Page 1

Revista bimestral da Associação Sul Brasileira de Refrigeração, Ar condicionado, Aquecimento e Ventilação – Maio/Junho 2013

nº 4

O inverno e os cuidados com a qualidade do ar TECNOLOGIa Electrolux aposta em produtos com design inovador e funcionais

sUsTENTabILIDaDE Curitiba inova e investe em sistema evaporativo nas estações de ônibus


EXPEdiEntE SeDe rS Rua Arabutan, 324 Navegantes, Porto Alegre/RS CEP 90240 – 470 fone/fax (51) 3342–2964 3342–9467/ 9151–4103 email: asbrav@asbrav.org.br Site: www.asbrav.org.br eSCriTÓriO reGiONAl De SANTA CATAriNA email: asbravsc@asbrav.org.br eSCriTÓriO reGiONAl DO pArANÁ email: asbravpr@asbrav.org.br DireTOriA eXeCUTiVA presidente: Luiz Afonso Dias 1˚ vice-Presidente: Hani Lori Kleber 2˚ vice-Presidente: João Henrique Schmidt dos Santos 3˚ vice-Presidente: Mário Alexandre M. Ferreira Secretária: Claudete Weiss Tesoureiro: Rodrigo da Silva Miranda diretor Adm. Financeiro: Hani Lori Kleber dir. de Com. e Marketing: Cesar De Santi Diretor de ensino e Treinamento: Paulo Otto Beyer Diretor da Qualidade: Luiz Alberto Hansen Diretor de Gestão empresarial: Madeleine Schein diretor de relações institucionais: Eduardo Hugo Müller diretor técnico: Ricardo Vaz Diretor de patrimônio: Adão Webber Lumertz diretora Social: Marcela Marzullo Schneider diretor de integração regional: Carlos Lima diretor grupo Setorial refrigeração: Telmo Antonio de Brito diretor grupo Setorial Ar-Condicionado: Carlos Rodrigues diretor Escritório regional de Santa Catarina: Arivan Sampaio Zanluca diretor Associativo Escritório regional de Santa Catarina: Daniel Trompowsky Avila dir. Escritório regional do Paraná: Alexandre Fernandes Santos diretor de representação Local São Paulo: Luiz Carlos Petry CONSelHO DeliBerATiVO presidente: Gilmar Luiz Pacheco Roth Conselheiros Titulares: Márcio José Pereira Hoffchneider, Marcos Kologeski, Maricilvio Caetano Stedile, Ricardo Albert, Rodolfo Rogerio Testoni, Rodrigo Veloso da Costa Teixeira, Saulo Fraga dos Reis, Vanderson Aloise Scheibler Conselheiros Suplentes: André Helfensteller, Flávio Ribeiro Teixeira e Maurício Barbosa de Carvalho COMiTÊ SeTOriAl ASBrAV NO pGQp presidente: Luiz Alberto Hansen Coordenação de Capacitação: Roberta Vieira Coordenação de Avaliação: André Helfensteller Coordenação Geral: Bruna Lazzarotto Coordenação de Marketing: Caroline Pires Secretária Executiva: Caroline Pires Conselho Editorial revista ASBrAv Anderson Rodrigues, Caroline Briese, Cesar De Santi, Gilmar Roth, Guilherme Chiarelli Gonçalves, João Carlos Antoniolli, João Henrique Schmidt dos Santos, Luiz Carlos Petry, Luiz Fernando Ruschel, Mário Alexandre Ferreira, Paulo Otto Beyer, Ricardo Vaz e Wolney Prado

Uffizi Consultoria em Comunicação

EditoriAL

Revista Asbrav, Comunicação e Desenvolvimento uscar unir a iniciativa privada, o serviço público e a tecnologia para melhor atender à sociedade, esse é um trabalho que proporciona grande satisfação. Resumimos um pouco dele nas edições da Revista ASBRAV. O assunto da “Matéria de Capa” traz um exemplo de ação conjunta entre empresas e legislativo, através da associação. Já no “Artigo Convidado”, do advogado Eduardo Plastina, temos a palavra de um especialista em questões tributárias. Tecnologia deve ser presença constante se quisermos estar atualizados. Para tanto, trouxemos o assunto “Marketing Digital” como segundo “Artigo Convidado”. Além da abordagem sobre seleção de pessoal via mídias sociais, em “Gestão de Pessoas”, a preocupação com design e funcionalidade, sem esquecer o meio ambiente, está presente na matéria de “Tecnologia e Inovação”. Falando em meio ambiente e sustentabilidade, temos bons exemplos nos artigos “Gestão Sustentável” e “Obra Destaque”. Confira também assuntos culturais no “Perfil”, com o antropólogo Roberto DaMatta; “Dicas de Arquitetura”, a seção de “Ensino”, o “Perfil Empresarial” e “Eventos”. Já que inicio este Editorial falando em melhor atender à sociedade, concluo com uma frase para inspirar novos líderes, que sempre são necessários. E desejo a todos uma excelente leitura.

“A maior habilidade de um líder é desenvolver habilidades extraordinárias em pessoas comuns.” Abraham Lincoln luiz Afonso Dias presidente da ASBrAV

Diretor Executivo: Almir Freitas (MTb/RS 5.412) Edição: Grazielle Araujo Redator: Eduardo Deconto Editoração: Carla Cadó Vielmo Dietrich Revisão: Luana Aquino Fone: (51) 3330.6636

Os artigos aqui reproduzidos são de responsabilidade de seus autores, e não refletem necessariamente a opinião da ASBRAV e da Uffizi Consultoria em Comunicação.

MiSSÃO: Congregar, representar e apoiar os associados, proporcionando o desenvolvimento técnico e de gestão, atuando de forma proativa, ética e moral. ViSÃO: Ser reconhecida pela sociedade como entidade referência dos setores que representa.


Sumário perfil

GESTÃO SUSTENTÁVEL

Antropólogo Roberto DaMatta estudou as características da sociedade brasileira, desde a organização tribal dos índios Gaviões até a cultura popular, com o futebol, o carnaval etc. Na entrevista, foca em ambiente de trabalho.

Curitiba investe em sistema evaporativo nas estações-tubo que custam metade do preço dos condicionadores de ar convencionais

Artigo Convidado (1) Madeleine Schein ressalta a importância do Marketing Digital e como as empresas podem utilizá-lo para alavancar seus negócios.

GESTÃO DE PESSOAS Pesquisa da PWC aponta a conquista do espaço das mídias sociais na seleção de novos colaboradores. Agilidade e facilidade a baixo custo contribuem para este crescimento.

MATÉRIA DE CAPA O inverno chegou e os cuidados com a limpeza dos aparelhos condicionadores de ar é essencial para manter-se saudável. A ASBRAV, em parceria com o vereador Valter Nagelstein, elabora o projeto de lei da Qualidade do Ar em Ambientes Climatizados Coletivos.

OBRA DESTAQUE Araújo Vianna conta com ar-condicionado adequado às exigências de conforto térmico e qualidade de ar do ambiente

NOTAS E LANÇAMENTOS Confira as novidades do setor.

DICAS DE ARQUITETURA ENSINO Parceria com a escola de idiomas People-RS garante desconto para associados e familiares em cursos de inglês e espanhol.

Arquiteto Carlos Lemos apresenta o projeto “Cozinha Gourmet”, presente na mostra Casa Cor, em Porto Alegre, até 1º de agosto.

ARTIGO TÉCNICO

TECNOLOGIA E INOVAÇÃO

Sistemas de Automação, pelo Engenheiro Gilberto Rossato de Medeiros

Electrolux investe no desenvolvimento de equipamentos diferenciados e funcionais.

ARTIGO CONVIDADO (2)

PERFIL EMPRESARIAL Lauro José de Azevedo é referência na instalação e manutenção de condicionadores de ar automotivos no Estado

Advogado Eduardo Plastina escreve sobre as vantagens tributárias que poderiam ser trazidas pelo Simples Nacional.

eventos ASBRAV, em parceria com o SENAI/RS e a empresa São Carlos Thermal Systems, realiza o Programa Braços Abertos seleciona jovens aprendizes para o mercado de trabalho

Associados asbrav Confira a lista.


PErFiL O que faz o Brasil, Brasil? É esta a pergunta de um dos livros mais famosos de Roberto DaMatta. E ninguém melhor que ele para responder ao questionamento. Nascido em Niterói, no Rio de Janeiro, o antropólogo estuda, há cerca de cinquenta anos, características e peculiaridades da sociedade brasileira. Graduado em História pela Universidade Fluminense em 1959, DaMatta construiu sua carreira nos Estados Unidos, para onde se mudou, em 1963. No ano de 2004 retornou ao país. Atualmente, é professor titular da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUCRJ) e colunista dos jornais O Globo e Estado de São Paulo, e da revista Época. DaMatta esteve em Porto Alegre, em maio deste ano, para inaugurar o ciclo de palestras do CONGREGARH 2013, o maior Congresso de Gestão de Pessoas do sul do país, com o tema “Sociedade e Organizações criando valores sustentáveis”.

O Brasil como ele é (peculiaridades e características)

Revista ASBRAV – Em sua obra, você distingue o comportamento do brasileiro em dois ambientes: a rua e a casa. Enquanto na rua, as pessoas tendem a não obedecer as regras e preocupar-se apenas consigo mesmo, na casa segue-se uma hierarquia, às vezes bastante rígida. De onde vem essa teoria? Roberto DaMatta - Fui criado em uma família de seis irmãos, tínhamos uma hierarquia. Foi daí que tirei a teoria. Também dos meus amigos e da minha experiência de vida aqui, da minha geração.

