__MAIN_TEXT__

Page 1

informa

INFORMATIVO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO • 20/maio a 2/jun de 2019 | nº 543

Ufes: 65 razões para se orgulhar

A

inda no clima de comemoração dos 65 anos da Ufes, nesta edição do Informa elegemos 65 motivos que você - da comunidade universitária ou externa - tem para defender esse patrimônio, que é de toda a sociedade capixaba. Conheça as muitas razões e orgulhe-se! 1. A Ufes é a única universidade pública no estado do Espírito Santo. 2. Formou cerca de 50 mil profissionais. 3. Mais de 20 mil pessoas obtiveram diplomas de pós-graduação na Ufes. 4. Atualmente, possui 5.581 projetos de pesquisa em andamento. 5. Em uma década, o número de cursos de mestrado e doutorado passou de 45 para 93. 6. Possui 98 pedidos de patentes depositados. 7. Mais de 2 milhões de pessoas são beneficiadas anualmente por cerca de 800 projetos de extensão. 8. Instituiu políticas de cotas sociais em 2008, antes da legislação nacional.

Informa543.indd 1

9. Possui dois campi no interior do estado, democratizando o acesso à educação. 10. O Sistema Integrado de Bibliotecas da Ufes tem o maior acervo do Espírito Santo, com 350 mil exemplares de livros, dissertações, teses, multimeios e periódicos. 11. Possui o maior e mais moderno teatro do estado. 12. O único Planetário do estado está instalado nas dependências da Ufes e recebeu 30 mil visitas só em 2018. 13. Os espaços culturais da Ufes receberam 2 milhões de visitas em 2018. Nos últimos cinco anos, foram mais de 160 mil crianças e adolescentes. 14. Os restaurantes universitários servem 110 mil refeições/mês no período letivo; 60% são para estudantes beneficiados pela Assistência Estudantil. 15. A Educação a Distância da Ufes titulou mais de 22 mil profissionais nos 78 municípios capixabas. 16. Possui 6,9 mil artigos publicados em plataformas internacionais.

17. A Rede Ufes-Rio Doce, criada a partir do rompimento da barragem da Samarco em Mariana/MG, em 2015, realiza ações e pesquisas relativas à reparação e à compensação dos estragos sociais, ambientais, culturais e econômicos. 18. O Hospital Universitário Cassiano Antonio Moraes (Hucam-Ufes) é o maior da rede pública de saúde capixaba. Realiza anualmente cerca de 10 mil internações, seis mil cirurgias, 1,5 mil partos, 200 mil consultas ambulatoriais, 15 mil atendimentos de urgência e 250 mil exames laboratoriais. 19. É referência estadual em cirurgia bariátrica; foi o primeiro no ES a usar videolaparoscopia no procedimento. 20. É pioneiro na cirurgia de mudança de sexo, feita a partir de uma técnica inédita, sem amputação do pênis. 21. Desenvolveu um carro autônomo que reproduz a interpretação de imagens em movimentos do cérebro. 22. Atendendo a reivindicação dos povos Tupinikim e Guarani, criou um

17/05/2019 17:02:21


Curso de Licenciatura Intercultural Indígena. 23. Foi uma das primeiras universidades a ofertar cursos de licenciatura em Educação do Campo. 24. Se especializou na pesquisa e no tratamento do câncer de pele, atendendo a uma necessidade do povo pomerano. 25. Contribui com a reconstrução da Estação Antártica Comandante Ferraz, atingida por um incêndio em 2012. 26. Robôs desenvolvidos pelo Núcleo de Tecnologia Assistiva auxiliam no diagnóstico e reabilitação de pacientes com autismo, entre outras áreas. 27. O projeto Solares desenvolve aplicações para a energia solar, sendo vencedor de prêmios nacionais. 28. Possui 130 convênios com instituições estrangeiras para intercâmbios de pesquisa e de pessoal. 29. Suas fazendas experimentais desenvolvem estudos que impactam a produção do café, do mamão e de outras culturas, com o desenvolvimento de tecnologias para aumentar a produtividade e combater pragas. 30. Seus estudantes já organizaram festivais que ganharam visibilidade internacional, como o Festival de Alegre. 31. O Hospital Veterinário (Hovet), no município de Alegre, atende gratuitamente a comunidade local. 32. É referência em pesquisas sobre o mosquito Aedes aegypti e em doenças transmitidas por ele, como zika, dengue e febre amarela. 33. O Programa de Pós-Graduação em Cosmologia, Gravitação e Astrofísica se destaca mundialmente por estudos sobre buracos negros e matéria escura. 34. Pesquisa da Engenharia Civil desenvolve tecnologia para avaliar a qualidade do asfalto nas rodovias. 35. É referência mundial em estudos para o combate à tuberculose. 36. A Editora da Ufes imprimiu 199 livros desde 2010; 109 estão disponíveis gratuitamente em versão digital. 37. Há quatro décadas, o Coral da Ufes contribui para a divulgação de músicos e incentiva a formação de coristas.

