Page 1


CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA INSTITUTO DE COMUNICAÇÃO E ARTES Nayanne Jardim Couto

FISICULTURISMO FEMININO: Metamorfose do corpo e mente

Roteiro de TCC apresentado como requisito de avaliação do Curso de Graduação em Moda do Centro Universitário UNA para obtenção de título de bacharel em Moda. Professor Orientador: Fabrícia dos Santos Figueiró

BELO HORIZONTE 2015 


RESUMO O objetivo deste trabalho é abordar aspectos sobre o fisiculturismo feminino e sua relação com a moda. A musculação é um esporte que, além de ser antigo, também é bastante conhecido e julgado, bem ou mal. Nos dias atuais se observa que através do marketing visual, há uma idealização de um corpo, o que consequentemente permitiu o crescimento do esporte. O esporte foi oficializado em 1940 como fisiculturismo ou bodybuilding e a participação feminina começou apenas em meados da década de 70. Entretanto, a participação feminina gera discussões e preconceito até os dias de hoje. Assim, neste trabalho foi escolhido tal tema, com a intenção de demonstrar que vivemos em um século no qual é notória a presença da mulher em todas as atividades e profissões e que o fisiculturismo não se difere dessa inclusão. Palavras Chave: Fisiculturismo Feminino. Musculação. Esporte. Preconceito.

ABSTRACT The objective of this study is to discuss aspects discussing female bodybuilding in relation to fashion. Bodybuilding is a sport that, besides being old, is also well known and judged ( good or bad ) . Nowadays it is observed that through visual marketing, there is an idealization of an ideal body, which in turn allowed the development of sport . The women’s inclusion was only mid- 70 since the sport was formalized in 1940 as bodybuilding or bodybuilding . However there is a new women in sport, which accepts such discussion and prejudice. Once this work was such a topic chosen with the intention of demonstrating that we live in a century which is notorious the presence of women in all activities and professions and that bodybuilding is not unlike its inclusion. Keywords: Bodybuilding. Fashion. Women. Prejudice. Athletes.


SUMÁRIO 7 Currículo 8 BRIEFING DE NEGÓCIOS 10 público-alvo 12 identidade visual 24 Briefing de Coleção 34 MACROTENDÊNCIAS 35 TENDÊNCIAS DA ESTAÇÃO 36 CARTELA DE CORES 39 tecidos 43 Cartela de matérias 48 Mapa de coleção 52 Coleção:Metamorfose do corpo e mente 96 Fichas Técnicas 104 Painel de Segmentação 106 Painel Artístico 108 bibliografia 109 ANexos 110 Fotos da coleção

Currículo NAYANNE JARDIM COUTO FORMAÇÕES Curso em design de moda, faculdade de moda, conteúdo básico de costura. EXPERIÊNCIAS PROFISSIONAIS Caixa em loja de te-

cido e roupa, vendedora em loja de tecido, estagio sendo estilista em loja de tecido.

OBJETIVOS PROFISSIONAIS Abrir a loja física da

Trópico, ter sucesso nas vendas e satisfação dos clientes.

7


BRIEFING DE NEGÓCIOS dna da marca DESCRIÇÃO DA MARCA

Inspirada no momento em que as mulheres tem para cuidar da saúde física, a proposta da Trópico é misturar conforto e sensualidade em suas coleções. Trazendo a identidade do Brasil em peças diferenciadas, coloridas e estampadas para que as mulheres esportivas e atletas se sintam mais confiantes e sexy usando a marca.

ESTILO DOMINANTE

As peças desenvolvidas variam no varejo entre R$ 49,60 a R$ 290,00.

ESTILO COMPLEMENTAR

HIPKINI Desenvolve coleções para moda praia, fitness e acessórios. As coleções são feitas para mulheres que procuram conforto e qualidade. São peças com design diferenciado e coloridas. Possui loja física em São Paulo,loja online e revendedores. As peças variam no varejo entre R$ 40,00 a R$ 190,00.

Esportivo Sexy

ELEMENTOS DE ESTILO

SUBJETIVOS/ESPIRITUAIS Modelagem que se adéqua ao corpo valorizando as curvas do corpo feminino, peças com malhas de alta elasticidade OBJETIVOS/FÍSICOS Modelagem que se adéqua ao corpo, peças com malhas

NICHO

Prêt-à-Porter de difusão

SEGMENTO

Fitness, Biquinis (competição), acessórios fitness

GÊNERO

Feminino

CONCORRENTES

LABELLAMÁFIA O conceito da marca esta ligada principalmente em peças com personalidade e de proposta mais Rock em rool. Seu principal diferencial encontra – se nas criações, pois não fabricam apenas peças em Sportwer, mais fornecem também para seus clientes peças casuais e acessórios. Possui loja física em São Paulo, loja online e revendedores.

8

VESTEM Apresenta produtos com alta qualidade e se inspira nas tendências da Moda Internacional. Suas peças são direcionadas para mulheres autênticas e ousadas. Possui loja física em São Paulo, loja online e revendedores. As peças variam no varejo entre R$ 39,90 a R$286,90.

CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO

Loja online e Redes Sociais.

MARGEM DE PREÇO

MENOR PREÇO Top R$50,00 MAIOR PREÇO Bolsa Térmica R$500,00

DIFERENCIAIS DA MARCA NO PRODUTO

As estampas, o mix de cores nas coleções e os biquínis para competição sob medida e bordados são os diferenciais da marca.