Revista ASBRAV - E, dentro desta dicotomia entre a rua e a casa, como é sua análise sobre o comportamento do brasileiro no ambiente de trabalho? Roberto DaMatta - Você pode classificar o ambiente de trabalho como casa. Em geral, os trabalhado-

6

Foto:Valmor Behenck


res tratam, inclusive, o local de trabalho como a casa deles. É a “nossa casa”. Mas depende do tipo de relações humanas que você vai encontrar nesse ambiente. Se o clima é bom, funciona como uma projeção da casa no ambiente de trabalho. E o grande vazio é o trajeto ao sair de casa para ir trabalhar, a rua. Inclusive, isso está mudando um pouco atualmente. Muitas das pessoas, como é meu caso, começaram a trabalhar e colaborar com a organização da sua casa.

Revista ASBRAV – Você acredita que realizando as tarefas em casa, os colaboradores acabam se sentindo mais à vontade nas organizações? Roberto DaMatta - Com certeza. Hoje, existe no Brasil uma discussão intensa em relação a essas questões que tratam do ambiente de trabalho e dos direitos dos trabalhadores. Com grandes mudanças, como essa lei que altera o relacionamento dos empregados domésticos com os patrões, que são sobrevivências do Brasil escravocrata. Este é um Brasil que também deve ser pensado. Sem dúvida nenhuma, tem mudado muito. Os instrumentos modernos de comunicação, com os quais você acessa e pode falar a distância, em tempo real, fazem uma diferença razoável para muitas empresas e para muitas atividades intelectuais e financeiras.

Revista ASBRAV - Em sua obra, você fala que, para os brasileiros, em geral, o ato de obedecer a uma determinada ordem

Todo mundo desobedece as regras, então há uma igualdade. Existem atitudes em relação a certas coisas, que são antigas e comuns e é muito difícil se desprender delas.

é sinônimo de inferioridade. Que posicionamento um gestor empresarial deve adotar nesta relação, em que ele deve instruir os funcionários, sem que estes se sintam inferiores a ele? Roberto DaMatta - A primeira coisa que o gestor tem de fazer é entender essa relação. A única maneira de mudar problemas humanos é aceitar os problemas. Esse é o primeiro passo. Depois, ele deve pensar como apresentar as regras para as pessoas. Depende do tipo de trabalho que você faz. Há determinados casos em que não há como você evitar o proibido. Em outros, você não pode errar, como na aviação, por exemplo. Mas há profissões em que o gestor pode apresentar as regras de uma maneira mais suave. E é fundamental conscientizar mais, em relação a espaço, em relação a comportamento público. Até hoje temos uma deficiência nessa questão.

Revista ASBRAV – Isso faz parte de uma estratégia de comunicação empresarial do gestor com colaboradores e funcionários? Roberto DaMatta - Com certeza. É tudo uma questão de comunicação inteligente.

Revista ASBRAV - E como realizar essa comunicação empresarial em um país como o Brasil, tratado por todos como multifacetado. Como lidar com essas diferenças culturais? Roberto DaMatta - Não é tão diferente, porque todo mundo desobedece as regras, então há uma igualdade. Existem atitudes em relação a certas coisas, que são antigas e comuns e é muito difícil se desprender delas. Então, cabe ao gestor ter a sensibilidade para atacar e abordar cada assunto com maior ou menor intensidade. E, sobretudo, uma coisa que é fundamental são as campanhas de conscientização, algo que fazemos muito pouco. Por exemplo, a gente confunde propaganda governamental com campanha

política. Fazer campanha é uma coisa, fazer propaganda é outra.

Revista ASBRAV – Você morou por bastante tempo e construiu sua carreira nos Estados Unidos. Isso contribuiu para que tivesse uma visão diferente do Brasil em relação a quem sempre morou no país. Qual a contribuição dessa experiência para os seus estudos? Roberto DaMatta - Ajudou muito. Para mim, foi fundamental, inclusive em uma mudança de carreira. Eu comecei fazendo História na Universidade Federal Fluminense e comecei na Antropologia estudando os índios brasileiros. Depois, passei a tentar fazer uma antropologia focada em alguns aspectos específicos da sociedade brasileira, motivado pela experiência americana.

Revista ASBRAV - E o que essa experiência lhe acrescentou? Roberto DaMatta - A experiência da igualdade, de você poder concordar ou discordar. Não ter o problema de achar que se deve concordar para ser bem educado. Essa competição positiva, em que você tem regras e prêmios que são consistentemente e sistematicamente estabelecidos. Então você transforma a competição em algo relativamente positivo e isso acontece desde o colégio. Lá, o sistema de educação superior é todo pago, mas existem bolsas para os melhores. É uma maneira de se fazer uma ação positiva e manter o estudante motivado.

Revista ASBRAV - Dentro da meritocracia, é seguindo este pensamento que o colaborador deve se posicionar ao decidir uma promoção, por exemplo? Roberto DaMatta - Prestar atenção no desempenho dos colaboradores não é uma tarefa fácil, mas é uma obrigação dos gestores premiar os melhores. É um desafio em um país como o Brasil, em que as aparências e o nome são muito levados em conta. É uma das mudanças possíveis e que a gente vai ter que fazer.

7


Artigo convidAdo

Marketing digital na era da comunicação Madeleine Schein* Presidente do Comitê regional de Cachoeirinha/rS - PgQP Schein gestão Empresarial - www.schein.srv.br

Foto: Divulgação

dutos através do e-commerce, possuem blogs, utilis mudanças no mundo dos o marketing digital permite que tenhamos alto retorno zam comunicação negócios têm ocorrido sobre o investimento de tempo e dinheiro na comunicação via web. Além disso, possui muitos outros benefícios, como: através de celulanuma velocidade imres, redes sociais pressionante. Alguns dos u mensurar o resultado das campanhas identificando o e otimizam seus principais motivos são: que funciona e o que não funciona; u promover ações segmentadas, para públicos bem defisites possibilitando acirrada concorrência, nidos e com interesses em comum; um maior resultado avanço na tecnologia da u atrair ações gratuitas, por meio de busca orgânica no na busca pelos seus informação e mudanças google ou de forma viral via e-mail ou redes sociais; u através da promoção de conteúdo relevante, construir e-consumidores. no perfil comportamental uma base de dados a partir do público fiel; O desafio é analisar o dos clientes. u utilizar ferramentas como Blog, Facebook, Twitter e novo perfi l comportamental dos Hoje, temos um alargaGoogle de forma gratuita ou com custo muito inferior a outras mídias como a televisão. seus clientes e “prospects”, planejar mento na pirâmide etária e implantar ações de marketing digibrasileira, na qual, em tertal, e estar preparado para se comunicar e mos populacionais, existe um núampliar os negócios com clientes mais mero predominante de adultos na informados, exigentes e internautas. faixa de 18 a 24 anos. Esse público comporta-se de Essa batalha precisa ser encaraforma muito diferente da que adultos maduros, ou seja, da com seriedade e profissionalismo. As empresas precisam pessoas com mais de 40 anos. Eles dominam as tecnoloentender que, para utilizar a nova comunicação e integrar-se gias da informação, se comunicam muito bem ao mercado digital, é preciso elaborar um estudo de mercado através de e-mails, redes sociais e come utilizar estratégias competitivas para diferenciar-se dos conpram eletronicamente. correntes. Há alguns anos, empresários e profisOutro passo importante é ter um profissional capacitado sionais podiam dar-se “ao luxo” de dizer em marketing e internet para elaborar, desenvolver e acompaque não gostavam e nem entennhar as campanhas de marketing digital. Assim como a infordiam de tecnologia da informação. mação é disponibilizada rapidamente na internet, os boatos Atualmente, não há mais como fugir e retorno de clientes mal atendidos também são registrados dessa realidade, e ela é parte estratécom facilidade e precisam ser administrados. gica do marketing digital. Para empresas de pequeno e médio porte, os benefícios São estratégias e ações de codo marketing digital são ainda maiores, já que dispõem de municação que as empresas popoucos recursos para promover seus produtos e serviços. dem utilizar por meio da internet e Os empreendedores ainda se beneficiam pouco do da telefonia celular, além de outros marketing digital por desconhecerem as ferramentas e sua meios digitais, para divulgar e coutilização eficiente como canal de comunicação e promomercializar seus produtos, conquisção da sua empresa e produto, ou por terem medo da comtar novos clientes e fidelizar outros, plexidade desse meio. melhorar sua rede de relacionaContrate um profissional capacitado e inicie algumas mentos e fortalecer sua marca. ações de marketing digital! Você vai se surpreender com os Enquanto muitas empresas ainda tentam ocupar um esresultados! paço no mercado sem site, outras comercializam seus pro-

A

Mas afinal, o que é marketing digital?

8


gEStÃo dE PESSoAS

Atrair talentos usando mídias sociais é tendência Fotos: Reprodução

análise não costuma ser feita em razão do nível de exigências e pela urgência de preenchimento dessas vagas. Conforme a diretora da Concept Gestão de Pessoas e Psicologia, essas são as que possuem a maior dificuldade de lotação. “A quantidade de vagas que surgem e a velocidade com que elas precisam ser fechadas não são proporcionais à de candidatos qualificados e que realmente se comprometem com o processo seletivo e a empresa. Hoje em dia, as companhias buscam profissionais comprometidos e que queiram crescer e permanecer na organização, pois esse é um problema constante”, ressalta. Apesar das diversas vantagens em selecionar novos funcionários pela internet, ela alerta que é preciso tomar alguns cuidados: “é sempre importante chamar o candidato para uma entrevista presencial, analisar a veracidade das informações que constam no currículo e avaliar o perfil do profissional”.

