Page 1

O ALICERCE Informativo da Paróquia de Sant’Ana | Ano XVI | Nº 139 | julho de 2009 DISTRIBUIÇÃO GRATUITA - APOIO: PASTORAL DO DÍZIMO

Festa de Sant’Ana 2009 Sant’Ana, padroeira de toda Paróquia, será festejada em sua 17ª edição, realizada de 24 de julho a 2 de agosto. No dia 1º de julho, acontece a abertura da Festa, com uma carreata saindo de Jardim das Flores, às 19h30min, com a imagem Peregrina de Sant’Ana, convidando a todos a fazer parte destes 17 anos de missão vivenciados por toda a Paróquia. Este ano a Festa terá como tema: “Catequistas, discípulos e missionários de Jesus”, inserindo-se na temática do Ano da Catequese vivenciado pela Arquidiocese de Natal. De 16 à 24 de julho, acontece a peregrinação da imagem pelas comunidades da Paróquia. No dia 24, encerra-se a peregrinação, com a chegada da imagem e hasteamento da bandeira, na Igreja Matriz, às 19h30min. E logo após, terá início a primeira novena da Festa de Sant’Ana 2009.

A programação religiosa consta de batismo de adultos; confissão individual, de terça a quinta-feira, às 16h; missa, de terça a sexta-feira, às 17h30min; Ofício de Nossa Senhora, no dia 25/ 07, às 06h; no dia 26/07 missa de Sant’Ana, por este ser o seu dia dedicado, às 07h e às 19h30min, com Batismo de adultos; adoração ao Santíssimo, no dia 28/07, às 05h30min; Via-Sacra, às 5h30min, no dia 29/07; adoração ao Santíssimo, no dia 30/07, às 5h30min; caminhada Penitencial, no dia 31/07, às 5h30min; no dia 1º/08, acontece o Ofício de Nossa Senhora, às 6h. Durante toda a semana, acontece a novena dedicada às Pastorais e Comunidades da Paróquia, iniciando às 19h30min. Na programação social, acontecerá o IV Jantar de Sant’Ana, no dia 1º/08, às 21h. O encerramento acontecerá no dia 02/08, com missa solene, às 16h30min, e procissão de encerramento.

Peregrinação 16/julho – Jardim das Flores 17/julho – Residencial Redinha 18/julho – Niterói Salinas 29/julho – Raio do Sol 20/julho – Potengi

Entrevista: Festa de Sant’Ana página 4

21/julho – Alvorada 22/julho – Nova República 23/julho – Santarém 24/julho – Soledade II

Paróquia passa por nova setorização

página 3

Uma feliz e abençoada Páscoa!

Pastoral Familiar promove encontro A Pastoral Familiar da Paróquia de Sant’Ana promove um encontro para namorados no dia 5 de julho, na Escola Dióscoro Vale, no Soledade II, a partir das 8h30min. As inscrições para o encontro podem ser feitas no plantão do Dízimo ou na Secretaria Paroquial. Todos os casais de namorados da Paróquia são convidados a participar.

Arquidiocese lança Anuário 2009 A nova edição do Anuário da Arquidiocese de Natal já está circulando. A edição, com 109 páginas, traz a relação completa com nomes e endereços das paróquias, dos padres, diáconos, congregações religiosas, comunidades de vida e aliança, colégios católicos e coordenações arquidiocesanas de pastorais, movimentos e serviços, além de outras informações. “Muito mais que um catálogo de endereços e telefones, ele quer ser um instrumento de comunicação que favoreça a construção de uma Pastoral de Conjunto, que promova a missão e discipulado para levar Jesus a todas as pessoas”, escreve o Arcebispo, Dom Matias Patrício de Macêdo, na apresentação do Anuário. Devido à comemoração dos cem anos de criação da Diocese de Natal, em 2009, a publicação traz um resumo biográfico e fotos de todos os bispos e arcebispos que já administraram a Arquidiocese. Os agentes pastorais que desejarem adquirir um exemplar do Anuário 2009 podem encontrá-lo no Centro Pastoral Pio X - subsolo da Catedral, na sala da Pascom, na Cúria ou na Tesouraria. O exemplar custa cinco reais. fonte: arquidiocesedenatal.org.br


2

[ Editorial ] “Quando a gente encontra Deus...” Bem sabemos que a Igreja está pedindo de cada cristão o seu encontro pessoal com Jesus Cristo. A Igreja pede isto por meio do Documento de Aparecida, resultante da Conferência do mesmo nome. Mas, e aí, onde a gente encontro Deus? Como é este encontro? Como tem sido a experiência de cada batizado? Bem sabemos, por narração do Evangelho, que no momento do Batismo de Jesus, Deus disse: “Este é o meu filho amado, no qual ponho toda a minha afeição”. E nós, como foi o momento do nosso batismo? E se nos batizamos quando ainda crianças, inconscientes, portanto, como foi a nossa crisma? O que dizemos a Deus, ao aderirmos ao Projeto de Jesus Cristo? Enfim, eis um momento oportuno de experimentarmos – se ainda não o tivemos ou se ele anda pouco intenso – este encontro com Jesus Cristo. E mais: sabemos que o caminho que leva a Jesus Cristo passa pela comunidade. Encontremos então Jesus em meio à comunidade, como os discípulos de Emaús.

