010.

5 Seção legal

Conheça a Norma Brasileira de Desempenho de Edifícios – NBR 15575, que irá avaliar o desempenho de cada sistema construtivo.

7 Olha só...

Alguns acontecimentos que envolvem o meio ambiente estão aqui!

Editorial Olá amigo leitor, Nosso filho está crescendo! Chegamos à quarta edição da revista Verde Perto – Vida Sustentável. A cada tiragem, nosso prazer em fazer a revista aumenta, e nosso orgulho em contribuir para um mundo ambientalmente melhor, se renova! Levar a você, amigo leitor, informações sobre como cuidar do meio ambiente e sobre o que acontece com o planeta, é nosso maior desafio. Nesta quarta edição, você vai ver um artigo sobre “Ambiguidade Causal no Ambiente Sustentável”, na seção Eu Digo. Em nossa Agenda, saiba as datas e os locais dos eventos ambientais que acontecerão neste segundo semestre. Fique de olho! Trazemos ainda, na Seção Legal, uma matéria sobre a Norma Brasileira de Desempenho de Edifícios – NBR 15575, que entrou em vigor em maio deste ano. A arquiteta Elka Porciúncula foi a convidada para falar sobre o tema. Por fim, uma novidade: Olha Só... Um espaço com as principais notícias que circularam nas últimas semanas pelos veículos de comunicação. Boa leitura e até a próxima edição! Luana Pavão Editora Especial

DIRETORA GERAL

Elaine Lyra elainelyra@construirnordeste. com.br skype: elainelyra.construir DIRETOR ADMINISTRATIVO

Luana Pavão Milton Vaz Renato Leal Ricardo Viana Serapião Bispo Silvio Pereira

Sílvio Pereira

REDAÇÃO

silvio@construirnordeste.com.br

REPÓRTER

skype: silvio.construir

Luana Pavão

EMPRESAS PARCERIA

luanapavao@editoranebrasil. com.br skype: luana.construir

GR Ambiental B4 Consult

REVISÃO DE TEXTO COLABORADORA

Matheus Sukar

Roberta Marques Feijó

matheus@editoranebrasil. com.br

CONSELHO EDITORIAL

André Milet Carlos Valle Delfim Oliveira Elaine Lyra Gustavo Oliveira José Antônio Alvarez de Lucas Simón 38 | construir | setembro 2010 revista VERDEnordeste PERTO _2

PROJETO GRÁFICO E DIAGRAMAÇÃO

Vanessa Buarque skype: vanessa.buarque CAPA

Vanessa Buarque


setembro 2010 | construir nordeste | 39


eu digo

Ambiguidade causal no ambiente sustentável por Mário Disnard

O foco da maioria dos trabalhos empíricos da visão baseada em recursos aborda que a ambiguidade causal tem forte impacto nos conhecimentos, nas habilidades e nas atitudes das empresas para obter e sustentar vantagens competitivas. Algumas empresas (construtoras e empresas de serviços) tendem a gerar recursos e capacidades socialmente complexos, que estão relacionados ao desempenho delas. Por isso, hoje falamos na ambiguidade causal como diferencial competitivo dentro mercado. Esses recursos e capacidades socialmente complexos são justamente os tipos que o modelo VRIO (valor, raridade, imitabilidade e organização) sugere que deveriam ser fontes de vantagem competitiva sustentável.

Uma segunda hipótese pela qual os recursos e capacidades dessas empresas podem ser caros de imitar, é que as empresas imitadoras podem não entender a relação entre os recursos e capacidades controlados por uma empresa, assim como a vantagem competitiva dela. Em outros termos, a relação entre os recursos de uma empresa e sua vantagem competitiva podem ser causalmente ambígua. Segundo pesquisas feitas no mercado das empresas citadas, alguns gerentes provavelmente entendem as fontes de sua própria vantagem competitiva. Isso porque, se eles compreendessem a relação entre recursos e vantagem competitiva, provavelmente os geren-

tes de outras empresas também não conseguiriam essa relação e, assim, teriam um entendimento claro e sustentável de quais recursos e capacidades deveriam duplicar ou procurar substituir. Finalmente, é possível que não apenas alguns recursos e capacidades permitam que uma empresa ganhe vantagem competitiva sustentável, mas que literalmente dezenas desses critérios organizacionais, juntos, possam gerar essas vantagens. Quando os recursos e as capacidades que geram vantagem competitiva sustentável são redes complexas de relações entre indivíduos, grupos e tecnologia, a imitação pode ser custosa.

Agenda TRATAMENTO DE EFLUENTES – Conceitos para projetos de tratamento de efluentes A importância do tratamento de efluentes cresce a cada dia por conta da escassez de fontes d’água associada a uma maior restrição por parte do lançamento em corpos receptores.’A legislação ambiental está mais restrita nas esferas municipal, estadual e federal. Mais que isso, o controle cada vez mais rigoroso com relação à qualidade do efluente final para fins de lançamento ou reuso tornam esses sistemas de con-

40 | construir | setembro 2010 revista VERDEnordeste PERTO _4

trole parte integrante do próprio processo produtivo.

VI SIMPÓSIO DE MEIO AMBIENTE

Esse treinamento tem o objetivo de agregar conhecimento teórico e prático para projeto e implantação de estações de tratamento de efluentes líquidos industriais e sanitários e, quando necessário, visando o reuso.

O evento tem o objetivo de ampliar a difusão de ideias e soluções acerca da questão ambiental. O foco estratégico será a busca por estratégias alternativas que minimizem os impactos ambientais e, ao mesmo tempo, apontem para um horizonte ambientalmente menos degradante.

Local: Informa Seminar CenterSão Paulo Data: 15 e 16 de setembro

A primeira edição do Simpósio de Meio Ambiente foi realizada em 2002, na Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), e teve como tema “Manejo e

Conservação do Estado do Espírito Santo”. Naquela ocasião, participaram cerca de 300 pessoas. Local: Viçosa – Minas Gerais Data: 20, 21 e 22 de setembro Site do evento: http://www. cbcn.org.br/simposio/2010/


seção legal

Desempenho dos sistemas construtivos em avaliação. Em maio deste ano, entrou em vigor a Norma Brasileira de Desempenho de Edifícios, conhecida também como NBR 15575. Para explicar o que é a Norma, como ela funciona e suas finalidades, convidamos a arquiteta Elka Porciúncula para uma conversa. Começamos logo pela explicação: “A Norma surgiu a partir da exigência dos usuários, para cobrar qualidade na construção civil. Ela avalia novas tecnologias e se baseia nas Normas Prescritivas da ABNT, que são indispensáveis à sua aplicação. Toda parte da construção civil passa pela avaliação da NBR 15575, apenas o sistema elétrico fica de fora”. Apesar de ter entrado em vigor em maio, a Norma Brasileira de Desempenho para Edificações só passa a ser obrigatória para construções que serão aprovadas seis meses após a data. Ela está dividida em seis partes: requisitos gerais, requisitos para os sistemas estruturais, para os sistemas de pisos internos, para os sistemas de vedações verticais internas e externas, requisitos para os sistemas de cobertura e para os sistemas hidrossanitários.

que ela tire fotos. Se essa mesma máquina também filma, você espera que ela tire fotos e faça filmes. O mesmo acontece nos edifícios. Ao comprar um imóvel, você espera morar num ambiente confortável. Por exemplo, em que se possa conversar sem que o vizinho escute, e vice-versa”, argumenta a arquiteta. A partir da Norma, o consumidor tem o respaldo de que os edifícios precisam atender requisitos e critérios. Segurança, habitabilidade e sustentabilidade, são eles. As empresas incorporadoras e construtoras passam a ser responsáveis por assegurar que os empreendimentos atendam esses requisitos. “É preciso ter um escopo bem definido do que se deseja, para que o autor

do projeto tenha responsabilidade técnica sobre aquilo que constrói. Isso tem que estar no manual do usuário”, comenta Elka. A este último, cabe realizar a manutenção de acordo com o manual de operações. “Além disso, é função do usuário também fiscalizar. Se algo não está como prevê a Norma, o consumidor pode procurar seus direitos”, continua. O Código de Defesa do Consumidor estabelece que nenhum produto ou serviço pode ser colocado no mercado sem atender às normas técnicas pertinentes. Veja nas ilustrações alguns detalhes da Norma Brasileira de Desempenho de Edifícios.

Na prática, a Norma existe para avaliar o desempenho de cada sistema construtivo. “Desempenho é o que você espera de um produto. Se você compra uma máquina fotográfica, você espera

setembro 2010 | construir nordeste | 41


seção legal

Elka Porciúncula.

Os requisitos desta Norma de desempenho complementam as Normas prescritivas que estabelecem requisitos com base no uso consagrado de produtos ou proedimentos, buscando o atendimento às exigências dos usuários de forma indireta.

Segurança

estrutural contra o fogo no uso e na operação.

Habitabilidade

estanqueidade conforto térmico conforto acústico conforto lumínico saúde, higiene e qualidade do ar funcionalidade e acessibilidade conforto tátil e antropodinâmico

Sustentabilidade

durabilidade manutenibilidade impacto ambiental

Esta Norma de desempenho considera-se para todos os efeitos que estejam satisfeitas as exigências do usuário, será utilizada como referência para o estabelecimento dos requisitos e critérios. 42 | construir nordeste | setembro 2010


olha só... Nova lei estimula reciclagem

O simples cadastramento, aliado ao pagamento de taxas simbólicas, credenciam muitas usinas de tratamento de madeiras, por vezes desprovidas de instalações adequadas, a operar em condições de igualdade com outras que observam rigorosamente as exigências ambientais e de segurança constantes dos textos legais.

Entrou em vigor, dia 03 de agosto, uma lei que obriga comerciantes, distribuidores e fabricantes a receber de volta as embalagens e produtos usados. A lei vai ser regulamentada no prazo de três meses. Computadores, aparelhos de tv e até pneus são alguns desses produtos. O que é do conhecimento de poucos é que, antes dessa lei, algumas empresas já recebiam produtos que não tinham mais utilidade. As operadoras de telefonia celular, por exemplo, disponibilizam urnas coletoras de aparelhos e baterias nas suas lojas. (Fontes: Jornal Nacional e www.revistasustentabilidade. com.br)

Construção sustentável selada! Ao contrário de alguns mercados, onde já é realidade a exigência por determinados tipos de certificação como meio para o devido enquadramento nos conceitos da sustentabilidade, o emprego da madeira de reflorestamento no segmento da construção civil ainda não conta com uma retaguarda de qualificação através de um selo que dê garantias de origem ambientalmente correta.

Construção ecológica

Giroflex lança cadeira sustentável certificada

A incorporadora e construtora Trisul é pioneira no uso de fôrmas de alumínio para construção de edifícios altos. São fôrmas que encaixam umas nas outras, como num quebra-cabeça. Elas substituem as tradicionais, feitas de madeira, e têm durabilidade 50 vezes maior. Enquanto as de madeira podem ser reutilizadas no máximo 20 vezes, as de alumínio permitem produzir mil paredes estruturais com o mesmo molde.

We Chair é a nova linha de cadeiras da Giroflex. O produto, 100% brasileiro, traz o importante reconhecimento de sustentabilidade e qualidade para produtos: o Selo SustentaX. A We é a primeira cadeira brasileira a participar do processo de obtenção da certificação, o que reforça a qualidade e pioneirismo da marca. Desenvolvida em parceria com a DuPont, as cadeiras We são ecologicamente corretas desde as primeiras etapas de produção. Os compo-

O desequilíbrio é flagrante, o que acarreta numa situação comprometedora dentro do mercado, a partir do momento em que empresas tecnicamente descredenciadas competem, em igualdade de condições, com aquelas que arcaram com o “ônus” da legalidade para entrar em operação. Todos perdem: o mercado, o ambiente e o consumidor da madeira tratada. Para que a “balança” se torne mais justa, “está em processo a criação de um selo de qualificação que comprovará o devido credenciamento de empresas do setor, no tocante aos aspectos técnicos e legais”, afirma Flávio Carlos Geraldo, membro da diretoria da Associação Brasileira de Preservadores de Madeira (ABPM). Para mais detalhes, acesse www.abpm.com.br.

nentes possuem maior quantidade de resinas plásticas, conhecidos como polímeros de engenharia da Dupont, que facilitam o manuseio e diminuem o gasto de energia durante a fabricação, sem comprometer a resistência. O produto é 94% reciclável, sendo o menor percentual constituído de espuma e tecido que, embora não sejam recicláveis, podem ser reutilizados. A Giroflex ainda garante o acompanhamento desde a compra da cadeira We até o seu possível descarte. Para isso, foi criado o Programa de Descarte Giroflex, que se responsabiliza pela coleta e reaproveitamento adequado para que um novo produto possa ser desenvolvido. Outras informações: www.giroflex.com.br

As fôrmas de alumínio são totalmente recicladas, o que não acontece com a madeira, que é plastificada e depois descartada no meio ambiente. Além de garantir agilidade, diminuindo em 15% o prazo da obra, e total padronização do empreendimento, as fôrmas geram também economia de energia e água. Fonte: www.agendasustentavel.com.br

revista VERDE PERTO _7


PROPOSTAS DOS CANDIDATOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL Estamos em ano eleitoral. É muito importante ficarmos atentos as propostas oferecidas pelos candidatos. Não podíamos ficar de fora desse momento. Nosso papel, enquanto veículo de comunicação, é manter você bem informado. Como a linha editorial da revista tem o setor da construção civil como foco, vamos mostrar a vocês alguns candidatos que têm ligação com o setor. É importante lembrar que o nosso objetivo é exclusivamente informar. Qualquer decisão a ser tomada deve ser de responsabilidade de cada cidadão. José Chaves, engenheiro civil, participou ativamente do setor da construção civil por mais de 20 anos através da empresa “Chaves Empreendimentos e Engenharia”. Foi presidente da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário no estado, além de parceiro do Sinduscon-PE. Uma de suas propostas é acabar com as taxas dos chamados terrenos de marinha. “Atualmente, a cobrança dessa taxa não tem mais sentido, uma vez que não há mais a utilização dessas áreas para os fins que as justificam como propriedade da União, como por exemplo, embarque e desembarque de cargas, a defesa da cidade, a extração de sal e a obtenção de renda”, comenta. Jorge Côrte Real, empresário e engenheiro, hoje é diretor das empresas A.B Côrte Real e da Carrilho & Real Empreendimentos Ltda., ambas do setor da construção civil. Foi presidente, por duas vezes, do Sinduscon/PE. Em 2004, foi eleito para a presidência da Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (Fiepe), e em 2008, foi reeleito para comandar a entidade por mais quatro anos. No momento está licenciado da Presidência da Federação, em observância à legislação eleitoral, assim como da presidência do Conselho Regional do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai/PE) e do Instituto Euvaldo Lodi (IEL), das diretorias regional do Serviço Social da Indústria (Sesi/PE), e da Confederação Nacional da Indústria (CNI) e dos conselhos do Serviço de Apoio a Micro e Pequena Empresa de Pernambuco (Sebrae) e do Estadual de Desenvolvimento Econômico e Social de Pernambuco (Cedes). Defende a definição de uma política nacional de resíduos sólidos. “Tenho acompanhado, nos últimos anos, a trajetória de desenvolvimento de Pernambuco. Essa experiência me levou a ver questões importantes para a consolidação desse crescimento”, finaliza. Augusto Coutinho, engenheiro civil, participou do movimento estudantil como membro do Diretório Acadêmico da Politécnica. Durante anos, atuou na área de Engenharia Civil, tendo ocupado diversas funções. Exerceu vários cargos de direção empresarial, dentre os quais, presidente do Conselho Especial de Jovens Executivos; diretor do Sindicato da Construção Civil (Sinduscon/PE); e representante da referida entidade junto à Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (Fiepe). Entre outras leis que fazem parte dos mandatos do deputado Augusto Coutinho, está a Lei das Manutenções Prediais, que institui a obrigatoriedade de vistorias periciais e manutenções periódicas em edifícios residenciais e comerciais.

44 | construir nordeste | setembro 2010


setembro 2010 | construir nordeste | 45


tecnologia

Sem problemas com vizinhos

Sistema construtivo de paredes duplas inibe barulho e evita problemas com a vizinhança.

Obra com paredes duplas em andamento

As construções

são cada vez mais próximas. As paredes parecem mais “finas”, e o vizinho, às vezes, tornase quase um membro da família, tamanha proximidade. Para evitar alguns problemas – o principal deles, a transmissão de ruídos –, é necessário investir em materiais densos, e o concreto aparece com uma interessante oportunidade. A Sudeste, empresa do mercado da construção industrializada de pré-fabricados, desenvolveu o método construtivo das paredes duplas. A tecnologia é automatizada e representa o que há de mais moderno e avançado na área de construção. As paredes são desenhadas em fôrma por um sistema a laser, de forma automatizada. Ele permite a projeção de peças 100% personalizadas e todas dispensam acabamentos, como

46 | construir nordeste | setembro 2010

massa fina. Para evitar a propagação acústica, basta adequar o material entre as paredes, de acordo com a necessidade. Segundo o engenheiro e diretor empresa, Fabio Casagrande, o isolamento acústico bastante acessível diferencia o sistema. “As paredes duplas conseguem reter entre 5dB e 10dB a mais em relação a uma parede simples de mesmo peso”, explica. De acordo com o especialista, o ideal é o uso de concreto maciço, por ser mais isolante. Casagrande lembra que as paredes têm coeficientes de absorção muito mais eficientes do que os materiais até então considerados “isolantes”. “Para conter a acústica, é fundamental evitar qualquer porosidade na construção, já que a energia sonora

atravessa fendas e outros orifícios, deixando passar a mesma quantidade de barulho que o resto da parede”, completa o engenheiro. Para resumir, o sistema aumenta essa densidade de fechamento, estabelecendo conforto acústico pelo isolamento do som. A tecnologia aplicada na construção industrializada garante precisão, rapidez e uniformidade incomparáveis. “A opção pela parede dupla permite concluir a obra 50% mais rápido que a construção convencional”, pontua. Um exemplo da diminuição de custos é a ausência de massa corrida, pois, como a superfície da parede dupla é homogênea e lisa, está pronta para receber pintura ou acabamento final. Repita-se, tudo é automatizado. Desde a geometria dos elementos, passando pela mistura do concreto e até o posicionamento das telas e


das treliças metálicas. “Projetores de laser determinam o formato nas formas de aço, onde todo o processo é monitorado a partir de uma sala de controle informatizada”, descreve Casagrande.

existe uma tradição na maneira de se trabalhar e nas técnicas aplicadas à execução desse trabalho, como é o caso da forma artesanal de construir, é fácil encontrar resistências ao novo”, prevê o engenheiro.

Por característica, as paredes duplas são ideais para construção de galpões industriais, escolas, prédios públicos, shopping centers, hospitais, presídios, caixas d’água, muros de arrimo e residências para obras de até trinta pavimentos.

