__MAIN_TEXT__

Page 1

Papa Francisco

Univel Univelimplanta implanta novos cursos para atender a demanda do mercado do Oeste do Paraná

TAMITSA SENDOSKI

Marlise Cruz

Olga Bongiovanni

Egídia Covatti

UNIFATOS

Jornal Laboratório elaborado pelo 3º ano do Curso de Jornalismo da Univel - ano XV - edição 81 - Dezembro 2016

Mulher ainda enfrenta resistência na política Embora representem 53% de todo eleitorado cascavelense, nestas eleições nenhuma vereadora foi eleita. Apesar da mudança da legislação eleitoral, as mulheres enfrentam resistência na hora de conquistar o voto. Ex-vereadoras comentam a perseguição e o preconceito sofridos em legislaturas passadas. Págs. 8, 9 e 10.

Pág. 11

Venda de açaí é mania em Cascavel Págs. 6 e 7

Pág. 14

Pág. 11

Págs. 4 e 5


2 | UNIFATOS

CASCAVEL, DEZEMBRO DE 2016. www.univel.br/_unifatos

Opinião

Editorial

Artigo

O que ser quando crescer?

A dolorosa ocorrência da queda do avião da Chapecoense, que viajava de Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, para Medellín, onde disputaria a final da Sulamericana, causou mais de setenta mortes, e traz de forma intensa e angustiosa a pergunta: por quê? Por que acontecem essas tragédias coletivas? Outras reflexões vêm à mente: por que alguns foram salvos, não viajaram, seja por lesão, ou porque o elenco embarcado já estava completo? Por que alguns foram poupados e outros receberam o impacto da queda do avião? Infelizmente, não conseguimos encontrar respostas para essas perguntas. Mas em meio a tanta tristeza, a tragédia pelo menos serviu para unir até rivais, por exemplo. O caso abalou o mundo do futebol. As redes sociais foram tomadas de mensagens de solidariedade aos familiares e amigos das vítimas. A comoção é nacional e diversos torcedores, artistas e clubes reagiram com a notícia. Embora a prioridade seja o apoio aos familiares das vítimas, discussões sobre o futuro do clube estão em pauta. Após a tragédia que envolveu os jogadores e equipe do Chapecoense, além de jornalistas e convidados, os principais clubes brasileiros iniciaram um movimento para reerguer o time. Outro gesto significativo foi a decisão do time adversário que disputaria a final da Copa Sul- Americana com a Chapecoense. O Atlético Nacional simplesmente abriu mão do título, além de convocar os torcedores para comparecerem ao estádio no horário em que o jogo seria realizado vestidos de branco e com uma vela branca em sinal de solidariedade. Praticamente todos os clubes do Brasil expressaram o luto pela tragédia nas redes sociais, utilizaram a hashtag #ForçaChape e trocaram seus avatares pelo escudo da Chapecoense. Até o Corinthians, que não costuma usar a cor verde em seu site, por causa da sua rivalidade com o Palmeiras, abriu uma exceção e publicou o tweet: “Hoje não há rivalidade, nem cor a ser evitada. Hoje somos todos um só”. Apesar do momento de luto e tristeza, a solidariedade surge de todas as partes. O que não faltam são iniciativas no Brasil e no mundo querendo confortar e ajudar a Chapecoense. É emocionante perceber que o futebol não significa apenas ódio e guerra, e sim respeito e solidariedade. #ForçaChape

Adolescentes são tão sonhadores, imaginam

passagem da lotação. Universitário ‘vira zumbi’.

diversas coisas, como ter uma casa bonita, um bom

Tentar conciliar o emprego com a faculdade é um

emprego ou um carro sofisticado, mas não é sempre

enorme dilema, pior ainda se for estágio, além de

assim que acontece. Ainda mais se você decide

ganhar pouco, não tem garantia de ser efetivado.

cursar uma faculdade e ter uma carreira, aliás,

Não aprende a chegar no horário, “só mais cinco

é o que a maioria quer. Mas antes disso, surgem

minutinhos”. E quando vem a semana de provas,

mais problemas. Os sonhos acabam e tudo se torna

chega até sonhar com a matéria, daquela teoria

um labirinto de mudanças, responsabilidades,

mais profunda que atira ‘granada’ na sua mente.

escolhas e a maturidade então lhe surpreende.

Acadêmico tem mania de deixar tudo para

Então, você decide mudar de cidade para estudar.

a última hora. Dois trabalhos para entregar no

Ah se tudo fosse mais fácil!

mesmo dia. E a saudade do aconchego da mãe

No começo tudo é alegria. Sair de casa,

só aumenta. Liga quase todos os dias, pede

ficar longe dos pais e família: é uma espécie de

conselho, pede dinheiro: “mãe manda isso, mãe

“liberdade”. Seria tão tranquilo se fosse isso

manda aquilo”! É um desespero total! Aprende a

mesmo e você não tivesse que ainda depender da

fazer comida na marra, ou aquele macarrãozinho

sua mãe. Depois de um tempo percebe que nem

básico de cada dia. Faz o maior drama quando está

tudo é um conto de fadas. Fora do ninho a vida

doente e as dificuldades só aumentam. Não vê a

fica complicada, até demais. Começa a dar aquele

hora de ir visitar a família, mas quando vai, os

‘nó na garganta’ e ‘aperto’ no coração de saudade,

olhos se enchem de lágrimas, o abraço é mais forte

lágrimas rolam pelo travesseiro quase toda noite

do que o normal quer rever todos os amigos, Ahhh

antes de dormir, falando “que falta eu sinto da

a saudade, que dor no peito sufocante! Mas chega um momento em que tudo se

minha mãe”. filmes

acalma: as férias, tão sonhadas, estas sim são o

americanos não, estilo American Pie. Graduação

desejo mais profundo de um universitário. Férias

é como se alguém estivesse martelando a sua

é sinônimo de colocar os seriados e filmes em dia,

cabeça e colocando pregos, como trabalhos,

ir ao cinema pelo menos uma vez, curtir alguém,

provas, artigos, seminários, projetos, um tsunami

mesmo tentando fazer isso durante todo o ano.

de palavras dos professores. Isso quando quase se

E quando chegam as notas finais e percebe que

ajoelha na frente do mestre sem ter a garantia de

não pegou exame? Alívio!!! Sentimento de tanto

conseguir o tão esperado meio ponto para passar

esforço ser recompensando. Não há preço que

no fim do semestre e não ficar em dependência.

pague, afinal, quem não quer ser alguém quando

É,

universidade

não

é

como

nos

Não sabe mais o que é dormir oito horas, comer salada ou alguma comida que preste, economiza cada centavo para pagar o xerox e mais ainda a

crescer? Laura Siqueira, acadêmica do 3º ano de Jornalismo

Caros leitores, Para produção das próximas edições contamos com a sua colaboração. Sugestões de pautas, reportagens e até promoções de festas podem ser encaminhadas ao nosso e-mail: unifatos@univel.br Se você tiver alguma sugestão ou está desenvolvendo algum projeto acadêmico, entre em contato conosco para que possamos mostrar o seu trabalho. Ótima leitura!!!

