Issuu on Google+

PROPOSTA DE PLATAFORMA ELEITORAL DA UJS RECIFE

EDUCAÇÃO A União da Juventude Socialista, organizada na Cidade do Recife, reconhece e valoriza o importante papel da educação na vida dos jovens recifenses. A escola pública atual é aquela em que a criança começa a vida escolar aos 6 (seis) anos e que alguns professores não recebem nem o piso salarial, onde as quadras para prática de esporte são quase inexistentes, e quando existem estão sucateadas. Ainda pesa a falta de uma escola técnica municipal que capacite nossos jovens para o mundo do trabalho - a presença de escola técnica municipal já é realidade em cidades como São Paulo-SP, Garanhuns-PE e Triunfo-RS. É preciso mudar essa realidade. A escola que queremos é aquela em que o professor é valorizado, com remuneração adequada e formação continuada, que apresente infraestrutura adequada e conforto para acolher estudantes e profissionais. Há ainda poucas creches. As mulheres jovens são, prioritariamente, quem mais sofrem com a falta de creches na cidade do Recife. Na maioria das vezes elas se veem obrigadas a abandonar os estudos e/ou o trabalho para poder cuidar dos seus filhos. As creches devem deixar de ser consideradas como apenas um local em que as mães colocam seus filhos para poderem estudar/trabalhar, mas também para poder corrigir as desigualdades históricas, possibilitando aos filhos das famílias pobres acesso de qualidade igual à saúde, alimentação, conforto, lazer, educação, etc. aos que os filhos de família com melhores condições têm. Outro ponto de discussão é a inserção da juventude no mundo de trabalho. Atualmente, devido à necessidade de contribuir para o orçamento da sua família, vemo-nos entrar cada vez mais cedo no mundo de trabalho. O número de emprego formal de jovens tem aumentado no último período, mas, em diversas vezes, as condições socioeconômicas dificultam a adesão massiva da juventude a programas de capacitação, educação e formação profissional, afinal de contas não dá pra frequentar as aulas quando não se tem, ao menos, o dinheiro da passagem do ônibus. Entendemos que o debate da educação vai muito além que simplesmente qualificar para o mundo de trabalho, mas que passa também pela formação e valorização dos profissionais da educação, como fator de superação das desigualdades sociais e que possui papel estratégico no desenvolvimento da cidade, do estado e do país. Por isso, assim defendemos: • • • • • •

Ampliação e qualificação das escolas municipais com acesso da juventude a cursos profissionalizantes, pré-vestibular, língua estrangeira, oficinas culturais, entre outros; Ampliação das Creches com mudança no conceito de educação infantil; Criação de escolas técnicas municipais; Bibliotecas Comunitárias, como programa de incentivo à leitura; Valorização dos profissionais. Educador infantil: não é babá, é professor; Passe livre estudantil para estudantes da rede pública, prounistas e cotistas (direito já concedido em capitais como Cuiabá e Rio de Janeiro);


SAÚDE Em recente pesquisa, a população recifense elegeu a saúde como prioridade na pauta das eleições municipais deste ano. A UJS avalia que as dificuldades de acesso à educação (sobretudo no ensino médio) afastam os jovens das escolas e os tornam vulneráveis a problemas como a gravidez precoce (que tem repercussão direta no SUS) e o tráfico e consumo de drogas (diretamente ligado à violência urbana). Avaliamos positivamente os avanços das políticas públicas voltadas para o combate ao uso de drogas como o “Crack” pelo do programa “Pacto pela Vida” do Governo do Estado, por entender que são os jovens com idades entre 16 e 24 anos, residentes nas periferias da cidade, que, em sua maioria, são homens e mulheres com poucos anos de estudo e sem acesso a níveis superiores de educação que majoritariamente estão vulneráveis a dependência química. Achamos necessária a ampliação de políticas públicas voltadas para conscientização do uso de demais drogas. De outro lado, outro problema a ser enfrentado é o da gravidez na adolescência. Muito recorrente nos dias atuais, ainda carece de políticas públicas voltadas para seu combate, visto que, em quase todas as vezes, as adolescentes abandonam a vida escolar. Sabemos que o município é o responsável direto na distribuição dos métodos básicos preventivos da gravidez, além de ter consigo a responsabilidade de implantação de educação sexual nas escolas. Defendemos: • • • •

