__MAIN_TEXT__

Page 1

informa

INFORMATIVO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO • 26/mar a 09/abr de 2018 | nº 532

Ufes Digital gera economia de tempo e dinheiro O projeto começou a ser implantado em fevereiro

O

No Ufes Digital, a produção e tramitação de documentos e processos somente é permitida no formato digital, com distribuição exclusivamente eletrônica via web. Isso é feito dentro da plataforma protocolo.ufes.br  e visa eliminar, gradativamente, o uso do papel como suporte documental.  Transição – A pró-reitora de Administração, Teresa Carneiro, explica que as ações pretendem transformar toda a tramitação de documentos em formato exclusivamente eletrônico. “A transição dos processos físicos para os processos exFoto: Jorge Medina

projeto Ufes Digital, implantado em 1º de fevereiro, já gerou para a Universidade uma economia de mais de 50 mil reais somente com material de expediente, como papel e tinta de impressora. Além disso, a distribuição eletrônica dos documentos também permitiu o encerramento do contrato que a instituição tinha com os Correios, responsável pela logística dos processos, e que custava 65 mil reais por mês. A previsão é que mais de 1 milhão de reais sejam economizados, por ano, com o projeto.  Os dados foram apurados pela PróReitoria de Administração (Proad), que coordena a iniciativa em parceria com o Núcleo de Tecnologia da Informação (NTI), com as pró-reitorias de Planejamento e Desenvolvimento Institucional (Proplan) e de Gestão de Pessoas (Progep), e com a Coordenação do Sistema de Arquivos (Siarq). A empresa Síntese Consultores Associados também colaborou na implantação do projeto.

Apresentação do projeto para servidores no Cine Metrópolis

Informa - 532.indd 1

clusivamente digitais (natodigitais) ocorrerá gradativamente durante 2018. Essa estratégia visa preparar os setores para conviver com documentos natodigitais, passando a perceber a maior agilidade no manuseio desses documentos”, salienta. Segundo ela, houve uma melhora de 75% no tempo de resposta quando comparado aos procedimentos convencionais de tramitação dos documentos – em papel. “Um bom exemplo disso é que o estudante não vai precisar apresentar o mesmo documento duas vezes, por exemplo. O documento estará digitalizado e será compartilhado por toda a Ufes. Com isso, a instituição fortalece seus mecanismos de transparência, agilidade e sustentabilidade ambiental”. Segundo o diretor do Departamento de Desenvolvimento de Pessoas (DDP), Alexandre Severino, em 2018 cerca de 500 servidores já participaram de treinamentos ofertados. Outros treinamentos, presenciais e à distância, estão previstos para toda a comunidade universitária. Etapas – As ações voltadas para a implementação plena do projeto para a tramitação eletrônica de documentos serão realizadas em quatro etapas, a serem realizadas até 2019, com a digitalização dos processos antigos. A pró-reitora de Administração, Teresa Carneiro, ressalta que “o projeto atende ao disposto nas legislações específicas, tais como as Portarias MJ/ MP 2320/2014, 2321/2014, 1677/2015 e, principalmente, o Decreto Lei 8539/2015”.

23/03/2018 12:29:07


foto do leitor Este espaço está aberto para a publicação de fotos sobre a Ufes, produzidas por você, leitor. A imagem deve ter alta resolução e formato horizontal. O envio pode ser feito para o e-mail fotodoleitor@ufes.br. Na mensagem, é importante informar o local onde foi registrada a imagem, o nome do autor, sua relação com a Ufes (se estudante, técnico-administrativo, professor ou funcionário de empresa terceirizada) e telefone para contato. A cada edição, uma foto será selecionada para publicação. Lagoa na região do Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas (CCJE), no campus de Goiabeiras. Foto de Paula Rennata Babilon de Souza, estudante do curso de Administração.

agenda acadêmica Simpósio Verbetes Data/horário: 27 e 28 de março, das 13 às 22h30 Local: Auditório do IC-2, no Centro de Ciências Humanas e Naturais (CCHN), campus de Goiabeiras Realização: Estudantes do curso de Letras Informações: https://medium.com/@ verbetes.letras ou página do evento no Facebook III Congresso Brasil–Argentina de Direito Processual Data: 12 a 14 de abril Local: Auditório Manoel Vereza de Oliveira, no Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas (CCJE), campus de Goiabeiras

