Page 1


Palavra do Reitor Atuando há 26 anos na área da educação, com qualidade de ensino reconhecida nacionalmente, nossa instituição posiciona-se entre 4% das melhores instituições de ensino superior do país – classificada pelo IGC 4, numa escala de 1 a 5 no Ministério da Educação, por 5 anos consecutivos – e está relacionada entre os 10 maiores grupos educacionais do Brasil. Com um projeto de expansão iniciado há menos de 5 anos, contamos hoje com mais de 80 mil alunos no ensino presencial e a distância, distribuídos em mais de 130 polos em todo o território nacional e nos campi de Maringá, Ponta Grossa, Londrina e Curitiba. Nosso projeto é estar com mais de 250 polos implantados até o final de 2017, instalar os novos campi em Arapongas e Guarapuava e chegar a 180 mil alunos até 2020. Investimos em estruturas modernas e acolhedoras em nossos campi para propiciar a pessoas das mais diferentes nacionalidades, interesses e culturas, um ambiente fértil para o desenvolvimento de competências e habilidades, o enriquecimento cultural, a troca de experiências e a formação de vínculos sociais e afetivos, fazendo com que o período universitário seja um tempo inesquecível, tanto pelo que se aprende quanto pelo que se vive. A Educação é a chave para uma sociedade próspera e moderna, agente de transformação e desenvolvimento profissional e humano. Acreditamos, entretanto, que além do intelectual é preciso o desenvolvimento da inteligência emocional e espiritual, o que nos faz manter esforços também nesse sentido, com aplicações ainda em cultura e artes, por meio do Coral, da Orquestra Filarmônica Unicesumar e do Museu Multidinâmico existente em nosso campus. Educar é projetar um futuro em que os sonhos despertem uma realidade muito melhor. A Unicesumar acredita nas conquistas e nas possibilidades infinitas para quem faz parte do nosso universo do conhecimento. Wilson de Matos Silva Reitor


Manual do Médico Residente A residência médica é uma modalidade de ensino de pós-graduação destinada a médicos, sob a forma de curso de especialização. Funcionando em instituições de saúde como hospitais-escola, os pósgraduandos realizam atividades profissionais remuneradas sob a orientação de médicos especialistas. Unicesumar – Centro Universitário Cesumar COREME Comissão de Residência Médica A residência médica é uma modalidade de ensino de pós-graduação destinada a médicos, sob a forma de curso de especialização. Funcionando em instituições de saúde como hospitais-escola, os pós-graduandos realizam atividades profissionais remuneradas sob a orientação de médicos especialistas. Unicesumar – Centro Universitário Cesumar COREME Comissão de Residência Médica


Reitor Professor Wilson de Matos Silva Vice-Reitor Wilson de Matos Silva Filho Pró-Reitor de Administração Wilson de Matos Silva Filho Pró-Reitor de Educação a Distância Willian Kendrick de Matos Silva

Supervisor do PRM de Cirurgia Geral Dr. Fernando Dutra Dr. Gelson Benitez Supervisora do PRM de Clínica Médica Drª. Rita de Cássia Dr. Luiz Jorge Supervisor do PRM de Ginecologia e Obstetrícia Dr. Maurílio Palhares

Pró-Reitor de Ensino Valdecir Antonio Simão

Supervisora do PRM de Medicina Geral de Família e Comunidade Drª. Jennifer Susan Gabe Dr. Marcus Bressan

Diretora do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde Solange Lopes

Supervisora do PRM de Pediatria Drª. Elieti Benitez

Diretora Geral do Hospital Municipal Caroline Miguel Aver

Supervisor Administrativo da Saúde COREME Rosangela Barbosa de A. Minucceli

Diretora Técnica do Hospital Municipal Drª. Rita de Cássia Coordenador da COREME Dr. Dorival Moreschi Coordenadora Pedagógica da COREME Sandra de Cássia Franchini

Secretaria COREME Email: hmm_coreme@maringa.pr.gov.br / residenciaunicesumar@gmail.com Tel: 3221-4800 ramal: 4832


