Page 1

2,90€ (CONT.)

#40 NOV. / DEZ. 2020

MERCEDES-BENZ E A ELETRIFICAÇÃO

OFENSIVA

TOTAL

eVITO TOURER

COMERCIAIS CAMIÕES AUTOCARROS

eSPRINTER

JOAQUIN BELLIDO FONSECA BYD IBERICA

PUBLICAÇÃO BIMESTRAL

“BYD É MAIS DO QUE UM FABRICANTE DE AUTOCARROS ELÉTRICOS”

EQV

eACTROS

DACIA SPRING ELECTRIC CARGO

ESTREIA NOS DERIVADOS

FUSO CANTER GALUCHO

CEM ANOS SEMPRE COM QUALIDADE

PUBLICIDADE

NOVA GERAÇÃO LANÇADA NO JAPÃO



#40 NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020

Editorial

Sumário

MATRÍCULAS “FANTASMA” APRESENTAÇÃO

40 Mercedes-Benz Actros F e Actros Edition 2

REPORTAGEM

36 Centenário da Galucho

NOVIDADES

04 Mercedes-Benz eVito e eSprinter 10 Dacia Spring Electric Cargo 12 Peugeot e-Boxer 14 Ford Transit "pesada" 44 Scania V8 50 MAN Lion´s City E GL

ENSAIOS

26 Volkswagen Multivan

D

e acordo com as estatísticas da ACAP - Associação Automóvel de Portugal foram matriculados 2927 veículos comerciais de mercadorias com peso bruto superior a 3,5 toneladas nos primeiros oito meses deste ano. Face a período homólogo de 2019, isto representa uma quebra de 31,8%, valor abaixo dos 36,3% do total do mercado. Todavia, a diminuição das vendas nos pesados de mercadorias deverá ter sido substancialmente superior, pois estes números incluem unidades adquiridas no estrangeiro, designadamente em Espanha, e matriculadas em Portugal, uma vez que o nosso país ainda oferece algumas vantagens aos grandes operadores internacionais em termos fiscais e de natureza social. Será de referir que uma grande empresa espanhola na área do transporte refrigerado, com filial no nosso país, renovou a sua frota com 700 unidades. Muitas dessas unidades têm matrícula portuguesa, embora a maioria nunca deverá entrar em território nacional. Curiosamente, as duas marcas escolhidas por esse operador são as que surgem nos dois lugares da tabela de vendas da ACAP de veículos de pesados relativa aos oito primeiros meses deste ano. Neste negócio, os representantes das marcas no nosso país não tiveram qualquer intervenção, apesar de incluírem financiamento e contratos de manutenção. Houve mesmo quem comentasse: “Ficaram a ver navios!” São as chamadas matrículas “fantasma”, que inflacionam os números e distorcem a realidade do mercado nacional. Se descontarmos as denominadas matrículas “fantasma”, a posição relativa das diferentes marcas muda substancialmente, assim como as quotas de mercado. Todavia, esta é uma situaçãoque cumpre os formalismos da legislação nacional e comunitária.

PERSPETIVA 20 BYD

CARLOS MOURA PEDRO JORNALISTA

DOSSIER

38 Oferta Comerciais Médios 2020 PROPRIEDADE E EDITORA TERRA DE LETRAS COMUNICAÇÃO UNIPESSOAL LDA NPC508735246 CAPITAL SOCIAL 10 000 € CRC CASCAIS SEDE DE REDAÇÃO E PUBLICIDADE AV. TOMAZ RIBEIRO 129 SALA 12 2790-466 QUEIJAS ADMINISTRAÇÃO AV. DAS OLAIAS, 19 A 2635-542 RINCHOA TELEFONES 211 919 875/6 E-MAIL TURBO@TURBO.PT DIRETOR JÚLIO SANTOS juliosantos@turbo.pt

coordenação editorial CARLOS MOURA PEDRO carlosmoura@turbo.pt REDAÇÃO ANTÓNIO AMORIM antonioamorim@turbo.pt RICARDO MACHADO ricardomachado@turbo.pt COORDENADORA COMERCIAL ALEXANDRA LI CHING alexandraliching@turbo.pt coordenador DE ARTE JORGE CORTES jorgecortes@turbo.pt SECRETARIADO DE REDAÇÃO secretariado@turbo.pt

COLABORADORES PEDRO MONTENEGRO PARCERIAS APVGN CENTRO ZARAGOZA CESVIMAP IMPRESSÃO LIDERGRAF, ARTES GRÁFICAS, SA. RUA DO GALHANO, N.º 15 4480-089 VILA DO CONDE, PORTUGAL lidergraf@lidergraf.pt

GESTÃO DE ASSINATURAS VASP PREMIUM, TEL. 214 337 036, FAX 214 326 009, assinaturas@vasp.pt TIRAGEM 5000 EXEMPLARES Registo ERC n.0 127204 INTERDITA A REPRODUÇÃO, MESMO QUE PARCIAL, DE TEXTOS, FOTOGRAFIAS OU ILUSTRAÇÕES SOB QUAISQUER MEIOS E PARA QUAISQUER FINS, INCLUSIVE COMERCIAIS

DISTRIBUIÇÃO VASP-MLP, MEDIA LOGISTICS PARK, QUINTA DO GRANJAL-VENDA SECA 2739-511 AGUALVA CACÉM TEL. 214 337 000 contactcenter@vasp.pt

NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020 TURBO COMERCIAIS

3


novidades

MERCEDES-BENZ EVITO E ESPRINTER

FURGÕES ELÉTRICOS JÁ À VENDA

A Mercedes-Benz Vans iniciou a comercialização no mercado nacional das versões elétricas dos furgões Vito e Sprinter, que oferecem autonomias de até 150 km e 156 km, respetivamente TEXTO CARLOS MOURA PEDRO

4

TURBO COMERCIAIS NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020

N

o âmbito da estratégia de lançamento de veículos comerciais elétricos de médias e grandes dimensões, a Mercedes-Benz Vans iniciou as vendas no mercado nacional do Mercedes-Benz eVito Furgão e do eSprinter Furgão. As novas propostas da marca alemã mantêm as linhas originais dos modelos equipados com motor de combustão. Este último foi substituído por uma linha motriz elétrica, denominada eATS, que transmite a potência e o binário do motor elétrico às rodas dianteiras. O propulsor elétrico desenvolve uma potência nominal de 70 kW

(95 cv) e máxima de 85 kW (116 cv), e um binário máximo de 300 Nm. O motor elétrico é alimentado por uma bateria de iões de lítio localizada sob o piso do veículo para não penalizar a área de carga. A bateria de alta tensão é constituída por três módulos que tem uma capacidade de armazenamento útil de 35 kWh, proporcionando uma autonomia de até 150 quilómetros no Mercedes-Benz eVito e de até 118 km no eSprinter. Este último é proposto, em opção, com uma bateria de quatro módulos, aumentando a autonomia para até 156 quilómetros. Os furgões elétricos de médias e grandes dimensões estão equipados com um car-


do condutor (eVito Furgão) ou na grelha dianteira (eSprinter Furgão). Este último também pode carregar em corrente contínua com uma potência de 80 kW (opção) num posto de carga rápido, sendo possível recuperar a capacidade de carga da bateria dos 10% aos 80% em aproximadamente 20 minutos (três módulos) ou 25 minutos (quatro módulos). Os furgões elétricos da Mercedes-Benz dispõem de um sistema de regeneração de energia cinética, permitindo transformar a energia mecânica resultante do movimento de rotação durante as desacelerações e as travagens em energia mecânica. O condutor também pode influenciar o processo de recuperação de energia, regulando a intensidade da regeneração através das patilhas localizadas atrás do volante. Para ajudar o condutor a obter o melhor compromisso entre conforto e autonomia com o simples pressionar de um botão, o eVito Furgão dispõe de três programas de transmissão, enquanto o eSprinter Furgão possui quatro. Com recurso a uma condução económica e racional é possível recuperar alguma energia e estender a autonomia disponível, como otimizar os custos decorrentes do desgaste dos componentes do sistema de travagem.

TRÊS PROPOSTAS

3

MODELOS

85 KW

POTÊNCIA MÁXIMA

35 KWH BATERIA

150 KM AUTONOMIA

regador de bordo de corrente alterna com uma potência de 7,4 kW e arrefecimento através de líquido de refrigeração. Esta solução possibilita o carregamento com corrente alterna numa wallbox ou em postos de carregamento públicos. No eVito Furgão e no eSprinter Furgão com bateria de três módulos é possível recuperar a capacidade total da bateria em cerca de seis horas. Já no eSprinter Furgão com bateria de quatro módulos, o tempo de carregamento aumenta para oito horas.

SISTEMA DE REGENERAÇÃO

O carregamento é efetuado através de uma tomada localizada no pilar B, no lado

O Mercedes-Benz eSprinter Furgão é proposto na versão de carroçaria de chassis médio e tecto alto, com comprimento máximo de 6,08 metros, enquanto o Mercedes-Benz eVito Furgão é disponibilizado em duas variantes, Standard e Longo, com comprimentos de 5,14 e 5,37 metros, respetivamente. Dependendo da versão, o compartimento de carga do eVito Furgão oferece um volume útil de 6,0 ou 6,3 m3, sendo a carga útil de 976 kg ou 951 kg. O peso bruto é de 3200 kg. Por sua vez, o eSprinter Furgão oferece um volume útil de 11 m3 e uma capacidade de carga de 982 kg (bateria com três módulos) ou 828 kg (quatro módulos). O peso bruto é de 3500 kg. O eVito Furgão e o eSprinter Furgão receberam um equipamento de série alargado, que inclui a Conectividade Mercedes Pro e vários sistemas de assistência e segurança, como o Assistente de Vento Lateral (Crosswind Assist), Cruise Control (eVito Furgão), Attention Assist (eSprinter Furgão), sistema de assistência no arranque, luzes de circulação automáticas. O módulo de comunicação (LTE) também é de série nos dois modelos, assim como o limitador de velocidade a 80 km/h, di-

NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020 TURBO COMERCIAIS

5


novidades

MERCEDES-BENZ EVITO E ESPRINTER

MERCEDES-BENZ EVITO TOURER

Autonomia até 358 km

P

reção assistida elétrica, parede divisória sem vidro, aquecimento do banco do condutor, o banco duplo do passageiro, sensor de chuva. Especificamente, o Mercedes-Benz eVito Furgão oferece ainda, de série, suspensão reforçada, porta deslizante no lado direito direita com retenção ativa de carga, portão traseiro, vidros elétricos. No habitáculo está presente o, airbag duplo, rádio digital Audio 10, volante multifunções. No que se refere ao Mercedes-Benz eSprinter Furgão, o equipamento de série inclui eixo dianteiro reforçado, luzes de marcação laterais, porta de correr no lado direito, portas traseiras de batente com abertura de 270º, airbag condutor, sistema de audio MB, Attention Assist, entre outros. Ambos os modelos incluem contrato de programação programada, válido durante quatro anos / quatro serviços. O eVito Furgão está disponível a partir de 40.570 euros, enquanto o eSprinter Furgão é proposto a partir de 52.850 euros (valores não incluem IVA). /

6

TURBO COMERCIAIS NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020

CARREGAMENTO RÁPIDO A bateria do Mercedes-Benz eSprinter pode receber cargas rápidas, sendo possível recuperar até 80% da capacidade em 20 a 25 minutos

ara o transporte de passageiros sem emissões locais, a marca alemã propõe o Mercedes-Benz eVito Tourer, igualmente disponível em duas versões de carroçaria (Standard e Longo), permitindo transportar até oito passageiros mais condutor. Relativamente ao Mercedes-Benz eVito Furgão, o eVito Tourer apresenta algumas diferenças no sistema eATS. Assim, o motor elétrico desenvolve uma potência de 150 kW, enquanto a bateria de iões de lítio tem uma capacidade de 90 kWh, permitindo uma autonomia de até 358 quilómetros. A velocidade máxima também está limitada, de série, mas a…140 km/h. Como opcional é possível aumentar esse limite para 160 km/h. Além disso, o carregador de bordo tem uma potência de 11 kW e está preparado para receber carregamentos em corrente contínua em postos rápidos, sendo possível recuperar a capacidade da bateria de 10% a 80% em 45 minutos num posto de 110 kW. O Mercedes-Benz Vito eTourer oferece uma lotação até nove passageiros e várias configurações de bancos. O especialista em transporte de passageiros oferece, de série, um banco duplo de passageiro e bancos de três lugares ao meio e trás. Todos os bancos dispõem de apoios de braços e revestimento em tecido. Nesta versão de nove lugares, o equipamento de conforto é naturalmente mais completo, não faltando o sistema de aquecimento do condutor, ar condicionado automático, volante multifunções em pele e ajustável em altura e profundidade, rádio digital audio 10, painel de instrumentos Highline, módulo de comunicação LTE, sensor de chuva, assistente de faróis, entre outros. O Mercedes-Benz eVito Tourer está disponível a partir de 58.600 euros (valor em IVA) e beneficia de um contrato de manutenção programada durante quatro anos / quatro serviços. /

TURISMO E EMISSÕES ZERO A bateria de 90 kWh oferece aos operadores de turismo uma alternativa com emissões zero



novidades

MERCEDES-BENZ EQV

MONOVOLUME ELÉTRICO PREMIUM

O topo de gama dos monovolumes elétricos premium da Mercedes-Benz Vans é o EQV que oferece um ambiente mais requintado e luxuoso para até oito ocupantes. A autonomia anunciada é de 349 km

C

omo al t er na t i v a ao Mercedes-Benz eVito Tourer para o transporte de passageiros, a MercedesBenz Vans propõe o modelo EQV, que se posiciona como um monovolume elétrico premium. Além da plataforma e dos principais componentes mecânicos, o EQV também partilha com o eVito Tourer o mesmos dois comprimentos de carroçaria. Por outro lado, enquanto o eVito Tourer está disponível com nove lugares, a lotação máxima no EQV é de oito lugares, sendo ainda proposta uma configuração de seis lugares individuais. O nível de acabamento também é mais refinado e requintado. O Mercedes-Benz EQV é

8

TURBO COMERCIAIS NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020

comercializado em vários pacotes de equipamento, que integram a lista de opcionais. Uma das propostas é a Linha Avantgarde, que se distingue por apresentar um elemento decorativo em alumínio escovado escuro, duas portas laterais, sistema de luzes inteligente, com detalhe em preto e farolins em LED, luz interior Ambiente. A marca alemã disponibiliza ainda um pacote de design exterior que confere apontamentos estéticos únicos, destacando-se o desenho frontal EQV, com grelha em preto com alhetas cromadas e detalhes em cromado na zona direita e esquerda do para-choques dianteiro, assim como as saias laterais AMG e Spoiler AMG no portão traseiro. Referência ainda para os espelhos retrovisores externos pintados em preto,

o sistema de luzes inteligente, com detalhe em preto e farolins em LED, as jantes de liga leve 7,0 J x 17 de 5 raios duplos e a porta de correr lateral. Para o habitáculo, a Mercedes-Benz disponibiliza um pacote de design interior, que compreende o revestimento das portas e do painel de bordo em pele azul, com costuras em rosa-dourado. O ajuste das grelhas de ventilação e restantes comandos da consola central também recebem apontamentos em rosa-dourado. No pacote de design interior está incluído um elemento decorativo em alumínio escovado escuro, revestimento interior do teto em preto, pedais desportivos. Quanto a preços, o Mercedes-Benz EQV 300 está disponível a partir de 63.400 euros (valor sem IVA). /



novidades

DACIA SPRING ELECTRIC CARGO

ESTREIA NOS DERIVADOS COM EMISSÕES ZERO

A Dacia vai lançar uma versão comercial do modelo Spring Electric, denominada Cargo, vocacionada para a distribuição de última milha. A autonomia pode chegar a 295 km em ciclo WLTP City

A

Dacia vai entrar ao segmento dos derivados de ligeiro com um citadino elétrico denominado Spring Electric Cargo, que deverá chegar em 2021. Este novo comercial elétrico destina-se às entregas urbanas de última milha, designadamente em zonas de emissões zero. A nova proposta é baseada no modelo de passageiros Spring Electric, desenvolvido a partir do popular SUV Duster. A linha motriz integra um motor elétrico de 33 kW (44 cv) e uma bateria com uma capacidade de 26,8 kWh. A autonomia anunciada é de 225 quilómetros em ciclo WLTP ou 295 quilómetros em ciclo WLTP City. A veloci-

10

TURBO COMERCIAIS NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020

dade máxima está limitada a 125 km/h. A Dacia refere que a autonomia pode aumentar em quase 10% se for pressionado o botão Eco no tablier. Quando ativada, esta função limita a potência a 23 kW (em vez dos habituais 33 kW) e a velocidade máxima aos 100 km/h. Esta função pode ser útil em circuito urbano ou em estradas nacionais. Para carregar a bateria, a Dacia propõe várias opções, desde a carga numa tomada de 220V através de um cabo fornecido de série, passando por uma Wallbox (sendo o cabo opcional) ou numa ligação em corrente contínua. Em função do tipo de opção, a duração da carga bateria pode ser inferior a 14 horas

numa tomada doméstica, diminuindo para menos de 8h30 ou menos de 5h00 numa wallbox de 3,7 kW ou de 7,4 kW, respetivamente. Num posto de carregamento semirrápido de 30 kW em corrente alterna é possível recuperar até 80% da capacidade da bateria em menos de uma hora.

IMAGEM INSPIRADA NOS SUV

O Dacia Spring Electric Cargo possui uma carroçaria do tipo SUV, como o modelo que lhe deu origem, destacando-se, naturalmente, a maior altura ao solo, as cavas das rodas mais largas, as barras de tejadilho, as proteções inferiores da dianteira e na traseira.