Aspectos como os gargalos, em termos de mão-de-obra; investimentos que serão necessários em infraestrutura para recebermos os Jogos de 2014 e 2016; e a facilidade de crédito para

Se compararmos financeiramente com outros processos, há claras vantagens. Além de dispensar acabamentos, a customização diferencia o produto. A tecnologia empregada permite que cada peça seja produzida observando instalações elétricas, portas, janelas, sistema de ventilação, sistema de iluminação etc. Cada peça é produzida por ordem programada no projeto e organizada para facilitar o processo de instalação. “Além da personalização, essa tecnologia permite que a obra construída parede a parede seja finalizada muito antes do que uma obra levantada tijolo a tijolo.”, enfatiza Fábio Casagrande. A montagem no canteiro de obras é feita a partir do içamento das peças, através de maquinário específico. Depois, é feito o preenchimento de concreto entre as paredes, e então a parede dupla Sudeste está pronta para atuar como uma estrutura de concreto monolítica, com as mesmas propriedades de uma parede da mesma espessura concretada in loco. Reconhecidamente conservador, o mercado da construção civil não é dos mais fáceis no que diz respeito à aceitação de novidades. Mas na Sudeste o otimismo é grande. “Quando

aquisição da casa própria são fatores que movimentam o setor da construção, expõem suas carências e revelam que, mais cedo ou mais tarde, será imperativo modernizar e automatizar a construção civil. Pelo menos, é nisso que acredita a empresa, motivada a buscar empreendedores e parcerias em todas as regiões do país, especialmente no Nordeste.

Vantagens • Flexibilidade dimensional • Produção controlada digitalmente, garantido precisão, rapidez e uniformidade. • Os módulos de encaixe • A produção pelo sistema circular permite a incorporação de pontos hidráulicos e elétricos, abertura de portas e caixilhos. • As matérias-primas dos elementos são normatizadas e de origem controlada. • Alto isolamento termo-acústico. • Várias opções de preenchimento: concreto, poliuretano isopor, entre outros. • Elimina a reserva espaço para armazenar material na obra. • Canteiro de obra limpo.

Especificações Técnicas • Placas de concreto paralelas conectadas por treliças de aço. • Espessura das placas de concreto: de 4,5 a 7 cm. • Espessura total: de 15 a 37 cm. • Medida máxima: 13,3 x 3,2 m. • Composição: concreto FCK ≥ 40 MPa. • Aplicação: paredes internas e externas. setembro 2010 | construir nordeste | 47


48 | construir nordeste | setembro 2010


A OBRA DA FAMÍLIA TUPAN

OS PARCEIROS

de serra talhada para onde for possível

Depoimentos de parceiros que

o CRESCIMENTO DE UMA EMPRESA

falam por si só

QUE NÃO ESQUECE SUAS RAÍZES

setembro 2010 | construir nordeste | 49


50 | construir nordeste | setembro 2010


setembro 2010 | construir nordeste | 51


ALÉM DOS LIMITES

*por José Mario Correa

As previsões de 2009 estavam certas. Este, provavelmente, será um ano recorde de investimento e crescimento na construção civil. Até agora, o que temos são boas notícias quanto a isso. O Brasil está a todo vapor na construção de grandes obras por causa das Olimpíadas e da Copa do Mundo, além de estar engajado em outras obras, fruto de programas governamentais, como por exemplo, o “Minha Casa, Minha Vida” – um projeto de incentivo à habitação popular que contribui para a expansão do setor. Com isso, Pernambuco inicia um novo ciclo de crescimento econômico: é um dos estados que mais investiu no setor de construção. Na região Nordeste, o estado cresce acima da média, e tem o Produto Interno Bruto (PIB) alavancado especialmente por este segmento. E as obras tão esperadas estão saindo do papel: a refinaria e o estaleiro de Suape, a transnordestina, as duplicações de rodovias. Por outro lado, a população começa a se desenvolver junto ao estado.

52 | construir nordeste | setembro 2010

Neste cenário, a capacidade de abastecimento do setor deve dobrar ou triplicar para alcançar a demanda de pedidos. E neste momento, a logística de uma empresa fala alto: sua capacidade de estoque e suas facilidades de compra devem privilegiar o consumo e atender tanto aos grandes, como os pequenos investidores. Empresas como a Tupan Construções vêm cumprindo bem este papel. Ao lado de parceiros que comprovam toda seriedade e credibilidade, a Tupan atua tanto no ramo do atacado quanto no varejo, com empreendimentos distribuídos por Serra Talhada, Recife e Maceió. É uma firma intimamente ligada ao desenvolvimento da construção civil do estado. Durante muito tempo, a venda de material de construção por atacado incluía apenas o Sudeste do Brasil, e o ingresso da Tupan neste ramo valorizou o Nordeste, além de proporcionar um barateamento dos custos de construção. Enquanto atacadista, a Distac, distribuidora

da Tupan, atende a outros empreendimentos, acreditando no potencial de crescimento de Pernambuco e do Nordeste. Com três unidades, no Recife, em Serra Talhada e em Maceió. No segmento varejo, a Tupan possui duas lojas no Recife e três no interior, localizadas em Serra Talhada, com o objetivo de alcançar todo o estado com agilidade e competência. Em Alagoas, mantém uma grande loja na capital. São vinte e sete anos de trabalho para todos os que desejam realizar seus sonhos de construir, ampliar ou apenas renovar seus lares. A maior realização da Tupan é atender bem o cliente, com a preocupação constante de atingir as expectativas daqueles que confiam na marca. Independente da classe social, a Tupan torna possível a construção do que quer que seja imaginado através de parcerias e maiores facilidades de compra. É assim que vemos um Pernambuco forte, sem limites e no ritmo crescente do desenvolvimento.


setembro 2010 | construir nordeste | 53


FAMÍLIA Tupan: Uma rua sem calçamento na cidade de Serra Talhada, sertão de Pernambuco, foi o endereço de um pequeno armazém de 114m². O ano era 1983. Engenheiro civil por formação, Carlinhos realizou o sonho do pai, Adauto Carvalho, e ao lado do irmão Bartolomeu iniciou o negócio que viria a ser uma forte referência em fornecimento de material de construção da região. “O começo não foi fácil. Eram dois funcionários, um birô, uma máquina de datilografia e prateleiras. Tudo de segunda mão. Meu pai era professor da rede estadual de ensino e dono de uma farmácia, que continuava gerenciada por ele. Já meu irmão também era engenheiro”, lembra Carlos Aurélio de Carvalho Nunes, o Carlinhos da Tupan, homem que preside a empresa desde sua fundação. No começo, o varejo era o foco, mas o bom mercado atacadista abriu os olhos da família para investir no setor e atender à demanda da região em torno de Serra Talhada. Depois de viajar a São Paulo e perceber que podiam investir no atacado, os irmãos resolveram que esta seria a meta. A partir de 1986 o atacado foi o alvo certeiro. Com o novo caminho traçado, mais um irmão entrou no grupo de sócios da empresa, Diógenes Nunes de Carvalho. A base familiar era uma vontade do pai que, aos poucos, era realizada. Após construir em Serra Talhada uma central de distribuição de 10 mil m², observou-se a neces-

54 | construir nordeste | setembro 2010

sidade de encurtar a distância com os fornecedores e investir num escritório na capital. “Num primeiro momento, queríamos uma base no Recife para os negócios com o atacado e também investirmos no varejo, com tudo no mesmo lugar”, lembra Carlinhos. Assim, em 1995, o número 2727 do bairro da Imbiribeira recebeu a primeira loja da Tupan no Recife. O crescimento continuava. Em 2000, foi inaugurada mais uma loja na capital pernambucana, desta vez no bairro de Afogados. Em muito, a história da Tupan se confunde com a família que construiu a empresa. Todos possuem hábitos simples e se diferenciam pelo trato de igual para igual, seja com os funcionários ou com clientes. “Na minha vida, dediquei-me de corpo e alma à atividade do comércio. Nunca atrasamos nenhuma conta em todos esses anos”, orgulha-se. O jeito simples e cordial reflete muito o ambiente do grupo. “Somos todos pequenos diante de um contexto maior, que é a Tupan. Nossa relação é familiar, porque meu pai nos passou esses valores. Toda a família trabalha na empresa, com dedicação, porque sabemos que isso aqui é um pedaço de cada um de nós”, afirma o empresário. Desde sua fundação, a Tupan é 100% familiar, e o único que foge a regra desta corrente sanguínea é Aldeir Lima. Ele foi o primeiro funcionário da empresa e se tornou sócio ao receber de presente uma parte do negócio.

Aldeir não é uma exceção. A Tupan é uma das empresas pernambucanas que mais investe na qualificação do seu quadro. Formações, treinamentos e capacitações periódicas fazem parte da rotina dos quase 1600 funcionários. Prova disso é que todos as lojas da Tupan possuem pelo menos um auditório. “Temos um cuidado muito grande com a qualificação da nossa mão de obra. O ramo de home-center, por exemplo, requer um atendimento diferenciado e precisamos estar atentos a isso para sermos competitivos e primeiro cuidamos de quem já está conosco para depois pensar em contratar novos funcionários”, pontua Neide Alves, supervisora de Marketing da Tupan. Ela exemplifica o Projeto Profissional Nota 10 como demonstração do quanto a empresa prioriza a qualificação. O projeto acontece há três anos e consiste num ciclo de treinamentos, reciclagens e capacitação que são oferecidos por profissionais e empresas parceiras da Tupan nas lojas do grupo. Profissionais autônomos (pintores, eletricistas, marceneiros, encanadores, entre outros) inscrevem-se gratuitamente e recebem cursos e palestras. Ao término do ciclo todos recebem certificados. “O trabalho qualifica a mão de obra e aproxima nossos parceiros da loja e dos profissionais, ao final ganham todos, inclusive o consumidor final”, destaca Neide. O sucesso é tanto que agora o projeto deve ter edições mensais.


*Sem cheiro em até três horas após a aplicação, segundo pesquisa realizada em que 80% dos consumidores avaliaram a intensidade do cheiro como fraco/sem cheiro.

Para um branco muito mais luminoso. Novo Decora Luz & Espaço.

setembro 2010 | construir nordeste | 55

www.coral.com.br


Especial Tupan:

depoimentos:

“O Grupo Tupan, que atende mais de 12 mil lojistas em todo norte e nordeste, é atualmente o maior cliente da Krona Tubos e Conexões. O Grupo foi essencial para o crescimento da marca Krona na região. Em oito anos de parceria que temos com as empresas do Grupo Tup a n , a transparência e a coerência nas relações comerciais tem sido essenciais para a formação de um relacionamento forte e duradouro. Nosso desafio é fortalecer cada vez mais esta parceria, superando as expectativas da Tupan, que nos deu o privilégio de sermos seu fornecedor.” Valdicir Kortmann - Diretor Comercial e Marketing Krona Tubos e Conexões

“A Fabrimar tem orgulho de fazer parte de uma parceria tão duradoura. Qualidade no atendimento, mix de produtos e o relacionamento comercial com seus fornecedores deram a Tupan, uma posição de destaque entre as revendas de materiais de construção da sua região. São anos de trabalho e dedicação que fazem da Tupan, um dos nossos mais importantes e fiéis parceiros na região Nordeste.” José Fernando Caleiro – Diretor Comercial Fabrimar S/A Indústria e Comércio

“Fico muito feliz de poder falar sobre a nossa grande amizade com todos da TUPAN ao longo desses muitos anos. A cada visita e evento que fizemos em conjunto, nos sentimos em casa como se fossemos parte da família. Aliás, é justamente esse o sentimento, uma grande família. Como não se lembrar dos bate-papos e brincadeiras dos churrascos, momentos de descontração tão importantes para a nossa convivência. Pois nós da HERC sempre ficamos muito felizes em termos sempre estado juntos de todos da TUPAN em todas as conquistas e momentos. Um grande abraço a todos!” Mario Silvano – Gerente Nacional de Vendas Indústria de Plásticos Herc Ltda

56 | construir nordeste | setembro 2010


“Como referência no ramo atacadista de materiais de construção, a TUPAN figura – dentre os clientes DISTAC da METALÚRGICA SILVANA – como um exemplo de visão empreendedora e antecipada às principais tendências do segmento. Sua história, arraigada a fortes princípios e crença no desenvolvimento

regional, tem se mostrado um modelo de competência administrativa, inovação e excelência, facilmente percebida pela franca expansão de sua marca e negócios no Norte e Nordeste: motivo que muito orgulha esta parceria firmada em uma relação ética, confiável e consolidada, em todo o Brasil, ao longo destes 27 anos! A Metalúrgica Silvana saúda à FAMÍLIA TUPAN/DISTAC, certa de que sua história, renovada em seu portfólio de produtos e serviços, demonstra, que o seu trabalho é, de fato, ‘o barato da construção’!” Indústria Metalúrgica Silvana S.A

“A Tupan tem sido um grande parceiro da Coral ao longo destes anos. Nossa parceria começou em 1997 e desde então vem crescendo ano a ano. A empresa trabalha com transparência e busca o crescimento de forma empreendedora e respeito ao fornecedor! Com uma administração aberta, a Tupan possibilita uma atuação mais eficiente do fornecedor , com ações em lojas , troca de informações para tornar as vendas mais efetivas , etc.. Nós da Coral agradecemos a Carlinhos e a família Tupan, pela oportunidade da parceria e desejamos sucesso . Tudo de Cor para Tupan !!!” Wenzel Rêgo – Gerente da Divisão Centro Norte AkzoNobel Tintas Decorativas Brasil

setembro 2010 | construir nordeste | 57


58 | construir nordeste | setembro 2010


Tupan:

o crescimento não para A primeira loja da Tupan surgiu em Serra Talhada, em 1983. Há 27 anos no mercado, hoje, a empresa conta com seis lojas, sendo três na cidade natal, duas no Recife e uma em Maceió. Esta última é a mais recente. Foi inaugurada em novembro do ano passado. Além de ser a mais nova, é também a mais moderna de todas! São 7.000m² de home center construídos numa área de 50.000m². Os investimentos para expandir o número de lojas continuam. Uma nova loja está sendo construída em Caruaru e deve ficar pronta no início de 2011. Ainda ano que vem, o Grupo Tupan vai começar a construção de mais um home center, desta vez em Olinda. Apesar do aumento de novas lojas, as mais antigas não ficaram esquecidas. Todas elas também passam por transformações. A loja da Imbiribeira, no Recife, está sendo climatizada, para melhor atender os clientes. Inovação também combina com a empresa. Em 2007, o Grupo Tupan criou um novo “braço” para ampliar

os negócios: a Distribuidora Adauto Carvalho (Distac, em homenagem ao patriarca da família), para cuidar do atacado. Agora, a Tupan se dedica exclusivamente ao mercado varejista. A Distac já atua em 11 estados, nas regiões Norte e Nordeste, e possui 13 mil clientes lojistas. Recentemente, surgiu um novo projeto. Não cansada de ousar, inovar e investir, surge a Dispan Transporte. Uma frota com 135 caminhões para fazer entregas aos clientes e para realizar operações internas da Tupan.

‘Tupanzinha’, como carinhosamente chamo, com uma máquina de datilografar, um birô e duas cadeiras. Estamos prosperando”, finaliza, brilhantemente, Carlos Aurélio de Carvalho, conhecido por todos como Carlinhos, e dono da Tupan.

“Cada passo dado traz imensa satisfação. Aumenta nossa responsabilidade, porém, os novos projetos nos deixam bastante felizes. A Tupan conta hoje com 1.500 colaboradores internos. Em Serra Talhada, somos o maior empregador. Isso é um orgulho! E nós começamos a nossa

setembro 2010 | construir nordeste | 59


60 | construir nordeste | setembro 2010


setembro 2010 | construir nordeste | 61


WOLLK ELEVADORES: 15 anos de inovação e

crescimento

Empresa consolida parcerias internacionais e investe na qualificação da sua mão de obra Sabe o que as grandes montadoras de automóveis têm em comum? Exatamente os mesmos fornecedores de faróis, peças dos motores, pneus, entre outros componentes. No caso de elevadores, a história se repete. A diferença está na forma como essas peças são montadas e na qualidade da assistência técnica. E nesses quesitos, a Wollk Elevadores possui diferenciais que a colocam em uma posição de destaque no mercado. A Wollk faz parte do Grupo EMEL, empresa de investimentos imobiliários, shoppings, entre outros segmentos. A Wollk investe em tecnologia a fim de oferecer aos seus clientes o que há de mais avançado no mercado de transporte vertical. São escadas rolantes, elevadores com diversos tipos de finalidade, projetos especialmente desenvolvidos para se adequar ao ambiente, e até equipamentos que dispensam a casa de máquinas com o objetivo de proporcionar redução do custo da obra e mais elegância ao projeto arquitetônico, além de gerar redução no consumo energético. “Somos a única empresa do Nordeste nesse segmento de mercado, e nos orgulhamos disso. Mas preferimos pensar que, mais que montar elevadores, somos especialistas em apresentar excelentes oportunidades de inovação para as construtoras, engenheiros e arquitetos que confiam nos nossos produtos e soluções”, explica o diretor-superintendente da Wollk, Roberto Maia. Clientes como os Shoppings Recife e Guararapes, o JCPM Trade Center, as construtoras Moura Dubeux e Queiroz Galvão e a Federação das Indústrias de Pernambuco já conhecem a qualidade dos elevadores Wollk. E o trabalho não termina após a conclusão da obra, pois, como os automóveis, elevadores necessitam de conservação, e a Wollk possui uma assistência técnica multimarca e um estoque de peças que lhe permite oferecer manutenções corretivas ou preventivas com os menores preços e prazos de entrega. “O atendimento é 24 horas e não deixamos cliente algum sem resposta”, declara Roberto Maia.

Um dos elevadores panorâmicos da Wollk

62 | construir nordeste | setembro 2010

A Wollk é assim. Equipamentos de primeira qualidade que atendem aos mais diversos projetos. Afinal, se todos querem ter um ótimo carro na garagem, porque não ter um elevador com o mesmo padrão?


setembro 2010 | construir nordeste | 63


64 | construir nordeste | setembro 2010


Interiores em destaque Idéias, novidades e dicas de grandes profissionais para ambientação.

‘‘O tempo é o dono da minha arquitetura

Carlos Augusto Lira setembro 2010 | construir nordeste | 65


interiores em destaque

Painel de eucalipto, ajuda na circulação do ar

O projeto apresentado nesta edição, em nossa seção Interiores em Destaque, é do arquiteto e urbanista, Carlos Augusto Lira. À frente da Lira Arquitetos Associados há 34 anos, nosso convidado é uma referência na arquitetura de Pernambuco. Além de renomado profissional, o que por si só justifica o convite, Carlos Augusto Lira foi um dos painelistas no 13º Fórum Construir. Nada mais justo do que “abrir a porta da nossa casa” para ele. Na ocasião, ele apresentou aos participantes do Fórum o painel residencial. Todos se encantaram pelo projeto de uma casa em Toquinho. A praia fica há 80 km do Recife, é praticamente particular e famosa por ter vários condomínios de luxo. A residência em questão já existia, mas os proprietários sentiam necessidade de fazer algumas mudanças no projeto, por exemplo, de tornar o ambiente mais aconchegante para receber amigos e convidados. Carlos Augusto recebeu essa missão, claro, com liberdade criativa para exercer todo o talento. Alguns móveis ainda foram aproveitados; outros, criados com exclusividade. O motivo? Bem,

66 | construir nordeste | setembro 2010

para o arquiteto, “ é preciso criatividade para não deixar a casa com ‘cara’ de loja”. Objetos trazidos de viagens tiveram lugar garantido no projeto. E novos ambientes foram criados para atender às necessidades dos clientes. “O arquiteto tem que realizar sonhos. Respeitar a vontade de quem nos contrata é fundamental. O importante é ver a satisfação”, comenta Carlos Augusto.

Porta pivotante central

No intuito de preservar a cultura brasileira, obras de artistas locais estão espalhadas por toda parte. A madeira de reflorestamento também foi bastante utilizada, e houve preocupação em integrar o aspecto ecológico ao projeto. O verde da natureza e o azul do mar podem ser vistos de vários ambientes. Então, vamos conhecer melhor esses ambientes?