Missão Centenária Todo dia 29, em preparação à celebração do Centenário da Arquidiocese!

@

Para receber O Alicerce via Internet

Envie um email para santanacomunica@gmail.com colocando como assunto: “receber o alicerce”

Evangelizando em comunhão e missão

O ALICERCE [ Momento de Fé ]

julho de 2009

A História de Sant'Ana, nossa Padroeira, mãe da mãe de Deus Pouco nos dizem a história e a Sagrada Escritura sobre Sant’Ana, mas, para compreendermos quem ela é basta-nos só isso: é a mãe da mãe de Jesus, a avó de Jesus Cristo. Ana, cujo nome em hebraico significa graça, pertencia à família do sacerdote Aarão seu marido, Joaquim pertencia à família real de Davi. Joaquim fora censurado por não ter filhos e Ana já era idosa e estéril. Confiando no poder divino Joaquim retirou-se ao deserto para rezar e fazer penitência. Ali, Deus ouviu suas preces e voltando ao lar, algum tempo depois, Ana ficou grávida. A paciência e a resignação com que sofriam a esterilidade levaram-lhes ao prêmio de ter por filha aquela que havia de ser a Mãe de Deus. Ana e Joaquim moravam em Jerusalém, e aí nasceu-lhes uma filha que recebeu o nome de que foi oferecida ao Templo de

Jerusalém aos três anos, tendo lá permanecido até os doze anos. A devoção aos pais de Nossa Senhora é muito antiga no Oriente, onde foram cultuados desde os primeiros séculos de nossa era. No Ocidente, o culto de Sant’Ana remonta ao século VIII, quando suas relíquias foram levadas da Terra Santa para Constantinopla. Seu culto foi tornandose muito popular na Idade Média, especialmente na Alemanha. Em 1378, o Papa Urbano IV oficializou seu culto. Em 1584, o Papa ório XIII fixou a data da festa de Sant’Ana em 26 de julho, e o Papa Leão XIII a estendeu para toda a Igreja, em 1879, tendo sido São Joaquim comemorado, inicialmente, em dia diferente ao de Sant’Ana, o Papa Paulo VI associou num único dia, 26 de julho, a celebração dos pais de Maria Santíssima. fonte: santanadecampinas.org.br

A devoção a Sant’Ana remonta a muitos anos com tradição. A veneração pela avó de Jesus Cristo se consolida a cada ano, como uma história da família perfeita. Muitos são os devotos de Sant’Ana. Vários Municípios do Rio Grande do Note têm Sant´Ana como sua padroeira. A sua representatividade reflete muito nas cidades do interior como Caicó, Currais Novos, Sant’Ana do Matos, dentre muitas outras. Aqui, na Capital, cresce também essa devoção, levando muitas comunidades a homenagearem como sua Padroeira. De acordo com entrevista feita ao Padre

Nunes, divulgada no jornal Diário de Natalm em 22 de julho de 2007, ele foi considerado o “Embaixador de Sant’Ana” em Natal. Isto por sua grande devoção à Sant’Ana. Em sua entrevista, ele afirma que Sant’Ana como avó de Jesus Cristo reúne muitos devotos, mas que esta devoção não fique apenas em torno dela. “Não pode acabar só nela. A devoção a Sant’Ana deve nos levar a algo maior, que é Jesus Cristo. Conhecer o Evangelho dele e se comprometer com esse Evangelho na causa de um mundo novo, de uma sociedade nova, onde todos possam viver com alegria e dignidade”.

[ Expediente ] O ALICERCE Informativo mensal da Paróquia de Sant’Ana Rua Ilha de São Paulo, 1110 - Soledade II - Natal/RN Fone/Fax: (84) 3615 2880 - santanacomunica@gmail.com Direção: Pe. Francisco das Chagas Secretaria: Pastoral da Comunicação Edição: Josélia Carvalho Pauta: Pastoral da Comunicação Colaboradores: - Ângela Galdino - David Anderson - Rogéria Maiza

Na verdade, Cristo Ressuscitou, aleluia!

- Renata Carvalho - Cristiane Oliveira - Flávio Cortez - Janaína Dionísio Revisão: Josélia Carvalho Diagramação: Túllio Rapôso Impressão: Grafpel Tiragem: 1.000 exemplares.


