Issuu on Google+


Se você é professor já deve ter ouvido comentários sobre a revolução que vem sendo provocada pela Internet no ensino e na aprendizagem. A despeito das promessas, a revolução ainda não se materializou. Em lugar disso, um novo conjunto de ferramentas, chamado Sistema de Gerenciamento de Cursos (LMS em inglês, e referido como SGC neste texto) pode ser usado para melhorar seus cursos, usando as vantagens da Internet sem dispensar a necessidade do professor.

SGCs são aplicações Internet/Intranet, rodam em um servidor e são acessadas por um 1 navegador web . O servidor está, normalmente, localizado em um departamento ou centro de processamento de uma Universidade, mas pode estar localizado em qualquer lugar do mundo. O professor e os alunos podem acessar o sistema de qualquer lugar onde haja um computador, conexão com a Internet e um navegador web. Em termos simples, um SGC fornece ao professor ferramentas para que ele crie um curso baseado em um sítio web, com controle de acesso de forma tal que somente os alunos do curso podem ter acesso ao mesmo. Além do controle de acesso, os SGCs oferecem uma variedade de ferramentas que podem aumentar a eficácia de um curso. Pode-se, facilmente, compartilhar materiais de estudo, manter discussões ao vivo, aplicar testes de avaliação e pesquisas de opinião, coletar e revisar tarefas e registrar notas. Vamos olhar cada uma dessas ferramentas e como elas podem ser úteis.

A maioria dos SGCs fornece ferramentas para publicar, com facilidade, textos e outros materiais de estudo. Em lugar de usar um editor HTML2 e, então, enviar o texto para um servidor Internet, usa-se um formulário para publicar conteúdos. Muitos professores costumam publicar em um sítio Internet todo o material de produzem e que pode ser útil para os seus alunos.

3

Fóruns e Salas de Bate-papo fornecem meios de comunicação entre o professor e os alunos fora da sala de aulas. Os fóruns permitem mais tempo para reflexão antes que a participação aconteça e permitem uma discussão reflexiva por um período longo de tempo. As salas de bate-papo, por outro lado, fornecem uma forma de comunicação rápida e instantânea com professores, tutores e alunos. Podem ser usados para uma discussão aberta, com tema livre, ou até mesmo para uma aula virtual. Sabe-se de um professor que, impedido de falar por motivos médicos, conduz seu curso usando salas de bate-papo para se comunicar com os alunos. Um outro uso comum é aquele feito por grupos de alunos que devem produzir um trabalho e usam o bate-papo online para se organizar e discutir detalhes do trabalho . 1 Microsoft Internet Explorer, Mozilla, Firefox, etc. 2 Hiper Text Markup Language 3 Chats, em inglês.


Testes online e pesquisas de opinião podem ser corrigidos instantaneamente. São uma grande ferramenta para permitir que os alunos tenham uma rápida auto-avaliação e informação sobre seu desempenho no curso. É comum, hoje, que editoras e autores de livros texto coloquem questionários sobre os capítulos de seus livros em sítios Internet. Um professor, conduzindo um curso sobre propaganda na Universidade de São Francisco (EUA), usa mini-testes para manter os alunos ligados ao curso e vericando a eficácia de seus estudos. Os testes aplicados valem-se de um banco de questões produzido pelo professor. A prova final é um teste com questões retiradas de todo o banco, de maneira aleatória.

Coletar, corrigir e revisar tarefas (divulgando os resultados da correção com comentários) é um trabalho cansativo e maçante. Tarefas online são uma forma fácil de coletar e corrigir trabalhos dos alunos e atribuir e divulgar as notas. Além disso, pesquisas indicam que o uso de ambientes online com participação anônima, para que os alunos atribuam notas a trabalhos feitos por seus colegas, aumenta a motivação e o desempenho.

Um quadro de notas online permite que os alunos tenham informações sempre atualizadas sobre seu desempenho em um curso. Notas online também facilitam cumprir a determinação de algumas instituições de ensino de que não tornem públicas as avaliações dos alunos. Os quadros de notas de SGCs permitem, em geral, que os alunos consultem apenas as próprias notas. É possível, ainda, baixar o quadro de notas para o computador do professor para processamentos mais elaborados4. Embora seja possível encontrar (ou desenvolver) programas que façam este trabalho, um SGC tem essas ferramentas integradas em um mesmo ambiente. Nos últimos cinco anos, os SGCs experimentaram um crescimento e amadurecimento rápidos e são, hoje, considerados essenciais em muitas universidades e faculdades.

