Issuu on Google+

omportamento Comportamento Revista & atitude Setembro/2008

Do sentimento a mudança comportamental: depressão

Viciados em compras & 10 dicas para não gastar sem controle

- Cascavel -

ano I

n° 1

Festas raves: “O sonho não pode acabar”

O que levas as pessoas a comerem compulsivamente?

O poder das cores

R$ 12,90


MENSAGEM DO EDITOR O comportamento humano evoluiu com o passar dos tempo, e diversas são as características que mudam de acordo com cada cultura e com cada influência do meio que o envolve. Um exemplo claro está na matéria “O poder das cores”, matéria que aborda a influência que ela operam sobre o ser hum a n o . Trataremos na matéria de capa a influência que as festas raves causam nas pessoas, as que não gostam e querem acabar com elas e as que são a favor e fazem de tudo para mantê-las, seja elas legalizadas ou não. Um problema sério que afeta milhões de mulheres no mundo, a anorexia nervosa, o que causa esse disturbio afinal de contas? Porque elas se sentem gordas? Estas e muitas outras matérias relacionadas a comportamento humano fazem parte dessa nossa primeira edição da revista Comportamento & Atitude, porque não há como ter atitude sem haver um estudo sobre o comportamento nas mais diversas áreas humanas.

Índice Comportamento humano e seus princípios p.3 Até onde o ser humano é capaz de chegar? Interesse.

O poder das cores p.4 As cores são influências fortes quanto à questão do comportamento humano.

Do sentimento a mudança comportamental p.6 A depressão ocorre quando a pessoa deixa de ter reforçadores, coisas que antes davam prazer.

Viciados em comprar p.9 Psicólogos afirmam que este pode ser um problema de auto-estima e precisa de terapia.

10 dicas para não gastar compulsivamente p. 10 Anorexia nervosa p.12 Meninas em busca de um padrão que não existe fazem de tudo para serem absolutamente magras!!

O que leva as pessoas a comerem compulsivamente? p.14 Milhões de brasileiros sofrem na hora de comer, por não ter limite!

TOC - Transtorno Compulsivo Obsessivo p.16 Reportagens: Eder Oelinton Cristiane de Souza Elvis Fidele Jociane Prestes Carolina Pereira Entrevista Ademilson Fonseca Fotografia Eder Oelinton Cristiane de Souza Diagramação Eder Oelinton

O TOC (transtorno obsessivo compulsivo), é um transtorno mental, que manifesta-se a partir de mudanças comportamentais.

O que é sexo? p.18 Comportamento abstrato, fuga da realidade: festas raves p.19 Festas raves são como válvula de escape para algumas pessoas, mas querem acabar com elas.

Opinião: Comportamento infantil p.22


Comportamento humano e seus Princípios Carolina Pereira A moral de um l o b o é comer carneiros, como a moral dos carneiros é comer a grama. Este instinto animal tem inconscientemente caracterizado o comportamento humano o qual tem mostrado uma moral dupla: uma que prega mas não pratica, outra que pratica mas não prega. Até aonde o ser humano é capaz de chegar? Não é preciso andar muito para descobrir que a maioria das pessoas são movidas pelo interesse, é muito difícil saber quem realmente esta ao seu lado as vezes você tem um amigo a anos mas na primeira crise financeira que você passar ele te irá te ignorar e ai sim você vai ver quem realmente esta do seu lado pela pessoa que você é não pelo que você tem. Não são só os políticos que lutam por princípios, e na hora de executa-los caem fora a população em si é assim, é fácil passar o que é certo para o seu filho, na frente dele você pode ate cumprir as leis impostar para ele para dar exemplo, mas

e quando ele virar as costas você continuará mantendo aquela linha de ética? Como um ditado antigo faça oq que eu digo mais não o que eu faço! Não vamos generalizar tudo isto, ainda existem pessoas boas no mundo que são movidas principalmente pelo coração, são pouquíssimos mais raras de se encontrar, mas com algum empenho conseguimos identifica-las. Caráter é o que tem mais de íntimo, é aquilo que fazemos quando ninguém esta por perto é o nosso segredo mais bem guardado é aquele fantasma que

atormenta a mente quando a cabeça encosta no travesseiro. Tem-se que aprender a reconhecer as pessoas que estão ao nosso lado, para saber em quem confiar, não é preciso maltratar todo mundo, mas sim ser educado e muito bom observador para não se arrepender de ter confiado em quem não devia, ambiente de trabalho é uma coisa, universidade é outra e por ai vai para cada lugar que você vai é uma maneira de se comportar, não mudando sua personalidade mas sim sua maneira de agir.

3


O poder das cores Em meio aos conflitos comportamentais do ser humano, as tonalidades aplicadas se tornam também influentes em sua rotina diária

Cristiane de Souza

O

que seria do mun do se nada tivesse cor? Ou fosse tudo em preto e branco? Sem dúvidas objetos perderiam o sentido. Elas exercem um poder grande sobre o que existe ao nosso redor, é o conteúdo agregado dando vida e características próprias para que então cada elemento possa ser diferenciado individualmente. As cores são influências fortes quanto à questão do comportamento humano, são fundamentais em decisões a serem tomadas e dizem muito sobre a personalidade. Pois estudos especializados comprovam que há mudanças com freqüência quando são empregadas no dia-a dia de cada indivíduo.