Realização: Fundamentos do Processo Civil Contemporâneo (FPCC), Programa de Pós-Graduação em Direito Processual (PPGDIR) e Laboratório de Processo e Constituição (Laprocon). Informações: http://www.direito.ufes. br/ ou página do evento no Facebook Seminário O Golpe de 2016 e o Futuro da Democracia: movimentos sociais e suas lutas. Data/horário: 05 de abril, das 9 às 12h Local: Cemuni IV, no Centro de Artes (CAr), campus de Goiabeiras. Realização: Programa de Pós-Graduação de Comunicação e Territorialidades e Departamento de Comunicação

Informações: 4009-2024 Durante o seminário haverá lançamento de livros. I Encontro Local de Estudantes de Serviço Social (Eless Capixaba): organizar a base para fortalecer a luta Data: 14 e 15 de abril Local: Sala 109 do ED-1, no Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas (CCJE), campus de Goiabeiras Realização: Centro Acadêmico Livre de Serviço Social (Calss) e Escola Superior de Ciências da Santa Casa de Misericórdia de Vitória (Emescam) Informações: Página do evento no Facebook

Sugestões de pauta: 4009-2383, 4009-2203, 4009-2204 ou jornalismo.supecc@ufes.br / Edição digital disponível em: comunicacao.ufes.br/edições-2017 UFES - Universidade Federal do Espírito Santo Reitor: Reinaldo Centoducatte Vice-Reitora: Ethel Maciel Informa - Uma produção da Secretaria de Comunicação da Ufes. Superintendente de Cultura e Comunicação (interina) e jornalista responsável: Thereza Marinho Jornalistas: Ana Paula Vieira, Camila Fregona, Hélio Marchioni, Jorge Medina, Letícia Nassar, Luiz Vital e Nábila Corrêa Estagiária: Karla Silveira Revisão: Márcia Rocha Programação Visual: Evandro Campos, Leonardo Paiva, Mariana Simões Apoio: Aurenice Cruz, Brunella Perez, Deborah Constancio, Eliza Gobira Endereço: Av. Fernando Ferrari nº 514, Goiabeiras-Vitória/ES - CEP: 29075-910 Tiragem: 3 mil exemplares Impressão: Scribo

2 Informa - 532.indd 2

26/mar a 09/abr de 2018

23/03/2018 12:29:31


Foto: Proaeci

Administração Central

A portaria foi assinada pelo reitor Reinaldo Centoducatte e já vale para este semestre

Estudantes de Odontologia terão auxílio para compra de kit para aulas práticas O objetivo é possibilitar a permanência dos estudantes assistidos no curso

O

reitor Reinaldo Centoducatte assinou no dia 15 de março uma portaria para concessão de Auxílio Material Didático de Alto Custo, destinado aos estudantes do curso de Odontologia da Ufes. O auxílio é um benefício financeiro, de caráter pessoal e intransferível, destinado a estudantes cadastrados do Programa de Assistência Estudantil da Ufes (Proaes) e matriculados no 5º período do curso de graduação em Odontologia neste primeiro semestre de 2018. Os recursos serão utilizados para a compra de um kit com material odontológico, obrigatório para que o aluno possa cursar as disciplinas práticas do curso. O valor que cada estudante receberá será de, no máximo, R$ 2,5 mil. Cada kit custa, em média, R$ 5 mil. Permanência – O pró-reitor de Assuntos Estudantis e Cidadania, Gel-

son Junquilho, afirma que este é um material caro, que o estudante assistido não tem condições de comprar. “Isso dificulta a permanência dele no curso, já que as matérias são obrigatórias e, sem o kit, ele não tem condições de frequentar as aulas práticas. É a primeira vez que a Ufes oferece um auxílio como esse, que tem o objetivo de possibilitar a permanência do estudante no curso”, explica. O pró-reitor informou que, neste semestre, sete estudantes serão beneficiados com o auxílio. A solicitação do Auxílio Material Didático de Alto Custo é feita mediante a entrega da documentação na Unidade Descentralizada da Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis e Cidadania (Proaeci), no campus de Maruípe. Todas as informações sobre o auxílio estão disponíveis no site da Proaeci em www.proaeci.ufes.br/noticias.