Boa pergunta. Anal, aulas têm sido ministradas por milhares de anos sem o uso de computadores ou da Internet. Giz e conversa são ainda as ferramentas dominantes no processo educacional. Embora o formato tradicional, presencial, possa ainda ser eficaz, o uso das ferramentas acima listadas abre novas possibilidades de aprendizagem que não eram imagináveis até poucos anos atrás. No momento, uma grande quantidade de pesquisa ainda é feita sobre como combinar aprendizagem presencial com os chamados cursos híbridos. Cursos híbridos combinam o melhor dos dois mundos. Imagine transferir a maior parte do material didático de seu curso para um ambiente online e aproveitar seu tempo em aula para discussões, questões e resolução de problemas. Muitos professores já descobriram que eles podem economizar tempo e melhorar a aprendizagem de seus alunos comportando-se dessa maneira. Isto permite que os alunos usem os encontros presenciais para a solução de problemas. As discussões online permitem que muitos alunos

4 Distribuição normal de Gauss, por exemplo.


se expressem em formas que eles não conseguiriam em aulas regulares. Muitos deles relutam em falar em aula por motivos variados: timidez, insegurança ou mesmo limitações de linguagem. A possibilidade de elaborar questões online é, muitas vezes, de grande importância para alguns alunos. Muitos professores relatam um aumento signicativo na participação quando se introduz o ambiente online. Há um outro número de razões para se pensar na utilização de ambientes SGC em seus cursos: Demanda dos alunos: Os alunos (especialmente os de curso superior) têm, hoje, um grau de inclusão digital muito maior. Tendo crescido com sistemas de comunicação5 eles se sentem à vontade em um SGC; Horário dos alunos: Aumenta cada vez mais o número de alunos que trabalha. Em alguns países, a média semanal de trabalho dos alunos de cursos superiores chega a 20 horas. Com ambientes online os alunos podem adequar seus horários de trabalho às atividades de um curso; Cursos melhores: Se bem usado, um SGC pode tornar suas aulas mais eficazes e melhores. Movendo parte de seu curso para o ambiente online é possível aproveitar os encontros presenciais para envolver os alunos em questões básicas do curso e convidá-los a refletir sobre temas correlatos. O professor pode, também, aproveitar o tempo discorrendo sobre temas que sempre desejou abordar e sempre foi impedido pelo fato de ter que cumprir o programa. Você provavelmente ouviu os argumentos até aqui apresentados durante a última década do século XX. Então, o que mudou? Hoje, os SGCs estão melhor estruturados, mais maduros e fáceis de usar do que foram há poucos anos atrás. A tecnologia subjacente tornou-se melhor e mais estável. Há pouco tempo, muitos sistemas eram projetados para uso pessoal ou para uso de um grupo específico de pessoas e eram comercializados na forma original, mostrando-se pouco flexíveis. Dois dos sistemas mais conhecidos (Blackboard e WebCT) começaram como projetos para pequenas faculdades e se tornaram líderes do mercado. Entretanto, liderar o mercado não significa ser o melhor ou mais bem projetado. De fato, os líderes de mercado têm tido dificuldades para manter seu crescimento e argumenta-se inclusive que o esforço para manter essa liderança tem prejudicado a qualidade final do produto.

Muitos administradores de ambientes de aprendizagem têm declarado sua adesão ao Moodle principalmente em virtude de ser ele um sistema aberto, baseado em uma forte filosofia educacional, com uma comunidade de usuários crescente dia a dia que contribui para o desenvolvimento e apoio a novos usuários. Analisa-se, a seguir, algumas das vantagens do SGC Moodle.

A expressão fonte aberta tornou-se um termo restrito a um certo círculo de pessoas. Para aqueles que não estão acostumados com a linguagem técnica é difícil entender como essa idéia estranha e poderosa mudou para sempre o mundo de desenvolvimento de softwares. A idéia em si é bastante simples: fonte aberta signica que os usuários têm acesso ao código fonte do software. Pode-se examinar (alterar, ampliar, modicar) o programa ou mesmo usar partes dele para aplicações de interesse pessoal. 5 (MSN) e Internet, por exemplo.


E por que isso é importante? Primeiro, softwares de fonte aberta adotam valores acadêmicos de liberdade, avaliação pelos pares e compartilhamento do conhecimento. Qualquer pessoa pode baixar o Moodle gratuitamente, modicar ou acrescentar módulos, corrigir erros, melhorar seu desempenho ou simplesmente aprender observando como outras pessoas usam o ambiente e resolvem problemas. Em segundo lugar, ao contrário dos sistemas proprietários6 o Moodle pode ser instalado sem nenhum custo (em quantos servidores você desejar). Ninguém poderá retirá-lo de você, aumentar os custos de manutenção ou fazê-lo pagar por atualizações. Ninguém pode força-lo a fazer atualizações, comprar ferramentas que você não deseja ou determinar quantos usuários você pode ter.

