Issuu on Google+

SETEMBRO | 2013

06

50 ANOS DE DOCTOR WHO Uma data com comemorações para whovian nenhum botar defeito! Com um novo Doutor pronto para entrar na TARDIS, falamos do documentário sobre a criação da série e do tão esperado especial de 50 anos!


anĂşncio

(LegiĂŁo Estrangeira)


A sexta edição da revista Vitrine chega com um pezinho no mundo dos geeks. Vamos falar um pouco sobre esses personagens peculiares, aficionados por quadrinhos, super-herois, cinema, ficção científica e, claro, séries. E não há série melhor para ilustrar esse mundo do que Doctor Who! O seriado da emissora britânica BBC, que relata as aventuras de um simpático alienígena pelo tempo e espaço, estreou em 1963 e completa em 2013 seus 50 anos! Mesmo com uma pausa nesse meio tempo, é o programa há mais tempo no ar da TV mundial. E, no embalo dessa festa, estão sendo produzidos um documentário e um episódio especial para comemorar o cinquentenário da série. E a Vitrine não poderia ficar fora dessa! Voltando ao mundo real, trazemos também uma homenagem a Itamar Assumpção, o Nego Dito, que completaria 64 anos neste mês. Um pouco da história do multiartista e apresentações dele na TV Cultura permeiam as páginas desta edição. Um especial sobre obras póstumas de artistas também é destaque da Vitrine de setembro: com o anúncio do lançamento de duetos entre Michael Jackson e Freddie Mercury, gravados em 1983, fomos buscar outros exemplos de gravações que foram divulgadas após a morte dos artistas e trouxeram de volta às paradas os sucessos do passado. A primeira parte de uma série especial que analisa os efeitos e conseqüências da Lei da TV Paga (que aumenta a quantidade de conteúdo nacional em canais de TV a cabo) é outro atrativo deste mês. Você também vai ler colunas do maestro Júlio Medaglia, do jornalista Washington Novaes e do advogado Roberto Bolonhini; além de poder assistir a Antônio Abujamra declamando Pablo Neruda e ficar sabendo tudo sobre a programação do Clássicos e da Mostra Internacional de Cinema na TV Cultura. Como sempre, trazemos também a agenda cultural, feita em parceria com o Catraca Livre, e atividades para as crianças e dicas para os pais de como dar aos filhos uma infância saudável e divertida. Boa leitura!


A mobilidade urbana não pode esperar mais | WASHINGTON NOVAES

A mobilidade urbana não pode esperar mais Por Washington Novaes

S erão extremamente úteis para o País, qualquer que seja o desfecho, as conclusões do atual debate que se trava em toda parte sobre mobilidade urbana, a partir das manifestações de rua, assim como da criação de faixas exclusivas para ônibus na cidade de São Paulo. A discussão adequada do problema, a adoção de políticas principalmente nas regiões metropolitanas, poderá talvez evitar ou reduzir custos imensos e hoje progressivos. Um dos estudos recentes, do professor André Franco Montoro Filho, da USP, ex-secretário de Planejamento de São Paulo e expresidente do BNDES, afirma que o valor monetário de 12,5% da jornada de trabalho perdidos com uma hora nos congestionamentos de trânsito (além de uma hora, que seria “normal”) chega a R$ 62,5

Meio Ambiente

bilhões anuais. E cada trabalhador, assim como cada condutor de veículos particulares, pagaria por esse “pedágio invisível” R$ 20 por dia. Não surpreende, assim, que a questão da mobilidade tenha ocupado a segunda posição no total de reivindicações nas 35 audiências públicas para discussão do plano de metas da atual administração da cidade de São Paulo - uma exigência da Lei Orgânica do Município. Já se apontou a insuficiência das novas estratégias se limitadas à criação de faixas exclusivas para ônibus - embora aumentem a velocidade destes. Principalmente porque não há reordenação de linhas, faltam coletivos em muitos lugares, sobram em outros. E a reordenação enfrenta a oposição das empresas concessionárias de ônibus, que têm alta rentabilidade

nos formatos atuais. Pode-se acrescentar ainda que não há uma política nesse setor que englobe toda a área metropolitana. Tudo pode ter efeito apenas momentâneo - basta ver que as restrições que tiraram das ruas milhares de ônibus fretados e caminhões, assim como a implantação de novas pistas na Marginal do Tietê, “já perderam o efeito”. A necessidade de políticas mais abrangentes fica à mostra quando se veem números sobre grandes cidades brasileiras e sua influência no planejamento urbano - em geral, problemática. No Rio de Janeiro, o recente mapeamento das redes subterrâneas feito pela prefeitura carioca estimou haver 10.200 quilômetros de redes de esgotos no subsolo - “equivalentes à distância entre Brasil e


A mobilidade urbana não pode esperar mais | WASHINGTON NOVAES

Alemanha” - e 19 mil quilômetros de rede de cabos elétricos. Em São Paulo, a fiação elétrica chega perto de 40 mil quilômetros e só 3 mil são enterrados nos 17 mil quilômetros de ruas. Há mais de 30 afluentes sepultados sob o asfalto só nas imediações do Rio Tietê. As redes de drenagem também se estendem por milhares de quilômetros, embora ainda insuficientes, dadas as suas estreitas dimensões - e, entupidas, contribuem decisivamente para inundações. Que planejamento se fará para a mobilidade, em que tudo isso interfere - e sabendo ainda que mais de 1 milhão de pessoas “entram e saem da capital diariamente”? E de onde virão os recursos? Estudo da ONU calcula que a “transição para cidades sustentáveis” no mundo não ficará abaixo de US$ 40 trilhões até 2030. Quanto será em São Paulo? Seria, entretanto, muito proveitoso reconfigurar essas infraestruturas urbanas numa cidade como São Paulo, onde só a perda de água nas redes subterrâneas de distribuição, por furos e vazamentos, não está muito abaixo de 40% do total, que

é a média brasileira - calcule-se o prejuízo financeiro e o custo para os cidadãos. E pouco se avança em obras abaixo do solo no País (São Paulo ainda vai à frente). Os recursos para investimentos em mobilidade urbana mínguam, em lugar de crescerem. Obras que estavam previstas para até 2014, na Copa do Mundo, foram retiradas da lista das prioritárias. Em um ano reduziram-se em R$ 2,5 bilhões. E a questão não é só de mobilidade ou econômica, pode ser de saúde também. Estudo de cardiologistas do Hospital do Coração de São Paulo alerta que “a tensão gerada por fatores do cotidiano como trânsito, violência e excesso de trabalho” - todos relacionados com a mobilidade - “causa aumento da pressão arterial e a liberação de hormônios que podem comprometer seriamente a saúde cardíaca (...), o estado de tensão e alerta contínuo pode levar à liberação de altos níveis de hormônios, que geram instabilidade no organismo e podem provocar espasmos na artéria coronária que irriga o coração, além de lesionar células cardíacas, conhecidas como miócitos, por causa do aumento

* Artigo reproduzido do jornal O Estado de S. Paulo

Meio Ambiente

dos radicais livres”. O cortisol e a adrenalina podem aumentar os batimentos cardíacos e elevar a pressão arterial. Pessoas já predispostas “ podem sofrer infartos e até vir a óbito”. A questão vai chegando a níveis tais que o prefeito de São Paulo já diz que “o usuário terá que repensar o uso do carro”. Para ele, “não é simples mudar uma cultura - se fosse, alguém já teria feito”. Mas terá de fazer. E aceitar - como já foi discutido tantas vezes neste espaço - prioridades para o transporte público, sobre o transporte individual. E isso pode traduzir-se também em zonas de pedágio urbano, investimentos maciços e prioritários em metrô e trens urbanos, etc. Teremos, todos, de mudar nossos hábitos e visões. E trabalhar com otimismo em novas direções urbanas, principalmente os administradores públicos. Como disse o filósofo G. K. Chesterton (Doze tipos, Editora Topbooks, 1993, coordenação de Ivan Junqueira), “o homem que goza de popularidade deve ser otimista a respeito de tudo, ainda que seja apenas otimista em relação ao pessimismo”.