3

O ALICERCE

julho de 2009

Jovem da Paróquia representa Arquidiocese em encontro nacional Com o decorrer do tempo de criação e ampliação do Movimento Segueme, verificou-se a necessidade de aprofundar a espiritualidade dos seguidores. Assim, seguindo as orientações do Documento Básico Normativo, o Conselho Arquidiocesano do Segue-me realizou em 2005, na cidade de Brasília, a primeira edição da 2ª Etapa do Segue-me. Já nos dias 5 a 7 de junho, aconteceu em Anápolis/GO, uma nova edi-

ção da 2ª Etapa do Segue-me. A arquidiocese de Natal foi representada por três jovens, dentre eles, Janaina Dionisio, da Paróquia de Sant’Ana. Estes jovens foram viver esta experiência, para posteriormente implantar a 2ª Etapa do Segue-me na Arquidiocese. A 2ª Etapa é destinada aos jovens seguidores com no mínimo dois anos de caminhada, preferencialmente, envolvidos nas atividades da Igreja. A indicação dos jovens caberá ao Diretor Espiritual,

Paróquia passa por nova setorização Na última edição de O Alicerce, foi apresentada uma matéria intitulada "Paróquia de Sant’Ana é setorizada”. Mas, e afinal, o que se entende por setorização? A setorização é a “[...] divisão da paróquia em unidades territoriais menores, com equipes próprias de animação e de coordenação que permitam uma maior proximidade com as pessoas e grupos que vivem na área paroquial” (cf.

Doc. Aparecida 372). Ou seja, é dividir a paróquia em setores ou grupos menores, tendo o cuidado de, ao dividi-lá, não deixar que se perca sua unidade paroquial, objetivando assim encontros mais participativos e proveitosos no tocante à formação. Assim, depois de melhor observar a área geográfica da Paróquia de Sant’Ana, ela foi dividida em cinco setores:

Setor I – Soledade II, que tem como coordenadora, Lúcia Pereira; Setor II – Santarém, que tem como coordenador, Rafael Rodrigo Setor III – Raio do Sol, Alvorada, Potengi, Jardim Brasil, que tem como coordenadora, Marilde Fernandes; Setor IV – Nova República e Parque Floresta, que tem como coordenador, João Batista; Setor V – Niterói-salinas, Jardim das Flores, Residencial Redinha, que tem como coordenadora, Ana Maria. Para melhor encaminhar as atividades dos diversos setores cada comunidade, tem um animador que faz animação missionária jun-

tamente com o coordenador. A setorização foi uma decisão da Assembléia Pastoral Paroquial, em janeiro deste ano.

ficando a analise e seleção a cargo da equipe responsável pela 2ª Etapa. Objetivos da 2ª Etapa: - conscientizar os jovens seguidores da importância do compromisso e o despertar da liderança cristã, bem como o engajamento nas Pastorais; - preparar os jovens seguidores para assumirem novas responsabilidades, não somente em sua paróquia, mas também na esfera dos Conselhos Setoriais do Segue-me.

Construir templos é prioridade centenária Existe um desejo do arcebispo metropolitano, Dom Matias Patrício de Macedo, de marcar o Ano do Centenário da Diocese, com a conclusão de 100 novas Igrejas. Nesta perspectiva, a Paróquia de Sant’Ana quer participar deste propósito, concluindo a Igreja de Nossa Senhora de Fátima, em NiteróiSalinas. Para tanto, a cada mês, a coleta de todas as missas do último domingo, na Paróquia, é destina à comunidade de Niterói-Salinas. Assim, fica o convite do pároco, Padre Francisco das Chagas, para que todos os paroquianos colaborem de uma forma mais generosa a cada último domingo. E para agradecer a todas as iniciativas para a edificação dessa Igreja está acontecendo no dia 13 de cada mês, a reza do Terço no terreno onde está sendo construída a Igreja, às 19h30min.

Missionários se inscrevem para o I Cemar Estão ocorrendo as inscrições de todos os missionários das diversas paróquias da Arquidiocese para o I Cemar. O objetivo é ter uma estimativa do número dos que irão participar e atuar no I Cemar. As pessoas podem procurar o coordenador do seu setor missionário e fazer a inscrição. O I Cemar surgiu da necessidade de celebrar os 100 anos da Diocese. Todas as atividades realizadas durante este ano no tocante ao Centenário terá seu ápice neste evento, por entender a

coordenação diocesana que a Eucaristia é o começo, o meio e o fim de todo o trabalho de evangelização. O Centenário de criação da Diocese de Natal (hoje Arquidiocese de Natal) será solenemente celebrado no dia 29 de dezembro deste ano. A celebração ocorrerá no encerramento do I Congresso Eucarístico Missionário Arquidiocesano (Cemar), que será realizado de 26 a 29 de dezembro, no Espaço João Paulo II. Assim, com o objetivo de vivenciar o Ano Jubilar, a Arquidiocese de NaA Ele o poder e a glória pelos séculos eternos.

tal está promovendo várias atividades ao longo de 2009. Uma delas é a Missão Centenária, realizada desde janeiro, sempre no dia 29 de cada mês. Cada paróquia da Arquidiocese recebe um determinado número de folhetos da Missão Centenária para distribuir com os fiéis. A estes, cabe a organização de pequenos grupos na rua onde moram para encontros de oração. Em algumas paróquias, o encontro de grupos de fiéis é organizado nas ruas, por agentes de pastorais ou missionários.