4

O mundo está imerso á tudo que emite luz, cores se aplicam a energia e são consideradas formas de escolhas feitas pelo ser humano. Também é resultado de bons negócios e a colocação de profissionais no mercado de trabalho. No comportamento, seu papel se reflete frente ás emoções, que modifica o estado, podendo ser alterado em determinado ambien-

te dependendo da tonalidade existente. Crianças geralmente preferem cores fortes e vivas, por chamarem a atenção. À medida que vão crescendo, á sua maneira, vão se adequando melhor a elas. “Ao me vestir, opto pela combinação. Gosto de cores escuras. Porém prefiro as claras, são menos cansativas e trazem uma sensação de conforto.” Comenta a es-


tudante Elisângela Pasqualeto. Isso diz muito a respeito das preferências do indivíduo e influencia em sua conduta. Pois parte dele a escolha da roupa a ser usada, a pintura da casa, móveis e objetos pessoais. Tendo ligação direta no humor. Num determinado lugar preto, é frio, torna-se pesado e triste. Em branco, dá impressão de limpeza, sendo claro e alegre. Portanto, cada cor possui amplo grau de significações, que gera diferentes funções nos mais diversos momentos da vida. E são significados de extrema importância. A exemplo disso se difunde a existência de três cores básicas. Que é o vermelho símbolo da unidade do corpo, o amarelo da mente e o azul do espírito. As cores quentes deixam à pessoa mais eufórica, agitada. E as frias trazem certa proteção e acalmam. Na publicidade e propaganda, precisam ser tratadas com cuidado, pois em excesso se tornam-se carregadas e não produzem um retorno. Para a professora de jornalismo da Univel Lurdes Tirelli Guerra nesta área apenas a visão da pessoa é afetada. Podendo ela admirar um devi-

do painel ou embalagem onde há certa combinação, sem exageros que dificultem na divulgação do trabalho. Deixando-a impressionada, sem causar impacto negativo. Levando em consideração que essas ondas eletromagnéticas afetam o sistema nervoso, alterando todo o estado emocional, psíquico e físico. Podendo ser es-

estão obtendo resultados positivos e sendo bastante recomendados. Por agirem sobre o estado mental, espiritual e físico. Além de atuar também em casos agudos e crônicos. Com isso é possível perceber que o comportamento humano está em constantes variações e o seu estado é afetado de acordo com a tonalidade empregada. Há necessidade em saber se aplicar as cores ao modo de vida. Pois assim como o ar, com a falta delas, o corpo simplesmente adoece.

tímulo para a criatividade ou causar introspecção e até doenças. A esse respeito se desenvolveu um estudo terapêutico natural, chamado de cromoterapia. Que nada mais é do que a cura de doenças através do uso das cores. Com métodos como, banho de luzes feitos em salas iluminadas, e outra forma é o uso de pedras preciosas em regiões do corpo visivelmente afetadas. Esses tratamentos utilizam no processo de cura cores que a pessoa tem uma certa carência. E com isso

5


Do sentimento à mudan

Afetando todo o modo de vida, a depressão domina o Cristiane de Souza ·Tristeza persistente, ansiedade ·Sensação de vazio ·Desamparo, desânimo ·Desinteresse por atividades que antes causa vam prazer ·Pensamentos de morte

E

sses são alguns dos sintomas causados pela depressão. Esta que é uma psicopatologia, ou seja, uma doença que afeta o ser humano envolvendo o seu corpo, temperamento, pensamento e comportamento. Os exemplos citados à cima, são fatos relatados pela estudante Valéria Dayane Lobo. Após ter perdido seu irmão, por uma morte causada pela leucemia, que é um câncer no sangue. A jovem que estava com 19 anos entrou em estado de depressão profunda. “Eu só tinha vontade de chorar, queria morrer, ficava muito carente. Ao mesmo tempo em que eu queria me isolar, também sentia a necessidade de ter todos ao

6

meu lado, me dando atenção.” Comenta a estudante. A mãe da jovem Gonçalina Lobo também ficou muito abalada. Porém tinha que juntar forças e passar isso á filha. Ela conta que chegou um momento em que não tinha mais como conversar, ao abordar, tentar ajudar e distraí-la, a filha começava chorar desesperadamente, o que complicava a situação. Então

Gonçalina precisou levá-la para fazer um tratamento com auxílio de uma psicóloga. “Nas terapias, eu conversava muito, fazia desenhos. Gostava de ir, e por pra fora o que eu sentia.” Conta Valéria. E após um ano de psicoterapia, já se sentia recuperada e pôde encerrar as sessões e parar com os medicamentos.


dança comportamental

na o ser humano e lhe acarreta uma série de fatores Hoje dois anos depois, ela diz que foi muito difícil passar esta fase. Fica triste e chora, ao ver fotos e ouvir músicas em que lembre do irmão. Mas agora está bem melhor, e consegue superar o fato. Dentro de uma análise da psicologia comportamental a doença, ocorre quando a pessoa deixa de ter reforçadores, coisas que antes davam prazer. A perda d alguma coisa importante. Como um ente próximo, o término de um relacionamento, queda financeira, decepção coma própria pessoa, entre outros fatores. É uma séria anomalia, pelos danos que pode causar aos pacientes. O distúrbio depressivo não é a mesma coisa que estar num período de tristeza, pois o ser humano tem problemas constantes que se refletem, e como conseqüências ficam tristes. Alterando o seu estado por um dia ou uma semana, sendo isso reação normal frente á um a causa. Para que a doença seja caracterizada, é necessário que haja um ciclo dessa tristeza profunda por no mínimo seis meses. A partir disso o diagnóstico é constatado. Segunda a psicóloga clínica Caroline Buosi quando há indícios da doença primeiro passo é tratar os sintomas, encontrar formas para que eles desapareçam, mas sem que a pessoa se culpe por seu estado.

