Issuu on Google+

Grupo

Carlos Lyra

FolhadaCana USINA CAETÉ S/A

Ano V • N°36 • Agosto 2012

I N F O R M AT I V O

USINA VIVA

Conquista de Minas completa um ano No dia 02 de julho, a usina Conquista de Minas completou um ano de funcionamento desde seu arrendamento pela Caeté. Para comemorar a data foi oferecido um delicioso almoço espe-

cial aos colaboradores, e ainda, distribuição de algodão doce e o sorteio de uma bicicleta. O sortudo ganhador foi Carlos Romário Borges Caldeiras, trabalhador rural da equipe 11.

Deysiane M. de Melo Laboratório Industrial “Parabenizo a Conquista de Minas pelo primeiro ano de trabalho, pelas melhorias e oportunidades oferecidas aos colaboradores”. José Francisco Tagliati Serviços Gerais “Parabéns Usina Conquista de Minas pelo seu primeiro ano de existência. O setor de serviços gerais está satisfeito com a oportunidade de colaborar para que a usina seja um exemplo para as demais. Será um trabalho árduo, mas a nossa persistência que nos fará crescer a cada dia”. USINA CAETÉ S/A

FolhaDaCana-36.indd 1

rges Caldeiras Carlos Romário Bo equipe 11 da l ra ru Trabalhador

Vera Lúcia Guardieiro Prefeita de Conquista/MG “Estamos comemorando um ano de Usina Conquista de Minas. Neste ano, tantas coisas aconteceram! Aprendizagens, projetos, trabalhos, proteção, enfim, é uma empresa que inicia já vencedora e nós acreditamos nisto. Sucessos, prosperidade e vida, este é o nosso lema! Parabéns Dr. Robert e toda sua equipe de trabalhadores que se juntam em prol deste crescimento, pessoas voltadas para o desenvolvimento e sobretudo para o trabalho. Meu grande abraço a cada um dos colaboradores que aí estão, fazendo um novo começo. E, sobretudo, meus cumprimentos a você, Dr. Robert, pelo excelente empresário, inovador e sério, que és”.

FolhadaCana | 01

06/08/2012 21:26:54


USINA VIVA

Lançado o Projeto Bom dia, Boa noite

No mês de julho foi lançado o Projeto Bom dia, Boa noite para todos os setores das unidades Delta, Volta Grande e Conquista de Minas. O projeto consiste na formação de um canal oficial de comunicação que busca melhorar e proporcionar o diálogo entre gestores e colaboradores. A origem do nome “Bom dia, Boa noite” se deu em função da dinâmica do projeto que acontece na leitura de uma mensagem todos os dias an-

tes de começar o expediente, após a ginástica laboral. A leitura é feita por líderes, coordenadores e facilitadores da ginástica laboral e traz informações sobre segurança no trabalho, dicas de saúde, motivação, notícias corporativas, etc. Toda sexta feira, o tema é livre e os colaboradores podem usar este espaço para falar sobre os assuntos que preferirem e que queiram dividir com seus colegas de trabalho. Dentre os principais benefícios deste projeto está o acesso às informações a todos os colaboradores de maneira rápida e prática, possibilitando a explicação e a retirada de dúvidas no ato da leitura. O projeto foi desenvolvido em parceria pelas áreas de Comunicação e

Conquista de Minas

Unidade Volta Grande

Expediente Colaboração Comitê de Comunicação Interna: Aline Gonçalves (Administração), Ana Paula Alves (Comunicação), Camilla Lazak (Comunicação), Dilma Ferreira (Sustentabilidade), Eudenice Lourdes Melo (Agrícola), Fabiana Franco (Gestão da Qualidade), Guy Georges (Administração), Hudson Macedo (Sesmt), Karina Borges (RH), Lourenço Sena (Comunicação), Lucilene Ferreira (Gestão da Qualidade), Mariângela Amaral (RH), Robson Pacheco (Agrícola), Robson Trida (Sesmt), Samarone Pereira (Gestão de Projetos) e Úrsula Alves (RH). Impressão: Gráfica e Embalagens W/S Ltda. 3.000 exemplares Folha da Cana é uma publicação do Departamento de Comunicação da Usina Caeté S/A Assessoria de comunicação Caeté: Camilla Lazak Relações Públicas responsável: Lourenço Sena Projeto gráfico: Ana Paula Alves Fone:(34)3319-6598 comunicacao@gclsud.com.br

USINA CAETÉ S/A

FolhaDaCana-36.indd 2

RH, e tem como responsável Estefânia Fakhouri (Gestão de Pessoas), que está contente com o resultado do primeiro mês “Sinto privilegiada de participar deste projeto, o contato com os colaboradores e a sensação de estarmos no caminho certo para que as informações cheguem a todos é algo surpreendente”, finaliza Estefânia.

