Page 1

Página 8

Jornal da UFOPA

JORNAL DA

Foto: Maria Lúcia Morais

UFOPA inicia formação de professores da Educação Básica

UFOPA UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ Ano I, n.º 1 - Santarém - Pará, dezembro de 2010

Professores de Educação Básica em curso de graduação

Maria Lúcia Morais Uma das principais ações da UFOPA é a formação de 1.300 docentes leigos do Oeste do Pará, através do Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica (PARFOR), iniciativa promovida pelo Ministério da Educação (MEC) através da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). As atividades do PARFOR são realizadas nos polos regionais de Alenquer, Itaituba, Juruti, Monte Alegre, Óbidos, Oriximiná e Santarém. Além de licenciatura em Pedagogia, a UFOPA ofereceu mais quatro cursos de graduação, com as licenciaturas integradas, no âmbito do programa: Letras (Português e Inglês); História e Geografia; Química e Biologia; e Matemática e Física. “É um projeto arrojado, com um alcance fantástico, que deve contribuir para a melhoria do ensino dos alunos da Amazônia”, afirma a professora Terezinha Pacheco, coordenadora geral do PARFOR na UFOPA.

Páginas 4 e 5

As licenciaturas do PARFOR são ministradas de forma presencial e à distância, nas seguintes modalidades: cursos de primeira licenciatura para professores sem graduação; de segunda licenciatura para licenciados atuando fora da área de formação; e de formação pedagógica, para bacharéis sem licenciatura. “Uma das vantagens do PARFOR é que o governo federal paga uma bolsa de incentivo para os professores, e os municípios uma ajuda de custo para os alunos”, explica Seixas Lourenço.

“Tive sorte de ser contemplada e estou muito feliz de estar na UFOPA”, afirma a professora Maria Dalva Nogueira Sousa, da Escola Princesa Isabel, de Santarém, que leciona há vinte anos na rede pública de ensino. “Não tenho graduação e estava fazendo uma universidade particular”, explica a educadora, que, graças ao PARFOR, agora cursa gratuitamente licenciatura em Letras na UFOPA. “Todo esse conhecimento que estou recebendo vou repassar para os meus alunos. Estou levando daqui uma nova proposta de ensino, principalmente sobre leitura”. Para o educador Euclides Cerdeira Melo, da comunidade ribeirinha de Vista Alegre do Capixauã, em Santarém, que também está cursando licenciatura em Letras pelo PARFOR, o programa veio em boa hora para realizar o sonho do curso superior. “Os conteúdos que estão sendo ministrados são riquíssimos não só para a sala de aula, mas para toda a comunidade. Estou aproveitando o máximo e espero sair daqui com uma nova visão, principalmente sobre a Amazônia”, explica Melo, que é responsável por uma turma multisseriada do fundamental. A educadora Maria Eli Moreira, de 58 anos, é outra que se mostra entusiasmada com a oportunidade, apesar das dificuldades. Professora da comunidade de São José do Rio Curuá, pertencente ao município de Santarém, uma localidade que, em suas palavras, “nem luz tem”, localizada “da hidrelétrica para baixo”, Maria Eli possui 25 anos de magistério e somente agora, através do PARFOR, está cursando licenciatura integrada em História e Geografia. “Para minha surpresa fui selecionada e estou aqui recebendo conhecimento”.

Um laboratório a céu aberto

Universidade atua na formação de docentes do Pará

Alunos do Instituto de Biodiversidade e Florestas participam de aulas práticas na Floresta Nacional do Tapajós. As atividades estão de acordo com o novo modelo acadêmico da universidade, que privilegia a interdisciplinaridade. Página 7

1300 educadores da rede pública de ensino do Oeste do Pará estão cursando licenciaturas integradas na UFOPA, através do Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica. Página 8

9 milhões de reais para infraestrutura

MAZ Engenharia

“Sempre tive a clareza de que essa nova universidade tinha que ter uma forte atuação na formação de docentes para a Amazônia, por isso, desde o início, houve um forte compromisso nosso de formar professores”, afirma o reitor da UFOPA, Prof. Dr. José Seixas Lourenço. Segundo o reitor, a meta é oferecer, anualmente, cerca de duas mil vagas para professores sem formação superior que atuam na rede pública de ensino. “O nosso desafio é manter esse ritmo de ofertas de vagas nos próximos anos, já que a

Desse total, 98,74% são oriundos do estado do Pará, e quase 40% de Santarém.

