Page 1


INSTITUTO DE COMUNICAÇÃO E ARTES CURSO DE GRADUAÇÃO EM MODA

Kamila Ribeiro de Faria

O LAGO DOS CISNES: o espetáculo mais famoso do balé clássico

Portfolio de conclusão de curso apresentado à disciplina de Projeto Experimental, como requisito à obtenção do grau de Bacharel em Moda. Área: Criação - Coleção Feminina Orientador: Francisco Batista

BELO HORIZONTE 2015 | 1º semestre


AGRADECIMENTOS DEDICATÓRIA

Dedico este trabalho à minha mãe e ao meu irmão que tanto amo e que sempre estiveram junto à mim. Amo muito vocês e obrigada por tudo que fizeram, fazem e farão por mim.

Gostaria de agradecer à Deus por todas as oportunidades que me foram dadas e por permitir a concretização deste trabalho, e também à minha querida mãe Nisaldy e ao meu irmão gêmeo Diogo, que fazem parte de todo este trabalho apresentado, sempre me incentivando e me dando toda a ajuda e suporte necessário. E à todos os profissionais que me ajudaram na construção do mesmo, como a costureira Zulka e a professora de crochê Maria Augusta, que com muito carinho me atenderam e ensinaram.


RESUMO ABSTRACT

Este trabalho por meio de um estudo exploratório e investigativo visa apresentar um breve histórico sobre o espetáculo de balé O Lago dos Cisnes. Num segundo momento busca-se enfatizar a história do balé clássico e sua evolução e características. Para tal, foram realizadas pesquisas bibliográficas e documentos em meio digital. Os estudos feitos junto ao referencial teórico levaram à conclusão de que O Lago dos Cisnes mesmo com o passar dos anos continua sendo o mais conhecido e admirado dos balés românticos, servindo de inspiração para muitos. É o sonho de ser dançado por muitos bailarinos. Mas para tal, é preciso muito trabalho, desde ensaios árduos até a escolha do figurino. Portanto, estas considerações servem de auxílio para o desenvolvimento do produto final de TCC: coleção. Palavras-chave: O Lago dos Cisnes. Balé clássico. Roupas.

This work through an exploratory and investigative study aims to present a brief history of the ballet performance of Swan Lake. Secondly we seek to emphasize the history of classical ballet and its evolution and characteristics. To this end, we carried out literature searches and documents in digital form. Studies done by the theoretical framework led to the conclusion that Swan Lake same over the years remains the best known and admired the romantic ballets, serving as inspiration for many. It is the dream of being danced by many dancers. But for that, it takes hard work, from strenuous tests even the choice of costume. Therefore, those considerations serve to aid the development of the final product of TCC: collection. Keywords: Swan Lake. Classical ballet. Clothes.


11 |  Curriculum

12 |  Briefing de Negócio

SUMÁRIO

13 13 13 13 13 13 13 14 14 14 24 26

Descrição geral da marca Estilo Elementos de estilo Nicho Segmento Gênero Concorrentes Canais de distribuição Margem de preço Diferenciais da marca no produto Painel de estilo Painel de identidade da marca

28 |  Público-Alvo 30

Painel de público-alvo

32 |  Identidade da Marca 33 34 35 36 37 38 39 40 41

Logomarca Justificativa do nome, cor e fonte Monocromia Tipografia Escala de cores em Pantone e CMYK Área de proteção e redução máxima Sistema Modular Usos indevidos Papelaria

48 |  Briefing da Coleção 49 68 70 72 74 76 78 80 82 83 86

Memorial Descritivo Painel de Inspiração Texto e painel de macrotendência Texto e painel de tendências da estação Texto e cartela de cores Texto e cartela de tecidos Texto e cartela de matérias Texto e cartela de aviamentos Processo criativo de famílias Mapa de coleção Texto e painel de formas e silhuetas

88 |  Coleção

89 Croquis ampliados 134 Painel artístico 140 Fichas técnicas

145|  Bibliografia


CURRICULUM

Kamila Ribeiro de Faria, 21 anos, natural de Belo Horizonte. Desde pequena sempre gostei de desenhar nas horas vagas, principalmente roupas e sapatos, fazer correntinhas de crochê e assistir aos desfiles de moda, mas não imaginava que essa área pudesse se tornar a minha profissão. Com o contato com o mundo da moda e experiências como modelo, pude descobrir uma nova paixão: a maquiagem. Adoro os trabalhos manuais, principalmente crochê, que faço com prazer e dedicação. Fiz cursos de estamparia e confecção de bolsas, que me proporcionaram conhecimento e me ajudarão na minha carreira. KAMILA RIBEIRO

11

INVERNO 2016


BRIEFING DE NEGÓCIO

“A Kamila Ribeiro é uma marca elegante, artesanal, romântica, e que preza muito a delicadeza em suas peças” DESCRIÇÃO GERAL DA MARCA

BRIEFING DE NEGÓCIO

A Kamila Ribeiro é uma marca de roupas femininas do segmento de moda festa, cujo trabalho delicado e artesanal é a característica que a define. A marca surgiu a partir da percepção de que o mercado de moda festa estava muito esquecido e sem valorização. Visto isso, decidiu-se apostar e investir na fabricação de peças de crochê, com bordados e tecidos de qualidade que carreguem algo a mais do que uma simples roupa fabricada em massa pela indústria do vestuário. Percebeu-se também que certas pessoas não gostam de se vestir iguais as outras, ou seja, com roupas que todo mundo compra. Elas procuram roupas que são feitas de maneiras diferenciadas.

ESTILO

Estilo Dominante: Elegante Estilo Complementar: Romântico

KAMILA RIBEIRO

ELEMENTOS DE ESTILO

Subjetivos: A Kamila Ribeiro é uma marca elegante, artesanal, romântica, e que preza muito a delicadeza em suas peças. Objetivos: A marca tem o objetivo de oferecer roupas de moda festa, com materiais de qualidade e trabalhos manuais como o crochê e o bordado.

NICHO

O nicho da Kamila Ribeiro é o prèt-a-porter de difusão.

SEGMENTO

Marca de moda festa.

GÊNERO

Feminino.

CONCORRENTES

Os concorrentes da Kamila Ribeiro são: De estilo - Valentino e Elie Saab. De mercado - Patrícia Bonaldi. Valentino: Uma marca clássica, mas sem ser conservadora. Suas co-

13

leções são repletas de peças refinadas e encantadoras, que oferecem às mulheres elegância e feminilidade. Seu diferencial está em sempre oferecer roupas clássicas e sem muitas tendências, diferente de outras marcas. Valentino oferece roupas com caimento, leveza e acabamento impecáveis. Elie Saab: a marca é conhecida por fazer vestidos leves e esvoaçantes, com bordados minuciosos, utilizando rendas, pérolas, cristais e tecidos nobres. Seu diferencial está em trazer sempre a sensualidade feminina, e apesar de suas criações serem simples e sem muitas inovações, a marca consegue encantar quem vê por seu acabamento impecável e sofisticação. Patrícia Bonaldi: É uma marca conhecida por seus vestidos delicados de festa, fluidos e com qualidade no acabamento. O diferencial da marca está em oferecer peças com discreta

INVERNO 2016


exuberância e trabalhos manuais.

CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO

As peças serão vendidas exclusivamente no varejo pelo showroom da marca, localizado na cidade de Belo Horizonte.

MARGEM DE PREÇO

As roupas feitas possuem um preço que varia entre R$ 350,00 (vestidos mais básicos) à R$ 3.000,00 (vestidos e casacos) no varejo, com algumas peças mais elaboradas que podem custar até R$ 5.500,00.

DIFERENCIAIS DA MARCA

A Kamila Ribeiro é especializada em oferecer peças delicadas, elegantes e com acabamento de qualidade, usando técnicas manuais como o crochê e o bordado. O diferencial da marca está em trabalhar tais técnicas, que aliadas à materiais finos, bons tecidos e belas silhuetas, oferece às mulheres roupas encantadoras e elegantes, que as fazem se sentir confiantes e femininas.

-

looks

VALENTINO


VALENTINO Nesta e na pรกgina ao lado


vestido

ELLIE SAAB

vestido

ELLIE SAAB


look

ELLIE SAAB

vestido

PATRÍCIA BONALDI


PATRรCIA BONALDI Nesta e na pรกgina ao lado


PA I N E L D E

ESTILO


PA I N E L DE IDENTIDADE

DA MARCA


PÚBLICO - ALVO

PÚBLICO - ALVO

O Público Alvo da marca Kamila Ribeiro é uma jovem mulher, com idade de 20 a 35 anos, pertencente a classe média. Gosta de artes, como dança, cinema e música. Prefere filmes de drama, românticos e de comédia, e de ouvir músicas que sejam altoastral e a faz refletir. Adora viajar para conhecer novas culturas, divertir e relaxar. Mora em cidades grandes, pois gosta das possibilidades que elas oferecem de encontrar e fazer coisas novas. Amam os animais, a natureza e os respeitam. Aprecia sair com os amigos, estar com a família e gosta de uma boa festa. Sempre tira um tempo para se cuidar e repor as energias. Se preocupa com a alimentação e sempre comem alimentos nutritivos, saudáveis e que a deixa com disposição e energia. Consome muitas frutas, legumes e grãos, e também adora massas. Quando pode, não abre mão de se arriscar na cozinha e fazer refeições para amigos e a família. Busca sempre estar feliz consigo mesma, independentemente de estar solteira ou casada. Pode ainda estar na faculdade ou já ter uma profissão, que geralmente é da área artística e comunicação. Gosta de se vestir bem e acompanha a moda, mas não se deixa levar por qualquer tendência e prefere roupas atemporais que podem ser usadas em diferentes ocasiões. Seu estilo é elegante e feminino, e na hora das compras opta por peças com tecidos de qualidade e boa modelagem, que valorizam seu corpo e a faz se sentir confiante e bonita.

KAMILA RIBEIRO

29

INVERNO 2016


PA I N E L D E

PÚBLICO -ALVO


LOGOMARCA

IDENTIDADE DA MARCA

KAMILA RIBEIRO

33

INVERNO 2016


JUSTIFICATIVA

MONOCROMIA

A marca Kamila Ribeiro leva o nome da fundadora, para evidenciar a PERSONALIDADE única dos produtos e dos valores transmitidos ao consumidor. A utilização predominante da cor preta, na maioria de suas aplicações, deve-se aos significados como sobriedade, elegância e sofisticação. Assim como a boa legibilidade. Por sua vez, a tipografia escolhida, sem sefira, monoespaçada e fina, tem o intuito de passar a imagem contemporânea e ao mesmo tempo clássica da marca, de forma clean e objetiva.

KAMILA RIBEIRO

34

INVERNO 2016

KAMILA RIBEIRO

35

INVERNO 2016


TIPOGRAFIA

ESCALA DE CORES

A tipografia escolhida para a Identidade Visual da marca foi a EngraversGothic BT. Para informações complementares ligadas à marca, presente na papelaria, será utilizada a família tipográfica Courier New.

ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXYZ abcdefghijklmnopqrstuvwxyz1234567890 EngraversGothic BT | Alfabeto Principal

ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXYZ abcdefghijklmnopqrstuvwxyz1234567890 Courier New Regular | Alfabeto Complementar

PONTONE PROCESS BLACK C

ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXYZ abcdefghijklmnopqrstuvwxyz1234567890 Courier New Italic | Alfabeto Complementar

C: M: Y: K:

ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXYZ abcdefghijklmnopqrstuvwxyz1234567890

0 0 0 100

R: 28 G: 28 B: 27

Courier New Italic | Alfabeto Complementar

ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXYZ abcdefghijklmnopqrstuvwxyz1234567890 Courier New Bold | Alfabeto Complementar

ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXYZ abcdefghijklmnopqrstuvwxyz1234567890 Courier New Bold Italic | Alfabeto Complementar

KAMILA RIBEIRO

36

INVERNO 2016

KAMILA RIBEIRO

37

INVERNO 2016


~ ~ ÁREA DE PROTEÇAO E REDUÇAO MÍNIMA

SISTEMA MODULAR

A área de proteção preserva a visibilidade e leitura da marca, evitando a aproximação excessiva de outros elementos.

Para garantir a reprodução legível da marca, foi estabelecida a redução máxima da assinatura.

KAMILA RIBEIRO

38

INVERNO 2016

KAMILA RIBEIRO

39

INVERNO 2016


USOS INDEVIDOS

PAPELARIA

Papel de Carta. Papel Opaline, 210 mm x 297 mm, 180 g, 1x0.

A marca não deve ser alterada, seja nas suas cores, diagramação ou proporções. A seguir figuram alguns erros que podem ocorrer.

CORRETO:

KAMILA RIBEIRO

KAMILA

RIBEIROX

X

X

desproporção do logo

utilização de linha de contorno

KAMILA RIBEIRO X

cor alterada

KAMILA RIBEIRO

KX A M I L A

X

tipografia alterada

KAMILA X RIBEIRO sobreposição dos nomes

KAMILA RIBEIRO X

R I B E I R O

espaçamento entre os caracteres alterado

X logo deformado

inclinar a tipografia

KAMILA RIBEIRO

X

verticalização do logo

40

INVERNO 2016

KAMILA RIBEIRO

41

INVERNO 2016


PAPELARIA

~ Cartao. Papel Opaline, 90 mm x 50 mm, 240 g, 1x0.