Estefânia Fakhouri, responsável pelo projeto

Unidade Delta

Colaborador da Usina Caeté é destaque como goleiro O colaborador Thiago da Silva Santos, do setor de Armazém na unidade Volta Grande, é destaque no time “Arco-íris” de Conceição das Alagoas, onde atua como goleiro. O time disputou a Copa Integração de Futebol de Salão e chegou a semifinal, atualmente está disputando o módulo B do campeonato de Uberaba juntamente com o time de Peirópolis. Os jogos acontecem aos domingos pela manhã, o time de Peirópolis está em segundo lugar na tabela do campeonato uberabense. Thiago conta que sua paixão pelo futebol começou quando ainda era criança e desde então

nunca parou de jogar, ele veio para a região em busca de emprego e está gostando muito de Conceição das Alagoas e de trabalhar na Usina Caeté.

Thiago da Silva Santos - Time “Arco-íris”

FolhadaCana | 02

06/08/2012 21:27:00


GIRO PELA USINA

Programa Trainee Caeté tem início em Agosto Nos dias 2,3 e 4 de julho foi realizado na Faculdade de Ciências Econômicas do Triângulo Mineiro (FCETM) o processo de seleção para a escolha dos Trainees 2012 da Usina Caeté. Ao todo, 46 candidatos de vários estados do país como, Minas Gerais, São Paulo, Mato Grosso e Paraná participaram do processo seletivo que contou com três etapas: a primeira, prova objetiva (português, matemática e inglês) e o teste psicológico, logo depois as dinâmicas e para finalizar as entrevistas que foram realizadas pela alta gestão e equipe de RH. Ao final do processo foram selecionados quatro finalistas, que foram recebidos no dia 23 de julho em um almoço, em Delta, com a presença dos acionistas Dr. Robert Lyra e Rodrigo Lyra e os gestores Alberto Klumb (Diretor Financeiro), Aline Gonçalves (Coordenadora Administrativo), Augusto Vasconcelos (Gerente Corporativo Agrícola), Williams Luz (Gerente Corporativo Industrial) e Wellington Rodrigues (Gerente Controladoria). Conheça os principais conceitos do Programa Trainee Caeté 2012: - Os Trainees são profissionais recém-formados e identificados como futuros potenciais, que ocuparão cargos estratégicos no término do projeto. - O Programa Trainee é uma ação

de educação continuada com objetivo de atrair, desenvolver e reter jovens talentos com alta performance e potencial, para que atuem de forma estratégica na organização em curto período de tempo. - O programa contempla um plano de integração que irá possibilitar um rodízio do trainee dentro de sua área de alocação e em diferentes áreas. O plano foi desenhado de acordo com a necessidade e foco de cada gerência. O objetivo é aprofundar o conhecimento do negócio: unidades – processo produtivo, vendas e da área na qual o trainee irá atuar, através de atividades on the job. - Com duração de até dois anos, o Programa contempla treinamentos, que busca ampliar e fortalecer o conhecimento dos trainees, além de desenvolver uma cultura de inovação capaz de gerar valor para a companhia. Os selecionados para o projeto são: Flávia Aparecida Zanin Chagas – Engenheira Química. Douglas dos Santos Oliveira – Engenheiro Biotecnológico. Maria Tereza Silva de Brito – Administradora. Vinicius Dias Valim – Engenheiro Agrônomo. Os Trainees começam a exercer as suas atividades no dia 01 de agosto.

Alunos do EJA SESI de Delta apresentam trabalho para voluntários No dia 27 de junho, os alunos do EJA (Educação de Jovens e Adultos), sob orientação da professora Juliana Moreira Lopes, apresentaram um trabalho sobre prevenção das doenças sexualmente transmissíveis (DST) e da infecção pelo vírus HIV aos voluntários da Paróquia Santa Maria dos Anjos de Delta. O objetivo da apresentação é de capacitá-los para que eles possam repassar as informações e os conhecimentos básicos sobre este assunto aos colaboradores da unidade Delta que moram em alojamentos. Além da entrega de materiais informativos do CTA (Centro de Testagem Anônima), os voluntários puderam aprender mais sobre as DSTs.