Oportunidade – Promovido pela CAPES, em parceria com as secretarias de educação dos estados e dos municípios e as instituições públicas de ensino superior, o PARFOR tem o objetivo de promover cursos superiores gratuitos e de qualidade a professores de escolas públicas sem formação adequada à Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB).

Foto: Lenne Santos

Coordenada pelo Centro de Formação Interdisciplinar (CFI), a primeira fase das aulas presenciais aconteceu no mês de julho, em escolas municipais cedidas pelas prefeituras, e contou com a participação de 89 professores da UFOPA, sendo 36 doutores e 50 mestres, distribuídos no ensino de cinco módulos: Origem e Evolução do Conhecimento; Sociedade, Natureza e Desenvolvimento; Estudos Integrativos da Amazônia; Lógica, Linguagem e Comunicação; e Seminários Integradores. Além de aulas expositivas, os licenciandos participaram de seminários e oficinas de linguagem, e desenvolveram projetos de pesquisa e extensão em grupo nas suas comunidades.

17.585 inscritos na UFOPA

demanda do Oeste do Pará é grande, algo em torno de dez mil professores sem formação superior”.

Foto: Lenne Santos

As graduações terão a duração de sete semestres e a previsão é que a capacitação dos professores seja continuada, através da oferta de cursos de pós-graduação pela universidade. “O processo de profissionalização da UFOPA é contínuo, porque o conhecimento é dinâmico, por isso a atualização tem que ser permanente”, explica Terezinha Pacheco. Além de formar professores, o programa deverá habilitar os educadores para práticas de planejamento, gestão escolar e atividades de pesquisa e extensão. “Essas ações devem orientar a uma futura mudança curricular do Ensino Médio e Fundamental, preparando esse aluno de forma mais integrada”.

EDIÇÃO DE LANÇAMENTO

Recursos são utilizados em obras para melhor acomodação de alunos, professores e servidores. A consolidação de corpo técnicodocente qualificado é outro desafio da universidade. Página 3 Futuro bloco de salas especiais do Campus Tapajós


Página 2

Jornal da UFOPA

Jornal da UFOPA

Página 7

Com a palavra, o reitor Prof. Dr. José Seixas Lourenço Reitor Pro Tempore da Universidade Federal do Oeste do Pará

EXPEDIENTE

comunicaufopa@gmail.com Fone: (93) 3064-9075

Lenne Santos

O quilômetro 83 da BR 163 (Santarém – Cuiabá) foi o local escolhido para a realização de uma atividade envolvendo alunos do Instituto de Biodiversidade e Florestas (IBEF), da Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA), para realizar aulas práticas das disciplinas Proteção Florestal, Dendrometria e Topografia. A atividade tem caráter interdisciplinar e está de acordo com o novo modelo acadêmico da universidade, o qual privilegia a interdisciplinaridade. O IBEF é o primeiro instituto da UFOPA a implantar o novo modelo acadêmico. “Esta é uma atividade-laboratório para a prática interdisciplinar prevista no novo modelo acadêmico da UFOPA. Estamos aqui realizando atividades que envolvem três disciplinas do currículo”, explica o Prof. Dr. João Ricardo Gama, referindo-se à atividade desempenhada pelos alunos na FLONA. Durante cinco dias um grupo formado por 25 alunos do 4º semestre do curso de Engenharia Florestal enfrentou uma rotina intensa de atividades no meio da Floresta Nacional do Tapajós (FLONA), para pôr em prática o conteúdo que aprenderam nas aulas de Dendrometria, Proteção Florestal e Topografia. “Uma coisa é aprender a teoria, outra bem diferente é vivenciar aqui no meio do mato”, afirmou o estudante Lucas Ximenes, 19 anos, referindo-se à aula prática de combate e controle a incêndios florestais, realizada em conjunto com os integrantes da Brigada Anti-Incêndios da FLONA.