4

O ALICERCE

julho de 2009

[ Entrevista ] Festa de Sant’Ana Aproxima-se a Festa de Sant´Ana 2009. Momento de alegria, confraternização e oração entre todas as comunidades. Todos aguardam expectativa, ansiedade e perspectivas melhores de uma ação pastoral mais renovada. Eis aqui depoimentos de paroquianos e do pároco, que esperam vivenciar mais uma Festa de Sant’Ana.

Eura Amorim, do Potengi

O Alicerce: Conversamos agora com Dona Eura Amorim, do Potengi. O que a senhora sente ao dizer-se: “vai ter início a festa de Sant’Ana”? Eura Amorim: Para muitos católicos, é o início de uma caminhada para Cristo verdadeiramente. Vai pela curiosidade, e a fé começa a brotar no coração. O Alicerce: Dona Eura, a senhora participa há um bom tempo na comunidade do Potengi. E agora está iniciando na Pastoral da Liturgia. Qual sua visão da Festa de Sant’Ana, enquanto agente de pastoral? Eura Amorim: Eu participo da liturgia há um ano mais ou menos. E eu vejo a Festa como uma oportunidade para jovens que vão pra se divertir, e entram na Igreja por curiosidade. E daí, até se engajam num movimento das pastorais, começando geralmente nos movimentos dos jovens, da criança às vezes.

dades, o encontro das pessoas. Nesse encontro, nós buscamos mais o amor de Jesus e a paz entre os irmãos. O Alicerce: Quando se diz assim: “vai ter início a Festa de Sant’Ana”, os preparativos, o que a senhora sente em particular? Neuma Vidal: Eu sinto uma alegria muito grande, porque eu gosto muito de participar da Festa. Assim, procuro ir todos os dias, pois acho muito gratificante o encontro entre as pessoas, aquela alegria toda. É isso. O Alicerce: Enquanto agente de pastoral, o que a senhora diria desses anos que a senhora vivenciou com relação à Festa de Sant’Ana, entre o antes e o depois do que representa a Festa para a senhora? Neuma Vidal: Antes, eu não tinha muito este elo de pastoral. Depois que entrei na Liturgia, eu senti mais o convite.

Maria Aparecida Oliveira, do Alvorada

Maria do Socorro Lopes, do Residencial Redinha

Neuma Vidal, do Santarém

O Alicerce: Neuma Vidal, do Santarém, agente da Pastoral da Acolhida. O que representa a Festa de Sant’Ana para a senhora? Neuma Vidal: Representa muita coisa boa, como o encontro das comuni-

do um momento de confraternização entre todas as comunidades, que é o ponto alto. O Alicerce: Enquanto agente de pastoral, o que a senhora diria a respeito da Festa de Sant’Ana, desde quando começou a participar como agente até hoje? Maria do Socorro: É muito difícil trabalhar como agente de pastoral. Mas eu, particularmente, tenho muita fé e coragem, e vou sempre buscando. E a Festa de Sant’Ana é aquele porto seguro, onde você busca toda aquela força, aquela fé. E assim você tem força para todas as adversidades da vida.

O Alicerce: Conversamos agora com Maria do Socorro Lopes, do Residencial Redinha. É agente da Pastoral da Liturgia. Quais as perspectivas que a senhora sente quando se diz vai ter início mais uma Festa de Sant’Ana? Maria do Socorro: Bom, a nossa perspectiva é a de todos os anos: esperamos com ansiedade a Festa de Sant’Ana. Esperamos com muita orações, muito entusiasmo, muita fé. E que a comunidade não só do Residencial Redinha, mas do Soledade II possa estar em comum com esta Festa, sen-

O Alicerce: Conversamos agora com Maria Aparecida Oliveira, do Alvorada. Com relação à Festa de Sant’Ana, quais são suas perspectivas para este ano? Maria Aparecida: Olha, a Festa de Sant’Ana é sempre um momento não só de confraternização dos paroquianos, mas de crescimento na fé. Um momento no qual a gente procura em torno do altar, junto com Jesus e Sant’Ana, viver mais o momento cristão, o momento de fé. E este ano, mais do que nunca, o Ano Jubilar [da Diocese] não deixa de ser um ano de grande crescimento pra todos nós. O Alicerce: Enquanto agente de pastoral, qual sua perspectiva quando é anunciado que é a Festa de Sant’Ana, e vai ter início a peregrinação? Maria Aparecida: Nós, agentes de

“É urgente uma evangelização muito mais missionária, em diálogo com todos os cristãos.” (DGAE 2008-2010)


julho de 2009

5

O ALICERCE

pastoral, precisamos estar sempre nos renovando. E a Festa de Sant’Ana é esse momento de renovação, no qual procuramos nos reunir e buscar vivenciar mais o que vai acontecer. E tudo isso nos ajuda a viver melhor na pastoral. É o momento em que precisamos aprender mais, para levar para as nossas comunidades.

