Page 1

TERÇA-FEIRA, 06 DE MAIO 2014

G1/GRANDE MINAS (06/05) Falha responsável por tremores em Montes Claros está se distanciando Afirmação é feita por relatório divulgado pela USP, UnB e Unimontes. Apesar do distanciamento falha apresenta proporções maiores A falha sísmica responsável pelos recentes abalos sísmicos em Montes Claros, Norte de Minas Gerais, está se distanciando da área urbana do município. É o que aponta o relatório divulgado da Universidade de São Paulo (USP), Universidade de Brasília (UnB) e Universidade Estadual de Montes Claros.

Gráfico mostra a movimentação da falha. Os círculos vermelhos mostram os abalos entre 2011 e 2013; e os círculos amarelos os abalos em 2014. (Foto: Reprodução)

O estudo revela que a falha está migrando para o sentido “noroeste em direção oposta à cidade”. Os sismos, caso aconteçam novamente, de acordo com o relatório, podem apresentar efeitos menores no perímetro urbano. Segundo o Levantamento da UnB, os sismos apontam dimensão maior do que a já conhecida, capaz de causar tremores mais elevados, mas que não chegam a ser motivo de alarme, porque está longe da cidade. Porém, segundo o documento, a falha apresenta dimensões maiores que as já conhecidas por meio dos estudos feitos entre os anos de 2011 e 2013. “Se está ocorrendo um epicentro é porque existe uma falha geológica. Então, esta é a primeira constatação de que a falha é maior do que se pensava”, explica o coordenador do Núcleo Sismológico da Unimontes, professor Expedito José Vieira. O aumento na falha pode gerar tremores ainda maiores que os já relatados na cidade. Mas, segundo o estudo, “existem casos de falhas muito extensas capazes de gerar sismo de alta magnitude que nunca se mobilizou em sua totalidade”.


O relatório completo sobre os abalos está disponível no site do Observatório Sismológico da UnB.

G1/GRANDE MINAS (06/05) Unimontes cancela edital para o cargo de professores

A entrevista está disponível no link http://g1.globo.com/mg/grande-minas/mgintertv1edicao/videos/t/edicoes/v/unimontes-cancela-concurso-para-para-o-cargo-deprofessores/3324935/


ESTADÃO (06/05) O mártir da pressa A Escola Base é a pedra no sapato da minha geração, um grupo de jornalistas que testemunhou e relatou coisas sensacionais, como as Diretas Já e todo o processo do impeachment de Collor.

Brenda fucuta é jornalista e sócia da agência incrível! – design de causas Não é só dizer ‘não coma’ Macaco, o totem do Brasil?A viúva do torturador Paquistanês batiza biblioteca com nome de Bin LadenCoreia do Sul: mortes em naufrágio somam 18 Quando estourou o escândalo, eu trabalhava na redação da Veja. Na revista, que derrubou um presidente, o processo de apuração era extremamente rigoroso. Tínhamos os editores, que escrutinavam os textos e seus repórteres, e tínhamos a joia da coroa, os checadores: um time de jornalistas que trabalhava nos bastidores questionando as informações do texto final e alertando a redação para possíveis equívocos. Os checadores não me alertaram para potenciais fragilidades na história da Escola Base. Nem os editores. Seria exigir muito, já que a notícia, anunciada primeiro na TV, de que havia uma denúncia de abuso sexual numa escolinha de bairro em São Paulo, tinha se alastrado de tal forma que a questão não era de checagem ou de bom jornalismo. Era de competição por audiência e luta contra o tempo. Quem conseguiria a primeira entrevista? Quem descobriria os detalhes mais sórdidos? Para repórteres de TV daquela época (imagino, ainda hoje), tempo é um deus cruel. Você precisa entrar no ar em uma hora, ao vivo, com uma notícia que vai chamar a atenção de milhões de pessoas e tudo que há, para ajudar, é o histórico (o que seus colegas já disseram sobre o assunto) e suas fontes (nesse caso, o delegado que recebeu a denúncia de abuso sexual de duas famílias). Quando eu estava sentada à sala da casa de uma das mães que acusavam os professores da escola de terem abusado de seu filho de 4 anos, assisti a um desfile apressado de vários colegas de TV. Eles tinham perguntas prontas, a mãe tinha respostas que pareciam cada vez mais fabulosas e ninguém parecia ter a obrigação de duvidar. Eu contava com uma vantagem: trabalhava numa revista semanal e, diferentemente de meus colegas de TV, tinha um pouco mais de tempo para apurar a história. Era um privilégio e eu o usei. Tive tempo para ver a mãe do garoto supostamente abusado dirigir toda a sua atenção para os repórteres enquanto a criança brincava, sozinha, num dos quartos da casa. Tive tempo para perguntar a ela se o filho tinha intestino preso (pergunta que só fazia sentido porque tive tempo de entrevistar médicos que me explicaram que fissuras anais, relatadas no exame de corpo do boletim do IML, podiam ser fruto tanto de abuso sexual quanto de constipação intestinal). Imagino que esse dado tenha começado a entornar o caldo do escândalo. Na reportagem que escrevi cheguei a citar um caso semelhante, que tinha acontecido nos Estados Unidos, de denúncia infundada de abuso sexual de crianças contra uma escola. Lembro que, após um ou


