Page 1

AERONAVES

DESPORTIVAS

Informativo oficial da Associação Brasileira de Pilotos Aerodesportivos Presidente: Gustavo H. Albrecht Edição 85 - Dezembro/2019

E O ANO DE 2019 JÁ SE FOI... EDITORIAL - Por Gustavo H. Albrecht Incrível como o tempo passa rápido... parece que foi ontem que eu escrevia o Editorial do UltraleveNews de DEZ de 2018... Agora tivemos que mudar até o nome do nosso Jornal ... Pelo menos, neste final de ano tenho noticias para comentar....não será apenas reclamação contra a ANAC que escreverei. Hoje temos uma NOVA ABUL. Desde 1987 quando criamos a ABUL, fazíamos a AGE de eleições a cada dois anos mas sem muito entusiasmo pois sempre eu tinha que inscrever a chapa da Diretoria Atual pois não havia outra chapa inscrita...se não o fizesse a ABUL terminaria por falta de Diretoria. Neste ano foi diferente... houve a inscrição de outra chapa...infelizmente não seria uma “mudança” na Diretoria apenas, mas estava clara a intenção de mudar os RUMOS da entidade e eu, movido pelos verdadeiros filiados da ABUL, pessoas que vivem PARA o esporte e não DO esporte, que fizeram um belo trabalho e me colocaram a frente da Entidade por mais dois anos. Tudo isto serviu para despertar entre muitos filiados, a vontade de colaborar com a ABUL... eu a criei e a conduzi, estes anos todos contando com a boa vontade dos VOLUNTÁRIOS... que estavam se dispersando e

que agora voltaram a assumir as rédeas da ABUL, como legítimos DONOS da entidade. Tudo isto serviu também para me mostrar que, ou a ABUL mudava... ou a ABUL desapareceria. Varias das reclamações feitas por elementos da outra chapa eu já havia percebido como “deficiências” administrativas mas não as corrigia. Uma delas a “transparência” nas contas, me foi apontada pelo Wilson Lozano lá em Mangaratiba, nas vesperas da AGE... isto me incomodou muito pois eu sempre pedi ao Secretário Executivo que publicasse no nosso site TODAS as nossas contas de uma forma que os filiados, a qualquer momento, soubessem onde ia seu dinheiro pago anualmente e jamais o site espelhou o que eu queria... sempre havia uma desculpa e eu as aceitava. Isto, mais a falta de comunicação com os filiados foram dois pontos que considerei cruciais...até porque eu os reconhecia. Fomos reeleitos... continuamos no cargo... de Presidente da ABUL... não apenas daqueles que me elegeram mas de TODOS os filiados, como sempre fui. Tive a oportunidade de mostrar isto quando fui a Brasília , numa audiência da ANAC sobre o RBAC 141, exigência absurda da ANAC ao enquadrar o CPA dentro do RBAC 61. Fui lá defender as escolas... exata-


mente as que queriam disputar as eleições comigo. A NOVA ABUL, conta hoje com vários Departamentos e seus respectivos Diretores todos oriundos do GRUPO DE APOIO À ABUL que foi formado pelo Joao Carlos, RRABUL lá de SantarémPA, hoje Diretor do Departamento de Colaboradores e que está reestruturando a ABUL no Brasil inteiro... ele nomeia RRABUL onde há movimento de pilotos que justifique, troca RRABUL quando percebe que o titular perdeu o “tesao”, incentiva a nomeação de CCABUL, descobre médicos interessados em ajudar e a fazer o nosso CBPM, etc. Outro Departamento que foi criado e tem o Milton Hossaka como Diretor, é o Departamento de Convênios. O Milton é dono de uma escola que forma Pilotos em Goiânia e seu primeiro convênio ele fez entre a ABUL e sua escola, a RV Ultraleves... quem fizer o curso com ele terá a primeira anuidade da ABUL paga pela escola. Já fechou uma serie de contratos e está fechando outros... todos eles visando o benefício do associado, Lembro do que ele fechou com o Wander da FLY... "filiado da ABUL que fizer manutenção lá em Goiânia terá um substancial desconto na mão de obra". O Departamento de Marketing veio de encontro a necessidade de “comunicação” com os filiados,. O Cmt Martinez que tem uma escola de pilotagem lá em Mogi, é seu Diretor...não sei como ele consegue... voar na Aviação Comercial, tocar a escola e cuidar do Marketing da ABUL. Uma vez me disseram:-quando quiseres alguém para te ajudar, escolhe o cara mais ocupado.. ele se programará e vai conseguir... deve ser isto!!! O Departamento da Transparência... este eu não criei... ele sempre existiu... podia estar meio sem uso mas não foi por falta de cobrança... não terá um Diretor... todos nós