ÚLTIMA MILHA Para operações de distribuição urbana, a Dacia vai disponibilizar o Spring Electric Cargo, que oferece uma autonomia de até 295 km em ciclo citadino

As suas dimensões externas garantem uma excelente compatibilidade com o meio urbano, graças a um comprimento total de 3,73 metros, a uma largura de 1,62 metros (sem retrovisores) e uma altura de 1,51 metros. A versão comercial do Spring Electric oferece um compartimento de carga com um comprimento de 1,03 metros, que resultou da remoção dos bancos traseiros, sendo o volume útil de carga de 800 litros e a capacidade de 325 quilos. A separação entre a área de carga e o habitáculo é assegurada por uma antepara. O piso recebe um revestimento em plástico durável, assim como a zona ocupada pelas cavas das rodas. Para transporte da mercadoria com maior segurança estão disponíveis quatro anéis de fixação de carga. O habitáculo do Spring Electric Cargo oferece um espaço generoso para os dois ocupantes, que pode tirar partido de 23,1 litros de capacidade em espaços de arrumação, repartidos entre o porta-luvas, as bolsas nas portas e os espaços na consola central. O Dacia Spring deverá chegar em 2021. Este modelo beneficiará de uma garantia de 3 anos ou 100 mil quilómetros e as baterias têm uma garantia de 8 anos ou 120 mil quilómetros./

3,73 M COMPRIMENTO

800 L

VOLUME CARGA

33 KW MOTOR

295 KM AUTONOMIA WLTP CITY

NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020 TURBO COMERCIAIS

11


novidades

PEUGEOT E-BOXER

SEGUNDA VAGA ELÉTRICA Chega no final do ano o e-Boxer, o segundo comercial elétrico da Peugeot. Disponível em duas capacidades de bateria e quatro comprimentos de carroçaria anuncia uma autonomia de até 200 km ou de até 340 km

P

roduzido nas instalações de Sevel, em Val di Sangro (Itália) e eletrificado pela parceira Bedeo, o novo Peugeot e-Boxer será proposto nos derivativos furgão de mercadorias, chassis-cabina simples, chassis-cabina dupla e chassis simples. O furgão de mercadorias será disponibilizado em três distâncias entre-eixos, quatro comprimentos de carroçaria, três alturas

12

TURBO COMERCIAIS NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020

4

COMPRIMENTOS

de tecto, compreendendo cinco silhuetas que oferecem volumes úteis de carga entre 5 m3 e 17 m3 e uma carga útil máxima até 1890 kg. As versões L1 e L2 do Peugeot e-Boxer recebem uma bateria de iões de lítio com uma capacidade de 37 kWh e uma autonomia até 200 km em ciclo WLTP. As versões L3 e L4, assim como a versão chassis-cabina L2, vêm equipadas com uma bateria de 70 kWh, que já oferece uma autonomia até 340 km.

90 KW MOTOR

70 KW BATERIA

340 KM AUTONOMIA


OPEL MOVANO

Eletrificação em 2021

C Para recuperar a capacidade de carga da bateria, o Peugeot e-Boxer conta, de série, com um duplo carregador de bordo: monofásico de 7 kW e trifásico de 22 kW. O tempo de carregamento da bateria varia entre uma hora para 80% da capacidade da bateria com carregador de 50 kW e as 12 horas para a totalidade da bateria de 70 kWh numa wallbox de 7,4 kW com carregador de 7 kW. O Peugeot e-Boxer vem equipado com um motor elétrico que desenvolve uma potência de 90 kW (122 cv) e um binário máximo de 260 Nm. A cadeia de tração inclui um sistema de regeneração de energia durante as desacelerações e as travagens. A velocidade máxima está limitada eletronicamente a 110 km/h ou a 90 km/h nas versões com peso bruto de quatro toneladas. O Peugeot e-Boxer vai ser comercializado num único equipamento, Premium. A dotação de série inclui sistema de áudio Bluetooth com ecrã de 5 polegadas e comandos no volante, ajuda ao estacionamento traseiro, ar condicionado manual, faróis e limpa para-brisas automáticos, retrovisores elétricos e aquecidos. /

ada modelo da gama de comerciais da Opel vai oferecer uma variante elétrica já em 2021, revelou o CEO da Opel, Michael Lohscheller, durante a sua intervenção na Conferência SHIFT sobre Mobilidade, realizada em Berlim, na Alemanha. O CEO da Opel anunciou o lançamento de uma versão do furgão Movano no próximo ano, estando ainda prevista a comercialização da variante elétrica do Combo em 2021. Mais cedo, isto é, já no último trimestre de 2020 começarão a ser entregues aos clientes as primeiras unidades do Vivaro-e, modelo que já tem preços no mercado nacional. “A motorização elétrica é particularmente relevante no segmento dos veículos comerciais ligeiros”, afirmou Michael Lohscheller. “Seja como veículo de entrega ‘last mile’ ou transportador para o trabalho, com a nossa gama Combo, Vívaro e Movano, oferecemos a opção de circular sem emissões numa grande variedade de formatos.” A gama elétrica da Opel vai contar ainda com uma versão elétrica a bateria do monovolume familiar Zafira-e, baseado no comercial Vivaro. “No próximo ano vamos oferecer na nossa gama um total de nove modelos eletrificados diferentes, que estão bem representados nos segmentos mais importantes”, sublinhou Michael Lohscheller. “Tínhamos prometido que a Opel iria ser elétrica e vamos cumprir. Estamos a assumir um papel de liderança em matéria de CO2. E em 2024 teremos uma versão elétrica em cada modelo da nossa gama”. O anúncio do Movano elétrico assinala uma nova etapa na ofensiva da Opel na mobilidade elétrica e na redução de emissões de CO2. Com o Grupo PSA e a Total, esta através da sua subsidiária Saft, a Opel assinou um acordo para a criação da ‘ joint venture’ Automotive Cells Company. Esta parceria está na primeira linha mundial no que se refere ao desenvolvimento e produção de baterias de alta performance para a indústria automóvel a partir de 2023. O Centro de Pesquisa e Desenvolvimento (R&D) localizado em Bordéus e as instalações-piloto em Nersac, ambos em França, já arrancaram, com o objetivo de desenvolver as novas tecnologias de iões de lítio de alto desempenho. No final desta fase de R&D, os planos contemplam o arranque de duas ‘gigafactories’, em Douvrin (França) e Kaiserslautern (Alemanha).

NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020 TURBO COMERCIAIS

13


novidades

FORD TRANSIT

CINCO TONELADAS Para aplicações que exigem uma maior carga útil, a Ford desenvolveu as versões “pesadas” da Transit com peso bruto de cinco toneladas, tração traseira, rodado duplo e motorização diesel de 170 cv TEXTO CARLOS MOURA PEDRO

A

Ford reforçou a oferta da gama Transit com o lançamento da versão “pesada”, com peso bruto de 5,0 toneladas, que entrou em comercialização em novembro. Para disponibilizar uma maior carga útil, a suspensão foi revista, assim como a cadeia cinemática e o sistema de travagem.

14

TURBO COMERCIAIS NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020

A Ford Transit “pesada” está vocacionada para aplicações como veículos de construção com caixa basculante, ambulâncias, veículos policiais ou de bombeiros e miniautocarros com 19 lugares ou mais. A gama “pesada” será proposta nos derivativos furgão de mercadorias e chassis-cabina (simples ou dupla), com base em três distâncias entre-eixos e quatro comprimentos de carroçaria. A capacidade de carga máxima do

chassis-cabina é 2886 kg para carroçamento, o que equivale a uma carga útil de 2558 kg com uma caixa aberta, instalada de fábrica. A Transit de 5,0 toneladas também continua a ser comercializada na versão furgão L4 de tecto alto Jumbo, oferecendo uma carga útil até 2383 kg e um volume útil de 11,5 m3. O compartimento de carga possui um comprimento de 4,21 metros e permite receber até cinco europaletes.


ESTREIA ABSOLUTA O peso bruto das variantes mais "pesadas" da Ford Transit aumentou de 4600 kg para 5000 kg. Uma estreia...

Para possibilitar o transporte de cargas mais pesadas, a secção lateral da carroçaria foi reforçada e dispõe ainda de um degrau integrado no pára-choques traseiro para facilitar o acesso.

TRANSFORMADORES QUALIFICADOS EM 13 PAÍSES

5000KG PESO BRUTO

2.383KG CARGA ÚTIL

4,21 M CAIXA CARGA

170 CV MOTOR

Os clientes que necessitam de soluções específicas podem beneficiar de uma rede de 165 transformadores qualificados pela Ford em 13 países, que cumprem os níveis de fabrico, controlo de qualidade e apoio ao cliente da marca. Todas as transformações qualificadas beneficiam da garantia de fábrica. As versões de cinco toneladas da Transit possuem, naturalmente, tracção traseira e estão equipadas com o motor Ford EcoBlue de 2,0 litros que desenvolve uma potência de 170 cv e um binário de 390 Nm. O propulsor pode ser associado a uma caixa manual de seis velocidades ou a uma automática de

dez relações. Esta última permite um melhor aproveitamento das caraterísticas do motor em termos de eficiência e de resposta. A Transit de 5,0 toneladas estreia um eixo traseiro de 3500 kg na Europa, que provou a sua robustez e durabilidade nas versões norte-americanas deste modelo. O interior da nova versão da Transit apresenta o design da gama lançada em 2019, assim como os sistemas de assistência à condução e conectividade. Os utilizadores podem beneficiar do mais recente sistema de comunicação e entretenimento SYNC 3 e de um módulo que pode ser configurado para melhorar as capacidades dos veículos transformados. O sistema também estabelece a ligação a elementos de bordo do veículo para proporcionar a máxima segurança e produtividade, não deixando, por exemplo, operar a caixa basculante se o veículo não estiver imobilizado e com o travão de estacionamento acionado./

NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020 TURBO COMERCIAIS

15


ENSAIO

VOLKSWAGEN MULTIVAN 6.1 HIGHLINE

SOFISTICADO, CONFORTÁVEL, PREMIUM A nova geração da Volkswagen Multivan aprofunda as características que, através dos anos, celebrizaram este modelo como a referência para aqueles que procuram um veículo sofisticado e confortável para transporte de passageiros (família, clientes, funcionários, etc) TEXTO JÚLIO SANTOS

16

TURBO COMERCIAIS NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020

H

erdeira do espírito “Pão de Forma”, a Multivan conquistou um lugar de destaque junto daqueles para quem o transporte de passageiros é a prioridade. Com versões que preenchem todas as necessidades, a configuração de sete lugares, com acabamento Highline é, por ventura, aquela que leva mais longe um conceito que ganha adeptos junto de empresas e famílias, precisamente porque soma à versatilidade níveis de requinte e uma oferta tecnológica em tudo idêntica ao que encontramos nos melhores familiares da Volkswagen. Um sucesso que tem, aliás, muitas “caras”: a começar na qualidade de construção, seguindo os padrões que celebrizaram o construtor alemão, passando pela


COCKPIT DIGITAL A Volkswagen Multivan recebe o Cockpit Digital de alta resolução com mapa de navegação. A modularidade interior é outro dos argumentos, contribuindo para o bem-estar a bordo num ambiente premium

4 CIL. 1998 CC

7 VEL AUTO

199 CV mecânica evoluída e, como dissemos, por um interior que ao espaço amplo adiciona conforto e muita tecnologia. No arranjo interior, esta versão Highline apresenta-se com três filas de bancos (sempre muito confortáveis), podendo a disposição variar em função das necessidades, já que os assentos são fixados ao piso através de calhas; tanto podemos ter um banco corrido para três ocupantes na última fila ou os dois assentos individuais com braços e possibilidade de reclinação. A mesa com abas, os múltiplos lugares de arrumação, os suportes para copos, as tomadas USB e de 12 V, ou a possibilidade de ajustarmos a regulação de todos os bancos (dando prioridade às pessoas ou a bagagem) são apenas mais alguns exemplos da versatilidade do in-

terior que se destaca, ainda, pela regulação independente da temperatura do climatizador para cada uma das filas, bem como pelo conforto exímio. Contributo importante é dado, também, como referimos, pelo equipamento onde se inclui, além do climatizador automático, as portas laterais deslizantes de acionamento elétrico, câmara traseira auxiliar de estacionamento, assistente de arranque em subidas, cruise control adaptativo, faróis LED, sistema de navegação e painel de instrumentos totalmente digital, configurável em função das escolhas do condutor. Ou seja, não é demais salientar, tudo aquilo que encontramos hoje na nova geração de produtos da Volkswagen, como é o caso da possibilidade de espelharmos no ecrã central as funcionalidades do nos-

8,4 L

/100 KM

220 G/KM 415,02 € IUC

so smartphone e, assim, acedermos, por exemplo, à Internet.

AMBIENTE PREMIUM

Com o segmento dos grandes monovolumes em “confinamento”, a Volkswagen Multivan 6.1 Highline não é uma alternativa económica (83.389€), mas contém diversos predicados que lhe permitem assumir-se como a solução para famílias numerosas, bem como para as empresas que desejam prestar um serviço de transporte verdadeiramente premium. Em qualquer dos casos, porque ao espaço, conforto e sensação absoluta de bem-estar a bordo junta-se um desempenho dinâmico francamente conseguido. Com 4,9 metros de comprimento e 1,9 metros de largura, as dimensões são idênticas às

NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020 TURBO COMERCIAIS

17


ENSAIO

VOLKSWAGEN MULTIVAN 6.1 HIGHLINE

de uma berlina, mas já a altura a chegar aos dois metros levanta alguns problemas de aerodinâmica, principalmente em situações de vento forte e a alta velocidade. Para uma utilização normal, no entanto, não se lhe podem apontar constrangimentos superiores ao que se deparam a uma berlina, ainda que a distância entre eixos chegue aos três metros, o que explica o diâmetro de viagem de quase 12 metros. Para o transporte urbano ou para longas viagens em família, a Multivan 6.1 Highline tem ainda como argumento uma mecânica muito evoluída, com destaque para o motor turbodiesel de quatro cilindros de 1968 cc, com amplas provas dadas. Mais do que a potência (199 cv entre as 3800

e as 4000 rpm), o grande trunfo reside no binário máximo de 410 Nm logo às 1400 rpm. Esta disponibilidade de força é muito bem explorada pela caixa automática de sete velocidades (DSG), escalonada de molde a garantir alguma vivacidade nas relações mais baixas, para a sexta e sétima conseguir manter o ritmo desejado. A velocidade máxima anunciada é de 203 km/h, enquanto a aceleração dos 0 aos 100 km/h em 9,9 segundos testemunha as capacidades do motor. O casamento perfeito da unidade propulsora (motor e caixa de velocidades) tem expressão máxima nos consumos que, em viagem, é possível conter abaixo dos 8,5 L/100 km, desde que estabilizemos

entre os 110-120 Km/h. Abaixo dessa velocidade são até possíveis valores inferiores, para numa utilização sobretudo citadina ser “aconselhável” contar com pelo menos mais um litro. Com o preço a aproximar-se dos 84 mil euros (para utilização profissional a dedução do IVA coloca esse valor nos 69 mil euros), a Volkswagen Multivan 6.1 Highline está longe de ser uma solução ao alcance de todas as bolsas. No entanto, aquilo que oferece justifica em grande parte esse valor. No nível tecnológico e o conforto a bordo aproxima esta solução, que pode ser profissional, de padrões verdadeiramente premium, a ponto de, com facilidade, o simbolo na frente poder ser o da Audi./

VOLKSWAGEN MULTIVAN 6.1 HIGHLINE 7 LUG

FUNCIONALIDADE E CONFORTO O banco da terceira fila possui três lugares e está assente em calhas, permitindo otimizar a bagageira. Por seu lado, os bancos dianteiros possuem regulação elétrica e três perfis de ajuste memorizáveis. A consola central integra um ecrã tátil de 9,2" com sistema "Discover Media Pro"

PREÇO 83.389 € MOTOR 4 CIL; 1968 CC; 199 CV; 3800 - 4000 RPM BINÁRIO 410 NM TRANSMISSÃO Dianteira; 7 Vel; Auto COMP./LARG./ALT. 4904/1904/1950 MM DISTÂNCIA ENTRE-EIXOS 3000 MM PESO BRUTO 3000 KG CAPACIDADE CARGA 907 KG LUGARES 7 CONSUMO 8,4 L/100 KM (WLTP) EMISSÕES 220 G/KM IUC 415,02 €

*As nossas medições

EQUIPAMENTO

Ar condicionado automático, ACC com Front Assist, assistentes de máximos, "Side Assist", câmara traseira, Cockpit Digital, estacionamento automático, painel de instrumentos Comfort, sistema de deteção de cansaço

CAIXA DSG CONSUMOS PREÇO DIÂMETRO VIRAGEM

18

TURBO COMERCIAIS NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020



PERSPETIVA

JOAQUÍN BELLIDO FONSECA, DIRETOR COMERCIAL EBUS BYD IBERIA

“EXCELÊNCIA É UM DOS VALORES DA BYD”

Com base no lema “Feito na Europa para a Europa”, a BYD tem vindo a consolidar a sua posição no mercado europeu de autocarros elétricos. Segundo Joaquín Bellido Fonseca, diretor comercial eBus BYD Iberia, a excelência é um dos valores da marca, que já anunciou uma expansão europeia e inclui o reforço da oferta de produto com camiões, comerciais e automóveis. Todos elétricos TEXTO CARLOS MOURA PEDRO

20

TURBO COMERCIAIS NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020

M

arca de referência nos autocarros elétricos com mais de 60 mil unidades vendidas em todo o mundo, incluindo 1400 na Europa, a BYD aposta não só no fornecimento de veículos, mas também em todas as soluções complementares, desde o carregamento, passando pelo software ou mesmo o armazenamento. “A BYD é muito mais do que um fabricante de autocarros elétricos”, afirma Joaquín Bellido Fonseca, diretor comercial eBus BYD Iberia. “É a única empresa capaz de fornecer uma solução de transporte completa”, sublinha. A BYD também é dos poucos fabricantes que produz as suas próprias baterias e os componentes da linha de motriz elétrica.


A BYD tem um elevado controlo sobre o desenvolvimento e produção de todas componentes tecnológicas necessárias para a criação de veículos elétricos

suas componentes. A BYD é muito mais do que um fabricante de autocarros elétricos. Na verdade, é a única empresa capaz de fornecer uma solução de transporte completa, oferecendo não só os veículos elétricos mas, também, com a capacidade de fornecer todas soluções complementares, incluindo o carregamento, o software, o armazenamento de energia e ainda a produção de energia solar. Em termos de conhecimento, de P&D (Pesquisa e Desenvolvimento), a BYD já acumula mais de dez anos de experiência em autocarros elétricos e mais de 25 anos no desenvolvimento de baterias. Com mais de 35.000 engenheiros dedicados e graças à sua a capacidade de inovação, a BYD tem um elevado controlo sobre o desenvolvimento e produção de todos os componentes tecnológicos necessários para a criação de veículos elétricos, nomeadamente, as baterias, o IGBT (Insulated Gate Bipolar Transistor, ou transitor), o motor, e os comandos eletrónicos. Em que áreas está presente a BYD? Atualmente, a BYD produz uma gama completa de veículos de passageiros e comerciais, como parte da sua Estratégia “7 + 4 Full Market EV”. Esta compreende sete tipos de veículos convencionais - automóveis de passageiros, táxis, autocarros, logística urbana, saneamento e veículos de construção; e quatro tipos de veículos de transporte não rodoviário (off-road) - para armazéns, portos, aeroportos e minas. A BYD foi líder de vendas de veículos elétricos na China nos últimos seis anos, entre 2014 e 2019. Até ao momento já vendeu mais de 820.000 veículos em todo o mundo que estão em circulação em mais de 300 cidades de 50 países.