Wellington, Alberto, Flávia, Rodrigo, Robert, Maria Tereza, Douglas, Vinícius, Williams e Augusto

USINA CAETÉ S/A

FolhaDaCana-36.indd 3

FolhadaCana | 03

06/08/2012 21:27:11


DESTAQUE

G

Outdoor Training

Projeto Menor Aprendiz tem início em Conquista de Minas

Aconteceu nos dias 6, 7 e 8 de Julho a primeira edição do Outdoor Training, que é um treinamento que foi desenvolvido pela equipe da Usina Caeté e aplicado para os colaboradores. Neste treinamento participaram 24 colaboradores, entre os facilitadores e participantes, onde foram trabalhadas habilidades como: trabalho em equipe, planejamento, foco em resultado, redução de custos, comunicação e outras. Está sendo preparada uma segunda edição do treinamento e você poderá ser o próximo escolhido! Fique ligado!

O projeto “Menor Aprendiz”, que já é realidade na unidade Delta chega à unidade Conquista de Minas, em parceria com a Prefeitura Municipal de Conquista, foram selecionados 10 jovens aprendizes que deram início às atividades no dia 05 de junho. Os jovens ficarão alocados em vários setores da usina e contribuirão com as atividades diárias da empresa. “Estamos felizes em recebêlos em nossa unidade, esperamos

que o trabalho deles seja um sucesso”, comenta Guy Julien, responsável administrativo pela unidade Conquista de Minas. Confira os jovens aprendizes de Conquista de Minas: Amarildo Donizetti Daiola Junior, Cinthia Lais Gomes, Guttemberg Gobbo Lima, Jean Carlos Lacerda, João Luiz Barbieri Lacerda, Leonardo Santiago de Souza, Livia Maria Souza, Lourival Barcelos, Rodrigo Cassimiro Rossi, Valeria Leonor Martins Bizzinoto.

Selecionados para o Projeto Menor Aprendiz da unidade Conquista de Minas Participantes da 1ª edição do Outdoor Training

Alunos do PROSA realizam festa junina Os alunos e professores do Programa Social de Alfabetização de Adultos (Prosa) das unidades Delta e Volta Grande realizaram no último mês uma Festa Junina, na própria sala de aula. Houve pescaria, música, dança e muita comida típica. A comemoração faz parte do programa de aprendizado do Telecurso que tem como objetivo ensinar através de experiências do dia a dia.

USINA CAETÉ S/A

FolhaDaCana-36.indd 4

Unidade Delta

Unidade Volta Grande

FolhadaCana | 04

06/08/2012 21:27:22


GIRO PELA USINA

Projeto MPT tem destaques na indústria O projeto de Manutenção Produtiva Total (MPT) anda gerando ótimos frutos também nas indústrias de Delta e Volta Grande, com atuação nos setores de moenda, tratamento de caldo, centrifugação e caldeira. As práticas de Melhorias Focadas, Sistema de Tratamento de Falhas e Manutenção Autônoma chegam neste ano em um ritmo diferente e já registrando ótimos resultados.Contando com o suporte na Engenharia de Manutenção, o engenheiro biotecnológico Samarone Pereira e a assistente Lorena Faria Leite dão o auxílio necessário para as áreas aplicarem a manutenção nos equipamentos queforam escolhidos baseados nos dados da última safra.Os times de Manutenção Autônoma identificam as oportunidades de melhorias e anomalias nos equipamentos, registrando-as em etiquetas que serão solucionadas pela própria equipe ou serão gerenciadas pelo Comitê para solução dos assuntos levantados. Já o Sistema de Tratamento de Falhas e as Melhorias Focadas formam grupos multifuncionais para solucionar

falhas e otimizar processos.Muitas melhorias já foram realizadas e muitas outras estão por vir como apoio do Comitê de Manutenção Produtiva, que em Delta é composto pelos colaboradores: Julio Augusto Faria (Gerente Industrial), Adriel Matos (Coordenador de Manutenção Industrial), Renato Nunes (Coordenador Produção Industrial), Alessandro Borges (Coordenador de Instrumentação e Elétrica), Claudevan Herculano (Coordenador de Manutenção Industrial), e a facilitadora dos projetos de MPT Lorena Faria Leite. Já na unidade Volta Grande, o Comitê de Manutenção Produtiva

