Issuu on Google+

Guia para

Secretaria de Igreja

Casa Publicadora Brasileira Tatuí – SP


Direitos de publicação reservados à Casa Publicadora Brasileira Rodovia SP 127 – km 106 Caixa Postal 34 – 18270-970 – Tatuí, SP Tel.: (15) 3205-8800 – Fax: (15) 3205-8900 Atendimento ao cliente: (15) 3205-8888 www.cpb.com.br 1a edição – 15 mil exemplares 2007 Editoração: Rubens Lessa Projeto Gráfico: Sandra Ferreira Barbosa Programação Visual: Cleber Rogerio Marchini Capa: Sandra Ferreira Barbosa Imagens: DSA

IMPRESSO NO BRASIL/Printed in Brazil

Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução total ou parcial, por qualquer meio, sem prévia autorização escrita do autor e da Editora. Tipologia: Cronos Pró 11,5/15 – 10231/16739


Sumário CAPÍTULO I A Igreja Adventista do Sétimo Dia............................................................................. 9 1. Nome Denominacional......................................................................................... 9 2. A Forma de Organização da Igreja Adventista do Sétimo Dia............10 a. Formas de Governo Eclesiástico................................................................10 b. Os Quatro Níveis da Organização Adventista do Sétimo Dia.........10 c. A Associação Geral, a Autoridade Suprema.......................................... 11 CAPÍTULO II O Secretário da Igreja....................................................................................................13 1. A Importância do Cargo.....................................................................................13 2. O Secretário e suas Qualificações...................................................................13 3. Quatro Atividades Básicas Desenvolvidas pela Secretaria....................14 CAPÍTULO III Responsabilidades do Secretário...............................................................................18 1. As atividades de um secretário são muitas e bem variadas................18 2. Responsabilidades Básicas de um Secretário de Igreja..........................18 3. O Secretário e a Comissão da Igreja..............................................................19 4. O Secretário e a Lista de Membros da Igreja..............................................19 5. Relacionamento com a Associação/Missão e outras Igrejas...............20 6. Atitudes e Hábitos de um Secretário Responsável..................................21 7. O Secretário e a Cerimônia de Casamento.................................................22 8. Falecimento de Membro.....................................................................................22 CAPÍTULO IV Admissão de Membros..................................................................................................23 1. Os pastores devem instruir cabalmente os candidatos antes do batismo......................................................................................................................23 1. Atitudes Positivas do Secretário e a Cerimônia Batismal.....................24 2. Batismo......................................................................................................................25 3. Rebatismo.................................................................................................................26 4. Algumas recomendações...................................................................................26 5. Batismo por Voto Especial.................................................................................27 6. Batismo de Juvenis...............................................................................................28 7. Readmissão de Membros – Casos Especiais...............................................29 8. Profissão de Fé........................................................................................................29


CAPÍTULO V Carta de Transferência...................................................................................................31 1. Passos para Conceder Cartas de Transferência.......................................31 2. Resumo do Procedimento de Transferência............................................33 a. Transferência de Igreja para Igreja Organizada...................................33 b. Transferência de Grupo para Igreja Organizada..................................34 c. Transferência de Igreja para Grupo..........................................................35 d. Transferência de Grupo para Grupo.........................................................36 4. Posição do Membro Durante o Intervalo da Transferência...............37 5. Transferências não Concluídas......................................................................37 6. Se o Membro não For Aceito.........................................................................37 7. Não Conceder Cartas de Transferência a Membros Sob Disciplina.....37 8. Cartas de Transferência Somente aos que Estão em Plena Comunhão com a Igreja...................................................................................38 9. O Recebimento de Membros Perturbados por Condições Mundiais..38 10. Não Votar a Carta sem a Aprovação do Membro..................................38 11. Quando uma Igreja For Dissolvida................................................................39 12. A Comissão da Igreja não Pode Conceder Cartas..................................39 CAPÍTULO VI Remoção de Membros da Igreja................................................................................40 1. Falecimento.............................................................................................................40 2. Transferência...........................................................................................................40 3. Apostasia...................................................................................................................40 4. Não Devem ser Removidos Membros por Falta de Comparecimento......41 5. Remoção do Membro a seu Próprio Pedido...............................................42 6. Paradeiro Desconhecido.....................................................................................42 CAPÍTULO VII Aplicação da Disciplina.................................................................................................43 1. Definição de Censura...........................................................................................44 2. Definição de Remoção........................................................................................44 3. Razões para a Disciplina de Membros..........................................................45 4. Cuidados ao Disciplinar Membros..................................................................46 CAPÍTULO VIII Os Quatro Livros da Igreja e Como Usá-los..........................................................48 1. Livro de Eventos.....................................................................................................48 2. Livro de Registro de Casamentos....................................................................49 3. Livro de Membros – Secretaria Informatizada.........................................50 4. Livro de Atas da Igreja.........................................................................................50


a. Elaboração de Atas da Igreja.......................................................................51 b. Estrutura do Voto.............................................................................................51 c. Modelo de Ata...................................................................................................52 d. Agenda das Comissões..................................................................................54 e. Passos no Preparo da Agenda.....................................................................54 f. Preparo Técnico da Agenda..........................................................................54 g. Modelo de Agenda..........................................................................................54 h. Procedimentos do Secretário em Comissões.......................................56 i. Andamento da Comissão...............................................................................56 j. Apresentação das Recomendações à Assembléia................................56 l. Modelo de Ata da Reunião Administrativa............................................58

CAPÍTULO IX A Igreja da Associação/Missão – Grupos Organizados e sua Organização em Igreja.............................................................................................................................59 1. Grupos Organizados.............................................................................................59 2. Passos Para Organizar um Grupo....................................................................60 3. Organização de um Grupo em Igreja............................................................60 a. Por que Organizar um Grupo em Igreja?...............................................60 b. Quando um Grupo pode ser Organizado em Igreja?.........................61 c. Passos para a Organização de um Grupo em Igreja..........................61 d. Secretaria de Grupo – Procedimentos....................................................62 4. Censurar ou Remover um Membro de Grupo...........................................63 CAPÍTULO X Programa de Revisão Permanente...........................................................................64 1. Responsabilidades do Grupo Especial de Revisão....................................64 2. Responsabilidades da Comissão da Igreja...................................................65 3. Quatro Listas Auxiliares para Igrejas/Grupos.............................................65 a. Membros Regulares........................................................................................66 b. Membros a Transferir......................................................................................66 c. Membros Afastados.........................................................................................66 d. Membros com Paradeiro Desconhecido.................................................66 4. Procedimentos com a Lista de Membros Enviada pela Associação/ Missão........................................................................................................................67 CAPÍTULO XI Programa de Resgate.....................................................................................................69 1. Considerações Iniciais..........................................................................................69 2. Estrutura do Programa........................................................................................70 a. Organização.......................................................................................................70


b. Passos para o Trabalho................................................................................... 71 c. Dever do Responsável pelo Programa de Resgate............................. 71 d. Segredo Para o Sucesso................................................................................. 71 3. Dicas Sobre Como Visitar................................................................................... 71 4. “Ide, às ovelhas... da casa de Israel”................................................................72 a. Carta Preparatória Para os Membros da Igreja....................................73 b. Carta Para Pessoas Fracas na Fé e/ou Para os Removidos da Igreja.....74

CAPÍTULO XII Informatização da Secretaria da Igreja..................................................................75 1. Por que Informatizar a Secretaria da Igreja...............................................75 2. Informática com Espaço e Agilidade.............................................................75 3. Como Informatizar a Secretaria de uma Igreja.........................................76 4. Apresentação do Sistema de Informatização............................................78 5. O Programa..............................................................................................................78 a. Principais Controles do Sistema................................................................79 b. Configuração Mínima para Uso do Programa......................................79 c. Envio do Programa Para as Igrejas............................................................79 d. CD de Instalação do Programa...................................................................80 e. Como Instalar....................................................................................................80 CAPÍTULO XIII Modelos de Formulários, Fichas, Cartas, Certificados, Relatórios e Comunicados Utilizados por uma Secretaria I – Modelos de Fomulários, Fichas, Cartas, Certificados e Relatórios Utilizados por Igrejas e Grupos...........................................................................82 1. Carta de recomendação para cantar, pregar e participar de outras atividades...............................................................................................................82 2. Aviso de Casamento..........................................................................................83 3. Ficha em branco para Atualização de Cadastro.....................................83 4. Pedido de Material para Secretaria de Igreja/Grupo............................84 5. Relação de Oficiais.............................................................................................86 6. Alteração de Oficial............................................................................................90 7. Atualização de Endereço de Oficial.............................................................90 8. Ficha de Registro de Batismo, Rebatismo, Profissão de Fé, Batismo por Voto Especial...............................................................................................91 9. Certificado de Batismo.....................................................................................92 10. Ficha de Membro.................................................................................................94 11. Relatório Mensal – Secretaria de Igreja/Grupo.......................................95 12. Relação de Membros Recebidos por Carta...............................................96


13. Relação de Membros Recebidos por Batismos/Rebatismos e Profissão de Fé.....................................................................................................96 14. Relação de Membros Transferidos por Carta..........................................97 15. Relação de Membros Removidos.................................................................98 16. Relatório Mensal – Secretaria de Igreja/Grupo sem Movimento....98 17. Ficha de Solicitação de Batismo por Voto Especial............................ 100 18. Certificado de Profissão de Fé.....................................................................101 19. Aviso de Transferência de Membro...........................................................101 20. Aviso de Mudança de Membro de Grupo.............................................. 102 21. Pedido de Carta de Transferência.............................................................. 102 22. Carta de Transferência................................................................................... 103 23. Certificado de Recebimento de Membro............................................... 103 24. Recebimento por Carta e Informações Cadastrais............................. 104 25. Notificação ao Membro de que o seu Assunto vai ser Tratado na Comissão....................................................................................................... 105 26. Notificação de que o Caso Será Levado à Assembléia..................... 106 27. Notificação de Censura..................................................................................107 28. Notificação de Remoção............................................................................... 108 29. Relação de Membros Desaparecidos para Publicação...................... 109 30. Recomendação Para Disciplina...................................................................110 II – Modelos de Formulários, Comunicados e Pedidos Utilizados Pela Associação/Missão........................................................................................................ 111 31. Aviso de Saída de Membro de Grupo....................................................... 111 32. Aviso de Recebimento de Membro de Grupo.......................................112 33. Consulta para Envio de Carta de Transferência...................................113 34. Envio de Carta de Transferência de Grupo.............................................114 34. Certificado de Recebimento de Membro de Grupo............................115 35. Pedido de Carta de Transferência de Grupo..........................................116 36. Anotações............................................................................................................117


Q

Prefácio

uero começar dizendo uma palavra de gratidão aos meus colegas secretários das Uniões brasileiras, que contribuíram na elaboração deste Guia Para Secretaria de Igreja. Cada ajuste foi importante e muito necessário; cada sugestão foi colocada para que sirva como um ponto de referência na compreensão deste material. E também quero agradecer ao Pastor Raúl Gómez, que foi o idealizador deste projeto, por suas sábias contribuições na elaboração deste material. O Guia Para Secretaria de Igreja contém o que um secretário precisa conhecer para o domínio de seu trabalho. Não pretendemos esgotar todos os temas, mas queremos que sirva como um manual de procedimentos práticos na tarefa de conduzir a área da secretaria. Se, por alguma razão, tiver alguma dúvida, utilize o Manual da Igreja, que é nosso livro maior de procedimentos na IASD. O Guia de Secretaria é apenas um manual de procedimentos, elaborado numa seqüência prática para resolver problemas cotidianos de nossos secretários na igreja local. Colocamos em suas mãos este material, esperando que seja de muita ajuda para a igreja. Com apreço,



Melchor Ferreyra Secretário da Divisão Sul-Americana da IASD


A Igreja Adventista do CAPÍTULO

A

Sétimo Dia

1 Nome denominacional

Igreja Adventista do Sétimo Dia recebeu este nome em 1o de outubro de 1860. O nome Adventista do Sétimo Dia representa bem a nossa mensagem ou crença. “Foi-me mostrado o modo por que o povo remanescente de Deus obteve seu nome. Duas classes de pessoas me foram apresentadas. Uma abrangia as grandes corporações de cristãos professos. Esses transgrediam a lei divina, inclinando-se diante de uma instituição papal. Observavam o primeiro dia da semana em vez do sábado do Senhor. A outra classe, posto que pequena em número, tributava obediência ao grande Legislador. Esses guardavam o quarto mandamento. Os aspectos peculiares e destacados de sua fé são a observância do sétimo dia e a expectativa da volta de Cristo nas nuvens do céu. ... Não podemos adotar outro nome melhor do que esse, que concorda com a nossa doutrina, exprime a nossa fé e nos caracteriza como povo peculiar.” – Testemunhos Seletos, vol.1, pág. 79. “O nome Adventista do Sétimo Dia exibe o verdadeiro caráter de nossa fé e será próprio para persuadir aos espíritos indagadores. Como uma flecha da aljava do Senhor, fere os transgressores da lei divina, induzindo ao arrependimento e à fé no Senhor Jesus Cristo.” – Ibidem, pág. 80. Temos o privilégio de pertencer à Igreja Adventista do Sétimo Dia e levar avante a pregação do Evangelho. Somos adventistas porque aguardamos a volta do Senhor Jesus Cristo a este mundo para buscar os Seus filhos, e guardamos o sétimo dia porque é o sábado do Senhor nosso Deus e um sinal entre Ele e Seu povo.




GUIA DE SECRETARIA DE IGREJA

A forma de organização da Igreja Adventista do Sétimo Dia Formas de Governo Eclesiástico Manual da Igreja, Capítulo 5

Há, geralmente, quatro formas reconhecidas de governo eclesiástico, que podem ser resumidas do seguinte modo: Episcopal: A forma de governo eclesiástico por bispos, comumente com três ordens de ministros: bispos, sacerdotes e diáconos. Papal: A forma de governo eclesiástico em que o papa é investido de autoridade suprema. Ele governa a igreja por intermédio dos cardeais, arcebispos, bispos e sacerdotes. A igreja local ou os membros individuais não têm autoridade na administração da igreja. Independente: A forma de governo eclesiástico que torna a congregação da igreja local suprema e final dentro de seu próprio domínio. Esta forma é geralmente denominada congregacionalismo. Representativa: A forma de governo eclesiástico que reconhece que a autoridade na igreja repousa nos seus membros, com a responsabilidade executiva delegada a entidades e oficiais representativos para dirigir a igreja. Esta forma de governo eclesiástico reconhece também a igualdade da ordenação de todo o ministério. A forma representativa de governo eclesiástico é a que prevalece na Igreja Adventista do Sétimo Dia.

Quatro níveis da organização adventista do sétimo dia

Há quatro níveis organizacionais desde o crente individual até a Organização mundial do trabalho da Igreja: A igreja local, que é um corpo organizado e unido de crentes individuais. A Associação ou Missão local, que é um corpo organizado e unido de igrejas em um Estado, Província ou território. A União-Associação ou União-Missão, que é um corpo unido de Associações, Missões ou Campos, dentro de um território maior. A Associação Geral, a maior unidade da organização, que abrange todas as Uniões em todas as partes do mundo. As Divisões são seções da Associação Geral, com responsabilidade administrativa a elas atribuída em determinadas áreas geográficas.

10 10


A Igreja Adventista do Sétimo Dia “Cada membro da igreja tem participação na escolha dos oficiais da igreja. Esta escolhe os oficiais das Conferências estaduais. [Conhecidas hoje por Associações.] Os delegados escolhidos pelas Associações estaduais escolhem os oficiais das Uniões; e os delegados escolhidos por estas, escolhem os oficiais da Associação Geral. Por meio desse sistema, cada Associação, instituição, igreja e pessoa, quer diretamente quer por meio de representantes, participa da eleição dos homens que assumem as responsabilidades principais na Associação Geral.” – Ibidem, vol. 3, págs. 240 e 241.

A Associação Geral, a autoridade suprema

A Associação Geral, em assembléia, e a Comissão Executiva, no intervalo das assembléias, é a mais alta organização na administração da obra mundial da Igreja e está autorizada por sua constituição a criar organizações subordinadas para promover interesses específicos em várias regiões do mundo; compreende-se, pois, que todas as organizações e instituições subordinadas, em todo o mundo, reconhecerão a Associação Geral como a autoridade suprema, abaixo de Deus, entre os Adventistas do Sétimo Dia. Quando surgem divergências em (ou entre) organizações e instituições, é apropriado apelar para a organização imediatamente superior, até alcançar a Associação Geral em Assembléia, ou a Comissão Executiva no Concílio Anual. Durante o intervalo entre essas assembléias, a Comissão Executiva constituirá a corporação de autoridade final em todas as questões em que se possam desenvolver pontos de vista divergentes. A decisão da Comissão poderá ser revista numa Assembléia da Associação Geral ou num Concílio Anual da Comissão Executiva. “Fui muitas vezes instruída pelo Senhor de que o juízo de homem algum deve estar sujeito ao juízo de outro homem qualquer. Nunca deve a mente de um homem ou de uns poucos homens ser considerada suficiente em sabedoria e autoridade para controlar a obra, e dizer quais os planos que devam ser seguidos. Mas quando numa assembléia geral, é exercido o juízo dos irmãos reunidos de todas as partes do campo, independência e juízo particulares não devem obstinadamente ser mantidos, mas renunciados. Nunca deve um obreiro considerar virtude a persistente conservação de uma atitude de independência, contrariamente à decisão do corpo geral. “Por vezes, quando um pequeno grupo de homens, aos quais se acha

11 11


GUIA DE SECRETARIA DE IGREJA confiada a direção geral da obra, tem procurado, em nome da Associação Geral, exercer planos imprudentes e restringir a obra de Deus, tenho dito que eu não poderia por mais tempo considerar a voz da Associação Geral, representada por esses poucos homens, como a voz de Deus. Mas isto não equivale a dizer que as decisões de uma Associação Geral composta de uma Assembléia de homens representativos e devidamente designados, de todas as partes do campo, não deva ser respeitada. Deus ordenou que os representantes de Sua Igreja de todas as partes da Terra, quando reunidos numa Assembléia Geral, devam ter autoridade. O erro que alguns estão em perigo de cometer, é dar à opinião e ao juízo de um homem, ou de um pequeno grupo de homens, a plena medida de autoridade e influência de que Deus revestiu Sua Igreja, no juízo e voz da Associação Geral reunida para fazer planos para a prosperidade e avançamento de Sua obra. “Quando este poder, que Deus colocou na Igreja, é entregue inteiramente a um só homem, e ele é revestido da autoridade de servir de critério para outros espíritos, acha-se então mudada a verdadeira ordem da Bíblia. Os esforços de Satanás sobre o espírito de tal homem seriam os mais sutis, e por vezes quase dominantes; pois o inimigo teria a esperança de, por meio do seu espírito, poder influenciar muitos outros. Demos à mais altamente organizada autoridade na Igreja aquilo que somos propensos a dar a um único homem ou a um pequeno grupo de homens.” – Ibidem, págs. 408 e 409.

