Issuu on Google+

JORNAL

São Bernardo do Campo 4

DA CIDADE

de

14 a 27 de Março de 2014 4 Ano 334 Nº 1.015

LEONARDO VANTINI/RRJ

www.rronline.com.br editorial@metodista.br

Rudge Ramos 4BILLINGS CAMILA TRAMA/RRJ

4MUNDO PET

Poluição na represa aumenta por causa de lixo, metais e da seca Pág. 5

4BICICLETA MARISTELA CARETTA/RRJ

Passear com animais melhora a qualidade de vida de cão e dono Págs. 8 e 9

FELIPE LEME/RRJ

Trecho de 450 metros de ciclovia na avenida Kennedy deve ficar pronto em dois meses. Pág. 3

4RODA DE CAPOEIRA

Metodista oferece atividade gratuita para a comunidade do ABC Pág. 14


2

POLÍTICA

- Rudge Ramos Jornal

6

De 14 a 27 de Março de 2014

DE OLHO NA CÂMARA

LEONARDO VANTINI MAGDA SOUZA

q A tentativa da Prefeitura de São Bernardo para mudar a estrutura do Fundo Social de Solidariedade, tornando-o um órgão sob controle do Poder Executivo, paralisou a votação de outros projetos na Câmara Municipal, na sessão de quarta-feira (12). Os vereadores de oposição, que não concordam com a mudança, interromperam a sessão e não votaram nenhum dos 39 projetos que estavam em pauta. A razão foi uma reunião que os representantes de todos os partidos tiveram com o secretário de Governo, José Albino de Mello. O objetivo do encontro foi discutir o projeto de lei do Executivo, que visa mudar a estrutura do Fundo Social de Solidariedade com a redução de conselheiros do órgão, responsáveis pela captação e uso de verbas direcionadas para programas sociais. O projeto põe fim ao Conselho de Assessoramento e Planejamento do Fundo, além de reduzir o Conselho Deliberativo. Segundo o líder da bancada governista, José Ferreira (PT), os três integrantes “serão nomeados pelo prefeito”. O líder da oposição, vereador Júlio Fuzari (PPS), é contra o projeto. Segundo ele, a proposta inviabiliza uma maior fiscalização, reduzindo o efetivo de sete para três gerenciadores, e eles ficariam sob controle da prefeitura. Ainda de acordo com o parlamentar, o assistencialismo do órgão é deficiente. “Faltam fraldas geriátricas no município e existem pessoas que nos procuram para voltar para a terra de origem”, afirmou. A reportagem procurou o secretário de Governo, por meio

Reunião sobre Fundo Social de Solidariedade paralisa votação na Câmara LEONARDO VANTINI/RRJ

ACESSE Rudge Ramos

Online

INFÂNCIA MODERNA Crianças baixam aplicativos, mas não sabem amarrar os sapatos; assista ao vídeo http://goo.gl/3nW1fN CESTA BÁSICA Altas temperaturas e ausência de chuvas elevam preços dos alimentos http://goo.gl/5mEXnv TECNOLOGIA Aplicativo Cidade Legal permite denunciar problemas na região http://goo.gl/LciRrz ALIMENTAÇÃO

da assessoria de imprensa, para que ele comentasse a reunião e também as declarações do vereador de oposição. Mas, até o fechamento desta edição, não houve retorno.

Vereadores devem voltar a discutir o projeto somente na sessão da próxima semana

COMISSÃO DA VERDADE Também na quarta-feira, foi realizada a segunda sessão da Comissão da Verdade. Os primeiros depoimentos previstos eram do ex-prefeito de São Bernardo e ex-diretor do departamento jurídico dos Sindicatos dos Metalúrgicos do ABC Maurício Soares, e de um dos fundadores do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo e da Ala Vermelha,

um dos grupos de esquerda que combateram o regime militar, Derly de Carvalho. Soares comunicou que não poderia comparecer a comissão no dia devido a problemas pessoais. O vereador José Ferreira (PT) preside a Comissão da Verdade de São Bernardo. Segundo ele, a seleção de quem vai dar declarações à comissão é feita por meio de pesquisa

4 CONSELHO DIRETOR - Stanley da Silva Moraes - Presidente, Nelson Custódio Fér – Vice - Presidente, Rev. Osvaldo Elias de Almeida - Secretário, Jonas Adolfo Sala, Aureo Lidio Moreira Ribeiro, Kátia de Mello Santos, Augusto Campos de Rezende, Marcos Vinicius Sptizer, Aires Ademir Leal Clavel, Oscar Francisco Alves Junior, Regina Magna Bonifácio de Araújo - Suplente, Valdecir Barreros - Suplente. 4REITORIA - Reitor - Marcio de Moraes, Pró-Reitora de Graduação - Vera Lúcia G. Stivaletti, Pró-Reitor de Pós-Grad. e Pesquisa - Fábio Botelho Josgrilberg 4DIRETORES - Sérgio Roschel (Diretor de

Finanças e Controladoria), Daví Nelson Betts (Diretor de Tecnologia e Informação), Paulo Roberto Salles Garcia (Diretor de Comunicação e Marketing), Débora Castanha (Diretora do Ensino Básico), Carlos Eduardo Santi (Faculdade de Exatas e Tecnologia), Jung Mo Sung (Faculdade de Humanidades e Direito), Fulvio Cristofoli (Faculdade de Gestão e Serviços), Luiz Silvério Silva (Faculdade de Administração e Economia), Paulo Rogério Tarsitano (Faculdade de Comunicação), Rogério Gentil Bellot (Faculdade de Saúde) e Paulo Roberto Garcia (Faculdade de Teologia).

4COMUNICAÇÃO - Paulo Salles (Diretor).

em jornais antigos, documentos, além de nomes citados nos testemunhos. “Mandamos relatórios para a comissão estadual que responde à comissão nacional”, afirmou. Segundo o petista, na comissão de São Bernardo não serão ouvidas necessariamente as mesmas pessoas das demais cidades do ABC. De acordo com ele, existem várias denúncias de casos que ocorreram em sindicatos e nas indústrias. Também está para ser confirmado ainda o depoimento de Anivaldo Padilha, pai do ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha, que atuou no movimento de oposição ao regime militar. g

JORNAL

Rudge Ramos

editorial@metodista.br

Rua do Sacramento, 230 Ed. Delta - Sala 141 Tel.: 4366-5871 - Rudge Ramos São Bernardo - CEP: 09640-000

RUDGE RAMOS JORNAL - PUBLICAÇÃO DO CURSO DE JORNALISMO DA FAC

DIRETOR - Paulo Rogério Tarsitano COORDENADOR DO CURSO DE JORNALISMO - Rodolfo Carlos Martino. REDAÇÃO MULTIMÍDIA - Editor-chefe - Júlio Veríssimo (MTb 16.706); EDITORA-EXECUTIVA E EDITORA DO RRJ - Margarete Vieira (MTb16.707); EDITOR DE ARTE - José Reis Filho (MTb 12.357); Assistente de Fotografia - Maristela Caretta (MTb 64.183)

Entenda as diferenças entre produtos light, diet e zero, segundo Anvisa http://goo.gl/niuxPI VENDA Ovos de Páscoa já são encontrados nos mercados da região http://goo.gl/1Oljfu BRINQUEDOS Exposição de bonecas Barbie é atração em shopping de São Bernardo http://goo.gl/3PE3jF