somos DIRETORES deste Departamento... Já pedi ao SPERB mudanças no site objetivando maior transparência... por favor... usem o site e mandem suas sugestões de como melhorá-lo... chequem as informações e informem o que não está correto...podem sugerir que informações gostariam de ter, etc O Diretor do Departamento de Colaboradores é o João Carlos e ele também é o Administrador do Grupo de Apoio no whatsapp, mas podem mandar para a ABUL que lhe repassaremos qualquer oferta de ajuda... Se forem apena sugestões, mandem... mas saibam que os atuais Diretores de Departamento começaram assim... uma sugestão... duas sugestões, na terceira sugestão na mesma área receberam um convite para dirigir o Departamento que seria criado. Não se acovardem!!! A vida é assim mesmo... existem os que fazem e os que gostariam de fazer. No mínimo terão o reconhecimento de uma coletividade inteira... a FAMILIA ABUL que se reúne uma vez ao ano apenas... no ENU. Aliás o 20º ENU será no meio de 2020 no Clube CEU em Guaratiba no Rio de Janeiro. A data ainda não está acertada com o ABEL GOMES, o Vice Pres do CEU que prometeu fazer O MELHOR ENU dos últimos 20 anos. Eu acredito nele... foi quem fez o 2º ENU no CEU, em Jacarepaguá.. e foi SENSACIONAL

Boas Festas a todos e um próspero 2020!!! É o que eu e a EQUIPE ABUL desejamos a TODOS!


A

prender a voar é um processo bastante individual e exige grande estudo e concentração, mas o prazer do voo vale cada minuto dedicado. Quem experimenta voar em um ultraleve passa a conhecer a liberdade e a emoção proporcionada pela altura. Seja por hobby, para aliviar as tensões do dia-a-dia, ou mesmo para aprender uma nova profissão, quem aceita o desafio de sair do chão passa a ter novas perspectivas sobre o mundo. Com algumas aulas de pilotagem você já descobre um mundo novo e tem vontade de explorar diversos lugares, ter novas expe-

riências e superar seus limites. Venha conhecer nossa empresa e apaixone-se pela agradável sensação de voar. A RV Escola de Pilotagem vai te ajudar a se tornar um piloto e desfrutar de momentos incríveis de prazer voando conosco. Nós temos pilotos, professores, aeronaves e estruturas que fazem nossa escola lhe proporcionar a realização desse sonho. Atualmente temos as seguintes aeronaves: TECNA SIERRA RG, BF TECHINIK Fk9 e BRAVO 700. Agende uma visita, conheça nossas instalações e descubra por si mesmo a agradável sensação de voar.

RV ESCOLA DE PILOTAGEM SEDE ADMINISTRATIVA Rua Jasmim, 370 - Setor Palmares, Minicípio de Trindade/GO CEP 75380-000 BASE OPERACIONAL Rod GO 070, s/n - Km 05 - Hangar 3/4 a sala 02 Aeródromo Brigadeiro Mario Ephinghaus - ICAO (SBNV) Município de Goiânia/GO Whatsapp: (62) 99801-4010 www.rvultraleves.com.br


SUPER PETREL LSA

CAVALON O ALVORECER DE UMA NOVA ERA O primeiro autogiro com assentos side-by-side da Auto-Gyro é uma verdadeira obra de arte em design, técnica e inovação e supera todas as restrições e limites. Este excepcional modelo proporciona aos pilotos e passageiros uma visão incomparável, muito espaço e conforto com excelente design. Devido ao seu grande volume de tanque o Cavalon lida com grandes distâncias com facilidade e sempre oferece a todos a posição perfeita graças aos seus bancos e pedais individualmente ajustáveis. O design muito especial, sofisticado e inovador do Cavalon conquistou o prêmio mais famoso em todo o mundo: o Red Dot Design Award. O Cavalon se destacou entre mais de 4.515 produtos e convenceu um júri de 30 membros. O Red Dot é um prêmio muito especial para a AutoGyro, os padrões de qualidade e inovação foram reconhecidos sendo motivo de grande orgulho da empresa.