9


público-alvo O público alvo da Trópico, são mulheres jovens entre 18 e 30 anos, que praticam esportes, atletas ou não, de classe média alta, preocupadas com a saúde e bem estar físico. Buscam vestir peças nas quais se sintam bonitas valorizando suas curvas, além e claro do conforto. Gostam de viajar para lugares em que tenham contato com a natureza mais não desfazem da agitação da cidade. Se alimentam com alimentos saudáveis, dando prioridade a comidas funcionais e proteicas.

10

11


identidade visual

12

Logotipo

O nome Trópico foi criado com a intenção de relacionar o Brasil, um pais tropical, com a moda, já que as coleções desenvolvidas são inspiradas nesse país extremamente rico em cultura e beleza.

13


escala de cores

monocromia

Pantone 171 CMYK 0/65/64/0 O laranja foi adotado para marca por ser uma cor estimulante, energética e alegre, que remete ao DNA da marca Trópico.

Área de proteção tipografia As famílias tipográficas escolhidas para a identidade visual da Trópico foram a Bebas Neue e a Gautami, fontes marcantes e modernas. Seu uso é previsto em todas as peças gráficas. ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXYZ abcdefghijklmnopqrstuvwxyz1234567890 bebas neue | Alfabeto Principal

14

ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXYZ abcdefghijklmnopqrstuvwxyz1234567890 Gautami | Alfabeto Complementar

15


redução mínima

16

malha de ampliação

17


usos indevidos

aplicação em papelaria

Cartão de visitas em papel couchê fosco 250g com verniz fosco localizado. Papel de carta e envelope em papel nãorevestido 90g. Dimensões: Cartão de visitas: 90mm x 50mm Papel de carta: 210mm x 297mm Envelope: 100mm x 210mm

18

19


brinde

Coqueteleira Shaker Plastico resistente laranja 600 ml

Tag em papel cartĂŁo branco 250g Sacolas em papel nĂŁo-revestido 90g branco e laranja. DimensĂľes Tag: 60mm x 40mm Sacola laranja: 297mm x 420mm x 160mm Sacola branca: 210mm x 297mm x 110mm

20

21


22

23


INTRODUÇÃO

24

Este artigo é um estudo sobre os pensamentos e sentimentos das mulheres fisiculturistas em relação à sociedade e à moda. Através dele, procura-se demonstrar o que elas enfrentam, como utilizam a moda diante de um corpo musculoso, como são vistas e tratadas em um esporte que gera polêmica e preconceito. Afinal, o musculo estraga a mulher? Ora, não existe o porquê dizer que um alto volume muscular pode influenciar na personalidade de uma mulher. A mulher pode sim ser feminina e possuir volume muscular. Inclusive, durante as competições, as atletas fazem uso de joias, sandálias de salto, maquiagem e tudo o que uma mulher “feminina” usaria. E sim, elas fazem o uso destes elementos no seu dia a dia também. Decotes, babados e transparência são suas principais escolhas quando vão se vestir. A moda é a grande aliada dessas atletas, pois, é através dela que expressam seus sentimentos e mostram à sociedade sua beleza feminina mesmo possuindo braços musculosos. Este artigo analisa as maneiras que as atletas de fisiculturismo enfrentam o desprezo e o preconceito da sociedade, em relação à metamorfose de seu próprio corpo. O presente estudo foi feito com o objetivo de pesquisar os costumes das atletas de fisiculturismo observando o objetivo delas seguirem nesse esporte, como elas lidam com a mudança corporal. O fato de a sociedade agir de forma preconceituosa mesmo no sec. XXI foi outro fator que motivou essa pesquisa. Aqui, faço também, uma relação entre as atletas e a moda. Nota-se que no fisiculturismo femi-

nino, há uma desconstrução da imagem da mulher perante a sociedade. Aquela mulher vista como frágil e delicada, é uma imagem que, definitivamente, é abandonada quando se vê uma atleta de fisiculturismo. A sociedade possui uma cultura que geralmente exclui essas mulheres, pelo fato de não seguirem o padrão definido pela sociedade. E aqui, venho mostrar que essas atletas podem ter todas as qualidades de uma mulher, mesmo tendo construído um corpo dito masculinizado, mostrando como elas utilizam a moda para expor sua personalidade e sentimentos, o preconceito enfrentado e os sacrifícios diários realizados para a construção de seu corpo. Será citada uma entrevista realizada com a primeira atleta notória do Brasil, e serão mostradas incríveis imagens feitas por um fotógrafo, que, curioso em entender o motivo de mulheres seguirem no esporte, foi atrás de atletas para fazer algumas fotos. Fotos essas que se transformaram em um uma linda exposição chamada “FORTINA FEMINA”. Através de pesquisas, o artigo foi elaborado a fim de esclarecer a maneira como as atletas de fisiculturismo levam a vida diante de uma sociedade machista, e como se identificam na moda. Com base nesse estudo, será desenvolvida uma coleção que demonstre o físico destas mulheres, de forma que se sintam confortáveis e sensuais, evidenciando suas curvas. A fonte de inspiração é a metamorfose das borboletas. As borboletas foram a escolha de inspiração pelo fato de sua transformação ser feita por etapas que levam um certo tempo, e por ser tão radical quanto a das atletas.