Sala/cozinha gourmet. Criada para satisfazer os clientes, já que gostam muito de receber e cozinhar.


Tampo da mesa em madeira

A proposta da iluminação é dar leveza Lavabo, bastante charmoso e com uma visão mais moderna. As peças na parede são africanas

Sala de Estar – Luminária que a cliente viu em Gravatá, comprou, e pediu para transformar em abajour setembro 2010 | construir nordeste | 67


interiores em destaque

Detalhes do artesanato

Quarto do casal com vista para o jardim

Terraรงo com vista para a Ilha de Santo Aleixo.

68 | construir nordeste | setembro 2010


Piscina com espelho d’água.

Ponte/passarela que passa por cima do espelho d’água

A mesa era de granito, o arquiteto pintou para compor melhor o ambiente. Essa bela cadeira foi feita com exclusividade.

Esse sofá já era da casa e foi colocado sobre Anexo bastante utilizado ele uma capa pela família. Área social.

setembro 2010 | construir nordeste | 69


Fórum Construir:

a soma de todos os talentos

Equipe da NoAr Comunicação cobrindo o evento.

Carlos Augusto Lira Painelista

O sucesso alcançado

em mais este evento foi

uma resposta ao trabalho que desenvolvemos, com muito orgulho, ao longo desses anos

José Érico Eloi Painelista

“A Importância das Inovações Tecnológicas” foi o tema do 13º Fórum Construir que aconteceu no último dia 11 de agosto, no Mar Hotel, em Boa Viagem. O Fórum foi uma promoção entre a revista CONSTRUIR NORDESTE e o Instituto de Qualificação (IQ).

Elaine Lyra diretora da Revista Construir Nordeste

Evandro César Palestrante

70 | construir nordeste | setembro 2010

Ao longo do dia, aproximadamente 200 pessoas circularam pelo local, para assistir Às apresentações de três palestrantes e quatro painelistas, que apresentaram projetos arquitetônicos de sucesso com foco nos ambientes residenciais, hospitalares, corporativos, culturais e esportivos. A palestra de abertura ficou por conta da arquiteta e também consultora em sustentabilidade, Leiko Motomura. Ela falou sobre “Construção de Design Ambiental”, apresentando ao público

Juliano Dubeux Painelista

Lala Deheinzelin Palestrante

participante itens fundamentais no projeto. De acordo com Leiko, um projeto precisa ter durabilidade, qualidade de espaço, integralidade, fontes alternativas de energia, além de integração social e cultural. Em seguida, o arquiteto e urbanista, Carlos Augusto Lira apresentou o painel residencial; e o também arquiteto e urbanista Roberto Freitas, o painel hospitalar. A programação seguiu por toda a tarde. Após o intervalo do almoço, o engenheiro civil Evandro César levou para os participantes do 13º Fórum Construir, uma palestra sobre “Eficiência Energética nas Instalações Prediais”. Ainda durante a tarde, o arquiteto e urbanista, Juliano Dubeux, e o engenheiro civil, José Érico Enoi Dantas,


Leiko Motomura Palestrante

Roberto Freitas Painelista

Participantes assistindo as palestras

foram os responsáveis pelos painéis Corporativo, Cultural e Esportivo, sucessivamente. Dantas tratou das “Inovações Tecnológicas Autossustentáveis em Arenas”.

Ana Claudia Muniz e Reyes Marinho Instituto de Qualificação - IQ

A presença de profis-

sionais acadêmicos trouxe ao Fórum a interação entre eles e a prática exercida pelas empresas da área

Equipe Cebrace

Haroldo Gadelha, diretor da T&A PréFabricados.

Lyra, diretora da Editora NE Brasil, responsável pela publicação da revista CONSTRUIR NORDESTE.

Para encerrar com “chave de ouro”, o Fórum contou a presença da renomada Lala Deheinzelin, especialista mundial em Economia Criativa e Desenvolvimento Sustentável.

A gerente do Instituto de Qualificação, Ana Cláudia, também deixa suas considerações sobre o evento. “A parceria estabelecida entre a revista CONSTRUIR NORDESTE e o Instituto de Qualificação no 13º Fórum Construir foi bastante proveitosa”, pontua.

“Realizar esta 13ª edição do Fórum Construir foi, realmente, uma grande alegria. O setor da construção civil cresce vertiginosamente, e o Fórum acompanha esse crescimento. O sucesso alcançado em mais este evento foi uma resposta ao trabalho que desenvolvemos, com muito orgulho, ao longo desses anos”, comentou Elaine

Para a gerente do IQ, “a expertise da instituição em identificar os profissionais da área técnica e a experiência da Revista em promover o Fórum desde o ano de 2000 deram ao evento o reconhecido sucesso. A presença de profissionais acadêmicos trouxe ao Fórum a interação entre eles e a prática exercida pelas empresas da área”.

setembro 2010 | construir nordeste | 71


D&A DECORAÇÃO & ARQUITETURA POR RICARDO

DIMARE Os empresários Daniel e Flaviana Leite lançaram, em meio a movimentado coquetel, o novo showroom da loja de móveis planejados Dimare, marca integrante da Marel, que eles também representam na cidade. A Dimare JP, localizada na avenida Tito Silva e que tem como gerente Sheila dos Santos, utiliza alta tecnologia com o uso das melhores matérias primas existentes, produzindo com garantia e agilidade os mais variados móveis sob medida para casa e escritório.

ROADSHOW 2010 Muitos arquitetos e decoradores participaram do Roadshow 2010, evento que aconteceu no Recife, cujo tema foi a negociação com clientes, em suas diversas etapas. O Roadshow ajudou a preparar os profissionais para essa importante tarefa. O palestrante foi o conceituado consultor de marketing e desenvolvimento humano, especializado no mercado de arquitetura e construção civil, Ricardo Botelho. De João Pessoa, presença também da arquiteta Adriana Leal.

TRIANON ILUMINAÇÃO Sucesso total o coquetel de lançamento do novo layout da loja Trianon Iluminação, que agora conta com um visual totalmente

repaginado e com muitos lançamentos de luminárias e abajures, a exemplo das marcas Dimlux, Acoord, Madelustre, Parislux, Bella e as exclusivas Alta Due e Altena Plus. São dois pavimentos para os profissionais da área e clientes escolherem peças que fazem a diferença na iluminação. No maior alto astral, a proprietária da Trianon, Luciana Rocha, recebeu os convidados, arquitetos e decoradores, além dos lojistas do Circuito AD.

72 | construir nordeste | setembro 2010

JUNTOS NOVAMENTE O decorador Allain Moszkowicz e a arquiteta Carmem Melo voltaram a atuar juntos na parceria de novos projetos. A dupla, que passou um tempo separada, já está a “mil” atuando no mercado. Eles informam que estão atendendo no novo escritório, montado no empresarial Bussiness Center, sala 802, em Manaíra, esquina com a avenida Edson Ramalho. Vêm muitas novidades por aí, com certeza!

TOP 100 KAZA Os mais atuantes arquitetos e designers de interiores de todo o Brasil estiveram no Club Med Itaparica, no litoral da

CASTRO, ARQUITETO

EUROLINE Sucesso total o lançamento do novo showroom da loja de móveis planejados Euroline, comandado pela dinâmica empresária Alessandra Ferro. O evento reuniu clientes, profissionais da área e muitos formadores de opinião, que aprovaram os belos ambientes. Um dos destaques do coquetel foi a participação do chefe de cozinha argentino, Sebastian Ezequiel, que preparou verdadeiras delícias para os convidados na cozinha gourmet montada para a mostra.

IAB-PB Bastante prestigiada, no dia 14 de julho, a posse da nova diretoria dos Conselhos Superior e Fiscal do IAB-PB. Os dirigentes da entidade Cristina Evelise e Fábio Galiza recepcionaram os convidados na própria sede, localizado no Centro Histórico, ao lado do Hotel Globo. Outro destaque na noite foi a premiação dos arquitetos que participaram do Concurso Público Nacional de Ideias para o projeto do edifício sede da inspetoria do Crea-PB, em Campina Grande.

Bahia. Por lá, aconteceu entre os dias 26 e 29 de agosto o Prêmio Top 100 Kaza. A terceira edição do evento revelou o retrato do segmento no país e contou com a presença de empresários, formadores de opinião e profissionais renomados da alta decoração brasileira. Os representantes da Paraíba são os arquitetos Betânia Tejo, Ana Sibelly Beltrão, Léo Maia, Anabel Alvarez e Allain

Moszkowicz. Idealizado e promovido pela Ação Editora e pela revista Kaza, o Prêmio Top 100 Kaza é resultado de um mapeamento de projetos de destaque e de avaliação do mercado, com a participação e a indicação de importantes núcleos de arquitetura e decoração do país, a exemplo do Circuito AD, que selecionou os nossos talentos paraibanos.


setembro 2010 | construir nordeste | 73


Expo Shanghai 2010 *Colaboração de texto de Adriana Cavendish

A dimensão do evento

A Expo por Cláudio Portela e Vera França*

Enquanto os tempos mudam, as exposições do mundo mudam e continuam a refletir as necessidades comerciais de suas épocas ao apresentar os ideais, as esperanças, e as aspirações dos povos. Hoje, a Expo Mundial, os Jogos Olímpicos e o Copa do Mundo são tidos como os três maiores eventos do planeta.

E tendo a China abraçado tão fervorosamente a causa, surpreendeu o visitante ao reservar uma valiosa área dentro da densa Xangai para abrigar este evento de proporções monumentais. Cinco zonas, compostas por várias quadras, estendem-se às margens norte e sul do rio Huangpu. O exterior de cada pavilhão instiga a aprofundar a investigação através do conhecimento do seu interior. Trata-se de uma experiência extasiante.

Passados 159 anos em 68 exposições, desde sua primeira feira em Londres em 1851, com 28 países participantes, sob a maré da Revolução Industrial, passando inclusive pelo Brasil – Rio de Janeiro em 1922, a World Expo hoje representa o curso de esforços em vários campos das sociedades, recolhendo as realizações do desenvolvimento na economia, na tecnologia, na inovação e na cultura em cada período da civilização, expressando a visão ilimitada de uma melhor vida, transformando-se em um grande estágio para a reunião e a cooperação entre os povos. A Expo 2010 de Shanghai – China com seus 200 países participantes, 70 milhões de visitantes, é uma feira de dimensões gigantes, que explora o tema de uma vida melhor através de cidades mais humanas. Esperamos que nas próximas Expos em 2012 na Yeosu-Korea e em 2015 em Milão-Itália, esta mesma busca tenha sua continuidade.

74 | construir nordeste | agosto 2010

No Pavilhão do Brasil nossa cultura está exposta em um prisma ligeiramente trapezoidal recoberto por uma pele formada por pedaços de madeira, reaproveitados dos restos das obras, fixados numa estrutura de aço e pintados na cor verde. Uma clara referência à necessidade da valorização da sustentabilidade para construção de “Better City, Better Life”, tema central da Expo. O tema “Cidades Pulsantes” é uma síntese do panorama econômico, artístico, cultural e turístico brasileiro, exibida através de vídeos, áudio e fotos, lançando mão de recursos visuais eletrônicos e interativos em bem compostos espaços internos. Os pavilhões do Canadá, de Portugal e da Alemanha se utilizaram de uma geometria assimétrica, rica em ângulos invertidos, para compor a sua volumetria. Suas com-


posições arquitetônicas tomaram emprestados elementos da escultura para surpreender o visitante a cada passo da caminhada.

tão rica e diversa, do design de moda ao de automóveis, passando pela produção de massas e vinhos, de tudo tinha um pouco.

O da Alemanha mostra, já no seu exterior, a pujança da sua economia, através de sua dinâmica e robusta volumetria, projetada e edificada com base em modernas tecnologias. Em contrapartida à robusta geometria do Pavilhão da Alemanha, está o orgânico Pavilhão da Espanha, onde mais de oito mil painéis trançados artesanalmente em fibras naturais recobrem uma estrutura assimétrica em aço, que quando iluminados apresentam uma transparência responsável pela leveza do conjunto. O caráter natural do pavilhão realça sua proposta volumétrica orgânica, conferindo ao conjunto ordem e equilibro num contexto onde o desigual é a matéria.

Neste grande espetáculo da cultura global as transparências dos septos brancos vazados do pavilhão da Polônia, que se estendem pelos espaços internos numa rica composição entre paredes e forros, com as rampas do pavilhão da Dinamarca, com as curvas do pavilhão da Austrália, com as sombras do pavilhão da França e com o colorido lúdico do pavilhão da Sérvia. Em alguns, a exposição apresentada internamente suplanta a expectativa gerada pela arquitetura exterior, em outros, a grande atração é mesmo a arquitetura.

Ainda na área reservada aos países europeus, avistamos a “Catedral das Sementes”, apelido conferido a um dos pavilhões mais instigante do evento, o da Inglaterra. Mais de sessenta mil delgadas hastes translúcidas foram “espetadas” em um volume primário, cúbico, de arestas e vértices arredondados, que repousou suavemente em uma esplanada externa, resultando em uma composição escultórica de grandes proporções. Um exemplo claro da interação entre várias áreas de expressão artística. Durante o dia as hastes transportam a luminosidade solar para o interior do espaço, acendendo as milhares de sementes expostas nas suas extremidades. Uma alusão à necessidade de preservação da biodiversidade. Durante a noite, as hastes acesas se mostram resplandecentes em meio à paisagem. O da Itália homenageou a anfitriã, buscando inspiração no jogo “pega varetas”, conhecido na Itália pelo nome Xangai. Um prisma retangular foi riscado aleatoriamente em reentrâncias que fazem alusão ao jogo, resultando num esquema de rigorosa geometria. No seu interior foi difícil expor cultura

Há também os pavilhões cuja arquitetura visível do exterior dispersa o interesse do visitante, resultado das grandes diferenças culturais verificadas numa exposição de amplitude global. Nestes casos, para percepção dos conceitos abordados seria necessário um aprofundamento no estudo do contexto de que é proveniente. Entretanto, limitados ao tempo disponível, muito ficou a ser observado, percebido e compreendido. Felizes mesmo estavam os chineses, que em multidões passeavam pelos pavilhões como se dessem uma volta ao mundo, o qual nunca tinham tido oportunidade de conhecer.

* Cláudio e Vera são arquitetos e foram os vencedores da categoria Projeto Arquitetônico Residencial do Concurso Cultural de Projetos de Arquitetura Novo Núcleo – 2ª Edição – 2009. Eles foram premiados com uma viagem para visita à World Expo Shanghai em Junho passado e fizeram parte do grupo de profissionais pernambucanos que estiveram no evento, entre eles, Romero Duarte,Humberto Zirpoli , Carlos Augusto Lira, Guilherme Eustachio, Luiz André Alves Da Silva, Luiza Helena Nogueira Feitosa, Mônica Maria Freire Paes De Andrade, Glícia Fernandes De Souza, Mario Henrique Cavalcanti, Iraneide Maria Cordeiro Oliveira, Adriana Cavendhish e Elza Maria Furtado De Mendonça

setembro 2010 | construir nordeste | 75


76 | construir nordeste | setembro 2010


*Colaboração de texto da jornalista Juliana Chaves

Um comparativo completo das

vantagens do uso

PRÉ-FABRICADOS

Pré-Fabricados: por que custam menos?

desta tecnologia.

Centro de eventos do Ceará

Conselho Editorial: Eduardo Moraes Gustavo Osório Íria Lícia Oliva Doniak

Realização: José Almeida Vicente Mário Visco Mattos Vitor Almeida setembro 2010 | construir nordeste | 77


78 | construir nordeste | setembro 2010


Mais uma imagem da obra de ampliação do Salvador Shopping

Para a construtora, o investimento em obras

pré-moldadas

já é realidade há mais de 10 anos, período em que se constata

um crescimento mais consistente da

tecnologia.

Obra da Iberostar, em Salvador

PRÉ-FABRICADOS

Ampliação do Salvador Shopping

O setor da construção civil da região Nordeste vem aderindo, nos últimos dez anos, à utilização dos pré-fabricados de concreto em construções de médio e grande porte. Recente por aqui, mas praticado há várias décadas em países europeus e nos Estados Unidos. Na “ponta do lápis”, o empreendedor tem visto os benefícios que o sistema traz, não somente em termos financeiros, mas também nos ganhos de qualidade. Para comparar os custos entre o sistema de pré-fabricados de concreto e os de estruturas metálica e de concreto moldado in loco, a revista CONSTRUIR NORDESTE foi buscar, na prática, a experiência de uma das maiores construtoras da região, a Andrade Mendonça. Em nossa edição 53, mostramos uma das obras mais significativas já realizadas no Nordeste com o sistema em pré-fabricados, o novo Centro de Eventos do Ceará. A construção é realizada pela Andrade Mendonça e é apenas um dos muitos exemplos do benefícios que o sistema pode trazer. “A Andrade Mendonça se utiliza do sistema pré-fabricado há algum tempo, dentre as maiores obras executadas estão o Walmart de Maceió, a expansão do Salvador Shopping e a construção (em andamento) do Centro de Eventos do Ceará”, argumenta Paulo Castro, engenheiro da Andrade Mendonça. Para a construtora, o investimento em obras pré-moldadas já é realidade há mais de 10 anos, período em que se constata um crescimento mais consistente da tecnologia. “Temos um

setembro 2010 | construir nordeste | 79


Obra do Hotel Iberostar em Salvador

Imagem de uma estrutura, toda em pré-fabricados

De acordo com o engenheiro, as dificuldades do

mercado em aceitar o sistema

construtivo somem aos poucos, na medida em que projetos de

sucesso são

apresentados.

Obra de reforma do Imip, em Pernambuco

departamento técnico bastante atuante e atualizado que investe em tecnologias construtivas e utiliza pré-fabricados”, completa Paulo. De acordo com o engenheiro, as dificuldades do mercado em aceitar o sistema construtivo somem aos poucos, na medida em que projetos de sucesso são apresentados. “Como a montagem do sistema em pré-fabricado de concreto é bastante rápida e limpa, dificilmente o cliente se opõe à utilização”, pontua. Eventualmente, pode-se adaptar alguma questão arquitetônica. Como em todo projeto, algumas alterações podem acontecer, inclusive, no sistema construtivo da obra. O Walmart de Maceió, por exemplo, é uma exceção! O projeto já foi pensado com o sistema construtivo pré-fabricado, diferente do Centro de Eventos do Ceará e da expansão do Salvador Shopping. Nessas duas obras, o curto prazo estabelecido para a entrega, “obrigou” a mudança de planos. A ideia de utilizar o sistema em pré-fabricados foi submetida aos clientes e aprovada sem qualquer problema.