“Dentro da abordagem feita pela psicologia comportamental, não se costuma dizer á pessoa que ela está com depressão. Para que ela não se justifique frente á situações em que não consiga realizar tarefas, e para que a mesma não se rotule como depressiva.” Afirma Caroline. Para o início do tratamento não é necessário se ter vários critérios de diagnósticos para relatar que o indivíduo realmente tem essa psicopatologia. Mas os sintomas observados são de, uma tristeza muito grande, aparentemente sem causa, expostos nos mais variados lugares, sem saber o porquê choro compulsivo, isolamento, precisa estar longe de ambientes em que

7


ela possa ter algum contato social. Basicamente são esses os fatores determinantes. Quanto ao tempo de tratamento Caroline afirma que cada caso é um caso. Depende da gravidade do problema, e da capacidade de resiliência. Que é a maneira que a pessoa tem de dar a vol ta por cima e obter uma superação. “Há pessoas em que o seu mundo está desabando, e elas estão lá, lutando para que aquilo não ás abale. Ao contrário de outras em que o problema aparentemente é menor, e elas ficam por um período de tempo totalmente abaladas. E a pessoa que já teve depressão é mais propensa a ter novamente.” Finaliza a psicóloga. Na necessidade de medicação o psicólogo, em hipótese alguma pode receitar. Somente o psiquiatra que tem formação em medicina está apto para isso. E neste caso

8

Deve haver um cuidado extremo, pois remédios, como os anti- depressivos podem causar dependência, e podem não resolver o problema se este realmente for comportamental. Para uma melhora eficácia, o paciente deve se ajudar e também querer ser ajudado. A família e amigos são fundamentais para o bom desempenho, pois é preciso oferecer também apoio emocional. Devendo ter paciência, compreensão e encorajamento. Chamando a atenção da pessoa e a alertando para a realidade, oferecendo esperança. Envolvendo-a em atividades d interação e passatempos. Desta forma, o objetivo principal estará sendo realizado. E com o tempo o paciente conseguirá se restabelecer, e ter uma recuperação significativa.


Viciados em comprar Psicólogos afirmam que este pode ser um problema de auto-estima e precisa de terapia Elvis Fidele

Q

uem não quer ter um apartamento novo, o carro do ano, roupas de marca, um celular de última geração, computador portátil, Mp3? E a lista é grande. Essa é uma das maiores causas do endividamento e, consequentemente do aumento da inflação. Se há algum tempo atrás as pessoas tinham mais dificuldade em adquirir qualquer um desses bens, atualmente isso está bem mais fácil. Lojas, bancos e financeiras de modo geral estão cada vez mais maleáveis quando o assunto é concessão de crédito. Afinal de contas, em uma era capitalista em que vivemos o verbo mais conjugado é o “ter”. É exatamente aí que muitas pessoas perdem o controle, compram compulsivamente e acabam gastando além de suas possibilidades. Esse é um comportamento bastante comum entre os jovens, mas, principalmente entre mulheres. Essa vontade desenfreada de comprar tudo o que se vê pela frente pode ter várias explicações. Sabe-se que a publicidade ao consumo é agressiva. Constantemente ocorre o lançamento de um

novo modelo de carro, celular, computador ou uma grife famosa lança sua nova coleção. Isso atiça os desejos de qualquer consumidor. A mídia também contribui para aumentar esses desejos. Ela consegue como ninguém criar a necessidade no consumidor em adquirir “aquele celular da propaganda”. Para alguns psicólogos, este pode ser um problema de baixa auto-estima, ou seja, o indivíduo por se sentir inferior e até mesmo por insegurança procura chamar a atenção de alguma forma e assim, cria a necessidade de comprar. “Conheço pessoas que compram quando tem dinheiro, e até quando não tem nenhum dinheiro - neste caso usam o cartão de crédito e continuam comprando mesmo extremamente endividados e com a conta estourada “, revela a psicóloga Caroline Bousi, “a solução para uma pessoa que já perdeu o limi-

te é reconhecer isso antes de tudo, em seguida fazer terapia para aprender a se controlar” pondera Carolina. ão gastar compulsivamente.

3


10 dicas para não gastar compulsivament

1° Será que eu estou precisando?

Aprenda a identificar se você realmente precisa daquilo que pretende comprar ou se apenas o quer. Desta forma você controla seus impulsos de gastar dinheiro com coisa que desnecessárias.

ficativa “mas estava muito barato”.

3° evite entrar em lojas e shoppings

4° crie o hábito de controlar seus gastos

Programe um orçamento e mantenha-se nele. Faça uma lista das despesas, de quanto irá entrar de dinheiro no mês, quanto vai sobrar, se vai sobrar e pense muito no que vai fazer com o esse dinheiro.