CULTUANDO UM CORPO A HISTÓRIA DO FISICULTURISMO FEMININO Segundo o site Notícia e Fisiculturismo (2009), a busca de um corpo perfeito surgiu desde a Antiguidade, mas o método esportivo que tem como objetivo o desenvolvimento muscular fazendo junção á definição, harmonia, proporção simétrica e estética, conseguiu força nos Estados Unidos durante o século 20. O auge aconteceu a partir dos anos 80, quando as pessoas passaram a ver o corpo saudável e perfeito, como estilo de vida. Nos anos 80, com o aumento expressivo do culto ao corpo, e a união de que a saúde está profundamente ligada à prática de atividades físicas, existiu uma inclusão das mulheres ao exercício de halterofilismo e do fisiculturismo. Durante essa época, as mulheres no Brasil começaram a ganhar lugar em algumas poucas academias de musculação, lugares nos quais, até então, eram vistos apenas homens frequentando. O fisiculturismo para mulheres começou como experiência no final dos anos 70. Em 1980, a Federação Internacional de Fisiculturismo, liberou o primeiro evento de Miss Olympia (Miss Olympia é o título dado

à vencedora da competição internacional de fisiculturismo IFBB). Lisa Lyon foi a primeira fisiculturista conhecida, foi ela quem introduziu uma maneira diferente de exibição dos músculos através de movimentos rítmicos que diferenciam as apresentações femininas até hoje. O fisiculturismo teve popularidade quando Rachel McLish conseguiu o título de primeira Miss Olympia. A forma como Rachel se apresentava era diferenciada e chamava atenção, com olhares insinuantes e sensuais incorporados a musculosidade e personalidade e instituiu um padrão de excelência que as mulheres fisiculturistas utilizam como referência até hoje. Em 1984 aconteceu o primeiro campeonato de fisiculturismo no na cidade do Rio de Janeiro. Ainda não existiam categorias nessa época, as primeiras candidatas á fisiculturistas, desejavam estar demasiadamente fortes. Larissa Cunha de 35 anos foi a primeira mulher brasileira a, conquistar, em 2009, o Miss Physique Universe, mais antigo e tradicional título do fisiculturismo internacional Notícia e Fisiculturismo (2009)

25


METAMORFOSE DAS BORBOLETAS EM RELAÇÃO à MUDANÇA FÍSICA DAS ATLETAS

26

As borboletas se desenvolvem por metamorfose, que é caracterizada por quatro fases: ovo, larva, crisálida e adulto. De acordo com o site Curiosidades (2015) a metamorfose se da através de um processo em que um organismo conhecido como lagarta (ou larva), nascida de um ovo, surge como um ser completamente diferente do adulto. As larvas somente existem para se alimentarem, acumulando reservas que permitirão ao inseto adulto concentrar-se quase exclusivamente, na reprodução. Para que aconteça uma tão estranha transformação do monstro (a larva) na admirável (a borboleta) existe, entre ambas as fases, um momento de repouso (a crisálida). Na realidade, tudo começa no ovo. No momento em que a fêmea busca um lugar para depositar os seus ovos, existem uma série de critérios, como sejam a temperatura, a posição da planta em relação às plantas vizinhas, a presença de ovos de outros insetos e a disponibilidade de alimento. Todas estas preocupações maternas têm um único objetivo: aumentar as probabilidades de sobrevivência da lagarta. As larvas, quando maduras, param de se alimentar e buscam um local adequado para a transformação em crisálidas. Recorrem à seda que fiam para produzir os casulos, onde se encerram ou simplesmente usam-na para se fixarem às plantas. Depois de fixadas, as larvas diminuem os seus movimentos, enquanto no interior da cutícula, os órgãos se vão transformando em órgãos de adulto. Esse período pode variar de algumas semanas até vários meses. Uma vez livre do casulo, é preciso colocar as asas para fora. Elas ficam abrigadas no tórax. O inseto

contrai o tórax e joga sangue para dentro do compartimento no qual estão as assas. Com isso, o compartimento se rompe e as asas saem. Assim como as borboletas, as atletas de fisiculturismo passam por uma metamorfose ate atingirem o objetivo de sua forma física para conseguirem competir. A dieta e treinos são os elementos cruciais para tal mudança. Conforme Bressan (2015) (incluir a autora nas referências bibliográficas), no inicio da preparação ocorre a fase denominada Bulking, nessa fase acontece o período de ganho de massa muscular magra. Aqui, o ganho de gordura corpórea é inevitável, mas é mantido o menor possível (em torno de 10-18% para um bom bulking). A dieta é hipercalórica, os aeróbicos são moderados, o treino é o mais simples possível e, claro, pouco volumoso. As atletas costumam ingerir alimentos que gostam para diminuir o ´´ sofrimento ´´ na fase Cutting (definição muscular). A partir dos três meses antecedentes ao campeonato é onde ocorre o inicio da diminuição de carboidratos, essa fase da preparação denomina-se Cuting. A atleta deverá eliminar o máximo da camada adiposa e, na semana antecedente a competição acabar com toda a água subcutânea possível, fazendo restrição geral de água nas 24h antecedentes à competição. A dieta é hipocalórica, os aeróbicos ficam um pouco mais presentes e o treino pode aumentar um pouco de volume. Essas atletas mudam completamente a forma física para garantir a vitória em seu esporte. As mudanças são completamente radicais assim como os resultados.

FISICULTURISMO FEMININO VISTO PELA SOCIEDADE Corpo musculoso não é exclusividade masculina. A feminilidade não tem a ver com fragilidade, mas com personalidade. A força destas atletas não está no físico, mas no interior, por enfrentarem os preconceitos, a falta de incentivo e a si mesmas todos os dias.