A pesquisa

Entre as vantagens estão agilidade, facilidade e baixo custo

C

ada vez mais as mídias sociais ganham espaço na seleção de novos colaboradores. De acordo com uma pesquisa inédita realizada pela PwC, 49%, das 85 empresas consultadas no país, utilizam essas ferramentas para atrair talentos, enquanto 90% apontaram que usá-las com essa finalidade é uma tendência assim como empregá-las na capacitação de funcionários (56%). A psicóloga e diretora de Recursos Humanos da Concept Gestão de Pessoas e Psicologia, Sandra Fagundes, afirma que cerca de 90% dos candidatos são selecionados através de sites de currículos, divulgação no Twitter, Fa-

cebook e outros meios. Os outros 10% são atraídos por meio de anúncios em jornal, divulgação na rua e indicações. Segundo ela, a busca por profissionais na internet é uma forma mais rápida de a informação chegar até os candidatos, de direcionar os anúncios ao público que a empresa deseja atingir e de realizar captação de profissionais com pouco ou nenhum custo. “A internet tem um papel muito importante tanto na divulgação quanto na captação e avaliação prévia dos perfis nas redes sociais dos candidatos, devido à facilidade, à agilidade e ao baixo custo. Ainda é muito alto o investimento para anunciar em jornais, enquanto na internet a maioria dos meios que utilizamos é gratuita”, completa. Já a análise do perfil nas redes sociais é realizada quando a seleção envolve cargos estratégicos, administrativos e gerenciais, conta Sandra. Para cargos operacionais, ela refere que essa

O estudo detectou a necessidade de se desenvolver indicadores do uso das mídias específicos para a gestão de pessoas: “É importante que as empresas sejam capazes de qualificar o uso das mídias sociais pelos seus colaboradores e entender qual a relação entre esse uso e o clima organizacional, por exemplo, ou com os aspectos estratégicos da sua gestão, como o aumento da colaboração e geração de ideias”. A pesquisa “O uso das mídias sociais na gestão de pessoas” foi realizado entre maio e junho de 2012. Entre as companhias respondentes, 56% são de grande porte, com faturamento bruto anual superior a R$ 300 milhões, e 51% atuam em outros países. Os segmentos de atuação das empresas participantes foram bastante diversificados, porém os segmentos mais presentes foram os de Tecnologia e Consultoria/Serviços, com 13% da amostra, seguidos dos setores de Varejo e Financeiro, ambos com 9%.

9


notAS E LAnÇAmEntoS Foto: Divulgação Mercato

ABRAVA reativa projeto sobre obrigatoriedade de limpeza de ar-condicionado em edifícios Os edifícios de uso público e coletivo que tiverem sistema de ar-condicionado deverão adotar normas de limpeza e manutenção dos equipamentos para evitar a disseminação de organismos patogênicos. Inserir essa determinação na legislação federal é o objetivo do PLC 70/2012, aprovado pela Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA). O projeto agora irá para a Comissão de Assuntos Sociais (CAS), onde receberá decisão terminativa. Foto: Divulgação

Destaque Mercato – Prêmio “The Quality Awards 2013” Prêmio à Qualidade Brasileira A Mercato, representada por seus colaboradores Guilherme Borges e Natália Nascimento, foi agraciada no dia 25 de maio com o Prêmio “The Quality Awards 2013” oferecido pela Intercontinental Union For Quality (INUQ). A premiação foi realizada no centro de convenções da Bolsa de Valores do Rio de Janeiro e tem como finalidade principal premiar as empresas que trabalharam com empenho e dedicação para melhorar processos que buscam à qualidade, além de homena-

gear e trazer ao conhecimento público as empresas que se destacaram no segmento industrial, comercial e de serviços, que com talento e capacidade de empreender, contribuem efetivamente com o crescimento e desenvolvimento do país. A Mercato comercializa seus produtos em todo o território nacional, atendendo seus clientes através da sua matriz em Canoas, no RS, um escritório em São Paulo e também através do seu site de vendas.

Recadastramento no IBAMA começa em julho Conforme a nova Instrução Normativa do IBAMA nº 06, de 15 de março de 2013, que regulamenta o Cadastro Técnico Federal de Atividades Potencialmente Poluidoras e Utilizadoras de Recursos Ambientais (CTF/APP), todas as empresas estão obrigadas a fazer um recadastra-

mento perante o IBAMA. Os prazos são os seguintes: a partir do dia 01 de julho de 2013 (art. 46) e com prazos estabelecidos até 30 de setembro para as empresas classificadas como de grande porte, até 31 de dezembro para de médio porte e até 28 de fevereiro de 2014 para as de pequeno porte (incisos I a III e parágrafos 2º e 3º), devendo-se observar DNPC os demais prazos e enquadramentos, conforme divulga tabela de estabelecidos. As pessoas inscritas que não atenhonorários derem aos prazos estabelecidos neste artigo terão a situação cadastral alterada para O Departamento Nacional de Empresas Projetistas Suspenso para Averiguações, sem prejuízo e Consultores (DNPC) da ABRAVA divulgou a nova tabela de outras medidas cabíveis decorrentes de de honorários 2013. O objetivo é que profissionais da área, auditagem (art. 46 &1º ). Poderão haver desde projetistas até o cliente final possam usá-la como implicações nos termos da Lei de Crimes referência em seus projetos e concorrências. A tabela Ambientais, por funcionar obras ou serviços está disponível no portal da Abrava, www.abrava. potencialmente poluidores sem a licença dos com.br, no link Projetistas e Consultores órgãos ambientais competentes. no acesso “Honorários”.

10

Curtas u A Johnson Controls anunciou, pelo décimo ano consecutivo, a sua inclusão no FTSE4Good Index Series de 2013, índice que mede o desempenho de empresas que atendam ou excedam globalmente padrões de ética corporativa reconhecidos e os critérios de responsabilidade social. u A Full Gauge Controls participou pela primeira vez como expositora na HVACR Expo & Conference, realizada nos primeiros dias de março, em Karachi, Paquistão. Expôs no stand da TSSC - Technical Supplies & Services Co.L.L.C, através de uma parceria com a SmartCool Dubai.


EnSino

Entidade faz parceria com escola de idiomas

People-RS oferece desconto a associados em cursos de inglês e espanhol

Deconto Foto: Eduardo

A People-RS oferece cursos de Inglês para crianças, adolescentes e adultos, nos níveis básico, intermediário e avançado. Além disso, existem modalidades de aulas para praticar a conversação e aprender o idioma em questões específicas do mundo corporativo, como os cursos de inglês para entrevistas de emprego e negociações internacionais. Em 2013, a People-RS organizou um intercâmbio, em parceria com a agência de viagens World Study, para que seus alunos estudassem em Fort Lauderdale, na Flórida, nos Estados Unidos. Na experiência, os alunos puderam exercitar o idioma em situações cotidianas simuladas em sala de aula. A escola possui programas com aulas preparatórias para o vestibular e para certificados de competência e proeficiência na Língua Inglesa, como o Test of English as a Foreign Language (TOEFL). Antes da matrícula, é necessário fazer um teste de nivelamento do conhecimento do idioma, disponível no site www.peoplers.com.br. Mais informações sobre os programas de aula também estão disponíveis no portal. CUrSOS priNCipAiS:

O

s associados da ASBRAV, assim como seus familiares, têm mais um incentivo para estudar idiomas. A ASBRAV e a People-RS, escola de idiomas de Porto Alegre, firmaram, este ano, uma parceria que oferece aos membros da instituição 35% de desconto nas taxas de mensalidade e na matrícula para os cursos de inglês e espanhol. O diretor de relações institucionais da ASBRAV, Eduardo Muller, ressalta os benefícios gerados para os associados pelo convênio. “Achamos a parceria interessante pela qualidade dos cursos e a boa reputação da People-RS”, afirma. Muller destaca ainda que a Língua Inglesa, em especial, é fundamental para os profissionais que atuam no setor de aquecimento, ventilação, ar-condicionado e refrigeração (HVAC-R). “Quase toda literatura da área, em nível internacional, está

em Inglês. Além disso, muitas das normas técnicas utilizadas pelas empresas são fornecidas pela American Society of Heating, Refrigerating and Air-Conditioning Engineers (ASHRAE). É importante que se saiba o idioma para se manter atualizado sobre as exigências do mercado”, salienta. O diretor atenta também ao fato de que muitas das fabricantes instaladas no Brasil são multinacionais norte-americanas.

Sobre a People-RS: A escola de idiomas opera no Rio Grande do Sul desde janeiro de 2012 e conta com cinco sedes em Porto Alegre: Centro, Zona Norte, Zona Sul, Petrópolis e Menino Deus. “Oferecemos uma estrutura completa, com salas amplas, climatizadas e equipadas com equipamentos de áudio e vídeo”, afirma a supervisora corporativa Lisiane Mendes.