As vantagens A fácil aceitação do mercado em mudar a estrutura do projeto para o sistema em pré-fabricados acontece por dois atrativos tecnológicos: maior rapidez na execução das estruturas e menor índice de reparos. Hoje, a redução signifi-

80 | construir nordeste | setembro 2010


KRIAR

Soluções completas para a Construção Civil Máquinas de Blocos e Pavimentos MBM-3 Máquina Manual

Máquinas de Tubos para Águas Pluviais Conjunto Vibratório Prensa PMT

Máquinas de Tubos para Esgoto Sanitário Máquina Vibratória de Vibradores Fixos

Prensa RADIAL 1250

MBP-3,5 Máquina Semi-Automática

MBP-8 Máquina Automática Alta Produção

Prensa PHA-10.15

Centrais de Concreto

Moldes para Pré-Moldados Fôrma de Galeria Regulável

Prensa VIBRAMATIC

Sistemas de Movimentação

Mesa Vibratória 2x1

Pórtico

Central Produtora de Concreto

Fôrma de Poste Incorporado

Misturador Planetário

Ponte Rolante Bi-Viga

Silo de Cimento Rasga-Saco

Fôrma de Placa de Fechamento

Implementos Rodoviários

Talha Elétrica

Extrusoras de Concreto

Projetos Especiais

Extrusora para Placa Alveolar EXT-300

Fábricas Customizadas

Serra Multiangular SMA-300

Betoneira Rodoviária Máquina de Serviços PSV-300

Presente na

Estande 170

Fone 55 (47) 2107-2100 • Fax 55 (47) 2107-2101 • Jaraguá do Sul • Santa Catarina e-mail: falecom@menegottiequipamentos.com.br • www.menegottiequipamentos.com.br setembro 2010 | construir nordeste | 81


ASSINE A REVISTA CONSTRUIR NORDESTE Receba 6 exemplares por R$

65,00

Acesse o site www.construirnordeste.com.br

82 | construir nordeste | setembro 2010


O BRAÇO FORTE DO NORDESTE.

Onde tem uma grande obra estruturadora no Nordeste, tem a Saraiva movimentando carga. Com uma equipe de mais de mil colaboradores qualificados e uma frota de 300 máquinas com capacidades variadas, de até mil toneladas, a Saraiva é uma das maiores empresas do Brasil em movimentação vertical e horizontal de cargas especiais. Está presente nos setores de construção naval, operações offshore, refinação de petróleo, montagem de gasodutos, siderurgia e energia eólica, entre outros. A Saraiva atua em todas as regiões do país. E seu maior orgulho é ver o Brasil cada vez mais pra cima.

setembro 2010 | construir nordeste | 83 www.saraivaequipamentos.com.br | Fone: (81) 3471.3344 / 3081.6900


Obra no Supermercado Wall Mart, em Bonocô, Salvador

WalL Mart, em Bonocô, Salvador

Centro de eventos do Ceará, vista de cima

cativa dos prazos da obra pode ser ainda menor, se forem disponibilizadas mais equipes para montagem. Esse é o grande diferencial das estruturas pré-moldadas.

dezenas de vezes. Nesse quesito, o sistema também sai à frente, por apresentar considerável redução no desperdício e na geração de entulhos durante o processo construtivo.

Além disso, por utilizar concreto, o resultado são praticamente os mesmos do sistema convencional. As diferenças, no entanto, são a favor dos pré-fabricados, que apresentam melhor qualidade nas características do concreto, o que gera menor necessidade de manutenção.

“Não há dúvida que a rapidez na execução, a limpeza e a organização do canteiro de obras, a confiabilidade no cronograma, a redução de custos indiretos, a rastreabilidade do processo, o menor desperdício e a qualidade na gestão de projetos são diferenciais absurdos num mercado competitivo como a construção civil. Além disso, tecnicamente falando, o pré-fabricado tem excelente resistência ao fogo e menor suscetibilidade a variações térmicas”, ressalta Paulo Castro.

Portanto, tudo isso reduz significativamente o custo na operação do empreendimento, inclusive com a possibilidade de redução de custos como manutenção, e seguro. A quantidade reduzida de operários nos canteiros também tem sido outro fator preponderante, o que torna o sistema menos vulnerável a atrasos decorrentes de paralisações de classe, já que a fabricação é feita num ambiente industrial externo, em que os funcionários, inclusive, têm melhores condições de trabalho. A diminuição do efetivo nas obras também diminui o número de acidentes de trabalho e melhora a qualidade técnica dos funcionários. Vale frisar que o processo construtivo da estrutura pré-fabricada não precisa de escoramentos e de quase nenhum tipo de concretagem durante a execução dos trabalhos, que são os fatores que mais geram acidentes de trabalho em uma obra. Outra vantagem fundamental na escolha é o lado ambiental, pois os pré-fabricados não utilizam escoramentos, nem fôrmas de madeira, mas de aço, que podem ser reutilizadas 84 | construir nordeste | setembro 2010

O engenheiro lembra que a parte estrutural (pilares, vigas, guindastes, caminhões munck, consolo, lajes, escadas, fretes) e despesas diversas com administração, engenheiros de obra, mestre de obras, técnicos em segurança, apontador/ almoxarife, topógrafo, telefone, viagens, refeições, EPIs são responsáveis por uma fatia considerável do orçamento de uma obra. No cômputo geral, a diminuição das despesas indiretas da obra pode chegar até a 20% quando se usa o sistema em pré-fabricados. Também, a economia no tempo de execução da obra pode atingir cerca de 40%. Centro de eventos do Ceará


PRÉ-FABRICADOS

Home-center Ferreira Costa

DURABILIDADE Garantia de cobrimento – o uso de espaçadores plásticos aliado à fôrma rígida (de aço) e à condição de trabalho favorável (o operário trabalha no “chão”) favorecem a manutenção dos espaçadores nos lugares corretos. Resistência do concreto – a resistência do concreto é superior às indicadas normalmente nos projetos moldados no local – neste caso o fck do concreto pré-fabricado é entre 40MPa e 45Mpa. Fator água/cimento – o fator água/cimento do concreto usinado em fábricas de estruturas pré-fabricados fica abaixo de 0,36, bastante inferior ao indicado na norma 6118 – a/c = 0,60 para concreto armado, classe ambiental II. Sem fissuras – o concreto protendido, na categoria “protensão limitada”, garante que as tensões máximas nas fibras mais tracionadas do concreto são inferiores ao limite de resistência à tração do concreto, garantindo estrutura sem fissuras.

QUALIDADE Fôrmas de aço – a utilização de fôrmas de aço rígidas, assegura uma moldagem sem deformações na forma (sem estufar).

Vedação com borracha – a vedação da fôrma com borracha oferece a segurança de que não haverá vazamento de finos do concreto nos cantos. Vibração enérgica – fôrmas de aço tornam certo que a fôrma não irá abrir, facilitando a vibração enérgica, melhorando o acabamento das peças da estrutura.

VELOCIDADE

É possível montar 7.500m2 de lajes por mês por equipe, numa estrutura pré-fabricada. A depender da possibilidade de frentes de montagem, pode-se utilizar mais de uma equipe.

SEGURANÇA DO TRABALHO Quantidade de operários – o pequeno número de operários envolvidos na montagem (cerca de seis operários por equipe) reduz o risco de acidente, bem como favorece o controle do uso de equipamentos de segurança. Equipamentos – o operário trabalha no pavimento em montagem ou sobre o pavimento inferior, diminuindo a gravidade de eventuais quedas. O operário não trabalha sobre “bandejas” fora da estrutura. Quando há necessidade de o operário trabalhar fora da estrutura no sistema pré-fabricado, é possível o uso de plataformas elevatórias. Treinamento – a mão de obra específica exige da empresa a manutenção e o treinamento dos operários.

setembro 2010 | construir nordeste | 85


86 | construir nordeste | setembro 2010


Show Room Recife: Av. Mal. Mascarenhas de Moraes, 1736 Imbiribeira, Recife-PE Fone: 81 3497.5252 Macei贸: Rua Bar茫o de Atalaia, 603 - Centro, Macei贸-AL Fone: 82 3597.8080 www.climacom.com.br

setembro 2010 | construir nordeste | 87


88 | construir nordeste | setembro 2010


Mercado Imobili ário Que o mercado

imobiliário de Pernambuco está aquecido, todo mundo sabe. Do ano passado para cá, o setor manteve seu crescimento e deve permanecer assim pelos próximos cinco anos. Os motivos justificam. Investe-se bastante no estado. A Refinaria Abreu e Lima, o Complexo Industrial e Portuário de Suape, além da Copa do Mundo, que em 2014 será no Brasil, são apenas alguns Cidades como Recife, Jaboatão dos Guararapes e Olinda têm tido grande procura por imóveis. A Região Metropolitana do Recife terá um estádio construído para a Copa de 2014; Jaboatão está próxima a Suape; e Olinda é Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade, mas apesar da beleza do local, ainda do Recife e de Jaboatão dos Guararapes quando o assunto é setor imobiliário. O atual presidente da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário de Pernambuco (Ademi-PE), Alexandre Mirinda, esclarece o ranking: “Existe uma lei, em Olinda, que diz que na região de Casa Caiada e do Bairro Novo, bairros da cidade, só pode haver construções com até oito pavimentos”. De acordo com Mirinda, a lei afasta projetos mais amplos: “Entendo a boa intenção da lei. Mas do jeito como foi pensada, ela desvaloriza a área mais nobre da cidade”.

A lei entrou em vigor há aproximadamente oito anos. Antes disso, as construções eram liberadas, sendo apenas necessário ficar dentro dos parâmetros urbanísticos. Entretanto, “conta-se nos dedos” a quantidade de prédios na localidade. As casas ainda são maioria por lá. A preocupação em “verticalizar” a cidade é para evitar o aumento do número de pavimentos; por sua vez, também cresceria o número de famílias; e consequentemente, refletiria no trânsito, no abastecimento de água, na coleta de lixo.

Alexandre Mirinda, presidente da Ademi-PE

A preocupação em “ver“ticalizar” a cidade é para evitar o aumento do número de pavimentos; por sua vez, também cresceria o número de famílias; e consequentemente, refletiria no trânsito, no abastecimento de água, na coleta de lixo.

“O pensamento foi muito bom, mas empresário sabe fazer conta. Se não pode ultrapassar oito pavimentos, então ele constrói um prédio com oito pavimentos com quatro apartamentos por andar, com um total de 32 famílias. O ideal seria construir com 13 pavimentos, dois por andar, totalizando 26 apartamentos, voltados para as classes ‘A’ e ‘B’”, comenta Mirinda. Na opinião do empresário, essa limitação atrapalha o crescimento imobiliário em Olinda, além de atrapalhar a economia da cidade e impedir maior geração de empregos. “A região está ficando atrasada porque ‘obriga’ o empresário a fazer empreendimentos para as classes ‘C’ e ‘D’. Legislação tem que ser interessante para a cidade e para o empresário”, finaliza.

setembro 2010 | construir nordeste | 89


AGOSTO

SETEMBRO

90 | construir nordeste | setembro 2010

OUTUBRO


ivv

-

índice de velocidade de vendas

| R ecife

Análise dos principais resultados - Maio 2010 Os números do índice de Velocidade de Vendas – IVV de imóveis residenciaisnovos na Região Metropolitana do Recife de Maio deste ano alcançaram 11,2%. Este número faz deste maio o melhor de toda a série histórica da pesquisa, porém o menor índice de 2010. Se comparado a Abril houve uma queda de 3,5%, entretanto se comparado ao mesmo mês de 2009, h ouve crescimento de 4,3%. Vale ressaltar que o comportamento do mês não refletiu um desaquecimento do setor, mas sim uma trajetória sazonal de acomodação das vendas do segmento imobiliário que, sobre o desempenho do ano passado, segue registrando resultados substancialmente favoráveis. O volume de ofertas do mês de maio somou 4.863 unidades. Com isso, o estoque ofertado evoluiu com queda de 10,7% em relação ao volume informado no mês anterior. Desse total, 43,5% foram de unidades com 02 quartos sociais, 39,7% com 02 quartos, 12,8% com 04 quartos ou mais e 4,1% de 01 quarto social. Considerando o perfil das ofertas comparativamente a abril, houve redução na disponibilidade dos imóveis tanto com 02 como com 03 quartos sociais. Em maio de 2010, o mercado imobiliário pernambucano lançou 112novas unidades habitacionais na Região Metropolitana do Recife. Cabe ressaltar que deste total, 40 apartamentos tem endereço em Boa Viagem e possuem 03 quarto sociais. As demais unidades lançadas, que somam 72, estão localizadas no bairro de Casa Caiada e possuem 02 quartos sociais. Esse resultado foi 75,7% menor do que o registrado em abril passado e 78,3% inferior ao registrado em igual mês de 2009. Dos lançamentos em 2010 (janeiro a maio) que totalizam 3.383 apartamentos, registra-se que, 37,5% foram

comercializada no mês em análise foi de 42.637m2. Considerando as ofertas por estágio da obra, observa-se que os imóveis na planta corresponderam a 35,7% das ofertas do mês, em seguida tem-se imóveis na fundação (26,3%), estrutura (24,3%), acabamento (9,6%) e os prontos para morar que significaram apenas 2,4% do volume ofertado. Já as vendas do mês foram mais concentradas em imóveis na fundação (30,9%), em seguida a situação na estrutura (29,5%). As unidades na planta, acabamento e prontos para morar seguiram essa ordem de preferência.

unidades com 03 quartos, 28,5% com 02 quartos, 17,2% com 01 quarto e 16,8% com 04 quartos ou mais. As negociações no mercado imobiliário, em maio/2010, totalizaram 559 unidades vendidas na RMR. Este resultado foi o menor registrado em 2010, e no que se refere ao confronto com o mês imediatamente anterior observa-se queda de 31,5% na soma de apartamentos negociados. Quando comparado ao mesmo mês do ano anterior, maio de 2009, o total é 42,2% superior. De acordo com a pesquisa, em maio/10 as vendas de imóveis novos estiveram fortemente concentradas nas unidades com 03 quartos (50,4% do total) e com 02 quartos (35,8% do total). Quanto aos bairros, os maiores destaques em negócios no mês de maio foram Boa Viagem (25,2%), Candeias (14,7%), Paulista (5,5%) e Rio Doce (5,0%).

O desempenho do mercado de imóveis comerciais foi favorável em maio/10. A pesquisa registrou um IVV de 8,6%, resultado 0,7 ponto percentual maior do que o de abril. Se comparado com o mesmo mês do ano passado, o índice mostra-se superior em 3,0 pontos percentuais. As vendas deste tipo de imóvel totalizaram 41 unidades, sendo 20 delas no bairro da Boa Vista, 12 unidades com endereço em Boa Viagem.

Sobre as vendas do mês, o maior número de imóveis vendidos possuía área de até 70m2 (57,6% do total). A área total

TABELA 01 - IVV – ÍNDICE DE VELOCIDADE DE VENDAS MERCADO IMOBILIÁRIO DA RM - IMÓVEIS RESIDENCIAIS JANEIRO/1999 – MAIO/2010 - em % MÊS

1999

2000

2001

2002

2003

2004

2005

2006

2007

2008

2009

2010

Jan

8,2

7,2

8,6

8,0

4,2

4,3

3,7

3,5

5,7

9,6

3,3

16,2

Fev

5,6

8,2

5,8

5,4

3,1

3,3

4,8

4,1

4,4

7,8

9,0

16,9

Mar

10,8

5,8

8,4

8,9

4,0

4,0

6,4

4,2

5,5

11,1

9,4

18,0

Abr

5,5

7,1

8,5

8,3

4,0

3,6

4,2

5,9

5,7

7,2

6,0

14,7

Mai

6,0

7,5

5,7

6,4

5,6

2,9

4,7

6,7

5,1

9,0

6,9

11,2

Jun

6,3

8,2

5,5

4,3

4,2

2,9

4,5

4,1

6,6

4,7

9,1

Jul

8,6

6,8

5,0

6,6

4,5

3,0

3,2

4,2

6,6

5,1

11,1

Ago

12,8

6,9

6,0

5,6

4,0

3,4

4,3

4,1

6,9

6,9

8,8

Set

8,2

8,5

5,7

6,2

3,2

3,5

4,5

4.8

8,1

9,5

10,8

Out

9,7

7,8

6,8

6,9

4,2

3,2

4,4

4,4

7,0

4,3

10,6

Nov

7,5

13,1

8,8

6,0

4,4

5,5

5,2

6,2

5,8

3,7

10,5

Dez

9,1

6,5

4,9

3,6

3,8

3,2

3,5

4,8

8,6

4,9

8,1

M.Ano

8,2

7,8

6,6

6,3

4,1

3,6

4,4

4,7

6,3

7,0

8,6

15,4

Fonte: Pesquisa Direta - FIEPE/UPTEC

setembro 2010 | construir nordeste | 91


O MAIOR EVENTO DE TECNOLOGIA DE CONCRETO DA AMÉRICA LATINA

NOVO LOCAL

31 de Agosto a 2 de Setembro Centro de Exposições Imigrantes 500 Expositores 45.000 m2

de Exposição indoor e outdoor

PROGRAMA ESPECIAL SOB RE O BRASIL DOS ESPORTES

5º Concrete Congress mais de 150 palestra palestras

Informações: 55 11 4689 1935 I concrete@concreteshow.com.br

www.concreteshow.com.br Apoio

International Media Partners

92 | construir nordeste | setembro 2010

Realização


Informamos aos nossos leitores que, a partir desta edição, as informações sobre os

CUB’s-Custos Unitários Básicos de Construção, não só do Estado de Pernambuco como também de outros Estados do Brasil, podem ser consultados no site:

www.cub.org.br. Além dos valores e variações percentuais dos CUB’s, neste site, desenvolvido pela CBIC-Câmara Brasileira da Indústria da Construção, vocês encontrarão uma série de outras informações interessantes e importantes para o setor da construção civil.

