Issuu on Google+

ANO II • Nº 17

JORNAL DO CENTRO UNIVERSITÁRIO VILA VELHA • UVV • FACULDADE DE VITÓRIA • FACULDADE DE GUAÇUÍ • MAIO/2005 IMPRESSO ESPECIAL 1790/2004-DR/ES SEDES/UVV CORREIOS

Não deixe de conferir o que

Boletos: agora exclusivamente

Dia Mundial Sem Tabaco:

Dois alunos,

acontece nos campi da UVV.

na intranet acadêmica.

por uma vida mais saudável.

dois talentos musicais.

Páginas 2 e 3

Página 2

Página 6

Página 7


EM PAUTA

Boletos de pagamento A partir do mês de maio, o boleto de pagamento estará disponível somente na INTRANET ACADÊMICA. Para a impressão do boleto, basta acessar o site www.uvv.br, no link serviços para alunos. Quem, por algum motivo, não puder imprimir via INTRANET ACADÊMICA, poderá procurar o Núcleo de Atendimento até o dia do vencimento do boleto (horário bancário) ou o Departamento Financeiro, no horário comercial, e retirar o boleto gratuitamente. Outra opção é imprimir na Biblioteca com valor de uma impressão. Mais informações pelos telefones 3320.2012 e 3320.2105.

Pesquisas sobre veículos de comunicação Quatro alunos do 3º período do curso de Marketing da UVV estão realizando uma pesquisa dos veículos de comunicação da instituição. Os alunos são Adann Serpa, Raphael Abreu, Luiz Felipe Sardinha e Felipe Maurício. O trabalho é uma atividade da disciplina de Pesquisa de Marketing, ministrada pelo professor e coordenador do curso, Renato Miranda. Os objetivos da pesquisa são conhecer a opinião

Jornal Saber

“Saber” é uma publicação interna do Centro Universitário Vila Velha (UVV) Faculdade de Vitória e Faculdade de Guaçuí Ano II – Número 17 – Maio/05

Conselho Editorial: Luciana Dantas, Marinete Andrião Franchischetto, Giulianno Bresciani, Ângela Dantas, Jefferson Cabral, Marlene Pozzatto, Maria Luiza de Barros Faria, Juliana Rocha Stein, Zilma Maria Almeida Cruz, Maria Cristina Dadalto, José Luiz Gouvêa Gasparini e Márcia Capovilla. Jornalista responsável: Simone Patrocínio – ES01585/JP Edição: Comunicação Institucional da UVV - Simone Patrocínio Textos: Simone Patrocínio, Francisca Pereira, Fernanda Rangel (8º período de Jornalismo), Luisa Saiter e Saulo Malbar (7º período de Jornalismo) e Rodrigo Araújo (6º período de Jornalismo). Revisão: Maria Luiza de Barros Faria Fotografias: Simone Patrocínio, Anderson Nepomuceno e Rodrigo Araújo Colaboração: Tom Castro e Gustavo Pizzol Projeto gráfico e editoração: Bios Ltda Fotolitos e impressão: Grafitusa Tiragem: 12.000 exemplares Filiado à

Centro Universitário Vila Velha (UVV) Reitor: Manoel Ceciliano Salles de Almeida Vice-reitora: Luciana Dantas da S. Pinheiro

Jornal Saber

Pró-reitor acadêmico: Paulo Régis Vescovi Pró-reitor administrativo: Edson Franco Immaginário Rua Comissário José Dantas de Melo, 21 Boa Vista, Vila Velha, 29.102-770 www.uvv.br • jornal@uvv.br Tel.: (27) 3320.2001

2

MAIO/2005

da comunidade acadêmica sobre os veículos de comunicação da UVV e traçar um perfil do receptor. A pesquisa quantitativa vai ouvir, através de questionário semi-estruturado, cerca de 400 estudantes da UVV de forma estratificada por sexo, turno e área. “A UVV vai aproveitar as informações da pesquisa para traçar a política editorial e adaptar o conteúdo dos veículos às preferências do receptor”, esclarece.

Seminário Internacional dos Refugiados O Núcleo de Apoio aos Refugiados no Espírito Santo (Nuares) da UVV vai promover, nos dias 8 e 9 de junho, no Cineteatro, no campus Vila Velha, em Boa Vista, o II Seminário Internacional dos Refugiados. O Nuares é uma atividade de extensão do curso de Relações Internacionais da UVV em parceria com o curso de Direito. O tema do seminário é “Direito Internacional e refugiados”. O evento vai contar com a presença do representante da ONU no Brasil, Luís Varese. Outra convidada

Pós-graduação Atualmente a UVV tem cerca de 30 cursos em andamento com mil alunos matriculados. Tiveram início em 2005/1 nove cursos. Os inéditos são os cursos de Auditoria e Perícia Judicial e Clínica e Cirurgia de Pequenos Animais. Os cursos de MBA em Gerência de Projetos e MBA em Gestão Empresarial/Negócios lançaram duas turmas devido à grande demanda. Na 12ª turma estão os cursos de Logística e Comércio Internacional e MBA em Marketing Estratégico. O curso de Gestão Ambiental já se encontra na 5ª turma, o MBA em Telecomunicações Gerência de Redes/Negócios na 4ª turma, e o MBA Gestão de Empresas de Mídia, na 2ª turma. Os cursos são ministrados na UVV Vitória, Praia do Canto, com exceção do curso de Clínica Cirúrgica de Pequenos Animais, que acontece em Vila Velha, no Hospital Veterinário.