Children Line n Big Fun é para crianças em idade pré-escolar e do 1º ano do EF (até 6 anos de idade) n Kids é para crianças do 2º e 3º ano do EF (7 e 8 anos de idade) n Junior é para crianças do 4º e 5º ano do EF (9 e 10 anos de idade) Teenager Line n Preteen é para pré-adolescentes de 6º e 7º anos do EF (11 e 12 anos de idade) n Teen People é para adolescentes do 8º ano em diante (a partir de 13 anos de idade) n Teen Advanced é curso de aperfeiçoamento para adolescentes do 8º ano em diante (a partir de 13 anos de idade) Adults Line n People é para adultos e jovens a partir de 15 anos n Advanced é curso de aperfeiçoamento para adultos e jovens a partir de 15 anos n Conversation Preparatórios n Inglês para Vestibular n TOEFL Prep n Michigan Prep

11


tEcnoLogiA E inovAÇÃo

Electrolux projeta novos conceitos Entre os produtos criados no Centro de Design estão lavadoras, fogões, adegas, refrigeradores e condicionadores de ar

M

icro-ondas programados para que os consumidores preparem mais de 65 receitas. Sistemas cooktop que cozinham os alimentos por meio de ondas de indução. Condicionadores de ar portáteis e com fluxo de ar controlado. Essas são algumas das tecnologias desenvolvidas pela Electrolux em seu Centro de design, instalado em Curitiba, desde 1985. recentemente, no Japão, a marca apresentou um aspirador de pó que toca música enquanto faz a limpeza. Líder global do mercado de eletrodomésticos, a multinacional sueca tem como estratégia o desenvolvimento de equipamentos diferenciados e funcionais, com um design inovador e que atendam às necessidades dos consumidores. o posicionamento da empresa, voltado para a inovação, é observado pelo 2º vice-presidente da ASBrAv, João Henrique Schmidt. “A Electrolux é uma empresa de vanguarda, que sempre busca utilizar novas tecnologias em seus produtos, de olho no meio ambiente”, afirma. A criação e o desenvolvimento dos produtos no Centro de design da Electrolux fazem parte de um processo complexo, que inicia nas pesquisas realizadas diariamente com os consumidores e culmina com os testes finais, efetuados em um laboratório de usabilidade. “É necessário detectar oportunidades, além de entender o comportamento dos consumidores e suas necessidades. As maneiras de desembalagem, de instalação e de uso são muito importantes. Antes de se pensar um novo equipamento, se faz, ainda, experiências para detectar como

12

os aparelhos que estão no mercado poderiam ser melhores”, destaca Julio Bertola, diretor de design da empresa. o profissional ressalta ainda a percepção do que está na moda entre os consumidores como uma das principais dificuldades ao buscar a inovação tecnológica. “Procuramos aplicar nossas soluções de acordo com as tendências do mercado. Por exemplo, equipamentos que façam menos barulho, que auxiliem a esconder a bagunça, ou que tenham seu acabamento melhor trabalhado, para se adequar à arquitetura. Adaptamos nossos produtos a essas tendências”, aponta. Bertola trata o design

como a principal forma de comunicação das características dos produtos e dos valores da marca. dentro dessa ótica, o bom design deve se estruturar em três pilares principais: usabilidade, funcionalidade e estética. “Com a evolução tecnológica, muitos equipamentos seguem a tendência da navegação na internet. Essa usabilidade foi criada para se chegar a um determinado resultado. os produtos são equipados com menus, luzes e botões, que se adequam a uma hierarquia. É

prODUTOS preMiADOS os equipamentos desenvolvidos no Centro de design da Electrolux já renderam reconhecimento à equipe de engenheiros e designers que trabalha no local. Confira alguns prêmios conquistados: Lavadora Turbo Secagem 12kg u Melhor design de eletrodoméstico no Fórum Internacional de Design de Hannover, na Alemanha, em 2007 u Prêmio Idea Brasil, em 2008 Fogão Celebrate Glass u Prêmio Idea Brasil, em 2008 Refrigerador Electrolux Infinity u Good Design Award (Chicago), em 2010 u Forum Internacional de Design, de Hannover, na Alemanha, em 2010 u Museu da Casa Brasileira, em 2010


Foto: Divulg ação

tudo muito intuitivo”, afirma. Segundo o designer, essa comunicação entre os eletrodomésticos e os clientes é essencial para a fidelização dos consumidores em relação às marcas. “Se entregarmos um produto final que deixe o cliente satisfeito, ele irá passar para as outras pessoas a qualidade da marca. Se tornará um evangelista da Electrolux”, ressalta. Além disso, é muito importante que os eletrodomésticos operem de maneira a estimular o lado sensorial das pessoas. “É lendo, tocando e enxergando que essa comunicação é percebida. Por isso, os produtos devem possuir uma estética agradável. Para que o cliente perceba que os equipamentos foram bem planejados e se sintam seguros durante o uso”, salienta. João Henrique Schmidt exalta o comprometimento dos profissionais da empresa em apresentar soluções funcionais aos consumidores. “Cada vez que utilizamos um produto Electrolux, percebemos o empenho da equipe em trazer comodidade, facilidade e novidades para o usuário”, destaca. Entre os equipamentos desenvolvidos no Centro de design estão os condicionadores de ar, fabricados em Manaus. nesse setor, a empresa atenta à qualidade de vida dos consumidores e aposta na umidificação e filtragem do ar, que auxiliam na prevenção de doenças respiratórias. “dois dos nossos objetivos são a portabilidade e a redução do consumo de energia.

Quanto à estética, procuramos integrar melhor os aparelhos ao ambiente”, analisa o designer. Bertola atenta também para a questão da sustentabilidade no desenvolvimento dos equipamentos da Electrolux. “Utilizamos materiais que não contêm elementos nocivos ao meio ambiente, além de dar atenção ao racionamento de energia. Procuramos dar maior tempo de vida útil aos produtos, para evitar o desperdício de bens descartáveis”, conclui.

Sobre o Grupo Electrolux Fundada em 1919, em Estocolmo, na Suécia, a Electrolux é líder global na

Electrolux

produção de aparelhos para uso doméstico e profissional. A cada ano, a empresa vende mais de 40 milhões de produtos, entre geladeiras, lava-louças, fogões, condicionadores de ar e eletroportáteis, para mais de 150 países. Com 58 mil funcionários, a Electrolux vendeu o equivalente a 102 bilhões de coroas suecas em 2011. no Brasil, além do Centro de design, a empresa opera com quatro fábricas nas cidades de Curitiba, Manaus e São Carlos.


PErFiL EmPrESAriAL Azevedo é pioneiro na área em Porto Alegre

Fotos: Guilherme Testa, Especial

Azevedo destaca ainda que os sistemas de condicionadores de ar para automóveis são similares aos equipamentos instalados em construções. “A principal diferença é que o veículo é móvel. O aparelho fica mais sujeito a defeitos, devido à constante variação de temperatura e rotação do motor”, afirma. Para o empresário, as principais mudanças pelas quais passaram os equipamentos, em seus mais de 40 anos de atuação no ramo, estão no peso e no tamanho. “Antigamente era tudo mais pesado e maior. Alguns compressores eram feitos de ferro. Hoje quase todos são de alumínio”, aponta. Segundo ele, a tecnologia contribuiu, como em outras áreas, para que o funcionamento do sistema ocorresse de maneira eletrônica e para que os aparelhos se tornassem cada vez mais eficientes. “Antes, um carro popular não rodava com ar-condicionado. Hoje, a perda de potência nesses veículos é de apenas quatro cavalos. É bem mais econômico”. Além disso, os avanços na área fazem com que muitos dos veículos já saiam de fábrica com os condicionadores de ar instalados. “O serviço de manutenção, como os problemas de vazamento de gás, defeitos de fábrica e limpeza de filtro estão entre os que mais realizamos. Como a qualidade aumentou, os equipamentos dão cada vez menos problemas”, salienta. Atualmente, o empresário possui uma equipe de 15 mecânicos. A Lauro José Azevedo Ar Condicionado opera, há 15 anos, na Avenida Cairu, 1447, no bairro Navegantes, em Porto Alegre.

Tradição na refrigeração automotiva Lauro José de Azevedo Ar Condicionados é referência na instalação e manutenção de equipamentos do setor no Estado

“H

á 40 anos trabalhando para o seu conforto”. O slogan posicionado em um outdoor em frente à oficina de Lauro José de Azevedo resume a história do proprietário da loja que leva o seu nome. O empresário é pioneiro na instalação e manutenção de condicionadores de ar automotivos em Porto Alegre e no Rio Grande do Sul. Azevedo, que tem como formação o curso técnico de mecânica, conta que começou a atuar na área com apenas 14 anos. Jovem, trabalhava na linha de montagem de uma extinta fábrica de refrigeradores da capital gaúcha. Com a chegada dos primeiros veículos equipados com ar-condicionado, no início dos anos 70, o profissional migrou para a refrigeração automotiva. E a habilidade na mecânica logo virou negócio. “Quando se começou a trabalhar nessa área, eu já mexia com outros sistemas, e o funcionamento era muito parecido”, destaca. Desde então, a Lauro José de Azevedo atua na instalação e manutenção de condicionadores de ar automotivos, assim como na venda de peças para os equipamentos, e se tornou referência no mercado. “Trabalhamos junto a concessionárias de todas as marcas. Quando os aparelhos apresentam algum problema mais sério, sempre nos procuram”, ressalta o empresário.

14


gEStÃo SuStEntávEL

Curitiba investe no resfriamento de ambientes fechados Equipamentos instalados nas estações-tubo da cidade custam metade do preço dos condicionadores de ar convencionais e são até 20 vezes mais econômicos.

A

cidade de Curitiba encontrou um meio mais sustentável e ecologicamente correto para refrigerar o ar das estações-tubo (estações de ônibus) nos dias de calor. Ao invés de utilizar aparelhos de ar-condicionado convencionais, a prefeitura da capital paranaense resolveu adotar o sistema evaporativo, que consome 20 vezes menos energia elétrica. Desenvolvido na Escola Técnica Profissional, sob coordenação do professor Alexandre Fernandes Santos, diretor do escritório Regional da ASBRAV no Paraná, o equipamento já foi instalado em cinco estações da Linha Verde-Sul de ônibus. “Trabalho com sistemas evaporativos desde 1988. Apresentamos a proposta à prefeitura em 2008 e ela logo foi aprovada. O projeto teve como objetivo aliar sustentabilidade e conforto térmico”, destaca Fernandes.