38. A Base Oceanográfica, em Aracruz, desenvolve pesquisas que contribuem para a aquicultura no estado, com reconhecimento internacional. 39. Com 45 anos de existência, o Cine Metrópolis é referência em cinema alternativo, sediando mostras e festivais. 40. A expertise da Ufes em petróleo e gás já rendeu à Instituição diversos prêmios e reconhecimentos. 41. A pista de atletismo do Centro de Educação Física é a única no estado com certificação para receber competições internacionais. 42. Possui o único curso de graduação em Gemologia do país, com foco na valorização da cadeia produtiva de gemas e jóias. 43. O Núcleo de Línguas oferece cursos de idiomas para cerca de 7 mil alunos; 10% deles têm bolsas de estudos. 44. Um estudo da Ufes busca desenvolver um coração que possa receber células-tronco do próprio paciente, evitando a rejeição em transplantes. 45. A Cátedra Sérgio Vieira de Mello do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados acolhe imigrantes nessa situação no estado e desenvolve pesquisas sobre o tema. 46. O acervo da Galeria de Arte Espaço Universitário tem mais de 1.700 obras. 47. Por meio de um programa de internacionalização, proporcionou a mais de 70 graduandos a oportunidade de estudar no exterior em 2018. 48. Também acolheu 60 alunos estrangeiros em 2018, 48 deles com bolsa de estudos. 49. Estudantes da Ufes administram 28 empresas juniores, que prestam serviços em diversas áreas. 50. Oferece, por meio do Centro de Educação Física e Desportos, atividades gratuitas de esporte e lazer. 51. Alcançou destaque nacional por desenvolver estudos relativos a publicidade infantil, democracia na mídia e monitoramento de redes sociais. 52. Mantém o projeto Aves, voltado à concepção e construção de aeronaves de pequeno porte controladas por

rádio, com destaque em competições nacionais. 53. Projeto de Psicologia Social utiliza óculos de realidade virtual para tratar medo e diversos tipos de ansiedade. 54. O Museu de História Natural do Sul do Estado do Espírito Santo é o primeiro da área no estado, localizado no município de Jerônimo Monteiro. 55. A Ufes integra há 10 anos o Estudo Longitudinal de Saúde do Adulto (Elsa), considerado o maior estudo epidemiológico já realizado na América Latina, sobre doenças crônicas na população brasileira. 56. Desenvolveu uma nova técnica papiloscópica, utilizada nacionalmente, para identificar digitais em investigações policiais. 57. Desenvolveu pesquisa que permite o controle da casa por meio dos olhos, objetivando auxiliar pessoas com deficiência. A iniciativa ganhou o prêmio Google de pesquisa. 58. Possui o Museu de Ciências da Vida, com 200 peças anatômicas que possibilitam o conhecimento detalhado do corpo humano. 59. Estreou a pulverização de defensivos agrícolas com uso de drones na fazenda experimental de São Mateus. 60. Desenvolve pesquisas sobre os benefícios da areia preta de Guarapari para problemas respiratórios e dores crônicas. 61. Mantém há 30 anos a Rádio Universitária FM, rádio-escola que valoriza a cultura capixaba e brasileira. 62. Realizou uma pesquisa premiada que apresentou um modelo de janela que permite reduzir em até 36% o consumo de energia. 63. Por meio do Laboratório de Educação Física Adaptada, realiza atividades de inclusão para pessoas com deficiência e cuidadores. 64. 20.980 estudantes já ingressaram na Ufes por meio de cotas. Atualmente, são 10.618 estudantes cotistas. 65. Por meio do Centro de Educação Infantil Criarte-Ufes, desenvolveu um projeto de alfabetização que recebeu o Prêmio Professores do Brasil.