12 12


O secretário da igreja CAPÍTULO

O

2 A importância do cargo

secretário tem um dos importantes cargos da igreja, de cuja administração apropriada muito depende o eficiente funcionamento da igreja. Assim como todos os outros oficiais da igreja, o secretário é eleito pelo período de um ou dois anos, segundo for determinado pela igreja local (ver Manual da Igreja, pág. 49); mas, devido às importantes funções especializadas de seu cargo, convém escolher alguém que possa ser reeleito para repetidos períodos de serviço, a fim de que haja continuidade no sistema de registros e envio de relatórios. Em igrejas grandes poderão ser eleitos vice-secretários segundo for necessário. O secretário atua como tal em todas as reuniões administrativas da igreja e deve manter um relatório correto de todas essas reuniões. Se, por qualquer motivo, o secretário tiver de ausentar-se de alguma reunião, devem ser tomadas providências para que o vice-secretário esteja presente, a fim de fazer as anotações para a ata.” – Manual da Igreja, págs. 59 e 60.

O secretário e suas qualificações

“Não se devem eleger e ordenar dirigentes que se não provarem aptos para essa obra de responsabilidade e que primeiro precisam ser convertidos, educados e enobrecidos, a fim de poderem servir na causa de Deus em qualquer ramo.” – Testemunhos Seletos, vol. 2, pág. 261. O secretário ideal é aquele que ama a Deus e se coloca inteiramente em Suas mãos para realizar a Sua obra neste mundo de pecado. A Bíblia sagrada tem um padrão para a escolha de homens e mulheres que prestarão serviço à causa de Deus.

13 13


GUIA DE SECRETARIA DE IGREJA Aquele que serve precisa ter as seguintes qualidades: temente a Deus, boa reputação, estar cheio do Espírito Santo, ser sábio nas decisões, ter bom testemunho dos irmãos da igreja e dos que estão fora, entre outras. Lembre-se de que você tem sob sua responsabilidade aquilo que é mais precioso para Deus na Terra, a Sua Igreja. “Porque aquele que tocar em vós toca na menina do Seu olho.” Zac. 2:8. É necessário que o secretário tenha aptidão religiosa e que seja bom tecnicamente nos trabalhos que desenvolverá. Ter e apreciar a leitura denominacional e em especial o Manual da Igreja. O secretário pode ser um chefe de mil, chefe de cem, chefe de cinqüenta, ou chefe de dez. Independente do número, ele é chamado por Deus para fazer o trabalho, assim como os líderes eram chamados no passado. Citamos, a seguir, os critérios usados por Deus para chamar pessoas para o serviço na época de Moisés: “Procura dentre o povo homens capazes, tementes a Deus, homens de verdade, que aborreçam a avareza; põe-nos sobre eles por chefes de mil, chefes de cem, chefes de cinqüenta, e chefes de dez” (Êxo. 18:21). Os mesmos critérios são válidos para os nossos dias.

Quatro atividades básicas desenvolvidas pela secretaria

O secretário deve cumprir basicamente quatro atividades: administrar, registrar, conservar e informar.

Administrar

O secretário da igreja faz parte da Comissão da Igreja e também da Subcomissão Administrativa, que é composta pelo pastor, ancião, secretário e tesoureiro. O secretário participa de todas as comissões para as quais for nomeado. Exemplo: Em algumas igrejas poderia ser nomeada uma Subcomissão Administrativa, que é presidida pelo pastor distrital ou, a seu pedido, por um ancião, a qual terá algumas funções. (Ver Manual da Igreja, pág. 91.) 1. Acompanha a execução dos votos da Comissão da Igreja. 2. Analisa os planos e metas da igreja local – evangelismo. 3. Estuda os projetos de construção e reforma. 4. Verifica outros os itens relevantes para a administração da igreja.

14 14


O Secretário da Igreja Cabe ao secretário, em conjunto com o pastor ou o ancião que vai presidir a Comissão da Igreja, elaborar e organizar, com antecedência, a agenda que deverá ser tratada. Após a apresentação do item a ser tratado, o secretário deve propô-lo à Comissão. O presidente pedirá apoio à proposta, dará direito de falar a quem quiser fazer observações e levará o assunto à votação. A Comissão leva as recomendações como proposta ao plenário, e este tem o poder final de decisão. Os itens corriqueiros são deliberados pela Comissão da Igreja e não necessitam ser levados ao plenário para votação. Assuntos que devem ser votados pelo plenário da igreja (reunião administrativa): admissão (transferência, batismo e profissão de fé), remoção (apostasia, desaparecimento e transferência), aplicação de disciplina, eleição e nomeação de oficiais, orçamento da igreja e outros assuntos relevantes, como a nomeação de delegados às Assembléias da Associação/Missão. Para a discussão de assuntos que requeiram maior grau de explicação, convoca-se uma Reunião Administrativa. Essa reunião, devidamente convocada num culto regular de sábado, informando data, horário e local, tem como objetivo tratar de assuntos de disciplina de membros (remoção e censura), orçamento da igreja e outros relatórios. (Ver Manual da Igreja, págs. 87, 88, 96 e 97.) No plenário da igreja, segue-se a mesma seqüência. O secretário propõe, o presidente solicita apoio à proposta. Havendo apoio, ele concede aos presentes o direito de fazer observações. Uma vez ouvidas as observações, o presidente leva o assunto à votação.

Registrar

Os registros que o secretário deve fazer têm dois propósitos: Primeiro lugar, registrar claramente as decisões tomadas pelas comissões para serem comunicadas às pessoas envolvidas. Segundo, conservar tais registros arquivados para o futuro e como história da igreja. O secretário cuida da redação das atas, dos livros que contêm os nomes de todos os membros, do movimento de entrada e saída de membros e de todas as atividades relacionadas com o bom funcionamento da secretaria.

15 15


GUIA DE SECRETARIA DE IGREJA Essas decisões devem ficar registradas no Livro de Atas, no Livro de Eventos ou Atos, no Livro de Registro de Membros (fichários ou computador) e no Livro de Cerimônia de Casamentos.

Conservar

O secretário é responsável pelo trabalho de conservação dos membros. Deve ser uma pessoa comprometida com os membros. Deve estar atento para perceber se alguém não está mais freqüentando regularmente a igreja, e então deve dar o alarme. “Uma pessoa é de mais valor para o Céu do que um mundo inteiro de propriedades, casas, terras, dinheiro.” – Testemunhos Seletos, vol. 2, pág. 375. É dever do secretário zelar cuidadosamente dos membros da igreja, reconhecendo que foi por eles que Jesus morreu. A checagem periódica (trimestral) do registro de membros da igreja com os membros da escola sabatina e com o cadastro de membros da Associação/Missão poderá levantar os nomes de membros que estão enfermos ou que estão se distanciando da igreja, ou com qualquer outra necessidade. Os nomes dessas pessoas devem ser apresentados à Comissão da Igreja para que elas sejam visitadas. Assim, estamos mostrando nossa preocupação em dar-lhes assistência espiritual.

Informar

O secretário tem a responsabilidade de informar às pessoas envolvidas as decisões tomadas pela igreja. Alguns exemplos: 1. Comunicar o horário, a data e o local das comissões. 2. Informar à igreja o movimento de membros e estatísticas. 3. Falar com a pessoa cujo caso será estudado pela Comissão da Igreja ou apresentado diante da igreja, e quando foi tomada a decisão final. 4. Informar ao membro que sua carta de transferência foi votada. 5. Informar à Associação/Missão sobre membros com paradeiro desconhecido. 6. Informar à Associação/Missão, através de relatórios, o movimento de membros. 7. Cominunicar à Comissão da Igreja os nomes dos membros a serem visitados.

16 16


O Secretário da Igreja 8. Informar à Comissão da Igreja quando o membro houver cumprido o período de censura. 9. Informar ao membro o término da disciplina e estimular a continuidade de seu envolvimento nas atividades da igreja. (Ver Manual da Igreja, pág. 194.) Essas são algumas das informações às quais o secretário deverá estar atento.

17 17


Responsabilidades do CAPÍTULO

Secretário

3

As atividades de um secretário são muitas e bem variadas

A

secretaria de uma igreja média e grande nunca está cem por cento com o trabalho atualizado. Não há folga nem trégua, porque há sempre membros que saem e que chegam; há membros sendo batizados; há comissões em andamento, e assim por diante. A secretaria não pára, é um trabalho dinâmico.

Responsabilidades básicas

1. Aceitar sua nomeação como uma escolha do Senhor (João 15:16) e servir à igreja com profunda dedicação e responsabilidade. 2. Estudar e conhecer o Manual da Igreja para poder ajudar nas decisões sem entrar em conflito com as normas da igreja. O Manual da Igreja representa o consenso mundial da IASD em matéria de administração de igreja. 3. Conhecer e familiarizar-se bem com fichas, formulários, certificados, programa informatizado e outros materiais utilizados pela secretaria. 4. Fornecer carta de recomendação a membros convidados para cantar, pregar ou participar de outras atividades. (Ver anexo 1.) 5. Manter contato regularmente com a secretaria da Associação/Missão, informando e buscando informações sobre o trabalho. 6. Manter atualizados todos os livros e relatórios sob a responsabilidade da secretaria, registrando os eventos próprios para cada um deles: Livro de Atas, Livro de Eventos, Livro de Casamentos, Cadastro de Membros (fichário ou computador).

18 18


Responsabilidades do Secretário

O secretário e a comissão da igreja

1. Junto com o pastor e ancião da igreja, o secretário prepara uma lista das datas, horários e local das reuniões da Comissão da Igreja durante o ano e vota na comissão da igreja. 2. Convoca, com bastante antecedência, os membros da Comissão da Igreja, informando-lhes a data e o local da reunião seguinte. 3. Secretaria mensalmente a Comissão da Igreja nas suas reuniões e, se não puder estar presente, solicita ao vice-secretário para substituí-lo na reunião. 4. Prepara, antecipadamente, junto com o pastor e anciãos, a agenda a ser analisada na comissão, evitando dissabores de discussões provocadas por itens que chegam na última hora, no dia da comissão. 5. Tira cópias da agenda e distribui aos membros da comissão. 6. Confirma o quórum da comissão em cada reunião e informa ao presidente para que dê início à reunião. (Ver Manual da Igreja, pág. 90.) 7. Apresenta, em cada reunião da comissão, a leitura total da ata anterior para aprovação; apresenta a lista dos afastados, doentes e fracos na fé, para que se determine quem irá visitá-los, antes do primeiro item da agenda, que deve ser o evangelismo. (Ver Manual da Igreja, pág. 90.) 8. Informa ao pastor e à comissão as censuras de membros já vencidas e relembra que alguém da comissão deve ser incumbido de avisá-los. 9. Prepara a ata das decisões da comissão e das recomendações que serão feitas na Reunião Administrativa da Igreja. 10. Com antecedência ao dia marcado para o batismo, rebatismo ou recebimento por profissão de fé, apresenta as fichas para análise na Comissão da Igreja e vota na igreja o recebimento desses novos membros. 11. Notifica todas as decisões da Comissão da Igreja às pessoas envolvidas e fixa no mural da igreja alguns casos de interesse da congregação.

O secretário e a lista de membros da igreja

1. Mantém os registros precisos e acurados; observa para que os nomes estejam de forma correta e completos. 2. Ao se casar, o membro da igreja pode mudar o sobrenome e endereço. Quando isso acontece, o secretário deve alterar seu registro na lista de membros e enviar as alterações ao cadastro da Associação/Missão. (Ver anexo 2.)

19 19


GUIA DE SECRETARIA DE IGREJA 3. Atenta para as mudanças de residência, telefone, e-mail etc. e entrega aos membros fichas em branco para a atualização de seus dados cadastrais. (Ver anexo 3.) 4. Registra o recebimento de membros através de batismo, rebatismo, profissão de fé e carta de transferência. Em caso de rebatismo, verifica se o nome consta nos registros da igreja onde havia sido membro. 5. Registra as remoções por falecimento, apostasia, carta de transferência ou paradeiro desconhecido. 6. Organiza o Grupo Especial de Revisão (ver capítulo 10 deste livro), solicitando ajuda de irmãos com mais tempo na congregação e que conheçam os membros. 7. Revisa mensalmente a lista de membros, comparando-a com a lista da Associação/Missão. 8. Identifica os membros que não freqüentam regularmente as reuniões e toma providências para que sejam visitados. 9. Verifica se membros recém-chegados desejam solicitar a carta de transferência de sua igreja de origem. 10. Compara a lista de membros com os cartões da Escola Sabatina. Todos os membros da igreja devem estar matriculados na Escola Sabatina. Os membros faltosos podem estar enfrentando problemas e devem ser visitados, urgentemente, pelos membros da classe.

Relacionamento com a associação/missão e outras igrejas

1. Verifica todo o movimento e elabora mensalmente o relatório da secretaria da igreja, enviando-o à Associação/Missão. 2. Cuida para que não falte nenhum material para o bom andamento do seu trabalho na igreja/grupo. (Ver anexo 4.) 3. Envia para a secretaria da Associação/Missão, anualmente, a Relação de Oficiais nomeados pela igreja/grupo para o ano eclesiástico. (Ver anexo 5.) Sempre que houver necessidade de substituir um oficial, deverá ser comunicado imediatamente. (Ver anexo 6.) 4. Havendo alteração de endereço de oficiais, isso também deverá ser comunicado à Associação/Missão. (Ver anexo 7.) 5. Informa ao secretário da Associação/Missão o nome do delegado ou delegados escolhidos pela igreja para representá-la nas assembléias convocadas.

20 20


Responsabilidades do Secretário 6. Mantém comunicação regular com os secretários de outras igrejas para resolver problemas de envio ou recebimento de cartas de transferência de membros que chegam à igreja e outros que mudaram para outras localidades. 7. Por ocasião do recebimento de novos membros, envia o Certificado de Recebimento de Membros ao secretário da igreja de origem. 8. Lê regularmente os nomes dos membros com “paradeiro desconhecido”, da Associação/Missão, e informa o que sabe sobre as pessoas ali relacionadas.

Atitudes e hábitos de um secretário responsável

1. Assiste a todas as reuniões que estão diretamente relacionadas com seu trabalho, como: Comissão do Grupo Especial de Revisão, Comissão de Negócios, Batismos, Casamentos, etc. Assiduidade e pontualidade são virtudes indispensáveis. 2. Conhece todos os membros pelo nome e sabe onde moram; felicita cada membro da igreja por ocasião de seu aniversário. 3. Faz do sigilo o ponto de equilíbrio de seu trabalho entre a liderança da igreja e seus membros. 4. Procura usar de diplomacia no desempenho de suas funções. 5. Assiste aos cursos de aperfeiçoamento e atualização de secretaria promovidos pela Associação/Missão. 6. Recepciona os membros para conhecê-los melhor. 7. Apresenta os novos membros aos oficiais e os ajuda a criar um círculo de amizade na igreja. 8. Cultiva a organização: Para cada coisa um lugar, e cada coisa em seu lugar. 9. Zela pelos registros da secretaria e não joga nada fora, como atas, boletins, fichas, etc. O secretário tem a história da igreja sob sua responsabilidade. 10. Sabe trabalhar em equipe. O funcionamento da nossa igreja é possível através da interdependência dos setores ou departamentos. 11. É promotor da união e do programa da igreja, ou seja, tem um espírito denominacional. 12. É pontual e prestativo, fornecendo aos membros os dados que são procurados na secretaria, sempre com amabilidade e cortesia.

21 21


GUIA DE SECRETARIA DE IGREJA

O secretário e a cerimônia de casamento

Quais são as responsabilidades do secretário com relação à cerimônia de casamento? Ele tem um envolvimento direto nos seguintes aspectos: 1. Quando a Comissão da Igreja vota autorizar a realização de um casamento, o secretário deve entregar aos noivos a ficha de casamento para que eles preencham e devolvam ao secretário. Ali constam todos os elementos necessários para o secretário lavrar no livro de Registro de Casamentos. 2. Deve o secretário ter consciência de que a igreja não realiza casamento de um adventista com não-adventista. A Bíblia é muito clara ao tratar desse assunto. O Manual da Igreja diz aos “pastores adventistas do sétimo dia [que] não realizem tais casamentos” (pág. 184). 3. Quando o casamento é realizado pelo sistema religioso com efeito civil, os noivos devem, com bastante antecedência, fazer os arranjos com o cartório para terem em mãos a devida habilitação, que deverá ser entregue ao pastor antes do casamento. O Livro de Casamentos já prevê o registro de um casamento com efeito civil. (Só para as Uniões que autorizarem essa prática pastoral.) 4. Lembra que, depois de realizada a cerimônia, a habilitação deve ser entregue ao cartório de origem no prazo estipulado por lei. 5. Quer seja casamento religioso, ou religioso com efeito civil, ao secretário compete elaborar termos e atas compatíveis com essas modalidades de casamentos. 6. O casamento poderá ser realizado no templo, clube, restaurante ou chácara; contudo, deve estar em conformidade com os princípios da igreja. 7. O registro do casamento é feito no livro da igreja em que é oficiada a cerimônia; se não for realizado no templo, será feito no livro da igreja de um dos nubentes. 8. O secretário, convidado ou não para a cerimônia do casamento, cumprirá seu dever sendo um dos primeiros a chegar.

Falecimento de membro

Quando um membro morre, nenhum voto se torna necessário. O secretário simplesmente registra a data do falecimento, incluindo no relatório que será encaminhado à Associação/Missão. (Ver Manual da Igreja, págs. 42, 60 e 197.)

22 22


Admissão de CAPÍTULO

A

Membros

4 Manual da Igreja, Capítulo 6

condição de membro da Igreja Adventista do Sétimo Dia é um privilégio que traz consigo sérias responsabilidades, e todos devem ser muito bem instruídos quanto ao que significa tornar-se membro do Corpo de Cristo. Não devemos ser demasiado apressados em batizar pessoas antes que obtenhamos delas evidências de conversão genuína. “Os princípios da vida cristã devem ser claramente explicados aos recém-convertidos. Não se pode confiar na mera profissão de fé como prova de que experimentaram o contato salvador de Cristo. Importa não só dizer ‘creio’ mas também praticar a verdade. É pela nossa conformidade com a vontade divina em nossas palavras, atos e caráter, que provamos nossa comunhão com Ele.” – Testemunhos Seletos, vol. 2, págs. 389 e 390.

Os pastores devem instruir cabalmente os candidatos antes do batismo O pastor não deve apresentar candidato para o batismo e para a comunhão da igreja sem que possa satisfazer seus membros, por meio de um exame público, de que o candidato está bem instruído e apto para dar esse passo. Nas igrejas em que batismos freqüentes poderiam diminuir o significado de um exame público, convém seguir um plano alternativo. O trabalho do pastor não estará completo sem que tenha instruído cabalmente os candidatos, de modo que conheçam e adotem todas as crenças fundamentais e práticas da igreja, e estejam preparados para assumir as responsabilidades de membros. Nossas igrejas devem insistir na aplica-

23 23


GUIA DE SECRETARIA DE IGREJA ção dessas normas como princípios orientadores na aceitação de novos membros. Por meio de sua comissão, elas também devem insistir em que os candidatos sejam instruídos individualmente. Além disso, sempre que possível, que sejam doutrinados numa classe batismal. “Os candidatos ao batismo não têm sido tão escrupulosamente examinados em relação ao seu discipulado, quanto o deviam ser. Importa saber se meramente adotam o nome de ‘Adventistas do Sétimo Dia’ ou se realmente se colocaram ao lado do Senhor, renunciando o mundo e estando dispostos a não tocar nada imundo. Antes do batismo devem ser-lhes feitas perguntas relativamente às suas experiências, porém, não de modo frio e reservado, e sim com mansidão e bondade, encaminhando os recém-convertidos para o Cordeiro de Deus, que tira os pecados do mundo. As exigências do evangelho devem ser estudadas a fundo com os batizandos.” – Ibidem, pág. 393. São três as maneiras possíveis de ingressar como membro na Igreja Adventista do Sétimo Dia: 1) batismo ou rebatismo; 2) profissão de fé; 3) carta de transferência. (Ver o Capítulo 5 deste Guia.)