Leitor

Quem somos Univel (União Educacional de Cascavel) - Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas de Cascavel. Avenida Tito Muffato, 2317 - Bairro Santa Cruz. CEP: 85.806-080 - Cascavel - Paraná. Telefone: (45) 3036-3636. Diretora Geral: Viviane Silva. Unifatos. Jornal laboratório elaborado na disciplina de Técnicas de Reportagem, Entrevista e Pesquisa III do curso de Jornalismo. Coordenadora: Patrícia Duarte. Professor orientador: Josimar Bagatoli. Acadêmicos (textos e fotos): Aline Gabriela Redel, Beatriz Ebbing, Bruno Rodrigo, Felipe Barossi, Gabriel Turatto, Ismael Elias, Kauane Oliveira, Kelly Rocha, Keslyn Oliveira, Laura Siqueira, Maiara Coelho, Michelli Lazzeri, Natielle Kaiomi, Paulo Eduardo, Rafael Ólika, Tamitsa Sendoski, Tatiane Thomazini, Thaíz Bourscheidt. Diagramação: Michelli Lazzeri/Josimar Bagatoli. Projeto gráfico: Josimar Bagatoli. Tiragem: 1 mil exemplares. Impressão: Jornal O Paraná. E-mail para contato: unifatos@univel.br


UNIFATOS | 3

CASCAVEL, DEZEMBRO DE 2016. www.univel.br/_unifatos

Programa Coleta Legal beneficia 95% dos moradores de Cascavel

PAULO EDUARDO E LAURA SIQUEIRA

RECICLAR

Caminhões recolhem 300 toneladas de materiais recicláveis por mês

A

EDUCOMUNICAÇÃO

Projeto da Univel contribui no desenvolvimento de estudantes

O

projeto de extensão do Curso de Jornalismo da Univel, o “Educ”, trabalha com a Educomunicação com adolescentes carentes entre 12 e 17 anos do Centro da Juventude Professor Jomar Vieira Rocha de Cascavel. O trabalho realizado pela professora da Univel, Letícia Garcia e os seus alunos, contribui para as diferentes percepções da realidade que os cercam, ajudando ainda no desenvolvimento da própria crítica e a formação de cidadãos conscientes e participantes na dinâmica social, que deixa ainda mais a curiosidade evidente com recursos tecnológicos nos alunos do Centro da Juventude. A coordenadora do Centro da Juventude, Rosangela Benedita Gouveia explica que as atividades realizadas pelos acadêmicos de Jornalismo englobam o que aprendem na faculdade. “Atividades de rádio, jornal, fotografia, televisão, português, edição de imagem e discussões de textos com temas inerentes a cada necessidade apontada são oferecidas aos nossos alunos”, afirma a coordenadora. Alunos que foram do Educ, tiveram tanto interesse pelo projeto e pelas atividades recebidas que hoje fazem parte do quadro de acadêmicos de

Município separa material e repassa para cooperativas

Caminhões passam com frequência em frente das moradias CONSCIÊNCIA A separação do material em casa beneficia o meio ambiente e também serve de lição sobre respeito à natureza para as novas gerações. Abner Oliveira tem apenas oito anos e já sabe as vantagens de reciclar. “É muito importante fazermos a nossa parte com a natureza. Assim, reduzimos as enchentes por causa do lixo acumulado”. Reportagem: Paulo Eduardo e Laura Siqueira

DIVULGAÇÃO

coleta seletiva não é privilégio para todas as cidades brasileiras. Renata Pacheco, 40, morava no Rio de Janeiro, mudou-se para Cascavel e aqui no Oeste do Paraná se deparou com o aproveitamento total do material descartado em casa. “É muito importante a reciclagem. Fiquei surpresa com o serviço aqui e isso me incentivou a fazer a separação em casa”. A reciclagem desempenha um papel determinante na preservação do meio ambiente e é realizado diariamente em Cascavel. Pelo menos uma vez por semana o caminhão que faz a coleta seletiva passa em frente às casas recolhendo o material. Segundo a gerente de Educação Ambiental, Miriane Scussiatto, 95% das residências da cidade são beneficiadas pelo Programa Coleta Legal, que existe há cinco anos. Em média são recolhidos dez mil quilos de recicláveis por dia, ou seja, 300 toneladas por mês. Esse programa é simples: o morador recebe a sacola de ráfia e separa os materiais. Os coletores passam nas casas, recolhem os recicláveis, que são destinados as cooperativas de materiais recicláveis, e devolvem a sacola vazia para o cidadão, que faz novamente o processo de separação do lixo. “Temos uma equipe de educação ambiental que passa de casa em casa reforçando a importância da separação dos materiais recicláveis e os convidando a participar da Coleta Legal”, diz Miriane.

Projeto Educ trabalha a estrutura de um jornal impresso com jovens e adolescentes no Centro da Juventude

Jornalismo e também atuam como estagiários em empresas de comunicação e também no próprio Centro da Juventude de Cascavel. “É muito gratificante ver o nosso aluno de Jornalismo, que já foi do Educ, desempenhando o papel oposto ao que recebeu quando mais novo, isso conta na formação profissional e social deste acadêmico”, expressa Letícia. “O profissionalismo, a competência e a ética da professora Letícia, que todos os anos inova com ativi-

dades criativas, colabora muito com o projeto e o empenho dos seus orientandos/acadêmicos no desenvolvimento da prática de estágio, resultam positivamente para que esta parceria continue e que colha frutos de transformação social”, finaliza Rosangela. Reportagem: Kauane Oliveira


4 | UNIFATOS

CASCAVEL, DEZEMBRO DE 2016. www.univel.br/_unifatos DIVULGAÇÃO

Pontífice se destaca com declarações que mostram a importância de tratar os assuntos deixados de lado pela Igreja

O PAPA É POP!

Papa Francisco é sinônimo de modernidade

Reportagem: Bruno Rodrigo e Keslyn Oliveira

O

Papa é pop! O título de uma das principais

de assuntos polêmicos nos proporciona liberdade

ADMIRADORES

faixas da Banda Engenheiros do Hawaii

para também tratarmos desses assuntos”, conta

As

nunca

padre Manoel de Pierre, pároco da Paróquia

fez

tanto

sentido.

Eleito

a

“personalidade do ano” em 2013, Jorge Mario

A

provocando diferentes reações na população

que

mundial.

de

surpreendentes,

Francisco

tornou-se

o

pluralidade Francisco suas

de

temas é

principais

marcas.

imigração - entre outros temas - são apenas alguns dos tratados

pensamento contemporâneo e usa isso de forma

pelo pontífice.

liberdade

que

tem

Para o arcebispo Dom Mauro

ao

Aparecido

tratar de assuntos que até então eram deixados de lado pelos outros Papas, por serem temas polêmicos, tem aumentado cada vez mais a popularidade dele frente mas

não

também

aos aos

católicos, praticantes

É bastante legal ele estar sendo mais liberal em determinados assuntos

terrorismo,

mais

“Essa

Santos,

A liberdade que ele tem em falar de assuntos polêmicos nos proporciona liberdade também

esses de

não

têm

como Eduardo Moura, que é

uma

liberal dos pontífices. Aos 79 anos, ele tem um inteligente para debater assuntos polêmicos.

Francisco

praticantes de outras religiões,

trata

Homossexualidade,

de

agradado só aos católicos, mas também os

Rainha dos Apóstolos.