especial é a presidente do Instituto de Migrações e Direitos Humanos (IMDH), Irmã Rosita Milesi. Também participam do evento representantes da OAB/ES, Ministério Público Federal, Polícia Federal e Ongs ligadas aos direitos humanos. A novidade fica por conta de depoimentos de refugiados. Durante o evento será lançado um livro com artigos sobre refugiados produzido por alunos e professores do curso de Relações Internacionais da UVV, além de convidados.

Royalties de Petróleo

Com o objetivo de promover o desenvolvimento regional sustentável dos municípios receptores dos royalties provenientes da prospecção de petróleo no Estado, está sendo desenvolvido por alunos da UVV o projeto “Royalties do Petróleo”. O projeto de pesquisa e extensão conta com a participação de 14 alunos dos cursos de Relações Internacionais, Economia e Engenharia de Petróleo, sob orientação da professora Viviane Mozine. Os estudantes fizeram um diagnóstico a partir de dados primários e no segundo semestre vão a campo para promoção da fase de intervenção. O projeto prevê a realização de campanhas educativas, palestras, pesquisas, levantamentos de dados socioeconômicos e outros. Entre as atividades do projeto, um destaque será a promoção do I Seminário “Economia do Espírito Santo e os royalties do petróleo” nos dias 11 e 12 de maio. Durante o evento será distribuída uma cartilha educativa no estilo gibi para esclarecer o que são os royalties.

Direito Internacional e Refugiados O oficial de proteção do ACNUR/ONU (Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados), Dr. Wellington Carneiro, esteve no Espírito Santo com o objetivo de promover a capacitação na área de Direito Internacional e Refugiados. O objetivo foi promover a preparação técnica para acolhimento de refugiados no Espírito Santo através do Nuares (Núcleo de Apoio

aos Refugiados do Espírito Santo) do curso de Relações Internacionais da UVV e da Cáritas. O representante do ACNUR/ONU anunciou a aprovação do Nuares como pólo de reassentamento de refugiados e assinou um termo de cooperação internacional, além de dar início ao processo de implantação da Cátedra “Sérgio Vieira de Mello”. A cátedra da ONU homenageia o embaixador brasileiro assassinado num ataque terrorista no Iraque. Essa cátedra vai promover a doação de livros técnicos à UVV sobre refugiados e direitos humanos, capacitação de professores e alunos do curso, incentivo à pesquisa e publicação de trabalhos científicos. O núcleo foi escolhido para reassentamento de um grupo de mulheres colombianas em situação de risco. “Vamos ajudar no reestabelecimento da dignidade humana, pois essas mulheres vão sair de uma situação de guerra e risco. Elas virão para um país estranho, ao qual terão de se adaptar”, explica a coordenadora do Nuares, Viviane Mozine.

Dr. Wellington Carneiro


Caça talentos

Sinaes A UVV se antecipou e já vem, desde 1999, realizando avaliações de forma sistemática da comunidade acadêmica. A informação é da pedagoga Rachel Baião Duemke e do diretor de graduação Nilton Dessaune, integrantes da comissão encarregada da implantação na UVV do Sinaes (Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior). “A UVV já tem a cultura de avaliação, o que facilita esse processo”, acrescenta o diretor. O Sinaes foi instituído pela Lei Nº 10.861, de 14 de abril de 2004, fundamentado na necessidade de promover a melhoria

da qualidade da educação superior. O Conaes (Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior) é o órgão coordenador e supervisor do Sinaes. “O Sinaes é um sistema mais completo e amplo com modelo único comum a todas as instituições”, esclarece Rachel Baião Duemke, integrante da Direção de Planejamento e Ensino (DPE) da UVV. Por esse novo sistema, serão avaliados os cursos, a instituição, os professores, os coordenadores e os funcionários. O desempenho dos alunos é avaliado também pelo Enade (Exame Nacional de

O curso de Comunicação Empresarial da UVV por meio da disciplina Laboratório de Comunicação Integrada II está cadastrando os talentos artísticos da instituição. O objetivo é formar um cadastro de talentos na UVV visando a participação nos eventos artísticos promovidos pelo curso. Podem participar pessoas com habilidades nas áreas de dança, música, literatura, teatro, cinema, artes plásticas, fotografia e outros. Os interessados devem entrar em contato com o Núcleo de Produção Cultural da Rede UVV, que fica localizado no 1º piso do prédio do Núcleo de Comunicação Integrada da UVV, no campus Vila Velha.

Desempenho) - que é realizado duas vezes por ano, com participação por amostragem de alunos do primeiro e do último período dos cursos selecionados. O processo de avaliação da instituição é desenvolvido em duas etapas. Uma delas é a auto-avaliação coordenada pela Comissão Própria de Avaliação (CPA), que já foi constituída no Centro Universitário Vila Velha, e a avaliação externa, que será realizada por comissões formadas por especialistas em avaliação institucional, designadas pelo Inep segundo diretrizes estabelecidas pelo Conaes.