O preconceito contra as atletas de fisiculturismo ou até mesmo mulheres mais musculosas vem da cultura da mulher ser submissa e inferior aos homens. Infelizmente muitas mulheres, estas que falam mal, concordam com isso mesmo que inconscientemente e os homens preconceituosos e machistas são inseguros por duvidarem de sua própria masculinidade. Corpo musculoso não é exclusividade masculina. A feminilidade não tem haver com fragilidade, mas com personalidade. A força destas atletas não está no físico, mas no interior, por enfrentar os preconcei-

tos e a falta de incentivo. Me tornei atleta por admirar a determinação e a coragem destas mulheres. (POLIDO, 2011)

Essencialmente, o que foge de padrões ditados pela sociedade não é levado em consideração. Além do mais, é difícil ver na sociedade alguma coisa que escapasse do padrão e fosse bem aceito. O padrão cabe a cada um criar o seu. E é a partir disso, que começa toda a problemática. As críticas, não só denigrem a imagem da atleta, mas, muitas vezes,também as magoam, já que, estamos tratando de uma pessoa com sentimentos. Posso pronunciar que esse tipo de crítica sem a menor conveniência, não é apenas perante o esporte em si, mas em vários aspectos que envolvem o mesmo, como rotinas alimentares e a disciplina, pois são elementos cruciais para um bom desempenho no esporte.

27


CORPO, MENTE E ROUPA

A EXPOSIÇÃO: FORTINA FEMINA

28

Existem mulheres que procuram através da musculação uma forma de desenhar e definir o corpo, perder alguns quilos ou apenas um jeito de levar uma vida saudável. Algumas fazem do esporte, um instrumento para total transformação das formas de seu corpo. Mas finalmente, por que essas mulheres querem ressaltar seus músculos dessa forma? Atrás de uma forma de entender o motivo desse desejo das atletas, que, o fotografo André Arruda tomou a decisão de fotografar algumas atletas. Segundo André Arruda, citado por Jornal G1 (2014), os corpos tinham outras formas, e ele queria saber o que levava a mulher a ficar daquele tamanho. A ideia o perseguiu até que foi achando as meninas. Ele encontrou uma atleta, e quis fotografá-la nua, fazer algo que fugisse de uma coisa que já foi feita. Esse belo trabalho resultou na exposição FORTIA FEMINA – Aceitação e Preconceito, que procura entender a forma de aceitação da imagem deixada por essas atletas e o presente preconceito que engloba o esporte. Arruda conta que se aproximou muito das quinze mulheres que fotografou. De seu envolvimento e suas conversas, ele concluiu que, por meio da pratica do fisiculturismo, elas buscam passar por uma espécie de processo de aceitação. “Entre essas meninas, algumas nunca eram tiradas para dançar na festa. Dentro de certo contexto, a musculação é uma maneira de se encontrar, como uma válvula de escape”, explica. (VILAMULHER, 2011). Esse esporte pode ser tão intenso, a ponto de que essas mulheres que o praticam, aturem preconceito e inclusive

sejam confundidas com homens. Uma das 15 atletas que Arruda fotografou, por exemplo, já sofreu agressão na rua. O preconceito se associa com ao consentimento que a maioria dessas mulheres busca no esporte, já que de certa forma elimina a feminilidade e acaba por fazer com que essa mulher não seja associada à docilidade e fragilidade, por exemplo. Segundo o fotógrafo, as formas que apresentamos em nosso corpo, são como características sociais. Na opinião de Arruda, na maior parte das vezes existe o objetivo de atrair algum tipo de atenção. E, com certeza, esse objetivo é atingido. Arruda pode não ter conseguido ver uma motivação concreta pela qual as atletas praticam esse esporte, mas a relação que teve com as fisiculturistas, mesmo que sendo mínima, o fez ter uma base por qual motivo à sociedade ainda olham para elas de uma maneira torta. “Elas sempre me soaram como borboletas saindo do casulo. Isso incomoda um pouco em uma sociedade que é meio leniente. Esse compromisso é assertivo numa sociedade em que os valores de certo e errado não são muito bem definidos”. (PIETRA, 2011). Esse tipo de preconceito está longe de ser condenado e os limites entre a beleza e o excesso ainda são muito acentuados. Mas o fotógrafo espera que atitudes como a dele, de aproximar-se de o assunto em cima uma perspectiva diferente, podem ajudar a dissolver essa visão errada sobre o assunto. “Fico feliz que as pessoas olhem a mulher de uma maneira menos reativa e mais compreensiva”, pontua o fotógrafo. (VILAMULHER, 2011).

Podemos observar que o corpo desde a antiguidade tinha o seu padrão na sociedade, ou seja, em cada década que vivemos encontramos diferentes padrões físicos ditados. De acordo com Castilho, (2009), a dieta se faz presente na vida das pessoas desde o período vitoriano, onde os cidadãos tinham a dieta como uma forma de aproximação religiosa. Já nos dias de hoje, a dieta tem finalidade tanto espiritual, como estética, e saúde. Segundo o autor Castilho, (2009) o que se observa em primeiro momento em uma pessoa, são as características físicas (o que vemos). O corpo tornou-se uma forma de identidade, ou seja, você consegue se expressar, dizer um pouco sobre você e seus costumes, através de seu corpo. As pessoas estão tendo uma preocupação maior com a saúde física. Os cuidados tomados para se ter uma boa saúde traz resultados que acabam refletindo no psicológico, afinal o ego esta entre os dois. Já que o corpo vem sendo o destaque a cada dia mais, porque não fazer uma relação entre o vestuário e o esporte, já que andam em junção?