ÍNDICES SETORIAIS E ECONÔMICOS MÊS/ANO ÍNDICES

NOV /

DEZ /

VARIAÇÃO % JAN /

FEV /

MAR /

ABR /

MAI /

JUN /

JUL /

AGO /

SET /

OUT /

NOV /

NO

NO

EM 12

MÊS ANO MESES 2008

2008

2009

2009

2009

2009

2009

2009

2009

2009

2009

2009

2009

ÍNDICES SETORIAIS DA CONSTRUÇÃO CIVIL INCC TOTAL MATERIAL

407,109 407,807 409,166 410,262 409,216 409,042 414,742 417,657 418,757 418,528 419,147 419,405 420,635 0,29 3,15

MÃO DE OBRA 457,947 457,949 459,225 460,286 460,742 463,425 479,609 486,843 490,010 490,748 491,341 491,441 493,427 0,40 7,75 ICC (RECIFE)

3,32

367,420 368,581 369,979 371,085 369,032 366,920 365,429 365,376 365,060 364,177 364,806 365,169 365,870 0,19 -0,74 -0,42 447,555 447,934 448,030 448,693 448,081 446,524 444,846 444,372 443,985 443,046 443,987 444,578 460,608 3,61 2,83

7,75 2,92

TOTAL MATERIAL

375,454 375,995 376,130 377,064 376,148 372,251 369,743 369,035 368,456 367,053 368,459 369,342 370,726 0,37 -1,40 -1,26 MÃO DE OBRA 518,916 518,903 518,903 518,903 518,903 521,676 521,676 521,676 521,676 521,676 521,676 521,676 561,568 7,65 8,22 8,22 Fonte: FGV (INCC e ICC) Data-Base: Ago/94 = 100 INDICADORES ECONÔMICOS DA FGV IGP-DI (COLUNA 02) 405,982 404,185 404,244 403,737 400,353 400,530 401,232 399,966 397,393 397,758 398,738 398,575 398,857 0,071 -1,318 -1,755 IPC-BR 318,588 320,244 322,906 323,596 325,563 327,099 328,387 328,768 329,892 330,555 331,166 331,214 332,076 0,260 3,695 4,234 IGP-M (COLUNA 07) 412,104 411,575 409,782 410,849 407,808 407,181 406,885 406,486 404,718 403,253 404,945 405,129 405,548 0,103 -1,464 -1,591 Fonte: FGV Data-Base: Ago/94 = 100 INDICADORES GERAIS DE PREÇOS ICV/DIEESE

405,573 405,979 408,780 408,862 410,497 411,770 412,717 412,923 414,946 416,191 417,315 419,527 422,044 0,600 3,957 4,061

IPC/FIPE

278,588 279,034 280,318 281,075 282,199 283,074 284,008 284,377 285,315 286,685 287,144 287,862 288,697 0,290 3,463 3,629

INPC/IBGE

318,962 319,887 321,934 322,932 323,578 325,358 327,310 328,685 329,441 329,705 330,233 331,026 332,251 0,370 3,865 4,166

POUPANÇA

579,156 583,303 587,298 590,501 594,307 597,550 600,807 604,207 607,866 611,026 614,081 617,151 620,237 0,500 6,332 7,093 Fonte: BACEN (POUPANÇA) / IBGE (INPC) Data-Base: Ago/94 = 100


94 | construir nordeste | setembro 2010


setembro 2010 | construir nordeste | 95


insumos Os preços unitários dos Insumos utilizados nesta listagem foram cotados no período de 05 à 26/07/2010 Clelio Morais: 81 3236.2354, 81 9108.1206, cleliomorais@gmail.com Você pode adquirir com o Consultor Clelio Morais - colaborador da REVISTA CONSTRUIR NORDESTE, responsável por esta seção - as composições detalhadas dos serviços apresentados na Tabela de Preços de assinantes da REVISTA CONSTRUIR NORDESTE AGLOMERANTES Cal hidratado Calforte Narduk Cal hidratado Calforte Narduk (saco com 10 kg) Cimento Portland Cimento Portland (saco c/ 50 kg) Cimento branco específico Narduk Cimento branco específico Narduk (saco com 40 kg) Gesso em pó de fundição (rápido) Gesso em pó de fundição (rápido) (saco com 40kg) Gesso em pó para revestimento (lento) Gesso em pó para revestimento (lento) (saco com 40kg) Gesso Cola Gesso Cola (saco com 5kg) ARTEFATOS DE CIMENTO Bloco de concreto p/alvenaria vedação c/9x19x39cm(2,5MPa) Bloco de concreto p/alvenaria vedação c/12x19x39cm(2,5MPa) Bloco de concreto p/alvenaria vedação c/14x19x39cm(2,5MPa) Bloco de concreto p/alvenaria estrutural c/14x19x39cm(4,5MPa) Bloco de concreto p/alvenaria estrutural c/19x19x39cm(4,5MPa) Caixa de concreto p/ar condicionado 7.000 BTU's aberta 60x40x40cm Caixa de concreto p/ar condicionado 7.000 BTU's fechada 60x40x50cm Caixa de concreto p/ar condicionado 10.000 BTU's aberta 70x50x40cm Caixa de concreto p/ar condicionado 10.000 BTU's aberta 70x45x60cm Caixa de concreto p/ar condicionado 10.000 BTU's fechada 70x45x60cm Elemento vazado de cimento Acinol-CB2/L com 19x19x15cm Elemento vazado de cimento Acinol-CB6/L/Veneziano 25x25x8cm Elemento vazado de cimento Acinol-CB7/L/Colmeia com 25x25x10cm Elemento vazado de cimento Acinol-CB/9/Boca de Lobo 39x18x9cm Lajota de concreto natural lisa para piso de 50x50x3cm Lajota de concreto natural antiderrapante para piso de 50x50x3cm Meio fio de concreto pré-moldado de 100x30x12cm Nervura de 3,00m para laje pré-moldada com SC=200kg/m2 Piso em bloco de concreto natural "Paver" de 6cm c/25MPa (48pç/m2) Piso em bloco de concreto natural "Paver" de 6cm c/35MPa (48pç/m2) Piso em bloco de concreto pigmentado "Paver" de 6cm c/25MPa (48pç/m2) Piso em bloco de concreto pigmentado "Paver" de 6cm c/35MPa (48pç/m2) Piso em bloco de concreto natural Unistein de 8cm c/25 Mpa (34pç/m2) Piso em bloco de concreto natural Unistein de 8cm c/35 Mpa (34pç/m2) Piso de concreto vazado ecológico (tipo cobograma) Tubo de concreto simples de 200mm classe PS1 Tubo de concreto simples de 300mm classe PS1 Tubo de concreto simples de 400mm classe PS1 Tubo de concreto simples de 500mm classe PS1 Tubo de concreto simples de 600mm classe PS1 Tubo de concreto simples de 800mm classe PS1 Tubo de concreto simples de 1000mm classe PS1 Tubo de concreto simples de 1200mm classe PS1 Tubo de concreto armado de 300mm classe PA2 Tubo de concreto armado de 400mm classe PA2 Tubo de concreto armado de 500mm classe PA2 Tubo de concreto armado de 600mm classe PA2 Tubo de concreto armado de 800mm classe PA2 Tubo de concreto armado de 1000mm classe PA2 Tubo de concreto armado de 1200mm classe PA2 Verga de concreto armado de 10x10cm

96 | construir nordeste | setembro 2010

kg sc kg sc kg sc kg sc kg sc kg sc

0.35 3.62 0.340 16.80 0.94 37.60 0.41 16.00 0.33 13.17 1.37 7.25

un

1.23

un

1.42

un

1.67

un

1.95

un

2.63

un

48.00

un

60.60

un

55.67

un

62.67

un

68.67

un un

1.75 2.65

un

2.65

un

3.05

m2 m2

10.72 11.22

un m m2

13.58 6.07 25.00

m2

27.00

m2

29.50

m2

31.75

m2

33.00

m2

39.00

m2 m m m m m m m m m m m m m m m m

24.00 11.45 17.15 25.00 35.50 46.50 85.15 122.60 182.00 38.80 48.50 61.50 89.00 165.00 220.00 398.00 11.45

Vigota treliçada para laje B12 com SC=150kgf/m2 p/vão de até 4,00m Vigota treliçada para laje B12 com SC=300kgf/m2 p/vão de até 4,00m Vigota treliçada para laje B16 com SC=150kgf/m2 p/vão de até 6,00m Vigota treliçada para laje B16 com SC=300kgf/m2 p/vão de até 6,00m Vigota treliçada para laje B20 com SC=150kgf/m2 p/vão de até 7,00m Vigota treliçada para laje B20 com SC=300kgf/m2 p/vão de até 7,00m Vigota treliçada para laje B25 com SC=150kgf/m2 p/vão de até 8,00m Vigota treliçada para laje B25 com SC=300kgf/m2 p/vão de até 8,00m Vigota treliçada para laje B30 com SC=150kgf/m2 p/vão de até 9,00m Vigota treliçada para laje B30 com SC=300kgf/m2 p/vão de até 9,00m ARTEFATOS DE FIBROCIMENTO Caixa d'água cônica CRFS de 250 litros c/tampa Brasilit Caixa d'água cônica CRFS de 500 litros c/tampa Brasilit Caixa d'água cônica CRFS de 1000 litros c/tampa Brasilit Cumeeira articulada Fibrotex CRFS TTX superior Brasilit Cumeeira articulada Fibrotex CRFS TTX inferior Brasilit Cumeeira articulada TKO superior para Kalhetão CRFS Brasilit Cumeeira articulada TKO inferior para Kalhetão CRFS Brasilit Cumeeira normal CRFS TOD 5G 1,10m Brasilit Cumeeira normal CRFS TOD 10G 1,10m Brasilit Cumeeira normal CRFS TOD 15G 1,10m Brasilit Telha Kalheta 8mm de 3,00m Brasilit Telha Kalheta 8mm de 4,00m Brasilit Telha Kalheta 8mm de 5,50m Brasilit Telha Kalheta 8mm de 6,00m Brasilit Telha Kalheta 8mm de 6,50m Brasilit Telha Kalhetão 8mm de 3,00m CRFS Brasilit Telha Kalhetão 8mm de 6,70m CRFS Brasilit Telha Kalhetão 8mm de 7,40m CRFS Brasilit Telha Kalhetão 8mm de 8,20m CRFS Brasilit Telha Kalhetão 8mm de 9,20m CRFS Brasilit Telha Fibrotex CRFS de 4mm com 1,22x0,50m Brasilit Telha Fibrotex CRFS de 4mm com 2,13x0,50m Brasilit Telha Fibrotex CRFS de 4mm com 2,44x0,50m Brasilit Telha Maxiplac de 6mm com 3,00x1,06m Brasilit Telha Maxiplac de 6mm com 4,10x1,06m Brasilit Telha Maxiplac de 6mm com 4,60x1,06m Brasilit Telha Residencial CRFS de 5mm com 1,22x1,10m Brasilit Telha Residencial CRFS de 5mm com 1,53x1,10m Brasilit Telha Residencial CRFS de 5mm com 1,83x1,10m Brasilit Telha Residencial CRFS de 5mm com 2,13x1,10m Brasilit Telha Residencial CRFS de 5mm com 2,44x1,10m Brasilit Telha ondulada BR CRFS de 6mm com 1,22x1,10m Brasilit Telha ondulada BR CRFS de 6mm com 1,53x1,10m Brasilit Telha ondulada BR CRFS de 6mm com 1,83x1,10m Brasilit Telha ondulada BR CRFS de 6mm com 2,13x1,10m Brasilit Telha ondulada BR CRFS de 6mm com 2,44x1,10m Brasilit Telha ondulada BR CRFS de 8mm com 1,22x1,10m Brasilit Telha ondulada BR CRFS de 8mm com 1,53x1,10m Brasilit Telha ondulada BR CRFS de 8mm com 1,83x1,10m Brasilit Telha ondulada BR CRFS de 8mm com 2,13x1,10m Brasilit Telha ondulada BR CRFS de 8mm com 2,44x1,10m Brasilit AGREGADOS Areia fina Areia grossa Saibro Barro para aterro Barro para jardim Pó de pedra Brita 12 Brita 19 Brita 25

m

20.94

m

22.90

m

26.50

m

27.80

m

26.15

m

28.12

m

28.44

m

30.73

m

33.99

m

36.27

un un un un un un

72.00 110.00 218.00 3.60 3.60 45.50

un un un un un un un un un un un un un un un un un un un un un un un un un un un un un un un un un un un

45.50 30.76 30.76 30.76 103.00 133.00 180.00 177.50 207.00 168.00 376.00 415.70 462.00 517.00 5.05 9.30 9.45 110.00 150.00 170.60 18.60 23.40 27.95 32.65 42.65 22.40 28.25 33.40 39.15 47.43 30.00 37.80 45.25 52.90 60.80

m3 m3 m3 m3 m3 m3 m3 m3 m3

32.50 36.50 28.00 18.00 29.25 33.00 62.50 63.00 58.58

Brita 38 Brita 50 Brita 75 Pedra rachão Paralelepípedo Meio fio de pedra granítica ARGAMASSA PRONTA Argamassa Megakol AC-I Narduk uso interno (saco 20kg) Argamassa Megakol AC-I Narduk uso interno Argamassa Megaflex AC-II Narduk uso externo (saco 20kg) Argamassa Megaflex AC-II Narduk uso externo Argamassa Megaflex AC-III Narduk alta resistência (saco 20kg) Argamassa Megaflex AC-III-E Cinza Narduk alta resist. (saco 20kg) Massa para alvenaria (saco 40kg) Reboco pronto Reboduk Narduk interno (saco 20kg) Reboco externo pronto (saco 20kg) Rejunte aditivado interno (saco 40kg) Rejunte aditivado interno Narduk Rejunte aditivado flexível externo (saco 40kg) Rejunte aditivado flexível externo Narduk ARAMES Arame galvanizado nº 10 BWG liso 3.40mm Arame galvanizado nº 12 BWG liso 2.76mm Arame galvanizado nº 14 BWG liso 2.10mm Arame galvanizado nº 16 BWG liso 1.65mm Arame galvanizado nº 18 BWG liso 1.24mm Arame recozido 18 BWG preto Arame farpado "Elefante" - fio 2,2mm - rolo com 250m Arame farpado "Elefante" - fio 2,2mm - rolo com 400m Arame farpado "Touro" - fio 1,6mm - rolo com 250m Arame farpado "Touro" - fio 1,6mm - rolo com 500m BOMBAS CENTRÍFUGAS Bomba centrífuga trifásica de 1/2 CV Schneider Bomba centrífuga trifásica de 3/4 CV Schneider Bomba centrífuga trifásica de 1 CV Schneider Bomba centrífuga trifásica de 1 1/2 CV Schneider Bomba centrífuga trifásica de 2 CV Schneider Bomba centrífuga trifásica de 3 CV Schneider Bomba centrífuga trifásica de 5 CV Schneider Bomba centrífuga trifásica de 7,5 CV Schneider Bomba centrífuga monofásica de 1/4 CV Schneider Bomba centrífuga monofásica de 1/2 CV Schneider Bomba centrífuga monofásica de 3/4 CV Schneider Chave de proteção magnética trifásica até 5CV WEG Chave de proteção magnética trifásica até 7,5CV WEG Chave de proteção magnética trifásica até 10CV WEG Bóia para bomba com 10 amperes Bóia para bomba com 20 amperes CARPETES Carpete Flortex Tradition Grafite da Fademac com 3mm Carpete Reviflex Diloop Grafite da Fademac com 4mm CONCRETO USINADO Concreto usinado FCK=10MPa Concreto usinado FCK=15MPa Concreto usinado FCK=15MPa bombeável Concreto usinado FCK=20 MPa Concreto usinado FCK=20 MPa bombeável Concreto usinado FCK=25 MPa Concreto usinado FCK=25 MPa bombeável Concreto usinado FCK=30 MPa Concreto usinado FCK=30 MPa bombeável Concreto usinado FCK=35 MPa Concreto usinado FCK=35 MPa bombeável Taxa de bombeamento ESQUADRIAS DE ALUMÍNIO Janela de alumínio com bandeira Janela de alumínio sem bandeira Janela de alumínio tipo basculante 0,60x1,00m Porta de alumínio com saia e bandeira

m3 m3 m3 m3 un m

58.58 59.25 59.25 35.07 0.30 10.67

sc kg sc kg sc sc

5.62 0.29 12.94 0.66 21.43 24.73

sc sc sc sc kg sc kg

9.13 4.51 5.73 31.50 0.82 33.50 0.93

kg kg kg kg kg kg un un un un

5.90 6.40 6.90 7.50 8.90 5.70 120.00 174.00 91.00 169.00

un un un un un un un un un un un un un un un un

482.28 523.85 542.57 664.16 715.62 845.55 1,590.89 1,929.19 388.01 434.60 457.54 197.50 201.00 216.00 48.10 47.60

m2 m2

13.09 12.73

m3 m3 m3 m3 m3 m3 m3 m3 m3 m3 m3 m3

210.00 225.00 230.00 228.00 233.00 240.00 248.00 250.00 260.00 260.00 270.00 30.00

m2 m2 m2 m2

252.67 218.83 223.67 262.19


ESQUADRIAS DE FERRO Gradil de ferro c/cantoneira L de 1.1/4" e barras de 1"x1/4" Portão de ferro em chapa preta nº 18 (cant.) Portão em tela de ferro quadrada 13mm e fio 12 Tubo de ferro preto de 2" Tubo de ferro preto de 4" Tubo de ferro preto de 6" Tubo de ferro galvanizado de 2" Tubo de ferro galvanizado de 2.1/2" Tubo de ferro galvanizado de 4" EQUIPAMENTOS CONTRA-INCÊNDIO Adaptador de 2.1/2"x1.1/2" Adaptador de 2.1/2"x2.1/2" Caixa de incêndio com 75x45x17cm para mangueira predial Chave Storz Esguicho Jato sólido de 1.1/2" Extintor de água pressurizada 10 litros Extintor de CO2 de 6kg Extintor de pó quimico 4kg Extintor de pó quimico 6kg Extintor de pó quimico 8kg Extintor de pó quimico 12kg Mangueira predial de 1.1/2" x 15m com união Mangueira predial de 1.1/2" x 30m com união Porta corta fogo P90 de 0,80x2,10m Porta corta fogo P90 de 0,90x2,10m Registro Globo 45° de 2.1/2" Tampa de ferro fundido de 60x40cm "incêndio" Tampão cego de 1.1/2" T.70 articulado ESQUADRIAS DE MADEIRA Porta em compensado liso semi-oca de 0,60x2,10x0,03m Porta em compensado liso semi-oca de 0,70x2,10x0,03m Porta em compensado liso semi-oca de 0,80x2,10x0,03m Porta em compensado liso semi-oca de 0,90x2,10x0,03m Porta em compensado liso de 0,60x2,10x0,03m EIDAI Porta em compensado liso de 0,70x2,10x0,03m EIDAI Porta em compensado liso de 0,80x2,10x0,03m EIDAI Porta em compensado liso de 0,90x2,10x0,03m EIDAI Porta em fichas de madeira maciça de 0,60x2,10x0,03m Porta em fichas de madeira maciça de 0,70x2,10x0,03m Porta em fichas de madeira maciça de 0,80x2,10x0,03m Porta em fichas de madeira maciça de 0,90x2,10x0,03m Porta em venezianas de madeira maciça de 0,60x2,10x0,03m Porta em venezianas de madeira maciça de 0,70x2,10x0,03m Porta em venezianas de madeira maciça de 0,80x2,10x0,03m Porta em almofadas de madeira maciça de 0,60x2,10x0,03m Porta em almofadas de madeira maciça de 0,70x2,10x0,03m Porta em amolfadas de madeira maciça de 0,80x2,10x0,03m Porta em almofadas de madeira maciça de 0,90x2,10x0,03m Grade de canto em massaranduba até 1,00x2,10m para pintura esmalte Grade de caixa em massaranduba até 1,00x2,10m para pintura esmalte Grade de caixa em Jatobá até 1,00x2,10m para verniz ou cera EQUIPAMENTOS Retroescavadeira 580H, 4x4 (com operador) Andaime tubular de 1,5x1,0m (2peças=1,00m) Betoneira elétrica de 400L sem carregador Compactador CM/13 elétrico Compactador CM/20 elétrico Cortadora de piso elétrica Furadeira industrial Bosch ref. 1174 Guincho de coluna(foguete) Mangote vibratório de 35mm Mangote vibratório de 45mm Motor elétrico para vibrador Pistola finca pinos Pontalete metálico regulável (1 peça) Serra elétrica circular de bancada FERROS Ferro CA-25 de 12,5mm Ferro CA-25 de 20mm Ferro CA-25 de 25m Ferro CA-50 de 6,3mm Ferro CA-50 de 8mm Ferro CA-50 de 10mm Ferro CA-50 de 12,5mm Ferro CA-50 de 16mm Ferro CA-50 de 20mm Ferro CA-50 de 25mm Ferro CA-50 de 32mm Ferro CA-60 de 4,2mm Ferro CA-60 de 5mm Ferro CA-60 de 6mm Ferro CA-60 de 7mm Ferro CA-60 de 8mm Tela de ferro c/malha 15x15cm c/fio de 3,4mm tipo Q61 (0,972kg/m2) Tela de ferro c/malha 15x15cm c/fio de 3,4mm tipo Q61 (0,972kg/m2) Tela de ferro c/malha 15x15cm c/fio de 4,2mm tipo Q92 (1,480kg/m2) Tela de ferro c/malha 15x15cm c/fio de 4,2mm tipo Q92 (1,480kg/m2)