Sugestões de pauta: 4009-2383, 4009-2203, 4009-2204 ou jornalismo.supecc@ufes.br / Edição digital disponível em: comunicacao.ufes.br/edições-2019 UFES - Universidade Federal do Espírito Santo Reitor: Reinaldo Centoducatte Vice-Reitora: Ethel Maciel Informa - Uma produção da Secretaria de Comunicação da Superintendência de Cultura e Comunicação da Ufes. Superintendente de Cultura e Comunicação (em exercício) e jornalista responsável: Thereza Marinho Jornalistas: Adriana Damasceno, Ana Paula Vieira, Camila Fregona, Hélio Marchioni, Jorge Medina, Lidia Neves, Luiz Vital e Nábila Corrêa Estagiárias: Danielle Gonçalves e Laís Santana Revisão: Monick Barbosa Programação visual: Evandro Campos, Leonardo Paiva e Mariana Simões Apoio: Aurenice Cruz, Deborah Constancio, Eliza Gobira e Tatiana Candeia. Endereço: Av. Fernando Ferrari, nº 514, Goiabeiras, Vitória/ES - CEP: 29075-910 Tiragem: 3 mil exemplares Impressão: CSS Editora

2 Informa543.indd 2

20/maio a 2/jun de 2019

17/05/2019 17:02:31


Foto: Ana Paula Vieira

Administração Central

Abraço coletivo no Teatro Universitário simbolizou a defesa da Ufes

Comunidade acadêmica reage ao bloqueio do MEC A mobilização contra os cortes na educação alcançou as redes sociais, os campi, as praças e as ruas

D

iante do anúncio do bloqueio orçamentário nas Instituições Federais de Ensino Superior, a comunidade acadêmica da Ufes se mobilizou em defesa das universidades públicas e realizou uma série de ações para mostrar a importância dessas instituições para a sociedade. A primeira postagem da campanha #eudefendoaUniversidadePública, veiculada nos perfis e páginas oficias da Ufes no Facebook (/ufesoficial), no Instagram (@ufesoficial), no Linkedin (/school/ufesoficial/) e no Twitter (@ufesoficial), alcançou mais de 30 mil pessoas. Com dados sobre ensino, pesquisa e extensão, a campanha mostra também o impacto da instituição na economia capixaba, com um orçamento de cerca de R$ 99 milhões aplicados em pagamentos de salários a trabalhadores terceirizados. A mobilização nas redes sociais envolveu a comunidade universitária que, por meio da ferramenta story do Instagram, têm divulgado seus trabalhos. Esses conteúdos são repostados pelo perfil oficial da Universidade, que também compartilha informações postadas com a hashtag #PesquisaUfes no feed do Facebook e do Instagram. Vídeo - A Administração Central da Ufes também preparou um vídeo (25

mil de alcance) direcionado à população, para mostrar o impacto da Universidade na vida das pessoas. Nele, a vice -reitora Ethel Maciel destaca a atuação da Ufes em áreas como saúde, cultura, formação profissional, ciência e desenvolvimento tecnológico. “Aqui não é só sala de aula”, afirma. Ela finaliza convidando a população a conhecer a Ufes: “Às vezes você nunca veio aqui, mas recebe o que a Universidade faz para você. Você está convidado para vir conhecer esse espaço e aproveitar de todas as coisas que ele tem para oferecer. A Ufes está de portas abertas”. Além das ações nas redes sociais, no dia 15 de maio, a comunidade acadêmica organizou atos como aulas abertas em praças da cidade e a 1ª Mostra da Balbúrdia Universitária, no campus de Goiabeiras, com exposições de trabalhos de ensino, pesquisa e extensão. No final da tarde, um abraço coletivo ao Teatro Universitário simbolizou a defesa da universidade pública. O dia de luta foi encerrado com uma caminhada que reuniu estudantes, professores, famílias e trabalhadores de diversas categorias em defesa da educação, não só em Vitória mas também nos municípios de Alegre e São Mateus.

