Newsletter#11 - Agrupamento Escolas de Marinhais

Page 1

escolas de marinhais

newsletter

#11 fev . ‘22


FICHA TÉCNICA Direção: Profª Isidora Saramago Coordenação e Design Gráfico: Profº Valdemar Lopes Redação e Planeamento: Profª Emília Alves | Profº Valdemar Lopes participam nesta edição: Alunos: Mariana Custódio; 5.º B + 5.º C

2

Professores: Maria de Lurdes Maurício; Anabela Verde; Carla Rosa; Fátima Cota; Rui Rosa; Maria Custódio; Filomena Neiva; Tânia Jesus; Fátima Afonso; Anabela Ferreira; Adélia Martins; Leonor Calisto; José Caetano; Ana Teresa Barreira; Joaquim Guedes; Rosalina Gomes; Patrícia Fernandes; César Saramago; Henrique Soares.


#11

sumário bloco I

5 6 10 11 12 14 15 16 17 18 19 20 21 22

Editorial Sala de Alunos da escola sede renovada Make a Wisk na EB1 da Glória do Ribatejo Natal no JI da Glória do Ribatejo Encontro com a escritora Ana Cristina Luz no CEM Make a Wish na EB23 | Banco Alimentar 9.ºs Anos Banca 9.º A na Glória do Ribatejo Comemoração do Dia Mundial da Alimentação Devolver à Terra | DAC ‘Ser Solidário’ 7.ºs A, B, D, E Natal Green Cork Visita de Campo à Mata e à Aldeia do Escaroupim A minha casa 5.º B + 5.º C - Sentimento em relação à escola O machismo visto pelos olhos dos alunos da EB2,3

bloco II

26

Os Dioramas de MD

bloco III

34 42 49 50 51 52 53 54

Biblioteca Escolar Clube do Mar Campanha de recolha de bicicletas usadas Dia Europeu do Desporto Escolar Torneio interturmas Basquetebol Notícias do Ténis de Mesa Plano Anual de Atividades numa constelação PADDE

notícias

galeria

dinâmicas/ projetos

fev. ‘22


4


Newsletter AEM #11 . jan ‘22

editorial Esta é a décima primeira edição da Newsletter do Agrupamento de Escolas de Marinhais, um número que nos permite entender as nuances deste projeto, entre as quais a sua concretização constante, quer tenha 40, 50 ou 80 páginas. Nesta edição não tivemos uma participação que elevasse a fasquia às 80 páginas da edição anterior, mas continuamos a acreditar que realizámos atividades no nosso agrupamento que facilmente poderiam gerar conteúdo para mais 30 páginas. A equipa de planeamento desta Newsletter tem refletido sobre essa questão e algumas ideias têm sido debatidas, entre as quais, a realização de um workshop de escrita para a comunidade; assumirmos um papel de jornalistas na produção de conteúdo; continuar a lançar os reptos à comunidade para continuar a colaborar, produzindo conteúdo com o envolvimento dos alunos. Acreditamos que esta última estratégia continua a fazer sentido numa comunidade educativa, pelo que apelamos aos colegas o desenho de atividades que envolva os alunos na produção de conteúdo relacionado com as suas aprendizagens, ações contextualizadas em aprendizagens que se tornam mais significativas, p.e., direcionadas para um propósito específico: a Newsletter do Agrupamento.

letter numa aula poderá fazer a diferença, sensibilizando os alunos para a leitura e participação neste projeto que entre os seus diferentes objetivos é um instrumento importante na promoção de competências de literacia de informação (em contexto).

Até uma próxima edição, onde continuamos a contar com a participação de toda a comunidade para que este projeto de memória continue a sua caminhada. PS: Aguardamos sugestões para melhorar a estratégia/ eficácia deste projeto. Dê-nos a sua opinião.

No Bloco I, Notícias, encontramos textos que ilustram atividades algumas desenvolvidas desde o Pré_Escolar ao 9.º Ano, onde poderemos destacar a sustentabilidade/ questões ambientais como pano de fundo; destaque para um texto de uma aluna sobre o machismo visto pelos alunos da EB2,3, o resultado de um trabalho desenvolvido em contexto curricular. No Bloco II, galeria, somos agraciados com os Dioramos de MD, uma coleção de objetos estético-funcional construídos pelas mãos sensíveis de uma Assistente Operacional, patentes à entrada de salas de aula e outros espaços da Escola Sede.

No Bloco III, projetos, além da participação constante da Biblioteca Escolar, nesta edição temos uma entrada em força do Clube do Mar, um projeto iniciado este ano letivo, mas com um lastro de muitos anos nesta comunidade; um bem-haja aos diferentes professores que dinamizam atividades no âmbito do Desporto Escolar, com destaque para a nossa ‘colaboradora residente’, a Profª Nesta edição, contamos Carla Rosa, que em todas as com a participação de pro- edições desta News contrifessores de todos os níveis buiu com um texto. Por últide ensino do agrupamen- mo, temos um ‘apanhado’ do to, mas há um decréscimo PADDE do nosso agrupade participação de alunos, mento, o Plano que norteia comparativamente com a a Transição Digital da nossa edição anterior. A News’s comunidade, e que deve ser Team pretende continuar uma preocupação/ respona mobilizar os alunos para sabilidade do coletivo. este projeto, mas uma simples visualização da News-

5


Sala de Alunos da Escola Sede renovada

6


Newsletter AEM #11 . jan ‘22

Sala de Alunos da Escola Sede pintada e com novo equipamento, o projeto vencedor do programa ‘Orçamento Participativo de Escola’ 2020/2021, promovido pelo 8.ºA e 9.º B Este resultado teve um grande envolvimento dos alunos das turmas, orientados pelo DT César Saramago, apoiado pelo Encarregado de Educação, Bruno Silva, a quem a Escola agradece.

7


8


1

Newsletter AEM #11 . jan ‘22

notícia | alunos . coletivo

9


A EB1 de Glória do Ribatejo foi Estrela MAKE-A-WISH As nossas estrelas ajudam a realizar sonhos! A missão Make-a-Wish realiza “sonhos” de crianças e jovens dos 3 aos 17 ano, que se encontram doentes e cujos os sonhos lhes darão mais alento, alegria e felicidade… Os alunos e suas famílias adquiriram estrelas Make-a-Wish. Em família, decoraram as estrelas e com elas conseguiram criar uma mensagem solidária. O donativo angariado foi de 144 € que certamente contribuirá para levar força, alegria e esperança às crianças que aguardam a realização do seu desejo. Obrigada a todos pela participação nesta missão Solidária!!! Um agradecimento especial às famílias e à câmara Municipal de Salvaterra de Magos, que ajudou a escola na concretização desta campanha solidária. Visite as nossas estrelas Make-a-wish, no espaço Jackson, em Glória do Ribatejo.