m2 m2 m2 m m m m m m

126.53 147.53 135.38 26.07 53.03 88.23 34.41 50.46 86.13

un un un un un un un un un un un un un un un un un un

26.00 42.94 136.63 6.00 26.00 98.00 320.00 98.00 110.00 120.00 150.00 140.00 260.00 360.00 360.00 94.00 120.00 34.36

un un un un un un un un un un un un un un un un un un un un

40.83 41.50 42.90 47.08 69.36 75.88 87.36 99.11 132.70 157.00 170.33 190.05 113.50 120.50 225.83 125.93 133.26 179.33 202.33 54.67

un

62.00

un

59.00

h mês mês mês mês mês mês mês mês mês mês mês mês mês

63.50 10.97 316.67 353.33 670.00 476.33 211.67 255.00 65.67 67.00 73.33 170.00 6.17 147.97

kg kg kg kg kg kg kg kg kg kg kg kg kg kg kg kg kg

3.42 3.36 3.35 4.48 3.96 3.60 3.42 3.37 3.36 3.35 3.74 3.58 3.70 4.80 5.25 4.00 5.11

m2

4.93

kg

5.07

m2

7.48

Tela de ferro c/malha 10x10cm c/fio de 3,8mm tipo Q113 (1,803kg/m2) Tela de ferro c/malha 10x10cm c/fio de 3,8mm tipo Q113 (1,803kg/m2) Tela de ferro c/malha 10x10cm c/fio de 4,2mm tipo Q138 (2,198kg/m2) Tela de ferro c/malha 10x10cm c/fio de 4,2mm tipo Q138 (2,198kg/m2) FORROS, DIVISÓRIAS E SERVIÇOS DE GESSO Bloco de gesso com 50x65x7,5cm para parede divisória Placa de gesso lisa para forro com 65x65cm Rodateto de gesso - friso com largura de até 6cm aplicado Rodateto de gesso - friso com largura de até 15cm aplicado Rodateto de gesso - friso com largura de até 20cm aplicado Junta de dilatação de gesso em "L" de 2x2cm aplicada Junta de dilatação de gesso em "L" de 3x3cm aplicada FERRAGENS DE PORTA Dobradiça em aço cromado de 3"x2.1/2" sem anéis ref. 1500 LaFonte Dobradiça em aço cromado de 3"x2.1/2" sem anéis ref. 1410 LaFonte Dobradiça em latão cromado de 3"x2.1/2" sem anéis ref. 90 LaFonte Conjunto de fechadura de cilindro ref. 521 E-CR LaFonte Conjunto de fechadura interna ref. 521 I-CR LaFonte Conjunto de fechadura para WC ref. 521 B-CR LaFonte Conjunto de fechadura de cilindro ref. 436E-CR LaFonte Conjunto de fechadura interna ref. 436I-CR LaFonte Conjunto de fechadura para WC ref. 436B-CR LaFonte Conjunto de fechadura de cilindro ref. 2078 E-CR LaFonte Conjunto de fechadura interna ref. 2078 I-CR LaFonte Conjunto de fechadura para WC ref. 2078 B-CR LaFonte Conjunto de fechadura de cilindro ref. 608E-CR LaFonte Conjunto de fechadura interna ref. 608I-CR LaFonte Conjunto de fechadura para WC ref. 608B-CR LaFonte GRANITOS Granilha nº 02 (saco com 40kg) Granilha nº 02 Bancada em granito cinza andorinha de 60x2cm c/1 cuba,test.e esp. Divisória de box em granito cinza andorinha de 7x2 cm Soleira de granito cinza andorinha de 15x2 cm Rodapé de granito cinza andorinha com 7x2cm Lajota de granito cinza andorinha de 50x50x2cm Lajota de granito preto tijuca de 50x50x2cm Lajota de granito preto tijuca de 15x30x2cm Bancada de granito preto tijuca de 60x2cm Divisória de box em granito preto tijuca 7x2 cm Soleira de granito preto tijuca de 15x2 cm Rodapé de granito preto tijuca de 7x2cm Lajota de granito verde ubatuba de 50x50x2cm Lajota de granito verde ubatuba de 15x30x2cm Bancada de granito verde ubatuba de 60x2cm Divisória de box em granito verde ubatuba 7x2cm Soleira de granito verde ubatuba de 15x2cm Rodapé de granito verde ubatuba de 7x2cm IMPERMEABILIZANTES Acquella (galão de 3,6 litros) Acquella (lata de 18 litros) Bianco (galão de 3,6 litros) Bianco (balde de 18 litros) Compound adesivo (A+B) (2 latas=1kg) Desmol CD - líquido desmoldante p/concreto (galão de 3,6 litros) Desmol CD - líquido desmoldante p/concreto (balde de 18 litros) Frioasfalto (galão de 3,9 kg) Frioasfalto (balde de 20kg) Neutrol (galão de 3,6 litros) Neutrol (lata de 18 litros) Vedacit (galão de 3,6 litros) Vedacit (balde de 18 litros) Vedacit rapidíssimo (galão de 4 kg) Vedacit rapidíssimo (balde de 20kg) Vedaflex (cartucho com 310ml) Vedapren preto (galão de 3,6 litros) Vedapren preto (balde de 18kg) Vedapren branco (galão de 4,5 kg) Vedapren branco (balde de 18kg) Sika nº 1 (balde de 18 litros) Igol 2 (balde de 18kg) Igol A (balde de 18kg) Silicone (balde de 18 litros) MADEIRAS Assoalho de madeira em Ipê de 15x2cm Assoalho de madeira em Jatobá de 15x2cm Rodapé de madeira em Jatobá de 5x1,5cm Lambri de madeira em Angelim Pedra de 10x1cm Folha de "Fórmica" texturizada branca de 3,08x1,25m Folha de "Fórmica" brilhante branca de 3,08x1,25m Estronca roliça tipo litro Barrote de madeira mista de 6x6cm Sarrafo de madeira mista de 10cm (1"x4") Tábua de madeira mista de 15cm (1"x6") Tábua de madeira mista de 22,5cm (1"x9")

kg

5.00

m2

8.98

kg

4.98

m2

10.95

un un m m m m m

5.78 2.35 9.00 10.55 13.10 8.10 9.05

un

3.31

un

4.55

un

8.74

un un un un un un un un un un un un

75.86 56.08 56.08 56.31 46.41 46.41 73.87 54.59 54.59 127.63 101.49 101.49

sc kg m

11.80 0.32 150.50

m m m m2 m2 m2 m m m m m2 m2 ml ml ml ml

18.50 18.50 18.00 100.50 160.25 100.50 160.50 30.25 33.25 29.00 117.76 85.50 147.81 24.75 24.75 15.50

gl lata gl bd kg gl

64.71 279.55 34.57 145.92 37.87 32.36

bd

116.83

gl bd gl lata bd bd gl bd cart gl bd gl bd bd bd bd bd

23.37 117.80 54.17 213.45 7.90 64.95 15.75 114.73 10.69 43.94 142.08 31.90 235.72 57.38 116.15 100.74 85.86

m2 m2 m m2 un un m m m m m

57.50 72.50 6.75 31.00 47.66 43.66 1.62 6.55 2.88 4.27 6.35

setembro 2010 | construir nordeste | 97


insumos Tábua de madeira mista de 30cm (1"x12") Madeira serrada para coberta (Massaranduba) Peça de massaranduba para coberta de 7,5x15cm Peça de massaranduba para coberta de 6x10cm Barrote de massaranduba para coberta de 5x7,5cm Ripa de massaranduba para coberta de 4x1cm Prancha de massaranduba para escoramento de 3x15cm Prancha de massaranduba para escoramento de 5x15cm Chapa de madeira plastificada de 10mm c/1,10x2,20m Chapa de madeira plastificada de 12mm c/1,10x2,20m Chapa de madeira plastificada de 15mm c/1,10x2,20m Chapa de madeira plastificada de 17mm c/1,10x2,20m Chapa de madeira plastificada de 20mm c/1,10x2,20m Chapa de madeira resinada de 6mm c/1,10x2,20m Chapa de madeira resinada de 10mm c/1,10x2,20m Chapa de madeira resinada de 12mm c/1,10x2,20m Chapa de madeira resinada de 15mm c/ 1,10x2,20m Chapa de madeira resinada de 17mm c/1,10x2,20m MATERIAIS ELÉTRICOS E TELEFÔNICOS Eletroduto em PVC flexível corrugado de 1/2" Eletroduto em PVC flexível corrugado de 3/4" Eletroduto em PVC rígido roscável de 1/2" (vara com 3m) Eletroduto em PVC rígido roscável de 3/4" (vara com 3m) Eletroduto em PVC rígido roscável de 1" (vara com 3m) Eletroduto em PVC rígido roscável de 1.1/4" (vara com 3m) Eletroduto em PVC rígido roscável de 1.1/2" (vara com 3m) Eletroduto em PVC rígido roscável de 2" (vara com 3m) Eletroduto em PVC rígido roscável de 2.1/2" (vara com 3m) Eletroduto em PVC rígido roscável de 3" (vara com 3m) Curva 90° para eletroduto em PVC rígido roscável de 1/2" Curva 90° para eletroduto em PVC rígido roscável de 3/4" Curva 90° para eletroduto em PVC rígido roscável de 1" Curva 90° para eletroduto em PVC rígido roscável de 1.1/4" Curva 90° para eletroduto em PVC rígido roscável de 1.1/2" Curva 90° para eletroduto em PVC rígido roscável de 2" Curva 90° para eletroduto em PVC rígido roscável de 2.1/2" Curva 90° para eletroduto em PVC rígido roscável de 3" Luva para eletroduto em PVC rígido roscável de 1/2" Luva para eletroduto em PVC rígido roscável de 3/4" Luva para eletroduto em PVC rígido roscável de 1" Luva para eletroduto em PVC rígido roscável de 1.1/4" Luva para eletroduto em PVC rígido roscável de 1.1/2" Luva para eletroduto em PVC rígido roscável de 2" Luva para eletroduto em PVC rígido roscável de 2.1/2" Luva para eletroduto em PVC rígido roscável de 3" Bucha de alumínio de 1/2" Bucha de alumínio de 3/4" Bucha de alumínio de 1" Bucha de alumínio de 1.1/4" Bucha de alumínio de 1.1/2" Bucha de alumínio de 2" Bucha de alumínio de 2.1/2" Bucha de alumínio de 3" Arruela de alumínio de 1/2" Arruela de alumínio de 3/4" Arruela de alumínio de 1" Arruela de alumínio de 1.1/4" Arruela de alumínio de 1.1/2" Arruela de alumínio de 2" Arruela de alumínio de 2.1/2" Arruela de alumínio de 3" Caixa de passagem em PVC de 4"x4" Caixa de passagem em PVC de 4"x2" Caixa de passagem sextavada em PVC de 3"X3" Caixa de passagem octogonal em PVC de 4"X4" Soquete para lâmpada (bocal) com rabicho Soquete para lâmpada (bocal) sem rabicho Cabo de cobre nú de 10mm2 Cabo de cobre nú de 16mm2 Cabo de cobre nú de 25mm2 Cabo de cobre nú de 35mm2 Cabo flexível de 1,5mm2 com isolamento plástico Cabo flexível de 2,5mm2 com isolamento plástico Cabo flexível de 4mm2 com isolamento plástico Cabo flexível de 6mm2 com isolamento plástico Cabo flexível de 10mm2 com isolamento plástico Cabo flexível de 16mm2 com isolamento plástico Cabo flexível de 25mm2 com isolamento plástico Cabo flexível de 35mm2 com isolamento plástico Fio rígido de 1,5mm2 com isolamento plástico Fio rígido de 2,5mm2 com isolamento plástico Fio rígido de 4mm2 com isolamento plástico Fio rígido de 6mm2 com isolamento plástico Fita isolante de 19mm (rolo com 20m) Disjuntor monopolar de 10A Pial Disjuntor monopolar de 15A Pial Disjuntor monopolar de 20A Pial Disjuntor monopolar de 25A Pial Disjuntor monopolar de 30A Pial Disjuntor tripolar de 10A Pial Disjuntor tripolar de 25A Pial Disjuntor tripolar de 50A Pial Disjuntor tripolar de 70A Pial Disjuntor tripolar de 90A Pial

98 | construir nordeste | setembro 2010

m m3 m m m m m m un un un un un un un un un un m m vara vara vara vara vara vara vara vara un un un un un un un un un un un un un un un un un un un un un un un un un un un un un un un un un un un un un un m m m m m m m m m m m m m m m m un un un un un un un un un un un

9.17 2342.5 12.10 14.60 7.07 3.77 9.24 21.80 41.50 43.50 52.00 65.33 76.33 15.45 23.33 28.58 35.56 42.21 1.02 1.39 3.87 6.14 9.70 9.87 12.99 17.14 35.90 45.74 0.89 1.17 1.90 2.26 3.02 4.22 10.03 13.40 0.42 0.60 0.83 1.27 1.75 2.48 7.08 8.20 0.29 0.34 0.52 0.73 0.89 1.64 2.08 2.53 0.18 0.24 0.42 0.54 0.72 0.92 1.23 2.00 2.96 1.78 2.87 3.40 1.72 1.61 3.43 5.30 6.80 10.06 0.41 0.61 1.09 1.83 3.51 5.44 8.80 12.15 0.46 0.72 1.36 2.03 9.23 6.65 6.32 6.65 6.65 6.65 41.26 41.26 43.86 66.56 66.13

Disjuntor tripolar de 100A Pial Disjuntor monopolar de 10A GE Disjuntor monopolar de 15A GE Disjuntor monopolar de 20A GE Disjuntor monopolar de 25A GE Disjuntor monopolar de 30A GE Disjuntor tripolar de 10A GE Disjuntor tripolar de 25A GE Disjuntor tripolar de 50A GE Disjuntor tripolar de 70A GE Disjuntor tripolar de 90A GE Disjuntor tripolar de 100A GE Quadro de distribuição de energia em PVC para 3 disjuntores Quadro de distribuição de energia em PVC para 6 disjuntores Quadro de distribuição de energia em PVC para 12 disjuntores Quadro metálico de distribuição de energia para 12 disjuntores Kit barramento p/quadro de distribuição de energia com 12 disjuntores Quadro metálico de distribuição de energia para 20 disjuntores Kit barramento p/quadro de distribuição de energia com 20 disjuntores Quadro metálico de distribuição de energia para 32 disjuntores Kit barramento p/quadro de distribuição de energia com 32 disjuntores Conjunto ARSTOP completo (tomada + disjuntor) de embutir Conjunto ARSTOP completo (tomada + disjuntor) de sobrepor Conjunto 4"x2" com 1 interruptor simples Pial Pratis Conjunto 4"x2" com 2 interruptores simples Pial Pratis Conjunto 4"x2" com 3 interruptores simples Pial Pratis Conjunto 4"x2" com 1 interruptor paralelo Pial Pratis Conjunto 4"x2" com 2 interruptores paralelos Pial Pratis Conjunto 4"x2" com 1 interruptor simples + 1 paralelo Pial Pratis Conjunto 4"x2" c/1 interruptor simples + 1 tomada univ. 2P Pial Pratis Conjunto 4"x2" c/2 interruptores simples+1 tomada univ. 2P Pial Pratis Conjunto 4"x2" com 1 tomada de corrente universal 2P Pial Pratis Conjunto 4"x2" com 2 tomadas de corrente universal 2P Pial Pratis Conjunto 4"x2" c/1 tomada de corrente c/aterramento 2P+T Pial Pratis Conjunto 4"x2" c/1 tomada de corrente c/aterramento 3P Pial Pratis Conjunto 4"x2" c/1 tomada de corrente p/chuveiro elétrico 3P Pial Pratis Conjunto 4"x2" com 1 botão pulsador para campainha Pial Pratis Conjunto 4"x2" com 1 botão pulsador para minuteria Pial Pratis Conjunto 4"x2" com 1 saída para antena de TV/FM Pial Pratis Suporte padrão 4"x2" Pial Pratis Suporte padrão 4"x4" Pial Placa cega 4"x2" Pial Pratis Placa cega 4"x4" Pial Pratis Conjunto 4"x2" com 1 interruptor simples Pial Plus Conjunto 4"x2" com 2 interruptores simples Pial Plus Conjunto 4"x2" com 3 interruptores simples Pial Plus Conjunto 4"x2" com 1 interruptor paralelo Pial Plus Conjunto 4"x2" com 2 interruptores paralelos Pial Plus Conjunto 4"x2" com 1 interruptor simples + 1 paralelo Pial Plus Conjunto 4"x2" c/1 interruptor simples + 1 tomada univ. 2P Pial Plus Conjunto 4"x2" c/2 interruptores simples+1 tomada univ. 2P Pial Plus Conjunto 4"x2" com 1 tomada de corrente universal 2P Pial Plus Conjunto 4"x2" com 2 tomadas de corrente universal 2P Pial Plus Conjunto 4"x2" com 1 tomada de corrente c/aterramento 2P+T Pial Plus Conjunto 4"x2" c/1 tomada de corrente c/aterramento 3P Pial Plus Conjunto 4"x2" c/1 tomada de corrente p/chuveiro elétrico 3P Pial Plus Conjunto 4"x2" com 1 botão pulsador para campainha Pial Plus Conjunto 4"x2" com 1 botão pulsador para minuteria Pial Plus Conjunto 4"x2" com 1 saída para antena de TV/FM Pial Plus Suporte padrão 4"x2" Pial Plus Placa cega 4"x2" Pial Plus Placa cega 4"x4" Pial Plus Haste de aterramento Copperweld de 5/8"X2,40m com conectores Conjunto 4"x2" com 1 tomada p/telefone 4P padrão Telebrás Pial Pratis Conjunto 4"x2" com 1 tomada para telefone RJ11 Pial Pratis Conjunto 4"x2" com 1 tomada p/telefone 4P padrão Telebrás Pial Plus Conjunto 4"x2" com 1 tomada para telefone RJ11 Pial Plus Cabo telefônico CCI 50 - 1 par Cabo telefônico CCI 50 - 2 pares Cabo telefônico CCI 50 - 3 pares Cabo telefônico CCI 50 - 4 pares Cabo telefônico CCI 50 - 5 pares Cabo telefônico CCI 50 - 6 pares Quadro metálico de embutir para telefone de 20x20x13,5cm Quadro metálico de embutir para telefone de 30x30x13,5cm

un un un un un un un un un un un un un un un un

66.13 5.38 5.25 5.50 5.50 5.50 45.00 41.25 42.00 60.00 60.00 60.00 11.64 27.69 42.95 92.23