Convênio entre Ufes e Ministério da Agricultura visa promover a fruticultura O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, e o reitor da Ufes, Reinaldo Centoducatte, assinaram um protocolo de intenções para o Desenvolvimento do Polo de Fruticultura da Região do Caparaó. Em uma primeira etapa, o foco será a implantação de unidades demonstrativas para a genotipagem de fruteiras, a implantação de unidades demonstrativas em municípios da região e a capacitação de técnicos. Os procedimentos operacionais serão elencados em um termo de referência. A expansão dessa atividade como opção para diversificar a atividade agrícola na região é resultado de estudos técnicos realizados com participação da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) e da Ufes. Segundo dados do Ministério da Agricultura, o Espírito Santo possui área plantada de 1.571 hectares e produz 15.369 toneladas de frutos. O protocolo foi assinado no dia 15 de março, em solenidade realizada na Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes), com a presença da senadora Rose de Freitas; do deputado federal Evair de Mello; de prefeitos de municípios do interior do Estado; e de representantes de cooperativas e de associações do setor agrícola. Pela Ufes também participaram a diretora do Centro de Ciências Exatas, Naturais e da Saúde (CCENS), Neusa Costa; e o diretor do Centro de Ciências Agrárias e Engenharias (CCAE), Dirceu Pratissoli. Os dois centros estão localizados no campus de Alegre, município da região do Caparaó.

3 Informa - 532.indd 3

23/03/2018 12:29:33


Estudantes se preparam para o Enem com o Projeto Educ-Ufes Cinquenta estudantes oriundos de escola pública estão participando na Ufes das aulas do projeto de extensão Ampliando Oportunidades Educacionais e Culturais (Educ-Ufes), que tem o objetivo de realizar aulas preparatórias para o Exame Nacional de Ensino Médio (Enem). As aulas tiveram início no dia 19 de março e estão sendo realizadas no campus de Goiabeiras. O projeto recebeu aproximadamente quatro mil inscrições. Ele é destinado a estudantes concluintes ou egressos do Ensino Médio, oriundos de instituições públicas de ensino, com renda igual ou inferior a 1,5 salário mínimo por pessoa da família e que tenham estudado em escolas públicas desde o 6º ano do Ensino Fundamental até o Ensino Médio. As aulas são ministradas por estudantes da Universidade, que têm a oportunidade de aprimorar suas habilidades. “Estamos empenhados em fornecer um excelente curso para os alunos. Realizamos formação para os discentes que ministram as aulas e estamos finalizando o conteúdo das disciplinas”, afirmou a diretora da Divisão de Integração com Ensino Básico da Pró-Reitoria de Extensão (Proex), Marlene Oliveira.  As aulas são realizadas de segunda a sexta-feira, das 18 às 22 horas e, eventualmente, aos sábados, até a data próxima à prova do Enem.

4 Informa - 532.indd 4

Arquivo Supecc

Acontece na Ufes

A primeira unidade do Restaurante Universitário funcionava no centro de Vitória

Restaurante Universitário: 50 anos de atividades Atualmente, os restaurantes servem cerca de 8.300 refeições por dia

O

Restaurante Universitário (RU) da Ufes completa neste mês de março 50 anos de funcionamento. Ele foi inaugurado em 1º de março de 1968 e funcionava no centro de Vitória, servindo uma média de 1.200 refeições diárias. No segundo semestre de 1980, o Restaurante de Goiabeiras foi inaugurado. Atualmente, os Restaurantes Universitários dos quatro campi (Goiabeiras, Maruípe, Alegre e São Mateus) são geridos por um Departamento de Gestão de Restaurantes. Eles fornecem, diariamente, cerca de 8.300 refeições para estudantes, técnico-administrativos, professores, funcionários terceirizados e usuários da comunidade externa. A diretora do Departamento de Gestão dos Restaurantes, Amélia Lopes Lima, afirma que o objetivo dos restaurantes é fornecer uma alimentação equilibrada, contribuindo para melhorar o rendimento escolar dos estudantes, bem como colaborar com a redução dos índices de evasão escolar. “Muitos dos nossos estudantes são de baixa renda familiar ou estão longe do ambiente familiar, necessitando de suporte para sua permanência na Universidade”, lembra. Mas a diretora avalia também que os