Entenda o impacto na Ufes Como foi amplamente divulgado pelos meios de comunicação, no dia 2 de maio, o Ministério da Educação (MEC) anunciou um bloqueio da ordem de 30% no orçamento de instituições federais de ensino de todo o país. Após análise dos dados, a Administração Central da Ufes identificou que, na Universidade, esse bloqueio foi da ordem de R$ 33,2 milhões dos recursos orçamentários de 2019, o que equivale a 33% do orçamento total inicialmente previsto de R$ 99,4 milhões (incluindo orçamento de custeio, de capital e de emendas parlamentares). O montante contingenciado é de R$ 26,5 milhões do orçamento de custeio e de R$ 1,9 milhão do orçamento de capital. Também foi bloqueado 100% do orçamento de emendas parlamentares, o equivalente a R$ 4,8 milhões. O corte de recursos de custeio impacta diretamente nas despesas para a manutenção da Universidade: consumo de água, energia elétrica, limpeza e segurança. Já o bloqueio dos recursos de capital e das emendas parlamentares afeta investimentos em obras e aquisição de equipamentos. Caso se mantenha, o bloqueio impactará indiretamente as atividades de ensino, pesquisa e extensão. Bolsas - Na última semana, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) também anunciou a suspensão da concessão de bolsas de mestrado e doutorado. Segundo a Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (PRPPG), antes dos cortes a Ufes dispunha de 656 bolsas de mestrado e 367 bolsas de doutorado. A previsão é de que, após a efetivação do corte, 112 bolsas de mestrado (19,7%) e 41 de doutorado (14,3%) sejam congeladas. A perda total será de 129 bolsas para o mestrado e 52 para o doutorado. A Ufes, em conjunto com as demais instituições federais de ensino superior, está buscando interlocução com o MEC e o Congresso Nacional, em busca de alternativas para impedir o comprometimento de atividades de ensino, pesquisa e extensão, na graduação e na pós-graduação.

3 Informa543.indd 3

17/05/2019 17:02:32


Foto: Núcleo de Conservação e Restauração

Acontece na Ufes

Biblioteca Central expõe equipamentos antigos Projetor de 16 milímetros, retroprojetor, fita cassete, projetor de slides, videocassete, aparelho de som 4 em 1, televisores, mapas. Muitas pessoas, principalmente das novas gerações, podem não conhecer estes equipamentos, mas eles já foram muito utilizados. Para que as novas gerações conheçam estas antigas tecnologias e saibam como eram utilizadas, a Biblioteca Central, no campus de Goiabeiras, abriu no dia 14 de maio a exposição Obsoletos? A história do audiovisual na Biblioteca Central, reunindo equipamentos utilizados pela comunidade universitária na prática educativa até a década de 1990 e que encontravam-se armazenados em salas da Biblioteca. A mostra, que ficará exposta permanentemente, é aberta ao público e tem entrada gratuita. A exposição faz parte das comemorações dos 65 anos da Universidade, celebrados neste mês. “Trazer estes objetos para serem expostos é um resgate da memória dos ‘antigos’ e um despertar da curiosidade dos mais jovens”, afirma o diretor da Biblioteca Central, Fábio Medina. Audiovisual - Os aparelhos que compõem a exposição eram utilizados por usuários e docentes no Setor de Audiovisual da Biblioteca Central, criado na década de 1980. “Para entender a grande procura por estes equipamentos naquela época, basta imaginar como seriam as aulas de hoje sem um projetor multimídia, um notebook ou uma rede wifi”, explica o servidor Lírio Guterra, idealizador da exposição e o único funcionário remanescente daquele setor. A mostra pode ser visitada de segunda a sexta-feira, das 7 às 21 horas, e aos sábados, das 7 às 13 horas.

4 Informa543.indd 4

O busto de Homero Massena, feito em1960 por Carlos Crepaz, foi uma das peças restauradas

Esculturas históricas são restauradas no Núcleo de Conservação e Restauração O trabalho foi realizado em quatro peças, exigindo intervenções distintas

U

m programa de estágio da disciplina de Restauração, do curso de Artes Plásticas da Ufes, foi responsável pela conservação e restauração de quatro peças do acervo do Centro de Artes. Desenvolvido desde 2017 pela bacharel em Artes Plásticas Alda Luzia Pessotti, e concluído em abril deste ano, o trabalho foi realizado no Núcleo de Conservação e Restauração do Centro de Artes e envolveu dois bustos masculinos, um pé romano e o busto de Homero Massena. A primeira peça restaurada, ainda em 2017, foi o busto de figura masculina feito por Zeny Alves de Albuquerque (1922-1987), ex-professora da Ufes. Já em 2018, Alda fez o trabalho de conservação e restauro do busto de um filósofo grego (sem data e com assinatura ilegível) e de uma peça de gesso de pé romano (datada de 1957, de autoria de Regina Silva Vivacqua). Do final de 2018 até este ano veio o trabalho mais representativo: o restauro do busto de Homero Massena