O Alicerce: Enquanto agente de pastoral, como você vê a Festa de Sant’Ana? Aparecida de Souza: Eu fico animada para trabalhar e ajudar no que for possível.

João Maria Martins (Merry), da pastoral do Dízimo

Iranildo Leite, do Jardim das Flores

O Alicerce: Iranildo Leite, do Jardim das Flores, agente da Pastoral da Acolhida. Qual sua perspectiva para a Festa este ano? Iranildo Leite: Muita alegria, pois vamos estar todos reunidos em comunidade, em comunhão com esta festa, festa alegre. O Alicerce: Enquanto agente de pastoral, o que representa a Festa de Sant’Ana? Iranildo Leite: A Festa representa muita fé. Quando estamos reunidos, Deus está no meio de nós. Então representa uma alegria para toda a comunidade e todos os que estão presentes.

O Alicerce: Estamos com João Maria Martins (Merry), da pastoral do Dízimo, Soledade II. Como você espera a Festa de Sant’Ana este ano? João Maria: Maravilhado e tranqüilo, por saber que a salvação está sempre próxima e por termos uma padroeira como a nossa. O Alicerce: Enquanto agente de pastoral, como você se sente com relação à festa da Padroeira? João Maria: Buscando sempre a salvação, sendo sempre de Cristo, pela intercessão de Sant’Ana.

Padre Francisco das Chagas, pároco

Aparecida de Souza, do Soledade II

O Alicerce: Conversando com Aparecida de Souza, do Soledade II, agente da Pastoral do Dízimo. Mais uma Festa de Sant’Ana se aproxima. E qual sua perspectiva para mais um ano de festa? Aparecida de Souza: Uma festa muito boa. Na parte religiosa, iremos nos empenhar muito para ser uma festa muito bonita, vamos dar tudo de cada um de nós.

O Alicerce: Padre Chagas, mais uma Festa de Sant’Ana se aproxima. Qual a sua visão hoje da Festa de Sant’Ana? Padre Chagas: A Festa de Sant’Ana é sempre um momento de alegria, momento de expectativa. E é claro que a gente hoje quer, sobretudo, colocar a Festa numa dimensão, num espírito novo, a partir da grande iluminação do Documento de Aparecida, que é fazer com que as pessoas possam refletir sobre a sua dimensão como seguidoras de Jesus cristo. O Alicerce: Padre Chagas, no Seridó, existe um grande tributo e devoção à Sant’Ana. O senhor acha que na capi-

“Catequese, caminho para o discipulado.”

[ Agende-se ] JULHO 01: Carreata de abertura da Festa de Sant’Ana - de Jardim das Flores ao Soledade II, às 19h30min 02: Início da peregrinação da imagem de Sant’Ana, no soledade II 06 a 10: Retiro do Clero - Fortaleza/CE 11: I EXPO CATEQUESE: IFRN - Natal 16: Celebração dos Mártires - Cunhaú 16/07: Imagem de Sant’Ana em Jardim das Flores 17/07: Imagem de Sant’Ana no Residencial Redinha 18/07: Imagem de Sant’Ana em NiteróiSalinas 18: Encontro arquidiocesano de articuladores zonais, paroquiais e de Comipas - Imagem de Sant’Ana em: 19/07: Raio do Sol - 20/07: Potengi 21/07: Alvorada - 22/07: Nova República 23/07: Santarém 24/07: Chegada da Imagem de Sant’Ana ao Soledade II 24 a 02: 16ª edição da Festa de Sant’Ana - Soledade II 29: Missão Centenária - Paróquias

AGOSTO 08: Reunião do XI ZONAL - Soledade II 09 a 16: Semana Nacional da Família 16: Encerramento da Semana Nacional da Família e Celebração do Dia do Catequista no XI Zonal - Paróquia Dom Bosco/Gramoré 19: Encontro da Região Urbana – Ponta Negra 23: Encontro de Articuladores da Pastoral do Dízimo - Natal 24 a 28: Nordestão dos Presbíteros Fortaleza/CE 23: Jornada Apostólica - Legião de Maria/Paróquia de Sant’Ana 29: Missão Centenária


6

O ALICERCE Horários da Paróquia em julho

Secretaria Paroquial - SEG a SEX, das 8h às 11h e das 14h às 17h Atendimento do Pároco - QUA a SEX, das 16h às 17h30min Atendimento do Vigário - TER a SEX, das 16h às 17h30min Missas diárias na Matriz - TER a SEX, às 19h20min - DOM, 7h e 19h30min Preparação ao Batismo - Soledade II - QUA, às 19h30min - Jardim das Flores - última QUI, às 19h30min Celebração do Batismo - Soledade II: SAB, às 9h - Jardim das Flores: último DOM, às 10h Preparação ao Matrimônio - Centro Pastoral Dom Bosco (Gramoré): 1° DOM,das 8h às 17h As ações se realizam, na vida do cristão, como resultado da fé. Só quem tem fé é capaz de perseverar nas ações, ajudando a transformar, concretamente, as realidades deste mundo, em busca de uma comunidade que se organiza conforme os planos de Deus. Francisco Morais