SUMÁRIO | Manual do Médico Residente APRESENTAÇÃO

INOSSA MISSÃO IINORMAS E ROTINAS IIICONSTITUIÇÃO DA COREME IVESCOLHA DO REPRESENTANTE DOS RESIDENTES VAO MÉDICO RESIDENTE VIDIREITOS E OBRIGAÇÕES DOS MÉDICOS RESIDENTES VIIAO MÉDICO RESIDENTE É VEDADO

05 06 07 09 10 12 14 16


Comissão de Residência Médica

Apresentação Ser médico requer esforço e determinação. O ofício vai muito além do diagnóstico das doenças. É o médico quem vai pesquisar diagnosticar, tratar e prevenir as doenças. Para isso, deverá estar capacitado e atualizado. O constante progresso da Medicina impõe a necessidade de atualização permanente para acompanhar o rápido avanço dos novos conhecimentos e exercer com competência a profissão. Mesmo já formado, o médico continua seus estudos e tem que se reciclar. A necessidade de aperfeiçoamento é contínua. Cursos de atualização, participação em congressos, leitura de revistas especializadas e as pesquisas na Internet são suas principais armas para se manter a par das novidades. Ser médico é difícil, e não é só por causa da rotina dos vários empregos, dos plantões sucessivos e do celular tocando dia e noite. Doenças consideradas sob controle como tuberculose e dengue, reaparecem no cenário a cada ano. Bactérias tornam inúteis antibióticos poderosos e vírus sofrem mutações desafiando a ciência. No Brasil, o médico ainda tem que conviver com deficiências crônicas da saúde pública, a escassez de leitos, de equipamentos e de medicamentos, além da violência e da falta de segurança nos hospitais. Apesar de tudo, a média de vida da população aumenta. Isso se deve ao desenvolvimento técnico e científico, aos novos medicamentos, bem como a ênfase dada aos conhecimentos acumulados na prevenção das doenças. A Residência Médica é fundamental para que o médico recém-formado obtenha experiência e acumule conhecimentos que redundarão em oportunidades posteriores de trabalho e ao melhor atendimento à população. Desta forma, integra o ideário das reivindicações da categoria médica a obrigatoriedade de quantitativo de vagas da residência médica igual ao de vagas nas escolas médicas e uma bolsa digna da responsabilidade do curso. Este manual propõe mostrar para os recém-formados alguns dos desafios que encontrarão pela frente em sua vida profissional e reafirmar que, apesar de a residência não ser obrigatória, ela é a principal forma de especialização médica e a única regida por legislação específica (Lei Federal nº 6.932/81). Colegas, boa sorte em seu caminho e que ele seja trilhado dentro dos bons preceitos da técnica, da ética e da arte médica.

8


I - Nossa Missão Promover a educação de qualidade nas diferentes áreas do conhecimento, formando profissionais cidadãos que contribuam para o desenvolvimento de uma sociedade justa e solidária” O Centro Universitário Cesumar - Unicesumar, no cumprimento de sua missão de “promover a educação de qualidade nas diferentes áreas do conhecimento, formando profissionais cidadãos que contribuam para o desenvolvimento de uma sociedade justa e solidária”, busca a integração do ensino-pesquisa-extensão, com as demandas institucionais e sociais; a realização da prática acadêmica que contribua para o desenvolvimento da consciência social e política e a democratização do conhecimento acadêmico por meio da articulação e integração com a sociedade. Diante desta missão, tem como visão ser reconhecida como uma Instituição universitária de referência regional e nacional pela qualidade e compromisso do corpo docente; aquisição de competências institucionais para o desenvolvimento de linhas de pesquisa; consolidação da extensão universitária; qualidade da oferta do ensino presencial e a distância; bem-estar e satisfação da comunidade interna; qualidade da gestão acadêmica e administrativa; compromisso social de inclusão; processos de cooperação e parceria com o mundo do trabalho e compromisso e relacionamento permanente com os egressos, incentivando a educação continuada. Na busca coerente da concretização de sua missão, o Centro Universitário Cesumar, considerando a realidade na qual está inserido, os problemas locais, regionais e do país, tem como diretrizes gerais: •