PAPELARIA

~ Cartao. Papel Opaline, 90 mm x 50 mm, 240 g, 1x0.

KAMILA RIBEIRO

42

INVERNO 2016

KAMILA RIBEIRO

43

INVERNO 2016


PAPELARIA

PAPELARIA

Tag. Papel Triplex, 30 mm x 110 mm, 240 g, 1x0.

Envelope. Papel Offset, 114 mm x 229 mm, 70 g, 1x1.

KAMILA RIBEIRO

44

INVERNO 2016

KAMILA RIBEIRO

45

INVERNO 2016


PAPELARIA

PAPELARIA

Embalagens.

Brindes.

KAMILA RIBEIRO

46

INVERNO 2016

KAMILA RIBEIRO

47

INVERNO 2016


MEMORIAL DESCRITIVO

1 INTRODUÇÃO

~ O BRIEFING DA COLEÇA

logias, tentando buscar diversão. Muitos não procuram mais lazer em lugares que oferecem alegria e encantamento, pois acham monótono e tedioso. Com isso, o balé poderá sofrer algum impacto, prejudicando talvez sua trajetória para o futuro? Poderá um dia se tornar algo ultrapassado e sem novidades? O objetivo deste trabalho é pesquisar o espetáculo de balé O Lago dos Cisnes, um dos mais importantes e admirados balés de todos os tempos, sua história, seu enredo, as inovações que trouxe e curiosidades. Mostrar também sobre a história do balé clássico, sendo um tipo de dança muito técnica, encantadora e bela. Pesquisar também sobre a importância da interpretação dos bailarinos, sobre os ensaios que antecedem ao espetáculo, sua repercussão e expor o produto final de TCC, que será uma coleção inspirada no O Lago dos Cisnes. A parte prática pretende mostrar os processos de construção da marca Kamila Ribeiro, seu estilo, público-alvo, atuação no mercado, segmento ao qual pertence, expondo a criação de sua coleção de inverno, através das formas utilizadas, cores e materiais e com a apresentação dos croquis com as peças criadas. A escolha do tema deste trabalho está relacionada a questões pessoais envolvendo a autora, pois, desde a infância o balé está presente em sua vida, sendo em aulas e apresentações próprias ou assistidas. O Lago dos Cisnes foi escolhido pelo fato de ter sido o seu primeiro importante espetáculo visto.

Este trabalho abordará as duas partes que foram necessárias para sua construção: a parte teórica e a prática. A teórica tem como objetivo mostrar como o espetáculo Lago dos Cisnes se tornou o mais conhecido de todos, sua criação, história e como ele influenciou o balé com suas inovações técnicas, no vestuário e na interpretação dos bailarinos, sendo o sonho de muitos deles, interpretar um dia algum personagem deste drama clássico. Pretende-se ainda, expor a história do balé clássico, quando surgiu, quem assistia aos espetáculos e como essa dança continua sendo uma das mais lindas e admiradas pelas pessoas. Neste artigo pretende-se abordar também o lado menos lembrado, mas o mais árduo e importante para que um espetáculo seja um sucesso: os ensaios, os treinamentos intensos e desgastantes que os bailarinos se submetem para chegar à perfeição, e a presença do universo do balé e do espetáculo O Lago dos Cisnes na moda como fonte de inspiração. O balé clássico é uma modalidade de dança que vem sendo apreciada desde que se originou, no final do século XV. Balés considerados românticos fizeram mais sucesso, como O Lago dos Cisnes, que se tornou um dos preferidos do público. Entretanto, percebe-se que as pessoas estão se importando com coisas cada vez mais supérfluas e fúteis, como ir ao shopping apenas para olhar vitrines, baladas e novas tecno-

KAMILA RIBEIRO

49

INVERNO 2016


MEMORIAL DESCRITIVO

zações, em comemorações, momentos de alegria, luto, homenagens e na educação. De acordo com Bogéa (2002), esta modalidade de dança surgiu nas cortes da Itália na segunda metade do século XVI, durante o Renascimento. Depois o balé só se desenvolveria na França, graças ao incentivo da rainha Catarina de Médicis. O primeiro espetáculo de balé se chamava Ballet Comique de la Reine. O balé também, só alcançaria o sucesso no reinado de Luís XIV. O rei, que teve seu reinado entre 1643 e 1715, adorava dançar, chegando a se apresentar no espetáculo de balé La Nuit, onde, seu figurino possuía um tom muito brilhante, que fazia lembrar o grande astro, dando origem ao seu apelido de Rei Sol. Luís XIV incentivou muito o surgimento da dança profissional, e chegou a criar a primeira escola de balé em 1661, a Academia Real de Dança, que tinha como mestre, Pierre Beauchamp, criador das cinco posições básicas dos pés en dehors (virados para fora), que são correspondentes às dos braços (BOGÉA, 2002). Bogéa (2002) cita que foi Luís XIV que criou em 1669, a Escola Real de Música, que se chamaria mais tarde Ópera de Paris. Nesse momento, o balé já possuía técnicas estabelecidas e os passos já tinham nomes. Em 1760, o balé começou a se tornar algo menos caricato, e deu lugar a uma dança com mais gestos e expressividade. Anos mais tarde, surge o balé romântico, como La Sylphide e Giselle, nos quais os movimentos eram tão leves que as

E também pela importância que esta pesquisa pode trazer para a moda, servindo como proposta de tendência e fonte de inspiração. A metodologia deste artigo trata-se de uma pesquisa exploratória e investigação explicativa, quanto aos fins, bibliográfica e estudo de caso, quanto aos meios, segundo a classificação dada por Vergara (2000) para os tipos de pesquisa. “A investigação exploratória é realizada em área na qual há pouco conhecimento acumulado e sistematizado” (VERGARA, 2000, p.47). O balé O Lago dos Cisnes mesmo sendo muito conhecido e admirado, possui pouco material bibliográfico disponível que abordem sobre sua relação com a moda e sua importância na história do balé clássico. Qualifica-se, quanto aos meios, como bibliográfica, pois são usados como referência materiais como livros e conteúdo eletrônico, todos fornecidos ao público em geral. A parte prática será desenvolvida através de referências de imagens e painéis que servirão como inspiração e direcionamento para a coleção. Serão feitas também cartelas variadas, que definirão as cores, matérias e tecidos a serem utilizados.