4Equipe de Redação: Alysson Rodrigues, Amanda Souza, Bruno Madrid, Bruno Yonezawa, Caio dos Reis, Felipe Leme, Fernanda Cordeiro, Italo Campos, Leonardo Vantini, Magda Souza, Maria Paula Vieira, Sergio Neto, Victor Hugo Storti, Vinícius Requena, Yago Delbuoni e alunos do 5º e 6º semestres de Jornalismo. 4Produção de Fotolito e Impressão: Diário do Grande ABC


VINÍCIUS REQUENA

q A segunda parte da ciclovia da avenida Kennedy já está sendo construída. A obra tem 450 metros de extensão e previsão de término para o início do mês de maio. Quando as obras forem concluídas a ciclovia vai ter cerca de 2 km. A segunda parte abrange a área entre a rua Vicente de Carvalho e a avenida Senador Vergueiro. O projeto é uma obra de compensação pelo impacto causado pelas obras do shopping Golden Square e de um misto de prédios comerciais e residenciais da construtora M. Bigucci. A ciclovia está sendo construída em três etapas. A primeira parte foi entregue em novembro do ano passado, a segunda está em construção e a terceira parte será a ligação entre a rua Continental e a Praça Ibrahim de Almeida Nobre. Em nota, a M. Bigucci informou as etapas que estão sendo executadas. São elas: demolição e retirada do canteiro central, acerto da base da pavimentação, assentamento das guias, manutenção das instalações elétricas já existentes nos postes e assentamento de bloquetes nas travessias de pedestres. Na sequência, serão feitas a concretagem da pista e do calçamento, bem como a pintura e sinalização de chão da ciclovia e a execução do paisagismo (colocação de árvores e grama). Apesar dos empreendimentos aumentarem o fluxo de veículos na avenida Kennedy, a responsabilidade de gerir o tráfego, para que não haja problemas no local, é das em-

Segunda parte da ciclovia da Kennedy tem previsão de término das obras para o mês de maio

MARISTELA CARETTA/RRJ

Ciclovia é realizada em três fases e é uma contrapartida das obras do shopping Golden Square e da M. Bigucci presas responsáveis por esse aumento e da prefeitura. As ciclovias são alternativas para viagens curtas, com distância de 5 até 10 km. Segundo o engenheiro de tráfego Creso Peixoto, apesar de pa-

“Palhaços da Saúde” seleciona voluntários FERNANDA CORDEIRO

q O grupo “Palhaços da Saúde”, que visita semanalmente o Hospital São Bernardo e o Hospital São Bernardo Pediátrico, para levar conforto e alegria aos pacientes internados, está selecionando interessados em participar do projeto, que foi criado em março de

Rudge Ramos Jornal - 3

CIDADE

De 14 a 27 de Março de 2014

2010, por Alessando Stavale. Para ser voluntário é preciso ser maior de 18 anos, de preferência morar no ABC e ter disponibilidade para atuar aos sábados pela manhã. No momento, a maior necessidade é de voluntárias mulheres com idade de 20 a 30 anos. Mas homens também podem se candidatar. Antes de ingressar no projeto, o candidato passa

recer um sistema do passado, as ciclovias são a solução para o transporte público. “É onde existe a condição de concentrar passageiros para poder chegar em locais de acesso como pontos de ônibus ou por processo seletivo. Além das visitas aos hospitais da cidade, o grupo possui outros projetos com moradores de rua. Os “Palhaços da Saúde” saem às ruas da região distribuindo cobertores e alimentos para os necessitados e, para os que tiverem interesse, ainda conta com um programa que tenta recolocação no mercado de trabalho. Além de voluntários, o grupo busca realizar parcerias com empresas que possam ajudar com doações de cobertores e alimentos. Por se tratar de um trabalho voluntário, os “Palha-

simplesmente fazer a própria viagem de bicicleta”, disse. Inicialmente, os motoristas que passarem pela via podem não perceber as melhorias que uma ciclovia pode trazer, mas, de acordo com Peixoto, é um projeto ARQUIVO PESSOAL

de futuro. “Uma ciclovia é mais estreita que uma faixa de tráfego, mas possibilita a passagem de mais pessoas por hora do que se a via fosse para carros.” E completou, “é um processo de reeducação da população”. g

Alessandro Stavale é fundador do projeto que conta com nove voluntários e busca novos componentes ços da Saúde” não aceitam nenhum tipo de remuneração. “A única recompensa que temos é a satisfação pessoal”, disse Stavale. Os interessados em participar do projeto “Palhaços da Saúde” podem acessar o blog: http://palhacosdasaude. blogspot.com.br/ ou enviar e-mail para: palhacosdasaude@yahoo.com.br. g


4 - Rudge Ramos Jornal ITALO CAMPOS

q O contribuinte que quiser orientação na hora de preencher a declaração do Imposto de Renda pode procurar o serviço oferecido pelos cursos de Ciências Contábeis, Administração e Economia da Universidade Metodista de São Paulo. Desde a última segunda-feira (10), os estudantes desses cursos orientam no preenchimento dos formulários exigidos pela Receita Federal. A orientação vai até o dia 29 de abril. Para utilizar do serviço, o interessado deve doar três quilos de alimentos não perecíveis. A orientação dada pelos alunos é supervisionada pelo professor Francisco Brígido, que criou o projeto há mais de 10 anos. “Quando começamos, eram em torno de 10 a 20 pessoas. Agora, vêm contribuintes de todas as cidades da região”, disse. No ano passado, 260 contribuintes buscaram ajuda para preparar a declaração. Quem quiser as orientações deve ir ao campus da Metodista, no Rudge Ramos e levar os seguintes dados: rendimentos dos bancos em que mantém conta; informe de recebimento de salários, rendimentos dos aluguéis pagos e recebidos e rendimentos do INSS mais contratação de empréstimos. Também é necessário levar o título de eleitor e documentos de compra e venda de imóveis e automóveis, ocorridos no ano de 2013. É importante que o contribuinte leve também uma cópia da declaração do ano anterior. O professor informou que o serviço é voltado principalmente para quem tem menor poder aquisitivo, não tem como fazer a declaração em casa e teria que pagar por isso. Mas qualquer cidadão pode participar. “Já vieram pessoas com renda anual superior a R$ 1 milhão”, falo Mas o professor orienta que, nesses casos, deve-se procurar uma assessoria especializada, “para que os com menos possibilidades tenham preferência”. Sobre a doação de alimentos, o professor disse que não pode ser pacote de sal ou açúcar. De preferência, que doem leite em pó, achocolatados e fraldas. O volume arrecadado será doado aos asilos da região. No ano passado, mais de 700 kg foram coletados e distribuídos para nove entidades. Os interessados devem ligar antecipadamente para agendar um horário, pelo telefone 4366-5546. De acordo com a Receita Federal, o prazo para entregar a declaração do imposto de renda se encerra em 30 de abril. g

CIDADE

14 a 27 de Março de 2014

Universidade Metodista orienta contribuinte na declaração do IR

SERVIÇO Horário: das 16h30 às 19h, de segunda a sexta. Até 29/04 Universidade Metodista de São Paulo - Edifício Ômicron, Sala 414 – Campus Rudge Ramos (rua Alfeu Tavares, 149, Rudge Ramos, São Bernardo) Telefone para agendamento: (11) 4366-5546.

BRUNO YONEZAWA/RRJ

Moradores do ABC recebem ajuda de alunos para preencher declaração

QUEM DECLARA

RENDA

Recebeu rendimentos tributáveis, sujeitos ao ajuste na declaração, cuja soma anual foi superior a R$ 25.661,70. - Recebeu rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma foi superior a R$ 40.000.