Veja o que Castilho diz sobre isso:

Corpo e roupa, nesse âmbito, por encontrarem-se plasticamente fundidos, compõem conjuntamente a aparência final do sujeito. Será por intermédio da maneira de decorar-se, ornamentar-se e vestir-se que se formarão concepções de beleza, bom gosto, costumes e comportamentos próprios de cada sociedade. São esses aspectos da moda que serão reatualizados ciclicamente pela introdução de novos significados pelas continuas transformações e ressemantizações das constituições do corpo. (CASTILHO, 2009, p. 61)

Segundo o site “Digitais Puc Campinas, por Guilherme Kowalesky, (2014)”, a mulher, em busca de sua satisfação física tem recorrido aos esportes de forca e resistência para alcançarem o seu objetivo físico ideal. Mais o que seria o “objetivo físico ideal?”. Ora, o que ela determinar. Existem competições para homens e mulheres que gostam de musculação. Recebe o nome de fisiculturista ou culturista, a pessoa que se dedica a musculação e dieta de forma intensa. O fisiculturismo é um esporte em que os objetivos são volume, simetria, proporção e definição muscular. Junto a uma

29


boa e regrada alimentação, fisiculturistas desenvolvem seu corpo à sua maneira. É um esporte que vem crescendo ao longo dos anos e cada vez mais mulheres têm entrado nesse esporte, fazendo este crescer cada dia mais. Apesar desse real crescimento, as atletas são tidas como loucas e são muito criticadas. Como a sociedade lida com isso? Afinal, as mulheres não podem ser fortes? O que para a sociedade é uma aberração, para essas atletas o esporte vai além de serem fortes, o corpo é onde elas se denominam e desafiam dia após dia. Infelizmente para a sociedade a ideia de uma mulher musculosa, ainda não é muito bem aceita, afinal, existem padrões determinados pelos homens e mulheres de hoje. As fisiculturistas usam e abusam de adereços para mostrarem sua feminilidade personalidade. Babados, brilhos, saltos, jóias... você dificilmente vera uma atleta sem um brinco que seja. Então, chegamos aonde queríamos: como ser feminina diante de um corpo tão musculoso? A moda traz a possibilidade de as atletas exporem sua personalidade. Segundo Svendsen (2010), a individualidade só é significativa contra um pano de fundo de conformidade. A moda é sempre uma solução de compromisso entre essas duas coisas. Se houver individualidade demais, ela perde seu apelo, porque deixa de funcionar de maneira distintiva, e está morta como moda. Numa época como

a nossa, em que as normas se ampliaram consideravelmente e muitas delas correm em paralelo, é mais difícil expressar individualidade, precisamente por haver tanto espaço para grandes variações. Mesmo que reconheçamos agora que há limitações sócio materiais para a escolha de estilo de vida, somos obrigados a fazer uma escolha. Temos de escolher um estilo de vida, e, em se tratando em estilo, essa é uma escolha basicamente estética. A estética se torna assim central para a formação de identidade. A questão é em que medida essa estratégia é particularmente promissora. A moda é central, é claro, para essa ideologia da autorrealização estética. Ela funcionou como uma arena em que podíamos nos encontrar, ou melhor, nos inventar (SVENDSEN, 2010) . A vida se baseia em escolhas, e objetivos traçados a seguir de alguma forma, e, o estilo de vida que você segue, é resultado das escolhas feitas. Se analisarmos com um pouco mais de atenção, podemos chegar á conclusão de que o estilo de vida e a estética são um dos pontos que mais refletem a sua posição diante de suas escolhas. De modo geral a ideia de seguir um esporte em que o seu próprio corpo é o instrumento de atividades diárias, e sendo este o que recebe visivelmente mudanças, observamos que, o corpo passa a ser o centro de sua identidade.

metodologia

30

O artigo se deu basicamente através de uma pesquisa qualitativa, e, a partir dai, foram levantadas teorias sobre fisiculturismo em geral, fisiculturismo feminino e metamorfose das borboletas. As buscas foram feitas em livros e sites sobre esses assuntos, para um melhor entendimento sobre o assunto, para que assim fosse criada a coleção outono inverno da Trópico.

No presente trabalho a Trópico apresenta uma coleção outono inverno ousada e com estampas coloridas. A proposta dessa nova coleção da Trópico, é fazer com que suas clientes se sintam lindas e sensuais no momento que para elas é especial, o treino. Para trazer este conceito às peças criadas, foram utilizadas malhas com umas alta elasticidade para se ajustar em perfeitamente ao corpo, bojo

para dar firmeza aos seios e segurança durante as atividades, estampas coloridas aplicadas nos lugares certos para a valorização dessa mulher, e muitos recortes, entrelaçamentos e babados evidenciando assim, as belas curvas dessas atletas. A coleção de bolsas foi desenvolvida com o intuito de ajudar essas atletas a manter o estilo e a dieta por onde forem. Afinal, essas mulheres também possuem uma vida social e gostam de se sentirem bem e elegantes aonde vão. Para atender o desejo das atletas, foi criada uma bolsa casual, porem elegante, em couro sintético, mas com divisória térmica, oferecendo assim uma alternativa a essas atletas

que não costumam sair de casa sem levar consigo sua refeição. Nessa coleção também foram criadas bolsas térmicas especificas em couro e em tecido, trazendo assim mais uma opção para suas clientes. A fabricação dos biquínis de competição se da pela dificuldade em encontrar quem os forneça e, quando essas atletas encontram, não há muitas opções. A Trópico também oferece esse tipo de serviço, mais de forma exclusiva, pois os biquínis são confeccionados conforme as medidas da atleta para que a mesma se sinta confortável no dia de sua apresentação. Alem disso o bordado e cores são escolhidas conforme sua preferência.