dois meses de reportagens sobre o caso, o assunto começou a tomar outro rumo. Depois de terem sido linchados moralmente, os donos e os professores da Escola Base mereceram o benefício da dúvida por parte da imprensa e da Justiça. Veículos de imprensa, inclusive a Veja, foram condenados e multados. Repórteres que cobriram o assunto devem se sentir culpados até hoje. Um mês depois do aniversário de 20 anos do escândalo, soube da morte de um dos donos da Escola Base, Icushiro Shimada, no último dia 16, de infarte. Fico imaginando o que ele passou nestas duas décadas. Imagino também o que a mãe da criança de 4 anos sentiu quando percebeu que podia estar errada. O que esse menino, hoje um adulto, tem como memória da história da qual, involuntariamente, foi protagonista... A pressa é uma inimiga da verdade. Unanimidade, também. Pressa, unanimidade e histeria foi o coquetel explosivo do caso Base, destrutivo a ponto de ter deixado cicatrizes irreparáveis em todos. Curiosamente, a mesma mistura aconteceu no mês passado, quando o Ipea divulgou dados equivocados sobre o que os brasileiros pensam do estupro. A cobertura do assunto, agora mais veloz com o jornalismo online, foi pouco crítica e pouco profunda. Quando os dados começaram a levantar suspeitas, a fogueira já estava queimando nas redes sociais, com protestos de toda ordem. Nesse caso, o erro custou apenas um emprego (do diretor do Ipea). Eu confesso que também, apressada, publiquei o resultado da pesquisa no meu blog. Depois, me desculpei por não ter feito o que o jornalista deve fazer sempre e cada vez mais: desconfiar. Na nossa profissão, ao contrário de tantas outras, o ceticismo pode salvar vidas e reputações.

G1.COM (06/05) Governo distribuirá 50 mil ingressos da Copa para estudantes e indígenas Ingressos foram doados pela Fifa para programa Mais Educação e Funai. Jogos do Brasil e final também terão ingressos gratuitos para alunos O governo federal vai distribuir 50 mil ingressos de jogos da Copa do Mundo para alunos de escolas públicas das cidades-sedes do torneio e para a população indígena. Os ingressos foram doados pela Fifa para beneficiar alunos de escolas participantes do Programa Mais Educação (48 mil ingressos) e comunidades indígenas vinculadas à Fundação Nacional do Índio (Funai) e do Comitê Intertribal. No última sábado (2) foi realizado um sorteio para definir a ordem das escolas que terão direito ao ingresso. Até o próximo dia 18, os diretores das escolas precisam confirmar o interesse no sorteio para o Ministério da Educação. A lista com o nome de todos os alunos sorteados, com os respectivos jogos, será divulgada publicamente no dia 6 de junho, seis dias antes do início da Copa do Mundo.