GANHO DE CAPITAL E OPERAÇÕES EM BOLSA DE VALORES - Obteve, em qualquer mês, ganho de capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto, ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas; - Optou pela isenção do imposto sobre a renda incidente sobre o ganho de capital auferido na venda de imóveis residenciais, cujo produto da venda seja destinado à aplicação na aquisição de imóveis residenciais localizados no País, no prazo de 180 (cento e oitenta) dias contados da celebração do contrato de venda.

ATIVIDADE RURAL Obteve receita bruta anual em valor superior a R$ 128.308,50. - Pretenda compensar, no ano-calendário de 2013 ou posteriores, prejuízos de anos-calendário anteriores ou do próprio ano-calendário de 2013. Bens e Direitos - Teve a posse ou a propriedade, em 31 de dezembro de 2013, de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300.000. Condição de residente no Brasil - Passou à condição de residente no Brasil em qualquer mês e nessa condição se encontrava em 31 de dezembro de 2013. FONTE: Receita Federal


Rudge Ramos Jornal - 5

CIDADE

De 14 a 27 de Março de 2014

LEONARDO VANTINI/RRJ

Seca aumenta poluição da

Billings

BRUNO MADRID

q Apesar de não ter sido afetada como outros reservatórios de água do Estado pela escassez de chuva, a Represa Billings registrou um aumento na poluição de suas águas, principalmente por causa do lançamento de lixos e metais. Segundo um estudo da Cetesb (Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental), quatro das cinco regiões da Billings já foram consideradas “impróprias” para uso neste ano. São elas: Clube de Campo do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Clube Prainha Tahiti,

Praia do Estoril e Praia próxima à ETE. As duas primeiras áreas contam com a presença de Escherichia Coli, um micro-organismo que transmite doenças e indica presença de esgoto na água. A única região que está “própria” desde janeiro é a área próxima ao Parque Municipal. Com 995 milhões de m³ de armazenamento e abastecendo mais de um milhão de pessoas, o reservatório abrange seis municípios do Estado: Diadema, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra, Santo André, São Bernardo e São Paulo. Para Luiz Rogério Mantelli,

professor da Universidade Metodista de São Paulo e doutor em Ecologia, a falta de chuvas que ocorreu na região acarreta problemas maiores na Billings. “A poluição fica mais concentrada, com menos água, e isso aumenta o mau cheiro, dificultando o tratamento.” Ainda segundo o especialista, “a taxa de oxigênio dissolvido na represa pode diminuir bastante, ocasionando a morte de peixes, que, por sua vez, acabam se decompondo nas águas, causando também a diminuição da quantidade de oxigênio dissolvido”. Quem mora nas imediações

da represa sente o reflexo do aumento da poluição do reservatório de água. “Não há atualmente tantos peixes na Billings, mas há corpos e até carros lá dentro”, afirmou a estudante Marina Bueno,18, moradora do Jardim Orquídeas. “Todo ano, com o calor, ela seca, mas neste ano, com a falta de chuvas, foi muito pior. É muito triste ver os pássaros procurando algo em vão para comer”, contou. Sirlei Bertolla, 39, moradora há mais de 15 anos do Jardim Orquídeas, relembra os bons tempos do local. “A Billings antigamente era uma

represa limpa. Eu e meus amigos entrávamos nela sabendo o grau de pureza da água.”. A enfermeira também mencionou a recente urbanização nos arredores do reservatório como causa da poluição presente no local. O responsável pelo movimento “Salvem a Represa Billings!”, Wesley Rosa, lamentou a situação atual do reservatório. “A Billings já foi fonte de renda, alimento e lazer para muitas famílias. A fauna e a flora eram muito ricas. Hoje, algumas espécies de aves migraram para outras áreas”, afirmou Wesley. g


6 - Rudge Ramos Jornal

SAÚDE

Norma da Anvisa torna mais clara informação no rótulo de alimentos light, diet e zero

sofreram alterações em sua classificação. Confira abaixo a descrição de cada um:

DIET Alimento formulado com modificações especiais para se adequar a diferentes dietas ou indivíduos com necessidades metabólicas específicas. A maioria desses produtos é destinada a pessoas com restrições de alguns AMANDA SOUZA/RRJ alimentos. Agora, a embalagem deve especificar no mesmo tipo de letra do nome do produto a isenção específica de determinado alimento.

AMANDA SOUZA

q A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) decretou no início deste ano mudanças nas informações que os rótulos das embalagens de produtos alimentícios devem conter. Dentre as principais mudanças, destaca-se a rotulação de produtos light. Antes da nova determinação, esse termo servia para se referir a “baixo em valor energético”, açúcar, gordura total ou gordura saturada e também poderia ser utilizado em uma comparação com um alimento convencional. Agora, a denominação light se refere a uma redução de no mínimo 25% de calorias ou de algum nutriente, que pode ser açúcar, gordura total ou trans e sal. A característica que o define como light é possuir um benefício adicional em relação ao produto original. “As leis que determinavam a classificação de alimentos era de 1998. Por serem antigas, muitas peculiaridades dos produtos confundiam o consumidor. A nova medida prevê tornar algumas informações mais claras, corrigindo e melhorando a legibilidade da informação”, afirmou a gerente de produtos especiais da Anvisa, Antônia Maria de Aquino. A nova norma também exige uma declaração específica no rótulo de alimentos alterados nutricionalmente. Se um alimento é light, é necessário informar o grau de redução do nutriente em relação à versão convencional do produto. Segundo a nutricionista Nathália Helena Rocha, a nova medida de classificação de alimentos light traz benefícios ao consumidor por causa do alto consumo de alimentos industrializados. “Por exemplo, o sódio é um conservante alimentar, não tem gosto salgado e está presente na maioria dos alimentos industrializados. Seu excesso pode acarretar

De 14 a 27 de Março de 2014

ZERO Indica a restrição de algum nutriente em comparação à versão tradicional. A isenção do alimento nem sempre é total. Um produto pode conter até 0,5% de um componente e ainda vai ser chamado de zero. Se este componente for o açúcar, o produto ainda deve apresentar valor calórico reduzido.

pressão alta. A partir de agora, a quantidade desse mineral tende a ser reduzida”, disse. Outras mudanças aconteceram nos critérios de classificação para os termos “Rico em” e “Ômega 3, 6 e 9”. As quantidades desses componentes devem conter o dobro das concentrações mínimas para serem consideradas significativas de destaque. Também ficou determinado que o termo “isento de gordura trans” deve ser usado quando o produto tiver no máximo 0,1g de gordura trans por porção e manter baixos os índices de gordura saturada e a não adição de sal. Muitas vezes, um alimento é “baixo em gordura”, “baixo em açúcar”, mas não é “baixo em valor energético”. Para deixar o cliente ciente do conteúdo do produto que está comprando, a Anvisa determinou que a seguinte frase deverá constar na embalagem:

Muitas vezes, um alimento é “baixo em gordura”, “baixo em açúcar”, mas não é “baixo em valor energético”. Nathália Helena Rocha, nutricionista

“Este alimento não é reduzido em valor energético”. Esta explicação deve constar junto ao nome do produto, no mesmo tipo de letra, proporcionando melhor visibilidade para o consumidor. Em relação às proteínas, a nova norma prevê que os produtos denominados com “altos teores” devem especificar os aminoácidos presentes e suas respectivas quantidades no rótulo nutricional.