CONCLUSÃO Mudanças de hábitos alimentares, inclusão de suplementos na dieta, várias horas na academia, e treinos exaustivos. Isso tudo apenas para atingir condições espantosas de desenvolvimento e força muscular. Assim é a vida de atletas que investem na mutação do corpo e da mente, e, assim, se dedicam ao fisiculturismo. Um polêmico esporte que divide conceitos, especialmente quando o atleta é uma mulher. A ideia de trabalhar os músculos até conseguir a hipertrofia, exclusivamente pela imagem, modificando seus corpos e mentes, e pelo prazer da competição, fazendo junção à moda como forma de expor sua feminilidade, foi o principal objetivo de estudo do projeto. As mulheres procuram na musculação uma forma de desenhar o seu corpo, emagrecer ou uma forma de se manter sau-

dável. Já outras fazem do esporte um estilo de vida e mudam completamente as formas do corpo. (Igual a introdução) Antes do esporte, as mulheres nunca tomaram a atitude de mudar a musculatura por estética. Muitos acham inviável esse tipo de atividade para as mulheres e não gostam do resultado. Todos nós temos direito de gostar ou não de algo, mas, se essas atletas têm os mesmos músculos que os homens, porque não esculpi-los da forma que querem? A sociedade infelizmente ainda possui um olhar machista diante da mulher. Essas atletas muitas vezes humilhadas e desprezadas apenas por possuírem uma forma física diferenciada da maioria são discriminadas. Ora, vivemos em pleno século XXI, e ainda é notório o preconceito perante dessas mulheres. E este foi o motivo no qual tomei a iniciativa de buscar sobre o assunto.

31


32

PAINEL DE INSPIRAÇÃO 33


MACROTENDÊNCIAS

TENDÊNCIAS DA ESTAÇÃO De acordo com as semanas de moda internacionais, temos em destaque o uso do couro de forma natural e em verniz. Sendo encontrados em bolsas, calças, blusas, e em vestidos. Apesar de haver uma fortíssima influencia do couro nas passarelas, a transparência também marcou presença nos desfiles das principais marcas. Mesmo com o mix do couro, um tecido mais armado e grosseiro, com a transparência dos tecidos leves como a seda e o tule, foi possível construir peças bem harmônicas e belíssimas. Dentre as formas e silhuetas utilizadas, o godê teve seu espaço nos desfiles, levando muita beleza e feminiminade aos looks apresentados.

Louis Vuitton

Junko Shimada

Balmain

Couro e Verniz

John-richmond Stella Mccartney

34

Ellus

INFORMAÇÃO AO ALCANCE DE TODOS O mercado consumidor está cada vez mais se voltado para as redes sociais em busca de notícias e informações. Os consumidores estao entrando nas redes sociais para obter a sua dose diária de notícias e informações sobre o resto do mundo, bem como compartilhar suas notícias e postar seus comentários. Como resultado, o formato de notícias e conteúdo estão sendo progressivamente reconstruídos em torno dos canais de mídia social. As mídias sociais continuarão a desafiar as relações de marcas tradicionais e os modelos de negócios.

Saint Laurent

COMODIDADE E ECONOMIA DE TEMPO O consumidor vem buscando cada dia mais facilidade e comodidade em suas compras, para que consiga poupar tempo e assim conseguir cumprir suas obrigaçoes diarias. A opção das empresas em tele entrega já esta virando um ponto crucial em suas vendas.

GUCCI

AUMENTO DO USO DE SUPLEMENTOS ALIMENTARES E MULTIVITAMÍNICOS Podemos observar a que nos ultimos anos a sociedade tem se alimentado de forma incorreta devido a pressa do dia a dia, com isso, se tem como resultado algumas doenças. Os individuos vem se preocupando em repor os nutrientes não consumidos diariamente, sendo uma opçao pratica e rapida, o uso de suplementos e multivitaminicos tem aumentado consideravelmente.

alexander Mc Queen

TRANSPARÊNCIA

GODÊ

35


CARTELA DE CORES predominantes

36

tonalizantes

PRETO OCILAÇÃO Pantone 19-0303 CMYK 81/79/69/45

VERDE VARIAÇÃO Pantone 15-5425 CMYK 93/0/53/0

LARANJA IMUTANTE Pantone 15-1164 CMYK 0/62/91/0

LILÁS INVERSO Pantone 16-3823 CMYK 46/51/0/0

AMARELO COMUTAÇÃO Pantone 13-0758 CMYK 0/25/95/0

ROSA TRANSIÇÃO Pantone 15-2216 CMYK 0/67/8/0

37


tecidos Os tecidos usados para construir os looks da coleçao outono inverno da Trópico, são malhas de alta qualidade e elasticidade para ajudar no empenho dos atletas e todos os praticantes de esportes em suas atividades físicas. Fornecem uma variedade de flexibilidade que ajuda os consumidores a se movimentarem e apresentarem o melhor desempenho em suas atividades, enquanto se sentem confortáveis. Malhas como suplex e o cirrê, foram as mais utilizadas na coleção, para que possibilite a amplitude dos movimentos com conforto. O tule e a telinha em poliamida, foram inseridos para que fossem criados looks sensuais e diferenciados dos demais.