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Comprimento x largura x altura: 4,7m x 1,8m x 2,8m Diâmetro do rotor: 8,4m Velocidade de cruzeiro: 145km/h Velocidade máxima: 160km/h Motor: Rotax 915 UL (Turbo com 141 ps)

winner 2012 Endereço: Clube Esportivo de Vôo – CEU Aeródromo Armando Nogueira – SIAN Rio de Janeiro / RJ - 22° 57' 41" S / 043° 39' 34" W

21-99820-3637 comercial@auto-gyro.com.br www,auto-gyro.com.br


AERONAVES

DESPORTIVAS

N

EVENTOS

os dias 15, 16 e 17 de novembro ocorreu o primeiro encontro Auto-Gyro Brasil - Clube CEU, evento que reuniu diversos amantes do girocóptero no país. Realizado pelo Kid, da Auto-Gyro Brasil, o evento aconteceu na sede do Clube CEU, no Rio de Janeiro. Teve como objetivo, além de reunir os fãs do aerodesporto, demonstração de novas máquinas, apresentação do novo Clube CEU, voos de apresentação e uma ótima roda de conversa, reunindo nomes como o presidente da ABUL, Gustavo H. Albrecht, sócios do CEU, Bosco, Cmte. Paraíba (Escola Looping - Atibaia), Cmte. Wilson (Escola Ares de Vale do Eldorado), Valmir, que apresentou seu novo modelo de giro tandem

5

cabinado, e menção especial a Venício e Sérgio, de Blumenau/SC, que vieram voando no novo MTO Sport 2017, em um voo de seis horas e meia. Aproximadamente cem pessoas compareceram ao Clube CEU neste encontro. Agradecimentos especiais ao Clube CEU, ABUL, Looping, Ares, Bosco, Celso Gaúcho, Alberto, Venício, Francisco de Barreira,e um agradecimento especial às pessoas que vieram de outros locais do país, como Recife, Goiânia, Rio Grande do Sul, Barreiras, entre outros. Até o próximo encontro!!! Kid (Representante oficial da Auto-Gyro GMBH no Brasil)


6

EXPERIÊNCIAS

AERONAVES

DESPORTIVAS

APRENDENDO A VOAR Q

uando me matriculei na escola Alpha Bravo, no Clube CEU, dois dias depois já havia lido todos os artigos do site da ABUL. E senti falta de um relato de alguém que estivesse aprendendo a pilotar. Prometi que assim que fizesse o vôo solo iria narrar um pouco do meu processo de aprendizagem. Então, vamos lá: No dia 5 de agosto de 2003, eu estava com 11 horas de vôo como piloto-aluno. Eu já me sentia o rei da fraseologia e fui cotejar a instrução da torre. A TORRE: Charle, Alfa, Bravo, chame no ponto de espera da pista dois, uno. O IDIOTA AQUI: Charle, Alfa, Bravo chamará no ponto de espera da pizza dois, uno. Logo depois de ter falado esta idiotice, fiquei imaginando a aeronave correndo em cima de uma gigantesca pizza de calabreza e, depois, tentando decolar com a mussarela derretida presa em seu trem de pouso, puxando-a para baixo. Lamentável. Meu instrutor chorava de rir. Se tivesse um botão ejetor, acho que eu o teria acionado. No primeiro dia de aula, o instrutor decolou, nivelou e compensou o avião a 500 pés no litoral e disse para eu assumir o comando. Segurei o manche como quem segura um taco de basebol que está tentando fugir. O instrutor, então, me mostra a maneira correta. Lembra quando sua namoradinha virgem teve o primeiro contato íntimo com você? Ela estendeu o polegar e três dedinhos apenas, num misto de vergonha e nojo, lembra? É por aí. Nas primeiras aulas, fiz umas curvas, comecei a me familiarizar com a atitude do avião, aprendi a compensá-lo e estava achando aquilo a coisa mais fácil do mundo. Minhas horas de Flight Simulator ajudaram um pouco e eu me sentia o ás da aviação. Chegou o dia da aula de coordenação e eu descobri que o negócio não era tão fácil assim. A coordenação de primeiro tipo consiste em inclinar as asas da aeronave para a esquerda e para direita, coordenando ailerons e leme, sem deixar que ela efetue nenhuma curva. Ou seja, você balança as asas mantendo a mesma proa. Tecnicamente falando isso é difícil pra cacete. E os agradáveis passeios pelas praias do Rio deram lugar a maçantes instruções sobre Vargem Grande. Eu saía do avião absolutamente suado. Mas não fui tão mal assim na coordenação. O meu

