Page 1


Editorial

A INTERMODAL 2011: SEM PRECEDENTES

A

Intermodal South America tem a capacidade de superar-se a cada edição, mas talvez o mérito mais expressivo do evento seja o de ser capaz de atrair para o mesmo recinto uma diversidade única de empresas expositoras. Não há segmento da cadeia de equipamentos e serviços voltados para o comércio internacional e para a logística de cargas que não esteja representado no evento. O cenário impressiona: em 2011 são 550 companhias participantes de 17 países e, segundo a UBM Brazil, organizadora do evento, 43 mil profissionais são esperados. Se por um lado o evento propicia uma leitura fiel do potencial de crescimento das empresas que integram a cadeia do comércio exterior e da logística, por outro, evidencia as conhecidas fragilidades deste País com dimensões continentais. Infraestrutura, custo Brasil e tantas outras mazelas que fatigam as empresas e minam a sua competitividade. De toda a forma, a Intermodal cumpre seu papel de ser um facilitar fundamental a aproximar demanda e oferta. O Global Online antecipa neste especial algumas das novidades que os expositores do evento reservaram para os três dias da Intermodal.

Realização:

Diretor Geral: Joris Van Wijk Event Manager: Bárbara Nogueira Sales Executive: Kelly Lima Comunicação e Marketing: Simone Barreto Editora: Valeria Bursztein

Textos: Sonia Crespo Projeto Gráfico e Editoração: Miguel Angelo Redação, Administração, Publicidade e Correspondência: Alameda Tocantins, 75 – Alphaville São Paulo / SP Tel.: (11) 4686-1935 – Fax: (11) 4686-1926 info@ubmbrazil.com.br www.ubmbrazil.com.br

As opiniões expressas nos artigos e pelos entrevistados não são necessariamente as mesmas da UBM Brazil. Os dados e informações deste especial foram fornecidos pelos expositores.

Especial Intermodal 2011 – Global ONLINE - 3

Expediente

Boa Leitura!


Especial

INTERMODAL SOUTH AMERICA 2011 Evento traduz a pujança da economia brasileira

ais importante encontro de negócios dos setores de logística, transporte de carga e de comércio internacional, a Intermodal South America, que acontece de 05 a 07 de abril, no Transamérica Expo Center, em São Paulo-SP, em 2011 terá entre seus destaques dois diferenciais que vêm credenciar ainda mais o evento: a realização da conferência JOC Infraportos, com palestrantes renomados, temas atuais e cases internacionais e um forte trabalho de disseminação das informações do evento nas mídias sociais, em especial, o microblog Twitter e o Facebook, seguindo uma tendência mundial de compartilhamento e troca de conhecimento entre pessoas de um mesmo grupo de interesse. A 17ª edição da Intermodal conta com 550 empresas expositoras confirmadas, de 18 países. O evento teve sua área de expo-

M

sição ampliada, passando a ocupar 35 mil metros quadrados, divididos em cinco pavilhões, além da área externa do Transamérica, que será utilizada para a exposição de equipamentos. A expectativa da UBM Brazil, organizadora do evento, é receber por volta de 43 mil profissionais visitantes. Segundo a gerente do evento, Barbara Nogueira, a razão da Intermodal, ao longo dos anos, ter se consagrado como o principal encontro da cadeia de distribuição de produtos e serviços relacionados ao comércio internacional e à logística deve-se a sua capacidade de criar um ambiente voltado para os negócios, permitindo o encontro entre demanda e oferta. "As empresas que oferecem produtos e serviços, exportadores e importadores, estão todas presentes no evento, isso é fundamental", reforça Barbara. Barbara chama a atenção para o elevado número de empresas que voltaram a participar do evento ou que estão integrando o grupo pela primeira vez. "Quase 16,4% dos expositores da Intermodal 2011 são companhias que não estavam na edição anterior, o que atesta o crescimento do setor como um todo e ratifica a relevância do evento como pólo de oportunidades para os exportadores e importadores que visi-

4 - Global ONLINE – Especial Intermodal 2011

tam a Feira em busca de soluções logísticas". No detalhe são 49 empresas nacionais e 25 internacionais expondo pela primeira vez na Intermodal e 12 companhias nacionais e quatro internacionais que voltam a fazer parte do evento. A edição de 2011 da Intermodal acontece em momento de intensas expectativas quanto aos rumos da economia brasileira, aos investimentos dedicados à infraestrutura de transporte de carga e à performance dos novos comandantes do governo federal. Pensando justamente em colocar em discussão os temais mais relevantes deste contexto econômico, um dos destaques desta edição da Intermodal é a exclusiva conferência organizada em paralelo à exposição, com duração de dois dias. Resultado da parceria entre o JOC – Journal of Commerce – e a UBM Conferences, a 3ª edição da conferência JOC Infraportos contará com debates, palestras, casos práticos e workshops com os mais importantes players e experts no setor. "Este ano, teremos um evento memorável que enfatiza o fim da crise econômica que tanto castigou as empresas brasileiras e de todo o mundo. Agora estamos todos em franco crescimento", festeja a gerente da Intermodal South America. www.intermodal.com.br


Especial Especial Intermodal 2011 – Global ONLINE - 5


Aeroportos, EADIs, Portos e Terminais

DEPOIS

DA TEMPESTADE, O CRESCIMENTO

Reformulado, o novo APMT Itajaí está preparado para crescer temporal que devastou boa parte da costa do Estado de Santa Catarina em meados de 2008 afetou as operações marítimas tanto dos portos quanto dos terminais da região, como foi o caso do APM Terminals de Itajaí. A tragédia das enchentes daquela época ficou para trás na história atual do novo e moderno terminal de contêineres, que tem como meta renovar sua imagem e potencial operacional durante a Intermodal South America em 2011. Será a segunda experiência da empresa no evento. De acordo com os porta-vozes do terminal, a participação na feira será essencial para mostrar a reto-

O

mada da expansão do porto de Itajaí. "Depois das enchentes de 2008, queremos mostrar o crescimento da empresa em 2010 e os planos para 2011", destacam os dirigentes da cmpanhia. O APM Itajaí quer crescer e está investindo para isso. Em 2010, o hub movimentou 400 mil TEU. Para que isso acontecesse, houve uma preocupação constante com a qualificação da mão de obra, com a aquisição de equipamentos e a implementação de novas tecnologias. Para 2011, a expectativa é de que os negócios evoluam 13% em relação às operações de 2010. A APM Terminals Itajaí responde, hoje, por 100% da movimentação de contêineres do porto de Itajaí, operando com dois berços, o

APOIO

À

COSTA CATARINENSE

Mega estrutura da Polyterminais garante suporte às futuras demandas da região Polyterminais, terminal portuário sediado na costa catarinense, comparece pela primeira vez à Intermodal South America para promover-se como nova opção de apoio à cadeia logística de Santa Catarina, regiões Sul e Sudeste do Brasil. A infra-estrutura da Polyterminais está pronta para o crescimento das demandas futuras: "Toda iniciativa do governo que seja para aumentar o comércio internacional de mercadoria do Bra-

A

sil com outras nações beneficiará de forma direta a nossa empresa já que somos uma peça fundamental para o escoamento e entrada de mercadorias do território nacional", relatam os diretores. A companhia, terminal privado de utilidade mista localizado às margens do rio Itajaí-Açú, em Itajaí (SC), integra um dos maiores complexos portuários mais importantes do País. Nos 245 mil metros quadrados da estrutura, espalham-se três terminais de recepção. O pátio para contêineres conta com 50 mil metros quadrados e capacidade de

6 - Global ONLINE – Especial Intermodal 2011

APMT1 com 285 metros, e o APMT2, com 272 metros (o porto de Itajaí tem mais dois, totalizando quatro berços). A área total do complexo portuário é de 180 mil metros quadrados, sendo 75 mil metros quadrados da APM Itajaí. Ao longo do terminal alinham-se 1.372 tomadas reefer, com 10 gates de entrada e saída. O APM Terminals Itajaí é um dos 50 terminais portuários da multinacional APM Terminals, uma das empresas com maior crescimento no setor de terminais portuários do mundo, presente em mais de 30 países, em cinco continentes. Hoje a companhia possui 14 novos projetos em desenvolvimento de terminais na Europa, América do Norte, América do Sul, Oriente Médio, Oeste da África, Mar Negro, Sul da Ásia e China. www.apmterminals.com.br

acomodação para 3,3 mil TEU. A área construída tem 10 mil metros quadrados de armazém, para carga solta e acomoda 13 mil posições pallets. O terminal de granéis líquidos tem dois tanques com capacidade total de 8 mil metros cúbicos. Na frente do retroporto, há um píer de atracação para navios com até 180 metros de comprimento e calado máximo de 8,5 metros, 30 metros de boca e capacidade para 17 mil toneladas. Mais de 30 equipamentos portuários – como reach stackers, empilhadeiras retráteis e a combustão, transpaleteiras e balanças – reforçam as movimentações logísticas. www.polyterminais.com.br


NEGÓCIOS

À BEIRA-MAR

Cone BR apresentará o Cone Suape, solução logística para o entorno de áreas portuárias umento e retração de fluxos de carga são conceitos integrados com os quais a Cone S/A lida diariamente para conceber estruturas portuárias diferenciadas. Em operação desde outubro de 2010, a empresa estréia na Intermodal South America, evento que certamente concentra um volume considerável de prováveis futuros clientes. É uma empresa voltada ao fornecimento de infra-estrutura e competências logísticas integradas em regiões portuárias e próximas a pólos de investimentos, com foco no Nordeste do Brasil, que ficou conhecida por meio do seu primeiro empreendimento, o Cone Suape, megaprojeto que vem sendo desenvolvido desde 2007 e que será o cartão de visitas da empresa na feira deste ano. "O Cone Suape explorará o potencial existente na região, fundamentado em cinco pilares: localização estratégica, integração total ao porto de Suape (PE), conceito inovador, projetos diversificados e administração experiente",

A

enumera o diretor comercial da Cone, Eduardo Corbett. A obra está composta por quatro empreendimentos interligados, explica Corbett. O primeiro, Cone Multimodal, é uma plataforma dotada de moderna tecnologia para a prestação de serviços logísticos, armazenagem, movimentação e transbordo de mercadorias, localizada a apenas 6,5 quilômetros da área primária do porto de Suape e 15 km do Aeroporto Internacional dos Guararapes, no Recife. A ligação rodoviária ao porto e ao aeroporto é feita por estradas duplicadas e uma via expressa que cortará a área. A plataforma dispõe ainda de uma ligação ferroviária, o que permite operar mais de um modal de transporte. O segundo empreendimento é o Cone ZPE/Suape, primeira Zona de Processamento de Exportação aprovada no Brasil. "As empresas que nele se instalarem desfrutarão de um tratamento fiscal e cambial diferenciado. É um lugar ideal para a instalação de empresas que visem o processamento de matéria-prima e exportação com-

pletamente desoneradas de tributos", detalha Corbet. O Cone ZPE será implantado em uma área com margem a BR-101 Sul, a apenas 11 km da zona primária do porto de Suape e a 10 km do Aeroporto Internacional dos Guararapes no Recife. A terceira fase do empreendimento é o Cone Plug&Play, que introduz o conceito de oferecer áreas prontas para uso, dotadas da mais completa infra-estrutura e tecnologia. "Proporciona grande velocidade de instalação", complementa. Estas três áreas são estrategicamente posicionadas e muito bem servidas pela rede de transportes coletivos. "O quarto empreendimento, o Cone Multicenter, é um espaço com completa infraestrutura destinado à implantação de conjunto de edifícios empresariais, centro de convenções, hotéis, policlínicas, faculdades, centros de ensino e qualificação e shopping Center", comenta o executivo. Corbett esclarece que o projeto oferecerá um conjunto de serviços de nível mundial denominado Cone Concierge, que abrangerá todos os requisitos e recursos necessários à futura instalação das empresas. Com propostas logísticas estruturais, Corbett avista um crescimento gradativo de seus negócios ao longo dos próximos anos. www.conebr.com

Especial Intermodal 2011 – Global ONLINE - 7

Aeroportos, EADIs, Portos e Terminais

Foto: Divulgação


Aeroportos, EADIs, Portos e Terminais

TERMINAL ALFANDEGADO

EM DESTAQUE

Ações ambientais praticadas pelo Grupo Libra também serão divulgadas durante a Intermodal 2011

ainda a experiência de sucesso com a Komatsu – "Utilização do Fluxo de Importação".

MARCO REGULATÓRIO

Foto: Divulgação

Grupo Libra é presença garantida da Intermodal South America desde a 1ª edição da feira e considera o evento uma excelente oportunidade para estar com seus principais interlocutores comerciais e institucionais. "A Intermodal é um fórum rico de informações sobre o comércio exterior e tendências de atividades portuárias e de logística, sempre foi um ótimo ambiente de prospecção e formação de negócios para o Grupo Libra. Por ser a maior e principal feira do setor, reúne grande parte dos nossos clientes e prospects, o que possibilita estreitar o relacionamento com esses públicos", divulga a empresa em nota. Este ano, o Grupo Libra apresenta o recém inaugurado Ter-

O

minal Alfandegado Libra, desenvolvido para a consolidação de cargas soltas, e que completa o portfólio de soluções do grupo. Outra novidade é a parceria realizada com a Iniciativa Verde para reverter, por meio do plantio de árvores, as emissões de carbono oriundas da produção e da participação do Grupo Libra nos três dias da Intermodal. Durante dois anos, a Iniciativa Verde fará a manutenção das árvores, cujo desenvolvimento poderá ser acompanhado por um site. Com a parceria, o Grupo Libra terá direito a utilizar o selo CARBON FREE. O Grupo Libra programou também participação no Intermodal Solutions, fórum agendado para o dia 05 de abril, durante a Intermodal, no qual apresentará

8 - Global ONLINE – Especial Intermodal 2011

Para os dirigentes da empresa, a novidade mais festejada desta edição da Intermodal seria a evolução do debate sobre marco regulatório no setor portuário para ampliar a segurança jurídica para os investidores e, sobretudo, proporcionar maior agilidade às decisões de investimentos e autonomia às companhias docas. "O setor portuário hoje está sob forte pressão de demanda e precisa evoluir para viabilizar os enormes investimentos necessários à modernização dos portos brasileiros", comentam. O Grupo Libra tem planos de investir R$ 1 bilhão nos próximos quatro anos, sobretudo na duplicação dos terminais nos portos de Santos e Rio de Janeiro e na construção de um terminal em Imbituba (SC). Já estão em andamento investimentos em equipamentos e modernização de processos que já estão aumentando a produtividade dos terminais da Libra. Além disso, o Grupo está atento a licitações no setor portuário no Brasil e em países da América Latina. "Nossas estimativas são de que, em 2011, as importações cresçam 24%, para US$ 225 bilhões, e as exportações aumentem 19%, para US$ 240 bilhões. Atento a isso, o Grupo Libra tem interesse em participar de oportunidades de licitações portuárias tanto no Brasil como nos demais países da América Latina", divulgam os dirigentes. www.grupolibra.com.br


Superporto do Açu, do Grupo LLX, exibirá o andamento das obras e potencial dos terminais TX1 e TX2 or se tratar da maior feira de Logística da América Latina, a Intermodal South America é o evento mais importante para a LLX, empresa de logística do Grupo EBX, terceiro maior grupo privado não-financeiro do Brasil que atua nos setores de infraestrutura e recursos naturais.

P

Foto: Divulgação

O objetivo mais evidente da empresa ao participar do evento é ampliar a rede de contatos e clientes interessados em conhecer ou participar dos projetos da LLX, entre eles o Complexo Industrial Superporto do Açu, o maior empreendimento porto-indústria da América Latina, e que deve tornar-se um dos três maiores complexos portuários do mundo. O complexo, localizado no Estado do Rio de Janeiro, está em fase avançada de construção e se estende sobre

PLANOS

DE EXPANSÃO

Termaco, terminal do porto de Mucuripe (CE), investe na compra de novos equipamentos undada em 1986 e atuando como operadora de logística integrada no porto do Mucuripe, em Fortaleza (CE), a Termaco Terminais Retroportuários anuncia na Intermodal South America a realização de novos investimentos para a compra de equipamentos. Nos 26 anos de atuação no mercado, a empresa movimentou mais de um milhão de TEU. "Com área total de 45.000 metros quadrados, a Termaco possui o mais bem localizado depósito de con-

F

têineres vazios, a 900 metros da entrada do porto do Mucuripe com capacidade de armazenar 7.000 TEU, efetuar serviços de limpeza, reparos e manutenção, serviços de armazenagem de contêineres com cargas secas ou frigorificadas que são oferecidos a exportadores e importadores, dispondo de 60 plugs para contêineresreefers, alimentados por subestação de 500 Kva", informou em nota a empresa. Em 2010 a Termaco registrou crescimento de 20%, devido às operações como as cargas de componentes eólicos. A médio prazo, a Termaco avalia os investimentos necessários para dimensionar a estrutura do teminal às demandas previstas – como a recepção de portacontêineres de grande capacidade. www.termaco.com.br Especial Intermodal 2011 – Global ONLINE - 9

Aeroportos, EADIs, Portos e Terminais

SAINDO DO PAPEL

mais de 90 quilômetros quadrados de área. O projeto contempla a construção de um terminal para armazenamento e tratamento de petróleo, um pólo de indústrias e serviços de apoio ao offshore, dois complexos siderúrgicos, duas cimenteiras, um complexo de geração de energia, uma montadora, indústrias de autopeças, um pólo metal-mecânico e indústrias de tecnologia da informação, com um investimento conjunto de mais de US$ 40 bilhões nos seus empreendimentos. Na Intermodal, a LLX planeja mostrar detalhes dos conjuntos de terminais TX1 e TX2 que estão em construção no complexo. O TX1, conjunto de terminais offshore, contará com um cais de 3.600 metros, que abrigará nove berços, sendo cinco berços dedicados à movimentação de até 2 milhões de barris de petróleo por dia, além de quatro dedicados ao minério de ferro. Com profundidade de 21 metros e expansão para 26 metros, o TX1 do Superporto do Açu terá capacidade para receber navios de grande porte, como Capesize (220 mil toneladas), Chinamax (400 mil toneladas) e VLCC (Very Large Crude Carrier). Já o TX2 possui uma combinação única de características que resultam em significativas vantagens para as atividades de suporte às operações de E&P de óleo e gás. Formado pelo desenvolvimento de um canal onshore escavado com 3,5 quilômetros de extensão, 300 metros de largura e até 18 metros de profundidade, com cerca de oito quilômetros de cais e acesso protegido ao mar aberto, dispõe ainda de toda a infraestrutura de um complexo industrial, no qual empresas do setor poderão se instalar, beneficiando-se de operações sinérgicas e de menores custos logísticos. www.llx.com.br


Aeroportos, EADIs, Portos e Terminais

DE OLHO NA COSTA BRASILEIRA Investimentos previstos para este ano incluem prospecções em novos terminais portuários Intermodal é nossa casa", diz o presidente do Grupo Localfrio, Marcelo Orpinelli. Na visão do executivo, o principal ponto da feira, da qual a empresa é um dos patrocinadores, é a "oportunidade que se tem de encontrar todo o setor – seus concorrentes, seus clientes atuais e futuros clientes –, em um cenário que permite mostrar o que está sendo feito e os planos futuros de cada empresa". Para o dirigente, além de ser um local seguro, é uma mais importante feira de logística do mundo. "O principal evento do ano para a Localfrio é a Intermodal. Queremos mostrar ao mercado que o grupo cresce, vai continuar crescendo e que tem a meta de dobrar as vendas nos próximos cinco anos", adianta. Este ano, o Grupo Localfrio, que congrega quatro áreas de negócios – armazéns alfandegados, armazéns gerais, armazéns frigorificados e transporte rodoviário –, concentrados em Santos (SP), Itajaí (SC) e desde o ano passado em Suape (PE), anunciará os investimentos de R$ 120 milhões, quantia que representa pouco mais da metade do faturamento do grupo em 2010, de R$ 200 milhões. Os recursos serão aplicados em reformas de seus terminais e na compra de 50 novos caminhões, para reforçar a frota de suas empresas de transporte, a Translocal, que atende Santos e Itajaí, a Suata Transportes, que opera em Suape. "Podemos dividir a Localfrio em quatro importantes áreas de negócios: terminais alfandegados, terminais de armazém geral, terminais frigorificados e transporte rodoviário. O carro-chefe são os terminais alfandegados, que representam 60% do faturamento do grupo. Em seguida vem o transporte rodoviário, com 20%. O restante se divide praticamente entre armazéns frigorificados e armazéns gerais, com 10% cada um dos segmentos", explica Orpinelli.