Atitudes positivas do secretário e a cerimônia batismal

1. Reúne as fichas dos candidatos ao batismo e à profissão de fé, conferindo todas as informações solicitadas para verificar se estão preenchidas de forma correta, completa e sem abreviações. (Ver anexo 8.) 2. Certifica-se de que as fichas batismais foram preenchidas em 3 vias (1a via: Associação/Missão; 2a via: igreja local; 3a via: pastor), passadas na Comissão da Igreja e encaminhadas à Reunião Administrativa para votação. 3. Observa se as fichas batismais receberam as assinaturas do pastor oficiante, do candidato ao batismo e do próprio secretário. (Quando o batizando tiver menos de 16 anos, um dos pais ou o responsável legal deve assinar no lugar do candidato.) 4. Fica atento quando a cerimônia for realizada por mais de um pastor e verifica se as fichas e os certificados foram assinados pelo pastor oficiante correspondente. 5. Toma providências para que todos os Certificados de Batismo sejam devidamente preparados antes da cerimônia. (Ver anexo 9.) 6. Certifica-se de que todos os candidatos foram realmente batiza-

24 24


Admissão de Membros dos, separando as fichas daqueles que, por alguma razão, não estiveram presentes à cerimônia. 7. Organiza, ao lado do pastor distrital, a entrega dos Certificados de Batismo (já assinados pelos batizados, no verso) e da Aliança Batismal, que é o Guia do Novo Membro (Orientações Para o Novo Membro), ocasião em que lhes são dadas as boas-vindas com a participação dos anciãos ou oficiais correspondentes. 8. Registra o novo membro no cadastro (Fichário de Membro ou Computador) ou no Livro da Igreja, não esquecendo de incluí-lo no próximo relatório mensal a ser enviado para a Associação/Missão. (Ver anexos 10 e 11.) 9. Toma o devido cuidado de enviar o Relatório Mensal da Secretaria de Igreja/Grupo Sem Movimento quando não houver nenhuma alteração no número de membros. (Ver anexo 12.) 10. Está atento a todos os detalhes da cerimônia batismal e, para evitar desencontros, chega com a devida antecedência ao local do batismo.

Batismo

Quando viveu neste mundo, o Senhor Jesus Cristo ordenou o batismo: “Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século.” Mat. 28:19 e 20. O Novo Testamento nos mostra que o batismo era o rito para admissão à Igreja Apostólica. Modo de batizar – Os Adventistas do Sétimo Dia crêem no batismo por imersão, e só aceitam em sua comunidade de membros aqueles que foram batizados dessa maneira. Os que reconhecem sua condição de pecadores perdidos, arrependem-se sinceramente de seus pecados e experimentam a conversão, podem, após instruções apropriadas, ser aceitos como candidatos para o batismo, a fim de serem membros da Igreja. (Manual da Igreja, pág. 30.) “Fazendo do batismo o sinal de entrada para o Seu reino espiritual, Cristo o estabeleceu como condição positiva à qual têm de atender os que desejam ser reconhecidos como estando sob a jurisdição do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Antes que o homem possa obter abrigo na igreja, antes de transpor mesmo o limiar do reino espiritual de Deus,

25 25


GUIA DE SECRETARIA DE IGREJA deve receber a impressão do nome divino.” – Testemunhos Seletos, vol. 2, pág. 389. Exame público – É apropriado, portanto, que seja feito um exame público de todos os candidatos, antes do batismo, preferivelmente em presença da igreja. Se isto for impossível, ele deve ser realizado perante a Comissão da Igreja ou perante uma comissão designada por ela, como a comissão de anciãos, cujo relatório deve então ser apresentado à igreja antes do batismo. (Manual da Igreja, pág. 31.) Aliança batismal – A denominação adotou um resumo de crenças doutrinárias, preparado especialmente para instrução dos candidatos ao batismo, junto com o Voto Batismal e o Certificado de Batismo e Compromisso, como aliança batismal. Deve-se fornecer um exemplar impresso dessa aliança, com o Certificado de Batismo e Compromisso devidamente preenchido, a todos os que são aceitos como membros da igreja pelo batismo. No caso dos que são aceitos por profissão de fé, também deve ser entregue um certificado apropriado. (Manual da Igreja, pág. 31.)

Rebatismo

Conquanto a igreja não insista no rebatismo das pessoas que vêm para nós de outras comunidades religiosas e que já tenham sido batizadas por imersão e levado uma vida cristã coerente, de acordo com a luz que possuíam então, reconhece-se que seria conveniente o rebatismo. Quando uma pessoa removida da comunhão da igreja quer voltar a ser membro, essa readmissão normalmente é precedida pelo rebatismo. Quando os membros caíram em apostasia e viveram de tal maneira que a fé e os princípios da igreja tenham sido publicamente violados, devem eles, caso se reconvertam e peçam para ser aceitos como membros da igreja, entrar nela como no início, isto é, por meio do batismo. “O Senhor requer decidida reforma. E quando uma alma está verdadeiramente convertida, seja ela rebatizada. Renove seu concerto com Deus, e Deus renovará Seu concerto com ela.” – Evangelismo, pág. 375.

Algumas recomendações

1. Quanto ao rebatismo, o procedimento administrativo é o mesmo do batismo.

26 26


Admissão de Membros 2. Quando aparecer alguém pedindo o rebatismo, o secretário deve fazer um levantamento para ver se essa pessoa não consta na lista como membro de sua igreja. 3. Se for proveniente de outra igreja, perguntar pela sua origem. Ligar para o local de origem e consultar a Associação/Missão para verificar se essa pessoa não consta ainda como membro dessa igreja. 4. A igreja de origem deve ser consultada sobre o rebatismo e verificar se não há algum impedimento. 5. Ter cuidado com a pessoa que deseja ser rebatizada por várias vezes; é possível que tenha perdido o significado espiritual do batismo. 6. Uma pessoa que foi removida do rol de membros da igreja não deverá ser rebatizada antes de 12 meses, que é o período máximo de uma censura.

Batismo por voto especial Voto 2005-106 da DSA •Considerando o rápido crescimento da igreja e os desafios que todo

crescimento apresenta; •Considerando que o Evangelho encontra muitas pessoas em situação civil irregular; •Considerando que muitas dessas situações são complexas e aparentemente insolúveis; •Considerando que o Manual de Igreja nada diz a respeito; •Considerando que muitas igrejas estão confusas diante dessas situações; VOTADO que os seguintes critérios de procedimento sejam seguidos em todo o território da Divisão Sul-Americana, nos casos de pessoas que foram encontradas pelo Evangelho vivendo juntas. 1. O pedido para este voto será encaminhado pela Comissão da Igreja à Comissão Diretiva do Campo através do pastor. (Ver anexo 13.) 2. Nenhum pastor adventista está autorizado a batizar uma pessoa, considerada “Caso Especial” sem a recomendação da Comissão Diretiva do Campo. 3. Os critérios para que a Comissão Diretiva do Campo recomende um Batismo por Voto Especial, são os seguintes:

27 27


GUIA DE SECRETARIA DE IGREJA a. Que tenham pelo menos cinco anos de sólida convivência. b. Que estejam freqüentando regularmente a igreja pelo menos há um ano. c. Se um dos cônjuges não aceitar a fé adventista, e se negar categoricamente a casar, neste caso, o candidato ao batismo não deverá ter nenhum tipo de impedimento legal para o casamento. Se, no futuro, a outra parte vier a converter-se, só poderá ser batizada mediante a regularização da situação civil. 4. Que os casos que envolvem perdas de pensão, aposentadoria ou qualquer outro benefício não sejam considerados como “Caso Especial”. 5. Que a pessoa batizada e aceita como membro, por um voto especial, não seja impedida de exercer funções eclesiásticas, conforme previsto no Manual da Igreja.

Batismo de Juvenis Voto 2004-103 da DSA 1. Recomendar que não seja usada a terminologia “Batismo de Criança” e sim “Batismo de Juvenis”, considerando que a Igreja Adventista do Sétimo Dia não batiza crianças. 2. Que a idade mínima para o batismo de juvenis seja aquela que o Espírito de Profecia recomenda: “As crianças de oito, dez, ou doze anos, já têm idade suficiente para serem dirigidas ao tema da religião individual.” – Orientação da Criança, págs. 490 e 491. 3. Que os pastores adventistas só poderão batizar juvenis quando um dos pais, ou responsáveis diretos, for membro da igreja e que o candidato tenha recebido a devida instrução. 4. Que as fichas batismais dos juvenis e adolescentes, até 16 anos, sejam assinadas pelos respectivos pais ou responsáveis diretos. 5. Que os juvenis, cujos pais não forem adventistas, sejam batizados normalmente a partir dos 13 anos, após receber a devida instrução. Nos casos especiais, em que um juvenil é aluno da Escola Adventista ou participa do clube de desbravadores ou outras atividades da igreja por vários anos, serão analisados pela Comissão da Igreja a seu critério.

28 28


Admissão de Membros

Readmissão de membros – casos especiais Voto 2005-246 da DSA •Considerando a possibilidade de readmissão à igreja estabelecida pelo

Manual da Igreja, conforme o item 8 do Capítulo 15 (pág. 207); •Considerando que, nas palavras do Manual da Igreja (item 8, pág. 207), “as opções acessíveis à pessoa arrependida devam ser severamente limitadas”; •Considerando que não existe uma definição clara do significado da expressão “severamente limitadas”; •Considerando que a falta desta definição tem ocasionado sérios problemas de interpretação e falta de critérios em muitos casos. VOTADO que os seguintes critérios sejam seguidos em todo o território da Divisão Sul-Americana nos casos de pedido de readmissão de pessoas que se encontram na situação mencionada, como segue: 1. Que a pessoa esteja casada por um período aproximado de dez anos; 2. Que esteja freqüentando regularmente a igreja há pelo menos um ano; 3. Que tenha filho(s) desse novo relacionamento, uma vez que esta é a única razão mencionada no Manual da Igreja para possibilitar a readmissão; 4. Que a igreja da qual foi removido, através de sua comissão, não se oponha ao rebatismo; 5. Que o ex-cônjuge, no caso de ainda manter algum tipo de contato por causa dos filhos e/ou relacionamento com a família e/ou de amizade e/ou de convivência com a igreja, seja consultado sobre o assunto por uma ou mais pessoas designadas pela Comissão da Igreja e não se oponha ao rebatismo. 6. Antes que a decisão final seja tomada pela igreja local, o pedido de readmissão será submetido pela igreja, por intermédio do pastor ou dirigente distrital, à Comissão Diretiva da Associação/Missão, para conselhos e recomendações quanto a quaisquer possíveis passos que a pessoa ou as pessoas arrependidas devam dar para conseguir uma tal readmissão. (Ver Manual da Igreja, pág. 207 [item 8].)

Profissão de fé

O recebimento de membros por esta modalidade segue o mesmo critério

29 29


GUIA DE SECRETARIA DE IGREJA utilizado no batismo. Ou seja, vota-se na Comissão da Igreja, aprova-se na Reunião Administrativa da Igreja e então se faz a profissão de fé de forma pública, onde o candidato responde a perguntas referentes às doutrinas da IASD. Essa cerimônia poderá ser feita num sábado pela manhã antes do culto de adoração, ocasião em que receberá o devido certificado. (Ver anexo 14.) Há quatro situações em que uma pessoa pode ser aceita na Igreja Adventista do Sétimo Dia via Profissão de Fé: 1. Um dedicado cristão proveniente de outra comunidade cristã, que já foi batizado por imersão, da maneira praticada pela Igreja Adventista do Sétimo Dia. 2. Um membro da Igreja Adventista do Sétimo Dia que, devido às condições mundiais, não pode conseguir uma carta de transferência da igreja a que pertencia. 3. Um membro da Igreja Adventista do Sétimo Dia cujo pedido de carta de transferência não recebeu nenhuma resposta da igreja em que ele ou ela foi membro. Neste caso, deve-se buscar a ajuda da Associação/Missão. Se a igreja que fez o pedido está situada em outra Associação/Missão, deve ser buscada a ajuda de ambas as Associações/Missões. 4. Uma pessoa que foi removida por desaparecimento, mas na realidade permaneceu fiel ao seu compromisso cristão. Deve-se ter grande cuidado na admissão de membros que dantes pertenceram a alguma outra igreja da denominação. Não faltam exemplos de pessoas removidas da comunhão de uma igreja e que mais tarde se apresentaram a outras igrejas para serem aceitas como membros por profissão de fé. Quando uma pessoa solicita admissão por profissão de fé, devem ser feitas diligentes averiguações sobre sua experiência anterior. Os oficiais da igreja devem buscar o conselho e a ajuda do presidente da Associação/Missão. Deve ser tomado o tempo suficiente para estender as investigações até onde se tornem necessárias para revelar todos os fatos. Quando uma pessoa pede admissão como membro da igreja por profissão de fé, e se descobre que ela ainda é membro de outra igreja da denominação, não deve ser tomada providência alguma para recebê-la sem que a igreja que a mantém em sua lista de membros lhe conceda uma carta de transferência. (Manual da Igreja, págs. 41 e 42.)

30 30


Carta de

Transferência CAPÍTULO

Q

5 Manual da Igreja, Capítulo 6

uando um membro da igreja se muda de uma localidade para outra num prazo superior a seis meses, deve pedir imediatamente a carta de transferência para uma igreja próxima à sua nova residência. Essa carta de transferência é válida por seis meses, a contar da data de sua emissão, e a menos que a pessoa seja aceita dentro desse prazo, a carta perde a validade.

Passos para conceder cartas de transferência Manual da Igreja, págs. 36 e 37

Quando o membro estiver sendo transferido “para” ou “de” um grupo, o procedimento é via Associação/Missão. Ao receber um novo membro, o Grupo envia ao Campo o formulário Aviso de Transferência de Membro, a fim de que seja efetuado o pedido de transferência. (Ver anexo 15.) Quando o membro vai para uma nova Igreja/Grupo e não pede a Carta de Transferência, o Grupo envia à Associação/Missão o formulário Aviso de Mudança de Membro de Grupo para que seja tomada a devida providência a fim de se formalizar essa transferência. (Ver anexo 16.) Todo o procedimento descrito abaixo é realizado de uma igreja para outra igreja organizada. 1. O pedido deve ser feito ao secretário da igreja onde o membro deseja unir-se.

31 31


GUIA DE SECRETARIA DE IGREJA 2. O secretário envia o pedido ao secretário da igreja de onde procede o membro. (Ver anexo 17.) 3. Ao receber ou enviar uma carta de transferência, o secretário apresenta ao pastor, ao ancião e à Comissão da Igreja, que recomenda ou não o pedido à igreja. Em seguida, apresenta a carta na Reunião Administrativa da Igreja, onde se faz a primeira leitura; a votação final será após uma semana. 4. O objetivo do intervalo de uma semana é dar a todo membro a oportunidade de objeção por qualquer motivo válido. a. Em geral, essa objeção não deve ser apresentada em público, mas ao pastor, ancião ou secretário, cujo dever é apresentar à Comissão da Igreja para a devida consideração. b. O objetante deve ter a oportunidade de comparecer perante a Comissão para apresentar suas observações. Se estas não estiverem baseadas em fatos, ele deve ser aconselhado a retirá-las. c. Por outro lado, se estiverem bem fundamentadas, a Comissão da Igreja tem o dever de promover a verificação necessária. d. Em tal caso, o voto final da concessão da carta pela igreja deve ser adiado até que a questão seja devidamente esclarecida. e. Se as dificuldades envolvem divergências pessoais, devem ser feitos todos os esforços para efetuar a reconciliação. f. Se estiverem envolvidas ofensas públicas, podem ser aplicadas medidas disciplinares. Se há algum lapso espiritual, devem ser feitos esforços para restaurar o membro em questão. 5. O secretário emitirá a carta quando a igreja houver votado favoravelmente, e remeterá o formulário próprio (Formulário de Transferência) para a igreja que solicitou a carta. (Ver anexo 18.) 6. O secretário solicitante receberá a carta e a apresentará ao pastor, ao ancião, à Comissão e à igreja, onde se fará a primeira leitura. A segunda leitura será feita após uma semana, quando se faz a votação final, aceitando-se a pessoa como membro e dando-lhe as boas-vindas. 7. O secretário registra o nome do membro e a data da admissão no Livro/Ficha de Membros. Envia também ao Cadastro da Associação/Missão as informações cadastrais. (Ver anexos 10 e 19.) 8. Deverá também preencher a parte da Carta de Transferência (Certificado de Recebimento), confirmando que o membro foi aceito. Em seguida,

32 32


Carta de Transferência deverá enviá-la ao secretário da igreja de onde o membro foi transferido. (Ver anexo 18.) 9. Só então, quando o secretário que enviou a carta receber a confirmação da igreja solicitante, irá retirar o nome do membro do registro da igreja, anotando a data e a igreja para onde foi transferido. 10. No fim do mês, os membros recebidos e transferidos devem constar no relatório. Se porventura a igreja que enviou a carta de transferência não recebeu a confirmação do recebimento do membro em sua nova igreja, ele deve ser contado como membro da igreja que enviou a carta. 11. Se no final do período de validade da carta de transferência não obtiver resposta favorável, reafirme o pedido ou solicite o Certificado de Recebimento do Membro.

