Issuu on Google+

A
importância
dos
contratos
 futuros

BM&F
e
ICE
 Rio
de
Janeiro
 Setembro
de
2011
 Octavio
Pires
 1



Importância
dos
contratos
futuros
 Origem
e
razão
de
existência
 •  Produtos
agrícolas
sujeitos
à:
 –  Variações
de
mercado
 –  Variações
de
clima
 –  Poder
de
grandes
comerciantes


•  Agricultura
era,
e
conQnua
sendo,
de
alto
risco.
 •  Agricultura
era
exercida
basicamente
por
elos
fracos
da
 cadeia
produQva.
 •  Foram
criados
para
gerar
proteção
para
os
produtores
 e
comerciantes
através
da
transparência
de
preços.
 2



Uma
realidade
anQga
‐
exemplos
 •  Dojima
rice
exchange
–
1710
 •  Chicago
Board
of
trading
–
1848
(contratos
 padronizados
–
1865).
 •  Origem
da
BM&F
começa
em
1917
com
a
 criação
da
Bolsa
de
Mercadorias
de
São
Paulo.
 •  Muitas
se
seguiram,
foram
desmembradas,
 foram
consolidadas,
muitas
virão...


3



Oferta
e
procura
definem
o
cenário
de
 uma
cadeia
produQva
 •  “Disponibilidade
é
sinônimo
de
diferencial”’
 – Estoques,
produção,
consumo...
 – Hedgers
procuram
se
proteger.
 •  Produtores,
exportadores,
dealers.
 •  Indústria
em
geral.


– Especuladores
procuram
volaQlidade.


 •  Dúvidas,
instabilidades,
surpresas...










































































Diferenciais
 













































































Prêmios
 4



Importância
dos
contratos
futuros
 Evolução
das
razões
e
distorções
 •  Ao
longo
do
tempo
Hedgers
e
especuladores
 conviveram
com
algumas
realidades
e
mitos
 percebidos
sobre
derivaQvos:
 – Liquidez
e
falta
de
liquidez,
(ganância)
 – Preços
“realistas”
ou
“manipulados”,(expecta)va
 futura)
 – Controle
de
preços/volumes.(contra
o
mundo)
 – Contratos
que
favorecem
uma
das
partes.(mito)
 5



Importância
dos
contratos
futuros
 Evolução
das
razões
e
distorções’
 •  PraQcamente
todos
os
pontos
anteriores
são
 mitos
momentâneos.
Em
situações
limite
quando
 os
mercados
ficam
vulneráveis)
 – Os
prejudicados
do
momento
querem
 
mudar
regras
dos
contratos/impostos.
 – Procuram
racionar
ou
oferta
ou
demanda.
 – Tentam
fazer
o
mundo
pensar
que
o
que
era
a
solução
 (transparência
e
proteção)
se
tornou
problema.
 – Passam
a
querer
um
mundo
sem
mercados
futuros
e
 com
menos
transparência..
 6



Importância
dos
contratos
futuros

 De
volta
à
realidade
 •  Então
vem
uma
nova
crise
de
preços
muito
 altos
ameaçando
a
indústria
ou
muito
baixos
 ameaçando
a
produção
e
a
história
se
repete:
 – Os
mercados
futuros
passam
a
ser
o
suporte
para
 que
os
elos
encontrem
liquidez
e
sobrevivência.
 – Especialmente
no
caso
de
alimentos
e
 commodi)es
básicas,
a
importância
dos
 mercados
futuros
na
con)nuidade
 


destes
setores
é
fundamental.
 7



FIM?
 Não.
É
muito
mais
complexo
que
isto.
 – As
dificuldades
tendem
a
criar
miopia
em
um
setor
 que,
se
preservada,
pode
se
tornar
uma
cegueira
 coleQva
perigosa
para
toda
uma
cadeia
produQva.
 – O
fato
é
que
vivemos
em
um
regime
econômico
 capitalista
globalizado
que
tem
muito
do
“efeito
 borboleta”
‐
teoria
do
caos.
 – Se
não
desenvolvermos
uma
visão
sistêmica
da
 situação,
jamais
conseguiremos
conviver
com
os
 desafios
mundias
de
nosso
negócio.
(exemplo
dos
 diferenciais
da
Colombia
em
2010
por
causa
da
 pressão
de
hedges
do
Brasil).
 8



