__MAIN_TEXT__

Page 1

MICHELLI LAZZERI

DIVULGAÇÃO

DIVULGAÇÃO

Pág. 8

Págs. 14, 15 e 16

TAMITSA SENDOSKI

Pág. 13

UNIFATOS

Jornal Laboratório elaborado pelo 3º ano do Curso de Jornalismo da Univel - ano XV - edição 79 - Outubro 2016

Sustentável, atrativo e econômico BRUNO RODRIGO

Veículo zero quilômetro pode custar até 50% mais caro; consumidores preferem seminovo Lazer

População procura diferentes meios de transporte para não pegar trânsito Página 7

Pág. 11

Um novo conceito em arquitetura sustentável surge em Cascavel, às construções em contêiner crescem e ganham popularidade. Além do aspecto moderno, surgem como alternativa mais sustentável e econômica na construção civil por ser uma obra mais limpa, rápida e pelo próprio reuso do material. Págs. 3, 4 e 5.


UNIFATOS 22 || UNIFATOS

Editorial

Atualmente falamos na crise de 2016, Atualmente falamos na econômica crise econômica não como uma possibilidade, como era comentado no de 2016, não como uma possibilidade, como iníciocomentado do ano, e simnouma continuação piorada da crise era início do ano, e sim uma que se abateu sobre o país. É lamentável observar continuação piorada da dificuldade que se como se sobre desencadeou, a grave crise econômica que abateu o país. É lamentável observar hoje enfrentamos. O cenário econômico que prevalece como se desencadeou a grave crise econômica no Brasil 2016 é algo Osombrio, causa muita que hoje em enfrentamos. cenário pois econômico que preocupação à população que depende do próprio prevalece no Brasil em 2016 é algoseu sombrio, trabalho paramuita garantir seu sustento. Empregadosque ou pois causa preocupação à população empresários, estão todos preocupados com os rumos depende do seu próprio trabalho para garantir seu que nossa economia vem ou tomando nos últimos tempos. sustento. Empregados empresários estão todos Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e preocupados com os rumos que nossa economia Estatística (IBGE) o número de desempregados vem tomando nos últimos tempos. no Segundo país está o em 11,2%, Brasileiro o que indica que há 11,4 Instituto de Geografia e milhões de brasileiros estão sem empregos no país. Estatística (IBGE) o número de desempregados A taxa desemprego é aoumaior registrada no paísde está em 11,2%, seja,já11,4 milhõespelo de (IBGE), desde que começaram as pesquisas em 2012, brasileiros. A taxa de desemprego é a maior já mostrando que a economia brasileira estagnada. registrada pelo IBGE desde que está começaram as Essa preocupação pesquisas em 2012. com a situação econômica do Brasil faz com que empresários adiem investimentos Essa preocupação com a situação econômica e novos empreendedores aguardem momentos do Brasil faz com que empresários adiem menos incertos para iniciar seus projetos. Como investimentos e novos empreendedores aguardem em todo momento de incerteza, uma certa dose de momentos menos incertos para iniciar seus desconfiança deixa investidores apreensivos com projetos. Como em todo momento de incerteza,a frieza dose dos números, por isso édeixa importante termos uma de desconfiança investidores uma visão real do que está acontecendo. apreensivos com a frieza dos números, por isso Os motivostermos que uma levaram atual situação é importante visãoa real do que está econômica do Brasil são muitos, mas alguns deles acontecendo. merecem um destaque especial. primeiro é a Os motivos que levaram a O atual situação falta de investimentos em infraestrutura, que tem econômica do Brasil são muitos, mas alguns deles levado o país a perder especial. competitividade tanto éno merecem um destaque O primeiro a ambiente interno quanto externo. A explicação falta de investimentos em infraestrutura, para que esse caos estáo na questão estratégica. Segundo o tem levado país a perder competitividade economista José Carlos Marion, o governo petista tanto no ambiente interno quanto externo. perdeu a confiança, e um caos país só cresce se tiver A explicação para esse está na questão reputação interna e externa. O que o Brasil estratégica. Segundo o economista José precisa Carlos é de investidores empresários, para isso Marion, o governo epetista perdeu mas a confiança, precisa reconquistar e um país só crescesua se credibilidade. tiver reputação interna O segundo grande motivodedeinvestidores, termos chegado e externa. O Brasil precisa mas no ponto em que chegamos foi a total falta de para isso precisa reconquistar sua credibilidade. planejamento de longo para O segundo estratégico grande motivo de prazo chegarmos nossa economia. O governo vem trabalhando com ao ponto foi a total falta de planejamento uma estratégia reação aospara fatos, uma economia. verdadeira estratégico de de longo prazo nossa operação tapa buraco, onde medidas emergenciais O governo vem trabalhando com uma estratégia de são adotadas para Uma tratarem problemas que seria reação aos fatos. verdadeira operação tapa facilmente resolvido se houvesse um planejamento, buraco, onde medidas emergenciais são adotadas algo que foi deixado de lado. para tratarem problemas que seriam facilmente O setor que mais sentiu a queda de rendimento, resolvidos se houvesse um planejamento, algo devido à resseção econômica do país, foi a construção que foi deixado de lado. civil, caiu que 5,1%, mais seguidosentiu pelas indústrias, O que setor a queda3,9%, de e o comércio, 1,7%. Que acarretou em uma série de rendimento, devido à resseção econômica do problemas que estão sendo sentidos pela população país, foi a construção civil, que caiu 5,1%, brasileira. delas 3,9%, é o erecuo dos salários seguido pelaUma indústria, o comércio, 1,7%. pagos pelas indústrias. Com o recuo dos Com o recuo dos salários, o capital de salários, giro na o volume de capital de giro na economia diminui economia diminui drasticamente, o que provoca drasticamente, o que provoca um empobrecimento um empobrecimento das famílias brasileiras, das famílias diretamente brasileiras, refletindo diretamente refletindo no comércio local, no comércio local, provocando mais demissões e provocando mais demissões e desemprego nestes desemprego nestes setores da economia. setores da economia.

CASCAVEL, SETEMBRO DE 2016. CASCAVEL, OUTUBRO DE 2016. www.univel.br/_unifatos www.univel.br/_unifatos

Opinião Opinião

Viver éé aacoisa coisamais maisrara rara mundo.A Viver dodomundo. A maioria pessoas apenas existe maioria dasdas pessoas apenas existe Oscar Wilde

Hoje, o amor

Crônica

Você algum seu mundo desabar? Vocêjájásentiu sentiu o seudiamundo desabar? Pois Pois é, nesse décimo terceiro dia do mês, um dia é, nesse décimo terceiro dia do mês, um dia diferente de todos os outros. Um dia sem cor, o diferente de todos os outros. Um dia sem cor, dia em que todos os sorrisos não estavam voltados o dia em que todos os sorrisos não estavam a você... meu mundo desabou. Para muitos, o voltados a você... meu mundo desabou. Para amor é indiferente, mas quando o amor esfria e muitos, o amor é indiferente, mas quando o a relação com a pessoa se torna monótona tudo amor de esfria e asentido: relação os com a pessoa se torna deixa ter um beijos não têm mais

hoje. nesse momento que essa traição estaria vidaFoi eterna. marcada em seu calendário como um dia festivo, Não o culpo por meus erros, mas o culpo pelo como se quebrar um coração fosse algo comum e fato de ter calculado cada passo que daríamos bom. Não o culpo por suas crises, mas o culpo por e por não me deixar ser livre e pensar apenas ter sido tão infiel ao seu juramento do felizes para no hoje. Foi nesse momento que essa traição sempre. estaria marcada em seu calendário como um Hoje não acordei triste por não poder tê-lo em dia braços, festivo,mas como quebrar coração fosse meus meseculpo pelaum ultima estupidez

monótona tudonão deixa de ter um sentido: os sabor, os olhares se encontram e as conversas beijospredominam. não têm mais sabor, os olhares não se vazias

e bom. o culpo suasremorso, crises, quealgo fiz.comum Não quero queNão sinta pena por e nem mas o fiz culpo por sido me tãoafastar infieldeaotudo seue mas se eu o que fiz ter foi para

encontram conversas vazias virou predominam. Hoje todoe as o amor que sentia gelo. E

felizes para sempre. de juramento todos; hojedo estou melhor comigo mesmo, mas não