Mostra Internacional de cinema na cultura Filmes de Setembro

Cine


Cine


Voltar ao Calendário

Pular seção

Foto: Divulgação

Mostra Internacional de Cinema | Filmes de setembro

Katyn Quarta-feira, 04 de setembro, às 22h45 | LEGENDADO Sexta-feira, 06 de setembro, às 22h | dublado

Inédito

O filme é um relato histórico que descreve o famoso e triste massacre de Katyn, na Rússia. Meses depois da invasão nazista na Polônia, em 1939, milhares de prisioneiros de guerra poloneses são mantidos sob custódia e enviados a campos de concentração. Andrzej está entre esses oficiais, que se recusa a fugir com a esposa Anna, para honrar seu serviço com o exército. Anna, assim como outras mulheres que tiveram seus maridos perdidos na guerra, vive o drama da falta de notícias concretas sobre Andrzej. Ela não acredita nas evidências que ele tenha sido assassinado. Até que, em 1943, são descobertas grandes covas coletivas na floresta de Katyn.

Cine

Ficha técnica Título original: Katyn Direção: Andrzej Wajda Ano: 2007 Origem: Polônia Duração: 122 min. Colorido Elenco: Andrzej Chyra, Maja Ostaszewska, Artur Zmijewski, Danuta Stenka, Jan Englert Prêmios: Melhor filme de 2007 da Academia Polonesa; indicado ao Oscar de melhor filme estrangeiro do mesmo ano. Classificação indicativa: 14 anos


Voltar ao Calendário

Pular seção

Foto: Divulgação

Mostra Internacional de Cinema | Filmes de setembro

PATRIK 1,5

Ficha técnica Título original: Patrik age 1,5

Quarta-feira, 11 de setembro, às 22h45 | legendado Sexta-feira, 13 de setembro, às 22h | dublado

Direção: Ella Lemhagen

Inédito Convidada: Sandra Corveloni (atriz)

Origem: Suécia

O longa conta a história de um casal gay que adota quem eles acreditam ser um bebê de um ano e meio de idade chamado Patrik. No entanto, quando o menino chega, ele não é bem o que os dois esperavam. Houve um erro de digitação na idade do garoto e o casal recebe um jovem de 15 anos, homofóbico e com um passado criminoso. Entretanto, o que no início parece ser um conflito insolúvel, aos poucos revela-se uma sensível descoberta da amizade e do amor paterno, entre pessoas totalmente estranhas umas às outras.

Cine

Ano: 2008 Duração: 95 min. Colorido Elenco: Gustaf Skarsgård, Torkel Petersson, Tom Ljungman Prêmios: Melhor Filme no 33º San Francisco International LGBT Film Festival (2009) Classificação: 16 anos


Voltar ao Calendário

Pular seção

Foto: Divulgação

Mostra Internacional de Cinema | Filmes de setembro

Encontro com o passado Quarta-feira, 18 de setembro, às 22h45 | LEGENDADO Sexta-feira, 20 de setembro, às 22h | dublado

Inédito

Jeanne, uma escritora casada e com dois filhos, começa a perceber inquietantes mudanças em sua casa. Seu corpo está se transformando e ninguém à sua volta parece perceber. Sua família diz que esses receios são causados pelo stress de ter que terminar seu próximo livro, mas Jeanne acha que algo muito mais profundo e perturbador está acontecendo. Uma foto na casa de sua mãe faz com que ela vá para a Itália. Lá, transformada em outra mulher, Jeanne vai descobrir o estranho segredo de sua verdadeira identidade.

Cine

Ficha técnica Título original: Ne te retourne pás Direção: Marina de Van Ano: 2009 Origem: França Duração: 111 min. Colorido Elenco: Sophie Marceau, Monica Bellucci, Andrea Di Stefano, Thierry Neuvic, Brigitte Catillon, Sylvie Granotier Classificação indicativa: 14 anos


Voltar ao Calendário

Pular seção

Foto: Divulgação

Mostra Internacional de Cinema | Filmes de setembro

Eu matei minha mãe

Ficha técnica Título original:

Quarta-feira, 25 de setembro, às 22h45 | legendado Sexta-feira, 27 de setembro, às 22h | dublado

Direção: Xavier Dolan

Inédito Convidado especial: Alcino Leite (Jornalista)

Origem: Canadá

Hubert Minel é um jovem impetuoso de 17 anos que não gosta nem um pouco de sua mãe. Ele despreza suas roupas bregas, o estilo kitsch e as migalhas de pão que sempre ficam no canto de sua boca. Além desses traços, a relação dos dois é pautada pela manipulação e a culpa. Confuso e dividido por uma relação de amor e ódio que o deixa cada dia mais obcecado, o garoto vive uma adolescência que é ao mesmo tempo típica e marginal, marcada por novas experiências artísticas, sexo e abandono.

Cine

Ano: 2009 Duração: 100 min. Colorido Elenco: Anne Dorval, Xavier Dolan, Suzanne Clement, François Arnaud Classificação: 18 anos


anúncio (Provocações)


Cultura


Foto: Pawel Kadysz

Ser geek é chique | MUNDO NERD

Ô,

assuntinho complexo .

por cima. Taí a perfeita pintura

computadores. Surgia a geração

Por onde começar? Bom... do

de um nerd, de um CDF. Como

geek. De repente, gostar de tudo

começo: Eu sou um nerd. Ok, ex-

você pode imaginar, isso nunca

o que eu gostava desde criança

nerd, atual geek. Não entendeu?

ajudou muito na vida social.

se tornou legal. Acho que é

Eu explico. Na minha infância, na

Ajudava mesmo era na zoeira dos

isso que chamam de “sinal dos

década de 1980, ser nerd não era

colegas – que era algo saudável

tempos”.

legal assim, como é hoje. Você,

e recíproco, e ainda não tinha

E eu? Eu ADOREI isso. Era nerd,

caro leitor, com certeza conhece

essa designação ridícula de

virei geek. Fui promovido, ora!

a expressão CDF. É, aquela que

“bullying”.

Hoje em dia, em todo lugar

começa com um palavrão e não

Mas o tempo foi passando e, quem

que vou, arrumo alguém para

tem nada a ver com ser cool.

diria, meus gostos e costumes

conversar sobre os quadrinhos e

Desde pequeno, sempre gostei

foram se tornando coisas não só

filmes da Marvel e da DC, sobre a

de quadrinhos, super-heróis,

socialmente aceitáveis, mas até

próxima geração de videogames,

ficção científica, computadores

mesmo atraentes e invejadas.

sobre o novo computador

e afins. Ia bem na escola e

Comecei a ver gente que tirava

super potente. Acho muito

gostava de ler. Com a miopia

onda com a minha cara virando

interessantes, aliás, as diferentes

herdada da genética do papai,

fã de quadrinhos, de Guerra

vertentes que a “cultura geek”

usava óculos desde cedo, ainda

nas Estrelas, de videogames e

tomou.