2 A H ISTÓRIA DO BALÉ CLÁSSICO Desde os primórdios da história da humanidade, a dança acompanha o homem. Na idade das cavernas, o homem bate ritmicamente as mãos e os pés para se aquecer e comunicar. E mais tarde, observa-se que a dança está presente em todas as civili-

KAMILA RIBEIRO

52

INVERNO 2016

Ballet de la Nuit, 1653 Henry Gissey


MEMORIAL DESCRITIVO

res. Formou os Balés Russos, que influenciaram e se espalharam pelo mundo, virando sensação. O balé russo estabelece uma ponte entre o balé clássico e o moderno (BOGÉA, 2002). Com o passar dos anos, percebe-se que os limites entre o clássico e a dança moderna vem diminuindo, com um único objetivo: expressão através do movimento. Segundo Bogéa (2002), a dança no Brasil começou com os índios, que faziam seus rituais dançando, e com a chegada dos africanos no século XVI, que dançavam ao som dos atabaques. Até hoje, percebe-se suas influências na dança, como no Carnaval. O balé só chegaria por aqui com a corte de d. João VI, no começo do século XIX. A partir disso, grandes espetáculos dançados na Europa puderam ser vistos no país. Anos mais tarde, em 1909, os Balés Russos de Sergei Diaghilev se apresentaram no recém-inaugurado Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Logo depois, o Brasil recebeu grandes estrelas no Theatro Municipal, como Maria Olenewa e a companhia de Anna Pavlova (BOGÉA, 2002).

bailarinas parecem dançar sem tocar o chão. “A base dos movimentos pode ser a mesma de antes, mas o espírito é outro” (BOGÉA, 2002, p.48). O balé clássico se caracteriza pela postura ereta e técnicas perfeitas. O modelo de espetáculo conhecido hoje, com foco na música e na dança, começou a se transformar durante o século 18. Nesse momento, houveram outras transformações. As bailarinas decidiram mudar seus figurinos, encurtando suas saias e mudando seus sapatos. Dançar nas pontas dos pés, só foi possível no século 19, quando a bailarina italiana Marie Taglioni o colocou em prática, tornando essa técnica a mais conhecida do balé clássico (BOGÉA, 2002). O coreógrafo francês Marius Petipa, considerado um gênio do balé, foi convidado para trabalhar na Rússia, e transformaria esse país no centro mundial de balé no final do século XIX. Ele foi criador de obras como A Bela Adormecida, Dom Quixote, O Lago dos Cisnes e O Quebra-Nozes, juntamente com seu assistente, Lev Ivanov. Alguns desses balés (O Lago dos Cisnes e O quebra-Nozes), são espetáculos que levam ao limite da técnica, e trabalham com músicas que transmitem grande emoção, feita por grandes compositores, como Tchaikovsky. Foi nesse momento também, que surgiram grandes nomes da dança, como Nijinski e Ana Pavlova (BOGÉA, 2002). As mudanças no balé durante o século XX, foram feitas pelo empresário russo Sergei Diaghilev. Ele conseguiu trabalhar com grandes coreógrafos, compositores e pintoHalina Schmolz e Alex Volinin, entre 1910 e 1915 The Library of Congress

KAMILA RIBEIRO

3 A HISTÓRIA DE O LAGO DOS CISNES Criado por Tchaikovsky em 1876, teve sua estreia em 1877, onde foi apresentada a primeira versão de O Lago dos Cisnes, no teatro Bolshoi de Moscou. Seu coreógrafo era Julius Resinger e a composição feita pelo russo Tchaikovsky. A primeira temporada do espetáculo foi um

55

INVERNO 2016


MEMORIAL DESCRITIVO

fracasso, mesmo tendo uma magnífica música. Em 1895, após a decadente estreia, O Lago dos Cisnes ganhou uma nova coreografia, feita por Marius Petipa e Lev Ivanov, e que é sucesso até hoje, tanto em versão clássica, como em remontagens contemporâneas. Hoje, é um dos balés fundamentais para o repertório de qualquer companhia clássica e teatros pelo mundo (BOGÉA, 2002). A música feita para o espetáculo marcou a estreia de Tchaikovsky como compositor. Tempo depois, ele escreveria outras partituras para o balé, como A Bela Adormecida (1890) e O Quebra-Nozes (1892).

a participação do bailarino Vitor Luiz, que já foi um de nossos artistas principais e retorna (BEJANI, 2013 apud BRASIL, 2013).

Carla Camurati, (2013 apud BRASIL, 2013) “É uma das histórias mais importantes pela sua simbologia, ao mesclar magia com os contraditórios sentimentos humanos, brilhantemente traduzidos em movimentos pelos coreógrafos Marius Petipa e Lev Ivanov”. 3 . 1 O e n r e d o de o l a g o d o s cisnes De acordo com Yoeng (2012), o enredo de O Lago dos Cisnes possui essa estrutura: Von Rothbart, um poderoso feiticeiro, sentindo-se rejeitado por Odete, decide jogar-lhe um feitiço: ao amanhecer se transformava em um belo cisne e após a meia-noite voltava a sua forma humana.

Um dos grandes clássicos do balé, O lago dos cisnes já serviu de inspiração para as mais diferentes montagens. Duas das mais radicais são a do coreógrafo sueco Mats Ek, de 1987, onde os cisnes são mulheres e homens de tutus e pés no chão... todos completamente carecas!, e a do inglês Matthew Bourne, de 95, onde os cisnes são todos homens (BOGÉA, 2002, p.31).

4 AS INOVAÇÕES E CURIOSIDADES D O B A L É E O L AG O D O S C I S N E S De acordo com Bogéa (2002), o primeiro balé dançado com os famosos tutus foi o La Sylphide em 1832, feito por Eugène Lami, onde várias saias bem fininhas davam volume a uma saia branca de um vestido. E foi nesse mesmo balé, que se dançou pela primeira vez com sapatilhas de ponta. A bailarina Marie Taglioni dançou na ponta dos pés durante todo o espetáculo.

Percebe-se em O Lago dos Cisnes uma mistura de emoções intensas e dramas humanos, mas ao mesmo tempo consegue encantar e mostrar leveza. Para Hélio Bejani (2013 apud BRASIL, 2013) O Lago dos Cisnes é uma das mais importantes obras do repertório do balé clássico mundial. Ele traz para a cena uma integração de música e coreografia com tamanha genialidade que, mesmo sem o conhecimento da história, é possível perceber as variações ambientais e sentir toda a emoção e dramaticidade sugeridas dentro das características de cada ato. Esta versão de Yelena Pankova foi criada especialmente para a nossa companhia e terá

Anna Pavlova, 1929 State Library of New South Wales

KAMILA RIBEIRO

Nos primórdios do balé clássico, não existiam sapatilhas especiais. As bailarinas simplesmente punham enchimentos nas pontas dos pés ou as enfaixavam para poder dançar. Só mais tarde começaram a surgir sapa-

57

INVERNO 2016


Matthew Bourne’s Swan Lake, 2014 Royal Opera House


MEMORIAL DESCRITIVO

que um espetáculo seja um sucesso é a forma como os bailarinos dão vida aos personagens que interpretam. É importante que eles saibam expressar as características de tal papel, pois só assim conseguirão com que a plateia entenda a história. De acordo com Pires (2011), os bailarinos devem saber o momento certo e a intensidade da emoção que devem demonstrar. Nada deve sair exagerado ou fraco demais. O sentimento deve vir de dentro para fora, da forma mais natural possível. É preciso, acima de tudo, sentir. Sentir a música e dançar com o coração são qualidades essenciais de um bom bailarino. A plateia, percebendo as emoções de quem dança conseguirá entender, por exemplo, a angústia, graça e fragilidade de Odete e a malícia e sensualidade de Odile, personagens de O Lago dos Cisnes.

tilhas com reforço nas pontas, e até hoje elas continuam sendo melhoradas (BOGÉA, 2002, p.40).

