Issuu on Google+

Comunicado Eleições Lisboa para Delegados ao Congresso Juventude Popular No passado dia 11 de Julho pelas 17h30 foi iniciado o processo de eleição para delegados ao Congresso Nacional da Juventude Popular na sede nacional do CDS-PP, sito no Largo Adelino Amaro da Costa. Esta eleição teve a duração de 3horas, tendo terminado às 20h30m. Foi detectado que parte da Mesa em exercício, era simultaneamente candidata para os lugares de delegados ao Congresso a eleger. Assim sendo, 16 dos candidatos a delegados, viram-se no direito de nomear um representante para a Mesa em funções, apresentando à mesma, uma proposta para aceitação de um representante, em nome da Democracia, Igualdade de Direitos e Transparência do Acto Eleitoral. Como seria de esperar, o pedido foi negado durante o decorrer de todo o processo. E assim sendo, os candidatos a delegados, nomearam 2 pessoas, para vigiar o acto e a respectiva Mesa, apenas na sua porta de entrada, tendo sido contabilizados, cerca de 85 a 90 eleitores. Terminado o tempo de votação, foi solicitado à Mesa que se fizesse uma contagem pública dos votos, tendo este pedido mais uma vez sido recusado. Por ser uma candidatura uninominal, os 16 candidatos a delegados que pertenceram à candidatura "Uma Equipa Um Objectivo" uniram-se para nomear um representante, uma vez que a mesa era composta por membros também eles candidatos a delegados, associados a outra lista, verificando-se assim um conflito de interesses. Após alguma agitação e intervenção, por parte alheia à JP, foi-nos dada a razão e conseguimos ter um delegado dentro da sala na hora da contagem dos votos. Até

resolução desta questão, passaram 20 minutos em que a Mesa esteve sozinha com a urna dentro da sala, reforçando, uma vez mais, que dois membros da mesa eram candidatos a delegados ao Congresso. Ora, o que se passou na hora da contagem foi o seguinte: 1. Estavam 116 pessoas descarregadas nos cadernos eleitorais; 2. Dentro da urna encontravam-se 118 votos; 3. Posteriormente foi pedida uma cópia do caderno eleitoral ao Secretário-Geral Adjunto, que nos informou que esta estava em posse de Manuel Figueiredo, Presidente da Mesa e candidato a delegado ao Congresso. Vimos por este meio mostrar o nosso desagrado com o que se passou e pedir que seja feita Justiça. Irá ser entregue uma impugnação decorrente do facto de os votos na urna não corresponderem ao número de pessoas descarregadas no caderno eleitoral, mas sendo que será a COC a decidir esta impugnação sabemos que nada será feito. Esta COC, como sabemos, foi eleita da mesma forma, com 2 votos a mais na urna, sendo que o escândalo é ainda maior pois as votações em Conselho Nacional são feitas com os conselheiros nacionais a serem chamados um a um a ir votar e apareceram mais dois votos do que pessoas presentes na sala.


Estas atitudes não nos espantam, infelizmente começamos a estar habituados. Será isto normal? Não! São estes os valores que foram transmitidos ao longo de gerações nesta juventude? Gostamos de primar pela diferença, pois parabéns, conseguimos, em muito, ser diferentes mas no sentido oposto ao que gostaríamos. Conseguimos levar o nome da JP ao que de mais negativo se pode ter na classe política e partidária. Está na altura de denunciar, está na altura de voltar a ter uma juventude às direitas e primar pelos bons princípios e valores. Está na altura do Partido tomar uma posição, pois o que acontece não é só em Lisboa, em todo o País está a acontecer o mesmo. Queremos voltar aos valores, à amizade e à união que sempre nos caracterizaram. Alexandra Benitez Álvaro Meneses; Ana Raquel Ferreira Andreia Guimarães Duarte Silveira Felipe Mota Pinto; Filipa Kahn Francisco Neto de Carvalho; Francisco Ramos; Francisco Rodrigues dos Santos Francisco Tavares Francisco Laplaine Guimarães; Frederico Sapage Pereira Frederico Távora; Gonçalo Mil Homens Pedreira; Hélder Correia; Isabel da Cunha Passo; Joana Mota João Moreira João Pita; Mafalda Ayres Manuel Ponces Magalhães Manuel Serra Margarida Figueiredo Maria Dá Mesquita; Maria do Carmo Passo Maria Luísa Aldim; Mariana Brandão Rodrigues Miguel Moura Lamy; Nuno Van Uden Sara Alves de Sousa


Eleicoes Lisboa Delegados ao Congresso