7

O criador do Moodle, Martin Dougiamas, tem formação em educação . Isto o conduziu a adotar o Construcionismo Social como a estrutura pedagógica em que está baseado o ambiente. Isto é inovador uma vez que os ambientes de gerenciamento de cursos são, em geral, construídos em torno de ferramentas computacionais. Pode-se armar que os sistemas de gerenciamento comerciais são voltados para ferramentas enquanto que o Moodle é voltado para aprendizagem. O Construcionismo Social baseia-se na idéia de que pessoas aprendem melhor quando engajadas em um processo social de construção do conhecimento pelo ato de construir alguma coisa para outros. Este é um conceito um tanto sintético que pode ser melhor detalhado. O termo processo social sugere que a aprendizagem é alguma coisa que se faz em grupos. Deste ponto de vista, aprendizagem é um processo de negociação de significados em uma cultura de símbolos e artefatos compartilhados. O processo de negociação de significados e utilização de recursos compartilhados é o processo de construção do conhecimento. Nós não somos um quadro branco quando entramos no processo de aprendizagem. Nós precisamos testar nossos novos conhecimentos comparando-os com velhas crenças e incorporando-os em nossas estruturas de conhecimento já existentes. Parte do processo de teste e negociação envolve a criação de artefatos e símbolos para que outros interajam com eles. E como isto tem relação com o ambiente Moodle? A primeira indicação está na interface. Enquanto SGCs centrados em ferramentas fornecem uma lista de ferramentas como sendo a interface, o ambiente Moodle coloca as ferramentas em uma interface que faz da aprendizagem a tarefa central. Pode-se estruturar um curso no ambiente Moodle nos formatos semanal, tópicos ou social. Além disso, enquanto outros SGCs se estruturam em um modelo de conteúdo que encoraja os professores a carregar uma infinidade de conteúdos estáticos, o ambiente Moodle enfoca o trabalho em ferramentas para discussão e compartilhamento de experiências. Assim, a ênfase está não em distribuir informação mas em compartilhar idéias e engajar os alunos na construção do conhecimento. A filosoa de projeto do Moodle torna-o um pacote amigável para professores e representa a primeira geração de ferramentas educacionais realmente úteis.

O Moodle tem uma comunidade de usuários grande e com grande participação na manutenção da distribuição, sugerindo sempre modificações, novas habilidades e reportando eventuais defeitos. Pode-se acessar a comunidade em http://www.moodle.org (em inglês) e no ambiente de discussão Moodle Brasileiro (no mesmo endereço internet) em português. No momento em que este texto está sendo produzido há 5000 pessoas contribuindo, 3000 sítios Moodle registrados em 112 países. O Moodle é distribuído em 60 línguas. 6 Fonte fechada, caros e com necessidade de contrato de manutenção. 7 Graduação em informática, Mestrado e Doutorado em Pedagogia.


A comunidade Moodle tem sido indispensável para o sucesso do sistema. Com tantos usuários em todo o mundo sempre há alguém que pode responder a perguntas e dar conselhos. Ao mesmo tempo, os desenvolvedores e usuários do Moodle trabalham juntos para garantir qualidade, adicionar novos módulos e ferramentas e sugerir novas idéias de desenvolvimento do ambiente. Martin Dougiamas e sua equipe são responsáveis pela decisão de aceitar ou não as sugestões dos colaboradores. Em virtude do fato do ambiente ser de fonte aberta muitas pessoas desenvolvem novos módulos e os submetem à apreciação dos desenvolvedores e da comunidade. Isto funciona como um grande departamento de desenvolvimento e controle de qualidade. Essas três vantagens fonte aberta, Construcionismo Social e comunidade de desenvolvimento - fazem do Moodle um espaço de aprendizagem único no mundo.

O Moodle também tem bom desempenho quando se compara suas ferramentas com outros ambientes comerciais. Fez-se uma pesquisa comparativa com os ambientes Blackboard eWebCT. Moodle é o único sistema de fonte aberta atualmente disponível que pode competir com os grandes sistemas comerciais. A Tabela 1 apresenta comparações de habilidades dos três ambientes.