[ Norte da Palavra ] 05 DE JULHO

14º Domingo Comum “Ser profeta é enfrentar a rejeição.” Mc 6, 1-6 12 DE JULHO

15º Domingo Comum “A missão dos discípulos de Jesus.” Mc 6, 7-13 19 DE JULHO

16º Domingo Comum “Jesus conduz à vida.” Mc 6, 30-34 26 DE JULHO

17º Domingo Comum “Testemunhas da ressurreição.” Jo 6, 1-15 Pe. Francisco das Chagas de Souza

tal, essa devoção surgiu a partir desse povo, ou aqui esse significado é diferente? Padre Chagas: Bom, o povo do Seridó, por natureza, é um povo que tem uma tradição religiosa. E a marca dessa tradição, sem dúvida, é Santana, que tem uma marca na história daquele povo. Na cidade, é claro, que aqui é uma Paróquia, no meio de tantas outras paróquias, somos aqui na cidade, na nossa região 36 paróquias e três áreas pastorais. Então quer dizer: é uma devoção a mais dentro de uma região que se diferencia da região lá do Seridó, que é uma marca que traz uma tradição religiosa. O Alicerce: Mas aqui na cidade, ela também tem um sentido especial, não tem? Padre Chagas: Sim, claro. Sant’Ana é mestra, é a mãe de Maria. E é isso que a gente tenta apresentar: como alguém que é parte integrante da história da salvação, tudo por causa de Cristo, que é o centro e é o salvador. E pra gente aqui da cidade ela tomou uma dimensão. Até a própria Festa, na parte social, tomou uma dimensão de cidade, de região urbana, a questão dos grandes shows, aquilo que acontece nos fins de semana, normalmente, aqui na cidade. O Alicerce: A Festa de Sant’Ana tem como tema “Catequistas: discípulos e missionários de Jesus”. Por ser o Ano da Catequese, há um significado especial para cada catequista? De que forma? Padre Chagas: Nós temos trabalhado isso não só com o catequista, aquele que trabalha na preparação ao sacramento, mas para que toda a Igreja, todos os evangelizadores tenham essa visão maior da catequese. Isso é o que nós queremos despertar. Claro que o catequista, aquele que tem o trabalho específico, nessa linha sacramental, ele deve ser tocado e deve participar, e até por está vivendo o seu ano. Mas o catequista é todo aquele que se preocupa de como colocar o Evangelho de uma maneira da cultura de hoje que nós vivemos. O Alicerce: Ao entrevistar vários paroquianos hoje, eu percebemos que

julho de 2009 cada um tem uma nova expectativa a cada Festa de Sant’Ana. Para o senhor, que prepara a Festa a cada ano, isso também acontece? Padre Chagas: Claro. A gente vem preparando. Pelo menos, a minha parte eu venho preparando há mais de dois meses, estudando os temas, organizando. Então, isto gera dentro de você uma expectativa: como é que vai ser? Isso é natural dentro de todos nós que aguardamos. E muita gente, eu tenho certeza, que fica o ano todo esperando, aguardando por esta festa. O Alicerce: Todos os anos a Festa de Sant’Ana tem um brilho especial. Este ano o Senhor acha que ela terá um brilho mais especial ainda? Padre Chagas: A gente procura, a cada ano, dar esse brilho, de acordo com o que se está vivendo na Igreja. E nós estamos vivendo o Ano Jubilar da nossa Diocese. Queremos colocar isso como parte importante dentro da Festa de Sant’Ana, celebrar os 100 de criação de nossa Diocese.

Cássia e Manoel, da Pastoral do Batismo

O Alicerce: Manoel Macedo e Cássia Santos Gomes, da Pastoral do Batismo, do Soledade II, qual a perspectiva de vocês para Festa de Sant´Ana nesse ano? Manoel Macedo: Muito boa. Este ano, com certeza, será bem melhor, pois acreditamos muito na providencia divina e intercessão de Sant’Ana. E que esta festa se realize na paz, no amor e na oração, para que possamos comemorar e sairmos alimentados de cada novena que se realizar. O Alicerce: Cássia, você que também é Ministra de Eucaristia, como você vê a Festa? Cássia Santos: Vejo a Festa de Sant’Ana com muita alegria, espero

"Igreja do Rio Grande do Norte: evangelizando em comunhão e missão".