(1885-1974), primeiro diretor e professor de Desenho e Pintura da antiga Escola de Belas Artes. Feito em 1960 pelo professor de modelagem e escultura da Ufes Carlos Crepaz, o busto está alocado na recepção do prédio da direção do Centro de Artes. Sobre o restauro desta peça, Alda é enfática: “Foi ali que experimentei momentos de apreensão e satisfação constantes: pela figura do representado, pelo seu autor, pelos problemas presentes no interior e perdas externas no gesso e na tinta monocromática que o reveste”. Todas as atividades tiveram a supervisão do professor Attilio Colnago e a orientação das restauradoras Albanize Monteiro e Thaís Venuto, do Núcleo de Conservação e Restauração. “Foram quatro peças diferentes, que exigiram intervenções de técnicas de conservação e materiais para restauro distintos. Aprendizagem e desafios vencidos a cada peça restaurada”, finaliza Alda. 20/maio a 2/jun de 2019

17/05/2019 17:02:33


Foto: Nogueira/Marchioro

Acontece na Ufes

Estudantes de graduação e de pós-graduação em Geografia participam da pesquisa

Pesquisadores realizam estudo inédito na Ilha da Trindade O projeto estuda a evolução do relevo da Ilha a partir dos processos de erosão

U

ma equipe de pesquisadores da Ufes, coordenada pelo professor do Departamento de Geografia Eberval Marchioro, acaba de voltar de uma expedição à Ilha da Trindade, que fica a 1.200 km de Vitória, onde realizou um estudo inédito no Brasil. O projeto denominado Análise da morfologia e morfometria da Ilha da Trindade: conectividades hidrológicas,  pretende compreender a evolução do relevo da ilha a partir de processos de erosão que ocorrem naturalmente, mas que também  podem ser  potencializados pela ação humana. “É muito comum estudar a evolução do relevo em áreas continentais, mas isso é raro quando se trata de ilhas oceânicas”. A afirmação é do estudante do mestrado em Geografia da Ufes Gabriel Nogueira, que desenvolve sua pesquisa na região e foi o responsável pela ideia de realizar esses estudos na Ilha. Entre outras atividades, a equipe da Ufes instalou seis pluviógrafos na Ilha, com o objetivo de verificar a distribuição espacial da precipitação  pluvial  e seus efeitos sobre o relevo. Além disso, está sendo desenvolvido um levantamento topográfico do relevo para a obtenção de cotas altimétricas da região. “Os resultados obtidos pela pesquisa poderão

subsidiar planos de manejo e planejamento ambiental, levando-se em consideração os parâmetros hidrogeomorfológicos que estão sendo obtidos em campo”, destacou Marchioro. Parceria - A pesquisa é uma parceria com a Marinha do Brasil, responsável pelo transporte oceânico, permanência e segurança na Ilha. Cada viagem é feita em navio da Marinha e demora de três a cinco dias, dependendo das condições climáticas. Os estudos têm a participação de alunos de graduação e de pós-graduação de Geografia da Ufes e estão vinculados ao Laboratório de Monitoramento e Modelagem de Sistemas Ambientais (Lamosa),  um projeto de extensão da Universidade, que realiza pesquisas em Geomorfologia e Hidrologia por meio de monitoramento de campo e de modelos matemáticos de bases físicas. Um exemplo do trabalho do Lamosa é uma pesquisa de doutorado que vai mapear áreas de vulnerabilidade e risco de deslizamentos de todo o município de Vitória. A pesquisa sobre a Ilha de Trindade e todos os projetos do Lamosa estão disponíveis no endereço eletrônico lamosageoufes.wixsite.com/ufes.