Já as vitaminas têm uma descrição diferenciada. Muitas vezes, a quantidade de vitaminas presente em um alimento é alta, não podendo ser especificada na frente da embalagem. Neste caso, a marca pode utilizar o termo “rico em vitaminas” para generalizar e, nas informações nutricionais, especificar a quantidade e o tipo de cada vitamina que consta no produto. O cálculo nutricional também foi modificado. Segundo a gerente da Anvisa, o método antigo confundia o consumidor. “A análise nutricional era feita em 100 gramas de alimento. Agora, esta conta é realizada com a porção específica de cada produto, para que o consumidor não seja induzido a acreditar em valores maiores ou menores do que o alimento realmente é”, explicou. Além dos produtos light, outros tipos de alimento também

FIT Muitas marcas de produtos, após a mudança da legislação, alteraram o nome do produto para “fit”. Segundo a gerente da Anvisa, essa denominação não é válida. “Quando avaliamos os produtos e eles apresentam este nome “fit”, solicitamos que a marca mude. A utilização desse termo não está prevista na legislação em substituição ao light”, afirmou. Os alimentos produzidos ano passado e dentro da data de validade poderão ser comercializados. Mas os que passaram a ser produzidos desde janeiro de 2014 têm que estar adequados às novas leis, que agora estão de acordo com a norma de Informação Nutricional Complementar do Mercosul. A fiscalização é feita pelos órgãos de vigilâncias sanitária dos Estados e municípios, responsáveis pela aplicação das punições que podem ser suspensões, retirada do produto do mercado ou multas, que variam de R$ 2.000 a R$ 1,5 milhão. g


SAÚDE

De 14 a 27 de Março de 2014 BRUNO YONEZAWA/RRJ

Paciente não precisa ter convênio médico; custo é de R$ 80

Policlínica da Metodista disponibiliza quatro especialidades médicas BRUNO YONEZAWA

q A Policlínica da Universidade Metodista de São Paulo agora oferece especialistas da área de ginecologia, cardiologia, geriatria e clínica geral. As consultas têm valor de R$ 80. O paciente não precisa de convênio médico para ser atendido. Além dessas novas especialidades, a Policlínica também faz exames laboratoriais; avaliações físicas; atendimento odontológico, nutricional, fisioterapêutico e psicológico. A gestora da Policlínica, Janaína Costa da Silva, disse que a iniciativa surgiu porque muitos pacientes reclamaram que não conseguiam se consultar nessas especialidades,

mesmo por meio de convênios ou de serviço público. Janaína afirmou também que o preço da consulta da Policlínica é acessível, principalmente para pacientes que não têm convênio nem condição de passar por uma consulta particular de qualidade. As consultas são feitas por meio de agendamento. Os interessados não precisam morar no ABC para serem atendidos. SERVIÇO: Edifício Iota, Campus Rudge Ramos Rua Alfeu Tavares, 149 – Bairro Rudge Ramos – São Bernardo Telefone: (11) 4366-5565 Funcionamento: De segunda a sexta, 7h às 23h; aos sábados, 7h às 12h. g

Rudge Ramos Jornal - 7


8 - Rudge Ramos Jornal

Passear com animal é saúdavel

CAMILA TRAMA

o Seu animal pode ser a solução para uma vida mais ativa. Estudo realizado pela Universidade de Michigan (Michigan State University) mostrou que donos de cães têm 34% mais chances de realizar, ao menos, os 150 minutos de atividade semanal recomendado por médicos. A razão disso é que o pet, além de ser uma ótima companhia, motiva sair de casa e começar uma atividade física. A professora de educação física Daniela Hernandez explica que o recomendado é se exercitar pelo menos três vezes por semana. Segundo ela, caminhar é uma atividade física de baixa intensidade que tem um gasto calórico significativo, caso feita com frequência. Além disso, melhora o condiciona-

ESPECIAL

De 14 a 27 de Março de 2014

FOTOS: CAMILA TRAMA/ RRJ

mento físico e a capacidade cardiorrespiratória para quem deseja emagrecer. Passear com o cachorro é uma atividade que não necessita constância e pode ser acumulativa, “Você pode fazer uma caminhada por 10 minutos de manhã, 10 minutos no meio do dia e 10 minutos à noite, que são os chamados ‘exercícios acumulados’. Ao final do dia, a pessoa terá feito uma caminhada de 30 minutos, que mesmo não sendo contínua, melhora a condição física e, portanto a saúde”, disse Daniela. Segundo a professora, a intensidade é menor do que se fizer uma caminhada de 30 minutos mantendo a mesma velocidade de treinamento. Para iniciantes, qualquer atividade física é válida. E os benefícios se dão dos dois lados da coleira. Para a

Caminhar com o animal por 30 minutos no dia ajuda a melhorar o condicionamento físico

Sheila aproveita para sair com Mike durante outros afazeres

veterinária Renata Jaloretto, é muito importante que o cachorro se exercite física e emocionalmente. “O cachorro quando fica sem atividade pode desenvolver várias doenças psicossomáticas (caracterizada por sinais apresentados pelo corpo) e também fica mais estressado.” A veterinária lembra alguns cuidados importantes na hora de caminhar com o cachorro. Dias de muito sol, em que o piso esteja muito quente, pode acabar queimando a patinha do animal. Cães com o focinho mais para dentro podem ter

dificuldade respiratória. Caso o animal seja mais idoso e tenha alguma patologia associada é preciso moderação no ritmo do exercício. E, para a caminhada ser mais prazerosa, é essencial dar liberdade ao pet e respeitar seu cansaço. É o que afirmou o treinador de cães Thiago Lourenço. “O cachorro interrompe a caminhada para cheirar um poste, uma grama, até mesmo outro bicho, e o dono tende a puxá-lo ou arrastá-lo. Na cabeça do animal o passeio se torna algo desagradável”. Para Lourenço, o passeio

é para os dois: dono e cão. “O relacionamento deve ser de parceria.” O tempo do passeio também varia. Depende da raça. Segundo o treinador, a raça pug não pode ser exercitada com a mesma intensidade de um pitbull. “Um animal com alimentação regrada pode acompanhar o dono por mais tempo.” No ABC em três parques, dos 30 existentes, é permitida a entrada do seu pet. Parque Central, em Santo André, Parque do Paço Municipal em Mauá, e Parque dos Ipês, em Rio Grande da Serra. g


Rudge Ramos Jornal - 9

ESPECIAL

De 14 a 27 de Março de 2014

Terapia Assistida por animais ajuda a curar diversos traumas AMANDA SOUZA

o O companheirismo entre homem e animal é histórico. Agora, essa relação ajuda até na medicina, por meio da chamada Terapia Assistida por Animais (TAA), que desenvolve a interação entre pacientes e bichos. O principal objetivo é melhorar o quadro de saúde dos assistidos. Essa terapia é aplicada principalmente a idosos que vivem em asilos, crianças, em orfanatos, e pacientes, em hospitais. Os benefícios são vários: melhora a saúde física, psicológica e emocional, a coordenação motora e o desenvolvimento da memória. “Você tira o foco do trauma da pessoa, seja ele qual for. A cada sessão a pessoa se sente mais viva”, explicou a psicanalista e técnica de Terapias Assistidas, Silvana Prado, pois a terapia trabalha com a parte emocional do paciente. O dono de um animal, que tenha interesse em que o bicho ajude nas terapias, deve participar de uma palestra. Depois, o animal é submetido a exames técnicos, de comportamento e de saúde. Se for aprovado, os dois são acompanhados em três visitas monitoradas iniciais, nas quais participam um ou mais profissionais do serviço de saúde com perícia especializada, segundo Cristiane Blanco,

diretora de terapia assistida por animais do Instituto Nacional de Ações e Terapias Assistidas por Animais (INATAA). Uma dessas voluntárias é Sharon Pereira, que mora em São Bernardo e atua em terapia assistida há três anos, com sua cachorra Kailana, uma Golden Retriever. Ela resolveu começar a praticar esta atividade depois de ser diagnosticada com câncer de mama. “Quando as pessoas passam por esse tipo de situação começam a questionar o sentido da vida e querem fazer valer a pena cada segundo. Eu me informei sobre a terapia e comprei a Kailana pensando no que eu podia fazer pra mudar a vida das pessoas.”, disse Sharon, que está curada. Mesmo morando no ABC, a voluntária realiza a terapia em instituições de São Paulo, através do INATAA. Todas as quintas-feiras, Sharon leva Kailana para o trabalho, que fica próximo à estação Consolação do metrô. De lá, as duas vão para as sessões de terapia Mas nem todo animal está apto para participar desse trabalho. O bicho tem que ser sociável a qualquer pessoa, dessensibilizado a sons, toques, cheiros e situações diversas. Precisa ser castrado. Se for um cão, é indicado iniciar a terapia após um ano de idade. Em caso de animais silvestres, é necessário a certificação do Ibama.g