Curitiba é a cidade que vai receber mais ingressos, 7.808 entradas. Em seguida estão Fortaleza (7.496), Cuiabá (7.306), Porto Alegre (6.056), Recife (5.854), Salvador (4.008), Natal (2.906), Belo Horizonte (2.304), São Paulo (2.238), Manaus (1.902), Brasília (1.564) e Rio de Janeiro (558). O jogo com mais ingressos disponíveis para o sorteio entre alunos é Rússia x Coreia do Sul, em Cuiabá, no dia 17 de junho, com 4.202 entradas. O jogo de abertura, entre Brasil e Croácia, tem o menor número de ingressos do programa, com apenas 24 entradas. Brasil x México, em Belo Horizonte, terá 286 ingressos, e Brasil x Camarões, em Brasília, 100 ingressos. Para os jogos das oitavas, quartas, semifinal e para a grande final da Copa, dia 13 de julho, no Maracanã, foram destinados apenas 50 ingressos gratuitos em cada partida.

G1.COM/BEM ESTAR (06/05) 76,4% dos brasileiros têm habito de se automedicar, segundo pesquisa Dos que se automedicam, 32% aumenta a dose dos remédios prescritos. Pessoas confiam na recomendação de família, amigos, colegas e vizinhos A automedicação é praticada por 76,4% dos brasileiros, segundo levantamento feito pelo Instituto de Ciência Tecnologia e Qualidade (ICTQ), que entrevistou 1.480 pessoas de 12 capitais brasileiras. O ICTQ é um instituto que atua nas áreas de Pesquisa e Pós-Graduação com foco no mercado farmacêutico. Entre os que adotam essa prática, 32% têm o hábito de aumentar as doses de medicamentos prescritos por médicos com o objetivo de "potencializar os efeitos terapêuticos", o que também é considerado uma forma de automedicação. "Uma vez que a pessoa desobedece a dosagem, isso passa a ser automedicação, ainda que ela tenha recebido a orientação do médico ou do farmacêutico", explica Marcus Vinicius de Andrade, diretor de pesquisa do ICTQ. Ainda no grupo dos que tomam remédio por conta própria, 72% afirmaram que confiam na indicação de medicamentos feita pela família, 42,4% confiam na indicação de amigos, 17,5% confiam na indicação de colegas de trabalho ou estudo e 13,7% confiam na indicação de vizinhos (cada entrevistado podia indicar mais de uma opção). A capital que registra o maior índice de automedicação é Salvador, onde 96,2% dos habitantes adotam a prática. Já a capital em que o hábito é menos frequente é Belo Horizonte, onde 35% se automedicam. Em São Paulo, o índice foi de 83% e no Rio de Janeiro, de 91,4%. O estudo afirma ainda que 61,4% das pessoas que se automedicam estão conscientes sobre os riscos. Para Andrade, esse dado mostra que, apesar da importância das campanhas de conscientização, a medida mais efetiva para coibir a prática é a adoção de um controle de vendas mais rígido. Segundo os dados coletados pelo ICTQ, existe uma tendência de diminuição do consumo irregular de medicamentos controlados desde que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) passou a exigir a retenção da segunda via da receita dessa categoria de remédios.


ESTADÃO (06/05) Brasil lança plano de ação científico para a Antártida Foco das pesquisas será nas ligações climáticas, físicas e biológicas entre o continente gelado e a América do Sul Marinha do Brasil/divulgação

