Issuu on Google+

Pelotas Kleiton e Kledir


Caminhando por Pelotas Lembrei de quando eu nasci, Um quarto da Santa Casa, O palco do Guarany.


Contei paralelepĂ­pedos A caminho da escola, Sonhei ladrilhos hidrĂĄulicos, Paredes de escariola.


Pi茫o, bolinha de gude Pandorga, ioi么, gibi, Bici, carrinho de lomba, Eu sou o mesmo guri.


Comi tanta pessegada, Fios de ovos e bem-casados, E pastĂŠis de Santa Clara, Que fiquei cristalizado.


E voei atÊ a praça Passei no Sete de Abril, Os pardais faziam festa, Naquela tarde de frio.


Tomei um café no Aquário Bem quente pra ver se aquece, Agradeci obrigado, E a moça disse merece!


Andei até na Avenida Entrei na Boca do Lobo, Fui até à BAIXADA, Pois era dia de jogo.


Naveguei pelo Porto Fragata e Areal, Três Vendas e São Gonçalo, E Praias do Laranjal.


ĂŠ muita guria linda eu FiCo atĂŠ espantado, nunCa vi tanta beleza, por Cada metro Quadrado.


O vento nos teus cabelos Desenha outra escultura, Junto à Fonte das Nereidas, E aos traços da arquitetura.


Terra de todos meus sonhos Princesa do Sul bonita, O meu amor n達o tem fim, Como uma rua infinita.


Pelotas minha cidade Lugar onde eu nasci, Ando nos braรงos do mundo, Mas sempre volto pra ti!


Projeto experimental livro de artista Curso: Comunicação Visual Design e diagramação: Claudia Cristani Texto: Pelotas - Kleiton e Kledir Orientadora: Ruth Lerm


Claudia_Cristani_livro_de_artista