A "

MELHORIAS NOS TERMINAIS Para 2011, a Localfrio tem um plano de investimento de R$ 40 milhões, sendo que a metade desse orçamento – R$ 20 milhões – será destinada a melhorias e condicionamento das instalações dos terminais de Suape (PE). "A outra metade será destinada a melhorias

10 - Global ONLINE – Especial Intermodal 2011

nos terminais dos portos de Santos e de Itajaí e nos armazéns frigorificados de São Paulo. Investiremos também constantemente em capacitação de nossos colaboradores. Simultaneamente, estamos prospectando futuras aquisições, de empresas e terminais, nas quais pretendemos investir R$ 120 milhões nos próximos cinco anos. Será uma inversão significativa, considerando que o grupo faturou R$ 200 milhões em 2010 e, para este ano, pretende chegar aos R$ 300 milhões", detalha o presidente da Localfrio. "Apenas em Santos, movimentamos 50 mil TEU em 2009, passamos para 75 mil TEU no ano seguinte e em 2011 queremos ampliar essas operações e chegar aos 100 mil TEU", projeta. Os volumes de importação nos terminais da Localfrio registraram um incremento muito grande ao longo de 2010, especialmente de cargas oriundas da Ásia, Europa e Estados Unidos. "Nos meses de setembro, outubro e novembro o volume de importações cresceu muito em todos os terminais de contêineres. Com o fluxo intenso e sazonal, automaticamente surgem mais navios e mais caminhões nesse processo, provocando um travamento na logística. Nossos terminais lotaram, é verdade, mas é um período sazonal. Por um lado é bom que isso aconteça, porque é um sinalizador de que precisamos continuar investindo", analisa Orpinelli.

CENÁRIO INTERNACIONAL O executivo diz que o cenário de comércio exterior atual está bastante positivo para a logística. "O ambiente dos portos onde atuamos está bastante promissor. Ou seja, o ritmo de crescimento está aquecido. Nesse contexto, a Intermodal também é uma oportunidade para conhecer o que há de novo no mercado de transporte internacional. É importante que a Intermodal South America reúne a cadeia de valores dentro do negócio logístico, que compreende não apenas as empresas de logística, mas também os fornecedores de serviços e equipamentos para essas empresas", comenta. Questionado se a Localfrio tem projetos futuros para filiais internacionais, Orpinelli diz que anda não chegou o momento. "Por enquanto, não. Acho que primeiramente realizaremos investimentos locais, aproveitando a atual sinergia entre armazéns, terminais e transportes". www.localfrio.com.br


Posição estratégica do Complexo Portuário impulsiona novos negócios porto de Itajaí (SC) participa da Intermodal South America desde a sua primeira edição. O retorno obtido foi sempre uma oportunidade para fixar o nome do complexo portuário, congregar clientes, armadores e exportadores e importadores.

O

Foto: Divulgação

Nesta edição do evento, o diretor comercial do porto, Robert Grantham, diz que a superintendência do porto de Itajai, juntamente com 14 parceiros da região que compartilham o estande, exibirá a pujança da região e a rede de apoio logístico disponível. "Contatar o mercado e conhecer os novos players que entram no dinâmico universo do comercio exterior brasileiro é muito importante para nosso negócio", enfatiza. O porto passou por uma fase difícil, há dois anos, quando a região foi assolada por uma tempestade que

danificou parte da estrutura portuária. Hoje o complexo está recuperado. "Após o processo de reconstrução dos berços danificados nas enchentes de 2008, estamos no limiar do início da dragagem de aprofundamento dos canais de acesso 14 metros. Estudos estão sendo iniciados para a construção de uma nova bacia de evolução que possibilite o atendimento aos navios postpanamax que começam a operar em águas sul-americanas. A dragagem de aprofundamento da calha do Rio Itajaí para nove metros já foi concluída, beneficiando os terminais privativos lá instalados. Já estão disponíveis os recursos para a remodelação do Molhe Norte, que possibilitará seu alargamento, atendendo novos navios com boca de até 45 metros. O segmento de cruzeiros também está sendo lembrando, com a licitação já lançada para aumento da área do Terminal de Cruzeiros Guilherme Assemburg", enumera o dirigente. Hoje, segundo Grantham, 35% do volume de importações são provenientes da Ásia, porém a recíproca na exportação não é verdadeira. "Assim, uma política que incentive uma maior participação dos produtos manufaturados na pauta de exportação para o Extremo Oriente seria extremamente benéfica para o complexo portuário, trazendo equilíbrio na movimentação de cargas". O complexo portuário do Itajai dispõe hoje de rotas para todos os continentes. Na importação, o maior mercado é o Extremo Oriente e na exportação, o mercado europeu e norte americano detém a liderança."O diferencial estratégico do porto consiste em sua localização geográfica, situado próximo ao entroncamento das rodovias BR 101 e 470 e tendo num raio de 600km quatro grandes estados brasileiros, que juntos representam 47% do PIB brasileiro", diz o executivo. www.portoitajai.com.br

NAMÍBIA EM CONEXÃO COM O MUNDO Walvis Bay Corridor Group é uma parceria público privada africana estabelecida para promover a utilização dos corredores da Baía de Walvis, uma rede de transportes que compreende basicamente o porto de Walvis Bay e os corredores Trans-Kalahari, Trans-Caprivi, TransCunene Corridor e o Trans-Oranje Corridor.

O

Esta é a primeira participação do grupo na Intermodal e a expectativa é prospectar concexões com provedores de serviços logísticos na América do Sul. "Temos o propósito de facilitar as importações e exportações entre a África do Sul, via Namíbia, e o resto do mundo", informou a organização em nota. www.wbcg.com.na Especial Intermodal 2011 – Global ONLINE - 11

Aeroportos, EADIs, Portos e Terminais

ITAJAÍ RECUPERA A BOA FORMA


Aeroportos, EADIs, Portos e Terminais

A PLENO VAPOR TESC projeta crescimento médio de 8% ao ano e prospecta contratos com novas linhas de navegação s principais novidades que o TESC (Terminal de Santa Catarina) apresentará durante sua participação na Intermodal South America serão de ordem de infraestrutura: obras de ampliação do terminal, que entre outros benefícios podem-se destacar a extensão do berço de atracação e a expansão da retroárea, a dragagem do canal de acesso e a bacia de evolução para mais dos berços de atracação, entre outros. Para 2011 está prevista a chegada de novos equipamentos para operação, inclusive um modelo mais atualizado de MHC, anunciou a empresa. Presente pela quinta vez no evento, o TESC passou por um processo de alteração na sua estrutura acionária ao longo de 2010: a entrada de um fundo de investimentos com 50% das ações representativas do capital social da empresa.

A

"Essa mudança refletiu tanto internamente, na sua estrutura organizacional, como também para seu público externo, pois sua característica principal é o grande foco comercial e relacionamento com cliente", revelam. O terminal vem se preparando para atender a crescente demanda de serviços, por meio de contratação e capacitação de mão de obra e constantes investimentos em tecnologia, equipamentos e infraestrutura. "A expectativa do TESC é de um crescimento orgânico médio de 8% ao ano, além do crescimento com fechamento de contrato com novas linhas de navegação de novos clientes, em função dos investimentos recentes", informou a empresa. Situado em São Francisco do Sul, região norte do Estado de Santa Catarina, o TESC dispõe de uma área alfandegada de 50.000 m2 e capacidade estática de até 5.000 TEU. O berço de atracação tem 530 metros de cais acostável e o calado é de 14 metros, após dragagem de aprofundamento realizada recentemente. O terminal opera com dois guindastes móveis sobre rodas Post-Panamax e 16 empilhadeiras reach stacker de apoio. Além, disso disponibiliza 500 tomadas para contêiner reefer. Para o segundo semestre de 2011, está prevista a chegada de mais um guindaste que será integrado à estrutura do TESC. www.terminalsc.com.br

APOIO COM LOGÍSTICA DE PONTA Tecer prevê crescimento com a construção de terminal de múltiplo uso em Pecém porto de Pecém, no litoral cearense, não para de crescer e, com ele, as operações de apoio fornecidas pelo Tecer Terminais Portuários do Ceará. Essa convergência de expertises no segmento logístico de cargas marítimas está transformando o estado do Ceará em uma das grandes potências portuárias brasileiras para as próximas décadas. O Tecer reconhece isso e quer aproveitar sua passagem pela Intermodal South America para fortalecer sua marca no mercado de navegação e anunciar os novos investimentos em portêineres e numa nova área retroportuária. Em paralelo às demandas existentes, o Tecer tem boas expectativas com relação a mercados promissores: "O mercado asiático é um deles, devido ao alargamento do canal do Panamá, que aumentará as movimentações locais e poderá transformar o porto do Pecém em um porto de transbordo. É uma possibilidade de atrair no-

O

12 - Global ONLINE – Especial Intermodal 2011

vos armadores", avaliam os dirigentes do terminal. Com os novos investimentos no porto do Pecém, como a construção do TMUT (Terminal de Múltiplo Uso), haverá um novo cais comercial com 700 metros de comprimento e 115 metros de largura, com calado natural de 18 metros de profundidade. "A demanda por serviços será elevada e com isso teremos um crescimento comercial bastante significativo", estimam. "Em 2010 tivemos um crescimento de 21% em relação a 2009, devido às novas operações como as cargas de granéis sólidos", anunciam. O Tecer foi fundado em 2007 e é o resultado de uma visão integrada e do investimento de duas grandes empresas brasileiras do setor de logística, Termaco e Tomé, que se uniram para operar o porto do Pecém, no Ceará, utilizado a tecnologia avançada, equipamentos de última geração e mão–de–obra própria e qualificada. a Tecer destaca entre suas operações a pioneira de exportação de minério de ferro, importação de clinquer, escoria, fosfato e metais reciclados de aço provenientes das fábricas da Europa. www.tecerterminais.com.br


Codesa mostra seu projeto que permitirá a atracação de navios de grande porte urante a Intermodal South America, a Codesa (Companhia Docas do Espírito Santo) apresentará seu projeto para a instalação de um terminal de águas profundas, principalmente em função da atual tendência de construção de navios porta-contêineres mais modernos e com capacidade duplicada. Também mostrará os planos de ampliação da área atual, visando aumentar a capacidade de movimentação de cargas. Autoridade portuária do porto de Vitória, a Codesa controla há praticamente meio século a atividade dos terminais arrendados e opera os terminais que ainda são públicos. As perspectivas da companhia para os próximos anos em termos de crescimento são muito boas. Nesse aspecto, dizem os dirigentes, a Intermodal poderá con-

D

tribuir com a exposição de tecnologias inéditas para construção de portos, novas relações entre o porto e a cidade portuária, e sistemas de dragagem e derrocagem. Os diretores da companhia acreditam que a diversificação de mercados para a exportação de produtos brasileiros é muito importante para o comércio exterior brasileiro, pois diminui a dependência em relação aos mercados tradicionais e aumenta a corrente de comércio pelas trocas que existirão com os novos parceiros comerciais. Em 2010 o faturamento da Codesa cresceu 41% na movimentação de cargas e 22,85% na receita operacional bruta, em relação a 2009. "É evidente que a contenção nas importações praticada atualmente por grandes potências mundiais pode prejudicar a evolução dos fluxos no comércio exterior, mas a busca de mercados alternativos poderá trazer ao longo do tempo uma compensação", finalizam os dirigentes. www.codesa.com.br

O CALADO QUE TODOS QUEREM Rio Grande promove ganho de competitividade com profundidade de 16 metros no canal grande "produto" oferecido pelo porto do Rio Grande (RS) na Intermodal South America 2011 será a profundidade do seu canal de acesso: 16 metros. Esse calado transforma o local no porto de águas mais profundas da região situada entre o Estado de São Paulo e o sul da Argentina (a região do Conesul). O porto participa pela 12ª vez na feira. Para seus administradores, o grande retorno da Intermodal é o de encontrar com os clientes e renovar esses contatos. "Nossa situação geográfica, deslocada do centro do País, dificulta esses encontros. A Intermodal é uma excelente ferramenta para trabalhar essa dificuldade. Outro benefício da participação no evento é a sua internacionalização, que propicia a exposição do seu negócio no mercado internacional, com um custo relativamente baixo", informou em nota o departamento de comunicação do porto. "A convivência com a concorrência e, por conseqüência, a comparação entre esses concorrentes e a identificação de outras estratégias comerciais, apresenta-se como um dos grandes benefícios que a empresa pode colher", acrescentou em nota.

O

Foto: Divulgação

No planejamento do porto do Rio Grande ficou estipulada meta de crescimento de 70% para os próximos cinco anos, quando atingirá a movimentação de 50 milhões de toneladas de mercadorias. Em 2010, Rio Grande faturou, em 2010, R$ 61 milhões, com crescimento de 7% em relação ao ano anterior. www.portoriogrande.com.br Especial Intermodal 2011 – Global ONLINE - 13

Aeroportos, EADIs, Portos e Terminais

ÁGUAS PROFUNDAS NOS ESPÍRITO SANTO


Aeroportos, EADIs, Portos e Terminais

NA LINHA DE FRENTE Com R$ 1 bilhão de investimentos, porto de Pecém ganha musculatura

O

porto de Pecém (CE) mostrará na Intermodal South America os projetos de expansão a serem realizados ao longo dos próximos cinco anos com investimentos de perto de

R$ 1 bilhão. A expansão terá duas fases. A primeira, em andamento, prevê a construção de um novo Terminal de Múltiplo Uso (TMUT), com dois berços de atracação para navios porta-contêineres, e a ampliação do quebra-mar para 1000 metros, além do prolongamento da ponte existente, de 348 metros. A conclusão desta etapa está prevista para julho de 2011. Para a segunda etapa está programada a construção de uma nova ponte de acesso, com extensão total de 1.500 metros de comprimento e 32 metros de largura. As medidas permitirão que a ponte possua uma pista de rodagem de dez metros de largura e a

passagem de uma tubovia, além de correias transportadoras de minério e grãos. Também serão contruídos mais dois berços de atracação, no sentido Noroeste, para operação de carga geral, contêineres e produtos siderúrgicos. A previsão é de finalizar a segunda etapa até 2016. Em 2002, quando iniciou suas operações, o porto de Pecém movimentou 386 mil toneladas de mercadorias e 30 mil TEU. Em 2010, esses volumes pularam para 3,1 milhões de toneladas e 168 mil TEU, respectivamente. Com a primeira etapa da expansão concluída, a perspectiva da administração portuária local é de movimentar 750 mil TEU já em 2011. Os números de 2010 mostram um crescimento na movimentação portuária de 64% em relação ao ano anterior. No período, Pecém foi utilizado por 529 navios, o que representa uma elevação de 16% em relação ao mesmo período de 2009, quando 458 navios utilizaram o porto cearense nas suas operações. Desde o início de março, o porto opera com uma alfândega da Receita Federal própria, que substituiu a Inspetoria que funcionava sob a jurisdição da alfândega do porto do Mucuripe (CE). www.cearaportos.ce.gov.br

QUEDA DE BRAÇO OPERACIONAL Porto de São Francisco do Sul se ressente com vantagens fiscais e burocráticas dos terminais privados om localização privilegiada, na fronteira entre os estados de Santa Catarina e Paraná, o porto de São Francisco do Sul não para de crescer. Com investimentos constantes, sua capacidade de receber navios de grande porte aumentou e a expectativa de futuras negociações intensificou-se. Porém, os dirigentes do porto advertem para a necessidade de considerar a qualidade de mão-deobra portuária. "Os portos públicos enfrentam problemas com o grande numero de TUPs (terminais de uso privativo) que vêm se instalando em nosso País, princi-

C

palmente próximos aos portos públicos, que acabam sofrendo com a concorrência desleal, haja visto que nesses TUPs não se utiliza mão-de-obra avulsa (sindicalizada), enquanto que no porto público isso é obrigatório. As tarifas dos TUPs são flexíveis, não têm agentes reguladores como no caso dos portos públicos. Desta forma, esses terminais conseguem trabalhar com equipamentos mais modernos, alcançando uma maior produtividade, menos custos e, conseqüentemente, maior retorno dos investimentos", alertam. O porto de São Francisco do Sul é tradicional expositor na Intermodal South America: este ano presti-

14 - Global ONLINE – Especial Intermodal 2011

gia a feira pela nona vez. "Queremos também divulgar a autarquia e trocar experiências com nossos pares comerciais", acrescentam os dirigentes do porto. Os dirigentes destacam que a produtividade local está diretamente relacionada às unidades de ship loaders, que garantem uma capacidade nominal de 3 mil toneladas/hora, e aos guindastes de última geração, do tipo MHC, que asseguram eficiência e produtividade superior a 45 movimentos/hora. O canal, de 180 metros de largura, está realizando obras de dragagem que concederão 14 metros de calado ao cais, com 1 km de extensão e área para armazenagem com capacidade para 400 mil toneladas de carga a granel e conteinerizada. "Também estamos realinhando um dos berços, de 150 metros para 278 metros", resumem. www.apsfs.sc.gov.br


Porto de Santos projeta reformas para surpreender usuários nas próximas décadas aior porto da América Latina e responsável por mais de 25% de todo o fluxo de comércio exterior do Brasil, o porto de Santos exibirá durante a Intermodal South America sobre a mobilização que vem implementando para condicionar sua megaestrutura às demandas crescentes. "Mostraremos as mais importantes obras realizadas e os futuros investimentos, no curto e no médio prazo", antecipa o diretor de Desenvolvimento Comercial do porto, W. Pedroso. Terá destaque, por exemplo, a dragagem dos trechos 1, 2 e 3, do canal externo até o Armazém 6, obra orçada em R$ 199,5 milhões que deverá ser finalizada em setembro deste ano. Esta obra compreende o aprofundamento do canal para 15 metros e o alargamento dos atuais 150 metros para 220 metros, possibilitando o tráfego de navios em mão dupla e um aumento de 30% na capacidade operacional do porto, tornando-o ainda mais atraente para novos negócios.

O executivo ressalta que o desenvolvimento do porto estará assegurado com as reformulações em andamento com estudos de crescimento que vem sendo desenvolvidos. "Com as informações disponíveis no mercado, no mínimo, acompanharemos a mesma evolução do PIB brasileiro", destaca, revelando que, em 2010, o faturamento do porto se aproximou dos R$ 610 bilhões, 12% superior aos R$ 536 bilhões de 2009. No ano passado, o volume de cargas movimentado pelo porto cresceu 15,4% em relação a igual período de 2009, saltando de 83,1 milhões de toneladas para 96 milhões de toneladas, de acordo com a Codesp (Companhia Docas do Estado de São Paulo). Durante 2010, o volume de importações totalizou 31,8 milhões de toneladas, 33,5% a mais que os 23,6 milhões movimentados em 2009. Já as exportações aumentaram 8,1% e somaram 64,1 milhões toneladas. Para este ano, a Codesp prevê superar a marca de 100 milhões de toneladas. www.portodesantos.com.br

LEIXÕES INVESTE NA RELAÇÃO COM O BRASIL

lhe Sul e áreas adjacentes. O projeto compreendeu a construção de terminal multiusos, um investimento de 19,5 milhões de euros; de um cais avançado do Molhe Sul, de uma rampa ro-ro com 26 metros de largura, de um novo cais perpendicular ao Molhe Sul e de outra rampa de acesso. A segunda obra consistiu na ampliação, em cerca de cinco hectares, do terrapleno do Terminal Multiusos, que funcionará como área de apoio. O porto também investe em um novo terminal para passageiros, entre vários outros projetos. A administração portuária também investe na criação de uma plataforma multimodal logística dedicada às cadeias de produção que podem aproveitar as vantagens do porto. www.portofleixoes.com

M

Porto português vem apresentar investimentos em expansão Porto de Leixões teve em janeiro de 2011 um dos melhores meses da sua história, batendo o recorde de movimentação em vários segmentos de mercadorias. Mais de 1,4 milhões de toneladas de mercadoria passaram por Leixões no primeiro mês deste ano, 320 mil toneladas mais (29%) do que em janeiro de 2010. Representando 25% do volume movimentado por modal marítimo de e para Portugal, Leixões chega a Receber 2700 navios por ano transportando todo tipo de carga.