Módulos Antárticos Emergenciais instalados no lugar da antiga estação

O Brasil apresentou nesta segunda-feira, 5, em um encontro internacional, o documento que deverá orientar a evolução da ciência nacional na Antártida pelos próximos oito anos. O Plano de Ação Ciência Antártica para o Brasil 2013-2022 propõe que as atividades de pesquisa do País no continente gelado sejam organizadas em cinco grandes projetos temáticos, com uma atenção especial para suas relações climáticas, físicas e biológicas com a América do Sul. Nasa monitora 'iceberg' que se desprendeu na AntártidaSargento envolvido em incêndio na Antártida é absolvido em 1.ª instânciaTrinca em açãoPrimeiro eclipse solar do ano ocorre na terça-feiraReintegração de posse no Jardim Botânico termina com dois feridos "Queremos explorar cada vez mais essas conexões", disse ao Estado o pesquisador Jefferson Simões, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, relator do grupo de trabalho responsável pela elaboração do documento. Os cientistas querem entender, por exemplo, como a massa de gelo da Antártida influencia o clima no Brasil, os padrões de circulação do Oceano Austral e a conectividade - presente e passada - entre a fauna e a flora dos dois continentes. "É a primeira vez que temos uma política científica de fato para o Programa Antártico Brasileiro, com eixos de pesquisa bem estabelecidos", avalia Simões. Com isso, diz ele, espera-se aumentar ainda mais a produtividade e a qualidade da ciência nacional relacionada ao continente. "Queremos um programa científico de altíssima qualidade, que reforce a representação do Brasil nos fóruns internacionais de pesquisa antártica."


O plano foi apresentado nesta segunda-feira pelo secretário de Políticas e Programas do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Carlos Nobre, na 37.ª Reunião Consultiva do Tratado da Antártica, em Brasília. A ciência brasileira vive um bom momento na Antártida, apesar do incêndio que destruiu a Estação Comandante Ferraz, em 2012. As pesquisas foram 100% retomadas, com o apoio de instalações provisórias em terra e dois navios da Marinha. Uma licitação internacional para a construção da nova base deve ser lançada neste mês.

AGÊNCIA MINAS (06/05) Governo de Minas anuncia abertura de inscrições para mestrado em sustentabilidade As inscrições vão até o dia 6 de junho. O curso, totalmente gratuito, terá início em agosto com aulas presenciais em Frutal O Governo de Minas, por meio da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e Fundação Unesco-Hidroex, abriu nesta segunda-feira (05/05) as inscrições para o mestrado em Sustentabilidade Socioeconômica Ambiental. As inscrições vão até o dia 6 de junho. As aulas serão ministradas pela Fundação HidroEX, em parceria com a Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop). O curso terá início em agosto com aulas presenciais em Frutal, no Triângulo Mineiro, às sextas-feiras e aos sábados. O curso será totalmente gratuito. De acordo com a diretora de Capacitação e Ensino da instituição, Sheila Paiva de Andrade, será um curso presencial, com módulos de 15 a 45 horas. Na sexta-feira, período integral e aos sábados até 12 h. Ela informou também que, os professores que irão ministrar as aulas são da Ufop e outras instituições de competência, inclusive internacionais, como o Unesco Institute of Water Education-IHE (Delft - Holanda). A carga horária será de 18 créditos (15 h/cada credito). Clique aqui e confira o edital completo.

AGÊNCIA MINAS (06/05) Edital do Prêmio Mineiro de Inovação será lançado nesta terça-feira, em Belo Horizonte Por meio de uma iniciativa da Câmara Ítalo-Brasileira de Comércio-MG, em parceria com o Governo de Minas e com a Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), será lançado nesta terça-feira (06/05) o edital do Prêmio Mineiro de Inovação. A ação visa premiar trabalhos e projetos que contribuam efetivamente para o avanço do conhecimento no Estado, gerando soluções transformadoras, com positivo impacto socioambiental e econômico. O lançamento do edital e início dos trabalhos acontecerá durante um café da manhã, com início às 9h, na sede da Fiemg (Avenida do Contorno, 4.520, Funcionários), em Belo Horizonte.


Estarão presentes autoridades e representantes de instituições da área de inovação e tecnologia. A iniciativa conta com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig), do Sistema Mineiro de Inovação (Simi), do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), do grupo dirigente Fiat e da União Brasileira para a Qualidade (UBQ). O edital do Prêmio pode ser conferido no site www.premiomineiroinovacao.com.br. O Prêmio Podem concorrer ao Prêmio pessoas físicas, entre pesquisadores e estudantes, universidades, escolas e centros educacionais, empresas e instituições públicas ou privadas e startups e spin offs. A principal exigência é a comprovação do trabalho/projeto por meio de patente, pedido ou registro de patente ou protótipo documentado. O grande diferencial da premiação é que serão avaliados trabalhos e projetos e não pessoas ou empresas. O Prêmio será atribuído anualmente em três modalidades (Processo, Produto e Intangível), sendo que a cada edição será concedida menção honrosa a um trabalho desenvolvido em uma área específica do conhecimento. Para 2014, a menção honrosa será para a área de Educação. Os vencedores de cada categoria e da menção honrosa receberão um diploma e uma medalha, além de R$ 20 mil em dinheiro. O Prêmio Mineiro de Inovação tem o objetivo de promover a inovação no Estado e foi lançado oficialmente pelo então governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia, durante a solenidade de entrega da Medalha Italia Affari, promovido pela Câmara Italiana de Comércio – MG, em novembro de 2013.


