Page 182

Marx & Engels David Riazanov

seus adversários sobre a questão da luta política, este ponto chegou a ser a verdadeira maçã da discórdia. Os bakuninistas sustentavam que as palavras “como meio”, originalmente não figuravam no estatuto; que Marx as havia introduzido mais tarde, para impor clandestinamente ao estatuto a sua teoria. E, dessa forma, se suprimidas as palavras “como meio”, o ponto passa a ter outro sentido. Segundo isso, no texto em francês estas palavras foram omitidas. Foi gerado um ligeiro mal-entendido, que teria sido fácil esclarecer, mas que no calor da luta conduziu os adversários de Marx a acusá-lo de falsificação do estatuto da Internacional. Quando foi traduzido o estatuto para a língua francesa, para divulgá-lo na França, suprimiram na edição oficial as palavras “como meio”. No texto francês dizia: “a emancipação econômica dos trabalhadores é o supremo objetivo a que deve ser subordinado todo movimento político”. Se julgou necessária a supressão para não chamar a atenção da polícia, que vigiava cuidadosamente toda movimentação política entre os operários. Esta última, com efeito, inicialmente considerava os internacionalistas franceses, para empregar nossa velha terminologia, não como “políticos”, mas como “economistas”. Da mesma forma eram vistos pelos blanquistas que, considerando-se “políticos”, cobriam de injúrias todos os internacionalistas, que para eles eram somente miseráveis “economistas”. A questão foi agravada pelo fato de que a tradução francesa do estatuto, assim desnaturalizado, ter sido impressa na Suíça francesa e dali distribuída em todos os países onde a língua francesa estava mais em uso, ou seja, Itália, Espanha e Bélgica. Como veremos mais tarde, no primeiro congresso internacional que ratificou o estatuto provisório da In-

Profile for União Reconstrução Comunista

[RIAZANOV] Marx & Engels  

www.novacultura.info

[RIAZANOV] Marx & Engels  

www.novacultura.info

Advertisement