10


Newsletter AEM #11 . jan ‘22

JI Glória do Ribatejo A “nossa” árvore de Natal. Esta foi uma atividade programada para envolver as famílias e os dois graus de ensino (pré- escolar e 1º ano do 1º ciclo a funcionar no mesmo espaço- JI de Glória do Ribatejo, mas acabou por se aglutinar o projeto Green Cork. Foi feito um pedido aos pais/ família dos alunos do pré-escolar para elaborarem uma tela para decorar a árvore de Natal. Esta tela vem ao encontro do Projeto Curricular dos JIs “O artista sou eu” e complementou-se com a participação no projeto Green Cork, reciclando rolhas de cortiça. Cada aluno do 1º ano do 1º ciclo participou com o seu Pai Natal elaborado no seio da família, de acordo, também com o projeto Green Cork. Aqui, está a prova de que, muito envolvimento, muita criatividade e amor, resulta numa pequena maravilha.

11


Encontro com escritora Ana Cristina Luz no CEM

12


Newsletter AEM #11 . jan ‘22

13


A Fundação Make-A-Wish está presente em mais de 50 países, nos 5 continentes, e conta com milhares de voluntários que partilham a missão Make-A-Wish e apoiam a sua concretização. A missão da Make-A-Wish consiste, pois, na realização de desejos de crianças e jovens, dos 3 aos 17 anos, em todo o território nacional, com doenças graves, progressivas, degenerativas ou malignas, proporcionando-lhes um momento de força, alegria e esperança. A missão Make-A-Wish também chegou, no seu trenó de Natal, à nossa comunidade, e lançou-nos um desafio: Que estrela sou eu na constelação da Escola? A constelação do Agrupamento de Escolas de Marinhais apelou a todas as suas estrelinhas cintilantes que adotassem esta iniciativa na esperança de poder proporcionar melhores momentos a todas as crianças e jovens. Num turbilhão imenso de força e de solidariedade, as estrelinhas do nosso Agrupamento revelaram o seu lado amoroso, solidário, fraterno e esperançoso num mundo melhor, mais feliz e aconchegante para todos. Uma pequena amostra da nossa constelação… do nosso lar! Um agradecimento especial a toda a comunidade escolar. Um agradecimento especial aos alunos que, para além da(s) estrelinha(s), deram a cara pela sua escola no vídeo elaborado/enviado para a Make a Wish. Esperamos chegar mais longe no próximo ano. A “equipa” do Make a Wish: Anabela Verde, Carla Rosa, Emília Alves, Fátima Cota, Rui Rosa e VL

O “nosso” banco alimentar No âmbito dos DAC’s e da Cidadania e Desenvolvimento, em consonância com o projeto educativo do Agrupamento, as turmas do 9º ano aderiram/participaram numa campanha de solidariedade e de recolha de alimentos, do Banco Alimentar Contra a Fome, associando-se ao grupo Juventude Mariana Vicentina (JMV). Num trabalho de parceria, entre a JMV e as turmas de 9º ano, voluntariaram-se alunos do 9º ano que recolheram alimentos nas superfícies comerciais Ecomarché e Maxicompra, no fim de semana de 27 e 28 de novembro. Na escola sede, apelou-se ao espírito solidário de alunos, professores e auxiliares de educação, tendo estes colaborado, depositando bens alimentares numa caixa colocada no átrio de entrada da escola. Em nome dos alunos de 9º ano, em nome das suas diretoras de turma, certos de que fizemos o bem, certos de que conseguimos despertar sorrisos, fica um AGRADECIMENTO a todos os que abraçaram esta causa.

14

“Orgulho nos meninos e meninas. Nunca dizem não a uma causa nobre, abdicaram do seu tempo em prol dos outros”. – Maria Custódio


Newsletter AEM #11 . jan ‘22

Banca 9.º A No dia 18 de dezembro, todos os caminhos foram dar… à Glória do Ribatejo. Partindo de um diálogo entre a diretora de turma do 9º A e de uma representante dos encarregados de educação, sugeriu-se organizar uma atividade que envolvesse pais/família e alunos, com o objetivo de aumentar a interação/comunicação, a motivação/empenho destes jovens, desenvolvendo, ainda, o sentido de responsabilidade e a importância do trabalho de equipa. Deste modo, no dia 18 de dezembro, a banca “ Vamos festejar o Natal” instalou-se no Largo da Igreja da Glória do Ribatejo e apresentou algumas iguarias que fizeram certamente as delícias de muitos. Ficam os agradecimentos a todos os que colaboraram, aos que se dirigiram à banca e saborearam as iguarias propostas. Ficam, finalmente, alguns registos fotográficos. “Ótimo espírito de camaradagem e trabalho de equipa. Juntos somos mais fortes e melhores”.

15


Comemoração do Dia Mundial da Alimentação – 2º Ciclo Na E.B. 2,3 de Marinhais comemorou-se, nos dias 18 e 19 de outubro, o Dia Mundial da Alimentação. Foram realizadas diversas atividades relacionadas com o tema. As atividades foram dinamizadas pelos professores de C. Naturais do 2°ciclo, em articulação com a BE e com as disciplinas de Ed. Tecnológica (5°A e 6°F, na elaboração da pirâmide da Dieta Mediterrânica) e Português (5°A, na pesquisa de provérbios sobre a alimentação). As atividades realizadas consistiram no cálculo do Índice de Massa Corporal, na análise de rótulos de alimentos, na identificação de especiarias através do olfato, na identificação de legumes através do tato, na comparação do valor energético de alimentos frequentemente ingeridos pelos alunos, em completar a pirâmide da dieta mediterrânica, provérbios relacionados com a alimentação e regras para uma alimentação saudável.

16


Newsletter AEM #11 . jan ‘22

DEVOLVER À TERRA O projeto “Devolver à Terra” é uma iniciativa que resulta de uma parceria entre a Associação Zero, a Silvex e a E. B. 2,3 de Marinhais, sob a orientação da professora Anabela Ferreira, professora de Geografia, de Cidadania e Desenvolvimento e diretora de turma do 9ºE. Este projeto, iniciado no ano letivo 2019/2020, tem como principal objetivo incentivar boas práticas ecológicas entre os mais novos, nomeadamente na aprendizagem da valorização de resíduos orgânicos e na sua transformação em composto de grande quantidade, e envolve, no presente ano letivo, as turmas de oitavo. No dia dezassete de dezembro, depois de uma reunião e visita de monitorização da Engª Sara, da associação ZERO, constatou-se que “apesar do composto ainda estar bastante atrasado (…) ainda estamos a tempo de recuperar e estamos a trabalhar no bom caminho”. Nesse mesmo dia, a engenheira Sara elogiou todo o trabalho desenvolvido pelos alunos e professores, ficando admirada com o facto de termos os 3 compostores completamente cheios, informando ainda que, devido à situação de pandemia e aulas não presenciais, o projeto “Devolver à Terra” iria prolongar-se por mais um ano letivo, prevendo- se dar continuidade ao mesmo com novas turmas do 7ºano. Para conseguirmos produzir composto, para que a nossa escola possa participar no concurso nacional, no próximo ano letivo, a engenheira propôs as seguintes estratégias: • utilizar algumas sobras de comida do refeitório (não se deve fazer, mas será para acelerar o processo); • quando colocarmos as sobras de comida, tapar sempre com folhas; • regar semanalmente e envolver bem com uma forquilha; • podemos colocar laranjas, que temos no laranjal (inteiras); • colocar as borras de café do bar; • colocar um recipiente na sala de refeições dos professores para estes colocarem as sobras e as cascas das frutas. (Seguimos…em frente. Precisamos de mais momentos como estes!)