Cultura


Ser geek é chique | MUNDO NERD

Dá pra encontrar fanáticos

multibilionária indústria do

e muitos painéis acontecem

pelos super-heróis dos cinemas,

cinema, por exemplo.

simultaneamente”, ele afirma.

aficionados de tudo quanto

Já convenções como a Comic-

Mesmo assim, a cobertura deste

é série de televisão, seja ela

Con de San Diego, que estreou

ano foi pico de audiência no site,

de ficção científica ou não,

em 1970 com um público de 300

que trouxe reportagens, fotos

gamers inveterados (tanto de

pessoas (todos nerds, claro),

e vídeos sobre o que rolava de

jogos de computador quanto

já atrai quase 150.000 pessoas

mais importante na Comic-Con.

de videogame), gente que

todos os anos. “Lá você encontra

Além do Omelete, hoje existe uma

cultua o estilo “geek chic”,

de tudo, de bebês de colo a

infinidade de sites dedicados a

vestindo camisetas com frases

idosos”, conta Marcelo Forlani,

nerdices. Páginas especializadas

engraçadinhas de jogos e

criador e diretor do site Omelete,

no universo dos quadrinhos, em

seriados, brincos de cogumelos

dedicado, entre outros assuntos,

tecnologia e gadgets, jogos de

do Super Mario e óculos de

à cultura geek. Forlani esteve

videogame e computador, em

armações grandes. E por aí vai.

com uma equipe na convenção

ficção científica e afins. Basta

O que antes se resumia aos

deste ano, fazendo uma espécie

procurar pela palavra “geek”

costumes de uma “tribo” tomou

de “live blogging” dos variados

na internet e mergulhar de

proporções gigantescas. Há

painéis. “Claro que não dá para

cabeça nas últimas novidades

anos, a indústria de videogames

cobrir TUDO o que acontece,

desse mundo. Eu, pessoalmente,

gera mais renda que a já

porque o lugar é muito grande

recomendo. Desde pequeno.

GLOSSÁrIO nerd – definição estereotipada de pessoas que se dedicam a atividades intelectuais; viciado em tecnologia Geek – termo atual glamourizando o nerd; refere-se a pessoas que gostam de cultura popular, tecnologia, quadrinhos, seriados e afins CDF – C*-de-ferro Gadget – “bugiganga” tecnológica, pode ser útil ou não OS PrEFErIDOS DOS GEEKS • Séries de TV como Big Bang Theory, Lost, Fringe, Supernatural, Futurama e os clássicos Doctor Who e Jornada nas Estrelas

Cultura

• Franquias de super-heróis no cinema: Homem de Ferro, Vingadores, Super-Homem, Batman, Capitão América e afins • Quadrinhos, preferencialmente os que inspiraram filmes ou séries, como Watchmen e The Walking Dead • Gadgets que vão de cópias da chave de fenda sônica de Doctor Who ou comunicadores de Jornada nas Estrelas a telefones celulares que fazem absolutamente tudo, menos café • J o g o s d e v i d e o g a m e e c o m p u ta d o r, principalmente franquias como Assassin’s Creed, Batman: Arkham, Halo, God of War, Zelda, GTA, Portal, Bioshock, e jogos indie (independentes) como Minecraft


Como adquirir com segurança a casa própria | direito

Como adquirir com segurança a casa própria Por Roberto Bolonhini Júnior

No Brasil , durante o período colonial e em

Para se adquirir com segurança a propriedade

grande parte do Imperial, o registro dos atos civis

de um imóvel é fundamental seguir os passos

era realizado pela Igreja Católica. Com a separação

abaixo indicados, a fim de que o comprador possa

entre Igreja e Estado, em entidades autônomas, a

efetivamente ser dono da coisa e não simples

incumbência registral passou a ser de exclusividade

possuidor.

do poder estatal. Nesse novo contexto, ganha

O primeiro passo é levantar as certidões pessoais

relevância a aquisição da propriedade imóvel por

e reais, a fim de que se verifique, por exemplo, se

meio do registro imobiliário.

o imóvel realmente pertence à pessoa que está

Atualmente a aquisição da casa própria somente

vendendo, como também, se o vendedor não é

pode ser feita por meio do registro no cartório

réu em algum processo que possa comprometer

imobiliário competente, por força da Lei de Registros

a propriedade do imóvel que está sendo vendido.

Públicos, n. 6.015/73.

Essas certidões normalmente podem ser levantadas

Grande parte da população brasileira se equivoca ao

por advogado, ou, ainda, por um funcionário de

pensar ser proprietária da casa própria em razão de

qualquer cartório de notas, os quais orientarão

ter assinado um contrato de compra e venda. Seja

quantos aos documentos necessários para a lavratura

por meio de instrumento particular, seja através

da escritura de compra e venda.

de escritura pública, o fato é que a assinatura de

Não existindo restrições nas certidões, isto é,

um simples contrato ou escritura não garante a

estando elas negativadas, pode o adquirente do

propriedade para o comprador.

imóvel dar o segundo passo, qual seja, lavrar a

Serviço


Como adquirir com segurança a casa própria | DIREITO

AssisTA Ao pronTo ATendimenTo SEGUNDA A SEXTA-FEIRA, ÀS 8H SÁBADO, ÀS 13H30 Para conferir mais arquivos e informações, acesse a página do programa no cmais+!

Roberto Bolonhini é entrevistado fixo do Pronto Atendimento, onde tira dúvidas sobre direitos.

escritura pública de compra e venda no cartório

É fundamental esclarecer que o registro deve ser

de notas. É importante salientar que a referida

feito no cartório imobiliário competente, isto é,

escritura pode ser lavrada em qualquer cartório de

no cartório próprio para o registro da escritura,

notas. No dia pelo escrevente do cartório de notas,

de acordo com localização geográfica do imóvel.

comprador e vendedor comparecerão ao cartório,

Normalmente, o próprio cartorário onde a escritura

e a escritura elaborada será lida pelo oficial do

pública foi lavrada orienta o comprador acerca

cartório e devidamente assinada.

desse registro no cartório imobiliário competente.

Embora não seja obrigatório, é importante que o

Quase sempre na doce ilusão de que contrato

vendedor, para uma maior segurança, no ato da

assinado, propriedade garantida, o comprador

assinatura da escritura, exija do comprador um

do imóvel deixa para registrá-lo posteriormente,

cheque administrativo como forma de pagamento.

visto que, além das despesas com escritura, o

Por fim, o terceiro e derradeiro passo que deve

comprador também tem despesas com o registro

ser dado para aquisição da casa própria. Deverá

e o imposto de transmissão de bens imobiliário

o comprador se dirigir ao Registro Imobiliário

(ITBI). É um grave erro assim proceder, pois não

competente e apresentar a escritura de compra e

havendo registro imobiliário, o suposto comprador

venda para que ela possa ser registrada e, dessa

não é proprietário do imóvel, podendo o vendedor

forma, garantir o comprador a propriedade do

aliená-lo a outra pessoa que, se registrá-lo em

imóvel.

primeiro lugar, tornar-se-á proprietário do bem.

Serviço


anĂşncio (Ensaio)


FOTO: DIVULGAçãO

Programação do Clássicos | ESPETÁCULOS DE SETEMBRO

ASSISTA AO CLÁSSICOS SÁBADOS, ÀS 21H45; DOMINGOS, ÀS 11H45 Para conferir mais arquivos e informações, acesse a página do programa no cmais+!

clássIcos

eM seteMbro Entre os destaques estão três concertos da Filarmônica de Câmara Alemã de Bremen realizados em São Paulo, e um documentário sobre o mundialmente famoso Coro da Igreja de São Thomas, na Alemanha * A programação pode ser alterada sem aviso prévio

Música

GLENN GOULD TOCA BACH – EPISÓDIO 3 DOMINGO, 1º DE SETEMBRO, àS 11H45 – DOCUMENTÁRIO Este é o terceiro e último episódio da série de documentários em que o pianista Glenn Gould toca e fala sobre a obra para teclado de Johann Sebastian Bach. Ele relembra sua primeira gravação e explica porque quis fazer um novo registro das variações de Goldberg.


IMAGENS: DIVULGAçãO

Programação do Clássicos | ESPETÁCULOS DE SETEMBRO

MAIS INFORMAÇOES

OSESP – BURGOS, BRAHMS E BEETHOVEN SÁBADO, 7 DE SETEMBRO, àS 21H45 – CONCERTO Gravado em 8 de agosto na Sala São Paulo, o concerto da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo tem regência do maestro Rafael Frühbeck de Burgos. A primeira obra apresentada é de autoria do próprio maestro, três são de Brahms e a última é a quinta sinfonia de Beethoven.