Cada bailarina possui um jeito de amaciar as sapatilhas e fazerem com que sua duração seja maior. Alguns truques, como marteladas, colocar na geladeira e exposição ao sol são exemplos deles. Mas as grandes bailarinas, possuem formas feitas especialmente para elas (BOGÉA, 2002). O uso do tutu, feito de tule, proporcionou liberdade a bailarina. Ela se livrou das pesadas roupas, e agora poderia executar novos movimentos, podendo levantar as pernas, saltar e fazer piruetas (BOGÉA, 2002). Os tutus foram encolhendo até os joelhos, para mostrar melhor as novas técnicas, e no século XX os tutus ganharam o formato de bandeja, curto e em volta dos quadris. Segundo Bogéa (2002), os tutus possuem duas denominações principais: o tutu romântico (longo) e tutu-bandeja (curto). Novos materiais surgiram com o passar do tempo. Os sintéticos e elásticos se ajustam melhor ao corpo da bailarina e ajudam na execução da dança. É possível identificar a personalidade, origem e classe social de cada personagem através de seu tutu. Sua cor, bordados e enfeites expressam tais informações. Mas um belo tutu branco, sempre é indispensável em balés românticos como O Lago dos Cisnes (BOGÉA, 2002).

6 O LAGO DOS CISNES NA MO D A A criação na moda pelos estilistas é feita a partir de inspirações como imagens, sons, músicas, livros, viagens, entre outros. Tudo pode servir como fonte, assim como o balé clássico por ser um tema que encanta e sempre permite novas possibilidades de inovação e novas releituras com materiais e formas diversificadas. Muitas marcas de moda nacionais e internacionais frequentemente se inspiram no balé clássico para criarem suas coleções, principalmente depois da estreia do filme Cisne Negro que alcançou sucesso mundial, estrelado por Natalie Portman, e que BARBIERI

5 A INTERPRETAÇÃO DOS B A I L ARINOS Um dos fatores determinantes para

KAMILA RIBEIRO

60

INVERNO 2016

O Lago dos Cisnes, 2012 Cisnes Lee Ji Yoeng / Gabriel Pacheco


O Lago dos Cisnes, 2012

O Lago dos Cisnes, 2012

Feiticeiro e Odile Lee Ji Yoeng / Gabriel Pacheco

PrĂ­ncipe e Odete Lee Ji Yoeng / Gabriel Pacheco


MEMORIAL DESCRITIVO

tras, são os bailarinos que inventam e o coreógrafo coordena e monta o quebra-cabeça. Alguns coreógrafos usam a música desde o começo, outros só depois dos passos prontos” (BOGÉA, 2002, p.70). Os bailarinos precisam estudar a música com o movimento, para que haja sincronia e coerência. Tudo tem que ser testado para ver se dá certo. “Tudo ainda é um esboço do que está por vir “ (BOGÉA, 2002, p.70). Segundo Bogéa (2002), o tempo de montagem é um desafio, obstáculos como dor, excitação e muito cansaço podem atrapalhar os ensaios, mas logo passa. Às vezes a cabeça compreende o movimento, mas só alguns dias depois o corpo consegue executá-lo. Os ensaios são feitos de tentativas, algumas saem certas mas outras não. Mesmo para quem dança há muitos anos, a cada montagem se aprende um novo jeito de dançar. O principal instrumento dos ensaios é o corpo. É ele quem proporciona a liberdade de expressão, mas também faz limitações. Os limites corporais são decisivos para um bailarino. Se alguém se machuca, colocam outro para dançar no espetáculo. E então, alguém fica de fora, mas ninguém gosta disso. O professor ou ensaiador está presente em cada etapa da montagem. Ele corrige os movimentos do grupo e individuais, pois não se pode dançar como quer. É preciso ter harmonia e todos devem dançar juntos (BOGÉA, 2002).

(2014) define como: Com câmera ágil, narrativa pulsante e um crescente de tensão e medo, o realizador explora a (de)formação de Nina Sayers — Natalie Portman em atuação arrasadora e premiada com o Oscar. Essa bailarina perfeccionista, controlada pela mãe dominadora (papel de Barbara Hershey) e sexualmente reprimida quer a todo custo conquistar o papel principal de “O Lago dos Cisnes”, que está sendo montado em Nova York pelo coreógrafo francês Thomas Leroy (Vincent Cassel). Conforme os testes e os ensaios avançam, Nina entra numa espiral de alucinação e descontentamento ao se sentir preterida por uma concorrente (Mila Kunis). Embalada pela música de Tchaikovsky, a fita traz um desfecho apoteótico capaz de deixar mais dúvidas do que certezas à trama. Estreou em 04/02/2011.

Essa temática com inspiração no balé e também na história de O Lago dos Cisnes pode ser vista na Maria Bonita Extra (Fashion Rio - inverno 2011), New Order (Fashion Rio – inverno 2011), Chanel (primavera - verão 2011), Chloe (primavera – verão 2011), Dolce & Gabbana (primavera – verão 2011) e Jean Paul Gaultier (outono – inverno 2011). 7 O S ENSAIOS Os ensaios são a chave para um bom espetáculo. A qualidade, segurança e confiança de um bailarino se fortalece por meio deles. É lá, que se monta os passos, sente a música, os gestos, o ritmo e a coreografia. Os ensaios são feitos de repetição, para que no espetáculo tudo saia perfeito. “Em algumas companhias é o coreógrafo quem cria os passos; nou-

KAMILA RIBEIRO

8 O ESPETÁCULO E SUA REPERCUSSÃO 64

Maria Bonita Extra Inverno 2011, Fashion Rio

Chloé Summer 2011, Paris

INVERNO 2016


MEMORIAL DESCRITIVO

e a confecção de 6. A coleção será dividida em 3 famílias de 15 looks cada. Uma família será inspirada em Odete, (a jovem que se transforma em cisne) que se caracteriza pela delicadeza e feminilidade, a segunda em Odile (filha do feiticeiro que finge ser Odete para conquistar o príncipe) caracterizada pela sensualidade e o mistério. E a última terá como inspiração o balé clássico, com leveza e romantismo.