fraco foi o vôo lento. Aliás, conversando com outros alunos, descobri que cada um tem o seu ponto fraco. Se você quer aprender a pilotar, procure não ficar se comparando aos outros. Alguém pode achar fácil algo que você achou difícil e o contrário também pode acontecer. Não encare a instrução como uma corrida para tirar o Certificado de Piloto Desportivo. Se tiver a possibilidade, gaste uma horinha de passeio depois de algumas horas de instrução. Isso ajuda a lembrar o que você foi fazer ali: se divertir. Eu, por exemplo, uma vez fui até Saquarema com o meu instrutor. Foi ótimo para praticar bastante vôo reto e nivelado, e para praticar vôo lento próximo as suítes do Vips Motel. Mas, cuidado: olhe para as popas, mas mantenha os olhos na proa. No vôo lento, o avião fica bastante vulnerável ao vento e, portanto, não é fácil controlá-lo. Minha dificuldade amenizou depois de uma aula totalmente dedicada a isso. O instrutor me fez voar com a menor velocidade possível até o avião estolar. Depois, quando fui fazer o circuito de tráfego com a velocidade de 60 mph, estava achando o avião rápido e estável. Foi ótimo. Uma dica importante: não beba muito no dia anterior à instrução. Fiz isso uma vez e depois de uma curva de grande inclinação quase joguei o meu jantar no painel de instrumentos. Fora que o sujeito que bebe muito pode acabar acordando ao lado de uma baranga e o peso da sua consciência comprometer a estrutura da aeronave. Nesse dia, cheguei no solo totalmente enjoado. Chegava a andar em ziguezague. Sorte que o caminho de saída do Clube CEU também é em ziguezague e assim ninguém percebeu. Duas manobras que dão um certo frio no estômago são o stol e a glissada. O stol consiste em cabrar o avião – puxando o manche suavemente até ele ficar totalmente para trás – fazendo-o perder a velocidade e, depois, a sustentação. Se você fizer isso com as asas niveladas, tudo bem. Mas se o avião cair de asa, isso pode dar início a um parafuso. O instrutor está sempre atento a isso, mas ele espera que você mesmo faça a correção, usando os pedais. A glissada é uma manobra que permite ao piloto perder altitude rapidamente sem ganhar velocidade. Você coloca o aileron para o lado do vento e pressiona o pedal oposto. O avião fica de lado e, como você não está acostumado, dá um certo medo. Mas passa logo. E, depois, você acaba até gostando de fazer. Minha glissada melhorou, mais adiante, nas aulas de simulação de pane de motor.