O

Pela quarta vez como expositor na Intermodal South America, o porto de Leixões vem consolidar sua presença no Brasil e atrair um volume mais expressivo de cargas transitando entre os dois países. Em 2010 o porto de Leixões movimentou 14,5 milhões de toneladas e mais de 300.000 contêineres. A previsão para 2011 é aumentar em 5% o resultado da movimentação com contêineres.

INVESTIMENTOS Entre os principais projetos em curso no porto português está a recuperação e modernização do Mo-

Especial Intermodal 2011 – Global ONLINE - 15

Aeroportos, EADIs, Portos e Terminais

RUMO AOS 100 MILHÕES DE TONELADAS


Aeroportos, EADIs, Portos e Terminais

PORTO DE LISBOA CRESCE EM MOVIMENTAÇÃO Aumento foi 9,8% maior em dezembro de 2010 na comparação ao mesmo período de 2009 porto de Lisboa registrou um crescimento acumulado de quase 3% em quantidade de mercadorias movimentadas em 2010. Só em dezembro, o aumento foi de 9,8% em comparação ao igual período de 2009. Com resultados positivos ano a ano e o aumento acumulado de 150% em 2010 em tráfego fluvial, o porto de Lisboa firma-se como porta da Europa para as empresas das Américas, tanto pela sua posição estratégica frente ao Atlântico, pelos equipamentos disponíveis e agilidade nas operações e pelas vantagens na capilaridade de vias para distribuição das cargas pelo continente europeu. Durante a Intermodal, o porto aproveita a presença de mais de 40 mil visitantes para enfatizar as vantagens do complexo: melhor transit time da Europa para o Brasil e sua posição atlântica.

O

Os principais responsáveis pelo expressivo crescimento apresentado pelo porto foram os granéis sólidos (19,2% de aumento no último mês de 2010) e carga conteinerizada (9,4%). Em valores acumulados no ano, estes também foram os itens de maiores aumentos registrados: os volumes movimentados em granéis sólidos cresceram 6,2% e os de carga conteinerizada, 3,4%. Em relação à movimentação de carga conteinerizada, em dezembro houve aumento de 10,3% em TEU e de 11,5% no número de contêineres. Em termos acumulados, em 2010 movimentou-se mais 2,4% em TEU e 2,8% no número de contêineres. Isso se deve em grande parte à performance do Terminal de Contentores de Alcântara, que teve um crescimento acumulado de 13,8% em TEU e de 16% no número de contêineres. Na movimentação dos granéis sólidos, merece destaque o crescimento acumulado registrado pelo Terminal de Granéis Alimentares da Trafaria, com crescimento acima dos 35%. www.portodelisboa.com

BERÇO AMPLIADO EXPANDIRÁ OPERAÇÕES TECON Sepetiba projeta crescimento de 15% ao ano para o próximo qüinqüênio ste ano começou bem para o Terminal de Contêineres de Sepetiba: o volume de contêineres movimentados em janeiro foi 56% superior em relação ao mesmo período do ano anterior. "O crescimento está influenciado pelo acréscimo das importações, transbordos e cabotagem. Em 2010 o volume de contêineres de importação aumentou em 45,9% em relação a 2009", diz o diretor comercial da empresa, Marcelo Procópio Silva. Parte do Grupo CSN e maior terminal de contêineres do Estado do Rio de Janeiro, o Sepetiba Tecon, localizado no porto de Itaguaí (RJ), conta com 400 mil metros quadrados de área total, dois berços de contêineres e um berço de carga geral. Está equipado com quatro portêineres post-panamax, dois guindastes móveis com capacidade 100 toneladas, dois RTGs e quatorze reach stackers. Em 2010 movimentou 196,3 mil contêineres – aumento 27,4% em unidades em relação aos 154,1 mil

E

16 - Global ONLINE – Especial Intermodal 2011

contêineres operados em 2009. Ao todo, 492 navios porta contêineres escalaram o terminal no ano passado. Para este ano, o terminal quer manter o ritmo de crescimento. "Em uma economia tão dinâmica como a brasileira, com o ciclo virtuoso que aparentemente se inicia, as inúmeras oportunidades de incremento de produtos conteinerizáveis e a potencial mudança de modal rodoviário para o marítimo, acreditamos em um crescimento no volume de contêineres de no mínimo de 15% ao ano, pelos próximos cinco anos", estima Procópio Silva. A meta da empresa será possível por meio de investimentos em pessoal, treinamento, aquisição de equipamentos (novos reach stackers) e o alinhamento do berço 301, que terá o comprimento de cais linear aumentado de 540 metros para 810 metros, informa o executivo. Para Procópio, a abertura de novos negócios e o crescimento do fluxo de comércio internacional certamente beneficiará o terminal, gerando aumento de volume de carga, empregos e investimentos. "Ganha o terminal, ganha o cliente, ganha o Brasil", avalia. www.csn.com.br


Santos Brasil demonstrará alta tecnologia e vantagens do novo serviço de entregas Santos Brasil tem uma parceria de longa data com a Intermodal. Na edição de 2010, apresentou sua nova identidade visual e estrutura de marcas, que inclui o Tecon Santos (SP), o Tecon Imbituba (SC), o Tecon Vila do Conde (PA) e a Santos Brasil Logística. Este ano, apresentará na prática como funciona a integração porto-a-porta. "A empresa é a única companhia do setor a oferecer a solução completa, do porto ao transporte de distribuição", explicam os dirigentes da empresa. Durante a feira, demonstrará, por exemplo, a operação da Mercedes-Benz: a Santos Brasil recebe as peças no porto, armazena no centro de distribuição em São Bernardo e envia para linha de produção conforme a demanda da montadora. Conforme informações divulgadas pela empresa, a possibilidade de estreitar relacionamentos e contatos com os públicos de interesse do setor são diferenciais de feiras do porte da Intermodal. "Acreditamos que seja uma oportunidade de mostrar a um público qualificado todo o escopo de atuação da companhia, cuja abrangência é nacional. A Santos Brasil está crescendo no Brasil e visa também projetos em outros países do Mercosul.Por este motivo é importante para estarmos presente em um evento deste porte", observam os dirigentes. Uma das maiores operadoras de contêineres do Brasil, a Santos Brasil está presente em três portos brasileiros e atende todas as etapas da cadeia logística. O volume operado nos terminais administrados pela Santos Brasil (Tecon Santos, Tecon Imbituba e Tecon Vila do Conde) cresceu 30,2% em 2010, na comparação ao ano anterior, batendo a marca de 1,4 milhão de TEU. O volume armazenado nos terminais operados pela companhia chegou a 182,9 mil contêineres, o que representa crescimento de 53,1%, na comparação com o dado de 2009. Também houve evolução do volume operado no Terminal de Veículos (TEV), que encerrou 2010 com 72,5% de ampliação dos serviços prestados. O desempenho no TEV foi influenciado, principalmente, pelo maior fluxo de importação de veículos em relação ao ano anterior, impulsionado pelo crescimento da economia brasileira.

A

Foto: Divulgação

Por ser uma empresa de capital aberto com ações na bolsa de valores, a corporação não pode fazer projeções. Contudo, diante do vigoroso crescimento de volumes em 2010 e da tendência positiva para 2011, a Santos Brasil estima para este ano, um EBITDA de R$ 407 milhões – alta de 24% na comparação com 2010. Com relação à movimentação, a expectativa é bater a marca de 1, 6 milhão de TEU, ou seja, ampliar em 13,0 % o volume movimentado no cais, considerando todos os terminais portuários operados pela companhia. Ainda para 2011, a Santos Brasil prevê ainda investimentos de R$ 138 milhões, sendo a maior parte direcionada a obras de expansão em Imbituba e aquisição de novos equipamentos portuários para operação em Santos. A finalização do berço de atracação em Imbituba está prevista para o primeiro semestre deste ano.Em 2010 a Santos Brasil registrou receita líquida de R$ 865,5 milhões, alta de 31% frente os R$ 660,8 milhões de 2009. www.santosbrasil.com.br Especial Intermodal 2011 – Global ONLINE - 17

Aeroportos, EADIs, Portos e Terminais

PORTO-A-PORTA: UM DIFERENCIAL DE PESO


Serviços para Comércio Nacional e Internacional

NOVA MARCA DOS SIMÕES Grupo Julio Simões divulgará marca JSL e projetos futuros a Intermodal South America deste ano, o Grupo Julio Simões Logística mostrará seu trabalho, seus cases e novidades implementados nas operações. Divulgará ainda algumas de suas principais ações: capital aberto, a nova marca – JSL, consolidação como uma das maiores do setor, a construção de um centro logístico intermodal e as operações na distribuição urbana. "A partir de agora somos uma única empresa de logística que passa a atuar com a filosofia do ‘entender para atender’", explicou o diretor presidente da JSL, Fernando Antonio Simões, na ocasião do lançamento da nova marca. Em termos de receita líquida, a JSL é o maior provedor de Serviços Logísticos (PSL) do Brasil, no modal rodoviário. A companhia iniciou suas atividades em 1956 e hoje tem um dos mais completos portfólios de serviços do setor, conta com uma frota de mais de 23 mil equipamentos próprios, 120 filiais e cerca de 14 mil colaboradores diretos. De acordo com informações divulgadas pela empresa, a estratégia operacional da JSL é oferecer serviços

N

Foto: Divulgação

diversificados, que sejam complementares às operações de seus clientes e lhes propiciem uma vantagem competitiva relevante em relação aos concorrentes, de acordo com suas necessidades. Esta característica permite identificar oportunidades de cross-selling. Os ganhos de produtividade e eficiência e a redução de custos proporcionados com esse modelo de negócio resultam em relações comerciais de longa duração. Nos últimos cinco anos, a companhia não só manteve seus maiores clientes, como aumentou a receita em todos eles. Atualmente a empresa movimenta frota de 23 mil veículos, sendo 7 mil caminhões e carretas. Como empresa de capital aberto, a JSL não divulga estimativas de crescimento, mas as perspectivas são favoráveis, adiantam os dirigentes. Nos últimos 10 anos, o grupo teve um crescimento médio anual de 26%. www.jsl.com.br

NOVIDADES EM EMBALAGENS Sanwey apresenta seus big bags na Intermodal 2011 articipando da Intermodal South America pela segunda vez, a Sanwey espera conseguir o mesmo volume de contatos e de prospecções para novos negócios que obteve na estreia. "A Sanwey esta no mercado há 27 anos, fornecendo big bags e soluções logísticas para o setor, atuando na movimentação de granéis, especialmente para os setores alimentícios, químicos, petroquímicos, minérios, produtos perigosos e resí-

P

duos contaminados", relata o portavoz da empresa, André Maziero. Nesta edição do evento, a empresa apresenta as versões de big bags para exportação. "Estamos em constante desenvolvimento de embalagens que possam trazer economia de espaço e melhor estufagem de contêineres, otimizando a cadeia logística e melhorando o desempenho nas exportações", comenta Maziero. "Trabalhamos com embalagens especiais com homologação marítima para

18 - Global ONLINE – Especial Intermodal 2011

transporte de produtos perigosos, em especial de ferro-ligas e derivados, que estão em crescente demanda do mercado asiático. Assim, acreditamos em um incremento dos negócios", avalia. A Sanwey alcançou um bom resultado comercial ao longo de 2010. "Foi superior ao de 2009, consequência da adoção de novas políticas comerciais e foco em modelos mais complexos para clientes especiais, trabalhando forte em embalagens homologadas", explica. "Para este ano, acreditamos na manutenção da boa fase e crescimento, com uma média de 10%", estima. www.sanwey.com.br.


Ceva Logistics quer crescer e consolidar sua marca nas operações domésticas om a perspectiva de manter um crescimento entre 13 a 15% nos próximos anos, tendo como prioridade os serviços de transporte doméstico nacional, desembaraço aduaneiro e consolidar a marca nos setores de tecnologia e automotivo, a Ceva Logistics buscará novos parceiros e clientes durante a Intermodal South America. "Entendemos que a Intermodal é uma excelente vitrine. A marca CEVA é relativamente nova no mercado e a Intermodal é uma ótima oportunidade de exposição e de apresentar ao mercado os serviços que oferecemos. Em 2011, continuaremos a reforçar a CEVA como uma empresa global, que oferece serviços logísticos integrados", comenta o vice-presidente de Desenvolvimento de Negócios e Marketing da CEVA Logistics, Wagner Covos. Este ano a Ceva apresentará na Intermodal uma solução de transporte aéreo, o Gateway Brasil. O serviço consiste em consolidar o transporte de cargas de uma determinada origem para um destino específico. "Este é uma forma que apresenta muitas vantagens para os clientes, como espaço garantido nas remessas, taxa fixa, operações exclusivamente em aeronaves de carga e centralizadas no Aeroporto de Viracopos (SP), com equipe dedicada e as menores tarifas de mercado", detalha o executivo. Covos diz que o Brasil é um dos mercados mais importantes para a CEVA porque apresenta ambiente muito favorável para os negócios: economia robusta, parque industrial sólido e PIB em alta. "China e

C

Oriente Médio são outros locais de atenção de investimentos em nossa empresa. Em geral, vemos uma melhora no cenário mundial e uma tendência muito positiva na retomada das exportações de produtos industrializados", detalha. No Brasil, a CEVA conta com 8,5 mil funcionários, nove filiais distribuídas pelo País, 50 operações in house e gerencia cerca de 430 mil m2 de área de armazenagem. Entre seus clientes estão companhias líderes de diversos setores automotivo & pneus, tecnologia, industrial, varejo & bens de consumo e energia. Uma das líderes de movimentação de produtos industrializados, a CEVA consagrou-se no mercado oferecendo design e implementação da cadeia de suprimentos em contratos logísticos e gerenciamento de fretes, individuais ou combinados. "A companhia possui em sua rede global unidades em mais de 170 países e mais de 46 mil funcionários, todos dedicados em entregar soluções consistentes", observa Covos. O executivo explica que antecipar as etapas do processo de exportação e adequar os acordos com terminais portuários e retro-portuários, assim como portos secos e EADIs, e diluir os riscos operacionais da importação, utilizando diversos armadores em serviços diferentes, são alguns dos mais importantes diferenciais estratégicos da operadora logística. "Também nos favorece a estratégia de utilizar mais navios de projetos ou multi-purposes, ao invés de transportar altos volumes de containers concentrados numa única embarcação, assim como a utilização de um número maior de armadores, visto que a CEVA trabalha e possui contrato com todos os armadores que servem a costa brasileira na navegação de longo curso", conclui. www.br.cevalogistics.com

Foto: Divulgação

Especial Intermodal 2011 – Global ONLINE - 19

Serviços para Comércio Nacional e Internacional

MERCADO BRASILEIRO EM EVIDÊNCIA


Serviços para Comércio Nacional e Internacional

CONQUISTANDO A ÁSIA IJS Global prepara-se para crescer 50% nos próximos três anos ste ano a IJS Global apresentará na Intermodal South America o sistema online de visibilidade dos embarques de carga, que fornece informações e apoio em tempo real sobre o andamento de cada operação. A companhia é uma multinacional holandesa e iniciou as operações de agenciamento de cargas em 2004, nos Estados Unidos. Hoje, a rede de escritórios e parcerias está em mais de 80 países no mundo. O aumento das movimentações de carga entre Brasil e a Ásia é motivo de grande expectativa para a IJS, pois é um dos maiores destinos na exportação praticados pela empresa. "Ásia e Europa são mercados compradores potenciais", revela a executiva da companhia, Luiza Horta. No ano passado, os resultados superaram as estimativas do grupo: "Aumentamos 30% nossos negó-

E

cios devido ao crescimento de demanda dos produtos brasileiros", adianta. Para o futuro, a empresa se prepara para crescer 50% nos próximos três anos e, para isso, conta com que as melhorias necessárias no setor sejam concretizadas: "Acreditamos que principalmente a infraestrutura portuária e aeroportuária precisariam de maiores investimentos", aponta Luiza. A filosofia de negócio da companhia, de acordo com Luiza, baseia-se nos requisitos e exigências do cliente, construindo soluções simplificadas, nas quais, "a vantagem comercial significativa e a eficácia podem ser alcançadas por meio de operações personalizadas", explica. "Oferecemos serviços totalmente monitorados internamente, com acesso imediato a toda operação IJS (sistemas, tecnologia, instalações e pessoal especializado). Nosso portfólio de serviços e aplicações logísticas permite a escolha da solução que mais se adéqua às necessidades do cliente, no transporte aéreo, marítimo e rodoviário, nacional e internacional, coleta e entrega a nível mundial, desembaraço aduaneiro, seguro internacional e projetos especiais", enumera Luiza. www.ijsglobal.com

URUGUAI MAIS PRÓXIMO DO BRASIL Instituto de promoção comercial uruguaio participa da Intermodal 2011 para promover as vantagens estratégicas do país recente visita do presidente do Uruguai, José Mujica, ao País e a inauguração do Espacio Uruguai, em São Paulo, iniciativa do Banco de la República Oriental del Uruguay, são indicativos do interesse do país no mercado brasileiro. "A importância do Brasil, conjuntamente com os fortes laços políticos, culturais, econômicos e comerciais que tem caracterizado a relação bilateral das nossas nações ao longo dos séculos, fez deste país, a sede indiscutível para esta nova experiência de intercâmbio e cooperação, apostando a estreitar os vínculos internacionais do Uruguai", afirmou o presidente uruguaio. É nessa toada que o URUGUAY XXI – Instituto de Promoción de Inversiones y Exportaciones participa da Intermodal 2011 para promover o país como um hub de distribuição e de serviços no continente.

A

20 - Global ONLINE – Especial Intermodal 2011

O Brasil é o principal parceiro comercial do Uruguai – detém 19% das importações uruguaias, mas vem perdendo espaço para a China, que saltou de 10,7% em 2007 para 14% em 2010. A corrente de comércio entre os países atingiu US$ 3,1 bilhões, um crescimento médio de 18,2% ao ano desde 2005. Superavitário para o Brasil até 2009, o saldo comercial no último ano foi favorável ao país vizinho em US$ 43 milhões. Os principais itens da pauta exportadora brasileira são os manufaturados, como automóveis – 20,1% do total vendido; máquinas e materiais elétricos (11,1%) e máquinas e instrumentos mecânicos (8,4%). Do lado das importações, os principais produtos consumidos do Uruguai são cereais (30%), plástico e suas obras (10,3%) e produtos da indústria de moagem (9,6%). www.uruguayxxi.gub.uy


deugro reforçará networking durante a Intermodal para expandir sua expertise pelo Cone Sul

mentação de cargas. "A deugro poderá se beneficiar com os serviços de cabotagem", exemplifica, uma vez que este serviço atende a longas distâncias e apresenta custos atrativos.