O espetáculo é feito através de montagens e elementos, que são ensaiados antes da grande estreia. Fazem parte desses elementos, o figurino dos bailarinos. O responsável por ele é o figurinista, e é preciso fazer algumas provas de roupa para chegar ao resultado esperado. É escolhida também a maquiagem. É importante que ela corresponda a personalidade da personagem e ajude os bailarinos na interpretação. Geralmente cada balé possui uma maquiagem, e cada bailarino faz a sua. E esse momento serve também como concentração e para repassar a coreografia na cabeça. O cabelo também pode mudar, tudo depende da ideia do figurinista. Durante os espetáculos os bailarinos se arrumam sozinhos, e cada um toma conta do que é seu. “Nos espetáculos, quando dançamos mais de uma balé é uma grande correria. A gente tem pouco tempo entre um balé e outro” (BOGÉA, 2002). É muito importante que o espetáculo saia conforme o planejado, pois o sucesso da companhia depende da repercussão do espetáculo. A plateia geralmente é solidária com o bailarino que erra a coreografia, dando-lhe uma segunda oportunidade, já um bailarino que não transparece entusiasmo e satisfação ao dançar passa uma imagem negativa para quem vê, fazendo com que a peça inteira seja comprometida

porcionadas, conclui-se que, O Lago dos Cisnes emociona e encanta quem o vê, pois consegue mostrar os sentimentos bons e maus do ser humano, mas de uma forma bela que captura a atenção. Espera-se a partir deste artigo despertar o interesse de outras pessoas em conhecer melhor o universo do balé clássico e consequentemente do espetáculo O Lago dos Cisnes.

_

CONSIDERAÇÕES FINAIS Baseado nos estudos apresentados neste artigo, o espetáculo de balé O Lago dos Cisnes é considerado um dos mais belos e dançados balés de todos os tempos. Com uma técnica perfeita, consegue misturar complexos sentimentos humanos como o amor e a tristeza, fascinando todos que o assistem. Através das pesquisas realizadas, é possível perceber que o tema escolhido é bastante inspirador para moda, pois pode servir como proposta de tendência. Já sendo usado por alguns estilistas em suas coleções. No decorrer da pesquisa, percebe-se que o balé clássico sempre foi uma forma de entretenimento, mostrando as angústias, buscas e felicidades humanas. Através da interpretação dos bailarinos, a plateia se emociona. Mas para que o espetáculo seja um sucesso é preciso muito trabalho por detrás das cortinas. Ensaios puxados e várias montagens são feitas antes da apresentação. A partir das informações pro-

R E S U L TADO Espera-se como resultado do projeto da coleção inspirada no balé O Lago dos Cisnes, a criação de 45 looks

KAMILA RIBEIRO

MEMORIAL DESCRITIVO

66

INVERNO 2016

KAMILA RIBEIRO

67

INVERNO 2016


Painel de Inspiração

Painel de Inspiração


Painel de Macrotendência

Painel de Macrotendência

A macrotendência observada são os contos de fadas, onde a princesa vive à espera do seu príncipe encantado, um mundo onde há magia, bruxas e madrastas, onde o final sempre é feliz. Percebe-se atualmente na sociedade, principalmente nas mulheres essa busca pelo amor verdadeiro e a fuga para um lugar mágico, onde poderão se tornar princesas e usar coroas, e não precisarão enfrentar os obstáculos, inseguranças e angústias do mundo real.

Filmes, séries e remakes inspiradas nos desenhos da Disney estão em alta nos dias de hoje, e por mais que já tenham sido vistos durante a infância, continuam lotando as salas de cinema no mundo todo. O mundo gira em torno do amor, tudo que se faz é sempre querendo senti-lo e alcança-lo, e é sob essa perspectiva que o balé O Lago dos Cisnes se encontra. Onde uma bela jovem que está sob um terrível feitiço se transforma em cisne, e encontra sua liberdade através do amor jurado ao príncipe. E juntos vencem a luta do bem contra o mal. _


Vionnet

Valentino

Martin Margiela

Isabel Marant

Givenchy

Stella McCartney

Saint Laurent

Nina Ricci

Lanvin

Dolce & Gabbana

Chloé

Saint Laurent

Versace

ferentes recortes e modelagens, o uso de peles (falsas) em diferentes aplicações e a aposta na transparência dos tecidos e matérias.

Painel de Tendências

Alberta Ferreti

Louis Vuitton

das durante as semanas de moda de Paris, Milão e Londres na temporada de inverno 2016 que possam enriquecer e atualizar suas criações, entre elas estão: as capas com di-

Painel de Tendências

A marca Kamila Ribeiro apresentará na sua coleção de inverno, inspirada no espetáculo de balé clássico O Lago dos Cisnes, algumas tendências internacionais observa-

+

1. Capa 2. Pelúcia 3. Transparência


CARTELA DE CORES

CARTELA DE CORES

A escolha da cartela de cores da coleção de inverno 2016 da Kamila Ribeiro teve como referência e inspiração o espetáculo O Lago dos Cisnes e o universo do balé clássico.

Branco Odete

Preto Mistério

CORES DOMINANTES Branco Odete: O tom de branco off-white passa uma imagem de bondade, elegância e delicadeza. E faz referência também a cor do figurino usado por Odete no espetáculo O Lago dos Cisnes. Preto Mistério: O preto transmite uma sobriedade, elegância, mistério e sensualidade, que caracteriza o cisne negro.

Pantone P1 - 11C C:0 M:0 Y:8 K:0

Nude Acetinado

Pantone Black C C:75 M:65 Y:62 K:81

Vermelho Amor

Rosa Sapatilha

CORES INTERMEDIÁRIAS Nude acetinado: Uma cor muito delicada e sofisticada, presente em muitos figurinos e acessórios do balé clássico, como as meias e sapatilhas. Vermelho amor: Essa cor representa o drama e a busca pelo amor verdadeiro entre Odette e o príncipe. É uma cor apaixonante e dá destaque às peças de roupas. Rosa sapatilha: Cor encantadora, feminina e charmosa, que faz lembrança às sapatilhas de ponta das bailarinas.

Pantone P17 - 4C C:0 M:22 Y:50 K:0

Azul dia

Pantone P49 - 16C C:22 M:100 Y:100 K:17

Pantone P55 - 1C C:0 M:34 Y:25 K:0

Cinza Entardecer

CORES INTERMEDIÁRIAS Azul dia: Uma cor que refresca e propicia um pouco de energia à coleção. Faz referência à cor do céu, e também representando o momento do dia em que Odete se transforma em cisne. Cinza entardecer: Essa cor representa a cor do céu ao entardecer, momento em que se aproxima a transformação de Odete em cisne. Dará para coleção um toque de neutralidade.