2° evite promoções 5° faça anotações

Uma placa dizendo 50% de desconto é muito atrativa. Mas se você não tinha a intenção de comprar nada, não entre. Pois muitas pessoas entram atraídas pela promoção e acabam levando um monte de coisas que não precisam e que nunca vão usar com a justi-

10

Se você identificou que tem problema, evite entrar em lojas e shoppings, passe longe deles, dê uma volta maior se necessário, no domingo a tarde vá ao parque, zoológico, cinema ou fique em casa, mas descarte a possibilidade de visitar um shopping.

Comesse a anotar tudo o que você comprou no decorrer do mês. Dessa forma você tem um controle maior de onde gasta o seu dinheiro.


6º faça pesquisa de preços

ente

8° quebre cartões de crédito e rasgue talões de cheques

10° dê a você mesmo um prêmio

Se você está precisando comprar uma geladeira, por exemplo, não compre na primeira loja que entrar sem antes olhar o preço das geladeiras em outros lugares. Após isso, verifique quanto de energia ela consume e opte pela mais econômica.

Cheque e cartão de crédito são bastante usados, mas podem causar estragos irreparáveis quando a pessoa não tem controle. Portanto se você não tem este controle, evite-os.

9° carregue uma lista de compras

7° compre somente à vista

Quando entrar em uma loja para comprar algo de que necessita compre à vista, além de evitar o endividamento você ainda pode “chorar” aquele desconto.

Quando for ao supermercado faça uma lista de tudo o que está precisando e limite-se a comprar somente o que está na lista. Faca o pagamento com dinheiro ou cartão de débito.

Trace uma meta em sua vida: se após um mês economizando seus esforços forem válidos compre algo que vai te fazer feliz, algo barato, aliás, você tem um orçamento a seguir. Esta dica não significa que depois de um mês você vai sair gastando de maneira descontrolada.Basta então começar a seguir novamente as dicas sugeridas nesta matéria e sempre se educar, chegará a hora que tudo se tornará automático em sua cabeça.

11


Anorexia Nervosa Meninas em busca de um padrão que não existe fazem de tudo para serem absolutamente magras!! Jociane Prestes

A

Anorexia Nervosa pa rece ter uma prevalência bem maior em sociedades industrializadas, ser atraente está ligado à magreza, pelo fato do ritual da beleza e todos tem como ser bonito é ser magro como mostra a mídia e muito hoje, também fatores culturais podem influenciar as manifestações do transtorno muitas jovens adolescentes querem seguir o que a mídia mostra por querem ser famosas como as modelos que sempre aparecem magérrimas e como vimos elas também sofrem com este tipo de transtorno por serem cobradas por seus agentes como aconteceu com a modelo Ana Carolina Reston Macan que morreu em conseqüência de uma anorexia que levou a em um quadro grave hospitalar sofrendo varias complicações, tudo isso em busca de uma beleza não existente. Causas Não se conhecem as causas fundamentais da Anorexia Nervosa. Há autores que evidenciam como causa a interação sociocultural mal adaptada, fatores biológicos, mecanismos psicológicos menos específicos e especial

12

vulnerabilidade de personalidade. Os modelos de sistemas familiares procuram identificar determinados padrões de funcionamento familiar alterado, por exemplo, minimização de conflitos, envolvimentos da criança em tensões familiares, pais ausentes, mães que competem com as filhas, etc. Porém, estes fatores hoje são vistos mais como mantenedores do comportamento do que como causais.Sintomas pele seca, queda de cabelo, olhos fundos, pressão baixa, depressão, irritabilidade, obsessão por exercícios físicos, perda

excessiva de peso em períodos curtos.

Tipos: Tipo Restritivo. Neste tipo a perda de peso é conseguida principalmente através de dietas, jejuns ou exercícios excessivos. Durante o episódio atual, esses pacientes não se desenvolveram compulsões periódicas ou purgações.

Tipo Compulsão Periódica/Purgativo. É quando o paciente se envolve regularmente em compulsões de comer seguidas de purgações durante o episódio atual de anorexia. A maioria dos pacientes com


Anorexia Nervosa que comem compulsivamente também fazem purgações mediante vômitos auto-induzidos ou uso indevido de laxantes, diuréticos ou enemas.

Transtornos Associados: Quando seriamente abaixo do peso, muitos pacientes com Anorexia Nervosa manifestam sintomas depressivos, tais como humor deprimido, retraimento social, irritabilidade, insônia e interesse diminuído por sexo.

Epidemiologia A taxa de prevalência de pacientes com anorexia é de 1% e, destes, cerca de 90% dos casos são em mulheres. A doença acomete mais freqüentemente classes sociais mais elevadas. Algumas profissões ligam esbelteza com realizações, e populações especiais (notavelmente bailarinas e modelos) demonstraram ter um risco incomumente alto para o desenvolvimento de transtornos alimentares.

perder a vontade de controlar seus pesos.

ca para anorexia. Paciente e família devem fazer terapia.