Rede UVV

Novos cursos A UVV lançou novos cursos superiores de formação específica e tecnológicos. Serão implantados dois cursos seqüenciais – Gestão de Clínicas e Hospitais e Gestão Pública, com duração média de dois anos – e três tecnológicos – Desenho Industrial, Gestão de Exportação de Ro c h a s O r n a me nt a i s e Gestão de Supermercados e Distribuidoras. Os cursos podem durar de dois anos e meio a três anos e meio. As vagas foram oferecidas para o Vest UVV Outono/Inverno.

Assessoria Internacional A Assessoria Internacional da UVV está sendo reformulada. Além da reitoria, passa a contar com o suporte técnico do curso de Relações Internacionais. A nova assessora é a professora Aline Castro, do curso de Relações Internacionais. O setor é responsável pelo desenvolvimento dos projetos internacionais e promove intercâmbio para estudo e lazer. O setor será responsável por recepcionar, entre os dias 15 e 21 de maio, um grupo de 24 estudantes e dois professores da Universidade de West Virgínia, Estados Unidos. No segundo semestre, a UVV vai enviar para intercâmbio nos Estados Unidos dois estudantes do curso de Direito. As inscrições estão abertas. A seleção será feita pelos professores da universidade americana. O pré-requisito são boas notas e fluência no inglês. Além da Universidade de West Virginia, a UVV tem intercâmbio com uma universidade norueguesa. Informações pelo telefone 3320-2057 ou pelo e-mail: alinecastro@uvv.br.

UVV é bicampeã brasileira A UVV garantiu o título de bicampeã brasileira universitária ao vencer a Universo de Goiás por 2X1 na final do Campeonato Brasileiro de Futebol de Campo, disputada no estádio Serra Dourada, em Goiás. A equipe da UVV convocada para a seleção que participou do Campeonato Sul-americano é formada por André (lateral), Jeff (zagueiro), Didinho (zagueiro), Andrezinho (meia), Nildo Júnior (atacante), o massoterapeuta,

UVV procurei encontrar um nome que se relacionasse de forma simples e direta com a instituição”, revela. O evento foi animado pela Banda Lucy e contou com o apoio cultural da Rádio Cidade e Tela Show. A grade de programação da Rede UVV foi totalmente reformulada com novos programas. A programação da Rede UVV é veiculada todas as noites no Canal 13 da NET.

VIII Fórum de Jornalismo

Um artigo científico escrito pela coordenadora do curso de Comunicação Social da UVV, Cristina Dadalto e pela professora Darcília Moysés Borges, foi apresentado durante o VIII Fórum de Jornalismo, em Maceió. O tema é “Práxis transversal”. Trata-se do projeto pedagógico do curso de Comunicação Social da UVV que está sustentado em linhas transversais unindo cultura, ética e cidadania. “A aprovação do artigo nesse importante evento científico demonstra que estamos no caminho certo com toda essa efervescência e participação dos alunos nos projetos de extensão do curso”, ressalta a coordenadora Cristina Dadalto.

Equipe da UVV é bicampeã

Pereira, e o preparador físico Paulo Paixão. O melhor atleta da competição foi Andrezinho, da UVV. Nildo Júnior, com 5 gols, foi o atleta da UVV que mais marcou. A UVV também teve o goleiro menos vazado da competição, Marcelo, a defesa menos vazada e o ataque mais positivo. A equipe da UVV deverá ainda compor a seleção que vai representar o Brasil na Universíade da Turquia, que será realizada no final do ano.

Jornal Saber

Reitor da UVV, Manoel Ceciliano Salles de Almeida e aluna vencedora Suziene Carla de Oliveira

O novo nome da TV da UVV foi lançado em cerimônia realizada no Centro de Vivência, com a presença do reitor Manoel Ceciliano Salles de Almeida. O novo nome é Rede UVV. Na ocasião, foi entregue o DVD de prêmio à aluna do 5º período do curso de Engenharia de Produção, Suziene Carla Assis de Oliveira (foto), vencedora do concurso de criação do novo nome da TV. “Ao criar o Rede

MAIO/2005

3


CAPA ESPECIAL

Disposição para ajudar e aprender A comunidade UVV não cruza os braços quando o assunto é trabalho voluntário

“Você ensina e também aprende muito. E, muitas vezes, você aprende até mais do que ensina”, Iraci Aparecida.