800 ANOS DO CORO DA IGREJA DE SÃO THOMAS – PARTE 1 DOMINGO, 8 DE SETEMBRO, àS 11H45 – DOCUMENTÁRIO

Este longa-metragem dirigido por Paul Smaczny mostra o cotidiano dos membros do Coro da Igreja de São Thomas, na Alemanha. O coro foi fundado em 1212 e é um dos mais famosos e prestigiados do mundo.

MAIS INFORMAÇOES

FILARMÔNICA DE CÂMARA ALEMÃ DE BREMEN – 1

800 ANOS DO CORO DA IGREJA DE SÃO THOMAS – PARTE 2

SÁBADO, 14 DE SETEMBRO, àS 21H45 – CONCERTO

DOMINGO, 15 DE SETEMBRO, àS 11H45 – DOCUMENTÁRIO

Durante quatro dias consecutivos, a Filarmônica interpretou a integral das sinfonias de Beethoven no Teatro Municipal e na Sala São Paulo. Os concertos foram considerados um dos pontos altos da temporada 2013 e a TV Cultura apresenta o primeiro deles.

Música

Nascido em 1212, o coro ganhou um documentário em 2012, em comemoração aos seus 800 anos. A segunda parte deste especial traz o dia a dia do grupo, que mantém tradições centenárias, como a inclusão dos meninos mais velhos na educação dos mais novos.


IMAGENS: DIVULGAçãO

Programação do Clássicos | ESPETÁCULOS DE SETEMBRO

MAIS INFORMAÇOES

MAIS INFORMAÇOES

FILARMÔNICA DE CÂMARA ALEMÃ DE BREMEN – 2

ORQUESTRA REAL DO CONCERTGEBOUW DE AMSTERDÃ

SÁBADO, 21 DE SETEMBRO, àS 21H45 – CONCERTO

DOMINGO, 22 DE SETEMBRO, àS 11H45 – CONCERTO

A convite do Mozarteum Brasileiro, a Filarmônica de Câmara Alemã de Bremen, durante quatro dias, interpretou a integral das sinfonias de Beethoven no Teatro Municipal e na Sala São Paulo. Nesta noite, o Clássicos apresenta a segunda parte do ciclo de concertos. Gravação exclusiva.

MAIS INFORMAÇOES

Nesse domingo reapresentaremos o concerto da Orquestra Real do Concertgebouw de Amsterdã realizado na parte externa do Auditório Ibirapuera, em São Paulo. A orquestra se apresenta sob a regência de Marris Jansons.

MAIS INFORMAÇOES

FILARMÔNICA DE CÂMARA ALEMÃ DE BREMEN – 3

ORQUESTRA JOVEM DO ESTADO DE SÃO PAULO

SÁBADO, 28 DE SETEMBRO, àS 21H45 – CONCERTO

DOMINGO, 29 DE SETEMBRO, àS 11H45 – CONCERTO

Durante quatro dias consecutivos do mês de agosto deste ano, a Filarmônica interpretou a integral das sinfonias de Beethoven no Teatro Municipal e na Sala São Paulo. Nesta noite, o Clássicos apresenta a terceira parte do ciclo de concertos, com a execução das sinfonias 6 e 7.

Música

O Clássicos deste sábado apresenta um concerto realizado em setembro deste ano pela Orquestra Jovem do Estado de São Paulo. Sob regência de Claudio Cruz, a orquestra interpreta obras de Wagner, Mozart e Mendelsohnn na Sala São Paulo.


50 anos viajando na TArDIS | DOCTOR WHO

50 ANOS VIAJANDO NA TARDIS A série Doctor Who comemora meio século com um novo Doutor, um especial que reúne atores atuais e das antigas e um documentário sobre sua criação Por Nadia Atiê

“(...) Q uem SaBe , o paÍS poDeria Ser inVaDiDo por um exército De D aleKS ! a h , maS eStarÍamoS SeGuroS , poiS terÍamoS o D outor para noS proteGer ” . Foi o que

deixou em estado de ansiedade, alegria, desespero e um milhão de outros sentimentos os whovians de todo o mundo.

escreveu o pequeno Peter Capaldi, de apenas 15 anos, na carta enviada para a revista britânica Radio Times. Ele elogiava o especial de comemoração do 10º aniversário da série Doctor Who, em 1973.

Anunciado para o dia 23 de novembro, o especial “The Day of the Doctor” comemora os 50 anos da série com uma presença malévola alienígena já conhecida dos fãs, os Daleks. E para enfrentá-los, ninguém menos que os Doutores Matt Smith (11º Doutor), David Tennant (10º Doutor) e John Hurt. Os nomes de Jenna Coleman (Clara), Billie Piper (Rose) e Joanna Page também estão confirmados.

Quem diria que, 40 anos depois, ele estaria assumindo o papel do Senhor do Tempo mais famoso de toda a galáxia, a quem confiava sua vida. Olha aí o que ele falou à BBC: “Ser convidado para interpretar o Doutor é um privilégio incrível. Como o próprio Doutor, eu me encontro num estado de terror absoluto e prazer. Mal posso esperar para começar”. A gente também! Aos 55 anos — a mesma idade que William Hartnell, o 1º Doutor, tinha quando a série estreou em 1963 — ele se tornou o 12º Doutor. E isso ainda no mesmo ano em que a série completa meio século de aventuras no tempo e espaço. Não tem como ficar melhor? Ah, tem sim! Desde o ano passado, quando foi anunciado, o especial de 50 anos da série

Capa

O Doutor já derrotou os Daleks muitas vezes, mas eles sempre retornam com sua energia renovada. Aliás, eles já estão nessa caminhada contra o Doutor e toda a humanidade há 50 anos. Sim, eles também vão fazer seu aniversário de maldade, já que foram os primeiros vilões de Doctor Who. Fica a dica para uma estampa de camiseta: “Daleks - aterrorizando o público desde 1963.” O principal escritor e produtor executivo da série, Steven Moffat, comentou à BBC sobre a presença deles no especial: “O Doutor já disse uma vez que


Foto: Divulgação

50 anos viajando na TARDIS | DOCTOR WHO

David Bradley como William Hartnell na série An Adventure in Space and Time

você pode julgar um homem pela qualidade de seus inimigos, por isso é justo que, neste episódio muito especial, ele encare seu maior inimigo”. Mas não pense que os Daleks estarão sozinhos nessa. Os Zygons também estarão no especial da BBC. Eles só apareceram na série uma vez antes, em 1975, e passaram por um upgrade no visual, comparado à sua primeira aparição. Daleks, Zygons, três Doutores e companions de diferentes temporadas, fora as surpresas que nem foram anunciadas. Quem aí está passando por um surto de ansiedade? E para você que está aí desejando ter uma TARDIS que te leve até o futuro para assistir ao especial, acalme-se. Até porque spoilers não são legais! E a River Song fez questão de dar uma passadinha na alta cúpula da BBC e garantir que o episódio fosse transmitido simultaneamente em 200 países, evitado assim que fotos, trechos, ou qualquer tipo de spoiler fosse divulgado. Brincadeirinha, eles decidiram isso sozinhos mesmo. Será? Enfim, em um comunicado oficial, a emissora afirmou que o especial irá ao ar no sábado, 23 de Capa

novembro, às 19h no Reino Unido e em mais outros 200 países simultaneamente, com a opção de 3D. A BBC Brasil já confirmou que está nessa lista! Eles anunciaram a transmissão do episódio para o mesmo dia, às 17h (horário de Brasília). Ainda não sabemos se o especial terá reprises. Seguindo nesse clima animado de comemoração, logo mais, em outubro, será lançado um documentário que narra a origem da série: “An Adventure in Space and Time” já tem presenças confirmadas de Doutores da série clássica e será exibido pela BBC. Porém, uma substituição precisou ser feita, já que o 1º Doutor, Wiliam Hartnell, morreu em 1975. Para a honra de interpretar esse papel, ninguém menos que David Bradley. O ator é mais conhecido pelo papel do zelador Filch nos filmes de Harry Potter e deu uma “performance maravilhosamente sutil e comovente”, como declarou Mark Gatiss, diretor do documentário, para a BBC. Bradley também estrelou um episódio de 2012, na sétima temporada da série, “Dinosaurs on a Spaceship”. Ele disse à Rádio Times, no início deste