CONSOLIDAÇÃO

Foto: Divulgação

ara a deugro, há muitos mercados a conquistar em toda a América Latina e uma das portas de acesso é a Intermodal South America. A operadora logística especializada na movimentação de grandes volumes já tem presença consolidada no Brasil, onde tem escritórios em São Paulo e Rio de Janeiro, e uma base no Chile. A empresa participa da feira pela terceira vez, para reforçar seus contatos. "O maior retorno do evento está vinculado ao networking. Em relação à Intermodal 2010, gostaria de destacar a crescente profissionalização do evento", comenta a gerente da empresa no Brasil, Carina Hart. O foco deste ano na feira, diz a executiva, "será o crescimento na América Latina". E esta missão tem respaldo na expertise de mais de mais de 80 anos da multinacional. Carina esclarece que a deugro planeja investir em possíveis parcerias com serviços de apoio à movi-

P

Segundo a executiva, 2010 foi o ano da consolidação da marca no Brasil e o crescimento dos negócios aumentaram 25% o faturamento em relação ao resultado de 2009. Deste ano em diante a empresa anuncia uma meta de crescimento de 10% ao ano. Hoje os mercados internacionais com maior potencial de demandas para a empresa são a China, Índia, Estados Unidos e Alemanha. Carina comenta que a contenção nas importações praticada atualmente por grandes potências mundiais, como Estados Unidos e Europa podem prejudicar a evolução dos fluxos no comércio exterior, "pois fazem com que apenas haja fluxo de mercadorias (transportes) em uma direção". A gerente conta que a Deugro tem 85 anos de experiência, sendo especializada na gestão logística de projetos industriais de larga escala, EPC e Turn Key. Conta com mais de 50 escritórios localizados estrategicamente em 30 países, possui mais de 800 funcionários especializados no setor de Project Forwarding Heavy Transport (transporte de cargas extra-pesadas). "Entre os principais serviços oferecidos pela Deugro, destaca-se: logística internacional e serviços de gestão de cargas de projetos, transporte especializado e estudos de viabilidade ao transporte de cargas superpesadas e sobredimensionadas", detalha. www.deugro.com

NOVA ASSOCIAÇÃO DE FREIGHT FORWARDERS MARCA PRESENÇA NA INTERMODAL 2011 ssociação internacional de pequenos e médios freight forwarders, com 220 escritórios em 82 países, a MarcoPoloLine espera na Intermodal South America ampliar as conexões com armadores, freight forwarders, exportadores e importadores na América do Sul.

A

Em 2010, os associados da MarcoPoloLine transportaram 100.000 TEU e movimentaram mais de 5.000 toneladas no modal aéreo. Para este ano, a entidade registrar volumes 10% superiores, já considerando o Brasil como participante e a Intermodal South America como um facilitador. www.marcopololine.com Especial Intermodal 2011 – Global ONLINE - 21

Serviços para Comércio Nacional e Internacional

A VEZ DA AMÉRICA LATINA


Serviços para Comércio Nacional e Internacional

INVESTIMENTO EM MODERNIZAÇÃO Novo terminal da Deicmar em Santos permitirá a atracação simultânea de dois navios ro-ro companhando as obras que transformarão o porto de Santos em um megacomplexo portuário, a Deicmar aguarda a autorização da Codesp (Companhia Docas do Estado de São Paulo) e da Antaq (Agência Nacional de Transportes Aquaviários) para executar um plano de expansão do seu terminal portuário à altura dos projetos locais, com investimentos de R$ 170 milhões, que prevê a duplicarão da atual área de armazenagem da companhia, possibilitando a atracação simultânea de dois navios ro/ro nos novos berços. A empresa divulgará detalhes da proposta durante a Intermodal South América 2011 e apresentará os detalhes do novo conceito operacional que está adotando em suas atividades, denominado de "Cadeia Logística Limpa".

A

Os dirigentes da empresa acreditam que o Brasil hoje é um importante participante do cenário econômico mundial, porém, o nível de intercâmbio comercial com os demais países ainda é muito pequeno. "Acreditamos que a internacionalização das empresas brasileiras, processo que está em andamento, contribuirá para oportunidades significativas em diversos mercados", ressaltam. Para isso, a Deicmar vem se preparando e sua meta é de crescer, em média, 7% ao ano nos próximos cinco anos. "Em 2010, faturamos R$ 170 milhões; em 2009, R$ 125 milhões. O ano de 2009 foi marcado da crise financeira internacional, quando as exportações brasileiras de veículos recuaram quase 50% em relação a 2008. Já em 2010, além da recuperação das exportações de automóveis, tivemos o aumento no volume de veículos importados", informam os dirigentes da Deicmar. www.deicmar.com

TECNOLOGIA VERDE PARA MOVIMENTAÇÃO DE GRANÉIS Equipamento de descarga antipoluição é destaque da Pronave na Intermodal equilíbrio entre o impacto de operações portuárias e a preservação ambiental passou a ser uma das metas da Pronave – Agentes de Comércio Exterior ao longo dos 17 anos de atividades. A empresa desenvolveu um equipamento de descarga de granéis sólidos com sistema antipoluição, devidamente avalizado pelas autoridades ambientais, que efetua a operação sem gerar poeira. A tecnologia será exibida pela empresa durante a Intermodal South America. A Pronave também promoverá o mais novo armazém, em fase de construção com capacidade de 10 milhões de toneladas (2.000m2), localizado ao lado do porto de São Sebastião (SP). A companhia é especializada em operações portuárias e efetua toda logística de carga e descarga para qualquer tipo de mercadoria, com sede no Porto de São Sebastião (SP).

O

22 - Global ONLINE – Especial Intermodal 2011

Do grupo Pronave fazem parte as coligadas Suma Assessoria Técnica Aduaneira, que desde 1982 oferece serviços de liberação de mercadorias, a C.L.A (Companhia de Logística e Armazenagem), responsável pela logística, transporte e manutenção dos equipamentos que a Pronave utiliza; a Kajiya & Gross, destinada a comercializar mercadorias tanto na importação quanto na exportação; e a Tecnoporto Tecnologia Ambiental Portuária, que tem como objetivo desenvolver novas tecnologias para melhorar a operação portuária e proteger o meio ambiente. "Esta é a terceira vez que a Pronave participa da Intermodal. Nosso objetivo é preservar nosso posicionamento no mercado e realizar novos negócios", objeta a representante do departamento Financeiro do grupo, Suzane Gross. A executiva diz que o faturamento da empresa cresceu 20% em relação a 2009 por conta de novas cargas que foram movimentadas no porto de São Sebastião. www.pronave.com.br


EGA Solutions reconhece a Intermodal South America como pólo de oportunidades para estabelecer novos contatos comerciais Intermodal South America é uma grande vitrine que proporciona contatos novos e atualiza contatos atuais". Esta é a definição mais completa para a Intermodal South America, na visão do sócio–presidente da EGA Solutions, Eduardo Assumpção. A empresa participa do evento pela terceira vez, animada com as possíveis projeções. "Vários negócios se desenvolvem a partir deste relacionamento, e sempre colhemos bons frutos com este evento", diz. "Nossa especialidade é desenvolver desenhos logísticos alternativos e buscar melhorias continuas com custos altamente flexíveis, levando sempre em conta a particularidade de cada cliente, de cada negócio, de cada região e de cada tipo de carga", especifica Assumpção. "Como estamos em todos os portos, podemos canalizar as melhores alternativas para cada um dos clientes que atendemos", detalha. Assumpção admite que sempre que o volume dos portos estiver aquecido os negócios da EGA serão automaticamente beneficiados. O dirigente informa que, em 2010 a EGA conseguiu um resultado excepcional: "faturamos R$ 25 milhões. Como nossa empresa iniciou as atividades em março de 2009, o crescimento foi muito alto, mais de 250%", avalia o executivo. Para 2011, Assumpção

A "

mantém o mesmo ânimo comercial: "Vamos crescer 30% este ano, preservando nosso padrão atual de serviços e qualidade. Um grande projeto esta por acontecer e, se isso ocorrer, podemos até triplicar nossos resultados", adianta, sem revelar detalhes. Para os próximos anos, acredita, a tendência é de continuidade da expansão da economia mundial: "As potências paralisaram momentaneamente seus negócios, mas o mundo não pode mais parar. Isso significa que o que veremos daqui para frente será uma evolução. Os recuos serão isolados", analisa. No entanto, o executivo adverte que o que poderá comprometer o setor nos próximos anos é a gritante falta de mão-de-obra qualificada. "Há falta de profissionais qualificados neste segmento de logística, e os que estão disponíveis, mesmo que empregados, estão hipervalorizados, mesmo sem ter tanta experiência", diz. Hoje integram a EGA Solutions profissionais com mais de 28 anos de experiência em shipping, armazéns gerais, recintos alfandegados e transporte rodoviário. "Somos o primeiro NTO (Non Terminal Operator) do Brasil. O executivo ressalta que a atividade da EGA é inovadora, criativa e próxima dos anseios do Mercado que busca qualidade, eficiência e flexibilidade em custos e modais. "Vale a pena nos conhecer", finaliza. www.egasolutions.com.br

EM DEFESA DOS DESPACHANTES Sindasp anuncia novas bases operacionais resença constante da Intermodal South America desde sua inauguração, o Sindasp (Sindicato dos Despachantes Aduaneiros de São Paulo) acredita que o evento proporcione reconhecimento e a credibilidade do despachante aduaneiro. De acordo com o presidente da entidade, Valdir Santos, o sindicato apresenta no evento as estruturas nos aeroportos internacionais de Guarulhos e Viracopos e também o início das atividades em São José dos Campos, no Estado de São Paulo. Em 2011, o Sindasp completará 62 anos de atividades e trabalhos em defesa dos direitos e interesses

P

da classe "Durante a Intermodal estaremos de portas abertas para esclarecer dúvidas, principalmente, com relação aos honorários dos despachantes aduaneiros e, também, incentivar o crescimento do comércio exterior", comenta Santos. O presidente se ressente da atual condição do despachante aduaneiro: "Observamos no último ano um total descontrole e desrespeito com o profissional do comércio exterior. Muitas empresas querem avaliar o despachante aduaneiro como custo-Brasil ou custo supérfluo. Entretanto, o despachante aduaneiro é o elo mais fácil, rápido e seguro para movimentar cargas de importação e exportação", avalia. www.sindaspcg.org.br Especial Intermodal 2011 – Global ONLINE - 23

Serviços para Comércio Nacional e Internacional

FEIRA DE OPORTUNIDADES


Serviços para Comércio Nacional e Internacional

RASTREAMENTO NA WEB Moeda lança serviço online para clientes acompanharem a movimentação da carga odas as novidades que tragam desburocratização, simplificação e agilidade nas rotinas alfandegárias têm um impacto positivo para as operações da empresa Moeda Agenciamento de Cargas. Na Intermodal South America, mostrará a novidade incorporada aos seus serviços: o sistema de rastreamento via web, com atualizações online que permite saber em tempo real a situação dos embarques. Participando pela segunda vez do evento, a empresa destaca as oportunidades que a feira proporcionou no ano passado: "Conhecemos executivos que tomam decisões em grandes empresas da área de comércio exterior, aumentando a nossa participação em concorrências e fortalecendo parcerias com os grandes players do mercado", comenta a gerente de Negócios da Moeda, Flávia Roberta Buchedid Vasquez Soares.

T

A empresa tem como uma de suas prioridades a informação em tempo real. "Entendemos que a informação tende a ser o maior ativo nas empresas. Pensando assim, nosso sócio-diretor, José Lopes Vazquez, fará uma palestra dia 6 de abril no Intermodal Solutions Fórum sobre as principais alterações nos Incoterms", anuncia a executiva. Para este ano, a agenciadora também reserva algumas novidades para divulgar no evento. "Durante o ano de 2010 investimos em software, pessoal e capacitação para dobrar o número das nossas operações e o fluxo de cargas, sempre focando a agilidade nos processos com a otimização da produtividade. Em 2010 o faturamento foi 30% acima de 2009. Atribuímos o aumento dos resultados à recuperação da crise no final de 2008 e início de 2009, e ao investimento que a Moeda tem feito em fortalecer parcerias estratégicas", explica. Em 2011, a empresa planeja investir em VUCs (Veiculos Urbanos de Cargas) e novos mercados compradores: "Nossos grandes compradores ainda são os "vizinhos" do Mercosul, a América Latina em geral e Estados Unidos", finaliza a executiva. www.moeda.com.br

O DESIGN QUE A LOGÍSTICA PRECISA ECL Engenharia apresenta seu portfólio de edificações portuárias esperado aumento de fluxo das exportações e o recente incremento das importações demandarão novos e eficientes terminais portuários. Avaliando as possibilidades comerciais que brotam desse nicho de mercado, a ECL Engenharia apresenta na Intermodal South America uma gama variada de empreendimentos que vem realizando em diversos portos brasileiros. De acordo com o gerente comercial da construtora, Ubiratan Lintz, a companhia tem expertise na área da construção portuária e é capaz de fazer obras elaboradas, com custos atrativos. A companhia vem destacado-se pela inovação de conceitos de fundações em armazéns graneleiros, por exemplo. "Fomos escolhidos para executar as fundações da cobertura do cais da Rumo Logística, projeto excepcional e inovador que permitirá o embarque de açúcar em dias de chuva. Serão 250 metros de cais coberto com uma cobertura em balanço de 120 metros, com 60 metros de altura", detalha o gerente da ECL Engenharia.

O

24 - Global ONLINE – Especial Intermodal 2011

Outros megaprojetos estarão expostos no estande da empresa durante a Intermodal, entre eles a ampliação do Terminal de Contêineres do porto de Santos (SP), que acrescentará mais 250 metros ao píer para a atracação de navios classe panamax, além da expansão do armazém XVII também no porto santista, que receberá um armazém graneleiro, com capacidade para 60 mil toneladas. A empresa também é responsável pelas obras no corredor de exportação do porto São Francisco do Sul (SC). Os portos brasileiros vivem um momento de transformação para atender às exigências globais de transporte marítimo. Uma delas é a redução do calado. A crescente demanda por soluções técnicas para obras de rebaixamento de calado, que não interfiram nas operações do terminal, levaram a ECL engenharia a desenvolver uma solução específica, na qual são aplicadas estacas metálicas do tipo lock seal – projeto que também será exibido no evento. Fundada na área de construção civil em 1981, a ECL tem crescido, em média, 30% nos ultimo cinco anos. "Nosso faturamento em 2010 foi de R$ 100 milhões e de 2011 previsto é de R$ 140milhões", revela Lintz. www.eclengenharia.com.br


Gate Express retorna à Intermodal pronta para conquistar novos mercados

Foto: Divulgação

epois de dois anos ausentes da Intermodal South America, a Gate Express volta a prestigiar o evento pronta para contribuir com o crescimento do País e com o fortalecimento das instituições de comércio exterior brasileiro. "Ao longo dos anos em que estivemos presente, a feira nos proporcionou projeção institucional e negócios. Além dos negócios que são fechados com os clientes durante a Intermodal, destacamos também a presença de visitantes internacionais interessados em formar parcerias de representação", destaca o diretor geral e sócio-fundador da Gate Express, Geraldo Giardino Moura. Este ano, Moura adianta que a empresa divulgará novos serviços na área de armazenagem, como o novo hub em Vitória (ES), prestes a ser inaugurado, além de novas parcerias internacionais. O executivo comenta, ainda, a importância do evento como mecanismo para debater e, conseqüentemente, superar as deficiências do setor: "Precisamos, por exemplo, de uma melhoria na estrutura logística brasileira que permita maior fluidez nas operações e diminua o custo Brasil, para que nos tornemos um país competitivo e conseqüentemente surjam mais negócios", avalia, explicando que toda política

D

de incremento de negócios de comercio exterior é bem vinda, mas precisa, necessariamente, estar acompanhada de investimentos na estrutura logística nacional. "Caso contrário viveremos novamente um caos nas operações aeroportuárias", prevê. Com capital 100% brasileiro, a companhia deu início às atividades de agenciamento de cargas internacionais em abril de 1990. Ao longo de 21 anos, a Gate Express solidificou sua atuação no segmento e hoje possui 12 escritórios próprios em grandes cidades brasileiras, onde trabalham 140 funcionários. A sede da empresa fica em Alphaville (São PauloSP), onde se localiza um dos armazéns da companhia, com 4 mil metros quadrados, equipado com 5 mil posições pallets. "Nossa divisão de transportes conta com uma frota nova de 30 equipamentos, totalmente rastreados para transportes de contêineres e carga solta. São veículos destinados especialmente para atender os clientes que operam na cadeia completa". Até 2014, a Gate pretender crescer 20% ao ano. "Nosso resultado do ano passado foi positivo, com expressivo crescimento alavancado, principalmente, pela forte reestruturação da empresa e pelos novos serviços de armazenagem e distribuição", revela Moura. www.gateexpress.com.br Especial Intermodal 2011 – Global ONLINE - 25

Serviços para Comércio Nacional e Internacional

DE VOLTA AO FUTURO


Serviços para Comércio Nacional e Internacional

TECNOLOGIA EVOLUI COM A DEMANDA Prevendo expansão, Grupo Rentank anuncia construção de fábrica de estruturas para galpões om a participação em três edições da Intermodal South America, a Rentank fortaleceu sua relação com as empresas do setor, aumentando sua visibilidade e realizando novos negócios junto às operadoras logísticas. "A Intermodal de 2010 foi muito rica em novos contatos e tivemos o fechamento de um contrato com uma empresa do ramo logístico", comenta a representante do departamento de marketing da empresa, Monica Jesus. Este ano, a empresa anunciará a inauguração de uma fábrica, ainda no primeiro semestre deste ano, já prevendo um aumento de demanda para seus produtos. O Grupo Rentank também prepara sua expansão para atuar diretamente no mercado Norte e Nordeste e deve lançar outra linha de produtos, a ser divulgada oportunamente. O Grupo Rentank contempla empresas brasileiras voltadas para o desenvolvimento de soluções nas áreas de transporte, processo e armazenamento de produtos para todos os segmentos industriais e agro-

negócio, que atuam no mercado há quase 20 anos. Fornece galpões estruturados com cobertura em lona vinílica ou telhas metálicas, para armazenagem de produtos com avançado sistema de engenharia e acessórios de linha. "Nossos produtos apresentam modelos econômicos, variando frontais de 10 a 40 metros, além do maior pé-direito do mercado", relata a executiva. Mônica acrescenta que a Rentank também atua no mercado com contentores do tipo IBC em aço inoxidável, aço carbono e polipropileno, para transporte e armazenagem de produtos líquidos, pastosos, perigosos ou não, nas áreas química, alimentícia, farmacêutica, cosmética e de tintas. "Atuamos também no ramo de petróleo, com a locação de produtos para a logística e o transporte de produtos entre as bases de terra e as plataformas offshore", destaca. "Como a atual política econômica do País prevê o aumento da produção, seremos beneficiados", observa, apontando os países da América Latina como potenciais clientes da Rentank. www.rentank.com.br

PRESENÇA BELGA

nológicas e de serviços. Teremos também a ilustre visita do ministro-presidente da região de Flandres, Kris Peeters, além da presença inestimável dos presidentes de nossos três portos", antecipa Mieke. A FIT Agency, agência do governo flamengo, e as empresas da região dispõem de tecnologia e knowhow logístico de ponta, mundialmente reconhecidos. "Esperamos com isso obter uma crescente participação no atendimento a esta demanda por serviços logísticos diferenciados, de qualidade e a um preço competitivo. A localização dos nossos portos é uma grande vantagem, realmente estamos na porta de entrada para Europa", diz a conselheira, lembrando que as empresas logísticas da região de Flandres atuam no mundo todo enquanto os portos locais possuem diversas rotas que atendem aos mercados asiáticos em prazos curtíssimos. "Para as empresas e portos de Flandres, não há distâncias que não possam ser vencidas com a maior rapidez, o melhor serviço logístico e com preços competitivos", observa. www.flandersinvestmentandtrade.com