Bergoglio - mais conhecido por Francisco - vem

Dono de inúmeras declarações até então

declarações

assuntos

sociedade “Francisco

é

assuntos,

pois dá uma abertura maior para debates dentro da Igreja Católica

e

isso

influencia

questionamentos também em

para

tem

determinados

Católica apresenta traz certos

importância

e

em

já que tudo o que a igreja

discutir

extrema

ele estar sendo mais liberal

também as outras religiões,

Eduardo Moura, evangélico

dos

evangélico. “É bastante legal

a

para

outras igrejas”, afirma.

igreja.

tratado

Em meio a tantas declarações diferentes

de

do papa, há também aquelas que geram

assuntos que hoje são muito

críticas da sociedade. Ao afirmar que Jesus

relevantes para a igreja, mas

fracassou ao morrer na cruz, Francisco viu a

de outras religiões”, conta o

que por serem polêmicos, todos

insatisfação de vários fiéis. “As afirmações

historiador

temos medo de tratar. Fato é

polêmicas

dele

que ele abre um grande leque

os

religiosos,

de temas a serem comentados, e

sentem ofendidos. Mesmo assim ele tem

Leandro

de

Melo

Manoel de Pierre, pároco

Pereira. E essa liberdade é bastante discutida

dentro

da

própria

limites

às

vezes já

que

extravasam muitos

se

essa abertura é importante não

muito crédito ainda por sua abertura para

Igreja Católica. Tratar de assuntos antes vistos

apenas para nós, mas para a sociedade como um

tratar de temas diferentes e que não eram

como “proibidos”, por exemplo, aceitar as outras

todo. Além disso, ele aborda os assuntos com

comentados por um representante religioso

religiões, tornou-se algo adotável por outros

muita naturalidade, já que fazem parte do nosso

com tanta abertura como ele faz”, afirma o

sacerdotes. “A liberdade que ele tem em falar

cotidiano”, conta.

historiador Leandro de Melo Pereira.


UNIFATOS | 5

CASCAVEL, DEZEMBRO DE 2016. www.univel.br/_unifatos

CATÓLICO

Dom Mauro Aparecido dos Santos comenta assuntos que abalaram as estruturas da religião

DIVÓRCIO

HOMOSSEXUALIDADE

O divórcio provoca divergências dentro da igreja

A homossexualidade é um tema que já foi muito

católica, já que há uma grande quantidade de fiéis que

abafado pela igreja católica, e quando comentado era

são divorciados. Francisco alimenta essa divergência

tido como algo errado. Francisco trata os homossexuais

dizendo que o divórcio é um mal, mas que a igreja

como pessoas que tem fé assim como todas as outras

não deve tratar as pessoas como excomungadas. “O

e afirma que a igreja deve desculpas a eles. “Com os

divórcio é um mal, e é muito preocupante o aumento do

padres sinodais, tomei consideração sobre a situação

número de divórcios”[...] “Essas

das famílias que vivem a experiência

pessoas não são excomungadas e

de ter, em seu interior, pessoas

não devem ser tratadas como tal.

com

Elas são sempre parte da Igreja”, diz o Papa. Dom Mauro faz uma junção das duas afirmações de Francisco e diz que há situações diferentes dentro dos divórcios, que cada caso é

Toda a pessoa, independentemente da própria orientação sexual, seja respeitada em sua dignidade

um caso e a igreja não abandona ninguém

independente

de

sua

tendências

homossexuais,

experiência que não é fácil nem para pais, nem para filhos. Mas, desejamos antes de tudo, afirmar que toda a pessoa, independentemente da própria orientação sexual, seja respeitada

em

sua

dignidade”,

declarou o papa ainda no ano de Papa Francisco

2013. “Os homossexuais não devem

condição. “Muita gente pensaria

ser

discriminados.

que Francisco se contradiz com

ser

respeitados,

Eles

devem

acompanhados

essas duas afirmações, mas não. Penso do mesmo jeito

pastoralmente”. [...] “Acho que a Igreja não deve

que ele, o divórcio é sim algo ruim, mas tem vários

apenas pedir desculpas... a uma pessoa gay a quem

pontos que podem mudar o conceito. Há situações

ofendeu, mas também deve pedir desculpas aos pobres,

diferentes que podem ser reconsideradas pela igreja”,

bem como às mulheres que foram exploradas, às

diz Dom Mauro.

crianças que foram exploradas por trabalho (forçado). Deve pedir desculpas por ter abençoado tantas armas”. O arcebispo Dom Mauro concorda com o pontífice e

Papa Francisco gerou diferentes debates e encorajou religiosos

DIVULGAÇÃO

Opiniões de Francisco que revolucionam a igreja

Dom Mauro Aparecido dos Santos comenta as declarações polêmicas do pontífice com todas as forças e cria argumentos inválidos”.

diz que é necessário um contato maior da igreja com os gays. “Fazendo uma análise bem completa, a igreja

INFERNO E ADÃO E EVA

teve muitos problemas com homossexuais, mas assim

O inferno é tratado como um local de maldade e

como Francisco, vejo

sofrimento pelos fiéis. Francisco e Dom Mauro tratam de

que há uma necessidade

desmistificar isso e veem o inferno como uma metáfora.

maior de ter um contato

Já sobre Adão e Eva, Francisco vê os dois como um

com eles. Sim, é algo

artifício literário e Dom Mauro trata com precaução

difícil porque há um

do tema, pois há na bíblia versões diferentes sobre

afastamento deles com

o casal. “Por meio da humildade, da introspecção e

a igreja justamente por

contemplação orante ganharam uma nova compreensão

conta das alegações no

de certos dogmas. A igreja já não acredita em um

passado, mas o Papa

inferno literal, onde as pessoas sofrem. Esta doutrina

está certo. A igreja deve

é incompatível com o amor infinito de deus. Deus não é

O Papa está certo. A igreja deve desculpas aos homossexuais Dom Mauro Aparecido dos Santos

um juiz, mas um amigo e um amante da humanidade.

desculpas aos homossexuais.”

Deus nos procura não para condenar, mas para abraçar. ABORTO

Como a história de Adão e Eva, nós vemos o inferno

Tratado por muitos como necessário em alguns

como um artifício literário. O inferno é só uma metáfora

casos, o aborto ainda é um tema totalmente errado

da alma exilada (ou isolada), que, como todas as almas

para a igreja. Francisco vê o aborto como uma forma de

em última análise, estão unidos no amor com Deus”, declarou Francisco.

domínio sobre uma vida indefesa, e que o feto

“Isso já vem sendo

não deve ter alguém para tomar decisões sobre ele. “De modo nenhum se pode afirmar como um direito sobre o próprio corpo a possibilidade de tomar decisões sobre esta vida (de um embrião ou feto), que é dona de si mesma e nunca poderá ser objeto de domínio de outro ser humano”, afirma o papa Francisco.

Não há fogo no inferno. Não há sofrimento no inferno. Não há um inferno.

realização desse ato são inválidos. “Concordo

dentro da igreja, e sim, não há fogo no inferno. Não há sofrimento no inferno. Não há um inferno. Se o amor de Deus é tratado como infinito por que ele criaria algo para

Dom Mauro trata o aborto como algo desnecessário e que os argumentos para a

tratado há algum tempo

Dom Mauro Aparecido dos Santos

provocar sofrimento? Inferno é algo totalmente literário e que as pessoas levam muito

com Francisco, aborto é algo errado. A partir do momento em que você tem uma vida [embrião ou

a sério. Já sobre Adão e Eva há uma controvérsia muito

feto] dentro de seu corpo, você não tem o direito de

grande. A bíblia traduzida fala de apenas duas pessoas,

tomar decisões sobre ela, é uma vida assim como você,

mas há versões que tratam de um grupo de pessoas,

ou você gostaria que a sua mãe lhe abortasse? É algo a

então há toda uma precaução para falar sobre esse

se pensar, e mesmo assim tem gente que defende isso

tema”, afima Dom Mauro.