Ferramenta Compartilhar documentos Conteúdo online em html Discussões online Notas para participação Chat online Avaliação entre colegas Questionários online Quadro de notas Envio de documentos Grupos de trabalho Lições com roteiro Diários Glossário online

Blackboard

WebCT

Moodle

S N S N S N S S S S S N N

S S S S S N S S S S S N N

S S S S S S S S S S S S S

Pode-se observar que o Moodle tem todas as habilidades principais dos sistemas comerciais e algumas que eles não têm. No restante deste texto vai-se discutir como usar cada uma dessas ferramentas no ambiente Moodle para melhorar seu trabalho de ensino e colocar à disposição de seus alunos um poderoso ambiente de aprendizagem.


O sistema de aulas semipresenciais utilizado pela Faculdade Maurício de Nassau em algumas disciplinas que são ministradas pelos gerentes de cursos e docentes fundamenta-se na Portaria MEC n. 4.059, de 10/12/04. A referida portaria permite que as IES do sistema federal de ensino (mantidas pela União ou pela iniciativa privada) introduzam, “na organização pedagógica e curricular de seus cursos superiores reconhecidos, a oferta de disciplinas que, em seu todo ou em parte, utilizem método não presencial, com base no art. 81 da Lei nº 9.394, de 1.996”. Nosso contrato educacional com os alunos prevê que a utilização de recursos didáticos, locais de aulas e metodologias é de competência da IES. Nosso objetivo ao investirmos no ensino a distância semipresencial é: Atender as necessidades do mercado profissional, no qual nosso aluno será inserido n com o uso de novas tecnologias; Oferecer aos alunos ferramentas para que eles possam ter as “competências” e n “habilidades” que as diretrizes curriculares do MEC estabelecem; Diversificar o processo de ensino e aprendizagem na nossa faculdade; n Permitir aos alunos o conhecimento da metodologia de EAD; n Possibilitar o desenvolvimento da autonomia e organização dos mesmos. n A introdução da modalidade semipresencial no ensino superior é extremamente salutar, oxigenando as metodologias de ensino e tornando mais atraente o processo de aprendizagem. Diversas estratégias utilizadas no EAD podem ser adotadas, como os fóruns de debate, chats, enquetes, avaliações. Em um segundo momento, ofereceremos as “dependências” pelo mesmo sistema, facilitando a vida dos alunos trabalhadores que em diversos momentos não possuem condições de cursar as disciplinas (reprovadas) no turno posterior ao seu.

Legislação - Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996 Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional - LDB - Resolução CNE/CES, n. 1, de 3 de abril de 2001 Normas para o funcionamento de cursos de pós-graduação


- Portaria n. 4.059, de 10 de dezembro de 2004 Inclusão de 20% da c.h. do curso como semi-presencial - Portaria n. 4.361, de 29 de dezembro de 2004 Credenciamento de instituições de educação superior - Decreto n. 5.622, de 19 de dezembro de 2005 Regulamenta o art. 80 da LDB - Portaria Normativa n. 2, de 10 de janeiro de 2007 Procedimentos de regulação e avaliação de EAD


Moodle (acrônimo de Modular Object-Oriented Dynamic Learning) é um software livre, para produzir e gerenciar atividades educacionais baseadas na Internet e/ou em redes locais. É um projeto de desenvolvimento contínuo projetado para apoiar o social-construtivismo educacional. Tecnicamente, o Moodle é um software de Open Source, o que significa é livre para carregar, usar, modificar e até mesmo distribuir (sob a condição do GNU). O Moodle funciona sem modificação em Unix, Linux, Windows, Mac OS X, Netware e em qualquer outro sistema que suporte a linguagem PHP, podendo, portanto ser incluído na maioria dos provedores de hospedagem. Os dados são armazenados em um único banco de dados: Funcionam mais eficientemente com MySQL e PostgreSQL, mas também pode ser usado com Oracle, Access, Interbase, ODBC e outros. Site http://moodle.org Aqui está uma breve descrição de alguns procedimentos para uma instalação Moodle: 1 - Baixar o pacote de instalação do Moodle do site http://download.moodle.org/ estou utilizando a Versão 1.8 com PHP 5.2.3 e MySQL 5.0. OBS: utilizado Moodle versão 1.8, versão atualizada em 2007.2. 2 - Antes de instalar o Moodle você precisa ter o PHP e um banco de dados instalados e ativos para transformar seu computador num servidor web ativo. OBS: A instalação do Moodle 1.8 só é possível com php superior ao 5.2. 3 - Instalação correta do PHP: Instalação feita manualmente é obrigatório para diminuir pequenos futuros erros (bugs). OBS: Configurar o php.ini corretamente com todas a bibliotecas necessárias. 4 - SGBD: O banco de dados que recomendo é o MySQL. OBS: Instalação do MySQL versão acima do 4.1. A partir daqui a instalação é praticamente automática é realizada através de algum browser, onde o pacote que foi baixado tem um sistema de install.php onde através desse arquivo será gerado a instalação do Moodle. 5 - Restrições do Servidor: Restrições no Banco permissão chmod (777). Liberação da


pasta moodle e moodledata permissão chmod (777) em ambas. OBS: Fazer um backup dos arquivos do moodle que estão no servidor freqüentemente. O ideal é ter um suporte para a plataforma moodle 24horas.