intermediárias

roupas VERMELHO ALTERADO Pantone 18-1664 CMYK 0/96/82/0

BRANCO TRANSPOSTO Pantone 11-4800 CMYK 11/8/10/0

TELA EM POLIAMIDA 100% poliamida Kanto da Moda 75,00 kg 4mts/kg

LYCRA 82% Poliamida 18% Elastano Kanto da Moda 50,00 kg 3 mts/kg

38

CIRRÊ 97% Poliamida 3% Elastano Kanto da Moda 45,00 kg 3mts/kg

39


tecidos bolsas SUPLEX DE POLIESTER 82% Poliéster 18% Elastano Kanto da Moda 40,00 kg 3 mts/kg TECIDO POLIURETANO

TULE 100% Poliester Kanto da Moda 20,00 mt SOFT KAORI METALASSÊ

VISCOLLYCRA 97% viscose 3% Elastano Kanto da Moda 32,00 kg 3mts POLIESTER 1680D, EPE (ESPUMA), TINFOIL (TERMICO)

40

TACTEL 100% Poliester Kanto da Moda 6,00 mt

41


Cartela de matérias EPE (ESPUMA)

superfície

Estampa Localizada

42

bordado

manta de Strass

TINFOIL (TERMICO)

Cristal Chatô

Para a criação dos biquínis de competição, foram utilizados o bordado artesanal, com lantejoulas e aplicações de strass, para a valorização das peças e das atletas. A estampa localizada foi escolhida para que haja uma variação nos looks, dessa forma, há a possibilidade de criar peças com um diferencial entre elas na coleção e, ao mesmo tempo, que haja a sincronia dos looks.

43


As estampas corridas o tingimento e o tié die, foram incluídos com a intenção de trazer o tema para coleção, uma vez que, as borboletas possuem infinitas cores e misturas magníficas sendo assim a principal fonte de inspiração.

O entrelaçamento é aplicado nos decotes trazendo a influencia da construção do casulo das borboletas para a coleção, alem de deixar os looks com um ar mais sexy. O uso da franja feita com o tecido da própria peça, foi utilizado para que seja introduzido para a coleção um ar sensual e diferente nas peças fitness. A presença do metalassê no couro nas bolsas, é para diferenciar e dar um ar mais sofisticado a elas, eliminando assim a idéia de que as bolsas do segmento fitness precisam necessariamente ser produzidas apenas com tecidos planos.

tié die

franja

Tingimento

Metalassê

44

Entrelaçamento

remodelagem

Estampa Corrida

beneficiamento

45


aviamentos

ZÍPER ZIP AVIAMENTOS R$: 2,50 / UN

ELÁSTICO ZIP AVIAMENTOS R$ 15,85 PACOTE COM 25 MTS

46

FIO DE STRASS DE PLÁSTICO ZIP AVIAMENTOS R$ 10,00 / MT

LINHA PARA OVERLOQUE ZIP AVIAMENTOS 100% POLIÉSTER TEXTURIZADO R$ 9,18 / 250G

LINHA PARA COSTURA ZIP AVIAMENTOS R$ 2,19 / 2000 JARDAS

LANTEJOULAS ZIP AVIAMENTOS R$ 2,00 PACOTE COM 1000

PLAQUINHA ALTERO R$ 8,00/4 UNIDADES

47


coleção descritivo das famílias A coleção foi dividida em 4 familias: uma masculina com nove looks, sendo dois conceituais, três fashion e quatro comerciais; Uma familia feminina com dois looks conceituais, sete fashion e três comerciais; Uma familia feminina com dois looks conceituais, oito fashion e três comerciais; Uma familia bolsas, com duas bolsas convencionais com uma divisoria termica, três bolsas térmicas (pequena, media e grande), três bolsas termicas em couro ecologico (pequena, media e grande), uma bolsa esportiva arredondada e uma bolsa esportiva tira colo quadrada.

Mapa de coleção Elementos Família Tecidos Cores Materiais Formas unificadores Metamorfo Masculino

Suplex Cirrê Telinha Viscollycra Tac tel

Laranja Preto Amarelo Verde

Elastico Zíper

Estampa Tingimento

descrição das peças conceitual fashion comercial 48

Macaquinho Calça saruel + camiseta

Calça saruel + blusa cavada Calça legging + blusa cavada Calça legging + camiseta Macaquinho

Bermuda + camiseta + blusa de manga Bermuda + camiseta Legging + camiseta

Ajustada ao corpo e X.

Elementos Família Tecidos Cores Materiais Formas unificadores Alomorfia Feminino

Suplex Cirrê Telinha Viscollycra Malha piquê

Verde Rosa Preto Laranja

Elastico Zíper Bojo Lantejoulas Strass

Estampa Tingimento Ajustada ao Estampa Localizada corpo e X. Bordados

descrição das peças conceitual fashion comercial

Macacão bailarina Macaquinho + capa

Calça bailarina + body com telinha Short saia godê + croped com telinha Biquini bordado Biquini bordado Calça legging + croped Short + body + blusa de manga

49


Elementos Família Tecidos Cores Materiais Formas unificadores Imutação Feminino

Suplex Cirrê Telinha Malha piquê

Lilás Amarelo Preto Laranja Rosa Verde

Elastico Zíper Linha Bojo Lantejoulas

Tingimento Estampa Localizada Ajustada ao Entrelaçamento corpo e X. Franja

descrição das peças conceitual fashion comercial Família

silhueta

A coleção de roupas da Trópico faz o uso da silhueta ampulheta, com a modelagem ajustada ao corpo, evidenciando as curvas da mulher.