restaurantes representam a democratização do espaço universitário, e congregam todos os elementos da Ufes como espaço privilegiado de integração. Cardápio – Amélia destaca que o cardápio é planejado e elaborado por nutricionistas. Em geral, ele é composto por três acompanhamentos (arroz branco, arroz integral e feijão), uma opção de guarnição, uma de prato proteico (carne e uma opção vegetariana) e dois tipos de salada. Depois de prontos, os alimentos são distribuídos em balcões térmicos. Mas a garantia da qualidade dos gêneros utilizados começa, salienta Amélia, com a seleção prévia dos fornecedores. Atualmente, a equipe de funcionários dos restaurantes é composta por 35 servidores da Ufes e por 132 funcionários terceirizados, entre nutricionistas, auxiliar de cozinha, atendente de refeitório, operador de caldeira e auxiliar administrativo. As refeições nos restaurantes são gratuitas para os estudantes que são cadastrados na Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis e Cidadania (Proaeci) e que foram contemplados com o auxílio alimentação. 26/mar a 09/abr de 2018

23/03/2018 12:29:34


Arquivo Supecc

Acontece na Ufes

Hospital Universitário já oferecia o serviço, desde 2016, em caráter piloto

Hucam recebe habilitação para instalar Ambulatório de Diversidade de Gênero Atendimento é voltado para pessoas que passam pelo processo de transexualização

O

Ministério da Saúde concedeu habilitação para o Hospital Universitário Cassiano Antonio Moraes (Hucam-Ufes) instalar oficialmente o Ambulatório de Diversidade de Gênero. Nesse ambulatório são atendidos cidadãos e cidadãs que passam pelo

processo de transexualização. O trâmite para a habilitação estava em curso desde 2015. Mesmo assim, desde agosto de 2016, o Hucam oferece o serviço, em caráter piloto. Cerca de 120 pessoas, exclusivamente residentes no Espírito Santo, são acompanha-

das pela equipe multiprofissional que o hospital dispõe para esse público. O Ambulatório conta com urologista, enfermeiro, psicólogo, assistente social, endocrinologista, ginecologista, fonoaudiólogo, psiquiatra e infectologista. Com a habilitação, a remuneração do Sistema Único de Saúde ao hospital pelos serviços realizados sobe de patamar. Além disso, abre oportunidade para que a instituição possa, além de prescrever, ter autorização para comprar os hormônios usados durante a transexualização. O espaço foi intitulado Ambulatório de Diversidade de Gênero em atendimento às diversas formas de manifestação de gênero, que devem ser respeitadas. Acolhimento – A entrada de usuários no programa do Ambulatório de Diversidade de Gênero se dá por meio de reuniões mensais chamadas de “acolhimento”, em que é explicado como se dá o tratamento ambulatorial e as regras de funcionamento. Além disso, são escutadas as expectativas desses usuários, que saem da reunião já com encaminhamentos para realização de exames e consultas com assistente social e psicólogo. Após passarem por esses dois profissionais, havendo consenso, o usuário é encaminhado ao endocrinologista. Qualquer profissional que achar necessário também pode encaminhar esse usuário ao psiquiatra.

Ouvidoria da Ufes oferece atendimento diferenciado à mulher Você sabia que a Ouvidoria da Ufes oferece um atendimento diferenciado para as mulheres? Trata-se da Ouvidoria da Mulher, que recolhe e trata as informações relacionadas ao assédio e violência contra mulher no âmbito da Universidade. Além disso, o atendimento à mulher que for pessoalmente à Ouvidoria registrar uma denúncia é realizado por uma servidora. “Muitas mulheres se sentem intimidadas para registrar uma denúncia. O objetivo da Ouvidora da Mulher é desconstruir esse receio para que mais mulheres possam se manifestar e para que a Administração da