Hojevezes todo essas o amor que aparências sentia virouenganam gelo. E muitas falsas

nãoquem acordei triste de porverdade. não poder estou Hoje feliz por me amava Hojetêvi

os olhos vezes e quem se falsas põe a aparências sofrer é o enganam coração. muitas essas Toda aquela proteção e carinho já estavam em os olhos e quem se põe a sofrer é o coração.

queloo em verdadeiro amor não um “pela eu te amo” meus braços, masestá meem culpo ultima mas, nas simples e sinceras palavras de quem estupidez que fiz. Não quero que sinta penanos e

um emaranhado de chorosee carinho brigas sem Toda aquela proteção já motivos. estavam Seus olhos já estavam fundos e negros comosem a em um emaranhado de choros e brigas

quer bem. nem remorso, mas se eu fiz o que fiz foi para Hoje não acordarei, mas o amor que recebi me afastar de tudo e sei deque todos; hoje estou

muda. Sentimos coisas e fazemos sentimos que tudo está indoboas por água a baixo , tudo e se por prazer, mas e quando nosso encontro é afogando nesta maré? O corpo gela e estremece,

recebi aocaído longo ao de minha passou de encontrara lado davida cama. Essediante foi meu meus olhos enquanto o doce veneno descia por ultimo adeus, uma simples carta dizendo a ela o

escuridão... e eu, perdido, não me aventurei motivos. Seus olhos já estavam fundos e em procurar a luz que um dia vi neles e acabei negros como a escuridão... e eu, perdido, não deixando escorrer entre meus dedos tudo o que me aventurei em procurar a luz que um dia vi tinha. neles e acabei deixando escorrer entre meus Quando o amor nos bate a porta, tudo muda. dedos tudo o que tinha. Sentimos coisas boas e fazemos tudo por prazer, amorencontro nos bate a oporta, tudo mas Quando e quandoonosso é com desamor e

ao longo de minha vida passou diante de meus olhos melhor comigo mesmo, mas não estou feliz enquanto o doce veneno descia por minha garganta, por quem me amava de verdade. Hoje vi que o me deixando leve mascom as pálpebras pesadas verdadeiro amor não está em um “ eu te amo” fechando meus olhos para o mundo. Enquanto isso, o mas, nas simples e sinceras palavras de quem líquido quente corria por minhas veias e me corroía nos quer bem. por dentro me tirando a dor que o desamor causou. não quarto acordarei, sei que o amor No Hoje décimo dia mas do mês, minha mãeque de

o desamor sentimos que tudo estámas indo acom cabeça fantasia ecoisas contrárias a tudo, o

minhasou garganta, deixando mascom as quanto grato porme tudo o que jáleve havia feito por

por águanos a baixo e se as afogando nesta desamor mostra, que coisas têm seumaré? lado

pálpebras fechando olhos para o mim. Porem, pesadas não suportei a dor,meus e decidi caminhar

bom. Muitas dessas lições tiradas da ilusão são O corpo gela e estremece, a cabeça fantasia carregadas para sempre e nosmas ensinam a viver.nos coisas contrárias a tudo, o desamor

pelo vale dos anjos. isso, o líquido quente corria mundo. Enquanto Hojeminhas não suportei por veias eo amor... me corroía por dentro me

Hoje que eu as poderia e mudado mostra coisas ter têm acordado seu lado bom. Muitas toda essa realidade, mas a tristeza me faz ficar dessas lições tiradas da ilusão são carregadas calado e reflexivo, buscando os erros no meu para sempre e nos ensinam a viver. subconsciente. Eu poderia ter arriscado mais, Hoje eu poderia ter acordado e mudado ter visto esse ultimo dia com outros olhos , mas toda essa realidade, mas a tristeza me faz me pus a chorar e busquei esconder-me de meus ficar calado e reflexivo, buscando os erros no maiores medos e de meus fantasmas, tentando meu subconsciente. Eu poderia ter arriscado entender a formula da felicidade, com algumas mais, ter visto esse ultimode diavida cometerna. outros olhos pílulas e pequenas garrafas

tirando a dor que o desamor causou. acadêmico Gabriel Turatto, do 3º deminha Jornalismo No décimo quarto dia do ano mês, mãe

, mas pus a chorar busquei Não me o culpo por meus e erros, mas esconder-me o culpo pelo de meus maiores medos e de meus fato de ter calculado cada passo que fantasmas, daríamos e

tentando formula da felicidade, por não meentender deixar sera livre e pensar apenas no com algumas pílulas e pequenas garrafas de

de encontrara caído ao lado da cama. Esse foi meu ultimo adeus, uma simples carta dizendo a ela o quanto sou grato por tudo o que já havia feito por mim. Porem, não suportei a dor, e decidi caminhar pelo vale dos anjos. Hoje não suportei o amor...

Gabriel Turatto, acadêmico do 3º ano de Jornalismo

Quem somos Univel (União (União Educacional Educacional de Cascavel Univel deCascavel) Cascavel)-- Faculdade Faculdadede deCiências CiênciasSociais SociaisAplicadas AplicadasdedeCascavel. Cascavel.Avenida AvenidaTito TitoMuffato, Muffato,2317 2317- -Bairro BairroSanta SantaCruz. Cruz.CEP: CEP: 85.806-080 85.806-080 -- Cascavel Paraná. Telefone: Telefone: (45) 3036-3636. Diretora Diretora Geral: Geral:Viviane Viviane Silva. Silva. Unifatos. Unifatos. Jornal Jornal laboratório dede Técnicas dede Reportagem, Entrevista e Pesquisa III do -- Paraná. (45) 3036-3636. laboratórioelaborado elaboradonanadisciplina disciplina Técnicas Reportagem, Entrevista e Pesquisa III curso de Jornalismo. Coordenadora: Patrícia Duarte. Professor orientador: Josimar Bagatoli. Acadêmicos (textos e fotos): Aline Gabriela Redel, Beatriz Ebbing, Bruno Rodrigo, do curso de Jornalismo. Coordenadora: Patrícia Duarte. Professor orientador: Josimar Bagatoli. Acadêmicos (textos e fotos): Aline Gabriela Redel, Beatriz Ebbing, Bruno Felipe Barossi, Turatto, Elias, Kauane Oliveira, Kelly Rocha,Kelly Keslyn Oliveira, Laura Siqueira, Maiara Coelho,Maiara Michelli Lazzeri, NatielleLazzeri, Kaiomi,Natielle Paulo Eduardo, Rodrigo, FelipeGabriel Barossi, GabrielIsmael Turatto, Ismael Elias, Kauane Oliveira, Rocha, Keslyn Oliveira, Laura Siqueira, Coelho, Michelli Kaiomi, Rafael Paulo Ólika, Tamitsa Sendoski, Tatiane Thomazini, Thaíz Bourscheidt. Diagramação: Kauane Oliveira e Michelli Lazzeri. Projeto gráfico: Josimar Bagatoli. Tiragem: 1 mil exemplares. Eduardo, Rafael Ólika, Tamitsa Sendoski, Tatiane Thomazini, Thaíz Bourscheidt. Diagramação: Michelli Lazzeri/Josimar Bagatoli. Projeto gráfico: Josimar Bagatoli. Tiragem: Jornal O Paraná. E-mail contato: unifatos@univel.br 1Impressão: mil exemplares. Impressão: Jornalpara O Paraná. E-mail para contato: unifatos@univel.br


DIVULGAÇÃO

3 | UNIFATOS

CASCAVEL, OUTUBRO DE 2016. www.univel.br/_unifatos

CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL

O menor custo aliado a sustentabilidade fazem deste material um atrativo aos empreendedores

Empreendedores transformam lixo em solução barata para construção civil

Q

uantas casas feitas em contêineres você já viu

foi usar apenas dois contêineres pequenos e uma cobertura

lançar condomínios e sobrados feitos com esse material

pela cidade? E estabelecimentos comerciais?

provisória. No entanto, a concepção foi se aprimorando

e vender a vista. Não existe financiamento para isso ainda

Pouquíssimos, certo?

até chegar à atual estrutura, com cinco.

