Page 111

Quando minha mente voltou para o Olimpo, eu fiquei consciente de duas coisas: primeiro, eu estava chorando. E segundo, Henry estava ao meu lado, com os olhos presos nos meus. — Você está bem? — Ele passou o polegar na minha bochecha, pegando uma lágrima perdida. A vontade de contar tudo a ele tomou conta de mim, tornando difícil respirar, mas eu não podia. Isto era por Milo. Se um de nós tinha que fazer isso, eu era a melhor escolha. Cronus já havia dado a Calliope um ultimato para não me machucar ou Milo; Henry não teria a mesma segurança, e ele era muito importante, muito poderoso, muito necessário para se sacrificar. Gostaria de encontrar uma maneira de voltar o mais rápido que pudesse. Talvez se eu pudesse aprender a viajar corretamente, eu seria capaz de levar Milo e escapar. Não era muito, mas era alguma coisa, e eu não poderia ter Henry arriscando-se nesse meio tempo. — Eu te amo tanto, — eu disse, fechando a distância entre nós e me envolvendo em torno dele. — Não importa o que aconteça, não importa como essa guerra acabe - Eu te amo, para sempre e sempre. Henry ficou em silêncio por um longo momento, e eu contava os segundos, levando conforto em cada respiração que ele tomou. Por fim, ele baixou os lábios nos meus, beijando-me com dolorosa ternura. — Você é minha vida. — Apesar de suas palavras serem quase um sussurro, pareciam ecoar de algum lugar dentro dele, envolvendo meu corpo e me infundindo com algo inabalável. — Não há nada que eu não faria para fazer você feliz. Antes de conhecer você, meu mundo era uma sequência de dias que eram cinza e vazios. Eu não tinha nada para olhar para frente, e eu não posso te dizer o que era encarar a eternidade sozinho. Todos os dias eu te desejei. Todos os dias eu me agarrei a esperança de que, eventualmente, iriamos nos encontrar. E quando eu finalmente te encontrei... Ele se inclinou e me beijou de novo, tão ternamente como antes. Sua mão deslizou por baixo da minha camisa, espalhando em meu estômago, mas o toque não era sexual. Era como se ele estivesse tentando me memorizar, quando eu estava tentando memorizar ele. — Eu existo há mais eras do que eu me lembro. Eu vi o sol nascer e cair tantas vezes que os dias perderam todo o significado. Por muito tempo, eles passaram por mim como um borrão. Mas, naquela noite em que nos conhecemos no rio – a noite que você desistiu de si mesma, a fim de salvar um estranho - meu coração começou a bater de novo. Ele pegou minha mão e apertou-a contra o peito, e lá estava - thump thump, thump thump, forte e bonito. Eu teria dado qualquer coisa para manter seu coração batendo. O abismo negro que se tornou meu mundo nas horas que eu pensava que ele estava morto havia desaparecido, mas era uma cicatriz que eu sempre suportaria. Eu não podia voltar a isso. Mesmo se eu tivesse Milo, eu nunca teria outro Henry.

111

Profile for Valentina

Aimee carter goddess 03  

Aimee carter goddess 03  

Advertisement