AERONAVES

DESPORTIVAS

EXPERIÊNCIAS

Na simulação de pane, por segurança, você procura perder o mínimo de altitude e muitas vezes acaba chegando alto no local escolhido para o pouso e é obrigado a glissar. As aulas de pane trazem muita segurança ao aluno. Porque você descobre que se algo ruim acontecer em vôo, você tem ainda boas chances de escapar sem um arranhão. Outra dica: procure passar bastante tempo no Clube. Converse com instrutores e com pilotos mais experientes. Notei que todos adoram falar sobre aviação e ninguém vai julgá-lo chato se você ficar fazendo perguntas. Aprendi coisas nesses batepapos que não estão em livros e apostilas. 27 de setembro. Fiz um toque e arremetida na pista 07. Voltei par o litoral e vim para o segundo pouso. Toquei bem próximo à cabeceira e quando ameacei empurrar a manete de potência para arremeter, o instrutor colocou a mão no freio e mandou eu livrar a pista. Na taxiway, ele abriu a porta, saiu do FK9 e disse para eu decolar sozinho. Tinha chegado o grande dia. No ponto de espera, fiz o check de segurança e, com a permissão da Torre, alinhei e dei toda a potência. Logo, o PU-CAB estava deixando o solo e percebi que a ausência do instrutor alterava um pouco os comandos: a aeronave fica mais leve e o piloto mais nervoso. Na “Posição Nogueira”, pedi instruções para pouso. Apesar do nervosismo, tudo correu bem. Uma pequena glissada na final garantiu que eu tocasse logo no início da pista. Quando livrei a zero sete, olhei para os instrutores com a esperança deles mandarem eu estacionar. Nada efeito. Eles sorriram e fizeram sinal para eu voltar para o ponto de espera. Depois da segunda decolagem, quando cheguei no litoral havia um chuvisco. Nunca havia pego chuva antes e isso foi acontecer logo no vôo solo. Fui para o circuito de tráfego. Cheguei alto demais na pista e fui obrigado a arremeter. Quando voltei para o litoral, a chuva havia aumentado um pouco e o

7

meu nervosismo havia aumentado bastante. Pedi autorização para pouso novamente e o coordenador de vôo informou que a pista em uso, agora, era a uno cinco. Fiquei gelado. Das três pistas do clube, a uno cinco é a menor e a que possui mais obstáculos perto da cabeceira. Procurei manter a calma e segui para o pouso. Para falar a verdade, não consegui manter a calma, mas consegui seguir para o pouso, que ocorreu sem nenhum problema. Foi a sensação mais incrível da minha vida. Um misto de medo e euforia. Indescritível. Depois que desliguei os magnetos e fiz o check de abandono, me tiraram do avião. Pediram para eu tirar a camisa, o tênis, a meia e o cinto. Então, me jogaram na piscina, numa cerimônia de batismo. Depois, disseram: “Ih, esquecemos a camisa, o tênis, a meia e o cinto”. Logo, toda minha roupa boiava na piscina me fazendo companhia. Quando ia saindo do Clube, fiquei me perguntando se eu sentiria aquela sensação incrível outra vez em minha vida. Foi quando olhei para o barzinho do Clube CEU e vi o Comandante Armando Nogueira conversando com alguns amigos. Juntos, eles deveriam ter 1 milhão de horas de vôo. E pareciam tão felizes quanto eu que tinha completado meus primeiros 20 minutos. Tenho certeza que, enquanto eu estiver voando, aquele sorriso do dia 27 de setembro vai estar na nacele junto comigo. Obrigado Comandante Pucu (chefe dos instrutores), Comandante Santiago (que também me deu instrução), Comandante Alessandro (que acabou de se tornar Piloto de Recreio), Marcelo, ao futuro Comandante Marquinhos (que teve e tem a maior paciência do mundo marcando e desmarcando meus horários de vôo) e, principalmente, ao Comandante Jorge, que foi o principal responsável por minha instrução.

Rynaldo Gondim Piloto Aluno da Alpha Bravo


ARTIGO

8

AERONAVES

DESPORTIVAS

ANAC lança licença digital para profissionais da aviação civil Modelo traz inovação, mais segurança e economia de 4 milhões ao Governo Federal nos próximos 5 anos