Tecnologia usa filtros umedecidos para desaquecer o ambiente ndes Ferna andre x le A : Fotos

Como funciona O equipamento reduz a temperatura do ambiente em até 7°C, através de um sistema de refrigeração misto. “Esse é o grande diferencial do projeto em relação aos demais aparelhos. Utiliza-se um filtro umedecido e a temperatura da terra para desaquecer o ambiente”, explica o diretor. Além da vantagem energética, custa a metade do preço dos equipamentos convencionais. “Na época, a instalação unitária custou R$ 65 mil, enquanto os condicionadores de ar custariam em torno de R$ 135 mil”, salienta Fernandes. O sistema evaporativo não pode ser utilizado para o aquecimento de locais fechados. As novas estações da linha Verde-Norte, que estão em construção em Curitiba, também deverão operar com o equipamento.

O ar é admitido nas estações-tubo por meio de dutos de captação, que possuem três metros de altura e reduzem a entrada de monóxido e dióxido de carbono no ambiente. Em seguida, passa pelo sistema evaporativo, que é ativado a cada 90 segundos por um botão localizado no interior do tubo. Dentro do aparelho, o ar é resfriado por um climatizador que opera através de um filtro de papel constantemente umedecido. Depois, o ar é conduzido por dutos de concreto liso até as grelhas de insuflamento, que garantem sua circulação e a refrigeração do ambiente interno. Os efeitos do equipamento são otimizados por uma película de revestimento interno nos vidros e pela instalação de um material isolante nas chapas de aço que compõem a cobertura dos tubos. Além do conforto térmico dos passageiros, o sistema atenta para a limpeza do ar dentro das estações-tubo. Para isso, o equipamento opera com uma lâmpada de desinfecção, que reproduz raios ultravioletas do tipo C. Os feixes de luz atuam na esterilização e neutralização, que elimina micro-organismos, fungos e bactérias. “A qualidade do ar em ambientes fechados é tão importante para a população quanto o conforto térmico”, conclui Fernandes.

15


mAtériA dE cAPA

Cuidados com a qualidade do ar é sinônimo de saúde

e

m 2013, o dia 21 de junho marca o início do inverno e a estação é conhecida pelas baixas nas temperaturas e, na região Sul do país, pelo aumento nos níveis de umidade do ar, que contribuem com a transmissão de doenças, alergias e complicações respiratórias. Além desses fatores, a má qualidade do ar em ambientes coletivos fechados também pode ser determinante para a contaminação. Muitos desses espaços, como escritórios, edifícios comerciais e prédios públicos, não apresentam a manutenção apropriada de seus sistemas de climatização artificial. isso ocorre devido à falta de uma legislação específica para a questão da qualidade do ar. “Hoje, existem normas técnicas, que servem apenas como um norte na instalação dos aparelhos, mas não têm força de lei. Assim, muitas construções desobedecem essas exigências”, destaca o diretor de marketing e comunicação da ASBrAv, César de Santi. de acordo com o médico Carlos tietboehl, chefe do departamento de doenças Ambientais e ocupacionais da Sociedade de Pneumologia e tisiologia do rio grande do Sul (SPtrS), o mau estado dos filtros e bandejas dos condicionadores de ar contribui para a proliferação de bactérias e fungos. “Existem certos componentes no ar desses ambientes que são potencialmente danosos para o sistema respiratório, já que podem resultar em reações alérgicas e até mesmo tóxicas”, ressalta. Esses micro-organismos causam sintomas como tosse, coriza, chiados no peito, expectoração e ardência nos

16

dutos de umulada em A poeira ac ntribui co o ad ar-condicion ácaros iferação de para a prol causar m de que po e bactérias órios at ir sp re as problem

olhos, entre outros. As manifestações ocorrem, normalmente, de forma aguda e temporária, de acordo com a permanência no ambiente. “Há casos mais preocupantes, em que os sintomas se tornam crônicos e independem da presença no local”, relata tietboehl. Além dessas substâncias, elementos poluentes como monóxido e dióxido de carbono, amônia, nicotina e óxido de enxofre contribuem para a queda de qualidade do ar interior. A manifestação dessas reações depende, também, da sensibilidade pessoal dos indivíduos. “As pessoas que sofrem de alergias respiratórias, como asma, rinite e sinusite estão mais sujeitas a esses sintomas”, salienta o médico. Além de permitir a propagação dessas doenças, o ambiente fechado e mal climatizado reduz o rendimento de profissionais no ambiente de trabalho. Estudos comprovam que quando a emissão de gás carbônico em espaços fechados chega a níveis não recomendáveis (acima de mil pontos por milhão), os trabalhadores podem sentir cansaço, desconcentração e, até mesmo, mal-estar tietboehl ressalta, ainda, que a limpeza do ar é tão importante no ambiente externo quanto no interno. “A qualidade do ar adequada, sem a presença dessas substâncias, é essencial para a convivência urbana”, afirma. Segundo o diretor técnico da ASBrAv, ricardo vaz, os usuários devem limpar os filtros de aparelhos residenciais pelo menos uma vez ao mês. Para isso, basta retirar a peça e lavá-la com água corrente.

em ambientes de maior circulação de pessoas, o ideal é que os filtros sejam higienizados a cada 15 dias. “A limpeza interna do equipamento também é importante. deve-se ter cuidado com o acúmulo de água na bandeja e com a manutenção da serpentina”, destaca o diretor técnico. Além disso, vaz recomenda que a manutenção das peças internas dos condicionadores de ar seja realizada por técnicos especializados. “Em equipamentos de grande porte, o procedimento deve ser feito a cada dois meses. Já nos aparelhos menores, a cada seis”, afirma. Atenta aos efeitos da falta de manutenção dos equipamentos e do quanto pode influenciar na saúde das pessoas, a ASBrAv em parceria com o vereador valter nagelstein (PMdB), elabora o projeto de lei da Qualidade do Ar em Ambientes Climatizados Coletivos. o assunto já foi debatido na Comissão de Saúde e do Meio Ambiente da Câmara de vereadores de Porto Alegre, em abril deste ano, com a presença de representantes de empresas do ramo. “Este é um assunto muito importante para a saúde geral da população, principalmente pela questão da prevenção de doenças”, destaca o presidente da comissão, vereador Paulo Brum (PtB). o anteprojeto pretende regulamentar, na legislação municipal, as normas técnicas para projeto e instalação de sistemas de climatização em espaços fechados de uso público, assim como para a manutenção dos equipamentos


Fotos: Divulgação

Tosse, coriza, chiados no peito, expectoração e ardência nos olhos são alguns dos sintomas provocados pelos microorganismos presentes no ar contaminado


O QUe DiZ A NOrMA DA ANViSA:

e da qualidade do ar nesses ambientes. “o objetivo é incluir as recomendações vigentes na lei atual. É um avanço técnico e de contribuição à sociedade”, salienta de Santi. o presidente da ASBrAv, Luiz Afonso dias reconhece a importância da criação da nova legislação para o setor de aquecimento, ventilação, ar-condicionado e refrigeração (HvAC-r), assim como para os consumidores. “os profissionais se qualificaram para poder fazer a instalação e a manutenção da maneira correta, de acordo com a norma. o anteprojeto garante essas condições. E os consumidores se beneficiam com um produto final de qualidade”, salienta. no Brasil, existem dois estatutos que pretendem controlar a qualidade do ar interior: a recomendação nº 9, de 16 de janeiro de 2003, da Agência nacional de vigilância Sanitária (Anvisa); e a norma nBr 16401, da Associação Brasileira de normas técnicas (ABnt), de agosto de 2008. Para que as condições do ar interno

18

sejam aceitáveis, é necessário o controle periódico do nível de poluentes no ambiente. “Cabe à lei municipal exigir que a fiscalização seja executada, e que os projetos de climatização sejam aprovados em sua fase inicial. o anteprojeto garante a obediência às normas na contratação do profissional capacitado”, pontua de Santi. dias ressalta que a informação da população sobre as normas é tão essencial quanto a criação e a fiscalização da nova lei. “não adianta criar novas leis, sem que elas sejam divulgadas. A conscientização é fundamental para que se conheça o regulamento”, relata. nagelstein afirma que a proposta começará a ser protocolada ainda no segundo semestre de 2013. “A regulamentação é essencial em locais fechados com circulação elevada de pessoas, como é o caso dos bancos, por exemplo, mas é uma questão delicada, que exige bastante cuidados. Atualmente, estamos realizando estudos e consultas sobre o tema”, conclui o vereador.

os padrões para controle da qualidade do ar em ambientes fechados são determinados pela Agência nacional de vigilância Sanitária (Anvisa) por meio da resolução nº 9, de 16 de janeir,o de 2003. Entre as principais recomendações estão: n o valor Máximo recomendável (vMr) para contaminação microbiológica deve ser menor que 750ufc/m³ de fungos; n o vMr para contaminação química deve ser menor que 1000 p.p.m de dióxido de carbono; n o vMr para contaminação química deve ser menor que 80 μg/m³ de aerodispersoides totais no ar; n a faixa recomendável de operação da temperatura de Bulbo Seco deve variar entre 23° C e 26° C no verão e entre 20° C e 22° C no inverno; n a faixa recomendável de operação da Umidade relativa do ar deve variar entre 40% a 65% no verão e entre 35% e 45% no inverno; n o vMr para operação da velocidade do Ar, no nível de 1,5m do piso, na região de influência da distribuição do ar deve ser de menos 0,25 m/s; n a taxa de renovação do Ar adequada de ambientes climatizados será, no mínimo, de 27 m³/hora/pessoa, exceto no caso específico de ambientes com alta rotatividade de pessoas. nesses casos, a taxa de renovação do Ar mínima será de 17 m³/hora/pessoa; n a utilização de filtros de classe g1 na captação de ar exterior e de classe g-3 nos condicionadores de sistemas centrais.


oBrA dEStAQuE Foto: Eduardo Liotti

Capacidade de

3.006 pessoas sentadas

ber, o projeto escolhido se adéqua às exigências de conforto térmico e qualidade de ar em um ambiente como o Araújo Vianna. “É o melhor sistema, 3 Camarins em termos de economia de energia e com capacidade serviço ao público que a Opus poderia para até escolher. Fui à inauguração e o sistema 3 pessoas projetado atende às necessidades dos espectadores”, ressalta. A obra, finalizada em setembro de 1 Camarim 2012, custou R$ 18 milhões e contou coletivo com a ampliação do palco em formato de concha acústica para 284m² (124 m² a mais do que antes), melhoramento do tratamento acústico e instalação de câmeras de vídeo para segurança externa. Ainda, com a reforma, o auditório ganhou novos assentos, dois bares, camarote, banheiros e acessibilidade. A capacidade é de mais de 3 mil lugares em formato de plateia e de 4,8 mil, de pista. “O Araújo Vianna funciona com capacidade plena e uma acústica de qualidade. Os bares foram ampliados e foi criada uma estética renovada e atualizada para sua nova funcionalidade”, destaca o coordenador do projeto de reforma do auditório pela Opus, Carlos Caramez. Para o futuro, está prevista a construção do Acervo do Araújo Vianna, a fim de resgatar e preservar a história musical e a importância cultural da casa.