un

37.73

un

123.50

un

46.33

un

168.15

un

66.10

un un cj cj cj cj cj cj

30.99 31.43 4.85 9.74 11.91 6.55 11.37 11.70

cj

9.42

cj

12.07

cj

5.14

cj

9.45

cj

7.61

cj

7.82

cj

9.80

cj

5.18

cj cj un un un un cj cj cj cj cj cj

5.45 10.61 0.56 1.15 1.85 3.83 7.20 12.82 17.68 9.53 17.15 16.40

cj

12.55

cj

18.75

cj

7.29

cj

13.31

cj

9.65

cj

11.03

cj

10.50

cj

6.25

cj cj un un un un

7.53 13.53 1.20 2.05 4.99 24.47

cj

8.92

cj cj

11.63 11.68

cj m m m m m m un un

18.60 0.25 0.44 0.82 0.91 1.14 1.54 30.25 48.39


Quadro metálico de embutir para telefone de 40x40x13,5cm Quadro metálico de embutir para telefone de 50x50x13,5cm Quadro metálico de embutir para telefone de 60x60x13,5cm Quadro metálico de embutir para telefone de 80x80x13,5cm Quadro metálico de embutir para telefone de 120x120x13,5cm MATERIAIS HIDRÁULICOS Caixa sifonada de PVC de 100x100x50mm c/grelha branca redonda Caixa sifonada de PVC de 100x125x50mm c/grelha branca redonda Caixa sifonada de PVC de 150x150x50mm c/grelha branca redonda Caixa sifonada de PVC de 150x185x75mm c/grelha branca redonda Ralo sifonado quadrado PVC 100x54x40mm c/grelha Adaptador de PVC para válvula de pia e lavatório Bucha de redução longa de PVC soldável para esgoto de 50x40mm Curva de PVC soldável para água de 20mm Curva de PVC soldável para água de 25mm Curva de PVC soldável para água de 32mm Curva de PVC soldável para água de 40mm Joelho 90° de PVC L/R para água de 25mm x 3/4" Joelho 90° de PVC roscável para água de 1/2" Joelho 90° de PVC roscável para água de 3/4" Joelho 90° de PVC roscável para água de 1" Joelho 90° de PVC roscável para água de 1.1/4" Joelho 90° de PVC roscável para água de 1.1/2" Joelho 90° de PVC roscável para água de 2" Joelho 90° de PVC soldável para água de 20mm Joelho 90° de PVC soldável para água de 25mm Joelho 90° de PVC soldável para água de 32mm Joelho 90° de PVC soldável para água de 40mm Joelho 90° de PVC soldável para água de 50mm Joelho 90° de PVC soldável para água de 65mm Joelho 90° de PVC soldável para água de 75mm Joelho 90° de PVC soldável para água de 85mm Joelho 90° c/visita de PVC soldável para esgoto de 100x50mm Joelho 90° de PVC soldável para esgoto de 40mm Joelho 90° de PVC soldável para esgoto de 50mm Joelho 45° de PVC soldável para esgoto de 50mm Junção simples de PVC soldável para esgoto de 100x50mm Registro de gaveta Targa 1509 C40 de 3/4" CR/CR Deca Registro de gaveta Targa 1509 C40 de 1.1/2" CR/CR Deca Registro de gaveta Targa (base 4509+acab. C40 710 CR/ CR) 1" Deca Registro de gaveta Bruto B1510 de 1.1/2" Fabrimar Registro de pressão Targa 1416 C40 de 3/4" CR/CR Deca Tê de PVC roscável de 1/2" Fortilit/Akros/Amanco/Tigre Tê de PVC roscável de 3/4" Fortilit/Akros/Amanco/Tigre Tê de PVC roscável de 1" Fortilit/Akros/Amanco/Tigre Tê de PVC roscável de 1.1/4" Fortilit/Akros/Amanco/Tigre Tê de PVC roscável de 1.1/2" Fortilit/Akros/Amanco/Tigre Tê de PVC roscável de 2" Fortilit/Akros/Amanco/Tigre Tê de PVC soldável de 25mm Fortilit/Akros/Amanco/Tigre Tê de PVC soldável de 60mm Fortilit/Akros/Amanco/Tigre Tê de PVC soldável de 75mm Fortilit/Akros/Amanco/Tigre Tê de PVC soldável de 85mm Fortilit/Akros/Amanco/Tigre Tubo de ligação para bacia de 20cm com anel branco Astra Tubo de PVC roscável de 1/2" CL15 Fortilit/Akros/Amanco/Tigre (vara c/6m) Tubo de PVC roscável de 3/4" CL15 Fortilit/Akros/Amanco/Tigre (vara c/6m) Tubo de PVC roscável de 1" CL15 Fortilit/Akros/Amanco/ Tigre (vara c/6m) Tubo de PVC roscável de 1.1/4" CL15 Fortilit/Akros/Amanco/Tigre (vara c/6m) Tubo de PVC roscável de 1.1/2" CL15 Fortilit/Akros/Amanco/Tigre (vara c/6m) Tubo de PVC roscável de 2" CL15 Fortilit/Akros/Amanco/ Tigre (vara c/6m) Tubo de PVC soldável de 20mm CL15 Fortilit/Akros/Amanco/Tigre (vara c/ 6m) Tubo de PVC soldável de 25mm CL15 Fortilit/Akros/Amanco/Tigre (vara c/ 6m) Tubo de PVC soldável de 32mm CL15 Fortilit/Akros/Amanco/Tigre (vara c/ 6m) Tubo de PVC soldável de 40mm CL15 Fortilit/Akros/Amanco/Tigre (vara c/ 6m) Tubo de PVC soldável de 50mm CL15 Fortilit/Akros/Amanco/Tigre (vara c/ 6m)

un un un un un

73.50 83.56 130.99 204.99 483.64

un

6.12

un

8.89

un

12.97

un

17.38

un un un

5.16 1.12 1.32

un un un un un un un un un un un un un un un un un un un un

1.15 1.50 3.22 5.57 1.85 0.79 1.16 2.12 5.85 6.98 12.30 0.25 0.33 1.10 2.65 2.48 12.66 44.73 50.43 9.65

un un un un un un un

0.70 1.38 1.72 8.40 51.76 89.02 52.02

un un un un un un un un un un un un un vara

48.05 43.12 1.16 1.76 4.25 9.62 10.83 19.05 0.66 16.58 31.18 45.92 3.46 16.93

vara 22.41 vara 46.18 vara 60.42 vara 74.35 vara 114.32 vara 8.10 vara 11.12 vara 23.20 vara 36.25 vara 43.35

Tubo de PVC soldável de 60mm CL15 Fortilit/Akros/Amanco/Tigre (vara c/ 6m) Tubo de PVC soldável de 75mm CL15 Fortilit/Akros/Amanco/Tigre (vara c/ 6m) Tubo de PVC soldável de 85mm CL15 Fortilit/Akros/Amanco/Tigre (vara c/ 6m) Tubo de PVC p/esgoto Sanifort 40mm PBV Fortilit/Akros/ Amanco/Tigre (vara c/6m) Tubo de PVC p/esgoto Sanifort 50mm PBV Fortilit/Akros/ Amanco/Tigre (vara c/6m) Tubo de PVC p/esgoto Sanifort 75mm PBV Fortilit/Akros/ Amanco/Tigre (vara c/6m) Tubo de PVC p/esgoto Sanifort 100mm PBV Fortilit/Akros/ Amanco/Tigre(vara c/6m) Tubo de PVC p/esgoto Sanifort 150mm PBV Fortilit/Akros/ Amanco/Tigre (vara c/6m) Válvula de retenção horizontal com portinhola de 2" Docol Vedação para saída de vaso sanitário Adesivo para tubos de PVC (tubo com 1 litro) Solução limpadora para tubos de PVC (tubo com 1 litro) MATERIAIS DE INOX Pia aço inox lisa c/1,20m, 1 cuba, sem válvula, concretada, Franke Douat Pia aço inox lisa c/1,40m, 1 cuba, sem válvula, concretada, Franke Douat Pia aço inox lisa c/1,80m, 1 cuba, sem válvula, concretada, Franke Douat Pia aço inox lisa c/1,80m, 2 cubas, sem válvulas, concretada, Franke Douat Pia aço inox lisa c/2,00m, 1 cuba, sem válvula, concretada, Franke Douat Pia aço inox lisa c/2,00m, 2 cubas, sem válvulas, concretada, Franke Douat Cuba em aço inox retangular, de 55x33x14cm, sem válvula, Franke Douat Tanque em aço inox, de 50x40cm, com válvula, Franke Douat Mictório em aço inox, de 1,50m, completo, Franke Douat Válvula para pia de aço inox, de 3 1/2"x 1 1/2", Franke Douat MÁRMORES Bancada de mármore branco rajado de 60x2cm Bancada de mármore branco extra de 60x2cm Bancada de mármore travertino de 60x2cm Lajota de mármore branco extra de 30x30x2cm Lajota de mármore branco rajado de 15x30x2cm Lajota de mármore branco rajado de 30x30x2cm Lajota de mármore travertino de 30x30x2cm Lajota de mármore travertino de 15x30x2cm Rodapé em mármore branco rajado de 7x2cm Rodapé em mármore travertino de 7x2cm Soleira em mármore branco extra de 15x2cm Soleira em mármore branco rajado de 15x2cm Soleira em mármore travertino de 15x2cm MATERIAIS DE PINTURA Fundo sintético nivelador branco fosco para madeira (galão) Selador PVA(liqui-base) para parede interna (galão) Selador PVA(liqui-base) para parede interna (lata c/18 litros) Selador acrílico para parede externa (galão) Selador acrílico para parede externa (lata c/18 litros) Massa corrida PVA (galão) Massa corrida PVA (lata c/18 litros) Massa acrílica (galão) Massa acrílica (lata c/18 litros) Massa à óleo (galão) Solvente Aguarrás (galão c/5 litros) Tinta latex fosca para interior (galão) Tinta latex fosca para interior (lata c/18 litros) Tinta latex para exterior (galão) Tinta latex para exterior (lata c/18 litros) Líquido para brilho regulador (galão) Líquido para brilho regulador (lata c/18 litros) Tinta acrílica fosca (galão) Tinta acrílica fosca (lata c/18 litros) Textura acrílica (galão) Textura acrílica (lata c/18 litros) Impermeabilizante à base de silicone para fachadas (galão) Verniz marítimo à base de poliuretano (galão) Tinta antiferruginosa Zarcão (galão) Esmalte sintético acetinado (galão) Esmalte sintético brilhante (galão) Tinta à óleo (galão) Tinta à óleo para cerâmica (galão)

vara 71.21 vara 107.60 vara 141.75 vara 15.20 vara 27.48 vara 34.93 vara 39.45 vara 119.72 un un litro litro

116.95 5.95 21.50 27.91

un

94.93

un

128.90

un

254.38

un

514.00

un

294.36

un

518.00

un

172.45

un un un

326.95 684.25 12.44

m m m m2 m2 m2 m2 m2 m m m m m

122.50 500.00 200.00 77.50 58.00 42.50 72.50 55.00 13.00 25.00 60.00 14.00 25.00

gl gl lata gl lata gl lata gl lata gl gl gl lata gl lata gl lata gl lata gl lata gl gl gl gl gl gl gl

55.00 30.23 102.25 19.80 86.90 10.25 25.40 19.40 75.40 37.35 39.10 18.15 81.30 34.60 143.50 42.30 234.90 47.73 110.33 19.45 85.80 49.44 44.63 62.20 58.17 52.93 39.64 56.50

Tinta acrílica especial para piso (galão) Tinta acrílica especial para piso (lata c/18 litros) Tinta epoxi: esmalte + catalizador (galão) Diluente epoxi (litro) Lixa para parede Lixa para madeira Lixa d'água Lixa para ferro Estopa para limpeza Ácido muriático (litro) Cal para pintura Tinta Hidracor (saco com 2kg) Massa plástica 3 Estrelas (lata com 500gramas) MATERIAIS PARA INSTALAÇÃO DE ÁGUA QUENTE Tubo de cobre classe "E" de 15mm (vara com 5,00m) Tubo de cobre classe "E" de 22mm (vara com 5,00m) Tubo de cobre classe "E" de 28mm (vara com 5,00m) Tubo de cobre classe "E" de 35mm (vara com 5,00m) Tubo de cobre classe "E" de 54mm (vara com 5,00m) MATERIAIS SANITÁRIOS Assento sanitário Village em polipropileno AP30 Deca Assento sanitário almofadado branco TPK/A5 BR1 Astra Assento convencional branco macio TPR BR1 em plástico Astra Bacia sanitária c/caixa descarga acoplada Azálea branco gelo Celite Conjunto bacia com caixa Saveiro branco Celite Bacia sanitária c/caixa descarga acoplada Ravena branco gelo Deca Bacia sanitária c/caixa descarga acoplada Ravena cinza real Deca Bacia sanitária convencional Azálea branco gelo Celite Bacia sanitária convencional Targa branco gelo Deca Bacia sanitária convencional Izy branco gelo Deca Bacia sanitária convencional Ravena branco gelo Deca Bacia sanitária convencional Ravena cinza real Deca Bacia sanitária convencional Village branco gelo Deca Bacia sanitária convencional Village cinza real Deca Cuba de embutir oval de 49x36cm L37 branco gelo Deca Cuba de embutir redonda de 36cm L41 branco gelo Deca Cuba sobrepor retang. Monte Carlo 57,5x44,5cm L40 branco gelo Deca Lavatório suspenso Izy de 43x23,5cm L100 branco gelo Deca Lavatório suspenso Izy de 39,5x29,5cm L15 branco gelo Deca Lavatório c/ coluna Monte Carlo de 57,5x44,5cm L81 branco gelo Deca Lavatório de canto Izy L101 branco gelo Deca Lavatório c/ coluna Saveiro de 46x38cm branco Celite Bolsa de ligação para bacia sanitária BS1 de 1.1/2" Astra Caixa de descarga sobrepor 8 lts. c/engate e tubo ligação Fortilit/Akros/Tigre Chicote plástico flexível de 1/2"x30cm Fortilit/Akros/ Amanco/Luconi Chicote plástico flexível de 1/2"x40cm Fortilit/Akros/Luconi Chuveiro de PVC de 1/2" com braço Chuveiro cromado de luxo ref. 1989102 Deca Parafuso de fixação para bacia de 5,5x65mm em latão B-8 Sigma (par) Parafuso de fixação para tanque longo 100mm 980 Esteves (par) Parafuso de fixação para lavatório Esteves (par) Sifão de alumínio fundido de 1" x 1.1/2" Sifão tipo copo para lavatório cromado de 1"x1.1/2" Esteves Sifão de PVC de 1" x 1.1/2" Fita veda rosca em Teflon Polytubes Polvitec (rolo com 12mm x 25m) Tanque de louça de 22 litros TQ-25 de 60x50cm branco gelo Deca Coluna para tanque de 22 litros CT-25 branco gelo Deca Tanque de louça de 18 litros TQ-01 de 56x42cm branco gelo Deca Coluna para tanque de 18 litros CT-11 branco gelo Deca Tanque de louça sem fixação de 18 litros de 53x48cm branco Celite Tanque em resina simples de 59x54cm marmorizado Resinam Tanque em resina simples de 60x60cm granitado Marnol Balcão de cozinha em resina c/1,00x0,50m c/1 cuba marmorizado Marnol Balcão de cozinha em resina c/1,20x0,50m c/1 cuba granitado Marnol Misturador para lavatório Targa 1875 C40 CR/CR Deca Misturador para pia de cozinha tipo mesa Prata 1256 C50 CR Deca

gl lata gl l un un un un kg l kg sc lata

30.90 129.90 114.95 15.33 0.28 0.35 0.67 1.55 7.50 4.45 0.67 2.74 6.15

un un un un un

65.00 120.00 150.00 230.00 400.00

un un un un

70.27 41.57 14.63 182.40

un un

161.53 237.60

un un un un un un un un un un un

260.12 89.03 236.83 64.90 104.99 105.97 155.07 163.02 39.89 40.70 90.73

un un un

59.00 50.00 116.00

un un un un

59.33 47.27 2.50 17.30

un

2.30

un un un par

2.78 3.83 181.45 5.62

par

11.08

par un un un un

5.88 49.27 51.12 6.27 2.29

un

237.67

un un

68.00 143.96

un un

61.99 148.99

un un un

48.80 41.62 48.42

un

57.73

un un

232.84 365.40

setembro 2010 | construir nordeste | 99


insumos Misturador para pia de cozinha tipo parede Prata 1258 C50 CR Deca Torneira para tanque/jardim 1152 C39 CR ref. 1153022 Deca Torneira para lavatório 1193 C39 CR (ref.1193122) Deca Torneira para pia de cozinha Targa 1159 C40 CR Deca Torneira de parede p/pia de cozinha 1158 C39 CR ref. 1158022 Deca Torneira de parede para pia de cozinha Targa 1168 C40 Deca Torneira de mesa para pia de cozinha Targa 1167 C40 Deca Torneira para lavatório Targa 1190 C40 CR/CR (ref. 1190700) Deca Ducha manual Evidence cromada 1984C CR Deca Válvula de descarga Hydra Max de 1.1/2" ref. 2550504 Deca Válvula cromada para lavatório ref.1602500 Deca Válvula cromada para lavanderia ref. 1605502 Deca Válvula de PVC para lavatório Válvula de PVC para tanque ou pia de cozinha OUTROS Corda de nylon de 3/8" Tela de nylon para proteção de fachada Bucha para fixação de arame no forro de gesso Pino metálico para fixação à pistola com cartucho Cola Norcola (galão com 2,85kg) Cola branca (pote de 1 kg) Bloco de EPS para laje treliçada PRODUTOS CERÂMICOS Tijolo cerâmico de 4 furos de 7x19x19cm Tijolo cerâmico de 6 furos de 9x10x19cm Tijolo cerâmico de 6 furos de 9x15x19cm Tijolo cerâmico de 8 furos de 9x19x19cm Tijolo cerâmico de 8 furos de 12x19x19cm Tijolo cerâmico de 18 furos de 10x7x23cm Tijolo cerâmico aparente de 6 furos (sem frisos) de 9x10x19cm Tijolo cerâmico maciço de 10x5x23cm Telha em cerâmica tipo colonial (Dantas) - 35un/m2 Telha em cerâmica tipo colonial (Itajá) - 32un/m2 Telha em cerâmica tipo calha Paulistinha (Quitambar) 22un/m2 Telha em cerâmica tipo colonial Simonassi (Bahia) - 28un/m2 Telha em cerâmica tipo colonial Barro Forte (Maranhão) 25un/m2 Tijolo cerâmico refratário de 22,9x11,4x6,3cm Massa refratária seca Taxa de acréscimo para tijolos paletizados(por milheiro) Bloco de cerâmica de 30x20x9cm para laje pré-moldada PREGOS E PARAFUSOS Prego com cabeça de 1.1/4"x14 Prego com cabeça de 2.1/2"x10 Parafuso de 5/16"x300mm em alumínio para fixação de telhas Arruela de alumínio para parafuso de 5/16" Arruela de vedação em borracha/plástico para parafuso de 5/16" Porca de alumínio para parafuso de 5/16" Parafuso de 1/4"x100mm em alumínio para fixação de telhas Parafuso de 1/4"x150mm em alumínio para fixação de telhas Parafuso de 1/4"x250mm em alumínio para fixação de telhas Parafuso de 1/4"x300mm em alumínio para fixação de telhas Arruela de alumínio para parafuso de 1/4" Arruela de vedação em borracha/plástico para parafuso de 1/4" Porca de alumínio para parafuso de 1/4" REVESTIMENTOS CERÂMICOS Cerâmica Eliane 10x10cm Camburí White tipo "A" Cerâmica Eliane 20x20cm Camburí branca tipo "A" PEI4 Porcelanato Eliane Platina PO(polido) 40x40cm Porcelanato Eliane Platina NA(natural) 40x40cm Cerâmica Portobello Prisma bianco 7,5x7,5cm ref. 82722 Cerâmica Portobello Linha Arq. Design neve 9,5x9,5cm ref. 14041 Cerâmica Portobello Patmos White 30x40cm ref. 82073 Azulejo Eliane Forma Slim Branco BR MP 20x20cm Azulejo liso Cecrisa Unite White 15x15cm tipo "A" REVESTIMENTOS DE PEDRAS NATURAIS Pedra Ardósia cinza de 20x20cm Pedra Ardósia cinza de 20x40cm Pedra Ardósia cinza de 40x40cm Pedra Ardósia verde de 20x20cm Pedra Ardósia verde de 20x40cm Pedra Ardósia verde de 40x40cm Pedra Itacolomy do Norte irregular Pedra Itacolomy do Norte serrada Pedra São Thomé Cavaco Pedra Cariri serrada de 30x30cm Pedra Cariri serrada de 40x40cm Pedra Cariri serrada de 50x50cm Pedra sinwalita de corte manual Pedra Sinwalita serrada Pedra portuguesa (2 latas/m2) Pedra Itamotinga Cavaco Pedra Itamotinga almofada Pedra Itamotinga Corte Manual Pedra Itamotinga Serrada Pedra granítica tipo Canjicão Almofada

