Page 1

Coleção 2018.1


INTRODUÇÃO// A moda agênero pede passagem e visibilidade. O projeto apresentado na disciplina 'Design em Malharia Retilinea", traz essa ideia atrelada a uma temática ligada ao ar nostálgico que permeou as décadas de 70, 80 e 90 principalmente, macrotendência explorada nesse projeto, e ao campo imagético dos sonhos, conversando aqui com seu estudo tanto no campo da neurociência quanto da psicanálise. Assim, este projeto intenciona gerar uma coleção para o nicho de mercado de moda agênero, com peças de malharia retilínea sem distinção de sexo.O foco principal das peças é a conciliação de modelagens justas e largas, com texturas e cores que remetem aos anos

PROBLEMÁTICA//

JUSTIFICATIVA_

OBJETIVOS GERAIS//


//OBJETIVOS ESPECÍFICOS_


_CAP. 2//


REFERENCIAL TEÓRICO

MODA AGENERO QUESTÕES SOBRE MODA AGENERO

REFERENCIAL TEÓRICO

Conhecida por nomes que vão desde: unissex, agender, genderless, gender-bender, plurissex, entre outros, a questão agênero é muito mais que uma tendência. (CUNHA, 2016). Refletir e se aprofundar nas questões envolvendo ela hoje depende de um desprendimento do atual e uma reflexão voltada ao passado. Mais ainda: buscar o contexto social e político que criou essas manifestações, que juntas, formam a base da moda agenero (como em partes estão explicitadas na análise diacrônica em moda agenero ( pág. ).

Figura , Campanha da Selfridges, em 2016 “Agender” .Disponível em: < http:// www.selfridges.com/QA/en/features/articles/content/agender>. Acesso em 3 de abril, 2018.

A roupa na grécia antiga, sem distinção completa entre masculino e feminino, o uso, na era moderna, do salto, popularizado por Luís XIV, já traziam essa linha nada demarcada entre os dois gêneros. Muitos autores culpam o período da Revolução Industrial e a maneira de trabalhar com a polaridade entre masculino/ feminino, como divisor de águas para estabelecer o modelo dual considerado “nor-


Figura , Campanha da Selfridges, em 2016 “Agender” .Disponível em: < http://www.selfridges.com/ QA/en/features/articles/content/agender>. Acesso em 3 de abril, 2018.


A estilista da marca Beira, Lívia Campos, por exemplo, decidiu trabalhar com o plurissex e tem suas peças referenciadas como agênero, mesmo que a preocupação da marca esteja longe de discutir essas questões e mais preocupada em discutir a linguagem da própria peça em si, com modelagens mais amplas e trabalhos com costuras e encaixes. Até o próprio público alvo da marca é difícil de definir, segundo Lívia “[…] é uma roupa que acaba circulando em vários meios […] é uma pessoa que busca conforto nas peças, pergunta como faz e de onde vem essa roupa. Eu acho que existem traços em comum com pessoas de diferentes idades e sexos […]”. (MENEGHETTI, 2018).

A estilista da marca Beira, Lívia Campos, por exemplo, decidiu trabalhar com o plurissex e tem suas peças referenciadas como agênero, mesmo que a preocupação da marca esteja longe de discutir essas questões e mais preocupada em discutir a linguagem da própria peça em si, com modelagens mais amplas e trabalhos com costuras e encaixes. Até o próprio público alvo da marca é difícil de definir, segundo Lívia “[…] é uma roupa que acaba circulando em vários meios […] é uma pessoa que busca conforto nas peças, pergunta como faz e de onde vem essa roupa. Eu acho que existem traços em comum com pessoas de diferentes idades e sexos […]”. (MENEGHETTI, 2018).


[...]“Roupa é uma coisa sem genero, voce veste o que vai cair melhor”[...]


SONHOS ESTUDO SOBRE SONO E SONHOS O sono faz parte da restauração do momento de vigília, quando estamos acordados, e divide-se em sono não-REM e REM, quando ocorrem a maior parte dos sonhos lembrados. Durante o período não-REM, o sono passa por algumas fases que mudam de maneira progressiva de uma sonolência para um sono lento. O REM é onde se instaura o sono profundo. Todo o esse ciclo, que inicia na fase de sonolência até o REM, se repete várias vezes durante a noite. Segundo Reimão (1996), os sonhos ocorrem tanto durante o período de não-REM quanto no REM, mas os que são mais recordados ocorrem durante a fase de sono profundo (REM). Os sonhos encontram-se em um âmbito que vai do mágico ao religioso e fazem parte de uma histórica curiosidade humana.