Foto: Lenne Santos

A arqueóloga Denise Schaan durante a inauguração do Laboratório

Foto: Lenne Santos

Foto: Lenne Santos

É com imensa satisfação que damos início à publicação do jornal institucional da UFOPA, com o objetivo de informar aos docentes, técnicos em educação, alunos e comunidade em geral sobre os principais fatos, acontecimentos e ações que marcarão a história da primeira universidade pública federal sediada no interior da Amazônia. Como os leitores poderão ver, nesta primeira edição, os desafios – e os avanços também – são muitos para uma universidade que se propõe a ser um vetor de desenvolvimento local e de integração regional, através de uma arquitetura acadêmica inovadora, baseada na interdisciplinaridade e voltada à formação competente e cidadã de seus estudantes. Neste seu primeiro ano de existência, a UFOPA tem-se empenhado na formação de corpo técnico-docente qualificado e na ampliação de sua infraestrutura. Mais de 9 milhões de reais estão sendo investidos em obras estruturantes, como a construção do prédio do Instituto de Ciências da Educação (ICED), no Campus Rondon, e do Bloco de Salas Especiais de Ensino, no Campus Tapajós, que visam à melhor acomodação de alunos e servidores. A implementação de novo modelo acadêmico, com 33 cursos de graduação, e a adoção do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) como via exclusiva de acesso a esses cursos são outras inovações adotadas pela nossa universidade com o objetivo de melhor atender às demandas de uma região com uma economia e cultura peculiares. Por isso, temos a certeza que a implementação de uma universidade federal no Oeste do Pará significa um novo impulso para a modernização desta região historicamente marcada pelo extrativismo vegetal e mineral e com índice de desenvolvimento humano abaixo da expectativa. Universidade Federal do Oeste do Pará A expansão da rede de Ensino Superior pública e a consequente José Seixas Lourenço ampliação do investimento em Ciência e Tecnologia promoverão a inclusão Reitor social e terão um significativo impacto no processo de desenvolvimento Raimunda Monteiro social, o que inclui a Educação Básica. Exemplo disso é o Plano Nacional de Vice-Reitora Formação de Professores da Educação Básica (PARFOR), já em plena Rodrigo de Araújo Ramalho Filho execução pela UFOPA em vários municípios da região, com os professores Pró-Reitor de Ensino de Graduação leigos de escolas municipais e estaduais recebendo formação graduada em José Antônio de Oliveira Aquino suas respectivas áreas de ensino. Pró-Reitor de Pesquisa, Pós-Graduação Vale lembrar que UFOPA já nasceu como uma universidade de porte e Inovação Tecnológica médio, formada a partir das instalações, recursos humanos e materiais da Aldo Gomes Queiroz UFPA e UFRA em Santarém, incluindo os núcleos da UFPA em Oriximiná, Pró-Reitor de Planejamento Institucional Óbidos e Itaituba e as antigas instalações da SUDAM em Santarém. Dessa forma, suas atividades devem impactar, de forma positiva, uma vasta área de Arlete Moraes Pró-Reitora de Administração mais de 500 mil quilômetros quadrados, que envolve 20 municípios das regiões do Baixo Amazonas e Sudoeste Paraense. Seu formato multicampi, JORNAL DA UFOPA com polos em Santarém (sede), Alenquer, Itaituba, Juruti, Monte Alegre, Coordenadora de Comunicação Óbidos e Oriximiná, tem por objetivo a universalização das oportunidades de Alda Lima Fernandes formação qualificada à maioria dos municípios, com fixação de competências em vários locais, como forma de reduzir as assimetrias regionais. Este Jornalistas Responsáveis: Lenne Santos (DRT-PR 3413) modelo institucional permitirá o desenvolvimento socioambiental de cada Maria Lúcia Morais (DRT-MG 06261) subespaço da região Oeste do Pará, servindo, ao mesmo tempo, de polo integrador desses subterritórios entre si e com as demais áreas da Amazônia. Revisão: Júlio César da Assunção Pedrosa Dada a sua localização privilegiada, no coração da Amazônia continental, a UFOPA tem a clara vocação para tornar-se uma Universidade da Fotos: Daniel Ramalho, Lenne Santos e Maria Lúcia Morais Integração Amazônica, aberta aos demais estados da região, bem como aos Diagramação e Arte Final: países pan-amazônicos. Também faz parte dos objetivos e missões da Eduardo F. Azevedo UFOPA a cooperação internacional transfronteiriça, com a construção de Impressão: vínculos institucionais duradouros em atividades de pesquisa, formação de profissionais e extensão, em temas de interesse comum entre os parceiros, Universidade Federal do Oeste do Pará formando uma rede multi-institucional com a participação dos estados Campus Rondon brasileiros amazônicos e dos países-membros do Organização do Tratado da Coordenadoria de Comunicação Cooperação Amazônica. A Amazônia passa então a ser vista como o lugar Av. Marechal Rondon, s/n - Caranazal privilegiado de uma experiência pioneira e criativa, cabendo ao Governo CEP: 68040-070 - Santarém – Pará Federal a responsabilidade de lidar com esse imenso patrimônio como uma Comentários, críticas e sugestões: questão regional, nacional e global.