Universidade possa agir no sentido de combater as situações de assédio e violência contra mulher”, explica o ouvidor da Ufes, professor Aureo Banhos. Quando a Ouvidoria da Mulher recebe uma reclamação ou denúncia, havendo elementos suficientes (autoria e materialidade) para o seu prosseguimento, a documentação é encaminhada ao gestor hierárquico superior ao denunciado para apuração e providências. Dependendo da situação, a Ouvidoria sugere a abertura de procedimento de sindicância e, se for o caso, de posterior processo administrativo disciplinar. “Além de registrar e acompanhar a resolução dos casos, analisamos

o conjunto de dados levantados e buscamos atuar de forma preventiva”, diz o ouvidor. A Ouvidoria da Mulher atende casos ocorridos nas dependências da Ufes ou que envolvam membros da comunidade acadêmica em atividades da Universidade fora de suas dependências. Ela pode ser acessada por meio do Sistema e-Ouv disponível em www.ouvidoria. ufes.br; pelos telefones 4009-2209 e 4009-7952; ou pessoalmente. A Ouvidoria da Mulher funciona junto à secretaria administrativa da Ouvidoria Geral, localizada no térreo do Centro de Vivência, no campus de Goiabeiras, das 8 às 17 horas.

5 Informa - 532.indd 5

23/03/2018 12:29:35


NCD abre inscrições para dois novos cursos O Núcleo de Cidadania Digital (NCD) está com inscrições abertas para os cursos Mouse&Teclado e Editor de Texto. Os cursos são gratuitos e abertos a toda a comunidade. Os interessados devem procurar o Núcleo, que está localizado no Centro de Vivência, próximo ao Cine Metrópolis, no campus de Goiabeiras. É necessário levar documento de identificação. As inscrições vão até o dia 30 de março. O curso Mouse & Teclado será realizado no período vespertino e, entre os conteúdos ensinados, estão jogos interativos e históricos de ferramentas. Já no curso Edição de Texto, que será ministrado no período noturno, os alunos aprenderão a criar, editar e manipular textos, tabelas e imagens, além de exportar arquivos em formato pdf. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 4009-2048. Inclusão – O Núcleo de Cidadania Digital (NCD) é um programa de extensão da Ufes que oferece produtos e serviços gratuitos para a comunidade a fim de promover a inclusão digital, estimular o exercício da cidadania e acesso democrático por meio de ferramentas tecnológicas. Criado em agosto de 2005, o Núcleo surgiu a partir da necessidade de uma iniciativa que contemplasse a inclusão digital de forma inovadora no Espírito Santo. Isso porque, apesar de haver um crescimento contínuo do acesso às ferramentas de informática e à internet, pesquisas mostram que ainda existe um número significativo de pessoas que não tiveram a oportunidade de usufruir dos equipamentos tecnológicos. O NCD surgiu diante dessa realidade, com o objetivo de promover o que se chama de Cidadania Digital.

6 Informa - 532.indd 6

Arquivo Supecc

Acontece na Ufes

A primeira reunião de trabalho ocorreu na Ufes, com a presença de pesquisadores e de representantes da Fapes e da Vale

Começa a implementação do Centro de Estudos Climáticos na Ufes O objetivo é mensurar os impactos das mudanças climáticas e buscar soluções

O

primeiro Centro de Estudos Climáticos do Brasil será sediado na Ufes e a sua implantação já foi iniciada, por meio de um termo de cooperação firmado entre a Ufes, o Governo do Estado – por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes) – e a Vale. A assinatura do compromisso ocorreu no dia 13 de março, em solenidade no Palácio Anchieta, com a presença do governador Paulo Hartung, do vice-governador César Colnago, do reitor da Ufes Reinaldo Centoducatte, e de dirigentes da Fapes e da Vale, entre outras autoridades. Nesse mesmo dia, também foi realizada a primeira reunião de trabalho do grupo na Ufes. O professor Carlos Nobre – pesquisador, engenheiro eletrônico pelo Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA), PhD em Meteorologia pelo Massachusetts Institute of Technology (MIT) e referência mundial em Climatologia – será o coordenador do Centro de Estudos Climáticos do Brasil, que terá caráter interdisciplinar e contará com sete bolsistas de mestrado, doutorado e pós-doutorado, além de professores e pesquisadores da Ufes. Segundo Nobre, muitos assuntos na área das mudanças climáticas são do interesse do Espírito Santo: “Esta-