50 anos viajando na TArDIS | DOCTOR WHO

ano, quando Gatiss ofereceu-lhe o papel: “Eu quase mordi a mão dele”. Uma boa forma de demonstrar a gratidão, não é? E continuou: “Mark escreveu um roteiro maravilhoso, não só sobre o nascimento de um fenômeno cultural, mas sobre um momento na história da televisão”. Mas e os fãs brasileiros, como estão aguentando essa espera? Bom, acompanhando os episódios da série na TV Cultura, ficando de olho em sites e redes sociais com novidades quentinhas, fazendo terapia e por aí vai. Bom, se você leu esse texto até aqui é porque ou você é realmente um fã de Doctor Who ou achou o design dessa página bem legal e queria saber do que se tratava. Caso você se encaixe na segunda opção, vamos deixar aqui uma seleção de sites e fan pages oficiais onde vai encontrar muitas informações, novidades, fotos, além de sorteios e etc. E bem-vindo ao mundo Whovian!

Rogério Fantin, de 46 anos, sempre foi fã de séries de ficção científica e resolveu passar um pouco dessa paixão para a filha. E ela, aceitou super bem! “Doctor Who é uma série para assistir com toda a família. Transmite mensagens sobre a importância da amizade e contra o preconceito”, contou Rogério. E como se não bastasse ele ensinar a filha desde criança a gostar de boas séries, ele ainda é artista plástico e fez uma miniatura da TARDIS para ela. Mirany coleciona vários objetos da série. São chaveiros, camisetas, as sonic screwdriver do 10º e do 11º Doutor e, claro, a pequena TARDIS! Ela administra também uma fan page da série no facebook, Doctor Who – Fans BR, onde publica novidades e interage com outros fãs. E vocês acham que isso já é o suficiente? Não para a família Fantin! O Rogério grafitou os rostos do David Tennant (10º Doutor) e do Matt Smith (11º Doutor) na fachada da casa. E o cara é bom, hein! Dá uma olhadinha nisso:

DE PAI PArA FILhA! A adolescente Mirany Fantin, de 14 anos, virou fã de Doctor Who por influência do pai. Isso mesmo,

Daleks, whovians, TARDIS. Ficou perdido? Tem um glossário especial aqui que vai te ajudar!

Capa

ACOMPANHE AS NOVIDADES! CURTA A PÁGINA ACESSE O SITE


Programação de setembro | VITRINE INDICA

FOTO: DIVULGAçãO

AGENDA

PARECERIA:

O QUE Exposição QUANDO Até 27 de outubro QUANTO Gratuito ONDE Caixa Cultural Sé CONTATO (11) 3321-4400

A DIVINA COMÉDIA, DE DANTE ALIGHIERI, POR SALVADOR DALÍ catraca livre A exposição, que já passou pelo Rio de Janeiro, Curitiba e Recife, agora desembarca em São Paulo para encantar os overno italiano, em razão das comemorações dos 700 anos do nascimento de Dante. Mais informações

GALERIA OLIDO CELEBRA MÚSICA NEGRA COM PROGRAMAÇÃO ESPECIAL

O CORPO EXPANDIDO EXIBE FOTOS DE ARTISTAS QUE ROMPERAM COM OS PADRÕES SOCIAIS

A edição de “Dos Tambores aos Toca Discos” ocorre todas as quartas de setembro, sempre às 19h. A série de apresentações conta com participação de artistas como DJ Erry-g, MC Gaspar (Z’África Brasil) e os percussionistas Bruno Duarte (Gestos Sonoros) e Omig One (Mental Abstrato).

Fotos de atividades efêmeras, porém impressionantes, estão expostas na Galeria Jaqueline Martins. São fotografias inéditas de performances de artistas realizadas entre 1950 e 1980. Os mais de 100 retratos de importantes coleções foram tirados em diferentes cidades do mundo, como Ny, Tóquio, Paris e Roma.

catraca livre

Mais informações

catraca livre

Mais informações O QUE Show QUANDO 25 de setembro QUANTO Gratuito ONDE Galeria Olido - Avenida São João, 473 – Centro – São Paulo CONTATO (11) 3331-8399 / (11) 3397-0171

O QUE Exposição QUANDO Até 30 de setembro QUANTO Gratuito ONDE Galeria Jaqueline Martins - Rua Dr.Virgílio de Carvalho Pinto, 74 – Pinheiros – São Paulo CONTATO (11) 2628-1943

Agenda


Programação de setembro | VITRINE INDICA

TALK SHOW COM PERSONAGENS HISTÓRICOS MORTOS catraca livre Paulo Markun promove um talk show em

formato inédito na Biblioteca Mário de Andrade, com convidados mortos, todos emblemáticos da história brasileira. Como é possível? Cada um deles é revivido por atores que terão a missão de responder a perguntas do jornalista e da plateia.

Mais informações O QUE Teatro

IBRAHIM ELETRIC, LA YEGROS E FILARMÔNICA DE PASÁRGADA ESTÃO NA PROGRAMAÇÃO DO “MÊS DA CULTURA INDEPENDENTE” NO CCSP catraca livre Com programação especial, o local recebe

uma série de eventos com música contemporânea e popular e cinema feitos por artistas que não têm apoio de grandes corporações. Todas as atrações de música têm entrada Catraca Livre.

Mais informações O QUE Festival

QUANDO Até 11 de novembro

QUANDO Até 24 de setembro

QUANTO Gratuito

QUANTO Gratuito

ONDE Biblioteca Mário de Andrade - Rua da Consolação, 94 – Consolação – São Paulo CONTATO (11) 3256-5270

PEÇA DE TEATRO SOBRE MANIFESTAÇÕES ENTRA EM CARTAZ NO SESI-SP catraca livre A peça conta a história de quatro membros

de uma organização chamada Rede, que busca chamar a atenção de classes mais favorecidas financeiramente no Balneário de Cine. E eles não usam violência para tal; apenas com beleza e poesia já causam um grande alvoroço.

Mais informações O QUE Teatro QUANDO Até 8 de dezembro QUANTO Gratuito ONDE Teatro Sesi-SP - Av. Paulista, 1313 – Consolação – São Paulo CONTATO (11) 3146-7405

Agenda

ONDE Centro Cultural São Paulo - Rua Vergueiro, 1000 -Paraíso CONTATO (11) 3397-4002 / (11) 3397-4064

DOIS MOMENTOS, POR GILBERTO SALVADOR A Pinacoteca de São Paulo apresenta a exposição Dois momentos, do artista plástico Gilberto Salvador. A mostra conta com pinturas, objetos e instalações, trabalhos que foram realizados entre a década de 60 até os dias de hoje.

Mais informações O QUE Exposição QUANDO Até 17 de novembro QUANTO R$ 6 e R$ 3 - Grátis aos sábados ONDE Pinacoteca do Estado de São Paulo - Praça da Luz, 02 – Luz CONTATO (11) 3324-1000


Programação de setembro | VITRINE INDICA

EXPOSIÇÃO TEM OBRAS DE ARTE DE KARINA BUHR, TULIPA RUIZ E OUTROS

REVELANDO SÃO PAULO DESTACA CULTURA PAULISTA

catraca livre Não é só música que eles sabem fazer: Karina

catraca livre O encontro, realizado desde 1997, reúne

Buhr, Tulipa Ruiz, Arnaldo Baptista, Kiko Dinucci e Cibelle apresentam suas obras visuais na exposição Ateliê dos Músicos, no Sesc Vila Mariana. Desenhos, pinturas, colagens, gravuras, ilustrações. Tudo isso faz parte do conjunto de obras desses multiartistas.

artesanato, culinária, música e outras artes durante os 10 dias de festival. Na programação, mais de 250 grupos de cultura tradicional, como Fandango, Folias de Reis e Catira. O festival traz para a capital a cultura, artesanato e culinária de caipiras, tropeiros e caiçaras de 200 cidades.