No

âmbito

dos

DAC’s

“Ser solidário”,

as turmas dos 7º A, 7ºB, 7ºD e 7ºE desenvolveram uma atividade que consistiu numa campanha de recolha de alimentos, produtos de higiene, roupas, brinquedos e alimentos para animais. Esta recolha teve início no dia 10 de dezembro. Solicitou-se a colaboração de todos os professores, auxiliares de educação e alunos. Os contributos foram depositados nas caixas que se encontravam no átrio de entrada da escola.

Os Diretores de Turma - 7ºA, 7ºB, 7ºD e 7ºE Adélia Martins, Leonor Calisto, José Caetano e Ana Teresa Barreira

As diretoras de turma dos 9os anos – Filomena Neiva, Tânia Jesus, Emília Alves, Fátima Afonso, Anabela Ferreira e Maria Custódio

17


No âmbito do Programa Green Cork Escolas, as turmas do 5º ano produziram enfeites de Natal utilizando materiais recicláveis e rolhas de cortiça. Com os enfeites produzidos foi decorada a árvore de Natal de cada turma, cujas fotos foram enviadas para participação no concurso que decorreu até ao dia 04/01/22. O programa Green Cork visa sensibilizar para a importância da sustentabilidade do planeta através da recolha de rolhas, para financiar a plantação de árvores autóctones.

18


Newsletter AEM #11 . jan ‘22

Visita de campo à Mata e à Aldeia Avieira do Escaroupim

No dia 15/11/21, os alunos do 5º ano realizaram uma caminhada até à Mata do Escaroupim e à Aldeia Avieira do Escaroupim. Para além de promover a atividade física, esta visita teve como objetivos a observação no local do património natural e cultural da zona envolvente da escola. Os alunos tiveram a oportunidade de observar algumas das espécies animais e vegetais características da região, constatar a o impacto da ação humana nos ecossistemas e identificar algumas espécies vegetais invasoras. A visita envolveu alunos, docentes e alguns encarregados de educação.

19


A minha casa Que linda é esta casa E que bom nela morar Tenho que tratar dela Vou começar já a limpar… E que belos estes quadros Ainda todos por pintar Vou comprar tinta e papel …a eles me vou dedicar. Não sei se me falta o jeito, Mas com certeza vou tentar, E assim que estiver feito Espero a alguém agradar. Com a pintura concluída E a casa arrumadinha Lá estarei de partida Para aí…cuidar da minha. J.J. Guedes

20


Newsletter AEM #11 . jan ‘22

O que sente o 5º C em relação à escola? (Setembro de 2021- Disciplina de Português) Para mim, a escola é uma felicidade. Mas, às vezes, tenho medo que os professores ralhem comigo. Eu sinto felicidade, entusiasmo, esperança e alegria. Eu sinto alegria, felicidade e esperança porque gosto muito da escola. A escola, para mim, é desespero e felicidade. Gosto da escola. Sinto orgulho. Eu adoro a escola, mas também tenho medo de me perder. Eu tenho medo de ser ridicularizada numa apresentação de trabalhos. Estou muito feliz por ter passado de ano; estou muito entusiasmado, mas também tenho um pouco de medo. Sinto alegria, esperança, entusiasmo e felicidade. Sinto alegria e felicidade. A escola, às vezes, deixa-me feliz e outras vezes aborrecido; mas gosto de estar com os meus amigos. Para mim, a escola está a ser uma felicidade por ter chegado até aqui. Para mim, ir para a escola é uma enorme alegria, pois sei que para concretizar o meu sonho de ser professora tenho de vir para a escola. Eu sinto esperança e felicidade. Para mim, a escola é muito gira e também sinto muita alegria quando estou aqui. Eu tenho medo de nunca me encaixar. Estou feliz por estar numa escola nova, mas estou com algum medo de me perder. Sinto alegria, surpresa, esperança e entusiasmo. Sinto-me animada, feliz e ansiosa. Para mim, a escola é o melhor lugar. Vivo aqui. Sinto muita alegria por aprender e estudar.

O que sente o 5º B em relação à escola? (Setembro de 2021- Disciplina de Português)

Eu sinto felicidade. Para mim, a escola é normal. Eu sinto às vezes vergonha e um pouco de raiva, mas também me sinto feliz. Às vezes sou muito curiosa. Quando ajudo os meus amigos sinto-me ótima. Eu amo a escola. É um local onde se pode fazer amigos e estudar. Para mim, a escola é uma alegria. Os meus amigos brincam comigo. Eu sinto-me normal. Para mim, a escola é uma alegria porque tenho os meus amigos e aprendo muitas coisas novas muito interessantes. Eu sinto raiva. Eu gosto da escola. Dá-me esperança e entusiasmo. Não gosto quando a minha turma fica doida. Eu sinto-me na escola normal e confuso. Eu, na escola, de um lado do meu corpo, sinto: medo, vergonha, nervosismo; mas, de outro lado, sinto: felicidade, alegria, ansiedade e entusiasmo. Sinto medo que gozem comigo. Sinto alegria de ir para a escola, mas também aborrecimento. Para mim, a escola é: alegria, amor e vergonha. Às vezes eu fico assustado porque há alunos mais velhos. Fico com medo deles. A escola é normal. Às vezes eu fico feliz e outras vezes eu fico zangado. Eu sinto entusiasmo porque aprendo coisas novas. Para mim, a escola é uma coisa que me deixa entusiasmada porque sei que é bom aprender. Mas tenho receio que gozem comigo porque dizem que sou muito baixa. Às vezes sinto fúria porque não param de gozar comigo. Também sinto alegria quando alguém me elogia e esperança porque quando erro tenho esperança de melhorar. Eu adoro a minha nova escola. Eu sinto-me normal em relação à escola. Gosto da escola. Para mim, a escola é fixe, mas, ao mesmo tempo, já sofri de bullying. No entanto, agora sou respeitado. Sinto-me melhor nesta escola. Para mim, a escola é agradável porque não sou maltratada e os colegas da minha turma não são maus. São meio doidos às vezes. Para mim, as aulas provocam-me aborrecimento. Eu sinto felicidade na escola.

21


O machismo visto pelos olhos dos alunos da E.B. 2, 3 de Marinhais Na disciplina de TIC, o meu professor deu-me a liberdade de escolher um tema para desenvolver um trabalho de pesquisa. Escolhi o Feminismo, uma vez que é um tema que me desperta interesse, curiosidade e sobre o qual gostaria de saber mais. No decorrer do meu trabalho e na divisão do tema pareceu-me pertinente falar do machismo, não por ser o antónimo de feminismo, que não é, mas porque acabar com ele é um dos principais objetivos do movimento social que é o feminismo. O professor Valdemar lançou-me o desafio de fazer um questionário para saber qual a opinião dos meus colegas sobre o tema, ideia que me agradou imenso. Elaborei um pequeno questionário no Forms que apliquei aos alunos do 3º ciclo (uma amostra de 201 alunos com idades entre os 12 e os 14 anos), com o tema “Serás Machista?”. O objetivo é perceber o que os pré-adolescentes e adolescentes da nossa escola pensam sobre este tema: Haverá machismo na nossa escola? As mulheres também podem ter atitudes machistas? Há coisas só de homens e outras só de mulheres? E eis que o resultado foi algo surpreendente para mim, pois pensava que, na minha geração, o machismo já estaria quase extinto, que meninos e meninas se vissem da mesma forma, que esse mito das coisas de homem e coisas de mulher já nem fizesse sentido. Deixo aqui alguns gráficos que refletem algumas das opiniões mais relevantes que recolhi.