ALINE REDEL

6 | UNIFATOS

CASCAVEL, DEZEMBRO DE 2016. www.univel.br/_unifatos

CARDÁPIO

A fruta típica do Pará é novidade e atrai cada vez mais apreciadores na região

Venda de açaí ganha espaço no comércio

O

açaí é o alimento da temporada. Basta

consumir produtos gelados. Aqui as pessoas são

andar pela cidade para perceber que

mais resistentes ao frio que em Foz, brinca”

os pontos de venda desse produto têm

O local existe há dois meses e é destaque na

aumentado significativamente. E tende a crescer

área de atuação. Ainda assim, os empresários já

ainda mais.

estão confiantes para o inverno. “Nossa franquia

Um dos motivos para o otimismo no negócio é

ainda não passou pelo inverno, mas pelo que foi

a novidade da iguaria que chama a atenção dos

apresentado, estamos prevendo uma venda de açaí

clientes e a cada dia conquista mais paladares.

considerável na estação em relação à Foz”, afirma.

O engenheiro Rafael Hermoso e os militares

Para

não

depender

apenas

da

venda

do

Lucas Damo, Pedro de Souza e Willian Vogler

produo exótico, muitos empresários investem na

abriram um estabelecimento para comercializar o

diversificação. É o caso do comerciante Nathan

produto. Mas não foi apenas o gosto pela fruta que

Silva, que incluiu na cafeteria a venda de açaí

motivou o grupo a iniciar a empresa. Eles analisaram

há cerca de dois anos e já vê as vantagens do

comercialmente a ideia para ver se renderia

investimento. “O açaí ajudou a aumentar as vendas

bons lucros. “A ideia do açaí não foi só porque a

e alavancar os negócios da cafeteria. Hoje vender

gente gosta. Foi em relação ao crescimento. Após

o açaí compensa muito”, relata. Além da fruta, no

pesquisarmos, achamos que seria uma boa ideia

local são vendidos também lanches, cafés, sorvetes

abrir uma loja aqui no centro,” conta.

e sucos naturais.

Também foi realizada uma pesquisa para avaliar

A loja recebe diariamente até 200 clientes. De

as condições de cliente e futuro da loja na cidade.

acordo com a atendente Deise Catarina de Paula,

Rafael exemplifica as diferenças entre locais onde

a venda de açaí tem um custo alto, mas ainda

há a possibilidade de instalação de franquias do

compesa. “Os clientes preferem as versões de açaí

produto. “Temos um estudo da franquia e a cada

mais completas, mas não descartam o produto

cidade existe um tipo de cliente. Por exemplo: em

puro, que sempre gera elogios”.

Foz do Iguaçu o açaí não é vendido no inverno. Já em Cascavel as pessoas tem o costume de

E para fugir das crises do inverno, a loja também optará por oferecer outros atrativos.

Reportagem: Aline Redel e Kelly Rocha


UNIFATOS | 7

SEM MEDO deixarem de lado o consumo da fruta, que hoje é considerada da “moda”.

ALINE REDEL

CASCAVEL, DEZEMBRODE 2016. www.univel.br/_unifatos

“A gente não acredita

que seja só uma fase. Tem gente que vem, mas nem sempre gosta, por isso temos outras opções de produtos. Eu quis vender devido a abertura do mercado”. O açaí também é conhecido por ser energético. Tem muito atleta que consome para repor as energias entre um treino e outro. “Teve um atleta que participou de uma maratona e quando veio aqui consumiu duas tigelas grandes de 700 ml. na maratona, totalizando 1.800 calorias”.

Comerciantes investem em lojas por toda cidade

VIABILIDADE Entre as vantagens, destaca-se o fato de ser um produto saudável, além de ser novidade na região. No entanto, também existem as desvantagens. Uma delas é o valor, considerado alto para tazer a fruta do estado de origem. “Por exemplo, em comparação com um pote de sorvete, a margem de lucro é bem menor, porque é um produto que vem lá do Pará, tem o transporte, vai para uma indústria, até chegar ao modo como conhecemos hoje. Para ter ideia, um pote de sorvete de dez litros é 60 reais. Já um pote de açaí de 10 litros custa 150 reais,” conta Rafael. No entanto, não existe meio termo sobre assunto. “Muitas pessoas inicialmente dizem que não gostam, mas ao longo que vai experimentando acaba se rendendo ao sabor”, explica Nathan Silva. Os clientes também opinam nessa questão. A estudante Lívia Sinhorini é uma das fãs do produto. De acordo com ela, o açaí substituiu o sorvete e se tornou um vício. “Se tiver, eu tomo todo dia. Mas confesso que no início não gostava, pois sentia apenas o gosto de terra”, brinca. Já sua mãe, Carla Sinhorini nunca gostou do alimento. “Não consigo me acostumar com o sabor, mas consumir as outras opções de alimentos daqui”.

No inverno ou no verão, pontos de ideia


8 | UNIFATOS

CASCAVEL, DEZEMBRO DE 2016. www.univel.br/_unifatos DIVULGAÇÃO

Joana d’Arc, heroína: A combatente francesa (14121431) assumiu o comando do exército real em várias batalhas durante o reinado de Carlos VII.

Maria Quitéria, militar: Maria Quitéria de Jesus (1792-1853) foi uma militar brasileira. Vestiuse de homem para alistar-se no exército.

PODER FEMININO

Chiquinha Gonzaga (18471935) foi compositora, pianista e regente brasileira. Primeira mulher a reger uma orquestra no Brasil.

Mulheres narram trajetória na política em Cascavel. Em toda a história da cidade, apenas seis foram eleitas vereadoras

Batalha agora é pelo espaço nas urnas A s eleições acabaram em Cascavel e com ela se

candidatura me elegi, aos 21 anos, e permaneci por 16

foi mais uma chance de as mulheres ocuparem

anos consecutivos no cargo.” Seu mandato foi o mais

cargos políticos na cidade. Em 65 anos de história,

longo entre as mulheres. No início surgiram dificuldades,

o município elegeu seis mulheres para a função de

o que levou Marlise a lutar ainda mais pelas conquistas

vereadora. Prefeita: nenhuma. A primeira mulher a ser

femininas. “O primeiro susto que levei na Câmara foi

vereadora por aqui foi a doutora Elisa Simioni, em 1968,

saber que não tinha banheiro para as mulheres: era um

pelo partido MDB (Movimento Democrático Brasileiro),

público masculino. Quando eu me elegi presidente foi

tendo conquistado 659 votos na época. Após ela, Marlise

um horror para eles. Tinha muita discriminação. A todo

Cruz,

o momento, quando a casa estava cheia de gente, eles

Egídia

Covatti,

Olga

Bongiovanni,

Teresinha

Depubel e Leonilda Risso também passaram pela Câmara

ficavam me cobrando: ‘presidente o

de Cascavel.

que diz o artigo tal’. Faziam isso para

Há 16 anos a cidade não elege nenhuma mulher. Na

me testar,” relata.

próxima eleição municipal, em 2020, serão 20 anos sem

Dentre os trabalhos que realizou,

mulheres na política cascavelense. Leonilda Risso, 63, a

um deles foi incentivar as mulheres

última vereadora eleita conta

a participarem do cenário político.

que assumiu por três mandatos

“Fazíamos trabalhos de base nos bairros

consecutivos

Quando eu me elegi presidente foi um horror para eles. Tinha muita discriminação.

e

e as mulheres achavam que não podiam

respeito

fazer política. Preconceito total! Os

por suas ações. “Em uma sala

homens chegavam em casa e falavam

cheia de homens eu era ‘macha

que

e peituda’. Todo mundo me

Mesmo com todas essas conquistas, Marlise acredita que

respeitava.

