Page 1

Entre em contato: sindicalismoclassista@gmail.com visite nosso Blog: unidospralutar.blogspot.com

TODO APOIO A GREVE DOS TRABALHADORES DA GM! TRABALHADOR DA GM TUA LUTA TAMBÉM É MINHA LUTA!

Trabalhadores da GM votam greve contra demissões

Uma onda de greves ocorre no país. São lutas contra os ataques do governo Dilma/Temer/Alckmin e dos patrões que querem despejar sobre a costa dos trabalhadores os prejuízos da crise econômica, retirando dessa forma nossas conquistas e também direitos tais como abono PIS/PASEP, seguro desemprego, etc. Querem que paguemos com nosso salário o absurdo tarifaço que reajustou a conta de água, luz, IPTU, gasolina, transporte e também com nosso emprego a desaceleração da econômica. Por isso, não podemos confiar no governo Dilma que representa os interesses das empreiteiras, bancos e do agronegócio. Qualquer política que peça a intermediação desse governo contra as demissões é semear ilusões e não preparar os trabalhadores para enfrentar o ajuste.

Seguir o exemplo dos metalúrgicos da Volks do ABC Os trabalhadores da Volks do ABC passando por cima da direção governista de seu sindicato, durante 10 dias deram uma clara demonstração de que só com luta e mobilização é possível conquistar vitórias. Foi com greve e não com negociações recuadas, como tentava fazer a direção de seu sindicato que reverteram as 800 demissões e conquistaram estabilidade no trabalho até 2019. Assembleia dos trabalhadores da Volks do ABC contra as demissões


Professores do Paraná derrotam governador tucano Exemplo parecido ocorreu semana passada no Paraná. Lá o governador Beto Richa (PSDB) que tinha enviado um pacote de medidas contra os servidores estabelecendo teto para aposentadorias, taxando trabalhadores aposentados, extinguindo quinquênio e vale transporte, foi obrigado a recuar diante de uma poderosa greve geral dos trabalhadores em educação que sitiaram a assembleia legistativa do estado impedindo os Deputados Estaduais de votarem o projeto do governo. Trabalhadores em Educação ocupam Assembleia Legislativa do Paraná

Trabalhadores da educação de Brasília entram em greve

É o que está acontecendo agora em Brasília onde contra a vontade da direção de seu sindicato professores votaram greve por tempo indeterm inado e exigem do governo o pagamento do 13º salário que ainda não foi pago, reajuste salarial, melhorias nas condições de trabalho e valorização profissional. Em nosso estado, onde se aprofunda a crise econômica e de forma escancarada a corrupção como no caso das empreiteiras do Metro, inúmeras categorias tem se levantado contra o ajuste de Alckmin, a juventude indignada segue na rua contra o reajuste das tarifas, os sem teto tem obtido vitórias em defesa da moradia e a população em geral luta contra o racionamento de água ocasionado pela incompetência e falta de investimento no setor por parte do governo do PSDB.

Trabalhadores da educação do Distrito Federal

SOMOS TODOS OPERÁRIOS DA GM!

Assim como ocorreu na greve da Volks em São Bernardo quando dezenas de sindicatos e lutadores se colocaram em apoio à luta e realizaram uma passeata de mais de 20 mil trabalhadores exigindo da montadora o recuo nas demissões, é possível também derrotar as demissões da GM em São José dos Campos. Os trabalhadores da GM estão fazendo sua parte é importante que o sindicato dos metalúrgicos e a CSP Conlutas (PSTU) junto a CTB (PCdoB) e a CUT (PT) que também tem representação sindical junto aos trabalhadores da GM convoquem, assim como ocorreu na greve da Volks, uma marcha estadual do movimento sindical, estudantil e popular contra as demissões porque está claro que o acordo assinado entre direção do sindicato e a GM anos anteriores em nada garantiu o emprego dos trabalhadores. Nós da Unidos Pra Lutar e do Sindicato dos Trabalhadores Químicos de São José dos Campos e Região assim como fizemos em São Bernardo do Campo (ABC) apoiamos a luta dos trabalhadores da GM. Colocamo-nos a disposição de organizar a solidariedade necessária junto a nossa categoria para que a greve seja vitoriosa. Começamos por votar na Assembleia da Johnson & Johnson o atraso da entrada de turno em apoio a essa luta, o mesmo estaremos fazendo nas principais fábricas de Jacareí, Caçapava e Taubaté. A luta dos trabalhadores da GM também é nossa luta. Somente a unidade dos trabalhadores pode derrotar o ajuste fiscal do governo é dos patrões porque UNIDOS SOMOS FORTES!

UNIDOS ATÉ A VITÓRIA! CONTRA AS DEMISSÕES!

Panfleto gm  

panfleto