Reitoria recebe relatório com propostas de ações afirmativas Um documento com 80 propostas de ações afirmativas a serem implementadas nas diversas áreas da Universidade. Este é o conteúdo do relatório entregue ao reitor Reinaldo Centoducatte e à vice-reitora Ethel Maciel no dia 14 de maio, fruto dos debates ocorridos durante a I Conferência de Ações Afirmativas da Ufes, realizada em agosto de 2018. O relatório foi entregue pelo professor de Língua Brasileira de Sinais (Libras) do Departamento de Educação e Ciências Humanas do Centro Universitário Norte do Espírito Santo (Ceunes), Daniel Carvalho, e estará disponível para consulta no site da Pró-reitoria de Assuntos Estudantis e Cidadania (Proaeci): proaeci.ufes.br . O objetivo do documento é apresentar uma agenda propositiva e avançar nos direcionamentos apontados na Conferência. “São propostas que contemplam políticas de acesso e de permanência de estudantes, de formação de servidores, políticas afirmativas na pós-graduação e também nas áreas de currículo e produção de conhecimento”, explica o pró-reitor de Assuntos Estudantis e Cidadania, Gustavo Forde. Segundo ele, a expectativa é que, a partir de agora, essas propostas possam orientar as ações e políticas da Universidade: “Para isso, o comitê político-acadêmico continuará seu trabalho de acompanhamento, construindo diálogos com os diversos setores da Ufes”. A solenidade de entrega do relatório foi realizada na sala de reuniões da Reitoria e contou com a presença de representantes de diversos setores da Ufes, da sociedade civil e de movimentos sociais.

5 Informa543.indd 5

17/05/2019 17:02:36


Editais de pós-graduação

pixabay.com

Acontece na Ufes

Dois programas de pós-graduação abrem processo seletivo em maio para ingresso em seus cursos de doutorado. Confira as oportunidades: Educação Física - As inscrições vão de 23 de maio a 12 de junho, na secretaria do Programa, no campus de Goiabeiras, ou pelos Correios, com postagem até 7 de junho. Serão ofertadas 14 vagas. Além da conclusão do curso de mestrado e da proficiência em língua estrangeira, o candidato deverá ter pelo menos um artigo aceito ou publicado em periódico classificado como B5, ou superior, no Webqualis da Capes (2015) da Área 21, livro ou capítulo de livro, sem limitação temporal. Estrangeiros, exceto quando o português for a língua oficial no país de origem, deverão apresentar ainda certificado Celpe-Bras até a data da qualificação do projeto. Saúde Coletiva - Serão oferecidas 23 vagas. O público-alvo do programa são os profissionais com mestrado nas áreas das Ciências da Saúde, Ciências Sociais e outras áreas afins à Saúde Coletiva. Entre os pré-requisitos, será exigida proficiência em língua estrangeira. Os interessados podem se inscrever na secretaria do Programa, no campus de Maruípe, de 27 de maio a 7 de junho. As inscrições por Sedex deverão ser postadas até 3 de junho. O valor da taxa de inscrição é de R$ 150. A isenção, para casos específicos, deverá ser solicitada de 27 a 31 de maio. Os editais com todas as informações sobre os processos seletivos estão disponíveis nas páginas dos cursos na internet e no site da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (www.prppg.ufes.br).

6 Informa543.indd 6

Ufes participa de pesquisa nacional sobre cuidados à pessoa com deficiência Projeto terá a participação de mais nove universidades federais, além da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)

P

esquisadores dos cursos de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da Ufes participarão de uma pesquisa nacional sobre os cuidados às pessoas com deficiência no Sistema Único de Saúde (SUS). O objetivo é analisar e participar do processo de implantação da Rede de Cuidados à Pessoa com Deficiência, do Ministério da Saúde. A pesquisa possibilitará a construção de um novo panorama nacional e comparativo da implantação da Rede nas regiões do país, contribuindo para aprimorar a qualidade do cuidado ofertado às pessoas com deficiência no SUS. Além disso, vai permitir a elaboração de projetos que visam ao incentivo do desenvolvimento científico, tecnológico e inovação do país na assistência à saúde da pessoa com deficiência, na perspectiva de mudança do paradigma com vistas ao cuidado integral a essa população. No Espírito Santo, o trabalho será coordenado pelos pesquisadores do Centro de Ciências da Saúde (CCS) Grace Kelly Freitas, Fernando Arêas, Gilma Coutinho e Mariana Ribeiro, com a colaboração da pesquisadora da Secretaria Estadual de Saúde (Sesa) Mariângela Nielsen.