FOTO: CAMILA TRAMA/ RRJ

Sharon e a cachorra Kailana, uma Golden Retrivier que realiza Terapia Assistida há três anos

Agir com calma pode salvar o pet

ENRIQUE ENRIQUEZ

o Banho. Tosa. Massagem. Acupuntura. São muitas as regalias recebidas pelos animais de estimação. Mas será que os donos desses bichinhos estão preparados para situações de emergência? Alguns cuidados como primeiros socorros, contatos de ambulância animal, e um veterinário de confiança são de extrema importância. Mas é preciso manter a calma. Segundo a veterinária Francine Suati, além da tranquilidade na hora do sufoco, deve-se procurar por ajuda especializada. Isso passa confiança para o animal. Segundo a veterinária, existem ambu-

lâncias e até convênios médicos para esse atendimento. Outra segurança é contratar os serviços de um veterinário de confiança. Quem precisou desse profissional foi o jornalista Thiago Coelho, 20. Sua cachorra, “Lolly”, escapou da coleira e foi mordida por um cão de rua. Durante a madrugada, Lolly uivava de dor, e a família ficou preocupada e recorreu a uma veterinária. “Ela constatou que Lolly foi mordida na orelha, onde se formou um hematoma. Receitou um anti-inflamatório. Pouco tempo depois, Lolly já estava bem.” Danilo Mesa não teve a mesma sorte. O professor de

história, 25, passava a noite de Natal com sua família quando o cachorro de sua tia começou a gemer. Sozinho com sua mãe, ele não sabia como agir, devido ao tamanho do animal, um Fila. “Fiquei com medo de ver o que estava acontecendo, pois o cachorro era muito bravo e grande, e não estamos acostumados a visitar minha tia com frequência.” Quando a tia do professor voltou, explicou que deu um osso para o cachorro, e suspeitou que talvez ele tivesse engasgado. O choro do cão aumentava a cada minuto, e a família resolveu procurar ajuda veterinária na internet, pois não sabia como agir.

FOTO: ENRIQUE HENRIQUEZ/ RRJ

Mesmo após drama, Danilo adotou um gato encontrado na rua Foi aí que Danilo resolveu procurar algum hospital veterinário, 24 horas, e tivesse serviço de ambulância. Mesmo com o atendimento, o cachorro morreu.

“Minha tia ligou e disse que a causa da morte foi a perfuração do intestino por causa de um osso. Houve hemorragia. Operar era muito caro, tivemos que sacrificar”, disse.g


10 - Rudge Ramos Jornal

ECONOMIA

De 14 a 27 de Março de 2014 ANDRESA VIDAL / RRJ

Eduardo Camargo (Diva Depressão) e Dilse Mendes (Bolos da Dona Dida) recebem bons resultados por conta do trabalho virtual

Moradores do ABC apostam em redes sociais e cenário é positivo para os negócios DIÓGENES DILEU q As redes sociais, como Facebook e Twitter, já fazem parte do nosso cotidiano. Essas ferramentas também abriram espaço para uma nova forma de entretenimento e comércio. São as fan pages,

as páginas de fãs, que compartilham conteúdos de diversos temas e atraem cada vez mais a atenção dos internautas. O ABC foi o pano de fundo para a criação da fan page de humor Diva Depressão. A página foi criada pelos moradores de Mauá, Filipe Olivei-

ra, Márcia Corrêa e Eduardo Camargo, em junho de 2012. O objetivo foi criar um espaço para piadas focadas no universo feminino e utilizam a imagem da Marilyn Monroe como ícone da página. A fan page já conta com 980 mil seguidores no Facebook.

Para Márcia, as redes sociais funcionam como um espaço para divulgar ideias. “As fontes de inspiração geralmente são situações externas, cotidianas mesmo, e o Facebook é o veículo certo para depositá-las”, disse. Márcia também se lembra do poder de

alcance das páginas virtuais. “Muitas pessoas têm acesso, e o giro de informações é muito grande, uma notícia vem, passa, logo dá espaço para outra”. Não é só no entretenimento que o Facebook vem ajudando. Algumas donas de casa do ABC também adotaram essa ferramenta para divulgar seus produtos. A confeiteira Dilse Gonçalves Mendes, conhecida na internet como Dona Dida, vende doces pela rede social. “O Facebook alavancou minhas vendas e deu maior visibilidade para o meu negócio. Várias pessoas começaram a encomendar doces que eu não sabia fazer, agora estou fazendo cursos para me aperfeiçoar”, disse. As páginas virtuais também vêm ajudando pequenos estabelecimentos, como restaurantes e bares, a criar uma relação amistosa com sua clientela. É o que explica Thiago Silva, sócio do Studio Bar. “A principal vantagem de criar uma página é tornar próximo o contato com os clientes, abrindo espaço para eles deixarem suas opiniões e conceitos sobre o lugar”, explicou. g


Sites de relacionamento são ferramentas que ajudam empreendedor ADAM MINHOTO q Especialistas em mídias sociais destacam os sites de relacionamentos como ferramentas para alavancar novos empreendimentos. De acordo com o consultor de marketing do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), Leandro Reale Perez, este mercado vem crescendo muito, inicialmente com o blog e atualmente com as várias plataformas de mídias sociais. Segundo as estatísticas do Facebook, o Brasil é o terceiro maior usuário global da rede social, contanto com 76 milhões de perfis ativos. As páginas virtuais, além de entreter seus fãs, também se tornaram uma forma de tra-

duzir os gostos e desgostos de milhões de pessoas conectadas pelo país. A coordenadora de Mídias Sociais da agência RS Press, Carina Falchi, aponta que esta é uma ótima oportunidade para as empresas se aproximarem de seus públicos estratégicos. “Os sites de relacionamentos podem atuar como fonte de renda direta se o empreendimento possuir um serviço de e-commerce, ou seja, um espaço online que permita a transação de bens e serviços eletronicamente”, declarou Carina. Para a criação de um e-commerce, o empreendedor precisa estar atento à legislação. A consultora jurídica do

Sebrae, Cintia Gomes Bertão, esclarece que não há uma lei específica para regulamentar os procedimentos adequados para utilização das redes, sendo assim o microempresário deve ficar atento às leis existentes, tais como: CDC (Código de Defesa do Consumidor), Lei de Direitos Autorais, Código Penal, Código Civil etc. “No caso de compras virtuais, por exemplo, como o consumidor não pode avaliar o produto em mãos, o CDC garante o direito de arrependimento pela compra”, explicou a consultora jurídica. Com este direito, o consumidor tem sete dias, a contar da data de entrega, para avaliar se o produto recebido atende às expectativas prometidas pelo catálogo online. Caso o empreendimento não possua um espaço de compras online, Karina sugere as fanpages do Facebook como alternativas para gerar fonte de renda indireta, a fim de ampliar e divulgar o serviço e a marca g