M

ais de 40 mil profissionais da aviação civil brasileira já tem desde agosto suas licenças em formato totalmente digital. A iniciativa inovadora da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) substituirá o Certificado de Habilitação Técnica (CHT) de pilotos, mecânicos, comissários e despachantes de voo pelo CHT Digital, acessível pela tecnologia QR Code. Além de trazer mais segurança ao acesso de dados, esse modelo dispensará a impressão de licenças, gerando uma economia anual de 800 mil reais ao Governo Federal. Atualmente são emitidas cerca de cinco mil novas licenças por ano para todas as categorias de profissionais da aviação civil, e o custo de impressão, tanto para novas licenças quanto para a emissão de licenças atualizadas, é atribuído à União. Os profissionais da aviação civil remuneram o processo de validação da documentação que envolve a concessão de licenças e habilitações, mas serão isentos da taxa de emissão para a segunda via da licença, no valor de R$ 43,34, e terão os certificados e as habilitações concedidas e atualizadas imediatamente no sistema, após a finalização de cada processo. Antes, o prazo para emissão de uma nova licença ou para a atualização de habilitações e exames era de pelo menos 30 dias – prazo de confecção e envio de uma nova licença impressa em cartão pela Casa da Moeda. Outro ganho para o profissional é na apresentação do documento para execução das atividades e eventuais fiscalizações. Apenas de posse do código em QR Code, correspondente à licença do profissional, e de posse de um documento de identificação oficial com foto, o regulado estará licenciado para executar sua profissão. O modelo de CHT físico também ficará disponível no sistema, caso o profissional tenha interesse em fazer sua própria impressão. Prevista no Código Brasileiro de Aeronáutica, a licença para profissionais de aviação civil é um documento utilizado mundialmente, e o Brasil é um dos países pioneiros na certificação digital. A licença física impressa pela Casa da Moeda do Brasil só será aceita até o dia 31 de dezembro de 2019. A partir do dia 1° de janeiro de 2020, o profissional de aviação civil terá que portar, obrigatoriamente, a versão digital da licença (CHT Digital), em meio físico ou impresso, com o QR Code, por licença, disponível

para leitura. Além do QR Code, a consulta de licenças, habilitações e exames periódicos, e suas respectivas validades, poderá ser feita pelos sistemas: CHT - Sistema de emissão do Certificado de Habilitação Técnica e Sistema de Aviação Civil (SACI), mediante senha e login do regulado. O acesso público poderá ser feito na internet, em “Pesquisar Habilitações e Licenças”, mediante fornecimento de Código ANAC, CPF e data de nascimento do regulado. É importante que o profissional também mantenha sua documentação completa em modo offline ou impressa para apresentação, quando necessário. Recadastramento de Mecânicos de Manutenção Aeronáutica e Endosso na CIV Digital Outra novidade já em vigor é a mudança no procedimento para recadastramento de Mecânicos de Manutenção Aeronáutica (MMA), que visa a obtenção e a renovação automática das habilitações da categoria. Também já está vigorando os novos procedimentos para o lançamento de endossos nos registros de voo de pilotos, com o objetivo de facilitar e automatizar os casos de endosso registrados na Caderneta Individual de Voo Digital (CIV Digital). Dúvidas e informações Acesse o QR Code e conheça mais sobre o CHT Digital e os canais de comunicação com a ANAC:

www.anac.gov.br/chtdigital


AERONAVES

9

DESPORTIVAS

AS TRÊS PENEIRAS Por Gustavo H.Albrecht

Antes das eleições da ABUL, fiquei bastante decepcionado com vários filiados... Sei que, no “calor da disputa”, podemos dizer e fazer coisas que normalmente não diríamos ou faríamos. Aceito a crítica... desde que a mesma tenha algum fundo de verdade. Mas não foi isto que eu vi nesta eleição... foram ditas várias inverdades contra a ABUL mas , principalmente contra a minha pessoa. Vi aglutinarem-se, em apoio à “oposição”, a maioria das pessoas que, nestes anos todos como Presidente, tive que “cortar as asas” pois tinham interesses escusos... muitas vezes disfarçados por “legítimas” reivindicações. Aí, recebi uma mensagem com o texto “As três peneiras” que achei excelente. Tenho mania de arquivar textos e mensagens e achei que valia a pena compartilhar com os amigos alguma delas. ========================================= AS TRÊS PENEIRAS Augustus procurou Sócrates e disse-lhe: - Sócrates, preciso contar-lhe algo sobre alguém! Você não imagina o que me contaram a respeito de... - nem chegou a terminar a frase, quando Sócrates ergueu os olhos do livro que lia e perguntou: - Espere um pouco Augustus. O que vai me contar já passou pelo crivo das três peneiras? - Peneiras? Que peneiras? - Sim. A primeira, Augustus, é a da VERDADE. Você tem certeza de que o que vai me contar é absolutamente verdadeiro? - Não. Como posso saber? O que sei foi o que me contaram! - Então suas palavras já vazaram a primeira peneira. Vamos então para a segunda peneira: a BONDADE. O que vai me contar, gostaria que os outros também dissessem a seu respeito? - Não, Sócrates! Absolutamente, não! - Então suas palavras vazaram, também, a segunda peneira. Vamos agora para a terceira peneira: a NECESSIDADE. Você acha mesmo necessário contar-me esse fato, ou mesmo passálo adiante? Resolve alguma coisa? Ajuda alguém? Melhora alguma coisa?