Jornal Saber

Christiano Augusto Menegatti

4

MAIO/2005

Luísa Saiter

Às vezes achamos que ser voluntário é difícil e que vai exigir muito de nós. É aí que nos enganamos, pois o trabalho voluntário é a doação do nosso tempo disponível e da nossa competência a algum grupo da sociedade que necessita de ajuda. Na UVV, alunos, funcionários e professores participam ativamente de atividades voluntárias que têm ligação com a instituição ou não. Atividades essas que têm um único propósito: contribuir para o bem-estar social. O professor Christiano Augusto Menegatti, do curso de Direito, foi aprovado recentemente no mestrado da UNIPOS, na área de educação, e o tema do seu projeto de pesquisa é, entre outros, o “Trabalho voluntário como instrumento pedagógico”, tendo como linha de pesquisa ambientes educacionais, desenvolvimento humano e práticas de intervenção. Para entendermos melhor quais são as formas de atividades voluntárias, Christiano explica a diferença entre o estágio voluntário e o trabalho voluntário, sabendo-se que a atividade voluntária é aquela que não envolve remuneração. O estágio voluntário é uma complementação do aprendizado e do estudo, e tem a ver com a formação profissional do cidadão. Já a proposta do trabalho voluntário é despertar não só a formação do profissional, como também a cidadã.

Christiano explica que o ideal é que a atividade desenvolvida proporcione a formação profissional e a cidadã e acrescenta: “Como nessas atividades normalmente lidamos com pessoas carentes, que vivem uma outra realidade, através da prática as pessoas passam a dar mais valor à sua família e ao estudo. Os problemas de hoje são influenciados pela falta de educação. Mas, acima disso, está a falta de cidadania”, enfatiza o professor. Rosângela Moronari Tristão, secretária da reitoria da UVV, é um exemplo de cidadania. Ela desempenha trabalho voluntário no projeto de Alfabetização para Jovens e Adultos da UVV, desde o início do projeto, em 2003. Rosângela conta que é voluntária pela satisfação pessoal. “Sempre atuei na comunidade fazendo trabalhos voluntários. A gente se sente mais cidadão, mais responsável. Além disso, a troca de carinho e atenção é algo muito bom e muito gratificante”, diz e convida: “A turma tem cerca de 15 alunos, na terça-feira estou sozinha realizando a alfabetização e estou à procura de alguém para me ajudar na alfabetização desses jovens e adultos”.

Jovens cidadãos

Em se tratando de alunos que realizam atividades voluntárias, podese dizer que na UVV eles possuem consciência da importância dessas ações. É o caso de Viviane Lúcia Fernandes Vago, aluna do 2º período de Ciências Biológicas. Ela é estagiária voluntária no laboratório de microbiologia e atualmente ajuda uma aluna no seu TCC – Trabalho de Conclusão de Curso, que realiza um estudo sobre os fungos existentes em duas áreas do Parque Paulo César Vinhas. Esse é o terceiro estágio voluntário de que Viviane participa na UVV. “No primeiro período participei do ‘Zoológico Itinerante Educativo’, no segundo período participei do projeto ‘Lixo na Lixeira’ e antes dele acabar fui procurar um novo estágio e me identifiquei com esse onde estou

agora”. Além disso, a aluna é monitora voluntária na matéria de Biologia Molecular. “Estou aprendendo muito. Às vezes você atua em um estágio remunerado e não aprende nada. Aqui, tenho a oportunidade de aprender coisas que não aprenderia tão cedo”, acrescenta. Marcos Paiva Santos, que cursa o 5º período de Ciências da Computação, é mais um dos milhares de alunos da UVV que realizam atividades voluntárias. Ele é monitor voluntário de matemática para alunos do primeiro e terceiro período de Ciência da Computação. Marcos, que é professor de matemática, física e informática, numa escola estadual de Guarapari, conta que começou a desenvolver a monitoria no início desse período, e só não iniciou antes porque não tinha tempo. Fora da UVV, quando está com tempo vago, ele dá aulas particulares gratuitas para os alunos do colégio onde trabalha. “Às vezes, você sabe muito de uma coisa e fica com aquilo guardado para você, não compartilha com ninguém e isso não é legal”, afirma. O aluno Erick George Moreira Oakes, do 1º período de jornalismo, é estagiário voluntário de rádio e no seu trabalho faz produção, comentários e locução do programa. Ele demonstra estar encantado com a atividade. “A professora nos dá bastante liberdade para opinarmos, dar idéias para os programas, e tudo mais... Estou satisfeito”. Erick conta ainda que iniciou o estágio voluntário para que, mais tarde, possa conseguir um estágio remunerado. “É importante ser voluntário para ganhar experiência, ter contatos com gente da área e construir meu caminho”, explica. O aluno do primeiro período de Relações Internacionais, Bruno Zardo, participa como voluntário da Simulação das Organizações Internacionais – SOI, desde fevereiro deste ano. Ele já havia participado do SOI no ano passado, mas como estudante do ensino médio, quando foi destaque como delegado do comitê em que atuou – o Comitê Especial de Política Internacional. Bruno está muito satisfeito com


O esforço valeu a pena

“Entrei como voluntária no projeto Hanseníase quando estava terminando o primeiro período. O projeto ainda nem era reconhecido como extensão e eu já fazia parte dele. Ao todo, trabalho nele há três anos, e desses, dois anos e meio como voluntária”, essa é a história de Iraci Aparecida Marques