22


Newsletter AEM #11 . jan ‘22

De um conjunto de 26 frases com algum ou muito machismo associado, fiz o Top 5 das mais escolhidas pelos alunos:

“Usar medidas para sensibilizar as pessoas sobre o machismo”.

1º - O homem que faz tarefas domésticas está a ajudar mulher. (122) 2º - As mulheres em geral são “fofoqueiras”. (120) 3º - As mulheres são mais emotivas. (112) 4º - As feministas exageram. (61) 5º - Mulheres têm maior tendência a perder o controlo em situações de stress. (58)

“Conversar com a família e amigos sobre o machismo.”

Quanto à definição de machismo, temos várias opiniões, mas a maioria centra-se na ideia de que um machista é aquele que, de alguma forma, se sente superior à mulher e que sente ter mais poder. Obtive respostas muito interessantes. Eis alguns exemplos:

Ao longo dos tempos, as mulheres conquistaram muito espaço num mundo que, há uns anos, era maioritariamente dos homens, desde o direito ao voto até conseguirem cargos de liderança em grandes empresas. Muito já foi feito, mas muito ainda há por fazer, as conquistas vão-se adequando aos tempos em que vivemos.

“Os homens não respeitam os direitos das mulheres.” “O machismo é quando os homens dizem que elas provocam, é não deixar as mulheres saírem sozinhas ou com as amigas, é não as deixarem jogar futebol, é quando os homens querem mandar na relação, etc...” “Acredito que machismo seja a imbecil ideia de que a mulher é inferior ao homem.” “Machismo é um homem dizer que o lugar da mulher é na cozinha.”

“O machismo não é uma coisa que vá acabar, mas podemos evitar os comentários como: as mulheres não podem fazer isto, os homens não podem fazer aquilo...”

Para mim, não há homens nem mulheres, nem meninos nem meninas, há sim pessoas que devem lutar pelos seus direitos de forma consciente e responsável, por uma vida melhor, por igualde de oportunidades e, acima de tudo, para sermos felizes e contribuirmos para que os outros também o sejam. Mariana Filipe, nº 11, 7º A

Quanto às sugestões para terminar ou pelo menos diminuir as atitudes machistas, tive respostas bem diversificadas. Embora a maioria dos alunos condene o machismo e ache que este deve acabar, não conseguem ou têm alguma dificuldade em dar sugestões nesse sentido. Deixo aqui alguns exemplos dados pelos alunos: “Normalizar a igualdade de género e acabar com o pensamento de que coisas rosas são para meninas e coisas azuis para rapazes. Podemos tentar normalizar mais este tipo de coisas fazendo com que as mulheres experimentem coisas que seriam “feitas por um homem” e homens a experimentar coisas que seriam mais “femininas”. “A normalização só chega quando a maioria não pensar que ainda vivemos nos tempos de há 50 anos atrás”. “Igualdade de género precisa de ser normalizada para acabar com o machismo.” “Falar mais de temas feministas nas escolas e da igualdade de género.”

23


24


2

Newsletter AEM #11 . jan ‘22

galeria

Os dioramas de MD

25


26

OS DIORAMAS DE MD


Newsletter AEM #11 . jan ‘22

27


OS DIORAMAS DE MD Partilhamos uma conversa com uma convidada secreta, uma pessoa que tem contribuído com a sua sensibilidade para embelezar as entradas das salas de aula da escola sede do Agrupamento com lindos dioramas. Entretanto, estes objetos também servem de suporte aos doseadores de gel, construídos com perícia e sensibilidade artística. Foram estes objetos que nos chamaram a atenção para esta Assistente Operacional discreta que, além destas manualidades, nos presenteia com a sua postura tranquila e profissional na realização das diferentes tarefas atribuídas. A conversa ocorreu na oficina de MD. Quando ela abriu o portão da sua oficina, deparamo-nos com a última obra em execução: um conjunto de jogos de tabuleiro com dois dispensadores de gel que ela está a construir para a Sala dos Alunos. Mais uma vez, ela continua a sua inscrição no espaço coletivo, fazendo o que acha que faz sentido e que é necessário, sem que seja necessário pedir permissão para tal. Nascida em Almeirim, com 15 anos foi trabalhar para Lisboa onde residiu durante 3 anos. Depois rumou ao Algarve, tendo trabalhado durante 37 anos num restaurante em Olhos de Água, como cozinheira. Este dom para as manualidades foi desenvolvido na escola porque, segundo MD: Eu sempre gostei de utilizar ferramentas, aprender coisas concretas. Da quarta classe ao sexto ano, estudei através da telescola de Marinhais, depois frequentei o 7.º ano na Rarete e foi nessa escola que aprendi um pouco de tudo, sobretudo eletricidade e carpintaria. Entre as minhas colegas, fui a única a escolher essa área. Elas escolhiam mais a cozinha e costura. Nesta conversa fomos presenteados com a partilha de uma vida preenchida de desafios e de realizações, iniciadas na saudosa escola da Rarete”.

Como era a estudar na Rarete? Aquilo era bom, tínhamos tudo dentro daquele recinto: piscina, campos de futebol, basquete, uma escola com boas condições. Quase a concluir o 7.º ano, tive de abandonar a escola e, aos 15 anos, fui para Lisboa trabalhar em casa de um Embaixador Russo. Foi um emprego que consegui através de uma vizinha de cá que tinha uma filha a trabalhar nessa casa, onde precisaram de mais alguém. Lá fui parar e fiquei durante 3 anos, mas ganhava pouco, 2.000$00 mensal (± 10€). Estamos a falar de há 46 anos atrás.

28

E como ocorreu a mudança para o Algarve? Foi através do meu tio que era caixeiro-viajante e vendia serviços de sala de jantar, serviço de copos, roupa, etc. Ele tinha