No primeiro dia os estudantes assistiram a uma palestra sobre o funcionamento e a estrutura da COOFLONA e do Projeto Ambé. Trata-se de uma iniciativa comunitária que abrange o uso sustentável da floresta e beneficia as 28 comunidades que vivem naquele trecho da Floresta Nacional do Tapajós. Nos dias seguintes, enfrentaram sol e chuva para vivenciar os primeiros socorros com resgate no solo e na água. “Prática de sobrevivência na floresta”, “Teoria sobre o sistema NAVSTAR (GPS)”, “Identificação e preparação do local para a prática de proteção florestal” foram outros temas abordados durante a atividade na FLONA. Para os integrantes da Brigada Anti-Incêndio que atuam no projeto Ambé, o contato com os alunos foi uma experiência importante. “Repassamos aos universitários todo o conhecimento que adquirimos para controlar esses incêndios. Eles serão nossos multiplicadores”, comemorou Eduardo dos Santos, brigadista desde o início do ano, e que ainda não teve oportunidade de ingressar na universidade. Os alunos foram supervisionados pelo professor M.Sc. Everton Cristo de Almeida e por Wagner Silva, técnico do Laboratório de Cartografia e Geoprocessamento. “Estamos aqui trabalhando em três turnos. Durante o dia vamos a campo, realizamos a coleta de dados, fazemos as medições, e à noite analisamos esses dados e fechamos os relatórios”, explicou o Prof. Everton. Os alunos da disciplina ministrada pelo Prof. M.Sc. Breno Rayol também estiveram envolvidos na ação. A partir do primeiro semestre de 2011, o IBEF vai oferecer os bacharelados interdisciplinares em Agroecologia e Biodiversidade e Florestas. “Com esses cursos não queremos formar tecnólogos, nossos bacharelados interdisciplinares pretendem formar profissionais preparados para atender às demandas do mercado, que são cada vez mais exigentes”, conclui o professor. Parcerias – Para realizar a atividade com os alunos, o IBEF contou com a parceria do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio); do escritório do Oeste do Pará da Embrapa Amazônia Oriental e da COOMFLONA – Cooperativa Mista FLONA do Tapajós Verde, por meio do projeto Ambé.


Página 6

Jornal da UFOPA

Jornal da UFOPA

Projetos são aprovados para a área da Educação

Maria Lúcia Morais

Maria Lúcia Morais

Cerimônia de recepção dos novos servidores da UFOPA

Em seu primeiro ano de existência, a UFOPA investe na formação de corpo técnico-docente qualificado, por meio da realização de concursos públicos, e na ampliação de sua infraestrutura para melhor acomodação de alunos, professores e servidores. Mais de nove milhões de reais estão sendo investidos em obras estruturantes, como a construção do prédio do Instituto de Ciências da Educação (ICED), no Campus Rondon, e do bloco de salas especiais de ensino, no Campus Tapajós. “Teremos um conjunto moderno de prédios para abrigar principalmente salas de aula e laboratórios”, afirma o reitor da UFOPA, Prof. Dr. José Seixas Lourenço. Com relação aos recursos humanos, a UFOPA já realizou três concursos para docência em diversas áreas do conhecimento, além de dois concursos para cargo de técnico administrativo em educação, nos níveis médio e superior, totalizando 158 novos servidores em apenas um ano de existência. Segundo informações da Pró-Reitoria de Planejamento Institucional, atualmente a UFOPA possui 176 docentes em exercício, sendo 96 com mestrado e 72 com doutorado. Dos 90 professores nomeados através de concursos públicos realizados pela UFOPA (Editais 01/2009 e 02/2010), 56 possuem mestrado e 34, doutorado. Do total de 332 técnicos administrativos em educação previstos no quadro geral de servidores, a universidade já conta com 129 servidores em exercício, sendo 68 recém-empossados, 36 oriundos da UFRA, 25 da UFPA, além de uma servidora redistribuída da Universidade Federal de Roraima. Os candidatos aprovados no segundo concurso para técnico administrativo (Edital UFOPA n.º 2, de 6 de maio de 2010) começaram a ser nomeados em outubro deste ano. Ao todo, a universidade nomeará 75 novos servidores, para os cargos de Assistente em Administração; Técnicos em Laboratório, Eletrotécnica, Tecnologia da Informação, Refrigeração e Contabilidade; Analista de Tecnologia da Informação; Administrador; Assistente Social;