C

FIT Agency traz ao mercado nacional empresas de logística da região portuária do país o longo de uma década de participações na Intermodal South America, a Bélgica, por intermédio de seus portos e empresas logísticas da região de Flandres, estabeleceu e aprofundou diversas parcerias com empresas brasileiras. No ano passado, por exemplo, 15 empresas da região portuária do país participaram do estande Flanders Port Area, que recebeu mais de 1, 5 mil visitas, conta a conselheira econômica e comercial da FIT Agency (Flanders Investment & Trade), Mieke Pynnaert. A surpresa para este ano é o número recorde de integrantes do grupo. "Além dos portos de Antuérpia, Ghent e Zeebruge, serão 23 empresas logísticas, tec-

A

26 - Global ONLINE – Especial Intermodal 2011


Comex Online lança sistema de desembaraço de bagagem e importação, para pessoa física Comex Online está prestes a viver sua primeira experiência como expositor da Intermodal South America. A empresa traz para o evento novidades no segmento de desembaraço de carga. A empresa dividirá seu estande com a Plancoex, parceira na prestação de serviços. "Comex Online e Plancoex fecham parceria para atuar no segmento de bagagem internacional e divulgarão um novo acordo durante a feira", anunciam as empresas, em nota. A Comex apresentará um novo sistema que otimiza os serviços de desembaraço de bagagem desacompanhada e de importação, para pessoa física. A empresa mostrará também um novo sistema de gestão de importação e exportação e disponibilizará aos seus clientes o acompanhamento de seus processos, em tempo real. "Também divulgaremos cursos e treinamentos com desconto para matrículas efetuadas na feira", destacam os diretores. A estreia da empresa na feira está recheada de expectativas. Uma delas é conhecer melhor os

A

procedimentos burocráticos do despacho aduaneiro. "Ajudaria-nos conhecer as políticas de financiamento ao Comércio Exterior, principalmente financiamento à exportação para pequenas e médias empresas assim como tomar conhecimento da política de comércio exterior voltada a serviços", citam. A Comex Online investe em tecnologia de informação, sobretudo em sistemas de gestão de comércio exterior e acesso via Web aos processos dos clientes, procurando acompanhar o ritmo de crescimento de seu segmento. "Em 2010 houve um aumento significativo de 70% no faturamento da empresa comparado a 2009. Acreditamos que isso tenha se dado devido à crise financeira nos Estados Unidos nesse ano de 2009, o que derrubou muito as negociações que foram retomadas em 2010 e continuam aquecidas em 2011", adiantam. A previsão para 2011 também é positiva: a Comex Online estima crescer a uma taxa de 35% ao ano, sobretudo na assessoria aduaneira. www.comexonline.com.br

CRESCIMENTO ROBUSTO

lhões, contra R$ 72 milhões em 2009. "Nossa principal medida para atender um aumento expressivo em nossa demanda de serviços é preparar-nos internamente, formando e reconhecendo talentos, e investir fortemente em tecnologia com sistemas logísticos de última geração, oferecendo o que há de melhor e mais moderno para que nosso cliente tenha acesso e controle ao serviço que é prestado", destaca. A Exata oferece serviços e soluções logísticas para empresas de todos os setores e portes. "Isso inclui armazenagem, distribuição e gestão logística, entre muitos outros serviços sob medida e on demand. Nesse contexto trabalhamos com parceiros que nos possibilitam oferecer serviços em todo o País", observa Pastorello. Os principais setores atendidos pela empresa são telecomunicações, eletromecânica, eletroeletrônico, alimentos, beleza e saúde, editoras e serviços. No mercado desde 1998, a empresa opera em todo o Brasil e conta com 15 centros de distribuição nos principais estados. www.exatalogistica.com.br

Fortalecimento da marca Exata Logística está vinculado aos sistemas logísticos de última geração ão doze anos respondendo como braço logístico do Grupo Arex. Nesse período, a Exata Logística evoluiu, reforçou seu conhecimento em logística de cargas rodoviárias e participa pela terceira vez consecutiva da Intermodal South America para reforçar o contato com seus habituais clientes e prospectar novos negócios. Para o diretor geral da empresa, Maurício Pastorello, o evento é importante para estreitar o relacionamento com clientes e fortalecer a marca como provedor e parceiro de soluções logísticas. "A feira nos abre portas e fortalece nossa marca como provedor logístico", analisa. A expectativa de crescimento da Exata para 2011 é de 30%. O faturamento em 2010 foi de R$ 85 mi-

S

Especial Intermodal 2011 – Global ONLINE - 27

Serviços para Comércio Nacional e Internacional

DESEMBARAÇO SIMPLIFICADO


Serviços para Comércio Nacional e Internacional

QUALIFICAÇÃO QUE NÃO PODE FALTAR SENAI se prepara para atender intensa demanda do setor por profissionalização de mão-de-obra Intermodal traz uma visão ampla do que está acontecendo na área de logística no Brasil e no mundo. A afirmação é do analista de desenvolvimento industrial do Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial), Júlio Augusto Zorzal dos Santos. "A feira em 2010 nos trouxe a oportunidade de apresentarmos a entidade como provedora de serviços em educação profissional e consultoria na área de logística", afirma. Criado em 22 de janeiro de 1942, pelo então presidente Getúlio Vargas, o Senai surgiu para atender a uma necessidade premente: a formação de mão-de-obra para a incipiente indústria de base. Já na ocasião, estava claro que sem educação profissional não haveria desenvolvimento industrial para o País. De 1942 a 2009 foram capacitados 50.281.487 alunos. "Quando pensamos no desenvolvimento industrial brasileiro, pensamos nos grandes centros produtores, mas falamos também dos milhares de empreendimentos que brotam pelo País e que constituem futuros centros industriais", comenta. O analista chama a atenção para um problema crescente em diversos segmentos da indústria e de

A

serviços quanto à aplicação de mão-de-obra. "A falta de mão de obra qualificada é um dos problemas enfrentados pelas empresas em todos os segmentos do mercado. Faltam técnicos qualificados para este atendimento. Para auxiliar nessa procura e preocupado com o desenvolvimento adequado das empresas, o SENAI vem ampliando sua atuação no mercado com educação profissional e consultorias especializadas, investimentos em infraestrutura e desenvolvimento de novas competências em seu quadro de colaboradores", revela. No evento, o Senai fornecerá detalhes da sua atuação em todo o País oferecendo produtos, serviços e soluções de consultoria na área de logística e tecnologias para o desenvolvimento de uma logística adequada para as empresas. "Nossa expectativa é de crescimento nesta área, com o desenvolvimento dos Centros de Referência em Logística, atuando de uma forma proativa, apresentando para as empresa soluções adequadas, equipe especializada. São muitas as opções de cursos e serviços que certamente ampliarão os resultados de negócios das empresas", relata Santos. www.sp.senac.br

SALTO PARA O NORDESTE

na divisa com o Paraná e fronteira com a Argentina. "Dionísio Cerqueira é, por terra, o ponto mais próximo entre Buenos Aires e São Paulo. Já contamos com autorização da Anvisa e dos Bombeiros, além de completa estrutura para os motoristas, com pátio cercado e monitorado 24h", informa a empresa. Para o Grupo Nelson Heusi, a Intermodal sempre propiciou muitos contatos com possíveis parceiros. "Percebemos que o aumento do número de expositores em 2010 trouxe maior visibilidade ao evento, beneficiando a todos os participantes, tanto aos expositores quanto aos visitantes", divulgou em nota, acrescentando que a Nelson Heusi Logística Internacional, empresa do grupo especializada em comercialização de fretes internacionais e nacionais, também terá novidades: "A previsão da empresa é superara o crescimento planejado para 2011", revele a empresa. O grupo planeja crescer 30% ao ano pelos próximos 10 anos. No ano passado, a expansão foi de 36%. www.nelsonheusi.com

Grupo Nelson Heusi investe em terminal no porto de Suape tendendo o mercado por intermédio de escritórios em Itajaí, Navegantes, Joinville, São Francisco do Sul, Florianópolis, Imbituba e Dionísio Cerqueira, em Santa Catarina, e em Curitiba e Paranaguá, no Paraná, o Grupo Nelson Heusi está expandindo suas atividades rumo ao Nordeste, onde recentemente abriu uma filial em Recife (PE). A nova unidade será um dos destaques da empresa durante a Intermodal South America. No mercado desde 1933, a Comissária Nelson Heusi também mostrará na Intermodal 2011 uma gama de novos recursos na sua filial de Dionísio Cerqueira (SC). Entre eles, um novo armazém, aumentando a competitividade da empresa no oeste de Santa Catarina. A sede fica a apenas 600 metros da Aduana,

A

28 - Global ONLINE – Especial Intermodal 2011


DC Logistics chega a novas capitais ainda este ano rescer no competitivo mercado de soluções logísticas para o segmento de transporte de cargas, nos modais marítimo, ferroviário ou rodoviário, passou a ser a palavra de ordem da DC Logistics este ano. A participação na Intermodal consolida a proposta da empresa, que estará no evento pela primeira vez desde sua fundação, em 1994. A operadora quer mostrar aos seus clientes que conhece muito bem esse segmento, suas demandas e suas alternativas. Ao longo de 16 anos no mercado, formatou sua expertise no atendimento às demandas pontuais. Estará na feira divulgando sua expansão na rede de atendimento e reforçando a marca DC Logistics do Brasil. A empresa abriu duas novas filiais em Porto Alegre (RS) e Manaus (AM), além das unidades próprias que possui em Itajaí (SC) e Curitiba (PR), e pretende inaugurar, em 2011, unidades em Vitória (ES) e no Rio de Janeiro (RJ). A perspectiva de crescimento para este ano é a mesma em relação aos últimos meses. "Estamos investindo para que possamos evoluir. Temos muito

C

DOIS EM UM Fiscosoft lança sistema que integra ERPs e softwares de gestão em comércio exterior Fiscosoft traz à Intermodal South America duas novidades para o setor: a integração de ERPs e softwares de gestão em comércio exterior, que oferece mais segurança aos aspectos tributários e administrativos de operações, e um novo módulo de auxílio à classificação fiscal de mercadorias, com serviços personalizados para este segmento. "Nossos clientes verão nosso ComexData aprimorado para melhor atender profissionais da área de comércio exterior e questões aduaneiras e tributárias", anuncia a gerente de Marketing da empresa, Patricia Kisse. A executiva comenta que participar da feira é fundamental no fomento de novos negócios. "Estamos vi-

A

espaço para crescer e vamos utilizá-lo da melhor maneira possível", destaca o diretor geral, Ivo Mafra. Ele diz que a empresa, de Itajaí (SC), teve um crescimento de 50% no volume de negócios e 20% no quadro de colaboradores, hoje com mais de 100 pessoas.

SOLUÇÕES FACILITADORAS Mafra comenta que ao longo dos anos a empresa vem acumulando uma gama de soluções facilitadoras para movimentação de cargas em geral. Além do transporte door-to-door, a DC Logistics Brasil desenvolve soluções para carga projeto. "Atualmente a empresa está trabalhando no transporte de um molde para fabricação de iates de 80 pés, que será o maior modelo fabricado pela Schaefer Yachts, em Palhoça (SC). A carga saiu de Livorno, na Itália, no final de fevereiro, com destino a Itajaí. Com 30 toneladas, a carga possui 24,5 metros de comprimento, 6,5 metros de largura e cinco metros de altura", conta Mafra. Em paralelo à expansão, a DC Logistics mantém seus esforços voltados também para a preservação do meio-ambiente. Para 2011, a empresa elaborou diversos planos que serão implantados na unidade em Itajaí. "A principal ideia é transformar a matriz em um espaço sustentável", finaliza Mafra. www.dclogisticsbrasil.com

vendo grandes transformações e adequações. O mundo globalizado e competitivo desperta a necessidade de investimentos vantajosos como a Intermodal, oportunidade que as empresas têm de participar de uma grande feira de negócios", define. Há 12 anos no mercado brasileiro, a Fiscosoft vem desenvolvendo produtos e soluções para a área fiscal de comércio exterior e prestando serviços de consultoria tributária, fiscal e trabalhista/previdenciária. "Há três anos resolvemos expandir nossos serviços, criando o ComexData, um produto flexível e dinâmico, que visa atender as necessidades dos clientes de forma personalizada. É um produto específico para a área de comércio exterior, focado na tributação incidente nas operações de importação e exportação e na legislação aduaneira, desenvolvido com diferenciais tecnológicos", explica a executiva. "E a Intermodal nos proporciona a captação das tendências do mercado, e aproveitamos esta percepção para moldar nosso produto, de forma a acompanhar essa evolução", conclui a executiva. www.fiscosoft.com.br Especial Intermodal 2011 – Global ONLINE - 29

Serviços para Comércio Nacional e Internacional

NOVOS DOMÍNIOS


Serviços para Comércio Nacional e Internacional

DUPLA EFICIENTE Itatrans Agility divulga nova estrutura de serviços, que gerou crescimento de 40% no volume de negócios o ano passado, o Grupo Agility havia recém adquirido a empresa Itatrans e a participação na Intermodal South America 2010 foi fundamental para mostrar ao mercado a nova estrutura de serviços e o alcance mundial da Agility. "Foi uma ótima oportunidade para divulgarmos nossa nova identidade aqui no Brasil", diz o CEO da Itatrans Agility Brazil, Ricardo Sapag. A fusão entre as empresas se fortaleceu e os resultados alcançados serão apresentados aos clientes durante a Intermodal deste ano. "Mostraremos o resultado da integração da Itatrans na network mundial da Agility, que propiciou um aumento de volume de negócios acima de 40% em 2010 bem como a abertura de um departamento de projetos", adianta o executivo.

N

EM BUSCA DE PARCERIAS PM Despachos quer ampliar rede de atendimento e consolidar a marca no mercado objetivo principal da PM Despachos Aduaneiros para este ano é compor parcerias. A empresa já tem uma estrutura bastante sólida e a qualidade dos seus serviços é conceituada no mercado de agenciamento de cargas internacionais. Mas as crescentes demandas nesse segmento diante de um oportuno momento econômico não deixaram que seus dirigentes pensassem duas vezes. Esta é a proposta que a empresa traz para a Intermodal South America: A captação de novos parceiros, principalmente na região Sul do País, onde tem forte presença comercial, além do estreitamento das relações com seus clientes e a conquista de novos mercados. "Queremos explorar novas parcerias com armazéns, empresas de logística, agentes de carga, transportadores, despachantes etc.", resumem os dirigentes. Para suportar as exigências do crescimento acima de 20% previsto para 2011, a PM Despachos Adua-

O

30 - Global ONLINE – Especial Intermodal 2011

Sapag diz que a Agility é muito forte na Ásia, em especial na China. "Nossa estrutura de armazenagem e distribuição doméstica no país foi montada com aquisições de grandes empresas de transporte rodoviário chinesas e que hoje propiciam aos nossos clientes uma capilaridade de distribuição em pontos onde nossos concorrentes têm muita dificuldade para atender", relata. Além dos mercados tradicionais onde a Agility tem intensa atuação (Ásia, Estados Unidos e Europa), a empresa também tem forte presença em todo o Oriente Médio. "Mantemos operações no Afeganistão e no Iraque, além de muitos outros países tais como Kuwait, Arábia Saudita e Emirados Árabes, entre outros", diz Sapag. A empresa está no Brasil desde 1921, operando nos setores de fretes aéreos e marítimos (importação e exportação), despachos aduaneiros, transportes rodoviários, armazenagem e projetos. Sapag diz que a expectativa de crescimento para este ano é muito grande: "Aqui no Brasil crescemos mais de 40% em 2010, e planejamos um crescimento em 2011 de mais de 20%. No ano passado faturamos no Brasil ao redor de R$ 370 milhões", revela. www.itatrans.com.br

neiros está investindo na área técnica, estrutural e especialização de pessoal. "Para que esse crescimento esteja garantido é importante que sejam utilizados os portos da região sul e as fronteiras rodoviárias da região sul e centro-oeste do Brasil, nossa área de atuação", esclarecem. Conforme informações fornecidas pela empresa, a PM Despachos Aduaneiros está no mercado há 16 anos e opera em três frentes principais: despachos aduaneiros, representação de transportes internacionais e agenciamento de fretes rodoviários internacionais, com presença em todas fronteiras rodoviárias entre o Chuí/RS e Cáceres/MT e em todos portos marítimos e aeroportos entre Paranaguá/PR e Rio Grande/RS. Conta com mais de 85 colaboradores e temos unidades próprias em Uruguaiana /RS (matriz), São Borja/RS, Itajaí/SC, Navegantes/SC e São Francisco do Sul/SC e escritórios comerciais em Porto Alegre/RS e São Paulo/SP. Sem revelar resultados pontuais, os dirigentes apenas enfatizam que nos últimos anos os negócios da empresa têm sido excepcionais. "Um dos principais fatores do aumento gradativo de faturamento na empresa foi o aquecimento das importações", explicam. www.pmdespachos.com.br


Revendedora e locadora de equipamentos apresentrará novo modelo de comercialização tuando no segmento de locação de empilhadeiras de grande porte para contêineres, assistência técnica especializada 24 horas e reformas em geral, a Brasmaq vem pela segunda vez consecutiva à Intermodal com uma proposta inovadora para o setor: apresentar uma concessionária de equipamentos de grande porte voltada ao setor logístico portuário. Os detalhes do lançamento serão apresentados na feira, adianta o gerente Comercial da marca, Ederson Ruiz. O executivo lembra que a participação da Brasmaq na edição anterior foi bastante positiva: "Tivemos um retorno muito bom no sentido de aparecer como prestador de serviço e fornecedor de equipamentos e peças no setor portuário nacional", resume. Ruiz esclarece que o principal objetivo da Brasmaq é realizar um atendimento personalizado no setor de locação de Reach Stackers, reformas e vendas de peças. "Hoje possuímos mais de 25 equipamentos (Reach Stacker) operando na região de Itajaí/SC. A Brasmaq está a

A

mais de oito anos no mercado. Ruiz conta que na Intermodal de 2010 a Brasmaq teve a oportunidade de conhecer melhor seus concorrentes e outros expositores de equipamentos para movimentação de carga portuária, ação fundamental para definir melhor o posicionamento da marca nesse segmento. A receita para o crescimento, reflete o executivo, é a "renovação constante da frota de equipamentos, com tecnologia de ponta". O ano de 2010, com a recuperação das operações marítimas internacionais, os negócios da Brasmaq deslancharam e alcançaram um expressivo aumento de 30% no faturamento em relação a 2009. "O governo brasileiro precisa achar uma solução urgente para a situação do câmbio e ajudar as empresas brasileiras na sua competitividade", defende. "Caso contrário, seremos, em pouco tempo, um produtor de commodities, vendendo para o mundo inteiro a nossa riqueza a preço de banana, e importando produtos com valores agregados, gerando empregos fora do Brasil", completa. www.brasmaqlocacoes.com.br

Q.I. ACIMA DA MÉDIA

as novidades que todos os anos trazemos para o evento", destaca a executiva, acrescentando que um evento desse porte é possível ter contato com tudo, não só com clientes e prospects. "É uma oportunidade para ver tendências, descobrir novos regimes e legislações, participar de discussões nesse sentido, observar a concorrência. É muito comum aparecerem oportunidades de parcerias para explorar novos mercados, por exemplo. É possível até, no meio de toda essa efervescência, surgirem idéias para novos produtos", avalia. A gentente tem planos de desenvolver este ano um grande ecossistema de parceiros, composto de três modalidades: indicação, prospecção e implementação. "A idéia é que esse ecossistema trabalhe em conjunto, formando uma rede colaborativa. A projeção é de que até o final do ano multipliquemos por dez nosso número atual de parceiros", explica, eles ganham pontos que podem ser trocados a qualquer tempo por benefícios e prêmios. A executiva demonstra uma grande preocupação com o engajamento de sua equipe e esse será um marco em 2011, ano em que completamos 25 anos. "Queremos que os funcionários tenham boa qualidade de trabalho e se sintam recompensados e participantes do sucesso da empresa", finaliza. www.ecomex.com.br