Priorizar, em suas atividades, o diagnóstico, num caráter regional, dos problemas e necessidades, estabelecendo uma relação com a sociedade para propor alternativas de soluções através de projetos e programas, de modo a propiciar uma participação efetiva do aluno na comunidade e na resolução de problemas;

Assegurar uma estrutura administrativa e organizacional de forma que as propostas decisórias tenham participação democrática;

Propiciar a comunidade acadêmica uma participação dialógica nas definições das políticas de ensino, pesquisa e extensão, favorecendo uma relação inclusiva;

9


Comissão de Residência Médica

Viabilizar as condições necessárias para a promoção da qualificação e educação continuada do corpo docente e administrativo;

Aperfeiçoar e intensificar a integração entre órgãos, setores e atividades afins, promovendo atividades culturais que envolvam toda a comunidade acadêmica; Manter os cursos, das diferentes áreas, em contínuo e crescente processo de avaliação, buscando a excelência do padrão de qualidade, de modo a oferecer um ensino com qualidade e eqüidade;

Intensificar a busca por novas parcerias e projetos, contribuindo para a formação profissional de nossos alunos e com o desenvolvimento regional integrado;

Promover a conscientização, da comunidade acadêmica, quanto à necessidade do zelo e manutenção das instalações físicas e equipamentos necessários ao bom desempenho do ensino, pesquisa e extensão;

Articular Ensino, Pesquisa e Extensão, propiciando uma formação integral ao acadêmico de modo a contribuir para a formação de uma consciência crítica, que lhe permita refletir sobre a problemática social, de seu papel como sujeito e ator social no processo de mudança e construção de uma sociedade mais justa e igualitária;

Articular e promover a interdisciplinaridade e uso de metodologias alternativas e abrangentes, de modo a formar profissionais dotados de conhecimentos do todo e habilitados a uma prática competente, ética e socialmente responsável;

Enfatizar e participar, como já tem feito sistematicamente, da preservação do meioambiente, por meio da Educação Ambiental e da elaboração de projetos, visando à participação de acadêmicos e da sociedade na preservação de nosso ecossistema e aproveitamento sustentável das riquezas da região;

Buscar a produção do conhecimento em todas as suas formas, questionando as teorias e os processos de investigação, fazendo do ato educativo um trabalho para a práxis profissional consciente e voltada para a resolução dos problemas impostos à sociedade como um todo.

10


Introdução A Unicesumar - Centro Universitário Cesumar institui a Residência Médica como modalidade de ensino destinada a médicos egressos de cursos de graduação em Medicina, credenciados pelo Ministério de Educação. A reunião dos programas de Residência Médica de todas as especialidades (PRMs) é administrada pela Comissão de Residência Médica (COREME), que por sua vez está subordinada às direções do Centro Universitário Cesumar - Unicesumar e do Hospital Municipal de Maringá - HMM. Vincula-se, em última instância, à Pró-Reitoria Acadêmica deste Centro Universitário, como forma de especialização latu sensu. O presente Manual contém as diretrizes, os direitos e os deveres do Médico Residente (MR), que regulamentam os PRMs desta Instituição. Qualquer norma que eventualmente não esteja contida neste documento poderá ser esclarecida na COREME, no Regulamento da Residência Médica e no Manual do Corpo Clínico do Hospital Municipal. A COREME reúne-se bimestralmente na primeira quarta-feira do mês, em atividade com corpo clínico a fim de discutirem sobre questões relacionadas ao PRM em horário préagendado e confirmado via email.

II - Normas e Rotinas As normas e rotinas institucionais e operacionais realizadas por todos os serviços estão baseadas em Protocolo Interno do Hospital que tem como propósito o atendimento geral na área médico/hospitalar, educacional e assistencial. O Corpo Clínico funciona baseado no seu Regimento Interno e pelo Manual do Corpo Clínico, tendo um Diretor Técnico / Clínico como responsável por realizar atividades condizentes com o cargo, que é um médico da instituição eleito em Assembleia Geral. O Corpo de enfermagem é constituído de profissionais habilitados, registrados junto ao COREN, e obedece a normas operacionais de funcionamento reguladas por rotinas técnicas e administrativas.