6- Verificação de segurança: O PHP ele muito vulnerável. OBS: Desenvolvimento e implementação de métodos de segurança para a plataforma moodle.


Alguns dos módulos do Moodle requerem controles para contínua executar tarefas. O script que faz tudo isso está localizado no diretório administrador, e é chamado cron.php. No entanto, ele não pode ser executado em si, por isso é necessário criar um mecanismo em que este script é executado regularmente (por exemplo, a cada cinco ou dez minutos). Isto proporciona um "coração", a fim de que o script pode desempenhar funções em períodos definidos por cada módulo. Este tipo de mecanismo é conhecido como reguladores de serviço cron. O cron.php o script olha através de todos os diretórios módulo de função módulo - name_cron em lib.php arquivos e executá-las. Estes arquivos podem conter limpeza funções, funções email ou qualquer coisa que precisa ser executado em uma base regular. Por exemplo, cron irá acionar o sistema de criação de backups dos cursos no prazo especificado na administração configurações. Ela também aciona qualquer fórum emails ou mensagens módulo notificações, mas nem todas as funções são chamados de cada vez que o cron roda. Algumas funções, tais como unenrolling estudantes que não tenham registrado ou apagar antigas cópias dos arquivos de registro, só são executados ocasionalmente. O cron.php arquivo tem uma seção que irá aleatoriamente chamar estas tarefas fundamentais aproximadamente 1 em 5 vezes o cron roda. Note que a máquina executando o cron não precisa ser a mesma máquina que está rodando Moodle. Por exemplo, se você tiver um pequeno serviço de hospedagem de site que não tem um cron serviço, então você pode optar por executar cron em outro servidor ou computador em sua casa. Tudo o que importa é que o cron.php arquivo é chamado regularmente. A carga desse script não é muito elevada, assim que 5 minutos normalmente é razoável, mas se você está preocupado com isso você pode reduzir o período de tempo para algo como 15 minutos ou até 30 minutos. É melhor não fazer o período de tempo muito longo, como retardamento enviar “pode abrandar atividade dentro do curso. Lembre-se de que enviar” também esperar o tempo da edição de expirar antes de ser colocado em fila para envio. Primeiro teste o script que funciona por executá-lo diretamente do seu navegador: http://example.com/moodle/admin/cron.php Se cron é chamado na linha de comando por qualquer usuário conectado na sua Moodle vai criar um administrador temporário ambiente, a fim de executar e, em seguida, o usuário acessar fora. Você pode desabilitar comando funcionamento do cron pela desativação seção apropriada no arquivo cron.php.


Cadastramento de usuário no sistema Moodle: Para o cadastramento o administrador precisar ter nível de permissão para cadastrar usuário. Tendo essa permissão. 1º Passo: Acesse a página principal do sistema procure a janela Administração do Site logo em seguida click no link Users.

2º passo: Há dois caminhos para cadastrar usuários: 1 - Click no link Contas depois em Browser List Of Users que vai gera uma página onde haverá um link chamado ACRESCENTAR NOVO USUÁRIO. 2 - Click no link Contas depois em Acrescentar novo usuário. Tanto um quanto o outro o levará para o 3º Passo.

3º Passo Será gerada uma nova página onde você deve cadastrar os novos usuários. Nessa página preencha os campos obrigatórios e os avançados se necessário. Os campos obrigatórios são: Login; n Nova senha; n Nome; n Sobrenome; n Endereço de Email; n Cidade/município; n Selecione um país; n Após o preenchimento click no link Atualiza Perfil.


Gerenciando o Moodle O site é gerenciado por um “administrador”, definido durante o setup inicial. O layout geral pode ser facilmente alterado a partir de temas préconfigurados, com fontes, cores e padrões que podem ser modificados facilmente e adaptado às necessidades de cada organização. Módulos e Plug-ins podem ser adicionados a partir da instalação inicial do Moodle. Pacote para linguagem português-Brasil disponível, além de mais 40 outros idiomas, se necessário. Caso necessário, o código fonte do programa pode ser alterado para adaptarse às necessidades, por tratar-se de código aberto (software livre - GPL license).