Mais informações O QUE Exposição

Mais informações O QUE Festival

QUANDO Até 17 de novembro

QUANDO Até 22 de setembro

QUANTO Gratuito

QUANTO Graituto

ONDE Sesc Vila Mariana - Rua Pelotas, 141 – Vila Mariana – São Paulo CONTATO (11) 5080-3000

ONDE Parque do Trote - Avenida Nadir Dias de Figueiredo CONTATO (11) 2905-0165

CHORO E SAMBA DE VITRINE NO CENTRO TEM FEIJOADA E TRADIÇÃO

O SESC BELENZINHO APRESENTA A MOSTRA FOTOGRÁFICA DE SEBASTIÃO SALGADO, GENESIS

Encontro acontece na loja de instrumentos Contemporânea, que também é palco para grandes nomes da música brasileira. O Samba de Vitrine acontece uma vez por mês em frente à loja de instrumentos musicais.

Com curadoria de Lélia Wanick Salgado, a exposição tem 245 fotografias inéditas, que retratam um mundo preservado e intocado. Divididas em cinco seções geográficas, a mostra revela maravilhas que permanecem imunes à aceleração da vida moderna - montanhas, desertos, florestas, tribos, aldeias, animais -, imagens que o fotógrafo brasileiro, radicado em Paris, registrou entre 2004 e 2011.

Mais informações O QUE Show QUANDO Até 28 de setembro QUANTO Gratuito ONDE Loja de Instrumentos Musicais Contemporânea - Rua General Osório, 46 – São Paulo CONTATO (11) 3221-8477

Mais informações O QUE Exposição QUANDO Até 1º de dezembro QUANTO Gratuito ONDE Sesc Belenzinho – Rua Padre Adelino, 1000 – Belenzinho – São Paulo CONTATO (11) 2076-9700

Agenda


Mais brasil na TV | TELEVISãO

MAIS BRASIL NA TV à luz do primeiro aniversário de vigência da Lei da TV Paga, a cota prevista atinge seu pico e a TV ganha mais brasilidade

Por Priscila Lima TEM MAIS brASIL nA SuA TV - e mais diversidade também. As próximas edições da Vitrine trarão uma análise da Lei da TV Paga, que entra em vigor no dia 2 deste mês, e obriga todo canal brasileiro de espaço qualificado a veicular 3h30 semanais de conteúdo qualificado nacional (veja o box ao lado) em horário nobre. Metade deste conteúdo deve, ainda, ter sido realizado por produtoras brasileiras independentes – justamente o que estava faltando na nossa TV. Entra aí boa parte das séries nacionais

COnTEÚDO QuALIFICADO, DE ACOrDO COM A LEI DA TV PAGA: Todo o conteúdo veiculado pelo canal, excluindo-se os religiosos ou políticos, esportivos, concursos, publicidade, televendas, infomerciais, jogos eletrônicos, propaganda política obrigatória, programas jornalísticos e programas de auditório ancorados por apresentador;

que você viu estrear no último ano: de 3 Teresas a Beleza S/A.

De lá para cá, diversos países adotaram a medida –

A “cota de tela” foi adotada, pela primeira vez, lá

primeiramente dirigida às salas de cinema e, mais

na primeira metade do século xx. Com o objetivo

recentemente, às telas da TV.

de evitar que grandes produções americanas

As cotas ampliam as perspectivas de uma maior

sufocassem a produção local, as primeiras legislações

penetração do produto nacional, minimizando as

protecionistas para a indústria audiovisual foram

barreiras à competição com os produtos estrangeiros

criadas na Europa após a Primeira Guerra Mundial.

e incentivando a diversidade e o pluralismo.

Televisão


Foto: Divulgação

Mais Brasil na TV | Televisão

No Brasil, a cota prevista pela lei em vigor ainda

recebo na produtora diretores de praticamente

está longe do ideal, segundo produtores. Essas 3h30

todos os canais, inclusive internacionais, o que

semanais, ou 30 minutos diários, tirando a média,

era impensável. Isso já é um ganho enorme que

correspondem a apenas 2% da programação total de

a lei trouxe. Temos esse diálogo aberto, agora”.

um canal. É uma porcentagem muito pequena, se

A lei chega a sua plena implementação com ampla

comparada à cota adotada pelos países europeus –

adesão. Sob o impacto da nova legislação, há um

50% de conteúdos europeus no espaço qualificado

esforço sistemático de todos os segmentos do

em todos os canais. Ainda assim, a lei dá fôlego

mercado a fim de reorganizarem suas atividades.

ao mercado – e chega a colocar alguns processos

Mas se a lei dá fôlego ao mercado, também injeta

de cabeça para baixo. Denise Gomes, sócia e

um pouco de caos. Assunto para a próxima edição

produtora executiva da BossaNovaFilms, avaliou

da Revista Vitrine.

positivamente o impacto da lei durante o painel “Conteúdos: as oportunidades (e riscos) que se abrem”, parte do Congresso ABTA 2013: “É inegável o valor positivo que a lei trouxe. Nós demorávamos muito tempo para criar oportunidades de pitching com os canais. As dificuldades eram imensas, mas o processo se inverteu completamente. Eu, hoje,

Televisão


Arqueologia Musical | LANçAMENTOS PÓSTUMOS

ARQUEOLOGIA

MUSICAL NA ERA DO DOWNLOAD, CRESCE O NÚMERO DE LANÇAMENTOS PÓSTUMOS E EDIÇÕES LUXUOSAS DE ÁLBUNS DE SUCESSO

Por Felipe Tringoni

t rinta

anoS depois de sua

disposto a pagar caro por música.

gravação, parcerias de duas lendas da música serão finalmente lançadas em 2013. Michael Jackson e Freddie Mercury, vocalista do Queen, cantaram juntos no estúdio do Rei do Pop em 1983, e Brian May, guitarrista da banda britânica e um dos responsáveis pela produção das faixas, declarou que elas serão divulgadas “em poucos meses”.

Artistas tão diversos como Nirvana, Miles Davis e Amy Winehouse têm tido seus sucessos relançados em versões repletas de faixas bônus e material para colecionadores. E nem é preciso recorrer a êxitos de longa data atrás de exemplos dessa prática. Versões mais caprichadas de discos recentes são, por vezes, lançadas conjuntamente com as originais, como ocorreu com Beyoncé e Lana Del Rey, por exemplo.

O caso das faixas perdidas de Michael e Freddie é apenas mais um a evidenciar que a indústria fo n o g rá f i c a te m re c o r r i d o cada vez mais ao trabalho de “a rq u e ol o g i a m u s i c a l ”. E m tempos de download, músicos e gravadoras têm apostado fichas em álbuns póstumos, relançamentos deluxe com raridades e novas compilações como alternativa de vendas a um público com amplo acesso a informação e cada vez menos Discos

Para o crítico musical Marcelo Costa, do site Scream & yell, há um “exagero” de relançamentos. “Quanto mais grandes álbuns forem retrabalhados, melhor. No entanto, esse processo muitas vezes está sendo feito sem critério e vejo álbuns de dez anos atrás, que nem significaram tanto, serem reeditados em edição deluxe”, opina.

Muitas vezes os lançamentos acabam se valorizando apenas por serem póstumos. “O material precisa ter um mínimo de qualidade, ou então justificarse pelo item raro, algo que é só destinado para fãs”, avalia Marcelo. “No caso dos Rolling Stones, por exemplo, os lançamentos de raridades de álbuns como Exile Main Street e Some Girls são excepcionais e mostram que o que eles descartavam na época é muito melhor que grande parte do cenário atual.” nO brASIL, O AnO é DE SAbOTAGE Se lá fora o destaque do ano de lançamentos póstumos até agora são as gravações de Michael Jackson e Freddie Mercury, no Brasil a maior expectativa está em torno do novo álbum de um dos maiores nomes do rap nacional.