Psicologicamente deve-se abordar o caso cognitivamente e/ou comportamentalmente, encorajando a adoção de atitudes mais sadias por parte da paciente, que é recompensada com elogios e diminuição de situações aversivas como restrição de sua mobilidade. A psicoterapia individual é indicada visando a modificação do comportamento, das crenças e dos esquemas falhos de pensamento. Mesmo após a melhora é bom ter em mente que as recaídas são freqüentes.

Nível Ambulatório Deve ser feito por equipe multidisciplinar (psicólogo, nutricionista, terapeuta ocupacional, clínico geral). Não há medicação específi-

Tratamento Uma das primeiras dificuldades é a que diz respeito à aderir o paciente ao tratamento, a negação da doença é muitas vezes parte integrante do quadro. As pacientes com anorexia nervosa em geral desconfiam dos médicos, os quais elas percebem como inimigos e interessados apenas em realimentá-las, em fazê-las

13


Depoimento O

lá eu sou a Flávia tenho 1.67 m 53 Kg, tive anorexia nervosa aos meus dezesseis anos, cheguei a pesar 43 Kg, como se não bastasse recuperei o meu peso e logo já vinha provocando vômitos, hoje tenho 20 anos e sofro desse transtorno desesperador, a bulimia, vomito tudo o que como umas 5 vezes por dia, não consigo me controlar, as pessoas não me entendem, mas até quando vou viver nesse inferno, já faz 5 anos que vivo assim, quero ser feliz, tenho tudo para isso mas... Faço tratamento com psicólogo e remédios, cheguei a ter melhoras durante esses 5 anos, mas ainda vomito muito e me sinto gorda, o q mais me incomoda é minha barriga, sou bailarina, antes conseguia ser mais magra, mas agora tenho muita compulsão e vomito muito, e isso faz com que eu apenas mantenha o peso e não emagreça, minha vontade era de voltar a ter a forçam que tinha quando tinha anorexia, mas não só as vezes eu consigo ficar sem comer. Utilizo uma escova de dente para provocar os vômitos, sofro muito com isso, me ajudem, quero viver como todos vivem e comer normalmente, penso em comer toda hora e quando como vomito tudo, me sinto suja por dentro, se não vomitar acho que tenho um ataque.

O que leva a comer compulsivamente Milhões de brasileiros sofrem na hora de comer, por não ter limite! Jociane Prestes

C

omer ato que realiza mos todos os dias, com moderação para ter uma vida saudável pois não vivemos sem o alimento, mas para alguns o comer regularmente torna-se um transtorno compulsivo que os leva a ingerir exageradamente e sem limite os alimentos, ingerindo assim uma quantidade ex-

14

cessiva de calorias, o comer compulsivo é mais freqüente em indivíduos obesos e torna-se mais prevalente com o aumento do peso corpóreo e também acontece com pessoas mais velhas. Em pesquisa realizada vemos que 50% dos comedores compulsivos obesos apresentam depressão, enquanto 5% dos obesos sem este tipo de distúr-

bio são deprimidos, doença que foi identificada recentemente ainda então não foi desenvolvidos programas terapêuticos para o tratamento padrão, para o mesmo assim a maioria das pessoas com este tipo de distúrbio são tratadas com atividades convencionais de perca de peso utilizados em tratamentos para emagrecer, mas já encontra-se em fase de desenvolvimento um


programa para pessoas que sofrem com este tipo de distúrbio por comer compulsivamente e baseiam-se muito no tratamento da bulimia nervosa doença que o paciente se limita de comer ou come mas logo em seguida sente remorsos e faz de tudo para eliminar o alimento ingerido por ele. Um dos motivos mais freqüentes em alimentar-se compulsivamente é a solidão sentimento de abandono que deixa qualquer um na angustia isso então leva o ser humano a buscar e procurar outras saídas para não se sentir só e acaba encontrando a saída em comidas, “pois quando comemos sentimos prazer por ser bom, mas por já estar num ponto de depressão comemos sem parar e nem percebemos o quanto de calorias estamos ingerindo em nosso organismo” disse a auxiliar de produção Márcia da silva que sofre com este transtorno pois ela trabalha em uma empresa a noite chega em casa de madrugada e ataca tudo que encontra chegando ao ponto de comer alimentos frio e sempre que se sente só come sem sentir o sabor dos alimentos e sem ter fome mas sim por angustia e o alimento é como se fosse seu companheiro. Mas pessoas que sofrem com tal distúrbio não consegue parar pois por serem a maioria sofredores de depressão comem assim muito e varias vezes quando sentem-se mal por não es-

tar no meio da sociedade, no meio em que vivemos é ainda discutido o padrão de beleza pois mostram que todos devem ser magros. O ritual da magreza deprime os brasileiros, pois na correria do dia-a-dia acabam comendo demais lanches rápidos isso então leva a ganhar peso rapidamente como vemos na pesquisa que este distúrbio atinge pessoas obesas na maioria das vezes por já se sentirem mal por estarem diferente do que a mídia passa assim comem sem noção e tudo de uma vez só, sem ao menos sentir fome, é um jeito que encontram de fugir da realidade que estão vivendo pois todos que tem um tipo de transtorno comportamental buscam

neste então se interar e preencher o vazio que sentem por algo que passaram ou estão vivendo.