Resumo do procedimento de transferência Transferência de Igreja para Igreja Organizada Igreja “A”

para

Pede a Carta para a igreja “B”

Igreja “B”

Recebe o pedido de Carta da igreja “A” Vota a concessão – Envia para igreja “A”

Recebe a Carta

O membro continua nos registros até receber a confirmação de recebimento

Vota favorável Inclui o nome na lista de membros Envia a confirmação para a igreja “B” Recebe a confirmação Remove o nome por Transferência Informa à Associação/Missão a in- Informa à Associação/Missão a clusão do membro através do Re- remoção do membro através do latório Mensal. Relatório Mensal

33 33


GUIA DE SECRETARIA DE IGREJA

Transferência de Grupo para Igreja Organizada Igreja “A”

Associação/Missão

Grupo “B”

Pede a Carta para a Ass./Missão da qual o Recebe o pedido de Carta membro faz parte Confere a existência deste nome no grupo “B” Consulta o Pastor e Secretário do grupo B Vota em sua Comissão Diretiva Envia a Carta para a igreja “A” Recebe a Carta Vota favorável Inclui o nome na lista de membros Envia a confirmação para Ass./Missão de Recebe a confirmação onde recebeu a Carta Informa ao grupo “B” a remoção do membro por transferência Informa à Associação/ Missão através do Relatório Mensal

34 34

Acompanha a remoção do membro de sua lista de membros feita pela Associação/Missão


Carta de Transferência

Transferência de Igreja para Grupo

Grupo “A” Associação/Missão Informa à sua Associação/Missão o novo Recebe o pedido do membro que deseja grupo “A” fazer parte do grupo

Igreja “B”

Pede a Carta à igreja Recebe o pedido de Carta “B” da Associação/Missão Vota favorável Envia a Carta à Ass./Mis­ são que solicitou Recebe a Carta Vota em sua Comissão Diretiva Inclui o nome na lista de membros do grupo “A” Devolve a confirmaRecebe a confirmação ção para igreja “B” Informa ao grupo “A” o recebimento e in- Remove o nome por clusão do novo mem- transferência bro nesse grupo Acompanha a inclusão do membro em sua lista de membros feita pela Ass./Missão

Informa à Associação/ Missão através do Relatório Men­sal

35 35


GUIA DE SECRETARIA DE IGREJA

Transferência de Grupo para Grupo Grupo “A” Associação/Missão Informa à sua Associação/Missão o novo Recebe o pedido membro que deseja fazer parte do grupo Confere a existência deste nome no grupo “B”

Grupo “B”

Consulta o Pastor e Secretário do grupo “B” Vota em sua Comissão Diretiva Remove o nome da lista de membros do grupo “B” Inclui o nome na lista de membros do grupo “A” Informa ao grupo “A” o recebimento e inclusão do novo membro nesse grupo Acompanha a incluInforma ao grupo “B” são do membro em a remoção do nome sua lista de membros por transferência feita pela Ass./Missão

36 36

Acompanha a remoção do membro de sua lista de membros feita pela Ass./Missão


Carta de Transferência

Posição do membro durante o intervalo da transferência

O secretário da igreja que concede a carta de transferência de modo algum deverá retirar o nome do membro do livro de registro da igreja, até que tenha recebido a devolução da parte da carta que certifica haver sido o membro recebido por voto na comunhão da igreja para a qual se transferiu. Seguir outro plano qualquer é privar a pessoa da qualidade de membro da igreja durante o período da transferência, e é um procedimento que nunca deveria ser seguido.

Transferências não concluídas

No fim do mês e do ano, quando forem feitos os relatórios estatísticos da igreja, todos os membros para os quais foram concedidas cartas de transferência, mas cujos certificados de retorno não tenham sido recebidos, devem ser incluídos no número de membros da igreja que outorgou as cartas. Quando chegar o certificado atestando que o membro foi aceito pela igreja que o recebeu, o seu nome será então removido da lista da igreja que concedeu a carta de transferência e deduzido do próximo relatório estatístico mensal. A igreja que recebeu o membro porá o nome na sua lista de membros, e o incluirá em seu próximo relatório mensal.

Se o membro não for aceito

A igreja para a qual é dirigida a carta de transferência fica sob a obrigação de receber o membro, a menos que tenha alguma razão justificável e suficiente para não conceder o privilégio da comunhão da igreja. Se o membro não for recebido, o secretário da igreja deverá devolver a carta para a igreja que a emitiu, com ampla explicação das razões. O membro fica, então, na mesma posição que tinha antes de ter sido feito o pedido de transferência, isto é, pertencendo à igreja que concedeu a carta. O membro deverá cooperar com a igreja para esclarecer qualquer questão suscitada pela igreja que recusou aceitá-lo como membro.

Não conceder cartas de transferência a membros sob disciplina

Em nenhum caso deverá a igreja votar a carta de transferência de um

37 37


GUIA DE SECRETARIA DE IGREJA membro que esteja sob disciplina. Fazê-lo seria uma violação do espírito da regra áurea.

Cartas de transferência somente aos que estão em plena comunhão com a igreja As cartas de transferência só devem ser concedidas aos membros que estejam em plena comunhão com a igreja. Fazer declarações qualificativas em cartas de transferência é incorreto. Se um membro que se mudou para outra localidade tornou-se frio ou indiferente, o ancião da igreja, para estar certo do que deverá fazer quanto à concessão da carta de transferência, poderá tratar do caso com o ancião da igreja na localidade para onde o membro se mudou, antes que seja concedida a transferência.

O recebimento de membros por dificuldades de condições mundiais

Manual da Igreja, pág. 37 Devido às condições mundiais, poderá haver casos de pessoas acerca das quais não será possível enviar ou receber nenhuma comunicação da igreja onde elas se acham registradas como membros. Em tais casos, a igreja onde elas residem, de comum acordo com a Associação/Missão local, deve certificar-se do estado dessas pessoas e então recebê-las por profissão de fé. Se mais tarde for possível comunicar-se com a igreja da qual procedem, a igreja que as recebeu deverá enviar uma carta informando o que foi feito.

Não votar a carta sem a aprovação do membro

De modo algum deverá a igreja votar a concessão de uma carta de transferência contra o desejo ou pedido do membro em questão, nem deverá a igreja aceitar alguém como membro através de uma carta concedida em tais circunstâncias. Ser membro de uma igreja é uma relação pessoal do indivíduo com o corpo de Cristo. A igreja deve reconhecer esta relação e evitar qualquer procedimento que possa ser considerado arbitrário.

38 38


Carta de Transferência Por outro lado, o membro tem a obrigação de reconhecer o que contribui para o bem-estar da igreja e fazer todo o esforço possível para livrá-la dos problemas que têm que ver com membros ausentes. Ao mudar-se da região em que fica a igreja da qual é membro, a pessoa deve colaborar de bom grado neste sentido, pedindo sua carta de transferência.

Quando uma igreja for dissolvida

Se uma igreja for dissolvida ou expulsa da irmandade das igrejas pelo voto da assembléia de uma Associação/Missão, é necessário, para salvaguardar a comunhão dos membros fiéis com a Igreja, transferir todos os membros da igreja expulsa para a igreja da Associação/Missão, numa base provisória, exceto os que se recusarem a ser assim transferidos. A qualidade de membro de tais pessoas será considerada sem efeito por ocasião da expulsão da igreja. A igreja da Associação/Missão estará então autorizada a emitir carta de transferência para os membros fiéis, segundo for solicitado, e a lidar com outros casos do modo que for necessário.

A comissão da igreja não pode conceder cartas Manual da Igreja, pág. 39 Uma comissão de igreja não tem autoridade para votar cartas de transferência nem para receber membros de outras igrejas por carta. Suas atribuições a esse respeito se limitam a fazer recomendações à igreja. O voto sobre todas as transferências de membros, favorável ou não, deve ser tomado pela igreja. O secretário não tem autoridade para remover ou acrescentar nomes da lista de membros da igreja, exceto depois de um voto da igreja. A única exceção será no caso de morte do membro da igreja.

39 39


Remoção de Membros da Igreja

CAPÍTULO

A

6

remoção do nome de membros da igreja pode ocorrer de quatro maneiras: falecimento, transferência, apostasia e paradeiro ignorado.

Falecimento. Quando ocorre um falecimento, o secretário anota no livro ou na ficha do membro a data do falecimento e remove o nome dele do rol de membros regulares. A seguir, anota no relatório mensal a ser enviado à Associação/Missão. Não é necessário voto. (Ver anexo 11.) Transferência. Seguir os passos recomendados anteriormente, observando que a pessoa só estará devidamente transferida após o recebimento do Certificado de Recebimento de Membro, enviado pela igreja para a qual foi transferida. (Ver anexo 18.) Apostasia. O Manual da Igreja, no capítulo 14 (“Disciplina Eclesiástica”), apresenta as recomendações que devem ser seguidas, antes de se chegar ao extremo de remover alguém por apostasia. A remoção de um membro significa a retirada de seu nome do rol da igreja. “A separação de um membro da comunhão da igreja, que é o corpo de Cristo, é sempre assunto sério; é o passo final na disciplina que a igreja pode ministrar; é a medida extrema que a igreja pode tomar. Unicamente depois que a instrução dada neste capítulo (‘Disciplina Eclesiástica’) houver sido seguida, e depois de haverem sido feitos todos os esforços possíveis para restaurar de seus maus caminhos o membro faltoso, deve-se usar esta espécie de disciplina. Quando se pretende dar esse passo, convém consultar o pastor

40 40


Remoção de Membros da Igreja da igreja ou, se ele estiver ausente, o pastor geral da Associação/Missão, antes que a igreja tome qualquer medida.” – Manual da Igreja, pág. 194. Se o membro da igreja se colocar numa situação em que a igreja deva estudar o assunto para uma censura ou remoção, deve-se tomar o cuidado de, somente após várias visitas pastorais e do ancionato, informar ao membro da igreja, por carta (conforme modelos nos anexos 20, 21, 22 e 23), o seguinte: 1. Notificação ao membro de que o seu assunto vai ser tratado na Comissão. 2. Notificação de que o caso será levado à Assembléia. 3. Notificação de Censura, ou 4. Notificação de Remoção. No caso de Grupo, só será enviada a carta de notificação ao membro de que o seu assunto vai ser tratado na Comissão. (Ver anexo 20.) Outros comunicados que forem necessários serão enviados pela Associação/Missão após o voto da Comissão Diretiva. Convém que essa comunicação seja entregue pessoalmente pelo pastor ou ancião da igreja, com alguém designado pela Comissão da Igreja como testemunha. Se for impossível, enviar a carta por correio com “aviso de recebimento”. Se a Comissão recomendar a remoção do membro, este só será considerado removido após o voto da igreja. Isso deve ser feito numa reunião administrativa, devidamente convocada, com os membros batizados. (Ver Manual da Igreja, pág. 87.) Ao membro faltoso, deve-se demonstrar amor e simpatia, visando ao seu resgate. Deverá ser informado de que a igreja sempre anseia por sua readmissão e deseja que um dia possa haver eterna comunhão no reino de Deus. É aconselhável indicar um ou mais membros amigos e capazes de trabalhar em favor do resgate. No relatório mensal, fazer as devidas anotações para que o cadastro da Associação/Missão também remova esse nome da lista de membros.

Não devem ser removidos membros por falta de comparecimento

A pessoa ausente deve ser fielmente visitada pelos dirigentes da igreja. Enquanto essa pessoa for fiel às doutrinas da igreja, sua falta de comparecimento aos cultos da igreja não será considerada causa suficiente para remoção. (Ver Manual da Igreja, pág. 198.)

41 41


GUIA DE SECRETARIA DE IGREJA

Remoção do membro a seu próprio pedido

Deve-se ter grande cuidado ao lidar com um membro que peça o cancelamento de seu nome do rol dos membros. Embora reconheçamos que a pessoa tem o direito de decidir se quer ou não pertencer à igreja, deve-se conceder tempo suficiente a esse membro para sensata meditação e reflexão, fazendo-se todo o esforço para restaurá-lo a uma experiência satisfatória. A carta de renúncia deverá ser apresentada à Comissão da Igreja, que a encaminhará a uma reunião administrativa da igreja devidamente convocada. Em consideração cristã às pessoas envolvidas, o voto deverá ser tomado sem discussão pública. (Ver Manual da Igreja, pág. 199.)

Paradeiro desconhecido

Quando um membro se muda da vizinhança de sua igreja, tem o dever de comunicar seu novo domicílio e endereço ao ancião ou ao secretário da igreja. Enquanto for membro dessa igreja, deverá reconhecer sua responsabilidade de manter-se em contato regular com a igreja e remeter a esta seus dízimos e ofertas. O ideal é que essa informação seja enviada pelo menos uma vez por trimestre. Se, porém, o membro não informou seu novo endereço e for impossível localizá-lo, deve-se publicar seu nome no boletim da igreja, pelo período de um ano. (Ver Manual da Igreja, pág. 198.) Se ainda assim não for localizado, deve-se levar seu nome à Comissão da Igreja a fim de ser tomado um voto para “enviar” esse nome à Secretaria da Associação/Missão e ser publicado em três edições do Informativo da Secretaria Atualizada da Associação/Missão. (Ver anexo 24.) Decorrido mais um ano, se o membro não for localizado, e após a terceira publicação no Informativo da Secretaria da Associação/Missão, deve-se levar o assunto à Comissão da Igreja e, mediante voto, o membro deverá ser removido por “Paradeiro Desconhecido”. O secretário anotará a remoção no Livro/Ficha de Membros; relatará então no Relatório Mensal que enviará à Associação/Missão. Em se tratando de Grupo, o voto da remoção é tomado pela Comissão Diretiva da Associação/Missão. No caso de um membro que foi removido por paradeiro desconhecido ser localizado posteriormente, e se ele continua fiel, poderá ser recebido por profissão de fé, não necessitando de rebatismo.

42 42


Aplicação da CAPÍTULO

S

Disciplina

7 Manual da Igreja, Capítulo 14

e um membro cair em pecado, devem ser feitos esforços sinceros para resgatá-lo. “Quando a pessoa que errou se arrepende e se submete à disciplina de Cristo, deve ter uma nova oportunidade. E mesmo que não se arrependa e venha a ser removida da igreja, os servos de Deus têm o dever de com ela tentar esforços, buscando induzi-la ao arrependimento. Se se render à influência do Espírito de Deus, dando prova de arrependimento, confessando o pecado e a ele renunciando, por mais grave que seja, deve merecer o perdão e ser de novo recebida na igreja. Aos irmãos compete encaminhá-la pela vereda da justiça, tratá-la como desejariam ser tratados em seu lugar, olhando por si mesmos para que não sejam do mesmo modo tentados.” – Testemunhos Para a Igreja, vol. 7, pág. 263. Quando se tratar de pecados graves, devem ser tomadas medidas disciplinares. Isso pode ser feito de duas maneiras: 1. Por voto de censura. 2. Por voto de remoção do rol de membros da igreja. Poderá haver casos em que a igreja não considere a ofensa de gravidade suficiente para justificar a medida extrema de remoção do membro faltoso, mas suficientemente séria para merecer uma expressão de desaprovação. Essa desaprovação pode ser manifestada por voto de censura. A censura tem dois propósitos: 1. Permitir à igreja o pronunciamento de sua desaprovação de uma ofensa grave que trouxe desonra para a Causa de Deus.

43 43


GUIA DE SECRETARIA DE IGREJA 2. Impressionar o ofensor com a necessidade de corrigir sua vida e reformar seu procedimento, bem como lhe proporcionar um período de graça e prova durante o qual possa dar esses passos.

Definição de censura

O membro faltoso pode ser posto sob censura pelo voto da igreja numa reunião administrativa devidamente convocada, sempre que o membro implicado tenha sido notificado. Naturalmente, ele pode estar presente, se o quiser. O voto de censura é para um período definido de tempo: no mínimo um mês e, no máximo, doze meses. Tal voto priva o membro faltoso de qualquer cargo que possa ter na igreja e do privilégio de ser eleito para qualquer cargo durante o período de sua censura. O membro que esteja sob censura não tem o direito de participar, nem por voz nem por voto, nos assuntos da igreja, nem ter participação pública em seus cultos, tais como o ensino de uma classe da Escola Sabatina, etc. Tampouco pode ser transferido como membro para outra igreja durante o período de censura. Contudo, mesmo sob censura, continua sendo membro da igreja. Não é, porém, privado do privilégio de participar das bênçãos da Escola Sabatina, dos cultos da igreja e das cerimônias da casa do Senhor. O voto de censura não deve conter nenhuma providência tendente a separar o membro da igreja, caso não cumpra as condições impostas. Deverá inquirir-se devidamente, ao finalizar o período de censura, se o membro que está sob disciplina mudou o procedimento ou não. Se o seu procedimento é satisfatório, deve, então, ser considerado como membro em plena comunhão, sem outro voto. Se não mudou o procedimento, o seu caso deve ser considerado novamente, e será administrada a disciplina que o caso requer. A volta a qualquer cargo da igreja ocorre através de eleição.

Definição de remoção

A remoção de um membro significa a retirada de seu nome do rol da igreja. “A separação de um membro da comunhão da igreja, que é o corpo de Cristo, é sempre assunto sério; é o passo final na disciplina que a igreja

44 44


Aplicação da disciplina pode ministrar; é a medida extrema que a igreja pode tomar. Unicamente depois que a instrução dada neste capítulo houver sido seguida, e depois de haverem sido feitos todos os esforços possíveis para restaurar de seus maus caminhos o membro faltoso, deve-se usar esta espécie de disciplina. Quando se pretende dar esse passo, convém consultar o pastor da igreja ou, se ele estiver ausente, o presidente da Associação/Missão, antes que a igreja tome qualquer medida.” – Manual da Igreja, pág. 194.

Razões para a disciplina de membros

Entre os pecados graves pelos quais os membros estariam sujeitos à disciplina da igreja, acham-se os seguintes: 1. Negação da fé nos princípios fundamentais do evangelho e nas doutrinas básicas da Igreja, ou o ensino de doutrinas contrárias a eles. 2. Violação da lei de Deus, tal como a adoração de ídolos, homicídios, roubo, profanação, jogos de azar, transgressão do sábado ou falsidade voluntária e habitual. 3. Transgressão do sétimo mandamento da lei de Deus, no que diz respeito à instituição matrimonial, ao lar cristão e às normas bíblicas da conduta moral. 4. Transgressão como fornicação, promiscuidade, incesto, prática homossexual, abuso sexual de crianças e de adultos vulneráveis ou outras perversões sexuais, e novo casamento de pessoa divorciada, exceto o cônjuge que permaneceu fiel ao voto matrimonial num divórcio causado por adultério ou perversões sexuais. 5. Violência física, inclusive violência na família. 6. Fraude ou deliberada falsidade no comércio. 7. Procedimento desordenado que traga opróbrio sobre a Causa. 8. Adesão ou participação num movimento ou organização separatista ou desleal. 9. Persistente negativa quanto a reconhecer as autoridades da Igreja devidamente constituídas, ou por não querer submeter-se à ordem e à disciplina da Igreja. 10. Uso, fabricação ou venda de bebidas alcoólicas. 11. Uso, fabricação ou venda do fumo em qualquer de suas formas para consumo humano.

45 45


GUIA DE SECRETARIA DE IGREJA 12. O uso indevido ou o tráfico de narcóticos ou outras drogas. A Igreja Adventista do Sétimo Dia reconhece a necessidade de exercer grande cuidado para proteger os mais altos interesses espirituais de seus membros, assegurar um tratamento imparcial e salvaguardar o bom nome da igreja. Em alguns casos de transgressão dos mandamentos de Deus em que o pecador manifesta arrependimento profundo e faz confissão espontânea e completa, dando mostras de que se operou conversão genuína, pode a igreja administrar disciplina, pondo o transgressor sob censura por determinado período de tempo. No entanto, em caso de flagrante violação da lei de Deus que haja trazido opróbrio público à Causa, a igreja poderá considerar necessário que, mesmo se houver confissão sincera, seja o membro removido da comunhão da igreja para proteger o bom nome e as normas cristãs desta última. Mais tarde, quando for evidente que sua vida está de acordo com as normas da igreja, o ofensor poderá ser recebido de volta ao redil, através do rebatismo. Não pode a igreja resignar-se a tratar levianamente com pecados tais, nem permitir que considerações pessoais lhe afetem as resoluções. Nos casos em que houve prejuízos materiais, todos os acertos deverão ter sido acordados. Deve fazer constar sua definida e veemente desaprovação aos pecados de fornicação, adultério, todos os atos de indiscriminação moral, e outros pecados graves. Ao mesmo tempo, deve fazer tudo quanto está ao seu alcance para restaurar e resgatar os transgressores. Ao ficar o mundo continuamente mais frouxo nos assuntos morais, não deve a igreja rebaixar as normas estabelecidas por Deus.