7

O ALICERCE

julho de 2009 que cada noite de novena venha nos preencher de amor ao próximo e paz dentro da nossa festa. O Alicerce: Manoel, o que você sente quando se anuncia a Festa de Sant’Ana? Manoel Macedo: Sinto uma alegria imensa dentro de mim, pois a gente percebe uma alegria de toda a comunidade, de toda a Paróquia de Sant’Ana, não apenas da comunidade do Soledade II, mas de todas as comunidades. E isso é como uma renovação da fé. Isso nos mostra como o povo de Deus é um povo guiado por Ele e iluminado por Cristo. E que através desta Festa possamos acreditar cada vez mais que Deus está conosco. O Alicerce: O tema deste ano é “Catequistas: discípulos e missionários de Jesus Cristo”. O que este tema representa para você? Cássia Santos: Nós somos, sim, discípulos de Jesus. E que a cada dia nós possamos caminhar com Ele, e ser um discípulo verdadeiro. Aquele que ama a Cristo e a todos que estão em volta d’Ele, sentindo a presença de cada irmão.

[ Palavra do Pastor ] Queridos paroquianos, paz e bem!

Marcos Aurélio Pereira, do Encontro de Casais com Cristo

O Alicerce: Conversamos com Marcos Aurélio Pereira, Encontro de Casais com Cristo. Qual sua perspectiva para com a Festa de Sant’Ana, e o que ela representa para você? Marcos Aurélio: As melhores possíveis. Se for no sentido religioso, que seja como todos os anos. E representa como um incentivo que a nossa Paróquia dá. O Alicerce: Marcos, para muitos paroquianos, a Festa tem um sentido especial, como a gente vê os seridoenses, pela sua padroeira. Você acha que aqui na cidade é da mesma forma? Marcos Aurélio: Eu acredito que sim, porque o povo do interior pensa muito na Festa de Sant’Ana lá de Caicó; e aqui nós temos a Sant’Ana do Soledade [risos].

Estamos para celebrar mais uma Festa de Sant’Ana, que deve ser um momento de expressar a nossa fé, de estarmos juntos, de partilhar e, sobretudo, de alegria. Queremos ressaltar o Ano da Catequese, no contexto do Centenário de criação de nossa diocese, bem como o Ano Sacerdotal em toda a Igreja. Enfim, a Festa de Sant'Ana é sempre um momento de reflexão do que a nossa Igreja vive. Daí, quero convidar você, devoto e paroquiano, e você que vem de outras comunidades, para celebrar com fervor e muito amor, mais uma Festa de Sant'Ana. Seja bem vindo, e uma feliz Festa 2009! Fraternalmente, Pe. Francisco das Chagas de Souza Pároco

Paróquia realiza inscrições para a Crisma

Flávio Cortez, do Segue-me e da Pastoral da Comunicação

Gilvani de Medeiros

O Alicerce: Flávio Cortez, jovem do Segue-me e agente da Pastoral da Comunicação, como você vê a Festa de Sant’Ana? Flávio Cortez: Eu vejo como uma forma de nós, paroquianos, vivenciarmos a fé de forma mais intensa neste período. O Alicerce: Para muitos, a Festa de Sant’Ana apresenta um sentido especial. E para você, de que forma se apresenta? Flavio Cortez: Eu acho que devemos encarar a Festa como uma renovação pra gente se fortalecer cada vez mais.

O Alicerce: Gilvani de Medeiros, pra você, o que é a Festa de Sant’Ana? Gilvani de Medeiros: A Festa de Sant’Ana é muito importante, pois é um momento em que a gente se encontra com o próprio Cristo; ele é a luz da nossa vida. O Alicerce: Enquanto agente de pastoral, o que representa pra você a Festa de Sant’Ana? Gilvani de Medeiros: Representa um objetivo muito importante para vida de cada um de nós cristãos. É uma caminhada que Jesus mostra para todos os cristãos.

A Crisma é a força de Deus. Essa força de Deus proceda da ação do Espírito Santo. Na Igreja, a experiência da vida é celebrada no sacramento da Crisma. A Crisma é o sacramento do cristão que está amadurecendo na fé. Para ajudar na preparação dos jovens rumo à celebração do sacramento da crisma a Pastoral da Catequese da Paróquia de Sant’Ana está com inscrições abertas para novas turmas de Crisma, em todas as comunidades. O início da preparação para as novas turmas está previsto para os dias 18 e 19 de julho. Para inscrever-se o jovem precisa ter 14 anos completos, apresentar o registro de nascimento no ato da inscrição e colaborar com uma taxa de R$ 3,00. Os horários das inscrições vão ser divulgados nos avisos das missas de cada comunidade.

“A Igreja continua na história a testemunhar o Ressuscitado.”