11


Comissão de Residência Médica

III - Constituição da COREME A Comissão de Residência Médica (COREME) é constituída pelo: • • • • •

Um Coordenador e um vice-coordenador; Um representante do corpo docente por programa de residência médica; Um representante da instituição de saúde; Um representante dos Médicos Residentes por programa de residência médica. Representante de Instituição de Ensino Superior e pela Coordenação Pedagógica.

IV - Escolha do Representante dos Residentes O Médico Residente representante é oficialmente escolhido pelos demais residentes em eleição direta, a cada início de ano letivo. Onde terá um médico residente como suplente. A indicação do médico residente deverá ser feita à COREME até o final do mês de março de cada ano letivo. A não indicação implicará na ausência de tais representantes nas atividades da COREME, até que ocorram as formalidades previstas.

V - Ao Médico Residente Compete •

Cumprir o Programa de Residência Médica nos seus vários níveis, dedicando-se com esmero e afinco a fim de adquirir comportamentos, habilidades e conhecimentos científicos concernentes a formação médica profissional, no sentido de promover e recuperar a saúde do ser humano, sob a orientação dos preceptores.

Exercer suas atividades em conjunto harmônicas com os demais profissionais de saúde e companheiros de residência, de forma cooperativa, educada e fraterna.

Executar todas as atividades propostas pelos Programas de Residência Médica, concernentes às tarefas assistenciais, trabalhos científicos e pesquisas, assim como participar do sistema de avaliação de desempenho no âmbito da COREME.

Ser pontual, assíduo e ter bom desempenho no cumprimento dos planos de ensino e trabalho previstos nos Programas de Residência Médica.

12


Comparecer às reuniões marcadas e convocadas pelo presidente da COREME, pelos preceptores, pelos coordenadores e pelos chefes de serviço.

Freqüentar todas as atividades teórico-práticas segundo programação anual.

Comunicar ao preceptor qualquer impossibilidade de comparecer às atividades, apresentando em 24 horas justificativa ou atestado médico á COREME.

Seguir a escala de plantão conforme as determinações da COREME e supervisor do programa.

Observar o código de ética médica, principalmente as que resguardam a quebra do sigilo e a veiculação de informação a que tenham acesso em decorrência do estágio.

Uso de jaleco branco em todas as dependências do Hospital, exceto no refeitório.

Uso obrigatório de crachá em todas as dependências do hospital.

Cortesia, cooperativismo e respeito com os pacientes, funcionários, colegas, alunos e supervisores, evitando discussões em voz alta nas dependências do Hospital.

• •

Zelar pelo bom nome da Unicesumar/ Hospital Municipal e do serviço.

Zelar pela organização do quarto dos residentes.

Cumprir com as disposições regulamentares gerais da Unicesumar/ Hospital Municipal.

VI - Direitos e Obrigações dos Médicos Residentes Bolsa de estudos: É concedida bolsa de estudos ao MR, no valor mensal estipulado pela CNRM-MEC, com validade de 12 meses, renovável ou não de acordo com o aproveitamento do MR. O valor da bolsa será creditado em conta corrente todo 5º dia útil do mês;

13


Comissão de Residência Médica

Esta bolsa de estudos poderá ser suspensa temporariamente quando o MR infringir os regulamentos, quando cometer falta disciplinar considerada grave, quando infringir dispositivos contidos em legislação específica em vigor ou em caso de ausência não justificada. Para formalizar sua posição dentro da Unicesumar/Hospital Municipal, o MR deverá assinar o Contrato/Termo de Compromisso de Residência Médica, nos primeiros 30 dias de atividade na Instituição, junto à COREME. Algumas bolsas de estudos são patrocinadas pelo Ministério da Saúde através do Programa Pró-Residência Médica. As demais são custeadas diretamente pelo Unicesumar. Os MRs serão informados no momento da matrícula a que grupo pertence. Férias: Os Médicos Residentes tem direito a férias (30 dias) consecutivas, referentes a cada ano de programa. A escala de férias é definida pelo supervisor do programa sob aprovação da COREME no inicio do PRM. Essas solicitadas e assinadas pelo supervisor e o residente. Cada novo MR recebe 2 Jaleco com identificação pessoal e da Unicesumar/Hospital Municipal, crachá e local adequado para repouso durante o período de trabalho. O Médico Residente poderá utilizar-se do refeitório do Hospital para as seguintes refeições, desde que em uso de crachá. • • • • •