Erick George Moreira Oakes, aluno de Jornalismo

Viviane Lúcia Fernandes Vago, aluna de Ciências Biológicas

de Oliveira, aluna do 6º período de enfermagem. Depois de se dedicar intensamente ao projeto Hanseníase, seu esforço foi retribuído. A aluna foi contemplada quando completou dois anos e meio de estágio voluntário. “Mesmo depois de formada, quando tiver a oportunidade de desenvolver atividades voluntárias, eu farei”. Iraci tem planos para desenvolver esse mesmo projeto no interior do estado depois que se formar. A re a l i z a ç ã o de a t i v i d ade s voluntárias, além de contribuir para a promoção do bem-estar social e pessoal, também é muito valorizada pelas empresas, escolas e organizações sociais. A UVV ainda aponta outras razões para que alunos,

funcionários e professores se tornem voluntários. Segundo a vice-reitora, Luciana Dantas, no processo ensinoaprendizagem, o aluno que participa de estágio voluntário na instituição só tem a ganhar, pois desenvolve uma prática assistida. Funcionários e professores da UVV também são estimulados a exercitar a cidadania já que, no Plano Institucional de Progressão Funcional, a atividade voluntária é valorizada. No fim da atividade voluntária, o aluno recebe um certificado que vale como pontos para o Programa de Atividades Complementares, exigido na grade curricular dos cursos de graduação. Além disso, os voluntários em projetos de extensão têm vantagem no processo de classificação para vagas nos programas de bolsa na UVV, nas modalidades de monitoria, estágio extracurricular, extensão e iniciação científica. No caso do programa de bolsa de estudos na pós-graduação – oferecida a três concluintes de cada curso de graduação com os melhores coeficientes de rendimento –, a atividade voluntária é utilizada como critério de desempate. Luciana lembra a importância dessas atividades em nível de mercado. “Hoje existe uma conscientização dos empresários com relação à prática de responsabilidade social e uma mobilização no sentido do desenvolvimento de ações que contribuam para a melhoria da qualidade de vida da comunidade. Diante disso, o mercado passou a exigir essa postura dos profissionais. Quando o aluno sai da faculdade com essa experiência, ele entra no mercado com mais chances de emprego”, comenta.

As formas de ação voluntária são tão variadas quanto a criatividade do voluntário e as necessidades da comunidade.

Se você quer ser voluntário, procure a coordenação de seu curso e saiba como pode ajudar. MAIO/2005

5

Jornal Saber

seu estágio voluntário e explica por que desempenha tal função. “Meu objetivo é o Itamaraty. Se você tem um interesse, um objetivo, selecione bem aquilo que vai fazer e comece a ceder o seu tempo livre para desenvolver atividades na área em que deseja atuar”, diz. E na UVV, não são só alunos e funcionários que se envolvem em atividades voluntárias, o professor Arion Carlos Ribeiro, dos cursos de Psicologia e Educação Física se uniu com alunos para criar o Grupo de Estudo da Psicologia do Esporte. A atividade conta com diversos alunos voluntários do curso de Psicologia e a intenção é que alunos da Educação Física também participem. O projeto, que existe há um ano e meio, faz o acompanhamento psicológico de atletas da UVV e, para o semestre que vem, a intenção é que ele passe a atender atletas da comunidade. Arion revela que o projeto ainda não abrange a comunidade extra UVV porque necessita de mais voluntários. “A gente tem um alcance restrito devido ao número de horas que posso dedicar ao projeto e por termos uma quantidade pequena de voluntários”, conta.


DE BEM COM A VIDA SAÚDE

Por uma vida saudável O tabagismo é a terceira forma de morte evitável no mundo

Saulo Malbar

Segundo a Organização Mundial da Saúde, o tabaco é a principal causa de morte evitável em todo o mundo.

O tabaco já foi visto durante várias décadas como símbolo de status, sucesso, luxo e prazer. Formadores de opinião, como famosos e bem sucedidos, sempre foram usados pela chamada indústria do tabaco para sustentar essa falsa imagem do fumo e fazer com que as pessoas, principalmente os jovens, se identificassem com a publicidade. “A mídia ataca os adolescentes com propagandas sobre o tabaco que os levam a fumar muito cedo”, diz o professor de Farmácia, João Vicente Franquini. “As amizades, caracterizadas com a aceitação em grupos e pais fumantes também influenciam bastante nesse momento”, acrescenta. O professor afirma, também, que a facilidade ao acesso induz ao consumo do fumo. “O jovem experimenta o primeiro cigarro e, depois, se vicia”, afirmou Franquini. O tabaco é composto por mais de 4.700 substâncias tóxicas. Uma delas é a nicotina, que, além de causar o vício pelo tabaco, age no sistema nervoso num processo parecido com o da cocaína

João Vicente Franquini

e da heroína. Outro exemplo é o alcatrão, que é um composto de mais de 40 substâncias comprovadamente cancerígenas. E também a amônia, que faz o cigarro liberar mais nicotina, causando maior dependência. A solução do amoníaco é a mesma utilizada em detergentes. Atualmente as pessoas estão mais informadas e conscientizadas sobre os malefícios do fumo, associando-o às diversas doenças, como cânceres de pulmão, laringe e esôfago. Quem fuma tem cinco vezes mais chance de sofrer infarto, bronquite crônica e enfisema pulmonar, além de derrame cerebral, cujo risco é duplicado. Quem também sofre com o tabaco é o fumante passivo, que inala a fumaça por conviver com fumantes em locais fechados. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, o tabagismo passivo é terceira maior causa de morte evitável no mundo, perdendo somente para o tabagismo ativo e o consumo excessivo de álcool. Em caso de adultos, o tabagismo passivo aumenta em 30 % o risco de câncer no pulmão e 24% o de infarto. Os malefícios do fumo atingem também a economia. De acordo com pesquisas do Banco Mundial, o tabagismo gera uma perda mundial de 200 bilhões de dólares por ano.