Empresas investem em fanpages ANDRESA VIDAL q As redes sociais estão, cada vez mais, inseridas no marketing das empresas. Segundo pesquisas realizadas pelo Ibope em 2013, o número de usuários já ultrapassou 46 milhões apenas no Brasil, e pessoas entre 25 e 49 anos são as que mais acessam essas plataformas. O autor do livro “O vendedor na era digital”, João Képler, explica que as mídias sociais são importantes para gerar relacionamento com o público alvo e criar novos negócios. Képler aponta que ferramentas como o Facebook podem ser muito benéficas às empresas, porém precisam ser utilizadas da forma correta. “Faça um planejamento do que espera da rede, como pretende atuar e como vai interagir com os consumidores”. Para Képler, muitas empresas já perceberam as vantagens de estarem presentes na rede e mostrar suas marcas, serviços

Rudge Ramos Jornal - 11

ECONOMIA

De 14 a 27 de Março de 2014

ou produtos. “A rede social deve fazer parte do portfólio de comunicação da empresa, com o objetivo de construir um relacionamento com o cliente e ter presença virtual”, disse o autor. O segredo para lucrar nos meios digitais é transformar seguidores ou curtidores, em influenciadores, defensores, propagadores e, principalmente, consumidores. Ou seja, é necessário fazer com que as pessoas que se inscreveram em seu meio de comunicação digital interajam com a página e passem a contribuir, direta ou indiretamente, com o negócio. Um dos principais benefícios ao investir em um espaço virtual, como uma fanpage no Facebook, por exemplo, é o aumento da visibilidade das ações de uma empresa. A gerente de marketing Danyelle Sakugawa acrescenta que as redes sociais se tornaram um meio de segmentar o público da empresa. “As redes possibilitam filtrar melhor a comunicação, reduzindo gastos e melhorando taxas de conversão.” Alguns empresários, en-

tretanto, ainda não estão habituados com o fato de que a internet se tornou um meio ágil de marketing para as organizações. Para essas pessoas, é mais difícil abandonar as antigas convicções e passar a adotar essa nova ferramenta. Entretanto, deixando de se adaptar, o vendedor ou empresário terá grandes chances de, consequentemente, perder clientes. Mas afinal, o que uma empresa que deseja utilizar essa ferramenta precisa saber e fazer? De acordo com a responsável por redes sociais da empresa Microcamp de Santo André, Jaqueline Almeida, a empresa deve conhecer seu público alvo e estudar o modo como deseja interagir com ele. “É importante ter um profissional preparado para lidar com as redes sociais, para que o público seja atingido de maneira eficiente e, além disso, criar conteúdos interessantes a fim de conquistar novos clientes e fidelizar os já existentes”, explicou. g

6 CRIE UMA FANPAGE DE SUCESSO

Estabeleça o seu público alvo Conheça quem são os internautas que lerão suas publicações: faixa etária; classe social; localidade e etc;

Estude sua página mensalmente Analise os pontos fortes e os pontos de melhorias. Este acompanhamento vai auxiliar no desenvolvimento de sua fanpage;

Trabalhe com a fórmula "Give + Give + Give + Sell": Dê aos internautas bastante conteúdos que eles desejam para logo após vender definitivamente a sua ideia;

Responda os comentários e as mensagens Interaja com as pessoas que comentam em seus posts, seja curtindo seus comentários ou respondendo suas perguntas. Deixe que elas saibam que a participação delas é de extrema importância para você;

Atualize e inove As pessoas gostam de novidades, portanto atualize sua página constantemente. Seja na forma de conteúdos ou até mesmo uma mudança na arte da capa;

#

Cuidado com o excesso hashtags Usá-las muitas vezes pode perder a credibilidade e o foco da campanha.

Fique de olho na audiência Acompanhe os horários de picos de sua página e crie uma rotina de publicar seus posts no momento de maior acesso.

 

Anúncios e posts patrocinados Invista pequenas quantias de reais para promover os posts da fanpage. Às vezes, com apenas 20 reais é possível obter um bom resultado.

Sorteios e promoções são proibidos O Ministério da Fazenda proibiu que empresas façam sorteios ou distribuição de brindes e prêmios por meio de redes sociais sem autorização prévia.

FONTE: CARINA FALCHI, COORDENADORA DE MÍDIAS SOCIAIS


12 - Rudge Ramos Jornal

COMPORTAMENTO

Tatuagem gera polêmica no mercado de trabalho

CHRISTINA VOLPE q Uma tatuagem pode atrapalhar a carreira profissional? De acordo com a resposta de alguns entrevistados, depende. Desde que não seja algo ostensivo, a maioria não vê problema. Porém há ainda alguns empregadores que citam restrições para empregar tatuados. Ridley Alexandre Ribeiro, gerente do centro de documentação da TV Record, considera normal o uso de desenhos no corpo por parte dos funcionários. Porém algumas situações para Ribeiro são inevitáveis. “Se o candidato aparecer com o rosto totalmente tatuado, eu vou ser bem franco, não contrataria. Há essa limitação”, disse. Nesse caso, a estudante de arquitetura Mariana Costa não teria problemas em trabalhar com Ribeiro. “Decidi fazer minha tatuagem na panturrilha, pois não queria que ficasse tão

exposta a ponto de um dia me atrapalhar num futuro profissional.” Mariana avalia que depende também do emprego que se está procurando. “Hoje, não atrapalharia, mas infelizmente existem pessoas preconceituosas e por conta da tatuagem acaba se tornando um ponto negativo dependendo do emprego que procura”, afirmou. A discrição e a forma de se vestir também podem ajudar quem curte tatuar o corpo. O professor de biologia Marcio Motta dá aulas em uma escola privada. Trabalha com crianças e pais o tempo todo. E, apesar de a instituição permitir tatuagens, por vontade própria ele prefere cobrir. “A condição de cobri-las foi minha, usei o bom senso. Não achei que deveria esperar alguém pedir para isso acontecer. Nessa área de educação interajo com vários públicos,

e as reações são diversas”, declarou Motta por e-mail. Em tempo: ele tem dez tatuagens espalhadas pelo corpo. Mas há casos em que o trabalhador recebe um recado do empregador. Foi o que aconteceu com uma vendedora de uma loja de um shopping. Sob a condição de não ter o seu nome divulgado, ela contou que, ao começar a trabalhar, foi com uma roupa que deixava as costas expostas. Nelas há uma tatuagem de uma banda de rock. Segundo essa comerciária, sua chefe pediu que ela cobrisse o desenho. “Minha gerente disse que logo iria parecer um gibi.” A tatuagem ainda parece ser um tema polêmico. A reportagem tentou falar com o departamento de recursos humanos de várias empresas. Mas não obteve resposta depois que explicou qual seria o tema da entrevista. (Colaborou: Erika Peselli).g

De 14 a 27 de Março de 2014

“A CONDIÇÃO DE COBRI-LAS FOI MINHA, USEI O BOM SENSO.” CHRISTINA VOLPE/RRJ

MARCIO MOTTA

Desenhos indesejados têm solução DENISE DUARTE/RRJ

Pigmentos escuros são mais fáceis de serem removidos

DENISE DUARTE q Na hora de fazer uma tatuagem, um desenho escolhido por impulso para ser uma obra de arte no corpo pode virar um grande arrependimento. Nesses casos, a saída é a remoção ou cobertura do adorno. Segundo o dermatologista Samir Arbache, da Sociedade Brasileira de Dermatologia, os desenhos mais removidos são nomes de pessoas e tatuagens referentes à morte. Isso pode ser feito por meio de cirurgia, lixamento da pele e tratamento a laser. A remoção pode ser total ou parcial. No caso do laser, o médico explica os recursos que utiliza. “Para aliviar a dor do paciente utilizamos equipamentos que resfriam a pele a menos 5 graus centígrados, ou seja, anestesiamos a pele por congelamento.”