New Soft Intelligence usa sinergia global para alavancar negócios esta edição da Intermodal, a NSI – New Soft Intelligence quer demonstrar o quanto a empresa está fortalecida e com grande penetração em todo o País. A empresa cresceu 94% em faturamento somente no ano passado, com um volume de negócios 28% superior. Para este ano, quando completará 25 anos de atividades, pretende prosseguir no mesmo ritmo de crescimento acelerado. "Nossa lavoura foi bem semeada e acreditamos em uma colheita farta. Para 2011, a projeção é de crescimento de 20% da carteira e de 50% de faturamento", anuncia Valquíria Coelho, gerente comercial e de marketing da NSI. "A Intermodal tem nos proporcionado visibilidade e prospecção de contatos junto a um público qualificado, de profissionais atuantes e interessados em realizar negócios com parceiros sérios e comprometidos com o desenvolvimento do comércio exterior. Além disso, tem sido um espaço para recebermos clientes da NSI de todo o País para trocarmos idéias e compartilharmos

N

Especial Intermodal 2011 – Global ONLINE - 31

Serviços para Comércio Nacional e Internacional

UMA CONCESSIONÁRIA DE EQUIPAMENTOS


Transporte Ferroviário

ESSE TREM VAI LONGE Em cinco anos, a ALL pretende dobrar o volume de negócios ALL – América Latina Logística trabalha para crescer a uma média anual acima de 10% e, para isso, vem desenvolvendo estratégias para a captação de novos negócios na ferrovia. Em 2011, deverá investir R$650 milhões no aumento da capacidade de transporte e outros R$300 milhões na construção da ferrovia entre Alto Araguaia e Rondonópolis (MT), na região Centro-Oeste. O crescimento constante é uma das bandeiras da ALL. Seus dirigentes prevêem que nos próximos cindo anos a concessionária dobre o tamanho de negócio, somando-se as operações do novo trecho ferroviário no Centro-Oeste e as da empresa Rumo Logística, na área de açúcar, que engloba investimento previsto de R$1,2 bilhão, aplicados em via permanente, pátios, vagões, locomotivas e terminais. Destinada ao transporte de açúcar a granel e derivados, a Rumo prevê movimentar 9 milhões de toneladas de açúcar em 2013. Maior companhia ferroviária do Brasil, a ALL possui hoje uma malha de 21.300 mil quilômetros de extensão, que abrange os estados do Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, no Brasil, e nas regiões de Paso de los Libres, Buenos Aires e Mendoza, na Argentina. Opera uma frota de 1.095 locomotivas, 31.650

A

32 - Global ONLINE – Especial Intermodal 2011

Foto: Divulgação


TROCA DE MODAL Uma das estratégias para aumentar sua atual receita, segundo os diretores da companhia, é convencer grandes indústrias a trocar o caminhão pelo trem. Isso inclui projetos para operações de transporte de aços longos, laminados e ferro gusa, assim como para vagões e locomotivas adequados (este último, em sua maioria, em parcerias de longo prazo com os principais players do mercado). Paralelamente, a companhia desenvolve projetos logísticos de médio e longo prazo, como a criação da Brado Logística, empresa que tem como meta tornar-se um player importante no segmento de logística de contêineres. "A nova empresa investirá

NOVA E FORTALECIDA Fruto da união entre a ALL e a Standard, a Brado Logística divulgará seu sólido know-how operacional erá a primeira vez que a Brado Logística participa da Intermodal South America, ainda que suas fundadoras, a Standard Logística e a divisão de contêineres da ALL–América Latina Logística sejam tradicionais freqüentadoras do evento. Criada em dezembro de 2010, esta será uma oportuna ocasião para se apresentar ao mercado. "A Intermodal é uma ótima ocasião para expor nossa gama de serviços, apresentar nossas novidades para toda cadeia logística e atender os nossos clientes. Ao longo dos anos, tanto a Standard quanto a ALL puderam mostrar para o mercado as melhores soluções e serviços de qualidade. Esperamos que, em 2011, como Brado Logística, tenhamos o mesmo proveito e satisfação", resume o diretor Financeiro da empresa, Alan Fuchs. A Brado Logística tem como meta intensificar as operações no mercado de contêineres, aliando vantagem de custos e qualidade nos serviços. Possui seis

S

em terminais e na expansão da capacidade ferroviária, com o objetivo de replicar no Brasil um modelo bem sucedido em outros países, onde a participação de mercado das ferrovias no segmento de contêineres é superior a 50%", informou a empresa em nota. A Brado espera investir R$1 bilhão nos próximos cinco anos para alcançar uma participação de mercado total de aproximadamente 12% no volume de contêineres movimentados nos portos servidos pela ALL (veja matéria da Brado Logística nesta edição). No ano passado, a ALL registrou um crescimento de volume de carga de 10,8%, chegando a 43,1 bilhões de TKU (toneladas por quilômetro útil transportadas). Este resultado foi impulsionado por um forte desempenho operacional, ganhos em participação de mercado em um cenário favorável de exportação no Brasil, além de consistente expansão no segmento de produtos industriais intermodais. www.all-logistica.com

complexos logísticos (Esteio, Itajaí, Colombo, Cambé, Cubatão e Bauru) e onze Terminais Intermodais (Cruz Alta, Esteio, Uruguaiana, Cambé, Cascavel, Guarapuava, Curitiba, Araucária, Porto Alegre, Tatuí e Alto Taquari) e oferece aos seus clientes excelência no transporte ferroviário de contêineres reefer e dry, agregando serviços de inteligência logística em armazenagem, distribuição, transporte rodoviário e terminais de contêineres. "Vamos apresentar as principais vantagens competitivas da companhia oferecidas a partir da junção de sinergias da Standard, que possui grande experiência como operadora de cargas frigorificadas pela ferrovia e o know-how da ALL no transporte ferroviário", comunica o executivo. "Pretendemos investir R$ 1 bilhão nos próximos cinco anos em material rodante (locomotivas e vagões) e também novos terminais para atender outras rotas. Assim, poderemos absorver a crescente demanda com redução de custos no transporte terrestre, por meio das ferrovias, favorecendo as atividades de comércio exterior no Brasil. Para nós, todos os mercados são importantes, pois estamos focados no transporte de cargas até o porto, onde a mercadoria pode ser direcionada para qualquer localidade ou país", destaca Fuchs. www.bradologistica.com.br Especial Intermodal 2011 – Global ONLINE - 33

Transporte Ferroviário

mil vagões e 650 veículos rodoviários, entre próprios e agregados, e conta com unidades localizadas em pontos estratégicos para embarque e desembarque de carga.


Transporte Aéreo

NOVO DOOR-TO-DOOR AÉREO Com o lançamento do novo serviço Brabox, Bringer Cargo amplia leque de operações mercado de carga aérea internacional experimenta momento de intenso crescimento. A Bringer Cargo Brasil conhece bem as necessidades dos clientes desse setor, a quem atende há mais de 15 anos, e é presença permanente na Intermodal South America desde o início da feira. A Intermodal, dizem os diretores, auxilia a revelar novos segmentos de mercado, que podem gerar parcerias para expandir rotas de atuação. Para esta edição do evento, a Bringer trouxe algo a mais. Apresentará o Brabox, um novo serviço de envio de encomendas, com toda a documentação legalizada e entrega direta ao cliente. A empresa observa com atenção a evolução de mercados novos, como o asiático, por exemplo. "Já estamos investindo no mercado asiático e nas Américas

O

há algum tempo. Trabalhamos na modernização da empresa, apresentando estratégias para atender as exigências do setor", revelam os dirigentes. E a razão é uma só: "Todos os mercados mundiais são importantes para a atividade de transporte aéreo", justificam. Acompanhando a ebulição econômica brasileira, a Bringer Cargo conseguiu aumentar 15% seu faturamento em 2010 na comparação com 2009. Com os resultados dos novos trabalhos previstos para este ano, a empresa avalia a possibilidade de crescer 20% em 2011.

TRÊS DÉCADAS A Bringer está há 30 anos no mercado de transporte aéreo internacional, Hoje opera com dois vôos semanais diretos, dos Estados Unidos para Vitória (ES), Curitiba (PR) e Porto Alegre (RS). Além disso, a empresa opera como GSA da China Air Lines. A Bringer Cargo do Brasil está estabelecida no País há mais de 15 anos. www.bringercargo.com.br

FORÇA GERMÂNICA DA LOGÍSTICA Novas soluções para Oil & Energy são o destaque da DHL Global Fowarding na Intermodal participação constante na Intermodal South America, desde o seu início, abriu portas para que a DHL Forwarding se aproximasse dos atuais e futuros clientes, criando um ponto de encontro único. No ano passado, por exemplo, a multinacional de origem alemã recebeu em seu estande um número recorde de visitantes – entre eles, um amplo público de clientes potenciais. "A Intermodal é, sem dúvida, o principal evento de nosso setor. Dessa forma, a confluência entre clientes, fornecedores, concorrência e demais players do mercado é vital para nossa atualização e, consequentemente, para a melhoria de nossos serviços", resumem seus dirigentes. Durante o evento serão mostrados os tradicionais produtos para o setor de transporte de cargas aéreas e marítimas, desembaraço aduaneiro, projetos industriais e transporte de perecíveis. Seguindo o planejamento global de divulgação, a empresa apresentará durante o evento a sua equipe

A

34 - Global ONLINE – Especial Intermodal 2011

Foto: Divulgação

de Oil & Energy, que divulgará as principais soluções desenvolvidas para o setor. A companhia também quer mostrar como vem investindo em fatores pontuais que agregam excelência à qualidade dos serviços, como os programas First Choice, que desenvolve importantes revisões de processos pela da metodologia DMAIC (Six Sigma), e o GoGreen, de proteção ao meio ambiente. A DHL Global Forwarding pertence ao grupo Deutsche Post DHL, que faturou 51,5 bilhões de euros em 2010, um aumento de 11,4% em relação à receita de 2009. www.dhl.com


Transporte Aéreo

CRESCIMENTO CONSOLIDADO

Foto: Divulgação

Jadlog anuncia investimentos de R$ 16 milhões este ano Intermodal South America é uma oportunidade para a JadLog expor ainda mais sua marca e toda a sua experiência no segmento de logística de cargas expressas fracionadas. Essa é a opinião do presidente da empresa, Ronan Hudson. A feira se tornou um ponto de encontro com parceiros, clientes (muitas vezes do ramo de transportes) e franqueados JadLog. "As chances de se fechar negócio na Intermodal são maiores, pois o momento é propício e o contato muitas vezes é realizado com executivos que tomam decisões", comenta Hudson. A empresa iniciou 2011 divulgando mais um excelente resultado registrado no ano anterior, no qual faturou R$ 205 milhões, número superior em 90% do faturamento de 2009, que foi de R$ 106 milhões. "O expressivo crescimento, conquistado também por conta da aquisição de contratos antes operados por outra empresa do Grupo JAD, foi 40 pontos percentuais acima do esperado, já que a meta de crescimento estabelecido pela empresa no início do ano passado era de 50%", relata o dirigente. "Motivados pelo contínuo sucesso desde a fundação da empresa, a JadLog espera manter a curva da receita ascendente em 2011, alcançando R$ 260 milhões de faturamento, o que vai significar 40% de crescimento até o final do próximo mês de dezembro", acrescenta.

A

INVESTIMENTOS Da mesma forma que registrou aumento de faturamento, a JadLog também elevou a quantidade de encomendas coletadas e enviadas durante o ano passado, grande parte resultado do crescimento das operações de e-commerce. Em 2010 foram 4,6 milhões de volumes. No período anterior o índice foi de 3,3 milhões. O período registrou intenso movimento de eletroeletrônicos, peças automotivas e produtos têxteis. De acordo com Ronan Hudson, a companhia espera em 2011 conquistar clientes e intensificar as operações que já fazem parte do portfólio. Para sustentar esta expectativa, a empresa anuncia que investirá R$ 16 milhões este ano, sendo R$ 10 milhões para a aquisição de veículos novos e R$ 6 milhões na área de Tecnologia da Informação. A JadLog está no mercado desde 2005 e hoje já é uma das maiores empresas de logística e transportes de cargas expressas fracionadas do País. Possui frota composta por 28 aviões de 1,5 toneladas de capacidade, mais de 200 caminhões e carretas e 1600 utilitários, além de 800 veículos de franqueados. Atende todas as cidades brasileiras através de suas 460 franquias instaladas em todas as capitais, distrito federal e principais cidades brasileiras. www.jadlog.com.br Especial Intermodal 2011 – Global ONLINE - 35


Transporte Aéreo

EMBARQUES MAIS SEGUROS Lufthansa Cargo destacará a preservação da segurança na logística do transporte aéreo ara a Lufthansa Cargo, o principal retorno ao participar da Intermodal South America é o comentário positivo dos clientes da empresa em poder recebê-los pessoalmente, no estande, proporcionando um contato mais informal e direto com a equipe interna de vendas. Na edição deste ano da feira, a companhia destaca os investimentos contínuos que vêm sendo realizados para preservar a segurança e a garantia dos embarques e de toda a logística de transporte. A empresa tornou-se autônoma do Grupo Lufthansa em novembro de 1994, reflexo da importância do setor de transporte aéreo e logística. A companhia está entre as maiores transportadoras de cargas aéreas do mundo, empregando mais de 4.600 funcionários, focada no serviço "aeroporto-a-aeroporto". De janeiro a dezembro do ano passado, a Lufthansa Cargo movimentou 18,5 mil toneladas, o que representou um aumento de 37% em relação ao mesmo período do ano anterior. O load factor (nível de ocupação) foi de 95%, alta de 4% em relação ao mesmo período de 2009. A retomada do mercado após crise mundial de 2009 foi um dos grandes motivos deste resultado, segundo a com-

P

panhia. A expectativa de crescimento para os próximos anos segue de acordo com as tendências de mercado. A atual frota mundial da Lufthansa Cargo é formada por 18 M1F, mais de 300 aeronaves passageiras além da frota da Swiss (72), 6 74F com Jade e 7 77F com Aerologic, que atendem a mais de 500 destinos em todo o mundo. No momento, a empresa não tem previsão de renovação da frota. www.lufthansa-cargo.com

Foto: Divulgação

MAIS CONCORRÊNCIA NO CÉU Com dois anos de operação, Rio Linhas Aéreas se destaca entre players de carga aérea Rio Linhas Aéreas realizou o primeiro voo em julho de 2009, portanto alçamos os céus há apenas 18 meses e já possuímos a maior frota cargueira do Brasil", festeja executivo da companhia, Mauro Ricardo N. Martins. A empresa oferece serviços de fretamentos diversos, sendo, conforme informações divulgadas, o principal fornecedor de soluções aéreas para os Correios, além de atuar junto ao Banco Central. A empresa tem fôlego e anunciou para este ano a inclusão de dois Boeing 767-200F e o lançamento da malha própria da empresa. A Rio disponibiliza atualmente uma aeronave cargueira Boing 727-200F. "A

A "

36 - Global ONLINE – Especial Intermodal 2011

Rio, como empresa brasileira de alta adequabilidade, estará preparada a atuar em quaisquer mercados, se assim a necessidade se oportunize", adianta o executivo, destacando, além do Brasil, as Américas como mercado atrativo. Na visão de Martins, nos próximos anos, a Rio Linhas Aéreas deverá ver seus resultados multiplicados por cinco. diz. "Isto demonstra nossa confiança e capacidade de investimento, sempre acreditando no Brasil", afirma, revelando que Em 2010, a empresa ultrapassou os R$ 90 milhões de faturamento, com crescimento de 700% frente a 2009. "Credibilidade e capacidade de investimento foram determinantes", destaca. "Estamos muito bem estruturados e prontos a responder ao mercado sempre que as necessidades demandarem", completa o representante da empresa que estreia na Intermodal South America. www.voerio.com


UPS lança serviços de entregas em sintonia com a preservação ambiental lém de conceder visibilidade à marca UPS, a Intermodal South America também traz novos negócios para a empresa, tanto na divisão Supply Chain como no de Remessas Expressas. Esta é a razão pela qual a UPS do Brasil participa, pela sexta vez, do evento. "Temos a preocupação constante em investir em serviços e tecnologias para atender cada vez mais as necessidades de nossos clientes. Nesse ano, quem passar pelo espaço da UPS na Intermodal poderá conferir várias novidades", revela a gerente de marketing da UPS do Brasil, Kátia Tavares. Entre as novidades estão o UPS Import Control, um serviço de controle de remessas expressas que evita atrasos na liberação e multas, o UPS Carbon Neutral, antes restrito a clientes dos Estados Unidos, que oferece a opção de pagar uma pequena taxa para calcular e compensar as emissões de carbono associadas às suas remessas, o Serviço de crédito para importação de produtos de inventário e o UPS Worldship, um sistema que oferece a todos os clientes UPS das divisões de Freight Forwarder (Supply Chain Solutions) e Courier a possibilidade de processar tanto embarques de carga quanto envio de remessas

A

expressas, centralizando tudo que é enviado em um único sistema. Kátia destaca que a empresa, hoje, oferece muito mais do que seus tradicionais serviços de entrega de pacotes, fornecendo fluxos de novas receitas para seus acionistas e laços mais fortes com seus clientes. "A UPS tem grande experiência, infraestrutura e tecnologia para gerenciar o comércio global – sincronizando o fluxo de bens, informações e fundos para seus clientes. Investindo mais de US$ 1 bilhão por ano em novos sistemas e tecnologias", diz a executiva. No Brasil, a UPS trabalha com 10 centros de operações. Somados aos centros dos agentes da companhia, Jadlog e Rodoar, o número chega a 345. Possui 13 escritórios espalhados pelas principais capitais brasileiras e o hub da empresa fica no Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas. A UPS atende 14 dos 21 maiores aeroportos brasileiros, e possui operações estabelecidas em 12 portos, com frota própria de 74 veículos (frota agregada: 1000) e dois aviões Boeing 767 (com oito frequências de voo semanais). Os serviços da UPS se estendem a mais de 220 países e territórios e as entregas somam 15,1 milhões de pacotes e documentos diariamente. A receita de 2009 excedeu $45,3 bilhões de dólares com volume de entregas de 3,8 bilhões de pacotes e documentos no ano. www.ups.com

Foto: Divulgação

Especial Intermodal 2011 – Global ONLINE - 37

Transporte Aéreo

EVOLUÇÃO SUSTENTÁVEL


Transporte Aéreo

CONEXÃO DIRETA ENTRE LISBOA E PORTO ALEGRE Quatro vôos semanais farão a conexão direta entre Brasil e Portugal ela magnitude do evento, nossa presença na Intermodal South America proporciona grande retorno na mídia especializada. Em 2010, por exemplo, apresentamos nossa rota com voos diretos Lisboa e Viracopos, que alcançou grande sucesso", afirma o gerente de carga da TAP Cargo Brasil, Pedro Mendes. Este ano, a novidade da empresa de maior impacto para o mercado brasileiro será o lançamento da linha Lisboa e Porto Alegre (RS) operada com quatro vôos semanais diretos, previstos para iniciar em meados de junho. "Com esta nova rota, passaremos a ser a única empresa aérea internacional a atender 10 cidades brasileiras com voos diretos para a Europa, algo inédito até mesmo para as empresas nacionais", observa. A TAP Portugal opera desde 1945, contando com um hub em Lisboa, uma plataforma de acesso à Europa. A rede da TAP cobre 65 destinos em 31 países, operando em média mais de 1.850 voos por semana, com frota de 55 aviões Airbus, além de 16 aeronaves a serviço da PGA, sua companhia regional, totalizando 71 aeronaves. "Na Intermodal deste ano também vamos apresentar nossos últimos aprimoramentos do transporte em