100 | construir nordeste | setembro 2010

un

365.40

un un un un

53.11 51.41 79.93 57.89

un un un

168.60 168.78 89.40

un un un un un un

161.73 141.69 24.30 33.80 2.33 4.00

kg m2 kg un gl kg m3

13.78 3.82 4.55 0.64 33.63 7.43 174.69

mil mil mil mil mil mil mil mil mil mil mil

320.00 173.00 285.00 323.33 360.00 418.70 280.00 357.50 307.50 440.00 540.00

mil mil

1,255.00

mil

1,025.00

Pedra granítica tipo Rachão Regular de 40x40cm Solvente Solvicryl Hidronorte (lata de 5 litros) Resina acrílica Acqua Hidronorte (galão de 3,6 litros) REVESTIMENTOS VINÍLICOS E DE BORRACHA Piso vinílico Paviflex de 30x30cm de 1,6mm com flash Piso vinílico Paviflex de 30x30cm de 2mm com flash Piso vinílico Paviflex de 30x30cm de 2mm sem flash Piso de borracha pastilhado Plurigoma de 50x50cm para colar TELHAS METÁLICAS Telha de alumínio trapezoidal com 0,5mm Telha de alumínio trapezoidal de 1,265x3,00m com 0,5mm Telha de alumínio trapezoidal com 0,4mm Telha de alumínio trapezoidal de 1,265x3,00m com 0,4mm VIDROS Vidro impresso fantasia incolor de 4mm (cortado) Vidro Canelado incolor (cortado) Vidro aramado incolor de 7mm (cortado) Vidro anti-reflexo (cortado) Vidro liso incolor de 3mm (cortado) Vidro liso incolor de 4mm (cortado) Vidro liso incolor de 5mm (cortado) Vidro liso incolor de 6mm (cortado) Vidro liso incolor de 8mm (cortado) Vidro liso incolor de 10mm (cortado) Vidro laminado incolor 3+3 (cortado) Vidro laminado incolor 4+4 (cortado) Vidro laminado incolor 5+5 (cortado) Vidro bronze de 4mm (cortado) Vidro bronze de 6mm (cortado) Vidro bronze de 8mm (cortado) Vidro bronze de 10mm (cortado) Vidro cinza de 4mm (cortado) Vidro cinza de 6mm (cortado) Vidro cinza de 8mm (cortado) Vidro cinza de 10mm (cortado) Espelho prata cristal de 3mm (cortado) Espelho prata cristal de 4mm (cortado) Espelho prata cristal de 6mm (cortado) Vidro temperado de 10mm incolor sem ferragens (cortado) Vidro temperado de 10mm cinza sem ferragens (cortado) Vidro temperado de 10mm bronze sem ferragens (cortado) Tijolo de vidro 19x19x8cm ondulado Junta de vidro para piso Massa para vidro MÃO DE OBRA Armador Azulejista Calceteiro Carpinteiro Eletricista Encanador Gesseiro Graniteiro Ladrilheiro Marceneiro Marmorista Pastilheiro Pintor Serralheiro Telhadista Vidraceiro Pedreiro Servente

m2 lata gl

16.75 33.00 38.00

m2 m2 m2 m2

31.17 37.72 43.30 23.60

m2 un m2 un

24.14 125.30 20.20 103.76

m2 m2 m2 m2 m2 m2 m2 m2 m2 m2 m2 m2 m2 m2 m2 m2 m2 m2 m2 m2 m2 m2 m2 m2 m2 m2 m2 un m kg

24.80 25.80 118.94 28.41 19.96 24.79 31.60 36.21 64.20 82.96 223.36 260.55 320.98 36.45 64.86 102.30 131.39 34.68 60.61 82.64 109.20 53.79 89.79 117.08 80.77 109.20 131.39 9.67 0.49 1.00

h h h h h h h h h h h h h h h h h h

3.34 4.11 4.11 3.34 4.11 4.11 4.11 4.11 4.11 4.11 4.11 4.11 4.11 4.11 4.11 4.11 3.34 2.51

kg mil mil

1,071.50 0.66 172.00 457.50

kg kg un

6.00 5.30 1.24

un un

0.16 0.16

un un un un un un un

0.15 0.24 0.29 0.67 0.79 0.17 0.12

un

0.10

m2 m2 m2 m2 m2 m2

18.98 15.89 54.40 41.74 23.65 21.15

m2 m2 m2

21.65 17.17 16.41

colaborador da REVISTA CONSTRUIR NORDESTE,

m2 m2 m2 m2 m2 m2 m2 m2 m2 m2 m2 m2 m2 m2 m2 m2 m2 m2 m2 m2

9.90 10.20 11.80 14.05 17.00 20.35 11.60 17.10 28.50 13.60 14.10 14.60 13.35 17.20 12.50 12.40 12.40 14.00 17.00 15.20

de Preços de assinantes da REVISTA CONSTRUIR

Você pode adquirir com o Consultor Clelio Morais responsável por esta seção as composições detalhadas dos serviços apresentados na Tabela NORDESTE: Clelio Morais: 81 3236 2354, 81 9108 1206, cleliomorais@gmail.com

Informação de qualidade do mundo da construção: novas tecnologias, dicas técnicas, meio ambiente, urbanismo, oportunidades de negócio cultura www.construirnordeste.com.br


Referência para orçamentos e pesquisas. Principal ferramenta para tomada de

ONDE ENCONTRAR

decisão nas especificações e compra de produtos e contratação de serviços. Anuncie seu produto, sua empresa. 81

3325 2782

c

construir@construirnordeste.com.br

A Aditivos

Site: www.votorantimcimentos.com.br/sic Sac – Serviço de Atendimento ao Consumidor - 0800 701 9898

Massacom Com. de Argamassas e Serviços Ltda.

Compactadores

Email: massacomba@hotmail.com Fone: (71) 33818924 (82) 3359-1040 (82) 3355-727785 (85) 32955088 Distribuidores Massacom - Salvador/BA: Fone: (71) 3369-2550 / 3240-2211

Fone: (81) 3471.6271 ou 3339.5788 Email: alutec@alutec-pe.com.br Site: www.alutec-pe.com.br

Argamassa

Gail Arquitetura em Cerâmica Fone: (11) 2423-2645 Sac: sac@gail.com.br

Massacom Com. de Argamassas e Serviços Ltda. Email: massacomba@hotmail.com Fone: (71) 33818924 (82) 3359-1040 (82) 3355-727785 (85) 32955088 Distribuidores Massacom - Salvador/BA: Fone: (71) 3369-2550 / 3240-2211

Votorantim Cimentos Central de Relacionamento Votorantim Cimentos Capitais: 40039894 (custo de ligação local) Demais localidades: 0800 701 9894 Sic – Serviço de Informações Comerciais Site: www.votorantimcimentos.com.br/sic Sac – Serviço de Atendimento ao Consumidor - 0800 701 9898

Articulações

Fermax Ind. de Componentes P/ Esquadrias Ltda. Fone: 0800 724-2200 Email: fermax@fermax.com.br Site: www.fermax.com.br

B Bombas

Alutec- Aluguel de Máquinas e Equipamentos Fone: (81) 3471.6271 ou 3339.5788 Email: alutec@alutec-pe.com.br Site: www.alutec-pe.com.br

C Cal

Votorantim Cimentos Central de Relacionamento Votorantim Cimentos Capitais: 40039894 (custo de ligação local) Demais localidades: 0800 701 9894 Sic – Serviço de Informações Comerciais Site: www.votorantimcimentos.com.br/sic Sac – Serviço de Atendimento ao Consumidor - 0800 701 9898

Cimento

Votorantim Cimentos Central de Relacionamento Votorantim Cimentos Capitais: 40039894 (custo de ligação local) Demais localidades: 0800 701 9894 Sic – Serviço de Informações Comerciais

Alutec- Aluguel de Máquinas e Equipamentos

Compressores de Solo

Alutec- Aluguel de Máquinas e Equipamentos Fone: (81) 3471.6271 ou 3339.5788 Email: alutec@alutec-pe.com.br Site: www.alutec-pe.com.br

Concreto

Votorantim Cimentos Central de Relacionamento Votorantim Cimentos Capitais: 40039894 (custo de ligação local) Demais localidades: 0800 701 9894 Sic – Serviço de Informações Comerciais Site: www.votorantimcimentos.com.br/sic Sac – Serviço de Atendimento ao Consumidor - 0800 701 9898

Contêineres

Embraloc – Locadora de Contêineres, Guindastes, Grupos geradores, Carretas Munck, Caminhões Munck. Fone: 81-34716641 Email: embraloc@embraloc.com.br Sac: 81-34712239

E Esquadrias de Alumínio

Pórtico Esquadrias Ltda. Fone: (81) 3059-6669 Email: portico@porticoesquadrias.com.br Site: www.porticoesquadrias.com.br

F Fachadas Pele de Vidro Pórtico Esquadrias Ltda.

Fone: (81) 3059-6669 Email: portico@porticoesquadrias.com.br Site: www.porticoesquadrias.com.br

Fechamento de Varandas tipo retrátil.

Pórtico Esquadrias Ltda. Fone: (81) 3059-6669 Email: portico@porticoesquadrias.com.br Site: www.porticoesquadrias.com.br

Fechos

Fermax Ind. de Componentes P/ Esquadrias Ltda. Fone: 0800 724-2200 Email: fermax@fermax.com.br Site: www.fermax.com.br

o

Ferramentas Elétricas

Alutec- Aluguel de Máquinas e Equipamentos Fone: (81) 3471.6271 ou 3339.5788 Email: alutec@alutec-pe.com.br Site: www.alutec-pe.com.br

G Guindastes

Embraloc – Locadora de Contêineres, Guindastes, Grupos geradores, Carretas Munck, Caminhões Munck. Fone: 81-34716641 Email: embraloc@embraloc.com.br Sac: 81-34712239

Grupos Geradores Embraloc – Locadora de Contêineres, Guindastes, Grupos geradores, Carretas Munck, Caminhões Munck. Fone: 81-34716641 Email: embraloc@embraloc.com.br Sac: 81-34712239

M Massa corrida

Massacom Com. de Argamassas e Serviços Ltda. Email: massacomba@hotmail.com Fone: (71) 33818924 (82) 3359-1040 (82) 3355-727785 (85) 32955088 Distribuidores Massacom - Salvador/BA: Fone: (71) 3369-2550 / 3240-2211

Mármores e granitos Sadi Mármores

Fone: 55 81 3222-4606 / 3222-4789 / 32220876 Email: sadi@sadi.com.br|Skype:sadi_ import| Site: www.sadi.com.br

Locação de Máquinas e Equipamentos

Embraloc – Locadora de Contêineres, Guindastes, Grupos geradores, Carretas Munck, Caminhões Munck. Fone: 81-34716641 Email: embraloc@embraloc.com.br Sac: 81-34712239

P Painéis de fechamento

Dânica Termoindustrial Brasil Fone: (81) 2125-1900 Email: vendaspe@danica.com.br

n

s

t

r

u

i

r

Portas termoisolantes.

Dânica Termoindustrial Brasil Fone: (81) 2125-1900 Email: vendaspe@danica.com.br

Puxadores

Fermax Ind. de Componentes P/ Esquadrias Ltda. Fone: 0800 724-2200 Email: fermax@fermax.com.br Site: www.fermax.com.br

Q Quartzo Branco Sadi Mármores

Fone: 55 81 3222-4606 / 3222-4789 / 32220876 Email: sadi@sadi.com.br|Skype:sadi_ import| Site: www.sadi.com.br

R Rejunte

Gail Arquitetura em Cerâmica Fone: (11) 2423-2645 Sac: sac@gail.com.br

Revestimento de Alumínio tipo ACM Pórtico Esquadrias Ltda.

Fone: (81) 3059-6669 Email: portico@porticoesquadrias.com.br Site: www.porticoesquadrias.com.br

Revestimento para fachada

Gail Arquitetura em Cerâmica Fone: (11) 2423-2645 Sac: sac@gail.com.br

Roldanas

Fermax Ind. de Componentes P/ Esquadrias Ltda. Fone: 0800 724-2200 Email: fermax@fermax.com.br Site: www.fermax.com.br

T Telhas Térmicas Dânica

Dânica Termoindustrial Brasil Fone: (81) 2125-1900 Email: vendaspe@danica.com.br

Texturas

Massacom Com. de Argamassas e Serviços Ltda. Email: massacomba@hotmail.com Fone: (71) 33818924 (82) 3359-1040 (82) 3355-727785 (85) 32955088 Distribuidores Massacom - Salvador/BA: Fone: (71) 3369-2550 / 3240-2211

Piso interno e externo

Gail Arquitetura em Cerâmica Fone: (11) 2423-2645 Sac: sac@gail.com.br

setembro 2010 | construir nordeste | 101


ONDE ENCONTRAR e

n

d

e

r

e

ç

o

s

colaboradores desta edição: Palavra

Tecnologia

Dicas

Felipe Mourão

Sudeste Pré-fabricados

MACTRA

RE/MAX Recife

Rua Fortunato Faraone, 382

Estrada Municipal Benedito Antonio

JCPM Trade Center

Jd. Girassol,Americana, SP

Regagnin, 6.600

Av. Eng. António de Góes, nº 60, Sala 904

CEP 13465-660

Serrinha, Itatiba-SP

Pina, Recife PE

Tel/Fax.: (19) 3406.6109

Cep: 13256-970

CEP 51010-000

sudeste@sudeste.ind.br

Fone: (11) 4538-7744

Tel.: (81) 3034 2407

Responsabilidade Social

Especial Tupan

www.mactra.com.br

Fabrimar S/A Industria e Comercio

VEDACIT/OTTO BAUMGART

Casa da Criança

Rodovia Presidente Dutra, 1362 - Pavuna,

3432-8900, em Salvador

Rua Dr.Raul Lafayete, 191 Sl.1401

Rio de Janeiro - Brasil

Boa Viagem,Recife/PE

T: 55 21 3088-2200 / F: 55 21 3088-2233

Tel.: (81) 3467.9968

www.fabrimar.com.br

Entrevista

Krona Tubos e Conexões Ltda

Gabriel Neves Dubeux

Rua dos Suíços, 715 – Vila Nova

Sinduscon-PE

CEP 89237-720 – Joinville/SC

Rua Marques de Amorim, 136

Fone/Fax: 47 3431-7800

Ilha do Leite, Recife/PE

www.krona.com.br

(11) 2902-5555, em São Paulo, e (71)

Coluna D&A Hits Produções Rua Geraldo Mariz, 809 - Tambauzinho João Pessoa - PB

Caderno Especial Pré-fabricados C

Paulo Siqueira

CEP 50070-330

M

Tel. (81) 2127-0600 Fax.: (81) 2127-0601

Coral - Unidade Recife

Construtora Andrade Mendonça

sindusconpe@sindusconpe.com.br

Av. Getúlio Vargas, 7230

Av. Antônio Carlos Magalhães, 2573, 17º

Curado, Recife/PE - Brasil

Andar

CEP: 50670-040

Edf. Royal Trade – Brotas, Salvador,BA MY

T + 55 81 3452-8211

CEP- 40.020.080

F + 55 81 3452-8398

CY Tel: (71) 3358-6666 | Fax: (71) 3358-2326

13º Fórum Construir IQ – Instituto de Qualificação

www.akzonobel.com.br

Rua Pio IX, 430, Torre – Recife/PE

www.coral.com.br

3227-1700/ 3227-1254 www.iq.org.br

Arquitetura

Indústria de Plásticos HERC Ltda.

Mercado Imobiliário

Y

CM

CMY

K

AWN ENGENHARIA

Av. Severo Dullius, 240

Rua Dr. Manoel de Almeida Belo, nº1111 -

Bairro São João

Bairro Novo. Olinda-PE.

Sidney Quintela e Guido Ramos

Porto Alegre

Telefone / Fax: (81) 3493-4154 | (81)

Rio Grande do Sul - Brasil

3429-3249 | (81) 3429-1585

Avenida Sete de Setembro, 2872

CEP: 90200310

www.awnengenharia.com.br

Ladeira da Barra, Salvador, BA

www.herc.com.br

CEP 40.130-001

Índice de Velocidade de Vendas – Recife

Via Célere:

Indústria Metalurgica Silvana S.A.

Rua Frederico Simões, nº 85

Av. Assis Chateubriand 4115

Fiepe

Edf. Empresarial Simonsen, sala 301

Distrito Industrial - CEP 58411-460

AV. Cruz Cabugá, 767 - 4º Andar - Sl.04

Caminho das Árvores, Salvador, Bahia

Campina Grande - Paraíba - Brasil

Santo Amaro,Recife/PE

CEP 41.820-774

83.3310.8100

Tel: (81) 3412.8300 | Fax: (81) 3412.8404

www.silvana.com.br

uptec@fiepe.org.br/ mmerces@fiepe.org.br

Interiores em destaque

Custo Unitário Básico e Insumos

LIRA ARQUITETOS ASSOCIADOS

Eng. Civil Clélio Morais

Rua Casa Forte, 324

Rua José de Holanda, 472, Sl. 203

Arquiteta Elka Porciúncula

Casa Forte, Recife - PE

Torre, Recife/PE

Rua Manoel de Almeida Belo, 1.111

Tel.: (81) 32694288

Tel.: (81) 3236.2354 | Cel.: (81) 9108.1206

Bairro Novo - Olinda – PE

www.carlosaugustolira.com.br

cleliomorais@gmail.com

Revista Verde perto Mario Disnard Rua Prof. Cesaria Moura, 40 Vila Rafael. Caruaru –PE

102 | construir nordeste | setembro 2010

Fax: (11) 4538.7745

Torre Empresarial Center


Nova fábrica

da MC-Bauch

emie no Nord

este

MC - Pernambuco (25.000m2)

MC - São Paulo (32.000m2)

•Aditivos para concreto

•Produtos de obra

VISITE-NOS

•Sistemas de Injeção

A MC-Bauchemie, multinacional alemã que há 50 anos fornece produtos e sistemas inovadores para construção, dá mais um passo a frente no Brasil e investe em sua segunda fábrica. Acreditando no potencial e no crescimento do nordeste, a nova planta estará localizada na grande Recife e irá proporcionar melhor atendimento aos nossos clientes e maior segurança em logística.

•Reparo e Proteção

FICONS 2010 (STAND 35/36)

•Sistemas de Pisos

www.mc-bauchemie.com.br setembro 2010 | construir nordeste | 103


Nova linha Votomassa:

tecnologia e soluções inovadoras para eliminar os problemas da sua obra.

Mais de 20 novos produtos:

• Colantes • Rejuntamentos cimentícios e epóxicos • Contrapisos • Impermeabilizantes • Acústicos


Construir Nordeste Ed.54