Auditório ganhou novos assentos, bares e acessibilidade

Araújo Vianna ganha ar-condicionado Sistema renova ar exterior de acordo com o número de pessoas presentes na plateia

A

cobertura do Auditório Araújo Vianna, debatida entre a população porto-alegrense por 30 anos, foi concluída em maio de 2012 e obrigou a instalação de um sistema de climatização. O engenheiro Sérgio Moraes conta que o projeto da SPM Engenharia utiliza sistema de água gelada no verão e quente no inverno, com renovação de ar exterior modulada de acordo com o número de pessoas na plateia. Os chillers e fan coils são da Carrier. A instalação do ar-condicionado foi realizada pela empresa Montérmica e do sistema automatizado, pela Globus Sistemas Eletrônicos. Segundo a 1ª vice-presidente da ASBRAV, Hani Klé-

História do auditório

Em 1997, o Auditório Araújo Vianna foi tombado como Patrimônio Histórico e Cultural do Município juntamente com o Parque Farroupilha, local em que está situado há 49 anos. Nos anos 80, teve suas atividades reduzidas, devido à escassez de recursos e à necessidade de reformas. Ficou desativado de dezembro de 1985 a outubro de 1986. A ocupação ocorreu de maneira mais efetiva com a abertura da Sala Radamés Gnattali em 1992. Quatro anos depois, o auditório foi reinaugurado com uma cobertura de lona tensionada, a qual perdeu a validade em julho de 2002, após laudo técnico que alertava para o risco de sofrer pressão da chuva e romper os cabos. Assim, por motivos de segurança, a casa foi interditada pela Prefeitura no início de 2005. Em agosto do ano seguinte, uma ação civil movida pelos moradores do bairro Bom Fim impediu a execução do projeto de recuperação. A ação obrigava a completa vedação acústica e implicava na instalação de climatização, elevando o custo da reforma. A Secretaria Municipal de Cultura (SMC), então, publicou um edital de licitação convidando empresas privadas a executarem a obra, oferecendo em troca a permissão de utilização de 75% das datas anuais do auditório por um período limite de dez anos. A vencedora foi a Opus Promoções, que iniciou, em 2010, a reforma, juntamente com o arquiteto Moacyr Moojen Marques. A parceria público-privada deu direito à Secretaria para realizar eventos em 91 dias anuais e à Opus Promoções, em 274 dias, nos 10 primeiros anos após a obra.

19


dicAS dE ArQuitEturA

Ambiente tem iluminação, exaustão e climatização independentes

U

m espaço em que a arquitetura potencializa o prazer do anfitrião ao receber os amigos para jantar, apreciar um bom vinho ou prato especial. É com essas inspirações que o arquiteto Carlos Lemos projetou sua “Cozinha Gourmet” para a 22ª edição da mostra Casa Cor, que acontece em Porto Alegre até o dia 1º de agosto. O projeto foi desenvolvido para proporcionar aos usuários as principais novidades oferecidas para a prática da gastronomia, aliando conforto e sofisticação com uma proposta de arquitetura integrada. “O principal diferencial é a sua funcionalidade. Como o vinho é uma tendência atual, resolvi unir dois prazeres: a gastronomia e a reunião de amigos”, diz o arquiteto. Para isso, Lemos desenvolveu uma solução integrada para diversas atividades. O projeto é dividido em cinco áreas: o espaço gourmet, para preparo dos alimentos e refeições, uma horta vertical, um espaço para leitura e descanso e a sala de jantar anexa à adega. “O ambiente possui um conceito bastante contemporâneo, onde os pontos focais criam arte, reflexos e movimento, buscando uma identidade visual”, afirma. O espaço gourmet é composto por uma bancada linear em que se pode fazer desde o preparo e o cozimento dos alimentos até a refeição e limpeza da louça. “O móvel foi feito com a frente em fundo branco e os puxadores modelo slim, que contrapõem com o painel de vidro negro que reveste as paredes. No forro, optei por fazer rebaixos de gesso” afirma Lemos.

20

, a i m o n Gastro e s o g i am o c i m r é t o t r o f con O arquiteto projetou o espaço de jantar utilizando um mobiliário em tons de vermelho e a madeira ecológica no revestimento das paredes e pisos. Junto, encontra-se a adega, um dos diferenciais do projeto. O ambiente é envidraçado e conta com iluminação, exaustão e climatização independentes. “Dessa maneira, é possível degustar um bom vinho ao mesmo tempo em que se aprecia um charuto, por exemplo, sem que haja a mistura de odores e fumaça”, destaca o arquiteto. O projeto possui uma sala de estar aquecida por uma lareira abastecida por biofluido e um espaço para uma horta caseira vertical. Lemos dá bastante importância ao conforto térmico dos anfitriões e convidados. Em uma solução desenvolvida em parceria com a Proclima, empresa que forneceu máquinas e suporte técnico, o projeto tem sistemas de climatização independentes. “Além disso, é automatizado para que funcione da maneira mais prática possível”, relata o arquiteto.

As máquinas, da linha Versatile Quente e Frio da Springer Carrier, operam com uma potência de 48 mil BTS e abrangem uma área de 75m². O ar, refrigerado ou aquecido, circula por um sistema de grelhas lineares. A extração de vapores e gorduras no espaço gourmet é garantida por uma coifa de teto, da marca Crissair, com um exaustor de potência 1.200m³, que opera em quatro velocidades e utiliza controle remoto. “Procuramos aliar tecnologia ao design. O exaustor embutido no rebaixo do gesso segue linhas modernas e elimina o volume do equipamento pendente no teto”, destaca. A adega conta com controle de gás carbônico automatizado. O sistema, que opera com um exaustor Trox de 1.500 watts, é acionado sempre que há excesso do fluido no ambiente. Finalmente, o projeto utiliza uma lareira de parede abastecida por biofluido de cereais, da Artfire, que elimina o inconveniente de resíduos e fumaça no espaço.

D climestaq ati ue à zaç ão

Fotos: Eduardo Liotti , Especial

Arquiteto Carlos Lemos desenvolve projeto de Cozinha Gourmet para apreciadores de vinho.

u O Casa Cor 2013 ocorre até o dia 1º de agosto, no Espaço Casa Cor (Alameda Alceu Wamosy, 91), em Porto Alegre.


Artigo Técnico

Sistemas de Automação

consegue elaborar projetos de automação utilizando dispositivos e acessórios relacionando confiabilidade, segurança e custo muito acessível, atendendo todas as necessidades do mercado consumidor. Veja os principais sistemas de automação que fazem parte do nosso dia a dia:

Benefícios da automação

*Por Eng. Gilberto Rossato de Medeiros – Diretor Comercial

E

ntende-se por automação a capacidade de se executar comandos, obter medidas, regular parâmetros e controlar funções automaticamente, com ou sem a intervenção humana, o que também é sinônimo de integração, ou seja, da função mais simples a mais complexa. Existem um ou mais sistemas que permitem que um dispositivo seja controlado de modo inteligente, tanto individualmente quanto em conjunto, visando alcançar conforto, velocidade e segurança. Dependendo da área onde se deseja aplicar um sistema automatizado, pode-se utilizar algum tipo de automação, entre os quais: automação industrial, automação predial e doméstica, automação em carros, aviões, trens, máquinas agrícolas, ônibus, caminhões, etc...

Evolução dos sistemas de automação e mercado doméstico Existem tipos de sistemas de automação para diversas aplicações. Os sistemas automatizados para processos industriais surgiram na década de 70, com destaque para as máquinas com controles numéricos; controladores lógicos programáveis, robótica, sistemas flexíveis de manufatura, etc. Em seguida o comércio assimilou as tecnologias de automação com foco nos serviços de segurança, conforto térmico, telecomunicações, edificações verdes, entre outros. Desde então a automação tem evoluído rapidamente. Através dos avanços nas tecnologias de redes, consegue-se maior integração com a maioria dos sistemas existentes e com estrutura de cabeamento e que já evoluiu para o sistema sem fio favorecendo atender um mercado até então não muito explorado, o mercado doméstico. Hoje a automação doméstica, também conhecida como domótica, é uma realidade. Com as redes wireless cada vez mais difundidas já se

A automação traz conforto, controle das atividades repetitivas através da coleta de dados, atuação sobre equipamentos e processos, segurança, redução de erros, velocidade, eficiência, etc. Esse exemplo por si próprio já justifica a busca desenfreada por soluções seguras e inteligentes para nosso dia a dia. Basta apertarmos um botão para termos um sistema de iluminação inteligente, controlar a conservação de alimentos num supermercado, receber mensagens de emergência via SMS em nosso celular e muito mais.