Cuidados ao disciplinar membros

“Cristo ensinou claramente que aqueles que perseveram em pecado declarado devem ser desligados da igreja; mas não nos confiou a tarefa de ajuizar sobre caracteres e motivos. Conhece demasiado bem nossa natureza para que nos delegasse esta obra. Se tentássemos desarraigar da igreja os que supomos serem cristãos espúrios, certamente cometeríamos erro. Muitas vezes consideramos casos perdidos justamente aqueles que Cristo está atraindo a Si. Se devêssemos proceder com estas almas segundo o nosso

46 46


Aplicação da disciplina parecer imperfeito, extinguir-se-ia talvez sua última esperança. Muitos que se julgam cristãos serão finalmente achados em falta. Haverá muitos no Céu, os quais seus vizinhos supunham que lá não entrariam. O homem julga segundo a aparência; mas Deus vê o coração. O joio e o trigo devem crescer juntos até à ceifa; e a colheita até o fim do tempo da graça. “Há nas palavras do Salvador ainda outra lição, uma lição de maravilhosa longanimidade e terno amor. Como o joio tem as raízes entrelaçadas com as do trigo, assim falsos irmãos podem estar na igreja, intimamente ligados com os discípulos verdadeiros. O verdadeiro caráter desses pretensos crentes não é plenamente manifesto. Caso fossem desligados da congregação, outros poderiam ser induzidos a tropeçar, os quais, se não fosse isto, permaneceriam firmes.” – Parábolas de Jesus, págs. 71 e 72.

47 47


Os quatro

Livros da igreja e

CAPÍTULO

Como usá-los

8

V

ários são os livros que devem estar sob a custódia do secretário, e cada um dos quais deve ser usado por ele em seu momento oportuno. São eles: Livro de Eventos, Livro de Registro de Casamentos, Cadastro de Membros (fichário ou computador) e Livro de Atas da Igreja. O secretário da igreja deve guardar esses livros com muito cuidado, mesmo depois de todas as páginas serem completadas. Os livros da igreja têm valor histórico e denominacional. Quando houver substituição de secretário, esses livros devem ser entregues ao novo secretário.

Livro de Eventos

Utilizar um livro de capa dura, com folhas numeradas, comprado em papelaria, como o Livro de Atas. Poderá também ser elaborado em computador, mantendo os arquivos e imprimindo para futura encadernação. Esse livro também é conhecido como Livro de Atos. O secretário faz anotações dos eventos ocorridos no decorrer do ano, tais como: batismo (com os nomes dos batizados e pastor oficiante), semana de oração, santa ceia (com detalhes do número de participantes), programas especiais, encontro de casais, culto jovem, programas e atividades dos desbravadores, comemoração de datas especiais para a igreja, visitantes ilustres. Enfim, o secretário registrará nesse livro, para a História, o que aconteceu na comunidade da sua igreja, etc. Devem ser usadas palavras breves, abrangentes e identificáveis sobre o evento. Cada ocasião especial registrada deve conter um título.

48 48


Os quatro livros da igreja e como usá-los Por exemplo, quando for realizada a Cerimônia da Comunhão (Ceia do Senhor e Lava-pés) iniciar com a data e, na linha seguinte, começar a descrição sucinta do que ocorreu. Poderá incluir fotos, cópia do programa e alguns testemunhos. Aconselha-se que antes da transcrição definitiva para o Livro de Eventos, o secretário faça um rascunho, procurando resumir todo o evento da melhor forma e o mais completo possível. Na folha de rosto será feito o Termo de Abertura do Livro: Este livro contém _________ folhas, numeradas de 01 a _______, e servirá como Livro de Eventos no_________, para nele serem registrados os atos e eventos da Igreja Adventista do Sétimo Dia de _____________________________, situada à (Rua/Av.) _______________________________________________________, (Cidade)_________________________________________________, (Estado)________. _________

de ______________________________ de __________

O termo de abertura desse livro é assinado pelo Secretário da Associação/Missão.

Livro de Registro de Casamentos

Livro próprio onde se faz os registros de casamentos. Alguns itens devem ser observados no preenchimento desse livro: 1. Certifique-se de que o casamento foi votado pela igreja dos nubentes. 2. Solicite uma cópia da Certidão do Casamento Civil. Se a cerimônia tiver efeito civil, solicitar o Termo de Casamento Religioso para Efeito Civil. 3. Preencha todos os campos de informação do Registro de Casamento. 4. É imprescindível que as testemunhas assinem no lugar indicado. 5. Não pode haver rasuras. Se houver algum erro de preenchimento, deve-se anular o registro rasurado e reiniciar a escrituração no próximo registro previsto e numerado. 6. A escrita deve ser clara e legível, sempre observando uma boa estética. 7. Não preencha os dados na hora do casamento. Isso deve ser feito com antecedência.

49 49


GUIA DE SECRETARIA DE IGREJA Obs.: Após a cerimônia, entregar o Certificado de Casamento aos noivos.

Livro de Membros – Secretaria Informatizada

(Ver o Capítulo 3 deste Guia.) “Esse Livro de Registro da Igreja contém espaço para a lista dos membros da igreja, com as colunas necessárias para mostrar como e quando os membros foram recebidos ou removidos. Esse registro deve ser mantido cronologicamente, e os dados comprovativos de cada apontamento também devem ser registrados na seção em que são mantidas as atas dos votos sobre os membros. A lista dos membros da igreja deve ser mantida com exatidão e em dia, para indicar o número oficial dos membros e sua situação.” – Manual da Igreja, pág. 71. Quando o Manual da Igreja fala de um livro, está falando dos registros de membros e outros métodos mais práticos, fichário ou a utilização de um computador com o programa da Secretaria da Igreja, com cadastro de membros e outros aplicativos para a igreja.

Livro de Atas da Igreja

O Livro de Atas da Igreja é um documento que nunca deverá ser inutilizado. Não importa por quantos anos a igreja o tenha. É um documento histórico da igreja. Ao se iniciar um novo livro, esse deverá ser levado à Associação para que se faça a abertura e receba a assinatura do Secretário do Campo. Na folha de rosto será feito o Termo de Abertura do Livro: Este livro contém _________ folhas, numeradas de 01 a _______, e servirá como Livro de Atas no ________, para nele serem registradas as Atas da Igreja Adventista do Sétimo Dia de _________________________________, situada à (Rua/Av.) _______________________________________________________, (Cidade)_________________________________________________, (Estado)________.

_________

50 50

de ______________________________ de __________


Os quatro livros da igreja e como usá-los

Elaboração de atas da igreja

Cabeçalho – Deverá conter o nome da igreja, data, horário e local onde se reuniu a Comissão. Membros – Relação dos membros presentes, começando com o presidente, o secretário e os demais membros, em ordem alfabética, dispensando os títulos (doutor, professor, pastor, etc.). Devocional – Mencionar quem fez a meditação, se foi cantado um hino ou não, qual o hino e quem fez a oração inicial. Convidados – Registrar como 1o voto os convidados, quando houver, indicando sua atuação, se terá direito a voz e voto, não devendo exceder a 10% dos membros regulares presentes. Exemplo: Se houver 10 membros regulares presentes, apenas um (1) convidado terá direito a voz e voto. Os demais convidados terão apenas voz e não voto. Quórum mínimo – Cada igreja deve determinar, em uma de suas reuniões administrativas devidamente convocada, o número de membros da Comissão da Igreja que terão de estar presentes a suas reuniões para constituir o quórum desta comissão. (Ver Manual da Igreja, pág. 90.)

Estrutura do voto

1. Numeração – Usam-se dois dígitos para indicar o ano vigente, seguido de um hífen e o número do voto, que deverá obedecer a uma ordem crescente e anual. 2. Considerandos – Para esclarecer a decisão a ser registrada. Alguns votos, quando se fizer necessário, terão considerandos antes de registrar o voto. 3. Redação do voto – Usa-se a expressão VOTADO, seguida de um verbo na forma infinitiva. Ex.: registrar, aprovar, autorizar, comprar, nomear, etc. 4. Encerramento da Ata – a) Registra-se quem fez a oração final. b) Escreve-se o nome do presidente e do secretário. c) Tomam-se as respectivas assinaturas.

51 51


GUIA DE SECRETARIA DE IGREJA

Modelo de Ata

Ata da Comissão da Igreja do Bairro de Vila Celeste, realizada na Sala dos Juvenis, no dia 21 de fevereiro de 2006, às 20 horas Membros Presentes: José dos Anjos, presidente; Justo Leal, secretário; Antônio Mendes, Berenice Faria, Cláudia Antunes, Francisco Liberato, Joana Dutra, Onézimo de Oliveira, Paulo Santos e Zaqueu Lira da Silva. Convidado: Patrocínio de Lima, da Igreja de Parque das Nações Oração Inicial: Berenice Faria Meditação: O Pr. José dos Anjos fez uma meditação baseada no texto_____________________________________. Convidado – Voz e Voto 06-001 VOTADO conceder ao convidado o direito de voz e voto nesta Comissão. Ata Anterior – Aprovar 06-002 VOTADO aprovar a Ata da reunião anterior, realizada em 20 de dezembro de 2005. Carta de Transferência – Encaminhar 06-003 VOTADO propor à Reunião Administrativa da Igreja o encaminhamento da carta de transferência do irmão Antenor Almeida, para a igreja de Jardim Felicidade, Associação___________________________________. Carta de Transferência – Receber 06-004 VOTADO propor à Reunião Administrativa da Igreja o recebimento da irmã Alice Silva, por carta de transferência, da igreja Cidade Alegria, da Associação________________________________________________. Projeto Missionário – Vila Progresso 06-005 VOTADO propor à Reunião Administrativa da Igreja o

52 52


Os quatro livros da igreja e como usá-los Projeto Missionário para evangelização de Vila Progresso, iniciando com o plano da Semana Santa, conforme apresentado pelo Diretor do Ministério Pessoal, o irmão Francisco Liberato. Seguro – Igreja 06-006 VOTADO autorizar o tesoureiro da igreja a fazer o seguro do prédio da igreja e dos equipamentos eletrônicos, inclusive do som, conforme relação anexa. Saída do Conjunto – Autorização 06-007 VOTADO autorizar o conjunto “Melodias para Cristo”, desta igreja, a participar do programa de aniversário da igreja de Salto do Céu, no sábado, dia 28 do corrente mês, considerando que o seguro de viagem já foi providenciado, conforme comprovante registrado na tesouraria da igreja. Sanitários – Reforma - Considerando que os atuais sanitários de nossa igreja necessitam ser reformados; - Considerando que as instalações originais estão inadequadas para uso, e havendo outras opções no mercado cujos modelos são mais funcionais; - Considerando que após ouvir o irmão Patrocínio de Lima, e informados de que sua equipe técnica fez uma avaliação sobre como reformá-los com o menor custo, deixando-os mais arejados e funcionais, 06-008 VOTADO contratar a equipe do irmão Patrocínio de Lima para proceder a reforma dos referidos sanitários, uma vez que ele está em condições de emitir a nota fiscal em nome da Associação ___________________ da IASD, pelo valor final de R$ 12.430,00 (doze mil, quatrocentos e trinta reais), com o prazo de entrega em 21 dias, a partir do início da reforma, obedecendo ao seguinte cronograma de pagamento: a) 40% (R$ 4.972,00) no início da reforma; b) 30% (R$ 3.729,00) no fim da segunda semana; c) 30% (R$ 3.729,00) na entrega da obra. Oração Final: Zaqueu Lira da Silva Pr. José dos Anjos Presidente

Justo Leal Secretário

53 53


GUIA DE SECRETARIA DE IGREJA

Agenda das comissões

O pleno êxito em uma Comissão da Igreja e, posteriormente, na redação da respectiva Ata dependerá de um bom preparo da Agenda de Assuntos.

Passos no preparo da agenda

1. A Agenda será preparada pelo secretário, contendo os itens encaminhados pelos titulares dos departamentos da igreja. 2. Os itens da Agenda deverão ser estudados (discutidos) antecipadamente com o pastor e a Comissão Administrativa (pastor, ancionato, secretário e tesoureiro). 3. A precaução com os itens 1 e 2 evita que assuntos não oportunos para o momento sejam levados à Comissão da Igreja. Com isso; economiza-se tempo e disciplina os departamentos a enviarem com antecedência os itens de seu interesse. 4. Discutida a Agenda, preparam-se as cópias em número suficiente para todos os membros da Comissão.

Preparo técnico da agenda

1. Anotar local, data e horário da Comissão. 2. Nomear os componentes da Comissão, incluindo os convidados. 3. Caso haja uma meditação de abertura, indicar a pessoa que a apresentará. 4. Reservar espaço para anotar o nome das pessoas que farão a oração inicial e a final. 5. Relacionar os itens, acompanhando a ordem sugestiva na Agenda anexa e manter uma pasta com os respectivos documentos anexos, obedecendo à mesma ordem da Agenda.

Modelo de Agenda Agenda da Comissão da Igreja de Vila Celeste Local: Data:

54 54

Sala dos Jovens 21 de fevereiro de 2006


Os quatro livros da igreja e como usá-los Horário: 20 horas Membros Da Comissão: Pr. José dos Anjos – Presidente Justo Leal – Secretário Membros Regulares: Antonio Mendes Berenice Faria Cláudia Antunes Diamir Fonseca Francisco Liberato Joana Dutra Onézimo de Oliveira Paulo Santos Zaqueu Lira da Silva Convidado: Patrocínio de Lima Oração Inicial:_______________________________ . Meditação: Pr. José dos Anjos Itens: 1. Voz e voto ao convidado – Patrocínio de Lima 2. Aprovação da Ata anterior 3. Cartas de Transferência (Encaminhamento e Recebimento) 4. Projeto Missionário – Vila Progresso 5. Seguro – Igreja 6. Aniversário da Igreja de Salto do Céu – Convite 7. Reforma dos sanitários da Igreja Oração Final: _______________________________ .

55 55


GUIA DE SECRETARIA DE IGREJA

Procedimentos do Secretário em Comissões Preparo do ambiente 1. Preparar, com antecedência, a sala em que se realizará a reunião da Comissão. De preferência, manter sempre o mesmo local, e que este seja arejado, limpo e bem iluminado. 2. Chegar com antecedência para organizar o ambiente, provendo uma mesa com toalha e, de preferência, cadeiras em círculo. (Não deve haver vaso de flores sobre a mesa.) 3. Junto à mesa, colocar duas cadeiras, sendo uma para o pastor como presidente e outra para o secretário. 4. Providenciar água potável para os integrantes da Comissão, de preferência copos descartáveis. 5. Ter sempre à mão a lista de membros, canetas, papéis em branco, etc.

Andamento da Comissão

Deverá ser presidida pelo pastor distrital e, na sua impossibilidade, pelo ancião, devidamente autorizado pelo pastor, para os assuntos previstos no Manual da Igreja. 1. Convidados: Quando houver, devem ser apresentados pelo presidente aos membros regulares, com uma pequena justificativa da razão pela qual estarão participando da Comissão, e não devem representar mais do que 10% dos membros regulares presentes. 2. Compete ao presidente ou secretário da comissão introduzir os assuntos de acordo com a agenda, finalizando com a expressão: PROPONHO. 3. A forma denominacional da votação dos itens tem a seguinte ordem: a. O secretário PROPÕE. b. O presidente pede APOIO para que o assunto possa ser tratado. c. O presidente abre o assunto para OBSERVAÇÕES. d. O presidente coloca o assunto em VOTAÇÃO. e. O presidente finaliza a votação dizendo que o assunto está VOTADO.

Apresentação das Recomendações à Assembléia

Nem todos os assuntos tratados na Comissão da Igreja precisam ser

56 56


Os quatro livros da igreja e como usá-los apresentados em plenário numa Reunião Administrativa devidamente convocada para a votação. A seguir, uma relação dos itens que necessitam de um voto específico da igreja, após terem sido estudados na Comissão da Igreja: 1. Disciplina eclesiástica 2. Transferência de membros 3. Aceitação de membros 4. Nomeação de oficiais 5. Projetos missionários de envolvimento geral da igreja 6. Orçamento anual Observações: 1. Outros assuntos de caráter apenas administrativo e que não envolvam os itens mencionados acima, não necessitam de voto de aprovação da igreja. Serão apenas lidos numa seqüência para conhecimento da igreja. 2. Quando o assunto é venda ou aquisição de imóveis, a Comissão da Igreja apenas encaminha para estudos à Comissão Diretiva da Associação. A igreja local não tem autonomia para a realização desses negócios. A Reunião Administrativa deverá ser presidida pelo pastor distrital e, na sua impossibilidade, pelo ancião devidamente autorizado pelo pastor para os assuntos previstos no Manual da Igreja. Compete ao secretário introduzir os assuntos de acordo com as propostas da Comissão da Igreja com a expressão: PROPONHO. A forma denominacional da votação dos itens tem a seguinte ordem: 1. O secretário PROPÕE. 2. O presidente pede APOIO para que o assunto possa ser tratado. 3. O presidente abre o assunto para OBSERVAÇÕES. 4. O presidente coloca o assunto em VOTAÇÃO. 5. O presidente finaliza a votação dizendo que o assunto está VOTADO. No que se refere à transferência de membros propõe-se para ser votado na semana seguinte. Esta Ata segue o mesmo modelo de Atas da Igreja e deverá ser registrada no Livro de Atas, obedecendo à ordem crescente para a numeração dos votos.

57 57


GUIA DE SECRETARIA DE IGREJA

Modelo de Ata da Reunião Administrativa Ata Da Reunião Administrativa Da Igreja Do Bairro De Vila Celeste, Realizada Em 27 De Fevereiro De 2006, Às 10h20 O Pr. José dos Anjos apresentou à assembléia as recomendações da Comissão da Igreja para serem aprovadas. Carta De Transferência – Encaminhar 06-009 VOTADO encaminhar a carta de transferência do irmão Antenor Almeida para a Igreja de Jardim Felicidade, Associação__________ _____________________________________. Carta De Transferência – Receber 06-010 VOTADO o recebimento da irmã Alice Silva, por carta de transferência, da Igreja Cidade Alegria, da Associação____________________ ___________________________. Projeto Missionário – Vila Progresso 06-011 VOTADO aprovar o Projeto Missionário para evangelização de Vila Progresso, iniciando com o projeto da Semana Santa, conforme plano apresentado. Pr. José dos Anjos Presidente

58 58

Justo Leal Secretário


A Igreja da Associação/Missão Grupos Organizados e Sua Organização em Igreja CAPÍTULO

O

9

Grupos Organizados Manual da Igreja, Capítulo 6

nde houver diversos membros isolados que não residam muito longe uns dos outros, poderá ser organizado um grupo de crentes para comunhão e adoração, com o objetivo de que ele cresça e se transforme numa igreja organizada. Tal grupo de crentes pode ser organizado com a aprovação da Comissão Diretiva da Associação/Missão, e ser posteriormente dissolvido por voto da mesma Comissão Diretiva. Quando a Comissão Diretiva de uma Associação/ Missão aprova a organização de um grupo, essa organização pode ser efetuada pelo pastor do distrito ou por algum outro pastor designado pela Associação/ Missão, o qual, de comum acordo com os membros locais, nomeará um diretor, um secretário e um tesoureiro dentre os membros batizados do grupo. Todas as demais nomeações, como a dos dirigentes da Escola Sabatina, a dos dirigentes dos Ministérios Pessoais e a dos dirigentes da Sociedade dos Jovens Adventistas, devem ser feitas por voto dos membros batizados do grupo, numa reunião presidida pelo pastor do distrito ou por uma pessoa autorizada pela Comissão Diretiva da Associação/Missão. O diretor do grupo não será ordenado para esse cargo e não tem autoridade para realizar as funções de que está investido um ancião de igreja. No entanto, onde circunstâncias excepcionais justifiquem isso, a Comissão Diretiva da Associação/Missão poderá designar uma pessoa de experiência e capacidade de liderança para ser o ancião desse grupo. O tesoureiro do grupo manterá meticuloso registro de todo o dinheiro

59 59


GUIA DE SECRETARIA DE IGREJA recebido e gasto. Cada mês, ele enviará pontualmente todos os dízimos e ofertas, com exceção dos fundos arrecadados para finalidades locais, ao tesoureiro da Associação/Missão, o qual é também o tesoureiro da igreja da Associação/Missão. Como todos os membros batizados de um grupo organizado são membros da igreja da Associação/Missão, o grupo não tem o direito de administrar a disciplina da igreja. Todas as questões dessa natureza devem ser encaminhadas à Comissão Diretiva da Associação/Missão, que constitui a Comissão Executiva da Igreja da Associação/Missão, cujo presidente é o ancião dessa igreja. Tal grupo de crentes deve crescer e desenvolver-se até o ponto de exigir a organização de uma igreja regular. A liderança do grupo deve, portanto, promover e incentivar todas as campanhas e atividades da Igreja que normalmente são promovidas pelas igrejas organizadas, preparando, assim, os membros para responsabilidades mais amplas relacionadas com a plena organização da igreja. (Manual da Igreja, págs. 40 e 41.)