Bibliotecário-Documentalista; e Secretário Executivo. Infraestrutura – Atualmente a UFOPA possui três obras licitadas em andamento e uma concluída no município de Santarém. “Fomos muito bem sucedidos na captação de recursos humanos e financeiros. Agora o nosso maior desafio é a infraestrutura”, afirma o Prof. José Seixas Lourenço. Localizado no bairro Caranazal, o Campus Rondon, antigo Campus da UFPA em Santarém, abrigará a sede do Instituto de Ciências da Educação (ICED), onde funcionarão as diversas licenciaturas oferecidas pelo instituto, incluindo suas coordenações administrativas e acadêmicas. Orçado em R$3.924.950,00, o prédio do ICED terá quatro andares e abrigará vários laboratórios e salas de aula. Outra importante obra do Campus Rondon é a ampliação da Biblioteca Rui Barata, no valor de R$ 323.349, já concluída. Com dois andares, a biblioteca abrigará, em 360m² de área construída, dois salões para o acervo bibliográfico e outro para os leitores, além de salas individuais de leitura e elevador para portadores de necessidades especiais. As duas obras são de responsabilidade da construtora EMOB Ltda. Situado no bairro Salé, no antigo Campus da UFRA em Santarém, o Campus Tapajós também possui duas importantes obras em andamento. Orçada em R$ 4.887.820,00, a construção do bloco de salas especiais de ensino, realizada pela MAZ Engenharia, iniciou-se em agosto deste ano e deverá durar oito meses. Com dois pavimentos, o prédio abrigará dez salas de aula, além de salas de professores e de reuniões, laboratórios, lanchonetes, espaço de convivência e dois grandes auditórios com capacidade para 250 pessoas cada. Já a construção e a adaptação do prédio provisório da Reitoria, que abrigará a administração superior da UFOPA, serão concluídas em dezembro. Orçada em R$343.968,05, a obra é executada pela construtora Betel Comércio e Serviços Ltda.

Biblioteca Rui Barata: reforma concluída

Foto: Maria Lúcia Morais

um laboratório educacional interdisciplinar. No valor de 130 mil reais, o projeto envolverá 22 professores do ICED nos seguintes subprojetos: “O ensino da Geografia por meio de ferramentas geotecnológicas e o desenvolvimento de novos recursos didáticos”; “A experiência com a Literatura e o conhecimento: formação integral e a participação cidadã”; e “Práticas inovadoras para o ensino de Ciências e Matemática na Educação Básica”. Promovido pela Capes, o Programa de Consolidação das Licenciaturas (Prodocência) visa a melhorar a qualidade dos cursos de licenciatura, por meio de fomento a projetos institucionais, na perspectiva de valorizar a formação e reconhecer a relevância social dos profissionais do magistério da Educação Básica. Em sua segunda edição, o programa selecionou propostas de Instituições Federais de Ensino Superior de todo o país que contemplam novas formas de gestão institucional e o desenvolvimento de experiências metodológicas e práticas docentes de caráter inovador, visando à superação de problemas identificados nas avaliações feitas nos cursos de licenciatura e a integração entre a educação superior e a educação básica. Escola de Gestores – Também foi aprovada a cooperação entre a UFOPA e o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), no valor de 190 mil reais, para a realização de curso de especialização para gestores educacionais das escolas públicas, no âmbito do Programa Nacional Escola de Gestores da Educação Básica Pública, que tem como objetivo melhorar os índices educacionais das escolas públicas através da qualificação do gestor escolar. Coordenado pela Prof.ª Dra. Maria Lília Imbiriba Sousa Colares, do ICED, o curso será destinado à formação de diretores e vice-diretores de escolas públicas municipais e estaduais de Santarém e de Belterra, no Oeste do Pará. Já o projeto “Formando educadores na perspectiva da educação integral” vai atender a 32 escolas públicas de Santarém que participam do programa Mais Educação, da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade (SECAD). “Vamos formar 100 monitores que já estão trabalhando nessas escolas”, explica Fátima Lima. No valor de 70 mil reais, o projeto promoverá cursos de extensão, com 60 horas cada, distribuídos em sete macrocampos: acompanhamento pedagógico, meio ambiente, esporte e lazer, cultura e arte, inclusão digital, prevenção e promoção da saúde, educomunicação e educação científica.