Controle e supervisão via celular

Com apenas uma mensagem via SMS ou aplicativo celular, pode-se comandar e monitorar remotamente vários tipos de equipamentos e situações como: câmaras

21


custo operacional bastante reduzido e com um grau de atendimento bastante elevado.

E as razões para acreditar nesse mercado no Brasil são inúmeras: n Disseminação da tecnologia wireless, controle de energia para reduzir os custos e para o aumento da comodidade. n Demanda por espaços residenciais mais confortáveis em relação à climatização, iluminação, controles, entre outros. n Legislações com controles mais rígidos sobre a conservação de alimentos obrigam os supermercados e estabelecimentos comerciais a modernizarem suas instalações e controles de conservação de alimentos.

frigoríficas, rack de compressores, geradores de energia, bombas d’água, radio base, centrais térmicas, piscinas, veículos, ar-condicionado, monitoramento de pessoas idosas, doentes e deficientes, iluminação, entre outros, com possibilidade de monitoração 24 horas por dia a um

22

n Tendências de aumento do foco nas funcionalidades residenciais de controle e monitoramento de dispositivos. n Telecoms e fornecedores de TV e internet a cabo visualizam serviços de gestão de automação residencial como um caminho para oferecer novas opções.


n Expansão da utilização de dispositivos de segurança como sensores biométricos, alarmes, cercas elétricas, sistema de câmeras de monitoramento, etc. n Crescimento do uso de aplicações personalizadas de tablets e smartphones.

Panorama do Mercado - Tendência da Economia Brasileira – PIB Construção A construção civil está em alta. Muitos dos empreendimentos a serem lançados neste ano, PAC 2, Copa do Mundo, Olimpíadas e outras. Tanto que o PIB do setor está previsto para crescer 5,2% mais que o PIB nacional. Infelizmente a previsão da taxa de crescimento do PIB para 2012 ficou abaixo da expectativa do mercado. Em 2010 tivemos uma grande evolução do PIB (7,5%) em relação a 2009 (-0,3%), 2011 houve uma queda alta, (2,7%). Segundo economistas, essa queda foi “devido à crise econômica nos Estados Unidos e na Europa e também pela política contra inflação adotada pelo Banco Central, que elevou as taxas de juros (Selic), desestimulando o consumo”. Mas a previsão de crescimento para o Brasil até 2016 é muito boa, abrindo grandes possibilidades de investimento no mercado brasileiro. Figura 01 - Fonte: Sinduscon - 2012 - PIB Construção Civil é responsável por grande fatia.

Tendências no futuro da indústria Segundo Iain Gordon, proprietário da GES Digital e Presidente da KNX UK Association, “dentro de cinco anos, a automação residencial irá constituir uma parte integral do projeto e construção novas residências”. E David Webster, CTO, da RGB Communications, afirma que ”o desafio irá ajustar a automação residencial para que se torne natural e fácil de mudar”. Segundo a Associação Brasileira de Automação Residencial (AURESIDE), de 2008 a 2010 houve um crescimento de 35% no número de projetos referentes à automação residencial no país. Nos últimos cinco anos os preços de produtos e serviços caíram em torno de 50%.

Perspectiva da Indústria Norte-Americana e Europeia no Mercado Americano de Automação A Aureside nos apresenta um quadro sobre o perfil atual do consumidor e a tendência para os próximos 10 anos na automação residencial:

Outro fator importante e que estimula o crescimento de mercado é a conectividade:

Aumentar o conforto e a praticidade, aliando redução de consumo de energia, é o grande foco do momento para sistemas de automação predial e comercial.

23


Artigo Convidado Foto: Reprodução

Simples Nacional e a substituição tributária

*Por Eduardo Plastina Advogado

A

Constituição Federal determina, expressamente, que as pequenas e microempresas devem ser submetidas a tratamento tributário diferenciado e favorecido, o que significa que a tributação dos empreendimentos de menor porte deve, necessariamente, apresentar duas características: quantitativamente, ser em montante proporcionalmente menor que os das empresas médias e grandes; e, qualitativamente, ter perfil

24

simplificado, evitando grandes investimentos em suportes técnico-administrativos para garantir o correto pagamento dos tributos. Com a instituição do SIMPLES, a intenção inicial era criar-se um sistema unificado de tributação pelo qual as pequenas e microempresas encontrar-se-iam

aptas a recolherem os principais tributos federais e o ICMS ou o ISS em uma única guia, em percentual incidente sobre o faturamento e em montante mais reduzido do que o aplicado em outras sistemáticas de tributação. Ocorre, porém, que boa parte das vantagens tributárias que poderiam ser trazidas por essa sistemática de tributação acabaram sendo afastadas em função da autorização legal para a aplicação da substituição tributária às operações realizadas por empresas submetidas ao SIMPLES e, ainda, da previsão de que tal incidência deve ocorrer de forma idêntica àquela aplicada às médias e grandes empresas. Atualmente, com a substituição tributária, que importa o pagamento antecipado do ICMS, desvinculado da efetiva realização da operação e do concreto valor desta, independente do regime de tributação a que estejam sujeitas as empresas adquirentes, todas as mercadorias são tributadas pela alíquota e margem de lucro presumida aplicável às empresas de médio e grande porte. Mesmo que a empresa esteja no SIMPLES, portanto, a carga tributária de ICMS incidente sobre a mercadoria comercializada é idêntica àquela aplicada às maiores empresas, como se a capacidade financeira e as condições de negociação com os fornecedores e os clientes fossem as mesmas. Essa equivalência de tratamento tributário, contudo, desborda da desequiparação preconizada pela própria Constituição Federal, pela qual as pequenas e microempresas deveriam ter uma tributação favorecida, representando exemplo de grave desajuste existente no SIMPLES e que deve, para a devida salvaguarda do direito constitucional a um verdadeiro tratamento tributário favorecido da pequena e microempresa, ser revista pelo legislador ou mesmo, em última alternativa, pelo Judiciário.


EvEntoS

Entidade celebra 18 anos

A

Associação celebrou, no dia 16 de maio, o aniversário de 18 anos de representação de empresas dos setores de refrigeração, ar-condicionado, aquecimento e ventilação. A entidade realiza, entre outras atividades importantes, a qualificação profissional por meio de cursos e parcerias. Em seu pronun-

ciamento, o atual presidente, Luiz Afonso Dias, ressaltou a importância do trabalho de ex-presidentes que fortaleceram e deram credibilidade à ASBRAV. Também destacou os esforços na evolução da qualificação profissional, fundamental para o setor e para a sociedade dos estados representados pela entidade (RS, SC e PR). Fotos: Divulgação Asbrav

Programa seleciona jovens aprendizes Posicionar jovens em situação de vulnerabilidade social no mercado de trabalho. É com esse intuito que a ASBRAV, em parceria com o SENAI/ RS e a empresa São Carlos Thermal Systems, apresentou a 2ª edição do projeto Jovens Aprendizes Braços Abertos, em palestra realizada na sede da associação, no dia 7 de maio. O programa capacitará 20 jovens em situação de vulnerabilidade social, que receberão uma bolsa de estudos. O curso aborda ensinamentos sobre Mecânica de Refrigeração e será realizado entre 22 de julho de 2013 e 30 de junho de 2014. Para participar, os jovens devem ter no mínimo 17 anos. Após a formatura, dez alunos serão contratados pela São Carlos, e os outros dez, por empresas associadas da ASBRAV.

Palestra incentiva busca da excelência em gestão Encontro sobre Comunicação Digital

Curso aborda os princípios da Psicrometria

A internet assume, cada vez mais, papel fundamental na comunicação das organizações com seus públicos. Atenta a isso, a ASBRAV promoveu, no dia 18 de junho, a palestra “Venda Mais com a Internet”, que abordou a Comunicação Digital. O evento ocorreu na sede da associação e teve como objetivo apresentar estratégias para ampliar a comunicação com o mercado, alavancar a comercialização de produtos e serviços para fortalecer a marca. A palestra foi ministrada pela diretora de Gestão Empresarial e Inovação da ASBRAV, Madeleine Schein, e pelo diretor executivo da Binario Internet, Roberto Gershenson.

As condições e os processos pelos quais passa o ar úmido estão presentes em diversos sistemas do setor da refrigeração. Dessa forma, a ASBRAV promoveu o curso de Psicrometria, ramo da ciência dedicado à análise dessas propriedades. As aulas foram realizadas nos dias 10, 11, 24 e 25 de maio, na sede da Associação, em Porto Alegre. Ministrado pelo diretor de ensino e treinamento da ASBRAV, Paulo Beyer, o curso abordou temas relativos a composição do ar e atmosfera padrão, parâmetros de umidade, cartas psicrométricas, assim como os processos de aquecimento, resfriamento e desumidificação do ar.

A palestra “Melhor Gestão, Melhores Resultados” trouxe exemplos de iniciativas práticas que transformaram o modelo de trabalho em organizações. O evento foi realizado na sede da ASBRAV, no dia 20 de junho. A iniciativa tem como objetivo buscar a profissionalização cada vez maior nos negócios. “Procuramos avaliar os motivos de um Planejamento Estratégico não ir adiante. É preciso alertar que dentro de uma semana de trabalho, por exemplo, é fundamental reservar um tempo para pensar em Estratégia. Senão, acabamos presos na rotina”, explicou Ricardo Kalil Abud, sócio diretor da Ka Consultoria, franqueado do PGQP .