Administrando Contas de Usuários Moodle O objetivo é minimizar a necessidade de envolvimento do administrador apenas ao necessário. Suporta uma gama de mecanismos de autenticação por módulos plug-ins de autenticação, permitindo fácil integração com sistemas já existentes na organização. Método de postagem de e-mail padrão: os usuários podem criar suas próprias contas de login. Os endereços são validados por confirmação. Database externo para autenticação: qualquer database contendo pelo menos dois campos pode ser usado como fonte externa de autenticação. LDAP method: contas de login podem ser checadas via um servidor LDAP. O administrador pode especificar que campos usar. IMAP, POP3, NNTP: contas de login são checadas em servidor de email ou news. SSL, certificados e TLS são também suportados. Dados externos: qualquer base contendo ao menos dois campos pode ser usada como fonte para autenticação externa. Cada pessoa necessita de apenas uma conta, e com ela pode ter diferentes acessos. Uma conta de administrador controla a criação de cursos e cria instrutores


relacionando usuários a cursos. Cada conta do tipo criação de cursos pode criar cursos e agir neles com papel de instrutoria. Os professores podem ter seus privilégios editados de forma que não possam editar/excluir conteúdos de cursos (útil para instrutores não fixos) Segurança: professores podem gerar “chaves de acesso” aos cursos, de forma a não permitir que não alunos acessem suas aulas. Eles podem passar essas chaves de acesso por e-mail. Professores podem inscrever e excluir alunos manualmente, se desejarem. Alunos podem ser excluídos automaticamente, caso ultrapassem período de inatividade definido pelo administrador. Alunos são estimulados a criar um perfil online, incluindo fotos, descrição, hobbies, etc. E-mails podem ser protegidos de exibição caso solicitado. Cada aluno pode escolher a linguagem que prefere usar (inglês, francês, português, espanhol, etc.). O professor também pode "forçar" uma linguagem para um curso específico.

Administrando Cursos no Moodle Um professor pode ter pleno controle sobre todas as configurações de um curso, incluindo restrição a outros professores. Na criação do curso, podem ser escolhidos três formatos de andamento: Curso controlado por semana – o curso é organizado por semana, com datas específicas de início e fim. Cada semana engloba determinadas atividades. Curso controlado por tópicos de estudo – similar ao semanal, mas cada “semana” passa a ser um tópico, sem limite de tempo vinculado. Curso aberto, focado em discussões entre os participantes – este formato é orientado por um fórum principal, o Fórum Social, que aparece listado na página principal. É aplicável para conteúdos ou situações que exigem um formato mais livre, aberto, e não necessariamente precisam ser cursos, mas espaços para debates, fechamento de idéias, etc. Como os demais, podem ser agregadas várias funcionalidades, como chats, boletins, enquetes, pesquisas, workshops, etc. Últimas alterações dos cursos aparecem na página principal de login dos usuários. As interações (Fóruns, Boletins, Quizzes, Enquetes e Tarefas) podem ser visualizadas num painel único na página principal, ou podem ser “baixadas” como


um arquivo de grade de tarefas. Relatórios completos de atividades por aluno – com logins e percursos de navegação efetuados (últimos acessos, número de leituras, postagens em fóruns e controle das diversas atividades). Integração via e-mail - cópias de postagens aos fóruns, feedback dos professores, etc. Escalas de desempenho customizáveis – os professores podem definir suas próprias escalas para graduação em fóruns, por exemplo. Cursos podem ser compactados em um único arquivo zip, utilizando a função backup. Podem ser restaurados em qualquer ambiente moodle, em qualquer servidor.

Visão Geral do Moodle Moodle é uma ferramenta de gestão de cursos a distância. É um software desenhado para ajudar educadores a criar, com facilidade, cursos online de qualidade. Ferramentas como o Moodle também podem ser chamadas de LMS (Learning Management Systems, que significa Sistemas de Gerenciamento de Aprendizagem) ou ambientes virtuais de aprendizagem. Aqui algumas das funcionalidades que irão interessar ao administrador do sistema: Moodle roda em Unix, Linux, Windows, Mac OS X, Netware e qualquer outro sistema que suporte PHP. Moodle é desenhado de forma modular, e permite uma grande flexibilidade para adicionar, configurar ou remover funcionalidades, em vários níveis. Moodle permite upgrade simplificado de uma versão para outra mais recente: possui uma sistemática interna que permite fazer atualização de suas bases de dados e reparar-se automaticamente. Moodle requer apenas um banco de dados (que pode ser compartilhado com outras aplicações, se necessário). Moodle suporta uma variedade de banco de dados. Ênfase na integridade dos dados: os formulários são sempre checados, datas validadas, cookies criptografados, etc. Outras funcionalidades que interessarão aos educadores: Moodle promove uma interação sócio-construtivista, que inclui colaboração, reflexão crítica, permitindo máxima interação e integração entre a comunidade virtual.