Era

é apenas o início da valorização feminina na sociedade.

representar

as

2004)

e

(entre

conquistou

um

1993

Aprendia e me surpreendia a cada dia, foi muito bom. Profissionalmente, hoje enxergo de outra forma.

prazer

mulheres.

tinha

que

votar

em

fulano”.

Eu

“Temos um longo caminho a percorrer, porque a mulher

não tinha nenhum homem como

já está em todos os segmentos e é tão difícil trazer uma

assessor! Nenhum homem!” Outro destaque nesse cenário é a professora e

mulher para ser candidata”, completa. Já

a

apresentadora

Olga

Bongiovanni,

62,

foi

presidente do Partido Verde, Marlise Cruz, 64. Ela chegou

vereadora entre 1993 e 1996 e afirma que a experiência

a ocupar o cargo de presidente da Câmara de Vereadores.

foi gratificante. “Aprendia e me surpreendia a cada

Marlise relata que começou a carreira com 16 anos. O

dia, foi muito bom. Profissionalmente, hoje enxergo de

início da sua vida pública foi por meio dos movimentos

outra forma. Em uma entrevista com políticos faço de

estudantis que participava. “Eu não era eleitora ainda, e

um jeito que não fazia antes.” Esse período também

me convidaram para participar do antigo MDB. Eu achava

contribuiu para mudar sua visão a respeito do sistema

um absurdo porque não tínhamos mulheres na Câmara”.

político. “Como jornalista pensei que sabia como

Sua candidatura se deu a partir da desistência de

funcionava o poder pelo lado de dentro. Enganei-me.”

outra candidata do partido. “Quando estava chegando a

Quanto ao empoderamento feminino, a apresentadora

data de convenção o marido dela [Maria Tereza Lazeri]

ressalta que é necessário mais união nessa trajetória por

falou que ela não podia ser candidata, caso contrário,

igualdade. “Os homens sabem que somos maioria e que

não teria nem o voto dele. Francamente, eu não estava

se unidas somos fortes.”

preparada para entrar no lugar dela, muito menos era a minha intenção ser candidata. Mas nessa primeira

Reportagem: Kelly Rocha e Tamitsa Sendoski


UNIFATOS | 9

CASCAVEL, DEZEMBRO DE 2016. www.univel.br/_unifatos KELLY ROCHA

ELEIÇÕES MUNICIPAIS

Ex-vereadoras e ex-candidatas comentam as batalhas travadas pelo espaço feminino na política

Mulheres representam 53% do eleitorado cascavelense

D

e acordo com a Justiça Eleitoral, Cascavel

deverá reservar - para preencherá. Na visão

possui atualmente 206.209 mil eleitores.

da ex-candidata, esse sistema não soluciona

Desse total, 53% são mulheres. Ainda assim,

a questão. “A questão da cota é importante,

elas são minoria na representatividade eleitoral.

porque ela força a trazer as mulheres para

“Eu não consigo entender por mulher não vota

discussão, porém isso não resolve o problema,

em mulher. Nós tivemos excelentes candidatas.

do ponto de vista político. Eu vi a dificuldade

Tinham pessoas altamente qualificadas, não

que as mulheres têm de falar em público, de

justifica que, pela quarta legislatura consecutiva

se posicionar perante os homens,” afirma.

nós não temos mulheres na Câmara, isso é um absurdo”, questiona Marlise.

Marlise Cruz, exvereadora, agora acadêmica de Direito na Univel

O incentivo à candidatura das mulheres também é um aspecto destacado pela ex-

Danielle Braz, 26, foi uma das candidatas a

vereadora Egídia Covatti, 75, que foi eleita

vereadora neste ano e fala dos períodos difíceis

pela primeira vez em 1982 e permaneceu por

durante a campanha, onde era subestimada por

duas legislaturas consecutivas. “Teria que ter

ser mulher. “Nunca é fácil falar. Você acaba se

mais apoio para as mulheres se elegerem. Não

sentindo intimidada de alguma forma. Fora isso,

só dos homens, mas principalmente da família

sofria alguns tipos de preconceitos por parte

da pessoa, os laços são importantes. Tem que

dos outros candidatos, que diziam ‘Ela não

haver um incentivo”, diz.

tem capacidade sozinha! É só uma sombra do

Outro aspecto relevante para o aumento

companheiro. Tem alguém manipulando’, esse

da participação feminina é a dedicação, o que

tipo de coisa que sempre falam”.

de acordo com Egídia, contribui para maior

Ela também conta que o aumento de mulheres

visibilidade e motivação para que outras sigam

nas eleições deste ano aconteceu devido ao

o mesmo caminho. “A mulher deve conseguir

sistema de cotas. Essa obrigatoriedade impõe

seu próprio espaço. Por exemplo, eu acho que

o percentual mínimo de mulheres nas disputais

tem muito partido em Cascavel, são 33 e cada

eleitorais e está reforçada pela minirreforma

um tem que ter 12 mulheres. Se não fossemos

eleitoral de 2009 (Lei nº 12.034/2009), que

nós, os homens não teriam votos. É só nos

substituiu a expressão prevista na lei anterior -

unirmos”, finaliza. ARQUIVO PESSOAL

Olga Bongiovanni

“Maridos queriam me bater” Jornalista, radialista e apresentadora de televisão. Ela foi vereadora de Cascavel entre 1993 e 1996. Relata que os homens achavam que ela não daria conta das atividades. Incentivou as mulheres a participarem da política. “Brincavam comigo porque eu incentivava as mulheres a se candidatarem”, afirma. Olga viajou o Estado e chegou a fazer parte do Conselho da Mulher Paranaense. maridos

“Em

queriam

determinados me

bater

e

municípios, me

diziam:

‘Porque você não ficou lá em Cascavel, ao invés de vir aqui encher a cabeça da minha mulher para ser candidata?’ Eu argumentava com eles dizendo que ‘sua esposa era uma líder nata, que o município precisava de pessoas assim’, foi tenso, mas foi divertido até,” brinca.