Além dos autocarros elétricos, a estratégia de crescimento na Europa passa pelo alargamento da sua oferta de produtos elétricos, que passará a incluir camiões, comerciais ligeiros e automóveis. A BYD tem vindo a posicionar-se como um dos principais fabricantes de soluções de mobilidade elétrica do mundo, designadamente na área dos autocarros elétricos. O que levou a apostar em soluções de mobilidade sustentáveis? Qual tem sido, resumidamente, a evolução da marca nesta área? A BYD tem o grande compromisso para com o mundo, de trazer soluções de transporte e mobilidade elétricas sustentáveis para todos, através do seu conhecimento adquirido no desenvolvimento de baterias e de todas as

Relativamente ao segmento de veículos comerciais? A BYD fabrica uma vasta gama de autocarros e camiões 100% elétricos. Para além de produzir autocarros, a BYD desempenha um papel ativo na criação de novos padrões e estratégias para veículos elétricos em vários países. Globalmente, a BYD já entregou mais de 60.000 autocarros e na Europa já vendeu mais de 1400 autocarros, em mais de 20 países e 100 cidades europeias. A nossa missão será continuar a desenvolver estes veículos para permitir que as pessoas possam ter acesso a um transporte público sustentável e que ajudem dessa maneira a reduzir as emissões de CO2 para a atmosfera. Quais são os principais argumentos que oferecem os produtos da marca face aos concorrentes? A BYD não fornece apenas um veículo aos seus clientes. Além da sua vasta experiência e conhecimento, a BYD tem uma vantagem

no que toca às baterias, ao contrário de muitos outros fabricantes de automóveis, permitindo garantir a consistência do produto final da bateria e da sua tecnologia. A BYD possui uma cadeia de produção de baterias que vai desde as matérias-primas, P&D, design, fabrico, à sua aplicação e reciclagem. A BYD é também a única OEM a controlar e compreender todo o motor elétrico e a sua tecnologia, desde o corredor de acionamento, o motor elétrico e os sistemas elétricos, até ao fornecimento de energia dos veículos. O nosso desenvolvimento tecnológico é uniformizado tanto para os automóveis como para os veículos comerciais, dando à nossa empresa um entendimento completo da cadeia completa de produção de todos os veículos elétricos, desde a matéria-prima até ao produto final. Desta forma, a BYD serve como um único ponto de serviço para os seus clientes. Exemplos destes serviços incluem a oferta de diferentes formas de carregamento aos operadores de transportes públicos, em função da dimensão das suas frotas. A BYD oferece também um sistema de gestão térmico da bateria, o chamado Battery Thermal Management System (BTMS), permitindo manter sempre a bateria à temperatura ideal, aumentando a sua durabilidade. Outro exemplo é a reciclagem de baterias. A BYD desenvolveu um processo totalmente automatizado para tratar e reciclar baterias em fim-de-vida de forma sustentável: as baterias serão utilizadas para armazenamento de energia, ou desmontadas para a recuperação das matérias-primas como o ânodo ou cátodo para depois serem reutilizadas. Qual a estratégia da BYD para a Europa na área dos autocarros elétricos? A BYD é líder na produção de autocarros elétricos na Europa. Não só foi a pioneira na operação de transportes públicos elétricos, mas também foi a primeira empresa a operar autocarros elétricos no continente europeu. Nós temos um compromisso com o conceito de “Made in Europe for Europe” (“Feito na Europa para a Europa”). Com o nosso centro de Pesquisa & Desenvolvimento na nossa sede europeia na Holanda e as nossas duas fábricas em França e na Hungria, somos capazes de dar resposta aos desafios e necessidades dos diferentes mercados europeus. Para além disso, temos parcerias com várias empresas a nível local e planos de cooperação com 'start-ups', para abraçar oportunidades de desenvolvimento e alcançar resultados benéficos para toda a sociedade, como a criação de emprego. Isto é algo que diferencia os nossos produtos dos outros concorrentes. A BYD acredi-

NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020 TURBO COMERCIAIS

21


PERSPETIVA

JOAQUÍN BELLIDO FONSECA, DIRETOR COMERCIAL EBUS BYD IBERIA

A BYD já vendeu, até ao momento, mais de 820.000 veículos em todo o mundo que estão em circulação em mais de 300 cidades de 50 países ta verdadeiramente que a chave para o sucesso está na cooperação e em parcerias. Estas últimas permitem à BYD cumprir a sua missão e proporcionar as melhores soluções aos nossos clientes. Um dos primeiros exemplos foi a parceria com a Daimler AG para o desenvolvimento de veículos elétricos, iniciada em 2010. Em 2018, a BYD desenvolveu a sua “e-plataforma” e anunciou o seu objetivo de partilhar tecnologias e produtos essenciais à escala global através desta, para aumentar a eficiência desta cooperação. Menos de dois anos depois, já tínhamos desenvolvido veículos elétricos com a Toyota com base nas principais tecnologias partilhadas através da plataforma. Outros exemplos incluem a parceria estabelecida em 2015 com a Alexander Dennis Limited (ADL) o maior produtor de autocarros no Reino Unido, tendo já sido vendidos mais de 400 autocarros elétricos em todo o país, incluindo os famosos double-deckers que se podem ver nas ruas de Londres; e ainda a cooperação com o maior fabricante de autocarros no Brasil, a Marcopolo, em 2017. Quais são os produtos no segmento de autocarros elétricos que estão a registar uma melhor aceitação por parte do mercado europeu? Quais vão ser as principais apostas para este segmento? O portefólio de autocarros da BYD para o mercado europeu inclui o mini-bus de 8,7 metros, o eBus de 12 metros, o eBus de 13 metros Classe II, o eBus articulado de 18 metros e o eCoach de 13 metros para viagens de longa distância. O autocarro da BYD mais vendido é o eBus de 12 metros, pois oferece a dimensão ideal para a maior parte das cidades europeias. Este autocarro está disponível com opção de duas ou três portas, dependendo da escolha do cliente. Estamos bastante orgulhosos deste veículo não só pela sua performance tecnológica, mas também porque venceu o prémio na categoria de transporte público no prestigiado concurso de design iF Design

22

TURBO COMERCIAIS NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020

Awards deste ano. O prémio foi atribuído pelo seu conceito de design “Home from Home” que pretende transformar a experiência de viajar num transporte público, numa sensação confortável e acolhedora, semelhante à da nossa casa. A BYD está a conseguir entrar em vários mercados europeus com os seus autocarros elétricos. Para a marca, quais os projetos que considera mais emblemáticos, quer pelas suas caraterísticas quer pela dimensão? É uma questão difícil de responder, pois um dos nossos valores na BYD é o da excelência. Procuramos sempre satisfazer de igual forma todos os nossos clientes e responder às necessidades dos diferentes mercados. Isso está patente nos mais de 1400 autocarros elétricos vendidos pela BYD em toda a Europa. A nível dos mercados pelos quais estou responsável, nomeadamente Portugal e Espanha, a cooperação com o EMT Madrid, o maior operador de transportes públicos de Espanha, tem sido muito gratificante. Em maio deste ano completamos uma entrega de 15 novos eBuses de 12 metros. Esta experiência tem demonstrando a capacidade dos autocarros da BYD 100% elétricos de se adaptarem a uma grande cidade como Madrid, sendo capazes de operar em linhas de elevada frequência, como é o caso da linha 52

no centro de Madrid; e ainda de dar resposta a um operador como a EMT Madrid que tem uma frota com mais de 2100 autocarros. Já em agosto deste ano, a BYD foi seleccionada para fornecer mais 30 autocarros à EMT Madrid, com base em vários parâmetros operacionais, incluindo a autonomia dos autocarros numa só carga, custo reduzido do consumo de energia, os custos de manutenção e a garantia do fabricante, demonstrando os pontos fortes da nossa marca. Que outros projetos pode referir? Penso que outros exemplos, do sucesso que tem marcado a BYD na Europa, incluem certamente os diferentes projetos nos países nórdicos. A BYD já forneceu mais de 400 autocarros para mais de 20 cidades da Escandinávia. Os autocarros da BYD já provaram serem capazes de dar resposta a todos estes tipo de condições, desde as elevadas temperaturas de verão em Madrid, às temperaturas negativas do círculo ártico no norte da Suécia. Além dos veículos, a BYD também disponibiliza soluções de carregamento. Que tipo de soluções são essas e quais as vantagens para os operadores de transportes? Em termos de soluções de carregamento, a BYD oferece diferentes opções dependendo


SMTUC

das necessidades do cliente e da dimensão das suas frotas. Em primeiro lugar, nós fornecemos o carregamento AC desenvolvido pela própria BYD, desenhado para permitir um carregamento inteligente e rápido. O carregamento AC também permite a monitorização remota em tempo real. Mas a BYD vai mais longe para oferecer a maior flexibilidade aos clientes. Cooperamos com outros fornecedores para disponibilizar diferentes soluções de carregamento, como o carregamento DC que permite um carregamento mais rápido devido à sua alta potência e eficiência; ou como o carregamento de pantógrafo e também o carregamento wireless (sem fios). Os nosso autocarros são também facilmente adaptáveis aos diferentes tipos de carregamento, de modo a que os nossos clientes possam operá-los, mesmo tendo já instaladas outras infraestruturas. Em maio deste ano, a BYD anunciou uma estratégia de expansão europeia. Quais são os pilares do crescimento da marca na Europa? Os negócios da BYD Europe incluem eBuses, empilhadores elétricos, a nossa divisão solar e, mais recentemente, os eTrucks e os automóveis elétricos. O nosso principal negócio na Europa é o dos autocarros elétricos. Em termos de estratégia de crescimento, a

45 EBUSES PARA MADRID A EMT de Madrid já adjudicou dois lotes de autocarros elétricos de 12 metros à BYD. Os primeiros 15 veículos foram entregues em maio

“BYD entrou em Portugal pela porta grande”

N

a sequência de um concurso público internacional lançado pelos SMTUC de Coimbra, a BYD entrou no mercado português, tendo já fornecido oito veículos de 12 metros, estando previsto o fornecimento de mais cinco unidades, após o visto do Tribunal de Contas. “Os SMTUC confiaram na BYD para o fornecimento dos seus autocarros elétricos”, refere Joaquín Bellido Fonseca, diretor comercial eBus BYD Iberia. “É certamente um processo seletivo difícil e rigoroso pelo qual a BYD passou não apenas uma, mas duas vezes, embora a segunda esteja ainda a aguardar o visto do Tribunal de Contas. Com estes prémios, a BYD entrou no mercado português pela porta principal”, refere o responsável. “A implementação técnica da infraestrutura de carregamento foi efetuada com sucesso em conjunto com o operador. Os motoristas também receberam formação para uma condução eficiente, utilizando ao máximo o desempenho energético das baterias e as capacidades de suavidade da condução que um autocarro elétrico oferece para melhorar o conforto e a experiência dos passageiros”, sublinha Joaquín Bellido Fonseca. Relativamente ao mercado português, todas as vendas são geridas diretamente pela direção comercial eBus da BYD Iberia. As vendas são apoiadas pela equipa de Gestão de Projetos, que inclui um gestor de projetos dedicado a Portugal. Para garantir o fornecimento dos serviços de após-venda, a BYD recorre à cooperação com empresas locais especializadas. “Dependendo do projeto, garantimos que temos um parceiro para assistir o nosso cliente localmente antes da entrega dos autocarros, bem como para manter o stock de peças necessárias para a manutenção adequada dos autocarros”, esclarece o entrevistado.

NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020 TURBO COMERCIAIS

23


PERSPETIVA

JOAQUÍN BELLIDO FONSECA, DIRETOR COMERCIAL EBUS BYD IBERIA

O seu nome Blade, inglês para lâmina, provém do facto de ser extremamente fina. Em comparação com as baterias de iões de lítio e as tradicionais baterias de fosfato de ferro e lítio, possui vantagens notáveis devido à sua elevada segurança, longevidade e autonomia. A bateria vem revolucionar o futuro dos transportes, especialmente no que toca à segurança, algo muito importante quando se transporta passageiros.

BYD aposta no conceito de “Made in Europe for Europe” (“Feito na Europa para a Europa”). O mercado europeu tem, sem dúvida, um elevado nível de competição na área da engenharia, Pesquisa e Desenvolvimento. Por esse motivo, a BYD investe fortemente na sua equipa europeia de P&D, tendo escolhido esta região como o ponto central para construir a sua capacidade de investigação, engenharia e design. Que benefícios obtém a BYD com esta aposta europeia? De facto, com esta combinação de profissionais com um grande talento e experiên-

cia provenientes de todo o mundo, a BYD é capaz de desenvolver um ecossistema de mobilidade para o futuro. Com a nossa equipa europeia de engenheiros e as nossas duas fábricas em França e na Hungria, somos capazes de responder rapidamente às exigências do mercado e às expectativas elevadas dos nossos clientes. No que toca à inovação, a nossa prioridade continuará a ser o de trazer mobilidade sustentável através da criação de transportes elétricos que contribuirão para a recuperação da economia de uma forma ecológica. Um exemplo é a nossa mais recente inovação, a BYD Blade Battery.

Esta estratégia de expansão europeia vai passar pelo estabelecimento de redes de concessionários para venda e assistência aos veículos? Quais os planos da BYD neste sentido? Como a BYD tem vários tipos de negócios, as estratégias de vendas varia em função de cada um deles. No caso dos autocarros elétricos, o processo de venda inclui geralmente um concurso público, que é tratado diretamente pela nossa sede europeia. No que toca a serviços de após-venda, cooperamos com parceiros locais em diferentes países e cidades, para garantir que os serviços sejam prestados com a máxima qualidade. Por fim, no que diz respeito ao negócio dos camiões elétricos, estamos atualmente a explorar o mercado. Estamos abertos para discutir e cooperar com distribuidores locais e nacionais. Como referido anteriormente, a BYD acredita verdadeiramente na capacidade da cooperação e nas parcerias. /

ESTRATÉGIA

Gama reforçada com camiões e comerciais elétricos

N

o âmbito da estratégia de crescimento para a Europa, a oferta da BYD vai ser reforçada com uma nova gama de veículos comerciais, destacando-se o BYD LCV (um comercial ligeiro) e o BYD eTruck. A marca anunciou igualmente os seus planos para a introdução de automóveis elétricos, começando pela Noruega como o primeiro projeto experimental na Europa. “No que toca aos veículos comerciais, estarão disponíveis, numa primeira fase, um furgão de mercadorias, dois camiões de distribuição rígidos, de 7,5 toneladas e de 19 toneladas; e, por fim, um trator”, explica Joaquín Bellido Fonseca, diretor comercial eBus BYD Iberia. “Todos estes veículos são 100% elétricos e estão equipados com as baterias BYD, totalmente desenvolvidas pela nossa empresa”. Os planos da BYD passavam pelo lançamento dos novos camiões elétricos no mês de setembro no Salão de Hannover, que acabou por ser cancelado devido ao COVID-19. “Neste sentido, estamos a reajustar os nossos planos de desenvolvimento de negócio e

24

TURBO COMERCIAIS NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020

a avaliar o melhor momento para o seu lançamento na Europa”, refere o entrevistado. No caso dos automóveis elétricos, o único modelo até agora lançado na Noruega é o BYD Tang, um SUV com uma autonomia de 520 km de acordo com os testes NEDC (New European Driving Cycle).


TODA A OFERTA DE FURGÕES MÉDIOS 2020 Para operações em que a capacidade de carga de um furgão compacto é insuficiente e as dimensões exteriores de um furgão grande ou chassis-cabina já são excessivas, o furgão médio surge como a solução de melhor compromisso. Com dimensões exteriores entre 4,5 metros e 5,5 metros e capacidades de carga até

1400 kg, conseguem operar em ambiente urbano e também podem efetuar serviços de natureza interurbana. Além disso, um furgão médio moderno recebe conteúdos tecnológicos que antigamente só estavam disponíveis em ligeiros de passageiros, tornando estes veículos mais agradáveis de utilizar e conduzir.