8

O ALICERCE

julho de 2009

[ Conhecendo sua Pastoral ] Pastoral da Juventude: uma pastoral de atitude Para Kenisson Vicente Dantas, articulador da Pastoral da Juventude (PJ) na Paróquia de Sant'Ana, o que o motiva a ser dessa pastoral é a alegria e a força que a juventude tem em tudo o que faz. E afirma: “Ser jovem não é ser careta, não é andar de muleta. É andar de pé, é ter fé. É ter punho e dar bom testemunho. É ser contente com Cristo”. Em toda a Paróquia há 5 grupos de jovens. Os grupos se reúnem sempre em suas comunidades. No Soledade II e no Santarém, as reuniões acontecem aos sábados, às 19h30min; no Alvorada e no Jardim das Flores, as reuniões são

aos domingos, às 19h30min; já em Niterói-Salinas, as reuniões acontecem aos domingos, às 16h. Os coordenadores das pastorais da juventude se reúnem toda última quinta-feira de cada mês, às 19h30min, na comunidade do Alvorada, para reunir idéias e estabelecer metas. kenisson afirma que a Pastoral da Juventude trabalha com jovens de 14 a 29 anos, seguindo as normas da Pastoral da Juventude do Brasil (PJB). Além das reuniões semanais, os grupos fazem trabalhos missionários na comunidade, e têm momentos de confraternização.

A Arquidiocese, por sua vez, faz um acompanhamento desses grupos juvenis nas paróquias, promovendo encontros de formação e de confraternização. O PJOTÃO, que é o arraiá da PJ, que acontecerá no dia 7 de julho, e o encontro de formação para coordenadores juvenis, que acontecerá de 14 a 19 de julho, são alguns exemplos do trabalho da Arquidiocese do qual os jovens da Paróquia participam. Por fim, Kenisson deixa um recado a todos os jovens: “Venham juntos construir esse novo mundo possível, a civilização do amor”.

Bento XVI abre ano sacerdotal O ano sacerdotal foi aberto oficialmente no último dia 19 de junho, e vai até 19 de julho de 2010. A abertura se deu por ocasião da celebração dos 150 anos da morte de São João Batista Maria Vianney, o Santo Cura D’Ars, invocando sua proteção e inspiração para a vivência do tema do Ano Sacerdotal “fidelidade de Cristo, fidelidade do sacerdote”. O Papa Bento XVI, em

sua carta aos sacerdotes de todo o mundo, afirma que o Ano Sacerdotal ajudará a "promover o compromisso de uma renovação interior de todos os sacerdotes, a fim de que eles possam dar um forte e incisivo testemunho evangélico no mundo de hoje". A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, em uma carta redigida aos presbíteros brasileiros, agradece a to-

dos que se colocaram a serviço do Povo de Deus, por levar o Evangelho aos mais necessitados, e pede também que seja dinamizada a Pastoral Presbiteral, a fim de que venha a ser um “verdadeiro instrumento de comunhão entre os presbíteros, auxiliando-os nas mais diversas circunstâncias”, explica um dos trechos da carta.

Alvorada celebra seus padroeiros

[ Rádio Sant’Ana FM ] RÁDIO: rapidez na informação O rádio é o meio de comunicação de massa caracterizando especialmente pela transmissão da informação, podendo esta ser considerada a sua função principal: ele tem condições de transmitir a informação com mais rapidez do que qualquer outro meio. Entre os meios de comunicação de massa, o rádio é o mais popular e o de maior alcance público, sendo muitas vezes, o único a levar a informação para populações de regiões que ainda hoje não têm acesso a outros meios, seja por motivos geográficos, econômicos ou culturais. No tocante à linguagem convém falar que, na informação radiofônica, ela é simples e caracterizada pela repetição de conceitos, de modo a que

o ouvinte possa assimilar a idéia que se pretende comunicar. Assim, a naturalidade de expressão prevalece em sobre as palavras confusas e das frases complicadas. O receptor está livre de fios e tomadas. Por um lado, o rádio permite ao ouvinte conhecer a atualidade mundial sem sair de casa; por outro, pode conhecê-la durante uma viagem, no carro ou no trabalho. E para que a informação e a evangelização cheguem cada vez mais rápida e mais clara para todos que sintonizam a 87,9 (Rádio Comunitária Sant'Ana FM) é que você, sócio-contribuinte, precisa ser fiel em sua colaboração mensal. Rádio Comunitária Sant’Ana FM: há 6 anos a serviço da vida. Ângela Galdino - colaboradora

São Pedro e São Paulo, padroeiros da comunidade do Alvorada estão sendo celebrado desde o dia 24 de junho. O tema da festa deste ano é “Sobre o alicerce dos apóstolos, a Igreja tem a missão de evangelizar o mundo”. O encerramento da festa acontece neste sábado, dia 27 de junho, com missa solene às 19h30min, presidida pelo vigário paroquial, o Padre Aryson Antonio da Costa Paiva.

DGAE 2008-2010 OBJETIVO GERAL EVANGELIZAR, a partir do encontro com Jesus Cristo, como discípulos missionários, à luz da evangélica opção preferencial pelos pobres, promovendo a dignidades da pessoa, renovando a comunidade, participando da construção de uma sociedade justa e solidária, “para que todos tenham Vida e a tenham em abundância” (Jo 10,10).

“Eis que estou convosco todos os dias” (Mt 28, 19-20)

O Alicerce, julho de 2009  

Boletim informativo da Paróquia de Sant'Ana.

Advertisement