Alguns dos fatores que levam a esse prejuízo são a sobrecarga do sistema de saúde, com tratamentos das doenças causadas pelo fumo, mortes precoces de cidadãos em idade ainda produtiva, maior índice de aposentadoria precoce e também a redução da qualidade de vida do fumante e de sua família. Para as pessoas que desejam parar de fumar, a melhor forma é a parada imediata, em que momentaneamente a pessoa deixa de fumar. Outra possibilidade é a forma gradual, em que a cada dia é diminuído o número de cigarros, ou também adiando a hora do primeiro cigarro do dia. Um alerta são para os cigarros de baixos teores, pois fazem mal à saúde da mesma forma que os comuns. Uma boa dica para quem quer deixar de fumar é praticar esportes. O exercício físico é importante para substituir saudavelmente o tempo antes destinado ao fumo. Desde 1987, a Organização Mundial da Saúde comemora no dia 31 de maio o Dia Mundial Sem Tabaco, que visa sensibilizar as pessoas sobre as doenças e as mortes evitáveis relacionadas ao fumo. No Brasil, o Ministério da Saúde, junto com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), desenvolvem anualmente diversas ações de controle do tabagismo.

Para quem quer parar de fumar Vila Velha Unidade Sanitária da Glória Av. Carlos Lindemberg, 1017 Contato: (27) 3139.9011

Jornal Saber

Vitória Centro de Prevenção e Tratamento ao Toxicômano (CPTT) Rua Álvaro Sarlo, s/n - Ilha de Santa Maria Contato: (27) 3132.5104 Fonte: Instituto Nacional do Câncer - www.inca.gov.br

6

MAIO/2005


TALENTOS MÚSICA

Entre sons e acordes

Novas bandas destacam jovens cheios de talento e caminham para o reconhecimento no cenário musical.

Com poucos quilômetros de chão rodados e muita estrada ainda pela frente, as bandas “The Black Circle” e “entreAspas” têm muito mais coisas em comum. Os alunos Rodrigo Araújo Costa, do 6º período de Jornalismo, e Weghiton Herrero Flores Pereira – Tom, do 1º período de Jornalismo e de Publicidade e Propaganda, são baixistas de cada banda. D e ac o rdo c o m To m , o no me “entreAspas” faz referência ao fato de haver uma baterista na banda. “Nós a consideramos o charme de nosso conjunto musical, e também uma raridade nesse meio”, explica. A banda surgiu em agosto de 2004, com o nome “Disritmia”, e com alguns integrantes que não fazem mais parte do grupo. Tom entrou na banda apenas em outubro, mas todos os integrantes dela já eram seus amigos de longa data. “Eu fiquei responsável pelo baixo e tive que abandonar a minha primeira banda – Anomalya“. Ele explica que, no geral, o estilo da banda “entreAspas” é pop rock, mas destaca que o som possui outras misturas e influências. “Nós queremos fazer algo diferente”, revela. Distante do estilo pop rock, a banda “The Black Circle”, segundo Rodrigo, traz um som com influências do movimento grunge, surgido no final dos anos 80 e início dos anos 90, nos Estados Unidos. “Esse movimento tinha como suas principais bandas o Nirvana, Pearl Jam, Alice in Chains, Soundgarden, Stone Temple Pilots, entre outras, que faziam um som bastante alternativo, com letras e arranjos bastante pesados”, explica. Rodrigo esclarece que o nome da banda, “The Black Circle”, faz uma referência ao disco de vinil – o círculo preto. Ainda de acordo com ele, a banda surgiu este ano, composta por integrantes que já haviam tocado em outros grupos. “Faltava, ainda, alguém para tocar baixo. Através do site www.tosembanda.com – por intermédio do qual músicos que procuram bandas e vice-versa podem fazer contato –, eles me acharam e me chamaram”, explica o baixista. Rodrigo e Tom distribuem seus horários entre faculdade, estágio e ensaio de banda. Mas, de acordo com ambos, essa não é uma tarefa tão desgastante. “Eu concilio tudo numa boa. De segunda a sexta, faço estágio e estudo. Nos fins de semana, quando tenho folga, ensaio

com a banda”, conta Rodrigo. Tom assina embaixo: “A banda não interfere, pois eu ensaio apenas nos fins de semana, quando já não tenho nenhum trabalho a fazer. Além disso, eu procuro organizar bem meus horários para não ter problemas futuros”.