VOLKSWAGEN TRANSPORTER

MERCEDES-BENZ VITO

RENAULT TRAFIC

PEUGEOT EXPERT

NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020 TURBO COMERCIAIS

25


especial

FURGÕES MÉDIOS 2020

CITROËN JUMPY

OFERTA TRIPLA

O

representante da Citroën no segmento dos comerciais médios é o Jumpy, cuja mais recente geração foi introduzida no final de 2016. Desenvolvido com base na plataforma EMP2 do Grupo PSA, esta gama está disponível em três variantes de carroçaria XS, M e XL, que correspondem a comprimentos exteriores de 4,6 metros, 4,95 metros e 5,30 metros. Para facilitar a operação em ambiente urbano, designadamente o acesso à maioria dos parques de estacionamento e garagens, o Jumpy é proposto numa única altura de tecto, 1,90 metros. Em combinação com os três comprimentos exteriores, o furgão de mercadorias oferece três volumes úteis de carga, dos 4,6 aos 6,1 m3, que pode ainda

3

COMPRIMENTOS

4

MOTORIZAÇÕES

1400 KG CARGA ÚTIL

ser ampliado em 0,5 m3 graças ao sistema Moduwork. Este último permite o prolongamento do compartimento de carga, graças a uma abertura localizada no lado inferior direito do separador, entre o compartimento de carga e o habitáculo. No capítulo mecânico, a marca propõe motores diesel de 1,5 litros , com 100 cv e 120 cv, e de 2,0 litros com 120 cv, 150 cv e 180 cv. Em função das necessidades dos clientes, a gama é comercializada nos níveis de equipamento Worker, Driver e CityVan. No capítulo mecânico, a marca propõe motores diesel de 1,5 litros , com 100 cv e 120 cv, e de 2,0 litros com 120 cv, 150 cv e 180 cv. Para apoiar a condução estão disponíveis vários sistemas de assistência como Top Rear Vision, Head-up display, Active City Break, entre outros./

TRÊS NÍVEIS DE EQUIPAMENTO Para responder aos diferentes tipos de operação, o Jumpy está disponível nos níveis de equipamento Worker, Driver e CityVan

26

TURBO COMERCIAIS NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020


PRIMEIRA ATUALIZAÇÃO O Fiat Talento recebeu a primeira grande atualização no ano passado, que incluiu um novo motor diesel de 2,0 litros e mais equipamento de conforto

FIAT TALENTO

NOVO MOTOR ECOJET

A

o abrigo de uma parceria com a Aliança Renault-NissanMitsubishi, a Fiat Professional está representada no segmento dos comerciais médios com o Talento, modelo que se posiciona entre o Doblò Cargo e o Ducato. A gama é disponibilizada em dois comprimentos de carroçaria (4,99 m e 5,39 m), duas distâncias entre-eixos (3,09 m e 3,49 m) e duas alturas de tecto (1,97 m e 2,49 m). A combinação destas dimensões permite à marca italiana propor quatro volumes úteis de carga, dos 5,2 m3 aos 8,0 m3. Mesmo a versão de chassis curto conse-

2

COMPRIMENTOS

4

VOLUMES ÚTEIS

3

MOTORIZAÇÕES

gue transportar três europaletes. A opção pelo sistema “Cargoplus” (abertura sob o banco do passageiro) permite transportar objetos mais longos, com um comprimento máximo de 3,75 metros e 4,15 metros nas versões curta e longa, respetivamente. A flexibilidade do Talento é ainda garantida pelo limiar de carga de 552 milímetros e pela porta lateral deslizante com uma largura de 1,03 metros. Uma importante inovação na gama de 2020 foi a introdução do novo motor diesel de 2,0 litros EcoJet, que cumpre a norma Euro 6d-Temp, e está disponível em níveis de potência de 120 cv, 145 cv e 170 cv./

NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020 TURBO COMERCIAIS

27


especial

FURGÕES MÉDIOS 2020

2

COMPRIMENTOS

1450 KG CARGA ÚTIL

4

MOTORIZAÇÕES

FORD TRANSIT CUSTOM

MANTER A TRADIÇÃO

T

odos os comerciais ligeiros da Ford receberam a designação genérica Transit, com exceção das pick-up. Os modelos de dimensões médias, com pesos brutos entre 2,6 toneladas e 3,4 toneladas, são denominados Transit Custom, dando continuidade à longa tradição da marca neste segmento. A gama é proposta em dois comprimentos de carroçaria (4,87 metros e 5,34 metros) e duas alturas de tecto (2,0 metros e 2,3 metros), que permitem oferecer volumes úteis de carga entre 6,0 m3 e 8,4 m3, e cargas úteis até aos 1450 kg. Uma das tendências no segmento é a dispo-

28

TURBO COMERCIAIS NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020

nibilização de uma abertura na antepara por baixo do banco do passageiro para permitir o transporte de objetos mais longos. A Transit Custom não é exceção. Esta solução possibilita o aumento do compartimento interno até 3,0 metros e 3,4 metros nas versões de chassis curto e longo, respetivamente. No capítulo mecânico, a Transit Custom recebe um motor diesel Ford EcoBlue de 2,0 litros, que oferece níveis de potência de 105 cv, 130 cv, 170 cv e 185 cv. Esta oferta é complementada por um motor mild-hybrid Ford EcoBoost e por uma alternativa elétrica com extensão de autonomia (PHEV). /

FUNCIONALIDADE A BORDO A Ford tem vindo a introduzir novos sistemas de infoentretenimento e conectividade na Transit Custom, herdados da gama de passageiros


MERCEDES-BENZ VITO

QUARTO DE SÉCULO

RENOVAÇÃO RECENTE Novos motores diesel mais eficientes e mais sistemas de assistência à condução são as principais alterações introduzidas no Vito

L

ançado originalmente há 25 anos, o Mercedes-Benz Vito rapidamente conquistou uma posição de destaque no segmento dos comerciais médios. A imagem de marca, a versatilidade, os baixos custos de utilização e a funcionalidade são alguns dos argumentos que contribuíram para o seu sucesso. A terceira geração deste modelo foi lançada no último trimestre de 2014 e já este ano foi sujeita a uma importante atualização. Entre as principais novidades destaque para a introdução de novos motores diesel de quatro cilindros de 1,7 litros e 2,0

3

COMPRIMENTOS

1369 KG CARGA ÚTIL

4

MOTORIZAÇÕES

litros, que se destinam às versões de tração dianteira e traseira, respetivamente. Os novos propulsores oferecem níveis de potência dos 102 cv aos 190 cv. As versões de tração traseira podem, pela primeira vez, receber uma caixa automática de nove velocidades. O Mercedes-Benz Vito também era o único da sua categoria a ser proposto em três comprimentos de carroçaria, duas distâncias entre-eixos e três sistemas de tração (traseira, dianteira e integral). O furgão de mercadorias disponibiliza volumes úteis de carga dos 5,5 m3 aos 6,6 m3 e uma carga útil até 1369 kg. /

NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020 TURBO COMERCIAIS

29


especial

FURGÕES MÉDIOS 2020

NISSAN NV300

GARANTIA DE CINCO ANOS

C

ontando com uma imagem exterior inspirada nos crossover da marca, o NV300 é proposto em oito versões de carroçaria: chassis curto e longo, com tecto normal e alto e chassis-cabina, compreendendo furgões de 3 e 6 lugares, e combis de passageiros. O compartimento de carga do furgão pode receber até três europaletes, mesmo na versão de chassis curto. Uma abertura na parte inferior da caixa de carga, sob o banco do passageiro, possibilita o transporte de objetos com um comprimento máximo de 3,75 metros ou de 4,15 metros, nas versões de chassis curto e longo respeti-

8

VERSÕES

1280 KG CARGA ÚTIL

8,3 M3 VOLUME ÚTIL

vamente. O volume útil de carga situa-se entre 5,2 m3 e 8,6 m3. No mercado nacional, o furgão NV300 é proposto em dois níveis de equipamento: Optima e Comfort. No capítulo mecânico, a gama conta com novos motores diesel de 2,0 litros que oferecem níveis de potência de 120 cv, 145 cv e 170 cv. Em complemento está disponível um bloco de 1,6 litros com 95 cv. Todos os propulsores dispõem de tecnologia Start-Stop. Um dos argumentos da gama NV300 é a garantia da Nissan de cinco anos ou 160 mil quilómetros, que também se aplica aos acessórios originais./

DOIS NÍVEIS DE EQUIPAMENTO O Nissan NV300 é comercializado em Portugal nos níveis de equipamento Optima e Comfort, e beneficia de uma garantia de fábrica de cinco anos

30

TURBO COMERCIAIS NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020


OPEL VIVARO

TERCEIRA GERAÇÃO

TRÊS COMPRIMENTOS A terceira geração do Opel Vivaro é proposta em três comprimentos de carroçaria, mas deixou de ter versões de tecto alto

C

om base na plataforma EMP2 do Grupo PSA, a Opel desenvolveu a terceira geração do Vivaro. A gama é proposta, pela primeira vez na sua história, em três comprimentos de carroçaria, em vez de apenas dois: 4,6 m, 4,95 m e 5,3. Por outro lado só está disponível com uma altura de tecto, de 1,9 metros, permitindo, desta forma aceder a parques de estacionamento subterrâneos de centros comerciais para efetuar cargas e descargas. O Opel Vivaro está disponível em quatro derivativos: furgão fechado, furgão de seis lugares, chassis-cabina e Combi de passageiros. O volume útil de carga do furgão de mer-

3

COMPRIMENTOS

1400 KG

CAPACIDADE CARGA

6,6 M3 VOLUME ÚTIL

cadorias pode chegar aos 6,6 m3 na versão longa e a capacidade de carga até aos 1400 quilos. Como opção é proposto o sistema FlexiCargo no lado do passageiro, que permite aumentar o comprimento do compartimento de carga em 1,16 metros, sendo possível transportar objetos mais longos até 3,32 metros, na versão de chassis curto. Por sua vez, o volume útil de carga aumenta 0,5 m3. No capítulo mecânico, a Opel propõe dois motores diesel de 1,5 litros e 2,0 litros, que oferecem níveis de potência de 102 cv a 177 cv. A gama é comercializada nos níveis de equipamento Essentia e Enjoy. /

NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020 TURBO COMERCIAIS

31


especial

FURGÕES MÉDIOS 2020

3

COMPRIMNTOS

1400 KG CARGA ÚTIL

3

MOTORIZAÇÕES

PEUGEOT EXPERT

NOVOS EQUIPAMENTOS

P

rojetado com base na plataforma EMP2 do Grupo PSA para responder às diferentes utilizações e à procura de eficácia por parte dos profissionais, o Peugeot Expert é proposto em três comprimentos de carroçaria - Compact, Standard e Long - que oferecem comprimentos exteriores de 4,6 m, 4,95 m e 5,3 m. Para garantir o acesso à maioria dos parques de estacionamento subterrâneos está disponível apenas numa altura de tecto, de 1,90 m. A oferta compreende furgões de dois ou três lugares, uma versão semi-vidrada

32

TURBO COMERCIAIS NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020

de seis lugares e combis de nove lugares. O volume útil de carga do furgão situa-se entre os 4,6 m3 e os 6,1 m3, valor que pode ser ampliado em 0,5 m3 com a solução Moduwork (abertura na antepara que se prolonga sob o banco do passageiro). Para cumprir a norma de emissões Euro6dTEMP, os motores diesel receberam uma atualização, passando a ser disponibilizados blocos de 1,5 litros com 100 cv ou 120 cv e de 2,0 litros com 120 cv. A gama também foi reforçada com três novos níveis de equipamento - Grip, Asphalt e Urban - que se vieram juntar aos dois já existentes, Pro e Premium./

CINCO NÍVEIS DE EQUIPAMENTO Para responder às diferentes necessidades, o Peugeot Expert é comercializado em cinco níveis de equipamento, incluindo três novos


RENAULT TRAFIC

MOTORES E IMAGEM NOVOS

ATUALIZAÇÃO DUPLA Aproveitando a entrada em vigor da norma de emissões Euro 6d-TEMP, a Renault renovou os motores e a imagem da Trafic

A

oferta da terceira geração da Trafic é constituída por 275 versões que estão disponíveis de fábrica. Para cumprir os exigentes limites da norma de emissões Euro 6d-TEMP, a gama recebeu um novo motor diesel de 2,0 litros, proposto em três níveis de potência (120 cv, 145 cv e 170 cv), que veio substituir o anterior bloco de 1,6 litros. O novo propulsor 2.0 dCi pode ser associado a uma caixa manual de seis velocidades ou, em alternativa, a uma transmissão automática. A marca aproveitou a ocasião para refrescar a imagem exterior do seu comer-

2

COMPRIMENTOS

3

MOTORIZAÇÕES

275 VERSÕES

cial de médias dimensões, que passou a ostentar a mais recente assinatura luminosa em forma de C da Renault, incluindo faróis full LED e uma grelha mais proeminente com o losango em destaque. O design interior também foi revisto, incorporando elementos dos ligeiros de passageiros. A gama é proposta em dois comprimentos de carroçaria (4,99 m e 5,39) e duas alturas de tecto (1,97 m e 2,46 m), permitindo disponibilizar volumes úteis de carga de 5,2 m3 a 8,6 m3. Além dos furgões e das combis, a oferta da Trafic foi reforçada com versões chassis-cabina. /

NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020 TURBO COMERCIAIS

33


especial

FURGÕES MÉDIOS 2020

TOYOTA PROACE

SEGUNDA GERAÇÃO

P

ara substituir a icónica Hiace, cujo motor diesel deixou de cumprir as normas europeias, a Toyota recorreu aos seus parceiros do Grupo PSA para continuar presente no segmento de comerciais de dimensões médias. Em termos de imagem, a Proace distingue-se por adotar a linguagem de design frontal “Under Priority”para ser identificada com um dos membros da família Toyota. Já na sua segunda geração, o Proace utiliza a plataforma EMP2 para disponibilizar uma gama proposta em três comprimentos de carroçaria - Curta (L0), Média (L1)

3

COMPRIMENTOS

3

MOTORIZAÇÕES

6,1 M3

VOLUME ÚTIL

e Longa (L2) - e duas versões: Van, com paredes laterais em chapa e três lugares; e Service, com seis lugares, distribuídos por duas filas de bancos, e porta lateral vidrada. Para conversões é proposta uma versão “Plataforma Cab”. O furgão de mercadorias oferece um volume útil de carga entre os 4,6 m 3 e os 6,1 m 3, valor que pode aumentar em 0,5 m 3 com o sistema opcional Smart Cargo. No capítulo mecânico, o Proace é proposto em motorizações diesel de 1,5 litros com 100 cv ou 120 cv ou 2,0 litros com 120 cv. A transmissão é assegurada por uma transmissão manual de seis velocidades./

SUCESSOR DA HIACE O Proace é o representante da Toyota num segmento onde esteve presente com a Hiace. O novo modelo oferece uma maior versatilidade

34

TURBO COMERCIAIS NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020


MAIS TECNOLOGIA A mítica Volkswagen Transporter entrou na moderna era da digitalização e da conectividade com a mais recente geração 6.1

VOLKSWAGEN TRANSPORTER

ATUALIZAÇÃO TECNOLÓGICA

P

elas suas caraterísticas técnicas e qualidade de construção, a Volkswagen Transporter é uma das referências do segmento dos comerciais médios, com pesos brutos das 2,8 às 3,2 toneladas e capacidades de carga entre 1,0 e 1,2 toneladas. Sucessora do mítico e ícónico “Pão de Forma”, a sexta geração deste modelo recebeu a sua primeira evolução, a meio do seu ciclo de vida, passando a oferecer novos sistemas de assistência, graças à adoção de uma direção assistida elétrica, e de infoentretenimento. O interior da cabina também foi revisto, designadamente

2

COMPRIMENTOS

2

ALTURAS

1,4 TON. CARGA ÚTIL

o tablier e o painel de instrumentos para permitir receber o Cockpit Digital e a terceira geração da matriz de infotainment modular (MIB). No capítulo mecânico, a oferta assenta no bloco 2.0 TDI que oferece níveis de potência de 90 cv, 110 cv, 150 cv e 199 cv (com biturbo). A gama Transporter é comercializada nos derivativos furgão, kombi, chassis-cabina simples e dupla, em duas distâncias entre-eixos, e duas alturas de tejadilho. As diferentes combinações permitem à marca propor furgões com volumes úteis de carga dos 5,8 m3 aos 9,3 m3. /

NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020 TURBO COMERCIAIS

35


reportagem

GALUCHO

INOVAR PARA CONTINUAR A CRESCER Industrialização, internacionalização e inovação são três dos marcos na evolução da Galucho, empresa que assinala o seu centenário. A sua longevidade também se pode explicar pela relação qualidade-preço “quase imbatível” dos seus produtos, segundo refere Nuno Gama Lobo, diretor de Operações, Gestão, Negócios e Finanças TEXTO CARLOS MOURA PEDRO FOTOS CARLOS PEDROSA

E

m Portugal é pouco habitual uma empresa assinalar cem anos. Muito menos no setor industrial ou na área dos transportes. A Galucho é uma das exceções. Especializada no desenvolvimento de soluções eficientes para o setor agrícola e transportes, é uma das principais empresas portuguesas na área da metalomecânica, sendo líder de mercado nas áreas de negócio onde está presente. “A longevidade da Galucho deve-se à qualidade dos seus produtos”, afirma Nuno Gama Lobo, diretor de Operações, Gestão, Negócios e Finanças desta empresa familiar, mas com 300 colaboradores, se-

36

TURBO COMERCIAIS NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020

diada em S. João das Lampas, no concelho de Sintra. “Para estar em atividade ao longo de um século e acompanhar as várias evoluções do mercado, uma empresa tem de ser capaz de fabricar os produtos que os clientes procuram e o mercado considera como adequados”, sublinha o entrevistado. “Por detrás disto tudo há um trabalho de várias gerações na Galucho. O nosso Presidente de Conselho de Administração, José Justino, faz parte da terceira geração da família, mas toda a restante administração já vai na quarta geração”, acrescenta.

A génese da Galucho está na área industrial agrícola. A empresa começa como uma pequena oficina de reparação de alfaias agrícolas, mas, a dada altura, o seu fundador, José Francisco Justino, consegue perceber que tinha capacidade para produzir alfaias agrícolas melhores do que aquelas que estavam a ser reparadas. “Isso permitiu à Galucho ganhar um grande lastro industrial e comercial”, refere Nuno Gama Lobo. Na década de ’60 do século passado, a empresa decide alargar a sua atividade à produção de equipamentos de transporte, que era complementar, uma vez que o mercado agrícola deixou de ser suficiente para


as ambições de crescimento da empresa. Na década de ’60, a empresa apostou na industrialização, com um crescimento significativo da produção. Na década de ’80, foi iniciado um processo de internacionalização, com aposta em mercados externos. Mais recentemente, a empresa tem investido em inovação e engenharia, na melhoria dos produtos e na modernização dos meios produtivos afetos à empresa. “Mais do que celebrar um percurso que é quase único em Portugal queremos também garantir que estamos a tentar preparar a empresa para os próximos cem anos”, refere o diretor de Operações, Gestão, Negócios e Finanças da Galucho. “É muito importante celebrar o passado, mas, acima de tudo, temos de criar as condições para que a empresa tenha futuro e capacidade de evolução, que nos permita continuar a merecer a confiança dos nossos clientes”.