10 | UNIFATOS CÂMARA DE VEREADORES

CASCAVEL, DEZEMBRO DE 2016. www.univel.br/_unifatos

Marlise Cruz

Formada em Pedagogia e Direito. Assumiu

“Nadei, nadei

teve avanço”

e não

do

feminismo

sempre esteve

o 3º ano de Direito na Univel. Marlise relembra o

seu

primeiro

mandato

por

três

mandatos

consecutivos (1993 a 2004), sendo a última eleita em Cascavel. Ela conta que durante a sua época na Câmara, ‘gastava a sola do sapato’, visitando os locais, conhecendo os bairros e os problemas

também questiona a falta de apoio e organização

presidente do Partido Verde de Cascavel e cursa durante

vereadora

ainda não descobriram a força que têm”. Leonilda

de presidente na Câmara. Atualmente ela é

que

de

se meter mais. A mulherada está muito parada,

(1977 a 1992), chegando a ocupar o cargo

“Demonização

cargo

do município. “Eu acho que a mulher tem que

Foi vereadora em Cascavel por 16 anos

Danielle Braz

o

feminina na busca do seu lugar na sociedade. “A mulher geralmente não vota em mulher. Mas se a gente se unir consegue eleger três, quatro, cinco vereadores, mas tem que trabalhar, sem trabalho não elege ninguém.” CÂMARA DE VEREADORES

os

vereadores não tinham salário, nem assessores. “Era um trabalho voluntário. Lembro-me que a primeira ajuda de custo a um vereador foi para encher dois tanques de gasolina.” Hoje Marlise lamenta que não tenha nenhuma mulher tenha sido eleita no município. “Pelo quarto mandato consecutivo não elegemos uma mulher. Eu me sinto frustrada”.

presente”

CÂMARA DE VEREADORES

Leonilda Risso

“Não uso

calça, mas

Foi candidata ao cargo de vereadora em 2016, sendo a mulher mais votada nessa eleição, com 1.895 votos. Não foi eleita por questões de conjuntura da coligação. Aos 15 anos começou a

honro a

participar de movimentos estudantis secundaristas e de juventude, estando envolvida em partidos de

calcinha que uso”

esquerda. Danielle realiza projetos em bairros, onde conversa e encoraja as mulheres sobre seus direitos. Ela afirma que o empoderamento feminino é um processo lento, mas que vale a pena. “É um trabalho de descontruir séculos de machismo e de uma sociedade muito patriarcal.

KELLY ROCHA

Para isso você tem que ter muita paciência.” ARQUIVO PESSOAL

Egídia Covatti

“A

gente

tem que

batalhar”

Foi candidata ao cargo de vereadora em 2016, sendo a mulher mais votada nessa eleição, com 1.895 votos. Não foi eleita por questões de conjuntura da coligação. Aos 15 anos começou a participar de movimentos estudantis secundaristas e de juventude, estando envolvida em partidos de esquerda. Danielle realiza projetos em bairros, onde conversa e encoraja as mulheres sobre seus direitos. Ela afirma que o empoderamento feminino é um processo lento, mas que vale a pena. “É um trabalho de descontruir séculos de machismo e de uma sociedade muito patriarcal. Para isso você tem que ter muita paciência.”


UNIFATOS | 11

CASCAVEL, DEZEMBRO DE 2016. www.univel.br/_unifatos

LAZER RURAL

Espaços públicos que seriam de conservação e estudos ambientais encontram-se deteriorados RAFAEL ÓLIKA

Áreas abandonadas geram reclamações dos moradores A Ponte Molhada se destaca pela passagem da água sobre a estrada

P

ara quem gosta de passar o fim de semana ou

tenha essa responsabilidade: cuidar e recepcionar os

feriado em contato com a natureza, o Parque

visitantes, pois é um local lindo e maravilhoso que

Municipal Salto do Portão, conhecido como

merece ser preservado”, comenta o prefeito.

Ponte Molhada, e o Parque Ambiental, são

atrativos especiais na zona rural de Cascavel, mas que

SOBRE A PONTE

sofrem com a ação do tempo.

Salto do Portão fica cerca de 30 quilômetros da

O maior problema está na Ponte Molhada. O espaço

cidade, no Distrito de Rio do Salto. Possui 121 mil metros

que pertence ao Município é muito frequentado, mas

quadrados, com quedas de água, pedreira, trilhas,

está deteriorado. A última reforma foi há seis anos,

quiosques, mirantes, bancos, pontes e espaço físico

quando foram investidos R$ 50 mil.

para educação ambiental, no caminho, passa-se pela

A Prefeitura já fez duas licitações afim de ofertar

“Ponte Molhada”. Mesmo deteriorada, a Ponte Molhada

a área para exploração comercial e assim mantenha a

atrai visitantes todos os fins de semana. São jovens e

segurança do espaço, porém não houve interessados

famílias que buscam o lugar para passar o domingo em

no certame. “A pessoa poderia vender lanches,

confraternização. Alguns improvisam churrasqueiras com

refrigerantes e sorvetes, em troca deveria mantê-lo

tijolos e pedras e preparam churrasco para o almoço. Os

limpo, mas nas duas licitações não apareceu ninguém”,

frequentadores cobram medidas por parte da Prefeitura

afirma Edgar Bueno, prefeito de Cascavel

para incentivar a visitação. “Aqui é um lugar legal para

Agora, em uma terceira tentativa, a Secretaria de Meio Ambiente estuda a possibilidade de fazer uma

vir com a família e os amigos. Se fosse preservado seria mais frequentado”, diz o metalúrgico Evandro Maia.

licitação que seja onerosa ao Município. “A Prefeitura pagará um determinado valor para que a pessoa

Reportagem: Rafael Ólika

Parque Ambiental ainda necessita de adequações PARQUE AMBIENTAL O

Parque

Ambiental

fica

próximo

ambiental e a pesquisa. Além de ter uma área de 140 hectares de floresta nativa, o local serve como habitat de animais silvestres, entre os quais estão o macaco-prego, quatis, tucanos, lagartos, araras, maritacas, serpentes como a cascavel e jararacas e inúmeras espécies de insetos e moluscos. A área também conta com trilhas ecológicas, brinquedos rústicos e uma bela cachoeira. Ao contrário da Ponte Molhada, o Parque Ambiental encontra-se mais preservado. Mas quem visita o local critica a estrutura e cobra por melhorias. “É um lugar bem agradável para passar momentos com a família e os amigos. É uma pena que está mal cuidado, mas por estar em contato com a natureza é muito bom”, diz o estudante Ronaldo Gomes.

Parque atrai visitantes todos os dias

A cachoeira do Parque encanta quem passa pelo local

da

Fundetec. Tem como objetivo o lazer, a educação


UNIFATOS | 12

CASCAVEL, DEZEMBRO DE 2016. www.univel.br/_unifatos

CASCAVEL E REGIÃO

A exemplo de todo o País, mulheres do Oeste do Paraná sentem a dificuldade de permanecer no esporte profissional

Esporte de mulher é qualquer esporte

Com 1,63 de altura, Marta se destaca no futebol feminino

E

Rafaela Silva conquista 1ª medalha de ouro do Brasil na Rio-2016

Maurren Maggi comemora medalha de ouro no salto em distância nas Olimpíadas de Pequim-2008

sporte significa “atividade física, agilidade,

é possível perceber facilmente casos de discriminação.

destreza e desenvolvimento. É um substantivo

Como consequência, as meninas se isolam dos esportes

1996, em Atlanta. Segundo o professor de Educação Física Evaldo

masculino, mas não deve ser restrito apenas

considerados “para meninos”. Em muitos casos elas

Martins, a falta de incentivo acontece em todas

aos homens. Pode ser reconhecido

são obrigadas a praticarem apenas o

as modalidades, exemplo é o futebol. “O que

como

vôlei e são impedidas de participar de

movimenta o dinheiro é o marketing, ou seja, no

atividades como o futsal. “Eu gosto de

Brasil só o futebol masculino da retorno”, diz Evaldo.

futsal, mas os meninos não gostam que

Cascavel trabalha com a formação de jovens atletas.

a gente participe mesmo as meninas que

As ações são destinadas aos jovens com menos de 18

jogam superbem”, diz a estudante do

anos. Para atletas maiores é necessário contar com

6º ano, Clara Hastenreiter, que estuda

incentivo de empresas privadas, com o patrocínio.

no Colégio Estadual Presidente Castelo

Mesmo com as dificuldades para manter o esporte,

Branco, em Cascavel.

a cidade conta com base de futebol feminino em

uma

articulação

sociedades,

por

mulheres,

sem

entre

homens

e

qualquer

distinção, ele tem a facilidade de proporcionar a união. Mesmo com esse poder, o público feminino tem dificuldades para se inserir neste contexto.