P

"

cadeia de frio para produtos sensíveis, e vamos anunciar nossas novas rotas para cidades na França, para Miami e cidades no Leste Europeu", avisa o executivo. Mendes avisa que estará atento aos lançamentos dos outros expositores, para avaliar o que poderá vir a ser interessante para a melhoria dos nossos serviços. "Os mercados mais atrativos para nossa empresa continuam sendo a ligação Brasil-Europa e África, até mesmo pelo posicionamento geográfico de Portugal, que vem se consolidando como plataforma distribuidora de mercadorias entre as nações de língua portuguesa. Quanto aos novos mercados emergentes na Ásia e Oriente Médio, acreditamos que com o crescimento da empresa, será uma questão de tempo passar a operar para cidades daquelas regiões", analisa. O executivo aponta boas expectativas de crescimento: "Para 2011, temos como meta crescimento de 20%, e os primeiros resultados já indicam que estamos seguindo nesta direção", comenta. Em 2010 o faturamento do negócio de carga e correio da TAP Cargo foi de 120 milhões de euros, com crescimento de 26% em relação a 2009. "Basicamente explica a retomada do crescimento após a recessão mundial, e principalmente pelo crescimento da atividade econômica do Brasil", conclui. www.tapcargo.com

DO BRASIL PARA TURQUIA, SEM CONEXÕES Turkish Airlines mostra vantagens do voo direto entre São Paulo e Istambul m Boeing 777 da Turkish Airlines, que voa quatro vezes por semana direto de São Paulo a Istambul, oferecendo capacidade total de 100 toneladas, será o cartão de visitas da Turkish Airlines na Intermodal South American."Nossa companhia quer apoiar as exportações brasileiras e importações de negócios, e para além de Istambul. Além disso, nossa rede de carga aérea cobre inúmeros países em todo o mundo", relata o diretor geral para o Brasil, Atagun Kutluyuksel. A Turkish Airlines começou a operar no Brasil há dois anos. Possui cinco aeronaves de carga – quatro Airbus 310-304F e um Airbus 330-200 F – e 149 aviões de passageiros, que também transportam carga. "A companhia voa para mais de 160 destinos em todo o

U

38 - Global ONLINE – Especial Intermodal 2011

mundo, dos quais 39 estão dentro das linhas domésticas.", conta Atagun. A partir de outubro de 2010, a Turkish Cargo começou a operar voos de carga de longa distância, com a adição de aeronaves cargueiras de grande porte A330-200F à frota. As freqüências começaram para Hong Kong e Xangai. Com a aquisição de um segundo Airbus 330-200F, a partir de maio de 2011 mais voos de carga entrarão em operação para os EUA, Canadá, Cingapura, Coréia e Japão. "Com quatro voos por semana entre Brasil e Turquia, combinados com uma rede mundial, a Turkish Cargo tornou-se um forte player no mercado brasileiro e a Intermodal é muito importante para que possamos divulgar nossos serviços", ressalta o diretor. "Para o mercado, podemos dizer também que a empresa tem preços competitivos", acrescenta. www.turkishairlines.com


Para os próximos anos, Infraero quer máxima eficiência operacional em seus terminais s operações de carga aérea dentro do País estarão mais fáceis e ágeis nos próximos anos. Se depender das previsões da Infraero (Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária), a rede de terminais aeroportuários receberá uma série de melhorias e passará por um intensivo processo de atualização tecnológica. Entre 2011 e 2015, a empresa investirá R$ 571 milhões na construção de novos Tecas (terminais de carga), na reforma e ampliação de estruturas já existentes, assim como na aquisição de equipamentos e modernização de seus complexos logísticos. Arrojada, a proposta tem detalhes que poderão ser avaliados durante a Intermodal South America, evento do qual a empresa é uma das patrocinadoras oficiais. Entre as obras previstas que merecerão destaque está a expansão do complexo logístico de carga do Aeroporto de Viracopos (SP), um dos mais importantes da região Sudeste, com ampliação dos terminais de exportação, importação, carga restrita, carga viva e construção de um novo prédio administrativo. Guarulhos também terá modificações: ali será construído um Terminal Modular Estruturado, com 14.000 metros quadrados.

A

FLUXO GARANTIDO Mercovia divulga aumento de 30% na capacidade do pátio aduaneiro s bons resultados colhidos das participações anteriores na Intermodal South America fizeram com que a Mercovia voltasse a expor pelo quarto ano consecutivo na feira. O destaque da feira, ressalta o chefe da área comercial da empresa, Alcir Jordani Magagna, é a possibilidade de mostrar para a elite do comércio internacional os diferenciais que a companhia possui. "Este ano vamos apresentar novidades para o fluxo dos veículos na fronteira: a nova infra-estrutura dos pátios aduaneiros, pensada para o acréscimo do fluxo previs-

O

No extremo norte, em Manaus (AM), a Infraero vai concluir a obra do estacionamento remoto de caminhões e a obra de expansão do complexo logístico do Aeroporto de Manaus. Há novidades também para Porto Alegre (RS): o terminal receberá um novo complexo logístico com carga restrita, viva, estacionamento remoto, sala de apoio para transportadores rodoviários e prédio administrativo. A importância dos complexos logísticos em aeroportos fez a companhia projetar essas estruturas para os aeroportos de Brasília (DF) e de Vitória (ES), assim como ampliar a já existente hoje no Aeroporto de Curitiba (PR). A empresa é responsável por uma rede de 67 aeroportos, 80 unidades de apoio à navegação aérea e 34 terminais de logística de carga. Os 34 terminais de logística de carga da rede Infraero movimentaram, em 2010, cerca de 1,14 milhão de toneladas de cargas de importação, exportação e nacionais. A Rede Teca movimentou, em 2010, 1,13 milhão de toneladas. O faturamento da Rede Teca em 2010 será disponibilizado com o fechamento do balanço anual da Infraero, que ainda está sendo concluído. Presença cativa na Intermodal, a Infraero acredita que a feira segue a tendência mundial de eventos dirigidos e focados em profissionais de decisão no segmento. "Consagrada como a mais importante feira da América Latina, a Intermodal reúne os principais players do setor de Logística, comércio exterior e transporte mundial", enfatizou em nota. www.infraero.gov.br

to para 2011", anuncia. "Iniciamos o ano apostando no crescimento contínuo e, portanto, investindo na expansão e reforma do pátio aduaneiro. Já terminamos uma importante parte dessa ampliação. Uma vez concluída, comportará mais 250 boxes para caminhões, que nos permitirá contar com um total de 900 caminhões estacionados de forma simultânea", relata o executivo. A Mercovia é a concessionária do Primeiro Centro Unificado de Fronteira do Mercosul, com aduanas integradas em um mesmo território. Magagna diz que, em 2010, a Mercovia teve um acréscimo no fluxo de 38,12%, em relação a 2009, atingindo um movimento de cargas equivalente a US$9,4 bilhões, que representa próximo a 28% do volume total comercializado entre Argentina e Brasil. "Para 2011 estamos nos preparando para um crescimento de 20%", prevê. www.mercovia-sa.com Especial Intermodal 2011 – Global ONLINE - 39

Transporte Aéreo

SETOR AÉREO PROMETE


Transporte Marítimo

NOVO NAVIO A CADA TRÊS MESES Trinitas divulgará freqüência mensal para diversas localidades em modernas embarcações gente exclusiva dos armadores Industrial Maritime Carriers LLC, especializados no transporte de cargas break bulk e de grandes dimensões, incluindo equipamentos pesados dos setores de petróleo e gás, mineração, construção, naval e industrial pesada, a Trinitas traz pela décima terceira vez para a Intermodal South America serviços exclusivos e freqüências regulares para todos os continentes. Conforme o diretor da Trinitas, Celso Pavão, este ano a empresa divulgará seu serviço regular, três vezes por mês, entre os principais portos no Brasil e Estados Unidos, Norte da Europa, América Latina, Oriente Médio e Ásia, com navios multiproposal, boxshaped, equipados com guindaste heavylift. "Queremos destacar esta regularidade que só nós possuímos", destaca o executivo.

A

A companhia vê com bons olhos a crescente demanda de serviços de transporte internacional: "A cada três meses estamos colocando um navio novo na frota. Nossa expectativa é que para os próximos anos estejamos recuperemos os mesmos níveis de 2008", diz. Durante o ano de 2010, o faturamento da Trinitas se aproximou ao resultado de 2009. "Porém a quantidade de navios aumentou, o que mostra uma pequena redução no volume de fretes em relação a 2009, principalmente nas exportações", comenta Pavão. A Trinitas atua há mais de 20 anos no mercado mundial, com escritórios em São Paulo, Santos e Rio de Janeiro e em diversas cidades do mundo, com uma extensa rede de filiados nos portos brasileiros. www.trinitas.com.br

FLEXIBILIZAÇÃO MULTIPLICA CLIENTELA Infinity Log analisa aquisição de frota própria om percepção aguçada sobre o potencial do segmento de movimentação de cargas nos mercados em que atua desde que foi criada, em 2006, a InfinityLog teve um rápido crescimento ao longo dos anos devido à flexibilidade nas negociações com fornecedores, parceiros e clientes. A empresa participa pela primeira vez da Intermodal South America com o objetivo promover o serviço de armazém geral em Santa Catarina, com 21 mil metros quadrados, assim como as operações de transporte rodoviário. "Estamos em fase de negociação para aquisição de frota própria. Já temos clientes que atendemos via terceiros e queremos agregar mais um serviço ao

C

nosso portfólio", antecipa o porta voz, que acrescenta:"Já instalamos dois novos escritórios, em Santos (SP) e Itajaí (SC), e contratamos profissionais capacitados para atender novas demandas de serviços". A Infinity Log agencia cargas operando fretes aéreos, marítimos e rodoviários na importação e na exportação. A empresa conta com escritórios próprios em São Paulo (SP), Santos (SP) e Itajaí (SC).

ÁSIA E NOVOS CONTRATOS Todos os mercados são igualmente atrativos para a Infinity. "Contudo, o aumento de operações com a Ásia ainda nos proporciona grande interesse", des-

40 - Global ONLINE – Especial Intermodal 2011

taca. O ideal seria que houvesse um equilíbrio operacional entre exportações e importações para aquela região: "quanto maior a exportação para países asiáticos, melhor será o equilíbrio de equipamentos e custos de frete, uma vez que não precisarão compensar no custo de vinda e viagem de volta", justifica. O crescimento das operações da empresa está alicerçado em novos contratos junto a multinacionais para cargas de projeto e carga gera. Conforme a empresa, a expansão segue o ritmo adquirido em 2010, quando a Infinity teve um aumento de 60% no faturamento. "A partir deste ano iniciaremos as operações de frete rodoviário próprio", adianta o porta voz da empresa. www.infinitylog.com.br


Thorco Shipping Brasil ganha espaço no mercado brasileiro

Foto: Divulgação

m 2010, a Thorco Shipping Brasil participou da Intermodal South America como visitante e, imediatamente, decidiu ser expositor devido à qualidade do publico que freqüenta. "Nosso objetivo é criar mais identidade com o mercado brasileiro e reforçar a nossa marca", analisa o responsável pela área de Desenvolvimento de Negócios da empresa no País, Wallace Barros. "A Thorco Shipping é uma jovem e dinâmica empresa de navegação, engajada em possuir e ge-

E

renciar navios comercialmente, operando navios em "time charter", fazendo corretagem e elaborando soluções de transporte sob medida", resume Barros. Ele conta que a empresa iniciou as operações em maio de 2003, na Dinamarca, com navios multipurpose equipados com guindastes. "Nossa frota é composta de aproximadamente 45 navios, tipo multipurpose, adequados para o transporte de carga geral, granel, cargas perigosas e o principal nicho é a carga de projeto. As embarcações têm guindastes com capacidade de

ate 300 toneladas e o tamanho varia entre 4,100 e 14,500 toneladas de porte bruto", relata. A Thorco Shipping Brasil começou a operar em dezembro de 2009 e oferece uma linha regular desde a Ásia, com escalas na China, Coréia, Japão e Cingapura, para o Brasil e a Argentina. "Queremos redirecionar os navios da linha no fluxo inverso, e transportar nossos produtos para o mercado Asiático. Este estudo já esta em análise e iremos monitorar as cargas e buscar contratos para viabilização", adianta. Na Intermodal, a empresa quer divulgar as novas embarcações que recebeu no final de 2010, Thorco Africa e Thorco Empire, ambas de 12 mil toneladas de porte bruto, além da participação da empresa em programas de ajuda humanitária. "O Thorco Africa saiu do estaleiro na cor vermelha e uma percentagem de seu faturamento anual será direcionada a programas humanitários na África, por intermédio da Cruz Vermelha Dinamarquesa", conta Wallace de Barros, que acrescenta "projetamos crescimento na ordem de 40% para esse ano", finaliza. www.thorcoshipping.com

DE ISRAEL PARA O BRASIL V.A. Forwarding amplia atua na região e define estratégias para embarcadores brasileiros VOCC, agente de carga aérea, marítima e de projetos, além de freight forwarder com forte atuação em Israel, a V.A. Forwarding participa pela segunda vez da Intermodal South America com expositora. De acordo com os diretores da companhia, a expectativa da empresa é fortalecer as relações comerciais com freight forwarders na América do Sul para operações de importação e exportação via aérea e marítima. "A feira é simplesmente excelente e extremante importante para o nosso negócio. Ofereceremos às empresas embarcadoras que visitem o evento uma apre-

N

sentação dos nossos serviços na Eslovênia e das operações de e para Israel", afirmou a empresa em nota. A V.A. Forwarding já realiza operações com o mercado brasileiro, mas quer expandir e diversificar os negócios com empresas locais por entender que o País esta entre as principais opções de crescimento no continente. Conforme a empresa, o crescimento em volume de operações registrado no ano passado foi 20% e o Brasil teve papel determinante. Para responder à demanda, a empresa dobrou sua equipe de vendas e não medirá esforços para atingir a meta de crescimento de 25%. www.vaforwarding.com Especial Intermodal 2011 – Global ONLINE - 41

Transporte Marítimo

NOVOS NAVEGANTES


Transporte Marítimo

AMPLIAÇÃO COM DIVERSIFICAÇÃO Empresa comemora seus 15 anos de operação com a abertura de dois escritórios ste é um ano especial para a Asia Shipping transportes Internacionais, pois completará 15 anos de existência no mês de abril, junto com a Intermodal South America. Especializada em agenciamento marítimo e aéreo, nas operações de importação e de exportação, a empresa é 100% brasileira e desemvolve suas operações com o apoio de escritórios em nove cidades brasileiras, em sete cidades chinesas e duas no Equador. Dispõe, também, de uma ampla rede de agentes. Durante sua sétima participação na Intermodal, serão anunciadas (no próprio evento) duas novas filiais da empresa em regiões estratégicas do País. A empresa também aposta na diversificação de destinos, como o mercado indiano, onde já possui uma parceria com um agente local. "Contudo, o mercado europeu e norte-americano, onde também contamos com serviços especializados, ganham importância a cada dia e já contamos com consolidações próprias nos Estados Unidos (em Miami e New York), Itália e Inglaterra", observa o diretor comercial da Asia Shipping, Alexandre Pimenta. Com a medida, o executivo espera manter aumento dos negócios da empresa para os próximos anos: "Talvez tenhamos um crescimento um pouco mais modesto que o do ano passado, mas é importante destacar que a economia brasileira não para de crescer e teremos eventos que garantirão essa continuidade, como a Copa do Mundo as Olimpíadas e as futuras operações do PréSal", enumera. Em compasso de espera por esses acontecimentos futuros, a Asia Shipping conta com uma

E

Foto: Divulgação

equipe especializada, com cerca de 450 colaboradores no mundo, e faz constantes investimentos em TI para aprimorar o atendimento.

NOVO SERVIÇO Pimenta destaca que a Intermodal atua também como uma ferramenta de divulgação da Asia Shipping no mercado nacional e internacional. "Vamos divulgar também um novo serviço que será decisivo para empresas que devem participar do crescimento que o Brasil deve ter nos próximos anos, em função da Copa do Mundo, das Olimpíadas e do Pré-Sal", adianta, sem dar detalhes. Nesta edição da Intermodal, Pimenta espera que as empresas de transporte, sejam companhias marítimas ou aéreas, anunciem melhoras em seus serviços, para que a Asia Shipping possa oferecer mais e melhores opções aos seus clientes. "A expectativa quanto a futuros investimentos destinados à infraestrutura portuária e aeroportuária também é grande, pois a missão da Asia Shipping é fazer da logística internacional um instrumento de competitividade", finaliza. www.asiashipping.com.br

CONEXIÓN ZONA LIBRE ESTRÉIA NA INTERMODAL freight forwarder Conexión Zona Libre participa da Intermodal South America com o objetivo de desenvolver o relacionamento com agentes de carga com expertise na América do Sul para oferecer as vantagens operacionais do seu hub no Panamá. A empresa deu início a operações de importação e exportação com o Brasil e nada melhor que par-

O

42 - Global ONLINE – Especial Intermodal 2011

ticipar do evento para consolidar seus negócios com o País, considerado o mercado mais atrativo na América do Sul. "Queremos nos transformar no hub para os importadores da Ásia e na base de serviços de transbordo pata toda a América Central, assim como Colômbia e Venezuela", afirmou em nota a empresa. www.connexionzonalibre.com


Mercosul Line mostrará vantagens da recém-criada conexão semanal entre Brasil e Argentina Intermodal South America é uma grande oportunidade de novos negócios e fazer muitas prospecções de cargas para a Mercosul Line, armador brasileiro especializado no transporte de cargas em contêineres que há 12 anos atua na navegação de cabotagem, e desde fevereiro de 2006, tornou-se parte do grupo dinamarquês A.P.Moller – Maersk. Nesta edição da feira, a companhia quer apresentar aos seus clientes as vantagens do serviço do River Plate, uma conexão semanal entre os portos brasileiros e a Argentina. Além disso, estará disponibilizando informações sobre a malha de operações entre os portos brasileiros de Manaus (AM), Pecém (CE), Suape (PE), Santos (SP), Paranaguá (PR) e os portos de Buenos Aires (Argentina) e Montevidéu (Uruguai). A empresa desenvolve também inúmeras ações voltadas à preservação da natureza: "Procuramos minimizar os impactos inerentes à atividade no meio ambiente adotando práticas, como a redução do consumo de combustível e de lubrificantes e aplicando políticas de manutenção constante dos motores de nossos navios. Também suavizamos o impacto do transporte marítimo no oceano usando tinta sem chumbo no casco e instalando tanques de combustível protegidos internamente para evitar o risco

A

de vazamento de óleo, além de estabelecer um plano de gestão de resíduos em todos os navios", comentam seus dirigentes. A Mercosul Line possui uma das mais modernas frotas em operação na cabotagem brasileira. "Os motores dos nossos navios foram produzidos com avanços em eletrônica, que permitem a redução no consumo de combustível e, conseqüentemente, na emissão de dióxido de carbono em 49,8%", destacam. A estrutura da companhia permite oferecer serviços de embarque combinando os modais marítimo e rodoviário, oferecendo soluções integradas de logística, gerenciamento de processos customizados e serviço porta a porta. "Estamos implementando novas ferramentas que proporcionarão um acompanhamento detalhado de toda a carga durante as diversas etapas, possibilitando uma gestão mais eficiente da cadeia logística", acrescentam. Em 2010, a Mercosul Line registrou aumento de 85% em volume movimentado, em relação ao ano anterior, o que superou as nossas expectativas iniciais. Temos boas expectativas para 2011 e acreditamos que o país continuará crescendo, provavelmente num ritmo menos intenso. Nossa previsão é movimentar mais de 90 mil TEU em 2011", estimam. www.mercosul-line.com.br

LINHA DIRETA ITAJAÍ – ÁSIA MSL Corporate amplia expertise de transporte de carga nas conexões com países asiáticos ste ano, a MSL Corporate Brasil quer mostrar na Intermodal South America o quanto cresceu a empresa nos últimos dois anos. Divulgará também sua expansão global, com a abertura de escritórios no Brasil e na Europa. Mais que nada, quer mostrar aos seus clientes a consolidação dos serviços de transporte da Ásia para os portos de Rio Grande(RS) e Rio de Janeiro(RJ). "Durante todos esses anos que participamos da feira, a Intermodal resultou em muitos negócios, novos contatos, entrosamento entre os escritórios e agentes", diz o diretor da empresa, Gunter Hinkelmann.