Newsletter AEM #11 . jan ‘22

sido emigrante em França onde conheceu o dono do restaupara colocar os doseadores à entrada de cada sala e que, ao rante no Algarve que lhe perguntou se conhecia alguém que mesmo tempo, pudesse tapar os buracos? Assim começou e quisesse ir trabalhar aí. Ofereceram-me 8 contos (± 40€). fui fazendo consoante as pessoas iam pedindo para outras Como estava a ganhar 2 contos (± 10€), nem hesitei. Telesalas e espaços. fonei à minha mãe, expliquei-lhe a situação e lá fui! Para lá chegar, fui descendo com o meu tio, durante uns dias, ajudan- E como surge a ideia para um determinado diodo-o na venda e comecei a trabalhar no dia 23 de fevereiro, rama? uma data que não esqueço porque era a data de aniversário Surge naturalmente. Ponho-me aqui a olhar para a ‘reciclado patrão. gem’, para os raminhos, para as pinhas e os fungos que recolho da mata, para os diferentes objetos que tenho aqui na E lá fiquei a trabalhar durante 37 anos, numa jornada que minha oficina — porque guardo tudo — e, conforme aquilo começou muito bem, pois dávamo-nos todos como sendo que tenho, vou construindo até obter o resultado que me uma família. Com os anos, o património dos patrões foi auagrade para uma determinada sala. mentando e, com isso, houve mudança na forma de ser da Por exemplo, como foi o processo criativo para patroa. Quando lá cheguei os patrões tinham o restaurante, o diorama da sala de música? viviam no primeiro andar e no segundo, tinham meia dúzia Tudo começou com umas abóboras pequenas oferecidas pela de quartos que alugavam. Nessa altura, havia muita união minha vizinha. Depois, fui à Biblioteca e perguntei à Ana se entre todos nós. No dia de folga, íamos todos almoçar ou não tinha um livro de música que pudesse consultar para jantar fora, mas, à medida que a senhora ia subindo na vida, tirar algumas ideias, ver alguns instrumentos. Juntando isso as coisas mudaram. Sempre fiz outras coisas além de cozicom as ideias que eu tinha lá cheguei. nhar, entre as quais pintar, arranjar alguma coisa de carpintaria, eletricidade, substituir a senhora da lavandaria, coser, Sabe que essa sua produção traduz uma enorpassar, isto numa altura em que já tinham um império de me sensibilidade artística? quase 30 apartamentos e a patroa achava que eu tinha de Para mim, isto é um escape. Quando ando pior, quando estou estar em todo o lado. Durante o verão, havia períodos em desanimada com alguma coisa, venho para a minha oficina que trabalhava durante 16 horas por dia, sem receber uma fazer alguma coisa para me animar. Passado algum tempo, hora extraordinária, muito menos um “obrigado”. Essa situaesqueço-me do problema e fico bem (um sorriso de MD). ção começou a fazer-me ficar revoltada, ainda mais com a Observando este trabalho que tem em mãos, agravante da minha mãe estar doente e a viver sozinha em vejo que o início de qualquer trabalho desta naMarinhais, conjetura que me trouxe para aqui em 2016. tureza parte de uma necessidade, certo? Sim, tem de ser útil por alguma razão. Fazer por fazer, não. Depois do meu regresso, estive 4 anos no fundo de desemprePor exemplo, aquele cepo que está em cima da mesa é para go até começar a trabalhar no Centro Escolar de Marinhais, fazer uma peça para a sala dos Diretores de Turma, para que foi onde começou esta minha andança pelas escolas do substituir o arranjo de Natal que tinha feito, a pedido da agrupamento. Estive este tempo todo sem trabalhar porque Professora Fátima Cota. não quis continuar na restauração como cozinheira. Acedendo ao telemóvel, MD mostrou-me fotografias das Agora, direcionando a nossa conversa para as árvores de Natal e 21 arranjos que fez para os diferentes manualidades, diga-me como surgiu a ideia de espaços da escola. Nessa sequência, tive o privilégio de uma construir os suportes para ‘doseadores do gel visita guiada à sua casa, onde pude constatar a sua grandesinfetante’; o nome que dá aos fantásticos de paixão pelo Natal, traduzida numa profusão de objetos dioramas com que tem embelezado a entrada e artefactos alusivos a essa efeméride, tudo devidamente das salas da escola? acondicionado para o Natal do próximo ano — algo que eu Temos várias tarefas que realizamos ao longo do dia, mas há nunca tinha visto. Foi nessa sequência que eu pensei: tenho momentos em que estamos sentados na secretária de uma de tratar de uma parceria com esta senhora, quero a sua determinada ala, aguardando alguma situação em que temos presença e competência na minha sala de aula. Com a sua de dar apoio. Observando as portas, via os buracos que fica- anuência e da Direção da Escola, vou trabalhar para que isso ram depois de retirada a identificação das salas. Mais tarde, aconteça… veio a necessidade de termos gel desinfetante para os alunos e, normalmente, o frasco estava no chão ou em cima da Um bem haja à MD por esta partilha/ VL nossa secretária. Então pensei: por que não fazer um suporte

29


30

Ramos, fios, redes, missangas, palha, bolas, purpurinas, galhos, rede, troncos, a matéria prima utilizada por MD na sua produção, tudo organizado por categorias, pronto a ganhar uma nova vida, ativada pela inspiração que somente os fazedores conseguem entender.


Newsletter AEM #11 . jan ‘22

A oficina de MD é um espaço amplo, solarengo, organizada, com todo o tipo de equipamento e ferramentas que apetece.

31 A caixa que acompanha MD desde os seus 14 anos, construída aquando da frequência de disciplinas oficinais na Rarete


dinâmica dinâmica | n. f. fem. sing. de dinâmico di· nâ· mi· ca (feminino de dinâmico) nome feminino 1. [Física] Estudo das forças ou do movimento quantitativo dos corpos. 2. Conjunto de forças que visam o desenvolvimento ou o progresso de algo. 3. [Música] Relação entre os níveis de intensidade dos sons. Palavras relacionadas: dinâmico, dinamicamente, hidrodinâmico, aerodinâmico, cavalo-vapor, dinamomagnético, teledinâmica. di· nâ· mi· co adjectivo Relativo ao movimento e às forças. Palavras relacionadas: dinamicamente, dinamicidade, dinâmica, dinamomagnético, psicodinâmico, teledinâmico, termodinâmico. “dinâmica”, in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/din%C3%A2mica [consultado em 22-07-2021].

32


3

Newsletter AEM #11 . jan ‘22

dinâmicas agrupamento biblioteca escolar clube do mar desporto escolar constelação PAA PADDE

33


Biblioteca Escolar 1.º período . atividades

34


Newsletter AEM #11 . jan ‘22

Visitas à biblioteca

Durante a primeira semana de outubro, os alunos do 5°ano vieram visitar o nosso espaço, saber como o podem utilizar, recebendo o guia do utilizador. Depois da visita à biblioteca assistiram a uma sessão de formação de leitores, onde foi abordado o tema “Aprender a estudar”.

be -

av em

Autor do Mês | outubro

Luís Sepúlveda foi um romancista, realizador, roteirista, jornalista e ativista político chileno.

35


Encontro com a escritora…

Encontro com a escritora Alice Cardoso – 19/10/2021 Dia das turmas do 1°C/JI do Granho, 1°Ciclo de Muge, 1°C/JI da Glória do Ribatejo e JI do Centro Escolar de Marinhais terem um encontro com a escritora Alice Cardoso. Os nossos alunos mostraram-se muito interessados e participativos. Foram momentos de alegria e boa disposição.

36


Newsletter AEM #11 . jan ‘22

Dia Mundial da Alimentação

Na E.B. 2,3 de Marinhais comemorou-se, nos dias 18 e 19 de outubro, o Dia Mundial da Alimentação. Na Biblioteca Escolar realizaram-se diversas atividades relacionadas com o tema. Estas atividades foram dinamizadas pelos professores de Ciências Naturais do 2°ciclo, em articulação com a BE e com as disciplinas de Educação Tecnológica (5°A e 6°F), na elaboração da pirâmide da Dieta Mediterrânica e Português (5°A - na pesquisa de provérbios sobre a alimentação).