Na antiguidade

elas eram proibidas de assistir

Eu gosto de futsal, mas os meninos não gostam que a gente participe com eles Clara Hastenreiter, estudante

aos jogos, que eram totalmente direcionados aos homens. Depois

Mesmo com tamanha evolução, as

qualidade técnica para disputar competições de

mulheres ainda sofrem com a sobra dos

nível nacional. “Cascavel possui uma equipe de

investimentos ao esporte masculino.

30 atletas de futebol de campo para disputar o

de anos, a ginástica foi liberada, mas apenas como uma

De acordo com a pesquisa “Mulheres olímpicas

forma de preparação para o parto. Com o passar dos

brasileiras”, as atletas brasileiras iniciaram as

anos e diante de muita luta, as mulheres conseguiram

participações olímpicas em 1932, em Los Angeles,

mostrar que o esporte é para todos.

mas ganharam as primeiras medalhas apenas em

sul-americana a participar de

A primeira

uma Olimpíada foi à

nadadora Maria Lenk, hoje parques de competições aquáticas levam seu nome como homenagem a enorme conquista. As mulheres derrubaram as barreiras que as impediam de participar de competições esportivas, livraram-se do rótulo de sexo frágil imposto por uma sociedade extremamente machista, elas ocuparam o lugar que lhes era por direito. Atualmente podemos ver a participação feminina em inúmeras modalidades esportivas, mesmo assim elas ainda são afligidas e subjugadas. O esporte que deveria unir a todos oferece cabo de aço estável aos atletas masculinos e um barbante precário ao público feminino. A prática esportiva não deve ser aplicada apenas pelo Ministério e secretarias de esporte. A participação da educação e saúde pode contribuir imensamente para o desenvolvimento mais significativo e rápido. Na escola

Time de futsal feminino de Cascavel

campeonato brasileiro, porém falta financiamento” afirma o professor.

Reportagem: Bruno Rodrigo e Keslyn Oliveira


UNIFATOS | 13

CASCAVEL, DEZEMBRO DE 2016. www.univel.br/_unifatos

BOXE Mesmo

considerado

um

esporte

masculino,

Boxing Association, na tradução Associação Amadora de

Em Cascavel, a pugilista Alessandra Alves ocupou

as

Boxe Internacional), a partir desta data aconteceram

a terceira posição do ranking nacional em 2013. Em

mulheres entram com força na luta pelo reconhecimento.

as primeiras competições legalizadas. Mesmo com o

maio de 2016 ela foi campeã do Ultimate boxe, que foi

Até o início dos anos 90 o boxe feminino era visto como

crescimento do esporte e de adeptas, o boxe feminino

realizado em Cascavel. Mais uma vez a competência dos

imoral e foi proibido em inúmeros países. Mulheres

só apareceu como modalidade olímpica em 2012.

atletas cascavelenses é evidenciada, porém continuam

que fossem vistas praticando ou apenas brincando com

Atualmente o Brasil possui a Confederação Brasileira de

sem patrocínios decisivos. Keylla Casagrande praticou o

este esporte poderiam ser punidas, principalmente em

Boxe, direcionada as atletas.

esporte por um ano, mesmo com o destaque regional,

famílias patriarcais ou extremamente rígidas. A busca

Na Olimpíada do Rio 2016, a pugilista brasileira

pelo reconhecimento chegou aos poucos, no início do

hoje atua como professora. “Eu tentei, até prometeram

ano de 2001 o boxe feminino passou por alterações, ele foi aceito pelo

A.I.B.A. (Amateur International

não conseguiu apoio, por isso desistiu da carreira e patrocínio, mas nada aconteceu. Resolvi parar e me

torcida e comemorou o avanço do boxe nos jogos.

dedicar em outras áreas”, conta a ex- atleta.

Exibido em 2004, Menina de Ouro trouxe a tona a Swank vive a jovem Maggie Fitzgerald: personagem determinada a se destacar no esporte

RUGBY O

rugby

é

um

esporte

compreendem o esporte. Este jogo que é uma que

conseguiu

um

mistura de futebol com o futebol americano é

crescimento visível em pouco tempo, mesmo com

velho, foi criado em meados de 1885. No Brasil,

a visibilidade proporcionada, muitos ainda não

foi reconhecido no início de 1970, para os times masculinos. Os times brasileiros femininos deram os primeiros passos depois do ano 2000, em 2009 disputaram o Mundial de Rugby. Cascavel conta com time masculino e feminino. O time dos homens já possui 12 nos de existência, enquanto o grupo das mulheres está em campo há apenas cinco anos.

Segundo o treinador do

time, Nilo Fuscarini, a equipe surgiu a partir de acompanhamentos dos treinos do time masculino. “As esposas e namoradas dos jogadores gostavam de assistir os treinos e competições, daí surgiu à ideia de criar o time feminino”. O rugby é considerado por muitos um esporte violento e de muito contato, o que acaba prejudicando e interferindo no interesse de possíveis novas jogadoras. “Muitas meninas tem medo de se machucar por achar que é perigoso, mas não é bem assim, tudo é feito com proteção e moderação” afirma Nilo. Time de rugby de Cascavel

A competência e a

dedicação destas mulheres e meninas são nítidas, o que ainda não é visível é o encorajamento e estímulo que elas merecem.

Brasileiras se destacam no esporte


UNIFATOS | 14

DIVULGAÇÃO

CASCAVEL, DEZEMBRO DE 2016. www.univel.br/_unifatos

EDUCAÇÃO PROFISSIONAL

Empresas incentivam o ingresso de estudantes no mercado de trabalho

Estágio contribui para o futuro profissional e formação acadêmica Reportagem: Michelli Lazzeri Thaiz Bourscheidt

MICHELLI LAZZERI

Procuradora de estágios diz que oportunidades existem para quem está interessado

online fichas para cadastro onde os estudantes a partir de 16 anos completos, com matrículas e frequências em dia podem procurar por vagas nas áreas cursadas. Para garantir a vaga é necessário comprometimento, esforço e especializações. “Para algumas empresas esta é uma oportunidade de definir e moldar um futuro contratado, por isso, é dever do candidato se manter esforçado e dedicado durante todo o período trabalhado, essa atitude com certeza fará muita diferença na hora que eles optarem por uma escolha”. APRENDIZADO Já os estudantes sentem-se motivados e muitos trocam a carteira assinada pela oportunidade, assim como a acadêmica de Ciências Contábeis Gabrieli Medeiros, de 22 anos, escolheu trocar seu emprego de secretária administrativa de um posto de combustível pelo estágio em uma agência bancária. “Assim que a oportunidade de ingressar em uma agência bancária apareceu, eu fui atrás, e comecei a trabalhar, esforcei-me, dediquei-me e no fim do primeiro ano decidiram pela minha contratação. Reconheço que se não tivesse arriscado e me dedicado, não estaria exercendo a profissão dos meus sonhos”, comenta Gabrieli em seu último ano de faculdade. Atualmente a Central conta com 17 unidades no Paraná, três em São Paulo e cinco em Santa Catarina.

