Issuu on Google+


SOLITÁRIO: “Minha força está na solidão. Não tenho medo nem de chuvas tempestivas nem de grandes ventanias soltas, pois eu também sou o escuro da noite.” (Clarice Lispector) Texto de 2007 e foto de 2009.

Há dias que as roupas estão no varal. Secaram já. Mas espero a coragem. Essa sim, falta sempre. Não admira que ela fuja. São tantos passos que eu posso dar que pesa mesmo! Espero cogitar algumas possibilidades e desfrutar mais da vida. Ela já secou também. E continua estendida num varal alto, precipitadamente acima da realidade, como as roupas. A vida e os tecidos dançam, movem-se calma e estressantemente. Nem notam os questionamentos humanos, aumento de estatísticas, horário, burocracia... o sorriso passa despercebido, acanhado, sem vontade de virar som. Vou guardá-las. Preciso das roupas, que materializam a gente. Mas elas também desmaterializam o medo, revelando desejos, ao serem tiradas do nosso corpo. A vida também comove, fazendo-me eterna observadora desse varal de trocas diversas de diferentes roupas, durante a minha existência, enquanto perco-me nos sonhos ou dela. [ Grupo Corpo - Onqotô: www.youtube.com/watch?v=TnlFhNWjPfs&feature=player_embedded ]

25



CronicalMente HUMANA