Ceia: 05h às 05h:30 Café da Manhã: 08h às 08h:30 Almoço: 11h:15 às 12:30h Café da tarde: 14h:45 às 15h:15 Janta: 22h: às 23:15h

OBS: É proibido almoçar ou jantar no refeitório com uniforme (jaleco, roupa do centro cirúrgico ou do setor). É importante o cumprimento do horário de funcionamento do refeitório para que possam ser cumpridas as rotinas internas do Serviço de Nutrição. Não é permitida a saída de alimentos do refeitório. Não é permitido o uso do refeitório somente para consumo de líquidos nos horários de almoço e jantar.

14


VII - Ao Médico Residente é Vedado •

Ausentar-se do Hospital durante o período de trabalho sem prévia autorização, por escrito, de sua preceptoria. Delegar a outrem as responsabilidades previstas no Programa de Residência Médica. O exercício profissional remunerado, durante sua jornada de atuação nos diferentes serviços do Hospital.

Retirar sem prévia anuência da autoridade competente, qualquer objeto ou documento do Hospital.

Tomar medidas administrativas sem autorização por escrito de seus superiores.

Conceder à pessoa estranha ao Hospital o desempenho de atribuições que sejam de sua responsabilidade.

Utilizar instalações e/ou material do Hospital para fins de lucro próprio.

Tomar conduta em relação ao paciente sem conhecimento e anuência prévia do preceptor ou do responsável pelo paciente.

Liberar o paciente sem avaliação do mesmo pelo médico responsável.

As sanções que após terem sido apresentadas, discutidas e aprovadas na COREME e que são aplicáveis ao Médico Residente são as previstas no Estatuto e Regimento, no Manual e Regimento do Corpo Clínico e no Manual e Regimento da Residência Médica:

Advertência escrita; suspensão temporária das atividades com suspensão da bolsa de estudo; desligamento do Programa de Residência Médica e cancelamento da bolsa de estudo. Conforme a falta cometida e à critério da COREME, a penalidade poderá não seguir a ordem prevista acima. As falhas reincidentes serão, sempre, consideradas graves. Em qualquer situação, fica assegurado o direito de defesa ao Médico Residente. A pena aplicável será decidida pela COREME e administrada ao residente em reunião extraordinária da COREME.

Todas as penalidades deverão ser registradas na ficha individual do Médico Residente.

Ao final do Programa de Residência Médica, o Médico Residente que for aprovado

15


Comissão de Residência Médica

pelo sistema geral e específico de avaliação instituído pela COREME receberá um Certificado do Hospital, que será encaminhado ao Conselho Nacional de Residência Médica para registro. DA AVALIAÇÃO DO MÉDICO RESIDENTE A avaliação do residente será feita a cada três meses pelo preceptor ao qual o mesmo está ligado e pela COREME, seguindo a seguinte programação:

1ª Avaliação – período entre 15 e 19/05 2ª Avaliação – período entre 14 e 18/08 3ª Avaliação – período entre 18 e 22/12 4ª Avaliação – período entre 05 e 09/02/18