KAMILA RIBEIRO

74

INVERNO 2016

Pantone P117 - 1C C:19 M:4 Y:4 K:0

KAMILA RIBEIRO

Pantone P169 - 5C C:27 M:23 Y:27 K:4

75

INVERNO 2016


CARTELA DE TECIDOS

CARTELA DE TECIDOS

Os tecidos que serão utilizados para criação e confecção das peças foram escolhidos pela textura, acabamento e aparência que fizessem transmitir a essência e a inspiração da coleção. Cada tecido foi escolhido para que se adequasse à proposta das famílias, atendendo assim, o conceito da coleção.

Crochê Manual Fornecedor Linha Anne Círculo S.A 100% algodão R$ 10,90 novelo

Microtule Fornecedor Kanto da Moda Larg.:1,40m 100% poliamida R$ 23,00 m

Cetim Fornecedor Têstil LC Ltda Larg.:1,50m 100% poliéster R$ 5,99 m

TULE Passa a ideia de transparência, leveza e delicadeza, e será utilizado na família Odete. CROCHÊ MANUAL

PELÚCIA

É produzido artesanalmente e o resultado é bastante delicado e valoriza bastante a peça. Será utilizado na família Odile.

É um tecido bastante grosso, encorpado e que oferece volume. Proporciona luxo e sofisticação. Será utilizado na família Odile. CETIM

VELUDO

Pelúcia Fornecedor Visual Tecidos Larg.:1,60m 100% acrílico R$ 94,90 m

É um tecido macio, leve e que proporciona fluidez à peça. Será utilizado nas famílias Odile e Balé.

É um tecido mais pesado e que proporciona um ar misterioso e sofisticado ao look. Será utilizado na família Odile.

Crepe Mônaco Fornecedor Visual Tecidos Larg.:1,45m 54% poliéster 46% algodão R$ 29.90 m

CREPE Tecido fluído, que oferece movimento à peça. Será usado na família Odile.

Veludo Três Coroas Fornecedor LC Ltda Larg.:1,40m 100% poliéster R$ 59.90 m

Cetim Bucol Fosco Fornecedor Ouro Têxtil Larg.:1,60m 100% poliéster R$ 34.90 m

KAMILA RIBEIRO

76

INVERNO 2016

KAMILA RIBEIRO

77

INVERNO 2016


CARTELA DE MATÉRIAS

CARTELA DE MATÉRIAS

BENEFICIAMENTO Estampas: serão usadas na família Balé uma estampa de cisnes, que fazem referência ao espetáculo de balé O Lago dos Cisnes. Estampas: estampas com desenhos de penas serão usadas na família Balé, que transmitirá a inspiração ao espetáculo. Estampas: estampas localizadas com desenhos de cisnes também farão parte da família Balé.

Estampa

Crochê Manual com bordado de pérolas

Microtule com bordado de pérolas

Veludo Tres Coroas com aplicação de renda Realeza

SUPERFÍCIE Crochê: confecção de peças em crochê manual, que agregam valor artesanal à peça e a torna delicada. Bordado: bordados com pérolas, que transmitem elegância e delicadeza estarão presentes na família Odete para simbolizar a personagem. Aplicação de renda: aplicação de renda sobre outros tecidos, darão uma aparência sofisticada e sensual, que caracterizam a família Odile.

REMODELAGEM Franzido: agrega movimento e amplitude à peça, fazendo referência aos figurinos utilizados no balé clássico. Será feito no tule. Sobreposição de tecidos: proporciona volume e relevos diferenciados. Recortes: serão utilizados na confecção de decotes e mangas diferenciadas. Renda Realeza Fornecedor Têxtil Eril Ltda Larg.:1,32 m 100% poliéster R$ 139,90 m

KAMILA RIBEIRO

78

INVERNO 2016

KAMILA RIBEIRO

79

INVERNO 2016


CARTELA DE AVIAMENTOS

CARTELA DE AVIAMENTOS

Os aviamentos que serão utilizados na coleção são muito importantes, pois são eles que oferecem soluções e possibilidades, mantendo a estrutura da peça e podendo proporcionar a construção adequada aos looks.

Agulha de Crochê Fornecedor Milward 1,75 mm R$ 4,00

Linha Invisível Fornecedor Alvorada das Rendas 100% poliamida R$ 5,00

Linha de Crochê Anne Fornecedor Circulo S.A Cor: 8176 100% algodão R$ 10,90

Pérolas Fornecedor Lojas Bibelô R$ 30,00 pacote

OS AVIAMENTOS SÃO:

Linha de costura: usada para confecção das peças. Agulha de costura: usada junto com a agulha na confecção das peças. Linha de crochê: utilizada para fazer pontos de crochê. Agulha de crochê: utilizada para entrelaçar a linha e formar pontos. Botão: para unir um lado ao outro e fechar a peça. Colchetes: para unir as peças. Zíper: fechamento da peça.

Agulha para bordar Fornecedor Alvorada das Rendas R$ 0,50

KAMILA RIBEIRO

80

INVERNO 2016

KAMILA RIBEIRO

81

INVERNO 2016


DESCRITIVO DE PROCESSO CRIATIVO DAS FAMÍLIAS

~ MAPA DE COLEÇAO

A coleção da Kamila Ribeiro inspirada no O Lago dos Cisnes possuirá 3 famílias com 15 looks cada, totalizando 45. As famílias serão divididas em: Odete, Odile e Balé

Família Odete

Odete: esta família terá como referência Odete, uma linda jovem que foi enfeitiçada e se transforma em cisne durante o dia. As peças se caracterizam pela delicadeza e romantismo. Suas peças são todas na cor off-white, que simboliza a personalidade da personagem. Odile: A segunda família será inspirada na Odile, cisne negro, filha do feiticeiro que transformou Odete em cisne e que se passa por ela para conquistar o amor do príncipe. Contará com peças com ar um misterioso e sensual. A cor utilizada será o preto. Balé: A última família será inspirada no universo do balé clássico, que contará com estampas, formas amplas e leves. As cores nude, rosa pálido, vermelho escuro e azul claro foram escolhidas para retratar o universo leve delicado do balé.

Cor Off-White Nude Tecidos Crochê manual Tule Organza

Matérias Bordado de pérolas Crocê manual Formas Ampulheta Retangular

Elemento Unificador Silhueta Cor off-white Crochê

_

KAMILA RIBEIRO

82

INVERNO 2016

KAMILA RIBEIRO

83

INVERNO 2016


~ MAPA DE COLEÇAO

~ MAPA DE COLEÇAO

Famíl i a O dil e

Cor Preto Tecidos Veludo Cetim Crepe Pelúcia

KAMILA RIBEIRO

Matérias Aplicação de renda Bordado

Família Balé

Elemento Unificador Silhueta Cor preta

Cor Nude Vermelho Escuro Azul Claro Rosa Pálido Cinza

Formas Ampulheta Retangular Triangular

84

Tecidos Cetim Crepe

INVERNO 2016

KAMILA RIBEIRO

Matérias Estampa Bordado Formas Ampulheta

Elemento Unificador Silhueta Estampa

Triangular

85

INVERNO 2016


Painel de Formas e Silhuetas

As silhuetas ampulheta e triangular estarão presentes na coleção, pois dão uma aparência feminina e romântica, fazendo ligação ao espetáculo O Lago dos Cisnes.