15


T

O

C

Transtorno obsessivo compulsivo Elvis Fidele

E

ste dis túrbio mental pode ter diversas origens, sendo elas genéticas, culturais ou psicológicas. Será que sou portador de TOC? Esta é uma pergunta que muitas pessoas fazem freqüentemente. O TOC (transtorno obsessivo compulsivo), é um transtorno mental, que manifesta-se a partir de mudanças comportamentais (rituais, compulsões, repetições, evitações) , dos pensamentos (obsessões como dúvidas, preocupações excessivas) e das emoções ( medo, aflição, culpa, desconforto, depressão). “O TOC consiste em uma obsessão incontrolável que só é aliviada após a compulsão, que é a realização excessiva de atos que buscam aliviar essa obsessão”, afirma a psicóloga comportamental Caroline Bousi. Essas obsessões invadem a mente do individuo portador do distúrbio, causando muita aflição que é seguida da

16

compulsão, que consiste na realização de comportamentos ou atos mentais voluntários e repetitivos, realizados para reduzir as aflições causadas pelo comportamento. Dentre as obsessões mais comuns estão a preocupação excessiva com limpeza (obsessão) que é seguida de lavagens repetidas (compulsão). Outro exemplo são dúvidas freqüentes seguidas de verificações, como olhar várias vezes se todas as janelas ou torneiras da casa estão bem fechadas. A ciência tem conseguido esclarecer vários fatos em relação ao TOC, no entanto, ainda não conseguiu esclarecer suas verda-

deiras causas. Entre o s vários fatores que podem explicar o seu aparecimento envolvem a natureza biológica relacionadas à gen é t i c a , neuroquímica cerebral, lesões ou infecções cerebrais: fatores psicológicos, culturais e até mesmo a maneira errada em interpretar a realidade de uma pessoa portadora de TOC, ou seja, não significa que o fato da pessoa ser perfeccionista que esta apresente o distúrbio. Na medida em que as pesquisas avançam, revelam que este distúrbio pode ocorrer após traumatismos. Observou-se ainda que certas zonas cerebrais de uma pessoa portadora de TOC são hiperativas, ou seja, funcionam mais do que em indivíduos normais. Outro fator importante é a descoberta medicamentos capazes de reduzir os seus sintomas. É comum que alguns sintomas surjam após algum estresse psicológico, sendo agravados por conflitos psí-


quicos. “Pacientes portadores de TOC sempre acreditam que se não realizarem as ações para aliviar suas obsessões, algo de ruim pode ocorrer ”, revela Caroline Bousi, que também revela as pessoas que convivem com um portador de TOC não entendem os fatores que podem causá-lo, achando muitas vezes esquisitice. Fatores ligados ao tipo de educação (mais ou menos severa), à cultura social e familiar podem influir sob as crenças, criando um terreno propício ao surgimento do distúrbio. Obsessões e compulsões mais comuns: Preocupações excessivas com limpeza (obsessão) lavagens repetidas (compulsão); Dúvidas (obsessão) – verificações (compulsão);

Preocupação com ordem, simetria, exatidão, seqüência ou alinhamento (obsessão) – repetições e confirmações (compulsão); Preocupação em economizar ou guardar coisas inúteis (obsessão) – economizar ou acumular coisas inúteis (compulsão); Comportamentos religiosos (obsessão) – rezar, repetir palavras, frases ou números (compulsão); Pensensamentos supersticiosos (osbsessão) – tentar afastar pensamentos indesejáveis substituindo-os por pensamentos contrários (compulsão); Palavras, nomes, cenas, músicas e datas (obsessão) - relembrar cenas ou imagens, contar ou repetir números, fazer listas, marcar datas (compulsão).

Tratamentos para o TOC A maioria dos tratamentos para pacientes portadores de TOC, inclui o uso de medicamentos prescrevidos por psiquiatras também utilizados no tratamento da depressão, que posteriormente descobriu-se sendo efetivas do transtorno. O uso de remédios é a primeira opção, principalmente, quando além do TOC são diagnosticados problemas associados como depressão e ansiedade, o que é bastante comum. No entanto, raramente eles eliminem por completo os sintomas, causando muitas vezes efeitos colaterais como o aumento de peso. Além dos medicamentos, utiliza-se no TOC uma terapia chamada terapia cognitivocomportamental (TCC), que foram adaptadas técnicas para combater os seus sintomas. A terapia é eficaz e pode reduzir em até 70% ou até eliminar os sintomas do TOC. Os resultados dessa terapia podiam ser ainda mais eficientes se a TCC fosse um método conhecido e praticado. Recomenda-se que medicamentos e terapias sejam associados no tratamento do TOC.

17


O que é sexo? Carolina Pereira

C

onforme o dicionário nos explica sexo é a característica que distingue o macho da fêmea nos animais, vegetais ou humanos. Mas as relações sexuais também podem ser chamadas de sexo. Homens e mulheres são muito diferentes, em relação a sexo então nem se fale, na opinião de Camila Prado, veja bem estou citando o nome dela, mas nem todas pensam assim, sexo é uma forma de complemento do casal, mas não é uma atitude a ser tomada na hora, para transar com uma pessoa é necessário confiança, intimidade e o principal amor. Já para os homens a idéia de sexo muda completamente, para Rafael Campanha sexo é super normal, não precisa ter sentimentos e se houver intimidade entre ambos é melhor ainda, vale tudo em qualquer lugar, segredo de uma relação durar bastante tempo é o sexo, mas não pode ficar na rotina tem que abusar da criatividade ir a sex shop, usar fantasias, criar lugares e posições diferentes. Também não podemos generalizar, muitos homens pensam assim, mas apesar de raros ainda exis-