Macaquinho + saia + asas Macaquinho + saia e telinha Croped + short saia Croped + short com franja Biquini bordado Biquini bordado Biquini bordado Blusa + calça bailarina Croped + short saia Body + short com godê

Tecidos

Nylon 750 Couro sintético Metamorfismo Tinfoil Bolsa EPE (espuma) Poliéster 18.800

Cores Preto Vermelho Rosa

Elementos Materiais unificadores Zíper Linha Velcro Prendedor lateral

Metalassê Estampas

descrição das peças

50

Bolsa Bolsa Bolsa Bolsa Bolsa Bolsa Bolsa Bolsa Bolsa Bolsa

com divisória térmica com divisória térmica arredondada térmica pequena térmica media térmica grande Térmica couro ecológico pequena Térmica couro ecológico media Térmica couro ecológico grande esportiva arredondada tira colo quadrada

51


Metamorfose

do corpo

e mente

52

Coleção Outono/Inverno 2016

53


54

55


56

57


58

59


60

61


62

63


64

65


66

67


68

69


70

71


72

73


74

75


76

77


78

79


80

81


82

83


84

85


86

87


88

89


90

91


92

93


94

95


Fichas Técnicas

96

97


98

99


100

101


102

103


Painel de Segmentação bolsas 2 Bolsa com divisória térmica 1 Bolsa térmica pequena 1 Bolsa térmica média 1 Bolsa térmica grande 1 Bolsa térmica (couro ecológico) pequena 1 Bolsa térmica (couro ecológico) média 1 Bolsa térmica (couro ecológico) grande 1 Bolsa esportiva arredondada 1 Bolsa tira colo quadrada

feminino conceitual

masculino fashion conceitual fashion comercial

104

1 Macaquinho 1 Calça Saruel 1 Camiseta

1 Macaquinho 1 Calça Saruel 2 Calças Legging 1 Camiseta 2 Blusas Cavadas 1 Calça Legging 2 Bermudas 3 Camisetas 1 Blusa de Manga

comercial

1 1 1 1

Macacão bailarina Macaquinho com saia Macaquinho Vestido com calda

1 Macaquinho short/saia com entrelaçamento e franja 1 Macaquinho 1 Macacão bailarina 1 Macacão com entrelaçamento 2 Cropped 1 Top com bojo 7 Biquini 1 Body com entrelaçamento 1 Legging 1 Short 1 Short /saia 1 Cropped com manga 1 Body 1 Blusa com manga 1 Camisea com franja 2 Calça 1 Short 2 Short/saia com franja 1 Short/saia

105


Painel ArtĂ­stico

106

107


bibliografia BAGRICHEVSKY, Marcos; ESTEVÃO, Adriana. Cultura da “corpolatria” e body-building: notas para reflexão. Revista Mackenzie de Educação Física e Esporte – 2004. <http://www.mackenzie.br/fileadmin/Graduacao/CCBS/Cursos/Educacao_Fisica/REMEFE-3-3-2004/ art1_edfis3n3.pdf > Acesso em: 17 Out. 2014.

ANexos Aplicação de Strass Chaton e manta com Strass colante nos biquinis

BULKING – CUTTING. Treino Mestre. 2015. Disponível em: <http://www.treinomestre.com.br/bulking-cutting/> Acesso em: 01 maio 2015 CASTILHO, Kathia. Moda e Linguagem. São Paulo Anhembi Morumbi. 2009. DIGITAIS PUC CAMPINAS. Wordpress. 2014. Disponível em: <https://digitaispuccampinas.wordpress.com/2014/11/19/mulheres-malham-pesado-em-busca-do-corpo-definido/> Acesso em 01 maio 2015 FIGUEIRA Márcia Luiza Machado; GOELLNER, Silvana Vilodre; JAEGER, Angelita Alice; Mulheres e esporte: invisibilidades visíveis no skate e no fisiculturismo. Revista Gênero - 2010 < http://www.revistagenero.uff.br/index.php/revistagenero/article/viewFile/28/16 > Acesso em: 29 Set. 2014. MUNDO ANIMAL. Super Interessante. 2011. Disponível em: <http://super.abril.com.br/mundo-animal/lagarta-leva-ano-virar-borboleta-488821.shtml> Acesso em: 8 Abril 2015. NOTICIA FISICULTURISMO. Fisiculturismo. 2009. Disponível em: <http://noticiafisiculturismo.blogspot.com.br/2009_12_01_archive.html> Acesso em: 01 maio 2015 SITE DE CURIOSIDADES. Metamorfose da borboleta. 2013. Disponível em: <http://www.sitedecuriosidades.com/curiosidade/metamorfose-completa-da-borboleta.html> Acesso em: 8 Abriu 2015. SVENDSEN, Lars. Moda – uma Filosofia. São Paulo: Jorge Zahar Ed,2010. VILA MULHER. Mulheres fisiculturistas: beleza ou exagero? 2011. Disponível em: <http:// vilamulher.com.br/beleza/corpo/mulheres-fisiculturistas-beleza-ou-exagero-2-1-13-493. html> Acesso em: 17 Nov. 2014.

108

109


Fotos da coleção

110

111


112

113


114

115


116

TRÓPICO - nayanne jardim  
TRÓPICO - nayanne jardim  
Advertisement