Moodle pode ser aplicado como opção totalmente virtual ou como complemento/suporte a turmas presenciais. Moodle tem uma interface clara, limpa e simples, compatível com qualquer browser, sem maiores exigências de tecnologia. Lista de cursos mostra descrição sumária dos cursos disponíveis, informando, inclusive, se estão disponíveis para acesso de visitantes. Os cursos podem ser enquadrados em categorias. Um site Moodle pode comportar e fazer busca a centenas de cursos. Áreas para entradas de textos (pesquisas, postagem para fórum, entradas diversas de textos) permitem edição (negrito, imagens, sublinhados, etc.) de forma fácil, usando uma interface html bem simples (WYSIWYG HTML), acessível a qualquer usuário.


O Moodle disponibiliza vario tipos de Tarefas. Aqui estão três tipos de tarefas que podem ser usada na plataforma Moodle. Tarefa com envio de arquivo: Este tipo de tarefa requer do aluno o envio de um arquivo (exemplo: arquivo de texto, arquivo zipado, planilha, etc). A partir do arquivo, o professor avalia e escreve um feedback, atribuindo nota para o aluno. Quando o feedback é gravado, o aluno recebe uma mensagem para que possa ver sua avaliação da tarefa no ambiente. Ao cadastrar uma tarefa, o professor pode configurar uma data máxima de envio. A data de envio e o eventual atraso podem ser vistos facilmente pelo professor no momento de dar o feedback. O professor pode ver as tarefas enviadas pelos seus alunos acessando a tarefa e clicando no link na lateral superior direita ("Ver tarefas enviadas").

Um Diário: O diário tem como objetivo promover uma reflexão orientada por um moderador. O professor pede ao estudante que reflita sobre um certo assunto e o estudante anota as suas reflexões progressivamente, aperfeiçoando a resposta. Esta resposta é pessoal e não pode ser vista pelos outros participantes. O professor pode adicionar comentários de feedback e avaliações a cada anotação no Diário. Esta deve ser uma atividade constante - uma atividade deste tipo por semana, por exemplo.

Texto offline: Este tipo de tarefa é útil para atividades que não serão realizadas online ou enviada como arquivo à plataforma. São tarefas entregues ou realizadas na sala de aula, via fax, em reuniões, em participação em palestras, etc. Os estudantes podem consultar os resultados da avaliação e os comentários de feedback online. Ao cadastrar uma tarefa, o professor pode configurar uma data máxima de realização. A data de realização e o eventual atraso podem ser vistos facilmente pelo professor no momento de dar o feedback. O professor pode ver as tarefas acessando-as e clicando no link na lateral superior direita ("Ver avaliação e feedback").


O moodle permiti que você faça uma avaliação do curso, envolvendo Tutores, professores, monitores e gestores. Este módulo de pesquisa disponibiliza um número de instrumentos de pesquisa já verificados e considerados úteis para estimular o processo de aprendizagem em ambientes de EAD. Os professores podem utilizar este recurso para recolher dados de seus alunos que poderão ajudar a aprender sobre sua interação com a turma e sobre o processo de ensino-aprendizagem. Aqui estão algumas perguntas interessantes para a avaliação: Como participante, em que momento você esteve mais envolvido? n Como participante, em que momento você esteve menos envolvido? n Qual das ações de outros participantes nos fóruns você achou mais elucidante ou n útil? Qual das ações de outros participantes nos fóruns você achou mais n desconcertante ou confusa? n Qual evento foi mais surpreendente?

Pode, ser feitas perguntas sobre seu tutor e sobre o ambiente de estudo.

Construtivismo em EAD O módulo de Avaliação disponibiliza alguns métodos de pesquisa que podem ser úteis para estimular o processo de aprendizagem em ambientes de EAD. Os professores podem utilizar este recurso para recolher dados de seus alunos que poderão ajudar a aprender sobre sua interação com a turma e sobre o processo de ensino-aprendizagem. O propósito desta avaliação é ajudar a entender o quanto o conteúdo disponibilizado contribuiu para o aprendizado do aluno. Cada uma das afirmações abaixo é um questionamento sobre sua experiência com esta unidade.