Arqueologia Musical | LANçAMENTOS PÓSTUMOS

Mauro Mateus dos Santos, o Sabotage, morto em 2003, lançou apenas um registro em vida: Rap é Compromisso, de 2000, produzido por Daniel Ganjaman e Zegon. O primeiro — que desde então já trabalhou com artistas como Planet Hemp, Nação Zumbi e Criolo — está à frente do disco póstumo de Sabota. “Estamos aproveitando o

material que gravamos em quatro dias de sessões e coisas que ele deixou em outros estúdios”. O lançamento “deve ser entre outubro e novembro”. G anjaman também cogita trabalhar na remasterização de Rap é Compromisso para um relançamento em vinil. Mais de dez anos depois, o produtor se refere a Sabotage — que em 2013

já virou tema de uma biografia e um documentário — como: “melhor MC que já gravei. Na época, já sabia que seria um álbum importante. Virou um clássico pelas próprias qualidades, mas o fato de ele [Sabotage] não estar mais aqui também contribuiu para o status que o disco tem hoje”, avalia.

TOP 10: ÁLbunS PÓSTuMOS UMA SELEÇÃO DE DEZ LANÇAMENTOS PÓSTUMOS DE GRANDES ARTISTAS

OTIS REDDING THE DOCK OF THE BAY (1968)

Deveria ser o começo de uma nova fase na carreira de Redding, não o final. O produtor Steve Crooper teve trabalho na montagem deste primeiro lançamento póstumo, que mostra aspectos-chave desta lenda da soul music. Ouça: “(Sitting on) The Dock of the bay”

JANIS JOPLIN PEARL (1971)

Concebido para mostrar o poder da voz de Janis, o álbum traz arranjos mais econômicos e um set de marcos de sua breve carreira como “Mercedes Benz” e “Cry Baby”. Poucos artistas poderiam pedir uma declaração final melhor. Ouça: “Me and bobby McGee”

Discos


Arqueologia Musical | LANçAMENTOS PÓSTUMOS

JOY DIVISION CLOSER (1980)

O segundo e último trabalho do Joy Division, banda símbolo do pós-punk britânico, saiu dois meses depois da morte do líder Ian Curtis. Um álbum marcante e influente, com tons sombrios e referências que vão do escritor inglês J.G. Ballard ao experimentalismo do grupo alemão Can. Ouça: “Decades”

CARTOLA CARTOLA AO VIVO (1982)

O último show do patriarca maior do samba moderno aconteceu em 30 de dezembro de 1978 em São Paulo, pouco menos de dois anos antes de sua morte. O registro de onze canções foi lançado pelo produtor de seu primeiro disco, J.C. Botezelli. Ouça: “Alvorada”

BOB MARLEY CONFRONTATION (1983)

Coleção assinada pela esposa Rita com base no trabalho deixado por Bob antes de sua morte em 1981. Embora a lenda do reggae não tenha participado da produção como costumava fazer em seus discos, o resultado é verdadeiro com o restante de sua obra. Ouça: “buffalo Soldier”

RAUL SEIXAS DOCUMENTO (1998)

Assinado por Marco Mazzola, amigo e produtor de Raulzito durante seu auge criativo, junto de uma equipe de primeira linha, este álbum apresenta versões em inglês e gravações inéditas como “Faça, Fuce, Force”. Ouça: “White Wing (Asa branca)”

Discos


Arqueologia Musical | LANçAMENTOS PÓSTUMOS

GEORGE HARRISON BRAINWASHED (2002)

O filho Dhani e o amigo Jeff Lynne finalizaram os trabalhos do último disco do ex-Beatle, lançado depois de mais de uma década sem novidades. Mesmo já ciente de seu câncer, George registrou aqui algumas de suas canções mais doces. Ouça: “Any road”

ELLIOTT SMITH FROM A BASEMENT ON A HILL (2004)

Quase um ano depois da morte do compositor, suas últimas gravações estão neste que é um de seus melhores registros. Todas as marcas de Smith estão aqui: os vocais duplicados, a melancolia de sua voz delicada, a fixação pelo pop dos anos 1960. Ouça: “Let’s Get Lost”

JIMI HENDRIX VALLEYS OF NEPTUNE (2010)

Passados mais de 40 anos da morte do guitarrista, era difícil de acreditar que esta compilação pudesse trazer algo novo. Mas Valleys Of Neptune cumpriu a promessa e surpreendeu até os mais fanáticos por Hendrix em faixas como “Ships Passing Through The Night”. Ouça: “Valleys of neptune”

AMY WINEHOUSE LIONESS: HIDDEN TREASURES (2011)

Compilação de covers e faixas raras lançada cinco meses após a morte de Amy. A produção é de Salaam Remi e Mark Ronson, os mesmos dos clássicos álbuns Frank e Back To Black, o que garante um registro uniforme. Ouça: “The Girl from Ipanema”

Discos


Grandes maestros, grandes rádios | JúLIO MEDAGLIA

grAndes mAesTros, grAndes rÁdios POR JúLIO MEDAGLIA

a té

xx,

ou clarineta). Nas grandes cidades

com arranjos, pequenos poemas

som.

as maiores rádios possuíam

sinfônicos, vinhetas. Enfim,

sinfônicas.

sonorizavam os programas da

meaDoS Do Século

v iv í a m o s

na

e ra

do

Mesmo com a presença já bem desenvolvida do cinema, que

Meu interesse por música surgiu

rádio. Na Rádio Record, na Rua

reunia texto, imagem e trilha

frequentando a antiga Rádio

Direita, os mestres eram Gabriel

sonora (fala e música), as rádios

Cultura (o “Palácio do rádio”), que

Migliori e Cyro Pereira. Na Tupi/

p rol i fe rava m

a d e n t ro.

ficava na Avenida São João perto

Difusora, no alto do Sumaré

Existiam centenas de gravadoras,

do número 1450 (hoje lá existe

(“A cidade do rádio”), eram Luis

nacionais e estrangeiras, cada

um terreno baldio há anos). Era

Arruda Paes e Hélcio Alvares.

uma com um repertório diferente.

um edifício grande, construído

Esses maestros chegavam às

Nas rádios a programação noturna

para ser emissora de rádio, com

rádios às duas da tarde, recebiam

era “ao vivo”.

muitos estúdios e auditório. A

as encomendas para arranjos

Em todas as cidades as emissoras

rádio possuía uma orquestra de

dos cantores da noite. Escreviam

possuíam músicos contratados.

uns 30 músicos mais ou menos

com muita rapidez e entregavam

Nas menores, do interior, eram

e dois maestros que faziam os

aos copistas (naquele tempo

pequenos “conjuntos regionais”

arranjos e regiam: Zico Mazagão e

não tinha máquina copiadora).

(um ou dois violões, cavaquinho,

Walter Guilherme. Eram exclusivos

às cinco horas chegavam os

sanfona, às vezes também um

da emissora. Eles concorriam

músicos. Davam uma passada e

instrumento de sopro, como flauta

com os das outras emissoras

à noite tudo ia “ao ar” sem erro

Música

pa í s


FOTO: `DAVID AMRAM CONDUZ A HOUSTON SyMPHONy, 1968

Grandes maestros, grandes rádios | JúLIO MEDAGLIA

e com grande brilho.

de uma altura de um edifício

No Rio, como o governo injetava

de cinco andares, caía numa

muito dinheiro na Rádio Nacional,

rede, em volta havia uns dez

a equipe de arranjadores era de

bailarinos pintados fazendo uma

músicos do naipe de Radamés

enlouquecida ginástica aeróbica;

Gnattali, Claudio Santoro, Guerra

dos lados saía uma fumaça

Peixe, Alceo Bocchino, Leo

colorida, os holofotes giravam

Perachi, Lírio Panicalli e outros.

freneticamente trocando de cor,

Eram músicos eruditos que

e a pancadaria do tipo tuf-tuf-tuf-

passavam as tardes escrevendo

tuf-tuf era ensurdecedora. Mal

arranjos e colaborando para

se ouvia a cantora, mas o show

uma cultura musical popular de

era “delirante” ou, “psicodélico”,

grande sofisticação. Os melhores

ou “alucinante”. Não sei como

instrumentistas das sinfônicas

classificar, mas, me parece que

cariocas

o som anda meio por baixo no

i n te g rav a m

essas

orquestras. Outro dia vi um show da Beyoncé na televisão, sem dúvida, uma boa cantora. Ela saltava

Música

mundo atual...