[no Brasil], já que não se enquadra como financiamento

financeiros

habitacional, nem como reforma.

de contêineres teve um aumento de 32% entre 2013 e

também contribuíram para essa

Então a ideia é construir condomínios

2014, de acordo com a Associação Nacional dos Transportes

escolha, já que o orçamento

Ferroviários. Essa pesquisa comprova que a quantidade de

realizado pelos sócios do Skyy

investimento nesse ramo tem sido maior, principalmente

Bar mostrou que o custo da

pelo custo.

construção teria dobrado se

Essa realidade tende a mudar. No Brasil, o transporte

Em Cascavel, a utilização de contêineres é mais comum em estabelecimentos comerciais, e tende a aumentar. Os motivos são diversos, desde o valor até a sustentabilidade

Os

valores

“Já ouvi o pessoal falar muito assim: ‘Vou morar em uma lata de sardinha!’, mas dizem isso por não conhecer o estilo” - Felipe Bonassi, arquiteto

fossem utilizados materiais de edificação convencional. Entretanto,

nem

tudo

com três unidades, e fazer venda direta”, planeja. UMA LANCHONETE A viabilidade foi o que atraiu o comerciante Andrei Zornita a aderir a este tipo de construção.

que este material oferece. “Cascavel está abrindo a cabeça

foi simples. “Compramos os

um pouco para essa ideia de construção em contêiner,

contêineres em Toledo, onde

talvez não para o residencial , mas o comercial. Porque na

tem uma empresa que os traz.

área residencial o pessoal tem um pouco de preconceito,

Não podemos simplesmente

por achar que é apertado e também pela questão de

pegar esses materiais do porto, pois precisa de uma

o estabelecimento do local. “Eu achei interessante a

acabamento”, explica o arquiteto, Felipe Bonassi.

certificação, mostrando que isso não vai ter problema,

viabilidade. É mais barato dependendo do que a pessoa

Ele construiu uma lanchonete com apenas um contêiner, trazido de Itajaí (SC), e diz que optou por isto caso um dia precisasse retirar

A visão comum é que as caixas de aço utilizadas para

pela questão química e de saúde. Então o pessoal traz,

pretende. Se quiser um negócio melhor acabado, utiliza-

transportes de cargas em navios não tem outra serventia.

faz a limpeza nele e certifica de que pode ser utilizado”,

se alvenaria, se fizer um negócio pensando em um dia ser

Isso acontece porque projetos em contêineres são

relata Daniel Buchner.

necessário retirar o imóvel, ele é meu e eu posso remover

recentes no Brasil, e ainda não tem tanta visibilidade,

Além disso, Daniel afirma que também foram dificuldades

devido

à

do local”, afirma Andrei. O comerciante se espelhou em

se comparados a outros países como os EUA, Japão e a

encontradas

burocracia,

lanchonetes comuns no Paraná e em Santa Catarina.

Holanda .

principalmente a liberação para funcionamento. “A

A partir daí, sua ideia foi adaptada e hoje é uma das

Prefeitura e o Corpo de Bombeiros ainda não dominam

construções que chamam a atenção na cidade.

UM BARZINHO

isso. Eles também têm dúvidas. Então não sabem direito

A arquiteta Nathiele Caroline Bordin foi uma das

Daniel Lucas Buchner é sócio-proprietário da empresa

como fazer, o que torna o processo mais lento, em virtude

pessoas que participou da construção do Cais Coworking,

da tecnologia nova”.

uma franquia de escritórios compartilhados feita em

Skyy Bar, uma das novas construções em contêiner de Cascavel. A primeira vez que soube dessa possibilidade foi

Apesar dessas dificuldades, a ideia é expandir o

contêineres. “Foi bem desafiador, porque eu pensei: ‘O

na internet. Desde então, em janeiro de 2016 foi iniciado

negócio, além do comércio, como já acontece em alguns

que vou fazer com essa parede? O que vou colocar aqui’?

o planejamento, em março a estrutura começou a ser

países, entre eles, os EUA, onde existem programas que

Porque não adianta usar qualquer coisa, tem que ser algo

montada, para, em julho, ser inaugurada. A primeira ideia

utilizam contêineres para residência. “Nós queremos

que fique bacana e que complemente-o”, explica Nathiele.


UNIFATOS | 4

FOTOS: TAMITSA SENDOSKI

CASCAVEL, OUTUBRO DE 2016. www.univel.br/_unifatos

O fato de o contêiner ser feito de metal faz com empresariais através de material

que a estrutura aqueça com o sol. Para evitar que isso aconteça é necessário fazer um isolamento térmico. Daniel Buchner relata que utilizou mais de uma técnica para proteger contra o calor, como o gesso acartonado e madeira. “Fomos tentando fazer coisas mais baratas. A

elegância: contêineres ganham espaço na arquitetura urbana de Cascavel

mais utilizada é o fechamento com gesso”, diz. O professor Rui Eduardo São Pedro também optou em construir um estabelecimento contêiner. A praticidade, agilidade e o custo menor na construção despertaram o interesse na ideia. Porém, ele optou em não fazer o isolamento térmico, pois o horário de atendimento será noturno e por algumas horas será utilizado o ar condicionado. “Depende da construção. Se fosse residencial, com certeza deveria ter um isolamento térmico, manta e gesso”, diz.

Construção feita em contêiner abriga diversos escritórios e pessoal

SUSTENTABILIDADE

que a gente está buscando para conseguir deslocar

aos fatores climáticos. O arquiteto Felipe Bonassi diz

Quando um contêiner não serve mais para o

até aqui”, conta o arquiteto Daniel Buchner.

que a obra de contêineres é ambientalmente correta dependendo do modo como é trabalhada. Segundo ele, a

transporte de carga, ele ainda tem sua vida útil de aproximadamente 100 anos ou mais (em alguns casos,

DURABILIDADE

sustentabilidade desse material passa por várias etapas,

é utilizado em transportes por apenas 10 anos).