18

tem homens que tem um raciocínio diferente dos demais, como existem mulheres que não pensam que sexo é só com amor e pronto. Sexo começa com a troca de olhares, as primeiras palavras ai vai surgindo aquele interesse de conhecer mais a fundo a pessoa desejada, surge o primeiro beijo as vezes o sexo pode rolar na primeira noite, mas geralmente não é assim, o casal apaixonado começa a namorar e conforme o tempo vai passando vem vindo a tal confiança e enfim a doação dos corpos, sim doação pois cada um doa um pouquinho de si, depois de algum tempo vem o casamento e logo os filhos e ai voltamos ao inicio de novo. Quem vai saber o que os filhos vão pensar, com o passar do tempo os pensamentos das pessoas mudam o ambiente muda e as pessoas se tornam diferentes.


Comportamento abstrato, fuga da realidade Festas raves são como válvula de escape para algumas pessoas, mas querem acabar com elas

Eder Oelinton

J

á faz algum tempo que as festas raves fazem parte da sociedade, nascidas na ilha de GOA na índia. Se espalhando na Europa no decorrer dos anos, muito difundidas em Israel, é lá onde acontecem as melhores raves do mundo. No Brasil o movimento deu-se inicio com a primeira festa realizada no estádio do

Pacaembu em São Paulo no ano de 1992. Toda a ambientação de uma rave é inspirada na cultura indiana, que em certa época do ano fazem um ritual de correr uns atrás dos outros banhando-se de tinta, por isso o visual colorido, luzes e ambiente. Certamente um tabu para algumas pessoas, ou uma maneira diferente de diversão e até de vida para outras, cada segmento da sociedade vê

esse tipo de festa com uma análise crítica diferente. Mas elas são nada mais que: festas de música eletrônica com cerca de 10 a 200 mil pessoas, que podem acontecer em locais isolados, sítios ou galpões longe do perímetro urbano, no caso das PVT, private party, ou em estádios de futebol até, e as pessoas podem “ficar mais a vontade”, soltar suas emoções. Festas com mais de 10 mil pessoas acontecem

19


apenas nas grandes capitais com uma estrutura mais organizada envolvendo muito tempo de preparo. Ravers é o nome dado às pessoas, entre 18 a 40 anos que vão às raves. As festas raves podem ser feitas em qualquer horário, de dia ou de noite, com uma duração de mais de 6h ou ate 24h, haja fôlego! Embaladas pelo som das batidas e melodias psicodélicas e eletrônicas, comandado por uma pessoa com experiência e habilidades em manusear a mesa de som e mixer, são os DJ’s, eles quem definem a seqüência das músicas a serem apresentadas. Em uma espécie de revezamento, vários podem tocar em uma festa, dependendo da duração. Existem alguns tipos de variações da música eletrônica, tais como: psy, trance, full on,

20

electro, minimal, progressivo, techno, cada qual com um ritmo diferente, o que regula são os BPM, ou beats per minute (batidas por minuto), que ficam entre 100 e 150. O estilo Gabba é o mais rápido de todos chega a cerca de 400 bpm’s. Para uma festa de grande porte, de 10 mil a 200 mil pessoas, é necessário seguir um processo longo e burocrático, dentre eles: alvará do corpo de bombeiros, que avaliará a segurança do local para evitar possíveis acidentes, liberação das polícias civil e militar, unidade móvel de primeiros socorros, além de um valor altíssimo em investimento, é por isso que é mais feito em capitais onde o público é garantido. Em festas pequenas, com um número de pessoas que vai de duzentas a mil pessoas, define-se o local e alvará a

segurança é feita de acordo com o número de interantes. Existem pessoas com um preconceito muito forte acerca das festas raves, para elas é um local onde pessoas doidas e noiadas, ou drogadas, se encontram para ouvir uma barulheira sem sentido e ficarem pulando igual a uns doidos sob efeito de entorpecentes. Foi a partir desse pensamento que as festas raves se tornaram alvo de fiscalizações pela polícia e foram descobertos em muitas destas, trafico de drogas e começaram as proibições, aos poucos as raves foram perdendo o prestígio.

Leandro, 22, freqüentador de festas raves, é amante da música eletrônica há três anos, sua primeira grande festa foi em Curitiba no Paraná, a XXX Experience em


2007, com cerca de 30 mil pessoas. Leandro afirma que querem acabar com as festas raves por causa do consumo de drogas, mas não é só nestas festas que existe o consumo, a questão é o porquê pegaram no pé das raves? “Quanto ao consumo de drogas, falar que pessoas não usam drogas nas festas é mentira, agora dando um exemplo: vão querer acabar com as festas raves por causa do uso de drogas, mas quanto a um show de rock, as pessoas vão poder usar sem a proibição?. O que percebo é que querem acabar com as festas RAves e não com o uso de Drogas. Festas são festas

pessoas usam as coisas se quiserem, usar ou não usar é de cada um e não por causa da festa em si. Vão acabar com as festas e ai ? Quer dizer que vai cair 90% o uso de Drogas no Brasil?! Eu acho que não!! Desabafa.