Gosto
de
dizer
que
o
café
é
apenas
um
 “barquinho
de
papel”
no
oceano
da
 economia
mundial
 •  Os
mercados
descobrem
que
proteção
custa.
 – Assim
como
um
seguro
qualquer,
quanto
mais
 arriscada
é
uma
situação
maior
o
custo
de
sua
 proteção.
Então
o
sonho,
nesse
momento,
vira
um
 pesadelo
e
nada
que
fazia
senQdo
para
a
cadeia
 parece
tão
claro
como
antes.
 – Hedgers
procuram
se
proteger.
 •  Produtores,
exportadores,
dealers.
 •  Indústria
em
geral.


– Especuladores
procuram
volaQlidade.
 •  Dúvidas,
instabilidades,
surpresas...
 9



Então
o
que
podemos
fazer
para
 melhorar
e
fortalecer
a
posição
do
café
 brasileiro
no
cenário
mundial?


•  BM&F



– Lembrando
que
o
café
brasileiro
é
o
ingrediente
mais
 importante
da
maioria
dos
blends
do
Mundo,
nosso
 mercado
conQnua
negligenciando
a
importância
de
 um
hedge
MAIS
ADEQUADO
DO
QUE
NYC

para
o
café
 brasileiro
NATURAL
com
volume
e
estrutura
tributária
 adequados
para
um
mercado
de
commodiQes
que
 exige
liquidez.
Grupos
de
estudo
e
representação
do
 setor
deveriam
esclarecer
e
exigir
dos
órgãos
 reguladores
a
atenção
e
regras
adequadas.
 10



Então
o
que
mais
podemos
fazer?
 •  Nosso
conilon
já
era
“entregável”
em
Londres.
 –  A
grande
demanda
interna
hoje
não
deixa
“sobrar”
café
 com
frequência
mas
o
produtor
brasileiro
pode
conQnuar
 invesQndo
pois
sabe
que
terá
a
transparência
necessária.


•  Agora
nosso
café
lavado
poderá
ser
entregue
em
NY
 –  Finalmente
os
produtores
de
café
por
via
úmida
do
Brasil
 terão
uma
forma
de
precificação
pública,
transparente
e
 com
liquidez
adequados
para
embasar
seus
invesQmentos
 e
hoje
os
mais
de
5
milhões
de
sacas
que
o
Brasil
já
produz
 de
Cerejas
e
Despolpados
terão
um
contrato
para
serem
 melhor
precificados.
 11



Afirmações
para
reflexão
(I)

 •  Os
mercados
futuros
refletem
expecta)vas
 futuras
que
podem
favorecer
os
hedgers.
 •  O
mundo
financeiro
globalizado
não
é
 manipulável
e

o
capitalismo
mundial
é
muito
 mais
rápido
e
inteligente
do
que
uma
 empresa,
setor
ou
governo,
portanto
é
 preciso
desmis)ficar
os
contratos
 


futuros.
 12



Afirmações
para
reflexão
(II)
 •  A
transparência
dos
preços
é
fundamental
 para
a
sustentabilidade
da
cadeia
produ)va.
 •  Devemos
es)mular,
não
atrapalhar
e
 defender
os
contratos
de
cafés
que
reflitam
a
 média
da
produção
dos
cafés
do
Brasil.
 •  Acho
que
não
estamos
fazendo
isto
 adequadamente.
 13



OBRIGADO!


14



4OCTAVIO PIRES