mos pensando em concentrar os estudos em três ou quatro temas, com destaque para a agricultura, florestas e saúde. Sabemos que muitas pesquisas de alto nível estão sendo desenvolvidas aqui. Pretendemos consolidar um grupo de pesquisa interdisciplinar que possa mensurar os impactos das mudanças climáticas nas mais diversas áreas”, destacou Nobre. O professor estará na Ufes mensalmente e a previsão é de que ele fique na coordenação do Centro pelos próximos três anos. Desafios – O reitor Reinaldo Centoducatte ressaltou que os desafios são para praticamente todas as áreas do conhecimento. “Temos um campo muito importante e muito fértil de estudos. Teremos que trabalhar na perspectiva da redução da emissão e na perspectiva de criar novos sugadores de CO2. Estamos prontos e ansiosos para enfrentar esse desafio”, disse. O vice-governador César Colnago destacou o ineditismo da iniciativa: “Isso aqui é inédito, histórico e fundamental. Precisamos construir o amanhã a partir de agora. Esse termo de cooperação vem exatamente referenciar nossa capacidade de produzir ciência, produzir conhecimento. Estamos trabalhando para o futuro com a visão do presente”. 26/mar a 09/abr de 2018

23/03/2018 12:29:37


Fotos: Jorge Medina

Cultura

O novo espaço científico e cultural da Ufes está aberto à população

A primeira exposição em cartaz – A Métrica do Corpo Humano – atraiu a atenção de instituições dos ensinos Fundamental, Médio e Superior

C

om menos de um mês de funcionamento, o Museu de Ciências da Vida (MCV) já contabiliza 65 agendamentos de grupos escolares de instituições dos ensinos Fundamental, Médio e Superior da Grande Vitória e do interior do Estado até o final de abril. E já existem demandas de interessados para os próximos meses. O novo espaço científico e cultural da Ufes está aberto à população no campus de Goiabeiras, e a primeira exposição em cartaz é “A métrica do corpo humano”, que mostra que a vida e o cotidiano estão cercados por números e fórmulas matemáticas. O professor do Programa de PósGraduação em Bioquímica e Farmacologia do Centro de Ciências da Saúde

(CCS) e coordenador do espaço, Athelson Bittencourt, explica que essa primeira exposição mostra o quão fértil pode ser a inesperada interdisciplinaridade que surge ao discutir, de forma integrada, a matemática e a vida, numa visão única de mundo. Por meio do contato com um acervo de peças anatômicas reais plastinadas, os estudantes podem ver como o corpo humano é formado e funciona mediante padrões e proporções numéricas. A exposição busca surpreender a população com um trabalho, em seu conjunto, inédito no Brasil. O agendamento para grupos de estudantes e pesquisadores pode ser feito no site do Museu – www.mcv.ufes.br – e a visitação

Coleção do MCV tem 250 peças

está aberta até o dia 31 de julho, de terça-feira a sexta-feira – das 8h30 às 12h e das 14h às 17h30 – e, aos sábados, das 8h30 às 12h30. O MCV está localizado no Centro de Vivência, atrás do Teatro Universitário, campus de Goiabeiras. Museu – Inaugurado no dia 9 de março, com área total de 300m², o Museu é um programa de extensão da Ufes e traz 250 peças que revelam a anatomia do corpo humano por meio da visualização de ossos, espécimes naturais mumificados, plastinados ou fixados em formol, além de réplicas realísticas de fósseis de hominídeos e animais pré-históricos, e modelos anatômicos didáticos de órgãos e sistemas. “A consolidação do MCV na Ufes é resultado de um trabalho de 11 anos, e um sonho que se concretiza”, comemora Bittencourt. Entre as peças expostas, algumas foram adquiridas ao longo dos anos e outras foram produzidas por pesquisadores.

A nossa Central de Segurança na palma da sua mão

*disponível para Android

Museu de Ciências da Vida tem 65 visitas agendadas até o final de abril

O Alerta Ufes auxilia na segurança dos campi da Universidade. Ele aciona de forma mais rápida a central que funciona 24 horas.