Foto: Lenne Santos

A integração entre o Ensino Superior e a Educação Básica e a qualificação das licenciaturas são as principais metas dos projetos da Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA) aprovados pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), pela Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade (SECAD) e pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), vinculados ao Ministério da Educação (MEC). Aprovados através de editais nacionais, os projetos serão coordenados pelo Instituto de Ciências da Educação (ICED) a partir do próximo ano, envolvendo alunos e professores da UFOPA e das escolas públicas da região. “O objetivo é o fortalecimento das licenciaturas e a integração da universidade com a educação básica”, explica a diretora do ICED, Prof.ª Fátima Lima. O projeto “Saberes acadêmicos e escolares: diálogos com educação básica” foi aprovado no Edital CAPES/DEB N.° 033/2010, do “Programa de Apoio a Projetos Extracurriculares: Investindo em novos talentos da rede de educação pública para inclusão social e desenvolvimento da cultura científica”, da Capes, que visa ao aprimoramento e atualização de professores e alunos da educação básica através de atividades extracurriculares, como cursos e oficinas, em escolas públicas, no período de férias ou em horário que não interfira na frequência escolar. A interação entre o conhecimento acadêmico e o meio escolar da Educação Básica é a meta principal da iniciativa da UFOPA, que atenderá a cinco escolas públicas de Santarém a partir de quatro subprojetos envolvendo as seguintes áreas do conhecimento: Geografia, Física, Química, Literatura, Pedagogia e Biologia. Coordenado pelo professor Luiz Percival, do ICED, o projeto “Saberes acadêmicos e escolares” trabalhará na perspectiva de apresentar aos estudantes do Ensino Fundamental e do Médio o mundo acadêmico, compreendendo teorias, conhecimento tecnológico, experiências e instrumentos científicos, o que, além de fortalecer o aprendizado na escola, estimulará a formação no Ensino Superior. Prodocência - Coordenado pelo diretor de Ensino da UFOPA, José Carlos Freire Machado, e pela diretora do ICED, Fátima Lima, outro projeto da UFOPA aprovado pela Capes - Edital Prodocência 028/2010 pretende promover o desenvolvimento da formação teórico-prática inicial dos licenciandos em Biologia, Física Ambiental, Geografia, Letras, Matemática e Pedagogia, através de um conjunto de propostas interdisciplinares experimentais a serem realizadas em