- Não, Sócrates. Passando pelo crivo das três peneiras, compreendi que nada me resta do que iria contar. E Sócrates sorrindo concluiu: - Se passar pelas três peneiras, conte! Tanto eu, quanto você e os outros iremos nos beneficiar. Caso contrário, esqueça e enterre tudo. Será uma fofoca a menos para envenenar o ambiente e fomentar a discórdia entre irmãos. Devemos ser sempre a estação terminal de qualquer comentário infeliz! Da próxima vez que ouvir algo, antes de ceder ao impulso de passá-lo adiante, submeta-o ao crivo das três peneiras porque: Pessoas sábias falam sobre idéias; Pessoas comuns falam sobre coisas; Pessoas medíocres falam sobre pessoas. ========================================= Estes são dois provérbios chineses: “Há três coisas que jamais voltam: a flecha lançada, a palavra dita e a oportunidade perdida”. “Você tem uma boca e dois ouvidos. Use-os nesta proporção”. Já este, é um provérbio italiano: “A sabedoria vem de escutar; de falar, vem o arrependimento”. Por tudo isto, a gente pode ver, olhando para trás, como já errou na nossa vida. Felizmente, ainda há tempo para uma mudança. Vamos aproveitar a NOVA ABUL e, dentro deste “espírito de renovação”, tentar mudar o nosso procedimento para com nós mesmos e com os outros que nos cercam. Com certeza seremos pessoas melhores e, no dia do “juízo final” nosso “saldo positivo” estará melhor. Eu penso que “ajudar o próximo” é a melhor maneira de empregar o meu tempo...posso não aumentar minhas posses...ficar rico...mas me sentirei bem melhor comigo mesmo. Creio que deve ser este sentimento que trouxe tantas pessoas a colaborarem com a ABUL. Estão doando o seu tempo e trabalho em benefício de TODOS.


10

AERONAVES

DESPORTIVAS

Você sabe o que a ABUL faz por você? Atribuições da ABUL: 1 - Objetivo maior: ter uma Associação forte e representativa para defender a liberdade de voar dos praticantes do aerodesporto. 2 - Buscar o entendimento dos Órgãos de Aviação Civil a fim de temos uma categoria reconhecida e com habilitação diferenciada, respeitando-se as peculiaridades do perfil de um piloto aerodesportivo. 3 - Disponibilizar colaboradores isentos de qualquer ligação com as entidades de ensino, para avaliar o conhecimento teórico e prático de seus alunos, visando maior credibilidade na instrução. 4 - Coordenar, através dos seus RRABUL Representantes Regionais - a aplicação de provas teóricas, indicação dos checadores para os exames de proficiência e o direcionamento para a ABUL dos processos dos pilotos, para revisão e posterior encaminhamento à ANAC. 5 - Realizar, através dos seus CCABUL, os exames de perícia (voo de cheque); 6 - Coordenar, através dos seus MCABUL- Médicos Cadastrados da ABUL na ANAC, os exames de saúde de 4ª classe; 7 - Cadastrar Representantes Técnicos junto à ANAC afim de que o piloto aerodesportivo não precise recorrer às poucas oficinas homologadas pela ANAC para obtenção de RIAM; 8 - Elaborar material didático com base no conteúdo programático para as provas teóricas;