COMPROMISSO COM A QUALIDADE

Com instalações industriais em S. João das Lampas e Albergaria-a-Velha, a Galucho é uma das principais empresas nacionais de metalomecânica, dedicando-se à produção de equipamentos para a agricultura e para os transportes. A área de equipamentos de transportes, que já chegou a ser a mais importante da empresa em termos de volume de negócios, representou, no ano passado, cerca de 30% da facturação, estando previsto um aumento para 35% no final de 2020. A médio prazo, o objetivo é que cada uma das áreas de negócio represente 50%. “O nosso objetivo não é reduzir a parte industrial agrícola, mas fomentar cada vez mais a área dos transportes”, explica Nuno Gama Lobo, diretor de Operações, Gestão, Negócios e Finanças da Galucho. A produção de equipamentos para os transportes é assegurada pelo pólo industrial de S.João das Lampas, que possui uma área total de 155.000 m2 e coberta de 60.000 m2. Esta unidade possui uma das máquinas de quinagem de maior vão contínuo do nosso país, permitindo assegurar um elevado grau de resistência dos equipamentos. “Quanto maior for a quinagem, menor é a necessidade de soldaduras estruturais, aumentando a resistência dos equipamentos”, afirma Nuno Gama Lobo. “Trabalhamos com chapas Hardox de grande dimensão, um produto com um elevado grau de resistência abrasiva e grande elasticidade, mas com elevada resistência”. O responsável explica que todo o aço que entra nas instalações é de origem europeia e certificado. “Não faze-

RELAÇÃO PREÇO-QUALIDADE Caixas basculantes e porta-máquinas são alguns dos equipamentos produzidos pela Galucho. A relação preço-qualidade é um dos segredos do sucesso

O pólo industrial de S. João das Lampas possui uma das máquinas de quinagem de maior vão contínuo do nosso país, permitindo assegurar um elevado grau de resistência aos equipamentos NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020 TURBO COMERCIAIS

37


reportagem

GALUCHO

Investimento em engenharia e inovação

P

ara apoiar a sua atividade e melhorar a capacidade produtiva, a Galucho tem vindo a investir em recursos humanos ligados à engenharia e em equipamentos. “Há cerca de cinco anos investimos num laser de primeira geração e no ano passado numa nova máquina de plasma”, refere Nuno Gama Lobo. “Temos também um novo forno de indução e uma nova cabina de pintura. Tudo investimentos para assegurar a melhoria contínua dos nossos processos de fabrico e dos nossos produtos”. O responsável adianta que a Galucho tem um plano de robotização que vai ser implementado nos próximos dois anos e que permitirá automatizar grande parte das linhas de produção. “Isso permite-nos ter uma engenharia a trabalhar perto da fábrica e da área comercial, e possibilita fazermos aquelas otimizações que sentimos que o mercado vai necessitando, e, assim, conseguirmos reagir mais rapidamente”. A Galucho apostou igualmente na formação e estabeleceu em 2019 uma parceria com o IEFP (Instituto do Emprego e Formação Profissional) com uma vertente dupla. Por um lado, permitiu ter um plano de formação de melhoria e investimento nos colaboradores. Por outro lado, a parceria com o IEFP permitiu a realização de ações de formação profissional de serralheiros e soldadores. “A empresa teve uma grande necessidade de mão-de-obra em 2018 e o mercado de trabalho não teve capacidade de satisfazer. Isso forçou-nos a ir à procura de alternativas. Aquelas que encontramos foi promovermos nós próprios a formação de quadros para poderem integrar a nossa empresa”. A Galucho também fez um investimento de algumas centenas de milhares de euros no Centro de Formação, que se destina não só a dar formação profissional às pessoas que possam integrar os seus quadros, mas também formação técnico-comercial aos agentes na área agrícola e aos distribuidores na área dos transportes. “Queremos que as nossas equipas comerciais e agentes tenham um conhecimento cada vez maior dos nossos produtos para poderem ajudar os nossos clientes a escolherem as soluções mais adequadas às suas necessidades”.

2

PÓLOS INDUSTRIAIS

300

COLABORADORES

155mil M2 S.JOÃO DAS LAMPAS

240

PRODUÇÃO 2020

38

TURBO COMERCIAIS NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020

mos compromissos quanto à qualidade”. Entre os principais produtos fabricados pela Galucho para a área dos transportes destacam-se os semirreboques basculantes, de dois e três eixos, as caixas basculantes, os estrados, o porta-máquinas e os estrados madeireiros. Este último produto goza de uma elevada aceitação no mercado devido à sua qualidade. “O setor madeireiro é uma área de negócio onde a Galucho tem uma implementação muito forte”, refere. Para o entrevistado, um dos factores diferenciadores da Galucho face à concorrência é a “relação preço-qualidade quase imbatível”, adiantando que os produtos da marca são de primeira qualidade. “Além de utilizarmos matéria-prima apenas e exclusivamente de fornecedores europeus de primeira linha, os componentes que implementamos nos nossos equipamentos são todos fornecidos por fabricantes de referência: eixos da BPW ou da SAF, cilindros da Binotto ou da Olesa, pneus da Michelin ou da Continental, sistemas de travagem da Wabco. "Agregando a qualidade da sua construção à qualidade dos componentes que coloca nos seus produtos, a Galucho consegue disponibilizar aos seus clientes um produto de primeira qualidade a um preço muito competitivo”, salienta.

SERVIÇO COMERCIAL E APÓS-VENDA

Além da qualidade do produto, a Galucho também aposta num bom serviço comer-


Entre os principais produtos da Galucho para a área dos transportes destacam-se os semirreboques basculantes, de dois e três eixos, as caixas basculantes, os estrados, os porta-máquinas e os estrados madeireiros cial e de após-venda, funcionando ambos em paralelo porque, segundo explica o entrevistado, um “equipamento desta natureza implica sempre uma grande interação entre o cliente e o utilizador do produto”, acrescentando que existem sempre “inovações e melhorias a promover”. Na área comercial, a política da Galucho passa por vendas diretas para o mercado nacional e distribuidores para o mercado de exportação. “Neste momento estamos dinamizar a rede de distribuidores em Espanha e em França, apesar de não termos exclusividade”, esclarece o diretor de Operações, Gestão, Negócios e Finanças da Galucho. “Temos, sim, uma política de dinamização da marca nesses países através de uma rede de distribuidores especializados e que nos permite termos um acompanhamento local próximo dos nossos clientes”, acrescenta o responsável. “O nosso plano de expansão na área dos transportes prevê a procura de novos mercados e a consolidação dos mercados históricos onde, por um motivo ou por outro, a Galucho esteve algum tempo ausente. A Galucho foi o maior fabricante de reboques industriais na Península Ibérica no início deste século. Com a crise em Espanha, que era o nosso principal mercado, houve uma redução muito abrupta do volume de vendas e de produção, que se prolongou durante algum tempo”, refere o entrevistado, adiantando que, nos últimos quatro a

Série especial Black Edition

P

ara assinalar o seu centenário, a Galucho lançou uma série limitada a 25 unidades e numerada do seu semirreboque basculante, denominada Black Edition. “Foi uma decisão estratégica para premiar os nossos clientes mais fiéis”, afirma Nuno Gama Lobo. “Tivemos mais procura do que a nossa oferta e foi a maneira de celebrarmos o nosso centenário com os nossos clientes, oferecendo-lhes a possibilidade de terem um produto especial". Esta foi uma das iniciativas de comemoração do centenário porque muitas outras tiveram de ser canceladas devido à pandemia do COVID-19. “Tínhamos vários eventos previstos para celebrar esta efeméride com clientes, fornecedores e “stakeholders”, mas, infelizmente, não o pudemos fazer”, lamenta o entrevistado, acrescentando: “Temos o mais importante que é a confiança dos clientes que nos permitiu chegar a este marco histórico. Tenho a certeza que nos continuarão a apoiar durante muitos mais anos!”

cinco anos, a empresa tem procurado dar passos sustentados e significativos para aumentar o volume de negócios na área dos transportes, com um crescimento na casa dos dois dígitos. “Não obstante a pandemia e se tudo correr consoante as nossas previsões, este ano vamos conseguir um aumento de 25% nas vendas na área dos transportes. No mercado nacional, o crescimento será na ordem dos 70%. O aumento só não foi maior porque houve algumas quebras na exportação, pois alguns dos mercados principais com que trabalhamos - espanhol e francês - tiveram efeitos na pandemia muito superiores aos nossos”. Na área da exportação, a estratégia de crescimento da Galucho vai passar não só pela dinamização dos mercados espanhol e francês porque, segundo o entrevistado, a empresa tem potencial para crescer, mas também pelo reforço a médio prazo da presença nos mercados belga, holandês e alemão. Em termos de assistência após-venda no mercado nacional, a Galucho disponibiliza um serviço de assistência móvel que permite ir ao encontro do cliente. Se isso não for possível ou necessário, a empresa conta com os seus dois pólos industriais em S. João das Lampas e Albergaria-a-Velha para prestar assistência. “Felizmente que este serviço não é muito utilizado, sinal que os nossos equipamentos não exigem muita assistência”, comenta Nuno Gama Lobo.

“Mas esta é uma abordagem que queremos ter cada vez mais: qualidade de serviço. Não queremos só vender um produto bom, mas também prestar um serviço cada vez melhor aos nossos clientes”.

APOSTAS DE FUTURO

Relativamente ao futuro, a Galucho vai continuar a investir na melhoria da sua capacidade produtiva e na inovação dos seus produtos. “O grande investimento que estamos a fazer é nas áreas da engenharia, robotização e na melhoria da capacidade de produção dos nossos equipamentos”, refere Nuno Gama Lobo, diretor de Operações, Gestão, Negócios e Finanças. “A Galucho também irá apostar na investigação e no desenvolvimento de novas soluções. Este setor está em profunda evolução e nos próximos anos iremos assistir a transformações mais rápidas e acentuadas", avança o responsável. "A Galucho está a querer preparar-se para as evoluções que aí vêm para continuar aquilo que sempre foi a sua imagem de marca: produtos de qualidade, robustos, fiáveis e inovadores”. O responsável adianta que a empresa sediada em S. João das Lampas está a promover algumas parcerias para promover a capacidade da empresa para permitir a disponibilização de soluções de digitalização e conectividade que possibilite a apresentação de produtos de qualidade quando o mercado o exigir. /

NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020 TURBO COMERCIAIS

39


novidades

MERCEDES-BENZ ACTROS F

ENTRADA DE GAMA A oferta de camiões da Mercedes-Benz vai ser reforçada, a partir de janeiro, com o novo Actros F, que se posiciona como modelo de entrada de gama TEXTO CARLOS MOURA PEDRO

A

Daimler Trucks vai reforçar a oferta da sua gama pesada com o novo Mercedes-Benz Actros F, que está direcionado para frotas mais sensíveis ao preço de aquisição e não necessitam de todas as inovações tecnológicas introduzidas na mais recente geração deste modelo. A nova versão de entrada da família Actros mantém o ADN da Mercedes-Benz Trucks em termos de qualidade, fiabilidade, funcionalidade, segurança e valor, em associação com um custo de aquisição mais apelativo. O Mercedes-Benz Actros F estará disponível, a partir de janeiro, em 24 países e a oferta compreenderá 17 modelos bási-

40

TURBO COMERCIAIS NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020

17

MODELOS

2,5 M LARGURA

120 MM TÚNEL MOTOR

cos, vocacionados para transporte regional de longo curso, designadamente para aplicações como movimentação de caixas móveis, recolha de resíduos ou transporte de cereais. Na configuração do Mercedes-Benz Actros F, os responsáveis da marca procuraram proporcionar um elevado conforto aos motoristas e o máximo de funcionalidade aos operadores. Por esse motivo, este veículo é proposto com as cabinas StreamSpace e BigSpace, com 2,5 metros de largura e túnel de motor com altura de 120 mm, que garantem uma combinação de generoso espaço interior e facilidade de acesso à cabina, graças a apenas três degraus.


MERCEDES-BENZ ACTROS EDITION 2

À medida do condutor

E Em termos de equipamento de série, o Actros F é proposto com o Classic Cockpit e espelhos exteriores convencionais. O Multimedia Cockpit com ecrã de 10 polegadas e o volante multifunções da atual geração do Actros estará disponível como opcional, podendo ser combinado com os sistemas de navegação e climatização, além de outros equipamentos extra. O novo Predictive Powertrain Control é outro opcional que calibra as mudanças da caixa de velocidades automática em função da topografia e do estilo de condução, contribuindo para poupanças adicionais no consumo de combustível, recorrendo a uma estratégia muito precisa de engrenagem das velocidades. /

nquanto o Mercedes-Benz Actros F está direcionado para as frotas, o novo Actros Edition 2, que também pode ser encomendado a partir de janeiro, está claramente vocacionado para os condutores que têm grande orgulho na sua profissão e para os autónomos. Este é um público-alvo para quem o camião é a sua segunda casa, valorizando aspectos como o estilo individual e o elevado conforto. O Mercedes-Benz Actros Edition 2 vai estar disponível numa série limitada a 400 unidades e oferece um conjunto de equipamentos exclusivos que procuram agradar não só aos clientes com pequenas frotas, mas também aos operadores que procuram melhorar a imagem das suas empresas e atrair motoristas num período em que se assiste a uma falta destes profissionais. O Mercedes-Benz Actros Edition 2 foi dotado com 40 opções adicionais para o interior e o exterior, contando ainda com elementos de design do Edition 1 para reforçar o seu caráter de exclusividade e luxo. O habitáculo recebe um tablier e puxadores das portas revestidos em pele, enquanto algumas outras partes do interior possuem apontamentos em fibra de carbono. O equipamento de série compreende seis pacotes: Safety Package, com vários sistemas ativos de assistência ao condutor; Comfort Package, com iluminação LED, espelho para barba, minifrigorífico, entre outras “cortesias” para uma vida confortável a bordo; Driving Package, com faróis bi-xénon, sensores de chuva e farolins traseiros em LED; Media Package, com sistema de som, suporte para computador portátil, tomada adicional 12 / 15 V; Extra Line com luzes de posição LED no MirrorCam, indicadores de mudança de direção em LED e luz de boas-vindas. O Mercedes-Benz Actros Edition 2 será comercializado nas versões de dois e três eixos da atual gama Actros com cabina GigaSpace e BigSpace. A pintura da cabina pode ser escolhida pelo cliente e decorada com a imagem da empresa. A parte dianteira do camião é pintada sempre numa cor cinzento metalizada, que proporciona um elevado reconhecimento.

NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020 TURBO COMERCIAIS

41


novidades MERCEDES-BENZ EACTROS

PRODUÇÃO ARRANCA EM 2021 A Daimler Trucks anunciou a produção em série do Mercedes-Benz eActros em 2021 na fábrica de Wörth. Um ano depois chega o Mercedes-Benz eEconic, que também vai utilizar a mesma arquitetura elétrica, denominada ePowertrain

A

fábrica da Daimler Trucks de Wörth na Alemanha vai produzir em série o camião elétrico MercedesBenz eActros em 2021, na mesma unidade onde é construído o Mercedes-Benz Actros com motor de combustão. A produção dos diferentes tipos de veículos deverá ser tão integrada quanto possível, sendo o chassis produzido numa mesma linha de montagem, independentemente de poder vir a receber um motor de combustão ou uma linha motriz elétrica. A instalação dos vários componentes não convencionais será efetuada num processo separado, assim como a montagem final da linha motriz do Mercedes-Benz eActros, que terá lugar no edifício 75 da fábrica de Wörth. O trabalho de conversão do edifício, como preparação para o novo processo de produção, teve início há um ano. Nesta nova linha de montagem será instalada toda a arquitetura elétrica do eActros, designadamente os componentes de alta voltagem. Seguidamente, os veículos regressam ao processo regular de produção para os acabamentos e inspeção final. ARQUITETURA EPOWERTRAIN A Daimler Trucks vai utilizar uma mesma arquitetura elétrica global, designada ePowertrain, em todos os camiões elétricos. O seu “coração” é a linha motriz elétrica, eDrive, constituída por um eixo-elétrico com um ou dois motores elétricos, incluindo a transmissão. Segundo a Daimler Trucks, a eDrive oferece vantagens tecnológicas em termos de performance, eficiência e durabilidade, graças ao seu design compacto que permite uma maior capacidade da bateria, com reflexos positivos ao nível da autonomia, prestações e potencial de recuperação da energia cinética.

42

TURBO COMERCIAIS NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020

O sistema proporciona ainda uma condução mais estável graças a um centro de gravidade mais baixo. Por outro lado, a instalação transversal das baterias assegura uma melhor proteção em caso de impacto. Esta ePowertrain vai ser utilizada em vários modelos da Daimler Trucks nos segmentos de distribuição pesada e longo curso, quer seja a bateria, quer seja a pilha de combustível. O primeiro modelo a utilizar a arquitetura ePowertrain vai ser precisamente o Mercedes-Benz eActros, cujos protótipos têm vindo a ser testados por clientes desde 2018. A receptividade tem sido positiva. Os contributos dos clientes têm sido aproveitados pela equipa de desenvolvimento não só para melhorar os protótipos, mas também os futuros modelos de produção. Os testes têm vindo a revelar que o Mercedes-Benz eActros é um veículo ideal para a distribuição pesada sustentável. A sua operação em tráfego urbano, em autoestradas e em outros tipos de vias demonstrou que não é inferior a um camião diesel convencional em termos de disponibilidade de binário e potência. A autonomia de 200 quilómetros revelou-se realista, independentemente da carga, rota ou topografia. A versão final de produção irá oferecer uma autonomia superior à do protótipo e estará disponível em versões de dois eixos ou três eixos. A partir de 2022, também sairá da linha de montagem da fábrica de Wörth o novo Mercedes-Benz eEconic. A arquitetura elétrica será idêntica à do eActros e o seu tipo de aplicação - recolha de resíduos e serviços municipais - também se é compatível com operações que envolvam camiões elétricos equipados com bateria, uma vez que as rotas são relativamente curtas, raramente ultrapassando os 100 quilómetros diários e com muitas situações de paragem e arranque. /

ESTREIA DA EPOWERTRAIN Após vários testes em clientes desde 2018, o MercedesBenz eActros vai começar a ser produzido em série em 2021. Este camião elétrico vai estrear uma arquitetura elétrica, denominada ePowertrain


NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020 TURBO COMERCIAIS

43


novidades

SCANIA

MOTORES V8 RENOVADOS A Scania renovou a gama de motores V8 e introduziu uma nova caixa de velocidades para melhorar a eficiência de combustível e os custos totais de operação

A

gama de motores V8, de 16,4 litros, da Scania foram renovados e passam a estar disponíveis em níveis de potência de 530 cv, 590 cv, 660 cv e 770 cv. Segundo a marca sueca, estes novos blocos de oito cilindros com arquitetura em V foram desenvolvidos para proporcionarem uma redução do consumo de combustível que pode chegar aos 6%. A Scania sublinha que a melhoria na eficiência foi alcançada com a adoção de tecnologias de vanguarda e a introdução de mais de 70 peças novas, com o objetivo de reduzir a fricção interna e obter relações de compressão mais elevadas. Os sistemas de pós-tratamento dos gases de escape foram melhorados e o sistema de gestão eletrónica do motor também é novo. De acordo com estudos da marca sueca, o novo motor V8 permite uma poupança anual entre 3000 a 4000 litros de gasóleo por camião de longo curso que percorra cerca de 150 mil quilómetros por ano.