Caso aprovada, não será mais viável a produção desse tipo de festa.

De acordo com publicação feita em 29 de junho de 2008 no site do Jornal Cidade do estado de São Paulo, existe o trâmite de uma lei na Assembléia Legislativa que regulamente as festas raves naquele estado. Um dos pontos de destaque é acerca da duração da festa que não pode mais ultrapassar 10h, e uma lista de 21 itens que os organizadores das festas teriam que cumprir, caso contrário seria aplicado uma multa de cerca de R$ 65 mil.

21


Opinião Comportamento infantil

Coordenadora Pedagógica da Pré escola são Francisco de Assis -Gabriela

Ademilson Fonseca Qual a origem da maioria dos problemas de comportamento infantil? Os problemas de comportamento podem ser cons i d e r a d o s multideterminados, pois recebem influências de variáveis filogenéticas, ontogenéticas e culturais. Ou seja, o comportamento de uma criança é influenciado por características que são inerentes a sua genética e são mantidos de acordo com o seu desenvolvimento e o contexto cultural em que está inserido. Entre as variáveis que podem influenciar no surgimento e na manutenção de problemas de comportamento pode-se listar a história de vida familiar, as práticas parentais (valores, regras, etc.), condição socioeconômica, eventos estressantes, conflitos conjugais, hereditariedade dos pais e da criança, patologia parental, características da criança e da escola. De que forma os pais podem contribuir para ajudar as crianças com problemas?

22

Os pais, juntamente com a escola e as pessoas que estão em contato com a criança, precisam reforçar c o m p o r t a m e n t o s desejavéis, ou seja, mostrar a criança o que é mais adequado (certo e errado) direcionando o comportamento dos filhos para certos princípios morais e éticos que consideram importantes para a conquista da independência, autonomia e responsabilidade. Dessa forma estarão reduzindo os comportamentos que consideram inadequados. As estratégias utilizadas pelos pais para “educar” seus filhos vão estar diretamente relacionadas ao desenvolvimento da vida da criança.

Psicóloga Janete Fillwock Miotto

DeitosDiretora da Pré escola são Francisco de Assis – Saionara Rieger AF-Quais são as principais mudanças no comportamento infantil nos últimos anos? GD- As crianças vêem pra escola com muito mais informações, percebe-se uma diferença no comportamento das crianças que tem mais acesso as informações, um poder maior aquisitivo ajuda também, com acesso a livros a internet e crianças de menor poder aquisitivo que por exemplo brincam mais em casa, sobem em arvore, que ajudam os pais, por um lado é positivo as informações, mas a pré escola trabalha é mais a questão psicomotora, a criança necessita desse brincar, o que a gente vê que interfere no comportamento de muitos que não querem expor seu corpo e isso é necessário para uma adulta, onde ele vem a ter que ter um equilíbrio, uma concentração pra que na série posteriores ela se desenvolva bem, e muitas crianças não brincam, estão mais ligados a jogos


Minutos de Sabedoria Afaste de si o veneno sa lisonja. Não creia naqueles que o elogiam sem motivo. Prefira ouvir uma crítica honesta, a um galanteio vazio.

eletrônicos , tem o lado positivo do raciocínio rápido, mas tem o lado em que fca deficiente na coordenação motora por que ficam muito ligados aos jogos eletrônicos, as crianças e a escola tem seus problemas de comportamento, alguns por que as crianças tem algum déficit ou problema neurológico, nós temos problemas com alguns pais, limites ´r o que vem faltando, pais dão ao invés de cobrar. AF –Quais sãos os tipos de comportamento mais frequentes nas crianças de hoje? SR – Seria agressividade com os colegas, alguns batem, derrubam, muitas crianças pensam que podem fazer o que querem, algumas famílias proporcionam tudo que a criança quer e na escola a gente tem muitas regras, as crianças tem dificuldades em seguir regras. AF – O que os pais podem fazer para ajudar crianças com problemas?

GD – Os pais tem que estar preocupados realmente com a vida de seus filhos, hoje não existe mais aquela pessoa que fica em casa, todos trabalham, muitas vezes são obrigados a deixar seus filhos em instituições o dia todo, aquele momento que os pais estão com seus filhos que esse momento seja para eles, que se preocupe em ir a escola acompanhar o comportamento dos filhos, seu desempenho e mostrar para essa criança o quanto ela é importante, mas quem tem filhos tem cuidar, e amar é dar limites e você tem que estar presente na vida de seus filhos

A crítica aos nossos atos poderá trazer-nos o alerta de que necessitamos para corrigir-nos. O elogio fácil nos amolece e ilude. E nada existe de mais frágil que uma criatura iludida a seu próprio respeito. Seja atencioso e compreensivo. Quantas vezes a pessoa que vem falar com você traz problemas recônditos, escondidos no âmago da alma! Mantenha-se sereno, você que já vislumbrou a luz do entendimento fraterno. Conserve seu equilíbrio, quando alguém se apresenta perturbado. Trate com afabilidade a todos. O visinho que senta a seu lado na condução não é seu inimigo, nem seu concorrente. Mesmo insensivelmente, você receberá de volta as vibrações de gratidão de seu coração.

C. Torres Pastorino

23



Revista Comportamento