Além da durabilidade do contêiner, as construções não

já que o transporte ainda agride o meio ambiente,

Quando está próximo da data de validade, os donos

produzem tantos resíduos (cimento, tijolos, etc.) como

precisaria de caminhões para trazê-lo até locais como

começam a vendê-lo, já que é considerado lixo. “Na

nas outras comuns (alvenaria). “Ele torna-se sustentável

Cascavel. Assim, se aprofundar o estudo sobre ser ou não

China, por exemplo, o contêiner é vendido por um

por não ter todo aquele lixo que toda obra convencional

sustentável, então ele não é totalmente. Descartando

mas existe uma tecnologia para desmontar ele, assim

Nathiele Bordin. Com isso, as construções feitas com esse

acaba sendo sustentável e contribuindo para diminuir

dá para trazer três ou quatro dentro de um só. E é isso

material, se executadas corretamente, são resistentes

a quantidade de resíduos.

essa parte, se trabalhar corretamente o contêiner ele

dólar, porque é descarte. O que é caro é o transporte,


UNIFATOS | 5

FOTOS: TAMITSA SENDOSKI

CASCAVEL, OUTUBRO DE 2016. www.univel.br/_unifatos

ESTÉTICA CONTÊINER ESTILO Uso de estrutura metálica leva novo conceito de empreendedorismo para bares, restaurantes e escritórios de

Para a arquiteta Nathiele Caroline Bordin o uso dos contêineres nas construções traz modernidade, além de, no comércio, atrair os clientes. “Qualquer pessoa que passa e olha,

cidade

estética”. O segredo desse tipo de construção, de acordo com o arquiteto Felipe Bonassi, é a utilização do espaço. A organização e valorização da área Esse escritório na Rua Pernambuco usou vidros de espelho que chamam a atenção

contribuem para a redução de outros materiais, o que coopera para reduzir o valor do projeto, o arquiteto, se feita da maneira correta, a obra se torna até 30% mais barata. SEGURANÇA A estruturação é essencial para que o projeto

Do lado de fora, designer arrojado na lanchonete

Skyy Bar conta com vigas feitas em concreto para É possível aliar bomgosto, economia e sustentabilidade

estabilizar o contêiner, além de outros artifícios que garantam proteção ao local. “O projeto é bacana, mas nós precisamos pensar na estrutura. Não é pensar só na estética, mas também na sustentação e segurança” relata Daniel Buchner. PERSONALIDADE Essa nova alternativa em construção, além de

Sente, relaxe e trabalhe no escritório montado para

fugir do comum, é conhecida por apresentar a personalidade do dono do imóvel, mas ainda assim

E o que falar desse ambiente? Plantas no teto, mesas por todos os lados, para gerar mais

utilizado. Além disso, tem a questão do valor, que para muitos, aparenta ser caro. Mas o modelo é defendido por outros que acompanham essa tendência. “É um material totalmente viável, já ouvi o pessoal falar muito assim: ‘Vou morar em uma lata de sardinha!’, mas dizem isso por não

Reportagem: Tamitsa Sendoski e Kelly Rocha

Olhando assim, nem parece que tudo é feito de lata; mas não se engane: é contêiner


6 | UNIFATOS Avanço tecnológico ameaça algumas profissões e faz com que sejam substituídas por máquinas

FOTO: ISMAEL ELIAS

TECNOLOGIA

CASCAVEL, OUTUBRO DE 2016. www.univel.br/_unifatos

Quase extintas Uma das profissões quase extintas é a de alfaiate. Em um passado não muito distante, as pessoas não tinham outra forma de se vestir senão recorrendo aos serviços dos alfaiates. Hoje o trabalho manual não consegue atender a demanda de roupas para uma sociedade industrializada e a profissão entrou em decadência. Sapateiros ainda existem em um número considerável, mas aos poucos são substituídos pelas máquinas. Ivan Unho trabalhou mais de 20 anos com saparia, mas acabou desistindo da profissão. “Não é rentável ter sapataria hoje em dia, é mais barato comprar um calçado novo do que consertar o velho. As lojas têm muita promoção, o que faz com que as pessoas optem pela compra e não pela reforma”, conta o aposentado. AGRICULTURA Milton Garbin é agricultor em Cascavel e há 31 anos trabalha com produção de hortaliças e legumes. Ele conta que seu trabalho é em família, devido à falta de mão de obra. Devido a tecnologia, ele como pequeno produtor perde espaço nas grandes redes de supermercado, devido não ter uma grande produção e não ter capacidade de produção. “Meu sistema de produção é pouco. Só atendo os mercados pequenos. Devido a tecnologia de hoje não consigo acompanhar a produção, se torna muito caro o investimento”, afirma o agricultor.

Tecnologia avança e profissionais desaparecem O

aumento do uso da tecnologia no setor de milhões de trabalhadores nos diversos setores de produtivo tem afetado a economia. O mercado atividades laborais é o sinal mais evidente da extinção nacional recorre com facilidade a importação de uma série de profissões. o que desfavorece a valorização do produto brasileiro. Como consequência, o índice de desemprego aumenta. CRESCIMENTO Funções que antes eram realizadas Mas, em contrapartida, ao mesmo por vários trabalhadores hoje podem tempo que diversas profissões deixarão ser supridas por apenas uma máquina. de existir, muitas outras aparecerão, Não é rentável ter Ao longo dos anos surgiram sendo assim necessários profissionais sapataria hoje em tecnologias que substituíram outras, e para suprir essa demanda. As áreas dia, é mais barato esse processo provocou mudanças no que irão crescer, conforme a pesquisa comprar um calçado mercado de trabalho. É o que revela apresentada, são as de Tecnologia e novo um estudo realizado pelo Fórum de Engenharia, normalmente áreas que Pesquisa Mundial. pagam bons salários. O levantamento indica que com O tempo vai passando e faz com Ivan Unho, aposentado o avanço da tecnologia, cerca de que a sociedade sofra mutações . O sete milhões de profissões deixarão que antigamente era essencial, pode, de existir nos próximos anos. A no futuro, não ter nenhuma serventia. instituição nomeia essa mudança como quarta revolução Observamos que muitas atividades ainda consideradas industrial.De acordo com o resultado obtido, os setores onderosas são mantidas. A tradição ainda faz com que que mais irão crescer nesse período estão relacionados os profissionais tenham ainda clientes e levem adiante a inteligência artificial, robótica, nanotecnologia e o trabalho aprimorado ao longo dos anos - em muitos impressão 3D, tornando assim desnecessários alguns casos - mantido de pai para filho, como uma corrente trabalhos. internminável e que resiste a pressão da tecnologia. Com isso, é cada vez mais comum uma empresa ter Reportagem: Ismael Elias, Rafael Ólika e Kauane Oliveira que fechar as portas ou mudar de ramo. A dispensa

COBRADOR Outra profissão que era comum e hoje está se extinguindo é a de cobrador de ônibus. Esses profissionais já desapareceram em muitas cidades, como Cascavel, por exemplo. Mas este é o só o começo, espera-se que nos próximos anos mais cidades venham aderir a bilhetagem eletrônica. Em Cascavel, desde novembro de 2015 foi implantado o sistema.

Ivan deixou de lado a profissão de sapateiro; estrutura ainda está em funcionamento


UNIFATOS | 7

CASCAVEL, OUTUBRO DE 2016. www.univel.br/_unifatos

Várias são as formas de transporte alternativo, e elas dividem opiniões

FOTOS: BRUNO RODRIGO

SAÚDE

EXPECTATIVA A salvação - em último caso - é a utilização do famoso transporte coletivo, mas as condições também não são as melhores. Cerca de 100 mil pessoas utilizam o transporte público de Cascavel e enfrentam várias dificuldades no percurso. Ônibus lotado, cheiro dasagradável, entre outros percalços são enfrentados todos os dias pelos usuários do transporte coletivo da cidade, como conta a vendedora Fátima Aguiar. “Todo dia pego três ônibus pra chegar ao meu local de trabalho e sempre os três estão lotados, além de que muitas vezes a limpeza e o cheiro deles não estão agradável”, conta a vendedora que completa “os atrasos também são decorrentes e muitas vezes fazem com que a gente atrase”. A passagem que hoje está com o preço de R$3,30 faz com que a dúvida entre usar transporte próprio e o transporte coletivo seja grande, já que os preços chegam a se equivaler. Mas ainda assim há quem prefira utilizar o famoso “busão”.