9 - Agilizar o processo administrativo dos filiados para que a ANAC possa emitir seus certificados; 10 - Acompanhar o processo de habilitação dos filiados junto à ANAC; 11 - Prestar assessoria para os filiados em virtude de complicações advindas desse processo; 12 - Disponibilizar um canal direto com os filiados através de site, mala direta e, trimestralmente, em boletim impresso (Revista); 13 - Manter convênio com uma corretora de seguros, a fim de obter a menor cotação para seguro aeronáutico; 14 - Manter convênio com uma Consultoria / Despachante Aeronáutico, a fim de possibilitar descontos para os filiados nos serviços de registro de aeronaves, transferência de propriedade, licença de estação, regularização da documentação das aeronaves; homologação de ESCOLAS/CURSOS, homologação de aeródromo; 15 - Realizar, anualmente, o ENU-Encontro Nacional de Pilotos Aerodesportivos, visando a interação e confraternização dos pilotos através da organização de palestras interativas; 16 - Participar de reuniões junto aos órgãos aeronáuticos, a fim de apresentar as reivindicações dos filiados;

"PRESTIGIE SUA ASSOCIAÇÃO. NOSSA UNIÃO É CONDIÇÃO FUNDAMENTAL PARA PRESERVARMOS NOSSO DIREITO DE VOAR".


Participe do Fórum da ABUL através de seu login e senha. Quaisquer dúvidas, entreem contato através do e-mail

abul@abul.com.br Livro "Os melhores testes de Fernando de Almeida" O livro "Os Melhores Testes de Fernando Almeida" é uma leitura extremamente agradável e enriquecedora, indispensável a biblioteca de qualquer aviador. Com o texto de leveza ímpar e com uma profunda carga de cultura aeronáutica, Fernado Almeida primeiro nos ensina os critério e o método das avaliações dos aviões, e em seguida nos faz voar em aviões escolhidos entre os mais prazerosos de nossos céus. É um belíssimo livro que além da grande carga de conhecimento passada pelo Fernando, ainda tem incríveis fotos dos fotógrafos Koi e Laert Gouvêa. O livro está sendo vendido exclusivamente pela ABUL pelo valor de R$ 70,00. Caso deseje seu exemplar, entrar em contato através do e-mail abul@abul.com.br, com o assunto "Livro Fernando de Almeida".


AERONAVES

DESPORTIVAS

Único Curso (EAD) reconhecido pela ANAC - CMA Classes 1ª, 2ª e 4ª O CURSO BÁSICO DE PERÍCIA MÉDICA (CBPM) da ABUL é um curso feito a distância (EAD), reconhecido pela ANAC e que substitui o Curso presencial dado pela ANAC, uma vez ao ano, no Rio de Janeiro. Os Médicos aprovados neste curso, depois de credenciados pela ANAC, poderão emitir os Certificados Médicos Aeronáuticos (CMA) das Classes 2 e 4, que são exigidos dos Aeronautas conforme o RBAC 61 (Pilotos Privados , Aerodesportivos e outros), além de poderem fazer parte das Clínicas Autorizadas pela ANAC para a emissão do CMA de 1ª Classe, exigido pelo RBAC 61 para os Pilotos profissionais (PC e PLA).

Obs.: A inspeção de saúde para 1ª Classe só pode ser realizada em clínicas médicas credenciadas pela ANAC.

Novas Turmas em 2020

Maiores informações: (21) 2262-0487 / abul@abul.com.br

AERONAVES

DESPORTIVAS Avenida Presidente Vargas, 962 / Sala 1004 Centro - Rio de Janeiro/RJ - CEP 20071-002 Tel.: (21) 2262-0487 / Fax.: (21) 2532-0384 Site: www.abul.com.br E-mail: abul@abul.com.br Facebook: ABUL - Associação Brasileira de Pilotos de Aeronaves Leves

Profile for Alexandre Gomes

AERONAVES DESPORTIVAS EM REVISTA - EDIÇÃO 85  

Publicação Oficial da Associação Brasileira de Pilotos de Aeronaves Leves

AERONAVES DESPORTIVAS EM REVISTA - EDIÇÃO 85  

Publicação Oficial da Associação Brasileira de Pilotos de Aeronaves Leves

Advertisement