Fim de TArde, Com JÚlio medAgliA SEGUNDA A SEXTA, ÀS 17H Para conferir mais informações, acesse a página do cmais+!

Ouça a Rádio Cultura FM Coluna do Júlio Medaglia


anĂşncio

(Playlist Cultura Brasil)


Em setembro, o multiartista completaria 64 anos de idade. O portal cmais+ e a Revista Vitrine homenageiam o grande Ă­cone da Vanguarda Independente Musical Paulistana

FOTO: ACERVO FPA

Por Ana Carolina Surita Sampaio

Especial


Nego Dito | Itamar Assumpção

O intérprete, músico, compositor e performático Itamar Assumpção surpreendeu e também intimidou uma geração com seu estilo irreverente e contestador, tanto nos palcos quanto em suas composições. Foi um exemplo do que é estar à frente do seu tempo e não aceitou o comodismo que o sucesso oferece. Não queria que sua produção fosse controlada pelas gravadoras e foi taxado como “maldito” pelo mercado fonográfico. “Eu me invoco. Eu brigo. Eu faço e aconteço. Eu boto pra correr. Eu mato a cobra e mostro o pau”, alertava na música Nego Dito, mostrando sua personalidade.

Toque para assistir ao vídeo em homenagem ao artista

Bisneto de escravos angolanos e filho de pai de santo, cresceu ouvindo os batuques no terreiro de candomblé, nos fundos do quintal de sua casa, em Arapongas, no Paraná. Junto com seus irmãos, tocava atabaques, seu primeiro exercício musical. Influenciado por Jimi Hendrix, aprendeu a tirar o som do violão sozinho e era apaixonado pelo baixo. Chegou a iniciar uma faculdade de contabilidade, fez dois anos do curso, mas abandonou para seguir carreira no teatro e fazer shows. Naquela época Itamar não imaginava a importância que teria para a música brasileira. Foi apresentando-se nos festivais de artes cênicas na cidade de Londrina que Itamar conheceu Arrigo Barnabé – que mais tarde veio a encabeçar o movimento vanguardista com Nego Dito. Do encontro, veio o convite para morar em São Paulo. Dois anos depois, em 1973, seguiu os conselhos do amigo e se arriscou na cidade grande. Como todo começo, enfrentou dificuldades, fez bicos para sobreviver, foi vítima de preconceito por ser negro.

Foto: Acervo FPA

Em 1975, os ventos começaram a mudar para ele. Participou de um festival de música de Campinas e venceu o concurso com a canção Luzia. Depois de três anos montou seu primeiro grupo, o Mão de Pilão. No ano seguinte, a banda Isca de Polícia, também criada por Itamar, conquistou admiradores com letras musicais cheia de sátiras sociais, críticas e genialidade.

Especial


nego Dito | ITAMAR ASSUMPçãO

Junto com ele também vinha uma geração musical “alternativa”. Entre 1979 e 1985 esses artistas tinham como reduto um espaço cultural que, nos anos 1980, abrigou diversas experimentações musicais — o teatro Lira Paulistana, localizado na Praça Benedito Calixto, em São Paulo. Assim surgia a Vanguarda Paulistana, que também tinha como figuras os grupos Rumo, Língua de Trapo e Premeditando o Breque, e as cantoras Eliete Negreiros, Vânia Bastos entre outras.

p or

romper com aS GraVaDoraS ,

apenaS DeZ DiScoS em maiS De

i tamar

lanÇou

20 anoS De atuaÇão :

• Beleléu, Léu, Eu (1980) • às próprias custas S.A (1981) • Sampa Midnight – Isso não vai ficar assim (1983) • Intercontinental! Quem Diria! Era só o que faltava (1988) • Bicho de sete cabeças – Volume I (1993) • Bicho de sete cabeças – Volume II (1993) • Bicho de sete cabeças – Volume III (1993)

Fico louco , faço cara de mau , falo o que me vem na

cabeça

A cantora Ná Ozzetti, também uma das integrantes desse movimento vanguardista, relembra sua primeira impressão quando ouviu o disco Beleléu, Léu, Eu. “Ele inaugurava algo de novo na música brasileira, vi inúmeras referências e ‘chapei’ no som. Não parava de escutar.” Nos shows, quem assistia a presença de palco de Nego Dito e sua banda não saía indiferente: “Quando fui ao primeiro show dele, com a Banda Isca de Polícia, no Lira Paulistana, fiquei impressionada. As performances de todos no palco foram um impacto.”, conta Ozzetti.

virei fã para Sempre

• Ataulfo Alves por Itamar Assumpção – Pra sempre agora (1996) • Pretobrás – Por que não pensei nisso antes (1998) • Vasconcelos e Assumpção – isso vai dar repercussão (2004)

CAIXA PrETA Lançado em 2010, um box com doze CDs do artista conta com dez discos de sua carreira, entre 1980 e 2004. Os outros dois são inéditos e foram produzidos com trilhas de voz e violão deixadas pelo músico. Eles fecham a trilogia Pretobrás (com Pretobrás II – Maldito vírgula e Pretobrás III – Devia ser proibido) e trazem participações de grandes nomes da música brasileira.

(Ná Ozzetti)

Navegue pela página especial sobre a vida e obra de Itamar

Especial

Ouça Itamar por outros artistas


Matemรกtica todos os dias | PARA OS PAIS

Infantil


Matemรกtica todos os dias | PARA OS PAIS

Infantil


anúncio (Cartãozinho)


Limonada Rosa | RECEITINHA

Infantil


POUCO A POUCO O SILÊNCIO

Pouco a pouco o silêncio | ANTÔNIO ABUJAMRA

Poema

PABLO NERUDA Pouco a pouco o silêncio me fez um Robinson assustadiço, sem roupa, mas sem fome, sem sede porque pelos poros a luz mineral nutria e umedecia, mas pouco a pouco o planeta se despencava de minha língua, e errei sem idioma, escuro pelas areias do silêncio. Oh, solidão espacial do silêncio! Se desfaz o ruído do coração, quando sobressaltado ouviu o silêncio debaixo de outro silêncio maior, eu fui emagrecendo até ser somente silêncio naquele bairro do céu onde eu caí e fui enterrado por um alvo silencioso, por um grande rio de esmeraldas que não sabiam cantar.

SOBRE O AUTOR: Há 40 anos, no dia 23 de Setembro de 1973, morria o poeta chileno Pablo Neruda. Ele, que foi considerado um dos mais importantes poetas da língua castelhana do século xx, ocupou o posto de cônsul do Chile na Espanha e no México. Seus primeiros poemas foram publicados no periódico regional, A Manhã, na cidade de Temuco.

TOQUE PARA ASSISTIR AO VÍDEO


Diretor Presidente Marcos Mendonça Gerente de jornalismo Willian Corrêa

Coordenador de conteúdo Juliano Nunes Coordenadora de design Giuliana xavier Projeto gráfico Debora Soares Arte Ariane Corniani redação Ana Carolina Surita Felipe Tringoni Thabata Mondoni Produção Marilia Fredini Pedro Nakano Priscila Lima Estagiárias Josilene Veloso Mariana Amorim Nadia Atie

Periodicidade Mensal Distribuição Gratuita na App Store, Newsstand e ISSUU cmais.com.br/revistavitrine


Vitrine #06