Colaboradores de destaque na manutenção autônoma Unidade Volta Grande

Adroaldo Marcelino da Silva Fabricação de açúcar - Laboratório Industrial “Uma das grandes vantagens deste projeto é a capacidade de despertar no colaborador uma visão crítica em relação ao equipamento que antes não havia. A manutenção autônoma permite que as melhorias tenham um reconhecimento e uma aprovação mais rápida, cada melhoria sugerida e aprovada é cobrada e realizada, com o total apoio da gerência”

Joel Domingos, Moenda “O projeto ajuda muito no dia a dia, com a limpeza conseguimos enxergar onde há vazamentos e os lugares para realizar a manutenção”

FolhaDaCana-36.indd 5

Setor de destaque na manutenção autônoma Unidade Delta

Anilton da Silva, Operador de centrífuga “O projeto de manutenção autônoma permite o maior conhecimento dos operadores em relação aos equipamentos e facilita a resolução dos problemas e anomalias que surgem diariamente” Leonardo Gonzaga, Centrífuga “Depois do projeto as coisas melhoram muito, antes a máquina ficava quebrada esperando o mecânico, agora os próprios operadores tem a autorização para resolver o problema”

Wellington Rosa Operador de filtros Célio Pereira da Silva Tratamento de caldo

“O projeto valoriza mais o equipamento e facilita a nossa operação” USINA CAETÉ S/A

é composto por: Renato Magnino (Gerente Industrial), Marcelo Lopes (Coordenador Produção Industrial), Alvimar Moreira (Coordenador Manutenção Industrial), Simar Martins (Coordenador de Instrumentação e Elétrica), Claudevan Herculano (Coordenador de Manutenção Industrial), e Samarone Pereira (Engenheiro Biotecnológico).A missão do Comitê é garantir a confiabilidade dos processos industriais através da aplicação das práticas de MPT. Semanalmente é realizada, em cada unidade, uma reunião para discutir o andamento e ações das práticas do projeto MPT.

“O projeto é excelente, pois facilita para nós operadores expormos as nossas ideias e para trazer melhorias para o setor”

FolhadaCana | 05

06/08/2012 21:27:41


GIRO PELA USINA

Conheça o Comitê Operacional da Qualidade

Foi criado o Comitê Operacional da Qualidade, que tem como objetivo criar uma ponte de informações entre os colaboradores, coordenadores e gerentes da indústria. Desta forma podemos facilitar a comunicação e registrar ações necessárias para a melhoria dos setores. Para que isso aconteça, foram distribuídos livros atas a cada setor da indústria para que o colaborador participe com suas sugestões e críticas. O Comitê Operacional da Qualidade é composto pelos colaboradores de todos os setores da fábrica, das unidades Delta e Volta Grande. As reuniões acontecem sempre na segunda semana do mês, onde os colaboradores têm a oportunidade de dialogar e expor suas idéias e opiniões aos coordenadores e gerentes e também recebem informações para serem repassadas para o restante dos colaboradores.

Unidade Delta

Unidade Volta Grande

CURIOSIDADE

O risco da Automedicação A cena é comum: na farmácia, o cliente chega, pega a cesta de compras e, como se estivesse num mercado, escolhe diversas cartelas de remédios na intenção de resolver problemas de saúde que surgiram. A questão é que nem sempre os medicamentos foram receitados pelo médico, mas indicados pelo balconista, por colegas de trabalho ou pela propaganda na TV. No entanto, o resultado da automedicação pode ser perigoso. Dados do Sistema Nacional de Informações Tóxico-Farmacológicas (Sinitox) da Fiocruz apontam que há, por ano, 34 mil casos de intoxicação por uso indevido de remédios, com média de 91 mortes. “O problema não está na medicação em si, mas na prática abusiva e combinações perigosas. Fora o perigo de mascarar sintomas e agravar doenças”, diz Anthony Wong, toxicologista no Hospital das Clínicas e diretor do Centro de Assistência Toxicológica, em São Paulo. A automedicação leva a riscos que vão desde reações alérgicas, diarreia, tonturas e enjoos, até anular eficácia de medicamentos ou potencializar efeitos colaterais. Outro risco é dependência física e psicológica, como nos casos de psicotrópicos (antidepressivos, ansiolíticos) que, tomados acima da dose, afetam sistema nervoso. Remédios vendidos sem necessidade de receita - ácido acetil sa-