U

DIVULGAÇÃO

ma das maiores dificuldades encontradas pela população brasileira é a mobilidade urbana. Com uma frota de veículos estimada em cem milhões, o Brasil conta com várias cidades que enfrentam problemas com o trânsito, e Cascavel está incluída neste contexto. O município conta com uma frota de aproximadamente 200 mil veículos, conforme dados do Departamento de Trânsito do Paraná. São vários pontos de congestionamento, além de vias estreitas que fazem com que os moradores busquem outro meio de condução. O principal meio de transporte alternativo sem dúvidas é a bicicleta. A “magrela”, como é conhecida, é a parceira de serviço de várias pessoas, e não apenas como meio de transporte, mas também como um auxiliar em suas funções. E pelo seu tamanho reduzido em comparação aos outros meios, ela tem suas vantagens de passar em locais onde carros não podem transitar. Alexsandro do Carmo é um dos adeptos a “bike” e faz o trajeto de cinco quilômetros entre sua casa e o local de trabalho todos os dias utilizando o meio alternativo. “Tenho meu carro, mas prefiro usar a bicicleta, a economia é grande e ainda consigo evitar bastantes problemas com o trânsito. Lógico, cansa um pouco, mas é sempre bom fazer um exercício a mais no seu dia” conta o padeiro. Outro meio que vem sendo usado bastante,

principalmente pela garotada mais jovem, é o skate. O meio não é o mais tradicional, mas muitas vezes auxilia no deslocamento. É o caso de Alison Matos, de 16 anos. “Prefiro o skate a andar de ônibus ou bicicleta, eu já tenho uma familiaridade maior com ele, aí fica mais fácil de ir pra escola, curso entre outros locais que frequento. O único problema é que em algumas vias eu não consigo usar do skate por conta das condições que elas trazem, mas nesses casos ando a pé mesmo” afirma o Alison. Tanto skate quando bicicletas são meios de transporte mais conhecidos, e de certa forma, gratuitos ao bolso de seus usuários. Fugindo disso, o mototáxi surge como grande alternativa, e é assim que Gustavo Oliveira faz seu caminho de volta do trabalho até em casa. O rapaz que trabalha como auxiliar de laboratório percorre cerca de oito quilômetros até a sua casa. Com o preço atual da gasolina, gastaria aproximadamente R$150 mensalmente. “Eu vou para o serviço de transporte coletivo por conta de ter essa disponibilidade e os horários com os ônibus baterem, mas pra voltar a dificuldade é maior, pois o ônibus passa aqui com pouca frequência, ai tive que adotar o hábito de usar moto taxi. Gasto cerca de 90 reais por mês já que tenho um acordo com meu mototaxista” relata Gustavo, que leva cerca de 15 minutos no percurso do trabalho até em casa.

DIVULGAÇÃO

Para evitar trânsito, população adere ao meio de transporte alternativo

RISCO DA MOTOCICLETA Mas nem sempre a viagem de mototáxi é simples assim como parece. Acidentes com motos são comuns. É o que conta Antônio Marcos, mototaxista há 12 anos. “Já sofri acidentes com clientes e não fica um clima bom, pois na maioria das vezes eles estão indo para casa e acabam tendo o descanso prejudicado”. E não é difícil achar quem prefira evitar meios de transporte para ir trabalhar. É o caso da costureira Dirley Teixeira. “Eu moro relativamente perto do meu trabalho, da cerca de dois quilômetros, então prefiro ir caminhando e fazendo exercício ao enfrentar o transito caótico que tem a cidade, ou até mesmo pegar ônibus lotado” afirma Direly. “É difícil pra gente que faz todo dia o mesmo trajeto conviver com um trânsito assim. Todo dia é congestionamento, lentidão, muitas vezes a gente vê acidentes e parece que nada é feito para mudar” relata o comerciante Pedro Costa, que utiliza a Avenida Carlos Gomes todos os dias para trabalhar.

Reportagem: Bruno Rodrigo


8 | UNIFATOS

CASCAVEL, OUTUBRO DE 2016. www.univel.br/_unifatos

Intercâmbio é opção para jovens conhecerem culturas I

ntercâmbio é a experiência de sair de casa, viajar para um país desconhecido e aprender

VIAGEM NO MUNDO

Muito além do 7 X 1 na Copa do Mundo e do empate nas Olimpíadas que após pênaltis levou o Brasil à vitória, alemão intercambista relata experiências fora de casa

boas. Só escutamos falar sobre corrupção, insegurança e falta de investimentos na educação”.

a cada dia uma coisa nova. Viver a

A experiência

por

meio

do

rotina dos anfitriões e na hora das refeições

Olímpicos de Verão do Rio de Janeiro. Nesta volta

intercâmbio fez com que ele mudasse a má

descobrir como é a culinária do dia a dia.

aos trópicos, aproveitou para visitar amigos

impressão que tinha do Brasil. “As pessoas são

Jovens aventureiros saem da zona de conforto

e familiares que o acolheram no intercâmbio

acolhedoras, a cidade de Cascavel é bonita e

em busca de novas experiências: Como será que

em 2013, ano em que a vinda pra cá não era

a comida é muito boa”. Antes de ir ao Rio de

funciona o WhatsApp em outro território? Como

bem uma opção: o destino que ele gostaria de

Janeiro, recebido pelo Rotary Club Cascavel

eles pagam as contas de água, luz e telefone?

visitar era a Austrália, lugar muito requisitado

Paz, uma das famílias que Ansgar visitou é o

Qual estilo de música eles ouvem? Como vão ao

pelos intercambistas. Foi então que o colégio

casal

trabalho e voltam para casa?

Marinez

Larsen,

aposentada,

e

Clair

onde ele estudava apresentou a segunda opção.

Larsen, funcionário público. “Um colega se

Essas foram as perguntas que o jovem

“Não me senti muito a vontade, pois as notícias

mudou e Ansgar estava em sua casa. Ele veio

alemão Ansgar Trede, 18, se deparou ao chegar

que temos do Brasil lá na Alemanha não são

falar se nós o acolhíamos e aceitamos, pois

ao Brasil. Em sua segunda vez pelo nosso país, ele veio trabalhar como voluntário nos Jogos

Reportagem: Felipe Barrosi Ansgar e os familiares que o adotaram na visita ao Brasil

temos espaço, uma vez que nossos filhos não moram mais conosco”. CONVIVÊNCIA A

convivência

com

os

brasileiros

trouxe

aprendizado ao jovem alemão. Marinez notou como ele aprendeu bem a Língua Portuguesa. “Ele tem memória boa, da outra vez que veio era tímido e não falava bem, mas agora está mais solto e não esqueceu a língua”. Apesar de termos descendentes alemães no Brasil, e cidades muito características, como Marechal Cândido Rondon, Paraná, e Blumenau, Santa Catarina, a língua não é a única barreira entre as culturas. Cada país tem uma gastronomia bem peculiar. “A cerveja da Alemanha é melhor que a do Brasil. Aqui é fraca. A nossa é forte e mais gostosa”. A cerveja brasileira não agrada Ansgar, mas ele elogia o nosso tradicional arroz com feijão. CULTURA

Ao visitar as famílias que o acolheram durante

A distância territorial entre continentes também

Ansgar tem uma resposta bem direta a cerca da

o

limita a influência cultural. O filme norte-americano

chanceler alemã Ângela Merkel. “Na Alemanha

ele

Esquadrão Suicida, em cartaz nos cinemas, que

há muitos empregos que os refugiados podem

já arrecadou 1,6 bilhão de reais, não desperta

ocupar, mas as políticas de Merkel não dão boas-

interesse algum ao jovem alemão, enquanto

vindas às vitimas da guerra na Síria e o terrorismo

muitos adolescentes nerds estavam ansiosos pela

na França só fez piorar esta situação”. Declaração

exibição. “Nem sabia desse filme, porque a cultura

que contrasta o fato de a revista Time ter elegido

americana não tem influência na Alemanha, porque

Ângela Merkel a personalidade do ano em 2015,

lá temos a nossa própria cultura”.

por suas políticas de boas-vindas aos refugiados

Da outra vez que veio, era tímido e não falava bem, mas agora está mais solto e não esqueceu a língua.

intercâmbio, foi

com

recebido

um

jantar

completo: cardápio era

composto

por

arroz,

maionese

caseira,

churrasco

e saladas. “O prato típico da Alemanha é batata e massa,

O continente europeu está em uma grave

sírios.O Brasil não está diferente da Europa em

crise: financeira, imigratória e, agora por último,

matéria de crise, pois aqui os problemas políticos

a saída do Reino Unido do grupo econômico que

e financeiros também são grandes. O desemprego

tinha como moeda o Euro, decidida por meio de

atinge 11% da população brasileira e apesar de

um plebiscito em junho passado. Além de tudo

todos estes problemas, Ansgar está impressionado

isso, os governos do velho continente têm que

com o nosso País, mais uma vez, em especial com

é diferente do meu

lutar com um inimigo poderoso e incontrolável; o

Cascavel. “Estão reformando a Avenida Brasil, vai

país, porque lá são salsichas e hambúrgueres,

terrorismo. Entrando em questões mais políticas,

ficar bonita”.

mas no Brasil é carne de verdade, muito bom”!

mas é de

a

do

melhor. feijoada

Brasil Gostei e

a

carne assada aqui


UNIFATOS | 9

CASCAVEL, OUTUBRO DE 2016. www.univel.br/_unifatos

DEU FOME AGORA?