Mas há quem prefira apenas cobrir o desenho. A estudante de audiovisual Cibele Janaina, 31, fez uma flor de lótus no lugar de outra tatuagem que tinha nas costas. “Tive a primeira filha. Quatro anos depois, tive outro bebê. Não queria fazer outro nome tatuado grande nas costas, mesmo sendo o das minhas filhas”. Das técnicas usadas, o laser é o método mais procurado, pois atua somente na região

Rudge Ramos Jornal - 13

COMPORTAMENTO

De 14 a 27 de Março de 2014

da tatuagem, sendo que os pigmentos mais escuros podem ser removidos mais facilmente. “Pigmentos amarelos e verdes podem ser resistentes aos lasers, e os avermelhados podem mudar de cor e ficar enegrecidos”, afirmou Natalia Cymrot, mestre em Dermatologia pela Faculdade de Medicina da USP. Apesar de a tecnologia facilitar cada vez mais o processo para quem se arrepende da tatuagem escolhida, as inter-

venções podem trazer problemas. A aplicação de pigmentos atinge a camada mais profunda da pele. Assim, a remoção de um desenho pode afetar outros tecidos, deixando cicatrizes ou mudanças de cor da pele. É o caso do estagiário de engenharia civil Murillo Gonjito Couto, 19, que tenta apagar do peito o nome de sua ex-namorada. Ele está na metade do tratamento a laser. “O procedimento é muito doloroso. Diversas vezes

durante o tratamento apareceram feridas e sangramento.” Os procedimentos após a remoção também são importantes para a recuperação do paciente. “A área pode ser coberta com um curativo especial de hidrogel ou com curativos com antibióticos, que devem ser mantidos por sete dias ou até não haver mais nenhuma secreção do local”, afirmou a dermatologista Natalia. (Colaborou: Christina Volpe). g

Diferentes estilos agradam amantes desse tipo de arte ERIKA PESELLI q Orientais e Old School. Esses são alguns dos estilos de tatuagens mais utilizados por quem gosta de exprimir um desenho no corpo. Há outros tipos, muito antigos, como a Maori, originária da tribo do mesmo nome da Nova Zelândia, sempre feita na cor preta e que expressa sabedoria, renascimento, paciência, entre outros sentimentos. Uma forma contemporânea também existente é a chamada Aquarela. Não importa o modelo. A tatuagem faz parte do cotidiano. A de estilo oriental foi a escolhida por Wagner Hiroshi, 30, coordenador de sistemas de mídias da Record News. “Eu sempre gostei de filmes de máfia e do código de honra que existe entre eles”, disse Hiroshi, que começou a tatuar há cinco anos. “Meus pais que não aprovavam.” Consideradas milenares, as tatuagens orientais tiveram sua origem na temível gangue Yakuza, umas das mais perigosas do mundo. As carpas, dragões gueixas, fênix, flores e kanjis são as melhores representações desse gênero. Com cores fortes e acabamento detalhado, elas são consideradas mais populares. “Toda semana alguém aparece para fazer um desenho oriental”, afirmou Ivan Kleber, 40, tatuador do W Tattoo. Segundo ele, esse tipo nunca sairá de moda.

Outro modelo muito procurado é o Old School, que teve como precursores os marinheiros, como forma de lembrar suas aventuras pelos oceanos. Os mais usados são sereias, corações, fitas, âncoras, rosas e estrelas náuticas. A estrela náutica é uma das oito tatuagens que enfeitam o corpo de Filipe Gonçalves Silva, 23, auxiliar de suporte técnico. Mas já há uma nova opção. Uma nova técnica são as tatuagens Aquarela ou Watercolor. O uso das cores é totalmente diferenciado porque imita os efeitos de tinta aquarela em uma tela. O tatuador Victor Octaviano, 28, usa essa técnica no seu trabalho, e já está com a agenda lotada para 2014. “O lance com a Aquarela foi gradativo. Eu já gostava de usar manchas e gotas de tinta nas minhas tatuagens”. Segundo Octaviano, o modelo é inspirado no pintor Salvador Dalí (1904-1989). Uma das clientes de Octaviano, a publicitária Mari Montilha, 23, fez uma Aquarela no antebraço direito: uma sereia. “Eu tenho várias tattoos com traçados diferentes, mas a que eu mais gosto é essa”. (Colaborou: Christina Volpe).g

FOTOS: ERIKA PESELLI/RRJ

DENISE DUARTE/RRJ

Hiroshi mostra suas tatuagens orientais a cima. À esquerda Filipe adota o estilo Old School. À direita Mari prefere o tipo aquarela

Cuidados são importantes ao se tatuar DENISE DUARTE q A maioria dos estúdios de tatuagem de São Paulo não segue adequadamente os procedimentos de higiene, de acordo com levantamento feito no ano passado pelo Instituto de Infectologia Emílio Ribas. Outro problema muito comum nos centros urbanos são os tatuadores ambulantes, que não obedecem às regras de saúde e de segurança, e aumentam o risco de contaminação. O estúdio de tatuagem deve seguir as normas solicitadas pela vigilância sanitária, possuir alvará de funcionamento e estar registrado na Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Além disso, é imprescindível que o local disponha de ficha cadastral dos clientes atendidos, sendo que no Estado de São Paulo é proibido por lei que menores de 18 anos façam tatuagem. Os interessados em tatuar o corpo devem verificar se o estúdio é completamente higienizado, com recipientes próprios para agulhas, luvas e outros materiais, que devem ser descartáveis. O espaço deve dispor também de uma autoclave, mesmo aparelho usado em laboratórios de pesquisa e hospitais para esterilização de materiais, que mata os microorganismos através do vapor de água em alta temperatura. Já o tatuador deve lavar bem as mãos e utilizar luvas, além de tomar vacina principalmente da hepatite tipos B e C, que pode ser transmitida por uma agulha contaminada e pela má utilização das tintas.g


14 - Rudge Ramos Jornal

De 14 a 27 de Março de 2014

CULTURA

Grupo de dança mostra a evolução do tango DIVULGAÇÃO/SMPRESS

FERNANDA CORDEIRO

q “Uma noite de tango” é o espetáculo de dança apresentado pela Companhia Tango & Paixão, que acontece neste sábado (15), no Teatro Lauro Gomes, às 21h. Na apresentação, a companhia busca mostrar a evolução dessa dança tipicamente argentina, passando por suas diferentes categorias, desde o tango tradicional, a milonga, tango valsa e o tango contemporâneo. Durante os 90 minutos de espetáculo, a companhia homenageia dois grandes nomes do estilo musical, Carlos Gardel e Astor Piazzola, mostrando por meio de seus bailarinos a evolução dessa dança. Todos os anos, o grupo prepara um espetáculo diferente. “Por ser o ano da Copa do Mundo no Brasil, preparamos uma surpresa para os espectadores, usando a competição como inspiração”, afirmou a diretora artística

Márcia Mello. A companhia já fez cerca de dez apresentações em São Bernardo, e a exibição deste ano será a primeira da turnê 2014. O elenco do espetáculo é formado por um típico quinteto de tango, composto por bandoneon, violino, violoncelo, piano e contrabaixo, além de dois cantores argentinos e cinco casais de bailarinos. Segundo Márcia, o objetivo é difundir a cultura do tango no Brasil. “A ideia é mostrar o tango como manifestação artística, deixando transparecer a beleza da dança. Não há quem não se encante com o espetáculo.” g