Página 3


Página 4

Jornal da UFOPA

Jornal da UFOPA

Processo seletivo da UFOPA recebe 17 mil inscritos A UFOPA recebeu 17.585 inscrições para o seu primeiro processo seletivo, que utilizará a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) para preencher 1150 vagas de admissão à Universidade para o ano letivo de 2011. As inscrições foram realizadas gratuitamente pela internet no período de 15 de setembro a 24 de outubro. De acordo com a Pró-Reitoria de Ensino de Graduação (PROEN), o Pará apresentou o maior número de inscrições por estado, com 17.365 inscritos. “Queremos ressaltar também que 98,74% dos candidatos são do Pará, ou seja, estamos construindo uma universidade federal, porém voltada para atender às demandas de desenvolvimento regional com a oferta dos cursos de graduação”, explica o pró-reitor da PROEN, Rodrigo de Araújo Ramalho Filho. Com relação aos inscritos por municípios do Pará, Santarém ficou em primeiro lugar com 6.983 inscritos, seguido por Belém (3.360), Ananindeua (1012), Monte Alegre (947), Óbidos (544), Alenquer (541), Oriximiná (378), Castanhal (342), Itaituba (333), Tucuruí (252), Altamira (182), Capanema (168), Barcarena (159), Juruti (151), Marabá (118), Bragança (117), Marituba (103), Curuá (93), Rurópolis (76), Uruará (70), Cametá (64), Abaetetuba (61) e Belterra (56). Outro dado interessante é que a UFOPA obteve inscrições em todos os estados brasileiros. “Mais uma demonstração de que a nossa estrutura acadêmica inovadora atrai estudantes de todo o Brasil, pois registramos inscritos de 26 estados e mais do Distrito Federal”. Escolha por turno - Com relação aos turnos, 61,23% dos inscritos optaram pelo diurno (manhã e tarde) e 38,77% pelo turno noturno, resultado considerado satisfatório pela PROEN, na medida em que o total de vagas será distribuído igualmente pelos turnos matutino, vespertino e noturno (400 vagas cada). Além dos egressos do Ensino Médio, a universidade recebeu também um grande número de inscrições de adultos que já concluíram o Ensino Médio há algum tempo. “Muitos desses adultos não conseguiram realizar a prova do ENEM em 2010, portanto foi uma decisão acertada aceitarmos também a nota do ENEM 2009”, reforça o Prof. Ramalho. “Estamos muito felizes com esse resultado. Superou todas as nossas expectativas, pois esperávamos por volta de 10 mil inscritos. Isso mostra que a universidade já inicia tendo boa aceitação entre os estudantes, pois esses 17.585 inscreveram-se na UFOPA e não em um curso específico”. Classificação - De acordo com o Edital n.º 8, de 23 de agosto de 2010 (Diário Oficial da União), o processo seletivo habilitará para admissão à UFOPA no seu semestre inicial, intitulado Formação Interdisciplinar I, comum e obrigatório a todos os ingressantes em nível de graduação, independentemente do instituto, programa ou curso que pretendem cursar na universidade.

O Edital prevê ainda que serão admitidos, em primeira chamada, os 1150 inscritos com melhor classificação no ENEM, com notas superiores a zero nas provas objetivas e de redação. A classificação dos candidatos será feita em ordem decrescente da média obtida no resultado do ENEM. Em caso de empate, a classificação dos candidatos obedecerá sucessivamente aos seguintes critérios: maior nota em redação; idade do candidato (será classificado o candidato de maior idade cronológica). Estrutura Acadêmica – Criada em 5 de novembro de 2009, a UFOPA organiza-se em um Centro de Formação Interdisciplinar (CFI) e cinco institutos temáticos destinados a produzir ensino, pesquisa e extensão com forte apelo amazônico: Ciências da Educação (ICED); Ciências da Sociedade (ICS); Ciências e Tecnologia das Águas (ICTA); Biodiversidade e Florestas (IBEF); e

Engenharia e Geociências (IEG). Organizados em programas, os institutos são responsáveis pela oferta de 33 formações graduadas - 13 gerais e 20 específicas assim como pelas formações pós-graduadas lato e stricto sensu. O Centro de Formação Interdisciplinar (CFI) será responsável pela oferta da Formação Interdisciplinar I, que será ministrada para todos os alunos que ingressarem na instituição, em seu semestre inicial, e contará com os módulos: Sociedade, Natureza e Desenvolvimento; Origem e Evolução do Conhecimento; Lógica, Linguagem e Comunicação; Estudos Integrativos da Amazônia; e Seminários Integradores I e II. Ciclos – Os 33 cursos de graduação serão distribuídos em diferentes ciclos de formação e a UFOPA adotará o Índice de Desempenho Acadêmico (IDA) discente como princípio geral de progresso para o preenchimento das

UFOPA 2011: FORMAÇÕES GRADUADAS - GERAIS E ESPECÍFICAS CENTRO

1.º CICLO – FORMAÇÃO GRADUADA GERAL

VAGAS/TURNOS

CENTRO DE FORMAÇÃO INTERDISCIPLINAR

Formação interdisciplinar 1 400h: semestre obrigatório e comum para todos os alunos

M – 400 V – 400 N – 400

INSTITUTOS

1.º CICLO– Formação Graduada Geral: Bacharelado Interdisciplinar

2.º CICLO– Formação Graduada Específica: Licenciaturas Integradas e Bacharelados

Licenciaturas Interdisciplinares: Ciências Naturais e Matemática CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO - ICED (9 Cursos)

Ciências Humanas Linguagens e Códigos Bacharelado Interdisciplinar em Ciências da Educação

Agroecologia BIODIVERSIDADE E FLORESTAS - IBEF (6 Cursos) Química de Produtos Naturais CIÊNCIAS DA SOCIEDADE - ICS (6 Cursos)