Halloween

As professoras da disciplina de inglês do 2° ciclo desafiaram os seus alunos a criarem chapéus e vassouras de bruxas. Em articulação com a biblioteca escolar, montámos uma exposição sobre o Halloween com os trabalhos entregues, os quais estavam muito bons.

be -

av em

37


be -

av em

Autor do Mês | novembro

António Torrado Escritor português, pedagogo, jornalista, editor e também produtor e argumentista para a televisão. Nos últimos anos de vida, a vertente mais marcada da sua atividade foi o teatro.

Dia Universal dos Direitos das Crianças

No dia 20 de novembro, comemoraram-se os Direitos das Crianças e a nossa biblioteca recordou alguns desses direitos. A biblioteca escolar agradece a colaboração da professora Catarina Vaz na elaboração e recorte das silhuetas.

38


Newsletter AEM #11 . jan ‘22

Feira do livro

Durante os últimos quinze dias de novembro e a primeira semana de dezembro, decorreram as Feiras do Livro na biblioteca escolar da E.B. 2, 3 de Marinhais, no Centro Escolar de Marinhais e no Jardim de Infância da Glória do Ribatejo. Os alunos do nosso agrupamento fizeram-nos visitas e escolheram os livros que mais lhes agradaram.

39


Autor do mês | dezembro

António Alves Redol, romancista e dramaturgo. Criado no Ribatejo, nasceu a 29 de dezembro de 1911, em Vila Franca de Xira e faleceu a 29 de novembro de 1969, em Lisboa.

Concurso Nacional de Leitura

No dia 14 de dezembro, os nossos alunos dos 1º e 2ºciclos participaram na fase escola do Concurso Nacional de Leitura. O 3º ciclo fará a sua prova de escola na primeira semana de aulas do 2º período.

Encontro com a escritora…

40

No âmbito da realização da Feira do Livro, promovemos nos dias 16, 25 de novembro e 2 de dezembro, em parceria com o Departamento de Educação Especial, encontros para apresentação da obra “O coelhinho Dudu” da autoria de Sandra Fé Fernandes. Assinalamos desta forma o Dia Internacional da Deficiência, que se comemora a 2 de dezembro. Uma história de amor, ternura e de sensibilização para a diferença, sobre um coelhinho fofinho sem uma patinha, que saltitou de sala em sala, desde o jardim de infância ao 7º ano. A recetividade das crianças e adultos foi evidente, houve grande interação, empatia entre todos e a mensagem foi transmitida: “Todos diferentes, todos iguais – é normal ser diferente, tu consegues fazer umas coisas, eu outras e juntos com carinho somos capazes!”


Newsletter AEM #11 . jan ‘22

be Conto de Natal

av em

A biblioteca foi às salas dos nossos alunos de 1º ciclo para realizar a atividade: um conto de Natal “A lista de Natal”, onde tivemos a colaboração de algumas alunas da escola sede.

Concurso: Vamos Fotografar as nossas tradições

Tira uma fotografia inédita, da tua autoria, sobre as tradições do local onde resides ou trabalhas (arquitetura, gastronomia, folclore, festas religiosas, cantares, ofícios tradicionais, trajes, jogos tradicionais, instrumentos e alfaias, entre outros) acompanhada de um título ou de uma frase alusiva ao tema. Ação nº 2 do Projeto Marcas na História

41


Notícias do Clube do Mar O Clube do Mar está a funcionar pelo primeiro ano na nossa escola, havendo sessões às terças, quartas e quintas feiras à tarde. É dinamizado pelo prof. Rui Rosa (3ª e 4ª) e pela profª Carla Rosa (5ª). Tem muitos alunos inscritos, do 5º ao 9º ano, que têm participado ativamente em todas as atividades realizadas. O Clube do Mar tem como principal objetivo levar o Oceano a todo o Agrupamento e à sua Comunidade Educativa, com ações para o conhecimento do Paraíso Oceano, para que cada um de nós consiga amá-lo e fazer a diferença na sua recuperação, conservação e proteção. Passou a fazer parte da comunidade Escola Azul no dia 17 de setembro de 2021. O Clube do Mar tem uma madrinha, Joana da Rosa, e uma inspiradora, Sylvia Earle, ambas biólogas marinhas. Possui, ainda, dois embaixadores: Maria Eduarda Oliveira (7º D) e Duarte Braz (8º D). Tem um Blog: https://escolaazulmarinhais.blogspot.com/ ,uma página no Facebook e, no próximo período, também terá um espaço no Moodle da Escola.

42

Tem realizado muitos projetos, atividades e ações, sempre em prol do Oceano, envolvendo, tanto quanto possível, as Famílias dos Alunos.


Newsletter AEM #11 . jan ‘22

Saída de Campo à Praia do Magoito . Vida entre a Terra e o Mar (Dia e Noite) Esta saída realizou-se no dia 16 de outubro e juntou cerca de 58 pessoas (havendo 20 alunos do Clube). Teve como principais objetivos dar a conhecer a geologia da região, nomeadamente a duna consolidada ou duna fóssil do Magoito; observação e registo fotográfico dos seres vivos no local e limpeza da praia, com contagem dos resíduos sólidos encontrados e seleção de materiais para a Escultura de uma Baleia Gigante no recinto escolar (no final do ano letivo). Pela primeira vez, foi utilizado o Marmobile (carrinho que facilita o transporte dos alunos). https://escolaazulmarinhais.blogspot.com/2021/10/mini-expedicao-em-familia-praia-do.html Após esta saída, os alunos procederam à identificação de espécies, estudo da morfologia e pesquisa de curiosidades da Biodiversidade Entremarés fotografada, o que pode ser visto em: https://escolaazulmarinhais.blogspot.com/2021/11/sessao-lai-clube-do-mar-grupo-g2-3.html O resultado deste trabalho foi a criação de um Padlet, com todas as fotografias e informações recolhidas pelos alunos, que pode ser consultado em: https://padlet.com/carladarosa/c8pn05fie57ckdbp?utm_campaign=transactional&utm_content=view_padlet&utm_meMarmobile dium=email&utm_source=started_a_padlet

43


clube do mar . clube do mar . clube do mar . clube do mar . clube do mar

Comemoração do Dia Nacional do Mar

O dia 16 de novembro (Dia Nacional do Mar) começou com os embaixadores da Escola Azul da escola EB2,3 Marinhais, a receberem os galardões da Escola Azul e a hastearem a bandeira da Escola Azul em conjunto com os alunos do Clube do Mar. Em homenagem à “Winter o golfinho” (nome comum: Roaz-corvineiro e nome científico: Tursiops truncatus) que faleceu no dia 11 de novembro e a todos os animais que são vítimas do “ghostfishing” e da poluição dos mares (ex: do plástico), a bandeira ficou a meia haste durante 2 semanas. Nesse mesmo dia, alguns dos alunos do Clube do Mar foram às piscinas de Salvaterra de Magos, para praticar o mergulho em Apneia, pois entre junho e julho, os membros do clube do mar vão aplicar as técnicas aprendidas nas sessões de mergulho e na ida ao Açores. https://www.youtube.com/watch?v=5Ct7C3X4UTE&t=129s (Eduarda Oliveira e Lúcia Pilré)