Palestra sobre válvulas de controle A ASBRAV promoveu, em parceria com as empresas TA Hydronics e Kleber Representações, uma palestra sobre o funcionamento de novas válvulas de controle para sistemas de aquecimento ou resfriamento. O evento foi realizado no dia 9 de maio, na sede da entidade, e teve como palestrante o engenheiro Ricardo Suppion.

25


Associados Asbrav ACEL-AR CONDICIONADO ACHSE CONSULTORIA E PROJETOS ACJ ENERGIA E CLIMATIZAÇÃO ACMASUL SISTEMAS ACÚSTIKA SUL ENGENHARIA ADEMIR SILVA AERODUTO AR CONDICIONADO AGRAZ REFRIGERAÇÃO AGST CONTROLES E AUTOMAÇÃO AIR CLEAN AIR CONSULT AIRCOOL AIR SHOP AIRSTUDIO ENGENHARIA AIRSIDE ALBERT ENG. DE INSTALAÇÕES ALCIDES CAMINHA LEITE ALEX SANDRO DOS SANTOS FLECK ALEXANDRE TOCCHETTO AMBIENTALIS ANálise DE AMBIENTES AMBIENTECH AMILLPASSOS ANDERSON RODRIGUES ANDRÉ OLIVEIRA MACHADO ANNEMOS HIDRAÚLICA ARCONET ARMACELL BRASIL ARMAX AR CONDICIONADO ARNOLDO CARLOS G. BESKOW ARSA CONSULTORIA ARSELF AR CONDICIONADO ARTECH CLIMATIZAÇÁO ARTETEC ARQ. E ENGENHARIA u BERLINERLUFT DO BRASIL BLUMETAL DIST. E SERV. TÉCNICOS BRUNA PEZZI FACHINELLIBSA BSTEC - MMR IND. E COM. DE MÁQ. u CAMARGO AR CONDICIONADO CARLA CRISTIANE DAL-RI CARLOS ANDRÉ SENNA TRINDADE CARLOS ERNESTO OSTERKAMP CAROLINE BRIESE MARTINS ROCHA CENNTRAL-SUL AR CONDICIONADO CERT ENGENHARIA E TECNOLOGIA CLEMAR ENGENHARIA CLIMA DA ILHA CLIMA ENGENHARIA CLIMA SHOP CLIMATIZA COLDAR COLDBRAS CONCEITO TÉCNICO CONFORTARE AR CONDICIONADO CONSTARCO CORREA MANUTENÇÃO CUBO VERDE ARQUITETURA CURTIS CONSULTORIA u DAIKIN MCQUAY

DAMIANI SOLUÇÕES DE ENG. DEIVI TEIXEIRA HOMEM DELTA FRIO DIFUSTHERM u ECCOSSYSTEMS ECO CLIMA CLIMATIZAÇÃO EDUARDO AZEREDO DA LUZ EGON WERNER BECKER EJR ENGENHARIA ELETRO AR SUL ENCLIMAR ENGE REPRESENTAÇÕES TÉCNICAS ENGEMESTRA ENGENHAR CLIMATIZAÇÃO ENGETÉRMICA AR CONDICIONADO EPEX IND COM DE PLÁSTICOS ERISTON DA SILVA MACHADO ESCOLA TÉCNICA PROFISSIONAL ESICC ELET. INDUSTRIAL LTDA EUROCABLE BRASIL IMP & EXP EVERALDO VERCELINO COELHO u FÁTIMA ROSALI SILVEIRA ALFONSIN FELIPE PRAETZEL ANDRIGHETTI FLÁVIO RIBEIRO TEIXEIRA FRANCIELLE DALL AGNOL FRIGELAR COM. E DISTRIBUIÇÃO FRIZA COMÉRCIO FULL GAUGE ELETROCONTROLES u GB AR CONDICIONADO GILBERTO BAVARESCO GLOBUS SISTEMAS ELETRÔNICOS GM AR CONDICIONADO GOOD SERV DE CLIMATIZAÇÃO GRUPO VG - TELEINFORMÁTICA SUL u HEATEX BRASIL HEC ENGENHARIA HITACHI u IGOR DIAS BARBOSA INSTATEC INDÚSTRIA METALÚRGICA ISOTERM INSTALAÇÕES u JACQUELINE BIANCN COPETTI JOANA GIUGLIANI JOÃO CARLOS BIDEGAIN SCHMITT JOAPE JOHNSON CONTROLS JOSÉ HAROLDO SALENGUE JOSÉ PAULO MAZOCOLO JOSÉ RADZIUK JULIANA DAMASIO WASCHEVICZ JULIANA M. DA ROCHA DORNELLES JÚLIO CÉSAR SILVA DA SILVA u KAREN ANDRIOLO BASSO KLEBER REPRESENTAÇÕES KLIFT SERVIÇOS DE CLIMATIZAÇÃO

novos associados asbrav u Arconet u Cenntral-Sul u Deivi Teixeira Homem u Glauco Quadros Soares u José Radzik u Júlio César Silva da Silva

26

u Octo Refrigeração & Elétrica u Eriston da Silva Machado u Split do Vale

KLIMASUL KOMECO u LCPETRY LEANDRO SILVEIRA ALMEIDA LEANKEEP LETÍCIA LEYRAUD KNECHT LG LUCAS DA VEIGA LUCIANA D. FERREIRA TERMIGNONI LUCIANA FONINI LUCIANO LOPES SIMÕES LUCIANO SILVA CORDEIRO LUZITANA AR CONDICIONADO u M CESA COMÉRCIO E SERVIÇOS M GOMES REPRESENTAÇÕES MAGNUS RECUP. DE COMPRESSORES MAILSON DE SOUZA PINTO MARCELO FOSCHIEIRA CHRISTINI MARCELO MACIEL DE SANTA HELENA MASTER SPLIT MAURO ULLMANN CLIM. REFRIG. MEDEIROS ENG. DE CLIMATIZAÇÃO MERCATO AUTOMAÇÃO MICHEL MACHADO SEVERO MIGUEL MARTINS GRIVA MONOFRIO-HBSR REFR. DE LÍQUIDOS MONTERMICA MP AUTOMAÇÃO MRI ENGENHARIA LTDA MULTITÉCNICA ENGENHARIA u NOVUS PRODUTOS ELETRÔNICOS u OCTO REFRIGERACAO & ELETRICA OTAM VENTILADORES INDUSTRIAIS u PAULA DA SILVA PEREIRA PAULA F. WERLANG GRANZOTTO PAULO DE TARSO F. DA SILVA PAULO OTTO BEYER PAULO RENATO DOS REIS PAULO RENATO PEREZ DOS SANTOS PAULO VELLINHO (SÓCIO HONOR.) PEDRO MALLMANN SALDANHA PEDRO PAULO RITTER FILHO PERTILE AR CONDICIONADO PLANIDUTO AR CONDICIONADO PRODEPRED AUTOMAÇÃO LTDA PROJELMEC VENT. INDUSTRIAL PROJETOS AVANÇADOS ENG. PROTÉRMICA CLIMATIZAÇÃO u QUAD CLIMA QUENTE & FRIO CLIMATIZAÇÃO QUIMITEC QUÍMICA INDUSTRIAL u REARSUL AR CONDICIONADO RECOM-RECUPERADORA REFRIGERAÇÃO CAPITAL

REFRIGERAÇÃO DE CONTO REFRIGERAÇÃO DUFRIO REFRIGERAÇÃO MANCHESTER REFRIGERAÇÃO PEZZOL REFRIGERAÇÃO TUDO FRIO REFRIMAK PEÇAS E SERVIÇOS RIGOTTI CLIMATIZADORES RIMA ENGENHARIA RODRIGO VIEIRA BAIALARDY ROGER MERG SARAIVA RONI DE LIMA SANTOS u SÃO CARLOS AR CONDICIONADO SCHEIN GESTÃO EMPRESARIAL SERRAFF SF ENGENHARIA E CONSULTORIA SISTAVAC SISTEMAS HVAC-R SÓ FRIO SOCLAM AR CONDICIONADO SÔNIA BEATRIZ SUGUIMATI SPLIT DO VALE SPLIT PETRY COMPANY SPM ENGENHARIA SPRINGER CARRIER SR REFRIGERAÇÃO E MANUTENÇÃO SR SERVIÇOS DE CLIMATIZAÇÃO SULCESAR REPRESENTAÇÕES SUL CLIMA ENGENHARIA SUPERMERCADOS GUANABARA u TEC AR COMÉRCIO TECFRIO TECNOENGE AR CONDICIONADO TECNOLÓGICA CONFORTO AMB. TECNOSOL APARELHOS TÉRMICOS TELCO EQUIP. REFRIGERAÇÃO TERMOPROL TESTONI/GTA DO SUL THIAGO DOS SANTOS FERREIRA TIAGO JOSÉ BULLA TIMÓTEO FERNANDES DE SOUZA TOSI INDÚSTRIA E COMÉRCIO TOTALINE TRANE DO BRASIL u UDO ADOLF URANUS AR CONDICIONADO u VALAYR WOSIACK (SÓCIO HONOR.) u VENTILADORES ELEFANT VIDALAR VITALI VITOR REFRIGERAÇÃO VITOR WAWRICK VOLTYS SOL. EM CLIMATIZAÇÃO VRF ENGENHARIA u WAGNER FINGER HORBER u YBEMAC AR CONDICIONADO LTDA

Guia de fornecedores Divulgação gratuita para associados, preencha seu cadastro no site

www.asbrav.org.br


Revista ASBRAV N°4  

Publicação de maio/junho de 2013

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you