Não há respostas "certas" ou "erradas". Estamos interessados apenas em sua opinião. Por favor, responda com sinceridade. Suas respostas serão mantidas em sigilo e não afetam sua avaliação final. Sua contribuição será de grande valia para a melhoria dos cursos em EAD.


Gera relatórios geral da plataforma Moodle: Para o cadastramento o usuário precisar ter nível de permissão para utilizar a parte de Administração do site. Tendo essa permissão. 1º Passo: Acessar a página principal do sistema, em seguida localizar a janela Administração do Site logo em seguida click no link Relatórios; 2º Passo: Click no link Logs, que o levará para uma página onde você pode optar em escolher: n O curso; n O curso; n Os usuários; n A data; n As atividades; n As ações.

3º Passo: Você escolhe o tipo de arquivo que você quer visualizar ou salvar e clica no botão Obter Estes Logs. Assim gerando o relatório da forma que você está precisando.

Relatório por Curso: 1º Passo: Acesse o curso o qual você deseja obter o relatório, estando no curso procure a janela Administração. 2º Passo: Em seguida click no link Relatórios, que o levará para a uma página de relatórios.


3º Passo: Escolha os dados que você quer ver: Curso; n Grupo; n Participantes; n Data n Atividades; n Ações; n OBS: O sistema ainda disponibiliza três tipos de links diretos. O primeiro é o Logs da Última Hora onde você observa tudo o que aconteceu na última hora do sistema. O segundo é um relatório de Atividades, é um relatório parcial das últimas dez semanas realizada com base nas atividades. O terceiro é o de estatísticas no fim da página onde você pode gera um gráfico referente ao curso que você escolheu. 4º Passo: Você escolhe o tipo de arquivo que você quer visualizar ou salvar e clica no botão Obter Estes Logs.


O termo e-Learning é fruto de uma combinação ocorrida entre o ensino com auxílio da tecnologia e a educação à distância. Ambas modalidades convergiram para a educação on-line e para o treinamento baseado em Web, que ao final resultou no eLearning.

LMS (Learning Management System) Sistema de gestão da aprendizagem online por vezes também designado por virtual Learning Environment ou VLE.

Moodle (acrônimo de Modular Object-Oriented Dynamic Learning) é um software livre, de apoio à aprendizagem, executado num ambiente virtual. Podemos dizer também que o Moodle é um Learning Management System, ou seja, um Sistema de Gestão de Aprendizagem em trabalho colaborativo. Foi criado em 2001 pelo educador e cientista computacional Martin Dougiamas. É gratuito (ver licença GNU-GPL). Pode ser instalado em diversos ambientes (Unix, Linux, Windows, etc.) desde que os mesmos consigam executar a linguagem PHP. Como base de dados pode ser utilizada desde o MySQL até o Oracle. Principais características n Fóruns n Gestão de conteúdo (Recursos) Questionários e pesquisas com diversos formatos n Blogs n Wikis n Geração e gestão de databases n Sondagens n Chat n Glossários n Peer assessment n Suporte multi-idioma (mais de 60 idiomas são suportados pela interface atual). n

Assim, o nome Moodle aplica-se tanto à forma como foi feito, como a uma sugestiva maneira pela qual um estudante ou um professor poderia integrar-se estudando ou ensinando num curso on-line. http://moodle.org Esse software tem uma proposta bastante diferenciada: “aprender em colaboração” no ambiente on-line, baseando-se na pedagogia sócio construtivista, a qual, como nos explica Martin Dougiamas — que desenvolveu o projeto e o lidera até hoje —, “não só trata a aprendizagem como uma atividade social, mas focaliza a atenção na aprendizagem que acontece enquanto construímos ativamente artefatos


(como textos, por exemplo), para que outros vejam ou utilizem”. Os cursos no Moodle podem ser configurados em três formatos, escolhidos de acordo com a atividade educacional a ser desenvolvida. São eles: Formato Social, onde o tema é articulado em torno de um fórum publicado na página principal; Formato Semanal, no qual o curso é organizado em semanas, com datas de início e fim; Formato em Tópicos, onde cada assunto a ser discutido representa um tópico que não tem limite de tempo pré-definido.

Os recursos para desenvolvimento de atividades são os seguintes: Matérias n Avaliação do Curso n Chat n Diálogo n Diário n Fórum n Glossário n Lição n Pesquisa de Opinião n Questionário n Scorm n Tarefa n Trabalho de Revisão n Wiki n


www.mauriciodenassau.edu.br


Manual do Ambiente Virtual de Estudos Dirigidos