E

Para repetir a dose de sucesso, o dirigente reservou o mesmo estande do ano passado: "Para manter a tradição, estaremos exatamente no mesmo local e espaço, neste ano, divulgando ao mercado as vantagens do nosso novo serviço Ásia-Itajaí", observa. Nascida na Argentina em 1995, a MSL Corporate conta hoje com 50 escritórios e 400 colaboradores. Hunkelmann estima que a cada ano a MSL Corporate cresça em torno de 30%. "Com investimento em novas filiais no Sul e Nordeste, acreditamos poder dobrar este percentual", avalia. www.mslcorporate.com Especial Intermodal 2011 – Global ONLINE - 43

Transporte Marítimo

CONEXÃO RIVER PLATE FORTALECE CONE SUL


Transporte Marítimo

RETOMADA DA INDÚSTRIA NAVAL

Foto: Divulgação Petrobras Petrobras

Transpetro concentra esforços para dobrar frota até 2014 onsiderada uma das maiores empresas de logística da América Latina, a Transpetro divulga na Intermodal South America seu portfólio de serviços de logística e de transporte de petróleo, derivados e biocombustíveis. Durante a feira deste ano a companhia detalhará a evolução do Promef (Programa de Modernização e Expansão da Frota), que deve aumentar a frota da Transpetro para mais de 110 navios em 2014. Também serão divulgados os projetos de modernização e ampliação dos terminais aquaviários e terrestres, além da expansão da malha dutoviária da empresa. Outro assunto abordado será a tecnologia adotada no CNCO (Centro Nacional de Controle de Dutos da Transpetro), referência nacional em controle e segurança das operações dos gasodutos e oleodutos no País. O Programa de Modernização e Expansão da Frota da Transpetro (Promef) revitalizou a indústria naval brasileira em bases modernas e competitivas a partir da encomenda de 49 navios petroleiros. Criado em 2004, o Promef foi desenvolvido com base em três premissas: construir os navios no Brasil, alcançar um nível mínimo de nacionalização (65% na primeira fase, 70% na segunda) e oferecer condições para os estaleiros conquistarem competitividade, com a prática de preços e prazos internacionais. Atualmente, o Sistema Petrobras gasta por ano com o afretamento de navios cerca de US$ 2 bilhões. Isto porque a Transpetro possui apenas 52 navios (frota própria nacional) dos mais de 180 utilizados anual-

C

44 - Global ONLINE – Especial Intermodal 2011

mente pela Petrobras. Se o Promef não fosse concretizado, esta frota estaria reduzida a cerca de 20 navios em 2015, em função da idade das embarcações.

HIDROVIAS A Transpetro e o Estaleiro Rio Tietê assinaram em 2010 o contrato para a construção de 80 barcaças e 20 empurradores que formarão comboios para o transporte de etanol através da Hidrovia Tietê-Paraná. O novo estaleiro será construído em Araçatuba (SP). As barcaças e empurradores custarão US$ 239,1 milhões e começarão a ser entregues a partir do último trimestre de 2011. A operação da frota está prevista para começar em 2013, alinhada com o prazo para os novos terminais que serão instalados ao longo da hidrovia. Cada comboio será formado de quatro barcaças e de um empurrador, com capacidade para transportar 7,6 milhões de litros. Quando totalmente operacional, o volume anual transportado deverá chegar a 4 bilhões de litros. A operação dos comboios pela Transpetro integra o Promef Hidrovia, que fez ressurgir a indústria naval brasileira com a encomenda de 49 navios petroleiros a estaleiros nacionais. O Sistema Integrado de Transporte de Etanol da PMCC inclui, além da operação na Hidrovia, a construção de novos dutos, centros coletores e terminais. O transporte do etanol pela hidrovia substituirá o equivalente a 40 mil viagens de caminhão por ano, com ganhos ambientais, econômicos e de segurança. O transporte hidroviário emite um quarto do CO2 e consome vinte vezes menos do combustível utilizado pelo rodoviário para uma mesma carga e distância. www.transpetro.com.br


mpresa do Grupo RAS, uma das maiores operadoras logísticas do Cone Sul, a Plus Cargo planeja expandir seus domínios nos próximos anos. Para isso, anunciará durante a Intermodal South America 2011 a implantação de novos escritórios pelo País e a estreia no transporte rodoviário nacional e internacional. "A feira nos proporciona visibilidade. Na ultima edição fechamos bons contratos com agentes e estamos em negociação com outros", recorda o diretor da empresa, Carlos Madama. Ele explica que o Grupo RAS, já tem atuação consolidada no porto de Montevidéu, no Uruguai, por meio das operações do Polo Logístico Portuário, do Polo Logistico da Zona Franca e o novo Port Trade Center, que está em fase de desenvolvimento e será um canal de compra e venda entre os importadores e exportadores. "No Brasil começamos a atuar de maneira eficiente no transporte rodoviário nacional e internacional", revela, deixando os detalhes para o evento. "Além disso", prossegue, "vamos lançar alguns

E

SINERGIA

FUNDAMENTAL

Mariel promoverá a sintonia operacional entre empresas do grupo Grupo Mariel fará parte do grupo de expositores da Intermodal South America este ano. "É a primeira vez que participamos, ainda que sempre tenhamos realizado negócios na feira", confessa o diretor comercial da empresa, Amilton Cardoso. "Desta vez, mostraremos como trabalhamos em sintonia fina com as novas empresas integrantes do Grupo Mariel". Além da Trans-Mariel, da Mariel Internacional e da Mariel Logística, o grupo passou a contar desde dezembro de 2010 com as empresas ALL Cargo Logística e B&M Transportes, especializadas em trânsito aduaneiro e operam com linhas específicas. "Divulgaremos também alguns novos produtos durante o evento", adianta o executivo. "Estamos ansiosos e acreditamos que a iniciativa de divulgar nossa marca e nossos produtos foi um ato de amadurecimento do grupo e temos certeza que os resultados mostrarão que a decisão foi acertada", resume.

O

tráfegos novos na importação e exportação e a nomeação de alguns agentes no exterior", destaca. O Grupo RAS, ao qual se integra a Pluscargo iniciou suas atividades no Brasil em 1997 e conta com mais de 600 colaboradores e 34 escritórios próprios em sete países das Américas (Uruguai, Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, México e Paraguai). Sua atuação se estende pelos cinco continentes por intermédio de uma rede mundial de agentes. De acordo com Madama, a diversificação dos mercados tradicionais traz novas oportunidades aos operadores logísticos em geral. "Entramos com êxito em mercados como Turquia e Israel, alem dos mercados tradicionais do comercio exterior brasileiro: Ásia, Europa e USA", comenta. Considerando a media dos mercados onde atua, para este ano o desafio da empresa é crescer 30%. No ano passado, o faturamento do grupo avançou acima dos 50%."Contribui para esse resultado a recuperação da economia mundial e a agressiva política comercial que adotamos", revela Madama. www.pluscargointl.com.br

O Grupo Mariel iniciou suas operações em março de 1988 e sempre se dedicou ao transporte rodoviário, com operações voltadas principalmente ao comércio exterior. Atualmente possui frota de 40 veículos, entre caminhões baú e porta-contêineres, e seu principal produto está diretamente ligado a serviços oferecidos por agentes marítimos e NVOCCs, removendo cargas LCL em regime de DTA, ou seja, em trânsito aduaneiro. "As cargas são desconsolidadas em Santos e removidas via DTA para outros portos. Este produto está no mercado há aproximadamente seis anos e o Grupo Mariel foi uns dos pioneiros na sua implantação, sendo que hoje movimenta em torno de 90% das cargas desse segmento. Nossa empresa atende também transportes de cargas especiais, com pesos e dimensões fora dos padrões", diz Cardoso. Segundo o executivo, em 2010, a empresa registrou crescimento de 25% no movimento de cargas transportadas em relação a 2009. "Para este ano, estimamos um crescimento na ordem de 50% em virtude da aquisição das novas empresas do grupo", antecipa o diretor Comercial. www.grupomariel.com.br Especial Intermodal 2011 – Global ONLINE - 45

Transporte Marítimo

Pluscargo expande atuação no Mercosul e envereda pelo transporte rodoviário

Transporte Rodoviário

NOVAS OPÇÕES NA LOGÍSTICA SUL-AMERICANA


Transporte Rodoviário

EQUIPAMENTO

DE PESO

Mamuth mostrará na Intermodal seu pórtico telescópico com capacidade para 550 toneladas m 2011, a Mamuth comemora 35 anos de atividades. Especializada nos segmentos de transportes pesados, locação de guindastes, remoções técnicas industriais, mudanças industriais, montagens e movimentação de cargas de grande porte, a empresa opera em todo território nacional e países do Mercosul. A Mamuth reservou uma novidade para a Intermodal South America: a apresentação de equipamento recém-adquirido pela empresa, um pórtico telescópico com capacidade para 550 toneladas. "Revelaremos também dados sobre o nosso crescimento no mercado de locação de guindastes", adianta o gerente comercial da empresa, Alexandre Tadeu Gozzo.

E

APOSTA

"Vejo a Intermodal como um evento de relacionamento, que garante uma imagem de credibilidade ao mercado", resume. Para o executivo, a feira também fornece uma referência sobre as demandas de mercado no segmento no qual a Mamuth atua: "Nossa empresa se preocupa permanentemente com a aquisição e renovação de equipamentos e vem se preparando com a homologação e habilitação da empresa no sentido de poder atuar junto às empresas que operam nas áreas portuárias", comenta o executivo. Gozzo diz que a companhia vem apresentando intenso crescimento nos últimos cinco anos. "No tocante a 2008, chegamos a expandir 43% em relação ao período anterior. Porém, com a crise de 2009, os negócios se retraíram um pouco e agora estamos retomando o ritmo novamente. Queremos pontuar 25% ao ano, percentual de crescimento do nosso segmento", avalia. www.mamuth.com.br

NA DIVERSIFICAÇÃO DE MERCADOS

Gelog tem novos conceitos operacionais s constantes investimentos realizados pela operadora logística Gelog em equipamentos, segurança, pessoal e sistemas, permitiram que a empresa aumentasse a sua capacidade de atendimento no último ano em 126%. "O fortalecimento de nossa estrutura possibilitou a fidelização de nossos clientes e a realização de novos negócios", relata a responsável pelo Marketing da empresa, Samara Voss. A participação na Intermodal South America vem ao encontro das perspectivas futuras da Gelog, que traz novidades para o evento: novos conceitos operacionais na movimentação de carga conteinerizada, futuras filiais e soluções logísticas. "A Intermodal é uma excelente oportunidade de networking e uma ferramenta de relacionamento com os nossos clientes", admite a executiva. Sâmara comenta que a abrangência e diversidade dos clientes, assim como o crescimento dos negócios nos últimos anos, propiciou novas oportunidades de crescimento à Gelog. Entre elas, a inauguração no Estado de São Paulo do terminal de con-

O

46 - Global ONLINE – Especial Intermodal 2011

têineres de Pindamonhangaba, a ampliação do terminal de Santos, para 14 mil metros quadrados, além da implantação da filial de Campinas. Fundada em 2002 na cidade portuária de Santos (SP), a Gelog tem como foco principal de negócio o transporte de cargas em contêineres, carga geral e excedentes, com origem ou destino nos principais portos marítimos e aeroportos do sudeste brasileiro, destacando-se o porto de Santos e o Aeroporto Internacional de Viracopos. A executiva da empresa garante que a Gelog vem se expandindo acima dos níveis de mercado em razão de seus conceitos e fundamentos. "Pretendemos crescer em torno de 30% ao ano nos próximos três anos. Tarefa fácil se for considerado o resultado da Gelog em 2010, quando o faturamento superou em 106% o resultado do ano anterior. Samara pressente a continuidade na safra de bons negócios. "Vemos duas vertentes importantes e necessárias na política de comércio exterior brasileira. A primeira é diversificar os mercados a serem atendidos. A segunda, ampliar a base de empresas exportadoras. Duas medidas que certamente expandirão os negócios da nossa empresa", finaliza. www.gelogtransportes.com.br


AUTOMOBILÍSTICA AGRADECE

Novo hub da Gefco em Guarulhos apoiará as operações de milk run

Foto: Divulgação

m junho deste ano a GEFCO inaugura seu hub em Guarulhos (SP), que possui uma área construída de 5 mil m2, em uma área total de 20 mil metros quadrados, localizada na rodovia Presidente Dutra, sentido Rio de Janeiro. O novo parque logístico dará suporte ao crescimento de movimentação de mercadorias da empresa dos atuais 500 mil para 650

E UM

mil toneladas/ano. Para divulgar esta e outras novidades, a empresa participa mais uma vez da Intermodal South America. A participação no evento faz parte de uma estratégia do Grupo, cujo objetivo a ser cumprido até 2012 é conquistar novos clientes, expandir a atuação nas áreas de logística e automobilística e aumentar o faturamento anual em 40% em relação a 2009. A oitava participação na feira evidenciará algumas importantes ações m curso como o atual foco da empresa no Leste Europeu e Ásia, em especial a China, onde a operadora conta com uma rede de filiais próprias e um excelente nível de serviço. O Mercosul também é um dos pontos mais fortes da companhia e os principais mercados continuam sendo Brasil e Argentina. A Gefco, entretanto, quer ultrapassar as barreiras sul-americanas. "A construção do hub de Guarulhos

vem justamente ao encontro da estratégia do grupo de expandir sua atuação na América Latina. O novo parque logístico será responsável pela consolidação das mercadorias provenientes, principalmente, do serviço milk run para a indústria automotiva e das coletadas em fornecedores e clientes nacionais e internacionais, principalmente na Argentina", ressalta a empresa em nota. Para 2011, a GEFCO projeta crescimento de 30%, bem como incremento de 25% na movimentação de mercadorias, que atualmente é de 500 mil toneladas por ano. Segundo a empresa, o faturamento da GEFCO Brasil em 2010 foi de R$ 320 milhões, o que representou 40% de crescimento em relação a 2009. Um dos principais fatores deste resultado foi o desempenho positivo da economia brasileira e os números do crescimento da indústria automotiva, principalmente em 2010, que registrou índices recorde de vendas de veículos. www.gefco.net

SERVIÇO PARA CADA OCASIÃO

TNT traz para a Intermodal sua gama de soluções de transporte rodoviário e aéreo companhar as demandas do mercado de transportes sempre foi um dos pontos fortes da TNT. O vasto leque de serviços disponíveis para cada necessidade tornou-se seu cartão de visitas e é com ele que a empresa receberá seus clientes durante a Intermodal South America este ano. "Queremos mostrar que nos preparamos para demandas futuras", adianta o analista de marketing da empresa Ramon Queiroz Marlet. Ele cita, como exemplos, o oferecimento de serviços focados em comércio exterior, como o TNT International Freight,

A

que cuida da importação e exportação de cargas formais utilizando a rede global da TNT e o TNT Customs Brokerage Solutions, que oferece desembaraço aduaneiro de cargas. "Já para o mercado específico de pesquisas clinicas, temos o Clinical Express e para as demandas especiais de tempo e tipo de carga, temos o Special Services. Além disso, temos investido fortemente na consolidação de uma rede rodoviária na América do Sul, interligando seus principais mercados", discorre o executivo. "Na Intermodal também damos mais visibilidade à nossa marca e reforçamos o relacionamento com clientes e parceiros", enfatiza. www.tnt com. Especial Intermodal 2011 – Global ONLINE - 47

Transporte Rodoviário

INDÚSTRIA


Transporte Rodoviário

CARTA-FRETE

ELETRÔNICA

DBTrans divulgará as vantagens do cartão Rodocred, para pagamento fácil e seguro do frete

J

á que o transporte rodoviário de cargas é o modal mais utilizado dentro do País, as soluções tecnológicas que facilitem as operações do setor sempre são bemvindas. É o caso do cartão Rodocred, cartão eletrônico para pagamento de frete, lançado pela empresa DB Trans, que substitui a carta de crédito de pagamento ao caminhoneiro ou motorista de frota. As vantagens deste cartão, que atende da mesma forma tanto o transportador quanto o embarcador, serão apresentadas pela empresa durante a Intermodal South America, destacando ainda outras funcionalidades do sistema. "A Intermodal é uma grande vitrine, com público selecionado e

MARÉ

de interesse da nossa empresa. Desta forma ampliamos nosso relacionamento com clientes e mercado e conseguimos apresentar nossas soluções em um ambiente que estimula as novidades", destaca o diretor comercial da empresa, Marcelo Nunes. O executivo explica que o Rodocred foi desenvolvido para que embarcadores e transportadoras que trabalham com frota própria e terceiros obtenham o gerenciamento e o controle do transporte de cargas por meio de um sistema unificado, on line e de uma rede credenciada estrategicamente localizada. A marca Rodocred abrange três produtos: Rodocred Frota, cartão corporativo destinado às

DE BONS NEGÓCIOS

APTA Caminhões quer preservar taxa de 7% de crescimento nos próximos anos transporte rodoviário de cargas registrou um desempenho histórico em 2010 e a Apta Caminhões, que revende caminhões da marca Volkswagen, quer manter esse ritmo de crescimento para este ano. Em 2010, a concessionária registrou um resultado nas vendas 40% superior ao de 2009. A presença na Intermodal, esclarece Luis Eduardo Ferri, gerente de Marketing da concessionária, é fundamental para perpetuar a maré de bons negócios. "Espera-se no segmento de caminhões e ônibus uma média de 7% ao ano para os próximos anos", avalia o executivo. Segundo Ferri, o ano de 2009 sofreu os efeitos da crise mundial de 2008, causando uma demanda reprimida por caminhões e ônibus no mercado. Esse perfil mudou em 2010, com

O

48 - Global ONLINE – Especial Intermodal 2011

empresas com frota própria, o Rodocred Profissional, cartão para os caminhoneiros autônomos, e o Rodocred ValePedágio, aceito em todas as praças de pedágio do Brasil. A DBTrans foi criada em 2001 com o objetivo de desenvolver meios de pagamento para o mercado de logística em transportes e está homologada pela ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres). Atualmente, conta Nunes, a empresa está focada no mercado nacional e na América Latina. "Em dez anos de mercado, registramos crescimento anual de 30%, em média. Temos expectativa em ampliar este crescimento em função das novas soluções e do mercado que vêm a cada dia se formalizando e profissionalizando", revela. E, 2010, o faturamento da DB Trans atingiu a marca de R$ 406 milhões, um crescimento de 30,2% em relação a 2009. www.rodocred.com.br

os incentivos do governo e a retomada do crescimento econômico. Para este ano, a Apta trará um reforço ao lado dos já consagrados caminhões Volkswagen, "que são líderes em vendas no Brasil, pelo 8º ano consecutivo", segundo Ferri. O estande mostrará a linha de extrapesados da MAN. Ferri adianta que, durante a feira, será apresentada uma novidade: o programa de relacionamento "Apta Fidelidade". Ferri avalia que a participação da revenda APTA na Intermodal é muito importante também por ser um ambiente que possibilita acesso a informações sobre as tendências do mercado. A Apta possui duas concessionárias, sendo a matriz localizada no município de São Vicente/SP, na Rodovia dos Imigrantes, Km 64, atendendo os clientes de 11 municípios do litoral sul. A filial fica no município de São Bernardo do Campo, estrategicamente localizada as margens do Rodoanel, próximo a Rodovia dos Imigrantes, com 43,5 mil metros quadrados e atende aos 39 municípios da grande São Paulo. www.aptacaminhoes.com.br


Global Online - Especial Intermodal 2011 atualizado  

As novidades dos expositores do maior evento do setor de Comércio Exterior e de Logística.

Advertisement