44


. clube do mar . clube do mar . clube do mar . clube do mar

G1

G2

G3

G4

Newsletter AEM #11 . jan ‘22

Iniciação ao mergulho em Apneia nas Piscinas de Salvaterra de Magos

Após realizarem vários exercícios respiratórios durante as semanas anteriores, os alunos puderam finalmente experimentar as suas novas máscaras de mergulho (e respetivos tubos) nas piscinas de Salvaterra de Magos. https://escolaazulmarinhais.blogspot.com/2021/11/iniciacao-ao-mergulho-em-apneia-1.html

45


História de Bill, a tartaruga que foi adotada pelo Clube, após ter sido resgatada graças ao projeto chamado Marinelife Mission

O Bill é uma tartaruga adulta, macho, que mede 70 cm e pesa 43 kg. É uma tartaruga-de-pente ou tartaruga-legítima (Eretmochelys imbricata) e foi encontrada na praia, com uma linha emaranhada ao pescoço e nas suas barbatanas anteriores. O Bill recebeu tratamento no Centro de Reabilitação e foi monitorizado de perto até à sua libertação que ocorreu no dia 13 de outubro de 2021, no seu meio natural (Praia da Costa Rica - Oceano Pacífico). É possível seguir o percurso do Bill através de um GPS que ele transporta. https://marinelifemission.org/pages/gpstracker-bill03252?_ kx=pJnXnYmtlWgj9EQmpe6tUTJ_GFTAkPna65AbqY40ztI%3D.XgGapQ Eliana Pais e Iara Nunes

46 clube do mar . clube do mar . clube do mar . clube do mar . clube do mar


Newsletter AEM #11 . jan ‘22

Noite de Lua Cheia no Escaroupim

No dia 19 de novembro, houve uma atividade no Escaroupim, em noite de Lua Cheia, onde muitos membros do Clube do Mar participaram. Nesse dia, fizemos bastantes atividades. Começámos por volta das 17:45 horas e acabámos pelas 00:00 horas. O dia começou com um eclipse penumbral e terminou com a nossa despedida da Lua. Além de ser uma aula ao vivo para conhecer a influência da Lua nas marés, as várias constelações que identificámos com as aplicações no telemóvel, também aproveitámos para conviver, criar memórias, passar tempo com a família e os amigos, etc. A primeira atividade foi a marcação do nível da maré para depois irmos observar em que nível estava a maré poucas horas mais tarde. Depois, os membros do Clube do Mar e as suas famílias fizeram formas como a Lua Cheia, Quarto Crescente, um Coração (que representa o quanto amamos o Mar) e o Bill, a nossa tartaruga adotada, a nadar com as suas barbatanas. Foi tudo filmado de cima com um drone. O professor Rui Rosa fez uma Sopa da Lua (sopa da pedra à qual juntou algas) e começámos a jantar às 20:00. Após o jantar, houve vários jogos tradicionais que juntaram pais e filhos, tendo terminado por voltas das 00:00h. https://escolaazulmarinhais.blogspot.com/2021/11/eclipse-penumbral-da-lua-e-confecao-da.html https://escolaazulmarinhais.blogspot.com/2021/11/saida-de-campo-em-familia-noite-de-lua_23.html (Bárbara Neves e Joana Apolinário)

. clube do mar . clube do mar . clube do mar . clube do mar

47


clube do mar . clube do mar . clube do mar . clube do mar

O Mar vai ao 1º Ciclo

No dia 9 de dezembro, no âmbito da Literacia do Oceano, o grupo de alunos do Clube da 5ª feira foi até ao Centro Escolar de Marinhais para partilhar com os alunos do 4ºB as atividades e projetos desenvolvidos ao longo do 1º Período. https://www.youtube.com/watch?v=5Hdm9UsJWXE&t=8s

Construção do Bill com reaproveitamento de restos de tecidos

Na última 5ª feira, os alunos do Clube iniciaram a construção de várias tartarugas reutilizando restos de tecidos. É um trabalho bastante minucioso, pois têm de usar alfinetes e agulhas e têm de coser as várias peças que compõe a tartaruga.

Professores Rui e Carla Rosa

48


Newsletter AEM #11 . jan ‘22

Campanha de recolha de bicicletas usadas No âmbito do projeto “Vamos Cuidar do Planeta”, EscolaByBike – Divulgar e promover a utilização da bicicleta na comunidade, o 8º A está a promover uma campanha de recolha de bicicletas. Poderá entregar/doar a sua bicicleta na portaria da E.B. 2,3 de Marinhais durante o ano letivo 2021/2022. Aceitamos diferentes tamanhos, tipos e acessórios de bicicletas. A manutenção e o estado das bicicletas doadas serão avaliados pelos alunos na oficina da escola.

A E.B. 2,3 de Marinhais vai dar uma nova vida à sua bicicleta. Basta entregá-la na portaria da escola. Vamos doar para ajudar! Reciclar e reutilizar! A comunidade e o planeta agradecem!

Objetivos da campanha: - Promover a eco mobilidade ativa, a redução das emissões de CO2/descarbonização e a sustentabilidade na comunidade; - Desenvolver nos alunos do Agrupamento a capacidade motora – aprender a andar de bicicleta; - Aumentar o número de alunos utilizadores de bicicleta no seu percurso casa-escola, em segurança (média diária atual – 25 alunos); - Utilizar as bicicletas nos clubes do Desporto Escolar “Sobre Rodas” e “Multiatividades de Ar Livre”; - Promover hábitos de prática desportiva e de vida saudável na comunidade.

49


DIA EUROPEU DO DESPORTO ESCOLAR Nas celebrações da Semana Europeia do Desporto, comemorámos, no dia 24 de setembro, o Dia Europeu do Desporto na Escola #BeActive. Os nossos alunos e professores divertiram-se imenso com uma manhã repleta de modalidades desportivas: Tiro com Arco; Escalada; Atividades Rítmicas e Expressivas; Desporto sobre Rodas (BTT); Ténis de mesa e caminhada. Um agradecimento especial à Gabriela Betes (professora de Zumba) e à participação da APAM – Associação de Pais do Agrupamento de Escolas de Marinhais! #BeActive por uma vida saudável! Pratica muito exercício físico!

50


Newsletter AEM #11 . jan ‘22

Torneio interturmas – basquetebol (2º/3º Ciclo)

Nos dias 15 e 16 de dezembro, realizou-se, no pavilhão desportivo da Escola EB 2,3 de Marinhais, o torneio interturmas de basquetebol dos 2. ° e 3. ciclos, organizado pelo departamento de Educação Física do Agrupamento. Agradecemos a participação das turmas envolvidas e a colaboração dos alunos do 9° ano na realização da atividade. Os nossos jogadores em ação!!

51


Notícias do Ténis de Mesa Ainda antes de iniciarmos os nossos treinos de Ténis de Mesa, estivemos a comemorar o Dia do Desporto Escolar, a 24 de setembro, no Pavilhão da Escola. Muitos alunos escolheram esta modalidade e tiveram oportunidade de passar pelas mesas e jogar com os colegas. Alguns tiveram de aguardar porque não tínhamos raquetes para todos. Entretanto, já recebemos mais 10 raquetes novas (TIBHAR) e um saco com 100 bolas.