44

TURBO COMERCIAIS NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020

16,4 L CILINDRADA

4

MOTORIZAÇÕES

770 CV POTÊNCIA

6%

REDUÇÃO CONSUMO


TRANSIÇÃO ENERGÉTICA

Scania apresenta camiões eletrificados

N

NOVA CAIXA AUTOMATIZADA Além da renovação dos motores V8, a Scania desenvolveu uma nova geração de caixas de velocidades automatizadas que se destinam a substituir todas as transmissões atuais Scania Opticruise. A primeira versão desta nova gama de transmissões é a G33CM, que foi projetada para ser utilizada em combinação com os novos blocos V8 e os propulsores de seis cilindros em linha de 13 litros com níveis de potência de 500 cv e 540 cv. A Scania refere que com a nova gama de caixas de velocidades automatizadas irá manter a sua tradição de referência em termos de eficiência, com baixas rotações e reduzido consumo de combustível. A primeira versão das nova gama de caixa de velocidades automatizada começa a ser produzida em outubro e os primeiros camiões equipados com esta transmissão serão produzidos no último trimestre de 2020. /

o âmbito do seu objetivo de liderar a transição para um sistema de transporte sustentável, a Scania lançou uma gama de camiões elétricos e híbridos plug-in. As novas propostas destinam-se, numa primeira fase, a aplicações urbanas, incluindo distribuição pesada e serviços municipais, entre outros. A marca sueca salienta que continuará a desenvolver a sua gama camiões eletrificados para todas as aplicações nos próximos anos, designadamente para o longo curso e a construção. A Scania sublinha que a eletrificação dos veículos pesados de mercadorias é essencial para se atingir a meta do Acordo de Paris de limitar o aquecimento global para menos de 1,5ºC. O fabricante sueco diz que está comprometido com esse objetivo e pretende conseguir um sistema de transportes livre de combustíveis fósseis. O estudo ‘Pathways”, iniciado pela marca, indica que é possível alcançar esse objetivo e envolve investimentos e benefícios para a saúde. A nova gama de camiões eletrificados foi desenvolvida com base no sistema modular da Scania, com componentes experimentados e testados. O camião elétrico da Scania é proposto nas cabinas das séries L e P. O veículo está equipado com um motor elétrico de 230 kW (310 cv) e uma bateria com uma capacidade entre 165 kWh e 300 kWh, dependendo do número de módulos (cinco a nove). A versão com maior capacidade oferece uma autonomia de até 250 quilómetros, com uma única carga. Por sua vez, o camião híbrido Plug-in da Scania, também disponível para cabinas das séries L e P, oferece a oportunidade de percorrer longas distâncias com o motor de combustão e, subsequentemente, conduzir até 60 km em modo elétrico, quando necessário. Combinado com o combustível renovável, os operadores podem reduzir significativamente o seu impacto climático. Além dos serviços de carga geral e dos transportes com temperatura controlada, os camiões elétricos podem ser implementados, de forma lucrativa, com outras carroçarias, como gruas, basculantes, betoneiras e coletores de lixo, bem como para os serviços de incêndio e resgate. /

NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020 TURBO COMERCIAIS

45


novidades

BOSCH

TECNOLOGIA FUEL-CELL PARA PESADOS A Bosch está a trabalhar no desenvolvimento da tecnologia da célula de combustível para veículos pesados de longo curso, que oferece vantagens em relação às baterias em termos de autonomia, peso, tempo de abastecimento

A

Bosch está a desenvolver soluções com base na tecnologia da célula de combustível para o transporte de longo curso. A tecnológica alemã entende que a operação de camiões elétricos a bateria com peso bruto de 40 toneladas não será a melhor opção, apontando como constrangimentos o peso da bateria, os longos períodos de carregamento e a autonomia ainda limitada da tecnologia atual. A Bosch sublinha, no entanto, que num futuro próximo, os camiões poderão percorrer mais de mil quilómetros em modo totalmente elétrico, utilizando um sistema de célula de combustível alimentado por hidrogénio. Se este combustível for

46

TURBO COMERCIAIS NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020

obtido com recurso a energias renováveis, o transporte de mercadorias e passageiros poderá ser realizado de forma neutra para o clima. A Bosch adianta que está a desenvolver um sistema de célula de combustível para camiões e autocarros, que deverá entrar em produção em 2022-2023. Segundo a Bosch, o hidrogénio apresenta um elevado potencial, graças à sua elevada densidade energética. Um quilograma de hidrogénio contém a energia equivalente a 3,3 litros de gasóleo. Para percorrer 100 quilómetros, um automóvel de passageiros necessita apenas de um quilograma, enquanto um camião de 40 toneladas exige sete quilogramas para efetuar o mesmo trajeto. Na verdade, esta relação entre ligeiros e pesados não é muito diferente da

que se verifica atualmente com motorizações diesel. O tempo de abastecimento de um depósito de hidrogénio também é idêntico ao de um veículo a gasolina ou a gasóleo, bastando apenas alguns minutos. Relativamente ao custo do hidrogénio verde, a Bosch acredita que este tenderá a diminuir consideravelmente quando aumentar a capacidade de produção e diminuir o preço da eletricidade gerada a partir das fontes renováveis. No que se refere à infraestutura de abastecimento de hidrogénio, a Bosch reconhece que a rede atual não oferece uma cobertura completa, mas os cerca de 180 postos de abastecimento existentes na Europa já são suficientes para algumas rotas de transporte importantes./



novidades

FUSO CANTER

NOVA GERAÇÃO LANÇADA NO JAPÃO Dez anos após o lançamento da última geração, a Mitsubishi Fuso revela o novo camião ligeiro Canter, que já está em comercialização no Japão. O Canter recebe novos equipamentos de segurança, além de uma cabina redesenhada

A

Mitsubishi Fuso Truck and Bus Corporation revelou a nova geração do camião ligeiro Canter no Japão. O novo modelo, que possui uma cabina redesenhada, começou a ser comercializado no mercado nipónico no mês de novembro. O novo Fuso Canter é o primeiro camião de gama baixa, disponível com pesos brutos de 3,5 às 9,0 toneladas, a ser equipado com avançados sistemas de assistência à condução como o Active Sideguard Assist, que é de série no Japão. O Active Sideguard Assist deteta peões ou outros veículos no lado esquerdo do veículo através de sensores. Sempre que necessário este dispositivo emite um alerta quando deteta um risco de colisão quando o motorista manobra a direção para a

48

TURBO COMERCIAIS NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020

NOVA ASSINATURA O novo Canter adota identidade de design da Fuso, denominada "Black Belt", introduzida noutros modelos da marca


ASSISTÊNCIA REMOTA O sistema telemático Truckconnect oferece novos serviços de conectividade e apoia a gestão da frota

ACTIVE SIDE GUARD ASSIST Para eliminar os ângulos mortos nas manobras de mudança de direção está disponível o Active Side Assist

esquerda ou quando aciona o sinal de mudança de direção para a esquerda. O novo Active Sideguard Assist veio complementar o Sistema Avançado de Travagem de Emergência (AEBS), o programa eletrónico de estabilidade (ESP) e o Sistema de Manutenção na Faixa de Rodagem (LDWS), que já estavam presentes na geração anterior no mercado japonês. A nova geração do camião ligeiro Fuso Canter conta igualmente com uma secção frontal da cabina redesenhada que combina a tradição histórica de design da marca e um conceito “Moderno e Sólido”. A atualização na imagem exterior também adota a identidade de design da Fuso “Black Belt”, que também foi introduzido noutros modelos da gama japonesa. As linhas esguias da cabina integram luzes LED e representam uma atualização

tecnológica e conceptual após dez anos. Isto torna o Cantor no terceiro modelo da gama Fuso a ser renovado com a identidade “Black Belt”, depois do Aero Queen e Aero Ace, assim como o Rosa. SISTEMA TELEMÁTICO TRUCKCONNECT O novo Fuso Canter também recebe a plataforma de telemática Truckconnect da marca japonesa, que foi desenvolvida para apoiar os clientes na gestão da frota e na própria gestão do veículo. O sistema Truckconnect estabelece uma ligação remota aos veículos e monitoriza dados como a localização, eficiência de combustível, estado da operação, incluindo questões técnicas. A informação recolhida no veículo é partilhada em tempo real com o centro de apoio ao

cliente da Mitsubishi Fuso Truck and Bus Corporation. O Truckconnect já está disponível nos camiões de gama média e alta, assim como no eCanter elétrico. Caso seja detetado um risco potencial de avaria, o centro de apoio ao cliente pode disponibilizar a assistência, incluindo a marcação na oficina e guia de manutenção. Para apoiar os motoristas que entram e saem frequentemente do veículo, o novo Center vem equipado com o Sistema de Acesso Fácil da Fuso. Com esta nova funcionalidade, o motorista pode bloquear ou desbloquear o veículo carregando apenas num botão no puxador da porta, desde que a chave se encontre nas proximidades. A melhoria do conforto e da eficiência também é assegurada por um botão de ignição. /

NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020 TURBO COMERCIAIS

49


novidades

AUTOCARROS MAN

SOLUÇÕES ELÉTRICAS E GNC A oferta de autocarros da MAN Lion’s City com baixo impacto ambiental inclui soluções elétricas e a gás natural comprimido, com comprimentos de 12 e 18 metros

P

ara responder ao aumento da procura de soluções de transporte urbano mais sustentáveis e com baixo impacto ambiental, a MAN Trucks and Bus desenvolveu soluções alternativas para os seus autocarros, com base em cadeias cinemáticas elétricas ou a gás natural comprimido (GNC). A eletromobilidade não é propriamente uma novidade para a MAN, uma vez que conta com meio século de experiência nesta área. O primeiro autocarro elétrico foi apresentado em 1970 e dois anos depois os atletas que participaram nos Jogos Olímpicos de Munique foram transportados neste tipo de veículos.

50

TURBO COMERCIAIS NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020

Cinquenta anos depois, a MAN Truck & Bus lançou uma nova geração de autocarros elétricos com uma tecnologia sofisticada e fiável, em versões standard de 12 metros e articuladas de 18 metros. Após a entrega das duas primeiras unidades do MAN Lion’s City E ao operador de transportes públicos de Hamburgo no final de 2019, a marca alemã disponibilizou uma frota de testes para avaliação de clientes na Alemanha, Espanha, Luxemburgo, Bélgica, França, Áustria e Suíça, entre outros países. O MAN Lion´s City 12 E está a corresponder às expectativas, mesmo nas condições de operação mais exigentes. Na cidade es-

panhola de Badajoz, e sob temperaturas superiores a 35ºC, o autocarro elétrico efetuou um turno completo de 16 horas e percorreu um total de 284 quilómetros. No final do dia, a capacidade da bateria ainda estava longe de estar esgotada. As primeiras unidades produzidas em série do MAN Lion´s City 12 E começam a ser entregues no final deste ano, estando prevista a disponibilização da versão articulada de 18 metros em meados de 2021. Esta última permite transportar até 120 passageiros e oferece uma autonomia idêntica de até 200 quilómetros da variante standard. O MAN Lion’s City 18 E está equipado com motores elétricos no segundo e terceiro


VERSÃO ARTICULADA A MAN alargou a oferta da gama urbana com a versão de 18 metros, que permite transportar 120 passageiros

eixos, que desenvolvem uma potência nominal de 320 kW e máxima de 480 kW para permitir a operação em ambiente urbano. Os motores elétricos são alimentados por uma bateria modular com uma capacidade de 640 kWh.

SOLUÇÃO GNC

No domínio das soluções de baixas emissões e como alternativa ao diesel, a MAN Truck & Bus propõe autocarros urbanos equipados com motores a gás natural comprimido (GNC), disponíveis em comprimentos de 12 metros ou 18 metros. Em combinação com o sistema MAN EfficientHybrid é possível obter um baixo consumo de gás natural (de origem fóssil ou renovável) e reduzidos níveis de emissões. A tecnologia EfficientHybrid inclui um sistema de recuperação de energia cinética, que é armazenado em Ultracaps, alimentando depois o sistema elétrico do autocarro. Durante a fase da condução, um pequeno motor elétrico apoia o motor de combustão nas fases de arranque ou quando é necessária uma potência adicional, otimizando o consumo. /

NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020 TURBO COMERCIAIS

51


novidades

MERCEDES-BENZ INTOURO

MAIS SEGURANÇA E EFICIÊNCIA A Daimler Buses renovou a gama de autocarros interurbanos Mercedes-Benz Intouro, que estreia a quinta geração do Active Brake Assist em pesados de passageiros e vai disponibilizar uma versão híbrida para reduzir o consumo até 7% TEXTO CARLOS MOURA PEDRO

M

áxima flexibilidade e eficiência económica, elevados níveis de funcionalidade e as possibilidades de configuração à medida das necessidades dos clientes são alguns dos factores que têm contribuído para que o Mercedes-Benz Intouro seja uma das referências no segmento dos autocarros interurbanos de piso alto. A nova geração mantém essas caraterísticas e passa também a oferecer novos sistemas de assistência à condução para

52

TURBO COMERCIAIS NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020

aumentar a segurança nos autocarros interurbanos e de transporte ocasional. O novo Mercedes-Benz Intouro recebe, em opção, o sistema Active Brake Assist 5 (ABA 5) com deteção de peões, que faz a sua estreia em autocarros, assim como o Sideguard Assist, que ajuda a eliminar o ângulo morto. O ABA 5 utiliza, pela primeira vez, a combinação de um radar e de um sistema de câmara. Dentro dos limites da física, o sistema pode executar uma travagem até à imobilização completa para evitar a colisão com um obstáculo fixo ou móvel.

O sistema ABA 5 também consegue identificar peões em movimento. Se for detetado um risco de atropelamento, o sistema alerta o motorista com sinais acústicos e simultaneamente inicia uma travagem parcial. Se o motorista não responder é acionada automaticamente a travagem de emergência até à imobilização do veículo. A gama será constituída por quatro modelos básicos: Intouro K, com comprimento de 10,75 metros e lotação até 47 passageiros sentados; Intouro, com 12,18 metros de comprimento e 51 a


MERCEDES-BENZ ECITARO G

Baterias sólidas em estreia

A

ESTRELA DO INTERURBANO A gama de autocarros interurbanos da Mercedes-Benz tem novos sistemas de assistência

4

MODELOS

3

MOTORIZAÇÕES

71

LUGARES

55 lugares sentados; Intouro M, com 13,09 metros e 59 a 63 lugares sentados; Intouro L, de três eixos, com 14,88 metros e capacidade para 71 lugares sentados. No capítulo mecânico, as versões de dois metros recebem um motor de 7,7 litros em níveis de potência de 299 cv e 354 cv, e a de três eixos o bloco de 10,7 litros com 394 cv. No próximo ano, a oferta será reforçada com uma versão híbrida, que inclui supercondensadores e um motor elétrico de 14 kW, que permite reduzir o consumo até 7%./

Daimler Buses revelou a versão articulada do autocarro urbano elétrico, Mercedes-Benz eCitaro G, que, em opção e em estreia mundial, pode ser equipado com uma nova geração de baterias sólidas (também estarão disponíveis nas versões standard). As novas baterias de polímero de lítio contêm um eletrólito na forma sólida em vez do líquido de refrigeração tradicional, sendo o ânodo fabricado em grafite com lítio puro e o cátodo com fosfato de lítio e ferro. A principal vantagem consiste numa maior densidade energética, que é superior em 25% às baterias convencionais de iões de lítio. Cada módulo do eCitaro e do eCitaro G tem uma capacidade de 63 kWh, permitindo à marca alemã disponibilizar um total de 441 kWh com sete módulos. A autonomia anunciada para o novo autocarro urbano articulado é de 220 km em condições favoráveis com exigências médias de velocidade, topografia e carga. No inverno e com climatização, o eCitaro G pode percorrer até 170 quilómetros. O novo Mercedes-Benz eCitaro G tem um comprimento exterior de 18,13 metros e está disponível em versões com três ou quatro portas. O novo articulado elétrico adota as caraterísticas de design do eCitaro, destacando-se a parte frontal com uma imagem específica, o pára-brisas arredondado com indicador eletrónico de destino integrado. O equipamento montado no tecto está escondido por detrás de pequenos painéis de alumínio extrudado. As baterias do eCitaro G podem ser carregadas através de um cabo, estando a tomada localizada por cima do arco direito do eixo dianteiro. A potência de carregamento pode chegar aos 150 kW. Em alternativa estará disponível, numa segunda fase, o carregamento por pantógrafo ou com uma calha para carregamento num pantógrafo fixo. Estas duas alternativas têm uma potência até 300 kW. A linha motriz do Mercedes-Benz eCitaro G inclui dois motores elétricos de 125 kW, instalados nos eixos.

NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020 TURBO COMERCIAIS

53


notícias

COMERCIAIS

CITROËN Ë-SPACETOURER

ARRANQUE EM PORTUGAL

O

novo veículo elétrico de transporte de passageiros da Citroën, ë-SpaceTourer, já está disponível no mercado nacional, estando prevista a chegada das primeiras unidades para o mês de dezembro. Proposto em dois comprimentos de carroçaria (M e XL), recebe um motor elétrico de 100 kW (136 cv), alimentado por uma bateria de iões de lítio, que, na fase de lançamento, está disponível com uma capacidade de 50 kWh. A autonomia anunciada é de 230 km. Em 2021, a oferta vai ser reforçada com uma nova versão de 75 kWh, que já oferece uma autonomia de 330 km. A gama nacional é proposta em dois níveis de equipamento: Business, vocacionado

para profissionais do transporte (navettes de hotel, táxis, TVDE, transporte de colaboradores); Feel, direcionado para as famílias numerosas e para quem gosta de viajar em grupo. As versões Business permitem transportar até nove pessoas, enquanto nas versões Feel a lotação vai até aos oito ocupantes. O Citroën ë-SpaceTourer Business pode ser configurado em função das necessidades operacionais, estando dotado com três filas de bancos, sendo a última rebatível assimetricamente (2/3-1/3), enquanto a do meio tem bancos rebatíveis. Por sua vez, a versão Feel do Citroën ë-SpaceTourer oferece um ambiente ainda mais requintando, mantendo tudo o que está presente no nível Business, mas

acrescentando elementos como a segunda fila de bancos rebatível assimetricamente com regulação em comprimento, função basculante e encostos transformáveis em mesa de trabalho, chapeleira, climatização automática. Em termos de preços, o ë-SpaceTourer Business M está disponível a partir de 34.884 euros (empresas), e a 42.907 euros (particulares). A versão Feel M custa cerca de mais 1100 euros para empresas e 1360 euros para particulares. A variante longa (XL) está disponível para empresas a partir de 35.384 euros e 36.493 euros nas versões Business e Feel. Já para particulares, os valores são de 42.523 euros para o Business XL e 44.886 euros para o Feel XL. citroen.pt

AMAZON

Mega-encomenda à Mercedes

A

Amazon vai adquirir mais de 1800 veículos comerciais elétricos à Mercedes-Benz, dos modelos eVito e eSprinter para as suas operações europeias. As primeiras unidades serão entregues ainda este ano, incluindo 600 veículos do modelo eVito e 1200 do eSprinter. O Mercedes-Benz eSprinter encomendado pela Amazon possui tecto alto, peso bruto

54

TURBO COMERCIAIS NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020

de 3500 kg e uma capacidade de carga de 891 kg. Este furgão elétrico recebe a bateria de 55 kWh, que possibilita uma autonomia de até 168 km. O Mercedes-Benz eVito vem equipado com uma bateria de 35 kW (41 kWh total) que permite uma autonomia de até 184 km. O eVito utiliza o mesmo motor elétrico do eSprinter e será utilizado sobretudo em zonas urbanas. mercedes-benz.pt


DPD PORTUGAL

RENOVAÇÃO COM 276 PEUGEOT BOXER

A

DPD Portugal vai renovar parte da sua frota operacional com 276 furgões Peugeot Boxer. O valor do contrato está estimado em 10,5 milhões de euros. No âmbito do contrato, a Peugeot Portugal vai fornecer 260 unidades da versão 335 L3H3 Pro do novo Boxer e 16 unidades da versão 333 L2H2 Pro. Todos os furgões vêm equipados com o motor 2.2 BlueHDi de 120 cv, que cumpre a norma de emissões Euro 6.2, contando ainda com tecnologia Start & Stop para otimizar o consumo e a eficiência energética. O Peugeot Boxer foi projetado para responder às necessidades dos operadores de transporte, quer em termos de peso, quer de volume útil, destacando-se por otimizar o custo total de utilização. A marca teve a preocupação de alcançar os melhores resultados de conceção, qualidade, durabilidade e eficiência para maximizar o seu valor residual e os custos de operação. Para a Peugeot Portugal, este negócio sig-

nifica a entrada num novo cliente, que tradicionalmente optava por viaturas Renault. “É a primeira vez que estabelecemos uma parceria com a DPD Portugal, confirmando a nossa capacidade de oferecer soluções adequadas aos grandes operadores, cumprindo na íntegra com os cada vez mais exigentes cadernos de encargos, os requisitos de operação de frotas, e as especificidades de negócio, como o que, neste caso, envolve a DPD”, sublinha João Mendes, Brand Manager da Peugeot Portugal. peugeot.pt

Campanha Toyota Proace City

A Toyota lançou um novo produto de renting para o furgão Proace City. Disponível para a versão de chassis curto com motor diesel de 1.5 litros com 100 cv, esta solução de financiamento é proposta com uma renda mensal de 230 euros (mais IVA), com tudo incluído. O prazo do contrato é de 48 meses e tem um limite máximo de 80 mil quilómetros. Para reforçar o valor desta proposta e apoiar os empresários a promoverem os seus negócios, a Toyota vai oferecer a decoração da Proace City em todos os contratos de renting. toyota.pt

VOLKSWAGEN ID BUZZ

PREPARAÇÃO EM HANNOVER

A

Volkswagen Veículos Comerciais está a modernizar a fábrica de Hannover para permitir a produção da sucessora da atual Multivan, a partir de 2021, e o novo comercial elétrico ID.Buzz, a partir de 2022. No âmbito da restruturação da fábrica de Hannover foi desmontada a linha de produção da Amarok, incluindo a unidade de carroçaria, pintura e montagem. Neste espaço vai ser instalada parte da linha de produção do ID.Buzz. O trabalho incluiu ainda a instalação de máquinas para a carroçaria, pintura e montagem da nova Multivan e da Transporter. A linha de transporte na cadeia de montagem também foi adaptada e alterada para a integração da nova Multivan e do ID.Buzz. A fábrica de Hannover também vai receber uma nave para a pintura em dois tons da carroçaria de veículos da atual gama Transporter, da nova Multivan e do ID.Buzz. A partir de 2021 vão existir algumas linhas de montagem para a produção em

simultâneo da Volkswagen Transporter 6.1 e da sua sucessora (com motor de combustão interna e híbrida), o que afetará os processos na operação de montagem. volkswagen-comerciais.pt

Suzuki Jimny com versão comercial A Suzuki anunciou o lançamento no mercado europeu de uma versão comercial, de dois lugares, do novo Jimny. Esta nova proposta, que à partida não será comercializada em Portugal, oferece uma capacidade de carga de 863 litros e recebe um motor a gasolina de 1,5 litros com 102 cv. Um dos argumentos deste modelo será a progressão em fora de estrada, graças à estrutura em forma de escada, à suspensão rígida dos eixos e ao Allgrip Pro, um sistema 4×4 conectável com redutoras. suzuki.pt

NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020 TURBO COMERCIAIS

55


notícias

PESADOS

VOLTA ZERO

NASCIDO ELÉTRICO

A

start-up sueca Volta Trucks desenvolveu um camião elétrico com peso bruto de 16 toneladas para operações de distribuição urbana. Com um comprimento máximo de 9,46 metros, uma altura de 3,47 metros, uma largura de 2,55 metros e uma distância entre-eixos de 4,80 metros, o Volta Zero foi projetado para operar em ruas estreitas e desempenhar um serviço equivalente ao de três ou quatro comerciais ligeiros de 3500 kg. A Volta Trucks anuncia uma capacidade de carga de 8600 kg e um volume útil de 37,7 m 3, permitindo transportar até 16 europaletes.

A Volta Trucks também irá disponibilizar uma caixa refrigerada, mantendo inalterado o volume útil de carga. A start-up decidiu integrar a utilização da bateria do veículo na unidade de refrigeração do compartimento de carga. A Volta Trucks irá utilizar uma bateria de fosfato de iões de lítio com uma capacidade entre 160 kWh e 200 kWh para permitir disponibilizar uma autonomia entre 150 quilómetros e 200 quilómetros. Segundo o fabricante, estes valores de autonomia são mais do que suficientes para operações de distribuição de “última milha”. O Volta Zero vem equipado com um eixo elétrico nas rodas traseiras, que integra numa

unidade leve e compacta um único motor elétrico, a transmissão e o eixo. A remoção do motor de combustão interna permitiu aos designers e engenheiros repensar o estilo de um camião de distribuição. O condutor dispõe de uma visibilidade de 220º em redor do veículo, graças a uma cabina panorâmica. O banco do condutor também está localizado a meio da cabina e numa posição mais baixa do que num camião convencional para otimizar a visibilidade. O Volta Zero dispõe de avançados sistemas de assistência que auxiliam na condução, nas manobras, no estacionamento e na segurança. voltatrucks.com

MAN E SCANIA

Mais responsabilidades individuais

A

s marcas da Traton - Scania, MAN e Volkswagen Caminhões e Ônibus - vão ganhar maior responsabilidade individual para permitir resultados de vendas de 9% durante o ciclo de vida do produto. A estratégia foi anunciada pelo CEO da Traton, Matthias Grundler, durante uma reunião virtual com os acionistas desta holding de marcas de pesados do Grupo Volkswagen. A Traton pretende assumir a liderança na tecnologia de condução autónoma para pesados e continua empenhada na eletrificação, que beneficiará de um investimento de mil milhões de euros até 2025. As marcas do grupo estão a fazer um progresso rápido neste capítulo. traton.com

56

TURBO COMERCIAIS NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020


PRIMAFRIO

AQUISIÇÃO DE 300 VOLVO FH 460 I-SAVE TJA compra 100 MAN TGX

O

Grupo Primafrio encomendou, pela primeira vez na sua história, camiões à Volvo Trucks, tendo adquirido 300 unidades do Volvo FH 460 com I-Save para a sua frota de longo curso. Os novos veículos foram comprados pela empresa espanhola sediada em Murcia, com delegação em Portugal, com o objetivo de melhorarem a rendibilidade e a eficiência das rotas, além de reduzirem as emissões de dióxido de carbono. Os 300 camiões da marca sueca serão entregues até final de novembro e foram adquiridos através da Volvo Financial Services

de Espanha. Os veículos possuem Cabina Globetrotter, Retarder, I-Park Cool e ADR. Muitas destas unidades têm matrícula portuguesa. Os novos camiões possuem contratos de manutenção e reparação Gold para garantir a maior disponibilidade operacional possível. As primeiras unidades foram entregues oficialmente numa cerimónia realizada na sede principal do Grupo Primafrio, localizada em Alhama de Murcia, que contou com a presença de representantes do operador espanhol e da Volvo Trucks. primafrio.com

ZF

AMPLIAÇÃO DO CIRCUITO DE TESTES

A

divisão de sistemas de controlo de veículos comerciais da ZF investiu cerca de 18 milhões de euros na ampliação do circuito de testes Erich Reinecke, localizado em Jerversen, na Alemanha. A nova pista permite melhorar a capacidade da tecnológica alemã para ensaiar veículos comerciais com o objetivo de reforçar a sua posição de líder tecnológico mundial. Aproveitando a recente aquisição da WABCO pela ZF, o investimento na ampliação da pista de testes permitirá ajudar a ensaiar e a desenvolver novas soluções e tecnologias para veículos comerciais em áreas como a condução autónoma, a conectividade e a eletrificação. O circuito de testes tem uma oval com uma extensão de 3,6 quilómetros, que incorpora um conjunto de curvas e retas para replicar uma ampla gama de condições de estra-

da e simular a condução em autoestrada. A infraestrutura está preparada para ajudar a ZF a desenvolver tecnologias avançadas, como, por exemplo, sistemas de manutenção na faixa de rodagem, assistentes de congestionamento de trânsito ou pilotos automáticos de autoestrada para condução autónoma. zf.com

A TJA - Transportes J. Amaral renovou a sua frota com cem camiões MAN. A opção da empresa recaiu no modelo MAN TGX 18.470 4x2 BLS, equipado com os mais recentes sistemas de segurança da marca alemã e sistema ADR. Os veículos foram configurados para responderem às funções específicas dos vários setores. Os novos camiões MAN TGX 18.470 cumprem a norma Euro 6d e também proporcionam ao operador baixos consumos de combustível, otimizando a eficiência e contribuindo para a obtenção de um baixo custo total de propriedade. mantruckandbus.com

Iveco lança plataforma Live Channel

A nova plataforma de transmissão Iveco Live Channel foi desenvolvida para constituir um espaço virtual para os clientes e os fãs da marca italiana, com o objetivo de levar mais além o seu relacionamento com os clientes e com o mundo dos transportes. Desenvolvido em tempo recorde, o novo Iveco Live Channel está disponível em língua inglesa, estando previsto o lançamento de plataformas dedicadas a França, Espanha, Alemanha, Itália e Polónia, com conteúdos específicos para esses mercados, nas respetivas línguas locais. iveco.com

NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020 TURBO COMERCIAIS

57


notícias

AUTOCARROS

MAN vende 127 Lion's City para Oslo

HAMBURGO

CONCURSO PARA 530 URBANOS

A

Hamburger Hochbahn lançou um concurso público internacional para aquisição de 530 autocarros elétricos entre 2021 e 2025. Após a receção das propostas, o operador alemão anunciou as três marcas selecionadas para a fase final do processo: Solaris, MercedesBenz e MAN. A Hamburger Hochbahn é um dos maiores operadores de transportes públicos da Alemanha que tem vindo a investir na renovação de frota com autocarros emissões zero, incluindo a bateria e fuel-cell. Até 2025, a empresa pretende adquirir 530 autocarros elétricos com comprimentos de 12 metros e 18 metros, que serão adjudicados por lotes ao longo dos próximos cinco anos. No concurso público lançado pela Hamburger Hochbahn, a Solaris participou com dois modelos: Urbino 12 Electric

e Urbino 18 Electric. Na versão para o operador de transportes públicos do norte da Alemanha, ambos os modelos serão equipados com baterias de elevada capacidade da Solaris, motores elétricos integrados no eixo de tração e sistema de carregamento externo. Além disso, os veículos estarão equipados com um sistema de pré-condicionamento térmico durante o carregamento da bateria. A Mercedes-Benz também foi selecionada para a fase final do concurso da Hamburger Hochbahn. O modelo eCitaro não é propriamente uma novidade nas ruas de Hamburgo, uma vez que as primeiras unidades de pré-produção foram e entregues em novembro de 2018, no quadro de uma encomenda de 20 unidades. Entretanto, a empresa adjudicou mais 25 unidades que serão entregues este ano.

49 UNIDADES IE 12

IRIZAR ELETRIFICA STRASBOURG

A

Strasbourg Eurometropole adjudicou 49 autocarros elétricos à Irizar que se destinam à implementação de um sistema de transporte público sustentável na capital da Alsácia. A encomenda da CTS (Compagnie des Transports Strasbourgeois) é relativa ao modelo com 12 metros de comprimento. Os novos autocarros Irizar ie irão contribuir para a eletrificação da rede de autocarros de Estrasburgo. Com configuração de três portas, os autocarros irão oferecer uma lotação para 23 lugares sentados, quatro dos quais para passageiros de mobilidade reduzida,

58

TURBO COMERCIAIS NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020

e duas áreas para cadeiras de rodas, sendo o acesso assegurado por uma rampa elétrica. irizar.com

A Unibuss, um dos maiores operadores da Noruega, encomendou 127 autocarros MAN Lion’s City. Os veículos irão utilizar HVO (óleo vegetal hidrotratado) e representam uma aposta na proteção do ambiente. No âmbito do contrato, a MAN vai fornecer 71 unidades do Lion’s City L LE, 33 do Lion´s City LE e 23 Lion’s City GL, com comprimentos entre 12 e 18,75 metros. Os autocarros standard e articulados oferecem entre 43 e 57 lugsres sentados. bus.man.eu/pt/

BYD entra na Finlândia

A BYD entrou, pela primeira vez, no mercado de autocarros da Finlândia ao obter o melhor resultado no concurso público lançado pela Nobina para o fornecimento de 106 autocarros elétricos de vários modelos, incluindo 64 unidades para operação na capital Helsínquia e 42 unidades para a cidade de Turku. Eesta adjudicação assinala um outro marco para a BYD já que a Nobina é o primeiro operador a encomendar o mais recente modelo piso baixo com 15 metros de comprimento e três eixos. bydeurope.com.


Setra TopClass 500 para Colónia

A equipa de futebol do FC Colónia passou a deslocarse num autocarro Setra TopClass 500 nas suas visitas aos adversários da Bundesliga. A opção do clube recaiu no modelo S 516 HDH que disponibiliza um total de 30 lugares sentados. Os bancos dos passageiros possuem revestimento em pele e apoios de pernas ajustáveis eletricamente, além de mesas rebatíveis nas costas dos assentos. A parte traseira foi concebida como zona de reuniões e inclui mesas com tampos rebatíveis. setra-bus.com/

CAETANOBUS H2.CITY GOLD

FUEL-CELL PARA BARCELONA

A

Transpor ts Metropolitans de Barcelona (TMB) adjudicou oito autocarros fuel-cell à CaetanoBus. Os veículos devem ser entregues em novembro de 2021 para entrarem ao serviço comercial no início de 2022. A encomenda tem um valor estimado de 6,4 milhões de euros. A opção do operador de transportes públicos de Barcelona recaiu no Caetano H2.City Gold de 12 metros. Este modelo foi apresentado oficialmente em outubro de 2019 no Salão Busworld. O veículo utiliza a tecnologia de célula de combustível desenvolvida pela Toyota para o Mirai e que

também é utilizada no autocarro Toyota Stora, comercializado apenas no mercado nipónico. O Caetano H2.City Gold estará dotado com cinco depósitos de hidrogénio que podem armazenar um total de 37,5 quilogramas de combustível, permitindo assegurar uma autonomia de até 400 quilómetros entre abastecimentos. De acordo com informações da TMB, a CaetanoBus assume um raio de ação de aproximadamente 300 quilómetros com um consumo médio diário de 20 quilogramas de hidrogénio. caetanobus.pt

SOLARIS

ESTREIA DO URBINO ELECTRIC 15 LE

A

Solaris lançou uma nova versão do autocarro elétrico Urbino com 15 metros de comprimento, que está vocacionado não só para operações urbanas, mas também interurbanas. O novo Urbino Electric 15 LE possui piso semirrebaixado (low-entry) e está equipado com um motor elétrico de 300 kW, produzido com componentes de circuitos de carboneto de silício. O motor elétrico é arrefecido por líquido de refrigeração, sendo a potência transmitida ao segundo eixo do autocarro. O motor elétrico é alimentado por uma bateria constituída por seis módulos que oferece uma capacidade total de 470 kWh, sendo que quatro módulos estão localizados na parte traseira e os outros dois no tecto. As baterias podem ser carregadas em modo

rápido, com recurso a um pantógrafo, quer convencional, quer invertido. O autocarro dispõe ainda de uma tomada para carregamento durante a noite na estação de recolha. A versão de três eixos deste autocarro de 15 metros disponibiliza um total de 53 lugares sentados e outros dois desdobráveis. Por sua vez, na variante de duas portas, a lotação pode chegar a 65 lugares sentados. solarisbus.com

Iveco lança iniciativa “Safe Inside”

A Iveco Bus introduziu diversas soluções orientadas para a segurança sanitária de motoristas e passageiros. Desde o início do ano, que os autocarros estão disponíveis com proteção em vidro em modo retrofit e para todas as novas encomendas. A marca disponibiliza ainda dispensadores de gel para as mãos e modificou os sistemas de ar condicionado para aumentar a proporção de ar externo que entra no autocarro. ivecobus.com

NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020 TURBO COMERCIAIS

59


TÉCNICA

CONDUÇÃO

FATORES POTENCIADORES DOS ACIDENTES A velocidade excessiva não é a única causa de sinistralidade rodoviária. Existem várias outras que potenciam os acidentes com viaturas pesadas

A

TEXTO PEDRO MONTENEGRO

o longo de mais de 20 anos, tenho vindo a estudar exaustivamente as causas mais frequentes e mais importantes relacionadas com acidentes rodoviários. Constatei que alguns colegas de atividade profissional - que contribuem para a redução objetiva do risco rodoviário -, tinham opiniões diferenciadas ou atribuíam importâncias diferentes às causas e aos fatores potenciadores. Em função de determinadas condições ou caraterizações aumenta a probabilidade de ocorrência de um acidente rodoviário.