Rodas de capoeira são abertas para os moradores da região FELIPE LEME

q A Universidade Metodista de São Paulo oferece todos os sábados o projeto Encontros na Roda de Capoeira: Estudantes e Comunidade. Aberto para o público externo, os participantes podem praticar a base da atividade. “A gente trabalha as duas essências da capoeira: a capoeira angolana e a regional”, explicou Eduardo Okuhara, professor mediador dos encontros. Nas aulas há atividades lúdicas, alongamento, oficinas musicais e culturais e samba de roda. Para Okuhara, o projeto busca trabalhar o que a capoeira tem de mais bonito: a prática da convivência e, acima de tudo, o respeito

Espetáculo traz 90 minutos com as músicas de Carlos Gardel e Astor Piazzola e ainda as diferentes categorias da dança

às diferenças. “Alguns participantes, por exemplo, têm Síndrome de Down e vêm para dentro da universidade se beneficiar dessa prática corporal”, disse. Não é necessário fazer inscrição. A oficina é gratuita. Para participar basta ter acima de 6 anos. Especializado em Pedagogia do Movimento, o educador físico Okuhara vê no projeto a oportunidade de unir a prática de ritmo do corpo e a autoestima com questões de convivência e inclusão. “Na própria ação, você joga capoeira com o outro, e não contra. Há uma socialização.” A idealização dos encontros surgiu em 2002, como desdobramento das aulas eletivas oferecidas para os alunos da universidade. Ao final daqueles eventos, um grupo

FELIPE LEME/RRJ

de alunos mostrou interesse em continuar a prática. “É fundamental que a universidade seja capaz de

estender aquilo que ela produz de conhecimento cultural ou científico à comunidade”, declarou Okuhara. g

Aulas trabalham com atividades lúdicas, samba de roda e alongamento


ESPORTES

De 14 a 27 de Março de 2014

Equipe masculina da Metodista/São Bernardo estreia no Super Paulistão dia 22 de março

CAIO DOS REIS/RRJ

CAIO DOS REIS

q A equipe masculina de handebol da Metodista/São Bernardo estreia no Super Paulistão 2014 no dia 22 de março. A tabela completa e os confrontos ainda não foram divulgados pela FPHB (Federação Paulista de Handebol). “Sabemos que temos adversários fortes, então lutaremos para conseguir uma classificação para a próxima fase”, afirmou o técnico da Metodista, José Ronaldo, o SB, apesar de ainda não conhecer o primeiro adversário. Sobre os demais times, o comandante destacou quatro deles. Reforçado com seis atletas do elenco da Metodista/São Bernardo de 2013, o Taubaté chega forte para mais uma competição estadual. O time do interior paulista tem a base da seleção brasileira, com sete atletas convocados. O Esporte Clube Pinheiros é outro time que mantém uma base forte e se reforçou com

outro atleta do time do ABC, o pivô Vinícius. Já o São José também se reforçou com dois atletas da Metodista. Os dois

pontas, Júlio e Jack, acertaram com o time são-joseense. Segundo o treinador, Hebraica também pode surpreender na

Metodista/São Bernardo venceu a edição de 2013 do Super Paulistão

São Bernardo enfrenta Sesi pela segunda partida dos playoffs da Superliga 2014 VINÍCIUS REQUENA

q Após perder a primeira partida dos playoffs para o Sesi-SP por 3 sets a 2, a equipe do São Bernardo Vôlei enfrenta o time da capital nesta sexta-feira (14), no Ginásio Poliesportivo, às 19h, pela segunda partida da fase de quartas de final da Superliga Masculina. Durante a fase de classificação, o São Bernardo não tinha conseguido ganhar nenhum set do Sesi-SP. Para o treinador da equipe do ABC, Peu, o time poderia ter vencido a partida. “Conseguimos marcar muito bem. Se tivéssemos confirmado o bom momento no segundo set, poderíamos ter vencido a partida em 3 a 0. Mas ao todo o jogo foi bom. Fomos agressivos, mas poderia ser melhor, já que cometemos alguns erros comuns por causa do nervosismo”, disse.

Para o treinador, a equipe precisa melhorar alguns pontos para o segundo jogo. “Cometemos falhas. O Sesi mudou taticamente durante o jogo e não conseguimos nos adaptar. O bloqueio deles ficou alto. Com isso, precisamos melhorar nosso ataque.” O São Bernardo venceu o terceiro set por 21 a 12. Peu elogiou a postura da equipe no set com maior diferença de pontos no jogo. “Sacamos melhor, nosso ataque funcionou bem. Nosso time sempre foi bom em bloqueio, saque e na defesa. Quando temos um bom desempenho no ataque, o jogo fica muito bom para o nosso lado. E isso aconteceu nesse set”, afirmou. No tie-break, a equipe da região não conseguiu repetir o bom momento dos três primeiros sets e acabou perdendo a partida. Para o treinador, o

Rudge Ramos Jornal - 15

competição estadual. A pré-temporada da equipe masculina já começou e os treinos estão sendo físicos e técnicos. Atualmente, a equipe tem 15 atletas, sendo dois goleiros. “Estamos com muitos reforços juvenis e que estavam com a seleção da categoria. Por isso decidimos dar um tempo a mais de descanso para eles”, explicou SB. Desde o dia 6, todos os jogadores estão treinando com o grupo. Os desfalques para a estreia são Ferrugem, Carlito e Pato, que se recuperam de lesão. EQUIPE FEMININA O time feminino tem a estreia marcada para o dia 12 de abril contra o Piracicaba. O principal reforço da equipe comandada por Eduardo Carlone é a armadora direita Jaqueline Anastácio, que estava no Dínamo de Volgrado (RUS). Além de Jaqueline, que já teve passagem pela seleção, a equipe ainda conta com mais três representantes na equipe nacional. A central Hannah Pontes, a ponta Célia e a pivô Regiane estão no Chile disputando os Jogos Sul-Americanos da modalidade pelo Brasil. g DIVULGAÇÃO/SMPRESS

maior problema foi se adaptar ao jogo do Sesi. “A equipe deles tem um orçamento muito superior ao nosso. Com isso, tem jogadores que podem mudar o jogo completamente. E foi o que o Pacheco (técnico do Sesi) fez durante a partida, aumentou o bloqueio e fez um saque mais fraco”, disse. Durante a partida, o oposto Léozão saiu machucado. Peu

minimizou a lesão e disse que o oposto estará à disposição para o próximo jogo. “Léozão estava sendo muito solicitado durante o jogo, atacando muitas bolas. Normal sentir uma cãibra em um jogo que foi para o quinto set. Mas no próximo jogo ele vai estar bem e pronto para ajudar nossa equipe”. Com Léozão machucado, o central Michael entrou fora

Leozão foi o maior pontuador da equipe do ABC no primeiro jogo dos playoffs da Superliga

da posição para ajudar a equipe e recebeu elogios do treinador. “Durante a temporada o Joel teve problemas físicos. Sem outro oposto, recorremos ao Michael, que já havia feito esse intercâmbio de posição nas categorias de base. Ele topou e foi muito bem”, disse. Para a próxima partida, Peu declarou: “Eles devem recomeçar com a mesma equipe. Se eles jogarem tudo que podem, o jogo vai ser muito difícil. Então temos que nos preparar para um saque muito forte. Então treinamos muita recepção e ataque”. g


16 - Rudge Ramos Jornal

De 14 a 27 de Marรงo de 2014


RROnline - Edição 1.015