O Médico Residente que não alcançar média (7,0) no que se refere a conhecimento e habilidades no módulo deverá repeti-lo para que possa receber certificado de conclusão. Neste caso o término do Programa será retardado por um período igual ao do módulo reprovado e não receberá bolsa de estudos. O Médico Residente que interromper seu Programa de Residência Médica por qualquer motivo, sem amparo legal, receberá declaração relativa ao tempo cursado efetivamente. DICIPLINAS OBRIGATÓRIAS DA RESIDENCIA MÉDICA Por determinação da CNRM, os médicos residentes devem obrigatoriamente receber conhecimentos teóricos referentes à Epidemiologia, Bioestatística, Ética Médica, Bioética, Metodologia Científica e Controle de Infecção Hospitalar. INTEGRAÇÃO DO RESIDENTE MÉDICO COM A INSTITUIÇÃO A participação dos Residentes nas atividades referentes à Integração com a Instituição é obrigatória. O Módulo de Integração será desenvolvido como um programa com informações e conteúdos, objetivando favorecer e agilizar a adaptação do Médico Residente na dinâmica de funcionamento do Hospital e do Serviço ao qual está ligado.

16


PRESCRIÇÕES MÉDICAS • • • • •

As prescrições Médicas devem obedecer as Normas Gerais da Instituição Apresentadas no Manual do Corpo Clínico. Procedimentos a serem observados: Justificativa do uso de antibióticos, conforme orientação da CCIH; Conhecer e respeitar a padronização de medicamentos; Todas as prescrições devem ser feitas até as 11 horas da manhã;

Atribuições do Médico Residente • Ao admitir ou fazer intercorrência em qualquer paciente, o Médico Residente deverá fazer anamnese e exame físico, descrevê-los no Sistema Informatizado, formular hipóteses diagnósticas e propor o tratamento adequado, procurando sempre fazê-lo de forma clara e completa, constando sempre a data, horário e assinatura. Deve ainda, ao realizar as prescrições, fazê-lo de comum acordo com o preceptor responsável. Todos os atos acima deverão ser realizados já no momento da admissão do paciente, sendo vedada a postergação de qualquer passo para outro momento. •

O residente deverá admitir os pacientes da Equipe em que estiver atuando, participando dos atos médicos relacionados àquele paciente, estudando previamente o tema, realizar as visitas hospitalares e conceder alta hospitalar, em comum acordo com o preceptor responsável. Deverá também acompanhar as revisões médicas pósalta, caso estas se realizem nas dependências do Hospital.

Os plantões de ambulatório e de enfermarias, bem como as atividades de Centro Cirúrgico, serão igualmente cumpridos pelos residentes de primeiro e segundo anos (e terceiro ano, se for o caso), de acordo com escala previamente elaborada e aprovada pelos Supervisores do Serviço em questão.

PROCEDIMENTOS NOS PLANTÕES INTERNOS •

Os médicos residentes, independente da área escolhida, participarão das escalas de plantões internos no Hospital, com a responsabilidade do atendimento no setor de Emergência sob orientação do chefe do plantão e intercorrências dos pacientes internados.

O residente que estiver de plantão deverá atender as solicitações da equipe de

17


Comissão de Residência Médica

enfermagem do setor, o mesmo após atender e examinar o paciente comunicará ao médico assistente o caso e seguirá as orientações repassadas. •

Os residentes deverão acompanhar os pacientes, quando necessário, no seu deslocamento para realização de exames e/ou procedimentos dentro ou fora do Hospital e também pacientes graves durante a sua remoção para outras unidades;

Os residentes terão acesso ao computador e sistema para registro da evolução e prescrição dos pacientes atendidos.

Os residentes terão um ramal móvel interno, que ficará na responsabilidade do residente de plantão, e deverá ser entregue em mãos para o residente responsável pelo próximo plantão.

Os plantões da semana terão inicio às 19h até as 07h (12 horas).

Fim de Semana das 07 as 19h (12h).

ORIENTAÇÕES GERAIS •

O Programa teórico deverá ser cumprido conforme decisão da Preceptoria, enviando uma cópia para COREME, para que proceda aos registros devidos;

Todos os residentes deverão ter publicado um trabalho científico por programa;

Comunicações para solicitação de férias deverão ser entregues a COREME assinados pelo chefe da área em tempo hábil;

Comunicações para solicitação de ausências legais ou faltas justificadas, deverão ser entregues a COREME, com a ciência do Coordenador da especialidade cursada.

18


382 manual residente medico digital rev 04  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you