Facilitar o acesso, por parte dos jovens, de métodos contraceptivos como camisinha, pílula do-dia-seguinte e anticoncepcionais como forma de evitar a gravidez na adolescência; Educação sexual e planejamento familiar nas escolas; Pré-natal diferenciado nos casos de gravidez precoce; Radicalizar o combate ao crack e campanhas de conscientização de uso de drogas;

ESPORTE A UJS se orgulha de viver no país que vai sediar a copa do mundo de futebol em 2014, e as Olimpíadas de 2016. Somos cientes do papel do esporte como agente educacional, cultural e para o exercício da cidadania e também como forma democrática de inserir jovens, de todas as classes, aos futuros acontecimentos esportivos que têm forte impacto sobre a nossa cidade e nossos jovens. Certamente há, hoje, no Recife, milhares de crianças e adolescentes carentes, com condições de se tornarem talentos esportivos e que gostariam de ter oportunidade para mostrar seu potencial. Achamos de fundamental importância a participação da escola nesse tema. A maioria das escolas da rede pública municipal não possui quadra, sendo o principal entrave da inserção de jovens carentes no mundo esportivo. Para completar os jovens que praticam esportes radicais, como o Skate, quase não têm alternativas de locais para praticar. Esporte também é saúde e deve ser incentivado como forma de combater o sedentarismo. O projeto “Academia da Cidade” representou um avanço significativo, mas deve ser aperfeiçoado e ampliado para atender mais jovens. Diante do exposto, defendemos: • •

Valorização do esporte nas escolas (Criação de oficinas, times, etc.); Construção e manutenção de Quadras nas escolas da rede municipal;


• • •

Academia da Cidade voltada para juventude; Praças para prática de skate e outros esportes radicais, campos e quadras; Criação da Associação Atlética em cada bairro, colocando como prioridade a chamada de universitários em graduação para gerir, como escola de aprendizado;

CULTURA As manifestações e expressões populares são, dentro do contexto regional, fator de identidade cultural. O conhecimento da cultura local reforça a valorização, bem como o incentivo ao desenvolvimento da região. Dessa maneira a UJS entende que é essencial investir em cultura, não apenas na realização de shows e apresentações, mas no incentivo de criações, obras, músicas, artesanato regional. Assim sendo, defendemos: • • •

Criação de pontos de cultura em cada bairro, com políticas de incentivo a inserção da juventude na criação de brinquedos populares, danças (frevo, maracatu, caboclinho, etc.), e artes em geral; Criação de espaços como galerias, praças, e espaços de convivência no geral, onde possam ser expostas obras de artistas populares, visto que são pouquíssimos esses espaços no Recife; Valorização das bandas locais;

MOBILIDADE URBANA As políticas de mobilidade urbana são fundamentais para garantir o direito constitucional de ir e vir e ainda para proporcionar acesso amplo e democrático ao espaço público. Afinal de contas, é ou não é a juventude e a classe trabalhadora quem mais é prejudicado com as questões de mobilidade urbana? São todos os dias enfrentando ônibus quentes, superlotados e ainda tendo que pagar tarifas abusivas. Somados a isso, o trânsito do Recife tem a cada dia ficado mais caótico. Segundo pesquisas, a cada mês são postos em circulação cerca de 4 mil carros novos. Claro que um dia o tráfego da cidade não ia suportar tantos carros, e aí congestionamentos são cotidianos, sendo, hoje, a causa principal dos atrasos dos jovens quando vão para seu trabalho, escolas, universidades, enfim. Tentando fugir de toda essa problemática, existem jovens, que por motivo socioeconômico ou por qualquer outro motivo que julgue necessário, aderem ao uso de bicicletas para se locomoverem. Afinal de contas, a bicicleta não polui, não enfrenta congestionamentos, e além de ser “gratuito” e saudável, hoje se tornou elemento importante da mobilidade urbana. Hoje o maior desafio que temos, é garantir políticas públicas em favor deste meio de transporte, garantindo segurança pros seus usuários. A partir disso, defendemos: • • •

Mais qualidade para o transporte coletivo; Ampliação das ciclovias e incentivos ao uso de bicicleta; Exigir da Prefeitura do Recife que, em parceria com o Governo do Estado, apresente soluções para o trânsito da cidade.


Proposta de Plataforma Eleitora da UJS Recife