Passos para organizar um grupo

1. O pastor solicita da Associação/Missão a aprovação para a organização de um novo grupo, informando o número de membros que irão fazer parte, a situação financeira, a condição de liderança etc. 2. Após a aprovação, e com a relação dos membros que irão fazer parte do grupo, encaminha à Associação/Missão o pedido de transferência dos membros para o novo grupo. 3. O pastor reúne os irmãos que irão fazer parte do novo grupo, para nomear o diretor, o secretário e o tesoureiro. 4. Nomeia todas as demais funções para o devido funcionamento do grupo. 5. O secretário informa à Associação/Missão a relação de todos os oficiais.

A organização de um grupo em igreja

Por que organizar um grupo em igreja? 1. Porque, assumindo mais responsabilidades, terá mais privilégios. 2. Quais serão suas responsabilidades? a. Manter a si mesma, cuidar dos pobres, de seu prédio, etc.

60 60


A Igreja da Associação/Missão – Grupos Organizados e Sua Organização... b. Administrar seus próprios negócios, sem depender tanto da Comissão Diretiva da Associação/Missão para solucionar seus problemas. c. Receber membros por carta de transferência, batismo ou rebatismo, profissão de fé; emitir carta de transferência de membros para outras igrejas e disciplinar (censurar ou remover) membros. 3. Quais serão seus privilégios? a. Nomear todos os oficiais da igreja e ordenar os anciãos e diáconos, os quais poderão ministrar os ritos da igreja. b. Escolher, a cada quatro anos, os seus delegados para representá-la na Assembléia Denominacional Ordinária ou Extraordinária da Associação/Missão. c. Ajudar a estabelecer novas igrejas. Quando um grupo pode ser organizado em igreja? 1. Quando tiver um número suficiente de membros, a fim de desenvolver todas as atividades e departamentos de uma igreja organizada; mínimo de 35 membros batizados. 2. Quando, entre seus membros, houver líderes suficientes para dirigir a nova igreja. 3. Que se tenha reunido por tempo razoável e que demonstre ter certa estabilidade e maturidades cristãs, e que reúna condições de assumir a responsabilidade de uma igreja organizada. 4. Quando tiver condições de se manter financeiramente, sem a ajuda da Associação/Missão. Passos para a organização de um grupo em igreja 1. Líderes do grupo estudam o Manual da Igreja em detalhes. 2. O pastor deverá preencher e encaminhar à Secretaria da Associação/Missão a ficha de pedido de organização do grupo em igreja, contendo como anexos a relação dos membros batizados que freqüentam o grupo e o histórico do surgimento e desenvolvimento do grupo. 3. O pedido deve ser aprovado pela Comissão Diretiva da Associação/ Missão meses antes da organização (fixar a data). 4. Deve-se processar a revisão e reconciliação da lista de membros entre o grupo e a Associação/Missão, antes da organização.

61 61


GUIA DE SECRETARIA DE IGREJA 5. Pregar uma série de sermões preparatórios objetivando: a. Levar cada membro a reafirmar sua fé em Cristo e a se firmar nas doutrinas e princípios da igreja. b. Tornar claro o que significa ser membro da igreja, no sentido de viver a fé, cooperar nos trabalhos da igreja, ser fiel exemplo de dignidade cristã. c. Distribuir para cada membro a folha contendo as Crenças Fundamentais da fé adventista, revisando com os membros esses princípios. d. Distribuir para cada membro batizado que deseja fazer parte da nova igreja o formulário “Testemunho de Reconsagração”. e. Este formulário deve ser lido e preenchido individualmente (dias antes da organização), em duas vias, com letra de forma, e depois assinado. No dia da Organização da Igreja, a chamada dos nomes será feita por esse formulário, e quem não o tiver preenchido e assinado, não poderá ser recebido como membro no dia da organização. 6. Após a aprovação da Comissão Diretiva, o secretário da Associação/ Missão marcará com o pastor distrital, em comum acordo com o grupo, a data da organização. 7. Deve ser preparado, a fim de ser lido no dia da inauguração, o histórico de como surgiu o grupo e seu crescimento até a data da organização em igreja. 8. O pastor distrital deverá providenciar para o dia da organização do grupo em igreja, os seguintes itens: Livro de Atos e/ou Eventos, Livro de Casamentos, Livro de Atas, Livro de Membros ou programa de secretaria de igreja informatizada. Secretaria de Grupo – Procedimentos Cada grupo faz parte da igreja da Associação/Missão e deve ter uma diretoria composta por: Diretor, Secretário e Tesoureiro. Além dessa diretoria, na medida do possível, o grupo deve funcionar com todos os outros cargos, assumidos por irmãos competentes, tais como: Diretor da Escola Sabatina, Diretor dos Ministérios Pessoais, Diretor dos Ministérios da Família, Diretor do Ministério Jovem, etc. O grupo deve funcionar em forma de treinamento visando, no tempo oportuno, a transformar-se numa igreja organizada. A secretaria de um grupo está ligada diretamente ao secretário da

62 62


A Igreja da Associação/Missão – Grupos Organizados e Sua Organização... Associação/Missão, e é através desta que a Associação/Missão receberá diversas informações referentes ao grupo. Um grupo não pode efetuar recebimento, censura ou remoção de membros, porque isso compete à Comissão Diretiva da Associação/Missão. O secretário do grupo deve informar ao secretário da Associação/Missão sobre a situação do grupo, através do relatório mensal. Quando um grupo cresce e alcança a maturidade, é hora de organizá-lo em igreja.

Censurar ou remover um membro de grupo

A diretoria deverá se reunir sob a liderança do pastor distrital. Após o consenso de todos os líderes, o pastor distrital preencherá o formulário de Recomendação Para Disciplina, que é fornecido pela Associação/Missão, contendo todos os dados sobre os motivos do pedido de disciplina. Ele encaminhará esse formulário à Comissão Diretiva do Campo para que este tome o voto censurando ou removendo o referido membro. (Ver anexo 25.) 1. A Comissão Diretiva da Associação/Missão toma o voto, normalmente aceitando a recomendação de censura ou remoção, ou até modificando a recomendação em alguns casos. 2. Em seguida, o secretário da Associação/Missão informará ao grupo, por carta, a decisão da Comissão Diretiva da Associação/Missão. 3. O irmão censurado ou removido deverá ser informado pelo secretário ou pelo pastor distrital, ou por carta do secretário da Associação/Missão, que seu caso foi estudado e a decisão tomada. Em relação aos livros de Atas, Eventos, Casamentos e Registro de Membros, o grupo deve funcionar como uma igreja, mas sempre conforme o Manual da Igreja em todos os detalhes. Todo o movimento de membros de um grupo da Associação/Missão (entrada ou saída de membros) é registrado pela Comissão Diretiva da Associação/Missão.

63 63


Programa

de

Revisão Permanente

CAPÍTULO

10

U

m dos objetivos do Programa de Revisão Permanente é ter sempre ao alcance e a tempo os nomes dos irmãos que estão fracos na fé, que necessitam de urgente atenção, antes que se afastem definitivamente e sejam removidos. Outro objetivo desse programa é desenvolver um sistema de revisão organizado e permanente do rol de membros da igreja. Para que isso seja possível, é necessária a formação do Grupo Especial de Revisão (GER), com a seguinte composição: 1. De 3 a 5 membros escolhidos pela Comissão da Igreja. 2. Sugere-se que o GER seja formado pelo pastor, ancião, secretário da igreja e mais um ou dois irmãos que conheçam bem os membros. 3. Como este grupo deve ter existência permanente, a substituição dos componentes deve ser feita de acordo com as necessidades.

Responsabilidades do Grupo Especial de Revisão

1. Fazer uma triagem de todos os nomes constantes no Livro da Igreja, relacionando-os nas quatro listas auxiliares, de acordo com a condição de cada membro. 2. As quatro listas auxiliares são: Membros Regulares, Membros a Transferir, Membros Afastados e Membros com Paradeiro Desconhecido. 3. Fazer uma atualização permanente dessas quatro listas auxiliares, incluindo ou suprimindo nomes. 4. O GER pode e deve remanejar os nomes das quatro listas, conforme a mudança de situação de cada membro, mas jamais suprimi-los das listas,

64 64


Programa de Revisão Permanente até que a igreja vote a remoção. 5. Reunir-se sempre que necessário para acompanhar o andamento do processo de revisão permanente. 6. Como o secretário da igreja é o mais interessado no programa, ele deve sempre manter consigo uma cópia dessas listas atualizadas. 7. Apresentar sempre um relatório do trabalho realizado pelo GER à Comissão da Igreja, todas as vezes em que houver reunião. Este item deve ser um dos primeiros a ser apresentado na Comissão da Igreja. Com isso, haverá um processo contínuo e seguro do GER.

Responsabilidades da Comissão da Igreja

Diante da importância desse Programa de Revisão Permanente, a Comissão terá o dever de: 1. Apreciar com tempo e em detalhes os relatórios apresentados pelo GER. 2. Definir o atendimento a ser prestado aos membros constantes nas listas auxiliares. 3. Nomear os responsáveis pela direção do trabalho a ser realizado em cada lista. 4. Desde que seja possível, para melhor coordenação deste programa, designar um membro do GER como responsável por uma das listas. 5. Entregar imediatamente ao pastor ou ancião os nomes dos afastados, para que sejam tomadas todas as providências no sentido de acionar o Programa de Resgate pela igreja.

Quatro listas auxiliares para igrejas/grupos

Estas quatro listas não substituem o Fichário ou Livro da Igreja. São apenas um instrumento adicional de trabalho. Em todas elas estão incluídos os nomes dos membros da igreja, até que uma situação nova justifique a remoção. São listas confidenciais e devem sofrer atualização constante. Elas são preparadas pelo GER.

65 65


GUIA DE SECRETARIA DE IGREJA

Membros Regulares Inclui: ✓Ativos ✓Idosos ✓Doentes ✓Ocasionais Atendimento: ✓Todos matriculados na Escola Sabatina. ✓Visita entre alunos da Escola Sabatina. ✓Visita pelos Diáconos e Anciãos. ✓Participa num Pequeno Grupo. ✓Atividade Missionária Regular. ✓Envolvido com o programa da Igreja. ✓Todos possuem dons; devem utilizar esses dons em algum programa da igreja. ✓Todo membro deve ter uma atividade.

Membros Afastados

Membros a Transferir Responsável: ✓Secretaria da Igreja Procedimentos: ✓Escrever para as igrejas onde esses membros estão freqüentando, pedindo que solicitem as cartas de transferência (comunicar-se com Associação/ Missão caso o membro tenha se mudado para um grupo). ✓ Realizar todos os passos do processo de transferência. ✓Após receber a confirmação de que o membro foi recebido na nova igreja: •R  etirar o nome do Livro da Igreja. • I nformar no Relatório Mensal à Associação/Missão. • Retirar o nome da lista.

Membros Paradeiro Desconhecido

Nomear: Procedimentos: ✓Responsável pela lista e lide- 1. Fixar a lista no mural da igreja. rança do trabalho. 2. Distribuir a lista impressa aos ✓Grupos de visitação. oficiais da igreja e outros mem­ Procedimentos: bros que possam ajudar. a) Realizar Preparativos para o Resgate

66 66


Programa de Revisão Permanente 1. Organizar o Programa Reen- 3. Enviar à Associação/Missão para contro. que os nomes sejam incluídos no Informativo da Secretaria, em três 2. Distribuir endereços para visiedições. tação. 3. Marcar o dia para o programa. Procedimentos: 4. Depois de esgotados todos os b) Medidas Pós-Visitação recursos:  1. Relatório sobre a visitação a. A igreja deve votar a remorealizada. ção. 2. Encaminhamento dos resul b. No grupo, a Ass./Missão tados ao Pastor e ao Ancião toma essa providência. para realizar a visita. c. Remover o nome do Livro 3. Dar tempo – Continuar visitando. da Igreja como “Paradeiro c) Disciplina Desconhecido”.  1. Censura d. Informar à Associação/Mis 2. Remoção são através do Relatório Mensal. d) Em Caso de Remoção Observação:  1. Dar baixa no livro da Igreja. 5. Os membros localizados passa 2. Informar no relatório mensal. rão para uma das outras listas. e) Em Caso de Recuperação  1. Passar o nome para a lista de regulares.

Procedimentos com a lista de membros enviada pela associação/missão

Na sede da Associação/Missão há um cadastro informatizado para cada membro que compõe a igreja. Essa listagem de membros que a Associação/Missão possui deve ser um retrato do que acontece com os membros na igreja local. Por esse motivo, é necessário que a igreja informe constantemente à Associação/Missão, através do Relatório Mensal, toda e qualquer alteração no livro de registro de membros.

67 67


GUIA DE SECRETARIA DE IGREJA De modo geral, podemos dizer que há quatro situações diferentes na listagem de membros das igrejas: Primeira Situação: Nomes que estão na lista da Associação/Missão e também constam no Livro da Igreja. Procedimentos: Anotar um “C” após o nome, que significa “conferido.” Segunda Situação: Nomes que estão na lista da Associação/Missão, mas não constam mais no Livro da Igreja. Procedimentos: 1. Anotar após o nome, conforme o caso: a. Removido por falecimento – data. b. Removido por apostasia – data. c. Removido por transferência – lugar e data. d. Removido por paradeiro desconhecido – data. e. Nunca constou no Livro da Igreja Terceira Situação: Nomes que estão no Livro da Igreja, mas que não se encontram na lista da Associação/Missão. Procedimento: Informar, numa folha suplementar, todos os dados cadastrais do membro da igreja e enviar a lista para a Associação/Missão, aos cuidados da secretaria/cadastro de membros. Quarta Situação: Nomes que constam na relação da Associação/Missão e da igreja, porém estão incompletos ou com erro na grafia. Procedimentos: Fazer as correções e enviar a lista corrigida para a Associação/Missão, aos cuidados da secretaria/cadastro de membros. Nas quatro situações citadas acima, o secretário deverá entrar em contato com a Associação/Missão para correção, tomando todas as providências para que a lista de membros da igreja ou grupo esteja idêntica à que consta na Associação/Missão.

68 68


Programa

de CAPÍTULO

U

Resgate

11 Considerações Iniciais

ma das responsabilidades da secretaria é a coordenação do programa de resgate dos membros que se distanciaram da fé e reintegrá-los ao aprisco do “Bom Pastor”, com a participação anual da igreja. “Se a ovelha perdida não é trazida ao aprisco, vagueia até perecer. E muitas almas descem à ruína pela falta de uma mão estendida para salvá-las.” – Parábolas de Jesus, pág. 191. Quase a totalidade dos membros da igreja tem um parente, um amigo, ou irmão que cantou, orou, testemunhou e conviveu com a igreja, mas agora não está mais entre eles. Para trazê-los de volta, foi criado o programa de resgate Reencontro, Reintegração, Operação Braços Abertos ou Volta Para Casa, Filho. Não importa o nome que for utilizar, o importante é resgatar a ovelha desgarrada. Para que esse programa tenha a força que merece, ele deve fazer parte da agenda de eventos da igreja durante o ano. O Programa de Revisão Permanente deve ser realizado. O secretário da igreja e a pessoa que foi nomeada para cuidar do grupo de visitação devem acompanhar e manter o relatório mensal com os resultados das visitas feitas aos que se distanciaram da igreja, aos que estão fracos na fé, e àqueles que tiveram o nome removido do rol de membros da igreja. Para tê-los de volta, é necessário que se programe uma festa de recebimento pelo rebatismo, quando for o caso. Nessa programação, assim como aconteceu com o filho pródigo da parábola, o membro nessa condição deverá ser valorizado, apreciado, restaurado e festejado. A igeja precisa recebê-lo com calor humano, atenção

69 69


GUIA DE SECRETARIA DE IGREJA e muito amor. Essa festa será uma bênção aos que irão retornar, bem como aos demais membros. A realização de vigília e jejum em favor dessas pessoas fortalecerá a vida espiritual dos participantes. É oportuno promover um almoço de confraternização com todos aqueles com quem a igreja esteja trabalhando para o retorno. A oração intercessória, não somente nos cultos de oração como também individualmente, nos unirá ao poder do Espírito Santo. Centenas e milhares de irmãos têm encontrado o caminho de volta para Deus. Louvado seja o Senhor pelos frutos produzidos pelo programa de resgate! 1. Ele é um evangelismo de resgate. 2. Não requer uma série completa de estudos bíblicos. 3. A maioria conhece muito bem as doutrinas. 4. São pessoas conhecidas e que têm afinidade com alguém de nossa igreja. 5. Estão no cadastro de nossa secretaria, portanto, sabemos onde estão. 6. Há sempre alguém em nossa igreja que está disponível para buscá-las. 7. A missão é: relacionamento, amizade e restauração. 8. Não é algo mais a ser feito em nossa igreja e, sim, algo indispensável. 9. Jesus veio a este mundo para nos reintegrar no plano original de Deus. 10. Ele deu o grande exemplo ao nos chamar de volta para a casa do Pai.

Estrutura do Programa

Organização 1. Organize, com a secretaria da igreja, uma relação com o nome das pessoas que precisam ser atendidas espiritualmente. 2. Compare a relação dos membros da igreja com os da Escola Sabatina. 3. Realize uma reunião em que possam ter a oportunidade de identificar todos os membros da igreja e localizar os que não estão assistindo regularmente aos cultos e programas. 4. Distribua esses nomes entre os irmãos que estiverem dispostos a ajudar nesse ministério. 5. Um método que tem dado resultado é distribuir entre as classes da Escola Sabatina, inclusive a dos Jovens, os nomes a serem visitados e atendidos.