Figura , Campanha da Selfridges, em 2016 “Agen selfridges.com/QA/en/features/articles/content/age

Com passagens em diversas crenças, se apresentam como forma de comunicação com o desconhecido e, muitas vezes, de premonição. A busca por interpretações de sonhos gerou, e ainda gera, diversas publicações, quase como um dicionário, com significados para os mais diversos tipos de sonhos. Os sonhos só passaram a ser estudados com mais profundidade a partir do século XIX, quando, em 1862, Alfred Murray tentou explicar as causas do sono usando a reflexologia.


nder” .Disponível em: < http://www. ender>. Acesso em 3 de abril, 2018.

[...] Foi em 1929 que Berger desenvolveu o método de eletroencefalograma (EEG), tornando possível o registro da atividade elétrica cerebral no homem. Isto permitiu estabelecer uma relação direta entre os estados de consciência e atividade eletrofisiológica do cérebro. [...] (REIMÃO, 1996, p. 34)

Em 1953, Aserinsky e Kleitman, descobriram os movimentos oculares rápidos identificados durante uma determinada parte do sono, denominado de sono REM (rapid eye moviments), e mostrou a relação dire-


O CONTEÚDO E A FORMAÇÃO DOS SONHOS NA PSICANÁLISE [...] Nos sonhos, a vida cotidiana, com suas dores e prazeres, suas alegrias e mágoas, jamais se repete. Pelo contrário, os sonhos têm como objetivo verdadeiro libertar-nos dela. Mesmo quando toda a nossa mente está repleta de algo, quando estamos dilacerados por alguma tristeza profunda, ou quando todo o nosso poder intelectual se acha absorvido por algum problema, o sonho nada mais faz do que entrar em sintonia com nosso estado de espírito e representar a realidade em símbolos (FICHTE, 1864 apud FREUD, 1900, p. 30) [...],

De acordo com Freud (1900), para os leigos, os sonhos são como um transporte para outro mundo, sem nenhuma ligação com a realidade, algo surrealista e sem poder de explicação exata. Contudo, o conteúdo dos sonho e como eles são formados partem do princípio de que, alguma vez na vida de vigília, seja por pensamentos, passagens do passado ou interações rápidas, já foram vivenciadas. Freud cita em seu livro: “Todo material que compõe o conteúdo do sonho é derivado de algum modo da experiência, ou seja, foi reproduzido ou

distorcidos durante os sonhos, dificultando uma associação direta com o que já foi vivenciado no cotidiano. O conteúdo onírico não consegue diferenciar um passado remoto de um mais recente, mas para que haja presença de uma temática antiga, uma ligação das lembranças do passado com o presente deve existir, seja com os restos do dia ou através de um desejo inconsciente, gerador por estímulos internos ou externos por exemplo.


Os sonhos têm acesso a temáticas do cotidiano que muitas vezes são difíceis de serem lembradas, podem fazer parte de um passado distante, lembranças da infância, ou possuem um conteúdo sem importância para serem recordados na vigília, mas que a memória dos sonhos consegue utilizar. Entende-se, então, que todas as experiências são capazes de constituir um conteúdo onírico e que, para que haja essa formação, algumas informações presentes nos restos do dia despertam isso. Desejos inconscientes podem estar ligados com estímulos internos do corpo ou externos do ambiente e que também estimulam o conteúdo onírico. Todas essas pesquisas a respeito dos sonhos

[...] Assim, as relações entre o conteúdo de um sonho e as impressões do passado mais recente (com a única exceção do dia imediatamente anterior à noite do sonho) não diferem sob nenhum aspecto de suas relações com as impressões que datam de qualquer período mais remoto. Os sonhos podem selecionar seu material de qualquer parte da vida do sonhador, contanto que haja uma linha de pensamento ligando a experiência do dia do sonho (as impressões “recentes”) com as mais antigas. (FREUD, 1900) [...]


MALHARIA ANÁLISE SINCRÔNICA Na malharia retilínea, um dos tipos de malharia por trama, as agulhas ficam dispostas de maneira reta e o entrelaçamento dos fios, para formar a malha, ocorre no sentido horizontal. O que diferencia da circular, outro exemplo de malharia por trama, é que as agulhas se constituem na forma de círculo e o entrelaçamento ocorre na horizontal. Existe ainda a malharia por urdume, quando os fios são entrelaçados na vertical, mas focaremos no objetivo do trabalho e focaremos apenas nos estudos da malharia retilínea. Peças antiquadas, pullovers, roupas de inverno e casuais, essas são as visões superficiais a respeito da malharia retilínea. O que encontramos hoje, na verdade, apresenta grandes possibilidades de formas, seja em roupas mais casuais, de onde parte o seu surgimento, até peças mais elaboradas, além de consumir uma grande fatia do mercado.