Talento Natural

O interesse pela música não veio por acaso. Os dois baixistas demonstraram ter um dom natural para tocar instrumentos e fizeram dos seus próprios esforços os professores de música. “O meu maior contato com música foi quando cheguei a Guarapari, há cinco anos, onde a maior parte dos jovens toca algum instrumento musical”, revela Tom, que toca baixo, violão, guitarra, está aprendendo a tocar bateria e já compõe algumas músicas. Rodrigo entrou na aula de piano aos sete anos de idade e permaneceu até os dez. “Com 17 anos, quando entrei na minha 1ª banda, aprendi a tocar baixo sem ter tido qualquer aula, além de um pouco de violão e guitarra”, enfatiza Rodrigo. Apesar de possuírem composições próprias, as bandas preferem esperar algum tempo ainda antes de lançarem os primeiros CDs. “Já temos 16 músicas próprias, mas que ainda estão sendo aperfeiçoadas com novos arranjos. Por enquanto, a prioridade é amadurecer a nossa banda”, diz Rodrigo. De acordo com Tom, a banda “entreAspas” tem algumas composições, mas que ainda não foram devidamente trabalhadas.

“Nós estamos com um projeto para lançar um EP até agosto deste ano, quando a banda completará um ano”, adianta o baixista.

Planos

Além dos lançamentos, as bandas “The Black Circle” e “entreAspas” estão cheias de projetos para 2005 e 2006, entre eles, o de tocar em outras regiões, como Domingos Martins e Alegre. “Estamos montando um novo repertório para tocar nos quiosques da orla da Praia do Morro, além de estarmos trabalhando em nossas músicas e na divulgação da “entreAspas””, revela Tom. Segundo Rodrigo, a banda “The Black Circle” está sendo cogitada para tocar num evento de rock em Vila Velha em que só tocam bandas estilo grunge. “Mas a nossa prioridade ainda é o entrosamento do grupo e a conclusão de todas as nossas músicas”, observa. Estilos diferentes, mas objetivos em comum. Rodrigo e Tom têm o pé firme no chão quando o assunto é o futuro da banda. Para eles, antes de sair por aí mostrando o talento, os grupos ainda têm muito que amadurecer e caminhar. Mas, se depender do talento e da dedicação desses jovens, pode apostar nos nomes: “The Black Circle” e “entreAspas”. O sucesso vai ser conseqüência.

Rodrigo e Tom distribuem seus horários entre faculdade, estágio e ensaio de banda.

Rodrigo

Jornal Saber

Fernanda Rangel

Tom

MAIO/2005

7


VITRINE UVV CLASSIFICADOS

BIBLIOTECA

CELULARES

A nova Biblioteca Central A Biblioteca Central reabriu para atendimento no dia 14 de março, após meses de obras, o que representa não só a construção de mais de 800 m2 de expansão, como também a reforma geral das instalações, envolvendo troca de piso, instalações elétricas e hidráulicas, pintura e outras melhorias. Ainda estamos realizando os ajustes necessários ao novo espaço, cujo layout foi totalmente modificado, com a entrada principal voltada para o Centro de Vivência e área verde. Mobiliários e equipamentos estão sendo montados e o projeto de programação visual está em andamento. Contamos com o apoio dos diversos setores da UVV, tais como: setor de Engenharia e Obras, setor de Compras, setor de Manutenção, setor de Informática, setor de Comunicação Mercadológica, setor de Recursos Humanos, nos ajustes, testes, montagem dos equipamentos e outras providências. Como pode ser observado, estamos colocando à disposição dos nossos usuários uma Biblioteca mais ampla e confortável, com diferentes ambientes de estudo, na CATEGORIA DE USUÁRIO

certeza de que esse novo espaço seja realmente uma referência para a nossa comunidade acadêmica. Um mês após a reabertura, verificamos que a freqüência aumentou em torno de 30%, e que o número de livros emprestados alcançou a média de 1.200 exemplares por dia. Como o Serviço de Empréstimo é o mais utilizado pelos nossos usuários, estamos transcrevendo parte do Regulamento Interno da Biblioteca Central, aprovado pelo Conselho Superior da UVV, através da Resolução nº 15/2004, de 09-12-04:

Do empréstimo Art. 6º - O empréstimo domiciliar do acervo bibliográfico é facultado aos alunos, aos professores e aos funcionários técnicoadministrativos da UVV; Art. 7º - Os prazos de devolução variam de acordo com o tipo de material e a categoria do usuário, conforme abaixo: QUANT.

PRAZO

Livro/ livro e material adicional

3

7 dias úteis

Alunos de pós-graduação e professores

Livro/ livro e material adicional

5

14 dias úteis

Todas as categorias de usuários

Dissertações /tese (independente do nº de livros emprestados)

1

7 dias úteis

Todas as categorias de usuários

CD Rom e Mapas

1

3 dias úteis

Professores

Fitas de vídeo/ DVD Rom (independente do nº de livros/ dissertações ou tese emprestados)

3

3 dias úteis

Funcionários

Fitas de vídeo/ DVD Rom (independente do nº de livros/ dissertações ou tese emprestados)

1

De 6ª. a 2ª feira

Alunos de graduação e funcionários técnicosadministrativos

TIPO DE MATERIAL

§1º - Não será permitido o empréstimo domiciliar de mais de um exemplar do mesmo título, porém os materiais adicionais serão considerados como 01 item; §2º - Para fazer empréstimo, é obrigatória a apresentação de documento com foto; §3º - Os exemplares com carimbo “não circula” (exemplares de consulta local) poderão ser emprestados, na categoria de empréstimo especial, na sexta-feira , a partir das 19h, e devem retornar no 1º dia útil subseqüente (exceto sábado), até às 21h. Só será permitido o empréstimo de um livro “não circula” de cada vez, além dos livros considerados como empréstimo normal; §4º - Os exemplares com carimbo “não circula” poderão ser emprestados, na categoria empréstimo especial, durante a semana, por duas horas; §5º - Não estarão disponíveis ao empréstimo domiciliar: I.