“É um projeto inovador, que permitirá traçar um panorama da Rede de Atenção à Pessoa com Deficiência em todas as regiões do Brasil. Segundo dados do IBGE, em 2010, o estado possuía 1.101.316 pessoas com deficiências, o que confere a este projeto uma grande relevância. Esperamos, com a execução deste trabalho, contribuir para uma maior resolutividade no cuidado da pessoa com deficiência no Espírito Santo”, ressalta Grace Kelly Freitas. Ela afirma que a pesquisa possibilitará também o conhecimento das demandas de saúde e do funcionamento da rede de atenção às pessoas com deficiência podendo, a partir das evidências identificadas, contribuir para a reorganização dos pontos de acesso a esta rede, para a reformulação de políticas públicas e para a promoção da educação permanente dos profissionais de saúde. A pesquisa será financiada pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e terá duração de dois anos, com a participação de mais nove universidades federais, além da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). 20/maio a 2/jun de 2019

17/05/2019 17:02:39


Acontece na Ufes

Diversidade cultural é o tema da 6ª Flic-ES A feira acontece de 22 a 26 de maio, com programação gratuita e aberta ao público

D

iversidade cultural é o tema da 6ª edição da Feira Literária Capixaba (Flic-ES), maior evento literário do Espírito Santo que reúne, anualmente, artistas de várias áreas para uma intensa troca de experiências e promoção do acesso ao livro e incentivo à leitura. A 6ª Flic-ES acontece entre os dias 22 e 26 de maio, no campus de Goiabeiras, e os cinco dias de atividades gratuitas vão transformar a Universidade em um universo de livros e demais expressões artísticas voltadas para todas as idades. A abertura da 6 ª Flic acontece no dia 22, às 19 horas. A cerimônia oficial contará com apresentação do Coral da Ufes e com o lançamento do vídeo e da Revista da Flic, além do livro Ufes: 65 anos, da coleção Escritos de Vitória.

Os eventos da Feira serão realizados no auditório do Centro de Ciências Exatas (CCE), nas tendas cultural e literária, e em uma Arena Jovem, montada para apresentações artísticas. Nestes espaços, o público vai assistir a contações de histórias e a apresentações musicais, circenses e de grupos de dança, além de participar de oficinas e de atividades lúdicas, como brincadeiras afro-indígenas e gincanas. Haverá ainda exposições de quadros e maquetes produzidos com artigos sustentáveis e artísticos. Mais de 90 autores capixabas participarão do evento, que conta com 12 palestras, 12 mesas-redondas, 15 contadores de histórias e mais de 120 pessoas envolvidas nas atividades cul-

turais. Cerca de 10 mil visitantes são esperados durante os dias do evento. Segundo o secretário de Cultura da Ufes, Rogério Borges, a Flic-ES tem o objetivo de valorizar a literatura e as demais expressões artísticas produzidas no estado. “Esta é a terceira edição realizada no campus de Goiabeiras e a Ufes vem cumprindo um papel importante para o fortalecimento do evento. Estamos recebendo um belo presente de aniversário”, diz ele, referindo-se às comemorações dos 65 anos da Ufes, celebrados em maio deste ano. Para a presidente da 6ª Flic-ES, a escritora Renata Bomfim, esta edição do evento buscou ampliar o diálogo com escritores e produtores culturais de outros centros: “Estamos trazendo convidados importantes, como a escritora mineira Conceição Evaristo e o presidente da Academia Brasileira de Letras (ABL) Marco Lucchesi”. A programação completa da feira está disponível no site www.afesl.com.br. Homenagem - Seguindo a tradição de sempre de homenagear uma personalidade capixaba em suas edições, na 6ª Flic-ES o tributo será concedido à educadora, política, escritora e artista Judith Leão Castello Branco. Natural do município da Serra, Judith nasceu em 31 de agosto de 1898 e lecionou por mais de 40 anos em escolas de Vitória. Foi a primeira mulher eleita deputada estadual no Espírito Santo, em 1947. No campo da literatura, ela foi cronista e ensaísta. Em 1949, ingressou na Academia Espírito-Santense de Imprensa; anos mais tarde, foi a primeira mulher a ingressar na Academia Espírito-Santense de Letras.