70 70


Programa de Resgate 6. Torne as datas especiais (como Semana Santa, Semana da Família, Semana de Oração Jovem, Dia das Mães) numa ocasião para pôr essas pessoas em contato com a igreja. 7. Dedique um dia para jejuar e orar em favor da pessoa escolhida. Passos Para o Trabalho 1. Fazer um levantamento dos membros removidos da igreja. 2. Escolher um nome para ser visitado, sendo preferencialmente alguém que o aprecie, que haja certa afinidade. 3. Treinar os irmãos sobre como fazer a primeira visita e outras mais. 4. Orar, antes de visitar a pessoa escolhida, para que o Espírito Santo prepare o coração dela e você seja recebido como um mensageiro de Deus. 5. Antes da visita, faça contato por telefone, e-mail ou carta, expressando sua simpatia e dizendo que tem orado por ela e pela família dela. Dever do Responsável Pelo Programa de Resgate 1. Reunir-se, com freqüência, com os irmãos que estão participando do programa de visitação. 2. Nessas reuniões, avaliar e ajudar a resolver as dificuldades que venham a surgir no decorrer do resgate. 3. Ajudá-los a levar as pessoas à decisão, pela atuação do Espírito Santo. 4. Ter a convicção de que o trabalho de resgate, além do preparo espiritual, é também de relacionamento e restauração. 5. O trabalho é de curto prazo, mas exige perseverança nesse período. Segredo Para o Sucesso O amor é a chave para ganhar os que se desviaram. Lidaremos com pessoas magoadas, revoltadas, ressentidas e desanimadas. O bom trato, a cortesia, a paciência e o companheirismo demonstrarão o amor que temos por elas.

Dicas Sobre Como Visitar

1. Seja pontual, amistoso e cordial. 2. Vá disposto a ouvir, fale pouquíssimo. 3. Deixe a pessoa falar e desabafar. Escute com interesse. Olhos nos olhos. 4. Esteja sempre de braços abertos para recebê-la.

71 71


GUIA DE SECRETARIA DE IGREJA 5. Sinta-se o pastor dela. Seja breve e objetivo. 6. Visitas curtas desinibem e surpreendem positivamente. 7. Vá ao ponto, pois poupará sofrimento à pessoa visitada. 8. Não defenda ninguém e nem tome partido, pois no momento em que você se posiciona ou discute, torna-se inimigo e incapaz de ajudá-la. 9. Evite criticar ou condenar. 10. Não se mostre admirado ou chocado com nada que a pessoa diga. 11. Aja com naturalidade. Construa um clima positivo e amigável. 12. Deixe que o Espírito Santo opere. Seja instrumento dócil nas mãos do Salvador. 13. Peça desculpas pelas feridas do passado. 14. Lembre-a de que Deus não erra e não falha. Ele é sempre justo, amoroso e leal. 15. Reivindique uma oportunidade para sarar a dor causada. 16. Tenha em mente que a sua visita tem o objetivo de resgatá-la e não discutir com ela. 17. Diga que olhe para Cristo, o único que não errou. 18. Procure compartilhar a experiência que você teve e tem com Jesus. 19. De acordo com as circunstências, leve mensagens, convites, livros, CDs, etc. 20. Jamais traia a sua confiança. Nunca conte o que ela lhe revelou. 21. Evite comentários. Não contrarie a pessoa visitada quando ela reclamar de alguma coisa do passado relacionada à sua saída da igreja. 22. Jamais diga que ele é um “afastado”. Esse termo é muito duro para ser usado aos que foram feridos na batalha contra o mal ou se desviaram do Senhor. 23. Disponha-se a ajudar a pessoa. 24. Encerre a visita com uma oração. 25. Após a oração, despeça e saia imediatamente.

“Ide, às ovelhas... da casa de Israel”

Após um sermão vigoroso, positivo, devem ser entregues aos irmãos as informações que seguem abaixo, através de uma carta, para envolvêlos. A programação deve ser bem organizada, com a devida antecedência, data marcada, horário conveniente e ambiente adequado.

72 72


Programa de Resgate

Carta Preparatória Para os Membros da Igreja Reencontro – Reintegração – Braços Abertos Operação Resgate – Volta Para Casa, Filho! Querido(a) Irmão(ã): Estamos diante de um desafio muito grande. Sua igreja está preocupada com certo número de irmãos que, por algum motivo, abandonam nossa igreja cada ano, deixando nossas fileiras e os caminhos do Senhor. São parentes nossos, amigos queridos, pessoas amadas por Deus. É hora de fazermos alguma coisa em favor desses irmãos cumprindo a ordem de Cristo: “Ide às ovelhas... da casa de Israel” (Mat. 10:6), conduzindo-as de volta ao aprisco do Senhor. Essas informações visam a destacar os passos que devemos dar para resgatar essas preciosas almas. Que o Espírito Santo o ilumine! 1. O(a) secretário(a) da igreja ou grupo tem uma lista dos membros que estão distantes da fé. Procure-o(a) e escolha a pessoa com quem você vai trabalhar. 2. Ao escolher um irmão ou irmã, procure alguém que o aprecie e que tenha certas características como você. 3. Você deve orar antes de visitar a pessoa escolhida para que o Espírito Santo prepare o coração dela e para que possa recebê-lo você como um mensageiro de Deus. 4. Dedique um dia para orar e jejuar em favor da pessoa escolhida. 5. Antes de visitar a pessoa, faça contato por telefone, carta ou cartão postal, expressando sua simpatia e dizendo que tem orado por ela pela família dela. 6. Não contrarie a pessoa quando ela reclamar de alguma coisa do passado relacionada à sua saída da igreja. Lembre-se: Seu papel é resgatá-la e não discutir com ela. Peça que olhe para Cristo, o único que não errou. 7. Partilhe com ela a experiência que você teve com Jesus. 8. No fim da visita, deixe o folheto e o convite para estar na igreja

73 73


GUIA DE SECRETARIA DE IGREJA no dia ________ de ___________________ de _______________, às _________ horas, para uma programação especial. __________________________________________

Secretaria da Igreja

Carta Para Pessoas Fracas na Fé e/ou Para os Removidos da Igreja “Acaso, pode uma mulher esquecer-se do filho que ainda mama, de sorte que não se compadeça do filho do seu ventre? Mas ainda que esta viesse a se esquecer dele, Eu, todavia, não Me esquecerei de ti.” Isa. 49:15. Querido(a) Irmão(ã): Um dia a luz do Evangelho brilhou em sua vida e você aceitou a Jesus como seu Salvador pessoal e passou a ser um adventista do sétimo dia. Entretanto, por algum motivo, você decidiu não freqüentar mais a igreja e tomou outro caminho, deixando saudade no coração dos irmãos e no coração de Deus. O seu lugar ainda continua vazio em nossa querida igreja. Hoje, nossos pensamentos se voltam para o glorioso dia da Volta de Jesus, quando Ele buscará Seu povo para habitar num mundo melhor, sem a presença da dor, do sofrimento, da doença, da saudade e da morte. O desejo sincero de nosso coração é que você se prepare para o encontro com Jesus. Nós o(a) amamos e queremos vê-lo(a) lutando ao nosso lado aqui na igreja, onde juntos nos prepararemos para a Volta de Jesus. Não importa quão longe você foi, hoje é o dia de voltar. Lembre-se: O segredo dos que vencem é começar sempre de novo. No dia ______de__________________de __________, a partir das ___________ horas, faremos uma programação especial para você. Ficaremos felizes com sua presença. Esperamos você em nossa querida igreja. Você é um de nós. Dos seus irmãos Adventistas do Sétimo Dia

74 74


Informatização da

CAPÍTULO

A

Secretaria

12

Por que Informatizar a Secretaria da Igreja

informática tem se tornado, no decorrer dos tempos, indispensável em todas as áreas de trabalho existentes no nosso planeta devido à sua alta precisão, agilidade, comodidade, facilidade de operação e fornecimento de dados. Na parte de registro de membros, temos a comodidade de contar com sistemas que facilitam a manutenção da secretaria, tanto no aspecto de digitação e cadastro de batizados e/ou transferidos vindos de outras igrejas, como na movimentação e alteração do status do membro para desaparecido, até que seja encontrado ou removido, bem como a movimentação para o arquivo morto, quando o membro é removido por apostasia, transferência para outra igreja, falecimento ou desaparecimento (quando o mesmo não for encontrado após muita procura por parte dos membros da igreja e da Associação/Missão). A ficha do membro, ao ser digitada no computador, fica gravada, sendo de fácil impressão, consulta ou alteração de dados, como o status do estado civil do membro, endereço, telefone e demais dados que devam ser alterados. Os sistemas de computadores possuem uma forma de back-up, que são cópias de segurança feitas em disquetes, ou fitas date, ou discos de zip driver, podendo assim ser restauradas no caso de acontecer um defeito no equipamento.

Informática com Espaço e Agilidade

No arquivamento de fichas de membros, é necessário que se tenha um fichário controlado com todo rigor, principalmente nas igrejas maiores,

75 75


GUIA DE SECRETARIA DE IGREJA para se evitar a mistura de fichas, alterando, assim, a ordem alfabética. Esse fichário ocupa muito espaço, principalmente se for de uma igreja grande em número de membros, dificultando a pesquisa de um dado de determinado membro. Se o arquivo não estiver em ordem alfabética, essa pesquisa se tornará muito cansativa e demorada e muitas vezes deixará de ser feita pelo fato de o arquivo estar em lugar de difícil acesso, devido à falta de espaço e também pela falta de disponibilidade de quem irá pesquisar tal informação – normalmente, os secretários das igrejas. Com as fichas arquivadas em um sistema de computação, a ordenação pode ser feita de várias formas: por código (numérica) ou por nome (alfabética). O tempo de procura de uma ficha torna-se praticamente inexpressivo por ser feita em poucos segundos, trazendo, assim, toda a ficha do membro na tela, fornecendo ao usuário do sistema todas as informações nela contidas. As cartas, quando redigidas à máquina ou à mão, também devem possuir um lugar para que sejam arquivadas. Usando o computador, basta criar uma pasta específica para cartas, deixando-as gravadas ali, podendo consultar ou imprimir quando quiser ou se fizer necessário, com uma agilidade muito maior do que se fosse procurar cartas impressas que estivessem guardadas em uma pasta comum, num arquivo ou numa gaveta.

Como Informatizar a Secretaria de uma Igreja

Para informatizar a secretaria de uma igreja, é necessário que se cumpram alguns requisitos: 1. Ter disponível, na secretaria da igreja ou em sua casa, um computador. O computador para uso da secretaria de igreja não precisa ser sofisticado, mas, quanto mais novo for, melhor será o rendimento e mais fácil será a utilização. Para que esse computador seja útil em todos os serviços, deve possuir a configuração mínima de um PC Pentium 100Mhz, 32Mb de memória RAM, Monitor Colorido, 50Mb de seu Disco Rígido livre (30Mb só para o Sistema de Secretaria, 20Mb ou mais, para arquivos diversos), um Driver de Disquete de 1.44Mb, Windows 95 ou superior, e Editores de texto de sua preferência (indicamos Microsoft Office), e uma impressora colorida.

76 76


Informatização da Secretaria 2. Ter conhecimento básico sobre o uso de computador e de sistemas. Na informatização da secretaria da igreja, a maioria dos trabalhos que antes eram feitos à mão, passarão a ser feitos através do computador, como: redação e digitação de cartas a serem enviadas para outras igrejas, membros, Associações, Órgãos Públicos e outros lugares. Por isso, é essencial saber usar um editor de texto de computador. Ao usar o sistema em que as fichas dos membros serão digitadas, também é necessário ter conhecimento mínimo de uso do computador e de uso do sistema, sendo que o treinamento para usar o sistema é fornecido pela pessoa que produz o sistema ou o(a) secretário(a) do cadastro de membros da Associação/Missão. 3. Ter em ordem a secretaria e seus serviços. Essa é a fase mais difícil, mas é extremamente essencial. Antes de começar a digitar as fichas de membros, deve ser feito um trabalho de verificação de ficha por ficha, observando se os dados estão completos, se não estão faltando fichas a serem preenchidas de membros recém-batizados, recebidos por profissão de fé ou transferência, ou se existe ficha de membros que já foram transferidos para outra igreja, pessoas que já tenham falecido ou membros removidos por desaparecimento ou apostasia e que ainda não tenha sido dado baixa no cadastro. Lembramos que esta verificação deve ser feita com base nos registros da igreja e na lista de membros da Associação/Missão, e que toda e qualquer movimentação e alteração feita nas fichas de membros, como mudança de endereço, mudança do estado civil, mudança no nome, etc., deve ser informada ao cadastro de membros da Associação/Missão. Caso a igreja tenha muitos nomes, a verificação e digitação podem ser feitas por partes. Por exemplo: Verificar e digitar nomes que comecem com as letras “A”, “B” e “C”, depois com as letras “D”, “E” e “F”, e assim sucessivamente. Após essa verificação e conclusão de perfeita atualização das fichas, começa-se a digitá-las. Após digitá-las, um back-up deve ser feito e uma cópia deve ser enviada à Associação/Missão para atualização do cadastro de membros da mesma. Para mais informações, consulte o(a) secretário(a) do cadastro de membros da Associação/Missão.

77 77


GUIA DE SECRETARIA DE IGREJA

Apresentação do Sistema de Informatização

O objetivo principal do programa é manter um registro atualizado para todos os membros. Não é um objetivo fácil, tendo em vista as alterações freqüentes nas informações de cada membro. A cada dia há novos batismos, transferências, apostasias, desaparecimentos e muitos outros motivos que mudam a vida do membro. É necessário estar atento a essas alterações, registrando tudo isso em um banco de dados para que, a qualquer momento, se possa saber onde estão esses membros, saber quem está chegando à igreja e também quem está saindo. São necessários instrumentos que ajudem a mostrar um perfil dos membros, saber seus dados básicos, como data de aniversário, data de batismo, igreja de batismo e igreja que freqüenta. Estes dados estatísticos auxiliam o trabalho do pastor. Na Divisão Sul-Americana (DSA), encerrou-se o ano de 2005 com mais de dois milhões e meio de adventistas, e isso exige um esforço muito grande para cada secretário de igreja e para a secretaria de cada Associação. Esse trabalho requer pessoas comprometidas em manter o rebanho do Senhor.

O Programa

O Sistema de Secretaria começou a ser desenvolvido em outubro de 1999, na União Central-Brasileira (UCB). Foi instalado nos Campos da UCB no 1o semestre de 2000 e, desde então, vem sendo atualizado conforme as necessidades do departamento. A partir de julho de 2001, começou a ser instalado nas demais Uniões da DSA, depois de ser votado como o programa oficial para cadastro de membros. Em 2006, o programa foi instalado em todos os Campos da DSA, mas alguns deles ainda estão trabalhando para ter todos os seus membros registrados no programa. Foi planejado um sistema para atender às necessidades do Campo e da igreja. O mesmo programa pode funcionar na Associação com o banco de dados de todas as igrejas, como também pode ser usado pela igreja com apenas o seu cadastro de membros. No fim de um período, mensal ou trimestral, a igreja pode enviar um arquivo para o Campo onde os dados dessa igreja são atualizados. Esse

78 78


Informatização da Secretaria processo tem acompanhamento do responsável pelo cadastro de membros da Associação, que pode ou não aceitar os dados que a igreja cadastrou.

Principais Controles do Sistema

Distrito • Pastor • Igreja • Cidade • Religião • Profissão • Usuário • Membro • Histórico de Membro • Movimentação Mensal por Igreja • Oficiais • Ficha de Batismo • Família • Secretaria de Grupos • Relatórios de Movimentação por Igreja • Relatórios de Membros com opção de Seleção/Filtragem • Cartas Personalizadas • Etiquetas • Comparativos de Entradas/Saídas por Distrito/Igreja •

Configuração Mínima para Uso do Programa

Pentium 100 32 Mb Memória • 50 Mb de espaço em disco • CD-ROM • Windows 98 • •

Envio do Programa Para as Igrejas Para instalar o programa, a igreja precisa de:

79 79


GUIA DE SECRETARIA DE IGREJA CD de Instalação do Programa Esse CD com o programa de instalação é gerado na Associação. A instalação está disponível no seguinte endereço na Internet: ftp.ucb.org. br/secretaria, e geralmente com o nome “InstSecXX.zip”, onde “XX” é o número da atualização do programa. Esse arquivo deve ser descompactado num diretório e depois gravado em um CD. Disquete com o Banco de Dados Fornecido Pela Associação O Sistema da Igreja usa um Banco de Dados em Access (MDB). Esse arquivo com o Banco de Dados para a igreja deve ser criado no programa de Secretaria da Associação, no menu Apoio/Exporta Dados para a Igreja. Basta escolher a igreja e clicar em exportar. Este arquivo contém as tabelas básicas da Associação e mais os membros da igreja. Como Instalar • Inserir o CD no Drive; será exibida uma tela para instalação. Caso não inicie automaticamente, execute manualmente o arquivo “Setup.EXE” que está no CD através do Windows Explorer. • Aguarde enquanto o programa descompacta os arquivos para instalação. • Clique em “Next” para continuar. • Em seguida, escolha o diretório para instalação: - O Diretório C:\Sag_IASD\Secretaria é o Diretório Padrão. - Se possível, deixe o diretório especificado para facilitar futuras atualizações. • Clique em “Next” para continuar. • O Sistema será instalado e, no final, se necessário, pedirá para reiniciar seu computador. Neste caso, reinicie para Atualizar os arquivos do Windows. • Entre no sistema pelo menu Iniciar ou pelo atalho que foi criado na tela chamado “Secretaria de Igrejas”. • Na primeira vez que for acessado, o sistema abrirá uma tela para definição da localização do Banco de Dados, com duas opções: 1. Iniciar o sistema usando disquete fornecido pela Associação ou Back-up. 2. Acessar o Banco de Dados já existente.

80 80


Informatização da Secretaria Caso seja a primeira vez que esteja instalando o sistema, escolha a primeira opção, insira o disquete gerado pela Associação no Drive “A:” e clique em “Continuar”. * Clique sobre o Arquivo “Igreja.zip” e depois clique em Abrir. * O sistema irá descompactar esse arquivo e copiar no Diretório onde foi instalado o Sistema. - Caso o seu computador tenha algum problema e seja necessário reinstalar o programa, após nova instalação o programa também precisará ser configurado para acessar o Banco de Dados. Como isso pode acontecer a qualquer momento, é recomendável que se faça Back-up freqüentemente do Banco de Dados. Use a primeira opção se tiver um disquete de Back-up ou a opção 2, se o Banco de Dados ainda estiver gravado no seu computador. • Após esses passos, o sistema estará aberto e pedirá para inserir o Usuário e a Senha de Acesso. • O sistema vem configurado com um usuário padrão, que é “Igreja”, e a senha “JA”, que pode e deve ser alterada para evitar que qualquer pessoa tenha acesso ao sistema. • O sistema pode ser atualizado via Internet, que está disponível no menu “Apoio/ Atualiza Sistema Via Internet”. Automaticamente, o sistema irá se conectar à UCB, procurar uma atualização, fazer o download e atualizar o sistema. O local onde se encontram as atualizações para o sistema é: ftp.ucb.org/secretaria.