60

TURBO COMERCIAIS NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020

Todos sabemos quais são os fatores, mas saberemos qual o peso de cada um? De cada fator, de cada causa, de que condições estamos a falar? Uma das causas que nos ocorre sempre, e com alguma razão, é a velocidade. Claro que poucos serão os que se magoam a baixa velocidade... Sofrer um embate contra uma parede de betão a 50 km/h ou a 100 km/h é totalmente distinto, dizemos quase todos nós. E com toda a certeza que é verdade! Mas saberemos que se embatermos contra uma parede de tijolos a 50km/h com o cinto de segurança bem colocado e pararmos ao fim de três metros, sofremos uma

força de 100 kgf, cerca de 980,665 N? Mas, sem o cinto de segurança, podemos ter um impacto de 1000 kgf, se o tablier do nosso veículo se deformar em 30 centímetros, com o embate do nosso corpo? Se não conhecermos os valores, acreditamos certamente que será assim, mas não existirão outras causas? O que pensávamos momentos antes do embate? Iríamos a observar corretamente a envolvente ao nosso veículo? Saberíamos a que pressão se encontrava o ar interior dos pneus? Tivemos o cuidado de desengordurar o interior do para brisas e outros vidros ou espelhos, para nos mostrarem mais facil-


CAUSAS MÚLTIPLAS As causas dos acidentes são complexas. Entre elas destacam-se a fraca observação da envolvente rodoviária e o incumprimento das distâncias mínimas de segurança

mente os ângulos laterais e posteriores ao movimento do nosso veículo?

A ETERNA QUESTÃO DA VELOCIDADE

Será que a velocidade, é ou não a causa mais frequente dos acidentes de trânsito? Velha discussão, mesmo para os mais ligados às questões de segurança rodoviária… A informação que eu tenho é que, ao longo de vários anos de estudo e contacto com milhares de condutores: NÃO. Sim, eu sei que há mortes em acidentes a menos de 40km/h. E há quem saia de um acidente rodoviário, a mais de 200km/h sem um arranhão… Pois, tudo depende como se bate, os ângulos, as acelerações, a absorção de energias. Não há dois acidentes iguais. Mas parecidos, ou com a mesma origem, há muitos! Pensemos no nível de atenção, de antecipação do conhecimento, previsão, experiência, aptidão, comportamento e a equação torna-se bastante complexa! E quantos sabemos medir e pôr em prática com um erro reduzido, o espaço necessário para parar um automóvel pesado a 80km/h? E como medimos essa distância em movimento? Mas vários especialistas em segurança rodoviária acreditam que a fraca observação sobre a envolvente rodoviária do utente é a causa mais frequente dos acidentes rodoviários. Não vimos, vimos mal, vimos tarde… são observações frequentes após um acidente rodoviário. Cansaço, refeições pesadas, álcool, drogas, telemóvel e muitas outras distrações ou o aumento do nosso

tempo de reação, estão na origem da fraca observação, sobre informação importante para a diminuição do risco rodoviário.

ANÁLISE DO MEIO ENVOLVENTE

Assim, devemos considerar as razões que aumentam a probabilidade de observarmos mal a envolvente, como fatores e não como causas mais frequentes ou principais, pois associam-se duma forma complexa, sendo difícil muitas vezes, escrutinar quais os mais presentes. E a velocidade? Teremos já ouvido, ou pensado que não conseguir parar no espaço livre e visível é considerada uma velocidade excessiva, por vezes aparentemente legal… Mas, a maior parte dos condutores mais ou menos frequentes referem não gostar de conduzir muito próximos do veículo da frente, mas falham facilmente com a variação da velocidade, pois depende do quadrado da velocidade, bem definida na lei elementar da energia cinética… e ao dobro da velocidade dum corpo, temos quatro vezes mais energia, com necessidade de ser anulada, numa situação crítica rodoviária! Resumindo e apontando para uma conclusão de minha autoria, eu considero que as causas mais frequentes dos acidentes rodoviários envolvendo automóveis pesados, são: - Fraca observação da envolvente rodoviária, em quase metade dos acidentes rodoviários, potenciada por (fatores) cansaço, álcool, uso do telemóvel, drogas, idade, aumento do tempo de reação ao longo da nossa idade, fraca visão ou

não corrigida, outras distrações ou desvios da correta atenção…; - Incumprimento das distâncias mínimas de segurança, difícil perceção da velocidade e do espaço necessário para parar. A 80km/h passam mais de 22 metros por segundo e 50 metros, não são suficientes para parar 20 toneladas, mesmo com boas condições… Estas distâncias são muito variáveis, mesmo em recentes e eficazes automóveis, pois ao dobro da velocidade, precisamos quatro vezes mais espaço, na distância de travagem. - Fraca resposta do condutor face ao imprevisto, pois há muita tendência para desequilibrar o veículo com desvios repentinos e travagens em simultâneo. Uma correta distância entre veículos permite travar mais facilmente, com as rodas bem alinhadas, diminuindo significativamente a velocidade, antes de curvar ou contornar um obstáculo, dependo da velocidade, do tipo de veículo que conduzimos entre outros fatores. Boas viagens! /

* Formador de Técnicas Avançadas de Condução de Veículos Pesados e membro da Associação Por tuguesa de Centros de Formação de Condução Avançada ampadrive@gmail.com

PARCERIA

NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020 TURBO COMERCIAIS

61


notícias

AFTERMARKET

MAN TRUCK & BUS

OFICINAS VÃO ASSISTIR ELÉTRICOS

A

MAN Trucks & Bus está a preparar as suas oficinas na Europa para assistirem os veículos elétricos da marca: camiões, autocarros e comerciais eTGE. Até ao final de 2020, 110 pontos de serviço já estarão em condições para dar assistência a este tipo de veículos, estando previsto o aumento para 170 até final de 2021. "Embora neste momento estejam apenas operacionais alguns veículos elétricos MAN na Europa, já começámos a preparar as nossas oficinas com medidas extensivas para os novos requisitos dos veículos elétricos", afirma Jan Eike Witt, Vice-Presidente Sénior para a Gestão Pós-Venda na MAN

Truck & Bus. Os procedimentos de preparação das oficinas de serviço MAN existentes foram divididos em três fases. O objetivo é que exista um nível de supervisão definido para as respetivas oficinas de serviço - incluindo o apoio de peritos com sistemas de reparação de alta tensão, qualificações para que as oficinas se possam especializar em eletromobilidade, e ajuda a certas oficinas com especialização na reparação de baterias de alta tensão (por exemplo, em caso de acidente). Os conhecimentos especializados serão inicialmente acumulados em locais onde já existe um volume elevado de veículos

elétricos. Prevê-se que as redes de serviço selecionadas em áreas urbanas estejam disponíveis para a reparação de veículos de alta tensão até ao final de 2021. Além de desenvolver as competências dos profissionais, a MAN também equipará as oficinas com ferramentas especiais para lidarem com sistema de alta tensão. A marca implementará também novos processos e práticas de trabalho para garantir que os veículos elétricos sejam assistidos com segurança. Cada um dos parceiros de serviço selecionados da MAN também receberá pelo menos dois especialistas elétricos formados para a tecnologia de veículos. mantruckandbus.com

ZF AFTERMARKET

Gama de direção e chassis

A

ZF Aftermarket disponibiliza uma gama completa de peças para a direção e o chassis de veículos ligeiros, incluindo comerciais. A oferta compreende rótulas de suspensão, braços de suspensão, barras de direção e barras estabilizadoras, juntamente com as informações de serviço necessárias. No portefólio de peças de substituição da ZF Aftermarket também estão incluídos os componentes de borracha-metal para todos os pontos críticos de vibração nos elementos de transmissão e no chassis. Os apoios da barra estabilizadora ou dos braços da suspensão contribuem para a precisão desejada na condução. zf.com

62

TURBO COMERCIAIS NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020


WOLF LUBRIFICANTS

ÓLEO PARA IVECO STRALIS EURO 6

A

Wolf Lubrificants lançou um novo óleo de motor para os camiões Iveco Stralis equipados com motores Cursor Euro 6 e pacote Fuel Economy. O lubrificante Wolf Officialtech 0W20 UHPD Extra FE é um dos primeiros óleos de motor do mercado, projetado para cumprir as exigências dos propulsores da família Cursor. O Wolf Officialtech 0W20 UHPD Extra FE é um óleo de base totalmente sintética e com aditivos específicos para responder aos padrões da especificação TVL-LS DE CLASSE 18-1804 da marca italiana. Projetado para melhorar a limpeza interna do motor e proporcionar proteção duradoura, o novo óleo também apresenta uma poupança de combustível excecional, um fator crucial para os gestores de frota. A formulação de baixos teores SAPS do lubrificante possibilita a sua utilização com segurança, além de proteger os sistemas de pós-tratamento dos gases de escape

Localizador de lâmpadas OSRAM

que estão presentes nos motores Cursor. Por outro lado também oferece uma elevada resistência à oxidação permitindo que as turbinas de geometria variável do turbocompressor operem com melhor desempenho sob cargas pesadas e condições adversas. wolflubes.com

A OSRAM passou a disponibilizar um localizador de lâmpadas que permite encontrar facilmente as referências mais adequadas para automóveis, comerciais, camiões, autocarros e motociclos. Disponível em língua portuguesa, esta ferramenta online permite identificar o veículo, selecionando a marca, o modelo, o ano de fabrico e o tipo. Seguidamente, o utilizador terá de escolher a aplicação - luzes de médios, máximos, condução diurna ou luzes auxiliares, para interior ou exterior e a tecnologia: halogéneo, xénon e LED. osram.pt

Nova diretora Bosch Automotive

PREMIUM SHOP

SEGUNDO ANIVERSÁRIO

D

esde agosto de 2018, que o Premium Shop tem vindo a atribuir prémios aos seus clientes pela sua fidelidade à marca DT Spare Parts. Nos últimos dois anos muita coisa aconteceu. O leque de prémios aumentou constantemente para oferecer novos benefícios aos utilizadores registados. Fiel ao lema “Registe-se uma vez, beneficie sempre!”, o Premium Shop é intuitivo e fácil de utilizar, o que se traduz no elevado número de registos. A plataforma está

disponível em seis línguas e permite a concretização dos pequenos e grandes sonhos de utilizadores de 140 países. O princípio de funcionamento é simples. Após o registo gratuito e único em premiumshop.de-spareparts.com, o utilizador final dos produtos da DT Spare Parts insere os códigos das coroas da etiquetas do artigo e adiciona as coroas na sua conta. Os prémios podem ser selecionados e pedidos diretamente nesta plataforma. A oferta de prémios é vasta. dt-spareparts.com

Norma Torres foi nomeada diretora regional da divisão Automotive Aftermarket da Bosch em Portugal e Espanha, devendo assumir funções a 1 de janeiro de 2020. A nova responsável virá substituir Maria Luño, que a partir de 1 de dezembro de 2020, e após sete anos na atual função, passará a integrar a divisão Bosch Service Solutions como presidente regional para a América, Espanha, Portugal e Filipinas. Norma Torres iniciou a carreira profissional na Bosch em 2000 e assumiu diferentes responsabilidades na empresa. bosch.pt

NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020 TURBO COMERCIAIS

63


notícias

AFTERMARKET

Parts Specialists Substituir peças de semirreboque

BPW

“AIRSAVE” POUPA NOS PNEUS

A

BPW desenvolveu o sistema de controlo da pressão dos pneus de semirreboques “AirSave” que permite aos operadores pouparem todos os anos até mil euros em combustível e pneumáticos. O sistema “AirSave” pode agora ser associado ao sistema de telemática, que envia alertas automáticos para o motorista, o operador ou outros utilizadores, mal ocorra algum problema num pneu. A informação pode ser disponibilizada através de uma app, de um portal online, por correio eletrónico ou mensagem curta de texto (SMS). O estado de cada pneu também pode ser verificado online em qualquer altura, através do portal Cargofleet 3 ou de uma app instalada no smartphone do condutor.

Com base nesta informação é possível entrar em contacto com uma oficina para reparar o pneu, aumentando a sua vida útil. A BPW oferece uma garantia de dois anos para o sistema AirSave e os clientes com contrato de manutenção com um parceiro da BPW beneficiam de um serviço completo com custos transparentes. A configuração e a encomenda do sistema AirSave é extremamente simples para os fabricantes de material circulante. O dispositivo pode ser adicionado no configurador online da BPW. Os eixos são depois entregues já pré-montados com o sistema AirSave e todos os componentes associados, garantindo uma instalação rápida e com qualidade. bpw.de

CONTINENTAL

SENSOR DIGITAL DE CARGA

A

Continental está a desenvolver um sensor embarcado de carga que regista o peso dos veículos comerciais, incluindo reboques e semirreboques. O dispositivo permite determinar o peso total do veículo, antes do início da viagem. Este tipo de equipamento será obrigató-

64

TURBO COMERCIAIS NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020

rio, a partir de maio de 2021, na sequência da entrada em vigor da Diretiva da União Europeia 2015/719. A diretiva obriga os Estados-Membros a registarem mais frequentemente o peso bruto dos veículos comerciais. Para cumprir a legislação e evitar multas, os motoristas e os transportadores têm de conhecer de antemão o estado da carga antes do início de uma viagem. Até agora, esta tarefa era quase impossível, designadamente para os veículos articulados que incorporam um semirreboque fornecido pelo carregador. A Continental desenvolveu uma solução que leva em conta os requisitos dos operadores e o tipo de suspensão do veículo: pneumática ou mecânica. continental.com

A Diesel Technic lançou um novo video da série Parts Specialists. O mais recente episódio é dedicado à substituição de peças de semirreboque e inclui a avaliação do estado dos travões. Os protagonistas explicam todos os passos que devem ser dados para uma montagem correta do sistema de travagem de um semirreboque. Todos os segredos e truques podem ser acompanhados no canal de YouTube da DT Spare Parts, acessível em https:// youtu.be/FBBdLzVrQ3c. dt-spareparts.com

Purificador Valeo para autocarros

A Valeo desenvolveu um sistema de esterilização UV para compartimento dos passageiros dos autocarros que permite eliminar, numa única passagem do fluxo de ar, mais de 95% dos vírus, incluindo COVID-19, assim como qualquer bactéria em suspensão. O dispositivo está disponível como uma caixa separada ou é integrado diretamente no sistema de ar condicionado do autocarro. A tecnologia utilizada é a da luz ultravioleta. Os raios funcionam com bactericidas e germicidas e conseguem matar micróbios. valeo.com



notícias

PNEUS

Bridgestone Duravis inclui 23 medidas para comerciais

FIRESTONE VANHAWK

PRIMEIRO “ALL SEASON” PARA COMERCIAIS

A

Firestone desenvolveu um novo pneu “all season” para veículos comerciais ligeiros. O Vanhawk Multiseason foi projetado para ser utilizado durante todo o ano e em todas as condições climatéricas. O novo pneumático foi otimizado em função da eficiência de combustível e conseguiu obter o rótulo da União Europeia de grau C na maioria das medidas. Segundo o fabricante, isto foi possível graças a um equilibrado padrão de rigidez para proporcionar um desempenho robusto em condições secas, assim como uma elevada quilometragem. O novo Firestone Vanhawk Multiseason

possui um padrão que aplica extremidades e ranhuras otimizadas para oferecer um elevado desempenho durante o inverno. O design permite assegurar um bom desempenho na neve e conseguiu ser homologado com as marcações 3 Peak Mountain Snow Flake (3PMSF) e Mud + Snow (M + S). O mais recente membro da família Vanhawk está disponível em 19 medidas diferentes entre 15" a 16", incluindo três medidas com capacidade de carga superior (10PR). O novo pneu Firestone Vanhawk Multiseason cobrirá 84 por cento do mercado para acomodar quase todos os tipos de veículos e cargas do segmento de comerciais ligeiros. firestone.com

MICHELIN MULTI X

SETE NOVAS REFERÊNCIAS

A

Michelin reforçou a oferta de pneus para camiões e semirreboques de transporte regional com sete novas referências. Todas beneficiam das mais avançadas tecnologias para aumentar a capacidade de carga, a durabilidade e a segurança. Umas das referências introduzidas corresponde à medida com maior volume de vendas na Península Ibérica, 315/80 R 22.5. Para o eixo direcional está disponível a versão Multi Z, que oferece até mais 15% de rendimento direcional em comparação com a gama anterior. Por sua vez, o Michelin 315/80 R 22.5 X Multi D destina-se ao eixo matriz e proporciona até mais 10% de durabilidade. Para equipar unidade de tração e os eixos de reboques que necessitam de uma capacidade de carga adicional - ca-

66

TURBO COMERCIAIS NOVEMBRO/DEZEMBRO 2020

miões com grua, transporte de madeira, porta-contentores, transporte a granel de matérias sólidas - a marca francesa propõe os pneus 385/65 R 22.5 X Multi HLZ e HLT, que se destinam ao eixo direcional e ao eixo de reboque, respetivamente. Para camiões com menor tonelagem, a marca francesa propõe as medidas 305/70 R 22.5 X Multi HLZ & D, bem como a medida 11 R 22.5 X Multi Z2. michelin.com

A Bridgestone desenvolveu o seu primeiro pneu ‘all season’ para comerciais ligeiros. Projetado para durar, graças a uma construção robusta, o novo Duravis All Season oferece um excelente desempenho contra o desgaste e períodos de inatividade reduzidos. A gama é proposta em 23 medidas, incluindo três HRD (jantes a partir de 17”) e cinco com capacidade de carga superior (10PR), para que possam ser montadas em quase todos os tipos de veículos no mercado e oferecer mais segurança. bridgestone.com

Pneus Triangle registam boa aceitação

Distribuída pela Tiresur, a gama de pneus de camião da Triangle tem vindo a registar uma boa aceitação pelo mercado, graças às sua relação qualidade-preço. A ampla gama de aplicações e medidas é um dos argumentos desta marca. Com jantes que vão desde 17,5’’ até 22,5’’, a gama da Triangle abarca todas as necessidades possíveis do transporte por camião: longo curso, regional, urbano e off road, direção, tração e reboque, verão ou inverno. tiresur.pt




Millions discover their favorite reads on issuu every month.

Give your content the digital home it deserves. Get it to any device in seconds.