Apesar de este ano ainda não sabermos nada sobre os Campeonatos que irão realizar-se (ou não), já temos um grupo com cerca de 25 atletas! Entre estes atletas, temos quatro raparigas que treinam regularmente, o que é muito bom na nossa escola. No final deste período, entraram mais cinco alunos do 5º ano.

Às quartas-feiras à tarde, ocupamos todo o espaço, desde a entrada até ao refeitório, ocupando 6 mesas, onde os alunos têm oportunidade de jogar, a maior parte de acordo com o seu escalão. O treino inicia-se sempre pelo aquecimento: cada aluno com uma raquete e uma bola a fazer exercícios individuais. Este termina sempre com a tão aguardada “Volta ao Mundo”. Prof.ª Carla Rosa

52


Newsletter AEM #11 . jan ‘22

Na sequência da partilha do Plano Anual de Atividades foi lançado aos colegas o desafio de encontrar pontes/ sinergias entre as atividades no PAA. Não obstante uma tímida participação dos professores, o Painel ainda está disponível para receber novas interações. Estamos recetivos a sugestões para dinamizar a ideia, ou será que não faz sentido?

53


PADDE O Plano de Ação para o Desenvolvimento Digital da Escola é um instrumento enquadrado no Plano de Ação para a Transição Digital, um programa do XXII Governo Constitucional de Portugal, alinhado com a Política de Coesão da União Europeia entre 2021 e 2027. Estamos perante um programa que tem a sociedade digital como referente para a ação, apostando numa sociedade baseada no conhecimento, inclusiva, que cria condições para que todos possam desenvolver competências para participar nas oportunidades que são criadas pelas tecnologias digitais. Este Plano está regulado pela Resolução do Conselho de Ministros n.º 30/2020 e assenta em três pilares: Capacitação e inclusão digital das pessoas; Transformação digital do tecido empresarial e Digitalização do Estado. O PADDE enquadra-se no primeiro pilar, concretamente na Medida 1, Programa de Digitalização para as Escolas, que contempla diferentes dimensões, entre as quais: disponibilização de equipamento individual para utilização em contexto de aprendizagem; garantia de conectividade móvel gratuita para alunos, docentes e formadores do Sistema Nacional de Qualificações; acesso a recursos educativos digitais de qualidade; acesso a ferramentas de colaboração em ambientes digitais; aposta na capacitação de docentes, através de um plano de capacitação digital de professores, que garanta a aquisição das competências necessárias ao ensino neste novo contexto digital. A elaboração do PADDE foi uma tarefa da responsabilidade de cada Agrupamento de Escolas e contemplou diversas etapas, desde a recolha de evidências (Selfie e chek-in); análise dos dados; definição do Plano; implementação e monitorização das ações e avaliação. No nosso Agrupamento, o Plano está sob a responsabilidade dos colegas, Célia Mercê, Henrique Soares, Isidora Saramago e José Galego.

54

Na Visão deste Plano encontramos como instigação o “inovar e melhorar a qualidade da educação, garantindo uma maior igualdade, equidade e inclusão dos alunos; Promover o desenvolvimento das competências digitais, como um pilar essencial de organização educativa; Proporcionar uma articulação consistente entre o digital e o processo de en-


Newsletter AEM #11 . jan ‘22

sino aprendizagem, através de uma intervenção sistémica e consistente”. O PADDE está organizado em diferentes categorias, nomeadamente, a dimensão tecnológica e digital, que ao nível de meta tem a totalidade dos alunos na posse de um computador; todos os docentes com acesso à Internet. Na dimensão pedagógica, pretende-se que todos os alunos do 2.º Ciclo tenham utilizado o Laboratório de Aprendizagens Integradas; todos os professores a utilizar as ferramentas digitais. Relativamente à dimensão organizacional, como meta pretende-se que todos os professores tenham frequentado pelo menos uma formação, assim como um incremento no uso das plataformas digitais de aprendizagem e de comunicação por todos os profissionais do Agrupamento. A implementação do PADDE tem decorrido com normalidade, tendo sido executadas até à data diferentes ações, entre as quais: Na dimensão tecnológica e digital, foi finalizada a construção do Laboratório das Aprendizagens Integradas, todos os níveis de ensino já utilizam a plataforma GIAE ONLINE(faltava o Departamento do ensino do Pré Escolar) e foi recrutado no início do presente ano letivo um técnico especializado na área da informática. Ainda nesta dimensão, e no âmbito do Programa Escola digital, cujo grande objetivo é assegurar que todos os alunos e docentes possuam computadores e tenham acesso à internet, o Agrupamento já atribuiu 50 equipamentos a docentes e 415 equipamentos a alunos, distribuídos entre os 1º, 2º e 3º ciclos. Relativamente à dimensão organizacional, adquirimos um programa fundamental para um bom funcionamento da nossa biblioteca escolar, Biblio. NET. Iniciámos um conjunto de atividades como o envolvimento dos docentes na elaboração de uma estratégia digital, que contempla a partilha de conhecimentos, documentos de gestão e administração escolar online, a criação de espaço/tempo para trabalho colaborativo entre docentes do mesmo Conselho de Turma ou do mesmo Conselho de Ano; criado um Gabinete apoio digital; alocado um recurso humano para a dinamização da Biblioteca do Centro Escolar de Marinhais. Ainda nesta dimensão, iremos disponibilizar uma hora semanal rotativa, por departamento, no horário do responsável pelo plano tecnológico do Agrupamento e formar uma Equipa de Apoio à Produção de conteúdos digitais.

Por fim, na dimensão pedagógica, já desenvolvemos a parceria com a CCTIC de Santarém e iniciámos o trabalho em coadjuvação de forma a promover, sempre que possível, tempo aos professores para explorarem/melhorarem o seu ensino utilizando os Recursos Educativos Digitais, de forma sustentada com a colaboração dos seus pares, em ações em contexto de sala de aula ou no Laboratório das Aprendizagens Integradas; o apoio/incentivo à formação informal dos docentes, bem como as ações de formação de capacitação digital, promovidas pelo Centro de Formação Educatis. Todos os alunos do 1º ciclo possuem uma licença para utilização da Escola Virtual, licença adquirida e oferecida pela Câmara Municipal de Salvaterra de Magos. Iniciámos a promoção da utilização de dispositivos móveis em sala de aula, de aplicações digitais desportivas no processo de ensino-aprendizagem; introdução de tecnologias do pensamento computacional e à programação no 1.º CEB. Estamos a formar uma comunidade de prática com o objetivo de (re) pensar mudanças estruturais nos processos – instrumento – práticas de avaliação utilizando ferramentas digitais, englobado no Projeto MAIA. Ainda, durante este ano letivo queremos iniciar o Projeto de Programação e Robótica para 2.º Ciclo, criar um repositório de recursos relativos aos ambientes de aprendizagem e desenvolver equipas digitais.

Estamos perante um trabalho complexo que exige o envolvimento de toda a comunidade educativa, um desígnio que não podemos descurar, em prol de uma escola alinhada com os desafios do século XXI, apta a preparar os nossos alunos para um sociedade onde as competências digitais são determinantes para a promoção de equidade e melhores oportunidades. Henrique Soares/ VL

55


obrigado pela leitura!

até a próxima edição