AGÊNCIA MINAS (06/05) Aplicativo educativo desenvolvido por startup mineira alcança marca de um milhão de usuários

Por meio de um jogo de perguntas e repostas, estudantes aprendem conteúdos de disciplinas como história, biologia, cinema ou física, informa reportagem do Estadão

A startup mineira Qranio desenvolveu um aplicativo educativo de perguntas e respostas, que já conta com um milhão de usuários cadastrados, destaca o Estadão. "Achei que era hora de criar uma maneira do aprendizado ser divertido para as pessoas”, conta o fundador da empresa, Samir Iásbeck. “Queremos que as pessoas parem de perder seu bem mais precioso – o tempo –, aprendam e possam acumular coisas com o seu conhecimento”, explica à reportagem Samir Iásbeck. Atualmente, a startup já tem um escritório em Portugal e, em breve, terá sedes em Pequim (China) e Miami (EUA). Clique aqui para ler a reportagem na íntegra.


O TEMPO (06/05) Deputados aprovam multa de R$ 200 para fumantes Autor do projeto de lei, o deputado estadual Alex Manente (PPS) diz que elaborou a proposta após receber inúmeras reclamações de comerciantes sobre a dificuldade de fazer com que todos cumpram a lei

A Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo aprovou projeto de lei que prevê multa de R$ 201,40 para fumantes que desrespeitarem a Lei Antifumo e consumirem cigarro em locais públicos fechados. Pela legislação atual, vigente desde agosto de 2009, a penalidade é aplicada somente sobre os donos dos estabelecimentos onde o descumprimento da norma é flagrado. Nesse caso, o valor inicial da multa é de R$ 1.007. Provador de cigarros adquire doença pulmonar e será indenizado video Fumo passivo danifica artérias de crianças de modo irreversível video Fumante de Belo Horizonte perde ação contra indústria de cigarros Mais Autor do projeto, o deputado estadual Alex Manente (PPS) diz que elaborou a proposta após receber inúmeras reclamações de comerciantes sobre a dificuldade de fazer com que todos cumpram a lei. "As maiores reclamações eram de donos de casas noturnas, onde é mais difícil garantir o cumprimento porque as pessoas se movimentam mais, não é possível ter controle", afirmou ele. O deputado diz ainda acreditar que a maioria das pessoas já esteja habituada à legislação. "Quando a primeira lei foi aprovada, era algo inovador, as pessoas ainda não estavam habituadas. Agora, esse hábito já foi incorporado na vida de todos, portanto, nada mais justo


do que uma responsabilidade solidária, ou seja, tanto o estabelecimento quanto o comerciante devem ser penalizados em caso de descumprimento", diz. O projeto foi aprovado na última quarta-feira, 30, e, nos próximos dias, deverá seguir para a avaliação do governador Geraldo Alckmin (PSDB), que tem prazo de 15 dias úteis a partir do recebimento para sancionar ou vetar a proposta. Procuradas, as Secretarias da Saúde e da Casa Civil disseram que não comentariam o projeto porque ainda não receberam o texto na íntegra. Desde agosto de 2009, 2.736 estabelecimentos comerciais foram multados por desrespeitar a regra, de acordo com a Secretaria da Saúde. No mesmo período, mais de 1,1 milhão de comércios receberam visita dos fiscais estaduais. Agência Estado


CONECTE-SE A UNIMONTES

www.facebook.com/unimontesmg www.twitter.com/unimontesmg www.youtube.com/unimontesmg

Clipping 06. 05. 2014  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you