licílico, paracetamol, dipirona e fitoterápicos - parecem inofensivos. Porém, a farmacêutica Fernanda Chalabi, da Office Lab, avisa que o uso indevido causa danos, principalmente no fígado, se tomados em excesso. “Já a aspirina tem ação anticoagulante e, se ingerida inadequadamente, pode acarretar úlcera.” O endocrinologista Tércio Rocha ainda alerta quanto aos remédios para emagrecer - anfetaminas, laxantes e diuréticos. “Anfetaminas oferecem mais risco. Só fazem perder fome e capacidade de o organismo perder gordura. Diuréticos e laxantes só estimulam eliminação de líquidos. Aí se cria uma falsa ideia de emagrecimento.” E até filtro solar deve ter aval médico. “A eficácia varia de pessoa para pessoa”, destaca o dermatologista Murilo Drummond, da Sociedade Brasileira de Dermatologia. Colírio errado compromete visão e saúde. Estudo do oftalmologista Leôncio Queiroz Neto, do Instituto Penido Burnier, com 2,7 mil pacientes mostra que 67% já fizeram uso incorreto de colírio. Vasoconstritores, muito usados para clarear vermelhidões, predispõem a catarata precoce, alterações cardíacas e aumento da pressão arterial. E o uso contínuo de antiinflamatórios, associados a corticoide e antibiótico, eleva o risco de catarata e glaucoma.

Qual é o papel do cipeiro? O cipeiro é o representante dos demais funcionários na CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes). A escolha dos cipeiros é feita por eleições que acontecem anualmente e também por indicações feitas pela empresa. Ao se tornar cipeiro o colaborador tem as seguintes atribuições: • Identificar os riscos do processo de trabalho, e elaborar o mapa de riscos, com assessoria do SESTM.

USINA CAETÉ S/A

FolhaDaCana-36.indd 6

• Divulgar e promover o cumprimento das Normas Regulamentadoras, relativas à segurança e saúde no trabalho. • Participar de inspeções, nos ambientes e condições de trabalho visando identificar situações que venham a trazer riscos para os trabalhadores. • Promover, anualmente, a Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho (SIPAT).

• Participar da reunião ordinária da CIPA, que acontece uma vez por mês. • Participar, em conjunto com a Segurança do Trabalho, da investigação e análise os acidentes de trabalho e propor medidas de solução dos problemas identificados. • Divulgar aos trabalhadores informações relativas à segurança e saúde no trabalho.

FolhadaCana | 06

06/08/2012 21:27:42


CURIOSIDADE

A Importância da Fertirrigação e da Vinhaça no Cultivo da Cana de Açúcar Água e nutrientes na medida certa para o canavial

Equipe Operacional de Irrigação Unidade Delta

Nesta edição, vamos conhecer um pouco mais sobre a importância da fertirrigação e da vinhaça, os colaboradores Evandro Luiz Pedrosa (Líder de Irrigação), Rogério de Oliveira Barreto (Coordenador de Tratos Culturais) e Robson Pacheco (Desenvolvimento Agronômico) nos explicam como estes produtos são utilizados. A fertirrigação é uma técnica de adubação que utiliza a água de irrigação para levar nutrientes ao solo. Esta aplicação é feita através do sistema de irrigação, podendo ser aplicados fertilizantes comerciais diluídos em

água de irrigação ou resíduos orgânicos líquidos, como a vinhaça. O uso da fertirrigação proporciona economia de fertilizantes químicos e de mãode-obra, além de aproveitar o resíduo industrial (vinhaça) corretamente proporcionando uma cultura mais sustentável e ambientalmente correta. Nas unidades da Usina Caeté Delta e Volta Grande a fertirrigação representa 59% e 34 % da área de socaria respectivamente, um total de 30.000 ha (trinta mil hectares). Ela também é utilizada para a realização de plantios de inverno (período de seca), onde aperfeiçoamos nossa estrutura de equipamentos e mão de obra. No processo da Caeté, dois sistemas de irrigação por aspersão são utilizados: montagem direta e autopropelido com carretel enrolador, podendo este ser alimentado diretamente de canais ou a partir de caminhões.