[...] Este sucesso não é somente produto da moda, mas é sobretudo devido às características das malhas, particularmente a sua elasticidade, porosidade, e maciez que se adequam

Essa variedades de estrutura, padronagens e

melhor a uma maneira de viver mais

pontos, são formuladas em programas e depois

descontraída que caracteriza os tempos

são desenvolvidas em máquinas de monofrontura,

modernos, bem como ao desenvolvimento

com apenas uma fileira de agulhas, ou dupla-

tecnológico dos teares de malhas que

-frontura, com duas fileiras de agulhas que

tem sido verdadeiramente espetacular.

formam um ângulo de 90.

(AQUINO, 2008)[...]


As máquinas monofrontura são as que produzem o tecido jersey, meia-malha…Explicar as possibilidades (um paralelo com o que vamos usar na coleção) As maquinas dupla frontura (jacquard?)

[...]No campo da malharia por trama encontramos três estruturas que nos dão o fundamento para produção de tecidos de malha, seja em base linear ou circular, por peça dimensionada ou em peça tubular. Estas três estruturas, em ordem de simplicidade, são: Jersey, Rib e Ponto Reverso (LINKS). (AQUINO, 2008)[...]


//_CAP. 3//


AGENERO ANÁLISE DIACRÔNICA


AGENERO ANÁLISE SINCRÔNICA

MARCA DESCRIÇÃO

PANGEA Macacão

ANOTHER PLAC

Stretch

com

zíper e bolsos laterais

CORES TAMANHOS MATERIAL Na análise de similares foram estudadas 8 marcas diferentes localizadas no segmento

PREÇO

Macacão com zíper

e elástico nas b Preto

Azul Marinho P 75%

M

PP

G

Viscose

20%

P

M

-não especifica

Poliamida 5% Elastano R$350,00

R$119,00

agênero. Todas as marcas são brasileiras e foram incluídas no mercado recentemente. Foi observado que no geral ocorrem estilos ou mais minimalistas, com cores como preto, branco, cinza e bege ou com uma personalidade mais marcante, ou com tons mais fortes e modelagens mais exclusivas. Notou-se sobretudo modelagens mais retas; as peças mais comuns eram camisetas, regatas e jaquetas; fechamentos com elástico principalmente em bottoms; estampas somente localizadas – com exceção da Tricoma- e peças com cor única. Os tecidos eram bem variados, assim como os preços das peças.

MARCA DESCRIÇÃO

PANGEA Pantacourt com

abotoamen

pressão na ci

laterais

CORES TAMANHOS MATERIAL

100% poliés

PREÇO

R$126,00

Verde mili P

M


OCKSA

CE lateral

barras

ÜLEVUS

Vestido de modelagem am-

Macacão modelagem reta em

pla

tecido piquet e fechamento

com

mangas

tricas e gola alta.

com zíper invisível

Cinza

Verde

P

G

ado-

assimé-

M

G

P

G

56% viscose 44% poliéster

R$782,00

R$169,90

ANOTHER PLACE

ASTRO RUNNERS

ÜLEVUS

militar

Calça jogger modela-

Calça

nto

gem reta com elástico

bolsos frente e cos-

de

M

-não especificado-

intura e

bombacha

com

Calça pantacourt com elástico no cós

tas, cintura ajustá-

s

vel com cordão. Rosa, laranja e preta

itar G

ster

0

Bege P

M

G

-não especificadoR$400,00

P

Vermelha

M

50%algodão

G 50%poli-

P 60%

M

G

algodão,

25%

éster

viscose e 15% elastano

R$300,00

R$108,90


MARCA DESCRIÇÃO

PANGEA

Jaqueta Bomber em malha lurex Jaqueta modelagem

CORES TAMANHOS MATERIAL PREÇO

reta

TRICOMA

ANOTHER PLACE canguru

Tricô

com

fechamento modelagem reta e detalhe

dupla

face

com zíper

em zíper

laterias

Dourado envelhecido; branco

Preto e laranja/roxo

Laranja e Azul

P

M

G

P

M

com

modelagem ampla e bolsos

ÚNICO

G

50% poliéster 26% metálico

100%Poliamida

-não especificado-

20% viscose R$118,00

R$450,00

R$350,00

MARCA DESCRIÇÃO

ÜLEVUS

Kimono modelagem amp caimento leve

CORES TAMANHOS MATERIAL PREÇO

Preto ÚNICO

50% poliéster 26% m 20% viscose R$109,90


ANÁLISE SINCRÔNICA

ASTRO RUNNERS Moletom crewneck caramelo com

pla com

metálico

bordado

frontal

e

serigrafia traseira Bege P

M

G

GG

-não especificadoR$229,00

FCKT

OCKSA com

BEIRA

Blusa de modelagem ampla com

Colete

capuz,

bolsos

Chemise em tactel preto com

zíperes

cangurus, com mangas fake na

fechamento em botões e dois

nas laterais.

