Page 14

12

A U.Porto foi a primeira universidade portuguesa a adquirir um computador. Em Dezembro de 1967, é entregue à FCUP um NCR Elliott 4100 de 16 KB. O mentor do projecto foi Rogério Nunes, que ficaria a liderar o LACA – unidade responsável pelo apoio técnico e administrativo aos utentes da máquina. Destinado sobretudo ao cálculo científico, o computador serviu toda a Universidade e manteve-se activo durante 15 anos. Teve o epíteto de “Hermengarda”, devido ao seu comportamento inconstante. Mas foi um marco histórico no meio académico português, tendo possibilitado importantes avanços pedagógicos e científicos.

C E N T E N Á R I O D A U N I V E R S I D A D E D O P O RT O

uma altura em que se vulgariza o uso de laptops, e-readers, tablets, smartphones, PDAs, netbooks, notebooks, leitores de mp3, entre outros dispositivos electrónicos portáteis (ou gadgets como lhe chamam os aficionados), é difícil conceber que, na década de 60, os computadores eram umas máquinas gigantescas, vagarosas no processamento, limitadas na memória e complicadas de operar. Pois a U.Porto possuiu algumas dessas máquinas que hoje nos parecem da era dos Flintstones, mas que, naquele tempo, eram tecnologicamente sofisticadas e permitiram à Universidade importantes avanços pedagógicos e científicos. A epopeia da computação na U.Porto teve início no final dos anos 60 e, em grande medida, foi impulsionada pelo entusiasmo, dinamismo e competência científica de Rogério Nunes, professor catedrático da Faculdade de Ciências (FCUP) e investigador na área da Matemática Aplicada (entretanto falecido, em 2000). No ano lectivo de 1963/64, Rogério Nunes estagiou, como senior visitor, no Mathematical Laboratory da Universidade de Cambridge, em Inglaterra. Era então 1.0 assistente da FCUP e tinha sido responsável pela instalação e exploração do Serviço da Hora do Observatório Astronómico (hoje Observatório Astronómico Prof. Manuel de Barros), o que implicou uma série de trabalhos de electrónica digital. A experiência em experimentação numérica e o contacto, em Cambridge, com modernos dispositivos de computação terão estado, pois, na base do empenho que Rogério Nunes colocou na aquisição de um computador para a FCUP. José Joaquim Pereira Osório, professor catedráti-

N

co da FCUP, trabalhou de perto com Rogério Nunes e confirma esta ideia. Mas acrescenta ainda, como factor importante para a aquisição do computador, a grande amizade entre Rogério Nunes e Fernando Serrão, também professor da FCUP (Química) e à época secretário de Estado da Juventude e Desportos. Segundo José Joaquim Pereira Osório, o governante convidou o seu antigo docente, Rogério Nunes, para uma deslocação a Inglaterra, em Setembro de 1966, a fim de escolher o modelo de computador mais adequado à Universidade. Estavam assim abertas as portas, por via governamental, para a concretização da compra do primeiro computador de uma universidade portuguesa. Em Dezembro de 1967, e após concurso público, seria entregue à FCUP um NCR Elliott 4100 de 16 KB (24 bits). Em 15 de Fevereiro de 1968, o computador – que implicou um investimento de 20 mil contos (100 mil euros) – foi apresentado publicamente numa cerimónia que contou com a presença do ministro da Educação, Inocêncio Galvão Telles. A ocasião serviu, igualmente, para inaugurar oficialmente o LACA – Laboratório de Cálculo Automático da FCUP, uma unidade com cerca de 15 colaboradores que dava apoio técnico e administrativo aos utilizadores do computador.

O difícil feitio da “Hermengarda” Instalado no rés-do-chão da Biblioteca Geral, no actual edifício da Reitoria, o Elliott 4100 foi, como mais tarde escreveu Rogério Nunes, “adquirido, fundamentalmente, para fins de Cálculo Científico. Dele podiam utilizar-se (e utilizaram-se, efectivamente) não só elementos da Faculdade

RICARDO MIGUEL GOMES

VINTAGE

UPorto Alumni #13  

13ª edição da revista dos Antigos Estudantes da Universidade do Porto (U.Porto). ESPECIAL CENTENÁRIO

UPorto Alumni #13  

13ª edição da revista dos Antigos Estudantes da Universidade do Porto (U.Porto). ESPECIAL CENTENÁRIO

Advertisement