Obras de referência (dicionários, enciclopédias, atlas);

II. Obras raras ou valiosas; III. Trabalhos de conclusão de curso/ Monografias; IV. Publicações periódicas; V.

Normas técnicas;

VI. Bases de dados em CD-Rom.

Vendo cel Motorola V810 cartão c/ NF e garantia; e 01 celular Motorola T731 conta c/ nf. Contato: (27) 3226.8300/9960.8349. Falar com: MIGUEL ANGELO BASSINI Vendo um celular SAMSUNG LUMINIX CLIP, usado em ótimo estado, na caixa. Valor: R$ 100. Contato: (27) 9916.5726/3314.0988. Falar com: Letícia dos Santos Puig.

SERVIÇOS Música ao vivo Banda Happy Hour, preços promocionais para eventos. Contato: (27) 3225.2384/9972.7670. Falar com: Flávio Coutinho Longui Somos um estúdio de criação de websites a serviço de pequenas empresas e pessoas físicas. Contato: (27) 9254.2090/3361.3039. Nome: Bernardo Machado de Souza

DIVERSOS Vendo monitor 14 polegadas em perfeita condição. R$ 250,00. Contato: (27) 3034.1357/8817.6775. Falar com: Pedro Alexandre dos Santos Ferreira Vendo uma bolsa case para câmera digital tamanho médio. Valor a combinar, produto usado. Contato: (27) 8116.5447/3227.5673. Falar com: Thiago Magalhães Xavier Vendo livro novo Algoritmos e Estruturas de Dados - Guimarães/Lages. Contato: (27) 8116.6254. Falar com: Gisele Macedo Pimentel Trindade Lindas Barbies originais dos EUA, a partir de 20 reais! Contato: (27) 3222.5296/8116.8932. Falar com: Bruna Karla Rodrigues de Carvalho Vendo DVD, karaokê, videogame da Semptochiba 3 em 1 R$ 450 e calças Iódice por R$ 100. Contato: (27) 3223.6057/8118.0095. Falar com: Walber Barcelar de Araujo Filho Vendo Teclado Rolland Alpha Jr. em bom estado. R$ 1.100,00. Contato: (27) 9979.2673. Falar com: Márcio de Souza Sfalsin Vendo Guitarra Golden e acessórios por R$ 275,00. Contato: (27) 9978-2242. Falar com: Victor Conte André Vendo banheira tipo mesa, carrinho/ moisés, bebê conforto da Burigotto e andador. Contato: (27) 3347.0665. Falar com: Elizabeth Simões Vendo perfumes (Gabriela Sabatini, Lou Lou, Armani, Pólo). Contato: (27) 3239.2677/ 92795100. Falar com: Georgina Delfino de Souza

Jornal Saber

Vendo papel fotográfico Kodak (23 fls), brilhante, 18 X 24cm. Contato: (27) 3227.3080/9954.0739. Falar com: Mirela Marcarini Cavalcanti Acessórios exclusivos - bolsas, cintos, faixas, obi - Dona Carlota - www.dcarlota.com. Contato: (27) 3229 – 6208/ 9277.8040. Falar com: Carla Gusmão Castro Vendo calculadora científica Casio. Contato: (27) 8804.3821. Falar com: PRISCILA MOREIRA PASSOS Vendo Atlas de Anatomia dos Animais Domésticos POPESKO ainda novo. (350 reais). Contato: (27) 9933.6382. Falar com: Marina Cruvinel Figueiredo Vendo vestido longo p/ baile de formatura, rosa degradê, bordado, cauda, echarpe, tam M. Contato: (27) 3219 – 0459/9255.6665. Falar com: Vanessa Bomfim Lugon Vende-se minigravador Panasonic R$ 35,00 e máquina fotográfica Yashica R$ 35,00. Contato: (27) 8804.3821. Falar com: Priscila Moreira Passos Vendo TV Sharp de 20 e vídeo Philips com 3 anos de uso. Contato: (27) 3349.0461. Falar com: Heloísa Maria Penha de Oliveira Storck Procuro moça para dividir apartamento já com duas outras morando na Praia da Costa. Contato: (28) 9919.3438/9946.2068. Falar com: Izabella Tristão Santos Vendo kimonos em perfeito estado, da marcar Torah. Tamanhos A1 e A3 preço ótimo. Contato: (27) 9953.0543/3235.7939. Falar com: Emilly Giuberti

8

MAIO/2005


jornal saber 17