7 Informa543.indd 7

17/05/2019 17:02:41


Cultura

agenda cultural Galeria de Arte Espaço Universitário Em sua segunda mostra individual, a Gaeu, no campus de Goiabeiras, abre no dia 23 de maio a exposição Cantilena para Joy, do artista plástico e ex-professor do Centro de Artes da Ufes Attilio Colnago. A exposição estará aberta para visitação do público de segunda a sextafeira, das 8 às 18 horas. As visitas também podem ser agendadas pelo telefone (27) 4009-7853 ou pelo e-mail educativogaleria.supecc@ufes.br. Biblioteca Central Além da exposição Obsoletos? A história do audiovisual na Biblioteca Central (veja matéria na página 4), a Biblioteca apresenta a mostra Não Cale, que aborda a exploração e o trabalho infantil. Além de imagens, estão expostos materiais como rodo, pedra, cana-de-açúcar e tijolo – objetos que são utilizados por crianças em situação de exploração. A exposição vai até 31 de maio, de segunda a sexta-feira, das 7 às 21 horas, e aos sábados, das 7 às 13 horas. Teatro Universitário O cantor e compositor Tunico da Vila apresenta, nos dias 24 e 25 de maio, às 20 horas, o show Sagrada Paz: todos pela liberdade religiosa. No repertório, sambas de roda, partido alto, afrossamba e sambas de terreiro. A entrada é gratuita. Galeria de Arte e Pesquisa (GAP) A GAP apresenta, no campus de Goiabeiras, a mostra Sirva-se do que você quiser, com 25 obras de arte contemporânea de artistas de São Paulo. As obras ficam expostas até o dia 7 de junho e a entrada é gratuita. A visitação pode ser feita de segunda a sexta-feira, das 8 às 12 horas e das 13 às 17 horas.

8 Informa543.indd 8

Ufes organiza sua primeira companhia de teatro Os interessados em participar podem se inscrever até o mês de julho

P

romover a arte teatral em suas diferentes manifestações expressivas e estéticas, em caráter contínuo. Este é o objetivo da primeira Cia de Teatro da Ufes. Com início das atividades em agosto, a Companhia abrirá 10 vagas para pessoas da comunidade acadêmica e da sociedade em geral. As inscrições para as audições podem ser feitas no site www.teatro.ufes.br/cia-de-teatro até o mês de julho. A criação da companhia de teatro, um dos projetos propostos pela Secretaria de Cultura da Ufes, tornou-se possível a partir da criação da vaga efetiva de Diretor de Artes Cênicas. O cargo foi ocupado pelo diretor teatral Lucas Larcher, que será o responsável por executar as atividades do projeto. “A ideia é experimentar princípios, procedimentos e inquietações éticas, estéticas e políticas no âmbito do fazer teatro”, explica Lucas, que pretende realizar atividades da Companhia dentro e fora da Universidade. “A Companhia vai contribuir para o fortalecimento do teatro ca-

pixaba e criar um ambiente teatral universitário nos campi da Ufes”, destaca o secretário de Cultura, Rogério Borges. Inscrições - Para integrar o elenco da Companhia, o interessado deve ser brasileiro ou estrangeiro naturalizado, residir na Grande Vitória, ser maior de idade e ter disponibilidade para seguir o cronograma de ensaios e apresentações do grupo. Os atores serão selecionados anualmente, por chamada pública, de acordo com critérios estabelecidos em função do perfil dos projetos de montagem previstos e das adequações ao elenco anterior. A Cia de Teatro se reunirá para ensaios e ações formativas duas vezes por semana, em dias, locais e horários a serem definidos. As pessoas interessadas em participar das audições para a Cia de Teatro da Ufes podem se inscrever para as audições no site www.teatro.ufes. br/cia-de-teatro. Mais informações também podem ser obtidas no perfil @ciadeteatroufes nas redes sociais.

20/maio a 2/jun de 2019

17/05/2019 17:02:44

Profile for Universidade Federal do Espírito Santo

Jornal Informa | Ufes | n° 543 | 20/05/2019  

Jornal da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) destinado à divulgação das atividades desenvolvidas pelas áreas de ensino, pesquisa...

Jornal Informa | Ufes | n° 543 | 20/05/2019  

Jornal da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) destinado à divulgação das atividades desenvolvidas pelas áreas de ensino, pesquisa...

Profile for ufes
Advertisement