cintura para amarração

bolsos frontais

Marrom

Cinza mescla, branco, militar

Preto

nos

P

ombros

M

e

bolsos

G GG

P

M

G

PP

P

M

moletom

100% poliamida

R$630,00

R$219,00

R$965,00

G

-não especificado-


MALHARIA ANÁLISE DIACRÔNICA

A malharia retilínea consiste no entrelaçamentos dos fios, por meio de uma máquina, utilizando agulhas no sentido horizontal ou inclinado, com o fio da trama sendo transformado em malha. Os conhecimentos de malha, anteriores a utilização de máquinas, datam de 1000 a.C., nas escavações de Champollion no Egito, onde calças de malhas foram descobertas. Do ano 550 a.C., do Alto Egito, onde bonés feitos de malha foram encontrados em tumbas. Antes do século XVI, as peças de malha eram feitas manualmente. Foi em 1589 que William Lee inventou uma máquina de tricotar manual. Contendo 15 agulhas, a máquina era capaz de fazer 15 malhas ao mesmo tempo. Jedediah Strutt e Willian Woolatt aperfeiçoaram a máquina de tricotar manual acrescentando um dispositivo que formava uma malha dupla-face com um excelente caimento. Kosia Crane, no ano de 1769, junto com John e Sinckler Porter, patenteou um novo dispositivo


para máquina de William Lee. Esse aperfeiçoamento permitiu a introdução de ornamentos nas malhas. Além disso, o princípio do processo de malharia por urdume foi criado (tear de teias). As agulhas das máquinas de tricô eram de prensa e precisavam de um dispositivo manual para funcionar. Em 1847, Mattheu Towsend patenteou a agulha de lingueta, que possuía um dispositivo automático, tornando possível a criação de teares mais rápidos e simples. Paget, em 1857, aperfeiçoou a velocidade das máquinas, trabalhando 3 vezes mais rápidas que as outras. Por volta de 1863, o francês Buxtorf e o americano Lamb desenvolveram, simultaneamente, máquinas de funcionamentos semelhantes e que utilizavam a agulha de lingueta. William Cotton, em 1864, patenteou uma máquina aperfeiçoada. As mudanças úteis e criativas introduzidas por Cotton, contribuíram para que ele criasse a própria empresa.


MALHARIA ANÁLISE SINCRÔNICA


STREET WEAR ANÁLISE SINCRÔNICA

Este estilo foi criado por jovens urbanos que

estilo, mas somente com a ajuda do Japão e

queriam se diferenciar de seus pais.O surgi-

Itália ele pode espalhar ainda mais seu esti-

mento deste estilo tem duas vertentes; A de

lo.

Londres e a dos EUA. Em Londres o surgimento

Hoje em dia o streetwear tem muitas vertentes,

dos centros urbanos trouxe esse estilo com

por exemplo, os surfistas, skatistas, dançari-

os jovens burgueses que se inspiravam no rei

nos de street, rappers e cantores de hip hop e

Eduardo VI, com o uso de calças justas, casa-

consequentemente levou o surgimento de várias

cos acinturados e lapelas de veludo. Na clas-

marcas que seguem estes segmentos como por

se operária, ou como se auto intitularam “ Os

exemplo; Adidas originals, Vans e etc. Mesmo

Teddy Boys “, eles usavam casacos amplos com

com inúmeras vertentes existem peças chaves

muitos botões e calças jeans justas.

para o uso desse estilo que são: calças jeans,

Nos anos 80 nos EUA, um designer de pranchas

camisas, moletons, tênis de cano alto e bonés

resolveu transformar seus desenhos em camise-

de abas retas.

tas, seu nome era Shawn Stussy, com o sucesso ele pode viajar pelo mundo e espalhar o seu


PUBLICO ANÁLISE SINCRÔNICA

A moda agênero tendo sua “grande onda” aconte-

são pessoas no mínimo conectadas com a moda,

cendo na metade dos anos 2010 veio para ficar,

chegando na sua esfera política e, sendo as-

não sendo somente uma

sim, transgressoras. São pessoas que vão en-

tendência, seu bojo

carrega uma discussão que não é nada nova:

gajar nessa compra e vestir, além da roupa em

fazendo um recorte na história e citando o

si, toda a sua roupagem de valores. Baseado em

séc. XX, por exemplo, temos grandes impulsos e

uma enquete desenvolvida pelo grupo, entre os

buscas por essa vertente, expressas tanto nas

dias ( 27/03 e 28/03),

vestimentas andrógenas, unissex, entre outras.

em torno de 19 pessoas, temos um perfil:

Sendo assim, seu público não poderia ser diferente. Os consumidores da moda agênero, e não somente eles como também entusiastas,

e tendo entrevistado

Booklayoutpreviapaginareferencial  
Booklayoutpreviapaginareferencial  
Advertisement