Estudos Jurídicos Ciências da Sociedade

Ciência e Tecnologia ENGENHARIA E Ciências da Terra GEOCIÊNCIAS - IEG (7 Cursos) Ciências da Informação e da Computação TECNOLOGIA DAS Ciências Biológicas ÁGUAS - ICTA Ciência e Tecnologia das Águas (5 Cursos)

M / V /N

Vagas/ Turnos

Matemática-Física Química-Biologia História-Geografia Língua Portuguesa-Inglês Pedagogia: · Educ. Infantil - Primeiros anos · Educação Especial · Gestão e Coord. Pedagógica

50 50 50 50

M V N N

30 V 40 M 30 N (T:300)

Agronomia Engenharia Florestal Zootecnia Farmácia

40 M 40 M + 40 V 40 M 40 M (T:200)

Direito Antropologia e Arqueologia Economia (Recursos Naturais) Planejamento e Desenvolvimento Regional

50 V 50 M 50 N 50 N (T:200)

Engenharia Física Geofísica Geologia

50 M+50V 25 V

Ciência da Computação

50 M (T:200)

Biologia (Aquática ou Vegetal) Engenharia de Aquicultura Engenharia de Pesca

50 M 50 M 50 V (T:150)

25 V

Fonte: PROEN/UFOPA

Página 5

Lenne Santos & Maria Lúcia Morais

vagas disponíveis nos níveis subsequentes ao semestre inicial. Correspondente à Formação Graduada Geral, o Primeiro Ciclo conta com 13 cursos, sendo 10 bacharelados e três licenciaturas interdisciplinares, que habilitam a um primeiro diploma universitário. Esse Ciclo compreenderá ainda a Formação Interdisciplinar II, voltada à formação comum de cada instituto, além de mais quatro semestres de estudos para conclusão dos Bacharelados Interdisciplinares de cada Instituto, ou a cinco semestres, no caso das licenciaturas interdisciplinares. Compreendendo a Formação Graduada Específica, o Segundo Ciclo habilita a um segundo diploma universitário e compreende 20 cursos de graduações específicas – cinco licenciaturas integradas e 15 bacharelados específicos -, com número variável de horas e de semestres, também oferecidos pelos institutos. O Terceiro Ciclo corresponde à Formação Pós-Graduada stricto e lato sensu, que compreende cursos de Especialização, Mestrado Profissional, Mestrado Acadêmico e Doutorado, em função de cada projeto pedagógico. Além do bacharelado interdisciplinar em Ciências da Educação, o ICED oferecerá, no primeiro ciclo, licenciaturas interdisciplinares em Ciências Naturais e Matemática, Ciências Humanas, e Linguagens e Códigos. No segundo ciclo, haverá graduações específicas em Matemática e Física, Química e Biologia, História e Geografia, Língua Portuguesa e Inglês, além de Pedagogia com habilitações específicas em Educação Especial, Educação Infantil e Gestão e Coordenação Pedagógica. O IBEF terá dois programas de bacharelado: um deles em Agroecologia (1.º Ciclo), com graduações específicas em Agronomia, Engenharia Florestal e Zootecnia; e outro em Química de Produtos Naturais (1.º Ciclo) com graduação específica em Farmácia (2.º Ciclo). O Instituto de Ciências da Sociedade terá dois bacharelados interdisciplinares no primeiro ciclo – Estudos Jurídicos e Ciências da Sociedade - com graduações específicas, no segundo ciclo, em Direito, Planejamento e Desenvolvimento Regional, Antropologia e Arqueologia, e Economia. Os bacharelados em Ciência e Tecnologia, Ciências da Terra e Ciências da Informação e da Computação (1.º Ciclo), com graduações específicas em, respectivamente, Engenharia Física, Geofísica, Geologia e Ciência da Computação (2.º Ciclo), serão oferecidos pelo IEG. O ICTA terá bacharelado em Ciências Biológicas (1.º Ciclo), com formação graduada específica em Biologia (2.º Ciclo); e bacharelado em Ciência e Tecnologia das Águas (1.º Ciclo), com formações graduadas específicas em Engenharia de Aquicultura e Engenharia de Pesca (2.º Ciclo).

Jornal da UFOPA - ANO 1, N. 1  

Jornal da Universidade Federal do Oeste do Pará

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you