A vinhaça é um líquido ácido, marrom escuro que sobra após a destilação do caldo de cana-de-açúcar (garapa) fermentado, para a obtenção do etanol (etílico). Para cada litro de etanol produzido, na média de 13 litros de vinhaça são deixados como resíduo. Com um nome popular de “restilo”, “vinhoto” ou “garapão”, a vinhaça passou a ser aplicada nas lavouras de cana com grande sucesso econômico devido a sua riqueza em (k) potássio, (M.O) matéria orgânica, (N) nitrogênio, (S) enxofre, (Ca) cálcio e teor de água. Os efeitos da aplicação da vinhaça no solo são: elevação do ph; aumento da Capacidade de Troca Catiônica (CTC); aumento da disponibilidade de certos nutrientes; melhoria da estruturação do solo (pela adição de matéria orgânica); Aumento na retenção de água e no desenvolvimento da microflora e microfauna do solo.

Conheça como a vinhaça é produzida A vinhaça sai da destilaria, passa pelas torres de resfriamento e vai para os reservatórios dentro da indústria, de lá é bombeada por condutores para os canais revestidos no campo que a levam até as bacias, localizados em fazendas específicas. Nesses reservatórios há uma estrutura de abastecimento de caminhões tanques, que são carregados e transportam a vinhaça para as lavouras com destino da aplicação. Os tanques se acoplam a carretéis que realizam a aplicação da vinhaça bombeada por motobombas. Uma outra infraestrutura de canais revestidos é utilizada para o transporte de água da indústria para as fazendas que serão irrigadas. O uso agrícola da vinhaça e os

USINA CAETÉ S/A

FolhaDaCana-36.indd 7

Aplicação da vinhaça no campo

seus benefícios oriundos do solo são indiscutíveis, podendo ser resumidos em aumento da produtividade, longevidade do canavial,

melhoria na brotação de soqueiras, fornecimento de nutrientes e economia na adubação química da cultura entre outros.

FolhadaCana | 07

06/08/2012 21:27:53


INFORMATIVO

Oficina Automotiva de Volta Grande ganha novos vestiários A Oficina Automotiva da unidade Volta Grande inaugurou no dia 10 de junho seu novo vestiário. Maior e mais

moderno, com chuveiros e armários, as novas instalações agradaram a todos os colaboradores do setor. Confira as fotos:

RPPN Aldeia participa do XI Encontro dos Povos do Grande Sertão Veredas

O XI Encontro dos povos do Grande Sertão Veredas deste ano aconteceu nos dias 12 a 15 de julho na Chapada Gaúcha em Minas Gerais e teve como tema: Mosaico Sertão Veredas-Peruaçu: cultura e desenvolvimento sustentável. O evento foi marcado pela celebração do Mosaico Sertão Veredas-

USINA CAETÉ S/A

FolhaDaCana-36.indd 8

Peruaçu, que é um território com suas paisagens, símbolos e mitos regionais conhecido universalmente. É neste chão exaltado por Guimarães Rosa que está a maior de todas as inspirações para essa festa. Um lugar que conta com a sustentabilidade para preservar as riquezas desta área, das veredas, dos rios, do cascalho e da vida.

O evento teve uma programação diversificada entre palestras, mesa redonda e debates. No dia 12, aconteceu a mesa redonda com o tema: Cultura, educação e desenvolvimento. No dia 13, o tema da palestra foi: Literatura, território e representações. No dia 14, o tema do debate foi: O território do mosaico sertão veredas-peruaçu e a economia verde. Durante os quatro dias de evento, estiveram presentes autoridades e a comunidade, vários municípios participaram também como: Arinos, Formoso, Chapada Gaucha, Januária, Bonito de Minas, Itacarambi, São João das Missões, Manga, Cocos (BA), Cônego Marinho e Urucuia. A Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) Aldeia, que é mantida pela Usina Caeté, esteve presente durante todos os dias de evento com um estande demonstrando os artesanatos da fibra de Buriti feitos pelos colaboradores da reserva e pelas Mulheres da Associação da Serra das Araras.

FolhadaCana | 08

06/08/2012 21:27:55


Folha da Cana nº 36 - Agosto/2012