Os pratos preparados pelos “Food Trucks” são servidos de forma gourmet e requintada

Comida de rua conquista paladar cascavelense A

s comidas de rua ganharam um toque de

Cerca de 25 “Trucks” diferentes participaram

requinte e estão conquistando espaço no

da

mostra

gastronômica.

Segundo

Michelle

paladar do cascavelense. Os chamados

Dooma, organizadora do evento, a escolha do

“Food Trucks” são restaurantes sobre rodas. A

local sede do evento é feita a partir do perfil da

boa e velha comida de rua foi gourmetizada,

cidade. “A escolha de Cascavel para essa edição

ou seja, tradicionais lanches de rua ganharam

do evento foi devido ao perfil gourmetizado.

um toque refinado.

Pensei em Cascavel por ser uma cidade evoluída

FESTIVAL

Originalmente criados nos Estados Unidos, os

e pelo pessoal gostar de comida gourmet”,

Para ser um participante do festival há

“Food Trucks” já conquistaram o estômago dos

explica Michelle. Por ter sido a primeira cidade

alguns critérios, que segundo Michelle, são

brasileiros. Aqui na região sul frequentemente

paranaense a receber este festival, os três dias

obrigatórios:

são realizados festivais que reúnem diversas

de comilança foram um sucesso!

em dia, os pratos têm que ser gourmets e

culinárias. Claro que o espaço é limitado,

estar

com

a

documentação

devem ser usados caminhões e não trailers. A

mas o que não falta é comida de qualidade,

COMIDA DIFERENTE

principal diferença entre um trailer de lanche

como relata Fábio Rodrigues, proprietário da

Quem aproveitou para comer algo diferente

e um “Food Truck” é que pra ser considerado

hamburgueria EI Loco, do Rio Grande do Sul. “O

do que já existe no cardápio da cidade não teve

um restaurante sobre rodas é preciso servir

espaço é pequeno, mas da pra preparar muito

do que reclamar. Guilherme Castilho foi uma

comida gourmet: nada de ter pão e salsicha

bem os pratos”.

das 30 mil pessoas que passearam pelos “Foods

como

Recentemente Cascavel recebeu um evento

Trucks”. “ A comida é muito boa, mesmo que

os “Trucks” trouxeram para a o cardápio

de “Food Trucks” que acontece há mais de um

aqui tenham lanches parecidos, o tempero é

comida

ano e reúne cozinheiros da própria região sul,

diferente. O sabor é totalmente diferente”.

e

atrativo. árabe,

hambúrgueres

Nessa comida

edição

do

mexicana,

variados.

Marco

evento, churros Aurélio

mas também de outras partes do Brasil. Aqui

Francieli Rodrigues também experimentou

Salgado, proprietário do Nebraska burguers

em Cascavel foi a primeira vez que os amantes

os quitutes e aprovou o prato árabe. “Eu provei

é de Curitiba e trouxe para Cascavel opções

da boa comida puderam experimentar dos mais

de tudo um pouco e o que eu mais gostei foi a

variadas

variados pratos da cozinha mundial servidos

comida árabe, com certeza se tiver outra vez

trará o famoso hambúrguer de búfalo. “Para a

por um restaurante ambulante.

o festival eu voltarei”.

próxima edição traremos novidades”.

de

hambúrgueres

e

futuramente

Reportagem: Natielle Kaiomi e Thaiz Bourscheidt


10 | UNIFATOS

CASCAVEL, OUTUBRO DE 2016. www.univel.br/_unifatos

Giro Universitário

Marcus Vinicius Camargo, Escola da Magistratura

Izabela Santos, 4° semestre de Artes

Wellen Fernanda Reinhold, 4° ano de Jornalismo

Lucas Naoto e Maria Leticia Alves,2° ano de Gastronomia

Everton Feitosa, 5° ano de Direto

Caroline Colognese, MBA Executivo em Estratégias Empresariais

Karoline Piazza, 2° período de Direito

Camila Juviak, 4° ano de Jornalismo


UNIFATOS | 11

CASCAVEL, OUTUBRO DE 2016. www.univel.br/_unifatos

ECONOMIA

Com altos juros no financiamento, compra de seminovos tem sido a saída

FOTOS: THAIZ VARGAS

Fenabrave. Os consumidores têm adotado medidas mais

Zero quilômetro pode custar 50% mais caro

conscientes, na hora de escolher um carro, como o caso da vendedora Pricila Cristina. Após estudar diversas propostas e fazer economias, optou pela compra de um usado. “Quando decidi comprar um carro, fiz um planejamento no qual calculava todos os meus gastos e economizava tudo o que podia. O usado foi a melhor opção devido à economia em manutenção e a anulação dos juros que eu teria se tivesse financiado” justifica a vendedora. Poupar também foi a opção escolhida pelo técnico em mecânica Everton Dal Bosco. Por não querer encarar dívidas neste período, economizou para efetuar a troca. “Não pretendia encarar uma dívida neste período de crise que o País enfrenta, por isso, passei um ano juntando o dinheiro e quando fui comprar dei o meu usado na entrada e o restante em dinheiro. Estou muito satisfeito com a aquisição do meu seminovo”, explica Everton. ALERTA ECONÔMICO Para o economista Luciano de Souza Costa é necessário planejar com segurança, e de preferência, dando uma entrada de até 30% na compra do carro. “O momento exige que o consumidor opte por preços competitivos, com taxas de juro zero, além disso, ao

T

rocar de carro é o sonho de muitos brasileiros,

se desfazer do seu carro usado, ele deve exigir que

ao cliente”, explica.

mas o desejo de consumo tem ficado de lado,

Além disso, o momento fez com que o mercado

seja trocado pelo valor da Fipe [Fundação Instituto

dando lugar a outras prioridades. O cenário

de seminovos fosse uma das alternativas escolhidas

de Pesquisas Econômicas]”. Ainda quem tentou um

atual não é o mais promissor para empresas

pelos consumidores, que em vez de

financiamento, mas não conseguiu,

Só no primeiro semestre

comprar um veículo zero quilômetro

pode

deste ano o mercado de carros zero quilômetro

optam por um usado, com garantia

consórcio é sempre uma boa saída,

apresentou uma queda de 25%, comprovando o que

e opcionais equivalentes. “Apesar

o assombroso mercado econômico previa em 2015,

da crise, a marca procurou investir

mais de 1.047 concessionárias fechando as portas,

na venda do seminovo, que por

segundo dados da Fenabrave (Federação Nacional de

característica da marca tem sido

Distribuição de Veículos Automotores).

bastante procurado pelo baixo custo

do ramo automobilístico.

Algumas empresas buscam driblar os aspectos negativos da crise, com cortes nas produções.