Baixe o aplicativo e contribua para uma Ufes mais segura. 7 Informa - 532.indd 7

23/03/2018 12:29:39


Cultura

agenda cultural Cine Metrópolis Cinco filmes estão em cartaz no Cine Metrópolis, no campus de Goiabeiras, até quarta-feira, 28. O Insulto (Líbano, 2017), indicado ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro em 2018, pode ser assistido na segunda-feira, 26, às 17h40, e na terça às 15h20. O filme mostra que, em Beirute, um insulto explosivo leva Toni, um cristão libanês, e Yasser, um refugiado palestino, para o tribunal. O caso provoca uma crise social, forçando Toni e Yasser a reconsiderarem suas vidas e seus preconceitos. A Odisseia será exibido na segundafeira, 26, às 19h50, na terça, às 17h30, e na quarta, às 13h30. No filme, em 1948, Jacques Cousteau, sua mulher e dois filhos vivem em alto-mar, no grande navio Calypso. Dos conflitos familiares que surgem nascerá uma cumplicidade capaz de salvar o planeta. Na terça-feira, 27, às 20h, uma sessão especial mostrará O Jabuti e a Anta, com debate com a diretora, Eliza Capai, na sequência. Inquieta com as imagens dos reservatórios de hidrelétricas vazios no Sudeste do Brasil, uma documentarista busca entender estas obras faraônicas, agora construídas no meio da floresta Amazônica. Na quarta-feira, a Sessão Negradê, do Cineclube Tereza de Benguela apresenta filmes sobre mulheres negras às 16h. Já o Cine-Debate apresenta Casamento Infantil, às 20h. Galeria Espaço Universitário Continuam em cartaz as exposições Vou sendo como sou, de Nelma Guimarães, na sala 1; e Casa 34, de Rick Rodrigues, na sala 2. Visitação aberta de segunda a sexta-feira, das 8 às 18h. Grupos podem agendar visita pelo e-mail educativogaleria.supecc@ufes.br ou ligar para (27) 4009-7853.

8 Informa - 532.indd 8

Deborah Colker apresenta espetáculo na Ufes Em Cão sem Plumas, a coreógrafa fala sobre a vida do povo ribeirinho

O

Teatro Universitário recebe nos dias 31 de março e 1º de abril o espetáculo Cão sem Plumas, da premiada bailarina e coreógrafa Deborah Colker. Com 13 bailarinos em cena, a apresentação da Companhia de Dança Deborah Colker desvenda, em ritmo de balé e cinema, as coisas inconcebíveis que não deveriam ser permitidas. A trilha sonora é do músico do Nação Zumbi Jorge Du Peixe e Lirinha, e traz sonoridades nordestinas. As cenas de um filme realizado por Deborah e pelo pernambucano Cláudio Assis são projetadas no fundo do palco e dialogam com os bailarinos. A coreografia é inspirada em poema de João Cabral de Melo Neto, de 1950, que dá nome ao espetáculo. A poesia de João Cabral, que sustenta a montagem, tem como referência o Rio Capibaribe em seu percurso até o litoral e fala sobre a vida do povo brasileiro ribeirinho, dos bichos e da natureza nesse trajeto. Debo-

rah Colker, ao reinterpretar o poeta juntamente com o cineasta Cláudio Assis, refaz o percurso geográfico e poético de Cabral, elaborando uma perspectiva audiovisual que interage com a dança no espetáculo. O espetáculo, de 70 minutos, traz a dança misturada ao cinema e revela a destruição da natureza, as crianças e a vida e suas representações. A coreografia se sustenta no conceito de construção de um bicho-homem e, para isso, a artista recorre a manifestações culturais de Pernambuco, como o maracatu e o coco, se valendo, também, do samba, do jongo, do kuduro e outras danças populares. Serviço: Cão sem Plumas Local: Teatro Universitário Dias/horários: 31/3, às 21h; 1°/4, às 19h Os ingressos podem ser adquiridos na bilheteria do Teatro, no campus de Goiabeiras, das 15h às 20 horas, ou pelo site www.tudus.com.br.

26/mar a 09/abr de 2018

23/03/2018 12:29:42

Profile for Universidade Federal do Espírito Santo

Jornal Informa | Ufes | n° 532 | 26/03/2018  

Jornal da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) destinado à divulgação das atividades desenvolvidas pelas áreas de ensino, pesquisa...

Jornal Informa | Ufes | n° 532 | 26/03/2018  

Jornal da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) destinado à divulgação das atividades desenvolvidas pelas áreas de ensino, pesquisa...

Profile for ufes
Advertisement