O que a empresa quer? As empresas buscam nos estudantes a disposição e vontade de aprender. Este diferencial, aplicado com a redução de custos e achatamento de salários é o que faz de um estagiário a opção selecionada por muitos empresários. A empresária do ramo estético, Viviane Silva, busca atender e contratar uma equipe esforçada e dedicada, que tenha vontade de crescer e aprender de acordo com a dinâmica do grupo. “No estagiário vemos essa vontade de conhecimento fresco e aplicação na prática, o desempenho executado por eles é o grande diferencial, pois consigo mostrar o que é a profissão e claro sempre aprender um pouco mais da teoria”. MICHELLI LAZZERI

I

ngressar na carreira acadêmica exige muitas responsabilidades: além de dedicação ao estudo, planejar o futuro e conquistar um estágio na área atuante são algumas medidas para beneficiar a formação, e para muitos jovens, é o primeiro contato com o mercado de trabalho. Segundo a procuradora de estágios do CIN (Centro de Integração de Estudantes), Nilza Glecy Guero, a prática auxilia no processo de formação e contribui para o futuro profissional do estudante. “Para muitos esta será a primeira oportunidade de colocar em prática a teoria, podendo descobrir logo no início o gosto pela profissão e se identificando com ela”, explica. As empresas de estágio - todos os dias - disponibilizam

Viviane Silva valoriza a força de vontade


UNIFATOS | 15

CASCAVEL, DEZEMBRO DE 2016. www.univel.br/_unifatos

EDUCAÇÃO

Instituição de ensino oferece novas oportunidades de aprendizado para a comunidade PAULO EDUARDO E LAURA SIQUEIRA

Univel abre novos cursos: Engenharia Civil, Engenharia Mecânica, Fotografia e Design I

nvestir a cada ano em novos cursos para

Tecnologia Mecânica entre outras.

formar futuros profissionais capacitados

uma entrevista e dar uma aula em teste”. No Curso de Engenharia Civil o aluno tem

DESIGN GRÁFICO

disciplinas que abrangem várias etapas da

mercado de trabalho. Essa é a Univel, Faculdade

O Curso de Design Gráfico, assim como o de

construção,

de Ciências Sociais e Aplicadas de Cascavel. O

Fotografia, também terá duração de dois anos para

de Projetos, Hidráulica Aplicada, Instalações

Curso de Engenharia Civil já foi implantado e

a conclusão. Tratamento de Imagem, Ilustração,

Prediais e Projetos de Edifícios.

recebeu elogio dos acadêmicos. Para o ano que

Design de Superfície, Design de Embalagens e

vem Engenharia Mecânica, Fotografia e Design

Webdesign são algumas das disciplinas propostas

Gráfico serão iniciados.

na grade curricular. O designer gráfico cria,

Neste ano foi aberta a primeira turma de

desenvolve e executa projetos de comunicação

Engenharia Civil na Univel. As experiências dos

visual em meios impressos e eletrônicos.

acadêmicos são positivas. O estudante de Engenharia

para

atender

as

necessidades

do

O diretor de Desenvolvimento da Univel, Nilton

Nicolau

realizadas

Ferreira,

várias

explica

pesquisas

que

para

foram

saber

como

Física

Mecânica,

Gestão

PRIMEIRA TURMA

Civil, Tiago Locks, 19, sonhava fazer o Curso de

a

necessidade de acrescentar novos cursos na

ENGENHARIA CIVIL

Engenharia Civil. “Estou adorando tudo. A qualidade

instituição e quais os profissionais capacitados

Nilton conta como foi o processo para

da educação é excelente”. O acadêmico Tony William,

para atender a demanda do curso. “Tanto na área

a contratação dos professores do Curso de

28, é tecnólogo ambiental e decidiu fazer engenharia

de Engenharia Mecânica, quanto Design Gráfico

Engenharia Civil. “Nós fizemos a divulgação

para trabalhar em usinas. “Tenho mais tempo para

existem profissionais no mercado, mas também

pelo site. Assim que os currículos chegam,

me dedicar aos estudos e ao trabalho”, finaliza.

estamos buscando docentes fora de Cascavel”.

são analisados pelo coordenador do curso e o profissional selecionado é convidado para fazer

FOTOGRAFIA O professor Murilo Ito, que trabalha na Univel do

desde

Curso

2012,

de

será

Fotografia.

o

coordenador

Ele

destaca

as

oportunidades oferecidas. Serão necessários dois anos para graduação. “Este curso foi projetado para equilibrar a parte teórica com a prática, assim o aluno vai saber o que fazer com a máquina, não apenas apertar o botão”. Durante

o

curso,

o

aluno

terá

várias

disciplinas, como Fotografia Digital, Fotografia de

Moda,

Fotojornalismo,

Fotografia

de

Eventos, Tratamento de Imagens entre outras. ENGENHARIA MECÂNICA Um

engenheiro

instalações, sistemas

mecânico

construções,

mecânicos

e

faz

projetos,

manutenção termodinâmicos

de e

outras especificidades. O Curso de Engenharia Mecânica terá início ano que vem, com duração de

cinco

anos.

Dentre

a

grade

curricular,

o acadêmico contará matérias como Física Mecânica,

Sistemas

Mecânicos,

Robótica,

Reportagem: Paulo Eduardo e Laura Siqueira


16 | UNIFATOS

CASCAVEL, DEZEMBRO DE 2016. www.univel.br/_unifatos

DOUTORADO EM ADMINISTRAÇÃO A parceria entre a Univel e a PUCPR tem se fortalecido a cada ano. O convênio com a Universidade, resultou na oferta do curso de mestrado na instituição. Para 2017, a parceria entre Univel e PUCPR se consolida com o início do Doutorado em Administração, o primeiro no Oeste do Paraná, na Univel. Em seus 20 anos de trajetória, a Univel sempre prezou pela qualidade de ensino e qualificação dos seus professores. Possui 60% do corpo docente formado por mestres e doutores em seus 25 cursos de graduação e 19 de pós-graduação, presenciais e à distância, números que refletem diretamente no conceito 4 avaliado pelo Enade. A abertura do doutorado é de fundamental importância, tanto para o corpo docente quanto para a região oeste, tornando-a competitiva e qualificando ainda mais os profissionais para o mercado de trabalho. “Este é um grande feito da Univel, nunca teve na região oeste, numa faculdade particular, Doutorado em Administração”, afirma o coordenador de Pósgraduação da Univel, Lucio Scheuer. As inscrições para o processo de seleção são feitas pelo site www.pucpr.br/ppad do dia 12 de dezembro de 2016 a 10 de março de 2017.

Giro Universitário TEORIA NA PRÁTICA: Wallyson Avancini, acadêmico de Publicidade e Propaganda da Univel, em ensaio para Disciplina de Espanhol. O desafio da atividade era “o retrado da vida urbana”. Conceito eternizado pela acadêmica do segundo semestre de PP, Whemily Santana

Carol Sayure, Carol Sousa, Rodrigo Cardoso, Isaque Geruntho, Priscila Zulin e Alex Santos: equipe da Creare, Agência Experimental da Univel

Thais Thomazini, coordenadora do curso de Artes, e Sulanita dos Anjos, coordenadora do curso de Pedagogia

Bruna Rabel, Luana Mota, Sheila Ortis, Hana Silveira e Marcielle Rodrigues, acadêmicas de Ciências Contábeis

Lalesca Adni, acadêmica do 4° semestre de Direito

Profile for Oficial Unifatos

Unifatos 2016 - 7° edição  

Unifatos 2016 - 7° edição  

Profile for unifatos
Advertisement