81 81


Modelos de Formulários, Fichas, Cartas, Certificados, Relatórios e Comunicados Utilizados por uma Secretaria CAPÍTULO

13

I – Modelos de Fomulários, Fichas, Cartas, Certificados e Relatórios Utilizados por Igrejas e Grupos Esses documentos constituem apenas uma sugestão. Se, porém, o Campo vem adotando outros modelos, pode continuar usando-os, uma vez que estejam dando certo. Anexo 1

RECOMENDAÇÃO PARA CANTAR, PREGAR OU OUTRA ATIVIDADE SIMILAR

(Local e data)

Ao Pastor (Ancião ou Diretor) Da Igreja Adventista do Sétimo Dia de_____________________________________________________________________

Prezado irmão: (nomecompleto) Com prazer, apresentamos-lhe o(a) irmão(ã)___________________________________,

membro de nossa Igreja, o(a) qual se encontra em comunhão regular e que, tendo sido convidado(a), estará participando da programação de sua Igreja no dia____________ de_________________________________ de 20_______, para____________________ (especificar a atividade que irá desempenhar) ______________________________________________________________________.

Com estima cristã,

Pastor (Ancião ou Diretor) Fone:______________________________ IASD de________________________________________________________________

82 82


Modelos de Formulรกrios, Fichas, Cartas... Anexo 2

Anexo 3

83 83


GUIA DE SECRETARIA DE IGREJA Anexo 4

Pedido de Material Igreja Verifique o material que está faltando na secretaria de sua igreja, assinale o que necessitar, não esquecendo de indicar a quantidade de cada um. Quantidade ( ) Alteração de Oficial...........................................................................____________ ( ) Atualização de Endereço de Oficial............................................____________ ( ) Aviso de Casamento.........................................................................____________ ( ) Carta de Transferência.....................................................................____________ ( ) Envelope...............................................................................................____________ ( ) Ficha de Membro...............................................................................____________ ( ) Ficha em branco para Atualização de Cadastro.....................____________ ( ) Lista de Membro................................................................................____________ ( ) Pedido de Carta de Transferência................................................____________ ( ) Pedido de Material............................................................................____________ ( ) Recebimento por Carta e Atualização de Cadastro..............____________ ( ) Relação de Membros Desaparecidos para Publicação........____________ ( ) Relatório Mensal................................................................................____________ ( ) Relatório Mensal da Secretaria sem Movimento...................____________ ( ) .................................................................................................................____________ Nome da Igreja que solicita:�������������������������������������������������� Nome do(a) Secretário(a):���������������������������������������� Endereço para enviar o material:����������������������������������� ������������������������������������������������������������� Data:______/______/__________

84 84


Modelos de Formulários, Fichas, Cartas... Anexo 4

Pedido de Material Grupo Verifique o material que está faltando na secretaria de seu grupo, assinale o que necessitar, não esquecendo de indicar a quantidade de cada um. Quantidade ( ( ( ( ( ( ( ( ( ( ( ( ( ( ( ( (

) Alteração de Oficial...........................................................................____________ ) Atualização de Endereço de Oficial............................................____________ ) Aviso de Casamento.........................................................................____________ ) Aviso de Falecimento.......................................................................____________ ) Aviso de Mudança de Membro (saída)......................................____________ ) Aviso de Transferência de Membro (chegada).......................____________ ) Envelope...............................................................................................____________ ) Ficha de Membro...............................................................................____________ ) Ficha em branco para Atualização de Cadastro.....................____________ ) Lista de Membros..............................................................................____________ ) Pedido de Material............................................................................____________ ) Recebimento por carta e Atualização de Cadastro...............____________ ) Recomendação para Disciplina....................................................____________ ) Relação de Membros Desaparecidos para Publicação........____________ ) Relatório Mensal................................................................................____________ ) Relatório Mensal da Secretaria sem Movimento...................____________ ) .................................................................................................................____________

Nome do grupo que solicita:������������������������������������������������� Nome do(a) Secretário(a):���������������������������������������� Endereço para enviar o material:����������������������������������� ������������������������������������������������������������� Data:______/______/__________.

85 85


GUIA DE SECRETARIA DE IGREJA Anexo 5

ASSOCIAÇÃO_____________________DA IASD RELAÇÃO DE OFICIAIS 20_________

86 86


Modelos de Formulรกrios, Fichas, Cartas...

87 87


GUIA DE SECRETARIA DE IGREJA

88 88


Modelos de Formulรกrios, Fichas, Cartas...

89 89


GUIA DE SECRETARIA DE IGREJA Anexo 6

Anexo 7

90 90


Modelos de Formulรกrios, Fichas, Cartas... Anexo 8

91 91


GUIA DE SECRETARIA DE IGREJA Anexo 9

92 92


Modelos de Formulรกrios, Fichas, Cartas... Anexo 9

93 93


GUIA DE SECRETARIA DE IGREJA Anexo 10

94 94


Modelos de Formulรกrios, Fichas, Cartas... Anexo 11

95 95


GUIA DE SECRETARIA DE IGREJA Anexo 11

96 96


Modelos de Formulรกrios, Fichas, Cartas... Anexo 11

97 97


GUIA DE SECRETARIA DE IGREJA Anexo 11

98 98


Modelos de Formul谩rios, Fichas, Cartas... Anexo 12

Relat贸rio Mensal Secretaria de Igreja/Grupo Sem Movimento

99 99


GUIA DE SECRETARIA DE IGREJA Anexo 13 FICHA DE SOLICITAÇÃO DE BATISMO POR VOTO ESPECIAL

100 100


Modelos de FormulĂĄrios, Fichas, Cartas... Anexo 14

,

/

/

Anexo 15 Aviso de TransferĂŞncia de Membro

101 101


GUIA DE SECRETARIA DE IGREJA Anexo 16

E

Anexo 17

102 102


Modelos de Formulários, Fichas, Cartas... Anexo 18

Carta de Transferência Código n

o

Da Igreja Adventista do Sétimo Dia de: Para a Igreja Adventista do Sétimo dia de: Comunicamos que Nascido em:

/

/

Cidade:

Estado:

Pai: Batizado em:

Mãe: /

/

na Igreja de:

Pastor oficiante:

,

é membro regular de nossa Igreja. Com prazer o recomendamos aos vossos cuidados. (A transferência só será efetivada após o recebimento do comprovante abaixo.)

,

de

de

Secretário(a): Endereço:

Certificado de Recebimento do Membro Código n

o

Da Igreja Adventista do Sétimo Dia de:

Comunicamos que :

/

/

.

103 103


GUIA DE SECRETARIA DE IGREJA Anexo 19

Recebimento por Carta e Informações Cadastrais

104 104


Modelos de Formulários, Fichas, Cartas... Anexo 20

Carta 1

(Notificação ao membro de que seu assunto vai ser tratado na comissão) ,

de

de

“Não retarda o Senhor a Sua promessa, como alguns a julgam demorada; pelo contrário, Ele é longânimo para convosco, não querendo que nenhum pereça, senão que todos cheguem ao arrependimento.” II Pedro 3:9.

Prezado(a) Irmão(a):

Estamos pesarosos com o que ocorreu na sua vida cristã. Isso tem preocupado a igreja e entristecido corações que o(a) amam. Para cumprir as disposições do Manual da Igreja, o seu caso será considerado pela (Data) Comissão da igreja no domingo, , às horas, na sala da IASD de . Caso queira comparecer à reunião, faça arranjos com o Pastor ou com o PrimeiroAncião da igreja. Esse é um direito que lhe assiste. Continue contando com nossas orações. Que Deus lhe conceda a graça de ser um cristão vitorioso. A palavra de Deus diz: “Aquele, pois, que pensa estar em pé, cuide para que não caia.” I Cor. 10:12. Deus não permite tentação acima do que podemos resistir; antes com a tentação vem o escape. Nós o amamos também nos momentos difíceis. Que o Senhor lhe conceda a vitória. Fraternalmente,

Pastor da Igreja ou Primeiro-Ancião

Secretário da Igreja

105 105


GUIA DE SECRETARIA DE IGREJA Anexo 21

Carta 2

(Notificação de que o caso será levado à Assembléia) ,

de

de

“Aquele que não poupou a Seu próprio Filho, antes por todos nós O entregou, porventura não nos dará com Ele todas as cousas?” Romanos 8:32.

Prezado(a) Irmão(a):

Como membros da família humana sofremos o peso do pecado. Em decorrência disso, todos cometemos erros e estamos sujeitos às conseqüências. A sua falta foi analisada e considerada pela Comissão da igreja/grupo com muita oração. O relatório decorrente será apresentado como recomendação à igreja/grupo, que se reunirá em Assembléia Administrativa para tratar do caso. O Manual da Igreja diz: “Os membros regulares que constam do Livro de Registro da igreja, que realizar a reunião administrativa, podem participar e votar. ... Votos por procuração ou carta não serão aceitos.” – Manual da Igreja/Ano 2005, pág. 87. Seguindo os dispositivos do Manual, no dia de , os membros regulares foram convocados para a reunião que terá lugar no dia, de , às horas, no templo da IASD de Igreja Cidade , , Estado , onde a recomendação será apresentada, considerada e votada. Não deixe, irmão(ã), de freqüentar a igreja, seja qual for a posição que a assembléia tomar. “Entrega o teu caminho ao Senhor, confia nEle, e Ele tudo fará.” Salmo 37:5. Os que esperam no Senhor, renovam suas forças. Conte com nossas orações. Fraternalmente, Pastor da Igreja ou Primeiro-Ancião

106 106

Secretário da Igreja


Modelos de Formulários, Fichas, Cartas... Anexo 22

Carta 3

(Notificação de Censura) ,

de

de

“Como um pai se compadece de seus filhos, assim o Senhor Se compadece dos que O temem.” Salmo 103:13.

Prezado(a) Irmão(a):

Passamos oficialmente a informação de que hoje, a igreja reunida em assembléia, cumprindo os dispositivos do Manual da Igreja, votou censurá-lo(a) por * Colocar, se julgar necessário, o tipo de censura. meses, ( ) diante de sua situação espiritual. Este voto não tem nenhuma intenção de separá-lo(a) da igreja. A igreja age com o objetivo de corrigir rumos. Um bom pai assim o faz. A Bíblia diz: “Suportem o sofrimento com paciência como se fosse um castigo dado por um pai, pois o sofrimento de vocês mostra que Deus os está tratando como Seus filhos. Será que existe algum filho que nunca foi corrigido pelo pai?” Hebreus 12:7, NTLH. Continue a freqüentar a igreja. “Entrega o teu caminho ao Senhor, confia nEle, e o mais Ele fará.” Salmo 37:5. Que o Senhor lhe conceda a vitória! Fraternalmente,

Pastor da Igreja ou Primeiro-Ancião

Secretário da Igreja

O trecho abaixo não deve ser escrito na carta. Para completar o espaço acima com o tipo de censura apropriado: * Censura: 1) Tirando-lhe os cargos que vem exercendo na igreja. 2) Tirando-lhe o privilégio de ensinar e pregar nos programas e cultos. 3) Não podendo ser transferido(a) no período.

107 107


GUIA DE SECRETARIA DE IGREJA Anexo 23

Carta 4

(Notificação de Remoção) ,

de

de “Lançando sobre Ele toda a vossa ansiedade, porque Ele tem cuidado de vós.” I Pedro 5:7.

Prezado(a) Irmão(a):

Com pesar, comunicamos ao irmão(ã) que, nesta data, a igreja reunida em Assembléia, cumprindo as disposições do Manual da Igreja, em face à sua situação espiritual, votou a remoção do seu nome do Livro de Membros da Igreja. No entanto, queremos dizer-lhe que seu nome continuará em nosso coração e que estaremos orando para que Deus lhe conceda a graça a fim de que possa vencer as lutas do dia-a-dia e tornar-se um(a) cristão(ã) vitorioso(a). Estimado(a) irmão(ã), continue a freqüentar a igreja. Entregue o seu caminho ao Senhor e Ele endireitará as suas veredas. Jesus diz: “Vinde a Mim todos vós que estais cansados e oprimidos e Eu vos aliviarei.” Mateus 11:28. Pode contar com nossas orações. Que o Senhor lhe conceda a vitória! Com amor fraternal,

Pastor da Igreja ou Primeiro-Ancião

108 108

Secretário da Igreja


Modelos de Formulรกrios, Fichas, Cartas... Anexo 24

109 109


GUIA DE SECRETARIA DE IGREJA Anexo 25

Recomendação para Disciplina Recomendação que fazemos à Comissão Diretiva da Associação

da Igreja Adventista do Sétimo Dia

Nome: Data de Batismo:

/

/

Idade:

Código:

Grupo:

1o. MOTIVO DA DISCIPLINA (Ver Manual da Igreja , págs. 194 a 196) ( ) Negação da Fé ( ( ( ( ( (

) ) ) ) ) )

Trangressão do 7 o Mandamento Violação do Sábado Fraude - Falsidade no Comércio Opróbrio sobre a Igreja Intemperança (fumo, bebidas alcoólicas, narcóticos, carnes imundas, etc.) Outras Razões:

2o. RECOMENDAÇÃO DO MANUAL Foram seguidas as recomendações do Manual da Igreja, conforme o capítulo XIV? ( ) Sim

( ) Não

o

3 . VISITAS FEITAS ( ) Pastor - Data

/

/

( ) Data

/

/

( ) Pastor - Data

/

/

( ) Data

/

/

( ) Outros Irmãos

/

/

( ) Data

/

/

OBS: o

4 . DISCIPLINA RECOMENDADA: (Ver Manual da Igreja , págs. 193 a 194) ( ) Censura de 1 mês

( ) Censura de 9 meses

( ) Censura de 3 meses

( ) Censura de 12 meses

( ) Censura de 6 meses

( ) Remoção

OBS:

Data

/

110 110

/

Nome do Pastor

Assinatura do Pastor


Modelos de Formulários, Fichas, Cartas...

II – Modelos de Fomulários, Comunicados e Pedidos Utilizados Pela Associação/Missão AVISO DE SAÍDA DE MEMBRO DE GRUPO (Associação/Missão) ____________________________________________________________

Secretaria de Igrejas Aviso de Saída de Membro (Endereço da Associação/Missão) ____________________________________________________________ (Local e Data) ____________________________________________________________

À Igreja de: ___________________________________________________ Solicitamos a gentileza de retirar o(s) nome(s) relacionado(s) abaixo do fichário de membros do Grupo que, por motivo de mudança, já foi(ram) recebido(s) como membro(s) em_________________________________. (Nome e código do membro) ____________________________________________________________

Tenhamos em mente que o fichário de membros do seu Grupo deve estar em perfeita harmonia com o Cadastro da Associação. Saudações fraternais em Cristo, __________________________ Secretaria da Associação/Missão

111 111


GUIA DE SECRETARIA DE IGREJA

AVISO DE RECEBIMENTO DE MEMBRO DE GRUPO (Associação/Missão)

____________________________________________________________ Secretaria de Igrejas Aviso de Recebimento de Membro (Endereço da Associação/Missão) ____________________________________________________________ (Local e Data) ____________________________________________________________

À Igreja de: ___________________________________________________ Comunicamos-lhe que, de acordo com as informações recebidas, acrescentamos o(s) seguinte(s) membro(s) a este Grupo: (Nome da Igreja/Grupo) Vindo(s) de:__________________________________________________.

(Nome e código do membro) ____________________________________________________________

Para que a relação do(s) membro(s) batizado(s) desse Grupo esteja em harmonia com o Cadastro de Membros da Associação, solicitamos que prepare uma ficha para cada nome acima referido, e junte-a às demais já existentes em seu arquivo. Saudações fraternais em Cristo, __________________________ Secretaria da Associação/Missão

112 112


Modelos de Formulários, Fichas, Cartas...

CONSULTA PARA ENVIO CARTA DE TRANSFERÊNCIA (Associação/Missão)

____________________________________________________________ Secretaria de Igrejas Consulta Para Envio de Carta de Transferência (Endereço da Associação/Missão) ____________________________________________________________ (Local e Data) ____________________________________________________________ (Nome da Igreja/Grupo) Da igreja de:__________________________________________________ (Nome da Igreja/Grupo) Para a igreja de:_______________________________________________

(Nome e código do membro) ____________________________________________________________

Recebemos informações de que o(s) membro(s) acima relacionado(s) está(ão) freqüentando essa Igreja/Grupo. Apreciaríamos saber se ele(s) deseja(m) permanecer aí e desfrutar(em) a possibilidade de ser(em) membro(s) dessa Igreja/Grupo, já que possui(em) boa(s) condição(ões) espiritual(ais) e está(ão) em harmonia com os princípios da Igreja. Aqui ficamos aguardando a sua resposta, pelo que agradecemos. Obs.: Devolva-nos com urgência esta mesma carta, assinalando a alternativa adequada: a) ( ) Não conhecemos essa pessoa. b) ( ) Não deseja se transferir. c) ( ) Sim, por favor, envie-nos a Carta de Transferência. ____________________________ Secretaria da Associação/Missão

_______________________ Secretário(a) do grupo

113 113


GUIA DE SECRETARIA DE IGREJA

ENVIO DE CARTA DE TRANSFERÊNCIA DE GRUPO (Associação/Missão)

____________________________________________________________ Secretaria de Igrejas Carta de Transferência (Endereço da Associação/Missão) ____________________________________________________________ (Local e Data) ____________________________________________________________ (Nome da Igreja/Grupo) Da igreja de:__________________________________________________ (Nome da Igreja/Grupo) Para a igreja de:_______________________________________________ Membro:����������������������������������������������������������������� Nascimento:��������������������������������������������������������������� Batismo:������������������������������������������������������������������ Filiação:������������������������������������������������������������������ Endereço:���������������������������������������������������������������� Tel.:��������������������������������������������������������������������� Considerando estar o membro acima referido desejoso de unir-se à sua igreja, e tendo em vista que ele está em harmonia com os princípios denominacionais, estamos recomendandoo para ser recebido nesta igreja. Após esta carta ter sido aceita, solicitamos a cientificação de tal decisão através do “Certificado de Recebimento de Membro”, abaixo expresso , o qual deve ser destacado, preenchido e a nós enviado, a fim de que possamos efetivar o procedimento de transferência em nossos registros. Por sua atenção, somos profundamente agradecidos. __________________________ Secretaria da Associação/Missão

114 114


Modelos de Formulários, Fichas, Cartas...

CERTIFICADO DE RECEBIMENTO DE MEMBRO DE GRUPO Certificado de Recebimento de Membro (Nome da Igreja/Grupo) Da Igreja de: _________________________________________________ (Nome da Igreja/Grupo) Para a Igreja de: ______________________________________________

(Nome e código do membro) Certificamos que ______________________________________________ (Nome da Igreja/Grupo) foi recebido(a) como membro na igreja _____________________________ no dia ______/______/_____.

__________________________ Secretaria da Associação/Missão

115 115


GUIA DE SECRETARIA DE IGREJA

PEDIDO DE CARTA DE TRANSFERÊNCIA DE GRUPO (Associação/Missão)

____________________________________________________________ Secretaria de Igrejas Pedido de Carta de Transferência (Endereço da Associação/Missão) ____________________________________________________________ (Local e Data) ____________________________________________________________ (Nome da Igreja/Grupo) Da igreja de:__________________________________________________ (Nome da Igreja/Grupo) Para a igreja de:_______________________________________________

Solicitamos, pela presente, a Carta de Transferência do(s) seguinte(s) membro(s): (Nome e código dos membros) ____________________________________________________________

Por sua atenção, somos profundamente agradecidos. __________________________ Secretaria da Associação/Missão

116 116


Anotações

117 117


GUIA DE SECRETARIA DE IGREJA

118 118


Anotações

119 119


GUIA DE SECRETARIA DE IGREJA

120 120


guia de secretaria da igreja