Em vez de demitir funcionários da equipe, optamos por diminuir a produção de veículos

gerente da empresa.

pelo

consórcio.

“O

contudo, o consumidor precisa ficar atento com a empresa que deseja contratar o serviço. Uma dica de segurança são os consórcios feitos em bancos públicos”. Atualmente, as taxas de juros

e resistência mecânica”, comenta o Eduardo Rossoni, Gerente de uma concessionária

O gerente geral do grupo de concessionárias em

optar

para

financiamento

variam

de

1,12% a 4,0% ao mês, dependendo

Cascavel explica que a crise tem proporcionado queda

CONSUMIDOR CONSCIENTE

da

nas vendas que resultou na necessidade de reduzir

Em

do Banco Central. Um automóvel

janeiro,

o

mercado

instituição,

conforme

dados

a produção de veículos. “Tivemos que restringir os

apresentou o pior desempenho para o mês, em

popular ano 2016 no valor de R$39,990,94, financiado

gastos e, em vez de demitir funcionários da equipe,

nove anos, fazendo com que 481.390 carros fossem

em 36 vezes, chega a custar até R$76.138,20.

optamos por diminuir a produção de veículos e

vendidos no primeiro trimestre de 2016, contra

aumentar a produtividade em atendimento, ou seja,

674.384 do mesmo período de 2015. Essa diferença

deste modo, o funcionário consegue atender melhor

chega a quase 30%, segundo dados divulgados pela

É direito do cliente vistoriar o máximo possível o carro antes da compra

Empresas automobilísticas investem no bom atendimento

Reportagem: Felipe Barrosi, Michelli Lazzeri e Thaiz Vargas


UNIFATOS | 12 FOTOS: BEATRIZ EBBING

CASCAVEL, OUTUBRO DE 2016. www.univel.br/_unifatos

População recorre a brechós, sapatarias e oficinas

REFORMA EM ALTA

Movimento aumentou nos estabelecimentos de Cascavel; em um deles o proprietário recebe cerca de 60 pares de calçados por semana

D

evido queda do consumo no varejo e aumento do desemprego, um segmento que vem ganhando espaço no mercado é o de reformas e de pequenos consertos. Em vez de comprar peças novas ou descartar roupas e calçados com defeito, os consumidores estão preferindo investir em reparos e na customização de peças do vestuário. “Este mercado cresce porque a crise faz as pessoas repensarem na hora de ir às compras, o que é ótimo para a sustentabilidade. O descarte de uma roupa - por estar fora da moda - por exemplo, pode ser evitado com a adaptação da peça para um designer mais moderno”, comenta a design de moda, Raquel Santos.

Reportagem: Beatriz Ebbing

CELULARES A demanda por manutenção de celulares também aumentou. Antes sobravam aparelhos seminovos no balcão de assistências autorizadas, hoje estão em falta. “Desde o ano passado, vendemos muitos aparelhos usados. A busca por reparos aumentou em 50%”, afirma à sócia-proprietária de uma assistência técnica de Cascavel, Vânia Silva Alonso.

CRISE O reflexo da crise econômica nacional é sentido desde o ano passado pelos comerciantes. Hábitos comuns para os nossos avós passaram a fazer parte da nossa geração, não só pela economia, mas pela preocupação com o meio ambiente. “Desde 2015 tem ocorrido muita procura, principalmente para ajustes, barras de calças, entre outros”, afirma a costureira Elisangela Vaz. Ela explica que o serviço é procurado por pessoas de todas as classes econômicas. “Não tenho dado conta de tantos pedidos”, diz a costureira. MOVIMENTO Profissões antes quase extintas pela falta de procura agora ganham espaço. O movimento nas sapatarias aumentou desde a metade do ano passado. Valmir Rosário, que tem uma das sapatarias mais antigas da

cidade na Rua Paraná, comemora. “Para mim a crise veio como uma solução, o número de clientes cresceu muito”. Valmir recebia 15 pares de calçados por semana, hoje são aproximadamente 60 consertos. Para atender a tantos pedidos, o sapateiro prolonga a entrega. “Não tenho condições de fazer na hora. Sempre trabalhei sozinho, agora tenho um ajudante que está aqui desde agosto do ano passado”.

Para mim a crise veio como uma solução, o número de clientes cresceu muito.

SAPATOS Por um lado a crise representa o aumento no movimento de clientes, por outro, ela também acaba gerando alguns problemas as sapatarias. Valmir Rosário conta que muitas pessoas não retiram o calçado depois do conserto. “Isso sempre aconteceu, as pessoas esquecem, mas agora acho que também tem certa influência da crise. O pessoal traz o calçado, arrumamos e depois eles não vêm buscar. Nós tentamos entrar em contato, mas mesmo assim eles não vêm. E isso acaba sendo prejudicial pra nós, porque gastamos tempo e material”.


4 ||UNIFATOS 13 UNIFATOS AGRONEGÓCIO Queda da produtividade na safra do milho prejudica trabalhadores e consumidores

CASCAVEL, CASCAVEL,SETEMBRO OUTUBRO DE 2016. www.univel.br/_unifatos

Em um ano, saca do milho valoriza 77% A

última safra de milho foi prejudicada por fatores climáticos em todo o Paraná e também no maior estado produtor do

País, Mato Grosso. Em consequência disso, nossa região sofre com a falta do cereal e aumento dos preços, levando cooperativas a decretar falência e a demitir funcionários. Segundo a economista da Seab (Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento) Jovir Esser, no verão o milho perdeu espaço e os produtores estão apostando na soja. Já o trigo sofre com a variação de preços, porque quanto maior a taxa cambial do dólar, mais os consumidores terão que desembolsar pelos produtos. “O preço da ração, por exemplo, subiu por conta dos altos preços do milho”. A saca do milho que chegou a custar R$ 20,89 em agosto do ano passado foi vendida por R$ 37,14 no mês de agosto deste ano. O aumento é de 77% em apenas um ano. Porém, mesmo com preços em alta e dificuldades enfrentadas na colheita, a previsão é que não faltem produtos para a próxima safra.

COOPERATIVA

AGRICULTOR

Segundo Joilson Antonio Effgen, gerente da fil-

Alfredo Wenggen, 52, trabalha como agricultor

Mesmo com o milho prejudicado na safra an-

ial da Coopavel no município de Santa Tereza do

desde a infância. Planta variedades de soja, milho,

terior na região, o produtor relata que nos últi-

Oeste, houve queda em torno de 20% na produção

feijão e trigo. A produção era baixa antigamente,

mos dez anos não houve queda na produção. So-

na região Oeste do Estadi. Fator que preocupa

havia muito mato e não tinha como fazer correção

bre a próxima safra, Alfredo espera que o tempo

os funcionários, que dependem do trabalho para

no solo, além de o trabalho ser todo manual. Ago-

colabore com a produtividade. “Nós temos que

sustentarem suas famílias. “Apesar da crise no

ra, com o avanço da tecnologia e a utilização das

fazer a nossa parte e investir na adubação e na

Brasil, não houve demissão significativa”. Além

máquinas, é possível preparar o solo para o plantio e

correção de solo. Se anteciparmos o plantio até

da preocupação dos trabalhadores, a redução na

aumentar a produção, com agilidade, gerando mais

janeiro, a nossa produção já vai estar de 50% a

produção também prejudicou as vendas. “Não

vendas por parte dos produtores e das cooperativas.