Painel de Formas e Silhuetas

As formas usadas na coleção serão fluídas, amplas e marcadas na cintura, que caracterizam o universo do balé clássico.


FAMÍLIA BALÉ

~ O COLEÇA

KAMILA RIBEIRO

89

INVERNO 2016


FAMÍLIA BALÉ

KAMILA RIBEIRO

90

FAMÍLIA BALÉ

INVERNO 2016

KAMILA RIBEIRO

91

INVERNO 2016


FAMÍLIA BALÉ

KAMILA RIBEIRO

92

FAMÍLIA BALÉ

INVERNO 2016

KAMILA RIBEIRO

93

INVERNO 2016


FAMÍLIA BALÉ

KAMILA RIBEIRO

94

FAMÍLIA BALÉ

INVERNO 2016

KAMILA RIBEIRO

95

INVERNO 2016


FAMÍLIA BALÉ

KAMILA RIBEIRO

96

FAMÍLIA BALÉ

INVERNO 2016

KAMILA RIBEIRO

97

INVERNO 2016


FAMÍLIA BALÉ

KAMILA RIBEIRO

98

FAMÍLIA BALÉ

INVERNO 2016

KAMILA RIBEIRO

99

INVERNO 2016


FAMÍLIA BALÉ

KAMILA RIBEIRO

102

FAMÍLIA BALÉ

INVERNO 2016

KAMILA RIBEIRO

101

INVERNO 2016


FAMÍLIA BALÉ

KAMILA RIBEIRO

102

FAMÍLIA BALÉ

INVERNO 2016

KAMILA RIBEIRO

103

INVERNO 2016


FAMÍLIA ODETE

KAMILA RIBEIRO

104

FAMÍLIA ODETE

INVERNO 2016

KAMILA RIBEIRO

105

INVERNO 2016


FAMÍLIA ODETE

KAMILA RIBEIRO

106

FAMÍLIA ODETE

INVERNO 2016

KAMILA RIBEIRO

107

INVERNO 2016


FAMÍLIA ODETE

KAMILA RIBEIRO

108

FAMÍLIA ODETE

INVERNO 2016

KAMILA RIBEIRO

109

INVERNO 2016


FAMÍLIA ODETE

KAMILA RIBEIRO

110

FAMÍLIA ODETE

INVERNO 2016

KAMILA RIBEIRO

111

INVERNO 2016


FAMÍLIA ODETE

KAMILA RIBEIRO

112

FAMÍLIA ODETE

INVERNO 2016

KAMILA RIBEIRO

113

INVERNO 2016


FAMÍLIA ODETE

KAMILA RIBEIRO

114

FAMÍLIA ODETE

INVERNO 2016

KAMILA RIBEIRO

115

INVERNO 2016


FAMÍLIA ODETE

KAMILA RIBEIRO

116

FAMÍLIA ODETE

INVERNO 2016

KAMILA RIBEIRO

117

INVERNO 2016


FAMÍLIA ODETE

KAMILA RIBEIRO

118

FAMÍLIA ODILE

INVERNO 2016

KAMILA RIBEIRO

119

INVERNO 2016


FAMÍLIA ODILE

KAMILA RIBEIRO

120

FAMÍLIA ODILE

INVERNO 2016

KAMILA RIBEIRO

12 1

INVERNO 2016


FAMÍLIA ODILE

KAMILA RIBEIRO

122

FAMÍLIA ODILE

INVERNO 2016

KAMILA RIBEIRO

123

INVERNO 2016


FAMÍLIA ODILE

KAMILA RIBEIRO

124

FAMÍLIA ODILE

INVERNO 2016

KAMILA RIBEIRO

125

INVERNO 2016


FAMÍLIA ODILE

KAMILA RIBEIRO

126

FAMÍLIA ODILE

INVERNO 2016

KAMILA RIBEIRO

127

INVERNO 2016


FAMÍLIA ODILE

KAMILA RIBEIRO

128

FAMÍLIA ODILE

INVERNO 2016

KAMILA RIBEIRO

12 9

INVERNO 2016


FAMÍLIA ODILE

KAMILA RIBEIRO

130

FAMÍLIA ODILE

INVERNO 2016

KAMILA RIBEIRO

131

INVERNO 2016


FAMÍLIA ODILE

KAMILA RIBEIRO

132

INVERNO 2016


PAINEL ARTÍSTICO - FAMÍLIA BALÉ

KAMILA RIBEIRO

134

PAINEL ARTÍSTICO - FAMÍLIA BALÉ

INVERNO 2016

KAMILA RIBEIRO

135

INVERNO 2016


PAINEL ARTÍSTICO - FAMÍLIA ODETE

KAMILA RIBEIRO

136

PAINEL ARTÍSTICO - FAMÍLIA ODETE

INVERNO 2016

KAMILA RIBEIRO

137

INVERNO 2016


PAINEL ARTÍSTICO - FAMÍLIA ODILE

KAMILA RIBEIRO

138

PAINEL ARTÍSTICO - FAMÍLIA ODILE

INVERNO 2016

KAMILA RIBEIRO

139

INVERNO 2016


BIBLIOGRAFIA

BARBIERI, Miguel. Resenha por Miguel Barbieri Jr. Disponível em: <http://vejasp.abril.com.br/atracao/cisne-negro-black-swan>. Acesso em: 24 nov.2014. BOGÉA, Inês. O livro da dança. São Paulo: Companhia das letrinhas. Coleção profissões, 2002. BRASIL, Cristina. Teatro Municipal do Rio estreia nova temporada de O Lago dos Cisnes. Disponível em: < http://www.ebc.com.br/cultura/2013/05/ teatro-municipal-do-rio-estreia-nova-temporada-de-o-lago-dos-cisnes>. Acesso em: 17 out.2014. PIRES, Cássia. A diferença entre interpretação e expressão. Dos passos da bailarina. Disponível em:< http://dospassosdabailarina.wordpress. com/2011/07/11/a-diferenca-entre-interpretacao-e-expressao/> Acesso em: 24 nov.2014. VERGARA, Sylvia Constant. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2000, p. 46-50. YOENG, Lee Ji. O lago dos cisnes. São Paulo: FTD, 2012.

KAMILA RIBEIRO

14 5

INVERNO 2016


KAMILA RIBEIRO  
KAMILA RIBEIRO  
Advertisement