80% garantida”.

atrás da produção”.

tivemos exportações porque tinha pouca pro-

Para Alfredo, a agricultura é responsável por

dução, o milho safrinha teve queda”. Apesar da

manter a economia em alta durante crises devido

baixa produção, Joilson relata que tem estoque

o planejamento antes mesmo da colheita. “Nós

para manter internamente a cooperativa e que

trabalhamos com travamento [venda antecipada],

não haverá necessidade de comprar de fora.

não precisamos correr para vender, eles que vêm

Cotação da saca de milho:

Maio

Junho

Julho

Agosto

Setembro

R$39,98 R$ 38,73 R$ 34,69 R$ 37,14 R$ 31,05

Reportagem: Paulo Eduardo e Laura Siqueira


14 | UNIFATOS

CASCAVEL, OUTUBRO DE 2016. www.univel.br/_unifatos

Em cena o ator e diretor Lair Junior, interpretando o protagonista Casanova, um grande conquistador de mulheres


UNIFATOS | 15

CASCAVEL, OUTUBRO DE 2016. www.univel.br/_unifatos

CULTURA

Sem restrições de faixa etária, altura, peso e crença, a arte pode transformar você de dentro para fora

Teatro é alternativa para melhorar a comunicação A

s aulas de teatro são um convite para quem quer deixar

22 anos e o teatro me ajuda a me expressar melhor. Tanto na

a timidez de lado. É comum alguns parentes e amigos

linguagem verbal proporcionando uma emissão mais plástica,

sugerirem aulas de interpretação, música e artes para

potente, controle e ajuste de sotaque, modulações e volume

isso poder ajudá-lo a lidar melhor com o problema. O exercício de se colocar em outro personagem, outra realidade e outro ponto de vista faz a pessoa rever seus comportamentos.

da voz. Quanto na linguagem não verbal, que são os gestos e movimentos, os quais tem o objetivo de além do público ouvir, também através dos gestos, visualizar a ação, situação, tempo ou objeto”.

Assim, o medo e a vergonha acabam perdendo espaço para a atitude, pois quem pratica teatro aprende a se concentrar e

diversas áreas costumam procurar pelo curso, como por exemplo,

resolver os problemas de cena com o improviso, deixando de

os pedagogos, advogados, psicólogos, entre outros. “Acredito que

lado aquilo que não lhe interessa, como a avaliação alheia

eles buscam o curso para melhorar a habilidade de comunicação e

por exemplo. “O benefício inicial é melhorar a habilidade de

melhorar a qualidade do autoconhecimento que a arte proporciona,

comunicação, independente da idade ou do nível escolar é

pela educação do imaginário”.

importante, porque a gente quer ser entendido e quer entender

Atualmente o mercado de trabalho sente falta de

bem as pessoas. Além do mais é muito importante exercitar a arte sempre”, destaca o ator e professor, Anderson Paisca. Para quem deseja exercitar a memória, o teatro também é

que saibam como se comunicar, expressar sentimentos, vender ideias, trabalhar em equipe, relacionar com as pessoas e

uma ótima escolha, pois é necessário decorar textos, marcações e sequências. O curso também estimula a espontaneidade,

conhecimento técnico que tem. “O teatro faz bem para todas

melhora o ritmo e o tom da fala e ajuda em problemas psicológicos diversos, pois é uma atividade interativa. O empresário Ricardo Marafon relata a importância que o

colegas que fazem teatro para se desenvolverem melhor em suas áreas, e não com o intuito de serem atores”, relata a estudante de Jornalismo, Rafaela Ghelfond, 20 anos.

Quem faz teatro tem um amplo repertório cultural


16 | UNIFATOS Sem restrições de faixa etária, altura, peso e crença, a arte pode transformar você de dentro para fora

FOTOS: MAIARA COELHO E MICHELLI LAZZERI

CULTURA

CASCAVEL, OUTUBRO DE 2016. www.univel.br/_unifatos

Benefícios, vontade e peça S

egundo Flavio Fernandes, 23 anos, um dos

CASA NOVA E SUAS PAIXÕES

empresário Ricardo.

benefícios de atuar é poder se expressar melhor, além de adquirir conhecimento. “Escolhi fazer

teatro pela admiração que tenho pela arte de atuar. Resolvi ir para o palco porque ali posso ser quem eu

A peça cascavelense que os atores entrevistados VONTADE DE SER ATOR Rafaela

Ghelfond,

20

participam é uma mistura de drama e comédia, em de

uma adaptação do clássico italiano sobre o bon vivant

Jornalismo e faz teatro desde os 12 anos. Atualmente

anos,

é

estudante

sedutor. Veneza (1755). Casanova, apaixonado pela

quiser, viver qualquer história, naquele pedacinho de

ela participa de dois grupos de teatro e investe na sua

jovem, Adelaide Martine, não pode ficar ao lado do

madeira não existe preconceito, ódio. Quando subo ali

carreira de atriz, e sempre que pode busca fazer alguns

seu único amor, que está prometida em casamento,

tento mostrar para o público que ali é o meu lugar e que

cursos fora de Cascavel para se aperfeiçoar. “Desde

na tentativa de esquecê-la, parte para Paris, onde

ninguém pode me tirar dali”, relata Flavio.

que eu me conheço por gente, eu sempre falei em ser

conhece a jovem Marriet.

Carolina Venturim estreou nos palcos durante o 30°

atriz. Mas eu falava sério e não por brincadeira. Desde

Na sua volta, além da triste noticia da morte do

Festival de Teatro de Cascavel. “Resolvi fazer teatro

criança eu procurava fazer cursos de teatro, mas no

seu grande amor, Casanova torna-se vítima de um

porque sempre quis participar de peças teatrais e

começo era difícil de encontrar o curso. Eu comecei

grande golpe articulado pelo Cardeal Rigotte com

conhecer meu lado artístico. O maior benefício é a

fazer o curso aos 12 anos no colégio,” destaca Rafaela.

auxilio de Ascolli, criada de Casanova e que teve seu

comunicação mais tranquila e fácil na hora de falar em

Para ela, subir no palco é possível sentir a energia

amor rejeitado, e dos corsários, D. Angelo e Vander

público”. Apesar de ter se apaixonado por teatro, Carol

do personagem, e querendo ou não o personagem vai

pretende ser policial federal. Caso seu objetivo não seja se tornar ator profissional,

Hausten.

tocar alguma pessoa da plateia, mudar um pouquinho

Na prisão, Casanova encontra Zenobia, condenada

do dia dela, da mentalidade, isso já vale todo o esforço

por bruxaria, que o transporta no tempo, levando-o

o curso de teatro também pode prepará-lo para

do trabalho. A primeira peça que ela apresentou foi

ao Rio Grande do Sul, no ano de 1955, uma grande

diversas situações do cotidiano, desde uma entrevista

aos seus 17 anos, um momento muito marcante em

aventura e a oportunidade de reencontrar seu

de emprego até o posicionamento em público para

sua vida. “A minha família e todos os meus amigos

grande amor, agora Mariana.

apresentar um trabalho.

estavam lá para me assistir. No momento que eu pisei

A tragicomédia, de Gilson Soares, estreou pela

“Deixei para fazer teatro depois dos 40 anos,

naquele palco eu consegui me concentrar e vi que eu

primeira vez em 2004, viajou no tempo e volta aos

pois nesse tempo cuidei de minha saúde financeira e

realmente eu consegui ser diferente de quem eu era,

palcos em 2016. As Paixões de Casanova, dirigida

agora bem estabelecido, com minha empresa forte e

foquei na personagem e ali eu tive mais certeza do que

por Lair Junior, foi revisada e adaptada, e traz as

com minha família formada, posso me dar ao luxo de

eu queria”.

aventuras do bom vivant, que permanece como

investir um pouco do meu tempo no apaixonante mundo do teatro sem obter benefícios financeiros,” conta o

maior capacidade de se relacionar com as pessoas

Reportagem: Maiara Coelho e Michelli Lazzeri

personagem místico e sedutor, numa historia, lúdica e divertida que mistura drama e comédia.

O teatro ajuda a desenvolver a capacidade de se apresentar em público

Profile for Oficial Unifatos

Unifatos 2016 - 5° edição  

Unifatos 2016 - 5° edição  

Profile for unifatos
Advertisement